Apresentação Instituição Manual do aluno 1. INTRODUÇÃO 2. QUEM ESTUDA A DISTÂNCIA? 3. AS RAZÕES PARA SE ESTUDAR A DISTÂNCIA 4. COMO FAZER A MELHOR

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Apresentação Instituição Manual do aluno 1. INTRODUÇÃO 2. QUEM ESTUDA A DISTÂNCIA? 3. AS RAZÕES PARA SE ESTUDAR A DISTÂNCIA 4. COMO FAZER A MELHOR"

Transcrição

1

2

3 Apresentação Instituição Manual do aluno 1. INTRODUÇÃO 2. QUEM ESTUDA A DISTÂNCIA? 3. AS RAZÕES PARA SE ESTUDAR A DISTÂNCIA 4. COMO FAZER A MELHOR ESCOLHA 5. O QUE SÃO OS ESTUDOS A DISTÂNCIA 6. CURSOS SUPERIORES NA MODALIDADE A DISTÂNCIA 7. IMPLEMENTAÇÃO DOS CURSOS O DESENHO DOS CURSOS 7.1. Curso Superior de Tecnologia em Comércio Exterior 7.2. Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Negócios de Pequeno e Médio Porte 7.3. Curso Superior de Tecnologia em Gestão da Produção Industrial 7.4. Curso Superior de Tecnologia em Logística 7.5. Curso Superior de Tecnologia em Marketing 7.6. Curso Superior de Tecnologia em Secretariado 7.7. Curso Superior de Tecnologia em Gestão Pública 7.8. Curso Superior de Tecnologia em Gestão Financeira 8. OUTROS SISTEMAS DOS CURSOS 9. SISTEMAS DE COMUNICAÇÃO 10. RELAÇÃO DE S DA FATEC INTERNACIONAL Direção Acadêmica Assessoria da Direção Acadêmica Coordenação Geral do Ensino a Distância

4 Supervisão Pedagógica dos Cursos da Educação a Distância Assistentes da Coordenação Coordenação do Curso de Comércio Exterior Coordenação do Curso de Gestão da Produção Industrial Coordenação do Curso de Processos Gerenciais Coordenação do Curso de Marketing Coordenação do Curso de Logística Coordenação do Curso de Gestão Pública Coordenação do Curso de Gestão Financeira Coordenação do Curso de Secretariado Material Didático Tutorial Central Secretaria Acadêmica Ouvidoria 11. SISTEMA DE ESTÁGIO 12. AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM EaD A avaliação do curso Atividades supervisionadas ANEXO I Dicas sobre seu estudo individual e compartilhado As atividades do curso Dicas importantes 1. Como se preparar para estudar individualmente 2. Quando estudar e como estudar todos os dias 3. Por onde começar 4. Como utilizar o material didático 5. O resumo e o esquema 6. Outras atividades propostas para os encontros coletivos 6.1. Entrevistas 6.2. Debate e discussão

5 6.3. Pesquisa 6.4. Seminário 7. Como se deve estudar a distância 7.1. Considerações iniciais 7.2. Estabelecendo e atingindo objetivos 7.3. Escolhendo as atividades de aprendizagem 7.4. Os recursos didáticos para a aprendizagem 7.5. Identificando o progresso da aprendizagem 7.6. Eliminando dificuldades de estudo 7.7. Mantendo a motivação 7.8. Planejando o seu tempo 7.9. Como estudar on-line Sistema de tutoria O estudo nos espaços presenciais As atividades a distância Como se comunicar com os professores e tutores Como acessar o ambiente virtual da Fatec Internacional 8. Considerações finais ÚNICO Como acessar Página inicial Informações acadêmicas Notas Informações pedagógicas Cronograma de aula Arquivos disponíveis Material de aula Taxas e serviços Biblioteca digital

6 A Faculdade de Tecnologia Internacional inaugura uma nova fase no cenário educacional brasileiro e, em particular, no Estado do Paraná, visto que participa com firmes propósitos do desenvolvimento e da democratização da educação brasileira em todos os níveis e, em especial, da educação a distância. A criação da Fatec Internacional e sua implementação é o início de novos tempos para todos aqueles que acreditam em educação, especialmente na educação a distância, como um instrumento valioso e da maior importância para a democratização da educação em nosso país. O presente MANUAL DO ALUNO consubstancia objetivos ao regulamentar expectativas de responsabilidades, condutas, regras, qualificações, normas e procedimentos relacionados com as diferentes funções dos principais atores envolvidos no processo educativo e suas modalidades. A Fatec Internacional tem a responsabilidade de conduzir com competência essa nobre missão, qual seja, a de levar a todos uma educação moderna e, sobretudo, de qualidade, em todos os níveis de formação. Aqui, procuramos definir o papel de alunos, c o o r d e n a d o r e s, p r o f e s s o r e s, t u t o r e s e

7 administradores, bem como suas responsabilidades, atribuições e a forma de relacionamento entre cada um, seus respectivos pares e com a instituição, dentro do processo de ensino, no qual todos, como uma equipe leal e coesa, estão envolvidos. Compreende-se por equipe uma hierarquia funcional de atribuições e de responsabilidades, consciente de que todos são igualmente importantes e elos de uma mesma corrente, e que trabalham com objetivos comuns. Com certeza, este manual será útil àqueles que fazem parte de nossa Instituição que visa ao crescimento profissional de todos, conscientes de suas responsabilidades individuais e coletivas, assumindo um compromisso de cidadania para o desenvolvimento continuado da sociedade brasileira.

8 A Fatec Internacional foi criada com o objetivo de ministrar cursos de educação profissional em âmbito técnico e tecnológico, assim como em nível de pósgraduação e extensão, nas diversas áreas profissionais e em diferentes habilitações, nas modalidades presencial e a distância. As modernas metodologias educacionais, utilizadas pela Fatec Internacional e aplicadas ao ensino a distância (EaD), permitem que o aluno integre o aprendizado da teoria e da prática com maior eficácia, possibilitando a ele aplicar os conhecimentos adquiridos nas atividades demandadas pelas empresas e pelo mercado.

9 Você está participando de um curso superior de tecnologia e, por conseguinte, cursando uma graduação em nível superior. Queremos cumprimentá-lo por sua iniciativa e decisão. O desejo de evoluir como pessoa é uma característica do ser humano e fundamental ao desempenho profissional. Devemos, portanto, cada vez mais estudar, refletir e colocar em prática os conhecimentos adquiridos. Como em todo curso ou em qualquer situação nova haverá momentos menos ou mais fáceis, menos ou mais instigantes, mas não tenha dúvida de que todos eles encerram experiências que foram longamente pensadas e planejadas para você, para que tragam um efeito positivo e direto em sua vida pessoal e para sua atuação como profissional. Por assim ser, este manual pretende esclarecer, o máximo possível, essa nossa intenção. Para isso, organizamos as informações necessárias de modo escalonado, evidenciando as peculiaridades do ensino a distância (EaD), em uma linguagem clara, simples e objetiva. Direção Acadêmica Prof. Dr. Osvaldo Vieira do Nascimento

10 Este material - que é destinado aos alunos dos cursos na modalidade EaD no ambiente virtual de aprendizagem da Fatec Internacional - busca orientar você, aluno, no sentido de obter informações sobre: quem estuda a distância; as razões para se estudar a distância; como fazer a melhor escolha de um curso na modalidade EaD; o que são os estudos a distância; ensino, tecnologia e uso de redes na educação; como deve estudar um aluno de um curso na modalidade EaD; como é o ambiente virtual de aprendizagem da Fatec Internacional; como entrar em contato com os professores especialistas; como entrar em contato com os tutores; como entrar em contato com outros alunos; como desenvolver as pesquisas digitais.

