Qualidade dos Combustíveis:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Qualidade dos Combustíveis:"

Transcrição

1 Qualidade dos Combustíveis: Desafios para a manutenção da qualidade Oswaldo Luiz de Mello Bonfanti Coordenador Nacional do Sistema de Garantia da Qualidade Gestor de Assistência Técnica Ribeirão Preto, 30/10/2012

2 Tópicos Introdução; Gasolina; Óleo Diesel; Do óleo vegetal ao Biodiesel; Armazenagem e manuseio; Óleo Diesel S-10: condicionamento e manuseio; Motores.

3 GLP Gasolinas Diesel Querosenes... Produção de derivados

4

5 Refinaria Bases Postos SGQ - PETROBRAS

6 Gasolina

7 GASOLINAS AUTOMOTIVAS OCTANAGEM ADITIVOS ENXOFRE MÁX. 87 Não Sim Sim Sim 30 Todas as gasolinas automotivas recebem, por força de Lei Federal, a adição de 20% ± 1% de Etanol Anidro. (20 ± 1% a 25 ± 1%)

8 Outros tipos de gasolinas Gasolina Padrão de Emissões e Consumo Gasolina de 1º Enchimento Gasolinas de Competição Calibração de motores (montadora) Ensaios de emissões Não envelhece Para veículos 0 km Adicionado pela montadora Gasolinas Especiais (sob encomenda) Gasolina de Aviação (GAV ou AvGas) Para aviões com motor ciclo Otto (a pistão) Contém CTE Gasolina Azul (extinta em 1980) Mesma Não octanagem usar veículos da gasolina com sonda comum Lambda de hoje Não confundir com QAV Possuia CTE na formulação!!!

9

10 Gasolinas aditivadas Detergentes e dispersantes: Limpam depósitos Inibem a deposição Adicionados pelas distribuidoras Não deve ser adicionado na refinaria!!! Aprox. 0,05% (500ppm)

11 Gasolinas aditivadas Nunca usei aditivada. Posso usar direto? Carro velho pode usar? O manual do meu carro pede gasolina comum. Devo usar aditivação extra (frasquinhos)? Posso misturar gasolinas aditivadas?

12 Cuidados Gasolina envelhece! Gera GOMA Cuidado com o COBRE e suas Causa depósitos no motor ligas!!! Cuidados: Tempo de estocagem Gasolina em veículos a GNV

13 Adulteração em Gasolinas Diesel Depósitos na câmara de combustão Abaixa a octanagem Aumenta o nível do óleo Abaixa a viscosidade do óleo Pode faciltar a formação de borra Piora a dirigibilidade Acelera o envelhecimento da gasolina

14 Adulteração em Gasolinas Querosene Depósitos na câmara de combustão Abaixa muito a octanagem Piora a dirigibilidade Aumenta o consumo Extras Depósitos Diversos Danos Diversos

15 Adulteração em Gasolinas Solventes Aromáticos Parafínicos Aumentam a Octanagem!!! Leve: Melhora a Dirigibilidade!!! Pesado: Piora!!! Destroem Borrachas Abaixa muito a Octanagem Depósitos na câmara de combustão Aumenta o consumo

16 Qualidade Teste do copinho Combustível X segundos Qualidade do combustível????

17 Qualidade X% ALCOOL+ X% SOLVENTE+... GASOLINA Avaliando a qualidade do combustivel Olhômetro

18 X% ALCOOL+ X% SOLVENTE+ Qualidade Cheirômetro Avaliando a qualidade do combustivel

19 Teste da chama Qualidade

20 Óleo Diesel

21 Bico injetor

22 TIPOS DE DIESEL ENXOFRE máximo Ponto de Fulgor Número de Cetano Diesel S ,18% (1800 ppm) 38 C 42 Diesel S-500 0,05% (500 ppm) 38 C 42 Diesel S-50 0,005% (50 ppm) 38 C 46 Diesel S-10 0,001% (10 ppm) 38 C 48 BioDiesel 0% 100 C»50 Diesel Marítimo 1,0 % 60 C 40

23 Do Óleo Vegetal ao Biodiesel

24 Biodiesel Metanol ou Etanol Óleos & Gorduras (Vegetais ou animais) Catalisador Recuperação do Álcool Pré-tratamento (Opcional) Transesterificação Purificação Biodiesel Glicerina Ácido Graxo

25 Ocorrências Aumento na freqüência de troca de filtros de Diesel e problemas com bombas e bicos Injetores, relatados por postos e consumidores; O mercado atribuiu a causa do problema ao Biodiesel; Fato: Biodiesel (B5) propicia maior crescimento microbiológico do que B0; Nas refinarias (Diesel A), existem unidades de secagem e controles específicos; Os motores diesel eletrônicos (Common Rail) são mais exigentes em termos de filtração (2 a 5 micras); Existe norma ASTM sobre o tema: ASTM D Standard Guide for Microbial Contamination in Fuels and Fuel Systems.

26 Constatações Presença de água e microrganismos em TQ s de bases distribuidoras; Caminhões-tanque, tanques de consumidores e postos, com água e microrganismos; Preocupação das montadoras e sistemistas com falhas em sistema de injeção, por bloqueio de filtros e corrosão; Borras obstruem os filtros, degradam o diesel, provocam corrosão e são emulsificantes; Diesel + Água + Condições Ambientais + Nutrientes (Biodiesel + Aditivos) = grande crescimento microbiológico; O mercado paralelo já está vendendo soluções para donos dos postos e consumidores, tais como emulsificantes, filtros e até mesmo biocidas, o que pode gerar sérios problemas com o produto ou até mesmo com o meio ambiente; A especificação do biodiesel (B100), só é controlada na produção.

