CADERNOS DO NÚCLEO DE ANÁLISES URBANAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE. Edição especial: o município de Erechim em dados

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CADERNOS DO NÚCLEO DE ANÁLISES URBANAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE. Edição especial: o município de Erechim em dados"

Transcrição

1 CADERNOS DO NÚCLEO DE ANÁLISES URBANAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE Edição especial: o município de Erechim em dados César Augusto Avila Martins (org.) Edna Pastorino José Francisco Santos de Moura Luciano Marin Lucas Renato de Camargo Susana Maria Veleda da Silva (org.) Rio Grande, v.2, nº. 1, 2008

2 Universidade Federal do Rio Grande PUBLICAÇÃO DO NÚCLEO DE ANÁLISES URBANAS (NAU) DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE (FURG) Conselho Editorial Reitor João Carlos Brahm Cousin Vice-Reitor Ernesto Luiz Casares Pinto Pró-Reitora de Assuntos Comunitários e estudantis Darlene Torrada Pereira Pró-Reitor Administrativo José Vanderlei Silva Borba Pró-Reitor de Planejamento e Desenvolvimento José Carlos Resmini Figurelli Pró-Reitora de Graduação Cleuza Maria Sobral Dias Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação Luiz Eduardo Maia Nery César Augusto Avila Martins - Departamento de Geociências (FURG, Rio Grande/RS). Carlos Alberto Oliveira - Departamento de História (Departamento de Filosofia e Ciências Humanas - Universidade Estadual de Santa Cruz, Ilhéus/BA) José Messias Bastos - Departamento de Geociências (UFSC, Florianópolis/SC). Luiz Fernando Mazzini Fontoura - Departamento de Geografia (UFRGS, Porto Alegre/RS) Lilian Hann Mariano da Rocha - Departamento de Geociências (UFSM, Santa Maria/RS). Susana Maria Veleda da Silva - Departamento de Geociências (FURG, Rio Grande/RS) Endereço para correspondência e assinatura Mailing address subscriptions Universidade Federal do Rio Grande Departamento de Geociências Núcleo de Análises Urbanas - Campus Carreiros Caixa Postal Rio Grande / RS / Brasil.

3 CADERNOS DO NÚCLEO DE ANÁLISES URBANAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE ISSN CaderNAU Rio Grande V.2 Nº

4 do Núcleo de Análises Urbanas Universidade Federal do Rio Grande 2008 Capa: Schema de um plano geral de viação (3ºesboço) - na zona norte do Rio Grande do Sul (Zona da colonisação actual e futura), SECRETARIA DAS OBRAS PÚBLICAS - DIRECTORIA DE TERRAS E COLONISAÇÃO. Adaptado por Edílson W. Pedroso Júnior Geógrafo CREA: RS Diagramação: Mateus Ferreira Balinhas Tavares Revisão: Profª. MsC. Alessandra Avila Martins CaderNAU : Cadernos do Núcleo de Análises Urbanas / FURG. - v.2, nº. 1 (2008). Semestral ISSN Geografia humana. 2. Geografia urbana. I. Universidade Federal do Rio Grande. Catalogação na fonte: NID Biblioteca Central Marilene Barbosa CRB10/628 CDU O CaderNAU é uma publicação do Núcleo de Análises Urbanas (NAU) da Universidade Federal do Rio Grande (FURG)

5 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO OS AUTORES E AS AUTORAS REPRESENTAÇÃO DO MUNICÍPIO DE ERECHIM: PRINCIPAIS DADOS DEMOGRÁFICOS: TABELA 01: POPULAÇÃO RESIDENTE (NÚMERO DE HABITANTES) POR FAIXA ETÁRIA E SEXO: BRASIL, RIO GRANDE DO SUL, ERECHIM, TABELA 02: POPULAÇÃO RESIDENTE (NÚMERO DE HABITANTES) POR FAIXA ETÁRIA E SEXO: ERECHIM, TABELA 03: DOMICÍLIOS PARTICULARES E PERMANENTES (UNIDADE) E POPULAÇÃO RECENSEADA EM DOMICÍLIOS PARTICULARES E PERMANENTES (PESSOAS): ERECHIM, TABELA 04: POPULAÇÃO RESIDENTE (NÚMERO DE HABITANTES) POR SEXO E SITUAÇÃO DOMICÍLIO: BRASIL, RIO GRANDE DO SUL E ERECHIM, TABELA 05: POPULAÇÃO DE HOMENS, MULHERES E TOTAL POR FAIXA ETÁRIA DA COR BRANCA E PRETA OU PARDA (NÚMERO DE HABITANTES): BRASIL, RIO GRANDE DO SUL E ERECHIM, TABELA 06: POPULAÇÃO RECENSEADA, POR SITUAÇÃO DO DOMICILIO E SEXO: RIO GRANDE DO SUL, ERECHIM, TABELA 07: DOMICÍLIOS PARTICULARES OCUPADOS, POR SEXO DA PESSOA RESPONSÁVEL PELO DOMICILIO: RIO GRANDE DO SUL, ERECHIM, TABELA 08: INDICADORES DE FECUNDIDADE: BRASIL, RIO GRANDE DO SUL E ERECHIM, TABELA 09: ESPERANÇA DE VIDA AO NASCER (EM ANOS): BRASIL, RIO GRANDE DO SUL, ERECHIM, TABELA 10: INFORMAÇÕES SOBRE NASCIMENTOS: BRASIL, RIO GRANDE DO SUL E ERECHIM, TABELA 11: INFORMAÇÕES SOBRE MORTALIDADE: BRASIL, RIO GRANDE DO SUL E ERECHIM, PRINCIPAIS DADOS SOBRE AS CONDIÇÕES DE EDUCAÇÃO: TABELA 12: NÚMERO DE DOCENTES POR DEPENDÊNCIA ADMINISTRATIVA E NÍVEL DE ENSINO EM ERECHIM, 2005 E TABELA 13: NÚMERO DE ESCOLAS POR DEPENDÊNCIA ADMINISTRATIVA E NÍVEL DE ENSINO EM ERECHIM, 2005 E TABELA 14: NÚMERO DE MATRÍCULAS POR DEPENDÊNCIA ADMINISTRATIVA E NÍVEL DE ENSINO: BRASIL, RIO GRANDE DO SUL E ERECHIM, TABELA 15: MÉDIA DE ANOS DE ESTUDO POR FAIXA ETÁRIA, SEGUNDO SEXO E COR: BRASIL, RIO GRANDE DO SUL E ERECHIM, TABELA 16: MÉDIA DE ANOS DE ESTUDO POR FAIXA ETÁRIA, SEGUNDO SEXO E COR: BRASIL, RIO GRANDE DO SUL E ERECHIM, TABELA 17: TAXA DE ANALFABETISMO (%) POR FAIXA ETÁRIA, SEGUNDO SEXO E COR: BRASIL, RIO GRANDE DO SUL E ERECHIM, TABELA 18: TAXA DE ANALFABETISMO (%) POR FAIXA ETÁRIA, SEGUNDO SEXO E COR: BRASIL, RIO GRANDE DO SUL E ERECHIM, PRINCIPAIS DADOS SOBRE AS CONDIÇÕES DE SAÚDE: TABELA 19: NÚMERO DE HOSPITAIS E LEITOS POR NATUREZA DO PRESTADOR: BRASIL, RIO GRANDE DO SUL E ERECHIM, JULHO DE TABELA 20: NÚMERO DE LEITOS POR HABITANTES: BRASIL, RIO GRANDE DO SUL E ERECHIM, TABELA 21: INDICADORES DO POTENCIAL DE ATENDIMENTO QUALIFICADO: BRASIL, RIO GRANDE DO SUL E ERECHIM, TABELA 22: MORTALIDADE PROPORCIONAL (%) POR FAIXA ETÁRIA, SEGUNDO GRUPO DE CAUSAS: BRASIL, TABELA 23: MORTALIDADE PROPORCIONAL (%) POR FAIXA ETÁRIA, SEGUNDO GRUPO DE CAUSAS: RIO GRANDE DO SUL, TABELA 24: MORTALIDADE PROPORCIONAL (%) POR FAIXA ETÁRIA, SEGUNDO GRUPO DE CAUSAS: ERECHIM,

