A ideologia alemã. Karl Marx e Friedrich Engels

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A ideologia alemã. Karl Marx e Friedrich Engels"

Transcrição

1 A ideologia alemã Karl Marx e Friedrich Engels

2 Percurso Karl Marx ( ) Filho de advogado iluminista Formou-se em Direito, Filosofia e História pela Universidade de Berlim; não seguiu carreira acadêmica Opositor da monarquia absolutista prussiana, juntou-se aos jovens hegelianos, que desejavam uma revolução liberal burguesa

3 Percurso Karl Marx Foi redator chefe da Gazeta Renana (1842), de orientação liberal (imprimiu tom radical de esquerda); jornal sofreu censura (relações entre direito, economia e política) 1843: Paris. Contato com Proudhon. Abraça a idéia de que o proletariado era a classe mais explorada e, por isso, a mais revolucionária.

4 Percurso Friedrich Engels Filho de industrial têxtil ( ) Não cursou a universidade; assistiu aulas como ouvinte. Tornou-se oposicionista da monarquia absolutista e também hegeliano de oposição Viagens comerciais à Inglaterra: contato com movimento operário e com idéias socialistas. Colaborou no jornal de lideranças cartistas.

5 Percurso Friedrich Engels Antes de Marx, tomou conhecimento da Economia Política Inglesa, dos interesses da burguesia Afinidade de pensamento aproximou Marx e Engels em 1844, relação que durou até a morte de Marx, quarenta anos depois.

6 A obra Escrita em (1º manuscrito), mas publicada somente em 1933 (Moscou e Leipzig) Dividida em três partes: Ludwig Feuerbach, Bruno Bauer, e Max Stirner A edição reproduz a primeira parte de A ideologia alemã e as Teses sobre Feuerbach Inaugurou o materialismo histórico Representou uma ruptura com a filosofia idealista alemã

7 Idealismo X Materialismo Feuerbach: influência na passagem da filosofia idealista para a materialista. Materialismo antropológico: crítica das representações religiosas (culto a uma existência crítica, desmistificada); forma velada de crítica ao sistema de governo. Crítica marxista do idealismo: idéias não se desenvolvem por si mesmas, não possuem existência própria, são produtos da vida material. Não é a consciência que determina a vida, mas a vida que determina a consciência.

8 Ideologia História deve explicar a formação das idéias segundo a prática material, e não o contrário. Filosofia da história de Hegel: oferece uma história das representações, desligada dos fatos. As idéias se sistematizam na ideologia, sinônimo de consciência falsa da realidade Conceito-chave para entender o materialismo histórico: a ideologia é uma visão da realidade sob a ótica de uma determinada classe social

9 Teoria geral da sociedade Materialismo histórico: foco na ação dos indivíduos, na vida real Homem se distingue dos animais por produzir seus meios de existência Modo de vida coincide com modo de produção; o que os indivíduos são depende das condições materiais de produção 1º fato histórico: necessidades elementares a serem satisfeitas pela produção da vida material Criação de outras necessidades: 1º ato histórico

10 Teoria geral da sociedade Família é a 1ª relação social Cooperação entre homens: fruto da constatação de suas necessidades materiais Consciência faz os homens perceberem que precisam se relacionar com os outros, diferente dos animais (instinto) Aumento das necessidades humanas aumento da produção divisão do trabalho Efetivação da divisão do trabalho: trabalho material (degradação) X trabalho intelectual (enobrecimento)

11 Teoria geral da sociedade Outra consequência aumento da produção: relações de intercâmbio (trocas) Síntese do desenvolvimento histórico: a cada época, forças produtivas forma de intercâmbio correspondente; forças produtivas se desenvolvem, colidem com forma de intercâmbio (relações sociais de produção). Daí: todos os conflitos da história têm sua origem na contradição entre as forças produtivas e o modo das trocas (p.91) Produção material + forma de intercâmbio = modo de produção

12 Teoria geral da sociedade A sociedade civil, para Marx e Engels, é a base de toda a história (sociedade civil = reino das relações econômicas, o que não era Estado) Divisão do trabalho = propriedade (sinônimos). Origem: família (escravidão 1ª forma de propriedade) Divisão do trabalho = fixação de atividade social para o indivíduo (subjugação) Na sociedade comunista, o homem deve poder transitar de uma atividade a outra. Daí os autores proporem a abolição dessa divisão e até do trabalho (forçado) em si.

13 Teoria geral da sociedade Estágios da divisão do trabalho = diferentes formas de propriedade: tribal; comunal; feudal; capital moderno. Propriedade privada moderna corresponde ao Estado moderno. O Estado não é outra coisa senão a forma de organização que os burgueses dão a si mesmos por necessidade, para garantir reciprocamente sua propriedade e seus interesses (...) (p. 74) Observação empírica: conexão entre estrutura social e política e a produção. Idéias a partir das forças produtivas e das relações consequentes (frases).

14 Teoria geral da sociedade Idéia representa ruptura com a teoria política dominante: Estado não congrega interesses comuns da população. Representa os interesses da classe dominante. Idéias dominantes são idéias da classe dominante. Classes que aspiram a dominação devem conquistar o poder do Estado: apresentar interesse particular com caráter de interesse geral Proletariado: conquistar o poder do Estado para abolir todas as formas de dominação e exploração.

15 Revolução do proletariado Classe explorada: caráter revolucionário inerente Ruptura sem precedentes: proletariado não é uma classe se contrapondo a outra classe, mas a representação de toda a massa da sociedade diante da única classe: a classe dominante. Comunismo: movimento real de superação do modo de produção vigente. Crítica ao socialismo utópico: mudanças não partem da boa vontade dos indivíduos; é preciso uma luta de classes, mudanças de baixo para cima.

16 Revolução do proletariado Elementos materiais da revolução: forças produtivas + massa revolucionária Para transformar o mundo, é preciso interpretá-lo corretamente (através da crítica). A teoria, para os autores, é vista como guia da prática, força da história. Daí tem-se que o materialismo de Marx e Engels é crítico e revolucionário.

SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO

SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO 1 - INTRODUÇÃO Séc. XIX consolidação da burguesia: ascensão do proletariado urbano (classe operária) avanço do liberalismo.

