O planejamento estratégico é um instrumento gerencial que proporciona a todos os gestores a sensibilidade para identificar, ao longo do tempo, ações

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O planejamento estratégico é um instrumento gerencial que proporciona a todos os gestores a sensibilidade para identificar, ao longo do tempo, ações"

Transcrição

1 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO: Uma Ferramenta para o Sucesso Saulo R. Lacerda

2 Planejamento Estratégico O planejamento estratégico é um instrumento gerencial que proporciona a todos os gestores a sensibilidade para identificar, ao longo do tempo, ações necessárias aos desafios que devem ser vencidos.

3 Planejamento Estratégico O planejamento estratégico é uma poderosa ferramenta para a construção eaconsolidação da imagem da empresa e passa a ser referência dos objetivos e direcionador das ações de todas as áreas da organização.

4 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Missão Visão Negócio Diretrizes Objetivos Estratégicos Ações

5 Cenários Interno Externo Pontos Fortes e Fracos Oportunidades Ameaças DIRETRIZES

6 OBJETIVOS ESTRATÉGICOS Principais Objetivos Por Diretriz

7 Ação/Objetivo Meta (Valor Mensurável) Indicador Planos de Ação Prazo Responsável e Áe Áreas Envolvidas Custo Orçamento

8 Uma meta precisa ser SMART Specific - Específica deve identificar exatamente o que deve ser alcançado; Measurable - Mensurável deve ser possível de se medir; Achiavable - Alcançável deve ser realista consideradas as circunstâncias e recursos disponíveis; Relevant - Relevante deve significar e ter importância para as pessoas; Time bound - Período delimitado deve ter um tempo limite it pré-estabelecido e de conhecimento de todos os envolvidos.

9 Caso contrário Problemas de processos (trabalho e re-trabalho de uma ou mais áreas) Falta de comprometimento Falta de motivação Falta de direcionamento Falta de organização Perda de tempo Riscos para o resultado global da companhia Todos os itens acima resultam em prejuízos financeiros à empresa, normalmente não mensurados.

10 Missão Oferecer produtos de qualidade em Seguros de Saúde, Vida e Previdência, atendendo as necessidades das Cooperativas e do mercado em Geral.

11 Visão Ser reconhecida como uma Empresa do Sistema Cooperativo com excelência em Seguros de Pessoas.

12 O sucesso de um Planejamento Estratégico depende: 1 Ser comprado pela Diretoria; 2 Ter um responsável; 3 Ser do conhecido e compreendido por todos; 4 Ter acompanhamento em curtos períodos; 5 Utilização de ferramentas modernas.

13 Ferramentas Necessárias para Sucesso do Planejamento Estratégico: BSC - Balanced Scorecard; Planejamento e Controle Orçamentário; Governança Corporativa. CRM Customer Relationship Management.

14 Diretriz I Oferecer produtos de alta qualidade d que complementem o Sistema Unimed, atuando de forma integrada, sem concorrer com omesmo. Diretriz II Fortalecer nossa posição como Seguradora do ramo de pessoas junto ao Sistema Cooperativo Brasileiro e ao Mercado em geral. Diretriz III Aprimorar os processos de Gestão e Governança Corporativa em conformidade com as melhores práticas de mercado Diretriz IV Rentabilizar oinvestimentodoacionistaem100%noperíodo de 4anos. Diretriz V Promover o desenvolvimento, a satisfação e o comprometimento das pessoas com a Organização e seus Valores.

15 I - Oferecer produtos de alta qualidade que complementem o Sistema Unimed, atuando de forma integrada, sem concorrer com o mesmo. METAS Implementar Programa de Medicina Preventiva Integral Atualizar todos os Produtos Lançar 2 novos Produtos OBJETIVOS ESTRATÉGICOS Adequar / Desenvolver produtos Aprimorar a política de aceitação Implementar e ampliar programas para Gestão de Saúde, dentre eles os de Medicina Preventiva

16 II - Fortalecer nossa posição como Seguradora do ramo de pessoas junto ao Sistema Cooperativo Brasileiro e ao Mercado em geral Reconhecimento da Marca no Sistema Cooperativista e Mercado Segurador METAS Aumento de Cooperativas como canal de Distribuição OBJETIVOS ESTRATÉGICOS Aprimorar o relacionamento com acionistas, clientes, rede credenciada e corretores Reavaliação da marca Unimed Seguros Tornar a marca Unimed Seguros mais conhecida pelos cooperados e pelo mercado em geral Revisão, Formalização e divulgação dos valores da Unimed Seguros Divulgação da Missão e Visão Ampliar parcerias de responsabilidade social Concluir a implantação do Projeto CRM até dez 2008

17 III - Aprimorar os processos de Gestão e Governança Corporativa em conformidade d com as melhores práticas de mercado Atender, até 2009, os pré requisitos do PNQ METAS Atendimento Integral aos Parâmetros Operacionais da Governança Corporativa OBJETIVOS ESTRATÉGICOS Adequar-se aos parâmetros do Prêmio Nacional da Qualidade Revisar e adequar os processos Aperfeiçoar o controle orçamentário Consolidar e gerenciar os Implementar e fortalecer princípios de

18 IV - Rentabilizar o investimento do acionista em 100% no período de 4anos Crescimento de Faturamento: 28% Seguradora 20% Saúde 34% METAS Despesas Administrativas consolidada de até 15% do Prêmio Ganho Lucro consolidado acima de R$ ,00 OBJETIVOS ESTRATÉGICOS Lucratividade e Auto Capitalização Crescer a base de clientes em todos os segmentos Manter as operações enquadradas d nas respectivas margens de solvência Ampliar a participação das Cooperativas como canal de distribuição Gerenciar a sinistralidade Reduzir as despesas administrativas i i (Meta à 15% DA média anual 2008)

19 V - Promover o desenvolvimento, a satisfação e o comprometimento das pessoas com a Organização e seus Valores METAS Clima Organizacional avaliado entre bom e ótimo OBJETIVOS ESTRATÉGICOS Estar entre as melhores empresas para se trabalhar Reavaliar os programas de treinamento e desenvolvimento Criar sistema de Valorização e Reconhecimento Rever a Política de Remuneração e Benefícios Programa de Sugestões Criar programa de Comunicação Interna Criar Ouvidoria Interna

20 Balanced Score Card BSC Metodologia de Performance iniciada em 1992 por dois professores da Harvard Robert Kaplan e David Norton; Fornece uma visão Empresarial de Performance, integrando: Medidas Financeiras; Perspectivas de Cliente Processos Internos dos Negócios; Crescimento Organizacional, i Aprendizado d & Inovações

21 Balanced Score Card BSC Traduz a estratégia da empresa para os níveis operacionais

22 Balanced Score Card BSC Cria um alinhamento da estratégia de longo prazo da empresa com ações de curto prazo Liga os objetivos estratégicos a ações mensuráveis; Foca os processos orçamentários na estratégia organizacional Cria um processo de Planejamento coerente e repetitivo

23 Balanced Score Card BSC Por que medir o desempenho? Você não pode gerenciar o que você não pode medir! 23

24 Balanced Score Card BSC Finanças Para sermos bem sucedidos financeiramente, como deveríamos ser vistos pelos nossos acionistas? Cliente Para alcançarmos nossa missão, como deveríamos ser vistos pelos nossos clientes? MISSÃO E ESTRATÉGIAS Processos Internos Para satisfazermos nossos acionistas, em que processos de negócios devemos alcançar a excelência? Aprendizado e Crescimento Para Alcançarmos nossa missão, como sustentaremos nossa capacidade de mudar e melhorar?

25 Perspectivas financeiras Servem de foco para as demais perspectivas Dependem do ciclo de vida da Empresa 25

26 Perspectivas Financeiras Ciclo de vida da Empresa Estágio inicial; Produtos e Serviços com potencial de crescimento Crescimento da Receita Aumento de vendas/ clientes Retorno sobre o capital investido Lucratividade ( Receita, Contábil, Receita Operacional, Margem bruta) Maximizar fluxo de caixa ( retorno financeiro sobre investimentos curto e imediato ) 26

27 Perspectivas Financeiras i Finanças Para sermos bem sucedidos financeiramente, como deveríamos ser vistos pelos nossos acionistas? Finanças Retorno sobre o investimento e valor econômico agregado: -Faturamento -Lucro ou Sobras -Despesas Administrativas -Evolução Patrimonial...