6 7. PRINCIPAIS DADOS SOBRE AS CONDIÇÕES DE MORADIA: TABELA 25: DOMICÍLIOS PARTICULARES E PERMANENTES (UNIDADE) E DESTINO DO LIXO: BRASIL, RIO GRANDE DO SUL E ERECHIM, TABELA 26: DOMICÍLIOS PARTICULARES E PERMANENTES (UNIDADE) E TIPO DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO: BRASIL, RIO GRANDE DO SUL E ERECHIM, FONTE: INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE) - CENSO DEMOGRÁFICO, TABELA 27: DOMICÍLIOS PARTICULARES E PERMANENTES (UNIDADE) E FORMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA, BRASIL: RIO GRANDE DO SUL E ERECHIM, TABELA 28: NÚMERO DE LIGAÇÕES DE ÁGUA (UNIDADE): BRASIL, RIO GRANDE DO SUL E ERECHIM, TABELA 29: NÚMERO DE LIGAÇÕES DE ESGOTO (UNIDADE): BRASIL, RIO GRANDE DO SUL E ERECHIM, PRINCIPAIS DADOS ECONÔMICOS: TABELA 30: PRODUTO INTERNO BRUTO A PREÇOS CORRENTES E PER CAPITA (EM R$): BRASIL, 2004 E RIO GRANDE DO SUL E ERECHIM, TABELA 31: ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO MUNICIPAL (IDHM), BRASIL, RIO GRANDE DO SUL E ERECHIM, PRINCIPAIS DADOS DOS SETORES ECONÔMICOS: TABELA 32: DADOS SOBRE O SETOR PÚBLICO (N ESTABELECIMENTOS, N FUNCIONÁRIOS, SEXO, RENDA MÉDIA): ERECHIM, TABELA 33: DADOS SOBRE O SETOR INDUSTRIAL (N ESTABELECIMENTOS, N FUNCIONÁRIOS, SEXO, RENDA MÉDIA ): ERECHIM, TABELA 34: DADOS SOBRE O SETOR DE COMÉRCIO (N ESTABELECIMENTOS, N FUNCIONÁRIOS, SEXO, RENDA MÉDIA): ERECHIM, TABELA 35: DADOS SOBRE O SETOR DE SERVIÇOS (N ESTABELECIMENTOS, N FUNCIONÁRIOS, SEXO, RENDA MÉDIA): ERECHIM, TABELA 36: DADOS SOBRE O SETOR PRIMÁRIO (N ESTABELECIMENTOS, N FUNCIONÁRIOS, SEXO, RENDA MÉDIA): ERECHIM, PRINCIPAIS DADOS AGROPECUÁRIOS: TABELA 37: CONDIÇÃO DO PRODUTOR POR ESTABELECIMENTO RURAL E ÁREA TOTAL: BRASIL, RIO GRANDE DO SUL E ERECHIM, 1995/ TABELA 38: UTILIZAÇÃO DAS TERRAS POR ESTABELECIMENTO E ÁREA TOTAL NO BRASIL, RIO GRANDE DO SUL E ERECHIM, 1995/ TABELA 39: PESSOAL OCUPADO (%) EM ESTABELECIMENTOS RURAIS POR SEXO NOS GRUPOS DE ÁREA: BRASIL, RIO GRANDE DO SUL E ERECHIM, 1995/ TABELA 40: PESSOAL OCUPADO (%) POR GRUPO DE ATIVIDADE ECONÔMICA AGRÍCOLA: BRASIL, RIO GRANDE DO SUL E ERECHIM, 1995/ TABELA 41: QUANTIDADE PRODUZIDA, VALOR DA PRODUÇÃO, ÁREA PLANTADA, ÁREA COLHIDA DE ALGUNS PRODUTOS DA LAVOURA TEMPORÁRIA: BRASIL, RIO GRANDE DO SUL E ERECHIM, TABELA 42: EVOLUÇÃO DOS EFETIVOS REBANHOS POR ESPÉCIE (CABEÇAS): BRASIL, RIO GRANDE DO SUL E ERECHIM, TABELA 43: EVOLUÇÃO DA PRODUÇÃO DE LEITE, LÃ, OVOS DE GALINHA E MEL DE ABELHA: BRASIL, RIO GRANDE DO SUL E ERECHIM, TABELA 44: QUANTIDADE PRODUZIDA DE LEITE POR GRUPO DE ATIVIDADE ECONÔMICA: BRASIL, RIO GRANDE DO SUL E ERECHIM, 1995/ TABELA 45: EVOLUÇÃO DOS EFETIVOS REBANHOS POR ESPÉCIE (CABEÇAS): BRASIL E RIO GRANDE DO SUL, TABELA 46: EVOLUÇÃO DOS EFETIVOS REBANHOS POR ESPÉCIE (CABEÇAS): ERECHIM,

7 1. APRESENTAÇÃO 7

8 8

9 9

10 10

11 11

12 12

13 13

14 14

15 15

16 16

17 2. OS AUTORES E AS AUTORAS César Augusto Avila Martins - graduado em Geografia - licenciatura (FURG); mestre em Ciências: Geografia Humana (USP); doutor em Geografia: Desenvolvimento Regional e Urbano (UFSC); professor no Departamento de Geociências da FURG desde 1989; Edna Pastorino - graduada em Geografia - bacharelado (FURG); mestre em Geografia (UFRGS); professora substituta no DGEO/FURG; Geógrafa do Núcleo de Análises Urbanas/NAU; José Francisco Santos de Moura - estudante de Geografia - licenciatura plena (FURG); bolsista do Núcleo de Análises Urbanas/NAU; Luciano Marin Lucas - graduado em Geografia - bacharelado (FURG); mestre em Geografia (UFRJ); Geógrafo do Núcleo de Análises Urbanas/NAU; Renato de Camargo - estudante de Geografia - bacharelado (FURG); bolsista do Núcleo de Análises Urbanas/NAU; Susana Maria Veleda da Silva - graduada em Geografia - licenciatura plena (FURG); especialista em Geografia do Rio Grande do Sul (UCPel); mestre em Sociologia (UFRGS); doutora em Geografia Humana (Universidade Autônoma de Barcelona); professora no Departamento de Geociências da FURG desde 1991; 17

18 N 3. REPRESENTAÇÃO DO MUNICÍPIO DE ERECHIM: 52 30' 52 15' 52 00' Aratiba 27 30' Três Arroios 27 30' BarãodeCotegipe Erechim BR153 RS331 Gaurama PauloBento BR153 Áurea 27 45' 27 45' RS 135 Quatro Irmãos Erebango GetúlioVargas N 52 30' 52 15' 52 00' Manchas urbanas Município de Erechim Municípios limítrofes Estrada Federal Estrada Estadual Ferrovia Kilometers Fonte: Malha municipal digital do Brasil (1: ), Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 2005; Base cartográfica digital do Rio Grande do Sul (1: ), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Adaptado por Luciano Marin Lucas Geógrafo CREA/RS

19 4. PRINCIPAIS DADOS DEMOGRÁFICOS: Tabela 01: População residente (número de habitantes) por faixa etária e sexo: Brasil, Rio Grande do Sul, Erechim, Faixa Etária Brasil Rio Grande do Sul Erechim Masculino Feminino Total Masculino Feminino Total Masculino Feminino Total Até 14 anos a 59 anos mais de 60 anos Total Fonte: Ministério da Saúde/Secretaria da Saúde/Datasus (MS/SE/Datasus), 2006, com base nos dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE): Censos Demográficos (2000) e Contagem Populacional; para os anos intercensitários, estimativas preliminares dos totais populacionais, estratificadas por idade e sexo pelo MS/SE/Datasus.

20 Tabela 02: População residente (número de habi tantes) por faixa etária e sexo: Erechim, Faixa Etária Erechim Masculino Feminino Total Até 14 anos a 59 anos mais de 60 anos Total Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Contagem da População, Tabela 03: Domicílios particulares e permanentes (unidade) e população recenseada em domicílios particulares e permanentes (pessoas): Erechim, Situação do domicílio Domicílios particulares e permanentes População recenseada em domicílios particulares e permanentes Total Urbana Rural Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Contagem da População,

21 Tabela 04: População residente (número de habitantes) por sexo e situação domicílio: Brasil, Rio Grande do Sul e Erechim, Unidade Geográfica Sexo Situação do domicílio Brasil Rio Grande do Sul Erechim Total Total Urbana Rural Total Homens Urbana Rural Total Mulheres Urbana Rural Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Censo Demográfico,

22 Tabela 05: População de homens, mulheres e total por faixa etária da cor branca e preta ou parda (número de habitantes): Brasil, Rio Grande do Sul e Erechim, Faixa etária Unidade Geográfica Total Branca Homens brancos Mulheres brancas Total Preta ou Parda Homens Pretos ou Pardos Mulheres Pretas ou Pardas Brasil a 19 anos Rio Grande do Sul Erechim Brasil a 49 anos Rio Grande do Sul Erechim Brasil anos ou mais Rio Grande do Sul Erechim Fonte: Sistema Nacional de Informações de Gênero (SNIG), 2000.

23 Tabela 06: População recenseada, por situação do domicilio e sexo: Rio Grande do Sul, Erechim, População recenseada, por situação do domicílio e sexo Unidade Geográfica Total Urbana Rural Total (1) Homens Mulheres Total (1) Homens Mulheres Total (1) Homens Mulheres Rio Grande do Sul Erechim Fonte: Contagem da População (1) Inclusive a população estimada nos domicílios fechados.

24 Tabela 07: Domicílios particulares ocupados, por sexo da pessoa responsável pelo domicilio: Rio Grande do Sul, Erechim, Unidade Geográfica Domicílios particulares ocupados, por sexo da pessoa responsável pelo domicílio Total (1) Sexo da pessoa responsável pelo domicílio Homens Mulheres Rio Grande do Sul Erechim Urbana Rural Fonte: Contagem da População (1) Inclusive a população estimada nos domicílios fechados. Tabela 08: Indicadores de fecundidade: Brasil, Rio Grande do Sul e Erechim, Unidade Geográfica Taxa de fecundidade total* % de mulheres de 10 a 14 anos com filhos % de mulheres de 15 a 17 anos com filhos Brasil 2,37 0,43 8,45 Rio Grande do Sul 2,16 0,28 7,37 Erechim 2,01 0,22 9,46 * Número de filhos por mulher entre 15 e 49 anos Fonte: Atlas do Desenvolvimento Humano, Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) - Brasil,

25 Tabela 09: Esperança de vida ao nascer (em anos): Brasil, Rio Grande do Sul, Erechim, Unidade Geográfica Esperança de vida ao nascer (em anos) Taxa de fecundidade total Brasil 68,61 2,37 Rio Grande do Sul 72,13 2,16 Erechim 73,46 2,01 Fonte: Atlas do Desenvolvimento Humano, Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) - Brasil, Tabela 10: Informações sobre nascimentos: Brasil, Rio Grande do Sul e Erechim, Condições Brasil Rio Grande do Sul Erechim Nº de nascidos vivos Taxa Bruta de Natalidade (por mil) 16,5 13,6 12,5 % com prematuridade 6,6 8,7 6,9 % de partos cesáreos 43,3 49,1 52,2 % de mães de anos 21,8 18,7 17,2 % de mães de anos 0,9 0,8 0,7 Fonte: Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos (SINASC),

26 Tabela 11: Informações sobre mortalidade: Brasil, Rio Grande do Sul e Erechim, Indicadores de Mortalidade Brasil Rio Grande do Sul Erechim Total de óbitos Nº de óbitos por habitantes 5,5 6,6 5,4 % óbitos por causas mal definidas 10,4 5,4 3,4 Total de óbitos infantis Nº de óbitos infantis por causas mal definidas % de óbitos infantis no total de óbitos * 5,1 2,8 2,3 % de óbitos infantis por causas mal definidas 5,3 3,5 8,3 Mortalidade infantil por nascidosvivos ** 17,0 13,7 9,8 * Coeficiente de mortalidade infantil proporcional **considerando apenas os óbitos e nascimentos coletados pelo Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM) e Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos (SINASC) Fonte: Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos (SINASC),

