Medida Provisória n.º , de Emenda Aditiva. Inclua-se no texto da MP da referência os seguintes artigos:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Medida Provisória n.º 2229-43, de 2001. Emenda Aditiva. Inclua-se no texto da MP da referência os seguintes artigos:"

Transcrição

1 Medida Provisória n.º , de 2001 Emenda Aditiva Inclua-se no texto da MP da referência os seguintes artigos: Art.. Fica reestruturada Carreira Previdenciária, de que trata a Lei nº , de 26 de dezembro de 2001, no grupo de gestão da administração pública federal, que passa a denominar-se Carreira de Especialista em Políticas e Gestão Previdenciária, integrada por cargos efetivos, estruturado em Classes A, B, C e Especial e respectivos padrões, enquadrando-se os servidores ativos, aposentados, bem como pensionistas, ocupantes dos cargos efetivos dos Quadros de Pessoal do Ministério da Previdência Social MPS e do Instituto Nacional do Seguro Social INSS, sem qualquer alteração de nível e padrão de vencimento, de acordo com a natureza das atribuições, a nova estrutura de cargos e os macroprocessos organizacionais. Art. São transformados em cargos efetivos da Carreira de Especialista em Políticas e Gestão Previdenciária os seguintes cargos efetivos ocupados e vagos, de que tratam a Lei nº , de 26 de dezembro de 2001 e a Lei nº10.483, de 03 de julho de 2002, e os criados na Carreira Previdenciária pela Lei nº10.667, de 14 de maio de 2003, integrantes dos Quadros de Pessoal do Ministério da Previdência Social MPS e do Instituto Nacional do Seguro Social INSS:

2 I - os cargos de níveis superior, intermediário e auxiliar, regidos pela Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990, de que trata a Lei nº , de 26 de dezembro de 2001 e os cargos de Analista Previdenciário e Técnico Previdenciário criados na Carreira Previdenciária pela Lei nº10.667, de 14 de maio de 2003, integrantes do Quadro de Pessoal do Instituto Nacional do Seguro Social INSS: II - os cargos de níveis superior, intermediário e auxiliar, regidos pela Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990, de que trata a Lei nº10.483, de 03 de julho de 2002, da Carreira Seguridade Social e Trabalho, integrantes do Quadro de Pessoal do Ministério da Previdência Social MPS; Parágrafo único. O desenvolvimento nos cargos efetivos da Carreira de Especialista em Políticas e Gestão Previdenciária ocorrerá mediante avaliação de desempenho e treinamento, observados os interstícios e processo de capacitação e aperfeiçoamento específicos definidos de acordo com a natureza das atribuições e os macroprocessos organizacionais. Art. O Poder Executivo fixará, em ato próprio, no prazo máximo de 30 (trinta) dias a partir da publicação da lei, as atribuições básicas; quantidade, denominação e estrutura de cargos efetivos; tabela de enquadramento; tabela de vencimentos; ingresso por concurso público; a forma de desenvolvimento, bem como os demais requisitos e condições necessárias ao enquadramento imediato na Carreira de Especialista em Políticas e Gestão Previdenciária, observado o exercício das competências

3 do Ministério da Previdência Social MPS e do Instituto Nacional do Seguro Social INSS, e outras questões determinadas em função de exigências legais ou a critério da administração pública federal. Justificativa A Previdência Social é um órgão de grande magnitude e diferenciado na estrutura administrativa do Governo Federal. Sua movimentação financeira anual supera a casa dos R$ 200 bilhões; o número de beneficiários alcança o patamar de 21 milhões de pessoas e o de contribuintes ultrapassa 27 milhões de trabalhadores. Além disso, a Previdência Social atua disseminada, por todo o País, nos mais distantes municípios, cumprindo seu nobre papel de prestar atendimento e cobertura previdenciária a milhões de cidadãos brasileiros,

4 cuja a dimensão e importância social não tem paralelo na própria Administração Federal. Essa crescente discrepância entre a missão da Previdência Social e a estrutura funcional que lhe dá sustentação tem trazido enormes problemas para sua vasta clientela e para os próprios servidores, submetidos a uma pressão insuportável, realizando um trabalho meritório, complexo e de grande responsabilidade, sem qualquer perspectiva de crescimento e profissionalização. A proposta de reestruturação da denominada Carreira Previdenciária, criada pela Lei nº /01, busca adequações funcionais compatíveis com os grandes objetivos e o macroprocessos organizacionais da Previdência Social, é um imperativo de governo, capaz de assegurar um desenvolvimento constante do Órgão, em proveito especialmente de sua clientela.

5 Daí que, a Carreira de Especialista em Políticas e Gestão Previdenciária, de que trata a presente emenda, mediante um moderno tratamento nessa matéria, compatibiliza a estrutura previdenciária com uma forma de gestão apropriada, reduzindo a multiplicidade de cargos inadequadamente estruturados hoje existentes na Previdência Social, que passam a ser organizados em uma única carreira com classes e padrões de acordo com as natureza das atribuições, o que facilita, simplifica e flexibiliza a gestão dos recursos humanos, ao mesmo tempo que estimula definitivamente o funcionalismo da Casa, que passa a ter concretamente a perspectiva de crescer na carreira, mediante um sistemático processo de capacitação e aperfeiçoamento profissional. As vantagens da nova Carreira podem ser assim sintetizadas : simplificação e flexibilidade no aproveitamento e movimentação de recursos humanos; redução do número de cargos, com ampliação e adequação da natureza das atribuições;

6 não impacta, de imediato, a folha de pagamento dos servidores do MPS e do INSS, eis que eles serão enquadrados no mesmo nível e padrão da tabela de vencimentos em que atualmente se encontram; organiza e otimiza os quadros de pessoal dos dois Orgãos, melhorando e harmonizando a gestão dos recursos humanos, de forma coerente com os objetivos e metas institucionais; enseja a profissionalização do servidor, uma necessidade urgente na sensível área previdenciária; incentiva o auto-desenvolvimento do servidor em função da possibilidade futura de melhor posicionamento em função do desempenho e do processos de capacitação e aperfeiçoamento, observados os superiores interesses da Administração.

7 Por fim, a emenda comete ao Poder Executivo, no prazo de trinta dias, definir as atribuições básicas, tabela de vencimentos, formas de ingresso e de desenvolvimento funcional na Carreira e outras ações destinadas à pronta implantação da nova Carreira de Especialista em Políticas e Gestão Previdenciária que, temos certeza, marcará um novo tempo na Previdência Social brasileira. Sala das Sessões em Senador Paulo Octávio

8 CARREIRA ESPECIALISTA EM POLÍTICAS E GESTÃO PREVIDENCIÁRIA /2004. ESTUDOS PRELIMINARES: PROPOSTAS A e PROPOSTA B. PROPOSTA A CARREIRA ESPECIALISTA EM POLÍTICAS E GESTÃO PREVIDENCIÁRIA Art. Esta dispõe sobre a reestruturação da Carreira Previdenciária, de que trata as Lei n , de 26 de dezembro de 2001, no grupo de gestão da administração pública federal, que passa a denominar-se Carreira de Especialista em Políticas e Gestão Previdenciária, Art. 2 A Carreira Previdenciária, de que trata as Lei n , de 26 de dezembro de 2001, passa a denominar-se Carreira de Especialista e Gestão Previdenciária, integrada pelos cargos efetivos de Analista Previdenciário, de nível superior, Técnico Previdenciário, de nível médio, e Auxiliar Previdenciário, de nível básico, estruturados em classes e padrões, na forma dos Anexos I. Art. São atribuições dos cargos efetivos da Carreira de Especialista e Gestão Previdenciária, no exercício das competências do Ministério da Previdência Social MPS e no Instituto Nacional do Seguro Social - INSS I de Analista Previdenciário desempenho de todas as atividades de caráter técnico de nível superior, inerentes a administração, planejamento, organização, supervisão, controle, benefícios, arrecadação, auditoria interna, cálculos atuárias, estudos técnicos e estatísticos, tecnologia e informações, contábeis e outras de natureza organizacional, administrativas, logísticas, formulação e implementação de políticas e gestão de instituições previdenciárias. II de Técnico Previdenciário desempenho das atividades de suporte técnico, administrativo e logísticas especializadas em todas as áreas institucionais. III de Auxiliar Previdenciário - desempenho das atividades administrativas e logísticas da área de serviços gerais. Parágrafo único O detalhamento das atribuições, as áreas de atividades, requisitos e demais condições serão estabelecidos em ato próprio do Poder Executivo, de acordo com as áreas de atuação e especialidades concernentes ao exercício das competências a cargo do MPS e do INSS, determinadas em função de exigências legais ou a critério da administração.

