AVISO CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AVISO CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS"

Transcrição

1 AVISO CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS PROGRAMA OPERACIONAL SUSTENTABILIDADE E EFICIÊNCIA NO USO DE RECURSOS (PO SEUR) EIXO PRIORITÁRIO 3 PROTEGER O AMBIENTE E PROMOVER A EFICIÊNCIA DOS RECURSOS (FUNDO DE COESÃO) PRIORIDADE DE INVESTIMENTO 6ii INVESTIMENTOS NO SETOR DA ÁGUA PARA SATISFAZER OS REQUISITOS DO ACERVO DA UNIÃO EUROPEIA EM MATÉRIA DE AMBIENTE E PARA SATISFAZER AS NECESSIDADES DE INVESTIMENTO QUE EXCEDAM ESSES REQUISITOS, IDENTIFICADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS OBJETIVO ESPECÍFICO 1. INVESTIMENTOS NOS RECURSOS HÍDRICOS PARA SATISFAZER OS REQUISITOS DO ACERVO AMBIENTAL DA UNIÃO E A ATENDER ÀS NECESSIDADES DE INVESTIMENTO IDENTIFICADAS, EM PARTICULAR A MELHORIA DA QUALIDADE DAS MASSAS DE ÁGUA DOMÍNIO DE INTERVENÇÃO 021 GESTÃO DE ÁGUA E CONSERVAÇÃO DE ÁGUA POTÁVEL (INCLUINDO GESTÃO DE BACIAS FLUVIAIS, FORNECIMENTO DE ÁGUA, MEDIDAS ESPECÍFIICAS DE ADAPTAÇÃO ÀS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS, MEDIÇÃO POR CONSUMIDOR E ZONA, SISTEMAS DE CARGA E REDUÇÃO DE FUGAS) DESIGNAÇÃO SINTÉTICA DO ÂMBITO DO AVISO ESTUDOS NECESSÁRIOS PARA MELHORAR E COMPLEMENTAR OS CRITÉRIOS DE CLASSIFICAÇÃO DAS MASSAS DE ÁGUA A NIVEL NACIONAL (CONTINENTE). DATA DE ABERTURA: 28 DE MAIO 2015 DATA DE FECHO: 31 DE JULHO 2015

2 Avis - CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS PROGRAMA OPERACIONAL SUSTENTABILIDADE E EFICIÊNCIA NO USO DE RECURSOS EIXO 3, PRIORIDADE DE INVESTIMENTO 6.II, OBJETIVO ESPECIFICO 1. INVESTIMENTOS NOS RECURSOS HÍDRICOS PARA SATISFAZER OS REQUISITOS DO ACERVO AMBIENTAL DA UNIÃO E A ATENDER ÀS NECESSIDADES DE INVESTIMENTO IDENTIFICADAS, EM PARTICULAR A MELHORIA DA QUALIDADE DAS MASSAS DE ÁGUA 1. Âmbit e Objetivs d Avis - Cnvite A Autridade de Gestã (AG) d Prgrama Operacinal Sustentabilidade e Eficiência n Us de Recurss (PO SEUR) pderá adtar a mdalidade de Cnvite para apresentaçã de candidaturas em cass excecinais, ns terms d númer 1 d artig 16º d Decret-Lei nº 159/2014, de 27 de utubr, que cnsagra as regras gerais de aplicaçã ds Prgramas Operacinais (PO) para períd Encntra-se recnhecid que s Investiment n setr da água para satisfazer requisits em matéria de ambiente sã uma priridade. A melhria da qualidade das massas de água é um indicadr indispensável para avaliar s resultads da aplicaçã das medidas e investiments prevists ns Instruments de Planeament e Gestã ds Recurss Hídrics, preparads de acrd cm as rientações nacinais e cmunitárias. N quadr d Planeament de Gestã ds Recurss Hídrics, a Autridade Nacinal da Água é respnsável pel cnheciment d estad das massas de água e, para tal, é essencial a existência de sistemas de classificaçã rbusts. A vertente da mnitrizaçã assume uma relevante imprtância n sentid de bter dads qualitativs rigrss para cmplementar s critéris de classificaçã que permitirã uma melhr determinaçã d estad das massas de água e assim aferir sbre a eficácia das medidas de melhria implementadas, uma vez que diferentes setres cncrrem em simultâne para bm estad das mesmas. Assim, imprta pis que PO SEUR utilize priritariamente s recurss dispníveis n Eix 3, PI 6ii, de md a cntribuir para s bjetivs descrits, pel que se entende justificad presente Avis Cnvite, dirigid à Agência Prtuguesa d Ambiente (APA, IP), a qual se enquadra n âmbit da tiplgia de beneficiáris prevista na alínea a) d nº1 d artig 110º d Regulament Específic d Dmíni da Sustentabilidade e Eficiência n Us de Recurss (RE SEUR). Face a este enquadrament, presente cnvite destina-se às intervenções que visem aumentar cnheciment d estad das massas de água através de estuds de mnitrizaçã para melhrar e cmplementar s sistemas de classificaçã de tdas as categrias das massas de água. O presente Cnvite encntra-se previst n Calendári de Aviss d dmíni SEUR, aprvad pela Cmissã Interministerial de Crdenaçã (CIC) d Prtugal 2020 em 20 de mai de O presente Avis é agra divulgad através d síti da internet n Prtal Beneficiári Página 1

3 A entidade beneficiária d presente Cnvite é a Agência Prtuguesa d Ambiente (APA, IP), que tem enquadrament na alínea a) d nº 1 d artig 110º d RE SEUR. 3. Tiplgia de Operaçã A tiplgia de peraçã passível de apresentaçã de candidatura, n âmbit d presente Cnvite diz respeit a: Estuds necessáris para melhrar e cmplementar s critéris de classificaçã das massas de água, dand cumpriment à DQA e sempre que aplicável à Diretiva INSPIRE 2007/2/CE. Estes estuds de mnitrizaçã das massas de água serã realizads através de uma única campanha que permita estabelecer uma baseline para classificar cm rigr estad das massas de água ns terms da DQA. A tiplgia em causa enquadra-se na Priridade de investiment 6.ii. Investiment n setr da água para satisfazer s requisits d acerv ambiental da Uniã e atender às necessidades de investiment, identificadas pels Estads-Membrs, que vã para além destes requisits e n Objetiv Especific Investiments ns recurss hídrics para satisfazer s requisits d acerv ambiental da Uniã e a atender às necessidades de investiment identificadas, em particular a melhria da qualidade das massas de água, prevista n PO SEUR, aprvad pela Cmissã Eurpeia, através da Decisã C (2014) , de 16 de dezembr. Sã bjetivs da peraçã i) dispr de estuds de mnitrizaçã das massas de água para definiçã da baseline classificativa a cnsiderar na avaliaçã da alteraçã d estad das massas de água em resultad das perações apiadas e ii) aumentar as percentagem das massas de água classificadas ns terms d estabelecid na Diretiva Quadr da Água. 4. Grau de Maturidade mínim exigid à peraçã O grau de maturidade mínim exigid para as perações na fase de apresentaçã de candidatura, cnsiste na evidência de aprvaçã das respetivs requisits técnics, terms de referência, calendári de realizaçã e rçament, atent a previst na alínea a) d nº 1 d artig 12º d RE SEUR, que determina as beneficiáris a brigaçã de iniciar a execuçã da peraçã n praz máxim de 180 dias após a assinatura d term de aceitaçã da peraçã. 5. Âmbit Gegráfic Sã elegíveis as perações lcalizadas em tdas as NUTS II d Cntinente ns terms da alínea a) d n.º 1 d artig 3º d RE SEUR. 6. Natureza d Financiament A frma d api a cnceder à candidatura a aprvar n âmbit d presente Cnvite, reveste a natureza de subvençã nã reemblsável, ns terms d artig 112º d RE SEUR. 7. Dtaçã financeira máxima indicativa e taxa máxima de cfinanciament A dtaçã máxima indicativa de Fund de Cesã afeta a presente Cnvite é Página 2