27 5. PRINCIPAIS DADOS SOBRE AS CONDIÇÕES DE EDUCAÇÃO: Tabela 12: Número de docentes por dependência administrativa e nível de ensino em Erechim, 2005 e Unidade Geográfica Dependência Administrativa Pré-escolar 2006 Ensino Fundamental 2006 Ensino Médio 2006 Superior 2005 Total Estadual Erechim Federal Municipal Privada Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Tabela 13: Número de escolas por dependência administrativa e nível de ensino em Erechim, 2005 e Unidade Geográfica Dependência Administrativa Pré-escolar 2006 Ensino Fundamental 2006 Ensino Médio 2006 Superior 2005 Total Estadual Erechim Federal Municipal Privada Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE),

28 Tabela 14: Número de matrículas por dependência administrativa e nível de ensino: Brasil, Rio Grande do Sul e Erechim, Matrícula Inicial Unidade Geográfica Dependência Administrativa Creche Pré-Escola Ensino Fundamental Ensino Médio (Regular) Educação Profissional - Nível técnico Educação Especial Educação de Jovens e Adultos (Supletivo presencial) Educação de Jovens e Adultos (Supletivo semipresencial) Total Rio Grande do Sul Estadual Federal Erechim Municipal Privada Total Estadual Federal Municipal Privada Fonte: Ministério da Educação e Cultura (MEC) e Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), Censo Escolar, Sem informação

29 Tabela 15: Média de anos de estudo por faixa etária, segundo sexo e cor: Brasil, Rio Grande do Sul e Erechim, Faixa Etária Homens Brancos Brasil Rio Grande do Sul Erechim Mulheres Brancas Homens Brancos Mulheres Brancas Homens Brancos Mulheres Brancas De 15 a 17 anos 5,6 7,3 6,2 7,7 5,9 8,1 De 18 a 24 anos 6,4 8,7 6,8 8,9 6,6 9,4 de 25 anos ou mais 5,4 6,4 5 6,6 4,3 7,0 Fonte: Sistema Nacional de Informações de Gênero (SNIG). Tabela 16: Média de anos de estudo por faixa etária, segundo sexo e cor: Brasil, Rio Grande do Sul e Erechim, Brasil Rio Grande do Sul Erechim Faixa Etária Homens Pretos ou Pardos Mulheres Pretas ou Pardas Homens Pretos ou Pardos Mulheres Pretas ou Pardas Homens Pretos ou Pardos Mulheres Pretas ou Pardas De 15 a 17 anos 5,2 5,9 6 6,5 5,8 6,0 De 18 a 24 anos 6,0 6,9 6,5 7,1 6,1 7,2 de 25 anos ou mais 5,5 5, ,3 4,3 Fonte: Sistema Nacional de Informações de Gênero (SNIG). 29

30 Tabela 17: Taxa de analfabetismo (%) por faixa etária, segundo sexo e cor: Brasil, Rio Grande do Sul e Erechim, Faixa Etária Homens Brancos Brasil Rio Grande do Sul Erechim Mulheres Brancas Homens Brancos Mulheres Brancas Homens Brancos Mulheres Brancas de 15 a 17 anos 2,8 1,6 1,1 0,7 0,3 0,7 de 18 a 24 anos 3,9 2,4 1,7 1,2 1,4 0,2 de 25 anos ou mais 9,6 10,9 6,1 7,1 3,5 5,8 Fonte: Sistema Nacional de Informações de Gênero (SNIG). Tabela 18: Taxa de analfabetismo (%) por faixa etária, segundo sexo e cor: Brasil, Rio Grande do Sul e Erechim, Faixa Etária De 15 a 17 anos Homens Pretos ou Pardos Brasil Rio Grande do Sul Erechim Mulheres Pretas ou Pardas Homens Pretos ou Pardos Mulheres Pretas ou Pardas Homens Pretos ou Pardos Mulheres Pretas ou Pardas 7,7 3,9 2,4 1,4 3,7 0,0 De 18 a 24 anos 10,5 6,2 4,5 3,1 6,8 2,0 De 25 anos ou mais 23,2 24,2 14,3 17,2 16,4 23,0 Fonte: Sistema Nacional de Informações de Gênero (SNIG). 30

31 6. PRINCIPAIS DADOS SOBRE AS CONDIÇÕES DE SAÚDE: Tabela 19: Número de hospitais e leitos por natureza do prestador: Brasil, Rio Grande do Sul e Erechim, julho de Natureza Brasil Rio Grande do Sul Erechim Hospitais Leitos Hospitais Leitos Hospitais Leitos Públicos Federal Estadual Municipal Privados Contratados Filantrópicos Sindicato Universitários Ensino Pesquisa Privados Total Fonte: Sistema de Informações Hospitalares do Sistema Único de Saúde (SIH/SUS). 31

32 Tabela 20: Número de leitos por habitantes: Brasil, Rio Grande do Sul e Erechim, Unidade Geográfica Leitos por habitantes Brasil 2,5 Rio Grande do Sul 2,9 Erechim 1,7 Fonte: Sistema de Informações Hospitalares do Sistema Único de Saúde (SIH/SUS). Tabela 21: Indicadores do potencial de atendimento qualificado: Brasil, Rio Grande do Sul e Erechim, Unidade Geográfica % de enfermeiros com curso superior Número de médicos por 1000 habitantes Brasil 14,36 1,16 Rio Grande do Sul 17,33 1,55 Erechim 11,83 1,52 Fonte: Atlas do Desenvolvimento Humano, Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) - Brasil,

33 Tabela 22: Mortalidade proporcional (%) por faixa etária, segundo grupo de causas: Brasil, Grupo de Causas Brasil Menor 1 1 a 4 5 a 9 10 a a a a e mais 60 e mais I. Algumas doenças infecciosas e parasitárias 7,6 17,0 9,4 5,8 2,7 8,5 5,0 3,5 3,6 5,2 II. Neoplasias (tumores) 0,3 8,3 15,2 12,1 5,3 12,5 24,2 17,3 18,2 16,3 IX. Doenças do aparelho circulatório 0,9 3,7 4,1 5,7 3,6 15,9 35,0 42,0 41,4 31,5 X. Doenças do aparelho respiratório 6,7 19,4 8,2 6,4 3,3 4,8 7,7 15,1 14,3 10,8 XVI. Algumas afecções originadas no período perinatal 60,8 0,6 0,2 0,2 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 3,3 XX. Causas externas de morbidade e mortalidade 2,3 22,7 39,2 51,4 75,6 41,4 8,4 3,0 3,4 14,1 Demais causas definidas 21,3 28,2 23,7 18,4 9,5 17,0 19,7 19,1 19,1 18,8 Total 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 Fonte: Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM). Total Tabela 23: Mortalidade proporcional (%) por faixa etária, segundo grupo de causas: Rio Grande do Sul, Grupo de Causas Rio Grande do Sul Menor 1 1 a 4 5 a 9 10 a a a a e mais 60 e mais I. Algumas doenças infecciosas e parasitárias 4,2 9,6 6,6 6,3 2,1 13,1 4,2 1,9 2,0 4,3 II. Neoplasias (tumores) 0,3 11,6 17,7 16,3 6,8 16,8 31,8 21,3 22,6 21,9 IX. Doenças do aparelho circulatório 0,5 2,6 1,5 2,8 2,3 14,3 29,6 40,2 39,2 31,8 X. Doenças do aparelho respiratório 4,9 14,1 6,6 4,9 3,9 4,7 9,2 16,6 15,9 12,6 XVI. Algumas afecções originadas no período perinatal 57,8 1,9 3,0 2, ,7 XX. Causas externas de morbidade e mortalidade 5,5 25,4 38,9 48,3 73,7 36,3 7,4 2,4 2,8 10,3 Demais causas definidas 26,8 34,7 25,8 19,1 11,3 14,8 17,8 17,6 17,5 17,5 Total 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 Fonte: Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM). Total

34 Tabela 24: Mortalidade proporcional (%) por faixa etária, segundo grupo de causas: Erechim, Grupo de Causas Erechim Menor que 1 1 a 4 5 a 9 10 a a a a e mais 60 e mais Total I. Algumas doenças infecciosas e parasitárias 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 4,3 4,4 2,8 2,8 3,7 34 II. Neoplasias (tumores) 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 19,7 34,1 23,6 24,4 23,8 IX. Doenças do aparelho circulatório 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 14,5 27,5 39,1 38,2 31,6 X. Doenças do aparelho respiratório 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 5,3 11,0 10,9 11,3 9,6 XVI. Algumas afecções originadas no período perinatal ,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 1,4 XX. Causas externas de morbidade e mortalidade 0, , ,2 5,5 3,7 4,0 10,7 Demais causas definidas 36,4 25 0,0 0,0 0,0 17,1 17,6 19,9 19,3 19,1 Total Fonte: Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM).

