UNIDADE DE GESTÃO DA DÍVIDA PÚBLICA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIDADE DE GESTÃO DA DÍVIDA PÚBLICA"

Transcrição

1 REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DAS FINANÇAS UNIDADE DE GESTÃO DA DÍVIDA PÚBLICA TÍTULOS DO TESOURO RELATÓRIO TRIMESTRAL 2014 Luanda, Novembro de 2014

2 Ficha Técnica Propriedade Ministério das Finanças Edição Unidade de Gestão da Dívida Pública Coordenação Angélica Paquete - Directora Nacional da Unidade de Gestão da Dívida Pública Periodicidade Trimestral Endereço Ministério das Finanças Unidade de Gestão da Dívida Pública Área de Análise de Risco Largo da Mutamba, Palácio das Finanças - 2º Andar 1

3 Índice FICHA TÉCNICA 1 LISTA DE TABELAS 3 LISTA DE FIGURAS 3 INTRODUÇÃO 4 CAPÍTULO I 4 EMISSÃO, SERVIÇO E EXISTÊNCIA DE OBRIGAÇÕES EM MOEDA NACIONAL 4 I - Obrigações do Tesouro (OT) 4 A - Emissão 4 B Maturidade das emissões 7 D Existência 11 E Remuneração 13 II - Bilhetes do Tesouro 15 A Emissão 15 B Maturidades das emissões 15 C Serviço 16 D Existência 17 CAPÍTULO II 18 EMISSÃO, SERVIÇO E EXISTÊNCIA DE OBRIGAÇÕES EM MOEDA EXTERNA 19 A Emissão 19 Serviço 19 B - Maturidades 20 C - Existência 20 D Remuneração 21 CAPÍTULO III 21 SERVIÇO E EXISTÊNCIA DOS TÍTULOS DO TESOURO NO 1º SEMESTRE DE 2014 E PREVISÕES PARA A Serviço e Existência dos Títulos do Tesouro (OT-MN, ME e BT) 21 B Previsões para o serviço da dívida 24 CAPÍTULO IV 25 BASE LEGAL

4 Lista de Tabelas TABELA 1: EMISSÃO OT-MN... 5 TABELA 2: EMISSÃO POR TIPO DE TÍTULO - OT-MN... 6 TABELA 3: EMISSÃO POR MODALIDADE DE COLOCAÇÃO - OT MN... 6 TABELA 4: MATURIDADE - OT-MN... 7 TABELA 5: SERVIÇO OT-MN... 8 TABELA 6: SERVIÇO DE OT-MN POR TIPO DE TÍTULO... 9 TABELA 7: SERVIÇO OT-MN PARA REGULARIZAÇÃO DE ATRASADOS E BDA... 9 TABELA 8: SERVIÇO OT-MN TXC TABELA 9: SERVIÇO OT-MN NR TABELA 10:SERVIÇO OT-MN PROJECTO NOVA-VIDA TABELA 11: EMISSÃO DE BILHETES DO TESOURO TABELA 12: SERVIÇO BILHETES DO TESOURO TABELA 13: STOCK DE BT 2014 POR MATURIDADE TABELA 14: EMISSÃO DE OT-ME TABELA 15: SERVIÇO OT ME (GLOBAL) TABELA 16:MATURIDADE OT ME TABELA 17: SERVIÇO TOTAL DA DÍVIDA TITULADA EM MOEDA NACIONAL (OT-MN E BT) TABELA 18: SERVIÇO OT ME TABELA 19:SERVIÇO TOTAL DA DÍVIDA TITULADA (OT-MN, BT, OT-ME) TABELA 20: EXISTÊNCIA TOTAL Lista de Figuras FIGURA 1: MATURIDADE DAS OT-MN 7 FIGURA 2: EXISTÊNCIA DE OT-MN 11 FIGURA 3: STOCK DE OT-MN POR MATURIDADE 12 FIGURA 4: EXISTÊNCIA DE OT-MN POR BANCOS 12 FIGURA 5: CURVA DE RENDIMENTO DOS TÍTULOS DE OT-NR 14 FIGURA 6: EMISSÃO DE BT POR MATURIDADE 15 FIGURA 7: PERFIL DO STOCK MENSAL ATÉ SETEMBRO 17 FIGURA 8: STOCK DE BT 2014 POR MATURIDADE 17 FIGURA 9: STOCK DE BT POR BANCOS - SETEMBRO 18 FIGURA 10: CURVA DE RENDIMENTO DOS TÍTULOS BT 18 FIGURA 11: EXISTÊNCIA OT ME ATÉ SETEMBRO DE FIGURA 12: COMPOSIÇÃO DO SERVIÇO DA DÍVIDA TITULADA ATÉ SETEMBRO DE FIGURA 13: COMPOSIÇÃO DO STOCK DA DÍVIDA PÚBLICA TITULADA EM 30/09/14 24 FIGURA 14: PREVISÃO DO SERVIÇO DA DÍV. TITULADA PARA 2015 EM MIL MILHÕES 24 3

5 Introdução 1. O presente documento encontra-se estruturado em 4 capítulos principais, com o seguinte conteúdo: a) As emissões, amortizações e pagamentos de juros dos Títulos do Tesouro em moeda nacional (Obrigações e Bilhetes do Tesouro) até o 3º Trimestre de 2014 e o seu stock à 30/09/2014; b) A emissão e o serviço (amortizações e pagamentos de juros) das Obrigações do Tesouro emitidas em moeda estrangeira que incidiram no período e o seu stock ao final de Setembro de 2014; e c) O serviço e o stock conjunto dos Títulos da Dívida Pública Obrigações do Tesouro em Moeda Nacional, Moeda Estrangeira e Bilhetes do Tesouro. Igualmente, apresentar-se-á a previsão anual do serviço da Dívida Pública Titulada para o ano de Capítulo I EMISSÃO, SERVIÇO E EXISTÊNCIA DE OBRIGAÇÕES EM MOEDA NACIONAL I - Obrigações do Tesouro (OT) A - Emissão 2. Em Janeiro de 2014 tiveram início as emissões de Obrigações do Tesouro em Moeda Nacional, que totalizaram até Setembro AKZ 242,71 mil milhões (equivalentes à USD 2,48 mil milhões 1 ). 3. As referidas emissões, quando diferenciadas pela forma de colocação, podem ser desagregadas em: i) AKZ 151,79 mil milhões (equivalentes a USD 1,55 mil milhões) emitidas em leilão; ii) AKZ 12,23 mil milhões (equivalentes a USD 0,12 mil milhões) emitidas em operações especiais; iii) AKZ 19,96 mil milhões (equivalentes a USD 0,20 mil milhões) emitidas para regularização de atrasados de exercícios anteriores; e 1 Taxa de câmbio do OGE: 1 USD / AKZ 98 4

6 iv) AKZ 58,73 mil milhões (equivalentes a USD 0,60 mil milhões) para capitalização do Banco Nacional de Angola e do Banco de Desenvolvimento de Angola. 4. O destaque mensal em termos de emissões realizadas encontra-se no mês de Maio, tal como exibe a tabela 1 abaixo: Tabela 1: Emissão OT-MN DATA Emissões Equivalência Taxa de Câmbio AKZ em US$ Jan-14 97, , ,56 Fev-14 97, , ,49 Mar-14 97, , ,84 Abr-14 97, , ,22 Mai-14 97, , ,20 Jun-14 97, , ,63 Jul-14 97, , ,13 Ago-14 97, , ,77 Set-14 98, , ,46 Out Nov Dez TOTAL , ,29 5. Parte das emissões foi realizada através das OT-MN-TXC, títulos actualizados pela variação da taxa de câmbio e com juros de cupão variando, conforme a maturidade, de 7% a.a à 7,75% a.a. A colocação destes papéis foi feita através de leilão de quantidade, uma vez que as suas taxas de remuneração já estavam previamente definidas. 6. Outra parte das emissões, foi realizada através das OT-MN-NR, títulos sem qualquer indexador e com juros de cupão variando, conforme a maturidade, entre 7% a.a à 7,75% ao ano. A colocação destes papéis, diferentemente do que ocorreu com as OT-MN-TXC, é realizada através de leilões de preços. 7. Uma parcela significativa das emissões deste período foi destinada a capitalização do BNA e BDA (24%) e a regularização de Atrasados de Exercícios Anteriores (8%), essencialmente do Ministério da Construção, como exibe a Tabela 2 a seguir: 5

7 Tabela 2: Emissão por Tipo de Título - OT-MN DATA OT TXC OT NR OT ORDINÁRIAS TOTAL Jan , , ,10 Fev , , ,31 Mar , , ,70 Abr , , ,77 Mai , , ,92 Jun , , ,50 Jul , ,73 Ago , ,58 Set , ,85 Out Nov Dez TOTAL , , , ,46 8. A emissão de Obrigações para capitalizar o Banco Nacional de Angola (BNA), apresentou características distintas das demais, pois não contemplou a actualização nominal do principal ou juros de cupão, para além de apresentou prazos de vencimento de 20 anos. Por outro lado, a emissão para o BDA, também com maturidade de 20 anos, contempla juros de cupão de 5% a.a. 9. A emissão de Obrigações do Tesouro para Regularização de Atrasados de Exercícios Anteriores é realizada através de Obriações do Tesouro Indexadas à Taxa de Câmbio (OT-TXC), com maturidades que variam de 2 anos à 5 anos e contemplam juros de cupão de 5% a.a. 10. A tabela a seguir exibe a emissão de OT por modalidade de colocação, considerando as OT emitidas para o BNA e BDA. Tabela 3: Emissão por Modalidade de Colocação - OT MN EMISSÃO POR MODALIDADE- OT MN DATA LEILÃO ESPECIAIS CAPITALIZAÇÕES REGULARIZAÇÃO ATRASADOS TOTAL Jan , ,10 Fev , ,31 Mar , , ,70 Abr , ,77 Mai , , , ,92 Jun , , ,50 Jul , , ,73 Ago , , , ,58 Set , ,85 Out Nov Dez TOTAL , , , , ,46 6

