Plano Indusprev SENAI-SP CONTEÚDO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Plano Indusprev SENAI-SP CONTEÚDO"

Transcrição

1

2 CONTEÚDO 1. Do Objeto Das Definições Do Tempo de Serviço Dos Participantes Das Contribuições e das Disposições Financeiras Das Contas de Participantes Dos Benefícios Da Divulgação Das Alterações e da Liquidação do Plano Das Disposições Gerais Das Disposições Transitórias

3 O SENAI-SP Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo, denominada Patrocinadora, doravante ajusta alterar os Planos de Benefícios denominados Indusprev SENAI/SP, cadastrado junto a MPAS sob o cód e Indusprev II SENAI/SP, cadastrado junto a MPAS sob o cód , adotando-se a modalidade de Plano Misto, mediante cláusulas e condições do presente Regulamento do Plano Indusprev SENAI/SP, CNPB nº , consolidando e substituindo os Regulamentos dos citados Planos, mediante absorção terminativa destes. 1 Do Objeto 1.1 Este Regulamento estabelece os direitos e as obrigações da Patrocinadora, dos Participantes e dos Beneficiários em relação ao Plano INDUSPREV SENAI/SP, CNPB nº Conforme as disposições previstas neste documento, o presente Regulamento contém o Plano de Benefícios aplicável a todos os empregados da Patrocinadora inscritos no referido Plano, observado o disposto no Capítulo XI. 3

4 2 Das Definições Neste Regulamento, as expressões, palavras, abreviações ou siglas abaixo terão o seguinte significado, a menos que o contexto indique claramente outro sentido. Estes termos aparecerão no texto com a primeira letra maiúscula e o masculino incluirá o feminino e o singular incluirá o plural, e vice-versa, a menos que o contexto indique o contrário. 2.1 "Administração da Sociedade": significará o órgão responsável pela administração da Sociedade. 2.2 "Atuarialmente Equivalente": significará o valor mensal equivalente ao Saldo de Conta Aplicável, calculado com base nas taxas de juros, de mortalidade e em outras taxas e tabelas adotadas para tais propósitos, em vigor na data em que tal cálculo seja feito, conforme definido pelo Atuário. 2.3 Atuário": significará a pessoa física ou jurídica contratada pela Patrocinadora com o propósito de conduzir avaliações atuariais e prestar serviços de consultoria atuarial e correlatos, quando necessário, para fins de manutenção do Plano de Benefícios. O Atuário contratado, em qualquer ocasião, deverá ser uma pessoa física que seja membro do Instituto Brasileiro de Atuária ou uma pessoa jurídica da qual conste, em seu quadro de profissionais, um membro do mesmo Instituto. 2.4 Autopatrocínio ou Manutenção de Inscrição : significará a possibilidade de o Participante manter o valor de sua Contribuição e a da Patrocinadora, conforme previsto no Capítulo IV. 4

5 2.5 Beneficiário": significará o Viúvo ou a Viúva e o Órfão de Participante falecido. Será cancelada a elegibilidade do Beneficiário que perder a qualidade de dependente perante a Previdência Social, ou que falecer ou, no caso de Órfão, que venha a atingir os limites de idade aplicáveis, previstos neste Regulamento ou que se recuperar, se anteriormente inválido. 2.6 Beneficiário Designado": significará qualquer pessoa física inscrita pelo Participante, para os casos especificamente previstos neste Regulamento. A inscrição do Beneficiário Designado poderá ser alterada a qualquer tempo, por escrito, em formulário próprio fornecido pela Sociedade, observando-se a legislação aplicável. 2.7 Benefício Acumulado": significará o valor do Benefício aplicável na Data Efetiva do Plano, referente ao Regulamento do Plano I e ao Plano II, conforme estabelecido no Capítulo XI das Disposições Transitórias Benefício Mínimo Saldado : significará o valor do Benefício Mínimo proporcional, referente ao direito acumulado do Participante e calculado conforme estabelecido no Capítulo XI - Das Disposições Transitórias. 2.8 Benefício Hipotético : significará o Benefício Hipotético do Plano I, referenciado no Capítulo XI deste Regulamento, que será calculado no mês de fevereiro de 2004, e equivalerá ao benefício de Complementação de Aposentadoria por Tempo de Serviço que lhe seria assegurado pelo Plano I, caso já tivesse reunido nessa data todas as condições para obtenção do benefício. No cálculo do Benefício Hipotético, serão consideradas, em substituição às disposições estabelecidas no Plano I, as seguintes regras: a) para efeito de apuração do Valor Básico (VB): será considerada a média das remunerações sobre as quais tenham efetivamente incidido as 5

6 contribuições da Patrocinadora no período compreendido entre o mês de fevereiro de 2003 e janeiro de 2004, excluído o 13º salário, corrigidas estas remunerações pelo INPC até o mês de janeiro de 2004, não prevalecendo os limites estabelecidos no item 5.5 do Regulamento do Plano I; a.1) os Participantes que, na Data Efetiva do Plano, haviam perdido o prazo previsto no parágrafo terceiro do item 2.6 do Regulamento do Plano I, terão seu Benefício calculado conforme previsto no item 5.5 daquele Regulamento, tendo suas remunerações limitadas em 3 (três) tetos da Previdência Oficial, vigente em janeiro de 2004; b) para efeito das representações simbólicas: b.1) (PBO): corresponderá à média de 80% (oitenta por cento) dos maiores salários-de-contribuição para a Previdência Social, relativamente ao Participante, no período de julho de 1994 a janeiro de 2004 corrigidos mês a mês pelo índice oficial da Previdência Social e, por último, a média obtida será corrigida pelo fator previdenciário ou, a partir da admissão do Participante na Patrocinadora, desde que mais recente, de acordo com a Lei 9876 de 29 de novembro de 1999, que dará entendimento aos detalhes não previstos neste Regulamento, independentemente se o Participante já estiver aposentado ou se tiver a opção de escolha pelas regras previstas na legislação anterior; b.2) (SB): significará o valor do limite máximo do salário-decontribuição no mês de janeiro de 2004; b.3) (BC): a Base do Complemento (BC) a ser apurada não poderá ser: - inferior a 10% (dez por cento) do Salário de Contribuição ao Plano do mês de janeiro de 2004; 6

7 inferior ao valor de R$ 58,82 (cinqüenta e oito reais e oitenta e dois centavos), estabelecido no item 5.4 do Regulamento do Plano I.. c) para efeito de determinação da Base de Complemento (BC): será considerada a regra estabelecida no regulamento do Plano I, prevalecendo, entretanto, as disposições contidas nas alíneas acima, caso conflitem com as disposições do referido regulamento, mesmo que o Participante esteja afastado;; c.1) Durante o período do afastamento, não há registro dos Salários de Contribuição na Patrocinadora, e sim na Previdência Social. Dessa forma o cálculo do valor da PBO, conforme alínea b.1) acima, deverá ser refeito no retorno do Participante ao trabalho, quando este deverá apresentar a relação de Salários de Contribuição à Previdência Social, do período de afastamento c.2) O Participante admitido até o mês de Julho de 1998, que não possua na Patrocinadora o registro de seus Salários de Contribuição, deverá apresentá-los para que se efetue o recálculo da PBO, que implicará a revisão do Benefício Hipotético. 2.9 Benefícios : significará os pagamentos devidos aos Participantes e aos Beneficiários por este Plano de Benefícios Conta : significará a conta mantida pela Sociedade para cada Participante, ex-participante e seus Beneficiários, onde serão alocados os valores a crédito de cada Participante do Plano, conforme definido no Capítulo VI deste Regulamento Conta Coletiva : significará a conta, nos registros da Sociedade, onde serão alocados os saldos das contas decorrentes de contribuições da Patrocinadora não utilizados na Portabilidade, no Resgate e nos Benefícios, bem como as Contribuições realizadas pela Patrocinadora para 7

8 financiamento do Saldo de Conta Projetado, do Benefício Acumulado, como também demais valores que não se destinem à Conta do Participante, incluindo o Retorno dos Investimentos. Os recursos alocados na Conta Coletiva somente poderão ser utilizados no âmbito e em prol deste Plano de Benefícios, cujas regras constam deste Regulamento. Na Conta Coletiva serão vertidas as contribuições relativas ao Auxílio- Doença, inclusive "Contribuição": significará as contribuições feitas pela Patrocinadora e pelos Participantes, descritas no Capítulo V deste Regulamento Cota : significará, para efeitos do Estatuto e deste Regulamento, o valor apurado de conformidade com o Capítulo V deste Regulamento "Data da Avaliação": significará o último dia útil de cada mês Data do Cálculo : significará a data que serve de referência para as informações utilizadas no cálculo dos Benefícios, conforme definido, respectivamente para cada Benefício, no Capítulo VII deste Regulamento "Data Efetiva do Plano": significará a data de entrada em vigor deste Plano de Benefícios, definida para 01/03/ Data de Aprovação do Plano 2011 : corresponde à data em que o Órgão Regulador competente aprovou, por meio de Ofício, a nova versão deste Regulamento decorrente da proposta de alteração apresentada pela Patrocinadora "Empregado": significará, para efeito exclusivo deste Regulamento, a pessoa física legalmente registrada como empregado da Patrocinadora "Fundo de Participação por cotas" ou Fundo do Plano : significará o valor do fundo constituído para o financiamento dos benefícios 8

9 previstos neste Plano, administrado pela Sociedade e investido de acordo com os critérios fixados na legislação vigente "INPC": significará o Índice Nacional de Preços ao Consumidor, publicado pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em caso de extinção do INPC, mudança na sua metodologia de cálculo ou em caso de sua inaplicabilidade em decorrência de reforma econômica, poderá a Diretoria escolher um indicador econômico substitutivo, sujeito à aprovação da autoridade competente "Invalidez Permanente": significará a perda total, e definitiva, da capacidade de um Participante desempenhar todas e cada uma das atividades relacionadas à sua função, bem como qualquer trabalho remunerado, resultando em seu afastamento. A Invalidez será comprovada mediante laudo expedido por médico credenciado pelo Sistema Nacional de Previdência Social ou por Junta Médica Credenciada pela Patrocinadora, ficando o Participante, ou o Beneficiário, conforme o caso, obrigado, sob pena de suspensão do Benefício, a submeter-se a exames, tratamentos e processos de reabilitação indicados por especialistas da Patrocinadora, exceto o tratamento cirúrgico, que será facultativo "Invalidez Temporária": significará a perda total da capacidade de um Participante desempenhar todas e cada uma das atividades relacionadas à sua função, bem como qualquer trabalho remunerado, resultando em seu afastamento temporário. A Invalidez Temporária será comprovada mediante laudo expedido por médico credenciado pela Patrocinadora, para os Participantes que estejam em gozo de benefício pelo Sistema Nacional de Previdência Social e, para os demais Participantes, por médico do Sistema Nacional de Previdência Social ou da Patrocinadora, ficando o Participante, conforme o caso, obrigado, sob 9