35 7. PRINCIPAIS DADOS SOBRE AS CONDIÇÕES DE MORADIA: Tabela 25: Domicílios particulares e permanentes (unidade) e destino do lixo: Brasil, Rio Grande do Sul e Erechim, Situação do Domicílio Total Urbana Destino do lixo Brasil Rio Grande do Sul Erechim Total Coletado Coletado por serviço de limpeza Coletado em caçamba de serviço de limpeza Queimado (na propriedade) Enterrado (na propriedade) Jogado em terreno baldio ou logradouro Jogado em rio, lago ou mar Outro destino Total Coletado Coletado por serviço de limpeza Coletado em caçamba de serviço de limpeza Queimado (na propriedade) Enterrado (na propriedade) Jogado em terreno baldio ou logradouro Jogado em rio, lago ou mar Outro destino Total Coletado Coletado por serviço de limpeza Coletado em caçamba de serviço de limpeza Rural Queimado (na propriedade) Enterrado (na propriedade) Jogado em terreno baldio ou logradouro Jogado em rio, lago ou mar Outro destino Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) - Censo Demográfico,

36 Tabela 26: Domicílios particulares e permanentes (unidade) e tipo de esgotamento sanitário: Brasil, Rio Grande do Sul e Erechim, Situação do domicílio Total Urbana Tipo de esgotamento sanitário Brasil Rio Grande do Sul Erechim Total Rede geral de esgoto ou pluvial Fossa séptica Fossa rudimentar Vala Rio, lago ou mar Outro escoadouro Não tinham banheiro nem sanitário Total Rede geral de esgoto ou pluvial Fossa séptica Fossa rudimentar Vala Rio, lago ou mar Outro escoadouro Não tinham banheiro nem sanitário Total Rede geral de esgoto ou pluvial Fossa séptica Rural Fossa rudimentar Vala Rio, lago ou mar Outro escoadouro Não tinham banheiro nem sanitário Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística ( IBGE) - Censo Demográfico,

37 Tabela 27: Domicílios particulares e permanentes (unidade) e formas d e abastecimento de água, Brasil: Rio Grande do Sul e Erechim, Situação do domicílio Forma de abastecimento de água Brasil Rio Grande do Sul Erechim Total Total Rede geral Rede geral - canalizada em pelo menos um cômodo Rede geral - canalizada só na propriedade ou terreno Poço ou nascente (na propriedade) Poço ou nascente (na propriedade) - canalizada em pelo menos um cômodo Poço ou nascente (na propriedade) - canalizada só na propriedade ou terreno Poço ou nascente (na propriedade) - não canalizada Outra forma Outra forma - canalizada em pelo menos um cômodo Outra forma - canalizada só na propriedade ou terreno Outra forma - não canalizada Total Urbana Rede geral Rede geral - canalizada em pelo menos um cômodo Rede geral - canalizada só na propriedade ou terreno Poço ou nascente (na propriedade) Poço ou nascente (na propriedade) - canalizada em pelo menos um cômodo Poço ou nascente (na propriedade) - canalizada só na propriedade ou terreno Poço ou nascente (na propriedade) - não canalizada Outra forma Outra forma - canalizada em pelo menos um cômodo Outra forma - canalizada só na propriedade ou terreno Outra forma - não canalizada Rural Total Rede geral Rede geral - canalizada em pelo menos um cômodo Rede geral - canalizada só na propriedade ou terreno Poço ou nascente (na propriedade) Poço ou nascente (na propriedade) - canalizada em pelo menos um cômodo Poço ou nascente (na propriedade) - canalizada só na propriedade ou terreno Poço ou nascente (na propriedade) - não canalizada Outra forma Outra forma - canalizada em pelo menos um cômodo Outra forma - canalizada só na propriedade ou terreno Outra forma - não canalizada Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) Demográfico, Censo 37

38 Tabela 28: Número de ligações de água (unidade): Brasil, Rio Grande do Sul e Erechim, Unidade Geográfica Brasil Rio Grande do Sul Erechim Número de ligações de água Número de ligações de água com hidrômetro Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Pesquisa Nacional de Saneamento Básico, Tabela 29: Número de ligações de esgoto (unidade): Brasil, Rio Grande do Sul e Erechim, Unidade Geográfica Brasil Rio Grande do Sul Erechim Número de ligações de esgoto Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Pesquisa Nacional de Saneamento Básico,

39 8. PRINCIPAIS DADOS ECONÔMICOS: Tabela 30: Produto interno bruto a preços correntes e per capita (em R$): Brasil, 2004 e Rio Grande do Sul e Erechim, Unidade Geográfica PIB a preços correntes (R$ 1.000,00) Per capita (R$) Brasil Rio Grande do Sul Erechim Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Produto Interno Bruto dos Municípios, 2004 e Tabela 31: Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM), Brasil, Rio Grande do Sul e Erechim, Unidade Geográfica IDHM IDHM- Renda IDHM- Longevidade IDHM- Educação Brasil 0,766 0,723 0,727 0,849 Rio Grande do Sul 0,814 0,754 0,785 0,904 Erechim 0,826 0,751 0,808 0,920 Fonte: Fonte: Atlas do Desenvolvimento Humano, Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) - Brasil,

40 8. 1. PRINCIPAIS DADOS DOS SETORES ECONÔMICOS: Tabela 32: Dados sobre o setor Público (n estabelecimentos, n funcionários, sexo, renda média): Erechim, Divisão de Atividade Econômica segundo a classificação CNAE Órgão Público do Poder Executivo Municipal Estabeleci mentos Funcionári os Homens Mulheres Até 1 *sm De 1 à 5 *sm De 5 a 10 *sm Mais de 10 *sm Ignora do Autarquia Federal Fundação Municipal Empresa Pública Sociedade de Economia Mista Total Fonte: RAIS/2006-MTE. *sm (salário mínimo).

41 41 Tabela 33: Dados sobre o setor Industrial (n estabelecimentos, n funcionários, sexo, renda média ): Erechim, Divisão de Atividade Econômica Funcionári Até 1 De 1 À 5 De 5à 10 Mais que Estabelecimentos Homens Mulheres segundo a classificação CNAE/95 os *sm *sm *sm 10 *sm ignorado Extração de Minerais não Metálicos Fabricação de Produtos Alimentícios e Bebidas Fabricação de Produtos Têxteis Confecção de Artigos do Vestuário e Acessórios Preparação de Couros e Fabris de Artefatos de Couro Fabricação de Produtos de Madeira Fabricação de Celulose, Papel e Produtos de Papel Edição, Impressão e Reprodução de Gravações Fabris de coque, refino de petróleo, elaboração de combustíveis nus Fabricação de Produtos Químicos Fabricação de Artigos de Borracha e Plástico Fabricação de Produtos de Minerais não Metálicos Metalurgia Básica Fabricação de Produtos de Metal Exclusive Maquina e Equipamentos Fabricação de Maquinas e Equipamentos Fabris de Maquinas para Escritório e Equipamentos de Informática Fabricação de Maquinas, Aparelhos e Materiais Elétricos Fabril de Equipamentos de Instrumentação para usos Medica Hospital Fabris e Montagem de Veículos Automotores, Reboques e Carroceria Fabricação de outros Equipamentos de Transporte Fabricação de Moveis e Indústrias Diversas Reciclagem Total Fonte: RAIS/2006-MTE. *sm (salário mínimo).

42 Tabela 34: Dados sobre o setor de Comércio (n estabelecimentos, n funcionários, sexo, renda média): Erechim, Divisão de Atividade Econômica segundo a classificação CNAE/95 Estabelecimentos Funcionários Homens Mulheres Até 1 *sm De1 à 5 *sm De 5 a 10 *sm Mais de 10 *sm Ignorado Comercio e Representações de Veículos Automotores e Motocicletas Comercio por Atacado e Representantes Comerciais e Agentes do Comercio Comercio Varejista e Reparação de Objetos Pessoais e Domésticos Total Fonte: RAIS/2006-MTE. *sm (salário mínimo). 42

43 43 Tabela 35: Dados sobre o setor de Serviços (n estabelecimentos, n funcionários, sexo, renda média): Erechim, Divisão de Atividade Econômica segundo a classificação CNAE/95 Estabelecimentos Funcionários Homens Mulheres Até 1 *sm De 1 á 5 *sm De 5 a 10 *sm Mais que 10 *sm Eletricidade, Gás e Água Quente Captação, Tratamento e Distribuição de Água Construção Alojamento e Alimentação Transporte Terrestre Atividades Anexas e Auxiliares do Transporte e Agencias de Viagem Correio e Telecomunicações Intermediação Financeira Seguros e Previdência Complementar Atividades auxiliares da Intermediação Financeira, Seguros e Previdência Complementar Atividades Imobiliárias Aluguel de Veículos Maquina e Equipamentos sem Condutores Atividades de Informática e Serviços Relacionados Pesquisa e Desenvolvimento Serviços Prestados Principalmente as Empresas Educação Saúde e Serviços Sociais Limpeza Urbana e Esgoto e Atividades Relacionadas Atividades Associativas Atividades Recreativas, Culturais e Desportivas Serviços Pessoais Serviços Domésticos Total Fonte: RAIS/2006-MTE. *sm(salário mínimo). ignorado

44 44 Tabela 36: Dados sobre o setor Primário (n estabelecimentos, n funcionários, sexo, renda média): Erechim, Classe de Atividade Econômica, segundo classificação CNAE - versão 2.0 Estabeleci mentos Funcioná rios Homens Mulheres Cultivo de cereais Cultivo de soja Cultivo de oleaginosas de lavoura temporária, exceto soja Cultivo de plantas de lavoura temporárias não especificadas anteriormente Horticultura Floricultura Cultivo de uva Cultivo de frutas de lavoura permanente, exceto laranja e uva Cultivo de plantas de lavoura permanentes não especificadas anteriormente Criação de bovinos Criação de caprinos e ovinos Criação de suínos Criação de aves Criação de animais não especificados anteriormente Atividades de apoio à agricultura Atividades de apoio à pecuária Aqüicultura em água salgada e salobra Total Fonte: RAIS/2006-MTE. *sm(salário mínimo). Até 1 *sm De1 à 5 *sm De 5 à 10 *sm Mais que 10 *sm ignorado

45 8.2 PRINCIPAIS DADOS AGROPECUÁRIOS: Tabela 37: Condição do produtor por estabelecimento rural e área total: Brasil, Rio Grande do Sul e Erechim, 1995/96. Condição do Produtor Brasil Rio Grande do Sul Erechim Área (ha) Área (ha) Estabelecimentos Estabelecimentos Estabelecimentos Área (ha) Proprietários ,88 Arrendatários ,31 45 Parceiros ,2 Ocupantes ,319 Total ,71 Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Censo Agropecuário, 1995/96.

46 Tabela 38: Utilização das terras por estabelecimento e área total no Brasil, Rio Grande do Sul e Erechim, 1995/96. Condição do Produtor Brasil Rio Grande do Sul Erechim Área (ha) Área (ha) Estabelecimentos Estabelecimentos Estabelecimentos Área (ha) Lavouras permanentes ,23 Lavouras temporárias ,33 Lavouras temporárias em descanso ,73 Pastagens naturais ,71 46 Pastagens plantadas ,71 Matas e florestas naturais ,98 Matas e florestas artificiais ,55 Terras produtivas não utilizadas ,90 Terras inaproveitáveis ,57 Total ,71 Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Censo Agropecuário, 1995/96.

