Telefone: (31)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Telefone: (31) 3352 1272 apostila@apostilasdamasceno.com"

Transcrição

1 REGÊNCIA Regência é o modo pelo qual um termo rege outro que o complementa. A regência pode ser verbal ou nominal, conforme trate do regime dos verbos ou dos nomes (substantivos e adjetivos). 1 REGÊNCIA VERBAL a) Regência e significação dos verbos: há verbos que admitem mais de uma regência, sem mudar de sentido. Cumpriremos o nosso dever = Cumpriremos com o nosso dever. José não tarda a chegar = José tarda em chegar b) Outros verbos pelo contrário, assumem outra significação, quando lhes muda a regência. Aspirei o aroma das flores = sorver, absorver Aspirei ao sacerdócio = desejar, pretender Olhe para ele = fixar o olhar Olhe por ele. = cuidar, interessar se c) Regência de alguns verbos: Aspirar No sentido de sorver, respirar, tragar. T.D. 1 Ex.: Gosto de aspirar a ar puro do campo. No sentido de desejar, almejar, querer muito. T.I. 2 Ex.: O escriturário aspira ao cargo de gerente. OBS.: Neste sentido, o verbo ASPIRAR não admite objeto indireto representado por pronomes átonos. Ex.: A jovem aspirava à primeira colocação, isto é. A jovem aspirava a ela. (nunca: aspiravalhe). Assistir No sentido de ver, presenciar. T.I. Ex.: Vou assistir ao jogo. OBS.: Aqui, também, não se admite o pronome átono. Ex.: Vou assistir ao filme. Vou assistir a ele. No sentido de socorrer, ajudar, prestar assistência, cuidar. T.D. ou T.I. Ex.: O médico assistiu o/ao enfermo. // o médico assistiu o ou lhe. 1 T.D. (transitivo direto) 1

2 No sentido de caber, ter, direito, competir. T.I Ex.: Não assiste ao professor reclamar tanto. Não lhe assiste o direito de reclamar. No sentido de morar, residir. Intransitivo Ex.: Antes morava em Brasília, agora assiste no Rio de Janeiro. Custar No sentido de ser difícil. T.I. (O verbo ficará sempre na terceira pessoa do singular). Ex.: Custou me entender este assunto. No sentido de acarretar. T.D.I. 3 Ex.: A imprudência custou lhe lágrimas amargas. No sentido de se estabelecer preço. Intransitivo. Ex.: Este rádio custou oitocentos cruzeiros. Esquecer / Lembrar Estes verbos apresentam três construções. Esqueceu o livro. (transitivo direto) Esqueceu se do livro. (transitivo indireto verbo pronominal) Esqueceu me o livro. (transitivo indireto) Neste último caso, a coisa esquecida torna se sujeito e a pessoa, objeto indireto. Implicar No sentido de acarretar, trazer conseqüência. T.D. (sem preposição). Ex.: Toda ação implica uma reação igual ou contrária. No sentido de ter implicância. T.I. (prep. Com) Ex.: Ela vivia implicando com o irmão. Pronominal acrescido de se. T.I. (prep. Em) Ex.: Embora jovem, implicou se em situações de delicadas. Ir É intransitivo, não admitindo a preposição em. Ex.: Vou à praia. / Foi para a França. Mas nunca: Vou no cinema./ Foi no Maracanã. Pagar/Perdoar Estes verbos são transitivos diretos e indiretos. A coisa paga ou perdoada será sempre objeto direto, enquanto a pessoa a que se perdoa ou a quem se paga será objeto indireto, precedido pela preposição a. 2 T.I. (transitivo indireto) 2

3 Ex.: Pagou a dívida. / Pagou ao credor. Perdoou a dívida. / Perdoou ao devedor. Pagou a dívida ao credor. / Perdoou a dívida ao devedor. Preferir É transitivo direto e indireto. Não admite termos de intensidade nem de comparação. É errado dizer se: Prefiro mais cerveja do que vinho. É certo assim: Prefiro cerveja a vinho. Prefiro quibe a sanduíche. Proceder No sentido de DAR INÍCIO, REALIZAR T.I. (prep. A). Ex.: Procedeu ao recolhimento de donativos. No sentido de ORIGINAR SE, PROVIR. INTRANSITIVO (prep. DE). Ex.: O trem procedia de São Lourenço. No sentido de comportar se. Intransitivo (sem prep.) Ex.: Zezinho não procedeu como devia. No sentido de ter fundamento. Intransitivo (sem prep.) Ex.: Ta l atitude não procede neste recinto. Querer No sentido de desejar. T.D. Ex.: O bebê queria a chupeta. No sentido de estimar, gostar, amar. T.I (prep.a) Ex.: Quero muito aos meus amigos. // Despede se o amigo que muito lhe quer. Responder T.D.I (com objeto direto de coisa e objeto indireto de pessoal). Ex.: Respondi o telegrama ao amigo. T.I. (com objeto indireto de pessoal). Ex.: Respondi ao amigo. T.I. (com objeto indireto de coisa). Quando não houver pessoa a quem se responde, a coisa vira objeto indireto. Ex.: Respondi ao telegrama Atenção: Aqui, neste caso, não se aceita a substituição do nome preposicionado pelo pronome átono embora, modernamente, alguns autores já estejam admitindo. 3 T.D.I. (transitivo direto e indireto) 3

