SISTEMA INTEGRADO FAMILIAR DE CAPTAÇÃO, MANEJO E GERENCIAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SISTEMA INTEGRADO FAMILIAR DE CAPTAÇÃO, MANEJO E GERENCIAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA"

Transcrição

1 SISTEMA INTEGRADO FAMILIAR DE CAPTAÇÃO, MANEJO E GERENCIAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA Fernando Deodato de Sousa; José Dias Campos e José Rêgo Neto Centro de Educação Popular e Formação Sindical CEPFS Endereço : Rua Felizardo Nunes de Sousa, Teixeira-PB Fone: 0(xx) RESUMO - Este trabalho tem como objetivo relatar o sistema integrado familiar de captação, manejo e gerenciamento de água da chuva e analisar, a partir de um breve relato da experiência, a otimização do uso da água armazenada da Unidade Demonstrativa apoiada pelo Centro de Educação Popular e Formação Sindical CEPFS, por meio do Projeto de capacitação de agricultores e agricultoras para a convivência com a realidade semi-árida, na comunidade rural, Santo Agostinho, município de Teixeira-PB. Para a formulação do presente trabalho, procurou-se conhecer a percepção do conjunto das pessoas que constituem a família que implementou o referido sistema, a fim de extrair o resultado proporcionado pela experiência objeto de relato e análise. Como resultado, ficou evidente que a compreensão da necessidade de manejo adequado do sistema, por parte da família, foi condição fundamental para a eficácia de funcionamento e efetividade. Isso significa dizer que não basta construir reservatório para captação e armazenamento de água, mas, a compreensão, por parte da unidade familiar, do manejo para que a oferta atenda à demanda nos seus diversos fins, de forma racional, torna-se elemento indispensável à sustentabilidade e efetividade da experiência estudada. Palavras-chave: sistema integrado, unidade familiar, manejo adequado do sistema, captação e armazenamento de água, efetividade, sustentabilidade. INTRODUÇÃO O Semi-Árido brasileiro é caracterizado, entre outros fatores, pela irregularidade pluviométrica. A precipitação média é de 750 milímetros; no entanto, em condições normais chovem mais de milímetros. Isso revela, portanto, que o problema do Semi-Árido não é a irregularidade pluviométrica em si, mas, a falta de estrutura adequada e descentralizada de captação e armazenamento da água que cai da chuva. No Semi-Árido, o solo, na sua maior parte, é muito raso, portanto, a retenção de água subterrânea é muito difícil (Água de Chuva..., 2001). Em boa parte da região, a exploração da

2 monocultura, somada à prática agrícola sem os devidos cuidados técnicos e à falta de vegetação, vem contribuindo para a compactação do solo, modificando sua textura, que, de esponja, passa para à forma de piso compactado. Nessas condições, a água da chuva cai e corre; na maioria das vezes, percorre distância e vai abastecer bacias hidrográficas distantes das famílias carentes da oferta de água, tanto para o consumo humano como para a produção agrícola e consumo animal. Tal situação, sobretudo nos períodos de estiagens prolongadas, impõe às famílias a condição de percorrer até 5 quilômetros de distância para encontrar água para atender às suas necessidades.. Segundo MIRANDA NETO (1999), a água como recurso indispensável à nossa sobrevivência está se tornando cada vez mais escassa. A explosão demográfica e as persistentes agressões ambientais estão agravando a situação a cada instante. Segundo dados do IBGE, citados por GNADINLGER (1997), no Brasil, 30 milhões de habitantes não recebem água tratada e 92% do esgoto do país é lançado nos rios e no mar sem qualquer tratamento, produzindo um verdadeiro desastre ambiental. Dez bilhões de litros de esgotos são lançados todos os dias nos rios e no mar. Essa breve caracterização nos indica que o desafio principal do Semi-Árido é a capacitação das famílias para a captação, armazenamento e uso adequado da água das chuvas, por meio de sistemas integrados que possam atender à demanda nos seus diversos fins. Partindo dessa constatação, o Centro de Educação Popular e Formação Sindical CEPFS, entidade que integra o Fórum Articulação Semi-Árido da Paraíba, a partir de 1994, após uma grande seca, começou a estimular agricultores e agricultoras familiares a refletirem sobre os potenciais de captação e armazenamento de água da chuva existentes em suas propriedades, visando despertá-los para a estruturação de experiências capazes de permitir uma convivência mais harmoniosa com a realidade semi-árida. Nesse sentido, o presente trabalho reúne informações de um sistema integrado familiar de captação, manejo e gerenciamento de água da chuva, iniciado no ano de 1996, que tem permitido a melhoria da qualidade de vida da família, a partir da descoberta do potencial existente em sua propriedade. COMPOSIÇÃO DO SISTEMA O sistema integrado familiar de captação, manejo e gerenciamento de água da chuva é composto por 01 barreiro de açude, duas cisternas de placas com capacidade para acumular 36 mil litros de água, 01 tanque em fenda de pedra, abastecido a partir de 03 (três) áreas de captação, uma barragem subterrânea e 01 poço amazonas localizado no centro da bacia da barragem subterrânea.

3 ÁREA DE CAPTAÇÃO DA RESIDÊNCIA A residência possui uma área de 240m 2. Dessa área de captação, apenas o barreiro de açude não recebe água. A água captada da área da residência abastece inicialmente a primeira cisterna, que, ao transbordar, abastece a segunda. Com o transbordamento da segunda cisterna, o tanque de pedra é abastecido; por conseguinte, a água transbordada do tanque de pedra é direcionada à barragem subterrânea. UTILIDADE DAS UNIDADES DO SISTEMA BARREIRO DE AÇUDE Água para higiene pessoal da família, para regar canteiros de hortaliças, para as necessidades domésticas, para lavar roupa e para o consumo animal. É importante destacar que a água do barreiro abastece o banheiro e a pia da cozinha por gravidade, por meio de um sistema simples montado em cima do balde. CISTERNAS DE PLACAS Uso exclusivo para o consumo humano (beber e cozinhar) TANQUE EM FENDA DE PEDRA Lavar roupa e atividades domésticas. É importante destacar que a água do tanque é usada com mais freqüência no período das chuvas, por conta de a água do barreiro encontrarse com coloração barrenta. POÇO AMAZONAS Regar algumas plantações em torno da barragem subterrânea, sobretudo no final do período de estiagem e, também, para o consumo animal.

4 BARRAGEM SUBTRERRÂNEA Cultivo de produtos agrícolas, sobretudo, no período de verão da região, geralmente, compreendido entre os meses de junho e dezembro. RELATO DA EXPERIÊNCIA A experiência vem sendo desenvolvida na propriedade do Sr. Fernando Deodato de Sousa, na Comunidade Santo Agostinho, a uma distância de 18 quilômetros da sede do Município de Teixeira, no Estado da Paraíba. O Sr. Fernando Deodato de Sousa é um agricultor que lidera uma família composta por 8 pessoas, dentre elas 03 mulheres. A experiência teve início em 1996 com a construção de uma cisterna de placa. SITUAÇÃO ANTES DA IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA Alguns membros da família tinham que se deslocar, a uma distância de até 3 km, para pegar água, tarefa essa que geralmente era desenvolvida pelas mulheres. Dependendo da época do ano, gastava-se, em média, de 3 a 6 horas para conseguir água, isso devido à distância e aos problemas existentes (fila de espera para que a água se acumulasse nas cacimbas ou olhos d águas). Era necessário pegar água todos os dias, por causa da demanda e por não ter reservatórios que pudessem armazenar água suficiente para um determinado período (semana ou mês). Existiam vários tipos de doenças (diarréia, cólera, varizes e outras) provocadas por verminose. SITUAÇÃO APÓS A IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA A família passou a ter acesso a água de boa qualidade tanto para uso mais gerais como para o consumo humano (beber e cozinhar). Diminuíram significativamente os problemas de doenças ocasionadas pelo uso de água de péssima qualidade. O tempo que era gasto para ir pegar água à distância, hoje é usado em outros afazeres da família (roçado, criação de animais, cuidados com a casa, estudo, participação em reuniões e encontros na comunidade e em outros lugares). A difusão, sobretudo, da cisterna de placas, a partir da experiência familiar, contribuiu efetivamente para a diminuição da mortalidade infantil em outras famílias que adotaram, também, a experiências em suas casas. Hoje, a família tem opções para escolher a água que deverá ser utilizada em determinados usos domésticos e pessoais, pelo fato de o sistema integrado proporcionar mais de uma alternativa. Aumentou a renda familiar,