Leia mais

HISTÓRIA DA FILOSOFIA:

HISTÓRIA DA FILOSOFIA: CATÁLOGO ÁREA: Filosofia Política TEMA: O conceito de luta de classes em Marx HISTÓRIA DA FILOSOFIA: Filosofia contemporânea INTERDISCIPLINARIDADE: Sociologia, História e Artes (música) TRANSVERSALIDADE:

Leia mais

THOMAS HOBBES LEVIATÃ MATÉRIA, FORMA E PODER DE UM ESTADO ECLESIÁSTICO E CIVIL

THOMAS HOBBES LEVIATÃ MATÉRIA, FORMA E PODER DE UM ESTADO ECLESIÁSTICO E CIVIL THOMAS HOBBES LEVIATÃ ou MATÉRIA, FORMA E PODER DE UM ESTADO ECLESIÁSTICO E CIVIL Thomas Hobbes é um contratualista teoria do contrato social; O homem natural / em estado de natureza para Hobbes não é

Leia mais

Katia Luciana Sales Ribeiro Keila de Souza Almeida José Nailton Silveira de Pinho. Resenha: Marx (Um Toque de Clássicos)

Katia Luciana Sales Ribeiro Keila de Souza Almeida José Nailton Silveira de Pinho. Resenha: Marx (Um Toque de Clássicos) Katia Luciana Sales Ribeiro José Nailton Silveira de Pinho Resenha: Marx (Um Toque de Clássicos) Universidade Estadual de Montes Claros / UNIMONTES abril / 2003 Katia Luciana Sales Ribeiro José Nailton

Leia mais

IDEOLOGIA, EDUCAÇÃO E EMANCIPAÇÃO HUMANA EM MARX, LUKÁCS E MÉSZÁROS

IDEOLOGIA, EDUCAÇÃO E EMANCIPAÇÃO HUMANA EM MARX, LUKÁCS E MÉSZÁROS IDEOLOGIA, EDUCAÇÃO E EMANCIPAÇÃO HUMANA EM MARX, LUKÁCS E MÉSZÁROS Maria Teresa Buonomo de Pinho * O objetivo deste artigo é examinar o caráter de ideologia da práxis educativa e o papel relativo que

Leia mais

Sociologia - Resumo Romero - 2014

Sociologia - Resumo Romero - 2014 Sociologia - Resumo Romero - 2014 [imaginação Sociológica] Ao utilizar este termo Giddens refere-se a uma certa sensibilidade que deve cercar a análise sociológica. As sociedades industriais modernas só

Leia mais

Sociologia Organizacional. Aula 1. Contextualização. Organização da Disciplina. Aula 1. Contexto histórico do aparecimento da sociologia

Sociologia Organizacional. Aula 1. Contextualização. Organização da Disciplina. Aula 1. Contexto histórico do aparecimento da sociologia Sociologia Organizacional Aula 1 Organização da Disciplina Aula 1 Contexto histórico do aparecimento da sociologia Aula 2 Profa. Me. Anna Klamas A institucionalização da sociologia: August Comte e Emile

Leia mais

Weber e o estudo da sociedade

Weber e o estudo da sociedade Max Weber o homem Maximilian Karl Emil Weber; Nasceu em Erfurt, 1864; Iniciou seus estudos na cidade de Heidelberg Alemanha; Intelectual alemão, jurista, economista e sociólogo; Casado com Marianne Weber,

Leia mais

Karl Marx e a Teoria do Valor do Trabalho. Direitos Autorais: Faculdades Signorelli

Karl Marx e a Teoria do Valor do Trabalho. Direitos Autorais: Faculdades Signorelli Karl Marx e a Teoria do Valor do Trabalho Direitos Autorais: Faculdades Signorelli "O caminho da vida pode ser o da liberdade e da beleza, porém, desviamo-nos dele. A cobiça envenenou a alma dos homens,

Leia mais

Karl Marx e o materialismo histórico e dialético (1818-1883)

Karl Marx e o materialismo histórico e dialético (1818-1883) Karl Marx e o materialismo histórico e dialético (1818-1883) O pensamento de Marx: Proposta: entender o sistema capitalista e modificá-lo [...] (COSTA, 2008, p.100). Obra sobre o capitalismo: O capital.

Leia mais

De resto, para Marx, 3 SOUSA, Maria Carmelita Homem de, "Os Manuscritos de 1844 de Karl Marx", Revista Portuguesa de

De resto, para Marx, 3 SOUSA, Maria Carmelita Homem de, Os Manuscritos de 1844 de Karl Marx, Revista Portuguesa de Karl Heinrich Marx (1818 1883) e Friedrich Engels (1820 1895), foram filósofos, historiadores, economistas e políticos alemães, criadores de uma importante corrente de pensamento que visava a transformação

Leia mais

Marx, Durkheim e Weber, referências fundamentais

Marx, Durkheim e Weber, referências fundamentais INTRODUÇÃO À sociologia Marx, Durkheim e Weber, referências fundamentais introdução à S Maura Pardini Bicudo Véras O CIO LO GIA Marx, Durkheim e Weber, referências fundamentais Direção editorial Claudiano

Leia mais

A crítica à razão especulativa

A crítica à razão especulativa O PENSAMENTO DE MARX A crítica à razão especulativa Crítica a todas as formas de idealismo Filósofo, economista, homem de ação, foi o criador do socialismo científico e o inspirador da ideologia comunista,

Leia mais

Anais do V Simpósio Internacional Lutas Sociais na América Latina Revoluções nas Américas: passado, presente e futuro

Anais do V Simpósio Internacional Lutas Sociais na América Latina Revoluções nas Américas: passado, presente e futuro GT 10. Teoria política marxista Concepção materialista e dialética da história desde A Ideologia Alemã Marlon Garcia da Silva Resumo: O presente artigo se concentra na análise da obra A Ideologia Alemã,

Leia mais

SOCIOLOGIA GERAL E DA EDUCAÇÃO

SOCIOLOGIA GERAL E DA EDUCAÇÃO SOCIOLOGIA GERAL E DA EDUCAÇÃO Universidade de Franca Graduação em Pedagogia-EAD Profa.Ms.Lucimary Bernabé Pedrosa de Andrade 1 Objetivos da disciplina Fornecer elementos teórico-conceituais da Sociologia,

