Aula 6. Testes de Hipóteses Paramétricos (I) Métodos Estadísticos 2008 Universidade de Averio Profª Gladys Castillo Jordán. Teste de Hipóteses

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aula 6. Testes de Hipóteses Paramétricos (I) Métodos Estadísticos 2008 Universidade de Averio Profª Gladys Castillo Jordán. Teste de Hipóteses"

Transcrição

1 Aula 6. Testes de Hipóteses Paramétricos (I) Métodos Estadísticos 2008 Universidade de Averio Profª Gladys Castillo Jordán Teste de Hipóteses Procedimento estatístico que averigua se os dados sustentam uma hipótese ( conjectura sobre uma característica da população) Existem duas hipóteses: vs Hipótese Nula A hipótese nula deve ser sempre simples (com sinal de =) Hipótese Alternativa H 1 Podem ser realizado dois tipos de testes: unilaterais: H 1 apenas contempla possibilidades à direita ou à esquerda de ou : µ = 1 vs H 1 : µ > 1 (unilateral à direita) : µ = 1 vs H 1 : µ < 1 (unilateral à esquerda) bilaterais: H 1 contempla possibilidades à direita ou à esquerda de : µ = 1 vs H 1 : µ 1 (bilateral) Existem dos tipos de decisão: ou Rejeitar a hipótese nula Não rejeitar a hipótese nula 2 1

2 Definições básicas Estatística de teste T: estatística calculada a partir da amostra e usada para tomar a decisão Região de rejeição ou região crítica RC: conjunto de valores da estatística de teste que nos levam a rejeitar Nível de significância ou tamanho do teste α: α = P(Erro de tipo I) = P(rejeitar verdadeiro) normalmente α=0.1, α=0.05 ou α=0.01 Potência do teste 1 β: 1 β = 1 P(Erro de tipo II) = P(não rejeitar H0 H1 verdadeiro) p-value: a probabilidade de observar um valor da estatística de teste tanto ou mais afastado que o valor observado na amostra, assumindo que H0 é verdadeira 3 Exemplo de TH para a média µ Máquina de encher pacotes de açúcar. O peso de cada pacote deve ser 8g (isto é, µ = 8). Será que a máquina está a funcionar correctamente? 2 X v.a. que representa o peso de um pacote de açúcar X ~ N(8,σ ) Observa-se uma a.a. com n observações decidir em base à media amostral X Como decidir entre teste unilateral ou bilateral? I. Ponto de vista do fabricante: RC: rejeitar se X >8+c : µ = 8 vs. H 1 : µ > 8 Se rejeitar parar a produção para afinar a máquina, pois a máquina está a encher demais II. Ponto de vista do consumidor: RC: X < 8 c rejeitar : µ = 8 vs. H 1 : µ < 8 Se rejeitar não aceitar a encomenda, pois a máquina está a encher de menos III. Compromisso entre fabricante e consumidor : µ = 8 vs. H 1 : µ 8 X < 8 c rejeitar X > 8 + c RC: 4 2

3 Procedimentos Existem 3 procedimentos para realizar um teste de hipótese ao nível de significância α : 1. Com base na região crítica RC Rejeitar H se o valor t 0 obs encontra-se na RC (t obs - o valor da estatística do teste para os dados observados) 2. Através do p-value Rejeitar se p-value α 3. Através de intervalos de confiança (válido apenas para testes bilaterais) Rejeitar H se o valor do parâmetro especificado em 0 não pertencer ao intervalo de confiança 5 Procedimento usando RC 1. Identificar o parâmetro de interesse e especificar e H 1 2. Escolher uma estatística de teste, T, com distribuição conhecida (admitindo que é verdadeira) 3. Identificar a região de rejeição RC 4. Calcular t obs - o valor que T assume para os dados observados 5. Tomar decisão: rejeitar se o valor t obs encontra-se na RC 6. Concluir 6 3

4 TH para µ com variância conhecida µ desconhecido, mas σ 2 conhecido Teste de Hipóteses com nível de significância (tamanho) α : µ = µ 0 vs. H 1 : µ µ 0 teste bilateral : µ = µ 0 vs. H 1 : µ < µ 0 teste unilateral (inferior) : µ = µ 0 vs. H 1 : µ > µ 0 teste unilateral (superior) Estatística do Teste: X µ T = σ n ~ 0 N sob H0 (0,1) Região de Rejeição (Região Crítica (RC) : H 1 : µ µ 0 RC α = { t R : t > z } 1-α/2 RC α para teste bilateral RC 1 α f T (x) RC H 1 : µ < µ 0 RC α = { t R : t < z α } H 1 : µ > µ 0 RC α = { t R : t > z 1-α } α 2 α 2 - z α/2 z α/2 + 7 IC e TH para µ com variância conhecida exercício 1.1, capítulo 4 Uma refinaria de petróleo possui um parque de enchimento que lhe permite encher, por dia, uma média de 30 tanques com um desvio padrão de 6 tanques. Modificando o processo de enchimento observou-se o parque durante 36 dias e registou-se uma média amostral de 34 tanques. Admite-se que os valores obtidos pelo novo processo de enchimento são bem modelados pela distribuição Normal sem alteração no desvio padrão 1. Determine um IC a 95% para o valor médio do novo processo de enchimento Para grau de confiança 95%: σ σ (1-α) x 100% = 95% (1-α) =0.95 α= α/2=0.975 IC( 1 α ) ( µ ) = X z1 α 2, X + z1 α 2 n n z IDF.Normal(0.975, 0, 1) em SPSS = 1.96 IC ) = X z σ X + z n 95 %( µ 0,975, 0, 975 Substituindo por X = 34, σ = 6, n = 36 σ n IC ( 95 % µ ) = 34 1,96 IC95 %( µ ) = ( , ) IC ( 95 % µ ) = + 6, ,96 36 ( 32.04, 35.96)

5 IC e TH para µ com variância conhecida exercício 1.2, capítulo Para α =0.05, conclua se é razoável admitir uma alteração do valor médio, efectuando um teste de hipóteses com base na região crítica 1. Identificar o parâmetro de interesse e especificar as hipóteses e H 1 Parâmetro de interesse - µ, nível de significância - α = 0.05 : µ = 30 vs. H 1 : µ 30 teste bilateral 2. Escolher uma estatística do teste T com distribuição conhecida admitindo que é verdadeira X µ T = σ n ~ 0 N sob H0 (0,1) Substituindo por µ 0 = 30, σ = 6, n = 36 X 30 T = 6 sob ~ 36 N(0,1) 9 IC e TH para µ com variância conhecida exercício 1.2, capítulo 4 (cont ) 3. Identificar a região de rejeição (região crítica RC) se H 1 : µ 30 RC α = { t R : t > z 1-α/2 } se α= α/2=0.975 RC α = { t R : t > z } RC α = { t R : t > 1,96} z = Calcular t obs (valor de T para os dados observados) Substituindo por X = t = X obs = = e 6. Tomar decisão e Concluir Como t obs =4 > 1.96 (encontra-se na região crítica) rejeita-se a favor de H 1. Logo, ao nível de significância α=0.05 rejeita-se a hipótese de a média ser 30 e conclui-se que: houve alteração ao valor médio RC bilateral α/2 f T (x) α/2 t < 1.96 t >1. 96 RC RC 10 5