5 haja vista que a barragem subterrânea produz alguns produtos agrícolas no período de estiagem, que, por sua vez, aumentam a segurança alimentar, evitando ter que comprar na feira. Nesse caso, registram-se dois fatores importantes: o primeiro é que a unidade permite que a própria família produza algo para aumentar a segurança alimentar e o segundo é que, ao ser produzido pela família, será um produto com qualidade para a saúde da mesma, sem agrotóxico, o que não seria possível identificar se tivesse que comprar o mesmo produto na feira, sobretudo, no mundo de hoje, onde a maior parte da produção agrícola é desenvolvida com um alto teor de agrotóxicos, proporcionando aos consumidores morte ao invés de vida. A barragem subterrânea, também, produz forragem para ração animal. A partir da primeira unidade do sistema - uma cisterna de placas, construída no ano de não faltou mais água para suprir as necessidades da família. CUSTO TOTAL DO SISTEMA O sistema, a custos atuais, está orçado em aproximadamente R$ 5.400,00 (cinco mil e quatrocentos reais). Os recursos, para parte das unidades que compõem o sistema, foram financiados por meio de um fundo rotativo, com o objetivo de permitir que outras famílias pudessem, também, ser beneficiadas, otimizando assim o uso dos recursos financeiros. CONSIDERAÇÕES FINAIS O relato da experiência revela que o problema do Semi-Árido não é a situação da seca em si, mas a forma como estão estruturadas as reservas e potenciais hídricos, sobretudo a partir da concentração da terra e da água. Percebe-se, também, que a falta de orientações técnicas e organizativas adequadas para o despertar dos agricultores e agricultoras familiares com vistas à descoberta dos potenciais de captação e armazenamento de água da chuva existentes em suas propriedades, assim como, o adequado manejo, são fatores que têm contribuindo para a dependência das famílias com relação aos carros-pipa e, por extensão, a dependência política. As grandes obras feitas pelos gestores das políticas públicas (governantes), por não contarem com a efetiva participação dos usuários, geralmente, têm problemas do ponto de vista de manejo, sobretudo na parte de conservação. O relato da experiência, somando-se a essas considerações finais, nos leva à conclusão de que, principalmente, para a região semi-árida rural, estimular os agricultores e agricultoras, por meio de um processo de capacitação, a descobrirem os potenciais de captação e

6 armazenamento de água existentes em suas propriedades, visando ao desenvolvimento de experiências estruturadoras para a convivência sustentável com a realidade semi-árida, é fator primordial para o desenvolvimento local. Sem dúvida, será a soma de saberes que os agricultores detêm, fruto do repasse de geração para geração, adicionada às orientações técnicas adequadas, que permitirá o surgimento e difusão de experiências capazes de promover a melhoria da qualidade de vida das famílias, de forma sustentável, na região semiárida. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ÁGUA DE CHUVA O segredo da convivência com o Semi-Árido brasileiro/ Cáritas Brasileira, Comissão Pastoral da Terra, Fian/Brasil São Paulo: Paulinas, 2001 MIRANDA NETO. Água, recurso vital, Jornal o Liberal. Belém, 2 p GNADLINGER, J. A captação de Água de Chuva: A Base para a Viabilização do Semi-árido Brasileiro. Petrolina p.

CAPTAÇÃO DA ÁGUA DE CHUVA INTEGRADA AO TRABALHO DA PASTORAL DA CRIANÇA

CAPTAÇÃO DA ÁGUA DE CHUVA INTEGRADA AO TRABALHO DA PASTORAL DA CRIANÇA CAPTAÇÃO DA ÁGUA DE CHUVA INTEGRADA AO TRABALHO DA PASTORAL DA CRIANÇA Maria de Fátima Lima, Coordenadora da Pastoral da Criança na Diocese de Patos, Gilberto Nunes de Sousa, Central das Associações do

Leia mais

PALESTRA Tecnologias e processos inovadores no abastecimento de água em comunidades isoladas SEMINÁRIO

PALESTRA Tecnologias e processos inovadores no abastecimento de água em comunidades isoladas SEMINÁRIO PALESTRA Tecnologias e processos inovadores no abastecimento de água em comunidades isoladas Daniel Kuchida SEMINÁRIO Segurança da Água para Consumo Humano. Como moldar o futuro da água para as partes

Leia mais

Eixo Temático ET-08-011 - Recursos Hídricos NOVAS TECNOLOGIAS PARA MELHOR APROVEITAMENTO DA CAPTAÇÃO DA ÁGUA DE CHUVA

Eixo Temático ET-08-011 - Recursos Hídricos NOVAS TECNOLOGIAS PARA MELHOR APROVEITAMENTO DA CAPTAÇÃO DA ÁGUA DE CHUVA 413 Eixo Temático ET-08-011 - Recursos Hídricos NOVAS TECNOLOGIAS PARA MELHOR APROVEITAMENTO DA CAPTAÇÃO DA ÁGUA DE CHUVA Maria Isabel Cacimiro Xavier Estudante de Graduação em Gestão Ambiental, IFPB,

Leia mais

ESTUDO DA VIABILIDADE DO USO DE CISTERNAS EM ASSENTAMENTO RURAL NO MUNICÍPIO DE VÁRZEA-PB

ESTUDO DA VIABILIDADE DO USO DE CISTERNAS EM ASSENTAMENTO RURAL NO MUNICÍPIO DE VÁRZEA-PB ESTUDO DA VIABILIDADE DO USO DE CISTERNAS EM ASSENTAMENTO RURAL NO MUNICÍPIO DE VÁRZEA-PB Jackson Silva Nóbrega 1 ; Francisco de Assis da Silva 1 ; Marcio Santos da Silva 2 ; Maria Tatiane Leonardo Chaves

Leia mais

Projeto Fecundação: construção e desconstrução de saberes na captação de água de água da chuva em Coronel José Dias - PI

Projeto Fecundação: construção e desconstrução de saberes na captação de água de água da chuva em Coronel José Dias - PI Projeto Fecundação: construção e desconstrução de saberes na captação de água de água da chuva em Coronel José Dias - PI Maria Sueli Rodrigues de Sousa Conjunto Morada Nova I, Quadra 03, Bloco 05, apartamento

Leia mais

Programa Cisternas MDS Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional

Programa Cisternas MDS Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional Programa Cisternas MDS Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional Coordenação Geral de Acesso à Água Carolina Bernardes Água e Segurança

Leia mais

J2CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA EM CISTERNAS RURAIS

J2CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA EM CISTERNAS RURAIS J2CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA EM CISTERNAS RURAIS Nilton de Brito Cavalcanti 1 ; Luiza Teixeira de Lima Brito 2 RESUMO - No semi-árido do Nordeste brasileiro, a cisterna tem sido uma das principais formas