4 A taxa máxima de cfinanciament Fund de Cesã das perações a aprvar é de 85% (itenta e cinc pr cent) das despesas elegíveis, de acrd cm n.º 1 d artig 8º d RE SEUR. 8. Períd para receçã de candidatura O períd para a receçã de candidaturas decrrerá entre dia 28 de mai de 2015 e as 18 hras d dia 31 de julh de Critéris de Elegibilidade d beneficiári, da peraçã e das despesas a cfinanciar 9.1 Critéris de elegibilidade d beneficiári O beneficiári terá que assegurar cumpriment d dispst n artig 6.º d Regulament Específic Sustentabilidade e Eficiência n Us de Recurss, bem cm declarar u cmprvar, se para tant fr ntificad, que cumpre s critéris prevists n artig 13º e nã está sujeit as impediments e cndicinaments cnstantes d artig 14.º, ambs d Decret-Lei nº159/2014, de 27 de utubr. 9.2 Critéris de elegibilidade da peraçã Para além de respeitarem a tiplgia de perações prevista n presente Avis e visar a prssecuçã ds bjetivs específics prevists n pnt 3 d presente Avis, a peraçã deverá demnstrar grau maturidade mínim estipulad n pnt 4 e satisfazer s critéris fixads n artig 5.º d RE SEUR. 9.3 Critéris Específics de elegibilidade da peraçã A peraçã deverá prever a realizaçã de ações de dispnibilizaçã pública de infrmaçã e a realizaçã de iniciativas de divulgaçã ds resultads d prjet. 9.4 Elegibilidade de despesas Sem prejuíz das regras e limites à elegibilidade de despesas definidas n artig 15º d Decret-Lei nº 159/2014, de 27 de utubr, sã elegíveis as despesas n âmbit das perações que vierem a ser aprvadas n âmbit d presente Cnvite, resultantes ds custs reais incrrids cm a realizaçã das perações, ns terms prevists n artig 7.º e ds custs incrrids cm a reclha e tratament de dads, nmeadamente n que se refere à mnitrizaçã das massas de água, ns terms d artig 111º d RE SEUR. 9.5 Md de apresentaçã da candidatura A candidatura deverá ser submetida n Prtal 2020, instruída de acrd cm as dispsições previstas n Decret-Lei nº 159/2014, de 27 de utubr, e ns terms e cndições fixadas n presente Cnvite. Para efeit, beneficiári deverá bter a credenciaçã prévia necessária n Balcã Únic d Prtugal Dcuments a apresentar cm a candidatura Página 3

5 Além d frmulári de candidatura e ds anexs exigids nas instruções de preenchiment d frmulári, a candidatura deverá incluir s seguintes dcuments: Dcuments Relativs a Beneficiári: i) Dcuments cmprvativs d cumpriment ds critéris de elegibilidade d beneficiári, estipulads n artig 13º e da inexistência de impediments e cndicinaments estipulads n artig 14.º d Decret-Lei n.º 159/2014 de 27 de utubr, u declaraçã em cm a entidade cumpre s critéris cnstantes d artig 13º e nã incrre em qualquer ds impediments e cndicinaments prevists n artig 14º; ii) Autrizaçã para cnsulta da situaçã tributária e cntributiva perante a administraçã fiscal e a segurança scial; iii) Declaraçã de desistência de candidatura anterir submetida para a mesma peraçã, cas a candidatura a apresentar tenha sid anterirmente submetida a qualquer utr instrument de financiament cmunitári e n âmbit d qual ainda esteja a decrrer prcess de decisã u em que a decisã sbre pedid de financiament tenha sid favrável; iv) Dcuments cmprvativs das fntes de financiament d investiment previst na candidatura, nmeadamente inscriçã rçamental que garanta a existência de cntrapartida nacinal para a realizaçã da peraçã; v) Declaraçã de cmprmiss relativa a cumpriment d critéri de elegibilidade d beneficiári cnstante d artig 6.º d Regulament Específic Sustentabilidade e Eficiência n Us ds Recurss quant à inexistência saláris em atras, reprtads à data da apresentaçã da candidatura u até a mment da assinatura d term de aceitaçã, cas a candidatura seja aprvada; vi) Certificad da Direçã de serviçs d IVA, cmprvativ d enquadrament d beneficiári e da atividade a desenvlver resultante da implementaçã da peraçã, em terms de regime de deduçã d IVA suprtad cm investiment previst na peraçã; vii) Declaraçã cm s elements de cálcul d pr rata, assinada pel Técnic Oficial de Cntas, quand aplicável Dcuments Relativs à Operaçã: viii) Memória descritiva da Operaçã, que inclua s seguintes aspets: Descriçã da peraçã a desenvlver n âmbit da candidatura, evidenciand seu enquadrament na tiplgia de peraçã definida n Prgrama e n presente Avis de Abertura; Demnstrar que a peraçã cnfigura um bjet que se cncretiza através de um cnjunt de serviçs relacinads exclusivamente entre si e que sã física e financeiramente autónms face a utrs investiments a realizar; Descriçã/justificaçã ds bjetivs a atingir cm a peraçã candidata, que cncrrem para a prssecuçã d Objetiv Específic da Priridade de Investiment Página 4

6 6 ii d PO SEUR e para enquadrament na alínea b) d artig 109º d Regulament Específic Sustentabilidade e Eficiência n Us ds Recurss; Referir a cnfrmidade cm s prgramas e plans territriais em vigr na área de incidência da intervençã; Justificar a necessidade e a prtunidade da realizaçã da intervençã; Dcuments justificativs ds custs assciads às cmpnentes de investiment; Crngramas atualizads de execuçã física e financeira da Operaçã; Infrmaçã precisa sbre s indicadres de realizaçã e de resultad da Operaçã, s quais devem ser apresentads bservand a metdlgia de apurament cnstante da Tabela de Indicadres dispnível n Balcã Únic d Prtugal 2020; Cntribut da peraçã para cada um ds critéris de seleçã definids n Avis; ix) Dcuments cmprvativs d grau de maturidade mínim exigid para a peraçã, cnfrme fixad n Pnt 4 d Avis. x) Listagem cmpleta de tdas as ações incluídas na peraçã, indicand para cada uma delas, períd de realizaçã previst, a mdalidade de prcediment de cntrataçã pública a realizar e s custs das mesmas (Anex I à Memória Descritiva); xi) Dcuments cmprvativs das fntes de financiament da peraçã, nmeadamente inscriçã rçamental que garanta a existência de cntrapartida nacinal; xii) Plan de Cmunicaçã a desenvlver durante a realizaçã da peraçã e na sua cnclusã, que permita a divulgaçã ds indicadres de resultad da peraçã junt ds ptenciais utilizadres e d públic em geral, de frma a dar cumpriment às brigações fixadas n n.º 3 d artig 115º d Regulament (UE) n.º 1303/2013, de 17 de dezembr; A candidatura deve ainda cnter utra infrmaçã cmplementar que prpnente cnsidere relevante para a demnstraçã das cndições de elegibilidade d beneficiári e da peraçã, bem cm d mérit da mesma. 10. Seleçã das Candidaturas A candidatura apenas será selecinada para cfinanciament d PO SEUR, cas btenha uma classificaçã final igual u superir a 2,5 pnts, apurada de acrd cm s critéris de seleçã e a metdlgia apresentada n pnt seguinte. 11. Apurament d Mérit 11.1 Critéris de Seleçã, Parâmetrs de Avaliaçã e Ceficientes de Pnderaçã Na avaliaçã d mérit da peraçã serã aplicads s critéris de seleçã aprvads pel Cmité de Acmpanhament d PO SEUR, tend em cnta s parâmetrs de avaliaçã e s ceficientes de pnderaçã, cnfrme quadr da página seguinte. Página 5