47 47 Tabela 39: Pessoal ocupado (%) em estabelecimentos rurais por sexo nos grupos de área: Brasil, Rio Grande do Sul e Erechim, 1995/96. Grupos de área total Brasil Rio Grande do Sul Erechim Total Homens Mulheres Total Homens Mulheres Total Homens Mulheres Menos de 1 ha 7,53 4,74 2,79 1,32 0,76 0,56 1,95 1,27 0,68 1 a menos de 2 ha 7,69 4,85 2,84 2,21 1,3 0,91 1,57 1 0,58 2 a menos de 5 ha 14,02 8,77 5,25 9,69 5,64 4,05 4,79 3,18 1,61 5 a menos de 10 ha 11,48 7,21 4,27 16,67 9,65 7,02 9,02 5,53 3,49 10 a menos de 20 ha 13,48 8,56 4,92 26,66 15,43 11,22 23,65 13,91 9,74 20 a menos de 50 ha 17,04 11,26 5,78 24,21 14,56 9,65 37,49 22,86 14,63 50 a menos de 100 ha 9,36 6,5 2,86 6,76 4,52 2,24 10,1 6,68 3, a menos de 200 ha 6,68 4,86 1,81 3,84 2,9 0,94 6,11 5,08 1, a menos de 500 ha 5,62 4,33 1,29 3,76 2,99 0,77 2,4 1,88 0, a menos de ha 2,68 2,15 0,54 2,18 1,81 0,37 1,49 1,27 0, a menos de ha 1,67 1,35 0,31 1,5 1,29 0,21 1,23 1,07 0, a menos de ha 1,28 1,05 0,23 0,87 0,73 0, a menos de ha 0,52 0,45 0,08 0,15 0,13 0, a menos de ha 0,68 0,59 0,1 0,13 0,11 0, ha e mais 0,03 0, sem declaração 0,24 0,11 0,13 0,06 0,05 0,01 0,2 0,14 0,07 Total ,8 33, ,88 38, ,85 36,15 Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Censo Agropecuário, 1995/96.

48 Tabela 40: Pessoal ocupado (%) por grupo de atividade econômica agrícola: Brasil, Rio Grande do Sul e Erechim, 1995/96. Grupo de atividade Econômica Pessoal ocupado (pessoas) Brasil Rio Grande do Sul Erechim Pessoal ocupado (percentual) Pessoal ocupado (pessoas) Pessoal ocupado (percentual) Pessoal ocupado (pessoas) Pessoal ocupado (percentual) Total Lavoura temporária , , ,94 Horticultura e produtos de viveiro , , ,76 48 Lavoura permanente , , ,01 Pecuária , , ,46 Produção mista (lavoura e pecuária) , , ,55 Silvicultura e exploração florestal , , ,25 Pesca e aqüicultura , ,03 2 0,03 Produção de carvão vegetal , , Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Censo Agropecuário, 1995/96.

49 Tabela 41: Quantidade produzida, valor da produção, área plantada, área colhida de alguns produtos da lavoura temporária: Brasil, Rio Grande do Sul e Erechim, Lavoura Temporária Quantidade produzida Valor da produção (mil reais) Área plantada (hectare) Área colhida (hectare) BR RS ER BR RS ER BR RS ER BR RS ER 49 Alho (Tonelada) Amendoim (em casca) (Tonelada) Aveia (em grão) (Tonelada) Batata - doce (Tonelada) Batata - inglesa (Tonelada) Cana-de-açúcar (Tonelada) Cebola (Tonelada) Cevada (em grão) (Tonelada) Ervilha (em grão) (Tonelada) Feijão (em grão) (Tonelada) Fumo (em folha) (Tonelada) Mandioca (Tonelada) Melancia (Tonelada) Melão (Tonelada) Continua

50 Continuação Milho (em grão) (Tonelada) Soja (em grão) (Tonelada) Tomate (Tonelada) Trigo (em grão) (Tonelada) Total BR = Brasil, RS = Rio Grande do Sul, ER = Erechim. * Unidade utilizada para este produto, todos os demais estão em toneladas. Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Pesquisa agrícola municipal,

51 51 Tabela 42: Evolução dos efetivos rebanhos por espécie (cabeças): Brasil, Rio Grande do Sul e Erechim, Unidade Tipo de rebanho Geográfica Ano Bovino Suíno Ovino Galinhas Caprino Brasil Rio Grande do Sul Erechim Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Pesquisa pecuária municipal. Diversos anos.

52 52 Tabela 43: Evolução da produção de leite, lã, ovos de galinha e mel de abelha: Brasil, Rio Grande do Sul e Erechim, Produtos Unidade Geográfica Leite Lã Ovos de Galinha Mel de Abelha Ano (mil litros) (quilograma) (mil dúzias) (quilograma) Brasil Rio Grande do Sul Erechim Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Pesquisa pecuária municipal. Diversos anos.

53 Tabela 44: Quantidade produzida de leite por grupo de atividade econômica: Brasil, Rio Grande do Sul e Erechim, 1995/96. Unidade Leite Grupo de atividade econômica Geográfica (litros) Lavoura Temporária Brasil Rio Grande do Sul Erechim Horticultura e produtos de viveiro Lavoura permanente Pecuária Produção mista (lavoura e pecuária) Silvicultura e exploração florestal Pesca e aqüicultura Produção de carvão vegetal Total Lavoura Temporária Horticultura e produtos de viveiro Lavoura permanente Pecuária Produção mista (lavoura e pecuária) Silvicultura e exploração florestal Pesca e aqüicultura Produção de carvão vegetal Total Lavoura Temporária Horticultura e produtos de viveiro Lavoura permanente Pecuária Produção mista (lavoura e pecuária) Silvicultura e exploração florestal Pesca e aqüicultura - Produção de carvão vegetal - Total Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Censo agropecuário, 1995/96. 53

54 Tabela 45: Evolução dos efetivos rebanhos por espécie (cabeças): Brasil e Rio Grande do Sul, Ano Brasil Rio Grande do Sul Bovino Suíno Ovino Galinhas Caprino Bovino Suíno Ovino Galinhas Caprino Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Pesquisa pecuária municipal. Diversos anos.

Perfil Econômico Municipal

Perfil Econômico Municipal indústria Extração de carvão mineral Extração de petróleo e gás natural Extração de minerais metálicos Extração de minerais não-metálicos Fabricação de alimentos e bebidas Fabricação de produtos do fumo

Leia mais

SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Brasil Novo

SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Brasil Novo SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Brasil Novo DEMOGRAFIA População Total 15.690 População por Gênero Masculino 8.314 Participação % 52,99 Feminino 7.376

Leia mais

SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Breves

SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Breves SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Breves DEMOGRAFIA População Total 92.860 População por Gênero Masculino 47.788 Participação % 51,46 Feminino 45.072 Participação

Leia mais

SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Palestina do Pará

SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Palestina do Pará SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Palestina do Pará DEMOGRAFIA População Total 7.475 População por Gênero Masculino 3.879 Participação % 51,89 Feminino

Leia mais

EDUCAÇÃO. SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Salvaterra

EDUCAÇÃO. SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Salvaterra SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Salvaterra DEMOGRAFIA População Total 20.183 População por Gênero Masculino 10.292 Participação % 50,99 Feminino 9.891

Leia mais

Rendimento Médio Populacional (R$) Total 311,58 Urbana 347,47 Rural 168,26

Rendimento Médio Populacional (R$) Total 311,58 Urbana 347,47 Rural 168,26 SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Marabá DEMOGRAFIA População Total 233.669 População por Gênero Masculino 118.196 Participação % 50,58 Feminino 115.473

Leia mais

SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Itaituba

SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Itaituba SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Itaituba DEMOGRAFIA População Total 97.493 População por Gênero Masculino 49.681 Participação % 50,96 Feminino 47.812

Leia mais

Rendimento Médio Populacional (R$) Total 288,39 Urbana 309,57 Rural 167,10

Rendimento Médio Populacional (R$) Total 288,39 Urbana 309,57 Rural 167,10 SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Jacundá DEMOGRAFIA População Total 51.360 População por Gênero Masculino 25.769 Participação % 50,17 Feminino 25.591

Leia mais

EDUCAÇÃO Total de Escolas no Município Ensino Fundamental Ensino Médio Número de Matrículas Educação Infantil Creche 237

EDUCAÇÃO Total de Escolas no Município Ensino Fundamental Ensino Médio Número de Matrículas Educação Infantil Creche 237 SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Água Azul do Norte DEMOGRAFIA População Total 25.057 População por Gênero Masculino 13.618 Participação % 54,35 Feminino

Leia mais

SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Ananindeua DEMOGRAFIA População Total 471.

SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Ananindeua DEMOGRAFIA População Total 471. SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Ananindeua DEMOGRAFIA População Total 471.980 População por Gênero Masculino 226.635 Participação % 48,02 Feminino 245.345

Leia mais

Mensal. Produto Interno Bruto. Produto Interno Bruto. Mensal. Metodologia

Mensal. Produto Interno Bruto. Produto Interno Bruto. Mensal. Metodologia Metodologia 1 SEADE Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados Considerações gerais O PIB mensal é um índice de acompanhamento da economia paulista e tem como propósito principal oferecer uma visão

Leia mais

Abastecimento de água - Investigou-se a existência de água canalizada nos domicílios particulares permanentes e a sua proveniência.