6 Procedimento usando o p-value 1. Identificar o parâmetro de interesse e especificar e H 1 2. Escolher uma estatística de teste, T, com distribuição conhecida e calcular t obs para os dados observados 3. Determinar o p-value do teste se teste unilateral à direita: p-value = P(T > t obs ) se teste unilateral à esquerda: p-value = P(T < t obs ) se teste bilateral: p-value = 2P(T < t obs ) se t obs for reduzido 2P(T > t obs ) se t obs for elevado t obs é reduzido (elevado) se a estimativa que se obtém para o parâmetro a testar é inferior (superior) ao valor especificado em 4. Tomar decisão: rejeitar se p-value α (nível de significância) 5. Concluir 11 IC e TH para µ com variância conhecida exercício 1.3, capítulo Determine o p-value do teste efectuado e confirme as conclusões a que chegou 1. Calcular o p-value: 1. Teste bilateral RC é bilateral com igual probabilidade para os dois lados 2. t obs é elevado X = 34 > µ = 30 p-value = 2 P(T > t obs )= 2 P(T > 4 ) = 2 (1 P(T<4 ) ) = 2 x (1-CDF.NORMAL(4,0,1)) (calcular em SPSS) = 2 x (1-0,99997) = 6,33 x Tomar decisão e concluir Como p-value = 6,33x10-5 < α = 0.05 rejeita-se a favor de H 1. Logo, confirma-se a rejeição de a hipótese de a média ser 30 e conclui-se que: houve alteração ao valor médio 12 6

7 Procedimento usando IC (válido apenas para testes bilaterais) 1. Identificar o parâmetro de interesse e especificar e H 1 2. Construir um intervalo de confiança para o parâmetro 3. Tomar decisão: Rejeitar H se o valor do parâmetro especificado em 0 não pertencer ao intervalo de confiança 4. Concluir 13 IC e TH para µ com variância conhecida exercício 1.4, capítulo Poderia chegar à mesma conclusão através do IC calculado em 1.1.? 1. Identificar o parâmetro de interesse e especificar as hipóteses e H 1 Parâmetro de interesse - µ, nível de significância - α = 0.05 : µ = 30 vs. H 1 : µ 30 teste bilateral 2. Construir um intervalo de confiança para µ Para X = 34, σ = 6, n = 36 IC 95 %( µ ) = 34 1,96 IC95 %( µ ) = 6, ,96 36 ( 32.04, 35.96) Tomar decisão e concluir Rejeita-se a favor de H 1 se o valor do parâmetro especificado, µ = 30, não pertencer ao intervalo de confiança. Como neste caso não pertence, confirma-se a rejeição de a hipótese de a média ser 30 e conclui-se que: houve alteração ao valor médio 14 7

8 TH para µ com variância desconhecida µ desconhecido, σ 2 desconhecido Teste de Hipóteses com nível de significância (tamanho) α : µ = µ 0 vs. H 1 : µ µ 0 teste bilateral : µ = µ 0 vs. H 1 : µ < µ 0 teste unilateral (inferior) : µ = µ 0 vs. H 1 : µ > µ 0 teste unilateral (superior) Estatística do Teste: T X µ ~ 0 = tn 1 Sc sob Região de Rejeição (Região Crítica (RC) : se H 1 : µ µ 0 RC α = { t R : t > t } 1-α/2, n-1 se H 1 : µ < µ 0 RC α = { t R : t < t } α, n-1 se H 1 : µ > µ 0 RC α = { t R : t > t } 1-α, n-1 n 15 TH para µ com variância desconhecida Determinada empresa de segurança foi contactada para uma eventual prestação de serviços no Euro 2004 e o Gerente tratou de assegurar ao potencial cliente que na sua empresa os seus seguranças estão muito preparados fisicamente mas conseguem passar despercebidos pois o peso médio deles inferior a 68 kg. Seleccionou ao acaso 50 guardas e registou-se os seus pesos. A amostra está disponível no ficheiro PesosSeg.sav 1. Poderá considerar que o peso de um guarda escolhido ao acaso tem distribuição Normal? Por forma a averiguar se a distribuição dos pesos é Normal construi-se um um QQ-plot (com o SPSS) exercício 10, capítulo 4 2. Teste ao nível de significância de 5% se a afirmação do gerente foi imprudente Por forma a averiguar se a afirmação do gerente foi imprudente realiza-se um teste paramétrico para µ com população Normal e variância desconhecia Parâmetro de interesse - µ, nível de significância - α = 0.05 : µ = 68 kg vs. H 1 : µ > 68 kg teste unilateral superior 16 8

9 1.Construindo o QQ Plot em SPSS 17 1.Construindo o QQ Plot em SPSS 1. Poderá considerar que o peso de um guarda escolhido ao acaso tem distribuição Normal? Sim, uma vez que os quantis de uma distribuição Normal se sobrepõem aos quantis da amostra (os pontos se dispõem em torno de uma recta) 18 9

10 2. TH para µ com variância desconhecida exercício 10.2, capítulo 4 I-Procedimento com base na região de rejeição 1. Identificar o parâmetro de interesse e especificar as hipóteses e H 1 Parâmetro de interesse - µ, nível de significância - α = 0.05 : µ = 68 kg vs. H 1 : µ >68 kg teste unilateral (superior) 2. Escolher uma estatística do teste T com distribuição conhecida admitindo que é verdadeira T X µ ~ 0 = tn 1 Sc sob H0 n 3. Identificar a região de rejeição (região crítica RC) RC α = { t R : t > t 1-α, n-1 } RC α = { t R : t > 1,68} se α= α = 0.95 graus de liberdade n-1 = 49 t 0.95, IDF.T (0.95, 49)= TH para µ com variância desconhecida exercício 10.2, capítulo 4 (cont ) 4. Calcular t obs (valor de T para os dados observados) Calcular media amostral e desvio padrão usando o SPSS t obs = X 68 66,82 68 = = 1,4945 Sc 5, t-distribution : df=49 5. Tomar decisão e concluir RC α = { t R : t > 1,68} rejeitar se t obs RC Como t obs = -1,4945 < 1.68 t obs não pertence à região de rejeição, logo não se rejeita 6. Concluir t obs - 1, 5 RC Ao nível de significância de 5% não há razões para considerar que a afirmação do gerente for imprudente 20 10