28 Perspectivas do Cliente Cliente Cliente Para alcançarmos nossa missão, como deveríamos ser vistos pelos nossos clientes? Criar e oferecer produtos e serviços valorizados pelo cliente Grupo de medidas essenciais : - Satisfação - Fidelização - Retenção - Captação...

29 Perspectivas do Cliente Relacionamento com os clientes Relacionado a entrega ega de produtos/ serviços, tempo de resposta, conforto do cliente na relação de compra - Pessoal Qualificado - Acesso conveniente - Capacidade de resposta - Tempo/ Qualidade e Preço

30 Perspectivas dos Processos Processos mais críticos que devemos buscar a excelência para a realização dos objetivos dos clientes e acionistas; - Medidas de custos, qualidade, produtividade e tempo devem ser definidas e avaliadas ( medir desempenho dos processos de negócios ex.: pedidos de compras, etc... ) - Processos que utilizamos para criar valor para os clientes e produzir resultados financeiros; - Inovação, flexibilidade, Serviços que geram valor para o cliente - Eliminação de re-trabalho e comunicação ineficaz

31 Perspectivas dos Processos Processos Internos Para satisfazermos nossos acionistas, em que processos de negócios devemos alcançar a excelência? Processos Internos - Sistemas - CRM - Fluxos - Metodologias de Trabalho - Parcerias... Identificação das necessidades dos clientes Inovação Operações Projeto Desenvol- Produção Comercia- Serviço vimento lização satisfação das necessidades dos clientes Tempo para chegar Cadeia de Suprimentos ao Mercado

32 Perspectivas de Aprendizado e Crescimento Desenvolvimento de Objetivos e medidas para orientar o aprendizado e sustentar o crescimento; - Capacitação de colaboradores - Capacitação dos sistemas de informação - Motivação, empowerment e alinhamento - Envolvimento em decisões - Reconhecimento pela realização de um bom trabalho - Acesso à informações - Incentivo ao uso da criatividade e iniciativa - Satisfação geral com a Empresa

33 Perspectivas de Aprendizado e Crescimento Aprendizado e Crescimento Para Alcançarmos nossa missão, como sustentaremos nossa capacidade de mudar e melhorar? Aprendizado e Crescimento - Satisfação, Retenção, treinamento e habilidades do funcionário - Disponibilidade dos Sistemas de Informação e Gestão Conhecimento

34 MAPA ESTRATÉGICO

35 MAPA ESTRATÉGICO MISSÃO: Oferecer produtos de qualidade em Seguros de Saúde, Vida e Previdência, atendendo as necessidades das Cooperativas e do mercado em geral. VISÃO: Ser reconhecida como uma empresa do Sistema Cooperativo com excelência em Seguros de Pessoas. Diretrizes I - Oferecer produtos de alta qualidade que complementem o Sistema Unimed, atuando de forma integrada, sem concorrer com o mesmo. Implementar Programa de Medicina Preventiva Integral Atualizar Todos os Produtos Lançar 2 produtos novos Cronograma do Projeto Cronograma de Revisão Lançamento dos Produtos Projeto Medicina Preventiva VISÃO CLIENTE Visão Processos Visão Financeira II - Fortalecer nossa posição como Seguradora do ramo de pessoas junto ao Sistema Cooperativo Brasileiro e ao Mercado em geral Reconhecimento da Marca no Sistema Cooperativista e Mercado Segurador Aumento de Cooperativas como canal de Distribuição Reconhecimento por pelo menos 70% do público alvo Acréscimo de pelo menos 10% das cooperativas Realização de Pesquisas e Campanhas III - Aprimorar os processos de Gestão e Governança Corporativa em conformidade com as melhores práticas de mercado Metas Atender, até 2009, os pré requisitos do PNQ Atendimento Integral aos Parâmetros Operacionais da Governança Corporativa Indicadores Parecer positivo da FNQ Relatório da Auditoria Interna com observações atendidas Implementação de área de Processos e PMO Projetos Implementação das Ferramentas de Gestão de Riscos, Consist e BSC IV -Rentabilizar o investimento do acionista em 100% no período de 4 anos Crescimento de Faturamento: Seguradora 20% e Saúde 34% Despesas Administrativas consolidada de até 15% do Prêmio Ganho Lucro consolidado acima de R$ ,00 Relatório de Resultados 2008 Planejamento Estratégico Visão Aprendizado e Crescimento V - Promover o desenvolvimento, a satisfação e o comprometimento das pessoas com a Organização e seus Valores Clima Organizacional avaliado entre bom e ótimo Pesquisa com Colaboradores Implantação dos projetos de RH

36

37 DIRETRIZ M E TA

38 Ação Andamento da Ação status I Desenvolver Projeto de Medicina Preventiva devidamente segmentado: Primária (qualidade de Vida); Secundária (Vida em Ação) e Terciária (Gerenciamento de Crônicos), desenvolvendo e utilizando ferramenta de questionários de Risco / Perfil epidemiológico. No programa Gerenciamento de crônicos a meta era atingir 40% de inclusão, hoje já se atingiu 69%. O programa anti-tabagismo já está em andamento na Unimed Seguros, empresa escolhida para o projeto. Qualidade de vida implantado na Unimed Seguros. 2 I I I Planejar e Implantar a realização de questionários em clientes escolhidos Planejar e desenvolver campanhas de acordo com o perfil detectado em questionários Desenvolver e disponibilizar Manual de Aceitação de Seguro de Vida Individual E Seguro Saúde Até dez/2008 devemos atingir os 50 estipulantes programados, atualmente 15 questionários já foram aplicados, tendo mais 19 2 programados. Até dez/2008 devemos atingir os 50 estipulantes programados, atualmente 15 campanhas já foram realizadas, tendo mais 14 2 programadas. Em andamento 2 I Reavaliação / Reestruturação dos produtos Reavaliação do Produto Plus Médico ainda não iniciada, mas o produto Empresarial já está em andamento sua reavaliação. OMT/APH/Farmacia: Renegociamos prestadores e criamos um material único para os usuários. A estratégia de revisão dos contratos de prestação de serviços foi concluída, estão sendo negociadas as novas taxas de acordo com a situação das Unimeds dentro do Estado. 2 I Estudo de viabilidade de Produtos Prestamista imobiliário - Vida: Concluído o estudo (setembro/08). / AP com sorteio - Vida: (setembro/08) / Seguro Viagem - Vida: Aguardando d posíção da Mapfre na aceitação de riscos diversos (novembro/08) / Seguro de Vida com IS decrescente - Vida e Dotal Misto - PP: Será apresentado o estudo em reunião de produtos em agosto / Unimed Teen - PP: Declinada pela Área de Negócios - mudança de roupagem não melhoraria a performance de vendas / Previdencia que custeia plano de saúde na aposentadoria - PP: setembro/08 / Produtos com fundos mais agressivos - PP: está sendo discutido no grupo de estudo da Previdência 2

39 DIRETRIZ M E TA

40 Ação Andamento da Ação status II Plano de Mídia para Estudo / Divulgação / Renovação da marca; Plano de mídia montado, aguardando a finalização do estudo da marca que tem previsão para 15/08/08. A renovação do material de comunicação com o mercado deverá ocorrer em outubro/08. Alinhado com a Diretoria de Marketing da Unimed do Brasil divulgação da marca sem necessidade da CIU (Comitê Institucional Unimed). Em função do direcionamento sugerido pela Troiano o foco será Vida e não Previdência. 1 II II Finalizar RFP; Eleger ferramenta e Definir integrações: processos e implantar a solução Criar um Selo de Qualidade ou identificação de Unimed Parceira - premiação Semestral Não iniciado 3 1 II Implantar o KIT Bebê Kit impresso será entregue em ago/ II Viabilizar o Projeto Acolhimento da Central de Relacionamento Projeto em andamento, acompanhamento a distancia de casos sinalizados pelos Executivos. 2 II Criar o "Manual Explicativo" - Manual a ser distribuido nas empresas contratantes de Saúde, orientando como utilizar o Seguro Saúde. Implantado em 7 estipulantes. 2 II Realização de Pesquisas de Satisfação de Clientes, Corretores e de Benchmarketing Análise da concorrencia e Benchimarking - Vida e Previdencia Privada: Avaliações divulgadas em fevereiro e maio, próxima em setembro. Pesquisa do novo produto de saúde - Hospitalar: Pesquisa realizada em 2 janeiro, em reunião ficou definido avaliar o Guarda-Chuva como produto no lugar do Hospitalar. próxima reunião em agosto/08