8 AKZ Mil milhões B Maturidade das emissões 11. A estrutura em termos de maturidade das emissões de Obrigações até Setembro de 2014, com excepção da emissão para o Banco Nacional de Angola e para o Banco de Desenvolvimento de Angola, foi composta por títulos com maturidades que variam entre 2 à 5 anos, e as quantidades oferecidas obedeceram os critérios estritos de sustentabilidade da dívida pública. O fígura 1 ilustra os totais emitidos em cada maturidade 2 até Setembro de 2014: Figura 1: Maturidade das OT-MN 120,00 112,19 100,00 80,00 60,00 40,00 20,00 38,87 19,85 13,07-2 Anos 3 Anos 4 Anos 5 Anos OT-MN 12. Para efeitos comparativos, a tabela a seguir apresenta a evolução das maturidades de emissão das Obrigações do Tesouro em Moeda Nacional desde 2003: Tabela 4: Maturidade - OT-MN Finalidade Maturidades Primeira Emissão Última emissão CONV.DE DÍVIDAS (cupão de 1 à 7 anos 4%) Julho de 2003 Março de 2010 PIP - NOVA VIDA 1 à 7 anos Dezembro de 2006 Maio de 2008 CAPITALIZ. BDA 2 à 7 anos Julho de 2007 Agosto de 2007 CAPTALIZ.BDA 20 anos Maio de 2014 PIP à 4 anos Abril de 2009 Dezembro de 2009 PIP à 4 anos Junho de 2009 Outubro de 2009 PIP à 4 anos Dezembro de 2009 Dezembro de 2009 PIP à 6 anos Dezembro de PIP à 6 anos Abril de 2011 Dezembro de 2011 PIP à 5 anos Março de 2012 Dezembro de 2012 CAPITALIZ. BNA 20 anos Junho de 2012 Junho de 2014 PIP PIP à 5 anos 2 à 5 anos Maio de 2013 Janeiro de 2014 Dezembro de 2013 Setembro de 2014 CONV. DE DÍVIDAS (cupão de 5%) 2 à 5 anos Novembro de 2013 Maio de Excluindo as emissões para capitalização dos bancos (BNA e BDA) 7

9 C- Serviço 13. O serviço das OT-MN atingiu de Janeiro à Setembro o valor de AKZ 140,51 mil milhões (equivalente à USD 1,43 mil milhões), dos quais AKZ 102,44 mil milhões (USD 1,05 mil milhões) corresponderam a amortizações e AKZ 38,07 mil milhões (USD 0,39 milhões) à juros de cupão. 14. O serviço da dívida das OT-MN quando desagregado por tipo de título, indica que cerca de 47% do total corresponde ao serviço das OT-MN-TXC, titulos com indexação à variação da taxa de câmbio USD/AKZ e com taxas de juros fixas emitidos a partir de De referir que esta percentagem foi sensivelmente influenciada pelos resgates em Julho. 15. As Obrigações do Tesouro denominadas OT-NR, títulos sem qualquer indexador, responderam por cerca de 42% do serviço total, realizando-se no mês de Março a primeira amortização destes títulos desde o seu lançamento em Outro aspecto de destaque em relação ao serviço destes papéis é que o mesmo vem crescendo de maneira substancial, já que no ano transacto respondiam por apenas 3% do serviço total das OT em moeda nacional. 16. Nota-se também que não se registou qualquer serviço decorrente dos títulos indexados à inflação (OT-IPC) e dos títulos com juros LIBOR-6 meses (OT-MN-TX), já que os últimos títulos remanescentes em mercado, emitidos no auge da crise económica internacional em 2009, foram completamente amortizados em As tabelas a seguir detalham as informações relativas ao serviço das OT MN até Setembro de 2014: Tabela 5: Serviço OT-MN OT-TXC, NR, REG. ATRASADOS, BDA e Nova Vida (Em Kwanzas) DATA Amortização Juros Serviço Jan , Fev , , Mar , , Abr , , Mai , , Jun , , Jul , , Ago , , Set , , Out Nov Dez TOTAL ,

10 Tabela 6: Serviço de OT-MN por Tipo de Título OT-TXC, NR, REG. ATRASADOS, BDA e Nova Vida (Em percentuais do serviço mensal total) DATA OT TXC OT ATRAS. e BDA OT NR NOVA VIDA Jan-14 40,57% 0,90% 58,67% 0,05% Fev-14 20,82% 51,68% 20,73% 6,78% Mar-14 54,60% 24,86% 18,90% 1,64% Abr-14 71,66% 5,53% 21,55% 1,26% Mai-14 51,46% 17,05% 30,94% 1,96% Jun-14 74,98% 1,93% 23,94% 0,59% Jul-14 16,25% 3,06% 80,33% 0,36% Ago-14 52,97% 15,74% 28,45% 2,84% Set-14 35,66% 15,52% 45,88% 2,95% Out Nov Dez TOTAL % 9% 42% 1% Tabela 7: Serviço OT-MN para Regularização de Atrasados e BDA Regularização de Atrasados e BDA (Em Kwanzas) DATA Amortização Juros Serviço Jan , ,3 Fev , , ,2 Mar , , ,3 Abr , , ,1 Mai , , ,4 Jun , ,6 Jul , , ,1 Ago , , ,5 Set , , ,6 Out Nov Dez TOTAL , ,1 9

11 Tabela 8: Serviço OT-MN TXC Indexadas a variação cambial, juros fixos de 7% à 8% DATA Amortização Juros Serviço Jan , ,7 Fev , ,8 Mar , , ,5 Abr , , ,4 Mai , , ,8 Jun , , ,6 Jul , , ,9 Ago , , ,6 Set , , ,6 Out Nov Dez TOTAL , ,8 Tabela 9: Serviço OT-MN NR Sem indexação cambial, juros fixos de 7% à 8% DATA Amortização Juros Serviço Jan , ,0 Fev , ,0 Mar , , ,0 Abr , , ,0 Mai , , ,0 Jun , , ,0 Jul , , ,0 Ago , ,0 Set , ,0 Out Nov Dez TOTAL , ,0 10

12 AKZ Mil Milhões Tabela 10:Serviço OT-MN Projecto Nova-Vida Indexação Cambial e Juros Libor (Proj. Nova Vida) DATA Amortização Juros Serviço Jan , ,1 Fev , , ,4 Mar , , ,9 Abr , , ,9 Mai , , ,8 Jun , , ,8 Jul , , ,1 Ago , , ,5 Set , , ,2 Out Nov Dez TOTAL , ,6 D Existência 18. Ao final de Setembro de 2014 o stock total das OT-MN totalizava AKZ 1.110,44 mil milhões (USD 11,33 mil milhões 3 ) e a sua desagregação por tipo de título (TXC, NR, Nova Vida, Regularização de Atrasados, BDA e BNA) mostrava-se da seguinte forma (Figura 2). Figura 2: Existência de OT-MN 500,00 450,00 432,60 400,00 350,00 361,80 300,00 250,00 200,00 174,40 150,00 100,00 50,00-113,24 27,44 0,88 NR BNA BDA TXC OT-Nova Vida OT- Atrasados 3 Taxa de câmbio: 98 11

13 AKZ Mil milhões 19. Por sua vez, o stock do período apresenta uma maior concentração nas maturidades de mais curto prazo (2 e 3 anos), correspondendo à cerca de 41% do saldo total. As capitalizações, apresentam igualmente um peso preponderante, correspondendo à 18% do stock total. Figura 3: Stock de OT-MN por maturidade 300,00 250,00 200,00 252,76 197,89 216,14 163,72 201,88 150,00 100,00 50,00-76,56 1,49 2 anos 3 anos 4 anos 5 anos 6 anos 7 anos 20 anos OT - Maturidade 20. A figura 4 demonstra uma maior concentração do stock de Setembro de 2014 pelos bancos BFA (27%), BIC (22%) e BAI (17%). Figura 4: Existência de OT-MN por bancos 18% 17% 3% 4% 9% 22% 27% BAI BIC BFA BNA BPC Millennium Outros 12

14 E Remuneração 21. A remuneração das OT-MN é realizada através do pagamento semestral de juros de cupão, e varia de acordo com a finalidade da emissão (captação de recursos ou regularização de atrasados). As OT-MN emitidas desde 2003 tiveram as seguintes modalidades de remuneração: a) As OT-MN para Conversão de Dívidas, introduzidas em 2003 e descontinuadas em Março de 2010, têm a sua remuneração baseada na actualização do valor nominal em conformidade com a variação da taxa de câmbio. Os juros de cupão semestral são de 4% ao ano. Em 2013 estes títulos voltaram a ser emitidos com o mesmo propósito, porém com taxas de juros anuais de 5%; b) As OT-MN-TX-2009, para financiamento do Orçamento Geral do Estado (OGE), introduzidas em Abril de 2009 e descontinuadas em Dezembro do mesmo ano, foram emitidas com a actualização do valor nominal conforme a variação da taxa de câmbio, com juros anuais equivalentes à taxa LIBOR/USD/6M, acrescida de pontos-base consoante as maturidades (400, 450, 500 e 600 pontos-base, respectivamente para as maturidades e 1, 2, 3 e 4 anos). Como já se referiu, em 2013 foi resgatado na plenitude o stock remanescente destes títulos, que não fazem mais parte do stock da dívida pública em mercado; c) As OT-MN-IPC-2009, para financiamento do OGE, introduzidas em Junho de 2009 e descontinuadas em Dezembro do mesmo ano, foram emitidas com à actualização do valor nominal conforme a variação do IPC-Luanda, com juros anuais às taxas de 2% a.a, 3% a.a, 4% a.a e 5% a.a, respectivamente, para as maturidades de 1, 2, 3 e 4 anos. O stock remanescente destes títulos, assim como aquele das OT-TX, referidos no parágrafo anterior, foram resgatados na sua totalidade no decurso de 2013; d) As OT-MN-JTC-2009, para financiamento do OGE, emitidas unicamente em Dezembro de 2009, sem actualização do valor nominal, com juros anuais à taxa apurada em leilão (14%), a qual será acrescida os pontos percentuais excedentes a oito na depreciação da taxa de câmbio que ocorrer entre a data de emissão e as datas de pagamento dos juros de cupão. Da mesma forma que ocorreu com as OT-MN-IPC e as OT-MN-TX, o stock remanescente deste título foi resgatado completamente em 2013; e) As OT-MN-TXC-2010, para financiamento do OGE, emitidas em Dezembro de 2010, com actualização do valor nominal de acordo com a variação da taxa de câmbio e juros anuais que variam entre 7% à 8% a.a., dependendo das maturidades (3 à 6 anos); f) As OT-MN-TXC-2011, para financiamento do OGE-2011 mantiveram as mesmas características de 2010, com actualização do valor nominal de acordo 13