11 Podemos observar que os estudantes que procuram cursos ofertados na modalidade da educação a distância diferem daqueles que buscam os cursos tradicionais. Nesse ponto, interessa-nos atentar para as observações de Otto Peters (2001) sobre os alunos de EaD: São alunos adultos que dispõem de uma experiência de vida maior e, desse modo, encaram os estudos de uma forma diversa daqueles que estão iniciando a vida acadêmica. São alunos que trazem para o ambiente de estudo suas experiências profissionais e estas influenciam no modo como irão estudar. Precisam desenvolver os estudos de forma paralela às suas atividades profissionais, uma vez que fatores diversos impedem-nos de freqüentar os ambientes acadêmicos tradicionais. Muitos dos alunos são originários de ambientes que não lhes forneceu a possibilidade de desenvolverem seus estudos acadêmicos e na EaD estão tendo a sua primeira chance de estudo. Grande parcela dos alunos é formada por pessoas em ascensão e que necessitam completar seus estudos para elevar seu status social ou profissional.

12 São alunos potenciais da EaD as pessoas com idade mais avançada e que estão tendo a chance de completar sua formação. Um aspecto interessante é que a educação a distância, devido às suas características peculiares, é utilizada pelo governo, cujo interesse reside em atender a numerosos grupos de pessoas, visando diminuir os processos de exclusão social e atender àqueles que não podem freqüentar os ambientes acadêmicos tradicionais. Outro fator que pode ser considerado como um dos causadores da emergência com que está sendo encarada a educação a distância na atualidade é a falha estrutural das instituições tradicionais de ensino, que não estão preparadas para enfrentar a alta demanda gerada pelos fatores apontados anteriormente. Notamos também que jovens em início de formação ainda não estão habituados nem apresentam a motivação necessária para desenvolver atividades de auto-estudo ou estudo independente, que é característico dessa modalidade educacional.

13 Pesquisas desenvolvidas junto a diversas pessoas matriculadas em cursos da modalidade EaD permitem-nos levantar as razões que justificam a adoção dessa opção, quais sejam: Facilita a formação de pessoas que não podem freqüentar os ambientes acadêmicos presenciais, pelas mais diversas razões profissionais, pessoais, por residirem em locais sem acesso a centros educacionais. Permite conjugar os estudos com as atividades profissionais ou sociais com as quais a pessoa está comprometida. Apresenta uma variada gama de cursos ofertados, atendendo às diversas áreas tais como estudos independentes, estudos de formação complementar, estudos técnicos, estudos em áreas tecnológicas, graduação e pós-graduação, com acesso facilitado e custos menores do que aqueles praticados nos ambientes presenciais. Permite que o estudante escolha estudos mais diretamente relacionados com suas preocupações e formação profissional. O estudante pode escolher o que mais se aproxima da experiência adquirida durante o desenvolvimento de suas tarefas profissionais ou sociais. Permite ao estudante escolher onde, quando e

14 como estudar. E, em alguns casos de cursos de currículo aberto, o aluno pode escolher também o que deseja estudar, obtendo uma formação mais eclética. Permite ao estudante o planejamento de sua formação ao longo do tempo, de modo que o aluno não fica sujeito à rigidez dos currículos propostos nos ambientes acadêmicos tradicionais. O estudante pode escolher os meios através dos quais irá receber os materiais (caso a instituição escolhida efetue a oferta desses materiais em multimeios). A EaD possibilita o trabalho em ambientes de a p r e n d i z a g e m c o l a b o r a t i v a, e m q u e a responsabilidade do estudante para com seu grupo de trabalho e a utilização de seu conhecimento prévio como parte de valor no processo educacional do grupo faz com que a sua motivação seja constante. Permite (em alguns modelos e propostas) atendimento personalizado ao aluno, através de atividades tutoriais e adaptabilidade dos planos de estudo às características individuais do aluno. Muitos estudantes, ao escolherem um curso, não se preocupam em levantar todos os dados necessários para que sua escolha seja a melhor possível. Se as razões justificarem a opção do aluno, ele deve, em uma segunda etapa, buscar a instituição que lhe

15 possibilite as melhores condições de desenvolver seus estudos com segurança. Para tanto, você, estudante, deve prestar especial atenção em alguns pontos, evitando embarcar em uma aventura cujo final será sua evasão. Sejam eles: Assegurar-se de que a instituição central tenha um serviço de atendimento tutorial que atenda às necessidades da comunicação bidirecional entre o aluno e a instituição, entre o aluno e os professores especialistas e/ou tutores e com os demais estudantes que participam do curso. Verificar a estrutura comunicacional proposta e se ela atende aos estudantes de forma ágil, personalizada, respeitando os horários de que o estudante pode dispor para realizar essas atividades. Desenvolver pesquisas sobre a estrutura comunicacional oferecida, verificando se a instituição apresenta a possibilidade de freqüência a seminários presenciais, oficinas de trabalho prático, teleconferências e videoconferências complementares que facilitem a compreensão dos conteúdos e esclarecimento das dúvidas do estudante. Investigar a qualidade do corpo docente e tutorial da instituição, buscando ter acesso às avaliações desenvolvidas por turmas anteriores de modo a garantir-se de que irá receber ensinamentos e atendimento de qualidade. Verificar por quais meios são ofertados os materiais de estudo e se são adequados à sua disponibilidade, buscando as instituições que trabalhem com materiais didáticos dialógicos

16 e interativos de alta qualidade. Investigar a estrutura tecnológica, verificar se está apoiada pelos mais modernos meios tecnológicos presentes na sociedade da informação e se ao estudante são dadas orientações de acesso que facilitem o trabalho nos ambientes virtuais de aprendizagem. Verificar como são desenvolvidas as atividades de avaliação e se elas permitem ao estudante avaliar as estruturas tecnológica e comunicacional, o atendimento tutorial e a qualidade das aulas dos professores especialistas nos ambientes virtuais ou presenciais, em que o processo educacional irá ocorrer. Esses cuidados preliminares possibilitam a você escolher aquela instituição que melhor atenda aos seus interesses. Apoiados nos resultados de diversas pesquisas que estão sendo desenvolvidas no campo da EaD, observamos que elas concordam ao considerar a modalidade da educação a distância ou semipresencial como aquela que utiliza metodologias específicas, apoiadas pelo aparato das novas tecnologias da informação e comunicação (NTIC's). Um dos seus principais objetivos é adequar-se às

17 necessidades e características dos estudantes. O intercâmbio e a interação entre eles é facilitada e a troca de conhecimentos é constante. Os ambientes são caracterizados como ambientes de aprendizagem colaborativa e os alunos são engajados em um processo que os torna participantes ativos do ambiente de ensino e aprendizagem. O aluno e os professores necessitam adaptar-se a novos ambientes de aprendizagem e a novas nomenclaturas, tais como campus virtual, aulas virtuais, pesquisa digital, bibliotecas eletrônicas, teleconferências, videoconferências, professores orientadores, tutores, alunos participativos e problematizadores. Além disso, devem estar constantemente atualizados com as pesquisas no campo, pois sempre oferecem alguma contribuição que tende a facilitar o processo de construção individual de conhecimento. A auto-aprendizagem e as técnicas para educação de adulto revelam mais uma das múltiplas facetas particulares da modalidade de educação a distância. Essa formação virtual não foge de ideais democratizadores, uma vez que ela tem a pretensão de democratizar o acesso à educação para parcela significativa da população de países em desenvolvimento. Isto porque são esses países que engrossam a legião dos excluídos e aprofundam o abismo do conhecimento tecnológico que se estabelece no campo educacional, quando se compara esse conhecimento com aquele existente nos países considerados de primeiro mundo. Portanto, a educação a distância pretende estabelecer alterações significativas no processo educacional do presente, caracterizado pelo desencanto de professores e alunos, devido às práticas reprodutivistas por parte dos docentes e