41 Ação Andamento da Ação status II Realização de Campanhas (migração, Vendas, Produtos e Serviços) Vida: Relacionamento com corretores - Concluída e em andamento com o nome de Carteira Recheada. Incentivo ao uso da e-loja e do e-vida: Primeira campanha concluída em julho (WEBCÃO) e a segunda 2 campanha entra em setembro. A divulgação da previdência para filhos e netos dos cooperados ainda não foi realizada, previsão para outubro/08. II Elaboração de agenda de relacionamento da diretoria com Unimed do Brasil e federações 3 II Promover cafés da manhã com os Corretores de Seguros Ação 100% implantada. 1 II Aplicar uma metodologia para definição dos Valores da Companhia Concluída a pesquisa e workshop com colaboradores e clientes. Em julho será feita a reunião para definição dos valores centrais e comportamentos t e em agosto, o Plano de ação. 2 II Criação de novas ferramentas para divulgação da Missão e Visão da Companhia A missão e visão da Unimed Seguros será amplamente divulgada juntamente com os valores da empresa 2 II Desenvolver ações sociais em parceria com o CREN Desenvolvemos a primeira ação em parceria com a área médica. Na próxima semana, será ministrada uma plaestra de saúde no CREN 1 II Implantação de projeto em parceria com o Centro de Voluntariado de O Programa está concluído e dia 27/06 será feita a apresentação para os São Paulo colaboradores 1 II Criar Programa de Capacitação em RS para cadeia de valor O projeto foi apresentado na RDS e está em andamento em parceria com a Unimed do Brasil e Central Nacional 2 II Obter reconhecimento da Fundação Abrinq Enviamos para a Fundação Abrinq nossos números de investimentos e ações desenvolvidas e estamos aguardando a resposta da entidade. 2

42 DIRETRIZ M E TA

43 Ação Andamento da Ação status III Criar Ouvidoria Interna 3 III Estabelecer e criar condições de comunicação on-line com as Singulares (Atualmente) Implantado em 12 singulares, Unimed Jaboticabal, Santa Rita, São josé do Rio Pardo, Recife, Vale do São Francisco, Bragança Paulista, Pirassununga, Barretos, Bebedouro, Ibitinga, ABC, Taubaté. 2 III Desenvolver modelo de gestão e custódia de contratos (exceto os de seguro) e implementá-lo 0% - identificando modelos e empresas detentoras de knowhow. 2 III III Finalizar a implantação do sistema de gestão de processos e consultas jurídicas com as respectivas interfaces Aprimorar sistema de compras, de Folha e Gestão de RH e Adequar a equipe de TI para as demandas corporativas Parte operacional do sistema implantada e rodando. Há apenas algumas pendencias no que diz respeito ao portal de acesso do Consultivo. O fornecedor já realiza os ajuste e deve concluí-los até setembro. 2 2 III Implantar Estrutura própria de Expedição 3 III Prover solução de digitalização e gerenciamento Eletrônico (GED) Digitalização de documentos da empresa ainda não iniciado. Envio de informações para corretores e clientes via web já OK. 2 III Aprimorar sistema de compras 3 III Implantação do Sistema Público de Escrituração Digital - SPED 2 III III III III Credenciamento e treinamento de prestadores em áreas de deficiência da rede Revisar Política de investimentos e Controles de Gestão de Ativos Adesão à Convergência da Contabilidade aos Padrões Internacionais - IASB Descentralizar as Implantações de Seguros Individuais; Global Vida e Multi Vida Em andamento. Março e abril de 2008; Agosto e setembro de Em andamento - Definição da Área de Gestão de Riscos e Políticas para o PP Tradicional % implantado. 2

44 Ação Andamento da Ação status III Atualizar e publicar as normas de controladoria já existentes e ainda não divulgadas como: Utilização de CR s; Projetos (diferimento Ativo Permanente); Timesheet e Orçamento As normas de utilização de CR's, projetos e timesheet estão em andamento (40%), apenas a norma de orçamento não foi iniciada (a prévia das normas já foram encaminhadas em 26/02/2008 para a área de Qualidade).O controle orçamentário de compras e contratos 2 III Tornar tangível a entrega de serviços Previsão de entrega para outubro em função da nova marca 3 III Metodologia de revisão e segmentação de preços Realizado 1º Fórum de discussão de preços entre as áreas Técnica/Atuarial, Relacionamento, Negócios, Produtos e Executiva 1 III Revisão do Processo de Cotação com automatização e descentralização ação Definição de Projeto Em andamento (existe um SAC aberto) 2 III Migração DF e Carne Automatizar o processo. Processo iniciado e dentro do cronograma 2 III III Células de Trabalho Distribuição das atividades por produto e ERs criando atendimento e to personalizado ado Implantado Grade de Faturamento Redistribuição dos vencimentos dos faturamentos Fevereiro/08 Implantado 1 Implantado 1 III Impressão Inibir impressão de relação de segurados - Março/08 Implantado 1 III Processo de Faturamento Criação do conceito de massa total para todos produtos. Apartir de Março/08 III Faturamento On line(saude) Atingir 100% das faturas até dez/08 Implantado 1 Feito com algumas empresas e até o final do ano espera-se chegar aos 100%. Hoje ainda não é possível medir a porcentagem realizada. Foram 2 efetuadas reuniões com corretoras afim de ampliar essa porcentagem rapidamente III Rever fluxos de sinistros padronizando processos (Jun/2008)? Iniciado grupo de trabalho (equipe de sinistro) para montar especificação. Prazo para entrega do projeto 15/09; Prazo para especificação sistêmica 15/11 (previsão para próximo ano) 3 III Atualização do parque de Workstation e adequação do parque tecnológico, da capacidade de processamento e da conexão com ERs Eefetuado orçamento com as áreas para troca. Previsão de finalização em dez/ III Ampliação da janela de backup Adquiridos os equipamentos e estamos revendo os processos. Prazo set/08. Backup full redução de 48 para 18 horas. 1

45 Ação Andamento da Ação status III Aprimorar / atualizar os sistemas produto (Back Office): E-Vida, Top O back log do e-vida já está OK; A revisão de processos do Workflow Saúde, BI, Workflow e Previdência ocorrerá em duas etapas: fase 1 - ago/2008 e fase 2 - out/ III III Aprimorar automação da força de vendas: Acesso aos recursos e informações via PDA / GPRS; kit de Cálculo Offline para o corretor e Loja de Previdência Automação das atividades de gestão de riscos, com a aquisição de ferramenta direcionada O kit de cálculo off line para corretores está em fase de finalização (ago/2008); Loja de Previdência ainda não iniciada pois falta decidir pela 2 loja ou por um sistema de Previdência, i várias reuniões foram realizadas para chegar à decisão final. Realizado RFP e DefinidoPrestador 2 III Estruturação da área de processos com estabelecimento de PMO Área definida mas não estruturada e não orçada 2 III Implantar sistema orçamentário - a partir do Consist, revisando e aprimorando processos O sistema está na fase de implantação e deve finalizar até dez/08. A previsão para o módulo financeiro e contábil é set/08 2 III Implantar ferramenta para gestão do PE: RFP; Implementação; Consultas, relatórios e divulgação Processo de RFP 2 III Noticiar i sistematicamente i entre Diretores e Superintendentes as principais causas de litígio, seus custos e riscos financeiros, bem como as consultas mais relevantes dirigidas ao Jurídico Ação dentro do cronograma proposto devendo ser finalizada até o final de outubro de III Implementar / Aprimorar controles e práticas de Governança de TI A área está implantando uma série de controles, a finalização deve ocorrer em dez/2008; Um software de monitoramento e controle já foi implantado na compania; Todas as recomendações das auditorias têm sido entregues e cumpridas no prazo. 2