7 PARÂMETROS E PONDERAÇÕES A CONSIDERAR NA AVALIAÇÃO DOS CRITÉRIOS DE SELEÇÃO (*) Critéris de Seleçã Densificaçã d Critéri Parâmetrs de Avaliaçã Pnderaçã (%) a) Cntribut para s indicadres definids para Objetiv Específic Será avaliad cntribut da peraçã para cumpriment d indicadr de resultad Melhria da qualidade das massas de água superficiais definid para Objetiv Específic, uma vez que a prduçã de cnheciment e infrmaçã permite a avaliaçã d estad das massas de água superficiais e a definiçã de mdels de gestã que cntribuem para a melhria da sua qualidade Prduz cnheciment, infrmaçã e define mdels de gestã; -5 Prduz cnheciment e infrmaçã - 3 Prduz infrmaçã b) Grau de priridade cnferida às ações da peraçã previstas nas medidas ns PGRH (Plans de Gestã de Regiã Hidrgráfica) d Cntinente e da Regiã Autónma da Madeira Será avaliad grau de priridade da peraçã de acrd cm a classificaçã de priridade estabelecida n Plan de Gestã de Regiã Hidrgráfica nde se insere Grau de priridade da peraçã n âmbit d Plan de Gestã de Regiã Hidrgráfica nde se insere: Nível de priridade 1 = 5 pnts Nível de priridade 2 = 4 pnts Nível de priridade 3 = 3 pnts 30 Nã incluída = 0 pnts c) Cntribut para cumpriment das Diretivas Cmunitárias Será avaliad cntribut da peraçã para a resluçã de situações de cntencis, para cumpriment de Plan de Açã u ainda cntribut fundamentad para cumpriment de Diretivas Cmunitárias Cntribut da peraçã para cumpriment de: Plan de Açã e resluçã de situações de cntencis (5); Diretivas cmunitárias (3); Nã evidencia cntribut para cumpriment (0) 15 Página 6

8 Critéris de Seleçã Densificaçã d Critéri Parâmetrs de Avaliaçã Pnderaçã (%) d) Valr acrescentad ambiental, evidenciad através d grau de relevância para melhr cnheciment e gestã ds recurss hídrics n âmbit da aplicaçã da Diretiva Quadr da Água Será avaliad cntribut da peraçã para a avaliaçã d estad das massas de água através da % de massas de água n Cntinente/RAM abrangidas pela peraçã Percentagem de massas de água n Cntinente/RAM abrangidas pela peraçã: Superir a 30%: 5 pnts; Superir a 10% e menr u igual a 30%: 3 pnts Superir a 5% e menr u igual a 10%: 1 pnt; Menr d que 5%: 0 pnts. 30 Grau de invaçã e) Caráter invadr e de demnstraçã das ações candidatas a cfinanciament Será avaliad grau de invaçã da peraçã através d recurs a nvas metdlgias e tecnlgias face as standards e se as mesmas sã fundamentadamente adequadas face as resultads pretendids. Será também avaliad ptencial de replicabilidade dessas nvas metdlgias e tecnlgias em utras situações idênticas e claramente identificadas. Utilizaçã de nvas metdlgias e tecnlgias face as standards e as mesmas sã fundamentadamente muit relevantes e adequadas para s resultads pretendids: 5 pnts; Utilizaçã de nvas metdlgias e tecnlgias face as standards mas a fundamentaçã nã é suficiente para demnstrar a sua relevância para s resultads pretendids: 3 pnts 50 5 Nã sã utilizadas nvas metdlgias e/u tecnlgias face as standards - 0 pnts Evidência de capacidade de replicaçã para situações idênticas Sim: 5 pnts 50 Nã: 0 pnts Classificaçã a atribuir a cada critéri de seleçã A classificaçã da candidatura, resultante da aplicaçã ds critéris de seleçã, é atribuída numa escala de [0 5], pr agregaçã das classificações de cada critéri, que resultam da aplicaçã d ceficiente de Página 7

9 pnderaçã à pntuaçã ds respetivs parâmetrs de avaliaçã, pntuaçã essa que bedecerá à escala referida anterirmente. A classificaçã será estabelecida até à 2ª casa decimal sem arredndament Classificaçã Final A Classificaçã Final (CF) da candidatura é estabelecida pr agregaçã das Classificações ds Critéris (C) e das respetivas pnderações (P), através da seguinte fórmula: CF = P a *C a + P b *C b + P c *C c + P d *C d + P e [(C e1 *P e1 ) + (C e2 *P e2 )] - P a P e = Pnderaçã ds Critéris - P e1, P e2 = Pnderaçã ds Subcritéris - C a C d = Classificaçã ds Critéris - C e1, C e2 = Classificaçã ds Subcritéris 12. Cntratualizaçã de resultads n âmbit da candidatura Em cas de aprvaçã da candidatura, será cntratualizad, em terms de metas a atingir, seguinte indicadr de resultad, de acrd cm as caraterísticas da peraçã: Designaçã d Indicadr Massas de água abrangidas pr estuds de mnitrizaçã que permitem melhrar cnheciment d seu estad de qualidade Unidade de Medida % 13. Indicadr de realizaçã da peraçã Em cas de aprvaçã da candidatura, será cntratualizad seguinte indicadr de realizaçã, de acrd cm as caraterísticas da peraçã: Designaçã d Indicadr Estuds de mnitrizaçã das massas de água para definiçã de baseline classificativa realizads n âmbit das perações apiadas Unidade de Medida Nº Página 8

10 14. Entidades respnsáveis pela avaliaçã d mérit e pela decisã de financiament A análise d mérit da peraçã é da respnsabilidade da Autridade de Gestã d PO SEUR. 15. Esclareciments cmplementares A Autridade de Gestã d POSEUR pde requerer a beneficiári esclareciments e/u elements cmplementares, s quais devem ser apresentads n praz máxim de 10 (dez) dias úteis, cntad a partir da data em que s mesms sejam frmalmente slicitads. Se, find este praz, nã frem prestads pel beneficiári s esclareciments/elements requerids, a respetiva candidatura será analisada cm s dcuments e infrmaçã dispníveis. 16. Cmunicaçã da Decisã a Beneficiári Regra geral, a decisã sbre as candidaturas apresentadas será prferida pela Autridade de Gestã, n praz de 60 dias úteis, a cntar da data limite para a respetiva apresentaçã, ns terms d artig 20.º d Decret-Lei n.º 159/2014 de 27 de utubr. 17. Linha de atendiment Pedids de infrmaçã u de esclareciment devem ser dirigids para: Prgrama Operacinal Sustentabilidade e Eficiência n Us de Recurss Avenida Clumban Brdal Pinheir, nº Lisba Telefne: ; Fax: Lisba, 13 de Julh de 2015 A Presidente da Cmissã Diretiva d Prgrama Operacinal Sustentabilidade e eficiência n us ds Recurss PO SEUR Helena Pinheir de Azeved Anex I - Indicadres de Realizaçã e de Resultad Página 9

EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 2

EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 2 EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL REGULAMENTO ESPECÍFICO: EQUIPAMENTOS PARA A COESÃO LOCAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 2 Ns terms d regulament específic Equipaments para a Cesã Lcal,

Leia mais

Concurso para Apresentação de Candidaturas Aviso Nº ACORES-50-2015-16

Concurso para Apresentação de Candidaturas Aviso Nº ACORES-50-2015-16 Cncurs para Apresentaçã de Candidaturas Avis Nº ACORES-50-2015-16 Eix Priritári 2 Melhrar Acess às Tecnlgias da Infrmaçã e da Cmunicaçã, bem cm a sua Utilizaçã e Qualidade. Priridade de Investiment 2.3

Leia mais

Promover a obtenção de AIM (Autorização de Introdução no Mercado) no estrangeiro de medicamentos criados e desenvolvidos em Portugal.

