ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE E ANÁLISE NOS SISTEMAS DE INFORMAÇÕES DA UNIMED FEDERAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE E ANÁLISE NOS SISTEMAS DE INFORMAÇÕES DA UNIMED FEDERAÇÃO"

Transcrição

1 LUIZ ANTONIO SILVA ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE E ANÁLISE NOS SISTEMAS DE INFORMAÇÕES DA UNIMED FEDERAÇÃO EMPRESA: FEDERAÇÃO DAS UNIMEDS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SETOR: GERÊNCIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SUPERVISOR: JOSÉ EDUARDO SANTORE ORIENTADOR: ANDRÉ TAVARES DA SILVA CURSO DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS - CCT UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC JOINVILLE SANTA CATARINA - BRASIL MAIO 2012

2 APROVADO EM.../.../... Professor: André Tavares da Silva Titulação: Doutor em Engenharia Elétrica Professor Orientador Professora: Luciana Rita Guedes Titulação: Mestre em Ciência da Computação Professor: Rafael Rodrigues Obelheiro Titulação: Doutor em Engenharia Elétrica Coordenador de Sistemas: José Eduardo Santore Supervisor da CONCEDENTE

3 Carimbo da Empresa UNIDADE CONCEDENTE Razão Social: Federação das UNIMEDS do Estado de Santa Catarina CGC/MF: Endereço: Otto Boehm, 478 Bairro: Glória CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: Supervisor: José Eduardo Santore Cargo: Coordenador ESTAGIÁRIO Nome: Luiz Antonio Silva Matrícula: Endereço: Tenente Antônio João, N 3690, AP: 301 Bairro: Jardim Sofia CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: Curso de: Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Título do Estágio: Suporte e Análise nos Sistemas de Informações da UNIMED Federação Período: 23/03/2012/ a 17/04/2012 Carga horária: 120 Horas AVALIAÇÃO FINAL DO ESTÁGIO II PELO CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS Representada pelo Professor Orientador: André Tavares da Silva CONCEITO FINAL DO ESTÁGIO II Excelente (9,1 a 10) Muito Bom (8,1 a 9,0) Bom (7,1 a 8,0) Regular (5,0 a 7,0) Reprovado (0,0 a 4,9) NOTA ETG I (Média do Processo) NOTA ETG II (Média do Processo) Rubrica do Professor da Disciplina Joinville / /

4 Nome do Estagiário: Luiz Antonio Silva QUADRO I AVALIAÇÃO NOS ASPECTOS PROFISSIONAIS QUALIDADE DO TRABALHO: Considerando o possível. ENGENHOSIDADE: Capacidade de sugerir, projetar, executar modificações ou inovações. CONHECIMENTO: Demonstrado no desenvolvimento das atividades programadas. CUMPRIMENTO DAS TAREFAS: Considerar o volume de atividades dentro do padrão razoável. ESPÍRITO INQUISITIVO: Disposição demonstrada para aprender. INICIATIVA: No desenvolvimento das atividades. SOMA Pontos QUADRO II AVALIAÇÃO DOS ASPECTOS HUMANOS ASSIDUIDADE: Cumprimento do horário e ausência de faltas. DISCIPLINA: Observância das normas internas da Empresa. SOCIABILIDADE: Facilidade de se integrar com os outros no ambiente de trabalho. COOPERAÇÃO: Disposição para cooperar com os demais para atender as atividades. SENSO DE RESPONSABILIDADE: Zelo pelo material, equipamentos e bens da empresa. SOMA Pontos PONTUAÇÃO PARA O QUADRO I E II Sofrível - 1 ponto, Regular - 2 pontos, Bom - 3 pontos, Muito Bom - 4 pontos, Excelente - 5 pontos LIMITES PARA CONCEITUAÇÃO AVALIAÇÃO FINAL Pontos De 57 a SOFRÍVEL SOMA do Quadro I multiplicada por 7 De 102 a REGULAR SOMA do Quadro II multiplicada por 3 De 148 a BOM SOMA TOTAL De 195 a MUITO BOM De 241 a EXCELENTE Nome da Empresa: Federação das UNIMDES do Estado de Santa Catarina Representada pelo Supervisor: CONCEITO CONFORME SOMA TOTAL Rubrica do Supervisor da Empresa Local: Data : Carimbo da Empresa

5 UDESC UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS - FEJ PLANO DE ESTÁGIO CURRICULAR II ESTAGIÁRIO Nome: Luiz Antonio Silva Matrícula: Endereço (Em Jlle): Tenente Antônio, N : 3690 AP: 301 Bairro: Jardim Sofia CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: Endereço (Local estágio): Otto Boehm Bairro: Glória CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: Regularmente matriculado no semestre: 4 Curso: TADS Formatura (prevista) Semestre/Ano: 2012/02 UNIDADE CONCEDENTE Razão Social: Federação das UNIMEDS do Estado de Santa Catarina CGC/MF: Endereço: Otto Boehm, 478 Bairro: Glória CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: Atividade Principal: Operadora de Plano de Saúde Supervisor: José Eduardo Santore Cargo: Coordenador DADOS DO ESTÁGIO Área de atuação: Análise de Sistemas Departamento de atuação: Gerência Tecnologia da Informática Ramal: 329 Horário do estágio: 6 Horas Total de horas: 120 Horas Período: 23/03/2012/ a 17/04/2012 Fone: Nome do Professor Orientador: André Tavares da Silva Disciplina(s) simultânea(s) com o estágio Quantas: 4 Quais: DAD II, IA, REC, PES

6 OBJETIVO GERAL Aplicar os conhecimentos adquiridos na graduação em disciplinas tais como: Análise de Sistemas, Estrutura de Dados, Banco de Dados, Engenharia de Software, Gerência de Projeto, Desenvolvimento de Aplicações na WEB. Desenvolver um trabalho junto aos usuários dos sistemas utilizados pela empresa na busca por aperfeiçoamento dos mesmos e no desenvolvimento de novas soluções, visando sempre a qualidade e excelência dos produtos UNIMED. ATIVIDADES OBJETIVO ESPECÍFICO HORAS Treinamento Técnico Obter o conhecimento na linguagem de busca SQL e na linguagem procedural PL/SQL utilizadas através da ferramenta PL/SQL Developer com base no SGBD Oracle. Obter conhecimento também na ferramenta de desenvolvimento Genexus Suporte Auxiliar os usuários dos softwares internos (SGU) e de terceiros (SE Suite, Protheus, Infomed, Intratarefas) na utilização dos mesmos e solucionar dúvidas. 20 Análise de Sistemas Analisar melhorias ou inconformidades que são informados pelo solicitante através de um sistema de tarefas (Intratarefas) e definir seu impacto, identificar a causa e posteriormente o estudo da solução. Após isto, será desenvolvida a solução para o requisito que deverá ser aprovada pelo solicitante, depois deve-se elaborar, detalhar e documentar a solicitação, solicitar a aprovação da qualidade, homologar a especificação dentro do ambiente de testes do sistema junto ao solicitante, solicitar a aprovação do coordenador ou gerente se aprovado, transferir para liberação que aplicará no ambiente de produção e por fim, comunicar a solução para o solicitante. 50

7 Manutenção Corretiva e Funcional Desenvolver, atualizar, fazer correções nos softwares utilizados pela empresa e suas prestadoras e operadoras. Desenvolver um trabalho em conjunto com os usuários no levantamento de requisitos, problemas e melhorias. 10 Rubrica do Professor Orientador Rubrica do Comitê de Estágios Rubrica do Coordenador de Estágios Rubrica do Supervisor da Empresa Data: Data: Data: Data: Carimbo da Empresa

8 CRONOGRAMA FÍSICO E REAL ATIVIDADES Treinamento Técnico - SQL e PL/SQL Suporte - SGU, SE Suite, Infomed Análise de Sistemas - Correções, Modificações, Melhorias P R P R P R Tempo (120 Horas) Manutenção Corretiva e Funcional - Levantamento de Requisitos, Problemas P R Legenda: P Previsto R Real

9 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO OBJETIVOS Geral Específico Justificativa ORGANIZAÇÃO DO ESTUDO A EMPRESA HISTÓRICO Rede UNIMED PRINCIPAL PRODUTO DE TECNOLOGIA PRINCIPAIS CLIENTES MISSÃO Visão Negócio TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA UNIMED FEDERAÇÃO DESENVOLVIMENTO FERRAMENTAS DE DESENVOLVIMENTO UTILIZADAS PL/SQL Developer Genexus SUPORTE Solicitação Especificação técnica/funcional SISTEMAS UTILIZADOS Intratarefas Infomed ASS SE Documento SE Arquivo Físico SOLICITAÇÕES ATENDIDAS Solicitação N : Contagem de Anexos e Folhas Solicitação N : Filtros UNIMED Federação Solicitação N : referente a notificações de pendências em atraso Solicitação N : Pessoa Física - Atributos Solicitação N : Recebimento e Recolhimento de Empréstimo CONSIDERAÇÕES FINAIS...24 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