4 Visar No sentido de mirar, apontar para. T.D. Ex.: O caçador visou o tigre. No sentido de pôr a rubrica, dar o visto. T.D. Ex.: O reitor visou o diploma. No sentido de ter como objetivo. T.I. (prep. A) Ex.: Visamos ao bom ensino da linguagem. OBS: Visar, neste sentido, não admite substituição por pronome átono. Ex.: Visamos ao progresso. Visamos a ele. Atenção: Os seguintes verbos não admitem objeto indireto representado por pronomes átonos. 1. Assistir no sentido de ver 2. Aspirar no sentido de almejar 3. Aludir 4. Anuir 5. Aceder 6. Referir se 7. Responder (com obj.ind. de coisa) 2 REGÊNCIA NOMINAL É a maneira de o nome se relacionar com seus complementos ALGUNS CASOS DE REGÊNCIA NOMINAL, REGÊNCIA DE ALGUNS SUBSTANTIVOS, ADJETIVOS E ADVÉRBIOS afável com, para com alheio a amoroso com, para com análogo a ansioso de, por anterior a apresentado com apto para, a atentado a, contra aversão a, de, em contente com, de, em, por cruel com, para, com Cuidadoso de, por descontente com desfavorável a Devoto a, de difícil de digno de Dotado de Dúvida acerca de, em sobre entendido em essencial para exato a ávido de bacharel em benéfico a bom para capaz de Cego a cheiro a, de comum a, de conforme a, com constante em contemporâneo de, a contrário a desatento a desejoso de desleal a devoção a, para, com, por diferente de dócil a doutro de, em empenho em, por escasso de estranho a fraco para, com, de, em fácil a, de, para Falho de, em Favorável a, de, para fiel a firme em forte de, em ida a imediato a impróprio para imune a, de incapaz de, para incompreensível para incrível a, para Indeciso em indigno de insensível a leal a longe de mau com, para com natural de negligente em orgulhoso com, para com parecido com furioso com, de habituado a grato a hábil em horror a hostil a, para com idêntico a impaciência com inacessível para, a importante incompatível com inconstante em inédito a indiferente a inerente a intolerante com, para com liberal com maior de menor de necessário a nobre de, em por obediente a peculiar a 4

5 perito em piedade a, de poderoso para, com posterior a pronto para, em proveitoso a rico de, em sensível a perto de pobre de possível de preste a, para próprio para, de respeito, com sábio e, para situado a, em, entre soberbo com sujo de suspeito a, de triste de, com união a, com, entre útil a, com, entre visível a solícito com temível a temeroso de último em, de, a único em, a, entre vazio de 5

Profª.: Elysângela Neves

Profª.: Elysângela Neves Profª.: Elysângela Neves Regência É a relação sintática que se estabelece entre um termo regente ou subordinante (que exige outro) e o termo regido ou subordinado (termo regido pelo primeiro) A regência

Leia mais

REGÊNCIA. Pedro de Alcântara, residente na Rua da Memória. Namorar. Na linguagem formal culta, exige dois complementos:

REGÊNCIA. Pedro de Alcântara, residente na Rua da Memória. Namorar. Na linguagem formal culta, exige dois complementos: REGÊNCIA 1. DEFINIÇÃO Regência é a parte da gramática que trata das relações entre os termos da oração, verificando como se estabelece a dependência entre eles. Observe as seguintes orações: Jogamos futebol

Leia mais

Quando o termo regente é um verbo, ocorre a regência verbal: O governo congelou os preços. termo termo regente regido

Quando o termo regente é um verbo, ocorre a regência verbal: O governo congelou os preços. termo termo regente regido Quando o termo regente é um verbo, ocorre a regência verbal: O governo congelou os preços. termo termo regente regido Confiamos em Deus. termo termo regente regido OBS.: Na regência verbal, o termo regido

Leia mais

AULA DE LÍNGUA PORTUGUESA REGÊNCIA VERBAL CURSO ÁREA TRABALHISTA CALVET PROF. EDUARDO SABBAG 2011

AULA DE LÍNGUA PORTUGUESA REGÊNCIA VERBAL CURSO ÁREA TRABALHISTA CALVET PROF. EDUARDO SABBAG 2011 AULA DE LÍNGUA PORTUGUESA REGÊNCIA VERBAL CURSO ÁREA TRABALHISTA CALVET PROF. EDUARDO SABBAG 2011 CONCEITO. A Regência refere-se ao estudo da relação de dependência ou subordinação que se estabelece entre

Leia mais

CUIDADO: VI E GOSTEI DO FILME. ELE ASSISTIU E ELOGIOU O ESPETÁCULO.

CUIDADO: VI E GOSTEI DO FILME. ELE ASSISTIU E ELOGIOU O ESPETÁCULO. REGÊNCIA VERBAL E NOMINAL REGÊNCIA VERBAL Parte da sintaxe que estuda as relações entre os verbos e seus complementos ou termos circunstanciais, bem como o uso ou não de preposição e suas variações semânticas.

Leia mais

É a relação de dependência existente entre um nome (substantivo, adjetivo, advérbio) e seu complemento:

É a relação de dependência existente entre um nome (substantivo, adjetivo, advérbio) e seu complemento: REGÊNCIA NOMINAL É a relação de dependência existente entre um nome (substantivo, adjetivo, advérbio) e seu complemento: A resolução dos exercícios será feita em sala de aula. subst. compl. nom. (regente)

Leia mais

FORTALECENDO SABERES LÍNGUA PORTUGUESA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA. Aula 38.1 Conteúdos: Regência verbal

FORTALECENDO SABERES LÍNGUA PORTUGUESA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA. Aula 38.1 Conteúdos: Regência verbal 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Aula 38.1 Conteúdos: Regência verbal 3 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Habilidades: Distinguir a relação que se estabelece

Leia mais

Regência nominal. Regência Verbal. Verbos Transitivos Diretos

Regência nominal. Regência Verbal. Verbos Transitivos Diretos Regência nominal A regência nominal estuda os casos em que um nome (substantivo, adjetivo ou advérbio) exige um outro termo que lhe complete o sentido. Normalmente, o complemento de um nome vem iniciando

Leia mais

Vejamos abaixo a regência de alguns verbos e suas particularidades:

Vejamos abaixo a regência de alguns verbos e suas particularidades: LÍNGUA PORTUGUESA Prof. Maria Augusta G. Almeida REGÊNCIA VERBAL Vejamos abaixo a regência de alguns verbos e suas particularidades: 1-ABRAÇAR: é transitivo direto quando usado no sentido de apertar com

Leia mais

Bárbara da Silva. Português. Aula 45 Regências nominal e verbal

Bárbara da Silva. Português. Aula 45 Regências nominal e verbal Bárbara da Silva Português Aula 45 Regências nominal e verbal Regência nominal e verbal Dá-se o nome de regência à relação de subordinação que ocorre entre um verbo (ou um nome) e seus complementos. Ocupa-se

Leia mais

REGÊNCIA VERBAL VERBOS TRANSITIVOS DIRETOS (VTD).