Leia mais

3. KARL MARX (e a critica à consciência moderna)

3. KARL MARX (e a critica à consciência moderna) 3. KARL MARX (e a critica à consciência moderna) Não é a consciência dos homens que determina o seu ser, mas, ao contrário, é o seu ser social que determina a sua consciência a) O Materialismo Histórico

Leia mais

TEORIA SOCIAL CLÁSSICA E MODERNIDADE: REFLEXÃO À LUZ DE KARL MARX RESUMO

TEORIA SOCIAL CLÁSSICA E MODERNIDADE: REFLEXÃO À LUZ DE KARL MARX RESUMO TEORIA SOCIAL CLÁSSICA E MODERNIDADE: REFLEXÃO À LUZ DE KARL MARX Iara Barbosa de Sousa 1 RESUMO A presente reflexão tem enfoque no debate acerca de um clássico autor nas Ciências Sociais e sua relação

Leia mais

Lista de exercícios Sociologia- 1 ano- 1 trimestre

Lista de exercícios Sociologia- 1 ano- 1 trimestre Lista de exercícios Sociologia- 1 ano- 1 trimestre 01-O homo sapiens moderno espécie que pertencemos se constitui por meio do grupo, ou seja, sociedade. Qual das características abaixo é essencial para

Leia mais

Anna Catharinna 1 Ao contrário da palavra romântico, o termo realista vai nos lembrar alguém de espírito prático, voltado para a realidade, bem distante da fantasia da vida. Anna Catharinna 2 A arte parece

Leia mais

Trabalho Sindical. Elementos categoriais

Trabalho Sindical. Elementos categoriais Trabalho Sindical Elementos categoriais O papel da Direção Executiva Trabalho sindical como trabalho ideológico Ação sobre o outro-de-classe visando mobilizar para a luta sindical) GIOVANNI ALVES - UNESP

Leia mais

Um forte elemento utilizado para evitar as tendências desagregadoras das sociedades modernas é:

Um forte elemento utilizado para evitar as tendências desagregadoras das sociedades modernas é: Atividade extra Fascículo 3 Sociologia Unidade 5 Questão 1 Um forte elemento utilizado para evitar as tendências desagregadoras das sociedades modernas é: a. Isolamento virtual b. Isolamento físico c.

Leia mais

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE HISTÓRIA 8º ANO PROFESSOR: MÁRCIO AUGUSTO

Leia mais

CLASSES SOCIAIS E LUTA DE CLASSES

CLASSES SOCIAIS E LUTA DE CLASSES Secretaria Nacional de Formação Política do Partido Comunista Brasileiro Introdução CURSO DE INICIAÇÃO PARTIDÁRIA CLASSES SOCIAIS E LUTA DE CLASSES A definição de classe social fornecida por Lênin deixa

Leia mais

Teoria Sociológica I

Teoria Sociológica I MARX, Karl e ENGELS, Friedrich, A Ideologia Alemã (Ad Feuerbach), São Paulo, Editora Hucitec, 1987 (1847) História [...] o primeiro pressuposto de toda a existência humana e, portanto, de toda a história,

Leia mais

Idealismo - corrente sociológica de Max Weber, se distingui do Positivismo em razão de alguns aspectos:

Idealismo - corrente sociológica de Max Weber, se distingui do Positivismo em razão de alguns aspectos: A CONTRIBUIÇÃO DE MAX WEBER (1864 1920) Max Weber foi o grande sistematizador da sociologia na Alemanha por volta do século XIX, um pouco mais tarde do que a França, que foi impulsionada pelo positivismo.

Leia mais

O Manifesto Comunista e o sentido da ação revolucionária

O Manifesto Comunista e o sentido da ação revolucionária O Manifesto Comunista e o sentido da ação revolucionária Félix Ruiz Sánchez* Resumo: Com a publicação do Manifesto, Marx e Engels elaboraram pela primeira vez um discurso fundador da ação revolucionária

Leia mais

Antropologia, História e Filosofia

Antropologia, História e Filosofia Antropologia, História e Filosofia Breve história do pensamento acerca do homem Um voo panorâmico na história ocidental Cosmológicos 1. Embora o objeto não seja propriamente o homem já encontramos indícios

Leia mais

A dialética em Marx. Data de recepção: 28/03/2014 Data de aprovação: 15/05/2014

A dialética em Marx. Data de recepção: 28/03/2014 Data de aprovação: 15/05/2014 A dialética em Marx Francisco Antonio de Vasconcelos EU-Piauí Doutor em Educação Universidad de la Empresa (reconhecido pela Universidade Federal de Uberlândia). E-mail: franciscoantonio_vasconcelos@yahoo.com.br

Leia mais

KARL MARX (1818-1883)

KARL MARX (1818-1883) KARL MARX (1818-1883) 1861 Biografia Nasceu em Trier, Alemanha. Pais judeus convertidos. Na adolescência militante antireligioso; A crítica da religião é o fundamento de toda crítica. Tese de doutorado

Leia mais

1. O pensamento marxista e o contexto contemporâneo

1. O pensamento marxista e o contexto contemporâneo Prof. Dr. Elydio dos Santos Neto AS CONTRIBUIÇÕES DE ANTONIO GRAMSCI PARA COMPREENDER A ESCOLA E O PROFESSOR NA ESTRUTURA DA SOCIEDADE CAPITALISTA 1. O pensamento marxista e o contexto contemporâneo No

Leia mais

A exploração da liberdade

A exploração da liberdade A crise da liberdade A exploração da liberdade A liberdade foi um episódio. Episódio significa entreato, intervalo entre dois atos. O sentimento de liberdade situa se na transição de uma forma de vida

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE EDUCAÇÃO PESQUISA OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO REDE MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO DE GOIÂNIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE EDUCAÇÃO PESQUISA OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO REDE MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO DE GOIÂNIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE EDUCAÇÃO PESQUISA OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO REDE MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO DE GOIÂNIA ESCOLA MUNICIPAL JALLES MACHADO DE SIQUEIRA PROFESSORA BOLSISTA ROSA CRISTINA

Leia mais

A ÉTICA DE KARL MARX (1818-1883) Ramiro Marques. A Vida

A ÉTICA DE KARL MARX (1818-1883) Ramiro Marques. A Vida A ÉTICA DE KARL MARX (1818-1883) Ramiro Marques A Vida Karl Marx nasceu, em Trier, numa família burguesa de origem judaica, embora convertida ao protestantismo luterano, mais por razões de conveniência

