VISUALIZAÇÃO VOLUMÉTRICA DE EXAMES DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DA MAMA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "VISUALIZAÇÃO VOLUMÉTRICA DE EXAMES DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DA MAMA"

Transcrição

1 PIBIC-UFU, CNPq & FAPEMIG Universidade Federal de Uberlândia Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação DIRETORIA DE PESQUISA VISUALIZAÇÃO VOLUMÉTRICA DE EXAMES DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DA MAMA Gabriel Jara Bigio 1 Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação Laboratório de Computação Científica Av. João Naves de Ávila, 2121, Bloco B, sala 1B61, Uberlândia, MG, Brasil Denise Guliato 2 Resumo: As imagens de ressonância magnética (MRI) têm sido ótimas aliadas para auxiliar no diagnóstico de câncer de mama. No entanto, esta modalidade de exame gera várias imagens bidimensionais da área de interesse, exigindo do radiologista uma análise do exame imagem por imagem para identificar a estrutura 3D do objeto de interesse mentalmente. Para auxiliar o radiologista, será desenvolvido neste Trabalho, um ambiente de visualização 3D com a utilização do algoritmo Marching Cubes, que gera imagem 3D a partir das imagens bidimensionais. Palavras-chave: Câncer de mama, MRI, imagem 3D. 1. INTRODUÇÃO Câncer de mama é o segundo tipo de câncer mais frequente no mundo, com prevalência de aproximadamente um milhão de novos casos por ano. Para a detecção precoce de sinais de câncer de mama, a mamografia por raio-x é ainda o exame mais adotado e tem um papel importante nas decisões terapêuticas a serem adotadas. Esforços exaustivos têm sido feitos nos últimos 15 anos para incluir imagens de ressonância magnética (MRI) e ultra-sonografia como modalidades complementares para melhorar a interpretação de imagens de mama. Em particular, MRI vem sendo considerada como uma boa opção para o diagnóstico de câncer de mama, particularmente recomendada para mulheres jovens (possuem tecido mamário denso) com predisposição genética e/ou histórico familiar. Estudos mostram que MRI apresenta sensibilidade de 100%, maior capacidade de discriminação entre lesões malignas e benignas se comparada com mamografias, e é capaz de detectar tumores que estão ocultos na mamografia por raio-x e tumores não palpáveis no exame clínico. Como desvantagem, MRI apresenta baixa especificidade (número alto de falsos positivos) e alto custo operacional. A combinação de características obtidas por mais de uma modalidade de exame da mama, deve providenciar confiança adicional na discriminação entre lesões benignas e malignas e auxiliar na expansão do uso de técnicas de MRI no diagnóstico de câncer de mama. O objetivo geral deste projeto é criar uma base de dados multimodalidades que inclua mamografia por raio-x e MRI, e desenvolver métodos computacionais que caracterizem lesões em MRI e combiná-los aos métodos já desenvolvidos para mamografias por raio-x. Para que se possa avaliar os resultados dos métodos a serem desenvolvidos para caracterizar lesões em MRI, é necessário que se tenha uma base de dados de teste, com diagnóstico comprovado 1 2 Acadêmico do Curso de Ciência da Computação Orientadora Professora Associado I Curso de Bacharelado em Ciência da Computação

2 por biopsia e o contorno da lesão desenhado pelo radiologista. Como cada exame é composto de vários cortes, a lesão deve ser identificada em cada um deles. O objetivo específico deste trabalho é o desenvolvimento de um ambiente de visualização 3D para as imagens de ressonância magnética da mama associadas à lesão previamente identificada. Este artigo está estruturado da seguinte forma: A Seção 2 apresenta o algoritmo Marching Cubes, a Seção 3 apresenta as aplicações da visualização volumétrica de exames de ressonância magnética, a Seção 4 apresenta os matérias e métodos, a Seção 5 apresenta os resultados e finalmente a Seção 6 apresenta a conclusão do trabalho. 2. O ALGORITMO MARCHING CUBES O algoritmo Marching Cubes cria uma representação poligonal de superfícies de densidade constante a partir de um array de dados 3D. É utilizada a abordagem dividir-para-conquistar para localizar a superfície de um cubo criado a partir de oito pixels, quatro de cada dois cortes adjacentes. Seu intuito é gerar malhas triangulares de superfície com densidade constante a partir de dados volumétricos. O algoritmo determina como a superfície intercepta o cubo, então se move para o próximo cubo. Para encontrar a intersecção da superfície no cubo, é atribuído 1 para o vértice do cubo que está dentro da superfície e é atribuído 0 para o vértice que está fora da superfície. O cubo é interceptado pela superfície quando há um vértice dentro e outro vértice fora da superfície. Assim será determinada a topologia da superfície dentro do cubo e depois será encontrada a localização das intersecções. Como há oito vértices em cada cubo e dois estados, dentro ou fora, existem 256 maneiras da superfície intersectar o cubo. É possível fazer as 256 triangulações, mas é muito trabalhoso. Com isso, usando duas simetrias diferentes do cubo, complementar e rotação, é possível diminuir esse número para 14 triangulações padrões. A Figura 1 mostra as configurações triangular padrões: o padrão 0 ocorre quando não há nenhuma intersecção entre a superfície e o cubo; o padrão 1 ocorre se a superfície separa um vértice dos outros 7, resultando em um triângulo. Os outros possíveis padrões produzem múltiplos triângulos. É criado um índice para cada vértice, baseado no estado do vértice. Como é mostrado na Figura 2, o índice é composto por 8 bits, sendo cada bit um vértice do cubo. Este índice serve para se determinar a configuração triangular correspondente. Assim, sabendo quais arestas a superfície intercepta, é feito uma interpolação da superfície ao longo de cada aresta. O passo final do algoritmo é calcular a normal para cada vértice do triângulo e fazer a interpolação de cada vértice. O algoritmo tem como saída os vértices dos triângulos (Lorensen, William E.; Cline, Harvey E., 1987). 3. APLICAÇÃO DA VISUALIZAÇÃO VOLUMETRICA Técnicas como tomografia computadorizada, ressonância magnética e ultrassonografias estão revolucionando a área da medicina diagnóstica, pois essas técnicas possibilitam uma visão interna dos órgãos, permitindo um diagnóstico mais preciso de diversas patologias. No entanto, a ressonância magnética, assim como outros processos para a aquisição de imagens medicas, só gera imagens bidimensionais da área de interesse, o que impõe ao radiologista a tarefa de reconstrução mental em 3D daquela área, e isso pode causar aos radiologistas dúvida quanto a distância ou volume das estruturas. Assim, com o desenvolvimento do ambiente de visualização 3D para as imagens de ressonância magnética, o radiologista é capaz de ter um entendimento detalhado da área de interesse, como por exemplo, uma lesão da mama, facilitando no diagnóstico e no planejamento cirúrgico.