46 DIRETRIZ M E TA

47 Ação Andamento da Ação status IV Migrar os grandes clientes do UNISEG para o Plano Empresarial de faturamento mensal superior a R$ ,00 Não iniciado 3 IV Manter a rentabilidade das aplicações acima das metas estabelecidas As rentabilidades são apuradas mensalmente. Porém, falta definir política de investimento ou meta específica para o PP Tradicional, uma vez que não há mais títulos públicos e privados que remunerem a meta IGPM+9% aa. 2 Jan-Jun - Vida = 54,2% / Jan-Jun - Saúde = 144,1% / Jan - Jun - Prev IV Crescimento do faturamento com vendas em x% = 15862% 1.586,2% 1 Fonte BI IV Aumentar a Base de Corretores 8,8% 1 IV Manutenção e acompanhamento do Modelo Próprio Modelo Próprio de risco de subscrição concluído, com avaliação e reconhecimento da auditoria externa, conforme determinação da SUSEP, via questionário trimestral 1 IV Avaliação de todos os contratos deficitários para renegociação e Ponto de equilibrio dos produtos Concluído 1 IV Fazer gestão na carteira de Saúde com monitoramento dos prestadores de serviços (singulares e dos principais estipulantes 69,09% Em 29/07 64,40% 2 IV Fazer gestão na carteira de Vida e Serit, com monitoramento das Vida 49,2% / Serit 52,1% apólices coletivas de seguros subsidiados e massificados 29/07 - Vida 47,9% / Serit % 2 IV Realizar a primeira auditoria nos processos judiciais e administrativos confiados aos parceiros externos O escopo da auditoria já está pronto e o próximo passo é a escolha dos fornecedores e contratação. 2

48 IV Ação Andamento da Ação status Prospectar Negócios com qualidade de informações para atingir a meta de sinistralidade Seguradora 45,8% realizado 49,1% orçado / Saúde 72,2% realizado 70,4% orçado Fonte: Planej. Econ e Controle 1 IV Implantar o contrato Guarda-chuva em 50 singulares Foram implantados em 17 singulares: Unimed Cianorte, Londrina, Maringá, Itumbiara, Paranaguá, Vitória, Palmas, Criciuma, Uberlândia, Vale do Urucuia, Patos de Minas, Belo Horizonte, Poços de Caldas, Lins, Lençois Paulista, Pindamonhangaba, Joinville. 2 IV Para Previdência privada foram implantados 9 singulares: Unimed Toledo, Francisco Beltrão, Cascavel, Portal, Pato Branco, Sergipe, São Implantação de apólices Coletivas de Vida/Serit e Planos de João Del Rey, Alagoas, Recife. Previdência Instit/Averbadores em 30 singulares (Unimed/Unicred) Para Vida foram, implantados11 singulares: Unimed Cascavel, Criciuma, Planalto Norte, Uberaba, Uberlândia, Poços de Caldas, Palmeira dos Índios e Unicred Criciuma, Tubarão, Blumenau. 2 IV Implantar Telemarketing Ativo pata atendimento das áreas internas Atendemos 100% de todas ações solicitadas pelas áreas de Relacionamento, Produtos e Previdência Privada (Contratação de 2 1 operadores) IV Estender os Encontros Cooperativos para o estado de Minas Gerais e continuar a promoção em São Paulo e Visitar OCE de outros estados Foram realizados 3 encontros cooperativos em São Paulo e Guarujá. As visitas às Diretorias de OCES foram 2, Rio de Janeiro e Santa Catarina. 2 IV Venda aos usuários, cooperados e contratantes do Sistema Unimed; Parceria com as Singulares; Definir ações de Cross selling e up-selling Cross selling e up selling: Previsto para o segundo semestre/08 2 IV Revisar tarifas e serviços bancários Após a Implantação do Software contábil-financeiro Consist. O módulo atual do Interquadram dificulta e, em alguns casos não possibilita a implantação de novos lay-outs de sistemas bancários de pagamentos e recebimentos. 3 IV Consolidar estrutura de TI com 1 Gerência e 6 Células Já estruturado 1 IV Internalizar ações que geram demandas aos fornecedores Já estruturado 1

49 DIRETRIZ META

50 Ação Andamento da Ação status V Políticas e Ações de RH 1 V Definição do Plano Anual de Treinamento consolidado com os treinamentos Técnicos por Área 2 V Política de Remuneração - Hay 1 V Avaliação de Desempenho 1 V Desenvolvimento de programa de Valorização e Treinamento 1 V Implantar programa de sugestões 3 V Atualizar e consolidar canais de comunicação interna (Avaliar/atualizar os jornais internos da Companhia e o Manual Unimed Seguros & Você) A pesquisa do Infovip e MuralVip foi concluída.contratamos uma agência que está criando o novo layout para os dois jornais. Para o Manual Unimed Seguros & Você, agendamos uma reunião com o RH que dará as coordenadas do que será atualizado. 2 V Criar e produzir uma Web TV Orçamos com o fornecedor e o material está sendo analisado pela área de TI para certificar a viabilidade do projeto 3

51 PLANEJAMENTO E CONTROLE ORÇAMENTÁRIO

52 PLANEJAMENTO E CONTROLE ORÇAMENTÁRIO O orçamento é ser um instrumento gerencial que auxilia os gestores a cumprirem as metas financeiras as da empresa.

53 PLANEJAMENTO E CONTROLE ORÇAMENTÁRIO O Orçamento não é constituído apenas para controle de despesas administrativas da empresa, mas de toda a equação financeira.

54 PLANEJAMENTO E CONTROLE ORÇAMENTÁRIO Receitas: Faturamento; Receita Financeira; Despesas: Sinistros Despesas Administrativas Despesas Comerciais Despesas Tributárias Lucro / Sobras

55 PLANEJAMENTO E CONTROLE ORÇAMENTÁRIO Receitas: Faturamento: t Vegetativo e Projeção de Vendas; Receita Financeira: Análises de Cenários Macroeconômicos;

56 PLANEJAMENTO E CONTROLE ORÇAMENTÁRIO Despesas: Sinistros: Análises históricas e projeções Despesas Administrativas: Vegetativa - Histórico de Custeio por Área. Adicionais (também por área) demandadas pelas ações do Planejamento Estratégico. té

57 PLANEJAMENTO E CONTROLE ORÇAMENTÁRIO Obtenção de Resultados com o Planejamento Orçamentário: A. Despesa Administrativa bem definida: Vegetativo e Acréscimos B. Acompanhamento de Realizado x Orçado: Realização de despesa mediante realização de receita (priorização do vegetativo).

58 PLANEJAMENTO E CONTROLE ORÇAMENTÁRIO C. Relação direta e eficiente do Custeio com Orçado e Saldo remanescente; D. Conhecimento e comprometimento dos Gestores; E. Política de Ônus e Bônus no cumprimento do Planejamento Estratégico e Orçamento.

59 IBGC Instituto Brasileiro de Governança Corporativa Melhores Práticas de Governança Corporativa

60 GESTÃO DA EMPRESA Pi Princípios: i Planejamento, Organização, Comando e Controle Empresário Negócios Finanças Operações Setor A Setor B Setor C Setor D Setor E

61 Princípios: Transparência, Eqüidade, Prestação de Contas e Responsabilidade Corporativa Proprietários (acionistas) Auditoria Independente Conselho de Administração Governança Comitê de Auditoria CEO Negócios Gestão Finanças Operações Setor A Setor B Setor C Setor D Setor E

62

63

64

65

66

67 Antecedentes Banco Barings PLC (com 233 anos de existência) falência - (26/fev/1995) perdas superiores a US$ 1 bilhão; Mettallgesellschaft prejuízos de US$ 1,3 bilhões. Condado de Orange perdas de US$ 1,7 bilhões. Banco Daiwa prejuízos de US$ 1,1 bilhões. Outros: Procter & Gamble, Bankers Trust, Gibson Greetings, Long Term,, g, g Capital Management, World.com, Enrom, etc. No Brasil, Banco Nacional, Banco Econômico, Banco Santos, Encol, etc.

Uma Ferramenta para o Sucesso

Uma Ferramenta para o Sucesso PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO: Uma Ferramenta para o Sucesso Saulo R. Lacerda Planejamento Estratégico O planejamento estratégico é um instrumento gerencial que proporciona a todos os gestores a sensibilidade

Leia mais

Alinhamento entre Estratégia e Processos

Alinhamento entre Estratégia e Processos Fabíola Azevedo Grijó Superintendente Estratégia e Governança São Paulo, 05/06/13 Alinhamento entre Estratégia e Processos Agenda Seguros Unimed Modelo de Gestão Integrada Kaplan & Norton Sistema de Gestão

Leia mais

Como tudo começou...

Como tudo começou... Gestão Estratégica 7 Implementação da Estratégica - BSC Prof. Dr. Marco Antonio Pereira pereira@marco.eng.br Como tudo começou... 1982 In Search of Excellence (Vencendo a Crise) vendeu 1.000.000 de livros

Leia mais

Balanced Scorecard BSC. O que não é medido não é gerenciado. Medir é importante? Também não se pode medir o que não se descreve.