9 Art- O ingresso nos cargos da Carreira Especialista e Gestão Previdenciária far-se-á mediante concurso público de provas ou de provas e títulos, para o padrão inicial da classe inicial do respectivo cargo, observados os requisitos de escolaridade, formação e experiências específicas e demais condições fixadas no respectivo edital. Art. São requisitos de escolaridade para ingresso na Carreira de Especialista e Gestão Previdenciária: I para o cargo de Analista Previdenciário diploma de conclusão de nível superior ou habilitação legal equivalente e, se for o caso, com habilitação legal específica, conforme definido no edital do concurso; II para o cargo de Técnico Previdenciário - certificado de conclusão de ensino médio e, se for o caso, habilitação legal específica, conforme definido no edital do concurso. III para o cargo de Auxiliar Previdenciário certificado de conclusão do ensino fundamental Art 3 Serão transformados em cargos de Analista Previdenciário, Técnico Previdenciário e Auxilar Previdenciário, na Carreira Especialista e Gestão Previdenciária, e organizados na forma desta medida provisória, os seguintes cargos efetivos ocupados e vagos dos quadros de pessoal do INSS e do MPS. I em Analista Previdenciário, de nível superior:: a) os cargos efetivos de nível superior, regidos pela Lei 8112, integrantes do quadro de pessoal do INSS, da Carreira Previdenciária de que trata a Lei b) os cargos efetivos de nivel superior, regidos pela Lei 8112, integrantes do quadro de pessoal do MPS, da Carreira de Seguridade Social e trabalho, de que trata a Lei de 03 de julho de 2002 c) os cargos de Analista Previdenciário, de nível superior, criados pela Medida Provisória, no quadro de pessoal do INSS, da Carreira Previdenciária de que trata a lei10.355, de 26 de dezembro de II em Técnico Previdenciário, de nível médio: a) os cargos efetivos de nível intermediário, regidos pela Lei 8112, integrantes do quadro de pessoal do INSS, da Carreira Previdenciária de que trata a Lei b) os cargos efetivos de nivel intermediário, regidos pela Lei 8112, integrantes do quadro de pessoal do MPS, da Carreira de Seguridade Social e trabalho, de que trata a Lei de 03 de julho de c) os cargos de Tecnico Previdenciário, de nível intermediário, criados pela Medida Provisória, no quadro de pessoal do INSS, na Carreira Previdenciária de que trata a lei10.355, de 26 de dezembro de III em Auxiliar Previdenciário, de nível básico: a) os cargos efetivos de nível auxiliar, regidos pela Lei 8112, integrantes do quadro de pessoal do INSS, da Carreira Previdenciária de que trata a Lei b)os cargos efetivos de nível auxiliar, regidos pela Lei 8112, integrantes do quadro de pessoal do MPS, da Carreira de Seguridade Social e trabalho, de que trata a Lei de 03 de julho de Art O enquadramento dos servidores ativos, aposentados e pensionistas ocupantes dos cargos efetivos dos quadros de pessoal do INSS e do MPS, de que trata o artigo anterior,

10 nos cargos da Carreira de Especialista e Gestão Previdenciária, ocorrerá de acordo com as respectivas atribuições, requisitos de formação profissional e posição relativa na tabela de vencimentos, conforme definido no Anexo II. Paragrafo único. O posicionamento nos Padrões IV, V e VI, da Classe Especial, no cargo de Analista Previdenciário na Carreira de Especiaslista e Gestão Previdenciária, deve observar a comprovação da titulação a nível de pós-graduação exigidas: a) no Padrão IV Certificado de conclusão de Curso de pós-graduação Latu Sensu ou MBA, com carga horária mínima de 360 horas aula b) no Padrão V Diploma de Mestre c) no Padrão VI Diploma de Doutor Art - O desenvolvimento do servidor na Carreira Especialista e Gestão Previdenciária, ocorrerá mediante progressão funcional e promoção. 1 o Progressão funcional é a passagem do servidor para o padrão de vencimento imediatamente superior dentro de uma mesma classe, observado o intervalo de um ano de efetivo exercício. 2 o Promoção, a passagem do servidor do último padrão de uma classe para o primeiro da classe imediatamente superior, mediante avaliação de desempenho e treinamento, observado o interstício de um ano em relação a progressão anterior. 3 o A progressão funcional e a promoção observarão os demais requisitos e condições a serem fixados em regulamento, devendo levar em consideração os resultados da avaliação de desempenho e potencial do servidor, em especial a titulação, capacitação e desenvolvimento profissional do servidor compatíveis com o exercício de suas atribuições. Art. o Os valores de vencimento básico dos cargos da Carreira Previdenciária são os constantes do Anexo II. - São devidas aos servidores integrantes da Carreira de Especialista e Gestão Previdenciária as vantagens pessoais incorporadas nos termos da legislação aplicável, bem como, as revisões concedidas aos servidores civis da união. Art - Constatada a redução de remuneração decorrente da aplicação desta Medida Provisória, a diferença será paga a título de vantagem pessoal nominalmente identificada. Art. o Os integrantes da Carreira Especialista e Gestão Previdenciária não fazem juz a percepção da Gratificação de Atividade de que trata a Lei Delegada nº13, de 27 de agosto de 1992, a Gratificação de Desempenho de Atividade Previdenciária GDAP, instituída pela Lei nº , de 26 de dezembro de 2001, e a Gratificação de Desempenho de Atividade da Seguridade Social e do Trabalho GDASST, de que trata a Lei nº10.483, de 03 de julho de 2002, devida aos integrantes da Carreira da Seguridade Social e do Trabalho.

11 Art. o. Fica mantida para os integrantes da Carreira de Especialista e Gestão Previdenciária a jornada semanal de trabalho dos cargos originários, conforme estabelecida no artigo da Lei nº , de 26 de dezembro de 2001, e legislação vigente em 31 de outubro de Art. O disposto nesta Medida provisória não se aplica aos servidores ocupantes dos cargos de Auditor Fiscal da Previdência Social e Supervisor Medico Pericial, integrantes de carreiras específicas de igual denominação, do Instituto Nacional do Seguro Social. Art. Aos ocupantes dos cargos da Carreira de Especialista e Gestão Previdenciária não é devido o Adiantamento Pecuniário do Plano de Classificação de Cargos e Salários PCCS, de que trata a lei 7.686, de 02 de dezembro de PROPOSTA B CARREIRA ESPECIALISTA EM POLÍTICAS E GESTÃO PREVIDENCIÁRIA ART. Esta dispõe sobre a implantação da Carreira, de que trata as Lei n , de 26 de dezembro de 2001, que passa a denominar-se Carreira de Especialista em Políticas e Gestão Previdenciária, no grupo de gestão da administração pública federal. Art. 2 A Carreira Previdenciária, de que trata as Lei n , de 26 de dezembro de 2001, passa a denominar-se Carreira de Especialista em Políticas e Gestão Previdenciária, integrada pelos cargos efetivos de Especialista Gestor Previdenciário, de nível superior, Tecnico Especializado em Gestão Previdenciária, de nível médio, e Auxilar Técnico em Gestão Previdenciária, de nível básico, estruturada em classes e padrões, na forma do Anexo I. Art. São definições sintéticas das classes e respectivos padrões de atuação dos cargos efetivos da Carreira de Especialista em Políticas e Gestão Previdenciária, no exercício das competências do Ministério da Previdência Social MPS e no Instituto Nacional do Seguro Social - INSS I na Classe Especial desempenho de atividades superiores com alta complexidade, inclusive na formulação, reformulação e implementação de políticas, diretrizes, planos programas, projetos, normas, padrões, métodos, técnicas e procedimentos, assessoramento especializado, estudos sócio-econômicos, planos de custeio e benefícios, projeções estatísticas e atuarias, emisssão de pareceres e julgamento independente para tomada de decisões que envolvam problemas institucionais, altamente técnicos e constantes, exigindo,