Abastecimento de água - Investigou-se a existência de água canalizada nos domicílios particulares permanentes e a sua proveniência. Conceitos Abastecimento de água - Investigou-se a existência de água canalizada nos domicílios particulares permanentes e a sua proveniência. Quanto a existência de água canalizada, os domicílios foram

Leia mais

Avaliação das Contas Regionais do Piauí 2008

Avaliação das Contas Regionais do Piauí 2008 Avaliação das Contas Regionais do Piauí 2008 A economia piauiense, em 2008, apresentou expansão em volume do Produto Interno Bruto (PIB) de 8,8% em relação ao ano anterior. Foi a maior taxa de crescimento

Leia mais

Tabelas anexas Capítulo 7

Tabelas anexas Capítulo 7 Tabelas anexas Capítulo 7 Tabela anexa 7.1 Indicadores selecionados de inovação tecnológica, segundo setores das indústrias extrativa e de transformação e setores de serviços selecionados e Estado de São

Leia mais

INSTITUTO PARANAENSE DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - IPARDES

INSTITUTO PARANAENSE DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - IPARDES CURITIBA Setembro 2015 GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ CARLOS ALBERTO RICHA - Governador SECRETARIA DE ESTADO DO PLANEJAMENTO E COORDENAÇÃO GERAL SILVIO MAGALHÃES BARROS - Secretário INSTITUTO PARANAENSE DE

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de São José do Rio Claro, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 5074,56 km² IDHM 2010 0,682 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 17124 hab.

Leia mais

Caracterização do Meio Sócio-econômico - propriedades Local e data Nome do chefe da família

Caracterização do Meio Sócio-econômico - propriedades Local e data Nome do chefe da família Caracterização do Meio Sócio-econômico - propriedades Local e data Nome do chefe da família Naturalidade Data de nascimento Telefone Endereço Nome do cônjuge ou companheiro Naturalidade Data de nascimento

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Novo Mundo, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 5826,18 km² IDHM 2010 0,674 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 7332 hab. Densidade

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Vera, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 2962,4 km² IDHM 2010 0,680 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 10235 hab. Densidade demográfica

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Porto Alegre do Norte, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 3994,51 km² IDHM 2010 0,673 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 10748 hab.

Leia mais

Unidade de Gestão Estratégica. Perfil Socioeconômico. Regional Centro

Unidade de Gestão Estratégica. Perfil Socioeconômico. Regional Centro Unidade de Gestão Estratégica Perfil Socioeconômico Regional Centro Sebrae em Conselho Deliberativo Pedro Alves de Oliveira Presidente Diretoria Executiva Igor Montenegro Diretor Superintendente Wanderson

Leia mais

Conceitos. Empreendedor M E T O D O L O G I A. Atividade Empreendedora. Empreendedorismo. * Fonte: OCDE

Conceitos. Empreendedor M E T O D O L O G I A. Atividade Empreendedora. Empreendedorismo. * Fonte: OCDE METODOLOGIA M E T O D O L O G I A Conceitos Empreendedor Atividade Empreendedora Empreendedorismo * Fonte: OCDE M E T O D O L O G I A Conceitos Empreendedor Indivíduo que tenciona gerar valor através da

Leia mais

CONTAS REGIONAIS DO AMAZONAS 2009 PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DO AMAZONAS

CONTAS REGIONAIS DO AMAZONAS 2009 PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DO AMAZONAS CONTAS REGIONAIS DO AMAZONAS 2009 PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DO AMAZONAS APRESENTAÇÃO A Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico SEPLAN em parceria com a SUFRAMA e sob a coordenação

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Peruíbe, SP 30/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 323,17 km² IDHM 2010 0,749 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 59773 hab. Densidade

Leia mais

5 AS ATIVIDADES ECONÔMICAS: PRODUÇÃO, EMPREGO E RENDA

5 AS ATIVIDADES ECONÔMICAS: PRODUÇÃO, EMPREGO E RENDA 5 AS ATIVIDADES ECONÔMICAS: PRODUÇÃO, EMPREGO E RENDA Neste quinto capítulo, se busca avaliar com mais profundidade as atividades econômicas do município, com o recorte centrado na produção, no emprego

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Cabo Verde, MG 29/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 368,15 km² IDHM 2010 0,674 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 13823 hab. Densidade

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Guaranésia, MG 29/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 294,28 km² IDHM 2010 0,701 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 18714 hab. Densidade

Leia mais

A MULHER NO MERCADO DE TRABALHO PARANAENSE

A MULHER NO MERCADO DE TRABALHO PARANAENSE 1 Março 2008 A MULHER NO MERCADO DE TRABALHO PARANAENSE Ângela da Matta Silveira Martins * Esta nota técnica apresenta algumas considerações sobre a inserção da mão-de-obra feminina no mercado de trabalho

Leia mais

PESQUISA NACIONAL POR AMOSTRA DE DOMICÍLIOS

PESQUISA NACIONAL POR AMOSTRA DE DOMICÍLIOS Diretoria de Pesquisas Coordenação de Trabalho e Rendimento Gerência de Pesquisa Anual PESQUISA NACIONAL POR AMOSTRA DE DOMICÍLIOS PNAD DE 00 Número do setor Situação IDENTIFICAÇÃO E CONTROLE Número de

Leia mais

Impacto do IMF e do sistema atual sobre os preços

Impacto do IMF e do sistema atual sobre os preços Arroz em casca 15,72 30,25 Milho em grão 15,21 32,16 Trigo em grão e outros cereais 15,70 32,66 Cana-de-açúcar 15,47 32,68 Soja em grão 15,83 33,01 Outros produtos e serviços da lavoura 14,10 31,31 Mandioca

Leia mais

Anexo 17.5 Diagrama e Dicionário de Dados da Base Conjunto Universo

Anexo 17.5 Diagrama e Dicionário de Dados da Base Conjunto Universo Anexo 17.5 Diagrama e Dicionário de Dados da Base Conjunto Universo Tabela: Dados de domicílio (continua) Código da unidade da federação (UF) Código do município Código do distrito Código do subdistrito

Leia mais

ITBI (em R$ 1,00) 1.258.571 701.012 525.467 Receita Total Orçamentária 32.680.473 29.544.593

ITBI (em R$ 1,00) 1.258.571 701.012 525.467 Receita Total Orçamentária 32.680.473 29.544.593 AGRICULTURA Amendoim área colhida (hectares) 20 Amendoim produção (t/a) 40 Banana área colhida (hectares) 5 Banana produção (t/a) 11 Borracha área colhida (látex.) 36 Borracha produção (látex.) (t/a) 120

Leia mais

TEMA: POPULAÇÃO JOVEM DE 16 A 24 ANOS

TEMA: POPULAÇÃO JOVEM DE 16 A 24 ANOS Em 5 de agosto de 2013 foi sancionado o Estatuto da Juventude que dispõe sobre os direitos da população jovem (a Cidadania, a Participação Social e Política e a Representação Juvenil, a Educação, a Profissionalização,

Leia mais

ANEXO 1 COMPOSIÇÃO DAS SEÇÕES DE ATIVIDADE DA CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS DOMICILIAR 2.0 - CNAE- DOMICILIAR 2.

ANEXO 1 COMPOSIÇÃO DAS SEÇÕES DE ATIVIDADE DA CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS DOMICILIAR 2.0 - CNAE- DOMICILIAR 2. ANEXO 1 COMPOSIÇÃO DAS SEÇÕES DE ATIVIDADE DA CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS DOMICILIAR 2.0 - CNAE- DOMICILIAR 2.0 AGRICULTURA, PECUÁRIA, PRODUÇÃO FLORESTAL, PESCA E AQUICULTURA AGRICULTURA,

Leia mais

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais.

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Maio/2014 OBJETIVO Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Permitir ainda, uma análise comparativa da evolução

Leia mais

MATRIZ DOS INDICADORES

MATRIZ DOS INDICADORES MATRIZ DOS INDICADORES 1. DEMOGRAFIA Indicador: População infantojuvenil, de 0 a 19 anos, por sexo e cor/raça, residente nos setores urbano e rural. Definição: apresenta o número total de crianças e adolescentes,

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO SOCIOECONÔMICA da ADA Projeto EIA-RIMA Nova Transnordestina - CFN

CARACTERIZAÇÃO SOCIOECONÔMICA da ADA Projeto EIA-RIMA Nova Transnordestina - CFN CARACTERIZAÇÃO SOCIOECONÔMICA da ADA Projeto EIA-RIMA Nova Transnordestina - CFN Data Entrevistador Resultado da visita (vide Quadro) Número do Questionário RESULTADO DA VISITA Residência... (a) Comércio...

Leia mais

CD 2010 - QUESTIONÁRIO BÁSICO

CD 2010 - QUESTIONÁRIO BÁSICO 1 CD 2010 - QUESTIONÁRIO BÁSICO 1 2 IDENTIFICAÇÃO - CNEFE CARACTERÍSTICAS DO DOMICÍLIO 2.01 ESTE DOMICÍLIO É: 1- PRÓPRIO DE ALGUM MORADOR JÁ PAGO 4 - CEDIDO POR EMPREGADOR 2 - PRÓPRIO DE ALGUM MORADOR

Leia mais

Desoneração da Folha de Pagamento Estimativa de Renúncia e Metodologia de Cálculo.

Desoneração da Folha de Pagamento Estimativa de Renúncia e Metodologia de Cálculo. SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL Carlos Alberto Freitas Barreto CHEFE DO CENTRO DE ESTUDOS TRIBUTÁRIOS E ADUANEIROS Claudemir Rodrigues Malaquias COORDENADOR DE PREVISÃO E ANÁLISE Raimundo Eloi

Leia mais

DIRETORIA DE PESQUISAS - DPE COORDENAÇÃO DE CONTAS NACIONAIS CONAC. Nova Série do Produto Interno Bruto dos Municípios referência 2002

DIRETORIA DE PESQUISAS - DPE COORDENAÇÃO DE CONTAS NACIONAIS CONAC. Nova Série do Produto Interno Bruto dos Municípios referência 2002 DIRETORIA DE PESQUISAS - DPE COORDENAÇÃO DE CONTAS NACIONAIS CONAC Nova Série do Produto Interno Bruto dos Municípios referência 2002 (versão para informação e comentários) Versão 1 Apresentação O Instituto

Leia mais

Cobertura de saneamento básico no Brasil segundo Censo Demográfico, PNAD e PNSB

Cobertura de saneamento básico no Brasil segundo Censo Demográfico, PNAD e PNSB Cobertura de saneamento básico no Brasil segundo Censo Demográfico, PNAD e PNSB Painel Cobertura e Qualidade dos Serviços de Saneamento Básico Zélia Bianchini Diretoria de Pesquisas 1 São Paulo, 08/10/2013