11 2. TH para µ com variância desconhecida exercício 10.2, capítulo 4 (cont ) II -Procedimento com base no p-value usando o SPSS TH para µ com variância desconhecida exercício 10.2, capítulo 4 (cont ) II -Procedimento com base no p-value usando o SPSS Aqui devemos indicar o valor do teste µ 0 = 68 Aqui devemos indicar o nível de confidencia 22 11

12 2. TH para µ com variância desconhecida exercício 10.2, capítulo 4 (cont ) II -Procedimento com base no p-value usando o SPSS Intervalo de Confiança t obs - valor da estatística T para os dados observados p-value para teste bilateral Para transformar um p-value bilateral em unilateral divide-se por dois desde que a amostra aponte no sentido da hipótese alternativa. Caso contrário, calcula-se 1-(p-value/2) Como a amostra não aponta no sentido da hipótese alternativa : p-value (unilateral) = 1- p-value (bilateral) /2 = 1-0,141 /2 = 0,9295 Como p-value = 0,9295 > α = 0.05 não se rejeita-se Logo, confirma-se que não há razões para considerar que a afirmação do gerente for imprudente TH para µ com variância desconhecida exercício 10.2, capítulo 4 (cont ) Calculando o p-value usando o SPSS e a tabela de Distribuição t-student se teste unilateral à direita: p-value = P(T > t obs ) p-value = P(T > t obs ) = P(T > ) = 1 P(T ) = 1-F(-1.494)) = F(1.494)= CDF.T(1.494, 49) = Como p-value = 0,9292 > α = 0.05 não se rejeita-se t-distribution : df=49 p-value = P(T >t ob s ) O p-value está situado entre 0.9 e 0.95 t obs - 1,

13 Referências Livro: Grande Maratona de Estatística no SPSS Andreia Hall, Cláudia Neves e António Pereira Capítulo 4.2. Testes de Hipóteses Paramétricos Acetatos: Testes de Hipóteses I Andreia Hall URL: Capítulo 8. Testes de Hipóteses Ana Pires, IST Lisboa disciplina: Probabilidades e Estatística. URL: :

Aula 6. Testes de Hipóteses Paramétricos (I)

Aula 6. Testes de Hipóteses Paramétricos (I) Aula 6. Testes de Hipóteses Paramétricos (I) Métodos Estadísticos 2008 Universidade de Averio Profª Gladys Castillo Jordán Teste de Hipóteses Procedimento estatístico que averigua se os dados sustentam

Leia mais

Capítulo 8 - Testes de hipóteses. 8.1 Introdução

Capítulo 8 - Testes de hipóteses. 8.1 Introdução Capítulo 8 - Testes de hipóteses 8.1 Introdução Nos capítulos anteriores vimos como estimar um parâmetro desconhecido a partir de uma amostra (obtendo estimativas pontuais e intervalos de confiança para

Leia mais

Aula 10. ANOVA Análise de Variância em SPSS

Aula 10. ANOVA Análise de Variância em SPSS Aula 10. ANOVA Análise de Variância em SPSS Métodos Estadísticos 2008 Universidade de Averio Profª Gladys Castillo Jordán Análise de Variância Objectivo: comparar medidas de localização para mais do que

Leia mais

Hipótese Estatística:

Hipótese Estatística: 1 PUCRS FAMAT DEPTº DE ESTATÍSTICA TESTE DE HIPÓTESE SÉRGIO KATO Trata-se de uma técnica para se fazer inferência estatística. Ou seja, a partir de um teste de hipóteses, realizado com os dados amostrais,

Leia mais

Teste de Hipótese para uma Amostra Única

Teste de Hipótese para uma Amostra Única Teste de Hipótese para uma Amostra Única OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM Depois de um cuidadoso estudo deste capítulo, você deve ser capaz de: 1.Estruturar problemas de engenharia de tomada de decisão, como

Leia mais

Teste de Hipóteses e Intervalos de Confiança

Teste de Hipóteses e Intervalos de Confiança Teste de Hipóteses e Intervalos de Confiança Teste de Hipótese e Intervalo de Confiança para a média Monitor Adan Marcel 1) Deseja-se estudar se uma moléstia que ataca o rim altera o consumo de oxigênio

Leia mais

Regressão Linear em SPSS

Regressão Linear em SPSS Regressão Linear em SPSS 1. No ficheiro Calor.sav encontram-se os valores do consumo mensal de energia, medido em milhões de unidades termais britânicas, acompanhados de valores de output, em milhões de

Leia mais

Testes de Hipóteses para Mèdia de Populações Normais- Variância conhecida e desconhecida

Testes de Hipóteses para Mèdia de Populações Normais- Variância conhecida e desconhecida Testes de Hipóteses para Mèdia de Populações Normais- Variância conhecida e desconhecida Ivan Bezerra Allaman Considerando variância conhecida Introdução Nestes casos utiliza-se a seguinte estatística

Leia mais

Métodos Numéricos e Estatísticos Parte II-Métodos Estatísticos

Métodos Numéricos e Estatísticos Parte II-Métodos Estatísticos Métodos Numéricos e Estatísticos Parte II-Métodos Estatísticos Lic. Eng. Biomédica e Bioengenharia-2009/2010 Até ao momento, adiantamos um valor razoável, ou um intervalo de valores razoáveis para um parâmetro

Leia mais

Aula 7. Testes de Hipóteses Paramétricos (II)

Aula 7. Testes de Hipóteses Paramétricos (II) Aula 7. Testes de Hipóteses Paramétricos (II) Métodos Estadísticos 008 Universidade de Averio Profª Gladys Castillo Jordán IC e TH para comparação de valores médios µ X e µ Y de duas populações Normais.

Leia mais

Aula 7. Testes de Hipóteses Paramétricos (II)

Aula 7. Testes de Hipóteses Paramétricos (II) Aula 7. Testes de Hipóteses Paramétricos (II) Métodos Estadísticos 008 Universidade de Averio Profª Gladys Castillo Jordán IC e TH para comparação de valores médios µ X e µ Y de duas populações Normais.