Leia mais

Principais Sociólogos

Principais Sociólogos Principais Sociólogos 1. (Uncisal 2012) O modo de vestir determina a identidade de grupos sociais, simboliza o poder e comunica o status dos indivíduos. Seu caráter institucional assume grande importância

Leia mais

A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO COMO PRINCÍPIO EDUCATIVO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO COMO PRINCÍPIO EDUCATIVO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO COMO PRINCÍPIO EDUCATIVO NA FORMAÇÃO DE Universidade Estadual De Maringá gasparin01@brturbo.com.br INTRODUÇÃO Ao pensarmos em nosso trabalho profissional, muitas vezes,

Leia mais

HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 58 ANARQUISMO E CATOLICISMO SOCIAL

HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 58 ANARQUISMO E CATOLICISMO SOCIAL HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 58 ANARQUISMO E CATOLICISMO SOCIAL Fixação 1) Leia com atenção as proposições abaixo: I) A história de qualquer sociedade até aos nossos dias foi apenas a história da luta

Leia mais

Exercícios Classe Social x Estratificação Social

Exercícios Classe Social x Estratificação Social Exercícios Classe Social x Estratificação Social 1. Para Karl Marx o conceito de Classes Sociais se desenvolve com a formação da sociedade capitalista. Dessa forma, é correto afirmar que : a) As classes

Leia mais

PSVS/UFES 2013 MATEMÁTICA 1ª QUESTÃO. O domínio da função real dada por 2ª QUESTÃO. Uma equação da reta tangente ao gráfico de no ponto é 3ª QUESTÃO

PSVS/UFES 2013 MATEMÁTICA 1ª QUESTÃO. O domínio da função real dada por 2ª QUESTÃO. Uma equação da reta tangente ao gráfico de no ponto é 3ª QUESTÃO MATEMÁTICA 1ª QUESTÃO O domínio da função real dada por 2ª QUESTÃO Uma equação da reta tangente ao gráfico de no ponto 3ª QUESTÃO A assíntota horizontal do gráfico de a reta de equação GRUPO 3 PROVA DE

Leia mais

MARX, Karl Contribuição à Crítica da Economia Política

MARX, Karl Contribuição à Crítica da Economia Política ////////////////////////// Ficha de Leitura * ////////////////////////// MARX, Karl Contribuição à Crítica da Economia Política Introdução [À Crítica da Economia Política] Prefácio [Para a Crítica da Economia

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA - Marco Histórico: Fim da Idade Moderna. Símbolo: Queda da Bastilha (1789). Lema: Liberdade, Fraternidade, Igualdade.

REVOLUÇÃO FRANCESA - Marco Histórico: Fim da Idade Moderna. Símbolo: Queda da Bastilha (1789). Lema: Liberdade, Fraternidade, Igualdade. REVOLUÇÃO FRANCESA REVOLUÇÃO FRANCESA - Marco Histórico: Fim da Idade Moderna. 1789 Símbolo: Queda da Bastilha (1789). Lema: Liberdade, Fraternidade, Igualdade. Influência: Iluminista. DIVISÃO SOCIAL 1º

Leia mais

Gustavo Noronha Silva Higina Madalena da Silva Izabel Cristina Ferreira Nunes. Fichamento: Karl Marx

Gustavo Noronha Silva Higina Madalena da Silva Izabel Cristina Ferreira Nunes. Fichamento: Karl Marx Gustavo Noronha Silva Higina Madalena da Silva Izabel Cristina Ferreira Nunes Fichamento: Karl Marx Universidade Estadual de Montes Claros / UNIMONTES abril / 2003 Gustavo Noronha Silva Higina Madalena

Leia mais

Análise Sociológica do Filme -Notícias de Uma Guerra Particular [1999], (de Katia Lund e João Moreira Salles)

Análise Sociológica do Filme -Notícias de Uma Guerra Particular [1999], (de Katia Lund e João Moreira Salles) FACULDADE CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE Curso de Bacharel em Direito Turma A Unidade: Tatuapé Ana Maria Geraldo Paz Santana Johnson Pontes de Moura Análise Sociológica do Filme -Notícias de Uma Guerra Particular

Leia mais

Luís Francisco Carvalho Departamento de Economia Política Escola de Ciências Sociais e Humanas, ISCTE-IUL 1

Luís Francisco Carvalho Departamento de Economia Política Escola de Ciências Sociais e Humanas, ISCTE-IUL 1 Luís Francisco Carvalho Departamento de Economia Política Escola de Ciências Sociais e Humanas, ISCTE-IUL 1 1. Revisitar as ideias de Friedrich List, procurando uma leitura contextualizada, em termos da

Leia mais

CURSO e COLÉGIO ESPECÍFICO Ltda

CURSO e COLÉGIO ESPECÍFICO Ltda CURSO e COLÉGIO ESPECÍFICO Ltda www.especifico.com.br DISCIPLINA : Sociologia PROF: Waldenir do Prado DATA:06/02/2012 O que é Sociologia? Estudo objetivo das relações que surgem e se reproduzem, especificamente,

Leia mais

Tema-Problema: A CONSTRUÇÃO DO SOCIAL

Tema-Problema: A CONSTRUÇÃO DO SOCIAL Ano Lectivo 2010/2011 ÁREA DE INTEGRAÇÃO Agrupamento de Escolas de Fronteira Escola Básica Integrada Frei Manuel Cardoso 10º Ano Apresentação nº 2 Tema-Problema: A CONSTRUÇÃO DO SOCIAL Pedro Bandeira Simões

Leia mais

HISTÓRIA DOS PARTIDOS POLÍTICOS NA REVOLUÇÃO FRANCESA

HISTÓRIA DOS PARTIDOS POLÍTICOS NA REVOLUÇÃO FRANCESA HISTÓRIA DOS PARTIDOS POLÍTICOS NA REVOLUÇÃO FRANCESA Marcos Faber 1ª Edição www.historialivre.com Antecedentes: O Iluminismo O Iluminismo foi um movimento filosófico que defendeu o final dos regimes absolutistas

Leia mais

Categorias Sociológicas

Categorias Sociológicas Categorias Sociológicas Fato Social DURKHEIM, E.; AS REGRAS DO MÉTODO SOCIOLÓGICO.São Paulo, Abril, Os Pensadores, 1973 p. 389-90. O que é fato social O objeto de estudo da Sociologia é o fato social.