Leia mais

400m. Cruz Alta. 689,31 Km². 395 Km

400m. Cruz Alta. 689,31 Km². 395 Km TERRITÓRIO VARIÁVEIS Altitude média Desmembramento INFORMAÇÃO 400m Cruz Alta Instalação 19/10/1890 Área Territorial Dist. à Capital 689,31 Km² 395 Km IJUÍ - RS ÁREA POLÍTICO-ADMINISTRATIVA Número Eleitores

Leia mais

Caracterização dos Territórios de Identidade Território 15 - Bacia do Jacuípe

Caracterização dos Territórios de Identidade Território 15 - Bacia do Jacuípe Caracterização dos Territórios de Identidade Território 15 - Bacia do Jacuípe Municípios Dados Gerais Quantidade de Área Total (km 2 População Total Densidade ) municípios Demográfica 14 10.605,76 237.237

Leia mais

LAJES PINTADAS 1 DADOS GERAIS 2 PERFIL DOS EMPREENDIMENTOS

LAJES PINTADAS 1 DADOS GERAIS 2 PERFIL DOS EMPREENDIMENTOS 1 DADOS GERAIS - Data de emancipação: 31/12/1958 - Distância da capital: 128 km - Área: 130 Km 2 - Localização Mesorregião: Agreste Potiguar Microrregião: Borborema Potiguar - População: 4.217 (IBGE/2007)

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014. Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014. Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JANEIRO Exportações Apesar do bom crescimento de Produtos Alimentícios e Máquinas e Equipamentos,

Leia mais

Dados gerais referentes às empresas do setor industrial, por grupo de atividades - 2005

Dados gerais referentes às empresas do setor industrial, por grupo de atividades - 2005 Total... 147 358 6 443 364 1 255 903 923 1 233 256 750 157 359 927 105 804 733 1 192 717 909 681 401 937 511 315 972 C Indústrias extrativas... 3 019 126 018 38 315 470 32 463 760 4 145 236 2 657 977 35

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO - CNEFE PARA DOMICÍLIOS PARTICULARES PERMANENTES - CARACTERÍSTICAS DO DOMICÍLIO

IDENTIFICAÇÃO - CNEFE PARA DOMICÍLIOS PARTICULARES PERMANENTES - CARACTERÍSTICAS DO DOMICÍLIO CD 2010 - QUESTIONÁRIO BÁSICO (EXPERIMENTAL) 1 BÁSICO INDÍGENA IDENTIFICAÇÃO - CNEFE 06/04/2009 2 PARA DOMICÍLIOS PARTICULARES PERMANENTES - CARACTERÍSTICAS DO DOMICÍLIO 2.01 ESTE DOMICÍLIO É: 1- DE PROPRIEDADE

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE DOURADOS SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO E MEIO AMBIENTE

PREFEITURA MUNICIPAL DE DOURADOS SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO E MEIO AMBIENTE Tab 220 - Censo Agropecuário 2006 - Resultados Preliminares Descrição Valor Unidade Número de estabelecimentos agropecuários 2052 Estabelecimentos Área dos estabelecimentos agropecuários Número de estabelecimentos

Leia mais

Censo Demográfico 2010. Características Gerais dos Indígenas: Resultados do Universo

Censo Demográfico 2010. Características Gerais dos Indígenas: Resultados do Universo Censo Demográfico 2010 Características Gerais dos Indígenas: Resultados do Universo Rio de Janeiro, 10 de agosto de 2012 Identificação da população indígena nos Censos Demográficos do Brasil 1991 e 2000

Leia mais

PESQUISA NACIONAL POR AMOSTRA DE DOMICÍLIOS

PESQUISA NACIONAL POR AMOSTRA DE DOMICÍLIOS Diretoria de Pesquisas Coordenação de Trabalho e Rendimento Gerência de Pesquisa Anual PESQUISA NACIONAL POR AMOSTRA DE DOMICÍLIOS PNAD DE 00 Número do setor Situação IDENTIFICAÇÃO E CONTROLE Número de

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO E DIMENSIONAMENTO DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

CARACTERIZAÇÃO E DIMENSIONAMENTO DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO CARACTERIZAÇÃO E DIMENSIONAMENTO DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Eduardo Pereira Nunes Elisio Contini Apresentação à Diretoria da ABAG 13 de setembro de 2000 - São Paulo O PROBLEMA Controvérsias sobre contribuição

Leia mais

CNAE-Domiciliar e correspondência com a CNAE e PNAD. CNAE-Domiciliar - correspondências CNAE e PNAD/CD91

CNAE-Domiciliar e correspondência com a CNAE e PNAD. CNAE-Domiciliar - correspondências CNAE e PNAD/CD91 CNAE-Domiciliar - correspondências CNAE e PNAD/CD91 CÓDIGOS DENOMINAÇÕES CNAE CLASSIFICAÇÕES PNAD/CD91 01101 Cultivo de arroz *0111 013 01102 Cultivo de milho *0111 020 01103 Cultivo de outros cereais

Leia mais

QUESTIONÁRIO DO DOMICÍLIO

QUESTIONÁRIO DO DOMICÍLIO QUESTIONÁRIO DO DOMICÍLIO Unidade da Federação: Distrito: Município: Subdistrito: Bairro (se houver): Endereço: CEP: - Data: / / Horário: : Número do controle: Número de ordem do domicílio: SIAPE do Entrevistador:

Leia mais

Estudo Para Subsidiar a Proposta de Resolução de Santa Catarina ao CONAMA relativa à Lei 11.428 / 2006

Estudo Para Subsidiar a Proposta de Resolução de Santa Catarina ao CONAMA relativa à Lei 11.428 / 2006 Estudo Para Subsidiar a Proposta de Resolução de Santa Catarina ao CONAMA relativa à Lei 11.428 / 2006 1 - Introdução e Objetivos O presente estudo foi elaborado pela EPAGRI/CIRAM com base na proposta

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL Campinas 2 o trimestre de 2015 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado de São Paulo,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº. 02 DE 11 DE OUTUBRO DE 2006

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº. 02 DE 11 DE OUTUBRO DE 2006 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº. 02 DE 11 DE OUTUBRO DE 2006 Estabelece valores de referência para outorga de uso de recursos hídricos em corpos de água de domínio do Distrito Federal e dá outras providências.

Leia mais

Censo Demográfico 2010 Retratos do Brasil e do Piauí

Censo Demográfico 2010 Retratos do Brasil e do Piauí Censo Demográfico 2010 Retratos do Brasil e do Piauí Eduardo Pereira Nunes Presidente do IBGE Teresina, 12 de Agosto de 2011 Brasil Todos os domicílios residenciais particulares foram recenseados A coleta

Leia mais

taxa Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Abril 2015 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE

taxa Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Abril 2015 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE taxa Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Abril 2015 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Presidenta da República Dilma Rousseff Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão Nelson

Leia mais

Relatório de CNAEs do Regime de Estimativa por Operação e do Regime de Estimativa Simplificado (Carga Média)

Relatório de CNAEs do Regime de Estimativa por Operação e do Regime de Estimativa Simplificado (Carga Média) Relatório de CNAEs do Regime de Estimativa por Operação e do Regime de Estimativa Simplificado (Carga Média) 0111-3/01 Cultivo de arroz 0111-3/02 Cultivo de milho 0111-3/03 Cultivo de trigo 0111-3/99 Cultivo

Leia mais

PERFIL DAS EMPRESAS APOIADAS PELO PROGRAMA DE SUBVENÇÃO ECONÔMICA 2006 A 2009

PERFIL DAS EMPRESAS APOIADAS PELO PROGRAMA DE SUBVENÇÃO ECONÔMICA 2006 A 2009 2011 Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) Diretoria de Inovação (DRIN) Departamento de Acompanhamento (DAC) PERFIL DAS EMPRESAS APOIADAS PELO PROGRAMA DE SUBVENÇÃO ECONÔMICA 2006 A 2009 Janeiro/2011

Leia mais

taxa Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Junho 2015 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE

taxa Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Junho 2015 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE taxa Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Junho 2015 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Presidenta da República Dilma Rousseff Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão Nelson

Leia mais

Ficha Técnica dos indicadores de saúde disponibilizados por meio do aplicativo Statplanet. Mortalidade

Ficha Técnica dos indicadores de saúde disponibilizados por meio do aplicativo Statplanet. Mortalidade Secretaria Municipal da Saúde Coordenação de Epidemiologia e Informação - CEInfo Ficha Técnica dos indicadores de saúde disponibilizados por meio do aplicativo Statplanet Mortalidade Taxa ou Coeficiente

Leia mais

SÍNTESE DE INDICADORES SOCIAIS

SÍNTESE DE INDICADORES SOCIAIS ESTUDOS & pesquisas INFORMAÇÃO DEMOGRÁFICA E SOCIoeconômica 5 SÍNTESE DE INDICADORES SOCIAIS 2000 IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística Presidente da República Fernando Henrique Cardoso

Leia mais

Inovações organizacionais e de marketing

Inovações organizacionais e de marketing e de marketing Pesquisa de Inovação 2011 Tabela 1.1.22 -, total e as que não implementaram produto ou processo e sem projetos, com indicação das inovações e gás - Brasil - período 2009-2011 (continua)

Leia mais

II Fórum SNPA Seminário técnico do Projeto de Reformulação das Pesquisas Agropecuárias do IBGE

II Fórum SNPA Seminário técnico do Projeto de Reformulação das Pesquisas Agropecuárias do IBGE II Fórum SNPA Seminário técnico do Projeto de Reformulação das Pesquisas Agropecuárias do IBGE Rio de janeiro, 25 de outubro de 2011 Av. República do Chile, nº500, 2º andar, Centro, Rio de Janeiro. Programa

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Santos, SP 30/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 281,35 km² IDHM 2010 0,840 Faixa do IDHM Muito Alto (IDHM entre 0,8 e 1) (Censo 2010) 419400 hab. Densidade

Leia mais

PIB DO ESTADO DE SÃO PAULO 2005

PIB DO ESTADO DE SÃO PAULO 2005 PIB DO ESTADO DE SÃO PAULO 2005 A Fundação Seade, em parceria com o IBGE, divulga os resultados do PIB do Estado de São Paulo, em 2005. Simultaneamente, os órgãos de estatística das demais Unidades da