10 LISTA DE FIGURAS Figura 1 - Ambiente SGU...12 Figura 2 - Especificação funcional...15 Figura 3 - Fluxo de um chamado...16 Figura 4 - Ambiente Infomed ASS...17 Figura 5 - Ambiente SE Suite...18 Figura 6 Filtros UNIMED Tubarão...20 Figura 7 - Tabela de temporalidade GED Arquivos Temporários...21 Figura 8 - Novo Atributo...22 Figura 9 - Erro ao registar um empréstimo

11 LISTA DE TABELAS Tabela 1 - Singulares Prestadoras

12 LISTA DE ABREVIATURAS ANS SQL PL/SQL SGU SGU-CARD AutSC SGBD DBA CID GED PF PJ CCAD TI Agência Nacional de Saúde Suplementar Structured Query Language Procedure Language / Structured Query Language Sistema de Gestão UNIMED Sistema de Cartão Magnético Autorizador Santa Catarina Sistema de gerenciamento de banco de dados Database Administrator Classificação Internacional de Doenças Gerenciamento Eletrônico de Documentos Pessoa Física Pessoa Jurídica Coordenação de Cadastro Tecnologia da Informação 4

13 RESUMO Este relatório apresenta a descrição de atividades desenvolvidas durante o período de Estágio Curricular II pelo acadêmico Luiz Antonio Silva para a Federação das UNIMEDS do Estado de Santa Catarina, estando relacionada à melhorias, correções nos Sistemas da UNIMED. Foram estudadas e utilizadas ferramentas de desenvolvimento de aplicações Oracle como PL/SQL Developer e Genexus para a realização deste estágio, sendo as diversas atividades solicitadas através do sistema Intratarefas. Durante o período de estágio, foram atendidos Quinze chamados, nas quais incluíam correções, dúvidas, modificações ou melhorias nos sistemas, sendo que sete foram concluídas, dois estão aguardando o retorno do suporte de sistemas de terceiros, três em desenvolvimento, um em andamento, dois aguardando retorno do solicitante. 5

14 1 INTRODUÇÃO Este relatório apresenta as atividades desenvolvidas na cooperativa da Federação das UNIMES de Santa Catarina, no período de 23 de Março até 17 de Maio de Seu intuito é demonstrar o envolvimento do acadêmico em uma atividade profissional voltada para o mercado de trabalho, adquirindo experiência para quando obtiver o grau de tecnólogo, além estar preparado tecnicamente, estará ciente dos processos corporativos e aspectos gerais de um ambiente empresarial. 1.1 OBJETIVOS Geral Aplicar os conhecimentos adquiridos na graduação em disciplinas tais como: Análise de Sistemas, Estrutura de Dados, Banco de Dados, Engenharia de Software, Gerência de Projeto, Desenvolvimento de Aplicações na WEB. Desenvolver um trabalho junto aos usuários dos sistemas utilizados pela empresa na busca por aperfeiçoamento dos mesmos e no desenvolvimento de novas soluções, visando sempre a qualidade e excelência dos produtos UNIMED Específicos Obter o conhecimento na linguagem de busca SQL e na linguagem procedural PL/SQL utilizadas através da ferramenta PL/SQL Developer com base no SGBD Oracle e na ferramenta de desenvolvimento Genexus 8.0. Obter treinamento nos softwares desenvolvidos e utilizados pela empresa como: SGU, Infomed, SE Suite, Protheus10, Intratarefas. Obter conhecimento na dinâmica do processo da empresa e suas regras de negócio e participar da rotina de trabalho junto aos analistas de sistemas, desenvolvendo e corrigindo funcionalidades dos sistemas da UNIMED de Santa Catarina, sob a supervisão de um analista responsável, designado pela empresa Justificativa A Tecnologia da Informação se apresenta hoje no mercado como uma área bastante promissora e se tornou uma ferramenta indispensável para grandes, médias e pequenas 6

15 empresas. Como há atividades específicas e diversas tecnologias são utilizadas, criou-se uma necessidade de buscar estagiários e capacitá-los, treinando-o para futuramente tornar-se um funcionário nos moldes que a empresa necessita. 1.2 ORGANIZAÇÃO DO ESTUDO No primeiro capítulo é feita uma breve introdução sobre o estágio, os objetivos e algumas atividades. No segundo capítulo é possível conhecer o histórico da empresa, seus principais clientes e produtos de softwares. No terceiro capítulo são apresentadas algumas das atividades mais importantes desenvolvidas durante o período de estágio, a utilização de ferramentas, conceitos básicos dos sistemas utilizados, documentações, procedimentos da empresa. 7

16 2 A EMPRESA 2.1 HISTÓRICO 1 Em 5 de outubro de 1982, as três UNIMEDs existentes no estado, até então (Joinville, Florianópolis e Blumenau), fundaram a Federação das Cooperativas Médicas do Estado de Santa Catarina, com sede em Joinville, à Rua Ministro Calógeras, 439. Apresentou-se a Federação, naquele momento, como resultado do desenvolvimento das três Unimeds pioneiras. Ao longo de onze anos, seus representantes empenharam-se na implantação de um sistema médico cuja proposta, calcada no cooperativismo era uma novidade e inspirava desconfiança. A luta precisava continuar, agora sob o guarda-chuva da Federação. De acordo com o Estatuto aprovado no dia da sua fundação, em seu artigo 2º, a Federação definiu com clareza seus objetivos de promover a integração, orientação e coordenação das atividades das Cooperativas de Trabalho Médico, nos casos de interesse estadual e nos empreendimentos que transcendam a capacidade ou conveniência da atuação das Cooperativas Singulares Federadas, organizando planos de intercâmbio de serviços, de interesses e informações Rede UNIMED 1 Central Nacional UNIMED: É uma operadora nacional de planos de saúde UNIMED. Foi fundada em 1998 para atender o novo cenário da Regulamentação dos Planos de Saúde (lei 9656/98), oferecer produtos em total conformidade com a nova legislação e garantir a satisfação dos clientes no atendimento pela rede nacional. Além de contar com a maior rede de assistência médica do país, suas empresas contratantes contam com produtos personalizados, além de benefícios exclusivos e todo o suporte necessário e divide-se em: Cooperativas de 1 Grau são aquelas locais/regionais constituídas por, no mínimo, 20 médicos, que atuam no âmbito dos municípios. Em Santa Catarina há 23 UNIMEDS Singulares que constituem-se de Operadoras e Prestadoras: Singulares Operadoras: Cooperativas de Trabalho Médico registradas como Operadoras de planos de saúde junto à Agência Nacional de Saúde Suplementear, portanto estão habilitadas a vender, administrar e operacionalizar planos de saúde. 1 Fonte: <http://www.unimed.com.br/pct/index.jsp?cd_canal=52642&cd_secao=52628> Acesso em: 14 de junho

17 Singulares Prestadoras: Cooperativas de Trabalho Médico que se caracterizam principalmente pela prestação de serviços médicos em sua área de ação, e por não possuírem registro junto à ANS, devem estar ligadas operacionalmente a uma Operadora de planos de saúde. Cooperativas de 2 Grau - Federações Estaduais que compreendem todas as UNIMEDS de um mesmo estado ou região e são constituídas por, no mínimo, 3 (três) Singulares. Cooperativas de 3 Grau - UNIMED do Brasil é a Confederação Nacional das UNIMEDS e compreende várias Federações Estaduais/Regionais. As Confederações são constituídas por, no mínimo, três Federações Federação das UNIMEDS do Estado de Santa 2 As Singulares Prestadoras de Santa Catarina, devido ao fato de não possuírem registro como operadoras de planos de saúde, utilizam a Federação para desempenhar esse papel, sendo que elas contratam e remuneram a Federação para operacionalizar os planos de saúde que comercializam, por exemplo, no que se refere ao cadastro, faturamento, cobrança, processamento de contas, pagamento, entre outras atividades. As negociações e controle de sinistralidade (autorização, gestão de contratos, negociação de reajustes, negociação com prestadores, entre outros) são realizados pelas Singulares Prestadoras com o suporte e orientação da Federação. Perante á Agência Nacional de Saúde Suplementar a Federação é a única responsável por todos os contratos, beneficiários, atendimentos, negociações, reajustes, entre outros, portanto, as demandas ou multas são aplicadas somente para a Federação. 2.2 PRINCIPAL PRODUTO DE TECNOLOGIA 2 O Sistema de Gestão UNIMED (SGU) é o sistema de gestão empresarial utilizado pelos funcionários da Federação. Esse sistema gerência todas as principais atividades do sistema UNIMED no Estado de Santa Catarina, como o cadastro de beneficiários, contratos de planos de saúde, contratos das empresas e prestadores, processamentos de guias, emissão de boletos. O sistema é composto dos seguintes módulos: 2 Fonte: <www.unimed.com.br/santacatarina> Acesso em: 11 de junho Cadastro: É responsável pelos cadastros de todos os aspectos essenciais para o 9