18 comportamento passivo por parte dos alunos. Essas alterações buscam a criação de novas formas de ensinar e aprender, principalmente o aprender a aprender, que é centrado na pesquisa e defendido por tantos pesquisadores dos ambientes tradicionais de ensino. A criação, implementação e adequação continuada dos cursos superiores de tecnologia da Fatec Internacional têm como objetivo principal atender às reais demandas exigidas pelo mercado quanto à formação de profissionais de nível superior, capacitados a responder por fluxos e processos decorrentes das mais diversas atividades empresariais dos setores econômicos. Esses profissionais também serão os gestores das necessárias mudanças que venham a otimizar o desenvolvimento socioeconômico de suas respectivas regiões. Os diplomas de nível superior (tecnólogo), expedidos pela Fatec Internacional, têm validade em todo o território nacional, uma vez que seus cursos são elaborados de acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais estabelecidas pela Secretaria de Ensino Tecnológico do Ministério da Educação (Setec MEC), aprovados e ministrados segundo a legislação federal vigente.

19 A implementação dos cursos superiores de tecnologia é descentralizada, reforça a motivação para os estudos individuais e coletivos e para o entrosamento entre você, aluno, e seus colegas, além do que procura sempre estimulá-lo para as reais exigências do mercado. O desenho da estrutura curricular dos cursos superiores de tecnologia da Fatec Internacional é elaborado com vistas a atender às competências e habilidades exigidas para o perfil profissional de conclusão de cada curso. A organização curricular apresenta os cursos desenhados em módulos, estruturados para promover as competências da habilitação das áreas profissionais. Os módulos a serem cursados, cada um com sua respectiva carga horária, estão estruturados sob a forma de unidades curriculares, projetos e atividades, que possibilitam o desenvolvimento das competências e habilidades, segundo bases tecnológicas, científicas e instrumentais necessárias à qualificação profissional.

20 Objetivo: formar profissional capacitado que possa atuar na área de comércio internacional, em condições de operacionalizar exportações e importações de produtos e/ou serviços, atuando com desenvoltura nas instituições públicas e privadas que interagem nos mais diversos campos de interesse da profissão. Nessa condição, poderá exercer cargos e postos tais como gerente de comércio exterior, assessores, agente ou consultor de comércio exterior, auxiliar de planejamento em comércio exterior, entre outras. Duração mínima: 2 anos Autorização: Portaria nº 1.993, de 22/07/2003, D. O. U. no dia 24/07/2003. Objetivo: formar profissional de nível superior nesse segmento, apto ao ingresso no mercado de trabalho e capacitado a atuar como profissional especializado, com formação técnica, humanística e ética. Nessa condição poderá exercer cargos ou postos como gerente de processos estratégicos; assessor de equipes gestoras na área de gestão de processos estratégicos; consultor em planejamento estratégico; assistente de planejamento estratégico; analista de gestão estratégica; adjunto de gestão estratégica organizacional; coordenador de gestão estratégica, supervisor de gestão estratégica;

21 auxiliar de gestão e de planejamento estratégico; superintendente de gestão e de planejamento estratégico, entre outros voltados diretamente ao empreendimento de negócios já estabelecidos ou a se estabelecerem seja no setor industrial, comercial ou de serviços. Duração mínima: 2 anos Autorização: Portaria nº. 505 de 05/03/2004, D. O. U. no dia 08/03/2004. Objetivo: formar profissional de nível superior, apto ao ingresso imediato no mercado de trabalho, capacitado a atuar como profissional especializado em gestão da produção e sistemas. Assim, a atuação desse profissional contribuirá, de forma direta, para a redução dos custos de produção, para o aumento da produtividade no trabalho e, especialmente, para a garantia da qualidade final dos produtos e serviços oferecidos à população. Nessa condição, poderá exercer cargos e postos tais como gerente de sistemas produtivos, analista e consultor de sistemas produtivos, assessor de sistemas produtivos, entre outros. Duração mínima: 2,5 anos Autorização: Portaria nº 224 de 25/01/2005, D. O. U. no dia 26/01/2005.

22 Objetivo: formar profissional de nível superior, apto ao ingresso imediato no mercado de trabalho, capacitado a atuar como profissional especializado em gestão de sistemas logísticos. O profissional dessa área assume papel estratégico na otimização da cadeia de suprimentos, respondendo pela racionalização da logística interna e externa da empresa, visando atender com eficácia aos mercados nacional e internacional. O gestor do processo logístico também é responsável pelo incremento da produtividade e conseqüente maximização de lucros na organização em que atua. O resultado obtido entre o setor de logística e os demais setores organizacionais traduz-se na satisfação dos clientes. Duração mínima: 2 anos Autorização: Portaria nº de 07/12/2005, D.O.U. no dia 08/12/2005. Objetivo: formar profissional de nível superior, apto ao ingresso imediato no mercado de trabalho, capacitado a atuar como profissional especializado com ampla visão mercadológica e publicitária, preparado para atuar em empresas nacionais e multinacionais, desenvolvendo atividades voltadas para construção das estratégias de atuação e posicionamento organizacional. Também poderá atuar em agências de propaganda, desenvolvendo

23 ferramentas de comunicação e campanhas publicitárias, voltadas para o alcance dos objetivos empresariais. Duração mínima: 2 anos Autorização: Portaria nº de 07/12/2005, D.O.U. no dia 08/12/2005 Objetivo: formar profissional de nível superior, apto ao ingresso imediato no mercado de trabalho, capacitado a atuar como profissional partícipe na consecução dos objetivos organizacionais balizados na responsabilidade social e empreendedorismo. A multifuncionalidade do egresso de Secretariado Executivo contribui para sua atuação nas mais diferentes oportunidades da profissão, demandadas por empresas industriais, comerciais ou de serviços. Duração mínima: 2 anos Autorização: Portaria nº de 07/12/2005, D.O.U. no dia 08/12/2005 Objetivo: formar profissional de nível superior para atuar na administração pública, nos níveis federal e estadual, com ênfase na área municipal. A grade curricular foi elaborada no sentido de dar ao gestor

24 uma visão ampla e multidisciplinar, por abranger várias áreas de atuação do setor público, capacitando-o com unidades de direito, administração, economia, contabilidade, arquitetura, urbanismo, engenharia, informática e serviço social, entre outras. Esses profissionais, habilitados com as modernas e inovadoras técnicas das várias áreas de gestão, uma vez ocupando funções públicas, estarão contribuindo para uma efetiva utilização dos recursos públicos e melhorando a qualidade dos serviços prestados à comunidade. Duração mínima: 2 anos Autorização: Portaria nº de 07/12/2005, D.O.U. no dia 08/12/2005 Objetivo: formar profissional que atenda às necessidades de captação e aplicação dos recursos financeiros da empresa, sejam estes oriundos de capital próprio e/ou de terceiros. Sua atuação no plano orçamentário de investimentos projeta a empresa em cenários futuros, sendo essa proposta uma das vantagens competitivas da organização perante a concorrência direta e indireta. Esse curso provê habilidades e competências para que o egresso assuma uma postura profissional de destaque na gestão dos negócios financeiros, valendo-se das ferramentas técnico-científicas para que estabeleça o necessário equilíbrio e segurança nas finanças dos centros de resultados de cada uma das unidades de