Leia mais

INTRODUÇÃO À CRÍTICA MARXISTA: O FUNDAMENTO DA ORIGEM DA SOCIEDADE NO CONTRATO SOCIAL DE ROUSSEAU

INTRODUÇÃO À CRÍTICA MARXISTA: O FUNDAMENTO DA ORIGEM DA SOCIEDADE NO CONTRATO SOCIAL DE ROUSSEAU INTRODUÇÃO À CRÍTICA MARXISTA: O FUNDAMENTO DA ORIGEM DA SOCIEDADE NO CONTRATO SOCIAL DE ROUSSEAU Mayane Almeida da Silva 1 mayanea@yahoo.com.br Priscila Azevedo de Amorim 2 priscilaazevedo23@yahoo.com.br

Leia mais

:: Verinotio - Revista On-line de Educação e Ciências Humanas Nº 2, Ano I, Abril de 2005, periodicidade semestral ISSN 1981-061X.

:: Verinotio - Revista On-line de Educação e Ciências Humanas Nº 2, Ano I, Abril de 2005, periodicidade semestral ISSN 1981-061X. :: Verinotio - Revista On-line de Educação e Ciências Humanas Nº 2, Ano I, Abril de 2005, periodicidade semestral ISSN 1981-061X. O INDIVÍDUO E A SOCIABILIDADE Maria de Annunciação Madureira 1 Desde o

Leia mais

A CONCEPÇÃO MARXISTA DE HISTÓRIA: ASPECTOS DA CONTRIBUIÇÃO DE MARX PARA A HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO

A CONCEPÇÃO MARXISTA DE HISTÓRIA: ASPECTOS DA CONTRIBUIÇÃO DE MARX PARA A HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO A CONCEPÇÃO MARXISTA DE HISTÓRIA: ASPECTOS DA CONTRIBUIÇÃO DE MARX PARA A HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO TRIGO, Thiago Alves thiagotrigo25@hotmail.com SOUZA, Rodrigo Augusto de UEM rodrigoaugustobr@yahoo.com.br

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE A QUESTÃO SOCIAL

REFLEXÕES SOBRE A QUESTÃO SOCIAL TEORIA MARXISTA NA COMPREENSÃO DA SOCIEDADE CAPITALISTA Disciplina: QUESTÃO E SERVIÇO Professora: Maria da Graça Maurer Gomes Türck Fonte: AS Maria da Graça Türck 1 Que elementos são constitutivos importantes

Leia mais

Sociologia: ciência da sociedade

Sociologia: ciência da sociedade Sociologia: ciência da sociedade O QUE É SOCIOLOGIA? Sociologia: Autoconsciência crítica da realidade social. Ciência que estuda os fenômenos sociais. A Sociologia procura emancipar o entendimento humano

Leia mais

Introdução à Sociologia Clássica 1

Introdução à Sociologia Clássica 1 Introdução à Sociologia Clássica 1 Eleandro Moi 2 A sociologia constitui um projeto intelectual tenso e contraditório. Para alguns ela representa uma poderosa arma a serviço dos interesses dominantes,

Leia mais

Sociologia. Professor: Matheus Bortoleto Rodrigues E-mail: bortoletomatheus@yahoo.com.br Escola: Dr. José Ferreira

Sociologia. Professor: Matheus Bortoleto Rodrigues E-mail: bortoletomatheus@yahoo.com.br Escola: Dr. José Ferreira Sociologia Professor: Matheus Bortoleto Rodrigues E-mail: bortoletomatheus@yahoo.com.br Escola: Dr. José Ferreira [...] tudo o que é real tem uma natureza definida que se impõe, com a qual é preciso contar,

Leia mais

Revolução Industrial e Socialismo. A Revolução Industrial.

Revolução Industrial e Socialismo. A Revolução Industrial. Aula 11 Revolução Industrial e Socialismo Nesta aula, iremos tratar da Revolução Industrial e de suas conseqüências para o mundo contemporâneo. Entre as conseqüências, destaque para o desenvolvimento de

Leia mais

CURSO E COLÉGIO ESPECÍFICO DESIGUALDADES SOCIAIS DISCIPLINA:SOCIOLOGIA PROFESSOR: WALDENIR 2012

CURSO E COLÉGIO ESPECÍFICO DESIGUALDADES SOCIAIS DISCIPLINA:SOCIOLOGIA PROFESSOR: WALDENIR 2012 CURSO E COLÉGIO ESPECÍFICO DESIGUALDADES SOCIAIS DISCIPLINA:SOCIOLOGIA PROFESSOR: WALDENIR 2012 ESTAMOS CONDENADOS A SER DESIGUAIS? No mundo em que vivemos, percebemos que os indivíduos são diferentes

Leia mais

AVM Faculdade Integrada MBA Executivo em Marketing e Redes Sociais Aluno Max Diniz Cruzeiro O PODER DAS REDES SOCIAIS E SUA INFLUÊNCIA

AVM Faculdade Integrada MBA Executivo em Marketing e Redes Sociais Aluno Max Diniz Cruzeiro O PODER DAS REDES SOCIAIS E SUA INFLUÊNCIA AVM Faculdade Integrada MBA Executivo em Marketing e Redes Sociais Aluno Max Diniz Cruzeiro O PODER DAS REDES SOCIAIS E SUA INFLUÊNCIA BRASÍLIA - DF 2014 AVM Faculdade Integrada MBA Executivo em Marketing

Leia mais

Palavras-chave: Marx; Ernst Bloch; Teses sobre Feuerbach. Financiamento: Fundação Araucária.