27 Encontrado em Bases e Terminais

28 Encontrado em postos de combustíveis

29 Encontrado em postos de combustíveis

30 Encontrado em postos de combustíveis

31 Encontrado em postos de combustíveis

32 Encontrado em postos de combustíveis

33 Encontrado em postos de combustíveis

34 Consumidor de S50

35 Degradação do combustível

36 Conclusões Os problemas são pontuais, não generalizados; Elemento novo no sistema logístico, o B100 catalisa o crescimento microbiológico; Geração de motores (Common Rail) mais sensíveis a borra do que motores com injeção mecânica; Revisão dos procedimentos existentes para armazenagem, transferências, transporte e comercialização do diesel B, atuando na garantia do cumprimento de tais procedimentos e reforçando a sua importância em todos os pontos da cadeia de distribuição;

37 Armazenagem e manuseio

38 Não estoque Diesel por muito tempo Armazenagem Estocagem longa Envelhecimento do óleo diesel Aparecimento de sedimento de origem química Entupimento de filtros

39 Armazenagem Limpe os tanques de Diesel periodicamente Tanques de armazenagem: (máximo de 2 em 2 anos) Tanques de veículos: TEMPERATURAS ELEVADAS

40 Armazenagem Formas de acúmulo de água nos tanques Solubilizada no próprio diesel Junto com o ar UMIDADE Acidentalmente CHUVA FORTE FUROS EM TANQUES

41 Contaminação microbiológica O ambiente dentro de um tanque Óleo diesel com água emulsionada e contaminantes com a mesma densidade que o óleo diesel Polímeros Fungos e Bactérias Água Decantada

42 Contaminação microbiológica

43 Armazenagem Evite a presença de água nos tanques Tubo de Aeração Vareta de nível Caixa de Inspeção Enchimento Válvula de dreno Balde Declividade Suporte Abastecimento Filtro Porta Válvula

44 Óleo Diesel S-10

45

46

47

48

49

50

51

52

53

54

55

56

57

58

59 Bibliografia

60 Motores

61

62

63

64 Obrigado pela atenção! Oswaldo Luiz de Mello Bonfanti (21)

Informações Úteis Dúvidas Frequentes

Informações Úteis Dúvidas Frequentes Página 0 2013 Informações Úteis Dúvidas Frequentes Organização Rezende Acesse o site: www.organizacaorezende.com.br 19/04/2013 Página 1 DÚVIDAS FREQUENTES: GASOLINAS PETROBRAS 1 - Como são obtidas as gasolinas?

Leia mais

Por: Marco Lassen. Diesel

Por: Marco Lassen. Diesel Por: Marco Lassen Diesel Óleo Diesel e a Evolução do Teor de Enxofre Evolução do Teor de Enxofre 3 Legislação e Teor de Enxofre 2000 ppm 350 ppm 500 ppm 10 ppm 50 ppm 10 ppm EUROPA EURO III EURO IV EURO

Leia mais

Cuidados no transporte, armazenamento e uso do Biodiesel B5

Cuidados no transporte, armazenamento e uso do Biodiesel B5 Cuidados no transporte, armazenamento e uso do Biodiesel B5 III ENCONTRO ANUAL DA EQUIPE TÉCNICA DO DESPOLUIR Eduardo Vieira Gerente de Projetos da CNT Rio de Janeiro, novembro de 2010. Motivação Relatos

Leia mais

MANUSEIO E ARMAZENAMENTO DE ÓLEO DIESEL B ORIENTAÇÕES E PROCEDIMENTOS

MANUSEIO E ARMAZENAMENTO DE ÓLEO DIESEL B ORIENTAÇÕES E PROCEDIMENTOS MANUSEIO E ARMAZENAMENTO DE ÓLEO DIESEL B ORIENTAÇÕES E PROCEDIMENTOS Com a criação do Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel, em 2004, e a aprovação da Lei nº 11.097, de 13 de janeiro de 2005,

Leia mais

MANUSEIO DE ÓLEO DIESEL B ORIENTAÇÕES E PROCEDIMENTOS

MANUSEIO DE ÓLEO DIESEL B ORIENTAÇÕES E PROCEDIMENTOS MANUSEIO E ARMAZENAMENTO DE ÓLEO DIESEL B ORIENTAÇÕES E PROCEDIMENTOS Com a criação do Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel, em 2004, e a aprovação da Lei 11.097, de 13 de janeiro de 2005,

Leia mais

Orientações e Procedimentos para o Manuseio e Armazenagem de Óleo Diesel B

Orientações e Procedimentos para o Manuseio e Armazenagem de Óleo Diesel B Setembro, 2010. Orientações e Procedimentos para o Manuseio e Armazenagem de Óleo Diesel B Com a criação do Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel, em 2004, e a aprovação da Lei 11.097, de 13

Leia mais

Conferência biodieselbr 2010

Conferência biodieselbr 2010 Conferência biodieselbr 2010 Construindo o caminho para o B10 Rubens Cerqueira FREITAS, M.Sc. Superintendente Adjunto de Abastecimento Superintendência de Abastecimento - SAB Sistema Nacional de Abastecimento

Leia mais

Não abasteça combustível adulterado

Não abasteça combustível adulterado Não abasteça combustível adulterado A maioria das pessoas acha que uma vez que o posto de gasolina tem bandeira (BR, Shell, Texaco, Esso, Ipiranga, etc) a qualidade do combustível está garantida. Não é

Leia mais

O ÓLEO DIESEL FORMAS DE COMERCIALIZAÇÃO DO ÓLEO DIESEL. 500 (nas regiões de diesel metropolitano) 2.000 (nas regiões de diesel interior)

O ÓLEO DIESEL FORMAS DE COMERCIALIZAÇÃO DO ÓLEO DIESEL. 500 (nas regiões de diesel metropolitano) 2.000 (nas regiões de diesel interior) O ÓLEO DIESEL Link da pesquisa http://www.br.com.br/wps/portal/portaldeconteudo Combustível derivado do petróleo, constituído basicamente por hidrocarbonetos, o óleo diesel é um composto formado principalmente

Leia mais

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-50. Fonte: Metalsinter

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-50. Fonte: Metalsinter DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-50 1) O que são os Diesel S-50 e S-10? Significa Diesel de Baixo Teor de Enxofre. Aqui no Brasil são dois os tipos que serão utilizados em veículos: o S-50 e o S-10.

Leia mais

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-10

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-10 DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-10 1) O que significa DBTE? Diesel de Baixo Teor de Enxofre. Aqui no Brasil são dois os tipos: o S-50 (2012) e o S-10 a partir de 2.013, onde S= enxofre, 10 ou 50 ppm=

Leia mais

Combustíveis Marítimos. Informações Técnicas

Combustíveis Marítimos. Informações Técnicas Informações Técnicas 1. Definição e composição... 3 2. Principais aplicações... 3 3. Tipos de Óleos Combustíveis... 3 4. Requisitos de qualidade e especificação... 3 4.1. Principais características de

Leia mais

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-50

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-50 DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-50 1) O que são os Diesel S-50 e S-10? Significa Diesel de Baixo Teor de Enxofre. Aqui no Brasil são dois os tipos que serão utilizados em veículos: o S-50 e o S-10.