25 negócio que compõe o universo organizacional. Duração mínima: 2 anos Autorização: Portaria nº de 07/12/2005, D.O.U no dia 08/07/2005 Desempenho e instrumentos de aferição: são utilizadas variadas formas para aferição do desempenho e apreensão do conhecimento por parte do aluno. O professor é o responsável por estabelecer as mais adequadas formas de aferição, visando avaliar não apenas individualmente, mas também o desempenho do aluno, seu entrosamento (relacionamento) e liderança, quando organizadas atividades em equipes. O êxito da proposta de cada curso, concebido instrucionalmente pela Fatec Internacional, é garantido pela ação integrada de dois sistemas que contribuem para uma boa implementação do curso: sistemas de comunicação e de coordenação e avaliação. Os sistemas de comunicação têm o propósito de viabilizar o fluxo das informações indispensáveis

26 para que a Fatec Internacional possa exercer suas funções de coordenação e supervisão, bem como gerenciar a implementação e o acompanhamento dos cursos. Esses sistemas dizem respeito ao aluno, aos professores, aos coordenadores, às direções acadêmica e geral e aos funcionários da instituição. Dentre eles destaca-se a internet, que proporciona, hoje, uma das formas mais velozes e imediatas de comunicação entre as partes interessadas. Utilizando-se das tecnologias, a Fatec Internacional dispõe de um serviço de apoio em seu site denominado ÚNICO, por meio do qual professores e alunos estarão muitas vezes em contato assíncrono. Assim, você, aluno, terá acesso aos materiais lá depositados por seus professores, enriquecendo as atividades propostas em sala de aula. Você também poderá participar do chat e do fórum para discussões dos diversos temas relacionados aos conteúdos propostos em sala e mesmo outros assuntos de interesse geral propostos por você, por seus colegas ou pelos demais integrantes da instituição. Para assegurar os fluxos de comunicação, você poderá acessar por os setores que lhe interessam, desde a Direção Acadêmica até a Secretaria, via endereço eletrônico, conforme a relação a seguir.

27 Direção Acadêmica Prof. Dr. Osvaldo Vieira do Nascimento Assessoria da Direção Acadêmica Prof. M. Luiz Roberto Dias de Macedo e Prof. M. Paulo Eduardo Sobreira Moraes Coordenação Geral do Ensino a Distância Prof. M. Benhur Etelberto Gaio Supervisão Pedagógica dos Cursos da Educação a Distância Profª Estela Armstrong Maria Consuelo Turin Assistentes da Coordenação Danuzi Adriane Engel André R. Antunes Ribeiro Coordenação do Curso de Comércio Exterior Prof. M. Adilson Luiz Dias

28 Coordenação do Curso de Gestão da Produção Industrial Prof. M. Robson Seleme Coordenação do Curso de Gestão de Negócios de Pequeno e Médio Porte Prof. M. Nelson Pereira Castanheira Coordenação do Curso de Marketing Prof. Esp. Carlos Frederico de Andrade Coordenação do Curso de Logística Prof. M. Robson Seleme Coordenação do Curso de Gestão Pública Prof. M. Jorge Bernardi e Prof. Esp. José Bernardoni Filho Coordenação do Curso de Gestão Financeira Prof. M. Benhur Etelberto Gaio Coordenação do Curso de Secretariado Profª M. Marlene de Oliveira Material Didático Prof. Esp. Marli Guaita Calixto Tutorial Central Prof. Esp. Roseane Almeida Silva

29 Secretaria Acadêmica Prof. Esp. Suzete Maria Ballin Hauer Ouvidoria Prof. Esp. Clark Rabelo Andrade Essas centrais de atendimento têm como função: a) receber quaisquer manifestações dos alunos a r e s p e i t o d o s p r o c e s s o s p e d a g ó g i c o s (informações, críticas, reclamações, sugestões e elogios) e encaminhá-las à Coordenação Geral da Fatec Internacional e/ou ao setor competente; b) receber e encaminhar à Coordenação Geral da Fatec Internacional as dúvidas e questões propostas pelos alunos, pelos representantes de turma, pelos tutores ou professores. De acordo com instruções da Coordenação Geral da Fatec Internacional, os setores encaminham as respostas das questões recebidas (via fax, internet, carta, fita cassete etc.), mediante seu competente registro. O estágio supervisionado é facultativo (exceto quando disposto na grade curricular). Por constituirse em prática articuladora e integradora de todas as disciplinas do currículo, é de interesse da instituição firmar parcerias com empresas comerciais, industriais e de serviços, estabelecidas nos municípios que abrigam a rede de CAs (Centros Associados) do CBED, a fim de possibilitar ofertas de estágio para que o aluno adquira experiência profissional.

30 A avaliação da aprendizagem dos alunos regularmente matriculados nos cursos da modalidade a distância da Fatec Internacional, em nível tecnológico, tem como base os seguintes critérios (de acordo com o regimento único da Faculdade de Tecnologia Internacional): I- Prioriza-se a utilização de instrumentos de avaliação estimuladores da autonomia na aprendizagem, que envolvam atividades realizadas individualmente e em grupo e que forneçam indicadores da aplicação, no contexto profissional, das competências adquiridas. II- A avaliação da aprendizagem e do desempenho prático operacional do aluno em cada unidade curricular ou disciplina terá duas (2) avaliações por módulo, cada uma com um determinado peso, de modo que a média ponderada das duas avaliações seja a nota final utilizada para o conceito final de SUFICIÊNCIA (S) ou INSUFICIÊNCIA (IN) da disciplina, a saber: a) atividades supervisionadas, elaboradas de forma interdisciplinar, a partir dos conteúdos das unidades curriculares desenvolvidos no

31 transcorrer dos módulos. Essa avaliação terá peso dois (2); b) uma prova de avaliação das bases tecnológicas (conteúdos) das unidades curriculares, elaborada de modo objetivo, aplicada de forma presencial, com questões versando sobre as aulas expositivas ministradas, dirigidas diretamente ao aluno, com a finalidade de avaliar sua aprendizagem sobre os assuntos abordados durante as aulas. Essa prova terá peso três (3). III- A auto-avaliação é elaborada e aplicada ao final da unidade curricular, no mesmo dia e momento da avaliação presencial, e conterá questões objetivas tendo como base as competências e habilidades previstas para as unidades curriculares do respectivo módulo. O aluno, ao responder à auto-avaliação, atribuirá uma nota para cada questão formulada, que pode variar em uma escala de 0 (zero) a 10,0 (dez). Essa avaliação indicará sua percepção sobre seu próprio aproveitamento ou rendimento escolar, referente aos assuntos tratados pela unidade curricular em relação às competências e habilidades estabelecidas. Essa auto-avaliação não será considerada para cálculo da média. IV- O cálculo da média final obtida pelo aluno após a realização das avaliações constantes do item anterior será feito pelo seguinte procedimento: Onde: MF. representa a média final obtida pelo aluno a. representa a nota obtida na atividade supervisionada interdisciplinar

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

Manual do Aluno MANUAL DO ALUNO SÃO PAULO / SP 2011. Colégio Lapa - Rua Guaicurus, 1467 - Bairro Lapa Fone.: 3862.5724 / 3865.