3 Figura 1: Padrões básicos do Marching Cubes Figura 2: Índice do cubo

4 4. MATERIAIS E MÉTODOS Neste trabalho, foi implementado um ambiente para a visualização volumétrica de exames de ressonância magnética na linguagem C++, utilizando o algoritmo Marching Cubes. Para a realização dos testes, foi criada uma base de testes com a ajuda do programa Vivaty Studio em que os objetos 3D foram modelados e cortados em vários objetos bidimensionais para simular um exame de ressonância magnética. A Figura 3 mostra um objeto modelado pronto para ser fatiado em vários cortes e a Figura 4 mostra o corte obtido aplicando o plano de corte destacado de vermelho na Figura 3. Uma vez obtidos os vários cortes para cada objeto 3D, uma base de dados sintética foi construída. Esta base de dados será utilizada para a avaliação de métodos de extração de características de objetos 3D em fase de desenvolvimento. Para ilustrar a qualidade da reconstrução dos objetos 3D previamente fatiados, foram escolhidos dois objetos mostrados na Figura 5. Os objetos foram fatiados e posteriormente reconstruídos usando o algoritmo Marching Cubes diretamente. Os resultados são mostrados na Figura 6. Note que o uso direto do algoritmo Marching Cubes resulta numa reconstrução grosseira do objeto original. Para obter melhores resultados, foi usada no processo de reconstrução a biblioteca VTK (The Visualization Toolkit) que consiste em um conjunto de classes escritas em C++ com aplicações voltadas para visualização e processamento de imagens. A biblioteca VTK também utiliza o algoritmo Marching Cubes para a reconstrução 3D das imagens bidimensionais. No entanto, o VTK possui um enorme conjunto de classes que implementam diversas funcionalidades, como a suavização dos contornos que foi utilizada para melhorar a qualidade do resultado, como mostra a Figura 7 (SCHROEDER, WILLIAM J.; MARTIN, KENNETH M.; LORENSEN, BILL, 2001). Figura 3: Objeto modelado pronto para ser dividido em vários cortes

5 Figura 4: Corte obtido por um dos planos de corte Figura 5: Objetos escolhidos para teste

6 Figura 6: Objetos após a reconstrução usando o algoritmo Marching Cubes diretamente. Figura 7: Objetos após a reconstrução utilizando a biblioteca VTK.

7 5. RESULTADOS Usando o programa Vivaty Studio, foram criados 50 objetos 3D com superfícies de diferentes complexidades, como superfícies lisas, redondas e especuladas. Cada objeto 3D modelado foi fatiado e armazenado em uma base de dados. A partir do ambiente de visualização desenvolvido neste trabalho é possível reconstruir os objetos armazenados na base de dados sintética de tal forma a preservar as características dos objetos originais. 6. CONCLUSÃO A base de dados sintética composta dos cortes de 50 objetos 3D simula uma base de dados de exames obtidos por ressonância magnética e servirá como base de teste para os métodos de extração de características de objetos 3D. O ambiente desenvolvido para produção dos objetos 3D, o seu fatiamento em diferentes planos de corte e a sua reconstrução se mostrou adequado nos testes realizados. Uma base de dados real com exames de ressonância magnética está em fase de construção. O ambiente aqui desenvolvido será útil para modelar as patologias para o espaço 3D, facilitando a extração de características e sua posterior classificação. 7. AGRADECIMENTOS - CNPQ Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - PROPP Pró-reitoria de Pesquisa e Pós graduação - UFU 8. REFERÊNCIAS Lorensen, William E.; Cline, Harvey E. MARCHING CUBES: A HIGH RESOLUTION 3D SURFACE CONTRUCTION ALGORITHM. Computer graphics, Volume 21, Number 4, July SCHROEDER, WILLIAM J.; MARTIN, KENNETH M.; LORENSEN, BILL. The Visualization Toolkit An Object-Oriented Approach to 3D Graphics, Prentice Hall PTR, VOLUME RENDERING OF TESTS BREAST MAGNETIC RESONANCE Gabriel Jara Bigio Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação Laboratório de Computação Científica Av. João Naves de Ávila, 2121, Bloco B, sala 1B61, Uberlândia, MG, Brasil Denise Guliato Abstract: The magnetic resonance imaging (MRI) is particularly helpful to diagnosis of dense breast cancer. However, this type of exam generates several two-dimensional images of the region of interest, requiring a hard analysis of the exam, to identify the 3D structure of the object of interest. To assist the radiologist, we developed a 3D visualization environment using the Marching Cubes algorithm, which generates 3D image from two-dimensional images. Key-words: Breast cancer, MRI, 3D images.

Reconstrução de Imagens em Radiologia Médica. M.Sc. Walmor Cardoso Godoi http://www.walmorgodoi.com

Reconstrução de Imagens em Radiologia Médica. M.Sc. Walmor Cardoso Godoi http://www.walmorgodoi.com Reconstrução de Imagens em Radiologia Médica M.Sc. Walmor Cardoso Godoi http://www.walmorgodoi.com Agenda 1. Reconstrução Tomográfica em TC e MN 1. Retroprojeção e Filtros 2. Visualização Científica na

Leia mais

29/08/2011. Radiologia Digital. Princípios Físicos da Imagem Digital 1. Mapeamento não-linear. Unidade de Aprendizagem Radiológica

29/08/2011. Radiologia Digital. Princípios Físicos da Imagem Digital 1. Mapeamento não-linear. Unidade de Aprendizagem Radiológica Mapeamento não-linear Radiologia Digital Unidade de Aprendizagem Radiológica Princípios Físicos da Imagem Digital 1 Professor Paulo Christakis 1 2 Sistema CAD Diagnóstico auxiliado por computador ( computer-aided

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Massas Nodulares, Classificação de Padrões, Redes Multi- Layer Perceptron.

PALAVRAS-CHAVE: Massas Nodulares, Classificação de Padrões, Redes Multi- Layer Perceptron. 1024 UMA ABORDAGEM BASEADA EM REDES PERCEPTRON MULTICAMADAS PARA A CLASSIFICAÇÃO DE MASSAS NODULARES EM IMAGENS MAMOGRÁFICAS Luan de Oliveira Moreira¹; Matheus Giovanni Pires² 1. Bolsista PROBIC, Graduando

Leia mais

Radiology: Volume 274: Number 2 February 2015. Amélia Estevão 10.05.2015

Radiology: Volume 274: Number 2 February 2015. Amélia Estevão 10.05.2015 Radiology: Volume 274: Number 2 February 2015 Amélia Estevão 10.05.2015 Objetivo: Investigar a vantagem da utilização da RM nos diferentes tipos de lesões diagnosticadas na mamografia e ecografia classificadas

Leia mais

O que é câncer de mama?

O que é câncer de mama? Câncer de Mama O que é câncer de mama? O câncer de mama é a doença em que as células normais da mama começam a se modificar, multiplicando-se sem controle e deixando de morrer, formando uma massa de células

Leia mais

InVesalius: Software Livre de Imagens Médicas

InVesalius: Software Livre de Imagens Médicas InVesalius: Software Livre de Imagens Médicas Paulo H. J. Amorim 1, Thiago F. de Moraes 1, Fábio de S. Azevedo 1, Jorge V. L. da Silva 1 1 Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer - CTI Rodovia

Leia mais

CÂNCER DE MAMA. O controle das mamas de seis em seis meses, com exames clínicos, é também muito importante.

CÂNCER DE MAMA. O controle das mamas de seis em seis meses, com exames clínicos, é também muito importante. CÂNCER DE MAMA Dr. José Bél Mastologista/Ginecologista - CRM 1558 Associação Médico Espírita de Santa Catarina AME/SC QUANDO PEDIR EXAMES DE PREVENÇÃO Anualmente, a mulher, após ter atingindo os 35 ou

Leia mais

Recuperação de imagens médicas em bases de dados distribuídas

Recuperação de imagens médicas em bases de dados distribuídas Recuperação de imagens médicas em bases de dados distribuídas Vágner Nepumuceno Guimarães Orient.: Paulo Eduardo Ambrósio Introdução O avanço tecnológico vem influenciando cada vez mais na área médica.