Balanced Scorecard BSC. O que não é medido não é gerenciado. Medir é importante? Também não se pode medir o que não se descreve. Balanced Scorecard BSC 1 2 A metodologia (Mapas Estratégicos e Balanced Scorecard BSC) foi criada por professores de Harvard no início da década de 90, e é amplamente difundida e aplicada com sucesso em

Leia mais

1. COMISSÃO EXECUTIVA DE RECURSOS HUMANOS

1. COMISSÃO EXECUTIVA DE RECURSOS HUMANOS Governança Corporativa se faz com Estruturas O Itaú se orgulha de ser um banco essencialmente colegiado. A Diretoria atua de forma integrada e as decisões são tomadas em conjunto, buscando sempre o consenso

Leia mais

PAEX Parceiros para a Excelência

PAEX Parceiros para a Excelência PAEX Parceiros para a Excelência Estabelecer parcerias por melhores resultados: uma prática comum na natureza e nas empresas que querem se desenvolver. CONHECA A FDC Alianças Internacionais: Uma Escola

Leia mais

Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação. Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região

Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação. Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região Dezembro/2010 2 TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Missão: Prover soluções efetivas de tecnologia

Leia mais

Ementa do MBA Executivo em Gestão Empresarial com ênfase em Locação de Equipamento Turma: SINDILEQ

Ementa do MBA Executivo em Gestão Empresarial com ênfase em Locação de Equipamento Turma: SINDILEQ Um jeito Diferente, Inovador e Prático de fazer Educação Corporativa Ementa do MBA Executivo em Gestão Empresarial com ênfase em Locação de Equipamento Turma: SINDILEQ Objetivo: Auxiliar o desenvolvimento

Leia mais

Administração Judiciária

Administração Judiciária Administração Judiciária Planejamento e Gestão Estratégica Claudio Oliveira Assessor de Planejamento e Gestão Estratégica Conselho Superior da Justiça do Trabalho Gestão Estratégica Comunicação da Estratégia

Leia mais

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento Estratégico de TIC no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário Planejamento

Leia mais

ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020

ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020 ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020 1 Missão 2 Exercer o controle externo da administração pública municipal, contribuindo para o seu aperfeiçoamento, em benefício da sociedade. Visão Ser reconhecida

Leia mais

Balanced Scorecard. Planejamento Estratégico através do. Curso e- Learning

Balanced Scorecard. Planejamento Estratégico através do. Curso e- Learning Curso e- Learning Planejamento Estratégico através do Balanced Scorecard Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão expressa

Leia mais

GESTÃO CORPORATIVA - DGE

GESTÃO CORPORATIVA - DGE GESTÃO CORPORATIVA Heleni de Mello Fonseca Diretoria de Gestão Empresarial - DGE Apresentador: Lauro Sérgio Vasconcelos David Belo Horizonte, 29 de maio de 2006 1 AGENDA Direcionamento Estratégico Iniciativas

Leia mais

Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros

Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros Uma evolução nos sistemas de controle gerencial e de planejamento estratégico Francisco Galiza Roteiro Básico 1 SUMÁRIO:

Leia mais

CIGAM SOFTWARE CORPORATIVA LTDA.

CIGAM SOFTWARE CORPORATIVA LTDA. CIGAM SOFTWARE CORPORATIVA LTDA. Raquel Engeroff Neusa Cristina Schnorenberger Novo Hamburgo RS Vídeo Institucional Estratégia Visão Missão Ser uma das 5 maiores empresas de software de gestão empresarial

Leia mais

Gestão Estratégica da Informação

Gestão Estratégica da Informação Valorizando o Rio de Janeiro Gestão Estratégica da Informação Visão e Aplicações Palestrante: Prof.: Marcelo Almeida Magalhães "Many of us underestimated just how fast business process modeling would become

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SINTÉTICO 2013 2016 - REVISÃO 2014

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SINTÉTICO 2013 2016 - REVISÃO 2014 Anexo à Resolução CGM 1.143 DE 08/07/2014 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SINTÉTICO 2013 2016 - REVISÃO 2014 INTRODUÇÃO Este trabalho é o produto de discussões finalizados em fevereiro de 2014, junto à Comissão

Leia mais

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA OPERACIONAL (PTO)

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA OPERACIONAL (PTO) EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 CONCESSÃO PARA AMPLIAÇÃO, MANUTENÇÃO E EXPLORAÇÃO DOS AEROPORTOS INTERNACIONAIS BRASÍLIA CAMPINAS GUARULHOS EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA

Leia mais

Gestão estratégica em processos de mudanças

Gestão estratégica em processos de mudanças Gestão estratégica em processos de mudanças REVISÃO DOS MACRO PONTOS DO PROJETO 1a. ETAPA: BASE PARA IMPLANTAÇÃO DE UM MODELO DE GESTÃO DE PERFORMANCE PROFISSIONAL, que compreenderá o processo de Análise

Leia mais

Qualider Consultoria e Treinamento Instrutor: José Roberto

Qualider Consultoria e Treinamento Instrutor: José Roberto BALANCED SCORECARD Qualider Consultoria e Treinamento Instrutor: José Roberto Por que a Implementação da Estratégia torna-se cada vez mais importante? Você conhece a Estratégia de sua Empresa? Muitos líderes

Leia mais

Nossa atuação no setor financeiro

Nossa atuação no setor financeiro Nossa atuação no setor financeiro No mundo No Brasil O porte da equipe de Global Financial Services Industry (GFSI) da Deloitte A força da equipe do GFSI da Deloitte no Brasil 9.300 profissionais;.850

Leia mais

Nossa Estrutura. 43ª Reunião da Qualidade RS 02 de abril de 2008

Nossa Estrutura. 43ª Reunião da Qualidade RS 02 de abril de 2008 Nossa Estrutura 43ª Reunião da Qualidade RS 02 de abril de 2008 Tecnologia da Informação para o Desempenho da Gestão Estratégica Com case Santa Casa de Porto Alegre por Fábio Frey Matthias Schneider Diretoria

Leia mais

Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.:Lillian Alvares

Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.:Lillian Alvares Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.:Lillian Alvares Comunidades de Prática Grupos informais e interdisciplinares de pessoas unidas em torno de um interesse

Leia mais

PROJETO UTILIZANDO QLIKVIEW PARA ESTUDO / SIMULAÇÃO DE INDICADORES

PROJETO UTILIZANDO QLIKVIEW PARA ESTUDO / SIMULAÇÃO DE INDICADORES PROJETO UTILIZANDO QLIKVIEW PARA ESTUDO / SIMULAÇÃO DE INDICADORES Fábio S. de Oliveira 1 Daniel Murara Barcia 2 RESUMO Gerenciar informações tem um sido um grande desafio para as empresas diante da competitividade

Leia mais

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG Capítulo 3: Sistemas de Negócios Colaboração SPT SIG Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos, gerentes e profissionais de empresas.

Leia mais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Capítulo 3: Sistemas de Apoio Gerenciais Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos,

Leia mais

Orçamentos e outras ferramentas

Orçamentos e outras ferramentas Finanças na Advocacia Orçamentos e outras ferramentas AXIS Consult Gestão Jurídica Luiz Machado ESG CORP 26º COMITÊ DE DEPARTAMENTOS JURÍDICOS E ESCRITÓRIOS DE ADVOCACIA MERCADO Atividade > Advocacia Mercantilismo

Leia mais

Compliance e a Valorização da Ética. Brasília, outubro de 2014

Compliance e a Valorização da Ética. Brasília, outubro de 2014 Compliance e a Valorização da Ética Brasília, outubro de 2014 Agenda 1 O Sistema de Gestão e Desenvolvimento da Ética Compliance, Sustentabilidade e Governança 2 Corporativa 2 Agenda 1 O Sistema de Gestão

Leia mais

Gestão eficaz de pessoas melhorando a produtividade, qualidade e resultados organizacionais. Mário Ibide

Gestão eficaz de pessoas melhorando a produtividade, qualidade e resultados organizacionais. Mário Ibide Gestão eficaz de pessoas melhorando a produtividade, qualidade e resultados organizacionais. Mário Ibide A Nova América na vida das pessoas 8 Cultural Empresarial Missão Do valor do campo ao campo de valor

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 1 CONHEÇA A PRODENT Nosso objetivo é garantir a plena satisfação dos nossos beneficiários, empresas clientes e parceiros, por meio da prestação de serviços altamente qualificados.