Leia mais

OS IMPACTOS DA MÁ QUALIDADE DO ÓLEO DIESEL BRASILEIRO

OS IMPACTOS DA MÁ QUALIDADE DO ÓLEO DIESEL BRASILEIRO OS IMPACTOS DA MÁ QUALIDADE DO ÓLEO DIESEL BRASILEIRO OS IMPACTOS DA MÁ QUALIDADE DO ÓLEO DIESEL BRASILEIRO Os impactos da má qualidade do óleo diesel brasileiro. Brasília : CNT, 2012. 28 p.: il. color.

Leia mais

Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer

Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer A DIFERENÇA ENTRE GASOLINA E DIESEL HISTÓRICO Gasolina e diesel são produtos do refino de petróleo cru, achado no seu estado natural no subsolo em várias partes do mundo. Já o petróleo cru é um fluído

Leia mais

Utilização do óleo vegetal em motores diesel

Utilização do óleo vegetal em motores diesel 30 3 Utilização do óleo vegetal em motores diesel O óleo vegetal é uma alternativa de combustível para a substituição do óleo diesel na utilização de motores veiculares e também estacionários. Como é um

Leia mais

Mudanças Tecnológicas para o setor de transporte t Novo perfil das frotas

Mudanças Tecnológicas para o setor de transporte t Novo perfil das frotas Mudanças Tecnológicas para o setor de transporte t Novo perfil das frotas Eduardo Boukai, 10 de novembro de 2011 Petrobras Distribuidora S.A - Marketing de transportes PROCONVE: HISTÓRICO Programa de Controle

Leia mais

Syndarma e ANP discutem o uso do biodiesel nos motores marítimos

Syndarma e ANP discutem o uso do biodiesel nos motores marítimos Syndarma e ANP discutem o uso do biodiesel nos motores marítimos O Sindicato Nacional das Empresas de Navegação Marítima - Syndarma, como representante de uma significativa parcela das empresas de navegação

Leia mais

BIODIESEL: UMA NOVA ENERGIA

BIODIESEL: UMA NOVA ENERGIA BIODIESEL: UMA NOVA ENERGIA Em 1859 havia sido descoberto petróleo na Pensilvânia tendo sido utilizado, principalmente, na produção de querosene para iluminação. O desenvolvimento da tecnologia para obtenção

Leia mais

Apresentação. Condicionamento & Manuseio. Agosto 2012

Apresentação. Condicionamento & Manuseio. Agosto 2012 Apresentação Condicionamento & Manuseio Agosto 2012 CONTEÚDO PROJETO ELO-s CONDICIONAMENTO & MANUSEIO ANEXO: CONDUTIVIDADE ELÉTRICA PROJETO ELO -s Eficiência Logística nas Operações de Movimentação e Armazenagem

Leia mais

Gasolina de Aviação Informações Técnicas

Gasolina de Aviação Informações Técnicas Informações Técnicas 1. Definição e Composição... 3 2. Aplicação... 3 2.1. Motor Ciclo Otto e o seu Funcionamento... 3 3. Tipos de GAV para consumo no Brasil... 4 4. Requisitos de qualidade... 4 4.1. Poder

Leia mais

Proteção Segurança Confiabilidade. tratamento multifuncional para geradores e motores industriais. Eliminação das bactérias e dos riscos de corrosão

Proteção Segurança Confiabilidade. tratamento multifuncional para geradores e motores industriais. Eliminação das bactérias e dos riscos de corrosão para geradores e motores industriais Proteção Segurança Confiabilidade Eliminação das bactérias e dos riscos de corrosão Diminuição dos custos de manutenção Fácil aplicação e ação prolongada Protege e

Leia mais

Manual Do Usuário. Monogás Tester. MonoGás Nº. PLANATC Tecnologia Eletrônica Automotiva Ltda Certificado de Garantia.

Manual Do Usuário. Monogás Tester. MonoGás Nº. PLANATC Tecnologia Eletrônica Automotiva Ltda Certificado de Garantia. Certificado de Garantia. Modelo Controle MonoGás Nº A Planatc Tecnologia Eletrônica Automotiva Ltda garante o equipamento adquirido contra possíveis defeitos de fabricação pelo período de 6 meses, a partir

Leia mais

Óleo Combustível. Informações Técnicas

Óleo Combustível. Informações Técnicas Informações Técnicas 1. Definição e composição... 3 2. Principais aplicações... 3 2.1. Sistemas de combustão de óleo combustível... 3 3. Tipos de óleos combustíveis... 4 4. Requisitos de qualidade e especificação...

Leia mais

Potência. Durabilidade. Confiabilidade. tratamento multifuncional para máquinas pesadas. Eliminação das bactérias e dos riscos de corrosão

Potência. Durabilidade. Confiabilidade. tratamento multifuncional para máquinas pesadas. Eliminação das bactérias e dos riscos de corrosão para máquinas pesadas Potência Durabilidade Confiabilidade Eliminação das bactérias e dos riscos de corrosão Diminuição dos custos de manutenção Fácil aplicação e ação prolongada Protege e restaura a performance

Leia mais

Querosene de Aviação Informações Técnicas

Querosene de Aviação Informações Técnicas Informações Técnicas A Assistência Técnica Petrobras tem por objetivo prestar suporte técnico aos clientes, com foco na adequação ao uso e corretos manuseio, condicionamento e armazenagem dos produtos

Leia mais

O programa baseia-se nas Portarias e Resoluções números: (há outras normas referentes ao assunto, como por exemplo:

O programa baseia-se nas Portarias e Resoluções números: (há outras normas referentes ao assunto, como por exemplo: Controles de Qualidade 1. Objetivo Padronizar os procedimentos relativos aos Testes Mínimos de Controle de Qualidade necessários para a garantia das especificações dos produtos comercializados durante

Leia mais

MANTENHA O ÓLEO DIESEL RODOVIÁRIO ( B S500/ B S10 ) LIMPO E SECO

MANTENHA O ÓLEO DIESEL RODOVIÁRIO ( B S500/ B S10 ) LIMPO E SECO 1 de 10 Material particulado sólido, água e outros contaminantes podem causar danos aos sistemas de injeção dos motores de combustão interna Ciclo Diesel 4T de equipamentos móveis, dos tanques de armazenamento

Leia mais

Manutenção e Combustível Adequados Garantia da Durabilidade de Emissões? PAP 0070

Manutenção e Combustível Adequados Garantia da Durabilidade de Emissões? PAP 0070 Manutenção e Combustível Adequados Garantia da Durabilidade de Emissões? PAP 0070 Tadeu Cavalcante Cordeiro de Melo Rogério Nascimento de Carvalho Ricardo Almeida Barbosa de Sá Mauri José Baldini Cardoso

Leia mais

Ainda em busca de respostas

Ainda em busca de respostas biodiesel GASOLINA Ainda em busca de respostas Quando o percentual de biodiesel adicionado ao diesel passou de 4% (B4) para 5% (B5), no início de 2010, ninguém imaginava o impacto que esse mero um ponto

Leia mais

Perguntas mais Frequentes

Perguntas mais Frequentes Perguntas mais Frequentes 1. O que significa PROCONVE fases P7 e L6? PROCONVE é o Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores, criado pelo conselho Nacional de Meio Ambiente - CONAMA.