Leia mais

Tecido 1 2 3 4 5 6 7 A 36 26 31 38 28 20 37 B 39 27 35 42 31 39 22

Tecido 1 2 3 4 5 6 7 A 36 26 31 38 28 20 37 B 39 27 35 42 31 39 22 Teste para diferença de médias Exemplo Dois tipos diferentes de tecido devem ser comparados. Uma máquina de testes Martindale pode comparar duas amostras ao mesmo tempo. O peso (em miligramas) para sete

Leia mais

Exemplos de Testes de Hipóteses para Médias Populacionais

Exemplos de Testes de Hipóteses para Médias Populacionais Exemplos de Testes de Hipóteses para Médias Populacionais Vamos considerar exemplos de testes de hipóteses para a média de uma população para os dois casos mais importantes na prática: O tamanho da amostra

Leia mais

7Testes de hipótese. Prof. Dr. Paulo Picchetti M.Sc. Erick Y. Mizuno. H 0 : 2,5 peças / hora

7Testes de hipótese. Prof. Dr. Paulo Picchetti M.Sc. Erick Y. Mizuno. H 0 : 2,5 peças / hora 7Testes de hipótese Prof. Dr. Paulo Picchetti M.Sc. Erick Y. Mizuno COMENTÁRIOS INICIAIS Uma hipótese estatística é uma afirmativa a respeito de um parâmetro de uma distribuição de probabilidade. Por exemplo,

Leia mais

Aula 8. Teste Binomial a uma proporção p

Aula 8. Teste Binomial a uma proporção p Aula 8. Teste Binomial a uma proporção p Métodos Estadísticos 2008 Universidade de Averio Profª Gladys Castillo Jordán Teste Binomial a uma Proporção p Seja p ˆ = X n a proporção de indivíduos com uma

Leia mais

Conceitos Básicos de Estatística Aula 2

Conceitos Básicos de Estatística Aula 2 Conceitos Básicos de Estatística Aula 2 ISCTE - IUL, Mestrados de Continuidade Diana Aldea Mendes diana.mendes@iscte.pt 13 de Setembro de 2011 DMQ, ISCTE-IUL (diana.mendes@iscte.pt) Estatística 13 de Setembro

Leia mais

Estatística II Antonio Roque Aula 9. Testes de Hipóteses

Estatística II Antonio Roque Aula 9. Testes de Hipóteses Testes de Hipóteses Os problemas de inferência estatística tratados nas aulas anteriores podem ser enfocados de um ponto de vista um pouco diferente: ao invés de se construir intervalos de confiança para

Leia mais

Aula 10 Testes de hipóteses

Aula 10 Testes de hipóteses Aula 10 Testes de hipóteses Na teoria de estimação, vimos que é possível, por meio de estatísticas amostrais adequadas, estimar parâmetros de uma população, dentro de certo intervalo de confiança. Nos

Leia mais

Estatística Aplicada

Estatística Aplicada INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA Estatística Aplicada Ano Lectivo 2006/2007 Ficha n.º1 1. O director comercial de uma cadeia de lojas pretende comparar duas técnicas

Leia mais

AULAS 24 E 25 Análise de Regressão Múltipla: Inferência

AULAS 24 E 25 Análise de Regressão Múltipla: Inferência 1 AULAS 24 E 25 Análise de Regressão Múltipla: Inferência Ernesto F. L. Amaral 23 e 25 de novembro de 2010 Metodologia de Pesquisa (DCP 854B) Fonte: Wooldridge, Jeffrey M. Introdução à econometria: uma

Leia mais

Aula de Exercícios - Testes de Hipóteses

Aula de Exercícios - Testes de Hipóteses Aula de Exercícios - Testes de Hipóteses Organização: Airton Kist Digitação: Guilherme Ludwig Testes de Hipóteses Exemplo Para decidirmos se os habitantes de uma ilha são descendentes da civilização A

Leia mais

Intervalo de confiança para α

Intervalo de confiança para α Intervalo de confiança para α Teorema (Intervalo de Confiança a (1 γ) 100% para α) Dado o Modelo de Regressão Linear Simples, um intervalo a (1 γ) 100% de confiança para a ordenada na origem, α, da recta

Leia mais

Análise de Variância simples (One way ANOVA)

Análise de Variância simples (One way ANOVA) Análise de Variância simples (One way ANOVA) Análise de experiências com vários grupos de observações classificados através de um só factor (por exemplo grupos de indivíduos sujeitos a diferentes tratamentos

Leia mais

IV.4 Análise de Dados da Avaliação

IV.4 Análise de Dados da Avaliação Melhor e Pior? IV - Avaliação IV.4 Análise de Dados da Avaliação Interactive System Design, Cap. 10, William Newman IV.4 Análise de Dados da Avaliação 2 Melhor e Pior? Resumo Aula Anterior! Avaliação com

Leia mais

A finalidade dos testes de hipóteses paramétrico é avaliar afirmações sobre os valores dos parâmetros populacionais.

A finalidade dos testes de hipóteses paramétrico é avaliar afirmações sobre os valores dos parâmetros populacionais. Prof. Janete Pereira Amador Introdução Os métodos utilizados para realização de inferências a respeito dos parâmetros pertencem a duas categorias. Pode-se estimar ou prever o valor do parâmetro, através

Leia mais

SÉRIE: Estatística Básica Texto 4: TESTES DE HIPÓTESES SUMÁRIO

SÉRIE: Estatística Básica Texto 4: TESTES DE HIPÓTESES SUMÁRIO SUMÁRIO. INTRODUÇÃO... 3.. GENERALIDADES... 3.. METODOLOGIA DO TESTE DE HIPÓTESES... 3.3. AS HIPÓTESES... 3.4. A ESCOLHA DO TESTE ESTATÍSTICO... 4.5. CONCEITOS ADICIONAIS DO TESTE DE HIPÓTESES... 4.6.

Leia mais

Testes de Ajustamento (testes da bondade do ajustamento)

Testes de Ajustamento (testes da bondade do ajustamento) Testes de Ajustamento (testes da bondade do ajustamento) Os testes de ajustamento servem para testar a hipótese de que uma determinada amostra aleatória tenha sido extraída de uma população com distribuição

Leia mais

Duas Fases da Estatística

Duas Fases da Estatística Aula 5. Itervalos de Cofiaça Métodos Estadísticos 008 Uiversidade de Averio Profª Gladys Castillo Jordá Duas Fases da Estatística Estatística Descritiva: descrever e estudar uma amostra Estatística Idutiva

Leia mais

Teste de hipóteses com duas amostras. Estatística Aplicada Larson Farber

Teste de hipóteses com duas amostras. Estatística Aplicada Larson Farber 8 Teste de hipóteses com duas amostras Estatística Aplicada Larson Farber Seção 8.1 Testando a diferença entre duas médias (amostras grandes e independentes) Visão geral Para testar o efeito benéfico de

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA Departamento Matemática Curso Engenharia do Ambiente º Semestre 1º Folha Nº4: Intervalos de confiança Probabilidades e Estatística 1.a) Determine o intervalo de confiança a 90% para a média de uma população

Leia mais

LISTA DE INTERVALO DE CONFIANÇA E TESTE DE HIPÓTESES

LISTA DE INTERVALO DE CONFIANÇA E TESTE DE HIPÓTESES Monitora Juliana Dubinski LISTA DE INTERVALO DE CONFIANÇA E TESTE DE HIPÓTESES EXERCÍCIO 1 (INTERVALO DE CONFIANÇA PARA MÉDIA) Suponha que X represente a duração da vida de uma peça de equipamento. Admita-se

Leia mais

CAPÍTULO 9 Exercícios Resolvidos

CAPÍTULO 9 Exercícios Resolvidos CAPÍTULO 9 Exercícios Resolvidos R9.1) Diâmetro de esferas de rolamento Os dados a seguir correspondem ao diâmetro, em mm, de 30 esferas de rolamento produzidas por uma máquina. 137 154 159 155 167 159