Leia mais

Seminário Em Busca da Excelência 2008

Seminário Em Busca da Excelência 2008 Seminário Em Busca da Excelência 2008 IEL/SC - Implementação de sistema de gestão com base nos fundamentos da excelência Natalino Uggioni Maio, 2008 1 IEL em Santa Catarina Integrante da FIESC Federação

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul Planejamento Estratégico de TIC da Justiça Militar do Estado do Rio Grande do Sul MAPA ESTRATÉGICO DE TIC DA JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO (RS) MISSÃO: Gerar, manter e atualizar soluções tecnológicas eficazes,

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 1. Comercial e Marketing 1.1 Neurovendas Objetivo: Entender

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 Versão 1.0 1 APRESENTAÇÃO O Planejamento

Leia mais

DIRETRIZES APROVADAS PELA SESSÃO PLENÁRIA DO CONGRESSO

DIRETRIZES APROVADAS PELA SESSÃO PLENÁRIA DO CONGRESSO DIRETRIZES APROVADAS PELA SESSÃO PLENÁRIA DO CONGRESSO Brasília, 11 de setembro de 2010 TEMA 1 DIRETRIZES E HORIZONTES DA RELAÇÃO POLÍTICA E INSTITUCIONAL DO SISTEMA COOPERATIVISTA 1.1 - FORTALECER A REPRESENTAÇÃO

Leia mais

Fundação Habitacional do Exército. José Ricardo GODINHO Rodrigues

Fundação Habitacional do Exército. José Ricardo GODINHO Rodrigues Fundação Habitacional do Exército José Ricardo GODINHO Rodrigues MAPEAMENTO E MELHORIA DE PROCESSOS A 18 de Fundação novembro 1980 POUPEX Habitacional Lei nº. 6.855 Instituição Criada pela pública FHE

Leia mais

A Estratégia do Conselho da Justiça Federal 2015/2020 CJF-POR-2015/00359, de 26 de agosto de 2015

A Estratégia do Conselho da Justiça Federal 2015/2020 CJF-POR-2015/00359, de 26 de agosto de 2015 A Estratégia do Conselho da Justiça Federal CJF-POR-2015/00359, de 26 de agosto de 2015 SUEST/SEG 2015 A estratégia do CJF 3 APRESENTAÇÃO O Plano Estratégico do Conselho da Justiça Federal - CJF resume

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) Este documento tem o propósito de promover o alinhamento da atual gestão

Leia mais

A estratégia do PGQP frente aos novos desafios. 40ª Reunião da Qualidade 09-10-2006 Eduardo Guaragna

A estratégia do PGQP frente aos novos desafios. 40ª Reunião da Qualidade 09-10-2006 Eduardo Guaragna A estratégia do PGQP frente aos novos desafios 40ª Reunião da Qualidade 09-10-2006 Eduardo Guaragna PROCESSO DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO MACROFLUXO ENTRADAS PARA O PROCESSO - Análise de cenários e conteúdos

Leia mais

Prezado Futuro Cliente

Prezado Futuro Cliente Prezado Futuro Cliente É com grade satisfação que encaminhamos nossa apresentação institucional e certos de estabelecermos uma parceria de sucesso e duradoura. Ela foi desenvolvida com objetivo de mostrar

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 3. Gestão empresarial 3.1 Gestão empresarial Objetivo: prover

Leia mais

PROCESSOS PODEROSOS DE NEGÓCIO. ideiaconsultoria.com.br 43 3322 2110 comercial@ideiaconsultoria.com.br

PROCESSOS PODEROSOS DE NEGÓCIO. ideiaconsultoria.com.br 43 3322 2110 comercial@ideiaconsultoria.com.br PROCESSOS PODEROSOS DE NEGÓCIO ideiaconsultoria.com.br 43 3322 2110 comercial@ideiaconsultoria.com.br POR QUE ESCREVEMOS ESTE E-BOOK? Nosso objetivo com este e-book é mostrar como a Gestão de Processos

Leia mais

Prêmio Nacional da Qualidade em Saneamento Inovação da Gestão em Saneamento

Prêmio Nacional da Qualidade em Saneamento Inovação da Gestão em Saneamento Prêmio Nacional da Qualidade em Saneamento Inovação da Gestão em Saneamento PNQS 2010 IGS SETEMBRO/2010 ORGANOGRAMA DA ORGANIZAÇÃO CANDIDATA Vice-presidência de GO Superintendência T Gerência Prod. e Desenvolvimento

Leia mais

AÇÕES EFETIVAS DE GERENCIAMENTO DO STRESS OCUPACIONAL: Desafio de Conciliar Embasamento Científico e Planejamento Estratégico

AÇÕES EFETIVAS DE GERENCIAMENTO DO STRESS OCUPACIONAL: Desafio de Conciliar Embasamento Científico e Planejamento Estratégico AÇÕES EFETIVAS DE GERENCIAMENTO DO STRESS OCUPACIONAL: Desafio de Conciliar Embasamento Científico e Planejamento Estratégico Sâmia Simurro Novembro/2011 FATOS SOBRE O STRESS Inevitável Nível positivo?

Leia mais

MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA.

MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA. MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA. SANKHYA. A nova geração de ERP Inteligente. Atuando no mercado brasileiro desde 1989 e alicerçada pelos seus valores e princípios,

Leia mais

MECANISMOS PARA GOVERNANÇA DE T.I. IMPLEMENTAÇÃO DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

MECANISMOS PARA GOVERNANÇA DE T.I. IMPLEMENTAÇÃO DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza MECANISMOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DA GOVERNANÇA DE T.I. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza CICLO DA GOVERNANÇA DE TI O CICLO DA GOVERNANÇA DE TI O Ciclo da Governança de T.I. ALINHAMENTO

Leia mais

As novas tecnologias podem finalmente - viabilizar o RH Estratégico? Thais Silva I Janeiro 2012

As novas tecnologias podem finalmente - viabilizar o RH Estratégico? Thais Silva I Janeiro 2012 As novas tecnologias podem finalmente - viabilizar o RH Estratégico? Thais Silva I Janeiro 2012 Universo TOTVS Fundada em 1983 6ª maior empresa de software (ERP) do mundo Líder em Software no Brasil e

Leia mais

Desdobramento da estratégia em indicadores de gestão. Palestrante: Paulo Ivan de Mello Gerente de Processos e Qualidade Serasa Experian

Desdobramento da estratégia em indicadores de gestão. Palestrante: Paulo Ivan de Mello Gerente de Processos e Qualidade Serasa Experian Desdobramento da estratégia em indicadores de gestão Palestrante: Paulo Ivan de Mello Gerente de Processos e Qualidade Serasa Experian A Experian No mundo líder de mercado Londres Nottingham Grupo de origem

Leia mais

ESTRATÉGIA DE FIDELIZAÇÃO

ESTRATÉGIA DE FIDELIZAÇÃO ESTRATÉGIA DE FIDELIZAÇÃO PLANEJAMENTO, SEGMENTAÇÃO E AÇÕES DE PROMOÇÃO CASO ABIHPEC EIXOS ESTRATÉGICOS DO PROJETO DE (Resultado do Workshop out 2008) Objetivos Relacionados: 11 - AUMENTAR A DECLARAÇÃO

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

Guia de Boas Práticas para a elaboração de uma Concorrência

Guia de Boas Práticas para a elaboração de uma Concorrência Guia de Boas Práticas para a elaboração de uma Concorrência Comitê de Agências Gestão 2008 ÍNDICE OBJETIVO DO DOCUMENTO... 3 DEFINIÇÕES... 4 PONTOS PARA A ELABORAÇÃO DE UMA CONCORRÊNCIA... 5 RFI: Quando

Leia mais

CONCEITOS FUNDAMENTAIS PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO RESPEITAR PONTO DE VISTA. Material preparado e de responsabilidade de Júlio Sérgio de Lima

CONCEITOS FUNDAMENTAIS PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO RESPEITAR PONTO DE VISTA. Material preparado e de responsabilidade de Júlio Sérgio de Lima INDICADORES DE RH E METAS ORGANIZACIONAIS JÚLIO SÉRGIO DE LIMA Blumenau SC PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PLANEJAMENTO ESTRATEGICO E PERSPECTIVAS DE NEGOCIO, ARQUITETURA DE MEDIÇÃO DO DESEMPENHO E NIVEIS DOS