15 % com a variação da taxa de câmbio e juros de cupão fixos de 7% a.a, 7,25% a.a, 7,75% a.a e 8% a.a. para as maturidades de 3, 4, 5 e 6 anos; g) As OT-MN-TXC-2012, para financiamento do OGE 2012, mantiveram as características dos títulos já emitidos em 2011, alterando contudo os prazos de maturidade mínima e máxima, bem como as taxas de juros incidentes sobre cada uma das maturidades, que passaram a ser de 7% a.a, 7,25% a.a, 7,5% a.a e 7,75% a.a, para as maturidades de 2, 3, 4 e 5 anos, respectivamente; e h) As OT-MN-NR-2012 para financiamento do OGE 2012, têm prazos e juros iguais às OT-MN-TXC-2012, diferenciando-se apenas por não apresentarem actualização cambial. i) Em 2013, foram emitidos dois tipos de OT MN: (i) OT-TXC, (ii) OT-NR e (iii) Regularização de Atrasados. 22. No ano em curso, continuou-se a emissão das Obrigações com as mesmas características e remuneração daquelas de 2013, ou seja, Obrigações do Tesouro Não Reajustáveis e Indexadas à Taxa de Câmbio. 23. Não obstante estas emissões, durante este período o Tesouro Nacional emitiu Obrigações, destinadas à capitalização do Banco Nacional de Angola, que, como já se referiu, não beneficiam de actualização do valor nominal nem de juros de cupão, e também Obrigações destinadas à capitalização do BDA, as quais não beneficiam de actualização do valor nominal mas são contempladas com juros de cupão de 5% a.a. 24. Os juros de colocação registaram uma tendência estável ao longo do período, conforme pode ser vislumbrado no gráfico infra. Figura 5: Curva de Rendimento dos Títulos de OT-NR 35,00% 30,00% 8,25% 8,25% 8,25% 8,25% 8,25% 8,25% 8,25% 8,25% 8,25% 25,00% 20,00% 15,00% 10,00% 5,00% 8,00% 8,00% 8,00% 8,00% 8,00% 8,00% 8,00% 8,00% 8,00% 7,75% 7,75% 7,72% 7,74% 7,63% 7,25% 7,75% 7,52% 7,75% 7,00% 7,25% 7,26% 7,14% 7,31% 6,99% 7,02% 7,07% 7,09% 0,00% OT-NR 2 Anos OT-NR 3 Anos OT-NR 4 Anos OT-NR 5 Anos 14

16 AKZ Mil milhões II - Bilhetes do Tesouro A Emissão 25. Assim como ocorreu com as Obrigações do Tesouro, a emissão de Bilhetes do Tesouro até Setembro de 2014 totalizou um valor nominal de AKZ 344,00 mil milhões (equivalentes a cerca de USD 3,51 mil milhões) 4. B Maturidades das emissões 26. À semelhança do que ocorreu nos anos anteriores, os Bilhetes do Tesouro emitidos até Setembro de 2014 compreenderam maturidades de 91 dias, 182 dias e 364 dias, com a predominância de papéis de maior maturidade (65%), que é um factor de relevo na estratégia de alongamento da dívida pública: Figura 6: Emissão de BT por maturidade ,20 6,00% 200 5,07% 5,00% 150 3,82% 4,22% 4,00% 3,00% ,06 55,74 2,00% 50 1,00% dias 182 dias 91 dias BT Curva de Rendimento 0,00% 4 Taxa de câmbio: AKZ 98/USD 15

17 Tabela 11: Emissão de Bilhetes do Tesouro (Em Kwanzas) Maturidades 364 dias 182 dias 91 dias Total Jan ,00 0, , ,00 Fev , , , ,00 Mar , , , ,00 Abr , , , ,00 Mai , , , ,00 Jun , , , ,00 Jul , , , ,00 Ago , , , ,00 Set , , , ,00 Out-14 0,00 0,00 0,00 0,00 Nov-14 0,00 0,00 0,00 0,00 Dez-14 0,00 0,00 0,00 0,00 TOTAL , , , ,00 C Serviço 27. O serviço dos Bilhetes do Tesouro até Setembro de 2014 totalizou AKZ 251,16 mil milhões (USD 2,56 mil milhões 5 ), dos quais AKZ 245,06 mil milhões (USD 2,50 mil milhões) corresponderam a amortizações (98%) e AKZ 6,10 mil milhões (USD 0,06 mil milhões) foram relativos à juros (2%). A Tabela11 sintetiza o serviço mensal de BTs durante o período em alusão. Tabela 12: Serviço Bilhetes do Tesouro SERVIÇO BT (Em Kwanzas) DATA Amortização Juros Serviço Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez TOTAL Taxa de câmbio: 98 16

18 AKZ Mil milhões AKZ Mil milhões D Existência 28. Em a existência de BT no mercado posicionou-se em AKZ 358,63 mil milhões (USD 3,66 mil milhões). Figura 7: Perfil do Stock Mensal até Setembro Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Stock BT Tabela 13: Stock de BT 2014 por maturidade Stock - Bilhetes do Tesouro 91 Dias 182 Dias 364 Dias , , ,00 Figura 8: Stock de BT 2014 por maturidade 350,00 300,00 302,27 250,00 200,00 150,00 100,00 50,00 22,05 34,31 0,00 91 Dias 182 Dias 364 Dias Stock - Bilhetes do Tesouro 17

19 % 29. O stock de Bilhetes do Tesouro à 30 de Setembro, a semelhança das OT-MN demonstra uma maior concentração pelos bancos BIC (25%), BFA (23%) e BAI (14%). Figura 9: Stock de BT por bancos - Setembro 7% 9% 14% 10% 25% 23% 12% BAI BIC Caixa BFA Standard Bank Millenium Outros E Remuneração 30. A remuneração dos Bilhetes do Tesouro é determinada nos leilões semanais que o BNA realiza todas as quintas-feiras. 31. No decorrer do ano, denotou-se que os juros de colocação nas diferentes maturidades registaram uma tendência de crescimento. Figura 10: Curva de Rendimento dos Títulos BT 18,00% 16,00% 14,00% 12,00% 10,00% 8,00% 6,00% 4,00% 2,00% 0,00% 4,98% 3,36% 0,00% 6,06% 5,87% 5,89% 5,07% 5,41% 4,88% 4,85% 4,84% 5,15% 4,64% 3,71% 4,06% 4,06% 3,94% 4,37% 4,42% 3,49% 3,82% 3,83% 3,71% 3,64% 4,15% 4,27% 4,76% BT 91 dias BT 182 dias BT 364 dias 18

20 Capítulo II EMISSÃO, SERVIÇO E EXISTÊNCIA DE OBRIGAÇÕES EM MOEDA EXTERNA A Emissão 32. De maneira distinta do que ocorreu no ano transacto, para 2014 foram programadas emissões de Obrigações do Tesouro em Moeda Externa com maturidades de 5 e 7 anos, com taxas de juros libor mais um spread de 2,5% a.a. e 3% a.a., respectivamente. 33. De Janeiro à Setembro de 2014 as emissões de OT-ME totalizaram AKZ 2,93 mil milhões (USD 0,03 mil milhões) apenas para maturidade de 5 anos. Tabela 14: Emissão de OT-ME EMISSÃO - OT-ME Emissões Equivalência USD em AKZ DATA Taxa de Câmbio Jan-14 97, , ,00 Fev-14 97, Mar-14 97, , ,00 Abr-14 97, Mai-14 97, Jun-14 97, Jul-14 97, Ago-14 97, Set-14 98, Out Nov Dez TOTAL , ,00 B - Serviço 34. As Obrigações em Moeda Externa (OT-ME) geraram um serviço que alcançou cerca de AKZ 7,01 mil milhões (equivalentes a USD 0,07 mil milhões) até Setembro de Este valor resulta unicamente do pagamento de juros de cupão, tal como detalha o quadro abaixo. 19

21 Tabela 15: Serviço OT ME (Global) Juros LIBOR com spread (Valores em Kwanzas ) Data Tx. Camb Amortizações Juros Serviço Jan-14 95, , ,05 Fev-14 95, , ,56 Mar-14 95, , ,00 Abr-14 95, , ,20 Mai-14 95, , ,20 Jun-14 96, , ,60 Jul-14 97, , ,65 Ago-14 97, , ,26 Set-14 98, , ,11 Out Nov Dez Total , ,62 C - Maturidades 35. As maturidades de emissão das OT-ME variaram de acordo com a finalidade da captação: Tabela 16:Maturidade OT ME Finalidade Maturidade Primeira Emissão Última emissão 1 à 6,5 Projecto TAAG Novembro de 2005 Novembro de 2005 anos PIP 8 à 12 anos Abril de 2007 Dezembro de 2007 Projecto Cabinda 8 à 11 anos Julho de 2007 Abril de 2008 Programa de Reconst. Nacional 5 anos Novembro de 2007 Novembro de 2007 Fundo de Fomento Empresarial 10 anos Agosto de 2008 Agosto de 2008 OGE - Leilão 5 e 7 anos Janeiro de 2014 Março de 2014 D - Existência 36. O stock total das OT-ME situava-se em AKZ 214,05 mil milhões (equivalentes a USD 2,18 mil milhões6) em O gráfico abaixo ilustra a sua evolução até Setembro de 2014: 6 USD/AKZ 98,00 20