Leia mais

A experiência da IVECO na substituição do diesel em veículos pesados

A experiência da IVECO na substituição do diesel em veículos pesados A experiência da IVECO na substituição do diesel em veículos pesados Uma parceria IVECO, FPT, BOSCH e RAIZEN Fabio Nicora IVECO - Innovation T&B LATAM (IVECO) 21 de Novembro 2013 VISÃO DO FUTURO ABORDAGEM

Leia mais

DICAS VOLVO. Olho Vivo no Diesel. olá! nesta edição, vamos falar sobre a qualidade do combustível que você usa no seu Volvo!

DICAS VOLVO. Olho Vivo no Diesel. olá! nesta edição, vamos falar sobre a qualidade do combustível que você usa no seu Volvo! Veja outras dicas legais nos DICAS DA VOLVO: Número 2 - Manutenção das unidades injetoras E Número 12 - Direção econômica! Depois de tudo isso... Será que vale mesmo a pena economizar alguns centavos usando

Leia mais

USO DE ÓLEO VEGETAL in natura COMO COMBUSTÍVEL PARA MOTORES DIESEL

USO DE ÓLEO VEGETAL in natura COMO COMBUSTÍVEL PARA MOTORES DIESEL USO DE ÓLEO VEGETAL in natura COMO COMBUSTÍVEL PARA MOTORES DIESEL SITUAÇÃO CRÍTICA DA QUALIDADE DO AR ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAUDE TEOR DE ENXOFRE CONTIDO NO DIESEL Emissão de partículas finas (fumaça)

Leia mais

Aqui você encontrará dicas para manutenção preventiva de seu carro, para que este esteja sempre em ordem.

Aqui você encontrará dicas para manutenção preventiva de seu carro, para que este esteja sempre em ordem. Aqui você encontrará dicas para manutenção preventiva de seu carro, para que este esteja sempre em ordem. É importante ressaltar a realização da manutenção preventiva, além prevenir reparos inesperados,

Leia mais

ESTUDO DO IMPACTO DA ADIÇÃO DO BIODIESEL DE MAMONA AO ÓLEO DIESEL MINERAL SOBRE A PROPRIEDADE VISCOSIDADE CINEMÁTICA

ESTUDO DO IMPACTO DA ADIÇÃO DO BIODIESEL DE MAMONA AO ÓLEO DIESEL MINERAL SOBRE A PROPRIEDADE VISCOSIDADE CINEMÁTICA ESTUDO DO IMPACTO DA ADIÇÃO DO BIODIESEL DE MAMONA AO ÓLEO DIESEL MINERAL SOBRE A PROPRIEDADE VISCOSIDADE CINEMÁTICA Ana Carolina de Sousa Maia 1 ; Jonathan da Cunha Teixeira 2 ; Suzana Moreira de Lima

Leia mais

I. INTRODUÇÃO III. MATERIAL E MÉTODOS. A. Amostras Utilizadas no Processo de Conversão a Baixa Temperatura

I. INTRODUÇÃO III. MATERIAL E MÉTODOS. A. Amostras Utilizadas no Processo de Conversão a Baixa Temperatura Geração de Energia Elétrica a partir de Combustível Inovador Proveniente da Conversão a Baixa Temperatura de Biomassas e Resíduos e Análise de Desempenho em Motores R.G. Pereira 1 ; G. A. Romeiro 2 ; R.

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO SISTEMA HÍBRIDO HIDRÁULICO NOS VEÍCULOS COMERCIAIS RESUMO

UTILIZAÇÃO DO SISTEMA HÍBRIDO HIDRÁULICO NOS VEÍCULOS COMERCIAIS RESUMO UTILIZAÇÃO DO SISTEMA HÍBRIDO HIDRÁULICO NOS VEÍCULOS COMERCIAIS Luis Eduardo Machado¹ Renata Sampaio Gomes ² Vanessa F. Balieiro ³ RESUMO Todos sabemos que não é possível haver regressão nas tecnologias

Leia mais

Novo Marco Regulatório do Etanol Combustível no Brasil. Rita Capra Vieira Superintendência de Biocombustíveis e Qualidade de Produtos - ANP

Novo Marco Regulatório do Etanol Combustível no Brasil. Rita Capra Vieira Superintendência de Biocombustíveis e Qualidade de Produtos - ANP Novo Marco Regulatório do Etanol Combustível no Brasil Rita Capra Vieira Superintendência de Biocombustíveis e Qualidade de Produtos - ANP Novembro de 2011 Evolução dos Biocombustíveis no Brasil 1973 Primeira

Leia mais

Princípios de Funcionamento do Filtro de do Combustível

Princípios de Funcionamento do Filtro de do Combustível 10 Princípios Princípios de Funcionamento do Sistema de Filtração de Combustível O sistema de alimentação de combustível tem a finalidade de conduzir o combustível, do tanque até a camara de combustão,

Leia mais

M a n u a l d o M e c â n i c o

M a n u a l d o M e c â n i c o M a n u a l d o M e c â n i c o folder2.indd 1 20/11/2009 14 12 35 Manual do Mecânico GNV GÁS NATURAL VEICULAR Entenda o GNV e saiba quais os cuidados necessários para a manutenção de veículos que utilizam

Leia mais

USO DE ÓLEO BRUTO DE GIRASSOL EM MOTOR DIESEL

USO DE ÓLEO BRUTO DE GIRASSOL EM MOTOR DIESEL USO DE ÓLEO BRUTO DE GIRASSOL EM MOTOR DIESEL José Valdemar Gonzalez Maziero; Ila Maria Corrêa Centro APTA de Engenharia e Automação A retomada de estudos sobre o uso de óleos vegetais como combustível,