REGÊNCIA VERBAL VERBOS TRANSITIVOS DIRETOS (VTD). REGÊNCIA VERBAL Regência verbal é a relação de dependência, de subordinação, que se estabelece entre os verbos e seus complementos. Regência é a matéria que mais dificuldades traz ao estudante pela variedade

Leia mais

MATÉRIA: Língua Portuguesa. PROFESSOR: Karla Gomes. SÉRIE: 3º ano. TIPO: Trabalho de Recuperação - 2ª etapa

MATÉRIA: Língua Portuguesa. PROFESSOR: Karla Gomes. SÉRIE: 3º ano. TIPO: Trabalho de Recuperação - 2ª etapa MATÉRIA: Língua Portuguesa PROFESSOR: Karla Gomes SÉRIE: 3º ano TIPO: Trabalho de Recuperação - 2ª etapa QUESTÃO 01- (ITA SP) Leia com atenção a seguinte frase de um texto publicitário: Esta é a escola

Leia mais

Português 3º ano João J. Regência

Português 3º ano João J. Regência Português 3º ano João J. Regência Regência Regência É a relação sintática que se estabelece entre um termo regente ou subordinante (que admite outro) e o termo regido ou subordinado (termo exigido pelo

Leia mais

Letras. Objetivo. Aspectos das Conexões Sintáticas. Prof a. Dr a. Leda Szabo

Letras. Objetivo. Aspectos das Conexões Sintáticas. Prof a. Dr a. Leda Szabo Letras Prof a. Dr a. Leda Szabo Aspectos das Conexões Sintáticas Objetivo Diferenciar o objeto de estudo da análise de base sintática do objeto de estudo da análise do discurso. Compreender a diferença

Leia mais

Bem vindo à loja Materiais de Português

Bem vindo à loja Materiais de Português Bem vindo à loja Materiais de Português Este material é um demonstrativo que contém algumas páginas da Apostila de Regência. Caso queira adquirir o material completo, você pode realizar uma compra na loja.

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA. Professora Rosane Reis MÓDULO 13 SINTAXE V REGÊNCIA VERBAL E NOMINAL

LÍNGUA PORTUGUESA. Professora Rosane Reis MÓDULO 13 SINTAXE V REGÊNCIA VERBAL E NOMINAL LÍNGUA PORTUGUESA Professora Rosane Reis MÓDULO 13 SINTAXE V REGÊNCIA VERBAL E NOMINAL REGÊNCIA A REGÊNCIA PODE SER DIRETA, QUANDO A RELAÇÃO DE DEPENDÊNCIA É REALIZADA POR JUSTAPOSIÇÃO DE TERMOS, OU INDIRETA,

Leia mais

Equipe de Língua Portuguesa. Língua Portuguesa SÍNTESE DA GRAMÁTICA

Equipe de Língua Portuguesa. Língua Portuguesa SÍNTESE DA GRAMÁTICA Aluno (a): Série: 3ª TUTORIAL 3B Ensino Médio Data: Turma: Equipe de Língua Portuguesa Língua Portuguesa SÍNTESE DA GRAMÁTICA TERMOS INTEGRANTES = completam o sentido de determinados verbos e nomes. São

Leia mais

Colégio Social Madre Clélia

Colégio Social Madre Clélia Colégio Social Madre Clélia Professora ANA PAULA Língua Portuguesa / 2ºEM / 2º trimestre 2012 REGÊNCIA NOMINAL E VERBAL Cuida especialmente das relações de dependência em que se encontram os termos na

Leia mais

208. Assinale a única frase correta quanto ao uso dos pronomes pessoais: 209. Assinale o exemplo que contém mau emprego de pronome pessoal:

208. Assinale a única frase correta quanto ao uso dos pronomes pessoais: 209. Assinale o exemplo que contém mau emprego de pronome pessoal: 207. Complete com eu ou mim : CLASSES DE PALAVRAS PRONOME: - eles chegaram antes de. - há algum trabalho para fazer? - há algum trabalho para? - ele pediu para elaborar alguns exercícios; - para, viajar

Leia mais

Não exige complemento. Ex.: O pássaro cantou. O menino acordou. O bebê nasceu.

Não exige complemento. Ex.: O pássaro cantou. O menino acordou. O bebê nasceu. Retomada Não exige complemento. Ex.: O pássaro cantou. O menino acordou. O bebê nasceu. Obs.: O verbo intransitivo pode vir acompanhado de circunstâncias adverbiais. Ex.: O menino acordou cedo. O homem

Leia mais

Núcleo de Educação a Distância 1 UVAONLINE. Comunicação Oral e Escrita. Unidade 11. Emprego de Pronomes Relativos e Pessoais

Núcleo de Educação a Distância 1 UVAONLINE. Comunicação Oral e Escrita. Unidade 11. Emprego de Pronomes Relativos e Pessoais Núcleo de Educação a Distância 1 UVAONLINE Comunicação Oral e Escrita Unidade 11 Emprego de Pronomes Relativos e Pessoais Núcleo de Educação a Distância 2 Aviso importante! Este material foi produzido

Leia mais

ATENÇÃO! Material retirado da Internet, que eu considero de fonte segura e confiável. Os endereços estão no fim de cada assunto. Regência verbal Regência verbal é a relação que existe entre os verbos e

Leia mais

Prof. Jorge Viana de Moraes

Prof. Jorge Viana de Moraes Prof. Jorge Viana de Moraes Regência É a relação sintática que se estabelece entre um termo regente ou subordinante (que exige outro) e o termo regido ou subordinado (termo regido pelo primeiro) A regência

Leia mais

Pessoais Do caso reto Oblíquo. Possessivos. Demonstrativos. Relativos. Indefinidos. Interrogativos

Pessoais Do caso reto Oblíquo. Possessivos. Demonstrativos. Relativos. Indefinidos. Interrogativos Pessoais Do caso reto Oblíquo Possessivos Demonstrativos Relativos Indefinidos Interrogativos Os pronomes is indicam diretamente as s do discurso. Quem fala ou escreve, assume os pronomes eu ou nós, emprega

Leia mais

CRASE TEORIA. REGRA GERAL A crase ocorrerá sempre que o termo anterior exigir a preposição a e o termo posterior admitir o artigo a ou as.