Manual do Aluno MANUAL DO ALUNO SÃO PAULO / SP 2011. Colégio Lapa - Rua Guaicurus, 1467 - Bairro Lapa Fone.: 3862.5724 / 3865. MANUAL DO ALUNO SÃO PAULO / SP 2011 Colégio Lapa - Rua Guaicurus, 1467 - Bairro Lapa Fone.: 3862.5724 / 3865.7570 Página 1 SUMÁRIO Apresentação 04 Introdução 05 Manual do aluno 06 O Colegio Lapa 06 Cursos

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 1 FACULDADE DE ESTUDOS SOCIAIS DO ESPÍRITO SANTO PIO XII CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 O currículo

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Coordenador do Curso de Administração Prof. Marcos Eduardo dos Santos Supervisor de Estágio do Curso Prof. Marcos Eduardo dos Santos JUIZ DE

Leia mais

Como ter sucesso na educação a distância

Como ter sucesso na educação a distância Metodologia Diferenciada Ambiente de Aprendizagem Moderno Inovação Continuada e Empreendedorismo Como ter sucesso na educação a distância 1 Regulamento 2 1 Como ter sucesso na educação a distância Para

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Concepção do Curso de Administração A organização curricular do curso oferece respostas às exigências impostas pela profissão do administrador, exigindo daqueles que integram a instituição

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1 REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - Este regulamento normatiza as atividades relacionadas ao Estágio Curricular do Curso de Administração

Leia mais

Caro(a) aluno(a), Estaremos juntos nesta caminhada. Coordenação NEO

Caro(a) aluno(a), Estaremos juntos nesta caminhada. Coordenação NEO Caro(a) aluno(a), seja bem-vindo às Disciplinas Online da Faculdade Presidente Antônio Carlos de Bom Despacho e Faculdade de Educação de Bom Despacho. Em pleno século 21, na era digital, não poderíamos

Leia mais

NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS

NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS: Habilitações: Língua Portuguesa e respectivas Literaturas Língua Espanhola e respectivas

Leia mais

Regulamento dos Cursos do Programa ESMP-VIRTUAL

Regulamento dos Cursos do Programa ESMP-VIRTUAL Regulamento dos Cursos do Programa ESMP-VIRTUAL A DIRETORA DA ESCOLA SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS no exercício de suas atribuições legais, com fundamento no art. 65, inciso II da Lei

Leia mais

FORMAÇÃO PEDAGÓGICA EM SAÚDE MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO PÓS-GRADUAÇÃO

FORMAÇÃO PEDAGÓGICA EM SAÚDE MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO PÓS-GRADUAÇÃO FORMAÇÃO PEDAGÓGICA EM SAÚDE MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO PÓS-GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO GERAL Diretor Geral Prof. Adalberto Miranda Distassi Coordenador Geral de Estágio: Prof. Ricardo Constante Martins

Leia mais

GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS.

GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS. GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING CARACTERIZAÇÃO DO CURSO DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS. DIPLOMA CONFERIDO: TECNÓLOGO DE

Leia mais

CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PRAÇA DA REPÚBLICA, 53 - FONE: 3255-2044 CEP: 01045-903 - FAX: Nº 3231-1518 SUBSÍDIOS PARA ANÁLISE DO PLANO DE CURSO

CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PRAÇA DA REPÚBLICA, 53 - FONE: 3255-2044 CEP: 01045-903 - FAX: Nº 3231-1518 SUBSÍDIOS PARA ANÁLISE DO PLANO DE CURSO 1 CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PRAÇA DA REPÚBLICA, 53 - FONE: 3255-2044 CEP: 01045-903 - FAX: Nº 3231-1518 SUBSÍDIOS PARA ANÁLISE DO PLANO DE CURSO 1. APRESENTAÇÃO É com satisfação que apresentamos este

Leia mais

FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPITULO I DO OBJETIVO, DA NATUREZA E DA FINALIDADE

FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPITULO I DO OBJETIVO, DA NATUREZA E DA FINALIDADE FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPITULO I DO OBJETIVO, DA NATUREZA E DA FINALIDADE Art. 1º. O objetivo das Atividades Complementares é fomentar complementação

Leia mais

O Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, da Faculdade. de maio de 2007, publicada em DOU de 22 de maio de 2007, considerando:

O Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, da Faculdade. de maio de 2007, publicada em DOU de 22 de maio de 2007, considerando: Resolução Nº. 024/2010/CONSEPE/ Regulamento de Estágio Supervisionado O Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, da Faculdade de Educação e Meio Ambiente, credenciada pela Portaria MEC

Leia mais

Manual do Estagiário 2008

Manual do Estagiário 2008 Manual do Estagiário 2008 Sumário Introdução... 2 O que é estágio curricular... 2 Objetivos do estágio curricular... 2 Duração e carga horária do estágio curricular... 3 Requisitos para a realização do

Leia mais

Duvidas administrativas dos cursos da EAD Metodista:

Duvidas administrativas dos cursos da EAD Metodista: Duvidas administrativas dos cursos da EAD Metodista: A metodista é credenciada pelo MEC para o oferecimento de cursos a distância? Sim. A Universidade Metodista de São Paulo recebeu o credenciamento do

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online MBA EM COMUNICAÇÃO E MARKETING Regulamentação de Pós-Graduação Lato Sensu e Ato de Credenciamento Institucional para Oferta de Curso de Pós-Graduação

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro Educação a Distância Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. A única diferença é a sala de aula que fica em suas

Leia mais

O Funcionamento dos Cursos... 02 Geração de Login e Senha... 03 Guia de Percurso... 05 Manual Acadêmico... 06 Ambiente Virtual de Aprendizagem...

O Funcionamento dos Cursos... 02 Geração de Login e Senha... 03 Guia de Percurso... 05 Manual Acadêmico... 06 Ambiente Virtual de Aprendizagem... O Funcionamento dos Cursos... 02 Geração de Login e Senha... 03 Guia de Percurso... 05 Manual Acadêmico... 06 Ambiente Virtual de Aprendizagem... 08 Edição do Perfil... 10 Ambiente Colaborar... 11 Iniciando

Leia mais

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão de Projetos

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão de Projetos DESCRITIVO DE CURSO MBA em Gestão de Projetos 1. Posglobal Após a profunda transformação trazida pela globalização estamos agora em uma nova fase. As crises econômica, social e ambiental que apontam a

Leia mais

Serviço Público. Manutenção e Suporte em Informática

Serviço Público. Manutenção e Suporte em Informática Serviço Público Manutenção e Suporte em Informática Wilson Pedro Coordenador do Curso de Serviço Público etec_sp@ifma.edu.br Carla Gomes de Faria Coordenadora do Curso de Manutenção e Suporte em Informática

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR APROVADO PELA RESOLUÇÃO

Leia mais

2.2.4. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes de Pós Graduação

2.2.4. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes de Pós Graduação 2.2.4. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes de Pós Graduação Este questionário é um instrumento de coleta de informações para a realização da auto avaliação da UFG que tem como objetivo conhecer

Leia mais

MANUAL DO ALUNO EM DISCIPLINAS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA

MANUAL DO ALUNO EM DISCIPLINAS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA MANUAL DO ALUNO EM DISCIPLINAS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA ORIENTAÇÕES PARA OS ESTUDOS EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Caro (a) Acadêmico (a), Seja bem-vindo (a) às disciplinas ofertadas na modalidade a distância.