Leia mais

A SUSTENTABILIDADE DO USO DA ÁGUA SUBTERRÂNEA FRENTE À EXPLORAÇÃO DE AREIAS EM LEITO DE RIOS DO SEMIÁRIDO

A SUSTENTABILIDADE DO USO DA ÁGUA SUBTERRÂNEA FRENTE À EXPLORAÇÃO DE AREIAS EM LEITO DE RIOS DO SEMIÁRIDO A SUSTENTABILIDADE DO USO DA ÁGUA SUBTERRÂNEA FRENTE À EXPLORAÇÃO DE AREIAS EM LEITO DE RIOS DO SEMIÁRIDO BRASILEIRO Ricardo Braga; Anderson Paiva; Paulo F Araújo Filho; Jaime Cabral; Arnaldo Vitorino

Leia mais

EM BUSCA DE ÁGUA NO SERTÃO DO NORDESTE

EM BUSCA DE ÁGUA NO SERTÃO DO NORDESTE EM BUSCA DE ÁGUA NO SERTÃO DO NORDESTE Nilton de Brito Cavalcanti, Luiza Teixeira de Lima Brito, Geraldo Milanez de Resende. Pesquisadores da Embrapa Semi-Árido. C. Postal 23, 56302-970 Petrolina-PE. E-mail:

Leia mais

BARRAGEM SUBTERRÂNEA: UMA ALTERNATIVA DE CAPTAÇÃO E BARRAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA NO SEMI-ÁRIDO

BARRAGEM SUBTERRÂNEA: UMA ALTERNATIVA DE CAPTAÇÃO E BARRAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA NO SEMI-ÁRIDO BARRAGEM SUBTERRÂNEA: UMA ALTERNATIVA DE CAPTAÇÃO E BARRAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA NO SEMI-ÁRIDO José Dias Campos, José Rego Neto, Otávio Bezerra Sampaio, Claudia Sonda Centro de Educação Popular e Formação

Leia mais

Maria Nezilda Culti 1 (Coordenadora da Ação de Extensão)

Maria Nezilda Culti 1 (Coordenadora da Ação de Extensão) IMPLANTAÇÃO DAS TECNOLOGIAS SOCIAIS: PRODUÇÃO AGROECOLÓGICA INTEGRADA SUSTENTÁVEL- PAIS (HORTA MANDALA), CISTERNA E FOSSA SÉPTICA BIODIGESTORA COMO MEIO DE SUSTENTABILIDADE PARA AGRICULTURA FAMILIAR. Área

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2014

PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 (Do Sr. Geraldo Resende) Estabelece a Política Nacional de Captação, Armazenamento e Aproveitamento de Águas Pluviais e define normas gerais para sua promoção. O Congresso Nacional

Leia mais

OBJETIVOS. Identificar e caracterizar os objetivos do Projeto Cisternas e da Transposição do rio São Francisco.

OBJETIVOS. Identificar e caracterizar os objetivos do Projeto Cisternas e da Transposição do rio São Francisco. I A INTEGRAÇÃO REGIONAL NO BRASIL OBJETIVOS Identificar e caracterizar os objetivos do Projeto Cisternas e da Transposição do rio São Francisco. Assunto 5: O PROJETO CISTERNAS E A TRANSPOSIÇÃO DO RIO SÃO

Leia mais

Centro de Educação Popular Formação Social Programa Convivência com a Realidade Semiárida, Promovendo o Acesso a Água, Solidariedade e Cidadania

Centro de Educação Popular Formação Social Programa Convivência com a Realidade Semiárida, Promovendo o Acesso a Água, Solidariedade e Cidadania ANEXO V APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL DO CEPFS Centro de Educação Popular Formação Social Programa Convivência com a Realidade Semiárida, Promovendo o Acesso a Água, Solidariedade e Cidadania SOBRE O CEPFS

Leia mais

Serão distribuídos: Para os professores: Cinco módulos temáticos e um caderno de atividades. Para os alunos: um caderno de atividades.

Serão distribuídos: Para os professores: Cinco módulos temáticos e um caderno de atividades. Para os alunos: um caderno de atividades. professor Serão distribuídos: Para os professores: Cinco módulos temáticos e um caderno de atividades. Para os alunos: um caderno de atividades. Também serão produzidos, dentro de sala de aula, cartazes

Leia mais

REQUERIMENTO (Do Sr. Vittorio Medioli)

REQUERIMENTO (Do Sr. Vittorio Medioli) 1 REQUERIMENTO (Do Sr. Vittorio Medioli) Requer o envio de Indicação ao Poder Executivo sugerindo à Agência Nacional de Águas que determine às empresas concessionárias deste serviço a divulgação em suas

Leia mais

O USO DE CISTERNAS PARA CAPTAÇÃO DA ÁGUA DA CHUVA NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO, UMA REVISÃO SISTEMÁTICA.

O USO DE CISTERNAS PARA CAPTAÇÃO DA ÁGUA DA CHUVA NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO, UMA REVISÃO SISTEMÁTICA. O USO DE CISTERNAS PARA CAPTAÇÃO DA ÁGUA DA CHUVA NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO, UMA REVISÃO SISTEMÁTICA. Rômulo Henrique Teixeira do Egito (1); Arturo Dias da Cruz (2); Karla Vanessa Cunha (3); Arilde Franco

Leia mais

USO RACIONAL DA ÁGUA 2008

USO RACIONAL DA ÁGUA 2008 USO RACIONAL DA ÁGUA Tipos de Água: Água potável - é a que se pode beber. É fundamental para a vida humana, e é obtida através de tratamentos que eliminam qualquer impureza. Água poluída - É a água suja

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS EDUCAÇÃO AMBIENTAL E GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS EDUCANDO PARA UM AMBIENTE MELHOR Apresentação A Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos do Rio Grande do Norte SEMARH produziu esta

Leia mais

Painel 2 - Um desafio histórico no Nordeste: escassez de água ou de soluções? Água de Chuva: alternativa para conviver com a seca

Painel 2 - Um desafio histórico no Nordeste: escassez de água ou de soluções? Água de Chuva: alternativa para conviver com a seca Painel 2 - Um desafio histórico no Nordeste: escassez de água ou de soluções? Água de Chuva: alternativa para conviver com a seca Cícero Onofre de Andrade Neto O acesso a água potável é apenas um dos problemas

Leia mais

Palavras-chave: Recursos hídricos; participação comunitária.

Palavras-chave: Recursos hídricos; participação comunitária. Título: Recursos Hídricos: a participação social como requisito para o financiamento de projetos Tema: Recursos Hídricos Autora: Luciana Cibelle Araujo dos Santos Co-autoras: Marize Castro e Isabela dos

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE A VIABILIDADE TÉCNICA E SOCIAL DA CAPTAÇÃO E ARMAZENAMENTO DA ÁGUA DA CHUVA EM CISTERNAS RURAIS NA REGIÃO SEMI-ÁRIDA BRASILEIRA.