10 pena de suspensão do Benefício, a submeter-se a exames, tratamentos e processos de reabilitação indicados por especialistas da Patrocinadora, exceto o tratamento cirúrgico, que será facultativo "Material Explicativo": significará o instrumento pelo qual se descrevem, em linguagem simples e precisa, as características deste Plano de Benefícios Órfão : significará filho, incluindo-se o adotado legalmente, ou enteado - cuja guarda judicial esteja com o Participante - solteiro, dependente, sobrevivente de Participante, menor de 21 (vinte e um) anos de idade. Não haverá limite de idade para filho total e permanentemente inválido, cuja invalidez tenha sido atestada por junta médica credenciada pela Patrocinadora. Para efeito de recebimento dos Benefícios previstos neste Regulamento, a data do casamento dos pais, ou da coabitação, ou da adoção, todas estas legalmente reconhecidas, deverá ser anterior à data do Término do Vínculo Empregatício ou da concessão de um benefício pelo Plano, prevalecendo o que ocorrer por último Participante : conforme definido no Capítulo IV deste Regulamento Patrocinadora : significará o SENAI-SP, Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo "Plano de Benefícios" ou "Plano": também denominado Plano Indusprev, significará o conjunto de Benefícios e respectivos requisitos para sua obtenção, conforme previsto no presente Regulamento, com as alterações que lhe forem introduzidas Plano I e Plano II : significará, respectivamente, o conjunto de regras previstas nos Regulamentos, consideradas todas as suas alterações, dos Planos denominados Indusprev SENAI/SP, cadastrado junto ao órgão 10

11 regulador e fiscalizador das entidades fechadas de previdência complementar, sob o código ; e Indusprev II SENAI/SP, cadastrado junto ao órgão regulador e fiscalizador das entidades fechadas de previdência complementar, sob o código , em vigor antes do início do presente Regulamento 2.28 Portabilidade : significará o instituto previsto na legislação aplicável que faculta ao Participante portar os recursos financeiros correspondentes ao seu direito acumulado para este Plano, em caso de término do vínculo, ou para outro plano de benefícios, operado por entidade de previdência complementar ou Sociedade seguradora, autorizada a operar planos de benefícios de previdência complementar. O direito à Portabilidade deste para outro plano poderá ser exercido a partir de 30 de maio de 2004, desde que o Participante conte pelo menos com 3 (três) anos de vínculo a este Plano "Prêmio para Cobertura de Transferência de Riscos", ou, simplesmente "Prêmio": significará o valor pago, de forma paritária, pela Patrocinadora e Participantes, para este Plano de Benefícios, para cobertura de prêmio relativo à transferência de riscos, conforme definido neste Regulamento Previdência Social : significará o administrador do Regime Geral da Previdência Social, com as alterações que forem introduzidas, ou outra entidade, de caráter oficial, com objetivos similares "Recuperação": significará o restabelecimento do Participante ou do Beneficiário, que tenha sofrido Invalidez Temporária ou Invalidez Permanente, para o desempenho de atividades remuneradas "Regulamento": significará este instrumento com as alterações que, obedecidos os preceitos e formalidades legais, forem nele introduzidas. 11

12 2.33 Retorno dos Investimentos: significará o retorno líquido total dos recursos do Plano alocados na Carteira Segregada Indusprev CD, incluindo o retorno de juros, dividendos, aluguéis, ganhos e perdas de capital, realizados ou não, e quaisquer outras rendas "Salário de Participação" ou "SP": significará a soma de todas as parcelas que integram a remuneração mensal do participante, paga pela Patrocinadora, desconsiderando-se, no entanto, parcelas da remuneração e gratificações de caráter ocasional, eventual ou temporária. O 13º (décimo terceiro) salário não integra o Salário de Participação Reserva de Poupança : significará o saldo das contas cujas contribuições tenham sido recolhidas diretamente pelo Participante ao Plano I "Saldo de Conta Aplicável": significará o valor parcial ou total dos saldos das Contas individuais do Participante, considerado no cálculo do Benefício, ou do Resgate, ou da Portabilidade, conforme definido no Capítulo VII deste Regulamento "Saldo de Conta Projetado": significará o valor das parcelas vincendas das Contribuições Básicas da Patrocinadora, acrescidas das Contribuições Básicas do Participante, calculado até o cumprimento da elegibilidade da Aposentadoria Normal ou o Término de Vínculo, prevalecendo o que ocorrer primeiro, cujo contrato de trabalho com a patrocinadora não tenha sido rescindido. A cobertura dos custos do Saldo de Conta Projetado será contratada junto a uma Seguradora, ou mediante contribuição específica, calculada pelo Atuário do Plano e suportada pela Patrocinadora. 12

13 2.38 Seguradora : significará a companhia de seguros a ser contratada pela Sociedade, com anuência da Patrocinadora, que será responsável pela cobertura do Saldo de Conta Projetado "Serviço Creditado ou SC": significará o tempo de serviço do Participante na Patrocinadora, calculado e limitado conforme definido no Capítulo III deste Regulamento "Sociedade": significará o HSBC Fundo de Pensão "Término de Vínculo Empregatício" ou Término do Vínculo : significará a rescisão do contrato de trabalho com a Patrocinadora, considerando-se o período do aviso prévio, indenizado ou não "Transformação do Saldo de Conta": significará o processo de conversão do Saldo de Conta Aplicável em Benefício de renda mensal, conforme previsto no Capítulo VII "Unidade de Referência Indusprev" ou "URI": significará o valor de R$ 3.438,99 (três mil, quatrocentos e trinta e oito reais e noventa e nove centavos), em 1º de março de 2013, e será corrigido, após essa data, nas mesmas épocas e pelos mesmos índices dos reajustes gerais dos empregados em atividade na Patrocinadora "Viúva ou Viúvo": significará, em caso de morte do Participante, seu cônjuge, companheiro ou companheira sobrevivente. Em todos os casos, a qualidade de dependente deverá ser reconhecida pela Previdência Social. Para efeito de recebimento dos Benefícios previstos neste Regulamento, a data do casamento, ou da coabitação, conforme legislação em vigor, com companheiro ou companheira, deverá ser anterior à data do Término do Vínculo ou da concessão de um benefício pelo Plano, prevalecendo o que ocorrer por último. 13

14 3 Do Tempo de Serviço 3.1 Serviço Creditado (SC) Para fins deste Regulamento, Serviço Creditado significará o período de tempo de serviço ininterrupto de um Participante na Patrocinadora, incluindo o tempo de serviço anterior à Data Efetiva do Plano. No cálculo do Serviço Creditado, os meses serão convertidos em frações de ano de tantos doze avos quanto for o número de meses, sendo que o período superior a 15 (quinze) dias será considerado 1 (um) mês O tempo de serviço anterior à Data Efetiva do Plano será incluído no Serviço Creditado Ressalvados os casos de Autopatrocínio e o Benefício Proporcional Diferido, a contagem do Serviço Creditado se encerrará na Data do Término do Vínculo, ou na data de cancelamento da inscrição, prevalecendo o que ocorrer primeiro O Serviço Creditado não será considerado como interrompido nos seguintes casos: a) ausência do Participante devido à Invalidez, ou Auxílio-doença, se, no caso de Recuperação, o Participante retornar ao serviço, na Patrocinadora, dentro dos 30 (trinta) dias seguintes à sua Recuperação; 14

15 b) nos casos de Autopatrocínio; Após ter sido interrompido um período de Serviço Creditado, a retomada do emprego na Patrocinadora dará início a um novo período de Serviço Creditado. 4 Dos Participantes 4.1 A partir da Data Efetiva do Plano, serão considerados Participantes, para efeito deste Regulamento, todos os Empregados da Patrocinadora, após decorrido o período do contrato de experiência, desde que válidos, hígidos e que façam sua inscrição por escrito ao Plano, ou já o tenham feito em relação ao Plano I ou ao Plano II, vedada mais de uma inscrição a este Plano O pedido de inscrição ao Plano será realizado em formulário próprio, fornecido pela Sociedade e avaliado pela Patrocinadora, onde o interessado autorizará o desconto de suas contribuições O empregado licenciado, com contrato de trabalho suspenso, em gozo de Auxílio-Doença ou aposentado por invalidez, somente poderá inscrever-se neste Plano, após o retorno às atividades normais junto à Patrocinadora, submetendo-se, sob responsabilidade desta, à junta médica que comprove a sua recuperação O ex-participante do Plano I ou do Plano II, que deste se desligou anteriormente à Data Efetiva do Plano, poderá inscrever-se neste Plano, no prazo de 180 (cento e oitenta) dias contados a partir da Data Efetiva do 15

16 Plano, ou, no caso de licenciados, do seu retorno à atividade na Patrocinadora, aproveitando as reservas existentes nos referidos planos, decorrentes de saldos de suas contribuições pessoais, a serem alocadas na Conta Básica de Participante. 4.2 São considerados Participantes, na qualidade de sócios-fundadores, aqueles inscritos na data da implantação do Plano I ou do Plano II. 4.3 Permanecerá como Participante toda pessoa que estiver recebendo Benefícios de prestação continuada por conta deste Plano, sendo designado como Participante Assistido, bem como aquele que tiver optado pelo Benefício Proporcional Diferido, que será denominado Participante Desvinculado, bem como o que fizer opção pelo Autopatrocínio, denominado como Participante Mantido ou Participante Autopatrocinado. 4.4 Perderá a condição de Participante aquele que: a) vier a falecer; b) deixar de ser Empregado da Patrocinadora, ressalvados os casos de aposentadoria previstos neste Regulamento; de opção, ou sua presunção, pelo Benefício Proporcional Diferido; ou de opção pelo Autopatrocínio; c) receber um Pagamento Único, sem direito a pagamentos de prestação mensal, conforme previsto no Capítulo VII deste Regulamento; d) requerer o cancelamento de sua inscrição; e) atrasar sua Contribuição por um prazo superior a 60 (sessenta) dias, no caso de Participante Mantido, desde que o mesmo seja previamente notificado pela Sociedade. 16

17 4.4.1 Excetuado o caso de falecimento de Participante, a perda da condição de Participante importará no cancelamento da inscrição de seus respectivos Beneficiários Para efeito do disposto na letra (e) do item 4.4, o Participante, após a inadimplência de uma contribuição devida e não paga será avisado, por meio de carta com aviso de recebimento, ou por outro meio que comprove a notificação, para o pagamento das contribuições que se encontram em atraso, com os acréscimos devidos, perdendo a qualidade de Participante a partir do dia subseqüente ao do vencimento da segunda Contribuição devida e não paga na data do vencimento. 4.5 O Participante vinculado a mais de uma Patrocinadora, para efeito deste Regulamento, será cadastrado em apenas uma, sendo-lhe facultado contribuir sobre as remunerações percebidas. 4.6 O Salário de Participação sobre o qual incidirá a contribuição para este Plano, corresponderá à soma das remunerações percebidas da Patrocinadora pelo Participante, com a qual tenha vínculo empregatício. 4.7 Observada as disposições dos itens a 4.7.2, o Participante, após a data do Término do Vínculo, que não ingressar em gozo de um Benefício pelo Plano, poderá optar por: a) requerer o cancelamento de sua inscrição, recebendo o Resgate, ou exercendo o instituto da Portabilidade, desde que atenda aos requisitos exigidos para cada espécie; b) pelo Benefício Proporcional Diferido, desde que cumpridos os requisitos exigidos para tanto, constantes do item Elegibilidade, do capítulo VII. O Participante que optar por essa modalidade estará renunciando, no ato e automaticamente, a todos os Benefícios que não se encontrem indicados nesta alínea (b), 17