Promover a obtenção de AIM (Autorização de Introdução no Mercado) no estrangeiro de medicamentos criados e desenvolvidos em Portugal. SIUPI SISTEMA DE INCENTIVOS À UTILIZAÇÃO DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL FICHA DE MEDIDA Apia prjects que visem estimular investiment em factres dinâmics de cmpetitividade, assciads à invaçã tecnlógica, a design

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL EDITAL CANDIDATURA AOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS (CTeSP) 2015 CONDIÇÕES DE ACESSO 1. Pdem candidatar-se a acess de um Curs Técnic Superir Prfissinal (CTeSP) da ESTGL tds s que estiverem

Leia mais

PROGRAMA DESENVOLVIMENTO RURAL CONTINENTE 2014-2020. DESCRIÇÃO DA AÇÃO Versão: 1 Data: 28/10/2013

PROGRAMA DESENVOLVIMENTO RURAL CONTINENTE 2014-2020. DESCRIÇÃO DA AÇÃO Versão: 1 Data: 28/10/2013 PROGRAMA DESENVOLVIMENTO RURAL CONTINENTE 2014-2020 DESCRIÇÃO DA AÇÃO Versã: 1 Data: 28/10/2013 M5. ORGANIZAÇÃO DA PRODUÇÃO AÇÃO 5.1. CRIAÇÃO DE AGRUPAMENTOS E ORGANIZAÇÃO DE PRODUTORES NOTA INTRODUTÓRIA

Leia mais

Manual de Procedimentos

Manual de Procedimentos Manual de Prcediments Prcediments para Submissã de Prjets de MDL à Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Secretaria Executiva Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Prcediments para

Leia mais

INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR

INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR A pertinência e valr demnstrad das valências d Cartã de Saúde Cfre, em razã d flux de adesões e pedids de esclareciment, trnam essencial dar evidência e respsta a algumas situações

Leia mais

Consulta Serviços de conceção e desenvolvimento criativo, produção e montagem do Fórum PORTUGAL SOU EU

Consulta Serviços de conceção e desenvolvimento criativo, produção e montagem do Fórum PORTUGAL SOU EU Cnsulta Serviçs de cnceçã e desenvlviment criativ, prduçã e mntagem d Fórum PORTUGAL SOU EU Julh 2014 Cnteúd 1. Intrduçã... 2 2. Enquadrament... 2 3. Públic-Alv... 2 4. Objetivs da Cnsulta... 3 5. Cndições

Leia mais

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da Comissão de Acompanhamento, sendo composto por duas partes:

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da Comissão de Acompanhamento, sendo composto por duas partes: DOC. CA/N/15/08 PROGRAMA OPERACIONAL ALENTEJO EIXO 2 DESENVOLVIMENTO URBANO E EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL INSTRUMENTO: MOBILIDADE TERRITORIAL O presente dcument suprta a apreciaçã d

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA REQUISITOS TECNICOS O Prgrama de Api as Actres Nã Estatais publica uma slicitaçã para prestaçã

Leia mais

Promover o Emprego e Apoiar a Mobilidade Laboral

Promover o Emprego e Apoiar a Mobilidade Laboral AVISO/CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS PROGRAMA OPERACIONAL REGIONAL 2014-2020 (MADEIRA14-20) EIXO PRIORITÁRIO 7 Promover o Emprego e Apoiar a Mobilidade Laboral PRIORIDADE DE INVESTIMENTO (PI)

Leia mais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais Nvas Salvaguardas Ambientais e Sciais Discussões Técnicas de Gvern ESS1 Avaliaçã e Gerenciament de Riscs e Impacts Sciais e Ambientais 15 de utubr, 2014 Objetivs da ESS1 Identificar, avaliar e gerir s

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA 1. Intrduçã e Objetivs a) O Cncurs de Ideias OESTECIM a minha empresa pretende ptenciar apareciment de prjets invadres na regiã d Oeste sempre numa perspetiva de desenvlviment ecnómic e scial. b) O Cncurs

Leia mais

AVISO CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS

AVISO CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS AVISO CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS AVISO REVISTO EM 17 DE SETEMBRO, INCLUINDO PRORROGAÇÃO DE PRAZO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS PROGRAMA OPERACIONAL SUSTENTABILIDADE E EFICIÊNCIA NO

Leia mais

2. Condições a Observar pelas Empresas Beneficiárias. Síntese dos termos e condições gerais da Linha de Crédito PME Crescimento. Condições genéricas:

2. Condições a Observar pelas Empresas Beneficiárias. Síntese dos termos e condições gerais da Linha de Crédito PME Crescimento. Condições genéricas: 2. Cndições a Observar pelas Empresas Beneficiárias Síntese ds terms e cndições gerais da Linha de Crédit PME Cresciment ( presente dcument identifica as principais características da Linha de Crédit PME

Leia mais

INFORMAÇÃO GAI. Apoios às empresas pela contratação de trabalhadores

INFORMAÇÃO GAI. Apoios às empresas pela contratação de trabalhadores INFORMAÇÃO GAI Apis às empresas pela cntrataçã de trabalhadres N âmbit das plíticas de empreg, Gvern tem vind a criar algumas medidas de api às empresas pela cntrataçã de trabalhadres, n entant tem-se

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Intrduçã O presente Regulament cnstitui um dcument intern d curs de Ciências Cntábeis e tem pr bjetiv reger as atividades relativas a Estági de Iniciaçã

Leia mais

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco Orientações e Recmendações Orientações relativas à infrmaçã periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de ntaçã de risc 23/06/15 ESMA/2015/609 Índice 1 Âmbit de aplicaçã... 3 2 Definições... 3 3 Objetiv

Leia mais

AVISO CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS PROGRAMA OPERACIONAL SUSTENTABILIDADE E EFICIÊNCIA NO USO DE RECURSOS (PO SEUR)

AVISO CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS PROGRAMA OPERACIONAL SUSTENTABILIDADE E EFICIÊNCIA NO USO DE RECURSOS (PO SEUR) AVISO CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS PROGRAMA OPERACIONAL SUSTENTABILIDADE E EFICIÊNCIA NO USO DE RECURSOS (PO SEUR) EIXO PRIORITÁRIO 3 PROTEGER O AMBIENTE E PROMOVER A EFICIÊNCIA DOS RECURSOS

Leia mais

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA CAMINHO PARA ELABORAÇÃO DE AGENDAS EMPRESARIAIS EM ADAPTAÇÃO ÀS MUDANÇAS DO CLIMA Prpsta de Framewrk Resultad d diálg crrid em 26 de junh de 2013, n Fórum Latin-American

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE RESOLUÇÃO N 379, DE 19 DE OUTUBRO DE 2006 Cria e regulamenta sistema de dads e infrmações sbre a gestã flrestal n âmbit d Sistema Nacinal