CRASE TEORIA. REGRA GERAL A crase ocorrerá sempre que o termo anterior exigir a preposição a e o termo posterior admitir o artigo a ou as. CRASE TEORIA (Aluna do Curso de Secretariado Executivo Trilíngüe da Universidade Estácio de Sá) Crase é a fusão da preposição a com o artigo a ou com o a inicial dos pronomes demonstrativos aquele, aquela,

Leia mais

Logo, fiquem atentos às nossas instruções para que tudo ocorra dentro da normalidade.

Logo, fiquem atentos às nossas instruções para que tudo ocorra dentro da normalidade. Papai e Mamãe, A Escola Bem-Me-Quer apresenta esta cartilha para que vocês possam tornar a adaptação do seu (sua) filho (a) mais tranquila e sem traumas. Mas para isso, é necessário que vocês sigam direitinho

Leia mais

CASOS PARTICULARES S + S + A Obs:

CASOS PARTICULARES S + S + A Obs: 1) Regra geral Palavra que acompanha substantivo concorda com ele. Ex.: O aluno. Os alunos. A aluna. As alunas. Meu livro. Meus livros. Minha pasta. Minhas pastas. Garoto alto. Garotos altos. Garota alta.

Leia mais

Aula4 ASPECTOS DA TRANSITIVIDADE VERBAL EM LÍNGUA PORTUGUESA. Lêda Corrêa

Aula4 ASPECTOS DA TRANSITIVIDADE VERBAL EM LÍNGUA PORTUGUESA. Lêda Corrêa Aula4 ASPECTOS DA TRANSITIVIDADE VERBAL EM LÍNGUA PORTUGUESA META Apresentar questões problemáticas relativas à transitividade verbal pela gramática tradicional; propor novo modelo de transitividade verbal.

Leia mais

CRASE. CONCEITO - É a fusão de duas vogais idênticas. Representa-se graficamente a crase pelo acento grave (`).

CRASE. CONCEITO - É a fusão de duas vogais idênticas. Representa-se graficamente a crase pelo acento grave (`). CRASE CONCEITO - É a fusão de duas vogais idênticas. Representa-se graficamente a crase pelo acento grave (`). A crase pode ocorrer entre: 1) Preposição A e os artigos A, AS Há limites a+a tolerância humana

Leia mais

Gramática e ensino do português

Gramática e ensino do português Ação de formação Gramática e ensino do português Filomena Viegas Funções sintáticas na frase Sujeito [[Os meus primos] vivem em Santarém. [Esse rapaz alto que tu conheces] estudou no Porto. Chegaram [os

Leia mais

Exemplo: O pedido tem a finalidade de atender as necessidades previstas. O pedido tem a finalidade de atender às necessidades previstas.

Exemplo: O pedido tem a finalidade de atender as necessidades previstas. O pedido tem a finalidade de atender às necessidades previstas. Projeto Falar Bem O projeto Falar Bem está sendo desenvolvido na ECEME, no corrente ano, com o objetivo de observar e analisar palestras e instruções, a fim de reunir dados para a elaboração de uma crítica

Leia mais

REGÊNCIA VERBAL E NOMINAL

REGÊNCIA VERBAL E NOMINAL REGÊNCIA VERBAL E NOMINAL GRAMÁTICA REGÊNCIA VERBAL E NOMINAL REGÊNCIA VERBAL A regência verbal é a relação entre o verbo e seu complemento, além do uso ou não de algumas preposições. Cuidado com o SENTIDO

Leia mais

c) O verbo ficará no singular ou no plural se o sujeito coletivo for especificado com substantivo no plural.

c) O verbo ficará no singular ou no plural se o sujeito coletivo for especificado com substantivo no plural. Concordância Verbal a) O verbo vai para a 3ª pessoa do plural caso o sujeito seja composto e anteposto ao verbo. Se o sujeito composto é posposto ao verbo, este irá para o plural ou concordará com o substantivo

Leia mais

O que fazer em meio às turbulências

O que fazer em meio às turbulências O que fazer em meio às turbulências VERSÍCULO BÍBLICO Façam todo o possível para viver em paz com todos. Romanos 12:18 OBJETIVOS O QUÊ? (GG): As crianças assistirão a um programa de auditório chamado Geração

Leia mais

Sem o acento, uma frase como essa teria seu sentido alterado, pois, em "Saiu a francesa", "a francesa" é o sujeito da oração.

Sem o acento, uma frase como essa teria seu sentido alterado, pois, em Saiu a francesa, a francesa é o sujeito da oração. OBS.: A locução prepositiva "à moda de" tem uma peculiaridade: nela se costuma observar a elisão do substantivo feminino "moda", mas, mesmo nos casos em que isso ocorre, mantém-se o acento de crase. Ex.:

Leia mais

WWW.CARREIRAFISCAL.COM.BR

WWW.CARREIRAFISCAL.COM.BR CRASE É a fusão da preposição a com o artigo a(s) ou com os pronomes demonstrativos a(s), aquele(s), aquela(s) e aquilo. REGRAS PRÁTICAS PARA A CRASE Método prático para verificar a ocorrência da crase:

Leia mais

Vestibular Comentado - UVA/2010.2

Vestibular Comentado - UVA/2010.2 LÍNGUA PORTUGUESA Comentários: Profs. Evaristo, Crerlânio, Vicente Júnior Texto 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 Flor voltara a embalar-se

Leia mais

UNIDADE 17 - PARTE 01 INTERMEDIÁRIO - AVANÇADO

UNIDADE 17 - PARTE 01 INTERMEDIÁRIO - AVANÇADO UNIDADE 17 - PARTE 01 INTERMEDIÁRIO - AVANÇADO A partir desta unidade começamos uma nova etapa em nosso Curso de Português. Já estamos no nível Intermediário-Avançado, portanto, você aluno, deverá estar

Leia mais

Sou Helena Maria Ferreira de Morais Gusmão, Cliente NOS C827261492, Contribuinte Nr.102 297 878 e venho reclamar o seguinte:

Sou Helena Maria Ferreira de Morais Gusmão, Cliente NOS C827261492, Contribuinte Nr.102 297 878 e venho reclamar o seguinte: Exmos. Senhores. Sou Helena Maria Ferreira de Morais Gusmão, Cliente NOS C827261492, Contribuinte Nr.102 297 878 e venho reclamar o seguinte: Sou cliente desde a época da TVTel nunca, até hoje, mudei de