18 funcionamento do sistema. Operacional: É o módulo responsável por monitorar e controlar o processamento de pagamentos e cobrança de atendimentos. Faturamento: Cuida de toda a parte de faturamento, como impressão de boletos de pagamentos, configurações de faturas, cadastro de bancos, entre outras atividades. Pagamento Médico: É responsável por gerenciar os pagamentos dos médicos que prestam serviço ao sistema UNIMED. Administrativo: Fica a cargo de gerenciar as alterações correspondentes a cadastro de usuários, controle de versões, alteração de parâmetros, entre outras funcionalidades. ANS: É responsável por tratar os processos relacionados a Agência Nacional de Saúde que é uma autarquia vinculada ao Ministério da Saúde, como órgão de regulação, normatização, controle e fiscalização das atividades que garantem a assistência suplementar. 2.3 PRINCIPAIS CLIENTES 3 Os principais clientes no que diz respeito à área de tecnologia da informação são as UNIMEDS prestadoras filiadas à Federação, listadas na Tabela 1. Tabela 1 - Singulares Prestadoras. SINGULARES PRESTADORAS UNIMED CÓDIGO Vale do Araranguá 334 Canoinhas 611 Alto Irani 613 Vale do Iguaçu 618 Videira 622 Concórdia 627 Curitibanos 628 Jaraguá do Sul 634 Rio Mafra 635 Fonte: Empresa (2012) 3 Fonte: <http://intranet.unimedsc.com.br/wiki/index.php/p%c3%a1gina_principal#unimeds> Acesso em: 20 de junho

19 2.4 MISSÃO 4 A missão da Federação das UNIMEDS de Santa Catarina é promover a integração e realização dos interesses de suas cooperativas Singulares, prestando-lhes serviços, representando-as política e institucionalmente, objetivando o fortalecimento do Sistema UNIMED Visão 4 Ser conhecida como Federação de Excelência no Sistema UNIMED Negócio 4 Representar, integrar, coordenar e assessoras as UNIMEDS. 2.5 TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA UNIMED FEDERAÇÃO 5 Sistema de Gestão UNIMED, O SGU 2.0 é uma ferramenta desenvolvida para assegurar aos colaboradores e gestores, qualidade e segurança no processamento das informações das Operadoras de Plano de Saúde, utilizando uma moderna tecnologia e as boas práticas de mercado. Além do Sistema de Gestão, a Federação possui outras soluções de sistemas para Atendimento, são eles: AutSC2 - Autorizador Online - É uma ferramenta de gestão para o processo de autorização da Singular, garantindo o intercâmbio entre as UNIMEDS. Uma das principais vantagens deste sistema é a padronização das informações em uma única base de dados. Estes processos estão calçados por uma tecnologia de processamento de regras baseada em conceitos de Inteligência Artificial. SGU-CARD - Sistema de Cartão Magnético - É um sistema de captura através de cartão magnético, compatível com qualquer sistema de gestão. A ferramenta possibilita ao prestador de serviço, estar em conformidade com a legislação, além de lhe proporcionar a solicitação da autorização, a execução do procedimento e o faturamento integrado em um único sistema, com processo de elegibilidade através de Biometria Digital. 4 Fonte: <http://www.unimed.com.br/pct/index.jsp?cd_canal=52642&cd_secao=52629> Acesso em: 17de maio Fonte: Comunicação - UNIMED SC. Alerta. [Retrospectiva Jornal Online UNIMED SC] Mensagem recebida por em 02 de fev

20 Auditoria WebIN - Sistema de Auditoria de Contas É um sistema parametrizável com regras de negócio, proporcionando maior segurança e efetividade no processo de análise e auditoria de contas médicas. Viabiliza a interação entre o prestador de serviços e a Singular, permitindo a negociação por meio da inserção de questionamentos e justificativas, possibilitando o recebimento da conta médica sem divergências, viabilizando elevar os padrões técnicos e de conformidade de boas práticas de análise de contas médicas. O sistema é para internet, permitindo aos auditores a análise das contas em qualquer local. Figura 1 - Ambiente SGU. Fonte: Empresa (2012) 12

21 3 DESENVOLVIMENTO Este capítulo descreve algumas das atividades desenvolvidas na empresa durante o estágio no que diz respeito a suporte aos usuários internamente, manutenção corretiva de problemas encontrados nos sistemas utilizados na Federação, bem como soluções de melhorias perfectivas. 3.1 FERRAMENTAS DE DESENVOLVIMENTO UTILIZADAS Nas duas subseções abaixo são informados alguns detalhes sobre as ferramentas de software utilizadas para o desenvolvimento das atividades PL/SQL Developer 6 PL/SQL Developer é um ambiente de desenvolvimento integrado (IDE) que foi especialmente destinado ao desenvolvimento de programas armazenados em bancos de dados Oracle. O PL/SQL Developer oferece uma interface para as tarefas de edição, compilação, correção, testes, limpeza (debugging), otimização e consulta de programas para sua aplicação cliente-servidor em Oracle, além de outras funcionalidades como execução de scripts SQL, criação e modificação de definições de tabelas (através de linguagem DDL) e relatórios Genexus 7 É uma ferramenta de desenvolvimento de software baseada em conhecimento, orientada principalmente para aplicações corporativas, para web, plataformas Windows e plataformas móveis. A linguagem que ele gera os programas atualmente na Federação das UNIMEDS de Santa Catarina é a Visual Fox Pro (ferramenta orientada a objetos e eventos). Sendo que seu foco é desenvolvimento rápido de soluções de software que facilita o trabalho dos analistas da UNIMED Federação, fazendo com que se preocupem mais com as regras de negócio do quecom a programação. 6 Fonte: <http://www.unimed.com.br/pct/index.jsp?cd_canal=52642&cd_secao=52629> Acesso em: 15 de maio Fonte: <http://pt.wikipedia.org/wiki/genexus> Acesso em: 13 de junho

22 3.2 SUPORTE Solicitação Quando algum usuário do sistema, como por exemplo o SE Suite, Infomed, precisa de alguma correção, melhoria, dúvida sobre o sistema, é aberta uma solicitação através do Intratarefas, sendo primeiramente analisada pelo Analista de Sistema da Qualidade que possui como uma das funções encaminhar ao analista responsável pelo atendimento do sistema em questão, para que sejam efetuadas os devidos procedimentos para a solução da mesma. Essa solicitação deve conter um detalhamento por parte do requerente, dos recursos solicitados para o sistema, e se possível, imagens das telas onde é reportado o erro ou que precisem de alterações Especificação técnica/funcional Toda modificação que afeta a Produção (utilizada pelo usuário final), seja via banco de dados, customização no sistema, deve possuir uma documentação chamada Especificação Técnica/Funcional conforme a Figura 5, nela podemos citar como pontos importantes: o título, número da solicitação, requisitante, prioridade (alta, média, baixa), objetivo, causa, solução, sistema que será aplicado e os testes. A especificação deve estar de acordo com as normas internas de qualidade do desenvolvimento de um documento técnico, sendo o analista da qualidade responsável pela aprovação, após esta etapa, é então encaminhada para a assinatura do homologador, que geralmente é o próprio solicitante e por fim é assinada pelo coordenador, após todo esse processo é encaminhada ao setor de DBA, que ficam responsável pela liberação na Produção, caso haja algum erro é retornado para o analista que desenvolveu a solução. 14

23 Figura 2 - Especificação funcional. Fonte: Empresa (2012) 3.3 SISTEMAS UTILIZADOS Intratarefas 8 É um sistema de atendimento ao cliente Unimed, mais focado para levantamento de requisitos no setor de TI, onde um cliente pode, através de um chamado, solicitar suporte, manutenção e melhorias para os sistemas que a UNIMED. O formulário de abertura de um chamado de assistência é simples e permite descrever os problemas em detalhes, direcionar o pedido à área, notificar o solicitante e anexar arquivos. Há um analista de qualidade que faz o filtro dos chamados e redirecionando-os para os analistas responsável pelo atendimento do sistema. 8 Fonte: <http://intratarefas.unimedsc.com.br/inicio.php> Acesso em: 15 de maio

24 Figura 3 - Fluxo de um chamado. Fonte: Empresa (2012) Infomed ASS 9 É um sistema voltado para a área de Medicina Preventiva da UNIMED, sendo que o seu objetivo é tratar dos beneficiários com mais cuidado e atenção, dentre as suas funções está o controle e aplicação de plano de ações que visam evitar doenças futuras, atividades e questionários para que monitorem a saúde dos clientes das UNIMEDS, fornece funcionalidades que envolvem desde a identificação da população-alvo para cada iniciativa e o acompanhamento de programas voltados para o desenvolvimento de hábitos saudáveis. O Infomed é desenvolvido pela UNIMED Norte/Nordeste, portanto cabe aos analistas da Federação das UNIMEDS de Santa Catarina dar suporte ao banco de dados de seus clientes e suporte em questões de dúvidas. Para melhorias no sistema é necessário encaminhar uma solicitação de chamado através do site de suporte deles. 9 Fonte: Equipe da Infomed. Infomed AAS: guia de referência do João Pessoa PB:, p. 16