Leia mais

CALIBRAÇÃO DE APARELHOS DE RAIO X EM IMAGENS DE TOMOGRAFIA DE CRÂNIO E TÓRAX

CALIBRAÇÃO DE APARELHOS DE RAIO X EM IMAGENS DE TOMOGRAFIA DE CRÂNIO E TÓRAX CMNE/CILAMCE 2007 Porto, 13 a 15 de Junho, 2007 APMTAC, Portugal 2007 CALIBRAÇÃO DE APARELHOS DE RAIO X EM IMAGENS DE TOMOGRAFIA DE CRÂNIO E TÓRAX Dário A.B. Oliveira 1 *, Marcelo P. Albuquerque 1, M.M.G

Leia mais

PACS. III Encontro Sul Brasileiro de Engenharia Clínica. Santa Casa de Porto Alegre, RS. 24 de Novembro de 2012

PACS. III Encontro Sul Brasileiro de Engenharia Clínica. Santa Casa de Porto Alegre, RS. 24 de Novembro de 2012 PACS III Encontro Sul Brasileiro de Engenharia Clínica Santa Casa de Porto Alegre, RS 24 de Novembro de 2012 III Encontro Sul Brasileiro de Engenharia Clínica PACS - Agenda Histórico Workflow Modalidades

Leia mais

SOFTWARE PARA IDENTIFICAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE CÉLULAS DO ENDOTÉLIO CORNEANO DESENVOLVIDO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS

SOFTWARE PARA IDENTIFICAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE CÉLULAS DO ENDOTÉLIO CORNEANO DESENVOLVIDO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS 221 SOFTWARE PARA IDENTIFICAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE CÉLULAS DO ENDOTÉLIO CORNEANO DESENVOLVIDO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS Jean-Jacques S. De Groote - Prof. Dr. do Centro Universitário Uniseb de Ribeirão Preto.

Leia mais

ESTUDO SOBRE SOFTWARE DE VISUALIZAÇÃO DE IMAGENS MÉDICAS DIGITAIS: INVESALIUS

ESTUDO SOBRE SOFTWARE DE VISUALIZAÇÃO DE IMAGENS MÉDICAS DIGITAIS: INVESALIUS ESTUDO SOBRE SOFTWARE DE VISUALIZAÇÃO DE IMAGENS MÉDICAS DIGITAIS: INVESALIUS ADRIANY DA S. CARVALHO * EDUILSON LÍVIO NEVES DA C. CARNEIRO ** Resumo. O presente trabalho se propõe, através de uma revisão

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM MÉTODO PARA REFINAMENTO DE RESPOSTAS BASEADO EM RELEVANCE FEEDBACK PARA REFINAR CONSULTAS POR SIMILARIDADE

DESENVOLVIMENTO DE UM MÉTODO PARA REFINAMENTO DE RESPOSTAS BASEADO EM RELEVANCE FEEDBACK PARA REFINAR CONSULTAS POR SIMILARIDADE CONVÊNIOS CNPq/UFU & FAPEMIG/UFU Universidade Federal de Uberlândia Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação DIRETORIA DE PESQUISA COMISSÃO INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2008 UFU 30 anos DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Extensão do SGBD PostgreSQL para suportar recuperação de imagens por conteúdo

Extensão do SGBD PostgreSQL para suportar recuperação de imagens por conteúdo Extensão do SGBD PostgreSQL para suportar recuperação de imagens por conteúdo Ernani Viriato de Melo V Jornada Científica 24/10/2006 Tópicos Abordados Motivação Imagens e Características PostgreSQL-IE:

Leia mais

Exames que geram dúvidas - o que fazer? SELMA DE PACE BAUAB

Exames que geram dúvidas - o que fazer? SELMA DE PACE BAUAB Exames que geram dúvidas - o que fazer? SELMA DE PACE BAUAB Exames que geram dúvidas - o que fazer? Como ter certeza que é BI-RADS 3? Quando não confiar na biópsia percutânea? O que fazer com resultados

Leia mais

Diagnóstico do câncer

Diagnóstico do câncer UNESC FACULDADES ENFERMAGEM - ONCOLOGIA FLÁVIA NUNES Diagnóstico do câncer Evidenciado: Investigação diagnóstica por suspeita de câncer e as intervenções de enfermagem no cuidado ao cliente _ investigação

Leia mais

REALCE DE MICROCALCIFICAÇÕES EM IMAGENS DE MAMOGRAFIA UTILIZANDO FILTROS PASSA-ALTA

REALCE DE MICROCALCIFICAÇÕES EM IMAGENS DE MAMOGRAFIA UTILIZANDO FILTROS PASSA-ALTA REALCE DE MICROCALCIFICAÇÕES EM IMAGENS DE MAMOGRAFIA UTILIZANDO FILTROS PASSA-ALTA Caio Cesar Amorim Borges e Danilo Rodrigues de Carvalho Universidade Federal de Goiás, Escola de Engenharia Elétrica

Leia mais

Apesar de ser um tumor maligno, é uma doença curável se descoberta a tempo, o que nem sempre é possível, pois o medo do diagnóstico é muito grande,

Apesar de ser um tumor maligno, é uma doença curável se descoberta a tempo, o que nem sempre é possível, pois o medo do diagnóstico é muito grande, Cancêr de Mama: É a causa mais frequente de morte por câncer na mulher, embora existam meios de detecção precoce que apresentam boa eficiência (exame clínico e auto-exame, mamografia e ultrassonografia).

Leia mais

2 Trabalhos Relacionados

2 Trabalhos Relacionados 2 Trabalhos Relacionados O desenvolvimento de técnicas de aquisição de imagens médicas, em particular a tomografia computadorizada (TC), que fornecem informações mais detalhadas do corpo humano, tem aumentado

Leia mais

Reconstrução e geração de malhas em estruturas biomecânicas tridimensionais para análise por elementos finitos. reconstruction, Mesh generation.

Reconstrução e geração de malhas em estruturas biomecânicas tridimensionais para análise por elementos finitos. reconstruction, Mesh generation. Revista Brasileira de Engenharia Biomédica, v. 25, n. 1, p. 15-20, abril 2009 SBEB - Sociedade Brasileira de Engenharia Biomédica ISSN 1517-3151 http://dx.doi.org/10.4322/rbeb.2012.062 Artigo Original

Leia mais

Visualização Científica. Pedro de Botelho Marcos Março/2008. Núcleo de Computação Científica Tópicos Avançados em Computação II

Visualização Científica. Pedro de Botelho Marcos Março/2008. Núcleo de Computação Científica Tópicos Avançados em Computação II Pedro de Botelho Marcos Março/2008 1 Sumário Introdução Ciclo de Visualização Dados 3D Dados Vetoriais Referências 2 Introdução O que? Representação visual de dados. Para? Facilitar a análise de grandes

Leia mais

TOMOSSÍNTESE MAMÁRIA CASOS CLÍNICOS

TOMOSSÍNTESE MAMÁRIA CASOS CLÍNICOS TOMOSSÍNTESE MAMÁRIA CASOS CLÍNICOS SELMA DI PACE BAUAB Radiologista da Mama Imagem São José do Rio Preto - SP CASO 1 55 anos. Assintomática TOMOSSÍNTESE LESÃO EPITELIAL ESCLEROSANTE (Cicatriz Radial)