CONSIDERAÇÕES SOBRE A VIABILIDADE TÉCNICA E SOCIAL DA CAPTAÇÃO E ARMAZENAMENTO DA ÁGUA DA CHUVA EM CISTERNAS RURAIS NA REGIÃO SEMI-ÁRIDA BRASILEIRA. CONSIDERAÇÕES SOBRE A VIABILIDADE TÉCNICA E SOCIAL DA CAPTAÇÃO E ARMAZENAMENTO DA ÁGUA DA CHUVA EM CISTERNAS RURAIS NA REGIÃO SEMI-ÁRIDA BRASILEIRA. Felipe Tenório Jalfim. Coordenador do Programa de Apoio

Leia mais

No presente estudo foram consideradas as seguintes premissas:

No presente estudo foram consideradas as seguintes premissas: 11. ANÁLISE DE VIABILIDADE ECONÔMICA O presente capítulo consiste da avaliação econômica do Plano Estadual de Recursos Hídricos. Esta avaliação objetiva quantificar e demonstrar os impactos da implementação

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL 013/2013 Processo Administrativo nº 151. Projeto de implantação de acesso à água para consumo humano MDS/BNB

EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL 013/2013 Processo Administrativo nº 151. Projeto de implantação de acesso à água para consumo humano MDS/BNB EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL 013/2013 Processo Administrativo nº 151 Projeto de implantação de acesso à água para consumo humano MDS/BNB O Centro de Assessoria do Assuruá apresenta abertura de Edital de

Leia mais

Palavras Chaves: Micro-barragem; unidades familiares; capacitação; custos.

Palavras Chaves: Micro-barragem; unidades familiares; capacitação; custos. MICRO-BARRAGEM SUBTERRÂNEA A Experiência ONG CAATINGA (Ouricuri-PE) Reginaldo Alves de Souza, Caixa Postal, 356200-000 Ouricuri-PE, caatinga@telesof.com.br RESUMO O CAATINGA iniciou o trabalho com barragem

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA. Águas no Brasil: A Visão dos Brasileiros

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA. Águas no Brasil: A Visão dos Brasileiros PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA Águas no Brasil: A Visão dos Brasileiros O que o brasileiro pensa sobre a conservação e o uso da água no Brasil METODOLOGIA OBJETIVO Levantar informações para subsidiar o planejamento

Leia mais

Curso: Panorama dos Recursos Hídricos no Mundo e no Brasil

Curso: Panorama dos Recursos Hídricos no Mundo e no Brasil Curso: Panorama dos Recursos Hídricos no Mundo e no Brasil Aula: A água em números Alexandre Resende Tofeti Brasília - DF 23 de Agosto de 2013 CFI Dados sobre a Água no Mundo e na América do Sul Reservas

Leia mais

Participação da Febraban no Projeto Cisternas Programa de Formação e Mobilização para a Convivência com o Semi-Árido

Participação da Febraban no Projeto Cisternas Programa de Formação e Mobilização para a Convivência com o Semi-Árido Participação da Febraban no Projeto Cisternas Programa de Formação e Mobilização para a Convivência com o Semi-Árido Projeto para construção de cisternas, Mobilização e Capacitação de famílias parceria

Leia mais

O que é saneamento básico?

O que é saneamento básico? O que é saneamento básico? Primeiramente, começaremos entendendo o real significado de saneamento. A palavra saneamento deriva do verbo sanear, que significa higienizar, limpar e tornar habitável. Portanto,

Leia mais

Mesa: A segurança alimentar num país de 200 milhões de habitantes Debatedor: Emerson Fernandes Daniel Júnior

Mesa: A segurança alimentar num país de 200 milhões de habitantes Debatedor: Emerson Fernandes Daniel Júnior Seminário Água e Produção Agrícola Mesa: A segurança alimentar num país de 200 milhões de habitantes Debatedor: Emerson Fernandes Daniel Júnior 1. O Brasil foi capaz de nos últimos 40 anos dobrar a área

Leia mais

FORMAÇÃO PARA A GOVERNANÇA DAS ÁGUAS NAS CIDADES DO SERTÃO PARAIBANO (LOTE 1) ATRAVÉS DO MAPEAMENTO DIGITAL DO DIAGNÓSTICO HÍDRICO.

FORMAÇÃO PARA A GOVERNANÇA DAS ÁGUAS NAS CIDADES DO SERTÃO PARAIBANO (LOTE 1) ATRAVÉS DO MAPEAMENTO DIGITAL DO DIAGNÓSTICO HÍDRICO. FORMAÇÃO PARA A GOVERNANÇA DAS ÁGUAS NAS CIDADES DO SERTÃO PARAIBANO (LOTE 1) ATRAVÉS DO MAPEAMENTO DIGITAL DO DIAGNÓSTICO HÍDRICO. SANTOS, ElianeCampos CUNHA, Gisele Souza da VIANNA, Pedro Costa Guedes

Leia mais

MELHORIAS SANITÁRIAS E SEUS USOS EM COMUNIDADES NO ESTADO DA BAHIA

MELHORIAS SANITÁRIAS E SEUS USOS EM COMUNIDADES NO ESTADO DA BAHIA MELHORIAS SANITÁRIAS E SEUS USOS EM COMUNIDADES NO ESTADO DA BAHIA Silvio Roberto Magalhães Orrico Jennifer Conceição Carvalho Teixeira de Matos Ricardo Silveira Bernardes Patrícia Campos Borja Cristiane

Leia mais

Recursos Hídricos - Uma abordagem de desenvolvimento para o semiárido nordestino

Recursos Hídricos - Uma abordagem de desenvolvimento para o semiárido nordestino Seminário Crise Mundial e Desenvolvimento Regional: Desafios e Oportunidades Recursos Hídricos - Uma abordagem de desenvolvimento para o semiárido nordestino Eduardo Kaplan Barbosa Programa de Mestrado

Leia mais

MONITORAMENTO E SIMULAÇÃO DO BALANÇO HÍDRICO EM CISTERNAS RURAIS NO SEMIÁRIDO PARAIBANO

MONITORAMENTO E SIMULAÇÃO DO BALANÇO HÍDRICO EM CISTERNAS RURAIS NO SEMIÁRIDO PARAIBANO MONITORAMENTO E SIMULAÇÃO DO BALANÇO HÍDRICO EM CISTERNAS RURAIS NO SEMIÁRIDO PARAIBANO Dennyele Alves Gama¹; Marília Silva Dantas¹; Rodolfo Luiz Bezerra Nóbrega¹ & Carlos de Oliveira Galvão¹ RESUMO Os

Leia mais

ABC da Agricultura Familiar. Barragens, cacimbas e poços amazonas

ABC da Agricultura Familiar. Barragens, cacimbas e poços amazonas ABC da Agricultura Familiar Formas de garantir água nas secas 2 Barragens, cacimbas e poços amazonas Barragens, cacimbas e poços 2004 FL- 15651 1111111//111//111//11/111/111111111111///1111111//11//111//111//1/111/111/1

Leia mais

Curso Aproveitamento de água de chuva em cisternas para o semi-árido 5 a 8 de maio de 2009

Curso Aproveitamento de água de chuva em cisternas para o semi-árido 5 a 8 de maio de 2009 Curso Aproveitamento de água de chuva em cisternas para o semi-árido 5 a 8 de maio de 2009 Tema 1 Introdução ao aproveitamento de água de chuva Carlos de Oliveira Galvão Universidade Federal de Campina

Leia mais

CISTERNA PARA ARMAZENAMENTO DE ÁGUA DE CHUVA E SEUS MÚLTIPLOS USOS

CISTERNA PARA ARMAZENAMENTO DE ÁGUA DE CHUVA E SEUS MÚLTIPLOS USOS CISTERNA PARA ARMAZENAMENTO DE ÁGUA DE CHUVA E SEUS MÚLTIPLOS USOS Janiele Ferreira da Silva; Maria Rosimere Miguel da Silva; Belísia Lúcia Moreira Toscano Diniz; Edlene de Sousa Jerônimo Silveira; Luis

Leia mais

CLIPPING De 05 de maio de 2015

CLIPPING De 05 de maio de 2015 CLIPPING De 05 de maio de 2015 VEÍCULO EDITORIA DATA 2 3 VEÍCULO DATA 04/05/2015 Cultivares do IPA contam com proteção de direitos de propriedade intelectual A Tomate Ferraz IPA 8 será a primeira cultivar,