Leia mais

Mecanização. Cuidados Básicos de Manutenção do Trator de Rodas

Mecanização. Cuidados Básicos de Manutenção do Trator de Rodas 1 de 6 10/16/aaaa 11:40 Mecanização Cuidados Básicos de Manutenção do Trator de Rodas Cuidados básicos de Nome Manutenção do Trator de Rodas Produto Informação Tecnológica Data Abril - 2000 Preço - Linha

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS RESOLUÇÃO N 46, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2012 (*)

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS RESOLUÇÃO N 46, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2012 (*) ANO CXLIX Nº 249 Brasília DF, quinta-feira, 27 de dezembro de 2012 pág 232 e 233 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS RESOLUÇÃO N 46, DE 20 DE DEZEMBRO

Leia mais

AVALIAÇÃO DAS PROPRIEDADES FÍSICOQUÍMICAS DO DIESEL APÓS ADIÇÃO DO BIODIESEL EM DIFERENTES PROPORÇÕES

AVALIAÇÃO DAS PROPRIEDADES FÍSICOQUÍMICAS DO DIESEL APÓS ADIÇÃO DO BIODIESEL EM DIFERENTES PROPORÇÕES AVALIAÇÃO DAS PROPRIEDADES FÍSICOQUÍMICAS DO DIESEL APÓS ADIÇÃO DO BIODIESEL EM DIFERENTES PROPORÇÕES. Tatyane Medeiros Gomes da Silva 1, Luciene da Silva Santos 1 ; Lorena Silva Querino da Rocha 1 ; Anne

Leia mais

XIII CONGRESSO DOS REVENDEDORES DE COMBUSTÍVEIS DE MINAS GERAIS. ANP - Regulação no setor de combustíveis

XIII CONGRESSO DOS REVENDEDORES DE COMBUSTÍVEIS DE MINAS GERAIS. ANP - Regulação no setor de combustíveis XIII CONGRESSO DOS REVENDEDORES DE COMBUSTÍVEIS DE MINAS GERAIS ANP - Regulação no setor de combustíveis Aurélio Amaral Superintendência de Abastecimento Abril de 2013 O que é a ANP A Agência Nacional

Leia mais

VOLVO BUS latin america. ônibus volvo. qualidade de vida no transporte. www.volvo.com/onibus

VOLVO BUS latin america. ônibus volvo. qualidade de vida no transporte. www.volvo.com/onibus VOLVO BUS latin america ônibus volvo. qualidade de vida no transporte www.volvo.com/onibus EURO 5 ou PROCONVE FASE 7 é uma legislação ambiental, aplicada a caminhões e ônibus, com o objetivo de reduzir

Leia mais

Evitar problemas com a gasolina

Evitar problemas com a gasolina Evitar problemas com a gasolina Que tipo de combustível devo usar no meu motor a gasolina? A maioria dos motores a gasolina é projetada e certificada para funcionar com gasolina sem chumbo normal com um

Leia mais

PROCONVE P7. Seminário sobre Emissões de Veículos a Diesel. As Tecnologias Necessárias. Ações para Atendimento aos Novos Limites do Proconve Fase 7

PROCONVE P7. Seminário sobre Emissões de Veículos a Diesel. As Tecnologias Necessárias. Ações para Atendimento aos Novos Limites do Proconve Fase 7 Seminário sobre Emissões de Veículos a Diesel Ações para Atendimento aos Novos Limites do Proconve Fase 7 As Tecnologias Necessárias Luso Martorano Ventura São Paulo, 27 de outubro de 2009 Conteúdo Evolução

Leia mais

Disciplina: Motores a Combustão Interna. Combustível

Disciplina: Motores a Combustão Interna. Combustível Disciplina: Motores a Combustão Interna Combustível Octanagem e Número de Cetano O número de cetano, índice de cetano ou NC é um indicador da velocidade de combustão do combustível diesel e da compressão

Leia mais

INTRODUÇÃO. Parabéns pela sua escolha.

INTRODUÇÃO. Parabéns pela sua escolha. WWW.POWERCAR.COM.BR INTRODUÇÃO Parabéns pela sua escolha. O Módulo Power Flex é um sofisticado conversor de combustível micro processado para veículos. Ele foi desenvolvido especialmente para oferecer

Leia mais

O Petróleo é um fonte de energia não renovável, e no momento uma das maiores fontes de energia para a humanidade.

O Petróleo é um fonte de energia não renovável, e no momento uma das maiores fontes de energia para a humanidade. PETRÓLEO Atualmente o Petróleo é um dos recursos naturais de que a nossa sociedade mais depende, pois diversos produtos que conhecemos e utilizamos são derivados desse combustível que move o mundo. O Petróleo

Leia mais

MOTORES FLEX. Tadeu Cavalcante Cordeiro de Melo, M.Sc. Aluno de doutorado do PEM - COPPE. novembro de 2011 palestra para a UFRJ

MOTORES FLEX. Tadeu Cavalcante Cordeiro de Melo, M.Sc. Aluno de doutorado do PEM - COPPE. novembro de 2011 palestra para a UFRJ MOTORES FLEX Tadeu Cavalcante Cordeiro de Melo, M.Sc. Aluno de doutorado do PEM - COPPE novembro de 2011 palestra para a UFRJ FLEX FUEL BRASILEIRO Etanol hidratado (H100), gasolina (E18-E25) ou qualquer

Leia mais

Regulação Mercado de Solventes 6º EBDQUIM

Regulação Mercado de Solventes 6º EBDQUIM Regulação Mercado de Solventes 6º EBDQUIM Bahia, março 2012 Rubens Cerqueira FREITAS, M.Sc. Superintendência de Abastecimento - SAB Sistema Nacional de Abastecimento de Solventes Produtor Importador Distribuidor

Leia mais

Plano de Abastecimento do Novo Diesel S50 e S10

Plano de Abastecimento do Novo Diesel S50 e S10 Plano de Abastecimento do Novo Diesel S50 e S10 ALLAN KARDEC DUAILIBE Diretor Anfavea 30 de Maio, 2011 Sistema Nacional de Abastecimento de Combustíveis Produtor de Biodiesel e Etanol Produtor de GNV,