Leia mais

PROPOSTA DE UMA FERRAMENTA PARA SIMULAÇÃO DE EXAME DE PUNÇÃO DE MAMA CANINA UTILIZANDO TÉCNICAS DE REALIDADE VIRTUAL

PROPOSTA DE UMA FERRAMENTA PARA SIMULAÇÃO DE EXAME DE PUNÇÃO DE MAMA CANINA UTILIZANDO TÉCNICAS DE REALIDADE VIRTUAL PROPOSTA DE UMA FERRAMENTA PARA SIMULAÇÃO DE EXAME DE PUNÇÃO DE MAMA CANINA UTILIZANDO TÉCNICAS DE REALIDADE VIRTUAL HERMOSILLA, Lígia Docente da Faculdade de Ciencias Jurídicas e Gerenciais FAEG Rua das

Leia mais

CANCER DE MAMA FERNANDO CAMILO MAGIONI ENFERMEIRO DO TRABALHO

CANCER DE MAMA FERNANDO CAMILO MAGIONI ENFERMEIRO DO TRABALHO CANCER DE MAMA FERNANDO CAMILO MAGIONI ENFERMEIRO DO TRABALHO OS TIPOS DE CANCER DE MAMA O câncer de mama ocorre quando as células deste órgão passam a se dividir e se reproduzir muito rápido e de forma

Leia mais

Mamografia Overview. tdtonline.org. Cristina Almeida, Eugénia Arede, Sónia Costa e Susana Vieira, 2008

Mamografia Overview. tdtonline.org. Cristina Almeida, Eugénia Arede, Sónia Costa e Susana Vieira, 2008 Mamografia Overview Cristina Almeida, Eugénia Arede, Sónia Costa e Susana Vieira, 2008 Introdução O que é a mamografia? A mamografia é um exame que tem como objectivo o estudo do tecido mamário, realizado

Leia mais

UBER: Uma ferramenta para realce de microcalcificações mamárias

UBER: Uma ferramenta para realce de microcalcificações mamárias Departamento de Sistemas e Computação FURB Curso de Ciência da Computação Trabalho de Conclusão de Curso 2013/2 UBER: Uma ferramenta para realce de microcalcificações mamárias Acadêmico: Jackson Krause

Leia mais

NOVO CONSENSO BRASILEIRO DE RASTREAMENTO DO CÂNCER DE MAMA POR MÉTODOS DE IMAGEM DR. HEVERTON AMORIM

NOVO CONSENSO BRASILEIRO DE RASTREAMENTO DO CÂNCER DE MAMA POR MÉTODOS DE IMAGEM DR. HEVERTON AMORIM NOVO CONSENSO BRASILEIRO DE RASTREAMENTO DO CÂNCER DE MAMA POR MÉTODOS DE IMAGEM DR. HEVERTON AMORIM Qual é a situação do câncer de mama? Pode ser prevenido? Como prevenir? Qual o papel da mamografia?

Leia mais

PLANEJAMENTO URBANO E DE TRANSPORTES BASEADO EM CENÁRIO DE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL O CASO DE UBERLÂNDIA, MG, BRASIL

PLANEJAMENTO URBANO E DE TRANSPORTES BASEADO EM CENÁRIO DE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL O CASO DE UBERLÂNDIA, MG, BRASIL PLANEJAMENTO URBANO E DE TRANSPORTES BASEADO EM CENÁRIO DE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL O CASO DE UBERLÂNDIA, MG, BRASIL Thiago Silva Pereira José Aparecido Sorratini PLANEJAMENTO URBANO E DE TRANSPORTES BASEADO

Leia mais

SELEÇÃO EXTERNA DE PROFESSORES. Curso de Medicina EDITAL DE SELEÇÃO

SELEÇÃO EXTERNA DE PROFESSORES. Curso de Medicina EDITAL DE SELEÇÃO SELEÇÃO EXTERNA DE PROFESSORES Curso de Medicina EDITAL DE SELEÇÃO A coordenadora do curso de Medicina, Profa. Alessandra Duarte Clarizia, nos termos das regras fixadas pela Pró-Reitoria de Graduação do

Leia mais

BOLETIM ELETRÔNICO DO GRUPO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO E INFORMAÇÕES DE SAÚDE

BOLETIM ELETRÔNICO DO GRUPO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO E INFORMAÇÕES DE SAÚDE GAI informa junho/2009 ano 1 nº2 BOLETIM ELETRÔNICO DO GRUPO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO E INFORMAÇÕES DE SAÚDE Editorial Neste segundo número do Boletim Gais Informa apresenta-se um resumo das principais discussões

Leia mais

TÍTULO: UTILIZAÇÃO DA MAMOGRAFIA PARA O DIAGNÓSTICO DO CÂNCER DE MAMA MASCULINO

TÍTULO: UTILIZAÇÃO DA MAMOGRAFIA PARA O DIAGNÓSTICO DO CÂNCER DE MAMA MASCULINO TÍTULO: UTILIZAÇÃO DA MAMOGRAFIA PARA O DIAGNÓSTICO DO CÂNCER DE MAMA MASCULINO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: MEDICINA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO ANHANGUERA DE

Leia mais

DETECÇÃO DE AGRUPAMENTOS DE MICROCALCIFICAÇÕES EM IMAGENS MAMOGRÁFICAS DIGITAIS

DETECÇÃO DE AGRUPAMENTOS DE MICROCALCIFICAÇÕES EM IMAGENS MAMOGRÁFICAS DIGITAIS PIBIC-UFU, CNPq & FAPEMIG Universidade Federal de Uberlândia Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação DIRETORIA DE PESQUISA DETECÇÃO DE AGRUPAMENTOS DE MICROCALCIFICAÇÕES EM IMAGENS MAMOGRÁFICAS DIGITAIS

Leia mais

SISTEMA DE ANÁLISE DE NÓDULO PULMONAR

SISTEMA DE ANÁLISE DE NÓDULO PULMONAR SISTEMA DE ANÁLISE DE NÓDULO PULMONAR Aristófanes C. Silva 1 Paulo Cezar P. Carvalho 2 ari@visgraf.impa.br 1 Pontíficia Universidade Católica do Rio de Janeiro- PUC-RJ Departamento de Informática Rua Marquês

Leia mais

Agenda. Nódulo da Tireóide. Medicina Nuclear. Medicina Nuclear em Cardiologia 17/10/2011

Agenda. Nódulo da Tireóide. Medicina Nuclear. Medicina Nuclear em Cardiologia 17/10/2011 Agenda Medicina Nuclear Endocrinologia Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com O objetivo desta aula é abordar a Medicina nuclear em endocrinologia (notadamente aplicações Câncer de Tireóide).