22 AKZ Mil milhões Figura 11: Existência OT ME até Setembro de ,00 214,00 213,00 212,00 211,00 210,00 209,00 208,00 207,00 206,00 209,31 209,96 212,23 212,28 212,33 212,16 213,12 212,49 214,05 Stock OT-ME E Remuneração 37. As OT-ME são remuneradas através de juros de cupão semestrais, pagos normalmente no dia 15 do mês em que o serviço é devido. A taxa de juros é dada pela composição da taxa LIBOR/USD/6M adicionada de pontos-base que reflectem as diversas maturidades dos títulos. Capítulo III SERVIÇO E EXISTÊNCIA DOS TÍTULOS DO TESOURO NO 1º SEMESTRE DE 2014 E PREVISÕES PARA 2015 A Serviço e Existência dos Títulos do Tesouro (OT-MN, ME e BT) 38. A agregação dos dados apresentados nos Capítulos I (OT-MN e BT) e II (OT- ME) permite vislumbrar o total do serviço da dívida entre as diferentes maturidades e o stock total no final de Setembro de As tabelas a seguir apresentam os valores mensais aproximados para o serviço das obrigações emitidas em moeda nacional e estrangeira, bem como o serviço total. 21

23 Tabela 17: Serviço Total da Dívida Titulada em Moeda Nacional (OT-MN e BT) SERVIÇO OT-MN e BT (Valores em Kwanzas) Data Tx. Camb Amortizações Juros Serviço Jan-14 97, Fev-14 97, Mar-14 97, Abr-14 97, Mai-14 97, Jun-14 97, Jul-14 97, Ago-14 97, Set-14 98, Out Nov Dez Total Tabela 18: Serviço OT ME Juros LIBOR com spread (Valores em Kwanzas ) Data Tx. Camb Amortizações Juros Serviço Jan-14 95, , ,05 Fev-14 95, , ,56 Mar-14 95, , ,00 Abr-14 95, , ,20 Mai-14 95, , ,20 Jun-14 96, , ,60 Jul-14 97, , ,65 Ago-14 97, , ,26 Set-14 98, , ,11 Out Nov Dez Total , ,62 22

24 Tabela 19:Serviço Total da Dívida Titulada (OT-MN, BT, OT-ME) SERVIÇO OT-MN, BT e OT-ME (Valores em Kwanzas) Data Tx. Camb Amortizações Juros Serviço Jan-14 97, Fev-14 97, Mar-14 97, Abr-14 97, Mai-14 97, Jun-14 97, Jul-14 97, Ago-14 97, Set-14 98, Out Nov Dez Total Figura 12: Composição do Serviço da Dívida Titulada até Setembro de % 35% 63% OT-MN BT OT-ME 40. O stock total dos títulos do Tesouro Nacional em 30 de Setembro de 2014 tinha a seguinte composição: Tabela 20: Existência Total EXISTÊNCIA TOTAL (Em Kwanzas) TIPO DE TÍTULO STOCK À BT ,00 OT-MN ,92 OT-ME ,00 STOCK TOTAL ,92 23

25 AKZ Mil Milhões Figura 13: Composição do Stock da Dívida Pública Titulada em 30/09/14 OT-ME 13% BT 21% OT-MN 66% B Previsões para o serviço da dívida 41. Esta secção dedica-se a apresentar, através de gráficos, as previsões para 2015 do serviço da dívida titulada (OT-MN, OT-ME e BT) e a sua desagregação mensal em juros e amortizações, tendo em conta as emissões realizadas até Setembro de Figura 14: Previsão do Serviço da Dív. Titulada para ,00 20,08 100,00 80,00 60,00 40,00 20,00 0,00 3,41 1,29 7,41 29,73 6,00 8,81 14,02 41,47 43,05 34,75 5,99 14,99 4,19 38,18 7,85 22,86 12,90 6,41 47,29 54,49 88,43 13,24 48,93 Amortização Juros 24

26 Capítulo IV BASE LEGAL Base Legal 1. A emissão de títulos do Tesouro Nacional fundamenta-se na Lei - Quadro da Dívida Pública Directa e Indirecta (Lei n.º 1/14, de 6 de Fevereiro), bem como nos Decreto Presidencial 259/10, de 18 de Novembro, que regulamenta as Obrigações do Tesouro e os Bilhetes do Tesouro, para além de Decretos específicos sobre emissões especiais. 2. As características de cada emissão são estabelecidas em Decretos Executivos e Despachos do Ministro das Finanças publicados no Diário da República. 3. De acordo com a legislação em vigor, os títulos do Tesouro têm as seguintes características: a) Gozam de garantia do pagamento integral do capital e dos juros, directamente junto das instituições financeiras e do Banco Nacional de Angola; b) Não são passíveis de confisco ou de qualquer outro acto de intervenção da administração do Estado; c) Podem ser subscritos por quaisquer pessoas singulares ou colectivas residentes no País ou no estrangeiro; d) Podem, nas condições complementares ou específicas que forem estabelecidas pelo Governo, ser utilizados como garantia de créditos bancários, no pagamento de obrigações fiscais e no pagamento das responsabilidades financeiras em processos de privatização ou outros; e) Podem ser objecto de resgate antecipado, nas condições que vierem a ser determinadas, para cada emissão, pelo Ministro das Finanças. 4. Tendo em conta a maturidade definida na emissão, os títulos do Tesouro classificam-se como dívida pública flutuante (contraída para ser totalmente amortizada com recursos do mesmo exercício orçamental da sua emissão) ou como dívida pública fundada (contraída para ser amortizada com recursos de exercícios orçamentais futuros àquele em que foi criada). 5. A emissão das Obrigações do Tesouro e dos Bilhetes do Tesouro efectua-se por meio da sua colocação no mercado primário ou da sua entrega aos beneficiários, no caso de emissão especial de Obrigações do Tesouro por conversão de outras dívidas ou para capitalização de entidades e fundos públicos - sem emissão física, através do Banco Nacional de Angola, que age em representação do Ministério das Finanças. 25

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS R EE P Ú B LL II C A D EE A N G O LL A M II N II SS TT ÉÉ R II O D A SS FF II N A N Ç A SS D II R EE C Ç Ã O N A C II O N A LL D O TT EE SS O U R O Rellatóriio TÍTULOS DO TESOURO 2007-2008 Luanda, 31 de

Leia mais

Preçário BANCO PRIVADO ATLANTICO. Instituição Financeira Bancária TABELA DE TAXAS DE JURO. Data de Entrada em vigor: 8 de Janeiro 2015

Preçário BANCO PRIVADO ATLANTICO. Instituição Financeira Bancária TABELA DE TAXAS DE JURO. Data de Entrada em vigor: 8 de Janeiro 2015 Preçário BANCO PRIVADO ATLANTICO Instituição Financeira Bancária TABELA DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor: 8 de Janeiro 2015 O Preçário pode ser consultado nos balcões e locais de atendimento ao

Leia mais

Lista de exercício nº 4* Fluxos de caixa não uniformes, inflação, juros reais e nominais

Lista de exercício nº 4* Fluxos de caixa não uniformes, inflação, juros reais e nominais Lista de exercício nº 4* Fluxos de caixa não uniformes, inflação, juros reais e nominais 1. Calcule o Valor Presente Líquido do fluxo de caixa que segue, para as taxas de desconto de 8% a.a., 10% a.a.

Leia mais

O Preçário das Operações BNI pode ser consultado nos Balcões e Locais de Atendimento ao público do Banco de Negócios Internacional ou em www.bni.

O Preçário das Operações BNI pode ser consultado nos Balcões e Locais de Atendimento ao público do Banco de Negócios Internacional ou em www.bni. Instituição Financeira Bancária Preçário das Operações ANEXO II Tabela de Taxas de Juro DATA DE ENTRADA EM VIGOR: 01 de Outubro de 2015 O Preçário das Operações BNI pode ser consultado nos Balcões e Locais

Leia mais

Regime Jurídico dos Certificados de Aforro

Regime Jurídico dos Certificados de Aforro Regime Jurídico dos Certificados de Aforro (Decreto-Lei nº 122/2002 de 4 de Maio) A reforma dos certificados de aforro levada a cabo em 1986 com a publicação do Decreto-Lei n.º 172-B/86, de 30 de Junho,

Leia mais

Preçário BANCO PRIVADO ATLANTICO. Instituição Financeira Bancária TABELA DE TAXAS DE JURO. Data de Entrada em vigor: 2 de Outubro 2015

Preçário BANCO PRIVADO ATLANTICO. Instituição Financeira Bancária TABELA DE TAXAS DE JURO. Data de Entrada em vigor: 2 de Outubro 2015 Preçário BANCO PRIVADO ATLANTICO Instituição Financeira Bancária TABELA DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor: 2 de Outubro 2015 O Preçário pode ser consultado nos balcões e locais de atendimento ao

Leia mais

III Fórum Banca Expansão. João Fonseca Luanda, 4 de Julho de 2013

III Fórum Banca Expansão. João Fonseca Luanda, 4 de Julho de 2013 Novo Regime Cambial para o Sector Petrolífero (NRCSP) Impacto na economia Desdolarização, desenvolvimento do mercado cambial e da economia não petrolífera. III Fórum Banca Expansão João Fonseca Luanda,

Leia mais

Preçário BANCO PRIVADO ATLANTICO. Instituição Financeira Bancária TABELA DE TAXAS DE JURO. Data de Entrada em vigor: 03 de Dezembro 2015

Preçário BANCO PRIVADO ATLANTICO. Instituição Financeira Bancária TABELA DE TAXAS DE JURO. Data de Entrada em vigor: 03 de Dezembro 2015 Preçário BANCO PRIVADO ATLANTICO Instituição Financeira Bancária TABELA DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor: 03 de Dezembro 2015 O Preçário pode ser consultado nos balcões e locais de atendimento

Leia mais

1. Objetivo e Descrição do fundo

1. Objetivo e Descrição do fundo FATOR VERITÀ FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII CNPJ: 11.664.201/0001-00 Administrado pelo Banco Fator S.A. CNPJ: 33.644.196/0001-06 RELATÓRIO SEMESTRAL 1º. SEM. 2012 1. Objetivo e Descrição do fundo