25 Figura 4 - Ambiente Infomed ASS. Fonte: Empresa(2012) SE Documento 10 SE Documento é a solução para o gerenciamento corporativo de documentos que integra as tecnologias de workflow colaborativo, indexação e recuperação, visualização de conteúdo, etc. É uma aplicação web que automatiza os processos de indexação, armazenamento, publicação e distribuição dos documentos, garantindo alta produtividade e eficácia no seu gerenciamento e operação, garantindo assim um alto nível de padronização e organização do acervo de documentos, conforme as regras de operação definidas pela empresa, proporcionando um mecanismo eficaz para identificação, recuperação e controle de documentos e proporcionando um acesso simples e imediato aos documentos pelos departamentos da empresa, clientes e fornecedores, assegurando que as versões atualizadas estejam disponíveis para as pessoas certas no momento necessário. SE Documento automatiza a criação e revisão dos documentos ao longo de todas as suas etapas de edição, consenso, aprovação e homologação com integração direta aos seus aplicativos de origem tais como editores de texto e planilhas, imagens, etc. Além disto, todas as ações realizadas sobre os documentos em todo o seu ciclo de vida são 100% monitoradas. 10 Fonte: <http://intranet.softexpert.com/sac/index.php?action=kb> Acesso em: 20 de junho

26 SE Arquivo Físico 10 Realiza a gestão da guarda de documentos físicos, com o objetivo de uma localização eficaz e organização. Existem diversas funcionalidades como o controle da armazenagem dos documentos através da definição do local de armazenamento, corredor, estante, prateleiras, caixas, possuindo também o controle da temporalidade, que é responsável pelos prazos de descarte, transferência, entre outros, e é possível realizar o empréstimo desses documentos do arquivo físico com controle de solicitante, usuário responsável pelo empréstimo, prazos para devolução, desta forma consegue acompanhar todo o trâmite do documento que existem na empresa com registro cronológico das entradas e saídas pelos diverso setores da empresa. Figura 5 - Ambiente SE Suite. Fonte: Empresa (2012) 18

27 3.4 SOLICITAÇÕES ATENDIDAS Durante o estágio foram atendidos quinze chamados sendo que sete foram concluídas e as demais se encontram em desenvolvimento, aguardando terceiros, aguardando retorno do solicitante. As principais solicitações de desenvolvimento foram (correções/modificações/melhorias/dúvidas). A seguir serão apresentados alguns dos atendimentos realizados ao longo do trabalho considerado mais importantes, a fim de evitar que este relatório fique demasiadamente longo Solicitação N : Contagem de Anexos/Folhas A equipe do GED Gerenciamento Eletrônico de Documentos que é responsável pela digitalização dos contratos de plano de saúde das UNIMEDS prestadoras, solicitou se haveria uma forma de extrair o número de arquivos eletrônicos em anexo a um contrato, como comprovante de endereço, cópia de CNPJ, CPF, devido a uma auditoria interna, após analise foi constatado que o sistema SE Documento, não possuía este recurso, a solução foi criar uma query que busca-se essas informações na base de dados do sistema, a partir desses dados, foi exportado um relatório com as informações requeridas pelo usuário, como o número do contrato, nome, categoria e total de arquivos eletrônicos por contrato Solicitação N : Filtros UNIMED Federação Este chamado se refere a solicitação de criação de um filtro de importação de dados de clientes de uma base externa ao Infomed, podendo por exemplo importar dados de um sistema de gestão da operadora de plano de saúde, como SGU, esse filtro é um conjunto de critérios que fornecem parâmetro para que o sistema possa fazer as buscas, os critérios que foram requeridos são: beneficiários da UNIMED Tubarão, acima de 40 anos, apresentassem os CIDs E14 e/ou E10 e que realizaram mais de duas hemoglobinas glicada em um ano, a partir dos requisitos foi criado uma query para cada critério e configurar através da funcionalidade do Infomed chamado Critérios de Filtro de Importação, esses filtros são utilizados para tornar mais ágeis as pesquisas do usuários. 19

28 Figura 6 Filtros UNIMED Tubarão. Fonte: Empresa (2012) Solicitação N : referente a notificações de pendências em atraso Essa solicitação se refere ao recebimento de um grande volume de s da pendência de associar novo repositório, que se encontra em atraso, a equipe GED é a responsável por executar essa pendência no SE Arquivo Físico, que consiste em indicar o local do armazenamento físico do documento, após análise na base de dados e no sistema, foi diagnosticado que que o prazo para associar os documento foi definido em 100 anos, devido ao grande volume de contratos, esse prazo se baseia na data da vigência, mais alguns apresentavam o prazo em três anos, devido a um outra definição anterior, a solução foi criar um script SQL que alterava o prazo para 150 anos, que foi definido junto com a requente do chamado. 20

29 Figura 7 - Tabela de temporalidade GED Arquivos Temporários. Fonte: Empresa (2012) Solicitação: Pessoa Física Atributos Constantemente é solicitado a inclusão, alteração, exclusão de um atributo de um contrato, e dentro do SE Documento é possível classificar os contratos em categorias e suas subcategorias, por exemplo os contratos são divididos em pessoa física e pessoa jurídica e as suas subcategorias são os titulares e dependentes, cada categoria possui seus atributos definidos, onde são requisitos que o documento precisa ter, abaixo segue um exemplo de alteração de um valor e o acréscimo em Contrato PF. Alterar o valor Protocolo de entrega de Contrato Assinado ao Contratante para Recibo de entrega de Contrato Assinado ao Contratante. Acrescentar o valor Comprovante de Endereço 21

30 Figura 8 - Novo Atributo. Fonte: Empresa (2012) Solicitação: Recebimento e Recolhimento de Empréstimo Nesta solicitação foi informado que ao realizar um registro de empréstimo, no SE Arquivo Físico, não estava sendo encaminhado para a pendência de recolhimento, que seria a forma de o sistema saber que o documento havia sido emprestado e precisava ser entregue, após analise foi constatado um erro no sistema, ao realizar o o registro, ele não estava carregando a área do setor do responsável pelo empréstimo, no caso o setor de Coordenação de Cadastro, sendo necessário abrir um chamado para o suporte do sistema, que constatou o problema e desenvolveu o patch corretivo e o script que adicionou a área a todos que apresentaram esse erro, a partir daí, foi desenvolvida a especificação e encaminhada para o DBA da da UNIMED, realizar a atualização do sistema e aplicar o script na base de dados da produção. 22

31 Figura 9 - Erro ao registar um empréstimo. Fonte: Empresa (2012) 23

ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE

ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE FERNANDO RODRIGO NASCIMENTO GUSE i ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE EMPRESA: Globalmind Serviços em Tecnologia da Informação LTDA. SETOR: Infra Estrutura SUPERVISOR:

Leia mais

SUPORTE, MANUTENÇÕES E MELHORIAS NOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DA FEDERAÇÃO DAS UNIMEDS DO ESTADO DE SANTA CATARINA

SUPORTE, MANUTENÇÕES E MELHORIAS NOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DA FEDERAÇÃO DAS UNIMEDS DO ESTADO DE SANTA CATARINA CLAYTON IVAN MENDES ESTÁGIO CURRICULAR I e II SUPORTE, MANUTENÇÕES E MELHORIAS NOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DA FEDERAÇÃO DAS UNIMEDS DO ESTADO DE SANTA CATARINA EMPRESA: FEDERAÇÃO DAS UNIMEDS DO ESTADO DE

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Página 1 de 9 1. OBJETIVO Estabelecer as diretrizes básicas pertinentes ao tratamento e manutenção de acervos arquivísticos ou bibliográficos, sejam administrativos, técnicos ou especializados nas instalações

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR II ATIVIDADES DE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS NA UNIMED FEDERAÇÃO DO ESTADO DE SANTA CATARINA

ESTÁGIO CURRICULAR II ATIVIDADES DE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS NA UNIMED FEDERAÇÃO DO ESTADO DE SANTA CATARINA PEDRO DE SOUZA NANDI ESTÁGIO CURRICULAR II ATIVIDADES DE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS NA UNIMED FEDERAÇÃO DO ESTADO DE SANTA CATARINA EMPRESA: UNIMED FEDERAÇÃO DO ESTADO DE SANTA CATARINA SETOR:

Leia mais

Gestão eletrônica de contratos de locação de Shopping Center

Gestão eletrônica de contratos de locação de Shopping Center Gestão eletrônica de contratos de locação de Shopping Center 1. INTRODUÇÃO Os shopping centers têm como parte importante de sua receita a locação de imóveis (salas e lojas) e outros espaços (vagas de garagem,

Leia mais

Relacionamento Clientes

Relacionamento Clientes FENÍCIA CRM & SRM O Fenícia CRM (Customer Relationship Management - Sistema de Gerenciamento do Relacionamento com os Clientes) é uma ferramenta de gestão com foco no cliente, essencial para angariar e

Leia mais

Software. Bem vindo ao mundo do GED e Tecnologias Digitais. Gerenciamento Eletrônico de Documentos, Softwares, e muito mais...