Leia mais

Manuseio do Nódulo Pulmonar Solitário

Manuseio do Nódulo Pulmonar Solitário VIII Congresso de Pneumologia e Tisiologia do Estado do Rio de Janeiro Manuseio do Nódulo Pulmonar Solitário Universidade do Estado do Rio de Janeiro Faculdade de Ciências Médicas Hospital Universitário

Leia mais

Câncer de Mama COMO SÃO AS MAMAS:

Câncer de Mama COMO SÃO AS MAMAS: Câncer de Mama COMO SÃO AS MAMAS: As mamas (ou seios) são glândulas e sua função principal é a produção de leite. Elas são compostas de lobos que se dividem em porções menores, os lóbulos, e ductos, que

Leia mais

1 Introdução maligno metástase

1 Introdução maligno metástase 1 Introdução Câncer é o nome dado a um conjunto de doenças que têm em comum o crescimento desordenado (maligno) de células que invadem os tecidos e órgãos, podendo espalhar-se (metástase) para outras regiões

Leia mais

Computação Gráfica. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Computação Gráfica. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Computação Gráfica Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Modelagem Em Computação Gráfica, modelagem consiste em todo o processo de descrever um modelo, objeto ou cena, de forma

Leia mais

VANTAGENS E LIMITAÇÕES DIAGNÓSTICO MAMOGRÁFICO MAMOGRAFIA ANALÓGICA MAMOGRAFIA COMPUTADORIZADA (CR) MAMOGRAFIA DIGITAL(DR)

VANTAGENS E LIMITAÇÕES DIAGNÓSTICO MAMOGRÁFICO MAMOGRAFIA ANALÓGICA MAMOGRAFIA COMPUTADORIZADA (CR) MAMOGRAFIA DIGITAL(DR) XXX CONGRESSO PARAIBANO DE GINECOLOGIA VANTAGENS E LIMITAÇÕES DIAGNÓSTICO MAMOGRÁFICO MAMOGRAFIA ANALÓGICA MAMOGRAFIA COMPUTADORIZADA (CR) MAMOGRAFIA DIGITAL(DR) Norma Maranhão norma@truenet.com.br EVOLUÇÃO

Leia mais

INCIDÊNCIAS COMPLEMENTARES EM MAMOGRAGIA PROFESSORA KAROLINE RIZZON

INCIDÊNCIAS COMPLEMENTARES EM MAMOGRAGIA PROFESSORA KAROLINE RIZZON INCIDÊNCIAS COMPLEMENTARES EM MAMOGRAGIA PROFESSORA KAROLINE RIZZON INCIDÊNCIAS COMPLEMENTARES As incidência complementares são realizadas para esclarecer situações suspeitas detectadas nas incidências

Leia mais

Diretrizes ANS para realização do PET Scan / PET CT. Segundo diretrizes ANS

Diretrizes ANS para realização do PET Scan / PET CT. Segundo diretrizes ANS Diretrizes ANS para realização do PET Scan / PET CT Segundo diretrizes ANS Referencia Bibliográfica: Site ANS: http://www.ans.gov.br/images/stories/a_ans/transparencia_institucional/consulta_despachos_poder_judiciari

Leia mais

Há momentos na vida em que os segundos parecem horas, principalmente quando o assunto é saúde. Por isso seriedade, qualidade e agilidade são

Há momentos na vida em que os segundos parecem horas, principalmente quando o assunto é saúde. Por isso seriedade, qualidade e agilidade são Há momentos na vida em que os segundos parecem horas, principalmente quando o assunto é saúde. Por isso seriedade, qualidade e agilidade são fundamentais no processo de um laboratório, levando até cada

Leia mais

2 Imagens Médicas e Anatomia do Fígado

2 Imagens Médicas e Anatomia do Fígado 2 Imagens Médicas e Anatomia do Fígado Neste capítulo são apresentados os tipos de dados utilizados neste trabalho e a anatomia do fígado, de onde foram retiradas todas as heurísticas adotadas para segmentação

Leia mais

BREAST IMAGING REPORTING AND DATA SYSTEM NOVO BI-RADS EM MAMOGRAFIA

BREAST IMAGING REPORTING AND DATA SYSTEM NOVO BI-RADS EM MAMOGRAFIA BREAST IMAGING REPORTING AND DATA SYSTEM NOVO BI-RADS EM MAMOGRAFIA Breast Imaging Reporting and Data System Dr Marconi Luna Doutor em Medicina UFRJ Ex-Presidente da SBM Breast Imaging Reporting and Data

Leia mais

Tema: Uso do pet scan em pacientes portadores de câncer

Tema: Uso do pet scan em pacientes portadores de câncer Data: 27/11/2012 Nota Técnica 23/2012 Medicamento Material Procedimento X Cobertura Solicitante: Bruna Luísa Costa de Mendonça Assessora do Juiz da 2ª Vara Cível Numeração Única: 052512020931-3 Tema: Uso

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE. Gerência de Regulação PROTOCOLO DE ACESSO A EXAMES/PROCEDIMENTOS AMBULATORIAIS ULTRASSONOGRAFIA MAMÁRIA

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE. Gerência de Regulação PROTOCOLO DE ACESSO A EXAMES/PROCEDIMENTOS AMBULATORIAIS ULTRASSONOGRAFIA MAMÁRIA Gerência de Regulação PROTOCOLO DE ACESSO A EXAMES/PROCEDIMENTOS AMBULATORIAIS ULTRASSONOGRAFIA MAMÁRIA 2013 Observações a serem consideradas no preenchimento de todas as solicitações de Exames disponibilizados

Leia mais

COMISSÃO DE LEGISLAÇÃO E PARECERES PARECER n.º 012/2014

COMISSÃO DE LEGISLAÇÃO E PARECERES PARECER n.º 012/2014 COMISSÃO DE LEGISLAÇÃO E PARECERES PARECER n.º 012/2014 Assunto: Legalidade de administração de contraste em clínica radiológica e de diagnóstico por imagem. Aprovado na 539ª Reunião Ordinária de Plenário

Leia mais

RM MAMÁRIA: quando indicar?

RM MAMÁRIA: quando indicar? RM MAMÁRIA: quando indicar? Lucio De Carli Serviço de Diagnóstico por Imagem da Mama Hospital Mãe de Deus SSMD Porto Alegre/RS e-mail: luciodc@terra.com.br RM MAMÁRIA - indicações - Incoerência EF x MG

Leia mais

AULA: 20.1 Conteúdo: Gênero discursivo relatório, resumo e fichamento INTERATIVIDADE FINAL LÍNGUA PORTUGUESA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA

AULA: 20.1 Conteúdo: Gênero discursivo relatório, resumo e fichamento INTERATIVIDADE FINAL LÍNGUA PORTUGUESA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA : 20.1 Conteúdo: Gênero discursivo relatório, resumo e fichamento 2 Habilidades: Conhecer as características que compõem o relatório, o resumo e o fichamento 3 REVISÃO Gênero Textual É a estrutura com

Leia mais

PROPOSTA DE INTERFACE PARA VISUALIZAÇÃO DE CAMPOS DE DIREÇÕES ANISOTRÓPICAS OBTIDAS A PARTIR DE DADOS DE TOMOGRAFIA DE ESTRUTURAS ORGÂNICAS

PROPOSTA DE INTERFACE PARA VISUALIZAÇÃO DE CAMPOS DE DIREÇÕES ANISOTRÓPICAS OBTIDAS A PARTIR DE DADOS DE TOMOGRAFIA DE ESTRUTURAS ORGÂNICAS PROPOSTA DE INTERFACE PARA VISUALIZAÇÃO DE CAMPOS DE DIREÇÕES ANISOTRÓPICAS OBTIDAS A PARTIR DE DADOS DE TOMOGRAFIA DE ESTRUTURAS ORGÂNICAS Tiago M. Buriol a, Marco A. Argenta b, Mildred B. Hecke c, Sergio

Leia mais

MOLLIOREM: RECONSTRUÇÃO DO TÓRAX FEMININO

MOLLIOREM: RECONSTRUÇÃO DO TÓRAX FEMININO Departamento de Sistemas e Computação FURB Curso de Ciência da Computação Trabalho de Conclusão de Curso 2014/1 MOLLIOREM: RECONSTRUÇÃO DO TÓRAX FEMININO Acadêmico: Marina Uliano Marina.miyu@gmail.com

Leia mais

OUTUBRO ROSA UMA CAMPANHA DE CONSCIENTIZAÇÃO DA SOFIS TECNOLOGIA

OUTUBRO ROSA UMA CAMPANHA DE CONSCIENTIZAÇÃO DA SOFIS TECNOLOGIA C A R T I L H A OUTUBRO ROSA UMA CAMPANHA DE CONSCIENTIZAÇÃO DA SOFIS TECNOLOGIA OOUTUBRO ROSA é um movimento mundial pela prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama. Com suas ações especialmente

Leia mais

III Seminário da Pós-Graduação em Engenharia Mecânica Unesp - Bauru

III Seminário da Pós-Graduação em Engenharia Mecânica Unesp - Bauru RECONSTRUÇÃO E GERAÇÃO DE MALHAS BIDIMENSIONAIS NÃO ESTRUTURADAS UTILIZANDO A TRIANGULAÇÃO DE DELAUNAY Leide Daiane Caires Aluna do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica Unesp Bauru Prof. Dr.