18 podendo, antes de ingressar em gozo do Benefício Proporcional Diferido, optar, a qualquer tempo, pelo Resgate, ou pela Portabilidade, hipótese também compreendida caso o Participante venha a falecer ou se invalidar. Caso o Participante venha a falecer antes de ingressar em gozo de Benefício, seu Beneficiário, ou na falta deste, o Beneficiário Designado receberá o valor correspondente ao Resgate, em prestação única, com natureza de pecúlio por morte para fins de tributação do imposto de renda, conforme legislação em vigor; c) conservar sua condição de Participante, mediante o regime de Autopatrocínio, sendo designado como Participante Mantido ou Autopatrocinado, desde que atenda cumulativamente às seguintes condições: (c.1) continue a efetuar o pagamento da Contribuição a que estaria sujeito, considerando o Salário de Participação convertido em número de URI na data de Término do Vínculo; (c.2) assuma a parcela de seu custo individual que vinha sendo realizada, até então, pela Patrocinadora, excetuada a contribuição prevista no item Os valores da contribuição individual serão creditados na Conta Básica de Participante. As contribuições individuais poderão ser alteradas ou suspensas, temporariamente, uma vez por ano, comunicando-se, por escrito, à Sociedade; (c.3) assuma a taxa de administração prevista no item 5.2.7; Para escolha de uma das opções acima, a Sociedade fornecerá ao Participante os elementos necessários para a sua decisão, via extrato e termo de opção, de conformidade com a legislação aplicável, desde que realizada no prazo de 30 (trinta) dias do Término do Vínculo, tendo o 18

19 Participante 30 (trinta) dias, após o conhecimento do extrato, para fazer sua opção Decorrido o prazo referido no subitem anterior, sem que haja manifestação do Participante, será entendido que o mesmo é optante pelo Benefício Proporcional Diferido, desde que atenda às elegibilidades, ou, em caso contrário, pelo Resgate A apuração do tempo de vínculo ao Plano, para efeito de verificação das elegibilidades previstas no item 4.7 letra (b) será a data da opção do Participante Na ocorrência da hipótese prevista na letra (a) do item 4.7, a data de opção do Participante corresponderá à da perda da sua qualidade de Participante. 4.8 Ao Participante licenciado sem vencimentos e para aquele que tiver seus rendimentos reduzidos, por qualquer motivo, aplicar-se-á a mesma regra do Autopatrocínio, sendo que, no caso de redução salarial, a Contribuição será calculada sobre a redução. 4.9 As importâncias devidas sob o regime de Autopatrocínio são, para todos os efeitos, indissociáveis, não sendo permitido o pagamento de uma delas sem que, no mesmo ato, seja efetuado o pagamento da outra, as quais deverão ser recolhidas até o 15º dia do mês seguinte ao mês de competência Para exclusivo efeito deste Regulamento, a apuração do Serviço Creditado e do tempo de vínculo ao Plano considerará o período de Autopatrocínio e o de vínculo à Patrocinadora A transferência de Empregado de uma Patrocinadora para outra, do mesmo grupo econômico, assegurará ao Participante o direito ao exercício 19

20 de opção pelo Auto-Patrocínio, Benefício Proporcional Diferido ou Portabilidade, desde que cumpridos, respectivamente, os requisitos estabelecidos nos itens 2.4, e 7.7.1, do Regulamento do Plano, sem prejuízo das carências já cumpridas no Plano anterior. 5 Das Contribuições e Das Disposições Financeiras 5.1 Da Contribuição dos Participantes e Assistidos A Contribuição Básica do Participante será equivalente a um percentual que incidirá sobre o Salário de Participação (SP), conforme os limites definidos a seguir (com duas casas decimais): Para Salário de Participação (SP) de até 1 (uma) U.R.I. inclusive, a Contribuição Básica de Participante poderá ser de 0% (zero por cento) a 0,25% (zero vírgula vinte e cinco por cento) do SP Para Salário de Participação (SP) entre 1 (uma) e 2 (duas) U.R.I.s inclusive, a Contribuição Básica de Participante deverá estar entre 0,25% do SP e o limite máximo de: { [ (6% do SP) (6% da U.R.I.) ] SP } x 100 Fica estabelecido que o valor resultante da aplicação dessa fórmula não poderá ser menor de 0,25% do SP. 20

21 Para Salário de Participação (SP) entre 2 (duas) e 3 (três) U.R.I.s inclusive, a Contribuição Básica de Participante deverá estar entre 0,25% do SP e o limite máximo de: { [ (10,5% do SP) (15% da U.R.I.) ] SP } x Para Salário de Participação (SP) superior a 3 (três) U.R.I.s, a Contribuição Básica de Participante deverá estar entre 0,25% do SP e o limite máximo de: { [ (13% do SP) (22,5% da U.R.I.) ] SP } x A Contribuição Básica de Participante poderá ter seu percentual alterado uma única vez, durante o prazo de 180 (cento e oitenta) dias, a contar da Data Efetiva do Plano A parcela de Contribuição de Participante que superar os limites definidos no item e subitens assumirá caráter de Contribuição Voluntária, eximindo a Patrocinadora de qualquer contrapartida em termos de Contribuição A Contribuição do Participante será efetuada através de descontos regulares na folha de salários. A Patrocinadora repassará essa Contribuição ao Plano, não podendo, porém, a data do recolhimento ultrapassar o 15º (décimo quinto) dia do mês seguinte ao que se referir. Caso a Patrocinadora não repasse a Contribuição do Participante no prazo previsto acima, a mesma deverá pagar as multas estabelecidas no item sobre os valores não repassados ao Plano. 21

22 5.1.3 A Contribuição Básica do Participante será creditada e acumulada na Conta Básica do Participante, que será acrescida com o Retorno dos Investimentos do Plano O Participante, para efetuar a Contribuição Básica, deverá comunicar à Patrocinadora, por escrito, a sua opção, indicando o percentual escolhido para sua Contribuição, o qual poderá ser alterado, semestralmente, nos meses de março e setembro No caso do Participante não informar o percentual escolhido para sua Contribuição, será mantido para o semestre seguinte o último percentual informado O Participante poderá realizar Contribuições Voluntárias, mensais e consecutivas, doze vezes ao ano, visando o aumento de sua Conta Básica de Participante, independentemente da ocorrência de Contribuições Básicas. O Participante deverá comunicar à Patrocinadora, por escrito, com antecedência de 30 (trinta) dias, a inclusão dessa Contribuição Voluntária e poderá alterar o seu percentual nos meses de março e setembro O Participante poderá realizar Contribuições Esporádicas, a qualquer tempo e periodicidade, desde que em valor igual ou superior a 10% (dez por cento) de seu Salário de Participação, visando o aumento de sua Conta Básica de Participante, independentemente da ocorrência de Contribuições Básicas. O Participante deverá comunicar à Patrocinadora, por escrito, com antecedência de 30 (trinta) dias, a inclusão dessa Contribuição Esporádica O Participante poderá, ainda, transferir para este Plano, recursos existentes em outros planos operados por entidades de previdência complementar, ou por seguradora autorizada a operar planos de 22

23 previdência complementar, que serão acumulados na Conta Básica de Participante. Caso os recursos advenham do exercício da Portabilidade, estes serão alocados na Conta Portada do Participante O Participante deverá preencher os formulários exigidos pela Sociedade e autorizar os descontos que serão efetuados no seu Salário de Participação e creditados ao Plano como sua Contribuição Básica ou Contribuição Voluntária, conforme o caso O Participante deverá contribuir, de forma paritária, para o Benefício de Auxílio-Doença previsto neste Plano. O percentual desta contribuição mensal será aplicado sobre o Salário de Participação (SP) do Participante O Participante deverá pagar, de forma paritária, uma taxa de administração à Sociedade. A referida taxa será estabelecida por meio de um Convênio ou Termo de Adesão, celebrado entre a Sociedade e a Patrocinadora, sendo destinada ao custeio administrativo do Plano O Participante deverá contribuir, de forma paritária, ao Prêmio para Cobertura de Transferência de Riscos, e outros Prêmios de Seguros para cobertura dos riscos do plano, na forma da legislação aplicável. Os riscos devem ser identificados, monitorados e definidos pelo atuário. O percentual desta contribuição mensal será aplicado sobre o Salário de Participação do Participante, cuja contribuição deverá constar no Plano de Custeio As Contribuições do Participante referentes ao Auxílio-Doença e ao Prêmio para Cobertura de Transferência de Riscos serão calculadas pelo Atuário, anualmente, integrando o custeio do Plano As Contribuições de Participante cessarão automaticamente na primeira das seguintes ocorrências: 23

24 a) Término do Vínculo, exceto no caso de Autopatrocínio; Plano Indusprev SENAI-SP b) quando o Participante for elegível ao Benefício de Aposentadoria Normal; c) em caso de aposentadoria prevista neste Regulamento, por morte ou por Invalidez Permanente; d) recebimento pelo Participante ou seu Beneficiário de um dos Benefícios previstos neste Plano; e) cancelamento da inscrição do Participante no Plano Parcela de Benefício Definido As Contribuições de Participantes referentes ao Pecúlio por Morte, custeadas de forma paritária com a Patrocinadora, serão estabelecidas pelo Atuário anualmente, integrando o custeio do Plano e acumuladas na Conta Coletiva do Plano As Contribuições Extraordinárias de Participantes e Assistidos referentes à neutralização de eventuais insuficiências de cobertura serão estabelecidas pelo Atuário anualmente, em conformidade com a legislação vigente. Estas Contribuições deverão integrar o Plano de Custeio e serão acumuladas em Conta Coletiva. 5.2 Da Contribuição da Patrocinadora Parcela de Benefício Definido As Contribuições referentes ao Pecúlio por Morte, custeadas de forma paritária com os Participantes, serão estabelecidas pelo Atuário anualmente, integrando o custeio do Plano e acumuladas na Conta Coletiva do Plano. 24

25 As Contribuições Extraordinárias de Patrocinadora referentes à neutralização de eventuais insuficiências de cobertura serão estabelecidas pelo Atuário anualmente, em conformidade com a legislação vigente. Estas Contribuições deverão integrar o Plano de Custeio e serão acumuladas em Conta Coletiva As Contribuições referentes às parcelas do Benefício Acumulado (Contribuição para Benefício Saldado) foram estabelecidas pelo Atuário no momento do saldamento, na Data Efetiva do Plano, aprovado pela Secretaria de Previdência Complementar Ofício nº 623/SPC/DETEC/CGAT, datado de 01 de março de 2006, integrando o custeio do Plano e acumuladas na conta coletiva do Plano Parcela de Contribuição Definida A Contribuição Básica da Patrocinadora para a parcela de Contribuição Definida será na mesma proporção da Contribuição Básica do Participante e limitada superiormente de acordo com os tetos especificados a seguir: a) Para Salário de Participação (SP) de até 1 (uma) U.R.I. inclusive, a Contribuição Básica de Patrocinadora poderá ser de 0%(zero por cento) a 0,25% (zero vírgula vinte e cinco por cento) do SP. b) para Salário de Participação (SP) entre 1 (uma) e 2 (duas) U.R.I.s inclusive, a Contribuição Básica de Patrocinadora deverá estar entre 0,25% do SP e o limite máximo de: { [ (6% do SP) (6% da U.R.I.) ] SP } x 100 Fica estabelecido que o valor resultante da aplicação dessa fórmula não poderá ser menor de 0,25% do SP. 25