12 além da formação de nível superior, conhecimentos específicos e titulação em cursos de pós-graduação latu sensu e estrito sensu, ficando restrito o acesso aos padrões desta classe apenas mediante promoção. II na Classe C desempenho de tarefas técnicas, administrativas e logísticas complexas e variadas inerentes aos macroprocessos organizacionais, executadas segundo normas ou políticas gerais das instituições previdenciárias, usando julgamento independente para tomar decisões que envolvam a solução de problemas originais, propor e executar de estudos, pesquisas, cálculos atuarias, programas, projetos, balanços, balancetes, pareceres e outras ações altamente técnicas e constantes, inclusive as que exigem conhecimentos especializados em legislação previdenciária pública e privada, básica ou complementar, em jurisprudência administrativa e outros inerentes a gestão previdenciária, observadas as especialidades e o registro nos respectivos órgãos de classe exigidos por determinação legal ou a critério da administração pública federal. II na Classe B - desempenho de tarefas rotineiras e variadas de suporte técnico, administrativo e logísticas especializadas inerentes a gestão previdenciária, executadas segundo métodos ou procedimentos padronizados, sendo exigido julgamento e iniciativa que dependem de aprovação superior. III na Classe A - desempenho de tarefas técnicas, administrativas e logísticas básicas de apoio operacional e serviços gerais, simples e repetitivas, executadas mecanicamente ou seguindo instruções pormenorizadas, que exige pouco julgamento individual para execução e apresenta alternativas de fácil escolha. Parágrafo único O detalhamento das atribuições, as áreas de atividades, conhecimentos específicos e demais condições serão estabelecidos em ato próprio do Poder Executivo, de acordo com as áreas de atuação e especialidades concernentes ao exercício das competências a cargo do MPS e do INSS, determinadas em função de exigências legais ou a critério da administração pública federal. Art- O ingresso no cargo da Carreira Especialista em Políticas e Gestão Previdenciária farse-á mediante concurso público de provas ou de provas e títulos, para o Padrão I (inicial) da Classe A, B e C, observados os requisitos básicos de conhecimentos, área de atividades, especialidades, formação profissional e experiências específicas e demais condições fixadas no respectivo edital. Art 3 Serão transformados em cargos da Carreira de Especialista em Políticas e Gestão Previdenciária e organizados na forma a seguir os seguintes cargos efetivos ocupados e vagos dos quadros de pessoal do INSS e do MPS. a) os cargos efetivos de níveis superior, intermediário e auxiliar, regidos pela Lei 8112, integrantes do quadro de pessoal do INSS, da Carreira Previdenciária de que trata a Lei b) os cargos efetivos de níveis superior, intermediário e auxiliar, regidos pela Lei 8112, integrantes do quadro de pessoal do MPS, da Carreira de Seguridade Social e trabalho, de que trata a Lei de 03 de julho de 2002

13 c) os cargos de Analista Previdenciário, de nível superior, e Técnico Previdenciário, de nível intermediário, criados pela Medida Provisória, no quadro de pessoal do INSS, da Carreira Previdenciária de que trata a lei10.355, de 26 de dezembro de Art O enquadramento dos servidores ativos, aposentados e pensionistas ocupantes dos cargos efetivos dos quadros de pessoal do INSS e do MPS, de que trata o artigo anterior, no cargo da Carreira de Especialista e Gestão Previdenciária, ocorrerá sem qualquer mudança de nível, de acordo com as respectivas atribuições, requisitos de escolaridade e posição relativa na tabela de vencimentos, conforme definido no Anexo II. Art - O desenvolvimento do servidor na Carreira Especialista e Gestão Previdenciária, ocorrerá mediante progressão funcional e promoção. 1 o Progressão funcional é a passagem do servidor para o padrão de vencimento imediatamente superior dentro de uma mesma classe, observado os requisitos de escolaridade exigidos e intervalo de um ano de efetivo exercício. 2 o Promoção, a passagem do servidor do último padrão para o primeiro da classe imediatamente superior, mediante avaliação de desempenho e potencial, observados os requisitos de escolaridade, capacitação e desenvolvimento profissional do servidor compatíveis com os níveis de atribuições, bem como o interstício de um ano em relação a progressão anterior. 3 o A Promoção poderá ocorrer em padrões distintos do inicial somente para a Classe Especial, desde que comprovados os requisitos de escolaridade e de titulação especializada a nível de pós-graduação exigidos para posicionamento nos respectivos padrões, bem como o intervalo de um ano de efetivo exercício. 3 o A progressão funcional e a promoção observarão os demais requisitos, restrições e condições a serem fixados em regulamento e normas específicas, podendo ser definidos pelos MPS e INSS critérios adicionais de formação e experiência profissional. Art. - O posicionamento nos padrões da Classe Especial do cargo de Especialista em Políticas e Gestão Previdenciária, ocorrerá mediante a comprovação de Diploma de conclusão de nível superior ou habilitação legal equivalente e titulação especialiazada em Cursos de Pós-graduação, observada a correlação existente entre as atribuições do cargo, as área de atividades, as especialidades e o exercício das competências do Ministério da Previdência Social MPS e no Instituto Nacional do Seguro Social INSS: I - em Curso de Pós-graduação Lacto Sensu, a nível de especialização, com carga/horária mínima de 360 horas, para o Padrão I, II - em Curso de Mestrado com Diploma de Mestre, para o Padrão II, III - em Curso de Doutorado com Diploma de Doutor, para o Padrão III; IV - em Curso Pós-doutorado (PHD), para o Padrão IV, Art. o Os valores de vencimento básico do cargo da Carreira de Especialista em Políticas e Gestão Previdenciária são os constantes do Anexo II.

14 Art São devidas aos servidores integrantes da Carreira de Especialista em Políticas e Gestão Previdenciária as vantagens pessoais incorporadas nos termos da legislação aplicável, bem como, as revisões concedidas aos servidores civis da união. Art - Constatada a redução de remuneração decorrente da aplicação desta Medida Provisória, a diferença será paga a título de vantagem pessoal nominalmente identificada. Art. o Os integrantes da Carreira Especialista em Políticas e Gestão Previdenciária não fazem juz a percepção da Gratificação de Atividade de que trata a Lei Delegada nº13, de 27 de agosto de 1992, a Gratificação de Desempenho de Atividade Previdenciária GDAP, instituída pela Lei nº , de 26 de dezembro de 2001, e a Gratificação de Desempenho de Atividade da Seguridade Social e do Trabalho GDASST, de que trata a Lei nº10.483, de 03 de julho de 2002, devida aos integrantes da Carreira da Seguridade Social e do Trabalho. Art. o. Fica mantida para os integrantes da Carreira de Especialista em Políticas Públicas e Gestão Previdenciária a jornada semanal de trabalho dos cargos originários, conforme estabelecida no artigo da Lei nº , de 26 de dezembro de 2001, e legislação vigente em 31 de outubro de Art. O disposto nesta Medida provisória não se aplica aos servidores ocupantes dos cargos de Auditor Fiscal da Previdência Social e Supervisor Medico Pericial, integrantes de carreiras específicas de igual denominação, do Instituto Nacional do Seguro Social. Art. Aos ocupantes do cargo da Carreira de Especialista em Políticas e Gestão Previdenciária não é devido o Adiantamento Pecuniário do Plano de Classificação de Cargos e Salários PCCS, de que trata a lei 7.686, de 02 de dezembro de Art. Esta medida provisória entrará em vigor na data de sua publicação revogados os efeitos da Lei 10355, Lei e , para os servidores do quadro de pessoal do INSS e MPS intergarantes da Crreira de Especialista em Políticas e Gestão Previdenciária.