Leia mais

Segmentação de Imagens Médicas Baseada no Uso das Bibliotecas ITK e VTK

Segmentação de Imagens Médicas Baseada no Uso das Bibliotecas ITK e VTK Segmentação de Imagens Médicas Baseada no Uso das Bibliotecas ITK e VTK Diego R. Medaglia (FAPERGS), Isabel Harb Manssour (Orientadora) Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Faculdade

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO ESTADO DO RS PORTARIA 13/2014

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO ESTADO DO RS PORTARIA 13/2014 PORTARIA 13/2014 Dispõe sobre os parâmetros do exame PET-CT Dedicado Oncológico. O DIRETOR-PRESIDENTE DO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL-IPERGS, no uso de suas atribuições conferidas

Leia mais

UNIVERSIDADE ATLÂNTICA

UNIVERSIDADE ATLÂNTICA UNIVERSIDADE ATLÂNTICA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DE Investigação Radiológica em Ciências Forenses 2015-2016 1 -COORDENAÇÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO Nome E-mail Telemóvel do (s) coordenador (es) 2 COMISSÃO CIENTÍFICO-PEDAGÓGICA

Leia mais

RELATÓRIO PARA A. SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS

RELATÓRIO PARA A. SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE Este relatório é uma versão resumida do relatório técnico

Leia mais

Desde a descoberta dos raios X em 1895, utiliza-se imagens como forma de aquisição de informações sobre o estado de saúde de pacientes. Em 1917, J.

Desde a descoberta dos raios X em 1895, utiliza-se imagens como forma de aquisição de informações sobre o estado de saúde de pacientes. Em 1917, J. 1 Introdução Desde a descoberta dos raios X em 1895, utiliza-se imagens como forma de aquisição de informações sobre o estado de saúde de pacientes. Em 1917, J. Radón elaborou teorias matemáticas que permitiriam

Leia mais

FUNDAÇÃO PIO XII - HOSPITAL DE CÂNCER DE BARRETOS APRIMORAMENTO EM RADIOLOGIA MAMÁRIA ( Fellowship ) EDITAL DE SELEÇÃO PARA O ANO DE 2014

FUNDAÇÃO PIO XII - HOSPITAL DE CÂNCER DE BARRETOS APRIMORAMENTO EM RADIOLOGIA MAMÁRIA ( Fellowship ) EDITAL DE SELEÇÃO PARA O ANO DE 2014 FUNDAÇÃO PIO XII - HOSPITAL DE CÂNCER DE BARRETOS APRIMORAMENTO EM RADIOLOGIA MAMÁRIA ( Fellowship ) EDITAL DE SELEÇÃO PARA O ANO DE 2014 EDITAL N.º 11/2013-IEP/HCB A Fundação Pio XII, Hospital do Câncer

Leia mais

MICROSCÓPIO ESPECULAR VOROCELL. Duvidas freqüentes a respeito do microscópio Vorocell, mitos e verdades.

MICROSCÓPIO ESPECULAR VOROCELL. Duvidas freqüentes a respeito do microscópio Vorocell, mitos e verdades. MICROSCÓPIO ESPECULAR VOROCELL Duvidas freqüentes a respeito do microscópio Vorocell, mitos e verdades. Porque o Microscópio Especular da Eyetec chama-se Vorocell? Vorocell é uma homenagem ao pesquisador

Leia mais

VISMED. Diagnóstico de Nódulo Pulmonar. Aluno : Aristófanes Corrêa Silva. Professor : Paulo Cezar Carvalho

VISMED. Diagnóstico de Nódulo Pulmonar. Aluno : Aristófanes Corrêa Silva. Professor : Paulo Cezar Carvalho Aluno : Aristófanes Corrêa Silva Professor : Paulo Cezar Carvalho Setembro/2001 Tópicos 1ª Fase Projeto VISMED Estimativa de Volume Pulmonar 2ª Fase Aquisição da Imagem Tomografia computadorizada Dicom

Leia mais

INTEGRAÇÃO DOS HOSPITAIS, AMBULATÓRIOS E CENTROS PÚBLICOS DE SAÚDE DO ESTADO COM SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE IMAGENS MÉDICAS

INTEGRAÇÃO DOS HOSPITAIS, AMBULATÓRIOS E CENTROS PÚBLICOS DE SAÚDE DO ESTADO COM SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE IMAGENS MÉDICAS INTEGRAÇÃO DOS HOSPITAIS, AMBULATÓRIOS E CENTROS PÚBLICOS DE SAÚDE DO ESTADO COM SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE IMAGENS MÉDICAS Introdução O objetivo deste trabalho é apresentar um modelo de central de laudos

Leia mais

Uma Ontologia para Estruturação da Informação Contida em Laudos Radiológicos

Uma Ontologia para Estruturação da Informação Contida em Laudos Radiológicos Universidade de São Paulo Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Uma Ontologia para Estruturação da Informação Contida em Laudos Radiológicos

Leia mais

W. R. Silva Classificação de Mamografias pela densidade do tecido mamário

W. R. Silva Classificação de Mamografias pela densidade do tecido mamário Classificação de Mamografias pela densidade do tecido mamário Welber Ribeiro da Silva Universidade Federal de Ouro Preto Campus Universitário, Ouro Preto MG Brazil 19 de Abril de 2012 Definição Câncer

Leia mais

De D n e s n i s d i a d d a e d e M a M m a á m r á i r a i a c o c m o o m o F a F t a o t r o r d e d e R i R s i c s o c SELMA DE PACE BAUAB

De D n e s n i s d i a d d a e d e M a M m a á m r á i r a i a c o c m o o m o F a F t a o t r o r d e d e R i R s i c s o c SELMA DE PACE BAUAB Densidade Mamária como Fator de Risco SELMA DE PACE BAUAB Densidade Mamária na Mamografia RR > 4,0 : - idade > 65 anos - mutação genética (BRCA 1 / 2) - mais de 2 parentes de primeiro grau com CA de mama

Leia mais

30/05/2016 DISTORÇÃO ARQUITETURAL DISTORÇÃO ARQUITETURAL. DÚVIDAS DO DIA-A-DIA DISTORÇÃO ARQUITETURAL e ASSIMETRIAS Como vencer este desafio?