Leia mais

Eixo Temático ET-13-015 - Educação Ambiental UM ESTUDO SOBRE POÇOS ARTESIANOS EM SANTA CRUZ DO CAPIBARIBE-PE

Eixo Temático ET-13-015 - Educação Ambiental UM ESTUDO SOBRE POÇOS ARTESIANOS EM SANTA CRUZ DO CAPIBARIBE-PE 531 Eixo Temático ET-13-015 - Educação Ambiental UM ESTUDO SOBRE POÇOS ARTESIANOS EM SANTA CRUZ DO CAPIBARIBE-PE Valdiana Maria Gonçalves Araujo¹; Viviane Suzy de Oliveira Pereira²; Débora Caroline Ferreira

Leia mais

Questão da água em comunidades rurais da ilha de Santiago-Cabo Verde. Iara Jassira Costa Barros

Questão da água em comunidades rurais da ilha de Santiago-Cabo Verde. Iara Jassira Costa Barros Questão da água em comunidades rurais da ilha de Santiago-Cabo Verde Iara Jassira Costa Barros Introdução Localização geográfica: 500km da costa ocidental da África Clima: Tropical seco, 2 estações seca

Leia mais

Abastecimento Hídrico de Residências Rurais: Parceria Estado e Sociedade Civil no Semiárido da Bahia

Abastecimento Hídrico de Residências Rurais: Parceria Estado e Sociedade Civil no Semiárido da Bahia Abastecimento Hídrico de Residências Rurais: Parceria Estado e Sociedade Civil no Semiárido da Bahia Water supply Rural Residence: Partnership State and Civil Society in the Semiarid Bahia CARMO, Élcio

Leia mais

É preciso amor pra poder pulsar, É preciso paz pra poder sorrir, É preciso chuva para florir

É preciso amor pra poder pulsar, É preciso paz pra poder sorrir, É preciso chuva para florir É preciso amor pra poder pulsar, É preciso paz pra poder sorrir, É preciso chuva para florir A Articulação no Semi-Árido Brasileiro (ASA) é uma rede/fórum de organizações da sociedade civil, que reúne

Leia mais

Palavras-Chave: Barragem subterrânea; Participação.

Palavras-Chave: Barragem subterrânea; Participação. Título do Trabalho: Barragem Subterrânea: uma alternativa de convivência com o semi-árido e a participação das comunidades rurais do sertão pernambucano. Tema: Recursos Hídricos Autora: Luciana Cibelle

Leia mais

A construção da saúde pelo saneamento dos municípios. Eng Civil Henrique Pires

A construção da saúde pelo saneamento dos municípios. Eng Civil Henrique Pires A construção da saúde pelo saneamento dos municípios Eng Civil Henrique Pires 2011 O Homem e a água uma longa história Os primeiros poços, chafarizes, barragens e aquedutos foram construídos no Egito,

Leia mais

ANEXO 1 MODELO DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE

ANEXO 1 MODELO DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE ANEXO 1 MODELO DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE Data: / / 20 Ao Projeto RN Sustentável Prezado Senhor(a) A Organização Social devidamente legalizada e abaixo identificada, representando a (as) comunidades

Leia mais

DELTA DO JACUÍ ILHAS DA PINTADA, GRANDE DOS MARINHEIROS, FLORES E PAVÃO: Estudo Preliminar de Viabilidade para Abastecimento de Água

DELTA DO JACUÍ ILHAS DA PINTADA, GRANDE DOS MARINHEIROS, FLORES E PAVÃO: Estudo Preliminar de Viabilidade para Abastecimento de Água DELTA DO JACUÍ ILHAS DA PINTADA, GRANDE DOS MARINHEIROS, FLORES E PAVÃO: Estudo Preliminar de Viabilidade para Abastecimento de Água Área temática: Saúde Pública/Vigilância Sanitária e Ambiental Trabalho

Leia mais

Clipping de notícias. Recife, 15 de setembro de 2015.

Clipping de notícias. Recife, 15 de setembro de 2015. Clipping de notícias Recife, 15 de setembro de 2015. Recife, 15 de setembro de 2015. Recife,15 de setembro de 2015. Recife,15 de setembro de 2015. Recife, 15 de setembro de 2015. 14/09/2015 ProRURAL DEBATE

Leia mais

Desenvolvimento regional

Desenvolvimento regional Desenvolvimento regional Água e terra irrigada para o Nordeste No Nordeste, onde a seca representa o grande obstáculo para o desenvolvimento, o Governo Federal está realizando o maior programa de construção

Leia mais

Clipping de notícias. Recife, 07 de outubro de 2015.

Clipping de notícias. Recife, 07 de outubro de 2015. Clipping de notícias Recife, 07 de outubro de 2015. Recife, 7 de outubro de 2015. CISTERNAS DE PLACAS FAMILIAR ProRural injeta 26 milhões na economia do Estado Recife,7 de outubro de 2015. 07/10/2015

Leia mais

Crise da Água em São Paulo Balanço e Propostas contribuição para o debate

Crise da Água em São Paulo Balanço e Propostas contribuição para o debate Crise da Água em São Paulo Balanço e Propostas contribuição para o debate Câmara dos Deputados 14 de Julho de 2015 Comissão Especial da Crise Hídrica O porque do colapso dos sistemas A Pergunta é: Precisávamos

Leia mais

REUTILIZAÇÃO DA ÁGUA DOS APARELHOS DE AR CONDICIONADO EM UMA ESCOLA DE ENSINO MÉDIO NO MUNICÍPIO DE UMUARAMA-PR

REUTILIZAÇÃO DA ÁGUA DOS APARELHOS DE AR CONDICIONADO EM UMA ESCOLA DE ENSINO MÉDIO NO MUNICÍPIO DE UMUARAMA-PR 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 REUTILIZAÇÃO DA ÁGUA DOS APARELHOS DE AR CONDICIONADO EM UMA ESCOLA DE ENSINO MÉDIO NO MUNICÍPIO DE UMUARAMA-PR Thatiane Rodrigues Mota 1 ; Dyoni Matias

Leia mais

Concepção de instalações para o abastecimento de água

Concepção de instalações para o abastecimento de água Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas Departamento de Engenharia Civil CIV 640 Saneamento Urbano Concepção de instalações para o abastecimento de água Prof. Aníbal da Fonseca Santiago Universidade

Leia mais

Nós, da GWA, estamos contentes por esta cartilha ter chegado às suas mãos. Por meio dela, conversaremos com você sobre assuntos muito importantes e

Nós, da GWA, estamos contentes por esta cartilha ter chegado às suas mãos. Por meio dela, conversaremos com você sobre assuntos muito importantes e ,, 2, Nós, da GWA, estamos contentes por esta cartilha ter chegado às suas mãos. Por meio dela, conversaremos com você sobre assuntos muito importantes e muito atuais. Em primeiro lugar, gostaríamos de

Leia mais

8ª Edição do Prêmio Prefeito Empreendedor

8ª Edição do Prêmio Prefeito Empreendedor 8ª Edição do Prêmio Prefeito Empreendedor Projeto nº: 1. 293050/2013 Município: UF: Prefeito: Serrinha BA Orçamento total da Prefeitura: R$ 58.680,00 Qtd. Emp. Form.ME, EPP. EI: Estimativa de Emp. Informais:

Leia mais

EQUIPE TÉCNICA. Instituto Brasileiro de Desenvolvimento e Sustentabilidade - IABS. Luis Tadeu Assad Diretor Presidente