Leia mais

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal d Ceará Campus de Sbral Curs de Engenharia da Cmputaçã Regulament para realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs Intrduçã Este dcument estabelece as regras básicas para funcinament das

Leia mais

EDITAL BOLSA SOCIOECONÔMICA. Seleção de Bolsistas para o Programa de Bolsa Socioeconômica para o período de 2014

EDITAL BOLSA SOCIOECONÔMICA. Seleção de Bolsistas para o Programa de Bolsa Socioeconômica para o período de 2014 EDITAL BOLSA SOCIOECONÔMICA Seleçã de Blsistas para Prgrama de Blsa Sciecnômica para períd de 2014 O Reitr d Centr Universitári Tled Unitled, ns terms d Regulament aprvad pel CONSEPE, cm vistas à seleçã

Leia mais

Promover a Inclusão Social e Combater a Pobreza

Promover a Inclusão Social e Combater a Pobreza AVISO/CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS PROGRAMA OPERACIONAL REGIONAL 2014-2020 (MADEIRA14-20) EIXO PRIORITÁRIO 8 Promover a Inclusão Social e Combater a Pobreza PRIORIDADE DE INVESTIMENTO (PI)

Leia mais

PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO

PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO MUNICÍPIO DE PAREDES DE COURA Fund Lcal n Cncelh de Paredes de Cura PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO Entre: O Municípi de Paredes de Cura, pessa clectiva nº 506

Leia mais

Apresentação ao mercado do cronograma do processo de adopção plena das IAS/IFRS no sector financeiro

Apresentação ao mercado do cronograma do processo de adopção plena das IAS/IFRS no sector financeiro Apresentaçã a mercad d crngrama d prcess de adpçã plena das IAS/IFRS n sectr financeir DEPARTAMENTO DE SUPERVISÃO PRUDENCIAL DAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS 12 de Junh de 2014 Departament de Supervisã Prudencial

Leia mais

Desafios e Oportunidades. Os Planos de Gestão de Riscos de Inundações (PGRI)

Desafios e Oportunidades. Os Planos de Gestão de Riscos de Inundações (PGRI) Desafis e Oprtunidades. Os Plans de Gestã de Riscs de Inundações (PGRI) Cláudia Brandã e Jsé Salvad Divisã d Estad das Dispnibilidades Hídricas 5/02/2015 O QUE SE COMENTA SOBRE AS CHEIAS OU INUNDAÇÕES

Leia mais

EDITAL Nº 01/NIC/ 2014

EDITAL Nº 01/NIC/ 2014 Núcle de Intercâmbi e Cperaçã Institucinal EDITAL Nº 01/NIC/ 2014 Seleçã de acadêmics para Intercâmbi n primeir semestre de 2015 d Prgrama de Blsas Iber-Americanas Santander Universidades 2014 A Universidade

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR 1. Históric da Jrnada AGIR Ns ambientes crprativs atuais, a adçã de um mdel de gestã integrada é uma decisã estratégica n api às tmadas

Leia mais

AVISO CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS

AVISO CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS AVISO CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS PROGRAMA OPERACIONAL SUSTENTABILIDADE E EFICIÊNCIA NO USO DE RECURSOS (PO SEUR) EIXO PRIORITÁRIO 1 APOIAR A TRANSIÇÃO PARA UMA ECONOMIA COM BAIXAS EMISSÕES

Leia mais

Os valores solicitados para transporte e seguro saúde deverão ser comprovados por um orçamento integral fornecido por uma agência de viagem.

Os valores solicitados para transporte e seguro saúde deverão ser comprovados por um orçamento integral fornecido por uma agência de viagem. Aluns de Pós-Graduaçã de Instituições Estrangeiras Visa apiar visitas de n máxim 30 dias, de dutrands de instituições estrangeiras, qualificads, e prcedentes de Centrs de Excelência para estudarem, pesquisarem

Leia mais

1ª EDIÇÃO. Regulamento

1ª EDIÇÃO. Regulamento 1ª EDIÇÃO Regulament 1. OBJETIVO O Prêmi BRASILIDADE é uma iniciativa d Serviç de Api às Micr e Pequenas Empresas n Estad d Ri de Janeir SEBRAE/RJ, idealizad pr Izabella Figueired Braunschweiger e cm a

Leia mais

ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA

ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA 2º semestre / 2012 O Prgrama de Educaçã Cntinuada da trna públic, para cnheciment

Leia mais

Alteração à Linha de Crédito para apoio às Empresas de Produção, Transformação e Comercialização de Produtos Agrícolas, Pecuários e Florestais

Alteração à Linha de Crédito para apoio às Empresas de Produção, Transformação e Comercialização de Produtos Agrícolas, Pecuários e Florestais Inf - Estruturas Infrmaçã Mensal d Sectr Linha de Crédit PME 2009 Alteraçã à Linha de Crédit para api às Empresas de Prduçã, Transfrmaçã e Cmercializaçã de Prduts Agríclas, Pecuáris e Flrestais A Linha

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( )

PLANO DE ENSINO 2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médi PLANO DE ENSINO 2009 Médi Prfissinalizante ( ) Prfissinalizante ( ) Graduaçã ( x ) Pós-graduaçã ( ) I. Dads Identificadres Curs Superir de Tecnlgia em Gestã Ambiental

Leia mais

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Mecanism Financeir d Espaç Ecnómic Eurpeu 2009-2014 Área Prgramática Energias Renváveis PROGRAMA PT-03: GAIa Prgramme Gethermal Azres Iceland Funds para a Participaçã

Leia mais

Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020

Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020 Prgrama de Desenvlviment Rural d Cntinente para 2014-2020 Medida 7 AGRICULTURA e RECURSOS NATURAIS Açã 7.2 PRODUÇÃO INTEGRADA Enquadrament Regulamentar Artig 28.º Agrambiente e clima d Regulament (UE)

Leia mais

Resumo Executivo - Funcionalidades 1 INTRODUÇÃO

Resumo Executivo - Funcionalidades 1 INTRODUÇÃO 1 INTRODUÇÃO A crescente cmplexidade ds prjets, a quantidade de infrmaçã que lhes está assciada e aument d númer de intervenientes n prcess cnstrutiv, transfrmaram a indústria da cnstruçã numa indústria

Leia mais

Prova Escrita e Prova Oral de Inglês

Prova Escrita e Prova Oral de Inglês AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AURÉLIA DE SOUSA PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Prva Escrita e Prva Oral de Inglês 11.º An de esclaridade DECRETO-LEI n.º 139/2012, de 5 de julh Prva (n.º367) 1.ªe 2.ª Fase 6

Leia mais

Regulamento do programa de bolsas de estudos

Regulamento do programa de bolsas de estudos Regulament d prgrama de blsas de estuds Unidades Ri de Janeir e Sã Paul Data de publicaçã: 13/05/2015 Regulament válid até 30/08/2015 1 1. Sbre prgrama Através de um prcess seletiv, prgrama de blsas de

Leia mais

(MADEIRA 14-20) 121. Preparação, execução, acompanhamento e inspeção 122. Avaliação e estudos 123. Informação e comunicação

(MADEIRA 14-20) 121. Preparação, execução, acompanhamento e inspeção 122. Avaliação e estudos 123. Informação e comunicação AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS PROGRAMA OPERACIONAL DA 2014-2020 (MADEIRA 14-20) EIXO PRIORITÁRIO 12 Assistência Técnica PRIORIDADE DE INVESTIMENTO (PI) AT.1 Assistência Técnica - FEDER OBJETIVO

Leia mais

REGULAMENTO TOP CIDADANIA ABRH-RS EDIÇÃO 2015 CATEGORIA ESTUDANTE

REGULAMENTO TOP CIDADANIA ABRH-RS EDIÇÃO 2015 CATEGORIA ESTUDANTE REGULAMENTO TOP CIDADANIA ABRH-RS EDIÇÃO 2015 CATEGORIA ESTUDANTE ARTIGO I DEFINIÇÃO E NATUREZA O Prêmi Cidadania, categria Estudante, premia trabalhs de caráter técnic u científic, referente a implementaçã

Leia mais

RECURSOS FINANCEIROS EXTRA PARA O CRESCIMENTO DO SEU NEGÓCIO. BRACING PT2020 PDR2020 (Jovens agricultores) Página 1 de 7. Bracing Consulting, Lda.