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa LEI Nº 13.421, DE 05 DE ABRIL DE 2010. (publicada no DOE nº 062, de 05 de abril de 2010 2ª edição) Institui a Carreira

Leia mais

Medida Provisória nº de de 2008

Medida Provisória nº de de 2008 Medida Provisória nº de de 008 Dispõe sobre a criação da Gratificação de Desempenho de Atividade de Controle Interno e de Apoio Técnico ao Controle Interno no âmbito das Instituições Federais vinculadas

Leia mais

LEI Nº 8.966 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2003

LEI Nº 8.966 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2003 Publicada D.O.E. Em 23.12.2003 LEI Nº 8.966 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2003 Reestrutura o Plano de Carreira do Ministério Público do Estado da Bahia, instituído pela Lei nº 5.979, de 23 de setembro de 1990,

Leia mais

Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos em Educação - PCCTAE

Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos em Educação - PCCTAE Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos em Educação - PCCTAE Coordenadoria de Gestão de Pessoas Área de Desenvolvimento de Pessoal Telefone: 3559-1309 / 35591440 Email:adp@proad.ufop.br Lei

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL BOMBINHAS-SC

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL BOMBINHAS-SC LEI COMPLEMENTAR Nº 034, de 13 de dezembro de 2005. Institui o Plano de Carreira, Cargos e Vencimentos do Pessoal do Poder Legislativo do Município de Bombinhas e dá outras providências.. Júlio César Ribeiro,

Leia mais

PROPOSTA DO GOVERNO DE MINAS PARA A EDUCAÇÃO

PROPOSTA DO GOVERNO DE MINAS PARA A EDUCAÇÃO PROPOSTA DO GOVERNO DE MINAS PARA A EDUCAÇÃO O Governo propõe as seguintes medidas visando melhorar o padrão remuneratório de todos os servidores públicos da educação de Minas Gerais. Implantar, na área

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2013

PROJETO DE LEI Nº, DE 2013 PROJETO DE LEI Nº, DE 2013 Altera a Lei 11.907 de 02 de fevereiro de 2009, para estabelecer a jornada de trinta horas para os integrantes da carreira de Perito Médico Previdenciário e da Carreira de Supervisor

Leia mais

PLANO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES INTEGRANTES DO PCCTAE

PLANO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES INTEGRANTES DO PCCTAE PLANO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES INTEGRANTES DO PCCTAE Ministério da Educação Novembro de 2013 1 SUMÁRIO 1. Apresentação 1.1 Introdução 1.2 Base Legal 1.3 Justificativa 2.

Leia mais

PROPOSTA DE ESTRUTURA DO NOVO PLANO DE CARREIRA, SALÁRIOS E EMPREGOS PÚBLICOS DO CENTRO PAULA SOUZA

PROPOSTA DE ESTRUTURA DO NOVO PLANO DE CARREIRA, SALÁRIOS E EMPREGOS PÚBLICOS DO CENTRO PAULA SOUZA PROPOSTA DE ESTRUTURA DO NOVO PLANO DE CARREIRA, SALÁRIOS E EMPREGOS PÚBLICOS DO CENTRO PAULA SOUZA agosto/ 2011 1 S U M Á R I O I INTRODUÇÃO...03 II PREMISSAS E DIRETRIZES...04 III EMPREGOS PÚBLICOS PERMANENTES

Leia mais

Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público do Estado de Minas Gerais

Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público do Estado de Minas Gerais LEI 15304 2004 Data: 11/08/2004 REESTRUTURA A CARREIRA DE ESPECIALISTA EM POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO GOVERNAMENTAL E INSTITUI A CARREIRA DE AUDITOR INTERNO DO PODER EXECUTO. Reestrutura a carreira de

Leia mais

Seção I. Das Disposições Gerais

Seção I. Das Disposições Gerais ATO DO 1 O SECRETÁRIO Nº 9, DE 2012. Dá nova regulamentação ao Adicional de Especialização. O PRIMEIRO-SECRETÁRIO DO SENADO FEDERAL, no uso das atribuições regulamentares e com fundamento no art. 8 da

Leia mais

ATO NORMATIVO Nº 021/2014

ATO NORMATIVO Nº 021/2014 ATO NORMATIVO Nº 021/2014 Altera o Ato Normativo nº 003/2011 que regulamenta a Lei nº 8.966/2003, com alterações decorrentes das Leis n os 10.703/2007, 11.171/2008 e 12.607/2012 que dispõem sobre o Plano

Leia mais

PLANO DE VALORIZAÇÃO DOS SERVIDORES DA EDUCAÇÃO REESTRUTURAÇÃO DAS CARREIRAS E MUDANÇA DO PADRÃO REMUNERATÓRIO DOS SERVIDORES DA EDUCAÇÃO

PLANO DE VALORIZAÇÃO DOS SERVIDORES DA EDUCAÇÃO REESTRUTURAÇÃO DAS CARREIRAS E MUDANÇA DO PADRÃO REMUNERATÓRIO DOS SERVIDORES DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO PLANO DE VALORIZAÇÃO DOS SERVIDORES DA EDUCAÇÃO REESTRUTURAÇÃO DAS CARREIRAS E MUDANÇA DO PADRÃO REMUNERATÓRIO DOS SERVIDORES

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 5.707, DE 23 DE FEVEREIRO DE 2006. Institui a Política e as Diretrizes para o Desenvolvimento de Pessoal da administração

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 27, DE 15 DE JANEIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 27, DE 15 DE JANEIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 27, DE 15 DE JANEIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO DOU de 16/01/2014 (nº 11, Seção 1, pág. 26) Institui o Plano Nacional de

Leia mais

I - Técnico de Apoio Fazendário e Financeiro, integrando a categoria funcional de Profissional de Apoio Operacional;

I - Técnico de Apoio Fazendário e Financeiro, integrando a categoria funcional de Profissional de Apoio Operacional; (*) Os textos contidos nesta base de dados têm caráter meramente informativo. Somente os publicados no Diário Oficial estão aptos à produção de efeitos legais. ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL DECRETO Nº 10.609,

Leia mais

CAMPANHA SALARIAL 2015 CARREIRA DE REFORMA E DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO LEI 11.090/2005

CAMPANHA SALARIAL 2015 CARREIRA DE REFORMA E DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO LEI 11.090/2005 CAMPANHA SALARIAL 2015 CARREIRA DE REFORMA E DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO LEI 11.090/2005 PENDENCIAS DOS TERMOS DE ACORDO 07 de julho de 2005 Fazer gestões para no menor prazo possível assegurar adoção das

Leia mais

ANÁLISE DA NOTA TÉCNICA DPREV/ATUÁRIA 034/2015 PROJETO DE LEI 252/2015

ANÁLISE DA NOTA TÉCNICA DPREV/ATUÁRIA 034/2015 PROJETO DE LEI 252/2015 ANÁLISE DA NOTA TÉCNICA DPREV/ATUÁRIA 034/2015 PROJETO DE LEI 252/2015 Este parecer tem por objetivo analisar atuarialmente o Projeto de Lei 0252/2015 que Dispõe sobre a Reestruturação do Plano de Custeio

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da Constituição, adota a seguinte Medida Provisória, com força de lei:

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da Constituição, adota a seguinte Medida Provisória, com força de lei: MEDDA PROSÓRA N o 46, DE 25 DE JUNHO 2002. Dispõe sobre a reestruturação da Carreira Auditoria do Tesouro Nacional, que passa a denominar-se - ARF, e sobre a organização da Carreira Auditoria-Fiscal da

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei: Capítulo I Das Disposições Preliminares

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei: Capítulo I Das Disposições Preliminares Cria a Carreira de Saúde Pública da Administração Federal Direta, Autárquica e das Fundações Federais, no âmbito do Ministério da Saúde e suas vinculadas e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS PREFEITURA MUNICIPAL DE CALDAS NOVAS SECRETARIA MUNICIPAL DE SÁUDE LEI Nº [...],DE[...] DE [...] DE 2006.