26 c) para Salário de Participação (SP) entre 2 (duas) e 3 (três) U.R.I.s inclusive, a Contribuição Básica de Patrocinadora deverá estar entre 0,25% do SP e o limite máximo de: { [ (10,5% do SP) (15% da U.R.I.) ] SP } x 100 d) para Salário de Participação (SP) superior a 3 (três) U.R.I.s, a Contribuição Básica de Patrocinadora deverá estar entre 0,25% do SP e o limite máximo de: { [ (13% do SP) (22,5% da U.R.I.) ] SP } x A Contribuição Básica da Patrocinadora será acumulada na Conta Básica de Patrocinadora, em nome do Participante Prêmio Para Cobertura da Transferência de Risco, ou Contribuição para Integralização de Riscos. O capital segurado será calculado anualmente pelo Atuário, para Participantes que mantenham vínculo empregatício com a Patrocinadora. A Patrocinadora e os Participantes pagarão, mensalmente e de forma paritária, um prêmio à Sociedade, objetivando a contratação (por meio de Seguradora), de seguro para cobertura do Saldo de Conta Projetado. Poder-se-á, alternativamente, assumir uma Contribuição para integralização de riscos, a ser calculada atuarialmente Para contratação de seguro, a Sociedade apresentará à Patrocinadora propostas de Seguradoras, com 60 (sessenta) dias de antecedência do início da vigência da apólice, para deliberação da Patrocinadora quanto à aceitação do Prêmio, solicitação de novas propostas ou assunção de uma Contribuição para integralização de riscos No caso de aceitação de seguro por parte da Patrocinadora, para efetivação do pagamento do Prêmio, a Sociedade encaminhará as 26

27 respectivas faturas com antecedência mínima de 15 (quinze) dias. Em optando pela Contribuição para integralização de riscos, o pagamento ocorrerá nos mesmos prazos da Contribuição Básica da Patrocinadora As Contribuições de Patrocinadora, relativas a cada Participante, cessarão automaticamente na primeira das seguintes ocorrências: a) Término do Vínculo do Participante; b) quando o Participante for elegível ao Benefício de Aposentadoria Normal; c) em caso de aposentadoria prevista neste Regulamento, por morte ou por Invalidez Permanente; d) recebimento pelo Participante ou seu Beneficiário de um dos Benefícios previstos neste Plano; e) cancelamento da inscrição do Participante no Plano As Contribuições da Patrocinadora serão pagas ao Plano, não podendo a data de seu recolhimento ultrapassar o 15º (décimo quinto) dia após o término do mês de competência A falta de recolhimento das Contribuições no prazo estipulado neste Regulamento acarretará as seguintes penalidades: a) multa de 2% (dois por cento) sobre o valor não recolhido; b) juros de 1% (um por cento) ao mês ou sua equivalência diária; c) reajuste monetário fixado com base na variação do INPC As Contribuições descritas no item não serão alocadas às contas individuais dos Participantes, mas a uma conta coletiva. 27

28 5.2.7 A Patrocinadora pagará, de forma paritária, uma taxa de administração à Sociedade. A referida taxa de administração será estabelecida por meio de um Convênio ou Termo de Adesão, celebrado entre a Sociedade e a Patrocinadora, sendo destinada ao custeio administrativo do Plano A Patrocinadora deverá contribuir, de forma paritária, para o Benefício de Auxílio-Doença previsto neste Plano. O percentual desta contribuição mensal será aplicado sobre o Salário de Participação (SP) do Participante A Patrocinadora efetuará contribuição, de forma paritária, para o pagamento de Prêmio para Cobertura de Transferência de Riscos, e outros Prêmios de Seguros para cobertura dos riscos do plano, na forma da legislação aplicável. Os riscos devem ser identificados, monitorados e definidos pelo atuário. O percentual desta contribuição mensal será aplicado sobre o Salário de Participação do Participante, e deverá constar no Plano de Custeio. 5.3 Disposições Financeiras Os Benefícios deste Plano serão custeados por meio de: a) Contribuições mensais e esporádicas efetuadas pelos Participantes; b) Contribuições mensais e esporádicas efetuadas pela Patrocinadora; c) receitas de aplicações do patrimônio; d) Aportes realizados pelos Participantes, decorrentes de transferências realizadas de outros planos de previdência complementar; 28

29 e) dotações, subvenções, legados, rendas e outros pagamentos de qualquer natureza Para garantia de suas obrigações, a Sociedade constituirá um fundo, em conformidade com critérios fixados pela autoridade competente O custeio deste Plano será estabelecido anualmente pelo Atuário, com base em cada balanço do Plano, ou quando ocorrerem alterações significativas nos encargos da Patrocinadora com respeito ao referido Plano Embora a Patrocinadora espere manter este Plano de Benefícios e fazer todas as contribuições necessárias para financiá-lo, reserva-se, contudo, em caso de dificuldade econômico-financeira, o direito de reduzir ou cessar temporariamente suas contribuições, e só fazer as contribuições destinadas à satisfação dos Benefícios que, até então, já estiverem creditados ou prestados aos Participantes ou Beneficiários. Neste caso, essa medida deverá ser previamente homologada pelas autoridades competentes e divulgada aos Participantes Esta medida não resultará na liquidação do Plano e continuará em vigor até sua revogação pela Patrocinadora, em comum acordo com a autoridade competente Os compromissos da Patrocinadora estarão, a qualquer tempo, limitados às contribuições que já foram feitas, ou já sejam devidas e não pagas, de acordo com a legislação pertinente em vigor As contribuições dos Participantes e da Patrocinadora para este Plano serão pagas à Sociedade, que efetuará os investimentos e contabilizará em cada Conta todos os seus valores e rendimentos obtidos. 29

30 5.3.8 A parcela da Conta Básica de Patrocinadora que não for considerada no cálculo de Benefício ou Direito, na forma prevista neste Regulamento, será transferida para a Conta Coletiva, observada a legislação aplicável, e poderá ser utilizada para redução ou quitação de Contribuições futuras da Patrocinadora ou cobertura de oscilações de riscos nas reservas de benefícios concedidos, desde que prevista no plano de custeio anual e emitido parecer atuarial específico A Sociedade manterá o patrimônio do Plano em Fundo de Participação por Cotas, que será investido pela Sociedade de acordo com os critérios e limites fixados pela legislação vigente As despesas financeiras decorrentes de administração do Fundo e de suas aplicações serão de responsabilidade do Fundo O patrimônio do Fundo é representado por Cotas, sendo que cada Cota representa uma fração ideal do total de seu patrimônio O valor do Fundo, na Data da Avaliação, será determinado pela Sociedade, de acordo com o disposto na legislação aplicável. O valor assim obtido será dividido pelo número total de Cotas existentes, determinando-se, desta forma, o valor da Cota do Fundo A Sociedade poderá estabelecer um prazo seguinte à Data da Avaliação, para que sejam efetuados os cálculos do valor do Fundo e de suas Cotas Qualquer valor a ser pago ou recebido pelo Fundo, com respeito a participante, inclusive valor portado, será determinado em função do valor da Cota na data desse pagamento ou recebimento. 30

31 6 Das Contas de Participantes 6.1 Serão mantidas 5 (cinco) contas individuais para cada Participante, da seguinte forma: a) Conta Básica de Participante, formada pelas seguintes subcontas: a.1) Subconta formada pelas Contribuições Básicas de Participante; a.2) Subconta formada pelas Contribuições Voluntárias de Participante; a.3) Subconta formada pelas Contribuições Esporádicas de Participante; a.4) Subconta formada por outras contribuições não identificadas nas letras anteriores; e a.5) Subconta formada pela reserva do Benefício Mínimo Saldado de Participante. 31

32 b) Conta Básica de Patrocinadora, formada pelas Contribuições Básicas da Patrocinadora; c) Conta Portada de Participante, formada por valores portados pelo Participante, decorrentes de contribuições a outros planos de previdência complementar. Esta Conta será subdividida em duas Subcontas, conforme a origem dos recursos portados, em: c.1) Subconta Portada de Entidade Aberta; e c.2) Subconta Portada de Entidade Fechada. d) Conta de Reserva de Poupança do Plano I, para registrar o valor da Reserva de Poupança que seria devida pelo Plano I, na Data Efetiva do Plano, que será reajustada, mensalmente, pela variação do INPC De acordo com o capítulo VII, quando houver a concessão de Benefício Definido pela Parcela de Benefício Definido relativa ao Plano I, constante do item , ou pela Parcela de Contribuição Definida pela escolha das opções constantes dos itens , ou , ou , os Saldos de Contas e subcontas individuais, definidos no item 6.1, serão alocados na Conta Coletiva de Benefícios Concedidos. Se o Benefício for concedido nas opções apresentadas nos itens , ou , ou , os Saldos de Contas das alíneas a), b) e c), definidos no item 6.1, serão alocados na Conta Individual de Benefícios Concedidos e, o Saldo de Conta da alínea d), se existir, será alocado na Conta Coletiva de Benefícios Concedidos. 6.2 À exceção da Conta de Reserva de Poupança, as demais Contas serão acrescidas com o Retorno dos Investimentos do Plano. 6.3 Quando o Participante se tornar elegível a um dos Benefícios previstos neste Plano, receberá a parte do Saldo de Conta Aplicável a que 32

33 o mesmo terá direito, na forma descrita no Capítulo VII e demais disposições deste Regulamento. 6.4 Os valores de saldos patronais não utilizados serão convertidos para a Conta Coletiva do Plano. 6.5 A diferença positiva entre a Conta de Reserva de Poupança do Plano I e o valor atual, Atuarialmente Equivalente, dos Benefícios Acumulados, conforme estabelecido no Capítulo XI, alínea a) do item 11.1 deste Regulamento, será creditado na Conta Básica de Participante no mês imediatamente posterior a sua apuração ou da aprovação do Regulamento, prevalecendo o que ocorrer por último. 7 Dos Benefícios 7.1 Aposentadoria Normal Elegibilidade O Participante será elegível a um Benefício de Aposentadoria Normal, quando preencher concomitantemente as seguintes condições: a) mínimo de 55 (cinqüenta e cinco) anos de idade; b) mínimo de 10 (dez) anos de Serviço Creditado; c) mínimo de 10 (dez) anos de vínculo ao Plano, considerando-se, inclusive, a vinculação ao Plano I e ao Plano II; d) Término do Vínculo. 33

34 7.1.2 Benefício Parcela de Benefício Definido Benefício Acumulado calculado conforme item 11.1 do Capítulo das Disposições Transitórias e reajustado até a Data do Cálculo, conforme variação do INPC, Parcela de Contribuição Definida O valor do Benefício de Aposentadoria Normal será igual à renda mensal obtida através da Transformação do Saldo de Conta Aplicável na Data do Cálculo. Para efeito deste Benefício, o Saldo de Conta Aplicável corresponderá a (a) + (b), onde: (a) = 100% (cem por cento) do Saldo de Conta Básica de Participante; (b) = 100% (cem por cento) do Saldo de Conta Básica de Patrocinadora Data do Cálculo O Benefício de Aposentadoria Normal referente à parcela de Contribuição Definida será calculado com base nos dados do Participante, na data do Término do Vínculo ou, no caso de Participante Mantido, quando completar as elegibilidades. 7.2 Aposentadoria Antecipada Elegibilidade O Participante será elegível a um Benefício de Aposentadoria Antecipada quando preencher concomitantemente as seguintes condições: a) mínimo de 50 (cinqüenta) anos de idade; 34