RECURSOS FINANCEIROS EXTRA PARA O CRESCIMENTO DO SEU NEGÓCIO. BRACING PT2020 PDR2020 (Jovens agricultores) Página 1 de 7. Bracing Consulting, Lda. RECURSOS FINANCEIROS EXTRA PARA O CRESCIMENTO DO SEU NEGÓCIO BRACING PT2020 PDR2020 (Jvens agricultres) Página 1 de 7 Bracing Cnsulting, Lda. Rua d Tâmega, S/N. 4200 502 Prt Prtugal +351 917 000 020 inf@bracing

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DO MADEIRA 14-20

REGULAMENTO ESPECÍFICO DO MADEIRA 14-20 AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS PROGRAMA OPERACIONAL DA 2014-2020 (MADEIRA 14-20) EIXO PRIORITÁRIO 3 Reforçar a Competitividade das Empresas PRIORIDADE DE INVESTIMENTO (PI) 3.b Desenvolvimento

Leia mais

Lista dos dados a registar e armazenar em formato eletrónico no âmbito do sistema de monitorização (a que se refere o artigo 24.o)

Lista dos dados a registar e armazenar em formato eletrónico no âmbito do sistema de monitorização (a que se refere o artigo 24.o) Lista ds dads a registar e armazenar em frmat eletrónic n âmbit d sistema de mnitrizaçã (a que se refere artig 24.) L 138/34 ANEXO III É exigida a apresentaçã de dads para as perações apiadas pel FSE,

Leia mais

CAE Rev_3: 74900 e 71120 LICENCIAMENTO DE EMPRESAS PARA O EXERCÍCIO DE ACTIVIDADES DE PRODUÇÃO E RENOVAÇÃO DE CADASTRO PREDIAL

CAE Rev_3: 74900 e 71120 LICENCIAMENTO DE EMPRESAS PARA O EXERCÍCIO DE ACTIVIDADES DE PRODUÇÃO E RENOVAÇÃO DE CADASTRO PREDIAL O cnteúd infrmativ dispnibilizad pela presente ficha nã substitui a cnsulta ds diplmas legais referenciads e da entidade licenciadra. FUNCHAL CAE Rev_3: 74900 e 71120 LICENCIAMENTO DE EMPRESAS PARA O EXERCÍCIO

Leia mais

SI à Qualificação e Internacionalização de PME Projectos Individuais e de Cooperação Aviso nº 7/SI/2011

SI à Qualificação e Internacionalização de PME Projectos Individuais e de Cooperação Aviso nº 7/SI/2011 Objectiv Tiplgia SI à Qualificaçã e Internacinalizaçã de PME Prjects Individuais e de Cperaçã Avis nº 7/SI/2011 Prmçã da cmpetitividade das empresas através d aument da prdutividade, da flexibilidade e

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI EDITAL Nº 005/2014 DE 07 DE ABRIL DE 2014 PROCESSO SELETIVO O Centr Universitári UNINOVAFAPI, situad à rua Vitrin Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairr d Uruguai, CEP.: 64.073-505,

Leia mais

Excluídas as seguintes definições:

Excluídas as seguintes definições: Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações Entre PM AM.08 APLICAÇÃO DE PENALIDADE POR INSUFICIÊNCIA DE CONTRATAÇÃO E PENALIDADE POR INSUFICIÊNCIA DE LASTRO DE VENDA & PdC AM.10 MONITORAMENTO DE INFRAÇÃO

Leia mais

O Certificado é um dos documentos exigidos para solicitar as seguintes isenções de contribuições sociais:

O Certificado é um dos documentos exigidos para solicitar as seguintes isenções de contribuições sociais: PROCEDIMENTOS PARA CERTIFICAÇÃO E/OU RENOVAÇÃO DO CEBAS CNAS CERTIFICAÇÃO/RENOVAÇÃO O Certificad é um ds dcuments exigids para slicitar as seguintes isenções de cntribuições sciais: Parte patrnal da cntribuiçã

Leia mais

Resultado do Inquérito On-line aos Participantes dos Workshops Realizados pela Direção-Geral das Artes. Avaliação da Utilidade dos Workshops

Resultado do Inquérito On-line aos Participantes dos Workshops Realizados pela Direção-Geral das Artes. Avaliação da Utilidade dos Workshops Resultad d Inquérit On-line as Participantes ds Wrkshps Realizads pela Direçã-Geral das Artes Avaliaçã da Utilidade ds Wrkshps Títul: Resultad d Inquérit On-line as Participantes ds Wrkshps realizads pela

Leia mais

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização CIRCULAR Data: 2007/10/10 Númer d Prcess: DSDC/DEPEB/2007 Assunt: GESTÃO DO CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007 Para: Inspecçã-Geral de Educaçã Direcções Reginais de Educaçã

Leia mais

www.highskills.pt geral@highskills.pt

www.highskills.pt geral@highskills.pt www.highskills.pt geral@highskills.pt Índice Designaçã d Curs... 2 Duraçã Ttal d Curs de Frmaçã... 2 Destinatáris... 2 Objetiv Geral... 2 Objetivs Específics... 2 Estrutura mdular e respectiva carga hrária...

Leia mais

CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI

CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI 6.1 Requisits de Capacidade e Experiência d Prestadr A ANEEL deveria exigir um puc mais quant a estes requisits, de frma a garantir uma melhr qualificaçã da empresa a ser cntratada.

Leia mais

Volume I: Tecnologia Sesi cultura e as leis de incentivo à cultura. Brasília: SESI/DN, 2007, 50p.

Volume I: Tecnologia Sesi cultura e as leis de incentivo à cultura. Brasília: SESI/DN, 2007, 50p. Data de elabraçã da ficha: Jun 2007 SESI Serviç Scial da Indústria Dads da rganizaçã Nme: SESI Serviç Scial da Indústria Endereç: Av Paulista, 1313, Sã Paul, SP Site: www.sesi.rg.br Telefne: (11) 3146-7405

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira DIRETRIZES PARA ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DOS CURSOS DE GESTÃO 1 Sumári I. O Estági em Gestã...3 II. O Estági curricular...4 III. Acmpanhament e avaliaçã...5 IV. Mdels de Plan de Atividades e de Relatóri...5

Leia mais

MODALIDADE DE FORMAÇÃO

MODALIDADE DE FORMAÇÃO CURSO 7855 PLANO DE NEGÓCIO - CRIAÇÃO DE PEQUENOS E MÉDIOS NEGÓCIOS Iníci ------ Duraçã 50h Hrári(s) ------ OBJECTIVOS GERAIS - Identificar s principais métds e técnicas de gestã d temp e d trabalh. -

Leia mais

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000 ISO 9001:2008 alterações à versã de 2000 Já passaram quase it ans desde que a versã da ISO 9001 d an 2000 fi publicada, que cnduziu à necessidade de uma grande mudança para muitas rganizações, incluind