30/05/2016 DISTORÇÃO ARQUITETURAL DISTORÇÃO ARQUITETURAL. DÚVIDAS DO DIA-A-DIA DISTORÇÃO ARQUITETURAL e ASSIMETRIAS Como vencer este desafio? finas linhas ou espículas irradiando-se de um ponto DÚVIDAS DO DIA-A-DIA e ASSIMETRIAS Como vencer este desafio? retração focal, distorção ou retificação da porção anterior ou posterior do parênquima BI-RADS

Leia mais

Raios X. Riscos e Benefícios. Faculdade Novaunesc. Rosa de Hiroshima. Ney Matogrosso. Tecnologia em Radiologia. Turma: 2011.1

Raios X. Riscos e Benefícios. Faculdade Novaunesc. Rosa de Hiroshima. Ney Matogrosso. Tecnologia em Radiologia. Turma: 2011.1 Rosa de Hiroshima Ney Matogrosso Pensem nas crianças Mudas telepáticas Pensem nas meninas Cegas inexatas Pensem nas mulheres Rotas alteradas Pensem nas feridas Como rosas cálidas Mas, oh, não se esqueçam

Leia mais

Software livre na investigação científica: NeuroCAD uma ferramenta open-source para auxilio ao diagnóstico em neurologia.

Software livre na investigação científica: NeuroCAD uma ferramenta open-source para auxilio ao diagnóstico em neurologia. a de Engenharia Biomédica, v. 19, n. 2, p. 69-75, agosto 2003 SBEB - Sociedade Brasileira de Engenharia Biomédica ISSN 1517-3151 Artigo Original Recebido em 24/10/2002 e aceito em 12/07/2003 Software livre

Leia mais

Segmentação de imagens tridimensionais utilizando o sensor Microsoft Kinect

Segmentação de imagens tridimensionais utilizando o sensor Microsoft Kinect Segmentação de imagens tridimensionais utilizando o sensor Microsoft Kinect Lucas Viana Barbosa 1 ; Wanderson Rigo 2 ; Manassés Ribeiro 3 INTRODUÇÃO Os sistemas de visão artificial vêm auxiliando o ser

Leia mais

LINHA DE CUIDADOS DE SAÚDE EM ONCOLOGIA

LINHA DE CUIDADOS DE SAÚDE EM ONCOLOGIA SAÚDE EM DIA O Programa Saúde em Dia consiste em linhas de cuidados integrais, com foco na patologia e na especialidade médica, direcionados a melhoria da saúde dos beneficiários de planos de saúde empresariais.

Leia mais

NEWS: ARTIGOS CETRUS Ano VI Edição 59 Outubro 2014. O novo BI-RADS Ultrassonográfico (Edição 2013) - O que há de novo?

NEWS: ARTIGOS CETRUS Ano VI Edição 59 Outubro 2014. O novo BI-RADS Ultrassonográfico (Edição 2013) - O que há de novo? NEWS: ARTIGOS CETRUS Ano VI Edição 59 Outubro 2014 O novo BI-RADS Ultrassonográfico (Edição 2013) - O que há de novo? O novo BI-RADS Ultrassonográfico (Edição 2013) - O que há de novo? AUTORA Dra. Patrícia

Leia mais

CÂNCER DE BOCA. Disciplina: Proteção Radiológica. Docente: Karla Alves Discentes: André Luiz Silva de Jesus Paloma Oliveira Carvalho

CÂNCER DE BOCA. Disciplina: Proteção Radiológica. Docente: Karla Alves Discentes: André Luiz Silva de Jesus Paloma Oliveira Carvalho CÂNCER DE BOCA Disciplina: Proteção Radiológica Docente: Karla Alves Discentes: André Luiz Silva de Jesus Paloma Oliveira Carvalho OBJETIVOS Descrever o processo carcinogênico geral e específico para o

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM MÉTODO MONTE CARLO NÃO PARAMÉTRICO PARA GERAR IMAGENS SINTÉTICAS DE OSSOS TRABECULARES J. W. Vieira, V. Leal Neto, J. M.

DESENVOLVIMENTO DE UM MÉTODO MONTE CARLO NÃO PARAMÉTRICO PARA GERAR IMAGENS SINTÉTICAS DE OSSOS TRABECULARES J. W. Vieira, V. Leal Neto, J. M. DESENVOLVIMENTO DE UM MÉTODO MONTE CARLO NÃO PARAMÉTRICO PARA GERAR IMAGENS SINTÉTICAS DE OSSOS TRABECULARES J. W. Vieira, V. Leal Neto, J. M. Lima Filho, J. R. S. Cavalcanti e F. R. A. Lima INTRODUÇÃO

Leia mais

29/08/2011. Radiologia Digital. Princípios Físicos da Imagem Digital. Unidade de Aprendizagem Radiológica. Professor Paulo Christakis

29/08/2011. Radiologia Digital. Princípios Físicos da Imagem Digital. Unidade de Aprendizagem Radiológica. Professor Paulo Christakis Radiologia Digital Unidade de Aprendizagem Radiológica Princípios Físicos da Imagem Digital Professor Paulo Christakis 1 Em sistemas digitais de imagens médicas, as mudanças não se apresentam somente no

Leia mais

Visualização Volumétrica de Imagens Médicas através de Raycasting

Visualização Volumétrica de Imagens Médicas através de Raycasting Visualização Volumétrica de Imagens Médicas através de Raycasting Thiago Franco de Moraes (CTI), Paulo Henrique Junqueira Amorim (CTI), Tatiana Al-Chueyr Pereira Martins (CTI) tfmoraes@cti.gov.br, paulo.amorim@cti.gov.br,

Leia mais

Tópico: A Terceira Dimensão (Conceitos Básicos)

Tópico: A Terceira Dimensão (Conceitos Básicos) Tópico: A Terceira Dimensão (Conceitos Básicos) Computação gráfica tridimensional Modelagem tridimensional Elaboração de imagens tridimensionais Realidade virtual Formatos tridimensionais: DXF, padrão

Leia mais

O Novo BI-RADS. Introdução. MARCONI LUNA Pres. Departamento de Mamografia da SBM.

O Novo BI-RADS. Introdução. MARCONI LUNA Pres. Departamento de Mamografia da SBM. 1 O Novo BI-RADS MARCONI LUNA Pres. Departamento de Mamografia da SBM. Introdução No Congresso Americano de Radiologia em dezembro de 2003 (RSNA) em Chicago foi divulgado a 4ª edição do BI-RADS (Breast

Leia mais

CORE BIÓPSIA DE LINFONODOS AXILARES ATÍPICOS

CORE BIÓPSIA DE LINFONODOS AXILARES ATÍPICOS CORE BIÓPSIA DE LINFONODOS AXILARES ATÍPICOS CORE BIOPSIA DE LINFONODOS AXILARES ATÍPICOS LINFONODOS NORMAIS OU TÍPICOS DE NÍVEL 1 FACILMENTE RECONHECIDOS AO ESTUDO ECOGRÁFICO FORMA ELÍPTICA CORTEX HIPOECÓICA

Leia mais

Nota referente às unidades de dose registradas no prontuário eletrônico radiológico:

Nota referente às unidades de dose registradas no prontuário eletrônico radiológico: Nota referente às unidades de dose registradas no prontuário eletrônico radiológico: Frente aos potenciais riscos envolvidos na exposição à radiação ionizante e com a reocupação de manter um controle transparente

Leia mais

15 Computador, projeto e manufatura

15 Computador, projeto e manufatura A U A UL LA Computador, projeto e manufatura Um problema Depois de pronto o desenho de uma peça ou objeto, de que maneira ele é utilizado na fabricação? Parte da resposta está na Aula 2, que aborda as

Leia mais

REPRESENTAÇÃO DA IMAGEM DIGITAL

REPRESENTAÇÃO DA IMAGEM DIGITAL REPRESENTAÇÃO DA IMAGEM DIGITAL Representação da imagem Uma imagem é uma função de intensidade luminosa bidimensional f(x,y) que combina uma fonte de iluminação e a reflexão ou absorção de energia a partir

Leia mais

CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso. Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva

CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso. Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva 2014 Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva/ Ministério da Saúde. Esta

Leia mais

RASTREAMENTO DO CÂNCER DE MAMA

RASTREAMENTO DO CÂNCER DE MAMA RASTREAMENTO DO CÂNCER DE MAMA José Luís Esteves Francisco Comissão Nacional de Mamografia SBM CBR FEBRASGO Ruffo de Freitas Júnior Presidente Nacional da Soc. Bras. De Mastologia Rede Goiana de Pesquisa

Leia mais

TOMOSSINTESE MAMÁRIA DIGITAL. Qual a diferença para a mamografia 2 D?