Leia mais

Tabela de Taxas de Juro. Anexo II. Instituição Financeira Bancaria com Sede em Território Nacional. Entrada em vigor: 26 de Outubro de 2015

Tabela de Taxas de Juro. Anexo II. Instituição Financeira Bancaria com Sede em Território Nacional. Entrada em vigor: 26 de Outubro de 2015 Anexo II Instituição Financeira Bancaria com Sede em Território Nacional Entrada em vigor: 26 de Outubro de 2015 Preçário pode ser consultado nas Agências e locais de atendimento ao público do Banco Keve

Leia mais

Metodologia de cálculo alguns rácios e indicadores... 23. I. Indicadores mensais...26. II. Meios de pagamento (M3)...27

Metodologia de cálculo alguns rácios e indicadores... 23. I. Indicadores mensais...26. II. Meios de pagamento (M3)...27 Indicadores do Mercado Financeiro 1º Semestre 2014 Banco Keve 3 Índice Síntese da análise dos indicadores 1º semestre de 2014... 05 Análise sumária...06 Regulamentação relevante publicada no 1º semestre

Leia mais

RELATÓRIO & CONTAS Liquidação

RELATÓRIO & CONTAS Liquidação Fundo Especial de Investimento Aberto CAIXA FUNDO RENDIMENTO FIXO IV (em liquidação) RELATÓRIO & CONTAS Liquidação RELATÓRIO DE GESTÃO DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS RELATÓRIO DO AUDITOR EXTERNO CAIXAGEST Técnicas

Leia mais

Nota de Crédito PJ. Janeiro 2015. Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014

Nota de Crédito PJ. Janeiro 2015. Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014 Nota de Crédito PJ Janeiro 2015 Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014 mai/11 mai/11 Carteira de Crédito PJ não sustenta recuperação Após a aceleração verificada em outubro, a carteira de crédito pessoa jurídica

Leia mais

Relatório Anual da Dívida Pública 2010 Plano Anual de Financiamento 2011

Relatório Anual da Dívida Pública 2010 Plano Anual de Financiamento 2011 Dívida Pública Federal Brasileira Relatório Anual da Dívida Pública 2010 Plano Anual de Financiamento 2011 Fevereiro 2011 B R A S Í L I A D Í V I D A P Ú B L I C A F E D E R A L B R A S I L E I R A Dívida

Leia mais

CONJUNTURA ECONÓMICA INDICADORES DO MERCADO FINANCEIRO ANGOLA 1º SEMESTRE 2013. RELATÓRIO Nº 17 30 JULHO 2013 www.bancokeve.ao

CONJUNTURA ECONÓMICA INDICADORES DO MERCADO FINANCEIRO ANGOLA 1º SEMESTRE 2013. RELATÓRIO Nº 17 30 JULHO 2013 www.bancokeve.ao CONJUNTURA ECONÓMICA INDICADORES DO MERCADO FINANCEIRO ANGOLA 1º SEMESTRE 2013 RELATÓRIO Nº 17 30 JULHO 2013 www.bancokeve.ao CONJUNTURA ECONÓMICA INDICADORES DO MERCADO FINANCEIRO ANGOLA 1º SEMESTRE 2013

Leia mais

O processo de criação de moeda. 1. Conceitos básicos 31

O processo de criação de moeda. 1. Conceitos básicos 31 Índice LISTA DE SÍMBOLOS 17 PREFÁCIO 23 INTRODUÇÃO 25 Capítulo 1 O processo de criação de moeda 1. Conceitos básicos 31 1.1. Moeda e outros activos de uma economia 31 1.2. Sector monetário de uma economia

Leia mais

relatório mensal BB Recebíveis Imobiliários Fundo de Investimento Imobiliário FII

relatório mensal BB Recebíveis Imobiliários Fundo de Investimento Imobiliário FII relatório mensal BB Recebíveis Imobiliários Fundo de Investimento Imobiliário FII Maio 2015 BB Recebíveis Imobiliários Fundo de Investimento Imobiliário FII O fundo BB Recebíveis Imobiliários FII iniciou

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE TAXAS DE JUROS / 2012 EMPRÉSTIMO PESSOAL E CHEQUE ESPECIAL

RELATÓRIO ANUAL DE TAXAS DE JUROS / 2012 EMPRÉSTIMO PESSOAL E CHEQUE ESPECIAL ANÁLISE COMPARATIVA RELATÓRIO ANUAL DE TAXAS DE JUROS / 2012 EMPRÉSTIMO PESSOAL E CHEQUE ESPECIAL O levantamento anual envolveu sete instituições financeiras: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica

Leia mais

Perspectiva de um Emitente Soberano República de Portugal

Perspectiva de um Emitente Soberano República de Portugal Perspectiva de um Emitente Soberano República de Portugal 31 de Janeiro de 2011 Alberto Soares IDENTIDADE FUNDAMENTAL DA MACROECONOMIA ECONOMIA ABERTA Poupança Interna + Poupança Externa Captada = Investimento

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA DP NETB@ANCO 90 DIAS

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA DP NETB@ANCO 90 DIAS DP NETB@ANCO 90 DIAS Designação Condições de acesso Modalidade Prazo Mobilização antecipada DP Netb@nco 90 Dias Clientes aderentes ao NetB@nco (constituição e movimentação exclusiva através do canal NetB@nco).

Leia mais

Principais termos e condições dos empréstimos do BIRD

Principais termos e condições dos empréstimos do BIRD BANCO INTERNACIONAL DE RECONSTRUÇÃO E DESENVOLVIMENTO B I R D Principais termos e condições dos empréstimos do BIRD D EPARTAMENTO DE PRODUTOS E SERVIÇOS FINANCEIROS (FPS) TELEFONE: (202) 458-1122 FAX:

Leia mais

CONJUNTURA ECONÓMICA INDICADORES DO MERCADO FINANCEIRO ANGOLA 2º SEMESTRE 2012. RELATÓRIO Nº 16 31 DEZEMBRO 2012 www.bancokeve.ao

CONJUNTURA ECONÓMICA INDICADORES DO MERCADO FINANCEIRO ANGOLA 2º SEMESTRE 2012. RELATÓRIO Nº 16 31 DEZEMBRO 2012 www.bancokeve.ao CONJUNTURA ECONÓMICA INDICADORES DO MERCADO FINANCEIRO ANGOLA 2º SEMESTRE 2012 RELATÓRIO Nº 16 31 DEZEMBRO 2012 www.bancokeve.ao CONJUNTURA ECONÓMICA INDICADORES DO MERCADO FINANCEIRO ANGOLA 2º SEMESTRE

Leia mais

Preçário BANCO BIC, SA

Preçário BANCO BIC, SA Preçário BANCO BIC, SA Bancos ANEXO II Consulte o Índice de TAXAS DE JURO Consulte o Índice de TABELA DE COMISSÕES E DESPESAS Informação Complementar DATA DE ENTRADA EM VIGOR: 10/11/2014 O Preçário pode

Leia mais

Preçário BANCO MILLENNIUM ATLÂNTICO, S.A. INSTITUIÇÃO FINANCEIRA BANCÁRIA. TABELA DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor: 17 de Junho 2016

Preçário BANCO MILLENNIUM ATLÂNTICO, S.A. INSTITUIÇÃO FINANCEIRA BANCÁRIA. TABELA DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor: 17 de Junho 2016 Preçário BANCO MILLENNIUM ATLÂNTICO, S.A. INSTITUIÇÃO FINANCEIRA BANCÁRIA TABELA DE TAXAS DE JURO Data de O Preçário pode ser consultado nos balcões e locais de atendimento ao público do Banco Millennium

Leia mais

PREÇÁRIO. (VTB África S.A.) ANEXO II. Tabela de Taxas de Juro. DATA DE ENTRADA EM VIGOR: 05 de Janeiro de 2015

PREÇÁRIO. (VTB África S.A.) ANEXO II. Tabela de Taxas de Juro. DATA DE ENTRADA EM VIGOR: 05 de Janeiro de 2015 - África, S.A. PREÇÁRIO (VTB África S.A.) Instituição financeira Bancária ANEXO II Tabela de Taxas de Juro DATA DE ENTRADA EM VIGOR: 05 de Janeiro de 2015 O Preçário pode ser consultado nos balcões e locais

Leia mais

INSTRUTIVO N.º 09/2003 De 11 de Julho. ASSUNTO: TÍTULOS DA DÍVIDA PÚBLICA DIRECTA Obrigações do Tesouro e Bilhetes do Tesouro

INSTRUTIVO N.º 09/2003 De 11 de Julho. ASSUNTO: TÍTULOS DA DÍVIDA PÚBLICA DIRECTA Obrigações do Tesouro e Bilhetes do Tesouro INSTRUTIVO N.º 09/2003 De 11 de Julho ASSUNTO: TÍTULOS DA DÍVIDA PÚBLICA DIRECTA Obrigações do Tesouro e Bilhetes do Tesouro Os Decretos n.º 51/03 e n.º 52/03, ambos de 8 de Julho, que criam os títulos

Leia mais

OPERAÇÕES FINANCEIRAS DE CURTO PRAZO - PARTE I

OPERAÇÕES FINANCEIRAS DE CURTO PRAZO - PARTE I OPERAÇÕES FINANCEIRAS DE CURTO PRAZO - PARTE I O QUE SÃO OPERAÇÕES PRÉ E PÓS FIXADAS? OS PRINCIPAIS INDEXADORES E SUAS CARACTERÍSTICAS ASPECTOS TRIBUTÁRIOS PRINCIPAIS OPERAÇÕES DE CURTO PRAZO Autores:

Leia mais

O levantamento anual envolveu sete instituições financeiras: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú, Safra e Santander.