35 b) mínimo de 10 (dez) anos de Serviço Creditado; c) mínimo de 10 (dez) anos de vínculo ao Plano, considerando-se, inclusive, a vinculação ao Plano I e ao Plano II; d) Término do Vínculo Benefício Parcela de Benefício Definido Benefício Acumulado calculado conforme item 11.1 do Capítulo das Disposições Transitórias e reajustado até a Data do Cálculo, conforme variação do INPC. O valor acima calculado será reduzido em 0,5% (zero vírgula cinco por cento) por mês que a data da Aposentadoria preceder o 55 (qüinquagésimo quinto) aniversário do Participante Parcela de Contribuição Definida O valor do Benefício de Aposentadoria Antecipada será igual à renda mensal obtida através da Transformação do Saldo de Conta Aplicável na Data do Cálculo. Para efeito deste Benefício, o Saldo de Conta Aplicável corresponderá a (a) + (b), onde: (a) = 100% (cem por cento) do Saldo de Conta Básica de Participante; (b) = 100% (cem por cento) do Saldo de Conta Básica de Patrocinadora Data do Cálculo O Benefício de Aposentadoria Antecipada, referente à parcela de Contribuição Definida, será calculado com base nos dados do Participante, 35

36 na data do Término do Vínculo ou, no caso de Participante Mantido, quando completar as elegibilidades. 7.3 Aposentadoria por Invalidez Elegibilidade O Participante será elegível a um Benefício de Aposentadoria por Invalidez, quando preencher concomitantemente as seguintes condições: a) ter contribuído, ininterruptamente, com 12 (doze) contribuições mensais para a Sociedade, exceto em caso de acidente de trabalho; b) ter a Invalidez Permanente atestada na forma prevista neste Regulamento Benefício Parcela de Benefício Definido Benefício Acumulado calculado conforme item 11.1 do Capítulo das Disposições Transitórias e reajustado até a Data do Cálculo, conforme variação do INPC Parcela de Contribuição Definida O valor do Benefício de Aposentadoria por Invalidez será igual à renda mensal obtida através da Transformação do Saldo de Conta Aplicável na Data do Cálculo. Para efeito deste Benefício, o Saldo de Conta Aplicável corresponderá a (a) + (b) + (c), onde: (a) = 100% (cem por cento) do Saldo de Conta Básica de Participante; (b) = 100% (cem por cento) do Saldo de Conta Básica de Patrocinadora; 36

37 (c) = 100% (cem por cento) do Saldo de Conta Projetado Data do Cálculo Plano Indusprev SENAI-SP O Benefício de Aposentadoria por Invalidez será calculado com base nos dados do Participante, no primeiro dia do atendimento às condições descritas no item O Benefício de Aposentadoria por Invalidez será pago ao Participante até que ocorra a sua Recuperação antecipada Se ocorrer a Recuperação do Participante após o mesmo completar 55 (cinqüenta e cinco) anos de idade, a Recuperação será desconsiderada, tornando-se vitalício o Benefício de Aposentadoria por Invalidez Qualquer Invalidez iniciada dentro de 60 (sessenta) dias após o término de uma Invalidez anterior será considerada uma continuação dessa Invalidez anterior, se for do mesmo tipo Não haverá concessão de Benefício de Aposentadoria por Invalidez em decorrência do uso de drogas, alcoolismo, a não ser que o Participante esteja internado e sob tratamento, por um período mínimo de 6 (seis) meses. 7.4 Auxílio-Doença Elegibilidade O Participante será elegível a um Benefício de Auxílio-Doença após o 16º (décimo sexto) dia de sua Invalidez Temporária, desde que atenda, cumulativamente, às seguintes condições: a) mínimo de 1 (um) ano de Serviço Creditado, dispensando-se essa exigência em caso de acidente de trabalho; 37

ABRILPREV SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA PRIVADA. Quadro Comparativo do Regulamento do Plano de Benefícios da Abrilprev

ABRILPREV SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA PRIVADA. Quadro Comparativo do Regulamento do Plano de Benefícios da Abrilprev ABRILPREV SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA PRIVADA CNPJ 73.000.838/0001-59 Quadro Comparativo do Regulamento do Plano de Benefícios da Abrilprev CNPB 1993.0008-11 1 DE PARA Justificativa 1 - DO OBJETO 1 DO OBJETO

Leia mais

REGULAMENTO DA CARTEIRA DE EMPRÉSTIMO BÁSICO

REGULAMENTO DA CARTEIRA DE EMPRÉSTIMO BÁSICO Rev. 01 Data: 21/05/2014 Página 1 de 8 CAPÍTULO I DEFINIÇÕES Art. 1º - Para fins de aplicação deste Regulamento, o masculino incluirá o feminino e o singular incluirá o plural, a menos que o contexto indique

Leia mais

Quadro Comparativo do Regulamento do Plano de Benefícios Pepsico

Quadro Comparativo do Regulamento do Plano de Benefícios Pepsico do Regulamento do Plano de Benefícios Pepsico CNPB 2004.0020-18 Prev Pepsico Sociedade Previdenciária CNPJ 00.098.693/0001-05 Atendimento à NOTA Nº 036/2013/CGAT/DITEC/PREVIC Comando 357744092 Juntada

Leia mais

Quadro Comparativo das Alterações efetuadas no Regulamento do Plano de Aposentadoria CitiPrevi

Quadro Comparativo das Alterações efetuadas no Regulamento do Plano de Aposentadoria CitiPrevi Quadro Comparativo das Alterações efetuadas no Regulamento do Plano de Aposentadoria CitiPrevi Página 1 do quadro comparativo das alterações efetuadas no Regulamento do CitiPrevi Capitulo 1 Do Objeto 1.1

Leia mais

Rua Bernardo Guimarães, 63 Funcionários Belo Horizonte MG Cep 30140-080 Telefones (31) 3284-8407 3284-2625 Fax: 3284-8931 E-mail: casfam@fiemg.com.

Rua Bernardo Guimarães, 63 Funcionários Belo Horizonte MG Cep 30140-080 Telefones (31) 3284-8407 3284-2625 Fax: 3284-8931 E-mail: casfam@fiemg.com. MATERIAL EXPLICATIVO DO PLANO DE BENEFÍCIOS SISTEMA FIEMG Outubro / 2013 A CASFAM A CASFAM é uma Entidade Fechada de Previdência Complementar (EFPC), sociedade civil patrocinada pelo Sistema FIEMG, com

Leia mais

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL GERDAU PREVIDÊNCIA

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL GERDAU PREVIDÊNCIA REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL GERDAU PREVIDÊNCIA Capítulo I Da Finalidade Artigo 1 - O presente Regulamento de Empréstimo Pessoal, doravante denominado Regulamento, tem por finalidade definir normas

Leia mais

Apresentação. Lembrando que esta cartilha não substitui o regulamento do Plano BD Eletrobrás, recomendamos a leitura atenta do referido regulamento.

Apresentação. Lembrando que esta cartilha não substitui o regulamento do Plano BD Eletrobrás, recomendamos a leitura atenta do referido regulamento. Apresentação A Lei Nº 11.053, de 29.12.2004, faculta aos participantes de Planos de Previdência Complementar, estruturados na modalidade de Contribuição Definida (CD), como é o caso do novo Plano CD Eletrobrás,

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA. Fundação de Seguridade Social do Banco Econômico S/A - ECOS

REGULAMENTO DO PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA. Fundação de Seguridade Social do Banco Econômico S/A - ECOS Fundação de Seguridade Social do Banco Econômico S/A - ECOS Plano de Contribuição Definida J:\SISTEMAS\Website_ecos\webroot\atual\Documentos em PDF\Regulamento-Plano CD-Benefícios de Risco-Portaria 456

Leia mais

Cartilha do Participante

Cartilha do Participante Benefício definido (Eletra 01) BENEFICIO DEFINIDO Cartilha do Participante Introdução A ELETRA Fundação Celg de Seguros e Previdência é uma entidade fechada de previdência privada, de fins previdenciários

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE PECÚLIO FACULTATIVO PPF CNPB 1990.0011-65 FUNDAÇÃO GEAPPREVIDÊNCIA

REGULAMENTO DO PLANO DE PECÚLIO FACULTATIVO PPF CNPB 1990.0011-65 FUNDAÇÃO GEAPPREVIDÊNCIA REGULAMENTO DO PLANO DE PECÚLIO FACULTATIVO PPF CNPB 1990.0011-65 FUNDAÇÃO GEAPPREVIDÊNCIA Aprovado pela Superintendência Nacional de Previdência Complementar PREVIC, por meio da Portaria Nº 509, de 27

Leia mais

AGROS INSTITUTO UFV DE SEGURIDADE SOCIAL. Regulamento do Plano de Instituidor AGROS CD-01

AGROS INSTITUTO UFV DE SEGURIDADE SOCIAL. Regulamento do Plano de Instituidor AGROS CD-01 AGROS INSTITUTO UFV DE SEGURIDADE SOCIAL Regulamento do Plano de Instituidor AGROS CD-01 Viçosa Minas Gerais Fevereiro/2008 Índice Página Glossário - Capítulo II Das Definições... 3 Nome do Plano de Benefícios

Leia mais

Regulamento do Plano de Empréstimo. Aprovado em 01 de Janeiro de 2015

Regulamento do Plano de Empréstimo. Aprovado em 01 de Janeiro de 2015 Regulamento do Plano de Empréstimo 2015 Aprovado em 01 de Janeiro de 2015 1. Dos Objetivos a) Estabelecer os direitos e obrigações da Previplan - Sociedade de Previdência Privada (aqui designada como Sociedade

Leia mais

Revisado em 15/08/2011

Revisado em 15/08/2011 CARTILHA DO PLANO MISTO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS Nº 001 Revisado em 15/08/2011 Esta cartilha foi estruturada com perguntas e respostas para apresentar e esclarecer aos Participantes as informações

Leia mais

MODELO DE REGULAMENTO DE PLANO NA MODALIDADE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA CD 01

MODELO DE REGULAMENTO DE PLANO NA MODALIDADE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA CD 01 MODELO DE REGULAMENTO DE PLANO NA MODALIDADE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA CD 01 2 MODELO DE REGULAMENTO DE PLANO NA MODALIDADE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA CD 01 Brasília - DF Março/2015 3 Sumário GLOSSÁRIO... 5 CAPÍTULO

Leia mais

CARTILHA DO PLANO D FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT

CARTILHA DO PLANO D FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT CARTILHA DO PLANO D Cartilha - Plano D INTRODUÇÃO Você está recebendo a Cartilha do Plano D. Nela você encontrará um resumo das principais características do plano. O Plano D é um plano moderno e flexível

Leia mais

Para cada valor depositado pelo participante a título de contribuição básica a Patrocinadora depositará valor idêntico.