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online MBA EM GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS Regulamentação de Pós-Graduação Lato Sensu e Ato de Credenciamento Institucional para Oferta de Curso de

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online MBA EM CONTROLADORIA E FINANÇAS Regulamentação de Pós-Graduação Lato Sensu e Ato de Credenciamento Institucional para Oferta de Curso de Pós-Graduação

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online DOCÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR Regulamentação de Pós-Graduação Lato Sensu e Ato de Credenciamento Institucional para Oferta de Curso de Pós-Graduação

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online MBA EM GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS Regulamentação de Pós-Graduação Lato Sensu e Ato de Credenciamento Institucional para Oferta de Curso de

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL I INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Serviço Social é uma atividade obrigatória, em consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais

Leia mais

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF)

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) Maio de 2007 Maria Rachel Barbosa Fundação Trompovsky (Apoio ao NEAD CENTRAN) rachel@centran.eb.br Vanessa Maria

Leia mais

ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO. A disciplina de Estágio Supervisionado ocorrerá, sempre que possível, da seguinte

ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO. A disciplina de Estágio Supervisionado ocorrerá, sempre que possível, da seguinte ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO forma: A disciplina de Estágio Supervisionado ocorrerá, sempre que possível, da seguinte 1. Primeiro contato com a administração e o serviço de supervisão

Leia mais

3.2 Sistema de Avaliação e Monitoria

3.2 Sistema de Avaliação e Monitoria 3.2 Sistema de Avaliação e Monitoria RESOLUÇÃO N.º 06/2006 - CONSUN APROVA O SISTEMA DE AVALIAÇÃO E PROMOÇÃO PARA OS ALUNOS DE GRADUAÇÃO E CURSOS SEQÜENCIAIS DA PUCPR INGRESSANTES A PARTIR DE 2000. O Presidente

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO

ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO 1) UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE ITABERAÍ CURSO DE PEDAGOGIA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO REGULAMENTO Itaberaí/2012 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE ITABERAÍ CURSO DE

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE EDUCAÇÃO - TERRITÓRIOS, EDUCAÇÃO INTEGRAL E CIDADANIA (TEIA) EDITAL 001/2014

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE EDUCAÇÃO - TERRITÓRIOS, EDUCAÇÃO INTEGRAL E CIDADANIA (TEIA) EDITAL 001/2014 UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE EDUCAÇÃO - TERRITÓRIOS, EDUCAÇÃO INTEGRAL E CIDADANIA (TEIA) EDITAL 001/2014 PROCESSO DE SELEÇÃO DE TUTORES PRESENCIAIS O Grupo Territórios, Educação Integral

Leia mais

MANUAL DO ALUNO 1. APRESENTAÇÃO 2. OBJETIVOS 3. ACESSO AO CURSO. Bem-vindo (a) ao curso de Capacitação para cursos em EAD!

MANUAL DO ALUNO 1. APRESENTAÇÃO 2. OBJETIVOS 3. ACESSO AO CURSO. Bem-vindo (a) ao curso de Capacitação para cursos em EAD! MANUAL DO ALUNO MANUAL DO ALUNO Bem-vindo (a) ao curso de Capacitação para cursos em EAD! 1. APRESENTAÇÃO Preparado pela equipe da Coordenadoria de Educação Aberta e a Distância (CEAD) da Universidade

Leia mais

REGULAMENTO PROGRAMA DE APOIO AO DISCENTE - PADI DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE

REGULAMENTO PROGRAMA DE APOIO AO DISCENTE - PADI DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE REGULAMENTO PROGRAMA DE APOIO AO DISCENTE - PADI DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE 2013 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE APOIO AO DISCENTE PADI DA FACULDADE DE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÃDO

Leia mais

REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR VALE DO IGUAÇU DO COLEGIADO DE CURSO

REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR VALE DO IGUAÇU DO COLEGIADO DE CURSO REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR VALE DO IGUAÇU DO COLEGIADO DE CURSO Art. 1º O colegiado de curso é órgão consultivo da Coordenação de Curso, destinado a subsidiar a

Leia mais

GUIA DIDÁTICO GERAL CURSO DO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO EDUCACIONAL SIGEDUCA MODALIDADE EAD

GUIA DIDÁTICO GERAL CURSO DO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO EDUCACIONAL SIGEDUCA MODALIDADE EAD GUIA DIDÁTICO GERAL CURSO DO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO EDUCACIONAL SIGEDUCA MODALIDADE EAD 1. APRESENTAÇÃO O Secretário de Estado de Educação tem o prazer de convidar-lhe a participar do Curso Sistema

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS COLEGIADO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS COLEGIADO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Regulamento do Estágio Curricular Obrigatório do Bacharelado em Ciências Biológicas 1 CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS COLEGIADO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online SUPERVISÃO E ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online Regulamentação de Pós-Graduação Lato Sensu e Ato de Credenciamento Institucional para Oferta de Curso de

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS REGULAMENTO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Para os propósitos deste documento são aplicáveis as seguintes definições:

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS REGULAMENTO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Para os propósitos deste documento são aplicáveis as seguintes definições: 1 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS REGULAMENTO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Para os propósitos deste documento são aplicáveis as seguintes definições: Professor-autor é aquele que possui pleno domínio da área

Leia mais

1. DA MODALIDADE DO PROGRAMA E DOS SEUS OBJETIVOS

1. DA MODALIDADE DO PROGRAMA E DOS SEUS OBJETIVOS REGIMENTO INTERNO DOS CURSOS DE DESENVOLVIMENTO DE SERVIDORES PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS 1. DA MODALIDADE DO PROGRAMA E DOS SEUS OBJETIVOS

Leia mais

Alcance e flexibilidade nem sempre oferecidos pelo ensino presencial.

Alcance e flexibilidade nem sempre oferecidos pelo ensino presencial. Alcance e flexibilidade nem sempre oferecidos pelo ensino presencial. Nos programas e cursos da Educação a Distância da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (EAD/ ENSP), a formação dos profissionais

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online DOCÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online Regulamentação de Pós-Graduação Lato Sensu e Ato de Credenciamento Institucional para Oferta de Curso de Pós-Graduação

Leia mais

UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA

UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA Quando focalizamos o termo a distância, a característica da não presencialidade dos sujeitos, num mesmo espaço físico e ao mesmo tempo, coloca se como um

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online MBA EM GESTÃO EMPRESARIAL EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online Regulamentação de Pós-Graduação Lato Sensu e Ato de Credenciamento Institucional para Oferta de Curso de Pós-Graduação

Leia mais

FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS FMU GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Departamento de Ciências Exatas e Gerenciais

FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS FMU GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Departamento de Ciências Exatas e Gerenciais FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS FMU GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Departamento de Ciências Exatas e Gerenciais CURSOS : ADMINISTRAÇÃO CIÊNCIAS ATUARIAIS CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO CIÊNCIAS CONTÁBEIS CIÊNCIAS

Leia mais

2.2.5. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes em EaD.

2.2.5. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes em EaD. 2.2.5. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes em EaD. Este questionário é um instrumento de coleta de informações para a realização da auto avaliação da UFG que tem como objetivo conhecer a opinião

Leia mais

GUIA DO PÓS-GRADUANDO ON-LINE

GUIA DO PÓS-GRADUANDO ON-LINE GUIA DO PÓS-GRADUANDO ON-LINE UNIASSELVI-PÓS Programa de Pós-Graduação APRESENTAÇÃO Seja bem-vindo ao programa de pós-graduação UNIASSELVI-PÓS! Aqui você encontra, de forma simples e ágil, todas as orientações

Leia mais

Observação dos programas de educação pelos pais, e pessoas designadas pelos mesmos, com o Propósito de Avaliação

Observação dos programas de educação pelos pais, e pessoas designadas pelos mesmos, com o Propósito de Avaliação Educação Especial Informe de Assistência Técnica SPED 2009-2: Observação dos programas de educação pelos pais, e pessoas designadas pelos mesmos, com o Propósito de Avaliação Para: Superintendentes, diretores,

Leia mais

ANEXO I: REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

ANEXO I: REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES ANEXO I: REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Fixa normas para o funcionamento das Atividades Complementares para o curso de Administração da Universidade Federal de Mato Grosso, campus Rondonópolis/Mato

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento normatiza as atividades do Estágio Supervisionado em Publicidade e Propaganda

Leia mais

GUIA DO ALUNO EAD EAD DO GUIA ALUNO

GUIA DO ALUNO EAD EAD DO GUIA ALUNO GUIA DO ALUNO EAD GUIA DO ALUNO EAD Guia do Aluno Seja bem-vindo(a) às disciplinas EAD! Agora que você já está matriculado na disciplina online, chegou o momento de ficar por dentro de informações muito

Leia mais

RESOLUÇÃO. Artigo 1º Fica aprovado, conforme anexo, o Regulamento da Coordenação de Ensino a Distância do Centro Universitário Franciscano do Paraná.