O levantamento anual envolveu sete instituições financeiras: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú, Safra e Santander. ANÁLISE COMPARATIVA RELATÓRIO ANUAL DE TAXAS DE JUROS / 2013 EMPRÉSTIMO PESSOAL E CHEQUE ESPECIAL O levantamento anual envolveu sete instituições financeiras: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica

Leia mais

INDICADORES DO MERCADO FINANCEIRO ANGOLA 1º SEMESTRE 2012

INDICADORES DO MERCADO FINANCEIRO ANGOLA 1º SEMESTRE 2012 CONJUNTURA ECONÓMICA INDICADORES DO MERCADO FINANCEIRO ANGOLA 1º SEMESTRE 2012 RELATÓRIO Nº 15 30 JULHO 2012 www.bancokeve.ao CONJUNTURA ECONÓMICA INDICADORES DO MERCADO FINANCEIRO ANGOLA 1º SEMESTRE 2012

Leia mais

REGULAMENTADO SESSÃO ESPECIAL DE MERCADO. Apuramento dos Resultados da Oferta Pública de Subscrição das OBRIGAÇÕES TAXA FIXA MOTA-ENGIL 2013/2016

REGULAMENTADO SESSÃO ESPECIAL DE MERCADO. Apuramento dos Resultados da Oferta Pública de Subscrição das OBRIGAÇÕES TAXA FIXA MOTA-ENGIL 2013/2016 SESSÃO ESPECIAL DE MERCADO REGULAMENTADO Apuramento dos Resultados da Oferta Pública de Subscrição das OBRIGAÇÕES TAXA FIXA MOTA-ENGIL 2013/2016 14 de Março de 2013 ENTIDADE OFERENTE OFERTA PÚBLICA DE

Leia mais

Prospecto Informativo Invest Sectores Essenciais Junho 2015

Prospecto Informativo Invest Sectores Essenciais Junho 2015 Prospecto Informativo Invest Sectores Essenciais Junho 2015 Junho de 2015 Designação: Invest Sectores Essenciais Junho 2015 Classificação: Caracterização do Depósito: Produto financeiro complexo Depósito

Leia mais

Instrução DGT nº. 2/2013 EMISSÃO DE OBRIGAÇÕES DO TESOURO

Instrução DGT nº. 2/2013 EMISSÃO DE OBRIGAÇÕES DO TESOURO Instrução DGT nº. 2/2013 EMISSÃO DE OBRIGAÇÕES DO TESOURO Ao abrigo do número 1, do artigo 11º, do Decreto-Lei nº 60/2009 de 14 de Dezembro, que estabelece o regime Jurídico das Obrigações do Tesouro (OT),

Leia mais

Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro

Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro (com base na Nota do Banco Central do Brasil de 22-10-08) Edição de 27 de Outubro de 08 Crise não teve impacto significativo nas operações

Leia mais

O Preçário pode ser ainda consultado no Portal do Consumidor de Produtos e Serviços Financeiros www.bna.ao

O Preçário pode ser ainda consultado no Portal do Consumidor de Produtos e Serviços Financeiros www.bna.ao Instituição Financeira Bancaria com Sede em Território Nacional O Preçário pode ser consultado nas Agências e locais de atendimento ao público do Banco Keve e em www.bancokeve.ao O Preçário pode ser ainda

Leia mais

REGULAMENTADO SESSÃO ESPECIAL DE MERCADO. 1 de Julho de 2015

REGULAMENTADO SESSÃO ESPECIAL DE MERCADO. 1 de Julho de 2015 SESSÃO ESPECIAL DE MERCADO REGULAMENTADO Apuramento dos Resultados de: - Oferta Pública de Subscrição de Obrigações ME Fev-2020 - Oferta Pública de Troca de Obrigações ME Mar-2016 1 de Julho de 2015 Não

Leia mais

Lei quadro da Dívida Pública

Lei quadro da Dívida Pública Lei quadro da Dívida Pública Lei n.º 7/98 de 3 de Fevereiro (com as alterações introduzidas pelo artigo 81º da Lei n.º 87-B/98, de 31 de Dezembro) Regime geral de emissão e gestão da dívida pública A Assembleia

Leia mais

O Preçário pode ser ainda consultado no Portal do Consumidor de Produtos e Serviços Financeiros www.bna.ao

O Preçário pode ser ainda consultado no Portal do Consumidor de Produtos e Serviços Financeiros www.bna.ao Instituição Financeira Bancaria com Sede em Território Nacional O Preçário pode ser consultado nas Agências e locais de atendimento ao público do Banco Keve e em www.bancokeve.ao O Preçário pode ser ainda

Leia mais

EXEMPLO. Prática Financeira II Gestão Financeira

EXEMPLO. Prática Financeira II Gestão Financeira EXEMPLO Tendo em conta as operações realizadas pela empresa CACILHAS, LDA., pretende-se a elaboração da Demonstração de fluxos de caixa, admitindo que o saldo de caixa e seus equivalentes, no início de

Leia mais

Portal de Informações FEBRABAN. Módulo I Crédito

Portal de Informações FEBRABAN. Módulo I Crédito Portal de Informações FEBRABAN Módulo I Crédito Módulo de dados I: Crédito Sumário Este módulo de dados abrange as operações de crédito com recursos livres e direcionados (taxas de juros administradas)

Leia mais

OPERAÇÕES FINANCEIRAS DE CURTO PRAZO - PARTE II

OPERAÇÕES FINANCEIRAS DE CURTO PRAZO - PARTE II OPERAÇÕES FINANCEIRAS DE CURTO PRAZO - PARTE II COMO FUNCIONAM AS OPERAÇÕES EM MOEDA NACIONAL COM JUROS PÓS FIXADOS EM CDI? COMO FUNCIONAM AS OPERAÇÕES EM MOEDA ESTRANGEIRA? O QUE SÃO OPERAÇÕES DE ACC

Leia mais

1. Objetivo e Descrição do fundo

1. Objetivo e Descrição do fundo FATOR VERITÀ FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII CNPJ: 11.664.201/0001-00 Administrado pelo Banco Fator S.A. CNPJ: 33.644.196/0001-06 RELATÓRIO SEMESTRAL 1º. SEM. 2013 1. Objetivo e Descrição do fundo

Leia mais

Ficha de Informação Geral

Ficha de Informação Geral Objectivo da Ficha de Informação Geral Oferecer aos Clientes informação de carácter geral sobre o crédito à habitação, o mais transparente, sistemático e rigorosamente possível, antes da formalização de

Leia mais

ÁREA DE FORMAÇÃO: POUPAR E INVESTIR REMUNERAÇÃO DE UM DEPÓSITO A PRAZO

ÁREA DE FORMAÇÃO: POUPAR E INVESTIR REMUNERAÇÃO DE UM DEPÓSITO A PRAZO ÁREA DE FORMAÇÃO: POUPAR E INVESTIR REMUNERAÇÃO DE UM DEPÓSITO A PRAZO Índice TANB Taxa Anual Nominal Bruta TANL - Taxa Anual Nominal Líquida Taxa de juro nominal e real Juro simples e juro composto Ficha

Leia mais

200 180 Indice (abr/2004=100) 160 140 120 100 80 dez/97 jun/98 dez/98 jun/99 dez/99 jun/00 dez/00 jun/01 dez/01 jun/02 dez/02 jun/03 dez/03 jun/04 dez/04 jun/05 dez/05 jun/06 dez/06 jun/07 dez/07 Faturamento

Leia mais

Tabela de Taxas de Juro

Tabela de Taxas de Juro Preçário Banco Angolano de Investimentos, S.A. (Instituição Financeira Bancária) ANEXO II Tabela de Taxas de Juro DATA DE ENTRADA EM VIGOR: 26 DE MARÇO DE 2015 O Preçário pode ser consultado nos balcões

Leia mais

Instrução DGT nº.1/2013 EMISSÃO DE BILHETES DE TESOURO

Instrução DGT nº.1/2013 EMISSÃO DE BILHETES DE TESOURO Instrução DGT nº.1/2013 EMISSÃO DE BILHETES DE TESOURO Ao abrigo do número 1, do artigo 10º, do Decreto-Lei nº 59/2009 de 14 de Dezembro, que estabelece o regime Jurídico dos Bilhetes do Tesouro (BT),

Leia mais

O Mercado de Capitais em Angola

O Mercado de Capitais em Angola O Mercado de Capitais em Angola Introdução e desenvolvimentos 16 de Julho de 2015 Objectivos Objectivos Gerais Transmitir aos colaboradores da TPA as ferramentas básicas para compreender e analisar os

Leia mais

OBRIGAÇÕES DE CAIXA FNB Remuneração Garantida 2006 Instrumento de Captação de Aforro Estruturado Prospecto Informativo da Emissão

OBRIGAÇÕES DE CAIXA FNB Remuneração Garantida 2006 Instrumento de Captação de Aforro Estruturado Prospecto Informativo da Emissão 1 / 5 OBRIGAÇÕES DE CAIXA FNB Remuneração Garantida 2006 Instrumento de Captação de Aforro Estruturado Prospecto Informativo da Emissão As obrigações de caixa FNB Remuneração Garantida 2006 são um Instrumento

Leia mais

Relatório Estatístico Mensal

Relatório Estatístico Mensal Relatório Estatístico Mensal Fundos de Investimento Mobiliário Julho 2013 Sede: Rua Castilho, 44-2º 1250-071 Lisboa Telefone: 21 799 48 40 Fax: 21 799 48 42 e.mail: info@apfipp.pt home page: www.apfipp.pt

Leia mais

Prospecto Informativo Invest Oportunidades Mundiais (Ser. 11/1)

Prospecto Informativo Invest Oportunidades Mundiais (Ser. 11/1) Prospecto Informativo Invest Oportunidades Mundiais (Ser. 11/1) Março de 2011 Designação: Invest Oportunidades Mundiais (Ser. 11/1). Classificação: Caracterização do Produto: Garantia de Capital: Garantia

Leia mais

BANCO DE FOMENTO ANGOLA

BANCO DE FOMENTO ANGOLA PREÇÁRIO BANCO DE FOMENTO ANGOLA Instituição Financeira Bancária TABELA DE COMISSÕES E DESPESAS Data de entrada em vigor: 01/06/2016 O Preçário pode ser consultado nos balcões do Banco de Fomento Angola

Leia mais

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA 5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA Os sinais de redução de riscos inflacionários já haviam sido descritos na última Carta de Conjuntura, o que fez com que o Comitê de Política Monetária (Copom) decidisse

Leia mais

Depósito Indexado, denominado em Euros, pelo prazo de 6 meses (178 dias), não mobilizável antecipadamente.