Leia mais

Brasileiros esperam ganhar salário três vezes maior após fazer MBA

Brasileiros esperam ganhar salário três vezes maior após fazer MBA COLÉGIO SHALOM Ensino Fundamental 6º Ano Profª: Margareth Rodrigues Dutra Disciplina: Língua Portuguesa Aluno(a): TRABALHO DE RECUPERAÇÃO Data de entrega: 18/12/14 Questão 1- Leia o texto a seguir. Brasileiros

Leia mais

Termos integrantes da oração Objeto direto e indireto

Termos integrantes da oração Objeto direto e indireto Termos integrantes da oração Objeto direto e indireto Termos integrantes da oração Certos verbos ou nomes presentes numa oração não possuem sentido completo em si mesmos. Sua significação só se completa

Leia mais

Professora: Lícia Souza

Professora: Lícia Souza Professora: Lícia Souza Morfossintaxe: a seleção e a combinação de palavras Observe que, para combinar as palavras loucamente, louco e loucura com outras palavras nas frases de modo que fiquem de acordo

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul NÚMERO DA VAGA: 22 venho por meio deste pedir a anulação

Leia mais

REGÊNCIA VERBAL PROF. OSMAR EDUARDO SENS

REGÊNCIA VERBAL PROF. OSMAR EDUARDO SENS REGÊNCIA VERBAL PROF. OSMAR EDUARDO SENS REGÊNCIA VERBAL Para se entender a regência verbal ou nominal é necessário conhecer as preposições. Por isso complete: 1. a) Preposição é uma palavra invariável

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

Língua Portuguesa 9º ano

Língua Portuguesa 9º ano Colégio I.L. Peretz Sistema Anglo de Ensino ORAÇÃO SUBORDINADA E ORAÇÃO PRINCIPAL No período: Todos desejavam sua recuperação. verbo complemento do verbo (objeto direto) observamos que: * o verbo, por

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA. Prof. Albert Iglésia

LÍNGUA PORTUGUESA. Prof. Albert Iglésia LÍNGUA PORTUGUESA Regência Nominal Relação entre um adjetivo, advérbio ou substantivo abstrato transitivo e seu complemento, por meio de preposição. 1. Os cursos do Ponto têm sido úteis a muitos candidatos.

Leia mais

08h40min às 09h INTERVALO INTERVALO INTERVALO INTERVALO INTERVALO

08h40min às 09h INTERVALO INTERVALO INTERVALO INTERVALO INTERVALO HORÁRIO DE PROVAS 3º BIMESTRE/2015 TURMA: 6º ANO A 07h às 08h40min HISTÓRIA ARTES ÉTICA CIÊNCIAS ESPANHOL 09h às 10h30min GEOGRAFIA PORTUGUÊS INGLÊS MATEMÁTICA ED. FÍSICA PORTUGUÊS: Interpretação textual/

Leia mais

SESSÃO 3: Criando Metas Atingíveis

SESSÃO 3: Criando Metas Atingíveis CURRÍCULO DE PROGRAMA SESSÃO 3: Criando Metas Atingíveis Esta sessão trata da importante habilidade pessoal e profissional do estabelecimento de metas. As participantes podem ter sentimentos diferentes

Leia mais

PORTUGUÊS CIDA BISPO

PORTUGUÊS CIDA BISPO TIPO 1 PORTUGUÊS CIDA BISPO 7º UNIDADE IV Orientações: Não será aceita a utilização de corretivo; não será permitido o empréstimo de material durante a avaliação; use somente caneta esferográfica azul

Leia mais

Obreiros evangélicos, pp. 222-228 ( Ensinar o povo a ser liberal ; O sustento do evangelho ).

Obreiros evangélicos, pp. 222-228 ( Ensinar o povo a ser liberal ; O sustento do evangelho ). Obreiros evangélicos, pp. 222-228 ( Ensinar o povo a ser liberal ; O sustento do evangelho ). Ensinar o povo a ser liberal Nunca deve o obreiro que organiza pequenos grupos aqui e ali, dar aos recém-convertidos

Leia mais

Mosaicos #7 Escolhendo o caminho a seguir Hb 13:8-9. I A primeira ideia do texto é o apelo à firmeza da fé.

Mosaicos #7 Escolhendo o caminho a seguir Hb 13:8-9. I A primeira ideia do texto é o apelo à firmeza da fé. 1 Mosaicos #7 Escolhendo o caminho a seguir Hb 13:8-9 Introdução: Jesus Cristo é o mesmo, ontem, hoje e para sempre. Não se deixem levar pelos diversos ensinos estranhos. É bom que o nosso coração seja

Leia mais

HINÁRIO O APURO. Francisco Grangeiro Filho. www.hinarios.org 01 PRECISA SE TRABALHAR 02 JESUS CRISTO REDENTOR

HINÁRIO O APURO. Francisco Grangeiro Filho. www.hinarios.org 01 PRECISA SE TRABALHAR 02 JESUS CRISTO REDENTOR HINÁRIO O APURO Tema 2012: Flora Brasileira Araucária Francisco Grangeiro Filho 1 www.hinarios.org 2 01 PRECISA SE TRABALHAR 02 JESUS CRISTO REDENTOR Precisa se trabalhar Para todos aprender A virgem mãe

Leia mais

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele O Plantador e as Sementes Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele sabia plantar de tudo: plantava árvores frutíferas, plantava flores, plantava legumes... ele plantava

Leia mais

HINÁRIO O APURO. Francisco Grangeiro Filho. Tema 2012: Flora Brasileira Araucária

HINÁRIO O APURO. Francisco Grangeiro Filho. Tema 2012: Flora Brasileira Araucária HINÁRIO O APURO Tema 2012: Flora Brasileira Araucária Francisco Grangeiro Filho 1 www.hinarios.org 2 01 PRECISA SE TRABALHAR Marcha Precisa se trabalhar Para todos aprender A virgem mãe me disse Que é

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO 2016.2 UNICE - ENSINO SUPERIOR

MANUAL DO CANDIDATO 2016.2 UNICE - ENSINO SUPERIOR MANUAL DO CANDIDATO 2016.2 UNICE - ENSINO SUPERIOR 1. DA VALIDADE O Vestibular, anunciado neste Manual, é válido para admissão nos cursos de Graduação da Faculdade de Ciências Tecnológicas de Fortaleza

Leia mais

b) Transitivo indireto (= ter em vista, pretender, objetivar): O ensino visa ao progresso social. Todo capitalista visa a bons lucros.

b) Transitivo indireto (= ter em vista, pretender, objetivar): O ensino visa ao progresso social. Todo capitalista visa a bons lucros. Visar a) Transitivo direto (= dirigir o olhar para, apontar arma de fogo contra, pôr o sinal de visto em): A menina visava as nuvens. Dezenas de armas visavam o seu peito. O gerente já visou o meu cheque.