Leia mais

REFERÊNCIA RÁPIDA PARA MANUTENÇÃO

REFERÊNCIA RÁPIDA PARA MANUTENÇÃO REFERÊNCIA RÁPIDA PARA MANUTENÇÃO AERONAVE EMB-202A IPANEMA Principais Cuidados com a Aeronave ASSISTÊNCIA TÉCNICA 2009 EMBRAER / NEIVA ATENÇÃO ESTE GUIA NÃO É UMA PUBLICAÇÃO TÉCNICA E, PORTANTO, NÃO CONSTITUI

Leia mais

O uso de combustíveis alternativos na aviação civil. WorkShop para Representantes Credenciados da Autoridade de Aviação Civil - 2011 (1º Semestre)

O uso de combustíveis alternativos na aviação civil. WorkShop para Representantes Credenciados da Autoridade de Aviação Civil - 2011 (1º Semestre) O uso de combustíveis alternativos na aviação civil WorkShop para Representantes Credenciados da Autoridade de Aviação Civil - 2011 (1º Semestre) Roteiro Visão geral Certificação Considerações finais Visão

Leia mais

PROCONVE. As Fases Passadas e Futuras

PROCONVE. As Fases Passadas e Futuras PROCONVE (PROGRAMA DE CONTROLE DA POLUIÇÃO DO AR POR VEÍCULOS AUTOMOTORES) As Fases Passadas e Futuras Henry Joseph Jr Comissão de Energia e Meio Ambiente ANFAVEA Seminário sobre Emissões de Veículos Diesel

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS Aditivação dos combustíveis Face a alguma informação menos precisa que ultimamente tem sido veiculada sobre a qualidade dos combustíveis comercializados em

Leia mais

O Diesel e o Motor Í N D I C E. Introdução

O Diesel e o Motor Í N D I C E. Introdução 1 O Diesel e o Motor Introdução Í N D I C E Propriedades Listadas pelos seus Efeitos Funcionais: Peso Específico Lubrificação e Capacidade de Ser Bombeado: Viscosidade Ponto de Névoa Ponto de Fluidez Contaminantes

Leia mais

Quem somos: Atuando há 15 anos no mercado brasileiro, - Inicialmente importando os produtos acabados dos EUA, posteriormente, envasando.

Quem somos: Atuando há 15 anos no mercado brasileiro, - Inicialmente importando os produtos acabados dos EUA, posteriormente, envasando. Linha Agrícola Quem somos: Atuando há 15 anos no mercado brasileiro, - Inicialmente importando os produtos acabados dos EUA, posteriormente, envasando. - Há mais de 10 anos produz no Brasil todos os produtos,

Leia mais

Atuação da ANP diante da legislação ambiental e dos novos combustíveis. III Seminário Internacional Frotas & Fretes Verdes Novembro 2014

Atuação da ANP diante da legislação ambiental e dos novos combustíveis. III Seminário Internacional Frotas & Fretes Verdes Novembro 2014 Atuação da ANP diante da legislação ambiental e dos novos combustíveis III Seminário Internacional Frotas & Fretes Verdes Novembro 2014 1 Cenário Atual Poluição Local e Legislação Ambiental Óleo Diesel

Leia mais

DICAS PARA OPERAÇÃO DE POSTOS DE COMBUSTÍVEIS.

DICAS PARA OPERAÇÃO DE POSTOS DE COMBUSTÍVEIS. DICAS PARA OPERAÇÃO DE POSTOS DE COMBUSTÍVEIS. Nosso dia a dia é feito de escolhas e o resultado delas é o que vai definir o quanto somos bem-sucedidos nas nossas ações. Como você sabe, a venda de combustíveis

Leia mais

Produção de Óleos Lubrificantes. Refinaria Duque de Caxias

Produção de Óleos Lubrificantes. Refinaria Duque de Caxias Produção de Óleos Lubrificantes Refinaria Duque de Caxias Roteiro Apresentação Classificação de Óleos Básicos Lubrificantes Parafínicos Rota Solvente Produção de Básicos na Petrobras Produção de Básicos

Leia mais

Motores de Combustão Interna - MCI

Motores de Combustão Interna - MCI Motores de Combustão Interna - MCI Eng. Nauberto R. Pinto Colaboração: Camila R. de Lacerda 29/01/2016 1 Elementos da Combustão 2 Classificação dos motores quanto ao tipo de combustão: Motores de Combustão

Leia mais

PROPORÇÃO IDEAL DE BIODIESEL

PROPORÇÃO IDEAL DE BIODIESEL PROPORÇÃO IDEAL DE BIODIESEL Vicente Pimenta São Paulo 17/08/2011 vicente.pimenta@delphi.com 1 Considerações inicias 2 Há uma clara procura, em nível global, pela substituição dos combustíveis fósseis

Leia mais

Fração. Página 2 de 6

Fração. Página 2 de 6 1. (Fgv 2014) De acordo com dados da Agência Internacional de Energia (AIE), aproximadamente 87% de todo o combustível consumido no mundo são de origem fóssil. Essas substâncias são encontradas em diversas

Leia mais

EBDQUIM 2014. Abastecimento de Derivados e Biocombustíveis. Distribuição Missão e Valores. Aurélio Amaral Superintendência de Abastecimento

EBDQUIM 2014. Abastecimento de Derivados e Biocombustíveis. Distribuição Missão e Valores. Aurélio Amaral Superintendência de Abastecimento EBDQUIM 2014 Abastecimento de Derivados e Biocombustíveis Distribuição Missão e Valores Aurélio Amaral Superintendência de Abastecimento 19 de Março de 2014 Atividades da ANP Números do Setor de Petróleo

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO WCV EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS AL. DOS ANAPURUS, 1939 MOEMA - SÃO PAULO BRASIL

MANUAL DE OPERAÇÃO WCV EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS AL. DOS ANAPURUS, 1939 MOEMA - SÃO PAULO BRASIL MANUAL DE OPERAÇÃO WCV EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS AL. DOS ANAPURUS, 1939 MOEMA - SÃO PAULO BRASIL TEL/FAX (11) 5535-7200 / 5531-5945 / 5531-8784 / 5535-0038 Visite nosso site: http://www.wcv.com.br e-mail:

Leia mais

Jornada de Trabalho: 44 horas semanais. Repouso remunerado por escala de revezamento

Jornada de Trabalho: 44 horas semanais. Repouso remunerado por escala de revezamento O Profissional Postos Combustíveis FRENTISTA Requisito de escolaridade para exercício da função: Mínimo: Ensino fundamental completo; Comum: Ensino médio em curso; Desejável: estudantes universitários.