Leia mais

Procedimentos para aceitação de materiais e equipamentos fornecidos à EDP Distribuição

Procedimentos para aceitação de materiais e equipamentos fornecidos à EDP Distribuição Julh 2010 Prcediments para aceitaçã de materiais e equipaments frnecids à EDP Distribuiçã DGF/Departament Gestã de Materiais e Equipaments Prcediments para aceitaçã de materiais e equipaments frnecids

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS Versã 0.0 25/10/2010 Sumári 1 Objetivs... 3 2 Cnceits... 3 3 Referências... 3 4 Princípis... 3 5 Diretrizes d Prcess... 4 6 Respnsabilidades... 5 7

Leia mais

Gestão do Escopo 1. Planejamento da Gestão do Escopo: 2. Definição do Escopo: 3. Elaboração da EDT(EAP): 4. Verificação do Escopo:

Gestão do Escopo 1. Planejamento da Gestão do Escopo: 2. Definição do Escopo: 3. Elaboração da EDT(EAP): 4. Verificação do Escopo: Gestã d Escp 1. Planejament da Gestã d Escp: i. Autrizaçã d prjet ii. Definiçã d escp (preliminar) iii. Ativs em cnheciments rganizacinais iv. Fatres ambientais e rganizacinais v. Plan d prjet i. Plan

Leia mais

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 Flrianóplis, 25 de janeir de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 1) Cnsiderações Gerais: A Federaçã Nacinal ds Estudantes de Engenharia Civil

Leia mais

Política de Identificação de Clientes

Política de Identificação de Clientes Plítica de Identificaçã de Clientes Índice 1. ENQUADRAMENTO... 2 2. OBJETIVO E ÂMBITO DE APLICAÇÃO... 2 3. VERIFICAÇÃO DA IDENTIDADE... 3 3.1. Princípis básics... 3 3.2. Elements a bter... 3 4. ENTIDADES...

Leia mais

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO 1 de 7 1. OBJETIVO Este prcediment estabelece prcess para cncessã, manutençã, exclusã e extensã da certificaçã de sistema de segurança cnfrme ABNT NBR 15540. 2. DOCUMENTOS COMPLEMENTARES - ABNT NBR 15540:2013:

Leia mais

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde Anex V Sftware de Registr Eletrônic em Saúde Implantaçã em 2 (duas) Unidades de Saúde Índice 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS DE IMPLANTAÇÃO... 3 4 INFRAESTRUTURA NAS UNIDADES DE SAÚDE -

Leia mais

www.highskills.pt geral@highskills.pt

www.highskills.pt geral@highskills.pt www.highskills.pt geral@highskills.pt Índice Designaçã d Curs... 2 Duraçã Ttal d Curs de Frmaçã... 2 Destinatáris... 2 Objetiv Geral... 2 Objetivs Específics... 2 Estrutura mdular e respectiva carga hrária...

Leia mais

Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020

Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020 Prgrama de Desenvlviment Rural d Cntinente para 2014-2020 Medida 7 AGRICULTURA e RECURSOS NATURAIS Açã 7.1 AGRICULTURA BIOLÓGICA Enquadrament Regulamentar Artig 29º - Agricultura bilógica d Regulament

Leia mais

Em qualquer situação, deve ser incluída toda a informação que seja relevante para a análise e resolução da questão/problema.

Em qualquer situação, deve ser incluída toda a informação que seja relevante para a análise e resolução da questão/problema. Mdel de Cmunicaçã Prescriçã Eletrónica de Medicaments Revisã 2 Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes da Prescriçã Eletrónica de Medicaments

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs)

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs) MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE Técnics de Instalaçã e Manutençã de Edifícis e Sistemas (TIMs) NO SISTEMA INFORMÁTICO DO SISTEMA NACIONAL DE CERTIFICAÇÃO ENERGÉTICA NOS EDIFÍCIOS (SCE) 17/07/2014

Leia mais

GERENCIAMENTO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM. Solução de Gestão Eletrônica de Documentos Acadêmicos

GERENCIAMENTO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM. Solução de Gestão Eletrônica de Documentos Acadêmicos GERENCIAMENTO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM Sluçã de Gestã Eletrônica de Dcuments Acadêmics OBJETIVOS DA SOLUÇÃO BENEFÍCIOS GERAIS A Sluçã ECMDOC de Gestã de Dcuments Acadêmics, tem cm principais

Leia mais

DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS

DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS Prjets n Bima Amazônia A Critéris Orientadres B C D E F Cndicinantes Mínims para Prjets Mdalidades de Aplicaçã ds Recurss Restriçã de Us ds Recurss Critéris

Leia mais

Modernizar as unidades empresariais integradas em áreas urbanas delimitadas;

Modernizar as unidades empresariais integradas em áreas urbanas delimitadas; URBCOM SISTEMA DE INCENTIVOS A PROJECTOS DE URBANISMO COMERCIAL FICHA DE MEDIDA Apia prjects que visem a mdernizaçã de actividades empresariais d cmérci e de alguns serviçs, e a qualificaçã ds espaçs urbans

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 Tend presente a Missã da Federaçã Prtuguesa de Autism: Defesa incndicinal ds direits das pessas cm Perturbações d Espectr d Autism e suas famílias u representantes. Representaçã

Leia mais

Processos de Apoio do Grupo Consultivo 5.5 Suporte Informático Direito de Acesso à Rede

Processos de Apoio do Grupo Consultivo 5.5 Suporte Informático Direito de Acesso à Rede Prcesss de Api d Grup Cnsultiv 5.5 Suprte Infrmátic Direit de Acess à Rede Suprte Infrmátic - Dcuments 5.5 Âmbit e Objectiv Frmuláris aplicáveis Obrigatóris Obrigatóris, se aplicável Frmulári de Mapa de

Leia mais

REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO

REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO Um prject eurpeu em clabraçã cm a EHFA Eurpean Health and Fitness Assciatin, cm sede em Bruxelas Regist ds Prfissinais Intrduçã Estams numa fase em que a Tutela

Leia mais

Direitos e Obrigações no âmbito dos Acidentes Profissionais e Doenças Profissionais

Direitos e Obrigações no âmbito dos Acidentes Profissionais e Doenças Profissionais Cmunicaçã Direits e Obrigações n âmbit ds Acidentes Prfissinais e Denças Prfissinais Direits e Obrigações n âmbit ds Acidentes Prfissinais e Denças Prfissinais (Lei nº 98/2009 de 4 de Setembr) 1- QUEM

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Faculdade de Tecnlgia SENAI Flrianóplis e Faculdade de Tecnlgia SENAI Jaraguá d Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduaçã Lat Sensu em Gestã da Segurança da Infrmaçã em Redes de Cmputadres A Faculdade

Leia mais

Programa Agora Nós Voluntariado Jovem. Namorar com Fair Play

Programa Agora Nós Voluntariado Jovem. Namorar com Fair Play Prgrama Agra Nós Vluntariad Jvem Namrar cm Fair Play INTRODUÇÃO A vilência na intimidade nã se circunscreve às relações cnjugais, estand presente quer nas relações de namr, quer nas relações juvenis casinais.