EQUIPE TÉCNICA. Instituto Brasileiro de Desenvolvimento e Sustentabilidade - IABS. Luis Tadeu Assad Diretor Presidente EQUIPE TÉCNICA Instituto Brasileiro de Desenvolvimento e Sustentabilidade - IABS Luis Tadeu Assad Diretor Presidente Carla Gualdani Coordenadora Técnica Filipe Robatini Consultor Técnico Imagens e conteúdo:

Leia mais

ANÁLISE DO USO DAS CISTERNAS DE PLACAS NO MUNICÍPIO DE FRECHEIRINHA: O CONTEXTO DA PAISAGEM DE SUPERFÍCIE SERTANEJA NO SEMIÁRIDO CEARENSE

ANÁLISE DO USO DAS CISTERNAS DE PLACAS NO MUNICÍPIO DE FRECHEIRINHA: O CONTEXTO DA PAISAGEM DE SUPERFÍCIE SERTANEJA NO SEMIÁRIDO CEARENSE ANÁLISE DO USO DAS CISTERNAS DE PLACAS NO MUNICÍPIO DE FRECHEIRINHA: O CONTEXTO DA PAISAGEM DE SUPERFÍCIE SERTANEJA NO SEMIÁRIDO CEARENSE Carliana Lima Almeida (1); José Falcão Sobrinho (2); (1) Mestranda

Leia mais

UTILIZAÇÃO DA ÁGUA DE SISTEMAS DE AR CONDICIONADO VISANDO O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

UTILIZAÇÃO DA ÁGUA DE SISTEMAS DE AR CONDICIONADO VISANDO O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL 10º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM UTILIZAÇÃO DA ÁGUA DE SISTEMAS DE AR CONDICIONADO VISANDO O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Thatiane Rodrigues Mota 1 Dyoni Matias de Oliveira 2 ; Paulo Inada 3 Desenvolvimento

Leia mais

CISTERNA DE PLACAS PRÉ-MOLDADAS

CISTERNA DE PLACAS PRÉ-MOLDADAS CISTERNA DE PLACAS PRÉ-MOLDADAS José Afonso Bezerra Matias, Técnico de Campo do Programa de Aplicação de Tecnologia Apropriada às Comunidades PATAC., José Dias Campos, Centro de Educação Popular e Formação

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2012 (Do Sr. Laércio Oliveira)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2012 (Do Sr. Laércio Oliveira) PROJETO DE LEI Nº, DE 2012 (Do Sr. Laércio Oliveira) Institui o Programa Nacional de Conservação, Uso Racional e Reaproveitamento das Águas. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º A presente lei tem por

Leia mais

A ÁGUA EM CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DE CASTANHAL Divino, E. P. A. (1) ; Silva, M. N. S. (1) Caldeira, R. D. (1) mairanathiele@gmail.

A ÁGUA EM CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DE CASTANHAL Divino, E. P. A. (1) ; Silva, M. N. S. (1) Caldeira, R. D. (1) mairanathiele@gmail. A ÁGUA EM CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DE CASTANHAL Divino, E. P. A. (1) ; Silva, M. N. S. (1) Caldeira, R. D. (1) mairanathiele@gmail.com (1) Faculdade de Castanhal FCAT, Castanhal PA, Brasil. RESUMO A

Leia mais

O Impacto da seca na produção de alimentos em São Paulo

O Impacto da seca na produção de alimentos em São Paulo FEDERAÇÃO DA AGRICULTURA E PECUÁRIA DO ESTADO DE SÃO PAULO SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM RURAL - SENAR AR/SP O Impacto da seca na produção de alimentos em São Paulo FÁBIO DE SALLES MEIRELLES PRESIDENTE

Leia mais

A dinâmica do relevo terrestre e A hidrografia terrestre

A dinâmica do relevo terrestre e A hidrografia terrestre 1 O relevo terrestre é formado e modelado pela ação de diversos agentes internos (movimentos tectônicos, vulcanismo, terremoto) e externos (ação das águas, do vento e do próprio homem). Explique de que

Leia mais

Vitor Amadeu Souza vitor@cerne-tec.com.br

Vitor Amadeu Souza vitor@cerne-tec.com.br Tema: O Uso consciente da água Vitor Amadeu Souza vitor@cerne-tec.com.br O que é Meio Ambiente? Podemos definir o meio ambiente da seguinte forma: É o conjunto de todos os fatores que afetam diretamente

Leia mais

Curso Agenda 21. Resumo da Agenda 21. Seção I - DIMENSÕES SOCIAIS E ECONÔMICAS

Curso Agenda 21. Resumo da Agenda 21. Seção I - DIMENSÕES SOCIAIS E ECONÔMICAS Resumo da Agenda 21 CAPÍTULO 1 - Preâmbulo Seção I - DIMENSÕES SOCIAIS E ECONÔMICAS CAPÍTULO 2 - Cooperação internacional para acelerar o desenvolvimento sustentável dos países em desenvolvimento e políticas

Leia mais

A CONVIVÊNCIA DA MULHER COM O SEMI-ÁRIDO: A VIDA ANTES E DEPOIS DAS CISTERNAS

A CONVIVÊNCIA DA MULHER COM O SEMI-ÁRIDO: A VIDA ANTES E DEPOIS DAS CISTERNAS A CONVIVÊNCIA DA MULHER COM O SEMI-ÁRIDO: A VIDA ANTES E DEPOIS DAS CISTERNAS Claudia Sonda, Kelly Betania Monteiro Batista, José Dias Campos, José Rego Neto, Otávio Bezerra Sampaio, Centro de Educação

Leia mais

Dona Nenê: A pamonhada na casa de. agricultura familiar construindo a segurança alimentar no semi-árido

Dona Nenê: A pamonhada na casa de. agricultura familiar construindo a segurança alimentar no semi-árido Fotos: Arquivo AS-PTA/PB A pamonhada na casa de Dona Nenê: agricultura familiar construindo a segurança alimentar no semi-árido Produtos da Agricultura Familiar Roberval Silva, Paula Almeida, Luciano Silveira

Leia mais

Eixo Temático ET-04-001 - Gestão Ambiental em Saneamento QUALIDADE DA ÁGUA ENTRE CISTERNAS DE PLACA NO SEMIÁRIDO NORDESTINO

Eixo Temático ET-04-001 - Gestão Ambiental em Saneamento QUALIDADE DA ÁGUA ENTRE CISTERNAS DE PLACA NO SEMIÁRIDO NORDESTINO 250 Eixo Temático ET-04-001 - Gestão Ambiental em Saneamento QUALIDADE DA ÁGUA ENTRE CISTERNAS DE PLACA NO SEMIÁRIDO NORDESTINO Adriana Karla Tavares Batista Nunes Leal¹; Ronaldo Faustino da Silva²; Eduardo

Leia mais

P.42 Programa de Educação Ambiental - PEA. Cisterna Junho/2013

P.42 Programa de Educação Ambiental - PEA. Cisterna Junho/2013 P.42 Programa de Educação Ambiental - PEA Cisterna Junho/2013 Sendo a água doce um recurso natural escasso, as diversas questões a ela relacionadas são hoje motivo de preocupação em todo o mundo. Dentre

Leia mais

PROGRAMA DE GOVERNO Massapê do piauí. Esta MUDANÇA INCLUE VOCÊ. Chico carvalho prefeito

PROGRAMA DE GOVERNO Massapê do piauí. Esta MUDANÇA INCLUE VOCÊ. Chico carvalho prefeito PROGRAMA DE GOVERNO Massapê do piauí Esta MUDANÇA INCLUE VOCÊ Chico carvalho prefeito É com o 11 que vamos avançar! Plano de ações do Prefeito Chico Carvalho para uma nova Massapê em 2013 11 Ações na Saúde