Para cada valor depositado pelo participante a título de contribuição básica a Patrocinadora depositará valor idêntico. Apresentação Este é o MANUAL DO PARTICIPANTE da PRECE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR, material explicativo que descreve, em linguagem simples e precisa, as características gerais do Plano CD, com o objetivo

Leia mais

REGULAMENTO CULTURAPREV Adaptado à Lei Complementar nº 109/2001, Resoluções CGPC Nº 12/2002, Nº 03/2003, Nº 08/2004 e a Resolução CGPC Nº 10/2004

REGULAMENTO CULTURAPREV Adaptado à Lei Complementar nº 109/2001, Resoluções CGPC Nº 12/2002, Nº 03/2003, Nº 08/2004 e a Resolução CGPC Nº 10/2004 REGULAMENTO CULTURAPREV Adaptado à Lei Complementar nº 109/2001, Resoluções CGPC Nº 12/2002, Nº 03/2003, Nº 08/2004 e a Resolução CGPC Nº 10/2004 Ministério da Previdência Social MPS Secretaria de Previdência

Leia mais

Manual. Conheça neste manual mais detalhes sobre a SICOOB PREVI

Manual. Conheça neste manual mais detalhes sobre a SICOOB PREVI Manual Conheça neste manual mais detalhes sobre a SICOOB PREVI O melhor da vida é feito em parceria O Plano de Benefícios Previdenciários da SICOOB PREVI é uma importante ferramenta de planejamento financeiro

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS HP

REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS HP 2013 REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS HP Aprovado pela Portaria nº 406, de 07/8/2013, publicada no DOU de 08/8/2013. 17 de abril de 2013 Regulamento do Plano de Benefícios HP ÍNDICE Capítulo Página I

Leia mais

Celgprev CELPREV. Cartilha do Participante. Introdução

Celgprev CELPREV. Cartilha do Participante. Introdução Celgprev CELPREV Cartilha do Participante Introdução A partir de dezembro de 2000, a CELG distribuição, a Celg geração e transmissão, Celgpar e a ELETRA passam a oferecer aos seus empregados o Celgprev:

Leia mais

Cartilha do Participante

Cartilha do Participante FACEAL Fundação Ceal de Assistência Social e Previdência Cartilha do Participante Manual de Perguntas e Respostas Plano Faceal CD Prezado leitor, A FACEAL apresenta esta cartilha de perguntas e respostas

Leia mais

FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA SECCIONAL DE SÃO PAULO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL E DA CAASP CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DE SÃO

FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA SECCIONAL DE SÃO PAULO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL E DA CAASP CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DE SÃO FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA SECCIONAL DE SÃO PAULO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL E DA CAASP CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DE SÃO PAULO OABPrev-SP REGULAMENTO ÍNDICE CAPÍTULO I DO OBJETO

Leia mais

REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO SIMPLES

REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO SIMPLES SUMÁRIO 1. DEFINIÇÕES... 2 2. FINALIDADE... 3 3. DESTINATÁRIOS... 3 4. DOCUMENTAÇÃO... 4 5. VALOR MÁXIMO E MÍNIMO... 5 6. PRAZOS... 5 7. ENCARGOS E ATUALIZAÇÃO MONETÁRIA... 6 8. GARANTIAS... 7 9. CONDIÇÕES

Leia mais

Licenciamento Automático - REGULAMENTO SENGE PREVIDÊNCIA - CNPB 2005.0003-29 Anexo 1 ao JM/0916/2015 de 29/04/2015

Licenciamento Automático - REGULAMENTO SENGE PREVIDÊNCIA - CNPB 2005.0003-29 Anexo 1 ao JM/0916/2015 de 29/04/2015 Aprovado pela Portaria nº 836 de 27/10/2010 Alterações DOU 29/10/2010 Justificativa CAPÍTULO I - DO PLANO E SEUS FINS Artigo 1º O presente Regulamento tem por objeto estabelecer as disposições específicas

Leia mais

Regulamento de Empréstimo

Regulamento de Empréstimo Regulamento $ de Empréstimo Para participantes do Plano Complementar de Benefícios Previdenciais - Plano BD $ Fundação de Previdência dos Empregados da CEB Regulamento aprovado pelo Conselho Deliberativo

Leia mais

BB SEGURO CRÉDITO PROTEGIDO

BB SEGURO CRÉDITO PROTEGIDO BB SEGURO CRÉDITO PROTEGIDO Condições Particulares Processo SUSEP Nº 15414.003063/2009-70 0 ÍNDICES CONDIÇÕES PARTICULARES 1. OBJETO DO SEGURO 2 2. ESTIPULANTE 2 3. GRUPO SEGURÁVEL 2 4. GRUPO SEGURADO

Leia mais

Conteúdo. Capítulo B.1 - Do Objeto...3. Capítulo B.2 - Glossário...3. Capítulo B.3 - Dos Participantes...8

Conteúdo. Capítulo B.1 - Do Objeto...3. Capítulo B.2 - Glossário...3. Capítulo B.3 - Dos Participantes...8 Conteúdo Capítulo B.1 - Do Objeto...3 Capítulo B.2 - Glossário...3 Capítulo B.3 - Dos Participantes...8 Capítulo B.4 - Do Tempo de Serviço e da Mudança do Vínculo Empregatício...10 Capítulo B.5 - Das Disposições

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS I. Índice

REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS I. Índice REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS I Índice Capítulo I Da Introdução... 1 II Das Definições... 1 III Do Serviço Creditado e do Tempo de Vinculação ao Plano I... 3 IV Dos Destinatários do Plano I... 5 V

Leia mais

SABESPREV. Plano de Benefícios Básico TÍTULO I DO OBJETO

SABESPREV. Plano de Benefícios Básico TÍTULO I DO OBJETO SABESPREV Plano de Benefícios Básico TÍTULO I DO OBJETO Artigo 1º - O presente Regulamento estabelece os direitos e as obrigações da FUNDAÇÃO, das Patrocinadoras, dos Participantes e dos seus Beneficiários

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA PREVI-ERICSSON APROVADO PELA PORTARIA PREVIC Nº 599, DE 19/11/2014,

REGULAMENTO DO PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA PREVI-ERICSSON APROVADO PELA PORTARIA PREVIC Nº 599, DE 19/11/2014, REGULAMENTO DO PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA PREVI-ERICSSON APROVADO PELA PORTARIA PREVIC Nº 599, DE 19/11/2014, PUBLICADA NO DOU DE 20/11/2014 1 2 Conteúdo 1. Do Objeto... 4 2. Glossário... 4 3. Da Elegibilidade

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DO ADVOGADO CAPÍTULO I - DO OBJETO Art. 1º - Este Regulamento estabelece os direitos e as

REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DO ADVOGADO CAPÍTULO I - DO OBJETO Art. 1º - Este Regulamento estabelece os direitos e as REGULAMENTO FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA SECCIONAL DE SÃO PAULO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL E DA CAASP CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DE SÃO PAULO OABPrev-SP/CE ÍNDICE Capítulo I - DO OBJETIVO

Leia mais

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO Art. 1º Este documento, doravante denominado Regulamento de Empréstimo, estabelece os direitos e as obrigações da Boticário Prev, dos Participantes e Assistidos, para a concessão

Leia mais

PLANO SUPLEMENTAR. Material Explicativo Plano Suplementar 1

PLANO SUPLEMENTAR. Material Explicativo Plano Suplementar 1 PLANO SUPLEMENTAR Material Explicativo 1 Introdução A CitiPrevi oferece planos para o seu futuro! Recursos da Patrocinadora Plano Principal Benefício Definido Renda Vitalícia Programa Previdenciário CitiPrevi

Leia mais

Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários da FUNDO MULTIINSTITUÍDO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR

Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários da FUNDO MULTIINSTITUÍDO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários da ACIPREV FUNDO MULTIINSTITUÍDO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Instituidora : ASSOCIAÇÃO COMERCIAL E INDUSTRIAL DE AMERICANA ACIA 1 ÍNDICE Pág CAPÍTULO

Leia mais

NORMA PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO A PARTICIPANTES (Aprovada pela Deliberação n 005/2012, de 29 de março de 2012)

NORMA PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO A PARTICIPANTES (Aprovada pela Deliberação n 005/2012, de 29 de março de 2012) NORMA PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO A PARTICIPANTES (Aprovada pela Deliberação n 005/2012, de 29 de março de 2012) 1. DA FINALIDADE A presente Norma tem por finalidade regulamentar e definir condições para

Leia mais

3ª Edição Abril de 2007

3ª Edição Abril de 2007 3ª Edição Abril de 2007 Regulamento aprovado pela Secretaria de Previdência Complementar - SPC, do Ministério da Previdência e Assistência Social, através da Portaria de nº 1.005, de 02 de abril de 2007

Leia mais

REGULAMENTO PLANO ANAPARprev - Editado em Dezembro de 2009 Versão aprovada pela SPC em 09/12/2009 (Portaria 3.220/SPC) Capítulo I: DO PLANO E SEUS FINS 02 Capítulo II: DOS MEMBROS 02 Capítulo III: DA INSCRIÇÃO

Leia mais

MÚTUOPREV Entidade de Previdência Complementar

MÚTUOPREV Entidade de Previdência Complementar MÚTUOPREV Entidade de Previdência Complementar REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS II 1 de julho de 2010 MÚTUOPREV Entidade de Previdência Complementar 2 CAPÍTULO I - DO OBJETIVO Art. 1º - O presente Regulamento

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO PREVIDENCIAL DOS PARTICIPANTES VINCULADOS AO INSTITUTO MINEIRO DE AGROPECUÁRIA - IMA REGULAMENTO ESPECÍFICO - RP6 CAPÍTULO I

REGULAMENTO DO PLANO PREVIDENCIAL DOS PARTICIPANTES VINCULADOS AO INSTITUTO MINEIRO DE AGROPECUÁRIA - IMA REGULAMENTO ESPECÍFICO - RP6 CAPÍTULO I DOS PARTICIPANTES VINCULADOS AO INSTITUTO MINEIRO DE AGROPECUÁRIA - REGULAMENTO ESPECÍFICO - RP6 CAPÍTULO I DAS PRESTAÇÕES PREVIDENCIAIS Art. 1º - O Regulamento Específico - RP6 disciplina a concessão

Leia mais

Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários dos Cooperados do SICOOB

Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários dos Cooperados do SICOOB Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários dos Cooperados do SICOOB SICOOB MULTI INSTITUÍDO Aprovado pela Portaria nº 1.563, de 13/9/2007, publicada no Diário Oficial de 14/9/2007. Índice Capítulo

Leia mais

Sumário. A função do Resumo Explicativo 3. Bem-vindo ao Plano de Benefícios Raiz 4. Contribuições do Participante 6. Contribuições da Patrocinadora 7

Sumário. A função do Resumo Explicativo 3. Bem-vindo ao Plano de Benefícios Raiz 4. Contribuições do Participante 6. Contribuições da Patrocinadora 7 Sumário A função do 3 Bem-vindo ao Plano de Benefícios Raiz 4 Contribuições do Participante 6 Contribuições da Patrocinadora 7 Controle de Contas 8 Investimento dos Recursos 9 Benefícios 10 Em caso de

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA Nº 001 DA FUNDAÇAO CEAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E PREVIDÊNCIA FACEAL - PLANO FACEAL CD - Í N D I C E

REGULAMENTO DO PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA Nº 001 DA FUNDAÇAO CEAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E PREVIDÊNCIA FACEAL - PLANO FACEAL CD - Í N D I C E REFERÊNCIA Í N D I C E PÁG. GLOSSÁRIO 02 CAPÍTULO I Das Finalidades e da Denominação do Plano 04 II Dos membros do PLANO 04 III Da inscrição como participante 06 IV Do cancelamento da inscrição do participante

Leia mais

SESI-PIPrev ÍNDICE. Capítulo I Do Objeto. Capítulo II Das Definições. Capítulo III Dos Participantes. Capítulo IV Do Serviço Creditado

SESI-PIPrev ÍNDICE. Capítulo I Do Objeto. Capítulo II Das Definições. Capítulo III Dos Participantes. Capítulo IV Do Serviço Creditado 2 SESI-PIPrev ÍNDICE Capítulo I Do Objeto Capítulo II Das Definições Capítulo III Dos Participantes Capítulo IV Do Serviço Creditado Capítulo V Do Plano de Custeio e das Disposições Financeiras Capítulo

Leia mais

Alterações de Regulamento

Alterações de Regulamento Alterações de Regulamento Síntese das alterações propostas 1. DEFINIÇÕES GERAIS Beneficiários: será excluído o tempo mínimo de união estável com parceiro ou cônjuge para que seja reconhecido como beneficiário

Leia mais

Regulamento Básico dos Planos e Programas de Previdência Complementar, Saúde e Assistência Social da GEAP Fundação de Seguridade Social

Regulamento Básico dos Planos e Programas de Previdência Complementar, Saúde e Assistência Social da GEAP Fundação de Seguridade Social Regulamento Básico dos Planos e Programas de Previdência Complementar, Saúde e Assistência Social da GEAP Fundação de Seguridade Social PÁGINA 1 SUMÁRIO PÁGINA TÍTULO I Dos Planos de Previdência Complementar...04

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO IBICAPITALIZAÇÃO MAIS

CONDIÇÕES GERAIS DO IBICAPITALIZAÇÃO MAIS CONDIÇÕES GERAIS DO IBICAPITALIZAÇÃO MAIS I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRADESCO CAPITALIZAÇÃO S.A. CNPJ: 33.010.851/0001-74 PLANO PM 60/60 A - MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP

Leia mais

A... Aceitação Ato de aprovação pela entidade de uma proposta efetuada.