ESTADO DE GOIÁS PREFEITURA MUNICIPAL DE CALDAS NOVAS SECRETARIA MUNICIPAL DE SÁUDE LEI Nº [...],DE[...] DE [...] DE 2006. ESTADO DE GOIÁS PREFEITURA MUNICIPAL DE CALDAS NOVAS SECRETARIA MUNICIPAL DE SÁUDE LEI Nº [...],DE[...] DE [...] DE 2006. Institui o Plano de Carreiros Cargos e Vencimentos do Quadro de Pessoal da Secretaria

Leia mais

É permitido o somatório de cargas horárias de cursos superiores a 20 (vinte) horasaula.

É permitido o somatório de cargas horárias de cursos superiores a 20 (vinte) horasaula. Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos em Educação PCCTAE É um conjunto de princípios, diretrizes e normas que regulam o desenvolvimento profissional dos servidores. Estrutura do PCCTAE O

Leia mais

Programa de Capacitação e Aperfeiçoamento do DAP

Programa de Capacitação e Aperfeiçoamento do DAP Programa de Capacitação e Aperfeiçoamento do DAP LEGISLAÇÃO DE PESSOAL COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO Regime Jurídico dos Servidores Públicos Federais Lei nº. 8.112/90 Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE. CAPÍTULO I DA CARREIRA DOS PROFISSIONAIS DA SEFAZ Seção I Dos Princípios Básicos

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE. CAPÍTULO I DA CARREIRA DOS PROFISSIONAIS DA SEFAZ Seção I Dos Princípios Básicos LEI N. 2.265, DE 31 DE MARÇO DE 2010 Estabelece nova estrutura de carreira para os servidores públicos estaduais da Secretaria de Estado da Fazenda SEFAZ. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE seguinte Lei: FAÇO

Leia mais

Programa de Capacitação

Programa de Capacitação Programa de Capacitação 1. Introdução As transformações dos processos de trabalho e a rapidez com que surgem novos conhecimentos e informações têm exigido uma capacitação permanente e continuada para propiciar

Leia mais

GRATIFICAÇÃO POR ENCARGO DE CURSO OU CONCURSO

GRATIFICAÇÃO POR ENCARGO DE CURSO OU CONCURSO GRATIFICAÇÃO POR ENCARGO DE CURSO OU CONCURSO DEFINIÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDAMENTAÇÃO LEGAL PERGUNTAS FREQUENTES DEFINIÇÃO É a gratificação devida ao servidor em razão de

Leia mais

RESOLUÇÃO N 002, DE 11 DE OUTUBRO DE 1991, DA CONGREGAÇÃO.

RESOLUÇÃO N 002, DE 11 DE OUTUBRO DE 1991, DA CONGREGAÇÃO. RESOLUÇÃO N 002, DE 11 DE OUTUBRO DE 1991, DA CONGREGAÇÃO. Fixa normas de capacitação para o pessoal técnicoadministrativo. A CONGREGAÇÃO DA FACULDADE DE MEDICINA DO TRIÂNGULO MINEIRO, no uso de suas atribuições

Leia mais

http://www.legislabahia.ba.gov.br/verdoc.php?id=65585&voltar=voltar

http://www.legislabahia.ba.gov.br/verdoc.php?id=65585&voltar=voltar Page 1 of 11 Voltar Imprimir "Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial do Estado." LEI Nº 11.374 DE 05 DE FEVEREIRO DE 2009 Ver também: Decreto 14.488 de 23 de maio de 2013 - Regulamenta

Leia mais

Decreto nº 31.452, de 22 de março de 2010

Decreto nº 31.452, de 22 de março de 2010 Decreto nº 31.452, de 22 de março de 2010 Diário Oficial do Distrito Federal ANO XLIII Nº 56 BRASÍLIA DF, 23 DE MARÇO DE 2010 Aprovar normas para concessão da Gratificação de Titulação - GTIT e do Adicional

Leia mais

b) supervisionar o cumprimento desta política pelas entidades integrantes do Sistema Sicoob;

b) supervisionar o cumprimento desta política pelas entidades integrantes do Sistema Sicoob; 1. Esta Política institucional de gestão de pessoas: Política institucional de gestão de pessoas a) é elaborada por proposta da área de Gestão de Pessoas da Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob

Leia mais

DECRETO N 6.664 DE 05 DE MARÇO DE 1990

DECRETO N 6.664 DE 05 DE MARÇO DE 1990 DECRETO N 6.664 DE 05 DE MARÇO DE 1990 DISPÕE SOBRE ALTERAÇÃO DO ANEXO III DO DECRETO N 2.456, DE 24.09.1982. O GOVERNADOR DO ESTADO DO PARÁ, no uso de suas atribuições que lhe confere o art. 135, inciso

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE RPPS

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE RPPS PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE RPPS 1 - O que vem a ser regime próprio de previdência social (RPPS)? R: É o sistema de previdência, estabelecido no âmbito de cada ente federativo, que assegure, por lei, ao

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU R E G I M E N T O G E R A L PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Regimento Geral PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Este texto foi elaborado com as contribuições de um colegiado de representantes da Unidades Técnico-científicas,

Leia mais

GERÊNCIA EXECUTIVA DO INSS EM MACEIÓ CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RECOMENDAÇÃO Nº 02, DE 02 DE MARÇO DE 2005

GERÊNCIA EXECUTIVA DO INSS EM MACEIÓ CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RECOMENDAÇÃO Nº 02, DE 02 DE MARÇO DE 2005 GERÊNCIA EXECUTIVA DO INSS EM MACEIÓ CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RECOMENDAÇÃO Nº 02, DE 02 DE MARÇO DE 2005 O Plenário do Conselho de Previdência Social em sua 6ª Reunião Ordinária, realizada em 02/03/2005,

Leia mais

LEI Nº 10.593, DE 6 DE DEZEMBRO DE 2002

LEI Nº 10.593, DE 6 DE DEZEMBRO DE 2002 LEI Nº 10.593, DE 6 DE DEZEMBRO DE 2002 Dispõe sobre a reestruturação da Carreira Auditoria do Tesouro Nacional, que passa a denominar-se Carreira Auditoria da Receita Federal - ARF, e sobre a organização

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS PROJETO DE LEI Súmula: "Dispõe sobre o Plano de Carreiras, Cargos e Vencimentos- PCCV, dos servidores da Secretaria de Saúde do Estado do Paraná". CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º. Fica instituído

Leia mais

Emenda Plano Especial de Cargos e salários do MDIC (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior)

Emenda Plano Especial de Cargos e salários do MDIC (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior) Emenda Plano Especial de Cargos e salários do MDC (Ministério do Desenvolvimento, ndústria e Comércio Exterior) JUNHO DE 2006 EMENDA - MDC nclue-se onde couber no texto da Medida Provisória (...) Art.