Leia mais

I B OP E Opinião. O que o brasileiro pensa e faz em relação à conservação e uso da água

I B OP E Opinião. O que o brasileiro pensa e faz em relação à conservação e uso da água PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA Águas no Brasil: A visão dos brasileiros O que o brasileiro pensa e faz em relação à conservação e uso da água Dezembro, 2006 METODOLOGIA OBJETIVO Levantar informações para

Leia mais

GUIA 2013 PARA PREFEITOS E PREFEITAS MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL

GUIA 2013 PARA PREFEITOS E PREFEITAS MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL GUIA 2013 PARA PREFEITOS E PREFEITAS MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL Principais competências do Ministério da Integração Nacional: Ministro de Estado Formulação e condução da Política Nacional de Desenvolvimento

Leia mais

INTEGRAÇÃO DOS INSTRUMENTOS DE GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS COM O PLANO DE BACIA

INTEGRAÇÃO DOS INSTRUMENTOS DE GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS COM O PLANO DE BACIA INTEGRAÇÃO DOS INSTRUMENTOS DE GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS COM O PLANO DE BACIA COBRANÇA PELO USO DA ÁGUA Reconhecer a água como bem econômico e dar ao usuário uma indicação de seu real valor Incentivar

Leia mais

"Água e os Desafios do. Setor Produtivo" EMPRESAS QUE DÃO ATENÇÃO AO VERDE DIFICILMENTE ENTRAM NO VERMELHO.

Água e os Desafios do. Setor Produtivo EMPRESAS QUE DÃO ATENÇÃO AO VERDE DIFICILMENTE ENTRAM NO VERMELHO. "Água e os Desafios do Setor Produtivo" EMPRESAS QUE DÃO ATENÇÃO AO VERDE DIFICILMENTE ENTRAM NO VERMELHO. DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E O PAPEL DE CADA UM É o desenvolvimento que atende às necessidades

Leia mais

LEGISLAÇÃO SOBRE USO RACIONAL DA ÁGUA

LEGISLAÇÃO SOBRE USO RACIONAL DA ÁGUA LEGISLAÇÃO SOBRE USO RACIONAL DA ÁGUA LEGISLAÇÃO SOBRE USO RACIONAL DA ÁGUA MARÇO 2004 SUMÁRIO 1. L EI COMPLEMENTAR Nº 110/2003 - MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO/RS...3 2. L EI Nº 5935/2002 - MUNICÍPIO DE BLUMENAL/SC...4

Leia mais

SITUAÇÃO DO SANEAMENTO BÁSICO DO BAIRRO KIDÉ, JUAZEIRO/BA: UM ESTUDO DE CASO NO ÂMBITO DO PET CONEXÕES DE SABERES SANEAMENTO AMBIENTAL

SITUAÇÃO DO SANEAMENTO BÁSICO DO BAIRRO KIDÉ, JUAZEIRO/BA: UM ESTUDO DE CASO NO ÂMBITO DO PET CONEXÕES DE SABERES SANEAMENTO AMBIENTAL SITUAÇÃO DO SANEAMENTO BÁSICO DO BAIRRO KIDÉ, JUAZEIRO/BA: UM ESTUDO DE CASO NO ÂMBITO DO PET CONEXÕES DE SABERES SANEAMENTO AMBIENTAL Juliana Maria Medrado de Melo (1) Graduanda em Engenharia Agrícola

Leia mais

Nós, da GWA, estamos contentes por esta cartilha ter chegado às suas mãos. Por meio dela, conversaremos com você sobre assuntos muito importantes e

Nós, da GWA, estamos contentes por esta cartilha ter chegado às suas mãos. Por meio dela, conversaremos com você sobre assuntos muito importantes e 1 Nós, da GWA, estamos contentes por esta cartilha ter chegado às suas mãos. Por meio dela, conversaremos com você sobre assuntos muito importantes e muito atuais. Em primeiro lugar, gostaríamos de dizer

Leia mais

Categoria Voluntariado BB

Categoria Voluntariado BB Categoria Voluntariado BB Voluntário BB: Everaldo Costa Mapurunga Nome do Projeto: Sustentabilidade e Vida Entidade Apoiada: Centro Espírita O Pobre de Deus Localização: Viçosa do Ceará Ceará O Projeto

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO nº 058/2015

EDITAL DE SELEÇÃO nº 058/2015 EDITAL DE SELEÇÃO nº 058/2015 Processo Administrativo nº 058/2015 PROJETO MAIS ÁGUA: Captação de Água para produção no Semiárido baiano. O Centro de Assessoria do Assuruá apresenta abertura de Edital de

Leia mais

As Lições da Crise Hídrica na Região Metropolitana de São Paulo João Alberto Viol

As Lições da Crise Hídrica na Região Metropolitana de São Paulo João Alberto Viol As Lições da Crise Hídrica na Região Metropolitana de São Paulo João Alberto Viol Vice Presidente de Gestão e Assuntos Institucionais Resumo Planejamento das atividades de Infraestrutura de Saneamento

Leia mais

A MULHER E O MANUSEIO DA ÁGUA A MULHER E O USO DA ÁGUA

A MULHER E O MANUSEIO DA ÁGUA A MULHER E O USO DA ÁGUA A MULHER E O USO DA ÁGUA A sociedade define as atividades que os seres humanos devem fazer a partir do seu sexo. Aos homens são destinadas aquelas consideradas produtivas, ou seja, que servem para ganhar

Leia mais

1. Seu município enfrenta problemas com a seca? 44 Sim... 86% 7 Não... 14%

1. Seu município enfrenta problemas com a seca? 44 Sim... 86% 7 Não... 14% O CASO DE SERGIPE O Estado de Sergipe tem uma área territorial de pouco mais de 21 mil de km² e é o menor estado brasileiro em dimensões territoriais, correspondente a 0,26% do tamanho do Brasil, e 1,42%

Leia mais

Eixo Temático ET-03-035 - Gestão de Resíduos Sólidos IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE RESÍDUO SÓLIDO NO MUNICIPIO DE BONITO DE SANTA FÉ-PB

Eixo Temático ET-03-035 - Gestão de Resíduos Sólidos IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE RESÍDUO SÓLIDO NO MUNICIPIO DE BONITO DE SANTA FÉ-PB 203 Eixo Temático ET-03-035 - Gestão de Resíduos Sólidos IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE RESÍDUO SÓLIDO NO MUNICIPIO DE BONITO DE SANTA FÉ-PB Tarcísio Valério da Costa Universidade Federal da Paraíba/Pró

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 51/2008. Institui a Política Estadual de Combate e Prevenção à Desertificação e dá outras providências.