Palavras-chave: Marx; Ernst Bloch; Teses sobre Feuerbach. Financiamento: Fundação Araucária. AS TESES DE MARX SOBRE FEUERBACH: UMA REFLEXÃO A PARTIR DE ERNST BLOCH Larissa Klosowski de Paula Prof. Dr. Roberto Leme Batista (Orientador) Universidade Estadual do Paraná UNESPAR Campus de Paranavaí

Leia mais

Pensamento Marxista e a Educação na Sociedade Capitalista Atual

Pensamento Marxista e a Educação na Sociedade Capitalista Atual 1 Pensamento Marxista e a Educação na Sociedade Capitalista Atual DINIZ, Rosemeri Birck - Universidade Federal do Tocantins. rosebirck@uft.edu.br SOUZA, Raquel Aparecida. Universidade Federal do Tocantins.

Leia mais

RELAÇÕES DE TRABALHO DICIONÁRIO

RELAÇÕES DE TRABALHO DICIONÁRIO RELAÇÕES DE TRABALHO Conjunto de normas e princípios que regem a relação entre aquele que detém o poder de contratar outro para desenvolver determinada atividade e aquele que mobilizado para tal executa

Leia mais

Objetivos da aula: Emile Durkheim. Ciências Sociais. Emile Durlheim e o estatuto da cientificidade da sociologia. Profa. Cristiane Gandolfi

Objetivos da aula: Emile Durkheim. Ciências Sociais. Emile Durlheim e o estatuto da cientificidade da sociologia. Profa. Cristiane Gandolfi Ciências Sociais Profa. Cristiane Gandolfi Emile Durlheim e o estatuto da cientificidade da sociologia Objetivos da aula: Compreender o pensamento de Emile Durkheim e sua interface com o reconhecimento

Leia mais

DATA: 18/12/2015 VALOR: 20,0 NOTA: NOME COMPLETO:

DATA: 18/12/2015 VALOR: 20,0 NOTA: NOME COMPLETO: DISCIPLINA: FILOSOFIA PROFESSOR: ENRIQUE MARCATTO DATA: 18/12/2015 VALOR: 20,0 NOTA: NOME COMPLETO: ASSUNTO: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL SÉRIE: 2ª TURMA: Nº: I N S T R U Ç Õ E S 1. Este trabalho contém

Leia mais

O PENSAMENTO HEGELIANO: O SISTEMA E A DIALÉTICA. Resumo

O PENSAMENTO HEGELIANO: O SISTEMA E A DIALÉTICA. Resumo 1 O PENSAMENTO HEGELIANO: O SISTEMA E A DIALÉTICA Cassio Donizete Marques 1 Resumo Hegel é considerado um dos pensadores mais complexos de toda a história da filosofia. Seu pensamento estabelece, senão

Leia mais

ATIVIDADE / TEXTO MARX, DURKHEIM E WEBER

ATIVIDADE / TEXTO MARX, DURKHEIM E WEBER ATIVIDADE / TEXTO MARX, DURKHEIM E WEBER Nome: / N : / Turma: PARTE I KARL MARX (1818-1883) Sua obra A obra de Marx é resultado de um contexto sociopolítico específico, resposta aos problemas colocados

Leia mais

1. Modo de produção e a formação da estrutura política e ética

1. Modo de produção e a formação da estrutura política e ética Ética e linguagem: uma perspectiva marxista Renato Campos Pordeus Mestrando pelo Departamento de Filosofia da UFPE 1. Modo de produção e a formação da estrutura política e ética A compreensão do homem,

Leia mais

O Indivíduo em Sociedade

O Indivíduo em Sociedade O Indivíduo em Sociedade A Sociologia não trata o indivíduo como um dado da natureza isolado, livre e absoluto, mas como produto social. A individualidade é construída historicamente. Os indivíduos são

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA ENSINO MÉDIO ÁREA CURRICULAR: CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS DISCIPLINA: HISTÓRIA SÉRIE 1.ª CH 68 ANO 2012 COMPETÊNCIAS:. Compreender

Leia mais

CURSO e COLÉGIO ESPECÍFICO Ltda

CURSO e COLÉGIO ESPECÍFICO Ltda DISCIPLINA: Sociologia PROF: Waldenir do Prado DATA: 06/02/2012. CURSO e COLÉGIO ESPECÍFICO Ltda www.especifico.com.br QUESTÕES DE VESTIBULAR e-mail: especifico@especifico.com.br Av. Rio Claro nº 615 Centro

Leia mais

ALIENAÇÃO: REFLEXÕES SOBRE SUA INFLUÊNCIA NA ATIVIDADE DOCENTE

ALIENAÇÃO: REFLEXÕES SOBRE SUA INFLUÊNCIA NA ATIVIDADE DOCENTE ALIENAÇÃO: REFLEXÕES SOBRE SUA INFLUÊNCIA NA ATIVIDADE DOCENTE Adriano Maciel de Souza André Siviero Fábio Luiz Tognin Lilian Luzia Tiezzi dos Santos Nascimento Luci Ramos Lisboa Zioli Maria Elisa Gonçalves

Leia mais

TEORIA SOCIAL CRÍTICA: DO QUE SE TRATA?

TEORIA SOCIAL CRÍTICA: DO QUE SE TRATA? TEORIA SOCIAL CRÍTICA: DO QUE SE TRATA? 1 Ivo Tonet* 1. Introdução Costuma-se associar o termo teoria crítica à Escola de Frankfurt. Contudo, no presente texto, nosso objetivo não é discorrer sobre a teoria

Leia mais

Roteiro de Estudos. 3 trimestre - 2015

Roteiro de Estudos. 3 trimestre - 2015 Roteiro de Estudos 3 trimestre - 2015 Disciplina: Geografia Professor: Eduardo 3ª série O que devo saber: Crescimento populacional no Brasil e no mundo. Sociedade e economia. Povos em movimento e migrações

Leia mais

RESENHA. MOGGACH, Douglas. The Philosophy and Politics of Bruno Bauer. Cambridge: Cambridge University Press, 2003.