Leia mais

As palavras: QUE, SE e COMO.

As palavras: QUE, SE e COMO. As palavras: QUE, SE e COMO. Enfocaremos, nesse capítulo, algumas particularidades das referidas palavras. Professor Robson Moraes I A palavra QUE 1. Substantivo aparece precedida por artigo e exerce funções

Leia mais

Unidade 1: A Bíblia: Um Guia de Sobrevivência e Vitória A Bíblia é como uma Semente: Ela pode ser Plantada em meu Coração

Unidade 1: A Bíblia: Um Guia de Sobrevivência e Vitória A Bíblia é como uma Semente: Ela pode ser Plantada em meu Coração Unidade 1: A Bíblia: Um Guia de Sobrevivência e Vitória A Bíblia é como uma Semente: Ela pode ser Plantada em meu Coração Para as crianças de 7 e 8 anos, este trimestre inicia enfatizando o Fruto, do Crescimento.

Leia mais

Exercícios de gramática do uso da língua portuguesa do Brasil

Exercícios de gramática do uso da língua portuguesa do Brasil Sugestão: estes exercícios devem ser feitos depois de estudar a Unidade 7 por completo do livrotexto Muito Prazer Unidade 7 I Ser + adjetivo Estar + adjetivo Eu sou Eu estou Você/ ele/ ela é Você/ ele/

Leia mais

www.concursovirtual.com.br

www.concursovirtual.com.br TOPOLOGIA PRONOMINAL Professor: Marcelo Rosenthal 1) Nunca se pode começar uma oração por Pronomes Oblíquos. Te vi ontem. O certo é vi-te ontem.. Me dá um chope! O certo é Dá-me um chope!. 2) Advérbios,

Leia mais

www.concursovirtual.com.br

www.concursovirtual.com.br Aulão ao Vivo FCC Prof. Marcelo Rosenthal 1) Nunca se pode começar uma oração por Pronomes Oblíquos. Te vi ontem. O certo é vi-te ontem.. Me dá um chope! O certo é Dá-me um chope!. 2) Advérbios, conjunções

Leia mais

Ap. Ozenir Correia TEMA: OPERAÇÃO JERICÓ X OPERAÇÃO LAVA JATO.

Ap. Ozenir Correia TEMA: OPERAÇÃO JERICÓ X OPERAÇÃO LAVA JATO. Ap. Ozenir Correia TEMA: OPERAÇÃO JERICÓ X OPERAÇÃO LAVA JATO. TEXTO: 1 Entrando em Jericó, atravessava Jesus a cidade. 2 Eis que um homem, chamado Zaqueu, maioral dos publicanos e rico, 3 procurava ver

Leia mais

Quanto à classificação das orações coordenadas, temos dois tipos: Coordenadas Assindéticas e Coordenadas Sindéticas.

Quanto à classificação das orações coordenadas, temos dois tipos: Coordenadas Assindéticas e Coordenadas Sindéticas. LISTA DE RECUPERAÇÃO FINAL 9º ANO - PORTUGUÊS Caro aluno, seguem abaixo os assuntos para a prova de exame. É só um lembrete, pois os mesmos estão nas apostilas do primeiro bimestre, segundo e terceiro

Leia mais

COLOCAÇÃO PRONOMINAL PARA QUE SABER? Professora Cristiane Lourenço

COLOCAÇÃO PRONOMINAL PARA QUE SABER? Professora Cristiane Lourenço COLOCAÇÃO PRONOMINAL PARA QUE SABER? Professora Cristiane Lourenço Os pronomes pessoais subdividem-se em dois grupos: PESSOA DO DISCURSO PRONOMES PESSOAIS DO CASO RETO Função de sujeito PRONOMES PESSOAIS

Leia mais

Chantilly, 17 de outubro de 2020.

Chantilly, 17 de outubro de 2020. Chantilly, 17 de outubro de 2020. Capítulo 1. Há algo de errado acontecendo nos arredores dessa pequena cidade francesa. Avilly foi completamente afetada. É estranho descrever a situação, pois não encontro

Leia mais

O objeto direto preposicionado pode ocorrer quando: Estiver representando nomes próprios. Ex.: Sempre quis viajar a Fernando de Noronha.

O objeto direto preposicionado pode ocorrer quando: Estiver representando nomes próprios. Ex.: Sempre quis viajar a Fernando de Noronha. Em alguns casos, o objeto direto pode ser introduzido por preposição: é o chamado objeto direto preposicionado. Nesses casos, o verbo é sempre transitivo direto, e seu complemento é, obviamente, um objeto

Leia mais

SINTAXE. ISJB - Colégio Salesiano Jardim Camburi. Profa. Me. Luana Lemos. llemos@salesiano.org.br

SINTAXE. ISJB - Colégio Salesiano Jardim Camburi. Profa. Me. Luana Lemos. llemos@salesiano.org.br SINTAXE ISJB - Colégio Salesiano Jardim Camburi Profa. Me. Luana Lemos 1 FRASE, ORAÇÃO E PERÍODO FRASE unidade mínima de comunicação. Ex: Nós estudamos muito. Frase nominal exprime uma visão estática do

Leia mais

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997.

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. 017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. Acordei hoje como sempre, antes do despertador tocar, já era rotina. Ao levantar pude sentir o peso de meu corpo, parecia uma pedra. Fui andando devagar até o banheiro.

Leia mais

CRASE. Entregue o documento à advogada.