PROJETO DE LEI Nº 51/2008. Institui a Política Estadual de Combate e Prevenção à Desertificação e dá outras providências. PROJETO DE LEI Nº 51/2008 Institui a Política Estadual de Combate e Prevenção à Desertificação e dá outras providências. A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO ESPIRITO SANTO DECRETA: Art. 1º Esta lei institui

Leia mais

SANEAMENTO - DESAFIOS ÀREAS: RURAL e URBANA

SANEAMENTO - DESAFIOS ÀREAS: RURAL e URBANA SANEAMENTO - DESAFIOS ÀREAS: RURAL e URBANA Caxias do Sul Rio Grande do Sul 96 km POA região nordeste, altitude média 760 m População: 404.187 hab.ibge 2010 território: 165.731,00 ha; urbano: 13.344,00

Leia mais

Observando os Rios. Programa de Educação Ambiental e Mobilização para Gestão em Recursos Hídricos, desenvolvido pela Fundação SOS Mata Atlântica

Observando os Rios. Programa de Educação Ambiental e Mobilização para Gestão em Recursos Hídricos, desenvolvido pela Fundação SOS Mata Atlântica Observando os Rios Programa de Educação Ambiental e Mobilização para Gestão em Recursos Hídricos, desenvolvido pela Fundação SOS Mata Atlântica OBJETIVO: Capacitar cidadãos, usuários de água, sociedade

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL & SAÚDE: ABORDANDO O TEMA RECICLAGEM NO CONTEXTO ESCOLAR

EDUCAÇÃO AMBIENTAL & SAÚDE: ABORDANDO O TEMA RECICLAGEM NO CONTEXTO ESCOLAR EDUCAÇÃO AMBIENTAL & SAÚDE: ABORDANDO O TEMA RECICLAGEM NO CONTEXTO ESCOLAR ARNOR, Asneth Êmilly de Oliveira; DA SILVA, Ana Maria Gomes; DA SILVA, Ana Paula; DA SILVA, Tatiana Graduanda em Pedagogia -UFPB-

Leia mais

Gestão Participativa e os Comitês de Bacias

Gestão Participativa e os Comitês de Bacias Novembro de 2009. Gestão Participativa e os Comitês de Bacias Suraya Modaelli DAEE 1,2 bilhão de pessoas sem acesso a água potável no mundo 2 bilhões sem infra-estrutura de saneamento milhões de crianças

Leia mais

AVALIAÇÃO SOBRE GOVERNANÇA AMBIENTAL NOS MUNICÍPIOS DO SEMI-ÁRIDO BRASILEIRO

AVALIAÇÃO SOBRE GOVERNANÇA AMBIENTAL NOS MUNICÍPIOS DO SEMI-ÁRIDO BRASILEIRO AVALIAÇÃO SOBRE GOVERNANÇA AMBIENTAL NOS MUNICÍPIOS DO SEMI-ÁRIDO BRASILEIRO Aristides Pereira Lima Green 1 Frederico Cavadas Barcellos 2 Deborah Moreira Pinto 3 I. Introdução As regiões semi-áridas se

Leia mais

OS CUIDADOS COM A ÁGUA NA ESCOLA FUNDAMENTAL PROFESSOR ADAILTON COELHO COSTA

OS CUIDADOS COM A ÁGUA NA ESCOLA FUNDAMENTAL PROFESSOR ADAILTON COELHO COSTA OS CUIDADOS COM A ÁGUA NA ESCOLA FUNDAMENTAL PROFESSOR ADAILTON COELHO COSTA Dantas 1, Mayara; Gomes 1, Márcia; Silva 1, Juliene; Silva 1, Jaciele; 1 Discente do Curso de Bacharelado em Ecologia; 2 Professora

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de São José do Rio Claro, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 5074,56 km² IDHM 2010 0,682 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 17124 hab.

Leia mais

Tabela 1. Tema Dado Atributo Fonte

Tabela 1. Tema Dado Atributo Fonte Tabela 1 Tema Dado Atributo Fonte 1. Base Cartográfica Básica a. Limites municipais b. Limites Distritais c. Localidades d. Rodovias e Ferrovias d. Rodovias e Ferrovias e. Linhas de Transmissão f. Estações

Leia mais

ANÁLISE DO PROGRAMA 1 MILHÃO DE CISTERNAS IMPLANTADO EM UMA COMUNIDADE RURAL NO MUNICÍPIO DE FRANCISCO SÁ-MG 1

ANÁLISE DO PROGRAMA 1 MILHÃO DE CISTERNAS IMPLANTADO EM UMA COMUNIDADE RURAL NO MUNICÍPIO DE FRANCISCO SÁ-MG 1 ANÁLISE DO PROGRAMA 1 MILHÃO DE CISTERNAS IMPLANTADO EM UMA COMUNIDADE RURAL NO MUNICÍPIO DE FRANCISCO SÁ-MG 1 Maria Ribeiro dos Santos 2 mary.moc2007@hotmail.com Nayana Mesquita Mota 3 nayana-mota@hotmail.com

Leia mais

Programas e Políticas Públicas de SAN na Bahia

Programas e Políticas Públicas de SAN na Bahia Programas e Políticas Públicas de SAN na Bahia Gestão Equipamentos de SAN Acesso a água Apoio a Agricultura Familiar Inclusão Produtiva Jainei Cardoso Coordenação Rede de San e Cidadania Conselheira CONSEA-BA

Leia mais

GESTÃO DE ÁGUAS URBANAS Prefeitura de Belo Horizonte ÁGUA É ASSUNTO DE TODOS

GESTÃO DE ÁGUAS URBANAS Prefeitura de Belo Horizonte ÁGUA É ASSUNTO DE TODOS GESTÃO DE ÁGUAS URBANAS Prefeitura de Belo Horizonte ÁGUA É ASSUNTO DE TODOS BRASIL . Cidade projetada, inaugurada em 1897. População total: 2,5mi (50% da RMBH). População urbana: 100%. Área: 330.90 km².

Leia mais

ÁGUA DA CHUVA PARA CONSUMO HUMANO: MELHORIAS E DESAFIOS. Gilberto Ferreira da Silva Neto 1 & Maura Maria Pezzato 2

ÁGUA DA CHUVA PARA CONSUMO HUMANO: MELHORIAS E DESAFIOS. Gilberto Ferreira da Silva Neto 1 & Maura Maria Pezzato 2 ÁGUA DA CHUVA PARA CONSUMO HUMANO: MELHORIAS E DESAFIOS Gilberto Ferreira da Silva Neto 1 & Maura Maria Pezzato 2 Resumo: Ao longo dos anos o semiárido brasileiro vem convivendo com dificuldades no âmbito

Leia mais

Oi FUTURO ABRE INSCRIÇÕES PARA EDITAL DO PROGRAMA Oi NOVOS BRASIS 2012

Oi FUTURO ABRE INSCRIÇÕES PARA EDITAL DO PROGRAMA Oi NOVOS BRASIS 2012 Oi FUTURO ABRE INSCRIÇÕES PARA EDITAL DO PROGRAMA Oi NOVOS BRASIS 2012 Programa vai selecionar projetos socioambientais para receberem apoio técnico e financeiro Instituto de responsabilidade social da

Leia mais

ações de cidadania ONG estimula o protagonismo de jovens para que eles atuem transformando a realidade de região castigada pela seca no Ceará

ações de cidadania ONG estimula o protagonismo de jovens para que eles atuem transformando a realidade de região castigada pela seca no Ceará ações de cidadania Onde o sol nasce ONG estimula o protagonismo de jovens para que eles atuem transformando a realidade de região castigada pela seca no Ceará O triste cenário já é um velho conhecido por

Leia mais

Roça agroecológica das mulheres do Assentamento Dandara dos Palmares, Camamu (BA)

Roça agroecológica das mulheres do Assentamento Dandara dos Palmares, Camamu (BA) Produção de alimentos agroecológicos da roça das mulheres Roça agroecológica das mulheres do Assentamento Dandara dos Palmares, Camamu (BA) Ana Celsa Sousa, Carlos Eduardo de Souza Leite e Luciana Rios

Leia mais

ATITUDES QUE DEVES DE TOMAR: Economizar Reciclar e Reutilizar

ATITUDES QUE DEVES DE TOMAR: Economizar Reciclar e Reutilizar A Crise da Água ATITUDES QUE DEVES DE TOMAR: Economizar Reciclar e Reutilizar ÁGUA A água é um recurso natural que depende da maneira como o Homem a utiliza para ser renovável ou não. Quando se pensa que

Leia mais