A... Aceitação Ato de aprovação pela entidade de uma proposta efetuada. A... Aceitação Ato de aprovação pela entidade de uma proposta efetuada. Adesão Característica do contrato de previdência privada, relativa ao ato do proponente aderir ao plano de previdência. Administradores

Leia mais

Manual Explicativo. Beleza é viver o futuro que você sempre sonhou. Boticário Prev

Manual Explicativo. Beleza é viver o futuro que você sempre sonhou. Boticário Prev Manual Explicativo Beleza é viver o futuro que você sempre sonhou. Boticário Prev 1. MANUAL EXPLICATIVO... 4 2. A APOSENTADORIA E VOCÊ... 4 3. PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR: O que é isso?... 4 4. BOTICÁRIO

Leia mais

Í n d i c e. Apresentação. Sobre a ELETROS. Sobre o Plano CD CERON. Características do Plano CD CERON

Í n d i c e. Apresentação. Sobre a ELETROS. Sobre o Plano CD CERON. Características do Plano CD CERON Í n d i c e Apresentação Sobre a ELETROS Sobre o Plano CD CERON Características do Plano CD CERON 3 4 5 6 A p r e s e n t a ç ã o Bem-vindo! Você agora é um participante do Plano CD CERON, o plano de benefícios

Leia mais

SAIBA TUDO SOBRE O PLANO III DE PREVIDÊNCIA PRIVADA!

SAIBA TUDO SOBRE O PLANO III DE PREVIDÊNCIA PRIVADA! SAIBA TUDO SOBRE O PLANO III DE PREVIDÊNCIA PRIVADA! Prezado participante, 2 Brasil Foods Sociedade de Previdência Privada Cartilha Plano III Um dos grandes objetivos da política de recursos humanos de

Leia mais

Plano de Previdência Complementar CPFL PPCPFL

Plano de Previdência Complementar CPFL PPCPFL Plano de Previdência Complementar CPFL PPCPFL Vigência: 1º/09/2010 APROVADO PELA SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PORTARIA PREVIC 613, DE 13 DE AGOSTO DE 2010. PPCPFL 1 ÍNDICE CAPÍTULO

Leia mais

REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMOS SIMPLES. 1.1 Estabelecer as diretrizes para a concessão de empréstimo simples.

REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMOS SIMPLES. 1.1 Estabelecer as diretrizes para a concessão de empréstimo simples. REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMOS SIMPLES 1 OBJETIVO 1.1 Estabelecer as diretrizes para a concessão de empréstimo simples. 2 CONCESSÃO 2.1 O empréstimo simples poderá ser concedido exclusivamente

Leia mais

CARTILHA PLANO CELPOS CD

CARTILHA PLANO CELPOS CD CARTILHA PLANO CELPOS CD ORIGINAL PLUS O QUE É O PLANO CELPOS CD? O Plano Misto I de Benefícios CELPOS CD é um plano de previdência complementar cujo benefício de aposentadoria programada é calculado de

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO AYRTON SENNA 50 ANOS

CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO AYRTON SENNA 50 ANOS CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO AYRTON SENNA 50 ANOS I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRADESCO CAPITALIZAÇÃO S/A CNPJ: 33.010.851/0001-74 PLANO PM 48/48 D - MODALIDADE: TRADICIONAL

Leia mais

Quadro Comparativo das Alterações Propostas Regulamento do Plano de Aposentadoria MSD Prev

Quadro Comparativo das Alterações Propostas Regulamento do Plano de Aposentadoria MSD Prev Quadro Comparativo das Alterações Propostas Regulamento do Plano de Aposentadoria MSD Prev MSD Prev Sociedade de Previdência Privada Anexo I Ata de Reunião Extraordinária do Conselho Deliberativo de 17/05/07

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO INSTITUTO AYRTON SENNA

CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO INSTITUTO AYRTON SENNA CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO INSTITUTO AYRTON SENNA I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRADESCO CAPITALIZAÇÃO S/A CNPJ: 33.010.851/0001-74 PÉ QUENTE BRADESCO INSTITUTO AYRTON

Leia mais

Mantida a redação. Mantida a redação

Mantida a redação. Mantida a redação Art. 11. A Contribuição Básica, de caráter mensal, bimestral, semestral ou anual é obrigatória, sendo definida a opção por uma dessas formas e o valor da contribuição, na data de ingresso do Participante

Leia mais

Norma do Programa de Empréstimo Pessoal TECHNOS

Norma do Programa de Empréstimo Pessoal TECHNOS Norma do Programa de Empréstimo Pessoal TECHNOS SUMÁRIO CAPÍTULO I - DA FINALIDADE...3 CAPÍTULO II - DOS PARTICIPANTES E ASSISTIDOS...3 CAPÍTULO III - DOS CRITÉRIOS PARA CONCESSÕES...4 CAPÍTULO IV - DOS

Leia mais

Conheça melhor o Plano de Benefícios INDUSPREV SENAI-SP

Conheça melhor o Plano de Benefícios INDUSPREV SENAI-SP Construindo no presente um futuro melhor... Conheça melhor o Plano de Benefícios INDUSPREV SENAI-SP MATERIAL EXPLICATIVO DO PLANO INDUSPREV SENAI-SP Aprovado pela Superintendência Nacional de Previdência

Leia mais

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO A PARTICIPANTE DO PLANO DE BENEFICIO CEBPREV.

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO A PARTICIPANTE DO PLANO DE BENEFICIO CEBPREV. REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO A PARTICIPANTE DO PLANO DE BENEFICIO CEBPREV. Sumário Capítulo I Da finalidade...1 Capítulo II - Dos contratantes...1 Capítulo III - Dos limites individuais...2 Capítulo IV -

Leia mais

CARTILHA EXPLICATIVA DO PLANO CIASCPREV

CARTILHA EXPLICATIVA DO PLANO CIASCPREV CARTILHA EXPLICATIVA DO PLANO CIASCPREV Florianópolis, janeiro de 2010. Caríssimo Participante, Esta cartilha vai ajudar você a entender melhor a DATUSPREV e o Plano CIASCPREV. O CIASC, pensando em você,

Leia mais

REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO SIMPLES - CV

REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO SIMPLES - CV SUMÁRIO 1. DEFINIÇÕES... 2 2. FINALIDADE... 3 3. DESTINATÁRIOS... 3 4. DOCUMENTAÇÃO... 4 5. VALOR MÁXIMO... 4 6. PRAZOS... 4 7. ENCARGOS E ATUALIZAÇÃO MONETÁRIA... 5 8. GARANTIAS... 5 9. CONDIÇÕES GERAIS...

Leia mais

Cartilha Plano A. Índice

Cartilha Plano A. Índice Cartilha Plano A Cartilha Plano A Índice Apresentação A Previnorte Histórico Patrimônio Plano de Benefícios e Plano de Custeio Salário Real de Contribuição Jóia Requisitos exigidos para filiação à PREVINORTE

Leia mais

I DO OBJETO II DAS DEFINIÇÕES

I DO OBJETO II DAS DEFINIÇÕES I DO OBJETO 1.1 - Este Regulamento tem por objetivo disciplinar o Plano de Aposentadoria da Ford Previdência Privada ( FPP ), não contributivo, estabelecendo normas e requisitos para a concessão dos benefícios

Leia mais

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL 1. FINALIDADE 1.1. Este Regulamento tem por finalidade disciplinar as concessões de empréstimos aos Participantes do Plano de Benefícios JMalucelli, administrado pelo

Leia mais

VIGÊNCIA: 19/11/2014. (Aprovado na 1550ª Reunião de Diretoria, realizada em outubro/2014)

VIGÊNCIA: 19/11/2014. (Aprovado na 1550ª Reunião de Diretoria, realizada em outubro/2014) VIGÊNCIA: 19/11/2014 (Aprovado na 1550ª Reunião de Diretoria, realizada em outubro/2014) SUMÁRIO 1 OBJETIVO... 3 2 DEFINIÇÕES... 3 3 - LIMITE DE CRÉDITO... 4 4 - ENCARGOS FINANCEIROS, ADMINISTRATIVO E

Leia mais

Guia PCD. Conheça melhor o Plano

Guia PCD. Conheça melhor o Plano Guia PCD Conheça melhor o Plano Índice De olho no Futuro...3 Quem é a Fundação Centrus?...5 Conhecendo o Plano de Contribuição Definida - PCD...6 Contribuições do Participante...7 Saldo de Conta...8 Benefícios

Leia mais

SERGUS - INSTITUTO BANESE DE SEGURIDADE SOCIAL REGULAMENTO GLOSSÁRIO

SERGUS - INSTITUTO BANESE DE SEGURIDADE SOCIAL REGULAMENTO GLOSSÁRIO SERGUS - INSTITUTO BANESE DE SEGURIDADE SOCIAL REGULAMENTO GLOSSÁRIO Neste Regulamento, as expressões, palavras, abreviações ou siglas abaixo terão o seguinte significado, a menos que o contexto indique

Leia mais

PLANO DE PREVIDÊNCIA DA MÚTUA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS PROFISSIONAIS DO CREA

PLANO DE PREVIDÊNCIA DA MÚTUA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS PROFISSIONAIS DO CREA PLANO DE PREVIDÊNCIA DA MÚTUA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS PROFISSIONAIS DO CREA Mensagem ao Associado Caro Associado, A maior preocupação do profissional que compõe o Sistema Confea / Crea / Mútua talvez

Leia mais

MATERIAL EXPLICATIVO PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DO ADVOGADO OABPREV-SP

MATERIAL EXPLICATIVO PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DO ADVOGADO OABPREV-SP MATERIAL EXPLICATIVO PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DO ADVOGADO OABPREV-SP OABPrev-SP O OABPrev-SP surgiu do anseio da categoria em oferecer um plano de previdência desenvolvido exclusivamente para

Leia mais

Alterações Propostas Regulamento do Plano de Benefícios Pepsico Quadro Comparativo

Alterações Propostas Regulamento do Plano de Benefícios Pepsico Quadro Comparativo Alterações Propostas Regulamento do Plano de Benefícios Pepsico Quadro Comparativo CNPB 2004.0020-18 Prev Pepsico Sociedade Previdenciária CNPJ 00.098.693/0001-05 CAPÍTULO I DO OBJETO CAPÍTULO I DO OBJETO

Leia mais

Regulamento PCA Fundação Ampla de Seguridade Social - Brasiletros

Regulamento PCA Fundação Ampla de Seguridade Social - Brasiletros Superintendência Nacional de Previdência Complementar PREVIC Diretoria de Análise Técnica O DIRETOR DE ANÁLISE TÉCNICA, no uso das atribuições que lhe confere o inciso I do art. 33, combinado com o art.