Leia mais

PODER EXECUTIVO ANEXO I ATRIBUIÇÕES DO CARGO DE ESPECIALISTA EM POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO GOVERNAMENTAL

PODER EXECUTIVO ANEXO I ATRIBUIÇÕES DO CARGO DE ESPECIALISTA EM POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO GOVERNAMENTAL ANEXO I ATRIBUIÇÕES DO CARGO DE ESPECIALISTA EM POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO GOVERNAMENTAL a) formulação, implantação e avaliação de políticas públicas voltadas para o desenvolvimento sócio-econômico e

Leia mais

LEI Nº 11.375 DE 05 DE FEVEREIRO DE 2009

LEI Nº 11.375 DE 05 DE FEVEREIRO DE 2009 LEI Nº 11.375 DE 05 DE FEVEREIRO DE 2009 Reestrutura as carreiras de Analista Universitário e Técnico Universitário, integrantes do Grupo Ocupacional Técnico- Específico, criado pela Lei nº 8.889, de 01

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE INDAIATUBA

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE INDAIATUBA ASSESSORIA TÉCNICA LEGISLAflVA Aut. N. / d RL^N 020 Publ.: I_ N /0 /I0 LEI COMPLEMENTAR N 4 DE 5 DE DEZEMBRO DE 200. "Dispõe sobre os padrões de vencimento dos servidores públicos do SEPREV - Serviço de

Leia mais

Resumo sobre GQ das Carreiras pesquisadas

Resumo sobre GQ das Carreiras pesquisadas Resumo sobre GQ das Carreiras pesquisadas Redações interessantes de outras carreiras que podem ser consideradas na regulamentação para a CEMA. Observamos que órgãos como MEC, BACEN os órgãos regulamentaram

Leia mais

CARGO: PROFESSOR Síntese de Deveres: Exemplo de Atribuições: Condições de Trabalho: Requisitos para preenchimento do cargo: b.1) -

CARGO: PROFESSOR Síntese de Deveres: Exemplo de Atribuições: Condições de Trabalho: Requisitos para preenchimento do cargo: b.1) - CARGO: PROFESSOR Síntese de Deveres: Participar do processo de planejamento e elaboração da proposta pedagógica da escola; orientar a aprendizagem dos alunos; organizar as atividades inerentes ao processo

Leia mais

RESOLUÇÃO N. TC-03/2003

RESOLUÇÃO N. TC-03/2003 RESOLUÇÃO N. TC-03/2003 Reorganiza o Sistema de Controle Interno do Tribunal de Contas do Estado e dá outras providências. O TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA, usando das atribuições que lhe

Leia mais

ATO NORMATIVO Nº 005/2013

ATO NORMATIVO Nº 005/2013 ATO NORMATIVO Nº 005/2013 Dispõe sobre as funções de confiança exercidas por servidores do Ministério Público do Estado da Bahia e dá outras providências. O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA,

Leia mais

1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS

1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS 1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS 1.1. Diretoria Executiva (DEX) À Diretora Executiva, além de planejar, organizar, coordenar, dirigir e controlar as atividades da Fundação, bem como cumprir e fazer cumprir

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 5.627 de 2013 (do Poder Executivo)

PROJETO DE LEI Nº 5.627 de 2013 (do Poder Executivo) PROJETO DE LEI Nº 5.627 de 2013 (do Poder Executivo) Altera o Decreto-Lei nº 9.760, de 5 de setembro de 1946, o Decreto-Lei nº 2.398, de 21 de dezembro de 1987, a Lei nº 9.636, de 15 de maio de 1998, dispõe

Leia mais

RESOLUÇÃO CNE/CEB Nº 1, DE 21 DE JANEIRO DE 2004.(*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA

RESOLUÇÃO CNE/CEB Nº 1, DE 21 DE JANEIRO DE 2004.(*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA RESOLUÇÃO CNE/CEB Nº 1, DE 21 DE JANEIRO DE 2004.(*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA RESOLUÇÃO CNE/CEB Nº 1, DE 21 DE JANEIRO DE 2004.(*) Estabelece Diretrizes Nacionais para a

Leia mais

Lei 7645 de 12 de Fevereiro de 1999

Lei 7645 de 12 de Fevereiro de 1999 Lei 7645 de 12 de Fevereiro de 1999 INSTITUI O PLANO DE CARREIRA DOS SERVIDORES DA ÁREA DE ATIVIDADES DE TRIBUTAÇÃO, ESTABELECE A RESPECTIVA TABELA DE VENCIMENTO E DISPÕE SOBRE O QUADRO ESPECIAL DA SECRETARIA

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO ESTADO DE PERNAMBUCO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete da Presidência INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 21, DE 24 DE SETEMBRO DE 2010

PODER JUDICIÁRIO ESTADO DE PERNAMBUCO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete da Presidência INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 21, DE 24 DE SETEMBRO DE 2010 PODER JUDICIÁRIO ESTADO DE PERNAMBUCO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete da Presidência INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 21, DE 24 DE SETEMBRO DE 2010 EMENTA: Dispõe sobre a participação de servidores ocupantes de cargos

Leia mais

art. 5º - Para efeito desde Regulamento, considera-se: II - indenização: valor devido aos beneficiários, em caso de sinistro;

art. 5º - Para efeito desde Regulamento, considera-se: II - indenização: valor devido aos beneficiários, em caso de sinistro; Assessoria Jurídica da Asscontas informa sobre as indenizações do pecúlio, seguro coletivo e seguro do cônjuge do Programa Estadual de Assistência ao Pecúlio dos Servidores do Estado de Minas Gerais: Muitos

Leia mais

MINUTA DE ANTEPROJETO DE LEI PLANO DE CARREIRA, CARGOS E SALÁRIOS. A Assembléia Legislativa do Estado do Paraná decretou e eu sanciono a seguinte lei:

MINUTA DE ANTEPROJETO DE LEI PLANO DE CARREIRA, CARGOS E SALÁRIOS. A Assembléia Legislativa do Estado do Paraná decretou e eu sanciono a seguinte lei: MINUTA DE ANTEPROJETO DE LEI PLANO DE CARREIRA, CARGOS E SALÁRIOS Súmula: Dispõe sobre a Carreira Técnica Universitária das Instituições de Ensino Superior do Estado do Paraná e adota outras providências.

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Fica alterado o Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Psicologia, do. São Paulo, 26 de abril de 2012.

R E S O L U Ç Ã O. Fica alterado o Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Psicologia, do. São Paulo, 26 de abril de 2012. RESOLUÇÃO CONSEACC/SP 04/2012 ALTERA O REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PSICOLOGIA, DO CAMPUS SÃO PAULO DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO USF. A Presidente do Conselho Acadêmico de Campus

Leia mais

LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007.

LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007. LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007. Dispõe sobre a criação do Instituto Escola de Governo e Gestão Pública de Ananindeua, e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE ANANINDEUA estatui, e eu

Leia mais

ANEXO ÚNICO RESOLUÇÃO CRM-SC N 166, DE 16/8/2015 DESCRIÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES E REQUISITOS PARA A OCUPAÇÃO DO CARGO DE CONTADOR

ANEXO ÚNICO RESOLUÇÃO CRM-SC N 166, DE 16/8/2015 DESCRIÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES E REQUISITOS PARA A OCUPAÇÃO DO CARGO DE CONTADOR RESOLUÇÃO CRM-SC Nº 166/2015 Institui na estrutura administrativa de pessoal do CRM-SC o cargo de contador e dá outras providências. O Conselho Regional de Medicina do Estado de Santa Catarina, instituição

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 36/2012. A Câmara Municipal de Foz do Iguaçu, Estado do Paraná, Aprova: ANEXO VII GRUPO OCUPACIONAL FISCO-CONTÁBIL

PROJETO DE LEI Nº 36/2012. A Câmara Municipal de Foz do Iguaçu, Estado do Paraná, Aprova: ANEXO VII GRUPO OCUPACIONAL FISCO-CONTÁBIL PROJETO DE LEI Nº 36/2012 Altera dispositivos da Lei n o 1.997, de 13 de março de 1996, que Dispõe sobre a reorganização das carreiras funcionais dos servidores públicos da Prefeitura do Município de Foz

Leia mais

Coordenação-Geral de Desenvolvimento de Recursos Humanos - Codrh

Coordenação-Geral de Desenvolvimento de Recursos Humanos - Codrh Coordenação-Geral de Desenvolvimento de Recursos Humanos - Codrh Camila Dutra e Tatiana Garcia LEI Nº 11.355, DE 19 DE OUTUBRO DE 2006 Art. 49. Fica estruturado, a partir de 1º de julho de 2006, o Plano

Leia mais

SEGUNDA-FEIRA, 08 DE SETEMBRO DE 2014 CADERNO 1 5

SEGUNDA-FEIRA, 08 DE SETEMBRO DE 2014 CADERNO 1 5 SEGUNDA-FEIRA, 08 DE SETEMBRO DE 2014 L E I N 8.037, DE 5 DE SETEMBRO DE 2014 Institui o Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração dos Servidores do Tribunal de Contas do Estado do Pará e dá outras providências.