Software. Bem vindo ao mundo do GED e Tecnologias Digitais. Gerenciamento Eletrônico de Documentos, Softwares, e muito mais... Software www.imagecomnet.com.br Bem vindo ao mundo do GED e Tecnologias Digitais Gerenciamento Eletrônico de Documentos, Softwares, e muito mais... A Empresa A Imagecom, uma empresa conceituada no ramo

Leia mais

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR I SUPORTE TI HOSPITALAR

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR I SUPORTE TI HOSPITALAR GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR I SUPORTE TI HOSPITALAR EMPRESA: TRÍPLICE CONSULTORIA E SERVIÇOS LTDA. SETOR: INFORMÁTICA SUPERVISOR: RONALDO GUIZARDI ORIENTADOR: VILSON VIEIRA CURSO DE BACHARELADO EM

Leia mais

Gestão eletrônica do cadastro de corretora de valores

Gestão eletrônica do cadastro de corretora de valores Gestão eletrônica do cadastro de corretora de valores 1. INTRODUÇÃO As corretoras de valores devem armazenar todos os documentos cadastrais de seus clientes para ter acesso a esse material quando necessário.

Leia mais

Apresentação Comercial Gestão Documental

Apresentação Comercial Gestão Documental Apresentação Comercial Gestão Documental Gestão Documental Como é possível administrar sua empresa de forma eficiente? Quais os passos para tornar seu empreendimento mais competitivo? Como é possível saber

Leia mais

FAI CENTRO DE ENSINO SUPERIOR EM GESTÃO, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Manual do Estágio Supervisionado

FAI CENTRO DE ENSINO SUPERIOR EM GESTÃO, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Manual do Estágio Supervisionado FAI CENTRO DE ENSINO SUPERIOR EM GESTÃO, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Manual do Estágio Supervisionado Santa Rita do Sapucaí-MG Janeiro/2011 Sumário 1. Introdução 3 2. O que é

Leia mais

VIAÇÃO SÃO BENTO LTDA.

VIAÇÃO SÃO BENTO LTDA. VIAÇÃO SÃO BENTO LTDA. SISTEMA AUTOMÁTICO DE BILHETAGEM ELETRÔNICA MANUAL DO VTWEB CLIENT CADASTROS /PEDIDOS E PROCEDIMENTOS Resumo Esse manual tem como o seu objetivo principal a orientação de uso do

Leia mais

Declaração de Escopo

Declaração de Escopo 1/9 Elaborado por: Adriano Marra, Bruno Mota, Bruno Leite, Janaina Versão: 1.4 Lima, Joao Augusto, Paulo Takagi, Ricardo Reis. Aprovado por: Porfírio Carlos Roberto Junior 24/08/2010 Time da Equipe de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DE SOFTWARE II. Primeiro Trabalho

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DE SOFTWARE II. Primeiro Trabalho UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DE SOFTWARE II Primeiro Trabalho Descrição do trabalho: Escrever um Documento de Visão. Projeto: Automatização do sistema que

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA DÉBORA DE MEIRA PADILHA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA DÉBORA DE MEIRA PADILHA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA DÉBORA DE MEIRA PADILHA PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO DO SOFTWARE PERGAMUM NA ESCOLA BÁSICA DR. PAULO FONTES Florianópolis

Leia mais

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR II ANÁLISE E SUPORTE EM TI HOSPITALAR

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR II ANÁLISE E SUPORTE EM TI HOSPITALAR GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR II ANÁLISE E SUPORTE EM TI HOSPITALAR EMPRESA: TRÍPLICE CONSULTORIA E SERVIÇOS LTDA. SETOR: INFORMÁTICA SUPERVISOR: RONALDO GUIZARDI ORIENTADOR: VILSON VIEIRA CURSO DE

Leia mais

Ajuda da pesquisa acerca da Governança de TI da Administração Pública Federal

Ajuda da pesquisa acerca da Governança de TI da Administração Pública Federal Ajuda da pesquisa acerca da Governança de TI da Administração Pública Federal 1. Há planejamento institucional em vigor? Deverá ser respondido SIM caso o Órgão/Entidade possua um planejamento estratégico

Leia mais

DataDoc 4.0 Sistema de Gestão de Arquivos. Características do Sistema

DataDoc 4.0 Sistema de Gestão de Arquivos. Características do Sistema DataDoc 4.0 Sistema de Gestão de Arquivos O software DataDoc 4.0 tem como finalidade automatizar a gestão de acervos documentais, englobando todas as fases da documentação. Totalmente desenvolvido em plataforma

Leia mais

Cláudia Araújo Coordenadora Diego Macêdo Programador Marcelo Rodrigues Suporte

Cláudia Araújo Coordenadora Diego Macêdo Programador Marcelo Rodrigues Suporte BCON Sistema de Controle de Vendas e Estoque Declaração de escopo Versão 1.0 Histórico de Revisão Elaborado por: Filipe de Almeida do Amaral Versão 1.0 Aprovado por: Marcelo Persegona 22/03/2011 Time da

Leia mais

Consultório Online. Manual de Utilização do Módulo Operacional. índice. Guias consulta / SADT (Solicitação, Execução com Guia e Autogerada): 4

Consultório Online. Manual de Utilização do Módulo Operacional. índice. Guias consulta / SADT (Solicitação, Execução com Guia e Autogerada): 4 índice Passo 1: Visão geral 3 Passo 2: Como acessar o Consultório Online? 3 Passo 3: Recursos disponíveis 4 Guias consulta / SADT (Solicitação, Execução com Guia e Autogerada): 4 Pesquisa de histórico

Leia mais

Módulo 07 Gestão de Conhecimento

Módulo 07 Gestão de Conhecimento Módulo 07 Gestão de Conhecimento Por ser uma disciplina considerada nova dentro do campo da administração, a gestão de conhecimento ainda hoje tem várias definições e percepções, como mostro a seguir:

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Roberto Simonsen

Faculdade de Tecnologia SENAI Roberto Simonsen 1 SUMÁRIO Conteúdo 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. O CURSO... 3 3. PERFIL DO TECNÓLOGO EM MANUTENÇÃO INDUSTRIAL... 3 4. ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES... 3 5. CONDIÇÕES GERAIS DO ESTÁGIO... 5 6. MATRÍCULA...

Leia mais

MANUAL SCCARD. Rev.00 Aprovação: 16/08/2010 Página 1 de 19

MANUAL SCCARD. Rev.00 Aprovação: 16/08/2010 Página 1 de 19 Rev.00 Aprovação: 16/08/2010 Página 1 de 19 UNIMED BLUMENAU COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO SCCard Sistema de Autorização On-Line O SCCard é a interface web do sistema de autorização da Unimed Blumenau

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO Licenciaturas em: - Geografia - História - Informática - Letras

MANUAL DE ESTÁGIO Licenciaturas em: - Geografia - História - Informática - Letras MANUAL DE ESTÁGIO Licenciaturas em: - Geografia - História - Informática - Letras Rio de Janeiro Julho/2013 1. Apresentação O presente Manual foi reorganizado pelos membros do Colegiado dos Cursos de Licenciatura

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIBLIOTECONOMIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIBLIOTECONOMIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIBLIOTECONOMIA ALINE CRISTINA DE FREITAS ANA CLÁUDIA ZANDAVALLE CAMILA RIBEIRO VALERIM FERNANDO DA COSTA PEREIRA

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Página 1 de 10 1. OBJETIVO Estabelecer as diretrizes básicas pertinentes a Guarda de Documentos de Terceiros. 2. APLICAÇÃO Este procedimento aplica-se aos processos da guarda de documentos de terceiros,

Leia mais

O PAINEL OUVIDORIA COMO PRÁTICA DE GESTÃO DAS RECLAMAÇÕES NA CAIXA

O PAINEL OUVIDORIA COMO PRÁTICA DE GESTÃO DAS RECLAMAÇÕES NA CAIXA PRÁTICA 1) TÍTULO O PAINEL OUVIDORIA COMO PRÁTICA DE GESTÃO DAS RECLAMAÇÕES NA CAIXA 2) DESCRIÇÃO DA PRÁTICA - limite de 8 (oito) páginas: A Ouvidoria da Caixa, responsável pelo atendimento, registro,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) nº 001/2009

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) nº 001/2009 TERMO DE REFERÊNCIA (TR) nº 001/2009 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultor (a) para desenvolver, treinar e implantar o Sistema de Gestão de Projetos do IBAMA. 2 JUSTIFICATIVA 2.1 Contextualização: O

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS ALEXANDRE PRADO BARBOSA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Ponta Grossa 2012 ALEXANDRE PRADO BARBOSA Relatório

Leia mais

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF)

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) Maio de 2007 Maria Rachel Barbosa Fundação Trompovsky (Apoio ao NEAD CENTRAN) rachel@centran.eb.br Vanessa Maria