Leia mais

Disciplinas: Cálculo das Probabilidades e Estatística I

Disciplinas: Cálculo das Probabilidades e Estatística I Introdução a Inferência Disciplinas: Cálculo das Probabilidades e Estatística I Universidade Federal da Paraíba Prof a. Izabel Alcantara Departamento de Estatística (UFPB) Introdução a Inferência Prof

Leia mais

Trabalhando com Pequenas Amostras: Distribuição t de Student

Trabalhando com Pequenas Amostras: Distribuição t de Student Probabilidade e Estatística Trabalhando com Pequenas Amostras: Distribuição t de Student Pequenas amostras x Grandes amostras Nos exemplos tratados até agora: amostras grandes (n>30) qualquer tipo de distribuição

Leia mais

Universidade Federal Fluminense

Universidade Federal Fluminense Universidade Federal Fluminense INSTITUTO DE MATEMÁTICA E ESTATÍSTICA DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICA ESTATÍSTICA V Lista 9: Intervalo de Confiança. 1. Um pesquisador está estudando a resistência de um determinado

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI NÚCLEO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GABARITO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI NÚCLEO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GABARITO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI NÚCLEO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GABARITO GRUPO: ESTATÍSTICA DATA: HORÁRIO: NOME DO CANDIDATO: CPF: ASSINATURA: INSTRUÇÕES:

Leia mais

2.1. Para este tipo de estudo determine a população e a variável estatística.

2.1. Para este tipo de estudo determine a população e a variável estatística. Universidade de Santiago FACULDADE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA Estatística Aplicada a Ciência Sociais Teste Escrito Estatística Descritiva Leia com atenção e responda convenientemente às questões. 1. Na empresa

Leia mais

Análise de Variância com dois ou mais factores - planeamento factorial

Análise de Variância com dois ou mais factores - planeamento factorial Análise de Variância com dois ou mais factores - planeamento factorial Em muitas experiências interessa estudar o efeito de mais do que um factor sobre uma variável de interesse. Quando uma experiência

Leia mais

Introdução. Métodos de inferência são usados para tirar conclusões sobre a população usando informações obtidas a partir de uma amostra.

Introdução. Métodos de inferência são usados para tirar conclusões sobre a população usando informações obtidas a partir de uma amostra. Métodos Monte Carlo Introdução Métodos de inferência são usados para tirar conclusões sobre a população usando informações obtidas a partir de uma amostra. Estimativas pontuais e intervalares para os parâmetros;

Leia mais

Estatística Aplicada para Engenharia Inferência para Duas Populações

Estatística Aplicada para Engenharia Inferência para Duas Populações Universidade Federal Fluminense Instituto de Matemática e Estatística Estatística Aplicada para Engenharia Inferência para Duas Populações Ana Maria Lima de Farias Departamento de Estatística Conteúdo

Leia mais

Intervalos Estatísticos para uma Única Amostra

Intervalos Estatísticos para uma Única Amostra Roteiro Intervalos Estatísticos para uma Única Amostra 1. Introdução 2. Intervalo de Confiança para Média i. População normal com variância conhecida ii. População normal com variância desconhecida 3.

Leia mais

Teorema do Limite Central e Intervalo de Confiança

Teorema do Limite Central e Intervalo de Confiança Probabilidade e Estatística Teorema do Limite Central e Intervalo de Confiança Teorema do Limite Central Teorema do Limite Central Um variável aleatória pode ter uma distribuição qualquer (normal, uniforme,...),

Leia mais

Aula 8. Teste Binomial a uma proporção p

Aula 8. Teste Binomial a uma proporção p Aula 8. Teste Binomial a uma proporção p Métodos Estadísticos 2008 Universidade de Averio Profª Gladys Castillo Jordán Teste Binomial a uma Proporção p Seja p ˆ = X n a proporção de indivíduos com uma

Leia mais

Monitor Giovani Roveroto

Monitor Giovani Roveroto Monitor Giovani Roveroto Intervalo de Confiança 1. Suponha que o gerente de uma loja de comércio de tintas queira calcular a verdadeira quantidade de tinta contida em um galão, comprados de um fabricante

Leia mais

a) Suponha que na amostra de 20 declarações foram encontrados 15 com dados incorrectos. Construa um

a) Suponha que na amostra de 20 declarações foram encontrados 15 com dados incorrectos. Construa um Escola Superior de Tecnologia de Viseu Probabilidades e Estatística 2007/2008 Ficha nº 7 1. O director comercial de uma cadeia de lojas pretende comparar duas técnicas de vendas, A e B, para o mesmo produto.

Leia mais

COMENTÁRIO AFRM/RS 2012 ESTATÍSTICA Prof. Sérgio Altenfelder

COMENTÁRIO AFRM/RS 2012 ESTATÍSTICA Prof. Sérgio Altenfelder Comentário Geral: Prova muito difícil, muito fora dos padrões das provas do TCE administração e Economia, praticamente só caiu teoria. Existem três questões (4, 45 e 47) que devem ser anuladas, por tratarem

Leia mais

Aula 4 Estatística Conceitos básicos

Aula 4 Estatística Conceitos básicos Aula 4 Estatística Conceitos básicos Plano de Aula Amostra e universo Média Variância / desvio-padrão / erro-padrão Intervalo de confiança Teste de hipótese Amostra e Universo A estatística nos ajuda a

Leia mais

Lista 09: Estimação de Parâmetros

Lista 09: Estimação de Parâmetros INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA DIVISÃO DE ENGENHARIA MECÂNICA-AERONÁUTICA MB-210: Probabilidade e Estatística Lista 09: Estimação de Parâmetros Prof. Denise Beatriz Ferrari denise@ita.br 2 o Sem/2013

Leia mais

O modelo ANOVA a dois factores, hierarquizados

O modelo ANOVA a dois factores, hierarquizados O modelo ANOVA a dois factores, hierarquizados Juntando os pressupostos necessários à inferência, Modelo ANOVA a dois factores, hierarquizados Seja A o Factor dominante e B o Factor subordinado. Existem

Leia mais

Universidade Federal de Alfenas Programa de Pós-graduação em Estatística Aplicada e Biometria Prova de Conhecimentos Específicos

Universidade Federal de Alfenas Programa de Pós-graduação em Estatística Aplicada e Biometria Prova de Conhecimentos Específicos Dados que podem ser necessários a algumas questões de Estatística: P (t > t α ) = α ν 0,05 0,025 15 1,753 2,131 16 1,746 2,120 28 1,791 2,048 30 1,697 2,042 (Valor: 1,4) Questão 1. Considere o seguinte

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO NORMAL 1

DISTRIBUIÇÃO NORMAL 1 DISTRIBUIÇÃO NORMAL 1 D ensid ade Introdução Exemplo : Observamos o peso, em kg, de 1500 pessoas adultas selecionadas ao acaso em uma população. O histograma por densidade é o seguinte: 0.04 0.03 0.02

Leia mais

1. Os métodos Não-Paramétricos podem ser aplicados a uma ampla diversidade de situações, porque não exigem populações distribuídas normalmente.