Leia mais

PROJETO DE LEI. TÍTULO I Das Disposições Preliminares

PROJETO DE LEI. TÍTULO I Das Disposições Preliminares TEXTO DOCUMENTO PROJETO DE LEI Consolida o Plano de Carreira e Cargo de Professor Federal e dispõe sobre a reestruturação e unificação das carreiras e cargos do magistério da União, incluídas suas autarquias

Leia mais

REGIMENTO INTERNO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA ESCOLA DO PARLAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO

REGIMENTO INTERNO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA ESCOLA DO PARLAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO REGIMENTO INTERNO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA ESCOLA DO PARLAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO Sumário TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 3 CAPÍTULO I Da Caracterização do Curso... 3 CAPÍTULO

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA Consultor por Produto

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA Consultor por Produto MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE GESTÃO, ARTICULAÇÃO E PROJETOS EDUCACIONAIS TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA Consultor por Produto

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE GUANHÃES, Estado de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais;

O PREFEITO MUNICIPAL DE GUANHÃES, Estado de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais; LEI Nº 2451 DE 24 DE NOVEMBRO DE 2011 Dispõe sobre o estágio de estudantes junto ao poder público Municipal, suas autarquias e fundações e dá outras providencias. O PREFEITO MUNICIPAL DE GUANHÃES, Estado

Leia mais

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 Dispõe sobre a Política de Governança de Tecnologia da Informação do Tribunal de Contas da União (PGTI/TCU). O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, no uso de suas

Leia mais

Assessoria de Imprensa e Comunicação

Assessoria de Imprensa e Comunicação PORTARIA 74/06 - SMG Assessoria de Imprensa e Comunicação Dispõe sobre os critérios e procedimentos para valoração e apuração dos pontos relativos à capacitação e participação em atividades realizadas

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM LOGÍSTICA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições Gerais O

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA LEI Nº 2.054, DE 29 DE OUTUBRO DE 2015 (D.O.M. 29.10.2015 N. 3.763 Ano XVI) DISPÕE sobre a estrutura organizacional da Secretaria Municipal de Finanças, Tecnologia da Informação e Controle Interno Semef,

Leia mais

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL 1 CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL LEI Nº 5.106, DE 3 DE MAIO DE 2013 (Autoria do Projeto: Poder Executivo) Dispõe sobre a carreira Assistência à Educação do Distrito Federal e dá outras providências.

Leia mais

FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃODE RECURSOS HUMANOS DA ANTT

FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃODE RECURSOS HUMANOS DA ANTT FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃODE RECURSOS HUMANOS DA ANTT Quadro de Servidores SITUAÇÃO 2008 2009 Abril 2010 CARGOS EFETIVOS (*) 429 752 860 Analista Administrativo 16 40 41 Especialista em Regulação 98 156 169

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 33/2011

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 33/2011 CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 33/2011 Altera a Resolução 19/2004 CONSU que estabelece regras administrativas e de gestão dos cursos de pós graduação lato sensu na Universidade Federal de Juiz de Fora.

Leia mais

As entidades da Bancada Sindical da Saúde do Município de São Paulo vêm propor aos representantes da Secretaria Municipal de Saúde e Secretaria

As entidades da Bancada Sindical da Saúde do Município de São Paulo vêm propor aos representantes da Secretaria Municipal de Saúde e Secretaria As entidades da Bancada Sindical da Saúde do Município de São Paulo vêm propor aos representantes da Secretaria Municipal de Saúde e Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão na Mesa Setorial

Leia mais

LEI DELEGADA Nº 16/2005. Institui as carreiras do Grupo de Atividades de Gestão Previdenciária e dá outras providências.

LEI DELEGADA Nº 16/2005. Institui as carreiras do Grupo de Atividades de Gestão Previdenciária e dá outras providências. LEI DELEGADA Nº 16/2005. Institui as carreiras do Grupo de Atividades de Gestão Previdenciária e dá outras providências. O Prefeito Municipal de Uberaba, no uso das atribuições que lhe confere o art. 88,

Leia mais

Como calcular o número necessário de servidores? E QUANDO O PROCESSO DE TRABALHO NÃO É QUANTIFICÁVEL COM FACILIDADE? ALTERNATIVA 2 Uma possibilidade para transpor essa restrição seria a utilização de um

Leia mais

Termo de Referência para contratação de consultor na modalidade Produto

Termo de Referência para contratação de consultor na modalidade Produto TÍTULO DO PROJETO: Fortalecimento da capacidade institucional com vistas a melhoria dos processos de monitoramento e avaliação dos programas de fomento voltados para a Educação Básica e para o Ensino Superior

Leia mais

DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL DOS SERVIDORES PÚBLICOS DA CÂMARA MUNICIPAL DE PAPANDUVA

DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL DOS SERVIDORES PÚBLICOS DA CÂMARA MUNICIPAL DE PAPANDUVA DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL DOS SERVIDORES PÚBLICOS DA CÂMARA MUNICIPAL DE PAPANDUVA (conforme dispõe a Resolução n. 001/2008, de 27 de junho de 2008) Grau de instrução¹ Da Gratificação por Grau de Instrução

Leia mais

APROVAR as normas para concessão de afastamento para pós-graduação aos servidores do IF-SC. CAPÍTULO I DOS TIPOS DE PÓS-GRADUAÇÃO

APROVAR as normas para concessão de afastamento para pós-graduação aos servidores do IF-SC. CAPÍTULO I DOS TIPOS DE PÓS-GRADUAÇÃO RESOLUÇÃO N o 019/2012/CDP Florianópolis, 03 de maio de 2012. A PRESIDENTE DO DO INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pelo Regimento Geral do IF-SC e pelo

Leia mais

Parágrafo único. O Grupo Ocupações de Fiscalização e Arrecadação OFA, criado pela Lei Complementar nº 81, de 10 de março de 1993, fica extinto.

Parágrafo único. O Grupo Ocupações de Fiscalização e Arrecadação OFA, criado pela Lei Complementar nº 81, de 10 de março de 1993, fica extinto. LEI COMPLEMENTAR Nº 189, de 17 de janeiro de 2000 Extingue e cria cargos no Quadro Único de Pessoal da Administração Direta, e adota outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DE SANTA CATARINA, Faço

Leia mais

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES imprensa FESSERGS Novo esboço de Plano de Carreira do Quadro-Geral(para substituir no MURAL) July 19, 2012 2:32 PM Projeto de Lei nº00/2012 Poder Executivo Reorganiza o Quadro

Leia mais

MUNICÍPIO DE VITÓRIA DA CONQUISTA/BA

MUNICÍPIO DE VITÓRIA DA CONQUISTA/BA Dispõe sobre o Plano de Carreira e Remuneração dos Servidores da Administração Direta, das Autarquias e Fundações Públicas do Município de Vitória da Conquista, e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

CARTILHA: DIREITOS E VANTAGENS DOS SERVIDORES PÚBLICOS UNIDADE ADMINISTRATIVO FINANCEIRA - UNAFIN

CARTILHA: DIREITOS E VANTAGENS DOS SERVIDORES PÚBLICOS UNIDADE ADMINISTRATIVO FINANCEIRA - UNAFIN CARTILHA: DIREITOS E VANTAGENS DOS SERVIDORES PÚBLICOS UNIDADE ADMINISTRATIVO FINANCEIRA - UNAFIN 1. Que vantagens além do vencimento podem ser pagas ao servidor? a) indenizações, que não se incorporam

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 176/04-CEE/MT.