TOMOSSINTESE MAMÁRIA DIGITAL. Qual a diferença para a mamografia 2 D? TOMOSSINTESE MAMÁRIA DIGITAL O que é? Qual a diferença para a mamografia 2 D? Quais são suas indicações? TOMOSSINTESE EVOLUÇÃO TECNOLÓGICA DA MAMOGRAFIA Maior detalhe da estrutura mamária Grande promessa

Leia mais

Reconhecimento de marcas de carros utilizando Inteligência Artificial. André Bonna Claudio Marcelo Basckeira Felipe Villela Lourenço Richard Keller

Reconhecimento de marcas de carros utilizando Inteligência Artificial. André Bonna Claudio Marcelo Basckeira Felipe Villela Lourenço Richard Keller Reconhecimento de marcas de carros utilizando Inteligência Artificial André Bonna Claudio Marcelo Basckeira Felipe Villela Lourenço Richard Keller Motivação Análise estatística das marcas de carros em

Leia mais

Diagnóstico do câncer de mama Resumo de diretriz NHG M07 (segunda revisão, novembro 2008)

Diagnóstico do câncer de mama Resumo de diretriz NHG M07 (segunda revisão, novembro 2008) Diagnóstico do câncer de mama Resumo de diretriz NHG M07 (segunda revisão, novembro 2008) De Bock GH, Beusmans GHMI, Hinloopen RJ, Corsten MC, Salden NMA, Scheele ME, Wiersma Tj traduzido do original em

Leia mais

CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso. Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva

CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso. Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva 2014 Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva/ Ministério da Saúde. Esta

Leia mais

CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso. Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva

CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso. Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva Cartilha_Outubro Rosa_Mitos_26-09-2014.indd 1 08/10/2014 14:24:37 2014 Instituto Nacional

Leia mais

EDITAL Nº 01/COREMU/UFRA/2016 ANEXO III ROTEIRO DA PROVA PRÁTICA ESPECÍFICA POR ÁREA

EDITAL Nº 01/COREMU/UFRA/2016 ANEXO III ROTEIRO DA PROVA PRÁTICA ESPECÍFICA POR ÁREA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM ÁREA PROFISSIONAL DE SAÚDE EM MEDICINA VETERINÁRIA EDITAL Nº 01/COREMU/UFRA/2016

Leia mais

Utilização de Análise de Características Dinâmicas em analises estáticas.

Utilização de Análise de Características Dinâmicas em analises estáticas. Utilização de Análise de Características Dinâmicas em analises estáticas. Felipe A. Miziara 1, Marcelo A. Maia 1 1 Departamento de pós-graduação em Ciências da Computação Universidade Federal de Uberlândia

Leia mais

Clip-art Retrieval using Sketches PTDC/EIA-EIA/108077/2008

Clip-art Retrieval using Sketches PTDC/EIA-EIA/108077/2008 PROJECTOS DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO Clip-art Retrieval using Sketches PTDC/EIA-EIA/108077/2008 Deliverable: D1 - Clip-art Simplification Tool Task: T1 - Clip-art Simplification

Leia mais

Departamento de Cirurgia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

Departamento de Cirurgia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo Departamento de Cirurgia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo TRATAMENTO CIRÚRGICO DAS METÁSTASES HEPÁTICAS Carcinoma Metastático do Fígado METÁSTASES HEPÁTICAS Neoplasia primeira

Leia mais

CÂNCER DE MAMA PREVENÇÃO TRATAMENTO - CURA Novas estratégias. Rossano Araújo

CÂNCER DE MAMA PREVENÇÃO TRATAMENTO - CURA Novas estratégias. Rossano Araújo CÂNCER DE MAMA PREVENÇÃO TRATAMENTO - CURA Novas estratégias Rossano Araújo Papiro do Edwin Smith (Egito, 3.000-2.500 A.C.) Papiro Edwin Smith (Egito, 3000 2500 A.C.) Tumores Protuberantes da Mama Se você

Leia mais

Comparação da avaliação automatizada do Phantom Mama em imagens digitais e digitalizadas

Comparação da avaliação automatizada do Phantom Mama em imagens digitais e digitalizadas Comparação da avaliação automatizada do Phantom Mama em imagens digitais e digitalizadas Priscila do Carmo Santana 1,2,3, Danielle Soares Gomes 3, Marcio Alves Oliveira 3 e Maria do Socorro Nogueira 3

Leia mais

RCC- Radiologia Clínica de Campinas A Imagem da sua Saúde RESSONÂNCIA MAGNÉTICA 3.0 TESLA

RCC- Radiologia Clínica de Campinas A Imagem da sua Saúde RESSONÂNCIA MAGNÉTICA 3.0 TESLA RCC- Radiologia Clínica de Campinas A Imagem da sua Saúde RESSONÂNCIA MAGNÉTICA 3.0 TESLA ABERTURA 70 CM + TIM SUPER ALTO CAMPO - ALTA RESOLUÇÃO MAIOR VELOCIDADE - MAIOR COMODIDADE PREZADO COLEGA Com grande

Leia mais

Projeto FlexiGrid IWA. Sistema de Armazenamento e Comunicação de Imagens

Projeto FlexiGrid IWA. Sistema de Armazenamento e Comunicação de Imagens Projeto FlexiGrid IWA Sistema de Armazenamento e Comunicação de Imagens Aristófanes C. Silva Danilo Launde Lúcio Dias Roteiro PACS Definição Infra-Estrutura Camadas Problemas Soluções DICOM IWA Histórico

Leia mais

O que é RAID? Tipos de RAID:

O que é RAID? Tipos de RAID: O que é RAID? RAID é a sigla para Redundant Array of Independent Disks. É um conjunto de HD's que funcionam como se fosse um só, isso quer dizer que permite uma tolerância alta contra falhas, pois se um

Leia mais

RADIOLOGIA DIGITAL. Conceitos Básicos. Eizo Soluções Médicas

RADIOLOGIA DIGITAL. Conceitos Básicos. Eizo Soluções Médicas Eizo Soluções Médicas Conceitos Básicos RADIOLOGIA DIGITAL Entenda os conceitos, termos e a história da radiologia ; os benefícios, desafios e o futuro da radiologia digital INTRODUÇÃO Para profissionais

Leia mais

Cirurgia poupadora de órgão no tratamento da massa testicular

Cirurgia poupadora de órgão no tratamento da massa testicular Cirurgia poupadora de órgão no tratamento da massa testicular TUMORES DO TESTÍCULO Nuno Louro nunorlouro@gmail.com 16 de Novembro de 2013 ORQUIDECTOMIA RADICAL Maioria das massas testiculares palpáveis

Leia mais