Leia mais

REGULAMENTO PLANO PREVIND SESI/RS CNPB Nº 19.900.013-19. Texto Atual Texto Proposto Justificativa. São partes no presente instrumento: Fundo

REGULAMENTO PLANO PREVIND SESI/RS CNPB Nº 19.900.013-19. Texto Atual Texto Proposto Justificativa. São partes no presente instrumento: Fundo REGULAMENTO PLANO PREVIND SESI/RS CNPB Nº 19.900.013-19 Texto Atual Texto Proposto Justificativa São partes no presente instrumento: Fundo SOCIEDADE CIVIL DE PREVIDÊNCIA PRIVADA DO RIO GRANDE DO SUL -

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PREMIUM CASH

CONDIÇÕES GERAIS DO PREMIUM CASH CONDIÇÕES GERAIS DO PREMIUM CASH I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRADESCO CAPITALIZAÇÃO S/A CNPJ: 33.010.851/0001-74 PREMIUM CASH PLANO PM 60/60 N - MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO SOS MATA ATLÂNTICA

CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO SOS MATA ATLÂNTICA CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO SOS MATA ATLÂNTICA I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRADESCO CAPITALIZAÇÃO S/A CNPJ: 33.010.851/0001-74 PÉ QUENTE BRADESCO SOS MATA ATLÂNTICA PLANO

Leia mais

Segurança para quem você ama. Regulamento

Segurança para quem você ama. Regulamento Segurança para quem você ama. Regulamento Bem-vindo, novo participante! É com satisfação que recebemos sua adesão ao Família Previdência, plano desenhado para oferecer uma complementação de aposentadoria

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO SORTE DIA&NOITE

CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO SORTE DIA&NOITE I INFORMAÇÕES INICIAIS CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO SORTE DIA&NOITE SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRADESCO CAPITALIZAÇÃO S/A CNPJ: 33.010.851/0001-74 PÉ QUENTE BRADESCO SORTE DIA&NOITE PLANO PM

Leia mais

Aceprev. Cartilha do Plano de Benefícios REGRA MIGRADOS. Aperam Inox América do Sul S.A. Acesita Previdência Privada

Aceprev. Cartilha do Plano de Benefícios REGRA MIGRADOS. Aperam Inox América do Sul S.A. Acesita Previdência Privada Aceprev Acesita Previdência Privada Aperam Inox América do Sul S.A. Cartilha do Plano de Benefícios REGRA MIGRADOS Aceprev Acesita Previdência Privada DIRETORIA EXECUTIVA Nélia Maria de Campos Pozzi -

Leia mais

CAPAF CAIXA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DO BANCO DA AMAZÔNIA. Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários - PrevAmazônia

CAPAF CAIXA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DO BANCO DA AMAZÔNIA. Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários - PrevAmazônia CAPAF CAIXA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DO BANCO DA AMAZÔNIA Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários - PrevAmazônia Indice CAPÍTULO I - DO OBJETO... 4 CAPÍTULO II - DAS DEFINIÇÕES E REMISSOES...

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PM102T7 TRADICIONAL CNPJ: 74.267.170/0001-73 MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP Nº:

CONDIÇÕES GERAIS DO PM102T7 TRADICIONAL CNPJ: 74.267.170/0001-73 MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP Nº: CONDIÇÕES GERAIS DO PM102T7 TRADICIONAL I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: ICATU CAPITALIZAÇÃO S.A CNPJ: 74.267.170/0001-73 PM102T7 MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP Nº: II GLOSSÁRIO

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 3 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS 11- FOLHA SALÁRIO DA PATROCINADORA

Leia mais

2º Semestre de 2010 2

2º Semestre de 2010 2 1 2 2º Semestre de 2010 O objetivo deste material é abordar os pontos principais do Plano de Benefícios PreviSenac e não substitui o conteúdo do regulamento. 3 4 Índice PreviSenac para um futuro melhor

Leia mais

REGULAMENTO DOS EMPRÉSTIMOS FORLUZ

REGULAMENTO DOS EMPRÉSTIMOS FORLUZ Aprovado pelo Comitê de Investimentos da Forluz na 330ª reunião de 14/09/2011 e na 331ª reunião de 23/09/2011. Válido para empréstimos solicitados a partir de 01/10/2011. REGULAMENTO DOS EMPRÉSTIMOS FORLUZ

Leia mais

CARTILHA EXPLICATIVA. Esta Cartilha vai ajudá-lo a entender melhor o OABPrev-GO e o Plano de Benefícios Previdenciários do Advogado Adv-PREV.

CARTILHA EXPLICATIVA. Esta Cartilha vai ajudá-lo a entender melhor o OABPrev-GO e o Plano de Benefícios Previdenciários do Advogado Adv-PREV. CARTILHA 2010 CARTILHA EXPLICATIVA Esta Cartilha vai ajudá-lo a entender melhor o OABPrev-GO e o Plano de Benefícios Previdenciários do Advogado Adv-PREV. Com o Adv-PREV você verá que é possível viver

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 2 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS 11- FOLHA SALÁRIO DA PATROCINADORA

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PIC

CONDIÇÕES GERAIS DO PIC CONDIÇÕES GERAIS DO PIC I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: CIA ITAÚ DE CAPITALIZAÇÃO CNPJ: 23.025.711/0001-16 PIC - MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP Nº: 15414.005217/2012-63 WEB-SITE:

Leia mais

REGULAMENTO DOS EMPRÉSTIMOS FORLUZ

REGULAMENTO DOS EMPRÉSTIMOS FORLUZ Aprovado pelo Comitê de Investimentos da Forluz em 18 e 25/01/13 (Ata da 401ª e 403ª reunião). Válido para empréstimos solicitados a partir de 01/03/2013. REGULAMENTO DOS EMPRÉSTIMOS FORLUZ CAPÍTULO I

Leia mais

Material Explicativo Centrus

Material Explicativo Centrus Material Explicativo Centrus De olho no futuro! É natural do ser humano sempre pensar em situações que ainda não aconteceram. Viagem dos sonhos, o emprego ideal, casar, ter filhos, trocar de carro, comprar

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO PRIME

CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO PRIME CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO PRIME I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRADESCO CAPITALIZAÇÃO S/A CNPJ: 33.010.851/0001-74 PÉ QUENTE BRADESCO PRIME PLANO PM 48/48 P - MODALIDADE:

Leia mais

Plano D. Material Explicativo

Plano D. Material Explicativo Plano D Material Explicativo 2 Material Explicativo Previ Novartis Índice Pág. 4 Introdução Pág. 6 A Previdência no Brasil Pág. 10 A Previdência e o Plano de Benefício D Pág. 24 Questões 3 Material Explicativo

Leia mais

Plano de Benefícios Visão Telesp Maio/2011

Plano de Benefícios Visão Telesp Maio/2011 Plano de Benefícios Visão Telesp Maio/2011 Índice Quem Somos Estrutura do plano Importância da Previdência Privada. Quanto antes melhor! As regras do plano Canais Visão Prev 2 Visão Prev Entidade fechada

Leia mais

CARTILHA EXPLICATIVA... 3 FUNDO PARANÁ... 4 PATRIMÔNIO... 5 SEGURANÇA... 5 BENEFÍCIO FISCAL... 6 ASFUNPAR... 7 PLANO JMALUCELLI PREVIDÊNCIA...

CARTILHA EXPLICATIVA... 3 FUNDO PARANÁ... 4 PATRIMÔNIO... 5 SEGURANÇA... 5 BENEFÍCIO FISCAL... 6 ASFUNPAR... 7 PLANO JMALUCELLI PREVIDÊNCIA... ÍNDICE CARTILHA EXPLICATIVA... 3 FUNDO PARANÁ... 4 PATRIMÔNIO... 5 SEGURANÇA... 5 BENEFÍCIO FISCAL... 6 ASFUNPAR... 7 PLANO JMALUCELLI PREVIDÊNCIA... 8 CONHEÇA O PLANO JMALUCELLI PREVIDÊNCIA... 9 PARTICIPANTES...

Leia mais

OABPrev/RJ FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, SECCIONAL RIO DE JANEIRO

OABPrev/RJ FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, SECCIONAL RIO DE JANEIRO OABPrev/RJ FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, SECCIONAL RIO DE JANEIRO REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DO ADVOGADO - RJPrev Rio de Janeiro, 2013 ÍNDICE

Leia mais

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP POPULAR 513 MODALIDADE POPULAR PAGAMENTO MENSAL CONDIÇÕES GERAIS

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP POPULAR 513 MODALIDADE POPULAR PAGAMENTO MENSAL CONDIÇÕES GERAIS I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A. CNPJ: 88.076.302/0001-94 APLUBCAP POPULAR 513 MODALIDADE: POPULAR PROCESSO SUSEP Nº: 15414.900001/2014-75 II - GLOSSÁRIO Subscritor

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS SANTANDER CAP SORTE UNIVERSITÁRIO I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO:

CONDIÇÕES GERAIS SANTANDER CAP SORTE UNIVERSITÁRIO I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: CONDIÇÕES GERAIS SANTANDER CAP SORTE UNIVERSITÁRIO I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: Santander Capitalização S/A CNPJ: 03.209.092/0001-02 MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP Nº: 15414.001039/2009-04

Leia mais

REGULAMENTO EMPRÉSTIMO CASANPREV

REGULAMENTO EMPRÉSTIMO CASANPREV REGULAMENTO EMPRÉSTIMO CASANPREV 1 CAPÍTULO I Do Objeto Art. 1º Este documento, doravante denominado Regulamento de Empréstimo, estabelece os direitos e as obrigações da CASANPREV, dos Participantes, Assistidos

Leia mais

CG DA MODALIDADE POPULAR PM CONDIÇÕES GERAIS DO APLUBCAP POPULAR 2262 SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A. CNPJ: 88.076.

CG DA MODALIDADE POPULAR PM CONDIÇÕES GERAIS DO APLUBCAP POPULAR 2262 SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A. CNPJ: 88.076. CONDIÇÕES GERAIS DO APLUBCAP POPULAR 2262 I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A. CNPJ: 88.076.302/0001-94 APLUBCAP POPULAR 226 MODALIDADE: POPULAR PROCESSO SUSEP Nº:

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS - REG/REPLAN

REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS - REG/REPLAN REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS - REG/REPLAN CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES SEÇÃO I DA FINALIDADE Art. 1º - O presente Regulamento tem por finalidade estabelecer o conjunto de regras do Plano de

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO OUROCAP MULTISORTE PM24P I INFORMAÇÕES INICIAIS

CONDIÇÕES GERAIS DO OUROCAP MULTISORTE PM24P I INFORMAÇÕES INICIAIS CONDIÇÕES GERAIS DO OUROCAP MULTISORTE PM24P I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRASILCAP CAPITALIZAÇÃO S.A. CNPJ: 15.138.043/0001-05 OUROCAP MULTISORTE PM24P - MODALIDADE: TRADICIONAL

Leia mais

Carência para o recebimento do benefício pensão por morte?

Carência para o recebimento do benefício pensão por morte? 1 Carência para o recebimento do benefício pensão por morte? A MP 664 de dezembro de 2014 previu uma carência de 24 meses para a obtenção do benefício pensão por morte. Depois de muita discussão no Congresso

Leia mais