Depósito Indexado, denominado em Euros, pelo prazo de 6 meses (178 dias), não mobilizável antecipadamente. Designação Classificação Depósito Indexado USD 6 meses Produto Financeiro Complexo Depósito Indexado Depósito Indexado, denominado em Euros, pelo prazo de 6 meses (178 dias), não mobilizável antecipadamente.

Leia mais

Crédito Habitação BPI - Ficha de Informação Geral

Crédito Habitação BPI - Ficha de Informação Geral Crédito Habitação BPI - Ficha de Informação Geral Mutuante Banco BPI, S.A. Sede: Rua Tenente Valadim, 284 4100-476 PORTO Sociedade Aberta, Capital Social 1.293.063.324,98, matriculada na CRCP sob o número

Leia mais

19. CONTAS DE DEPÓSITO (OUTROS CLIENTES) (ÍNDICE)

19. CONTAS DE DEPÓSITO (OUTROS CLIENTES) (ÍNDICE) 19.1. Depósitos à ordem Contas de Depósitos à Ordem Conta Clássica Até 14.960,00 0,000% Superior a 14.960,00 0,000% Conta Gestão Tesouraria Banif Rendimento >= 2.500 Conta Condomínio 0,500% Superior a

Leia mais

CLASSE 9 CONTAS EXTRAPATRIMONIAIS

CLASSE 9 CONTAS EXTRAPATRIMONIAIS Anexo à Instrução nº 4/96 CLASSE 9 CONTAS EXTRAPATRIMONIAIS As contas desta classe registam as responsabilidades ou compromissos assumidos pela instituição ou por terceiros perante esta e que não estão

Leia mais

II - Evolução do crédito, da taxa de juros e do spread bancário 1

II - Evolução do crédito, da taxa de juros e do spread bancário 1 II - Evolução do crédito, da taxa de juros e do spread bancário 1 Desde março do ano passado, a partir da reversão das expectativas inflacionárias e do início da retomada do crescimento econômico, os juros

Leia mais

ÁREA DE FORMAÇÃO: CONTRAIR CRÉDITO CUSTO DO CRÉDITO

ÁREA DE FORMAÇÃO: CONTRAIR CRÉDITO CUSTO DO CRÉDITO ÁREA DE FORMAÇÃO: CONTRAIR CRÉDITO CUSTO DO CRÉDITO Índice Componentes do custo do crédito Taxa de juro Comissões Despesas Seguros Medidas agregadas do custo do crédito: TAE e TAEG Taxas máximas no crédito

Leia mais

Instituição Financeira Bancária. Preçário das Operações ANEXO II. Tabela de Taxas de Juro. DATA DE ENTRADA EM VIGOR: 02 de Agosto de 2014

Instituição Financeira Bancária. Preçário das Operações ANEXO II. Tabela de Taxas de Juro. DATA DE ENTRADA EM VIGOR: 02 de Agosto de 2014 Instituição Financeira Bancária Preçário das Operações ANEXO II Tabela de Taxas de Juro DATA DE ENTRADA EM VIGOR: 02 de Agosto de 2014 O Preçário das Operações BNI pode ser consultado nos Balcões e Locais

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA DEPÓSITO EXCLUSIVO MOBILE

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA DEPÓSITO EXCLUSIVO MOBILE DEPÓSITO EXCLUSIVO MOBILE Designação Condições de acesso Modalidade Prazo Mobilização antecipada Depósito Exclusivo Mobile. Clientes aderentes ao canal Mobile (constituição e movimentação exclusiva através

Leia mais

ASSUNTO: EXECUÇÃO DO ORÇAMENTO DA REGIÃO PARA 2004.

ASSUNTO: EXECUÇÃO DO ORÇAMENTO DA REGIÃO PARA 2004. CIRCULAR N.º 11/ORÇ/2003 (PROVISÓRIA) A todos os serviços da administração pública regional ASSUNTO: EXECUÇÃO DO ORÇAMENTO DA REGIÃO PARA 2004. O Decreto Regulamentar Regional n.º ---/---M, de --de --,

Leia mais

Banco de Investimento Rural (BIR), S.A

Banco de Investimento Rural (BIR), S.A Banco de Investimento Rural (BIR) Preçário Banco de Investimento Rural (BIR), S.A Instituição Financeira Bancária ANEXO II Tabela de Taxas de Juro (Entrada em vigor: 01/11/2015) O Preçário pode ser consultado

Leia mais

Depósito Indexado, denominado em Euros, pelo prazo de 6 meses (191 dias), não mobilizável antecipadamente.

Depósito Indexado, denominado em Euros, pelo prazo de 6 meses (191 dias), não mobilizável antecipadamente. Designação Classificação Depósito Indexado EUR/USD No Touch Produto Financeiro Complexo Depósito Indexado Depósito Indexado, denominado em Euros, pelo prazo de 6 meses (191 dias), não mobilizável antecipadamente.

Leia mais

Ficha de Informação Normalizada para Depósitos Depósitos à Ordem

Ficha de Informação Normalizada para Depósitos Depósitos à Ordem Designação Condições de Acesso Modalidade Meios de Movimentação Conta Completa Clientes Particulares, maiores de 18 anos, que sejam trabalhadores por conta de outrem e que aceitem domiciliar ou transferir,

Leia mais

Setembro 2013 LEGAL FLASH I ANGOLA SIMPLIFICAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES CAMBIAIS DE INVISÍVEIS CORRENTES

Setembro 2013 LEGAL FLASH I ANGOLA SIMPLIFICAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES CAMBIAIS DE INVISÍVEIS CORRENTES LEGAL FLASH I ANGOLA Setembro 2013 LEGAL FLASH I ANGOLA SIMPLIFICAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES CAMBIAIS DE INVISÍVEIS CORRENTES 2 LEGISLAÇÃO EM DESTAQUE 5 SIMPLIFICAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS

Leia mais

BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE Boletim Mensal Situação Monetária e Cambial Estudos Económicos Agosto 2015 Índice 1. Situação Monetária... 1 1.1. Base Monetária (BM)... 1 1.2. Massa Monetária (M3)... 1 1.2.1. Crédito à Economia... 2

Leia mais

captação de recursos empréstimos financiamento.

captação de recursos empréstimos financiamento. Instrumentos utilizados pelas instituições financeiras para captação de recursos (funding) que serão utilizados nas operações de empréstimos e financiamento. 1 O cliente entrega os recursos ao banco, sendo

Leia mais

Prospecto Informativo - ATLANTICO EURUSD Range (Denominado em Euros) Série I

Prospecto Informativo - ATLANTICO EURUSD Range (Denominado em Euros) Série I Designação Classificação Caracterização do Produto Garantia de Capital Garantia de Remuneração Factores de Risco Instrumentos ou Variáveis Subjacentes ou Associados Perfil de Cliente Recomendado ATLANTICO

Leia mais

Preçário BANCO PRIVADO ATLANTICO - EUROPA, SA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO. Data de Entrada em vigor:

Preçário BANCO PRIVADO ATLANTICO - EUROPA, SA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO. Data de Entrada em vigor: Preçário BANCO PRIVADO ATLANTICO - EUROPA, SA BANCOS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor: 1-jul-15 O Preçário completo do Banco Privado Atlântico Europa, S.A., contém o Folheto

Leia mais

Ministério da Fazenda. Crise Financeira. Impactos sobre o Brasil e Resposta do Governo. Nelson Barbosa. Novembro de 2008

Ministério da Fazenda. Crise Financeira. Impactos sobre o Brasil e Resposta do Governo. Nelson Barbosa. Novembro de 2008 1 Crise Financeira Impactos sobre o Brasil e Resposta do Governo Nelson Barbosa Novembro de 20 1 2 Impactos da Crise Financeira nas Economias Avançadas Primeiro impacto: grandes perdas patrimoniais, crise

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Aberto. ES LOGISTICA (CMVM nº 1024)

Fundo de Investimento Imobiliário Aberto. ES LOGISTICA (CMVM nº 1024) Relatório de Gestão ES LOGISTICA Fundo de Investimento Imobiliário Aberto Fundo de Investimento Imobiliário Aberto ES LOGISTICA (CMVM nº 1024) Relatório de Gestão Dezembro de 2008 ESAF Fundos de Investimento

Leia mais

Preçário. ENVIO PONTUAL EXTRATO DE MOVIMENTOS (a pedido do cliente)

Preçário. ENVIO PONTUAL EXTRATO DE MOVIMENTOS (a pedido do cliente) 1 CONTAS DE DEPÓSITO 1.1. DEPÓSITOS À ORDEM ENVIO PONTUAL EXTRATO DE MOVIMENTOS (a pedido do cliente) Movimentos efetuados até últimos 31 meses inclusive Envio por email 1,00 Envio por correio 5,00 Movimentos

Leia mais

Crise e respostas de políticas públicas Brasil

Crise e respostas de políticas públicas Brasil Crise e respostas de políticas públicas Brasil Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada BRASIL Jorge Abrahão de Castro Diretor da Diretoria de Estudos Sociais Brasília, 08 de setembro de 2009 Situação

Leia mais

Empresa 5 3. Extracto (2ª Via) Particular 1.50. Empresa 2.50 4. Taxa de Juros Descobertos Descoberto em D.O

Empresa 5 3. Extracto (2ª Via) Particular 1.50. Empresa 2.50 4. Taxa de Juros Descobertos Descoberto em D.O Pág 1/10 APLICAÇÕES À ORDEM Taxa AOA USD 1. Abertura de Contas 1.1. Montante Mínimo Conta BNI Particulares Equivalente 20.00 Conta BNI Empresas Equivalente 200.00 Conta Plus Equivalente 100.00 Despesas

Leia mais

Este depósito não garante uma remuneração mínima.