RESENHA. MOGGACH, Douglas. The Philosophy and Politics of Bruno Bauer. Cambridge: Cambridge University Press, 2003. RESENHA MOGGACH, Douglas. The Philosophy and Politics of Bruno Bauer. Cambridge: Cambridge University Press, 2003. A maioria conhece Bruno Bauer (1809-1882) pela crítica demolidora que Karl Marx lhe dedicou

Leia mais

TRABALHO E ENSINO EM MARX-ENGELS E GRAMSCI:

TRABALHO E ENSINO EM MARX-ENGELS E GRAMSCI: TRABALHO E ENSINO EM MARX-ENGELS E GRAMSCI: APONTAMENTOS PARA UMA CRÍTICA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NO CAPITALISMO CONTEMPORÂNEO. José Nilton Alves Pereira Júnior Professor do Instituto Federal de Educação

Leia mais

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Serviço Social 2011-2 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Serviço Social 2011-2 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais. Especial Online ISSN 1982-1816 www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.html DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO Serviço Social 2011-2 A INSERÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NO PROGRAMA PROJOVEM URBANO Alunos: VARGAS,

Leia mais

Marx e a religião: a construção do conhecimento histórico

Marx e a religião: a construção do conhecimento histórico Marx e a religião: a construção do conhecimento histórico Sylvana Maria Brandão de Aguiar 1 Edson de Araújo Nunes 2 Renan Vilas Boas de Melo Magalhães 3 Rafaella Valença de Andrade Galvão 4 Resumo Extremamente

Leia mais

NOTA HISTORIOGRÁFICA SOBRE O CONCEITO DE CLASSE: A História Social Inglesa e a Era Vitoriana na Inglaterra

NOTA HISTORIOGRÁFICA SOBRE O CONCEITO DE CLASSE: A História Social Inglesa e a Era Vitoriana na Inglaterra NOTA HISTORIOGRÁFICA SOBRE O CONCEITO DE CLASSE: A História Social Inglesa e a Era Vitoriana na Inglaterra Autor: Jean Paul Gouveia Meira jeanpaulgm86@gmail.com Universidade Federal de Campina Grande Orientador:

Leia mais

ZENUN, Katsue Hamada e; MARKUNAS, Mônica. Tudo que é sólido se desmancha no ar. In:. Cadernos de Sociologia 1: trabalho. Brasília: Cisbrasil-CIB,

ZENUN, Katsue Hamada e; MARKUNAS, Mônica. Tudo que é sólido se desmancha no ar. In:. Cadernos de Sociologia 1: trabalho. Brasília: Cisbrasil-CIB, ZENUN, Katsue Hamada e; MARKUNAS, Mônica. Tudo que é sólido se desmancha no ar. In:. Cadernos de Sociologia 1: trabalho. Brasília: Cisbrasil-CIB, 2009. p. 24-29. CAPITALISMO Sistema econômico e social

Leia mais

Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc

Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Diálogos - Revista do Departamento de História e do Programa de Pós-Graduação em História ISSN: 1415-9945 rev-dialogos@uem.br Universidade Estadual de Maringá Brasil Perosa Junior, Edson José Como mudar

Leia mais

CURSO E COLÉGIO ESPECÍFICO

CURSO E COLÉGIO ESPECÍFICO CURSO E COLÉGIO ESPECÍFICO MAX WEBER é a ÉTICA PROTESTANTE Disciplina: Sociologia Professor: Waldenir 2013 A Importância da teoria sociológica de Max Weber A obra do sociólogo alemão Max Weber para análise

Leia mais

A A A A A A A A A A A A A A A SOCIOLOGIA

A A A A A A A A A A A A A A A SOCIOLOGIA SOCIOLOGI 1 análise do tema modernidade, por pensadores clássicos da Sociologia, está presente também em autores contemporâneos, atentos às condições da sociedade atual. No século XIX, Karl Marx, em seu

Leia mais

do capitalismo 1. Marx, Engels e a crítica

do capitalismo 1. Marx, Engels e a crítica 1. Marx, Engels e a crítica do capitalismo A obra dos alemães Karl Marx (1818-1883) e Friedrich Engels (1820-1895) constituiu-se como a principal crítica já feita ao capitalismo e à sociedade que surgiu

Leia mais

Revoluções Inglesas e Revolução Industrial

Revoluções Inglesas e Revolução Industrial 1. (Fgvrj 2013) A Reforma, a despeito de sua hostilidade à magia, estimulara o espírito de profecia. A abolição dos intermediários entre o homem e a divindade, bem como a ênfase na consciência individual,

Leia mais

O INTELECTUAL/PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA FUNÇÃO SOCIAL 1

O INTELECTUAL/PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA FUNÇÃO SOCIAL 1 O INTELECTUAL/PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA FUNÇÃO SOCIAL 1 Efrain Maciel e Silva 2 Resumo: Estudando um dos referenciais do Grupo de Estudo e Pesquisa em História da Educação Física e do Esporte,

Leia mais

Karl Marx. As Origens

Karl Marx. As Origens Karl Marx Quando um espaço contendo objetos é iluminado por luzes de diversas cores vindas de várias fontes, obtemos diferentes imagens, cada uma colocando em destaque certos contornos e formas. De maneira

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CONCURSO PÚBLICO EDITAL 04/2016 ÁREA FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO CHAVE DE CORREÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CONCURSO PÚBLICO EDITAL 04/2016 ÁREA FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO CHAVE DE CORREÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CONCURSO PÚBLICO EDITAL 04/2016 ÁREA FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO CHAVE DE CORREÇÃO QUESTÃO 01: - Situar historicamente e contextualizar o percurso de

Leia mais

SUMÁRIO. A contribuição dos clássicos da Sociologia para a compreensão da estrutura do trabalho na sociedade Capitalista...02

SUMÁRIO. A contribuição dos clássicos da Sociologia para a compreensão da estrutura do trabalho na sociedade Capitalista...02 SUMÁRIO A contribuição dos clássicos da Sociologia para a compreensão da estrutura do trabalho na sociedade Capitalista...02 Max Weber e o espírito do apitalismo...02 PRIMEIRO CONCEITO-Ética protestante

Leia mais

O HUMANISMO DE KARL MARX: O TRABALHO NA HISTÓRIA COMO MEIO DE FORMAÇÃO DO HOMEM

O HUMANISMO DE KARL MARX: O TRABALHO NA HISTÓRIA COMO MEIO DE FORMAÇÃO DO HOMEM O HUMANISMO DE KARL MARX: O TRABALHO NA HISTÓRIA COMO MEIO DE FORMAÇÃO DO HOMEM Felipe Gustavo Soares da Silva 1 RESUMO Muitas críticas são tecidas já a algum tempo acerca da concepção do trabalho na sociedade

Leia mais

LIVRO IRATI, SONHO DE CRIANÇA Claudia Maria Petchak Zanlorenzi Kátia Osinski Ferreira Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG RESUMO

LIVRO IRATI, SONHO DE CRIANÇA Claudia Maria Petchak Zanlorenzi Kátia Osinski Ferreira Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG RESUMO LIVRO IRATI, SONHO DE CRIANÇA Claudia Maria Petchak Zanlorenzi Kátia Osinski Ferreira Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG RESUMO Este trabalho aborda a conclusão de uma pesquisa que tinha por

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS RECUPERAÇÃO. 1. Quais foram as principais características da escolástica? Cite alguns de seus pensadores.