Leia mais

RANKING DE INTERCÂMBIO

RANKING DE INTERCÂMBIO RANKING DE INTERCÂMBIO Ranking de Intercâmbio A Unimed do Brasil na busca pela qualificação dos processos operacionais do Sistema Unimed, vem trabalhando na modernização do Ranking de Intercâmbio, de forma

Leia mais

MANUAL OPERACIONAL. PTU Web

MANUAL OPERACIONAL. PTU Web MANUAL OPERACIONAL PTU Web Versão 8.0 24/08/2011 ÍNDICE Índice... 2 PTU Web... 4 O que é o PTU Web?... 4 Como acessar o PTU Web?... 4 Listagem de arquivos enviados e recebidos... 5 Unimeds disponíveis

Leia mais

Módulo 4: Gerenciamento de Dados

Módulo 4: Gerenciamento de Dados Módulo 4: Gerenciamento de Dados 1 1. CONCEITOS Os dados são um recurso organizacional decisivo que precisa ser administrado como outros importantes ativos das empresas. A maioria das organizações não

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR FABRA GUIA DE APRESENTAÇÃO DA MATÉRIA ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR FABRA GUIA DE APRESENTAÇÃO DA MATÉRIA ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CENTRO DE ENSINO SUPERIOR FABRA GUIA DE APRESENTAÇÃO DA MATÉRIA ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Serra 2013 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 OBJETIVOS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO.... 4 ACOMPANHAMENTO

Leia mais

GSAN SOFTWARE COMERCIAL LIVRE MODELO DE DESENVOLVIMENTO COLABORATIVO

GSAN SOFTWARE COMERCIAL LIVRE MODELO DE DESENVOLVIMENTO COLABORATIVO GSAN SOFTWARE COMERCIAL LIVRE MODELO DE DESENVOLVIMENTO COLABORATIVO José Maria Villac Pinheiro (1) Engenheiro pela Universidade de São Paulo USP Escola de Engenharia de São Carlos EESC. Especialização

Leia mais

Figura 1 - Arquitetura multi-camadas do SIE

Figura 1 - Arquitetura multi-camadas do SIE Um estudo sobre os aspectos de desenvolvimento e distribuição do SIE Fernando Pires Barbosa¹, Equipe Técnica do SIE¹ ¹Centro de Processamento de Dados, Universidade Federal de Santa Maria fernando.barbosa@cpd.ufsm.br

Leia mais

Processo Aplicado Contabilidade EV Doc

Processo Aplicado Contabilidade EV Doc Processo Aplicado Contabilidade EV Doc EV DOC DIGITALIZAÇÃO E GESTÃO ELETRÔNICA DE DOCUMENTOS (GED) Digitalize e gerencie de forma simples os documentos e informações de sua empresa utilizando uma plataforma

Leia mais

ÁREA: CONTÁBIL / FISCAL / ADM / RH / ECONOMIA / PUBLICIDADE

ÁREA: CONTÁBIL / FISCAL / ADM / RH / ECONOMIA / PUBLICIDADE ÁREA: CONTÁBIL / FISCAL / ADM / RH / ECONOMIA / PUBLICIDADE AUX. ADMINISTRATIVO Escolaridade: Superior em Administração, Ciências Contábeis e/ou áreas afins Experiência: Necessário experiência com lançamentos

Leia mais

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br Corporativo Transformar dados em informações claras e objetivas que possibilitem às empresas tomarem decisões em direção ao sucesso. Com essa filosofia a Star Soft Indústria de Software e Soluções vem

Leia mais

MANUAL DE RECURSOS HUMANOS

MANUAL DE RECURSOS HUMANOS 2012 MANUAL DE RECURSOS HUMANOS Seja Bem Vindo! É motivo de grande satisfação tê-lo como cliente. Este manual tem como objetivo fornecer aos administradores do Benefício Odontológico nas empresas, todas

Leia mais

CA Mainframe Chorus for DB2 Database Management Version 2.0

CA Mainframe Chorus for DB2 Database Management Version 2.0 FOLHA DO PRODUTO CA Mainframe Chorus for DB2 Database Management CA Mainframe Chorus for DB2 Database Management Version 2.0 Simplifique e otimize seu DB2 para tarefas de gerenciamento de carga de trabalho

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE E MONITORAMENTO

ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE E MONITORAMENTO THALLES GRESCHECHEN ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE E MONITORAMENTO EMPRESA: NEOGRID INFORMÁTICA S/A SETOR: SUPORTE E MONITORAMENTO SUPERVISOR: FÁBIO ROBERTO MENDES ORIENTADOR: PROF. GERSON VOLNEY LAGEMANN

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DIDÁTICO DE PRÁTICAS EM ADMINISTRAÇÃO E ESCRITÓRIO MULTIMÍDIA DO DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ADMINISTRAÇÃO - UNIR - CACOAL

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DIDÁTICO DE PRÁTICAS EM ADMINISTRAÇÃO E ESCRITÓRIO MULTIMÍDIA DO DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ADMINISTRAÇÃO - UNIR - CACOAL REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DIDÁTICO DE PRÁTICAS EM ADMINISTRAÇÃO E ESCRITÓRIO MULTIMÍDIA DO DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ADMINISTRAÇÃO - UNIR - CACOAL TÍTULO I - DO LABORATÓRIO DIDÁTICO CAPÍTULO I - DA ORGANIZAÇÃO

Leia mais

Agenda. A Empresa História Visão Conceito dos produtos

Agenda. A Empresa História Visão Conceito dos produtos Agenda A Empresa História Visão Conceito dos produtos Produto Conceito Benefícios Vantagens: Criação Utilização Gestão Segurança Integração Mobilidade Clientes A empresa WF História Em 1998, uma ideia

Leia mais

PLANEJAMENTO DO PROJETO

PLANEJAMENTO DO PROJETO PLANEJAMENTO DO PROJETO 1 APRESENTAÇÃO DO PROJETO O presente projeto foi aberto para realizar a gestão de todos os processos de prestação de serviços de informática, fornecimento de licença de uso perpétua,

Leia mais

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD.

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 203. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. GESTÃO EAD Os currículos deverão ser encaminhados para o endereço eletrônico

Leia mais

A IFOUR ÁREAS DE ATUAÇÃO

A IFOUR ÁREAS DE ATUAÇÃO A IFOUR Fundada em 2000, a ifour Sistemas conta com sedes em Viçosa e Muriaé. Atua no desenvolvimento de soluções completas para gestão empresarial (automação), envolvendo software e equipamentos para

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO APRESENTAÇÃO Dispõe sobre as normas para realização de Estágio Supervisionado pelos acadêmicos da Faculdade de Belém FABEL. O presente regulamento normatiza o Estágio

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Organização: Evanildo Vieira dos Santos Bibliotecário CRB7-4861

MANUAL DO USUÁRIO. Organização: Evanildo Vieira dos Santos Bibliotecário CRB7-4861 MANUAL DO USUÁRIO Organização: Evanildo Vieira dos Santos Bibliotecário CRB7-4861 Rio de Janeiro INPI/CEDIN 2014 BIBLIOTECA DO INPI Vinculada ao Centro de Disseminação da Informação Tecnológica (CEDIN),

Leia mais

Autores/Grupo: TULIO, LUIS, FRANCISCO e JULIANO. Curso: Gestão da Tecnologia da Informação. Professor: ITAIR PEREIRA DA SILVA GESTÃO DE PESSOAS

Autores/Grupo: TULIO, LUIS, FRANCISCO e JULIANO. Curso: Gestão da Tecnologia da Informação. Professor: ITAIR PEREIRA DA SILVA GESTÃO DE PESSOAS Autores/Grupo: TULIO, LUIS, FRANCISCO e JULIANO Curso: Gestão da Tecnologia da Informação Professor: ITAIR PEREIRA DA SILVA GESTÃO DE PESSOAS ORGANOGRAMA FUNCIANOGRAMA DESENHO DE CARGO E TAREFAS DO DESENVOLVEDOR

Leia mais

Request For Proposal (RFP) Desenvolvimento de um Web Site para a Varella Vídeo

Request For Proposal (RFP) Desenvolvimento de um Web Site para a Varella Vídeo Request For Proposal (RFP) Desenvolvimento de um Web Site para a Varella Vídeo OBJETIVO O objetivo deste documento elaborado pela Varella Vídeo é fornecer as informações necessárias para que empresas cuja

Leia mais

CONTROLE DE COPIA: PO-AM-TI-025 TELEFONIA MÓVEL 10/07/2015

CONTROLE DE COPIA: PO-AM-TI-025 TELEFONIA MÓVEL 10/07/2015 1/6 1. OBJETIVO Estabelecer a sistemática para concessão de linhas telefônicas móveis, aparelhos e modens, ao pessoal, Técnico, Administrativo e Operacional das empresas do Grupo Santa Helena. Este procedimento

Leia mais

Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.

Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4. Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5 Por: Fabio Pozzebon Soares Página 1 de 11 Sistema ProJuris é um conjunto de componentes 100% Web, nativamente integrados, e que possuem interface com vários idiomas,

Leia mais

PROJETO BÁSICO CALL CENTER

PROJETO BÁSICO CALL CENTER PROJETO BÁSICO CALL CENTER 1 Projeto Básico da Contratação de Serviços: 1.1 O presente Projeto Básico consiste na descrição dos serviços que serão prestados por empresa especializada em serviços de Call

Leia mais

Explorando o SharePoint como ferramenta de uma nova Gestão de Documentos Corporativos

Explorando o SharePoint como ferramenta de uma nova Gestão de Documentos Corporativos Explorando o SharePoint como ferramenta de uma nova Gestão de Documentos Marcos Moysés da Cunha marcos.cunha@eletrobras.com (21) 2514-5695 Gestão de Documentos SharePoint GED... caminho... Gestão de Documentos

Leia mais

Extração de indicadores Garantias Ocorrências. Agenda de vendas Gestão de qualidade Históricos Agenda de tarefas

Extração de indicadores Garantias Ocorrências. Agenda de vendas Gestão de qualidade Históricos Agenda de tarefas Fenícia CRM & SRM Introdução O Fenícia CRM (Customer Relationship Management - Sistema de Gerenciamento do Relacionamento com os Clientes) é uma ferramenta de gestão com foco no cliente, essencial para

Leia mais

ACOMPANHAMENTO GERENCIAL SANKHYA

ACOMPANHAMENTO GERENCIAL SANKHYA MANUAL DE VISITA DE ACOMPANHAMENTO GERENCIAL SANKHYA Material exclusivo para uso interno. O QUE LEVA UMA EMPRESA OU GERENTE A INVESTIR EM UM ERP? Implantar um ERP exige tempo, dinheiro e envolve diversos

Leia mais

1 SOBRE O PORTAL TRANSPES (e-transp)

1 SOBRE O PORTAL TRANSPES (e-transp) SUMÁRIO 1 SOBRE O PORTAL TRANSPES (e-transp)... 3 2 REQUISITOS PARA UTILIZAÇÃO DO SISTEMA... 4 3 ACESSO AO SISTEMA (ATORES: TRANSPES/ CLIENTE)... 5 4 PRIMEIROS PASSOS (CADASTROS)... 7 4.1 Cadastros de

Leia mais

NORMAS DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA

NORMAS DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA 2015 SUMÁRIO 1 - DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 3 2 - OBJETIVO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO... 3 3 - ACOMPANHAMENTO E ORGANIZAÇÃO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO... 4 4 - EXEMPLO DE ÁREAS PARA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO...

Leia mais

Importância do GED. Implantação de um Sistema de GED

Importância do GED. Implantação de um Sistema de GED Implantação de um Sistema de GED Gerenciamento Eletrônico de Documentos Importância do GED O GED tem uma importante contribuição na tarefa da gestão eficiente da informação; É a chave para a melhoria da

Leia mais

DOCUMENTO DE REQUISITOS

DOCUMENTO DE REQUISITOS 1/38 DOCUMENTO DE REQUISITOS GED Gerenciamento Eletrônico de Documentos Versão 1.1 Identificação do Projeto CLIENTE: NOME DO CLIENTE TIPO DO SISTEMA OU PROJETO Participantes Função Email Abilio Patrocinador

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SGP-104-R00 FÉRIAS DOS SERVIDORES

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SGP-104-R00 FÉRIAS DOS SERVIDORES MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SGP-104-R00 FÉRIAS DOS SERVIDORES 10/2015 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO 2 02 de outubro de 2015. Aprovado, Antonia Valeria Martins Maciel 3 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO

Leia mais

SISTEMA DE SOLUÇÕES PARA GESTÃO DE CLÍNICAS DE DIAGNÓSTICO POR IMAGENS

SISTEMA DE SOLUÇÕES PARA GESTÃO DE CLÍNICAS DE DIAGNÓSTICO POR IMAGENS SISTEMA DE SOLUÇÕES PARA GESTÃO DE CLÍNICAS DE DIAGNÓSTICO POR IMAGENS OBJETIVO DA SOLUÇÃO GERCLIM WEB A solução GERCLIM WEB tem por objetivo tornar as rotinas administrativas e profissionais de sua clínica,

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 Versão 1.0 1 APRESENTAÇÃO O Planejamento

Leia mais

Gestão de Acervos Municipais: Físico, Digitalizado e Memória

Gestão de Acervos Municipais: Físico, Digitalizado e Memória Gestão de Acervos Municipais: Físico, Digitalizado e Memória Erenilda Custódio dos Santos Amaral Salvador Objetivo; Motivação; Proposta; AGENDA O que se entende nesta proposta como Política de Gestão Documental;

Leia mais

CIGAM SOFTWARE CORPORATIVA LTDA.

CIGAM SOFTWARE CORPORATIVA LTDA. CIGAM SOFTWARE CORPORATIVA LTDA. Raquel Engeroff Neusa Cristina Schnorenberger Novo Hamburgo RS Vídeo Institucional Estratégia Visão Missão Ser uma das 5 maiores empresas de software de gestão empresarial

Leia mais

COORDENAÇÃO DE ESTÁGIO KIT ALUNO ESTÁGIO PASSO A PASSO

COORDENAÇÃO DE ESTÁGIO KIT ALUNO ESTÁGIO PASSO A PASSO COORDENAÇÃO DE ESTÁGIO KIT ALUNO ESTÁGIO PASSO A PASSO Maceió/2014 1º PASSO: PREENCHIMENTO DO CADASTRO DO ALUNO COORDENAÇÃO DE ESTÁGIOS CADASTRO DO ALUNO Curso: Período que Cursa: Matrícula: Nome Completo:

Leia mais

Impresso em 27/08/2015 12:17:14 (Sem título)

Impresso em 27/08/2015 12:17:14 (Sem título) Aprovado ' Elaborado por Leonardo Camargo/BRA/VERITAS em 07/08/2013 Verificado por Sidney Santos em 09/12/2013 Aprovado por Sergio Suzuki/BRA/VERITAS em 09/12/2013 ÁREA LNS Tipo Instrução Administrativa

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA DE FORNECEDORES 007/2015 - ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA DE FORNECEDORES 007/2015 - ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA DE FORNECEDORES 007/2015 - ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. IDENTIFICAÇÃO Coordenação: Profª. Ingrid Eleonora Schreiber Jansch Pôrto Centro de Empreendimentos em Informática da

Leia mais

PROCESSO SELETIVO Edital 01/2015 Serviço de Inclusão Produtiva

PROCESSO SELETIVO Edital 01/2015 Serviço de Inclusão Produtiva PROCESSO SELETIVO Edital 01/2015 Serviço de Inclusão Produtiva A Casa de Acolhimento e Orientação à Crianças e Adolescentes (CAOCA), em parceria com a Secretaria de Assistência Social de Vitória (Semas),

Leia mais

Perfil. Nossa estratégia de crescimento reside na excelência operacional, na inovação, no desenvolvimento do produto e no foco no cliente.

Perfil. Nossa estratégia de crescimento reside na excelência operacional, na inovação, no desenvolvimento do produto e no foco no cliente. Institucional Perfil A ARTSOFT SISTEMAS é uma empresa Brasileira, fundada em 1986, especializada no desenvolvimento de soluções em sistemas integrados de gestão empresarial ERP, customizáveis de acordo

Leia mais

Manual do usuário. Acesso ao GEFAU

Manual do usuário. Acesso ao GEFAU Manual do usuário Acesso ao GEFAU Fev/2015 GEFAU PORTAL DO EMPREENDEDOR Conteúdo Introdução... 2 1. Acesso ao GEFAU... 3 2. Cadastro de empreendimentos... 5 2.1. Consulta aos empreendimentos do usuário...

Leia mais

Portal RH WEB Versão 3.6.6 - Full

Portal RH WEB Versão 3.6.6 - Full Portal RH WEB Versão 3.6.6 - Full = z A principal característica do portal RH é permitir a descentralização das informações dos colaboradores, possibilitando que o gestor de área se transforme também num

Leia mais

PROCESSO ELETRÔNICO PADRÃO TISS. Agosto/2014

PROCESSO ELETRÔNICO PADRÃO TISS. Agosto/2014 PROCESSO ELETRÔNICO PADRÃO TISS Agosto/2014 PADRÃO DE TROCA DE INFORMAÇÕES NA SAÚDE SUPLEMENTAR Padrão TISS Histórico e Consulta Pública nº 43 Padrão TISS - Versão 3.0 3 Histórico RN 305 09/10/2012 - Termo

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Ponta Grossa 2012 ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Trabalho elaborado pelo

Leia mais

NORMA CONTROLE DO PARQUE DE INFORMÁTICA

NORMA CONTROLE DO PARQUE DE INFORMÁTICA CONTROLE DO PARQUE DE INFORMÁTICA Data: 17 de dezembro de 2009 Pág. 1 de 13 SUMÁRIO SUMÁRIO 2 1. INTRODUÇÃO 3 2. FINALIDADE 3 3. ÂMBITO DE APLICAÇÃO 3 4. PADRONIZAÇÃO DOS RECURSOS DE T.I. 4 5. AQUISIÇÃO