1. Os métodos Não-Paramétricos podem ser aplicados a uma ampla diversidade de situações, porque não exigem populações distribuídas normalmente. TESTES NÃO - PARAMÉTRICOS As técnicas da Estatística Não-Paramétrica são, particularmente, adaptáveis aos dados das ciências do comportamento. A aplicação dessas técnicas não exige suposições quanto à

Leia mais

Epidemiologia. Profa. Heloisa Nascimento

Epidemiologia. Profa. Heloisa Nascimento Epidemiologia Profa. Heloisa Nascimento Medidas de efeito e medidas de associação -Um dos objetivos da pesquisa epidemiológica é o reconhecimento de uma relação causal entre uma particular exposição (fator

Leia mais

MAE116 Noções de Estatística

MAE116 Noções de Estatística MAE6 Noções de Estatística Grupo A - º semestre de 007 Exercício ( pontos) Uma máquina de empacotar um determinado produto o faz segundo uma distribuição normal, com média µ e desvio padrão 0g. (a) Em

Leia mais

Intervalo de Confiança e cálculo de tamanho de amostra. Henrique Dantas Neder

Intervalo de Confiança e cálculo de tamanho de amostra. Henrique Dantas Neder Intervalo de Confiança e cálculo de tamanho de amostra Henrique Dantas Neder Intervalo de confiança para a média da população µ X Até o momento discutimos as propriedades da distrbuição normal e vimos

Leia mais

Aula 5 Distribuição amostral da média

Aula 5 Distribuição amostral da média Aula 5 Distribuição amostral da média Nesta aula você irá aprofundar seus conhecimentos sobre a distribuição amostral da média amostral. Na aula anterior analisamos, por meio de alguns exemplos, o comportamento

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS 3

LISTA DE EXERCÍCIOS 3 DISCIPLINA: CÁLCULO DAS PROBABILIDADES E ESTATÍSTICA I PERÍODO: 2013.2 LISTA DE EXERCÍCIOS 3 1) Uma empresa fabricante de pastilhas para freio efetua um teste para controle de qualidade de seus produtos.

Leia mais

Teorema Central do Limite e Intervalo de Confiança

Teorema Central do Limite e Intervalo de Confiança Probabilidade e Estatística Teorema Central do Limite e Intervalo de Confiança Teorema Central do Limite Teorema Central do Limite Um variável aleatória pode ter uma distribuição qualquer (normal, uniforme,...),

Leia mais

Cláudio Tadeu Cristino 1. Julho, 2014

Cláudio Tadeu Cristino 1. Julho, 2014 Inferência Estatística Estimação Cláudio Tadeu Cristino 1 1 Universidade Federal de Pernambuco, Recife, Brasil Mestrado em Nutrição, Atividade Física e Plasticidade Fenotípica Julho, 2014 C.T.Cristino

Leia mais

Tópico 8. Estatística Inferencial Teste de Hipóteses

Tópico 8. Estatística Inferencial Teste de Hipóteses Tópico 8 Estatística Inferencial Teste de Hipóteses Estatística Inferencial Princípio básico da estatística População (Plano de Amostragem Probabilística) Amostra Generalizar Descrever dados Parâmetro

Leia mais

UNIVERSIDADE DOS AÇORES Mestrado em Gestão (MBA)

UNIVERSIDADE DOS AÇORES Mestrado em Gestão (MBA) UNIVERSIDADE DOS AÇORES Mestrado em Gestão (MBA) Métodos Estatísticos 1º ano -1º Trimestre 2009/2010 Ficha de trabalho nº 1 Exercícios usando o SPSS PARTE 1 - Estatística Descritiva 1. As notas de 32 alunos

Leia mais

Tópicos em Inferência Estatística. Frases. Roteiro. 1. Introdução

Tópicos em Inferência Estatística. Frases. Roteiro. 1. Introdução Tópicos em Inferência Estatística Frases Torture os dados por um tempo suficiente, e eles contam tudo! fonte: mcrsoft@aimnet.com (Barry Fetter) Um homem com um relógio sabe a hora certa. Um homem com dois

Leia mais

Olá pessoal! Sem mais delongas, vamos às questões.

Olá pessoal! Sem mais delongas, vamos às questões. Olá pessoal! Resolverei neste ponto a prova para AFRE/SC 2010 realizada pela FEPESE no último final de semana. Nosso curso teve um resultado muito positivo visto que das 15 questões, vimos 14 praticamente

Leia mais

INE 5111 Gabarito da Lista de Exercícios de Probabilidade INE 5111 LISTA DE EXERCÍCIOS DE PROBABILIDADE

INE 5111 Gabarito da Lista de Exercícios de Probabilidade INE 5111 LISTA DE EXERCÍCIOS DE PROBABILIDADE INE 5 LISTA DE EERCÍCIOS DE PROBABILIDADE INE 5 Gabarito da Lista de Exercícios de Probabilidade ) Em um sistema de transmissão de dados existe uma probabilidade igual a 5 de um dado ser transmitido erroneamente.

Leia mais

CURSO ON-LINE PROFESSOR: VÍTOR MENEZES. Comentários sobre as provas de estatística e financeira ICMS RJ

CURSO ON-LINE PROFESSOR: VÍTOR MENEZES. Comentários sobre as provas de estatística e financeira ICMS RJ Comentários sobre as provas de estatística e financeira ICMS RJ Caríssimos, Acabei de voltar de uma longa auditoria em que visitamos inúmeros assentamentos federais do INCRA no interior do estado. Ou seja:

Leia mais

Especialização em Engenharia Clínica

Especialização em Engenharia Clínica Especialização em Engenharia Clínica Introdução a Bioestatística Docente: > Marcelino M. de Andrade, Dr. Apresentação: Módulo 02 Teoria Elementar da Amostragem A teoria elementar da amostragem é um estudo

Leia mais

OUTLIERS Conceitos básicos

OUTLIERS Conceitos básicos Outliers: O que são? As observações que apresentam um grande afastamento das restantes ou são inconsistentes com elas são habitualmente designadas por outliers. Estas observações são também designadas

Leia mais

CURSO ON-LINE PROFESSOR: VÍTOR MENEZES

CURSO ON-LINE PROFESSOR: VÍTOR MENEZES Caríssimos. Recebi muitos e-mails pedindo ajuda com eventuais recursos para as provas do BACEN. Em raciocínio lógico, eu não vi possibilidade de recursos, apesar de achar que algumas questões tiveram o