Leia mais

II Forum PLANISA de Gestão da Saúde. Como o Hospital Mãe de Deus usa o Planejamento Estratégico como ferramenta de Gestão

II Forum PLANISA de Gestão da Saúde. Como o Hospital Mãe de Deus usa o Planejamento Estratégico como ferramenta de Gestão II Forum PLANISA de Gestão da Saúde Como o Hospital Mãe de Deus usa o Planejamento Estratégico como ferramenta de Gestão HOSPITAL MÃE DE DEUS 380 leitos 2.234 funcionários 68.000 m 2 - área construída

Leia mais

Consultoria Estratégica. PMSolution Consultoria

Consultoria Estratégica. PMSolution Consultoria PMSolution Consultoria Nossa Atuação Cliente Governança Corporativa Governança de TI Áreas de Conhecimento Consultoria Estratégica Gerenciamento de Projetos e Portfólio Tecnologia Capacitação Confidencial

Leia mais

b) supervisionar o cumprimento desta política pelas entidades integrantes do Sistema Sicoob;

b) supervisionar o cumprimento desta política pelas entidades integrantes do Sistema Sicoob; 1. Esta Política institucional de gestão de pessoas: Política institucional de gestão de pessoas a) é elaborada por proposta da área de Gestão de Pessoas da Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015

PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015 PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015 Líderes : Autores do Futuro Ser líder de um movimento de transformação organizacional é um projeto pessoal. Cada um de nós pode escolher ser... Espectador,

Leia mais

Fundação Habitacional do Exército. José Ricardo GODINHO Rodrigues

Fundação Habitacional do Exército. José Ricardo GODINHO Rodrigues Fundação Habitacional do Exército José Ricardo GODINHO Rodrigues MAPEAMENTO E MELHORIA DE PROCESSOS Caso de sucesso na Fundação Habitacional do Exército FHE Desafios e lições aprendidas Resultados gerados

Leia mais

Avenida Jamaris, 100, 10º e 3º andar, Moema São Paulo SP 04078-000 55 (11) 5051-8880

Avenida Jamaris, 100, 10º e 3º andar, Moema São Paulo SP 04078-000 55 (11) 5051-8880 APRESENTAÇÃO DA EMPRESA E DOS SERVIÇOS AUDITORIA CONSULTORIA EMPRESARIAL CORPORATE FINANCE EXPANSÃO DE NEGÓCIOS CONTABILIDADE INTRODUÇÃO A FATORA tem mais de 10 anos de experiência em auditoria e consultoria

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 2. Finanças 2.1 Orçamento anual integrado Objetivo: Melhorar

Leia mais

Módulo 6. Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão expressa do autor.

Módulo 6. Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão expressa do autor. Módulo 6 Módulo 6 Desenvolvimento do projeto com foco no negócio BPM, Análise e desenvolvimento, Benefícios, Detalhamento da metodologia de modelagem do fluxo de trabalho EPMA. Todos os direitos de cópia

Leia mais

Assessoria Consultoria Treinamento F I N A N C E I R A - E M P R E S A R I A L

Assessoria Consultoria Treinamento F I N A N C E I R A - E M P R E S A R I A L Assessoria Consultoria Treinamento F I N A N C E I R A - E M P R E S A R I A L Quem somos Bem vindo à Nord. Formada por profissionais oriundos do mercado financeiro, com formações multidisciplinares e

Leia mais

LMA, Solução em Sistemas

LMA, Solução em Sistemas LMA, Solução em Sistemas Ao longo dos anos os sistemas para gestão empresarial se tornaram fundamentais, e por meio dessa ferramenta as empresas aperfeiçoam os processos e os integram para uma gestão mais

Leia mais

Implantação dos Requisitos Acreditação RN 277 (ANS)

Implantação dos Requisitos Acreditação RN 277 (ANS) Implantação dos Requisitos Acreditação RN 277 (ANS) Debates GVSaúde Acreditação Operadoras de Planos de Saúde Helton Marcondes Coordenação de Processos e Qualidade - GEPP Roteiro Unimed-BH em Números;

Leia mais

MARCA BRADESCO RECURSOS HUMANOS

MARCA BRADESCO RECURSOS HUMANOS ATIVOS INTANGÍVEIS Embora a Organização não registre seus ativos intangíveis, há evidências da percepção de sua magnitude pelos investidores e que pode ser encontrada na expressiva diferença entre o Valor

Leia mais

RESULTADOS FINAIS DO ENCONTRO NACIONAL - ÁREA MEIO - ESTRATÉGIA NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO

RESULTADOS FINAIS DO ENCONTRO NACIONAL - ÁREA MEIO - ESTRATÉGIA NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESULTADOS FINAIS DO ENCONTRO NACIONAL - ÁREA MEIO - ESTRATÉGIA NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO SISTEMATIZAÇÃO DOS RESULTADOS Atendendo a solicitação do CNMP, o presente documento organiza os resultados

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 1 OBJETIVOS 1. Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? 2. Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

João Telles Corrêa Filho Março de 2010

João Telles Corrêa Filho Março de 2010 Administrar é medir. Esta frase dá bem a medida da importância de contarmos com bons indicadores. Mas, afinal, o que são e porque usar medidas de desempenho? Estas medidas, também chamadas de indicadores

Leia mais

Administração Financeira

Administração Financeira Prof. Fabini Hoelz Bargas Alvarez O que são finanças? Finanças é a arte e a ciência de gestão do dinheiro; Imprescindível, pois todos os indivíduos e organizações recebem ou levantam dinheiro; A teoria

Leia mais

De Boas Ideias para Uma Gestão Baseada em Processos

De Boas Ideias para Uma Gestão Baseada em Processos De Boas Ideias para Uma Gestão Baseada em Processos O que você vai mudar em sua forma de atuação a partir do que viu hoje? Como Transformar o Conteúdo Aprendido Neste Seminário em Ação! O que debatemos

Leia mais

Tecnologia da Informação CAASP. DIS Departamento de Informática e Sistemas. Relatório Anuário 2008 Att. Gerência Geral e Diretoria CAASP

Tecnologia da Informação CAASP. DIS Departamento de Informática e Sistemas. Relatório Anuário 2008 Att. Gerência Geral e Diretoria CAASP Tecnologia da Informação CAASP DIS Relatório Anuário 2008 Att. Gerência Geral e Diretoria CAASP Introdução...03 Projetos e Fatos Relevantes 2008...03 Raio X de Investimentos e Custos...10 Considerações

Leia mais

Unidade I FUNDAMENTOS DA GESTÃO. Prof. Jean Cavaleiro

Unidade I FUNDAMENTOS DA GESTÃO. Prof. Jean Cavaleiro Unidade I FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA Prof. Jean Cavaleiro Introdução Definir o papel da gestão financeira; Conceitos de Gestão Financeira; Assim como sua importância na gestão de uma organização;

Leia mais

Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília

Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília AVALIAÇÃO DA ADOÇÃO DE BPM NO BRASIL: ERROS, APRENDIZADOS E BOAS PRÁTICAS Leandro Jesus INVESTIR EM PROCESSOS:

Leia mais

RDPG - Programa de Desenvolvimento da Liderança com foco nas Estratégias

RDPG - Programa de Desenvolvimento da Liderança com foco nas Estratégias RDPG - Programa de Desenvolvimento da Liderança com foco nas Estratégias A. A OPORTUNIDADE A.1 Qual foi a oportunidade de melhoria de gestão (problema, desafio, dificuldade), solucionada pela prática

Leia mais

POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA

POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA 1 1. APRESENTAÇÃO Esta política estabelece os princípios e práticas de Governança Cooperativa adotadas pelas cooperativas do Sistema Cecred, abordando os aspectos de

Leia mais

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios UNIMEP MBA em Gestão e Negócios Módulo: Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 TI com foco nos Negócios: Áreas envolvidas (Parte II) Flávio I. Callegari www.flaviocallegari.pro.br O perfil do profissional

Leia mais

Bibliografia. A Estratégia em Ação. Kaplan e Norton na Prática. David Norton e Robert Kaplan Editora Campus

Bibliografia. A Estratégia em Ação. Kaplan e Norton na Prática. David Norton e Robert Kaplan Editora Campus Balanced Scoredcard Bibliografia A Estratégia em Ação David Norton e Robert Kaplan Editora Campus Kaplan e Norton na Prática David Norton e Robert Kaplan Editora Campus GESTÃO ESTRATÉGICA GESTÃO DA QUALIDADE