RESOLUÇÃO. Artigo 1º Fica aprovado, conforme anexo, o Regulamento da Coordenação de Ensino a Distância do Centro Universitário Franciscano do Paraná. RESOLUÇÃO CONSEPE 14/2006 Referenda a aprovação do Regulamento da Coordenação de Ensino a Distância do Centro Universitário Franciscano do Paraná. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão

Leia mais

Disseminadores de Educação Fiscal. Regulamento do Curso. Escola de Administração Fazendária ESAF

Disseminadores de Educação Fiscal. Regulamento do Curso. Escola de Administração Fazendária ESAF Disseminadores de Educação Fiscal Regulamento do Curso Escola de Administração Fazendária ESAF REGULAMENTO CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS DO CURSO Art. 1º A Escola de Administração Fazendária ESAF

Leia mais

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão de Marketing e Vendas

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão de Marketing e Vendas DESCRITIVO DE CURSO MBA em Gestão de Marketing e Vendas 1. Posglobal Após a profunda transformação trazida pela globalização estamos agora em uma nova fase. As crises econômica, social e ambiental que

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, BACHARELADO Administração LFE em Administração de Empresas Lajeado 4811 Administração LFE em Administração

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de GESTÃO E LIDERANÇA EM INSTITUIÇÕES PÚBLICAS DE ENSINO

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de GESTÃO E LIDERANÇA EM INSTITUIÇÕES PÚBLICAS DE ENSINO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CÂMPUS LAGES Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO

Leia mais

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí Instituto Superior de Educação - ISE

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí Instituto Superior de Educação - ISE DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1 Do estágio curricular supervisionado A modalidade de Estágio Supervisionado é uma importante variável a ser considerada no contexto de perfil do egresso. A flexibilidade prevista

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES. Coordenação de Estágio e Trabalho de Conclusão.

MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES. Coordenação de Estágio e Trabalho de Conclusão. MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES Porto Alegre/RS 2014 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. O ESTÁGIO... 3 3. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL DO ESTÁGIO... 3 4. OBJETIVOS DO ESTÁGIO... 3

Leia mais

SERVIÇO SOCIAL MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO. 2º Semestre de 2012

SERVIÇO SOCIAL MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO. 2º Semestre de 2012 SERVIÇO SOCIAL MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 2º Semestre de 2012 COORDENAÇÃO GERAL Diretor Geral Prof. Adalberto Miranda Distassi Coordenadoria Geral de Estágios Prof. Ricardo Constante Martins Coordenador

Leia mais

Curso de Especialização em GESTÃO E LOGÍSTICA HOSPITALAR

Curso de Especialização em GESTÃO E LOGÍSTICA HOSPITALAR Curso de Especialização em GESTÃO E LOGÍSTICA HOSPITALAR ÁREA DO CONHECIMENTO: Administração e Saúde. NOME DO CURSO: Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Gestão e Logística Hospitalar.

Leia mais

APRESENTAÇÃO MANUAL E REGULAMENTO DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO AINDA SUJEITO À APROVAÇÃO DO CONSEPE.

APRESENTAÇÃO MANUAL E REGULAMENTO DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO AINDA SUJEITO À APROVAÇÃO DO CONSEPE. APRESENTAÇÃO MANUAL E REGULAMENTO DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO AINDA SUJEITO À APROVAÇÃO DO CONSEPE. A UNISA UNIVERSIDADE CIDADE DE SANTO AMARO, a fim de propiciar aos acadêmicos de Direito os meios

Leia mais

Diretrizes Acadêmicas para os Cursos de Graduação

Diretrizes Acadêmicas para os Cursos de Graduação Diretrizes Acadêmicas para os Cursos de Graduação Diretrizes Acadêmicas para os Cursos de Graduação Os cursos oferecidos pela instituição de Ensino Superior IES devem ter seus projetos pedagógicos construídos

Leia mais

Bem Vindo... 4. A Disciplina de Dependência Interativa... 5. A Organização da Disciplina... 7. O Processo de Ensino e Aprendizagem...

Bem Vindo... 4. A Disciplina de Dependência Interativa... 5. A Organização da Disciplina... 7. O Processo de Ensino e Aprendizagem... 1 2 Sumário Bem Vindo... 4 A Disciplina de Dependência Interativa... 5 A Organização da Disciplina... 7 O Processo de Ensino e Aprendizagem... 10 Sua Semana no Curso... 11 O apoio local ao Ensino Semipresencial...

Leia mais

A FIOCRUZ e o Núcleo de Estudos do Futuro / n-futuros do CEAM/UnB

A FIOCRUZ e o Núcleo de Estudos do Futuro / n-futuros do CEAM/UnB A FIOCRUZ e o Núcleo de Estudos do Futuro / n-futuros do CEAM/UnB ABREM AS INSCRIÇÕES ATRAVÉS DESTA CHAMADA DE SELEÇÃO PARA O PROCESSO SELETIVO DE INGRESSO AO 1 o. CURSO DE PÓS- GRADUAÇÃO LATO SENSU EM

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 30, DE 28 DE ABRIL DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 30, DE 28 DE ABRIL DE 2011 RESOLUÇÃO Nº 30, DE 28 DE ABRIL DE 2011 Dispõe sobre as normas para a pós-graduação na modalidade lato sensu ofertada pela Universidade Federal do Pampa. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal

Leia mais

REGULAMENTO DAS DEPENDENCIAS INTERATIVAS NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO OFERTADOS NA MODALIDADE PRESENCIAL (Anexo da Resolução CONSUNI nº 003/2014)

REGULAMENTO DAS DEPENDENCIAS INTERATIVAS NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO OFERTADOS NA MODALIDADE PRESENCIAL (Anexo da Resolução CONSUNI nº 003/2014) REGULAMENTO DAS DEPENDENCIAS INTERATIVAS NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO OFERTADOS NA MODALIDADE PRESENCIAL (Anexo da Resolução CONSUNI nº 003/2014) CAPÍTULO I CONDIÇÕES GERAIS Art. 1o As Disciplinas em dependência

Leia mais

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC Regulamento de Projeto Integrador dos Cursos Superiores de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Segurança da Informação e Sistemas para Internet

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Art. 1º As Atividades Complementares (AC), doravante assim denominada, têm como objetivo geral flexibilizar e enriquecer a formação acadêmica e profissional proporcionada

Leia mais

REGULAMENTO DE MONOGRAFIA

REGULAMENTO DE MONOGRAFIA REGULAMENTO DE MONOGRAFIA Lavras - 2010 Regulamento de Monografia CAPÍTULO I DA ORIGEM E FINALIDADE Art. 1º - Este regulamento disciplina a apresentação, depósito e a avaliação da Monografia de conclusão

Leia mais

Regulamento Atividades Complementares. Faculdade da Cidade de Santa Luzia - FACSAL

Regulamento Atividades Complementares. Faculdade da Cidade de Santa Luzia - FACSAL Regulamento Atividades Complementares Faculdade da Cidade de Santa Luzia - 2014 Regulamento das Atividades Complementares CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Artigo 1º - As Atividades

Leia mais

REGULAMENTO DA DISCIPLINA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS SUPERIORESDE GRADUAÇÃO DO CEFET-PR. Capítulo I DO ESTÁGIO E SUAS FINALIDADES

REGULAMENTO DA DISCIPLINA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS SUPERIORESDE GRADUAÇÃO DO CEFET-PR. Capítulo I DO ESTÁGIO E SUAS FINALIDADES REGULAMENTO DA DISCIPLINA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS SUPERIORESDE GRADUAÇÃO DO CEFET-PR Capítulo I DO ESTÁGIO E SUAS FINALIDADES Art. 1º - O Estágio Curricular, baseado na lei nº 6.494,

Leia mais

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada.