Leia mais

10ª JORNADA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Extensão Universitária e Políticas Públicas

10ª JORNADA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Extensão Universitária e Políticas Públicas SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO 10ª JORNADA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Extensã Universitária e Plíticas Públicas Períd 05 a 07 de dezembr de 2007 A 10ª Jrnada

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatóri de Gerenciament de Riscs 2º Semestre de 2014 1 Sumári 1. Intrduçã... 3 2. Gerenciament de Riscs... 3 3. Risc de Crédit... 4 3.1. Definiçã... 4 3.2. Gerenciament... 4 3.3. Limites de expsiçã à

Leia mais

Legenda da Mensagem de Resposta à Verificação de Elegibilidade (respostaelegibilidade)

Legenda da Mensagem de Resposta à Verificação de Elegibilidade (respostaelegibilidade) Legenda da Mensagem de Respsta à Verificaçã de Elegibilidade (respstaelegibilidade) Mensagem : Respta à verificaçã de elegibilidade (respstaelegibilidade) - Flux : Operadra para Prestadr Códig da mensagem

Leia mais

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE REDES E CRONOGRAMAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE REDES E CRONOGRAMAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2 1 / 5 SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2 2.1.1 CRITÉRIOS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DO CRONOGRAMA DE BARRAS TIPO GANTT:...2 2.1.2 CRITÉRIOS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO

Leia mais

Processo/Instruções de Pagamento para Aplicação no Programa de Sustentabilidade de Pequenas Empresas

Processo/Instruções de Pagamento para Aplicação no Programa de Sustentabilidade de Pequenas Empresas Prcess/Instruções de Pagament para Aplicaçã n Prgrama de Sustentabilidade de Pequenas Empresas Requisits de Elegibilidade 1. A empresa deve estar lcalizada em znas de cnstruçã activa na Alum Rck Avenue

Leia mais

DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO

DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO 1. PREÂMBULO... 1 2. NATUREZA E OBJECTIVOS... 1 3. MODO DE FUNCIONAMENTO... 2 3.1 REGIME DE ECLUSIVIDADE... 2 3.2 OCORRÊNCIAS... 2 3.3

Leia mais

O Centro Universitário UNINOVAFAPI, situado à rua Vitorino Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairro do

O Centro Universitário UNINOVAFAPI, situado à rua Vitorino Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairro do CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI EDITAL Nº 010/ DE 11 DE JUNHO DE VESTIBULAR /02 O Centr Universitári UNINOVAFAPI, situad à rua Vitrin Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairr d Uruguai, CEP 64.073-505, Telefne:

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSOS ESPECIAIS DE ACESSO E INGRESSO MINISTRADOS NO IPP NO ENSINO SUPERIOR NOS CURSOS

REGULAMENTO CONCURSOS ESPECIAIS DE ACESSO E INGRESSO MINISTRADOS NO IPP NO ENSINO SUPERIOR NOS CURSOS REGULAMENTO CONCURSOS ESPECIAIS DE ACESSO E INGRESSO NO ENSINO SUPERIOR NOS CURSOS MINISTRADOS NO IPP JULHO 2010 ÍNDICE CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES GERAIS Object... 3 Âmbit bjectiv... 3 Âmbit subjectiv...

Leia mais

Formação integrada em Contabilidade, Finanças e Fiscalidade

Formação integrada em Contabilidade, Finanças e Fiscalidade Frmaçã integrada em Cntabilidade, Finanças e Fiscalidade Objetivs Gerais Este Curs pretende dtar e cnslidar ns participantes s cnheciments avançads para desempenh das suas atividades prfissinais ns dmínis

Leia mais

OBJECTIVO. Ligação segura às redes públicas de telecomunicações, sob o ponto de vista dos clientes e dos operadores;

OBJECTIVO. Ligação segura às redes públicas de telecomunicações, sob o ponto de vista dos clientes e dos operadores; Prcediments de Avaliaçã das ITED ANACOM, 1ª ediçã Julh 2004 OBJECTIVO De acrd cm dispst n nº 1, d artº 22º, d Decret Lei nº 59/2000, de 19 de Abril (adiante designad cm DL59), a cnfrmidade da instalaçã

Leia mais

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito*

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito* 20 Api O Setr Elétric / Julh de 2009 Desenvlviment da Iluminaçã Pública n Brasil Capítul VII Prjets de eficiência energética em iluminaçã pública Pr Lucian Haas Rsit* Neste capítul abrdarems s prjets de

Leia mais

INDICE DE PREÇOS TURISTICO. Desenvolvido no quadro do Programa Comum de Estatística CPLP com o apoio técnico do INE de Portugal

INDICE DE PREÇOS TURISTICO. Desenvolvido no quadro do Programa Comum de Estatística CPLP com o apoio técnico do INE de Portugal INDICE DE PREÇOS TURISTICO Desenvlvid n quadr d Prgrama Cmum de Estatística CPLP cm api técnic d INE de Prtugal Estrutura da Apresentaçã INTRODUÇÃO. METODOLOGIA. FORMA DE CÁLCULO. PROCESSO DE TRATAMENTO.

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para Prcediment de Cmercializaçã. Inserid

Leia mais

Unidade 7: Sínteses de evidências para políticas

Unidade 7: Sínteses de evidências para políticas Unidade 7: Sínteses de evidências para plíticas Objetiv da Unidade Desenvlver um entendiment cmum d que é uma síntese de evidências para plíticas, que inclui e cm pde ser usada 3 O que é uma síntese de

Leia mais

O Centro Universitário UNINOVAFAPI, situado à rua Vitorino Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairro

O Centro Universitário UNINOVAFAPI, situado à rua Vitorino Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairro CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI EDITAL Nº 7/2015 DE 27 DE ABRIL DE 2015 VESTIBULAR 2015/02 O Centr Universitári UNINOVAFAPI, situad à rua Vitrin Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairr d Uruguai, CEP 64.073-505,

Leia mais

SEGURANÇA NO TRABALHO CONTRATADOS E TERCEIROS DO CLIENTE

SEGURANÇA NO TRABALHO CONTRATADOS E TERCEIROS DO CLIENTE Flha 1 de 8 Rev. Data Cnteúd Elabrad pr Aprvad pr 0 16/06/2004 Emissã inicial englband a parte técnica d GEN PSE 004 Luiz C. Sants Cmitê da Qualidade 1 31/01/2006 Revisã geral Luiz C. Sants Cmitê da Qualidade

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DE RESPONSABILIDADE AMBIENTAL

CERTIFICAÇÃO DE RESPONSABILIDADE AMBIENTAL Pól Mveleir de Arapngas PR Revisã: 00 Pól Mveleir de Arapngas PR Revisã: 01 TERMOS DE USO DO ECOSELO EQUIPE TÉCNICA RESPONSÁVEL PELA ELABORAÇÃO DESTE DOCUMENTO: Irineu Antni Brrasca Presidente d CETEC

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatóri de Gerenciament de Riscs 2º Semestre de 2015 1 Sumári 1. Intrduçã... 3 2. Gerenciament de Riscs... 3 2.1. Organgrama... 4 3. Risc de Crédit... 4 3.1. Definiçã... 4 3.2. Gerenciament... 4 3.3.

Leia mais

ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS

ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS 1 Os Estads-Membrs devem garantir que tdas as cndições u restrições relativas

Leia mais

Adesão à CCEE. Versão 1 -> Versão 2

Adesão à CCEE. Versão 1 -> Versão 2 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações Adesã à CCEE Versã 1 -> Versã 2 Versã 2 METODOLOGIA DO Text em realce refere-se à inserçã de nva redaçã Text tachad refere-se à exclusã de redaçã. Alterações

Leia mais

Integração do POPH no SIIFSE

Integração do POPH no SIIFSE Integraçã d POPH n SIIFSE Manual de Utilizadr Frmulári de Candidatura as Estágis Prfissinais na Administraçã Pública Lcal - 18 de Fevereir de 2008-1ª Versã ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 3 1.1 ENQUADRAMENTO E

Leia mais