Leia mais

Instituto Euvaldo Lodi de Santa Catarina IEL/SC

Instituto Euvaldo Lodi de Santa Catarina IEL/SC Instituto Euvaldo Lodi de Santa Catarina IEL/SC Uma estrutura de apoio à Inovação Eliza Coral, Dr. Eng., PMP Outubro, 2010 Diretrizes Organizacionais Missão Contribuir para o desenvolvimento sustentável

Leia mais

www.pwc.com AMCHAM Visão integrada das áreas de Marketing e Finanças Abril de 2013

www.pwc.com AMCHAM Visão integrada das áreas de Marketing e Finanças Abril de 2013 www.pwc.com Visão integrada das áreas de Marketing e Finanças Agenda Introdução Como abordar o problema Discussões Conclusão PwC 2 Introdução PwC 3 Introdução Visões do Marketing Marketing tem que fazer

Leia mais

ANEXO 1: Formato Recomendado de Planos de Negócios - Deve ter entre 30 e 50 páginas

ANEXO 1: Formato Recomendado de Planos de Negócios - Deve ter entre 30 e 50 páginas ANEXO 1: Formato Recomendado de Planos de Negócios - Deve ter entre 30 e 50 páginas 1) Resumo Executivo Descrição dos negócios e da empresa Qual é a ideia de negócio e como a empresa se chamará? Segmento

Leia mais

Balanced Scorecard. by Edmilson J. Rosa

Balanced Scorecard. by Edmilson J. Rosa Balanced Scorecard Balanced Scorecard O Balanced Scorecard, sistema de medição de desempenho das empresas, foi criado por Robert Kaplan e David Norton, professores da Harvard Business School. Tendo como

Leia mais

Programa de Remuneração Variável 2015

Programa de Remuneração Variável 2015 Programa de Remuneração Variável 2015 APRESENTAÇÃO A Remuneração Variável é parte representativa nas práticas de gestão de pessoas. O modelo tradicional de pagamento através de salário fixo, tornou-se

Leia mais

BSC - Como expressar a performance do secretariado no painel de indicadores corporativos

BSC - Como expressar a performance do secretariado no painel de indicadores corporativos BSC - Como expressar a performance do secretariado no painel de indicadores corporativos Apresentação do Instrutor André Luis Regazzini, CSO, CISA, CISM, CGEIT Sócio IPLC do Brasil Ltda. albregazzini@iplc.com.br

Leia mais

Escolha os melhores caminhos para sua empresa

Escolha os melhores caminhos para sua empresa Escolha os melhores caminhos para sua empresa O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio

Leia mais

Por que abrir o capital?

Por que abrir o capital? Por que abrir capital? Por que abrir o capital? Vantagens e desafios de abrir o capital Roberto Faldini Fortaleza - Agosto de 2015 - PERFIL ABRASCA Associação Brasileira de Companhias Abertas associação

Leia mais

Randon. Troféu Diamante PQRS 2009

Randon. Troféu Diamante PQRS 2009 Randon Consórcios Troféu Diamante PQRS 2009 Empresas Randon Empresas Randon participação no mercado brasileiro Reboques e semirreboques 35,21% Caminhões fora-de-estrada (até 35 t) 87,00% Freios a ar 53,40%

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 13/06/2014 14:08:02 Endereço IP: 177.1.81.29 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

Nos últimos anos, o setor de seguros brasileiro vem sofrendo uma. série de transformações. Algumas delas podem ser visualizadas na

Nos últimos anos, o setor de seguros brasileiro vem sofrendo uma. série de transformações. Algumas delas podem ser visualizadas na Visão das Seguradoras: Uma análise da distribuição de seguros no Brasil Francisco Galiza Mestre em Economia (FGV), membro do Conselho Editorial da FUNENSEG, catedrático pela ANSP e sócio da empresa "Rating

Leia mais

Empresa de Consultoria especializada em Gestão do Negócio Saúde

Empresa de Consultoria especializada em Gestão do Negócio Saúde Empresa de Consultoria especializada em Gestão do Negócio Saúde Consultoria Técnica para a Gestão da Sinistralidade Suporte para Organização das Auditorias Operadora Consultoria Técnica em OPME Auditorias,

Leia mais

INDICADORES E METAS DO TRT7 OBJETIVO ESTRATÉGICO TRT 7ª REGIÃO Nº.1.

INDICADORES E METAS DO TRT7 OBJETIVO ESTRATÉGICO TRT 7ª REGIÃO Nº.1. 34 Os indicadores são índices utilizados para aferir resultados. O TRT da 7ª Região adotou indicadores aferidos pelo CNJ e criou outros considerados relevantes para o processo decisório da gestão institucional,

Leia mais

O que é ser um RH estratégico

O que é ser um RH estratégico O que é ser um RH estratégico O RH é estratégico quando percebido como essencial nas decisões estratégicas para a empresa. Enquanto a área de tecnologia das empresas concentra seus investimentos em sistemas

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

GESTÃO EFICIENTE 1 FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO 2 JUSTIFICATIVA

GESTÃO EFICIENTE 1 FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO 2 JUSTIFICATIVA GESTÃO EFICIENTE 1 FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO Promover eficiência na gestão de recursos para assegurar a realização da Estratégia, a partir de uma política organizacional de planejamento e execução

Leia mais

Interact Solutions Apresentação do SA-Performance Manager. Por: Anderson Pereira Diretor de Negócios Unidade Excellence

Interact Solutions Apresentação do SA-Performance Manager. Por: Anderson Pereira Diretor de Negócios Unidade Excellence Interact Solutions Apresentação do SA-Performance Manager Por: Anderson Pereira Diretor de Negócios Unidade Excellence Interact Group Fundação: agosto / 1999 80 Colaboradores diretos 85 Colaboradores nas

Leia mais

Difusão de Rede de. Conseguir equilíbrio orçamentário. Aumentar superávit com iniciativas e projetos

Difusão de Rede de. Conseguir equilíbrio orçamentário. Aumentar superávit com iniciativas e projetos MISSÃO Missão: Aperfeiçoar e difundir conceitos e práticas do uso de recursos privados para o desenvolvimento do bem comum VISÃO Ser referência global em investimento social privado até 2020 do Cliente

Leia mais

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 PROSPERE NA NOVA ECONOMIA A SPEKTRUM SUPORTA A EXECUÇÃO DA SUA ESTRATÉGIA Para as empresas que buscam crescimento

Leia mais

Circular de Oferta 5102/ sto Ago

Circular de Oferta 5102/ sto Ago Circular de Oferta Agosto / 2015 Índice Introdução 03 Quem Somos 04 Como funciona o negócio 05 Vantagens de ser constituir uma agência 06 Produtos e serviços 07 Ferramentas de apoio 08 Atividades desempenhadas

Leia mais

Ementas e bibliografia básica das disciplinas

Ementas e bibliografia básica das disciplinas Ementas e bibliografia básica das disciplinas Gestão do Conhecimento e Inteligência Competitiva (10h) Conceitos gerais de gestão do conhecimento Conceitos gerais de inteligência competitiva Ferramentas

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro. O Estado do Rio de Janeiro atende ao 3º maior

Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro. O Estado do Rio de Janeiro atende ao 3º maior Apresentação: Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro Órgão integrante da Justiça Eleitoral O Estado do Rio de Janeiro atende ao 3º maior eleitorado do país (11.563.483 eleitores) 249 Cartórios Eleitorais

Leia mais

Material Institucional. accent. consultoria. auditoria. estratégia. caixa livre

Material Institucional. accent. consultoria. auditoria. estratégia. caixa livre Material Institucional accent consultoria. auditoria. estratégia. caixa livre Sobre a Accent Somos uma empresa brasileira que possui conhecimento especializado em auditoria, impostos, consultoria de gestão

Leia mais

VALORES COORPORATIVOS MISSÃO VISÃO. Oferecer soluções em seguros, atendendo as necessidades das cooperativas e do mercado em geral.

VALORES COORPORATIVOS MISSÃO VISÃO. Oferecer soluções em seguros, atendendo as necessidades das cooperativas e do mercado em geral. EMPRESA MISSÃO Oferecer soluções em seguros, atendendo as necessidades das cooperativas e do mercado em geral. VISÃO Ser reconhecida como uma empresa do sistema cooperativo com excelência em seguros. VALORES

Leia mais