Leia mais

Tecnologias de GED Simone de Abreu

Tecnologias de GED Simone de Abreu Tecnologias de GED Simone de Abreu A rapidez na localização da informação contida no documento é hoje a prioridade das empresas e organizações, já que 95% das informações relevantes para o processo de

Leia mais

1. DOTPROJECT. 1.2. Tela Inicial

1. DOTPROJECT. 1.2. Tela Inicial 1 1. DOTPROJECT O dotproject é um software livre de gerenciamento de projetos, que com um conjunto simples de funcionalidades e características, o tornam um software indicado para implementação da Gestão

Leia mais

Ano III - Número 16. Versão 4.6.4

Ano III - Número 16. Versão 4.6.4 Versão 4.6.4 Sexta-feira, 08 de fevereiro de 2008 ÍNDICE 3 4 EDITORIAL NOVAS FUNCIONALIDADES 4 12 13 14 15 16 Novo Cronograma 4 5 5 6 7 8 8 9 9 10 10 Edição Rápida do Cronograma Recurso de Arrastar e Soltar

Leia mais

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS A decisão de automatizar 1 A decisão de automatizar Deve identificar os seguintes aspectos: Cultura, missão, objetivos da instituição; Características

Leia mais

AMTEC FATURAMENTO ELETRÔNICO IMAS MANUAL

AMTEC FATURAMENTO ELETRÔNICO IMAS MANUAL AMTEC FATURAMENTO ELETRÔNICO IMAS MANUAL GOIÂNIA MAIO/2011 Direito de Cópia 2011 pela Gerência do Departamento de Desenvolvimento de Sistemas da AMTEC. 2011 1ª Edição Este documento ou parte dele não pode

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO DE PESSOAS

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO DE PESSOAS FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO DE PESSOAS PROFESSOR: Itair Pereira da Silva DISCENTES: Maria das Graças João Vieira Rafael Vitor ORGANOGRAMA PRESIDENTE GERENTE

Leia mais

Autorização de uso do MDF-e implicará em registro posterior dos eventos, nos documentos fiscais eletrônicos nele relacionados.

Autorização de uso do MDF-e implicará em registro posterior dos eventos, nos documentos fiscais eletrônicos nele relacionados. MDF-e - Nota Técnica 2015.001 Produto : Datasul, MFT (Faturamento), TOTVS 12 Projeto : PCREQ-3414 Data da : 23/02/2015 Data da revisão : 23/02/2015 criação Banco(s) de País(es) : Brasil : Todos Dados Implementada

Leia mais

CADASTRO DO PCMSO INTERNO 1. OBJETIVO. Padronizar o processo de confecção do PCMSO Interno. 2. DEFINIÇÃO E CONCEITO

CADASTRO DO PCMSO INTERNO 1. OBJETIVO. Padronizar o processo de confecção do PCMSO Interno. 2. DEFINIÇÃO E CONCEITO 1/8 1. OBJETIVO Padronizar o processo de confecção do PCMSO Interno. 2. DEFINIÇÃO E CONCEITO PCMSO Programa de Controle Médico da Saúde Ocupacional; PPRA Programa de Prevenção de Riscos Ambientais; PCMAT

Leia mais

Há mais de 10 anos ajudando igrejas de todo o Brasil a se fortalecer, crescer e cumprir sua missão. Marcos Antonio Bassoli

Há mais de 10 anos ajudando igrejas de todo o Brasil a se fortalecer, crescer e cumprir sua missão. Marcos Antonio Bassoli Informatize sua igreja com a Gileade Sistemas! A empresa A Gileade Sistemas busca o que há de melhor em tecnologia para oferecer às igrejas soluções que auxiliem na organização administrativa e que possam,

Leia mais

Soluções em Tecnologia da Informação

Soluções em Tecnologia da Informação Soluções em Tecnologia da Informação Curitiba Paraná Salvador Bahia A DTS Sistemas é uma empresa familiar de Tecnologia da Informação, fundada em 1995, especializada no desenvolvimento de soluções empresariais.

Leia mais

Introdução. Vantagens. Utilização

Introdução. Vantagens. Utilização Introdução O Sistema de Transferência de Propriedade online permite ao Proprietário transferir a Propriedade de um animal de forma alienada ou não, sem a necessidade de encaminhamento da Guia de Transferência

Leia mais

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI Nome da Empresa Documento Visão Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 23/02/2015 1.0 Início do projeto Anderson, Eduardo, Jessica, Sabrina, Samuel 25/02/2015 1.1 Correções Anderson e Eduardo

Leia mais

Autorizador Plasc TISS Web. - Manual de Instrução-

Autorizador Plasc TISS Web. - Manual de Instrução- Autorizador Plasc TISS Web - Manual de Instrução- A ANS estabeleceu um padrão de Troca de Informação em Saúde Suplementar - TISS para registro e intercâmbio de dados entre operadoras de planos privados

Leia mais

NORMA TÉCNICA PARA IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SISTEMAS OU APLICAÇÕES NO BANCO DE DADOS CORPORATIVO

NORMA TÉCNICA PARA IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SISTEMAS OU APLICAÇÕES NO BANCO DE DADOS CORPORATIVO NORMA TÉCNICA PARA IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SISTEMAS OU APLICAÇÕES NO BANCO DE DADOS CORPORATIVO Referência: NT-AI.04.02.01 http://www.unesp.br/ai/pdf/nt-ai.04.02.01.pdf Data: 27/07/2000 STATUS: EM VIGOR A

Leia mais

MANUAL FATURAMENTO SERVIÇOS MÉDICOS/CONTAS MÉDICAS

MANUAL FATURAMENTO SERVIÇOS MÉDICOS/CONTAS MÉDICAS MANUAL FATURAMENTO SERVIÇOS MÉDICOS/CONTAS MÉDICAS ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...3 2. INFORMAÇÕES REGULAMENTARES:...3 3. ACESSO AO SISTEMA...3 4. INCLUSÃO DE USUÁRIOS...4 5. FATURAMENTO ELETRÔNICO...5 6. GUIA

Leia mais

REGULAMENTO Prêmio IEL de Estágio 2014

REGULAMENTO Prêmio IEL de Estágio 2014 REGULAMENTO Prêmio IEL de Estágio 2014 Curitiba, Fevereiro de 2014 Sumário 1. O PRÊMIO... 3 2. OBJETIVOS... 4 3. CATEGORIAS DE PREMIAÇÃO... 5 4. ETAPAS DE AVALIAÇÃO... 5 5. PREMIAÇÃO... 5 6. PARTICIPAÇÃO/INSCRIÇÃO...

Leia mais

Política de Atendimento Técnico, Suporte e Assistência aos softwares SiplanControl-M

Política de Atendimento Técnico, Suporte e Assistência aos softwares SiplanControl-M Política de Atendimento Técnico, Suporte e Assistência aos softwares SiplanControl-M 1. Introdução a política 2. Quem está elegível para solicitar suporte? 3. Horário de atendimento 4. Que tempo de resposta

Leia mais

Thalita Moraes PPGI Novembro 2007

Thalita Moraes PPGI Novembro 2007 Thalita Moraes PPGI Novembro 2007 A capacidade dos portais corporativos em capturar, organizar e compartilhar informação e conhecimento explícito é interessante especialmente para empresas intensivas

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores. Trabalho Interdisciplinar Semestral. 3º semestre - 2012.1

Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores. Trabalho Interdisciplinar Semestral. 3º semestre - 2012.1 Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores Trabalho Interdisciplinar Semestral 3º semestre - 2012.1 Trabalho Semestral 3º Semestre Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores Apresentação

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO BASEADO NA NORMA ABNT 21:204.01-010 A Política de segurança da informação, na empresa Agiliza Promotora de Vendas, aplica-se a todos os funcionários, prestadores de

Leia mais

Banco do Brasil S.A. Consulta ao Mercado - RFP - Request for Proposa Aquisição de Ferramenta de Gestão de Limites Dúvida de Fornecedor

Banco do Brasil S.A. Consulta ao Mercado - RFP - Request for Proposa Aquisição de Ferramenta de Gestão de Limites Dúvida de Fornecedor 1. Em relação ao módulo para Atribuição de Limites, entendemos que Banco do Brasil busca uma solução para o processo de originação/concessão de crédito. Frente a essa necessidade, o Banco do Brasil busca

Leia mais

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG POSIÇAO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG POSIÇAO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 SUPERINTENDÊNCIA DE CONTROLE GERÊNCIA DE CONTROLE DE TESOURARIA ANÁLISE DE RISCO OPERACIONAL RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG POSIÇAO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 Belo Horizonte

Leia mais

PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO Compra Direta - Guia do Fornecedor PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO Página As informações contidas neste documento, incluindo quaisquer URLs e outras possíveis referências a web sites, estão sujeitas

Leia mais

INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS

INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS Cilene Loisa Assmann (UNISC) cilenea@unisc.br Este estudo de caso tem como objetivo trazer a experiência de implantação

Leia mais