Leia mais

Qualidade do etanol puro e em misturas

Qualidade do etanol puro e em misturas ETHANOL SUMMIT São Paulo 4 a 5 de junho de 2007 Qualidade do etanol puro e em misturas ESPECIFICAÇÕES DO ETANOL Sergio A. M. Fontes Petrobras-Marketing-Soluções Comerciais O que é uma especificação? São

Leia mais

Vegetais em. Restaurante. Management of the Use of Vegetable Oils. in Order to Restaurant Cleaner Production

Vegetais em. Restaurante. Management of the Use of Vegetable Oils. in Order to Restaurant Cleaner Production Gestão do Uso de Óleos Vegetais em Restaurante Visando a Produção Mais Limpa Management of the Use of Vegetable Oils in Order to Restaurant Cleaner Production Rosana de C. de S. Schneider, Eder dos Santos,

Leia mais

Depuração das aguas residuais provenientes da plantas de tratamento das superficies. Gianfranco Verona

Depuração das aguas residuais provenientes da plantas de tratamento das superficies. Gianfranco Verona Depuração das aguas residuais provenientes da plantas de tratamento das superficies Gianfranco Verona DESCARTE ZERO NUMA CABINE DE PINTURA SKIMMERFLOT Para o tratamento e a reutilização de águas provenientes

Leia mais

MANUAL TÉCNICO DIESEL S-10. Manuseio Armazenagem Abastecimento

MANUAL TÉCNICO DIESEL S-10. Manuseio Armazenagem Abastecimento MANUAL TÉCNICO DIESEL S-10 Manuseio Armazenagem Abastecimento O novo óleo Diesel S-10 da Petrobras, disponível a partir de janeiro de 2013, com teor máximo de enxofre de 10mg/kg (ppm = partes por milhão)

Leia mais

Estação de armazenagem de óleo

Estação de armazenagem de óleo Estação de armazenagem de óleo Modernize a sua armazenagem e práticas de manuseio de óleo O Poder do Conhecimento em Engenharia Modernize a sua armazenagem e práticas de manuseio de óleo Estação de armazenagem

Leia mais

Medida Provisória 532/2011

Medida Provisória 532/2011 Ciclo de palestras e debates Agricultura em Debate Medida Provisória 532/2011 Manoel Polycarpo de Castro Neto Assessor da Diretoria da ANP Chefe da URF/DF Maio,2011 Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural

Leia mais

DETERMINAÇÃO DO TEOR DE ÁLCOOL NA GASOLINA DE POSTOS DE COMBUSTÍVEL DA ZONA OESTE DO MUNICÍPIO DE CAMPINA GRANDE-PB

DETERMINAÇÃO DO TEOR DE ÁLCOOL NA GASOLINA DE POSTOS DE COMBUSTÍVEL DA ZONA OESTE DO MUNICÍPIO DE CAMPINA GRANDE-PB DETERMINAÇÃO DO TEOR DE ÁLCOOL NA GASOLINA DE POSTOS DE COMBUSTÍVEL DA ZONA OESTE DO MUNICÍPIO DE CAMPINA GRANDE-PB Matias de Assis MEDEIROS 1, Emília de Farias LUCENA 1, Vitória de Andrade FREIRE 1, Wanda

Leia mais

GASOLINA. Manual Técnico GASOLINA

GASOLINA. Manual Técnico GASOLINA Manual Técnico GASOLINA Uma nova era em combustíveis, uma era de combustíveis de Ultra Baixo Teor de Enxofre (UBTE). A nova Gasolina S-50 Petrobras, disponível em todo o território nacional a partir de

Leia mais

PRESERVAR O MEIO AMBIENTE UMA MISSÃO DE TODOS NÓS

PRESERVAR O MEIO AMBIENTE UMA MISSÃO DE TODOS NÓS PRESERVAR O MEIO AMBIENTE UMA MISSÃO DE TODOS NÓS Meio Ambiente Tudo que está a nossa volta: todas as formas de vida e todos os elementos da natureza. Ecologia Ciência que estuda a relação dos seres vivos

Leia mais

Nova Regulamentação para o setor de Combustíveis

Nova Regulamentação para o setor de Combustíveis Nova Regulamentação para o setor de Combustíveis Cristiane Zulivia de Andrade Monteiro Superintendente-Adjunta de Biocombustíveis e Qualidade de Produtos, Junho 2012 Superintendência de Biocombustíveis

Leia mais

Papel dos biocombustíveis na matriz energética brasileira

Papel dos biocombustíveis na matriz energética brasileira Papel dos biocombustíveis na matriz energética brasileira Agenda Arcabouço Legal Panorama Brasil o Matriz Energética Brasileira o Biodiesel o Etanol o Novos Biocombustíveis Comentários Finais Arcabouço

Leia mais

Unidade 1. Tanques. Em grandes quantidades para garantir o suprimento das plantas

Unidade 1. Tanques. Em grandes quantidades para garantir o suprimento das plantas Unidade 1 O bserve a foto e leia o texto. Finalidades Os tanques armazenam os diversos produtos envolvidos na produção em uma unidade de processo, da pressão atmosférica até baixas pressões (aproximadamente

Leia mais

GNV. Combustível de baixo impacto ambiental para frotas de Táxis.

GNV. Combustível de baixo impacto ambiental para frotas de Táxis. GNV Combustível de baixo impacto ambiental para frotas de Táxis. REUNIÃO DE ESPECIALISTAS SOBRE TRANSPORTE URBANO SUSTENTÁVEL MODERNIZAR E TORNAR ECOLÓGICA A FROTA DE TÁXIS NAS CIDADES LATINO AMERICANAS

Leia mais

III - ANEXO I e ANEXO II (Conforme Resolução CONAMA n. 273/2000)

III - ANEXO I e ANEXO II (Conforme Resolução CONAMA n. 273/2000) III - ANEXO I e ANEXO II (Conforme Resolução CONAMA n. 273/2000) 1. IDENTIFICAÇÃO DO RESPONSÁVEL PELO EMPREENDIMENTO Nome: Endereço: CEP: CPF: RG: e-mail: 2. IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDIMENTO Nome Fantasia:

Leia mais

Entupimento em Bicos Queimadores O produto SAFE 405 mantém os bicos queimadores sempre limpos, evitando entupimentos indesejados.