LISTA DE EXERCÍCIOS RECUPERAÇÃO. 1. Quais foram as principais características da escolástica? Cite alguns de seus pensadores. LISTA DE EXERCÍCIOS RECUPERAÇÃO 1. Quais foram as principais características da escolástica? Cite alguns de seus pensadores. 2. Como acontecia a aprendizagem nas escolas no período medieval? Quem era apto

Leia mais

CURSO PREPARATÓRIO PARA PROFESSORES. Profa. M. Ana Paula Melim Profa. Milene Bartolomei Silva

CURSO PREPARATÓRIO PARA PROFESSORES. Profa. M. Ana Paula Melim Profa. Milene Bartolomei Silva CURSO PREPARATÓRIO PARA PROFESSORES Profa. M. Ana Paula Melim Profa. Milene Bartolomei Silva 1 Conteúdo: Concepções Pedagógicas Conceitos de Educação; Pedagogia; Abordagens Pedagógicas: psicomotora, construtivista,

Leia mais

1 A sociedade dos indivíduos

1 A sociedade dos indivíduos Unidade 1 A sociedade dos indivíduos Nós, seres humanos, nascemos e vivemos em sociedade porque necessitamos uns dos outros. Thinkstock/Getty Images Akg-images/Latin Stock Akg-images/Latin Stock Album/akg

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: GRAMSCI; SOCIEDADE CIVIL; HEGEMONIA A SOCIEDADE CIVIL EM GRAMSCI

PALAVRAS-CHAVE: GRAMSCI; SOCIEDADE CIVIL; HEGEMONIA A SOCIEDADE CIVIL EM GRAMSCI PALAVRAS-CHAVE: GRAMSCI; SOCIEDADE CIVIL; HEGEMONIA A SOCIEDADE CIVIL EM GRAMSCI Introdução O pensamento político moderno, de Hobbes a Hegel, caracteriza-se pela tendência a considerar o Estado ou sociedade

Leia mais

A Filosofia Da Práxis Enquanto Perspectiva Filosófica Para O Ensino Médio.

A Filosofia Da Práxis Enquanto Perspectiva Filosófica Para O Ensino Médio. A Filosofia Da Práxis Enquanto Perspectiva Filosófica Para O Ensino Médio. Barbara White 1 Resumo O texto tem como proposta apresentar a influência de Marx no pensamento de Antonio Gramsci a partir da

Leia mais

A DIVISÃO DO TRABALHO: UMA ANÁLISE COMPARATIVA DAS TEORIAS DE KARL MARX E EMILE DÜRKHEIM

A DIVISÃO DO TRABALHO: UMA ANÁLISE COMPARATIVA DAS TEORIAS DE KARL MARX E EMILE DÜRKHEIM A DIVISÃO DO TRABALHO: UMA ANÁLISE COMPARATIVA DAS TEORIAS DE KARL MARX E EMILE DÜRKHEIM Profa. Érika de Cássia Oliveira Caetano 1 - ÉMILE DÜRKHEIM: A DIVISÃO SOCIAL DO TRABALHO Assim como Auguste Comte,

Leia mais

RESENHA: PAULA, MARCIO GIMENES DE. INDIVÍDUO E COMUNIDADE NA FILOSOFIA DE KIERKEGAARD. PAULUS/MACKENZIE, SÃO PAULO, 2009.

RESENHA: PAULA, MARCIO GIMENES DE. INDIVÍDUO E COMUNIDADE NA FILOSOFIA DE KIERKEGAARD. PAULUS/MACKENZIE, SÃO PAULO, 2009. caderno ufs - filosofia RESENHA: PAULA, MARCIO GIMENES DE. INDIVÍDUO E COMUNIDADE NA FILOSOFIA DE KIERKEGAARD. PAULUS/MACKENZIE, SÃO PAULO, 2009. Jadson Teles Silva Graduando em Filosofia UFS Indivíduo

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NO MUNDO DA TECNOLOGIA

A IMPORTÂNCIA DA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NO MUNDO DA TECNOLOGIA 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 A IMPORTÂNCIA DA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NO MUNDO DA TECNOLOGIA Zedequias Vieira Cavalcante¹, Mauro Luis Siqueira da Silva² RESUMO: A Revolução Industrial

Leia mais

1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra o regime absolutista. 2º - Abriu espaço para o avanço do CAPITALISMO.

1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra o regime absolutista. 2º - Abriu espaço para o avanço do CAPITALISMO. APRESENTAÇÃO Aula 08 3B REVOLUÇÃO FRANCESA Prof. Alexandre Cardoso REVOLUÇÃO FRANCESA Marco inicial da Idade Contemporânea ( de 1789 até os dias atuais) 1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra

Leia mais

Espaço Geográfico (Tempo e Lugar)

Espaço Geográfico (Tempo e Lugar) Espaço Geográfico (Tempo e Lugar) Somos parte de uma sociedade, que (re)produz, consome e vive em uma determinada porção do planeta, que já passou por muitas transformações, trata-se de seu lugar, relacionando-se

Leia mais

Unidade II FUNDAMENTOS HISTÓRICOS, TEÓRICOS E METODOLÓGICOS DO SERVIÇO SOCIAL. Prof. José Junior

Unidade II FUNDAMENTOS HISTÓRICOS, TEÓRICOS E METODOLÓGICOS DO SERVIÇO SOCIAL. Prof. José Junior Unidade II FUNDAMENTOS HISTÓRICOS, TEÓRICOS E METODOLÓGICOS DO SERVIÇO SOCIAL Prof. José Junior O surgimento do Serviço Social O serviço social surgiu da divisão social e técnica do trabalho, afirmando-se

Leia mais