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO SOCIOECONÔMICA Imóveis Diretamente Afetados Projeto de Duplicação da Ponte sobre o Rio Tocantins Data Entrevistador Data da Revisão Responsável pela Revisão / / / / Identificação do entrevistado

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Alto Boa Vista, MT 01/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 2248,35 km² IDHM 2010 0,651 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 5247 hab. Densidade

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Sorriso, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 9382,37 km² IDHM 2010 0,744 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 66521 hab. Densidade

Leia mais

SETOR DE ALIMENTOS: estabelecimentos e empregos formais no Rio de Janeiro

SETOR DE ALIMENTOS: estabelecimentos e empregos formais no Rio de Janeiro NOTA CONJUNTURAL SETOR DE ALIMENTOS: estabelecimentos e empregos formais no Rio de Janeiro OBSERVATÓRIO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, DEZEMBRO DE 2012 18 2012 PANORAMA GERAL

Leia mais

Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não

Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. CNAE DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não especificados anteriormente 0116-4/99 Cultivo de outras

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL Sorocaba 3 o trimestre de 2014 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado de São Paulo,

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Areado, MG 29/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 282,6 km² IDHM 2010 0,727 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 13731 hab. Densidade demográfica

Leia mais

CASA VERDE/CACHOEIRINHA

CASA VERDE/CACHOEIRINHA Casa Verde / CASA VERDE/CACHOEIRINHA R e g i ã o N o r t e Assessoria de Imprensa - Subprefeitura de CENTRO REFERÊNCIA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL MORRINHOS. 17 Casa Verde / Pirâmide Populacional Rendimento

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Botelhos, MG 29/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 335,24 km² IDHM 2010 0,702 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 14920 hab. Densidade

Leia mais

Os efeitos da valorização do real na indústria brasileira

Os efeitos da valorização do real na indústria brasileira Os efeitos da valorização do real na indústria brasileira !"#"#!$%&"'()* * " + # (, " - --.&"- "/"& 0+- &#"./" - "0 - () " 1 # 2- (, - 34/ % - &5"() #-6 $ 7-" &"'()"" (,8 32- )-" 8 7- & () 98 % ) #- 2-

Leia mais

INDICADORES ESTATÍSTICOS

INDICADORES ESTATÍSTICOS INDICADORES ESTATÍSTICOS Indicadores Ano Unidade Estrutura Territorial Área 28 Km 2 27 332,4 92 9, Concelhos - Freguesias 28 nº 47-31 38-426 Lugares 28 nº 947 26797 Cidades Estatísticas 28 nº 15 151 Densidade

Leia mais

INDICADORES DEMOGRÁFICOS E NORDESTE

INDICADORES DEMOGRÁFICOS E NORDESTE INDICADORES DEMOGRÁFICOS E SOCIAIS E ECONÔMICOS DO NORDESTE Verônica Maria Miranda Brasileiro Consultora Legislativa da Área XI Meio Ambiente e Direito Ambiental, Organização Territorial, Desenvolvimento

Leia mais

Censo Demográfico 2000

Censo Demográfico 2000 1 Censo Demográfico 2000 MUNICÍPIO: AGÊNCIA: 1 CD 1.01 Questionário Básico IDENTIFICAÇÃO USO EXCLUSIVO DO IBGE 1.01 NÚMERO DO QUESTIONÁRIO 1.02 UF 1.03 MUNICÍPIO 1.04 DISTRITO 1.05 SUBDISTRITO 1.06 SETOR

Leia mais

Características do Emprego Formal RAIS 2014 Principais Resultados: GOIÁS

Características do Emprego Formal RAIS 2014 Principais Resultados: GOIÁS MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO Características do Emprego Formal RAIS 2014 Principais Resultados: GOIÁS O número de empregos formais no estado alcançou 1,514 milhão em dezembro de 2014, representando

Leia mais

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul Comportamento do emprego formal na Indústria em Mato Grosso do Sul O emprego formal na Indústria sul-mato-grossense encerrou mais um mês com redução liquida de postos de trabalho. Em maio, o conjunto das

Leia mais

1 (0,5) Dos 3% de água doce que estão na superfície terrestre, onde estão concentradas as grandes parcelas dessas águas? R:

1 (0,5) Dos 3% de água doce que estão na superfície terrestre, onde estão concentradas as grandes parcelas dessas águas? R: Data: / /2014 Bimestre: 3 Nome: 6 ANO Nº Disciplina: Geografia Professor: Geraldo Valor da Atividade: 2,0 (Dois) Nota: GRUPO 6 1 (0,5) Dos 3% de água doce que estão na superfície terrestre, onde estão

Leia mais

Diagnóstico Regional. e) Habitantes por dentista - Número de habitantes por dentista.

Diagnóstico Regional. e) Habitantes por dentista - Número de habitantes por dentista. Diagnóstico Regional O objetivo do diagnóstico regional é identificar as principais características: econômicas e sociais da região, bem como salientar as diferenças e semelhanças entre as 29 regiões do

Leia mais

Indicadores e Dados Básicos: situando Santa Catarina

Indicadores e Dados Básicos: situando Santa Catarina Secretaria da Saúde do Estado de Santa Catarina Diretoria de Planejamento e Coordenação Gerência de Estatística e Informática Setor de Mortalidadade Indicadores e Dados Básicos: situando Santa Catarina

Leia mais

INVESTIMENTOS ANUNCIADOS PARA O ESPÍRITO SANTO -2010-2015

INVESTIMENTOS ANUNCIADOS PARA O ESPÍRITO SANTO -2010-2015 INVESTIMENTOS ANUNCIADOS PARA O ESPÍRITO SANTO -2010-2015 Ana Paula Vitali Janes Vescovi Abril/2011 VALOR DA CARTEIRA DE PROJETOS DE INVESTIMENTOS ANUNCIADOS PARA O ESPÍRITO SANTO, ACIMA DE R$ 1 MILHÃO,

Leia mais

Apresentação. Flávio Ataliba Flexa Daltro Barreto. Diretor Geral

Apresentação. Flávio Ataliba Flexa Daltro Barreto. Diretor Geral Apresentação O Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (IPECE) disponibiliza para o Governo e a sociedade o Perfil Básico Municipal 2011. As informações contidas no Perfil Básico Municipal,

Leia mais

Censo Demográfico 2010. Trabalho e Rendimento Educação e Deslocamento

Censo Demográfico 2010. Trabalho e Rendimento Educação e Deslocamento Censo Demográfico 2010 Trabalho e Rendimento Educação e Deslocamento Rio de Janeiro, 19 de dezembro de 2012 As presentes publicações dão continuidade à divulgação dos resultados do Censo Demográfico 2010

Leia mais

ESTABELECIMENTOS NO MUNICÍPIO DE PIRACICABA POR SUBSETOR DO COMÉRCIO VAREJISTA - 2000

ESTABELECIMENTOS NO MUNICÍPIO DE PIRACICABA POR SUBSETOR DO COMÉRCIO VAREJISTA - 2000 ESTABELECIMENTOS NO MUNICÍPIO DE PIRACICABA POR SUBSETOR DO COMÉRCIO VAREJISTA - 2000 Comércio Varejista 2000 Comércio a Varejo e por Atacado de VeículosAutomotores 50 Manutenção e Reparação de VeículosAutomotores

Leia mais

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2011

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2011 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2011 Rio de Janeiro, 21/09/2012 1 Abrangência nacional Temas investigados: Características Características gerais dos moradores Educação Migração Trabalho

Leia mais

Caracterização das Atividades de Software e Serviços de TI Realizadas na NIBSS

Caracterização das Atividades de Software e Serviços de TI Realizadas na NIBSS CAPÍTULO 5 Caracterização das Atividades de Software e Serviços de TI Realizadas na NIBSS Apresentação Neste capítulo, avaliam-se a importância e o crescimento, ao longo do período 2003 a 2010, das atividades

Leia mais

ANEXO MODELO DE DIAGNÓSTICO

ANEXO MODELO DE DIAGNÓSTICO ANEXO MODELO DE DIAGNÓSTICO OBJETIVO DO DIAGNÓSTICO: Este modelo de diagnóstico contém alguns itens que poderão ser complementados com outras informações e tem o objetivo de possibilitar ao município a

Leia mais

Infraestrutura. Classes de Consumidores

Infraestrutura. Classes de Consumidores Infraestrutura 3.1 Energia 3.1.1 Consumidores de energia elétrica por classes de consumidores Classes de Consumidores 2000 78.717 3.309 8.690 583 402 89 91.790 2001 80.207 3.468 8.824 588 423 83 93.593

Leia mais

Pesquisa Impactos da Escassez de Água. Gerência de Pesquisas Divisão de Pesquisas Novembro 2014

Pesquisa Impactos da Escassez de Água. Gerência de Pesquisas Divisão de Pesquisas Novembro 2014 Pesquisa Impactos da Escassez de Água Gerência de Pesquisas Divisão de Pesquisas Novembro 2014 Perfil Foram ouvidas 487 empresas localizadas no Estado do Rio de Janeiro A maioria é de pequeno porte (76,8%);

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO (VBP) AGROPECUÁRIO Julho/2015 R$ milhões VBP PRINCIPAIS PRODUTOS AGRÍCOLAS LAVOURAS

Leia mais

Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Informações do Domicílio Notas Técnicas

Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Informações do Domicílio Notas Técnicas Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Informações do Domicílio Notas Técnicas Sumário Origem dos dados... 3 Descrição das variáveis disponíveis para tabulação... 4 Variáveis de conteúdo... 4 Média moradores/domicílios...

Leia mais

P A L N A O N O D E D E E X E P X A P N A S N Ã S O Ã O I II

P A L N A O N O D E D E E X E P X A P N A S N Ã S O Ã O I II PLANO DE EXPANSÃO III (2011 2014) ESTUDO DE VIABILIDADE Equipe Técnica Responsável: Prof. Dr. Jimmy de Almeida Léllis - Coordenador Prof. Dr. Ridelson Farias de Sousa - Coordenador Prof. M.Sc. Thiago José

Leia mais