Entupimento em Bicos Queimadores O produto SAFE 405 mantém os bicos queimadores sempre limpos, evitando entupimentos indesejados. JohnsonDiversey SAFE 405 Aditivo para óleos combustíveis. Anti-corrosivo Evita o processo corrosivo em tanques de armazenagem de óleo tipo BPF. Com a melhora da queima do combustível, reduz a quantidade

Leia mais

MANUAL TÉCNICO DIESEL S-10

MANUAL TÉCNICO DIESEL S-10 MANUAL TÉCNICO DIESEL S-10 O novo óleo Diesel S-10 Petrobras, disponível a partir de janeiro de 2013, com teor máximo de enxofre de 10mg/kg (ppm = partes por milhão) foi desenvolvido para atender aos requisitos

Leia mais

TOMO II SUMÁRIO DO ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL EIA

TOMO II SUMÁRIO DO ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL EIA TOMO II SUMÁRIO DO ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL EIA 5. IDENTIFICAÇÃO E AVALIAÇÃO DOS IMPACTOS AMBIENTAIS 5.1 5.1. METODOLOGIA 5.1 5.2. IDENTIFICAÇÃO DOS IMPACTOS AMBIENTAIS 5.3 5.3. DESCRIÇÃO DOS IMPACTOS

Leia mais

Bomba injetora: todo cuidado é pouco

Bomba injetora: todo cuidado é pouco Bomba injetora: todo cuidado é pouco Bomba injetora: todo cuidado é pouco Veja como identificar os problemas da bomba injetora e retirá-la corretamente em casos de manutenção Carolina Vilanova A bomba

Leia mais

lubrificantes e combustíveis

lubrificantes e combustíveis lubrificantes e combustíveis Lubrificantes A lubrificação é um dos principais itens de manutenção de máquinas agrícolas e deve ser entendida e praticada para aumento da vida útil das mesmas,devido se tornarem

Leia mais

ENERGIA VERDE 36 CIÊNCIAHOJE VOL. 48 285 FOTO DE REUTERS/PAULO WHITAKER

ENERGIA VERDE 36 CIÊNCIAHOJE VOL. 48 285 FOTO DE REUTERS/PAULO WHITAKER ENERGIA VERDE FOTO DE REUTERS/PAULO WHITAKER Lílian Lefol Nani Guarieiro Centro Integrado de Manufatura e Tecnologia (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), Instituto de Química (Universidade Federal

Leia mais

Veja aqui as orientações para o manuseio do Diesel S-10. Sistema SCR. Arla 32. Motores P7 / L6. Sistema EGR

Veja aqui as orientações para o manuseio do Diesel S-10. Sistema SCR. Arla 32. Motores P7 / L6. Sistema EGR MANUAL TÉCNICO O novo óleo Diesel S-10 Petrobras, disponível a partir de janeiro de 2013, com teor máximo de enxofre de 10mg/kg (ppm = partes por milhão) foi desenvolvido para atender aos requisitos da

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS RESOLUÇÃO ANP Nº 1, DE 6.1.2014 - DOU 7.1.2014 RETIFICADA DOU 15.4.

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS RESOLUÇÃO ANP Nº 1, DE 6.1.2014 - DOU 7.1.2014 RETIFICADA DOU 15.4. AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS RESOLUÇÃO ANP Nº 1, DE 6.1.2014 - DOU 7.1.2014 RETIFICADA DOU 15.4.2014 A DIRETORIA-GERAL da AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS

Leia mais

Mercado Irregular de Combustíveis Evolução Recente

Mercado Irregular de Combustíveis Evolução Recente Fórum Nacional de Secretários rios de Estado para Assuntos de Energia Mercado Irregular de Combustíveis Evolução Recente Alisio Vaz Vice-Presidente Executivo Rio de Janeiro 29 de outubro de 2009 SINDICOM

Leia mais

SISTEMAS DE PISO EPOXI

SISTEMAS DE PISO EPOXI SISTEMAS DE PISO EPOXI PRODUTO DESCRIÇÃO VEC-601 TUBOFLOOR TEE-556 AUTONIVELANTE Selador epóxi de dois componentes de baixa viscosidade. Revestimento epóxi com adição de sílica para regularização de pisos.

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ - CAMPUS CURITIBA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS AMBIENTAIS

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ - CAMPUS CURITIBA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS AMBIENTAIS UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ - CAMPUS CURITIBA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS AMBIENTAIS RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Carlo Cassiano Mazeto CURITIBA Agosto/2013 CARLO CASSIANO

Leia mais

Allan Kardec Duailibe Diretor

Allan Kardec Duailibe Diretor Allan Kardec Duailibe Diretor Audiência Pública Câmara dos Deputados Comissão de Minas e Energia 25 de Maio, 2011 A POLÍTICA DOS BIOCOMBUSTÍVEIS NO BRASIL Objetivos definidos na Lei n º 9.478/97: Alargar

Leia mais

Motores de Combustão Interna MCI

Motores de Combustão Interna MCI Motores de Combustão Interna MCI Aula 3 - Estudo da Combustão Componentes Básicos dos MCI Combustão Combustão ou queima é uma reação química exotérmica entre um substância (combustível) e um gás (comburente),

Leia mais

Motores Térmicos. 9º Semestre 5º ano

Motores Térmicos. 9º Semestre 5º ano Motores Térmicos 9º Semestre 5º ano 22 Motores Alternativos - Tópicos Introdução Óleos Vegetais In Natura Biodiesel Etanol C 2 H 6 O Metanol CH 4 O Propano Gás Natural Comprimido (CNG) Veículos eléctricos

Leia mais

OS CARROS FLEX FUEL NO BRASIL

OS CARROS FLEX FUEL NO BRASIL OS CARROS FLEX FUEL NO BRASIL PAULO CÉSAR RIBEIRO LIMA Consultor Legislativo da Área XII Recursos Minerais, Hídricos e Energéticos MARÇO/2009 Paulo César Ribeiro Lima 2 SUMÁRIO 1. Introdução...3 2. Histórico...3

Leia mais

Bombas de Vácuo e Compressores de Anel Líquido para Produção de Etanol & Biodiesel

Bombas de Vácuo e Compressores de Anel Líquido para Produção de Etanol & Biodiesel Bombas de Vácuo e Compressores de Anel Líquido para Produção de Etanol & Biodiesel para produção de Etanol & Biodiesel Sistemas projetados por Gardner Denver Nash Os Sistemas de vácuo e compressão Gardner

Leia mais