Leia mais

Testes de Hipóteses para Diferença entre duas Médias - Amostras relacionadas

Testes de Hipóteses para Diferença entre duas Médias - Amostras relacionadas Testes de Hipóteses para Diferença entre duas Médias - Amostras relacionadas Introdução Ivan Bezerra Allaman Entende-se por amostras relacionadas ou emparelhadas quando a medida tomada na primeira amostra

Leia mais

AULAS 13, 14 E 15 Correlação e Regressão

AULAS 13, 14 E 15 Correlação e Regressão 1 AULAS 13, 14 E 15 Correlação e Regressão Ernesto F. L. Amaral 23, 28 e 30 de setembro de 2010 Metodologia de Pesquisa (DCP 854B) Fonte: Triola, Mario F. 2008. Introdução à estatística. 10 ª ed. Rio de

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Faculdade de Arquitetura e Urbanismo DISTRIBUIÇÃO AMOSTRAL ESTIMAÇÃO AUT 516 Estatística Aplicada a Arquitetura e Urbanismo 2 DISTRIBUIÇÃO AMOSTRAL Na aula anterior analisamos

Leia mais

Resoluções comentadas de Raciocínio Lógico e Estatística - SEPLAG-2010 - EPPGG

Resoluções comentadas de Raciocínio Lógico e Estatística - SEPLAG-2010 - EPPGG Resoluções comentadas de Raciocínio Lógico e Estatística - SEPLAG-010 - EPPGG 11. Em uma caixa há 1 bolas de mesmo tamanho: 3 brancas, 4 vermelhas e 5 pretas. Uma pessoa, no escuro, deve retirar n bolas

Leia mais

Curso: Logística e Transportes Disciplina: Estatística Profa. Eliane Cabariti. Distribuição Normal

Curso: Logística e Transportes Disciplina: Estatística Profa. Eliane Cabariti. Distribuição Normal Curso: Logística e Transportes Disciplina: Estatística Profa. Eliane Cabariti Distribuição Normal 1. Introdução O mundo é normal! Acredite se quiser! Muitos dos fenômenos aleatórios que encontramos na

Leia mais

ASSOCIAÇÃO ENTRE PRESENÇA DE CÂNCER DE ESÔFAGO COMPARADA COM HÁBITO DE FUMAR E IDADE EM INDIVÍDUOS DA DINAMARCA

ASSOCIAÇÃO ENTRE PRESENÇA DE CÂNCER DE ESÔFAGO COMPARADA COM HÁBITO DE FUMAR E IDADE EM INDIVÍDUOS DA DINAMARCA ASSOCIAÇÃO ENTRE PRESENÇA DE CÂNCER DE ESÔFAGO COMPARADA COM HÁBITO DE FUMAR E IDADE EM INDIVÍDUOS DA DINAMARCA Bárbara Camboim Lopes de FIGUEIRÊDO 1, Gustavo Henrique ESTEVES 2 1 Departamento de Estatística

Leia mais

CRM e Prospecção de Dados

CRM e Prospecção de Dados CRM e Prospecção de Dados Marília Antunes aula de 18 de Maio 09 6 Modelos de regressão (continuação) 6.1 Interpretação do modelo ajustado Os coeficientes do modelo de regressão múltipla podem ser interpretados

Leia mais

1. Avaliação de impacto de programas sociais: por que, para que e quando fazer? (Cap. 1 do livro) 2. Estatística e Planilhas Eletrônicas 3.

1. Avaliação de impacto de programas sociais: por que, para que e quando fazer? (Cap. 1 do livro) 2. Estatística e Planilhas Eletrônicas 3. 1 1. Avaliação de impacto de programas sociais: por que, para que e quando fazer? (Cap. 1 do livro) 2. Estatística e Planilhas Eletrônicas 3. Modelo de Resultados Potenciais e Aleatorização (Cap. 2 e 3

Leia mais

Inferência Estatística-Macs11ºano

Inferência Estatística-Macs11ºano INFERÊNCIA ESTATÍSTICA Inferência Estatística-Macs11ºano Estatística Descritiva: conjunto de métodos para sintetizar e representar de forma compreensível a informação contida num conjunto de dados. Usam-se,

Leia mais

Introdução à Análise Química QUI 094 ERRO E TRATAMENTO DE DADOS ANALÍTICOS

Introdução à Análise Química QUI 094 ERRO E TRATAMENTO DE DADOS ANALÍTICOS Introdução a Analise Química - II sem/2012 Profa Ma Auxiliadora - 1 Introdução à Análise Química QUI 094 1 semestre 2012 Profa. Maria Auxiliadora Costa Matos ERRO E TRATAMENTO DE DADOS ANALÍTICOS Introdução

Leia mais

ANÁLISE DE DADOS ESTATÍSTICOS COM O MICROSOFT OFFICE EXCEL 2007

ANÁLISE DE DADOS ESTATÍSTICOS COM O MICROSOFT OFFICE EXCEL 2007 ANÁLISE DE DADOS ESTATÍSTICOS COM O MICROSOFT OFFICE EXCEL 2007 2 Professor Claodomir Antonio Martinazzo Sumário 1 Introdução... 03 2 Instalação da ferramenta Análise de Dados... 04 3 Estatística Descritiva...

Leia mais

Desvendando a Estatística com o R Commander

Desvendando a Estatística com o R Commander UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná Desvendando a Estatística com o R Commander Prof. MSc. Jonas Joacir Radtke Sumário 1 Introdução p. 3 1.1 Instalação do R Commander..........................

Leia mais

Prof. Dr. Iron Macêdo Dantas

Prof. Dr. Iron Macêdo Dantas Governo do Estado do Rio Grande do Norte Secretaria de Estado da Educação e da Cultura - SEEC UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN MESTRADO EM CIÊNCIAS NATURAIS Prof. Dr. Iron Macêdo Dantas

Leia mais

Análise de Regressão. Tópicos Avançados em Avaliação de Desempenho. Cleber Moura Edson Samuel Jr

Análise de Regressão. Tópicos Avançados em Avaliação de Desempenho. Cleber Moura Edson Samuel Jr Análise de Regressão Tópicos Avançados em Avaliação de Desempenho Cleber Moura Edson Samuel Jr Agenda Introdução Passos para Realização da Análise Modelos para Análise de Regressão Regressão Linear Simples

Leia mais

Relações entre Variáveis Nominais: O Teste do Qui-Quadrado (χ 2 )

Relações entre Variáveis Nominais: O Teste do Qui-Quadrado (χ 2 ) Relações entre Variáveis Nominais: O Teste do Qui-Quadrado (χ ) Quando queremos medir a relação entre duas variáveis nominais, por exemplo, o sexo de uma pessoa (masculino/feminino) e a sua preferência