CRASE. Entregue o documento à advogada. CRASE A crase é a fusão de duas vogais da mesma natureza. Sua representação se dá por meio do chamado acento grave sobre a letra a, tornando acentual esta vogal. Assim, o acento grave é o sinal que indica

Leia mais

REGIME E TABELA DE EMOLUME TOS DO TRIBU AL DE CO TAS. CAPÍTULO I Disposições Gerais. ARTIGO 1. (Emolumentos e encargos)

REGIME E TABELA DE EMOLUME TOS DO TRIBU AL DE CO TAS. CAPÍTULO I Disposições Gerais. ARTIGO 1. (Emolumentos e encargos) REGIME E TABELA DE EMOLUME TOS DO TRIBU AL DE CO TAS CAPÍTULO I Disposições Gerais ARTIGO 1. (Emolumentos e encargos) 1. Pelos serviços prestados pelo Tribunal de Contas e pela Direcção dos serviços Técnicos

Leia mais

Erros mais freqüentes

Erros mais freqüentes Lição 1 Erros mais freqüentes Extraímos de comunicações empresariais alguns erros, que passamos a comentar: 1. Caso se faça necessário maiores esclarecimentos... Apontamos duas falhas: 1. Caso se faça

Leia mais

Quanto à regência verbal, os verbos podem ser: - Transitivo direto - Transitivo indireto - Transitivo direto e indireto - Intransitivo

Quanto à regência verbal, os verbos podem ser: - Transitivo direto - Transitivo indireto - Transitivo direto e indireto - Intransitivo Regência Verbal Dentre os estudos linguísticos inerentes à sintaxe, encontra-se a sintaxe de regência. Ela é responsável pelo estudo das relações de dependência que se estabelecem entre os termos da oração

Leia mais

Vestibular UFRGS 2015. Resolução da Prova de Língua Portuguesa

Vestibular UFRGS 2015. Resolução da Prova de Língua Portuguesa Vestibular UFRGS 2015 Resolução da Prova de Língua Portuguesa COMENTÁRIO GERAL: a prova compôs-se de três textos dois breves ensaios (artigo cuja temática é universal) e uma crônica. O conhecimento solicitado

Leia mais

1ºAno ERA UMA MENINA QUE VIVIA PELO POLO NORTE E ADORAVA URSOS. MENINA DE SORTE, VIA URSO TODO DIA E NÃO ERA EM FOTOGRAFIA.

1ºAno ERA UMA MENINA QUE VIVIA PELO POLO NORTE E ADORAVA URSOS. MENINA DE SORTE, VIA URSO TODO DIA E NÃO ERA EM FOTOGRAFIA. 1ºAno 1.1 LÍNGUA PORTUGUESA 4º período 5 de novembro de 2015 VOCÊ GOSTA DE BICHOS DE PELÚCIA? ACOMPANHE A LEITURA DO POEMA QUE TRATA DESSE ASSUNTO. A INVENÇÃO DO URSO DE PELÚCIA ERA UMA MENINA QUE VIVIA

Leia mais

Concordância Nominal

Concordância Nominal Concordância Nominal Concordância Nominal Regra Geral O artigo, o pronome, o numeral e o adjetivo devem concordar em gênero e número com o substantivo ao qual se referem. Ex.: Os nossos dois brinquedos

Leia mais

Concurso Literário. O amor

Concurso Literário. O amor Concurso Literário O Amor foi o tema do Concurso Literário da Escola Nova do segundo semestre. Durante o período do Concurso, o tema foi discutido em sala e trabalhado principalmente nas aulas de Língua

Leia mais

VAMOS ESTUDAR OS VERBOS

VAMOS ESTUDAR OS VERBOS VAMOS ESTUDAR OS VERBOS Autores: Ana Catarina; Andreia; Bibiana; Pedro Cardoso. Ano/Turma: 6º A Ano Lectivo: 2007/2008 Índice. 1 Introdução... 2 Pág. Primeira Parte 1-OS VERBOS 1.1 Conceito.. 3 1.2 Tempo.

Leia mais

Regulamento de Associados/as. Art. 1º. (Admissão e Recusa de Associados)

Regulamento de Associados/as. Art. 1º. (Admissão e Recusa de Associados) Regulamento de Associados/as Art. 1º (Admissão e Recusa de Associados) 1 Sobre proposta de um associado, qualquer pessoa pode solicitar à Direção a sua admissão como associado da Associação Fermentelense

Leia mais

Título: LIDERANÇA. Já dizia o mestre: Tentar adquirir experiência apenas com teoria, é como tentar matar a fome apenas lendo o cardápio.

Título: LIDERANÇA. Já dizia o mestre: Tentar adquirir experiência apenas com teoria, é como tentar matar a fome apenas lendo o cardápio. APRESENTA JOSÉ HAMILTON MARIN Já dizia o mestre: Tentar adquirir experiência apenas com teoria, é como tentar matar a fome apenas lendo o cardápio. A liderança é uma poderosa combinação de estratégia

Leia mais

Como conseguir um Marido Cristão Em doze lições

Como conseguir um Marido Cristão Em doze lições Como conseguir um Marido Cristão Em doze lições O. T. Brito Pág. 2 Dedicado a: Minha filha única Luciana, Meus três filhos Ricardo, Fernando, Gabriel e minha esposa Lúcia. Pág. 3 Índice 1 é o casamento

Leia mais

Agências de Viagens e Turismo. O que o cliente deve saber

Agências de Viagens e Turismo. O que o cliente deve saber Agências de Viagens e Turismo O que o cliente deve saber Agências de Viagens e Turismo O que o cliente deve saber Índice pág. 1. Informações relevantes 1.1. Antes da viagem 1.2. Durante a viagem 1.3.

Leia mais

Você gostaria de atingir os objetivos que traçou para sua vida de maneira mais consistente e sustentável? Gostaria de melhorar o seu aproveitamento, trabalhar menos pressionado ou estressado, e ainda aumentar

Leia mais

SUMÁRIO Páginas A alegria 10 (A alegria está no coração De quem já conhece a Jesus...) Abra o meu coração 61 (Abra o meu coração Deus!...

SUMÁRIO Páginas A alegria 10 (A alegria está no coração De quem já conhece a Jesus...) Abra o meu coração 61 (Abra o meu coração Deus!... SUMÁRIO Páginas A alegria 10 (A alegria está no coração De quem já conhece a Jesus...) Abra o meu coração 61 (Abra o meu coração Deus!...) A cada manhã 71 (A cada manhã as misericórdias se renovam...)