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. Anexo A Estrutura de intervenção As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. 1. Plano de ação para o período 2016

Leia mais

FUNCIONAMENTO DOS CURSOS

FUNCIONAMENTO DOS CURSOS 1 SUMÁRIO Funcionamento dos Cursos... 03 Guia de Percurso... 05 Manual Acadêmico... 07 Ambiente Virtual de Aprendizagem... 09 Edição do Perfil... 12 Acessando as Atividades... 14 Iniciando o Semestre...

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURSOS TÉCNICOS Revisão: setembro/2012 Escola SENAI Santos Dumont CFP 3.02 Rua Pedro Rachid, 304 Santana São José dos Campos - SP Fone: (12) 3519-4850 Fax: (12) 3922-9060 ELABORAÇÃO

Leia mais

RESOLUÇÃO N 012, de 02 de dezembro de 2008

RESOLUÇÃO N 012, de 02 de dezembro de 2008 CONSUC Parecer 12/2008 Aprovado em 02/12/2008 RESOLUÇÃO N 012, de 02 de dezembro de 2008 Cria o Núcleo de Educação a Distância (NEAD) e aprova seu Regimento Interno O DIRETOR GERAL DA FACULDADE DAS AMÉRICAS,

Leia mais

Resolução nº. 01/09. Título I Estágio Supervisionado. Capítulo I. Caracterização do Estágio:

Resolução nº. 01/09. Título I Estágio Supervisionado. Capítulo I. Caracterização do Estágio: 1 Resolução nº. 01/09 Aprovar o Regulamento do Estágio Curricular Supervisionado do Curso de Pedagogia - considerando o art.70, VII do Regimento desta Instituição; - considerando necessidade de normatizar

Leia mais

A atuação do TecSaúde e da Fundação do Desenvolvimento Administrativo para a formação em EAD de trabalhadores do SUS

A atuação do TecSaúde e da Fundação do Desenvolvimento Administrativo para a formação em EAD de trabalhadores do SUS A atuação do TecSaúde e da Fundação do Desenvolvimento Administrativo para a formação em EAD de trabalhadores do SUS São Paulo SP Maio 2012 Setor Educacional Educação Corporativa Classificação das Áreas

Leia mais

MANUAL DO ALUNO ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL LATINO AMERICANA INSTITUTO SUL-AMERICANO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO SETOR ACADÊMICO

MANUAL DO ALUNO ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL LATINO AMERICANA INSTITUTO SUL-AMERICANO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO SETOR ACADÊMICO 2015 MANUAL DO ALUNO ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL LATINO AMERICANA INSTITUTO SUL-AMERICANO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO SETOR ACADÊMICO Organizadores: Setor Acadêmico e Administrativo do ISPED Mmanmanual Página

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE ANGLO-AMERICANO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º Este Regulamento disciplina as atividades do Estágio Curricular Supervisionado,

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online GESTÃO ESCOLAR EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online Regulamentação de Pós-Graduação Lato Sensu e Ato de Credenciamento Institucional para Oferta de Curso de Pós-Graduação na Modalidade

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA 2014/01 a 2014/02 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. Análise dos resultados

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO Rio de Janeiro, 2003 CAPÍTULO I DOS CURSOS: MODALIDADES E OBJETIVOS Art. 1º. Em conformidade com o Regimento Geral de nos termos da Lei de Diretrizes e Bases da

Leia mais

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Liderança e Gestão de Pessoas

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Liderança e Gestão de Pessoas DESCRITIVO DE CURSO MBA em Liderança e Gestão de Pessoas 1. Posglobal Após a profunda transformação trazida pela globalização estamos agora em uma nova fase. As crises econômica, social e ambiental que

Leia mais

10ª Edição 2015 SESI EMPREENDEDORISMO SOCIAL Transforme sua ideia de hoje na prática do amanhã

10ª Edição 2015 SESI EMPREENDEDORISMO SOCIAL Transforme sua ideia de hoje na prática do amanhã 10ª Edição 2015 SESI EMPREENDEDORISMO SOCIAL Transforme sua ideia de hoje na prática do amanhã REGULAMENTO O SESI/PR torna público o regulamento para participação no Programa SESI Empreendedorismo Social

Leia mais

Educação a distância: desafios e descobertas

Educação a distância: desafios e descobertas Educação a distância: desafios e descobertas Educação a distância: Desafios e descobertas Conteudista: Equipe Multidisciplinar Campus Virtual Cruzeiro do Sul Você na EAD Educação a distância: desafios

Leia mais

ANEXO III. Regulamentação da Educação Profissional Técnica de Nível Médio Integrado na Modalidade Educação de Jovens e Adultos. Capítulo I Da admissão

ANEXO III. Regulamentação da Educação Profissional Técnica de Nível Médio Integrado na Modalidade Educação de Jovens e Adultos. Capítulo I Da admissão ANEXO III ORGANIZAÇÃO DIDÁTICA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA SERTÃO PERNANBUCANO Resolução nº 031/2010 De 30 de setembro de 2010 Regulamentação da Educação Profissional Técnica

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES NO ÂMBITO DA FACET

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES NO ÂMBITO DA FACET REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES NO ÂMBITO DA FACET 1. DO CONCEITO E PRINCÍPIOS 1.1 As Atividades Complementares são componentes curriculares de caráter acadêmico, científico e cultural cujo foco

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADES DEL REY

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADES DEL REY REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADES DEL REY Sumário Título I... 3 Das disposições Preliminares... 3 Título II... 4 Caracterização do Estágio... 4 Capítulo

Leia mais

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES 2011 SUMÁRIO CAPÍTULO I... 4 Disposições preliminares... 4 CAPÍTULO II... 4 Das atividades complementares... 4 Seção I... 4 Atividades de iniciação científica...

Leia mais

COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão. Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional)

COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão. Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional) COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional) Universidade Federal de Roraima UFRR Brasil Especialista em Alfabetização (Prática Reflexiva

Leia mais

GESTÃO FINANCEIRA CONCEPÇÃO DO CURSO

GESTÃO FINANCEIRA CONCEPÇÃO DO CURSO GESTÃO FINANCEIRA CONCEPÇÃO DO CURSO Missão do Curso Formar profissionais de nível superior, com atuação na área de Tecnologia em Gestão Financeira, a partir da articulação das teorias que fundamentam

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA 2013/01 a 2013/02 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. Diagnóstico geral

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE GOVERNADOR VALADARES

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE GOVERNADOR VALADARES REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE GOVERNADOR VALADARES FUNDAÇÃO FUPAC GOVERNADOR VALADARES 2010 TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO INTRODUÇÃO Todo aluno

Leia mais

REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO Curso de Administração Hospitalar Faculdade São Camilo - RJ

REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO Curso de Administração Hospitalar Faculdade São Camilo - RJ REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO Curso de Administração Hospitalar Faculdade São Camilo - RJ 2 TÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES GERAIS Artigo 1º - O Curso de Administração da Faculdade São Camilo mantém

Leia mais

PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais

PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais IDENTIFICAÇÃO DO CURSO Curso de Especialização em Gestão e Relações Internacionais Área de Conhecimento: Ciências Sociais Aplicadas

Leia mais