Este depósito não garante uma remuneração mínima. Designação Classificação Caracterização do Produto Garantia de Capital Garantia de Remuneração Factores de Risco Instrumentos ou variáveis subjacentesou associados Perfil de cliente recomendado Condições

Leia mais

Boletim Económico - 3º Trimestre de 2010

Boletim Económico - 3º Trimestre de 2010 Economia Angolana Boletim Económico - 3º Trimestre de 2010 I. Nota Prévia Nesta edição do Boletim Económico do BAIE foi decidido inserir, para além da habitual informação e comentário sobre a evolução

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 8.088, DE 31 DE OUTUBRO DE 1990. Mensagem de veto Dispõe sobre a atualização do Bônus do Tesouro Nacional e dos depósitos de

Leia mais

CRÉDITO À HABITAÇÃO. Banco de Cabo Verde

CRÉDITO À HABITAÇÃO. Banco de Cabo Verde S DO BANCO DE CABO VERDE CRÉDITO À HABITAÇÃO Banco de Cabo Verde Banco de Cabo Verde Crédito à Habitação Banco de Cabo Verde Cidade da Praia 013 Ficha Técnica Título: Crédito à Habitação Autor: Banco de

Leia mais

INSTRUTIVO N.º 07/2011 de 18 de Agosto

INSTRUTIVO N.º 07/2011 de 18 de Agosto INSTRUTIVO N.º 07/2011 de 18 de Agosto ASSUNTO: MERCADO MONETÁRIO INTERBANCÁRIO OPERAÇÕES EM MOEDA ESTRANGEIRA Havendo necessidade de criar condições para a adequada e completa comunicação de informação

Leia mais

FOLHETO DE TAXAS DE JURO

FOLHETO DE TAXAS DE JURO FOLHETO DE TAXAS DE JURO Clientes Particulares Outros clientes 17 CONTAS DE DEPÓSITO 19 CONTAS DE DEPÓSITO 17.1. Depósitos à Ordem 19.1. Depósitos à Ordem 17.2. Depósitos a Prazo 19.2. Depósitos a Prazo

Leia mais

Essas expressões envolvem uma razão especial denominada porcentagem ou percentagem.

Essas expressões envolvem uma razão especial denominada porcentagem ou percentagem. Faculdades Integradas do Tapajós Professor: Adm. Esp. Wladimir Melo Curso: Administração 2º ADN 1, Gestão Empresarial 2º GEN 1, Processos Gerenciais 2º TPN Disciplina: Matemática Financeira 1. Porcentagem

Leia mais

Comunicação de Operações com o Exterior (COPE) formação online. Casos práticos

Comunicação de Operações com o Exterior (COPE) formação online. Casos práticos Casos práticos Comunicação de Operações com o Exterior (COPE) formação online O presente documento compreende a informação correspondente aos casos práticos da Comunicação de Operações com o Exterior (COPE)

Leia mais

Conta BNI Particulares Equivalente $20 Conta BNI Empresas Equivalente $200 Conta Plus Equivalente $100

Conta BNI Particulares Equivalente $20 Conta BNI Empresas Equivalente $200 Conta Plus Equivalente $100 APLICAÇÕES À ORDEM 1. Abertura de Contas 1.1. Montante Mínimo Conta BNI Particulares Equivalente $20 Conta BNI Empresas Equivalente $200 Conta Plus Equivalente $100 APLICAÇÕES A PRAZO 1. Produtos Aplicação

Leia mais

Publicado no Diário da República, I série, nº 223, de 24 de Dezembro AVISO N.º 14/2014

Publicado no Diário da República, I série, nº 223, de 24 de Dezembro AVISO N.º 14/2014 Publicado no Diário da República, I série, nº 223, de 24 de Dezembro AVISO N.º 14/2014 ASSUNTO: OPERAÇÕES DE CAPITAIS - Importação de capitais associados ao investimento privado externo A Lei n.º 20/11

Leia mais

CIRCULAR N 2.722 DECIDIU:

CIRCULAR N 2.722 DECIDIU: CIRCULAR N 2.722 Estabelece condições para remessa de juros a titular, sócios ou acionistas estrangeiros, a título de remuneração do capital próprio, calculado sobre as contas do patrimônio líquido, bem

Leia mais

Cap. V Produtos Financeiros

Cap. V Produtos Financeiros 5.1 CDB/RDB Cap. V Produtos Financeiros Prof. Uérito Cruz Um banco anuncia pagar 22,6% a.a. para aplicação em CDB de sua emissão. É projetada uma inflação de 7,2% a.a. e o mercado trabalha como taxa referencial

Leia mais

Depósito a Prazo com Garantia Especial do FGC (DPGE)

Depósito a Prazo com Garantia Especial do FGC (DPGE) Depósito a Prazo com Garantia Especial do FGC (DPGE) 1. O depósito criado pela Resolução 3.692/09 do CMN é um RDB (Recibo de Depósito Bancário) ou um CDB (Certificado de Depósito Bancário)? R. É um Depósito

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. Designação: VICTORIA PPR Acções

Leia mais

O activo subjacente é o cabaz constituído pelos seguintes títulos:

O activo subjacente é o cabaz constituído pelos seguintes títulos: Designação Classificação Depósito Indexado Produto Financeiro Complexo Depósito Indexado, denominado em Euros ( ), não mobilizável antecipadamente. Depósito com um prazo de 2 anos, que poderá ser sujeito

Leia mais

Simulação de Crédito Imobiliário

Simulação de Crédito Imobiliário Simulação de Crédito Imobiliário Data de Impressão: 16-02-2015 19:40 Número de Simulação: 14616112 / x944719 Gestor de Projeto: MIGUEL VELEZ (211126702) Resumo Prestação inicial Prestação Comissão manutenção

Leia mais

Lista de exercício nº 3* VPL, TIR e Equivalência de fluxos de caixa

Lista de exercício nº 3* VPL, TIR e Equivalência de fluxos de caixa Lista de exercício nº 3* VPL, TIR e Equivalência de fluxos de caixa 1. Calcule o valor presente do fluxo de caixa indicado a seguir, para uma taxa de desconto de 1 % ao mês, no Resposta: $13.147,13 2.

Leia mais

TATIANA SERRÃO ASSOCIADA FBL ADVOGADOS ANGOLA

TATIANA SERRÃO ASSOCIADA FBL ADVOGADOS ANGOLA TATIANA SERRÃO ASSOCIADA FBL ADVOGADOS ANGOLA 3 a 5 de Julho de 2012 Hotel EPIC Sana Luanda Angola MÓDULO I - ENQUADRAMENTO LEGAL, ÚLTIMOS DESENVOLVIMENTOS E TENDÊNCIAS FUTURAS: REFORMA FISCAL Índice 1.

Leia mais

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES Página 1 de 28 Atualização: da poupança jun/81 1 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00 26.708,00-0,000% - 26.708,00 26.708,00 26.708,00 jul/81 2 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00

Leia mais

Panorama do Mercado de Crédito

Panorama do Mercado de Crédito Panorama do Mercado de Crédito FEBRABAN Dezembro de 2011 Rubens Sardenberg Economista-chefe ÍNDICE I. Evolução do Crédito II. Pessoa Física III. Pessoa Jurídica IV. Inadimplência V. Spread VI. Projeções

Leia mais

FIN - FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA

FIN - FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA FIN - FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA PARTE I - CONDIÇÕES FINANCEIRAS DO CRÉDITO À HABITAÇÃO A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO E OBSERVAÇÕES 1. Identificação da Instituição Denominação Caixa Geral de Depósitos,

Leia mais

Importação: Regras básicas

Importação: Regras básicas Importação: Regras básicas Pagamentos de importação de mercadorias em Angola 1 Procure o Ministério do Comércio (MINCO) para proceder ao registo de Exportador e Importador (REI). 3 Negocie com seu Exportador/Fornecedor:

Leia mais

Matemática Financeira. Aula 03 Taxa Real de Juros

Matemática Financeira. Aula 03 Taxa Real de Juros Matemática Financeira Aula 03 Taxa Real de Juros Inflação É o fenômeno conhecido como o aumento persistente dos preços de bens e serviços Fatores: Escassez de produtos, déficit orçamentário, emissão descontrolada

Leia mais

17. CONTAS DE DEPÓSITO (PARTICULARES) (ÍNDICE)

17. CONTAS DE DEPÓSITO (PARTICULARES) (ÍNDICE) 17.1. Depósitos à ordem Contas de Depósitos à Ordem Produtos em comercialização - Conta Standard - Maxi-Conta Superior a 0 euros Até 2.500,00 Euros De 2.500,00 Euros a 5.000,00 Euros De 5.000,00 Euros

Leia mais

ORA newsletter. Resumo Fiscal/Legal Junho de 2010 1 IVA Alteração das Taxas Reduzida, Intermédia e Normal 2 Revisores e Auditores 5

ORA newsletter. Resumo Fiscal/Legal Junho de 2010 1 IVA Alteração das Taxas Reduzida, Intermédia e Normal 2 Revisores e Auditores 5 Assuntos Resumo Fiscal/Legal Junho de 2010 1 IVA Alteração das Taxas Reduzida, Intermédia e Normal 2 Revisores e Auditores 5 LEGISLAÇÃO FISCAL/LEGAL JUNHO DE 2010 Ministério da Economia, da Inovação e

Leia mais

EMPRÉSTIMO OBRIGACIONISTA GALP ENERGIA 2013/2018 FICHA TÉCNICA. Galp Energia, SGPS, S.A. Euro. 100.000 (cem mil euros) por Obrigação.

EMPRÉSTIMO OBRIGACIONISTA GALP ENERGIA 2013/2018 FICHA TÉCNICA. Galp Energia, SGPS, S.A. Euro. 100.000 (cem mil euros) por Obrigação. EMPRÉSTIMO OBRIGACIONISTA GALP ENERGIA 2013/2018 FICHA TÉCNICA ENTIDADE EMITENTE: MODALIDADE: MOEDA: MONTANTE DA EMISSÃO: REPRESENTAÇÃO: VALOR NOMINAL: PREÇO DE SUBSCRIÇÃO: Galp Energia, SGPS, S.A. Emissão

Leia mais