Leia mais

COMENTÁRIOS DA PROVA DE MÉTODOS QUANTITATIVOS E RACIOCÍNIO LÓGICO BNDES 2011 ENGENHEIRO PROF PIO

COMENTÁRIOS DA PROVA DE MÉTODOS QUANTITATIVOS E RACIOCÍNIO LÓGICO BNDES 2011 ENGENHEIRO PROF PIO COMENTÁRIOS DA PROVA DE MÉTODOS QUANTITATIVOS E RACIOCÍNIO LÓGICO BNDES 2011 ENGENHEIRO PROF PIO Prezados concurseiros, segue abaixo os comentários das questões de métodos quantitativos, matemática financeira

Leia mais

Estatística e Probabilidade

Estatística e Probabilidade Correlação Estatística e Probabilidade Uma correlação é uma relação entre duas variáveis. Os dados podem ser representados por pares ordenados (x,y), onde x é a variável independente ou variável explanatória

Leia mais

MINISTE RIO DA EDUCAÇA O UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS DEPARTAMENTO DE CIE NCIAS EXATAS

MINISTE RIO DA EDUCAÇA O UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS DEPARTAMENTO DE CIE NCIAS EXATAS MINISTE RIO DA EDUCAÇA O UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS DEPARTAMENTO DE CIE NCIAS EXATAS Programa de Pós-Graduação em Estatística e Experimentação Agropecuária Prova do Processo Seletivo para o Mestrado

Leia mais

BearingNet - Inventário

BearingNet - Inventário Contenuto Introdução... 2 Tabela O Seu Inventário... 3 Adicionar inventário... 4 Editar ou Eliminar Inventário... 5 Tabela de Manutenção de Inventário... 7 O seu inventário/ Lista de pedido de stock...

Leia mais

TESTE DE MATEMÁTICA. 1. Efectuou-se um estudo sobre as vendas de automóveis num determinado stand, o qual revelou que:

TESTE DE MATEMÁTICA. 1. Efectuou-se um estudo sobre as vendas de automóveis num determinado stand, o qual revelou que: TESTE DE MATEMÁTICA Ano Lectivo / - 9º I - // Nome:.. Nº... Duração da Prova: 9 minutos O teste inclui cinco itens de escolha múltipla. Seleccione a única resposta correcta de entre as quatro alternativas

Leia mais

3 Metodologia 3.1. Tipo de pesquisa

3 Metodologia 3.1. Tipo de pesquisa 3 Metodologia 3.1. Tipo de pesquisa Escolher o tipo de pesquisa a ser utilizado é um passo fundamental para se chegar a conclusões claras e responder os objetivos do trabalho. Como existem vários tipos

Leia mais

INVESTIGAÇÃO OPERACIONAL MÉTODOS DE PLANEAMENTO. Capítulo II Método PERT

INVESTIGAÇÃO OPERACIONAL MÉTODOS DE PLANEAMENTO. Capítulo II Método PERT INVESTIGAÇÃO OPERACIONAL MÉTODOS DE PLANEAMENTO Capítulo II Método PERT António Carlos Morais da Silva Professor de I.O. i II. Método PERT...II-. Introdução...II- 2. Duração da Actividade...II- 3. Estimativas

Leia mais

1. Registou-se o número de assoalhadas da população de 100 apartamentos vendidos num bairro residencial

1. Registou-se o número de assoalhadas da população de 100 apartamentos vendidos num bairro residencial Escola Superior de Tecnologia de Viseu Fundamentos de Estatística 2010/2011 Ficha nº 1 1. Registou-se o número de assoalhadas da população de 100 apartamentos vendidos num bairro residencial 0; 0; 0; 1;

Leia mais

Inferência Estatística

Inferência Estatística Universidade Federal Fluminense Instituto de Matemática e Estatística Inferência Estatística Ana Maria Lima de Farias Departamento de Estatística Conteúdo 1 Inferência estatística Conceitos básicos 1 1.1

Leia mais

Medidas de Variação ou Dispersão

Medidas de Variação ou Dispersão Medidas de Variação ou Dispersão Estatística descritiva Recapitulando: As três principais características de um conjunto de dados são: Um valor representativo do conjunto de dados: uma média (Medidas de

Leia mais

ANÁLISE DE VARIÂNCIA ANOVA. Prof. Adriano Mendonça Souza, Dr. Departamento de Estatística - PPGEMQ / PPGEP - UFSM

ANÁLISE DE VARIÂNCIA ANOVA. Prof. Adriano Mendonça Souza, Dr. Departamento de Estatística - PPGEMQ / PPGEP - UFSM ANÁLISE DE VARIÂNCIA ANOVA Prof. Adriano Mendonça Souza, Dr. Departamento de Estatística - PPGEMQ / PPGEP - UFSM UM EXEMPLO DE APLICAÇÃO Digamos que temos 6 métodos de ensino aplicados a 30 crianças cada

Leia mais

PE-MEEC 1S 09/10 118. Capítulo 4 - Variáveis aleatórias e. 4.1 Variáveis. densidade de probabilidade 4.2 Valor esperado,

PE-MEEC 1S 09/10 118. Capítulo 4 - Variáveis aleatórias e. 4.1 Variáveis. densidade de probabilidade 4.2 Valor esperado, Capítulo 4 - Variáveis aleatórias e distribuições contínuas 4.1 Variáveis aleatórias contínuas. Função densidade de probabilidade 4.2 Valor esperado, variância e algumas das suas propriedades. Moda e quantis

Leia mais

Teste de Hipóteses VÍCTOR HUGO LACHOS DÁVILAD

Teste de Hipóteses VÍCTOR HUGO LACHOS DÁVILAD Teste de ióteses VÍCTOR UGO LACOS DÁVILAD Teste De ióteses. Exemlo. Cosidere que uma idustria comra de um certo fabricate, ios cuja resistêcia média à rutura é esecificada em 6 kgf (valor omial da esecificação).

Leia mais

Avaliando o que foi Aprendido

Avaliando o que foi Aprendido Avaliando o que foi Aprendido Treinamento, teste, validação Predição da performance: Limites de confiança Holdout, cross-validation, bootstrap Comparando algoritmos: o teste-t Predecindo probabilidades:função

Leia mais

CRM e Prospecção de Dados

CRM e Prospecção de Dados CRM e Prospecção de Dados Marília Antunes aula de 11 de Maio 09 6 Modelos de regressão 6.1 Introdução No capítulo anterior foram apresentados alguns modelos preditivos em que a variável resposta (a variável

Leia mais

Teste de Hipóteses. Enrico A. Colosimo/UFMG enricoc/ Depto. Estatística - ICEx - UFMG 1/24

Teste de Hipóteses. Enrico A. Colosimo/UFMG  enricoc/ Depto. Estatística - ICEx - UFMG 1/24 1/24 Introdução à Bioestatística Teste de Hipóteses Enrico A. Colosimo/UFMG http://www.est.ufmg.br/ enricoc/ Depto. Estatística - ICEx - UFMG 2/24 Exemplo A concentração de certa substância no sangue entre

Leia mais