Leia mais

Porque evitar o "NÃO" e a linguagem negativa. M. H. Lorentz

Porque evitar o NÃO e a linguagem negativa. M. H. Lorentz Porque evitar o "NÃO" e a linguagem negativa. M. H. Lorentz A linguagem tem por objetivo a comunicação entre os seres humanos, portanto quanto mais precisa for a linguagem, melhor será o resultado de nossa

Leia mais

PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO. Fome e Sede

PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO. Fome e Sede PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO HISTÓRIA BÍBLICA: Mateus 18:23-34 Nesta lição, as crianças vão ouvir a Parábola do Servo Que Não Perdoou. Certo rei reuniu todas as pessoas que lhe deviam dinheiro.

Leia mais

Ensine a Regra Aqui ninguém toca aos seus filhos.

Ensine a Regra Aqui ninguém toca aos seus filhos. 1. Ensine a Regra Aqui ninguém toca aos seus filhos. Cerca de uma em cada cinco crianças é vítima de violência ou abuso sexual. Ajude a impedir que a sua criança seja uma vítima. Ensine-lhe a Regra Aqui

Leia mais

A PREENCHER PELO ALUNO

A PREENCHER PELO ALUNO Prova Final do 1.º e do 2.º Ciclos do Ensino Básico PLNM (A2) Prova 43 63/2.ª Fase/2015 Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho A PREENCHER PELO ALUNO Nome completo Documento de identificação Assinatura

Leia mais

Período composto. Orações subordinadas adverbiais

Período composto. Orações subordinadas adverbiais Período composto Orações subordinadas adverbiais Orações subordinadas Orações que mantém relação de dependência sintática e semântica entre a oração subordinada e a oração principal. Ex.: Eu tenho dúvida

Leia mais

Problemas Notacionais da Língua

Problemas Notacionais da Língua Problemas Notacionais da Língua Problemas Notacionais da Língua Neste encontro, analisaremos algumas particularidades que nossa língua apresenta e, muitas vezes, devem ter deixado você com dúvidas. É muito

Leia mais

Decreto n.º 24/01 De 12 de Abril

Decreto n.º 24/01 De 12 de Abril Decreto n.º 24/01 De 12 de Abril Considerando que pelos serviços prestados pelo Tribunal de Contas e pela sua Direcção dos serviços Técnicos, em conformidade com o disposto no n.º 1 do artigo 43.º,da lei

Leia mais

TESTE SEU PODER DE INCLUSAO. Maria Teresa Eglér Mantoan

TESTE SEU PODER DE INCLUSAO. Maria Teresa Eglér Mantoan TESTE SEU PODER DE INCLUSAO Maria Teresa Eglér Mantoan Para esse breve exame, as regras são: 1. Colocar-se na condição dos professores(as) que aqui apresentaremos. 2. Escolher a alternativa que você adotaria

Leia mais

Prova bimestral. Língua portuguesa. 4 o Bimestre 5 o ano

Prova bimestral. Língua portuguesa. 4 o Bimestre 5 o ano Material elaborado pelo Ético Sistema de Ensino Ensino fundamental Publicado em 2012 Prova bimestral 4 o Bimestre 5 o ano Língua portuguesa 1. Você já parou para pensar que saber usar a língua portuguesa

Leia mais

Conteúdo: IV - Modalidades de Obrigação. 2. Não fazer. 3. Dar Coisa Certa e Incerta. 4. Divisível. 5 - Indivisível

Conteúdo: IV - Modalidades de Obrigação. 2. Não fazer. 3. Dar Coisa Certa e Incerta. 4. Divisível. 5 - Indivisível Turma e Ano: Flex B (2013) Matéria / Aula: Direito Civil - Obrigações / Aula 09 Professor: Rafael da Mota Mendonça Conteúdo: IV - Modalidades de Obrigação. 2. Não fazer. 3. Dar Coisa Certa e Incerta. 4.

Leia mais

O Religioso e a Prostituta

O Religioso e a Prostituta O Religioso e a Prostituta LUCAS 7:36-50 Convidado por um dos fariseus para jantar, Jesus foi à casa dele e reclinou-se à mesa. Ao saber que Jesus estava comendo na casa do fariseu, LUCAS 7:36-50 certa

Leia mais

Questionário de Avaliação Clínica da Demência

Questionário de Avaliação Clínica da Demência Esta é uma entrevista semiestruturada. Coloque todas as perguntas que se seguem. Coloque quaisquer outras perguntas necessárias para determinar a Avaliação Clínica da Demência (CDR) do doente. Anote as

Leia mais

6 MILHÕES de casas em Portugal. O seu lar reflete-o. por APAV OS NÚMEROS NESTE CATÁLOGO PRECISAM DE DIMINUIR ATÉ 2016

6 MILHÕES de casas em Portugal. O seu lar reflete-o. por APAV OS NÚMEROS NESTE CATÁLOGO PRECISAM DE DIMINUIR ATÉ 2016 6 MILHÕES de casas em Portugal O seu lar reflete-o OS NÚMEROS NESTE CATÁLOGO PRECISAM DE DIMINUIR ATÉ 2016 por APAV 02 FAMÍLIA 03 > FAMÍLIA 1 /semana A violência doméstica foi responsável por uma morte/semana

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

OS 10 PASSOS PARA TRANSFORMAR A SUA PROSPERIDADE AGORA!

OS 10 PASSOS PARA TRANSFORMAR A SUA PROSPERIDADE AGORA! OS 10 PASSOS PARA TRANSFORMAR A SUA PROSPERIDADE AGORA! Professores Bruno J. Gimenes e Patrícia Cândido O que você verá nesse webinário: Dicas para um plano de ação rápido para você mudar a sua realidade;

Leia mais

Centro Educacional Souza Amorim Jardim Escola Gente Sabida Sistema de Ensino PH Vila da Penha. Ensino Fundamental

Centro Educacional Souza Amorim Jardim Escola Gente Sabida Sistema de Ensino PH Vila da Penha. Ensino Fundamental Centro Educacional Souza Amorim Jardim Escola Gente Sabida Sistema de Ensino PH Vila da Penha Ensino Fundamental Turma: PROJETO INTERPRETA AÇÂO (INTERPRETAÇÃO) Nome do (a) Aluno (a): Professor (a): DISCIPLINA:

Leia mais