RESOLUÇÃO N. 176/04-CEE/MT. RESOLUÇÃO N. 176/04-CEE/MT. Estabelece Diretrizes para a organização e a realização de Estágio de alunos da Educação Profissional de Nível Técnico e do Ensino Médio, inclusive nas modalidades de Educação

Leia mais

PORTARIA N o 547, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2014.

PORTARIA N o 547, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2014. PORTARIA N o 547, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2014. Aprova o Plano de Ação Integrado do Ministério da Previdência Social, para o exercício 2015. O MINISTRO DE ESTADO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL, no uso das atribuições

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 10.871, DE 20 DE MAIO DE 2004. Conversão da MPv nº 155, de 2003 Texto compilado Dispõe sobre a criação de carreiras e organização

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DE CANOAS CANOASTEC

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DE CANOAS CANOASTEC PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DE CANOAS CANOASTEC Institui o Plano de Desenvolvimento de Recursos Humanos criando o Quadro

Leia mais

PROGRESSÃO POR CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS

PROGRESSÃO POR CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS NSTTUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CÊNCA E TECNOLOGA DA PARAÍBA DRETORA DE GESTÃO DE PESSOAS RETORA DEPARTAMENTO DE DESENVOLVMENTO DE PESSOAS PROGRESSÃO POR CAPACTAÇÃO PROFSSONAL TÉCNCO-ADMNSTRATVOS Progressão

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei: Capítulo I Das Disposições Preliminares

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei: Capítulo I Das Disposições Preliminares Cria o Plano de Carreira dos Servidores Técnicos e Administrativos da Polícia Rodoviária Federal e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS O PREFEITO DE MANAUS LEI DELEGADA N 10, DE 31 DE JULHO DE 2013 (D.O.M. 31.07.2013 N. 3221 Ano XIV) DISPÕE sobre a estrutura organizacional da SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS, TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

DELIBERAÇÃO N.º 007/99 APROVADO EM 09/04/99

DELIBERAÇÃO N.º 007/99 APROVADO EM 09/04/99 PROCESSO N.º 091/99 DELIBERAÇÃO N.º 007/99 APROVADO EM 09/04/99 CÂMARAS DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO INTERESSADO: SISTEMA ESTADUAL DE ENSINO ESTADO DO PARANÁ ASSUNTO: Normas Gerais para Avaliação do Aproveitamento

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei No. 10.435 de 24 de abril de 2002 Pró-Reitoria de Administração

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei No. 10.435 de 24 de abril de 2002 Pró-Reitoria de Administração EDITAL DE SELEÇÃO DE SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS COM INTERESSE EM PARTICIPAR DE TREINAMENTO REGULARMENTE INSTITUÍDO EM NÍVEL DE EDUCAÇÃO FORMAL - QUALIFICAÇÃO A PRAD e o Departamento de Pessoal

Leia mais

LEI N 7.350, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2000 D.O. 13.12.00.

LEI N 7.350, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2000 D.O. 13.12.00. LEI N 7.350, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2000 D.O. 13.12.00. Autor: Poder Executivo Cria a carreira de Gestor Governamental e os respectivos cargos na Administração Pública Estadual e dá outras providências.

Leia mais

Política Nacional de Gestão de Pessoas no Governo Lula. uma construção negociada e inovadora

Política Nacional de Gestão de Pessoas no Governo Lula. uma construção negociada e inovadora Política Nacional de Gestão de Pessoas no Governo Lula uma construção negociada e inovadora POLÍTICA DE GESTÃO DE PESSOAS A construção de uma política de gestão de pessoas para o Governo Federal tem por

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 110/10. Fixa as normas para os cursos de especialização e aperfeiçoamento do IFPR. O CONSELHO SUPERIOR DO INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, e,

Leia mais

MQS do Brasil Consultoria, Assessoria e Treinamento. Segurança do Trabalho, RH, Gestão da Qualidade, e Meio Ambiente.

MQS do Brasil Consultoria, Assessoria e Treinamento. Segurança do Trabalho, RH, Gestão da Qualidade, e Meio Ambiente. MQS do Brasil Consultoria, Assessoria e Treinamento Segurança do Trabalho, RH, Gestão da Qualidade, e Meio Ambiente. Realização de cursos, treinamento e palestras. 1 ISO 9001:2008 - Interpretação e Implementação

Leia mais

Decreto nº 4.134, de 09 de janeiro de 2014.

Decreto nº 4.134, de 09 de janeiro de 2014. Decreto nº 4.134, de 09 de janeiro de 2014. Dispõe sobre o processo de escolha para a designação de Professor para exercer a função gratificada de Vice-Diretor de Escola e Coordenador Pedagógico, nas Unidades

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições

Leia mais

ESTÁGIO PROBATÓRIO. Universidade Federal Fluminense

ESTÁGIO PROBATÓRIO. Universidade Federal Fluminense ESTÁGIO PROBATÓRIO Lei nº 12.772 de 28 de Dezembro de 2012 Dispõe sobre a estruturação do Plano de Carreiras e Cargos do Magistério Federal; - sobre a Carreira do Magistério Superior, de que trata a Lei

Leia mais

I - Grupo ocupacional de controle externo, integrado pelas seguintes carreiras:

I - Grupo ocupacional de controle externo, integrado pelas seguintes carreiras: PROPOSTA PROJETO DE LEI Autor: Tribunal de Contas Dispõe sobre a reestruturação organizacional dos cargos e carreiras do quadro permanente, a criação de cargos de provimento em comissão e fixa o subsídio

Leia mais

Para efeito desta Lei:

Para efeito desta Lei: LEI ORDINARIA n 39/1993 de 17 de Dezembro de 1993 (Mural 17/12/1993) Estabelece o Plano de carreira do Magistério público do Município, institui o respectivo quadro de cargos e dá outras providências.

Leia mais

Dispõe sobre a oferta de cursos de pós-graduação lato sensu pela Universidade Federal do Pará

Dispõe sobre a oferta de cursos de pós-graduação lato sensu pela Universidade Federal do Pará Dispõe sobre a oferta de cursos de pós-graduação lato sensu pela Universidade Federal do Pará O REITOR DA, no uso das atribuições que lhe conferem o Estatuto e o Regimento Geral, obedecidas a legislação

Leia mais

NOTA TÉCNICA, nº 04/CGGP/SAA/MEC

NOTA TÉCNICA, nº 04/CGGP/SAA/MEC NOTA TÉCNICA, nº 04/CGGP/SAA/MEC Ementa: Orientações às Comissões de Enquadramento das Instituições Federais de Ensino (IFE) vinculadas ao Ministério da Educação, com vistas aos procedimentos que deverão

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VÁRZEA PAULISTA ESTADO DE SÃO PAULO

PREFEITURA MUNICIPAL DE VÁRZEA PAULISTA ESTADO DE SÃO PAULO ESTADO DE SÃO PAULO ÍNDICE TÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO II DA COMPOSIÇÃO DO QUADRO DE PESSOAL TÍTULO II DOS CARGOS E EMPREGOS EFETIVOS CAPÍTULO I DAS ATRIBUIÇÕES

Leia mais

VII - GESTÃO DE PESSOAS

VII - GESTÃO DE PESSOAS VII - GESTÃO DE PESSOAS Política de Recursos Humanos Mensagem Presidencial Política de Recursos Humanos Reestruturação da Força de Trabalho do Poder Executivo Desde 2003, o Governo investe na reestruturação

Leia mais