Game Development. Apresentação de Expressão e Comunicação, Universidade Nova de Lisboa, FCT. Pré-Produção Development Testing & Shipping Sumário

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Game Development. Apresentação de Expressão e Comunicação, 2012. Universidade Nova de Lisboa, FCT. Pré-Produção Development Testing & Shipping Sumário"

Transcrição

1 José Carneiro Miguel Cabrita 1 Departmento de Informática Universidade Nova de Lisboa, FCT Apresentação de Expressão e Comunicação, 2012

2 Outline 1 Pré-Produção Brainstorming 2 3

3 Basic Problem Outline 1 Pré-Produção Brainstorming 2 3

4 Brainstorming & Game Planning Basic Problem Antes de qualquer outra coisa é necessário reectir nas bases que se pretendem imprimir ao jogo, para tal é preciso planear previamente: O público alvo do jogo. O estilo de jogo ( RPG, FPS, MMO, etc... ) A plataforma(s) em que o jogo irá correr. Ter em conta a concorrência.

5 Brainstorming & Game Planning Basic Problem Antes de qualquer outra coisa é necessário reectir nas bases que se pretendem imprimir ao jogo, para tal é preciso planear previamente: O público alvo do jogo. O estilo de jogo ( RPG, FPS, MMO, etc... ) A plataforma(s) em que o jogo irá correr. Ter em conta a concorrência.

6 Brainstorming & Game Planning Basic Problem Antes de qualquer outra coisa é necessário reectir nas bases que se pretendem imprimir ao jogo, para tal é preciso planear previamente: O público alvo do jogo. O estilo de jogo ( RPG, FPS, MMO, etc... ) A plataforma(s) em que o jogo irá correr. Ter em conta a concorrência.

7 Brainstorming & Game Planning Basic Problem Antes de qualquer outra coisa é necessário reectir nas bases que se pretendem imprimir ao jogo, para tal é preciso planear previamente: O público alvo do jogo. O estilo de jogo ( RPG, FPS, MMO, etc... ) A plataforma(s) em que o jogo irá correr. Ter em conta a concorrência.

8 Brainstorming & Game Planning Basic Problem Antes de qualquer outra coisa é necessário reectir nas bases que se pretendem imprimir ao jogo, para tal é preciso planear previamente: O público alvo do jogo. O estilo de jogo ( RPG, FPS, MMO, etc... ) A plataforma(s) em que o jogo irá correr. Ter em conta a concorrência.

9 Basic Problem Outline 1 Pré-Produção Brainstorming 2 3

10 Basic Problem Nesta fase é criado um documento com toda a informação referente ao projecto. È um documento formal que visa a mostrar que tem potencial lucrativo de forma a seduzir os publishers.

11 Basic Problem Outline 1 Pré-Produção Brainstorming 2 3

12 s Pré-Produção Basic Problem Após o documento organizado e bem estruturado, procuram-se publishers interessados em comercializar o jogo, são estes que se encarregam de levar os jogos até as prateleiras das Gaming Stores.

13 Outline 1 Pré-Produção Brainstorming 2 3

14 Pré-Produção A programação é sem grande contestação o aspecto mais importante do desenvolvimento de jogos. Geralmente são utilizadores middlewares ( ou Game Engines) evitando que o jogo seja criado totalmente de raiz, permitindo maior velocidade e coêsão. O programador encarrega-se da AI, Física, Gameplay, Networking...etc

15 Outline 1 Pré-Produção Brainstorming 2 3

16 Pré-Produção O artista ca encarregue da produção de arte nomeadamente de arte conceptual, sprites, texturas, ambientes, animação e cinemática. Não é novidade que na actualidade esta componente tem ganho relevo com o desenvolvimento de tecnologias mais avançadas.

17 Outline 1 Pré-Produção Brainstorming 2 3

18 Pré-Produção Assim como o aspecto visual, também o sonoro é de extrema importância num jogo. Compositores criam a soundtrack do jogo, e engenheiros de som tratam dos efeitos sonoros e da supervisão so voice acting.

19 Outline 1 Pré-Produção Brainstorming 2 3

20 Pré-Produção Em essência os testers encarregam-se de assegurar a qualidade. Analisam e testam os jogos e asseguram-se que o jogo vai de acordo com o pretendido, isto é que funciona como deve e que é divertido.

21 Outline 1 Pré-Produção Brainstorming 2 3

22 Pré-Produção Essencialmente, os publishers encarregam-se de publicitar e exportar o produto acabado para o mercado, podendo nalmente assim lucrar o investimento efectuado ( ou não).

23 Pré-Produção Inicialmente é criado um documento com toda a informação. O programador transporta para o ecrã o jogo idealizado. Os artistas cam responsáveis pela maioria da componente visual. Os compositores e engenheiros audio tratam da soundtrack, efeitos sonoros e supervisionam o voice acting. Os testers asseguram a qualidade do produto. Os publishers publicitam e levam os jogos ás Game Stores.

24 FIM Pré-Produção

ENG1000 Introdução à Engenharia

ENG1000 Introdução à Engenharia ENG1000 Introdução à Engenharia Aula 02 Introdução ao Game Design Edirlei Soares de Lima Introdução O que é um jogo? Jogar uma bola contra uma parede pode ser considerado um jogo?

Leia mais

Auditoria ao Processo de. no Sector Eléctrico

Auditoria ao Processo de. no Sector Eléctrico Auditoria ao Processo de Mudança de Comercializador no Sector Eléctrico Agenda 1. Enquadramento e objectivos 2. Descrição dos trabalhos do auditor 3. Conclusões do trabalho do auditor 4. Recomendações

Leia mais

Jogos Digitais Jogos 2D

Jogos Digitais Jogos 2D Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto Cursos: Mestrado Integrado em Engenharia Informática (MIEIC) e Industrial e Gestão (MIEIG) Relatório Jogos Digitais Jogos 2D Como criar e lançar um jogo

Leia mais

Jogos Eletrônicos. Aula 01 Jogos Eletrônicos e Game Design. Edirlei Soares de Lima

Jogos Eletrônicos. Aula 01 Jogos Eletrônicos e Game Design. Edirlei Soares de Lima <edirlei.lima@uniriotec.br> Jogos Eletrônicos Aula 01 Jogos Eletrônicos e Game Design Edirlei Soares de Lima Introdução O que é um jogo? Jogar uma bola contra uma parede pode ser considerado um jogo? Introdução

Leia mais

AULA 2. Aspectos Técnicos. Luciano Roberto Rocha. www.lrocha.com. MBA em Marketing Digital SOCIAL GAMES

AULA 2. Aspectos Técnicos. Luciano Roberto Rocha. www.lrocha.com. MBA em Marketing Digital SOCIAL GAMES MBA em Marketing Digital SOCIAL GAMES AULA 2 Luciano Roberto Rocha Aspectos Técnicos Ponta Grossa, 31 de agosto de 2013 ROTEIRO Papéis Processos Plataformas Ferramentas 2 PAPÉIS O desenvolvimento de um

Leia mais

O mercado de games independentes e o perfil do profissional de desenvolvimento. Delimitação

O mercado de games independentes e o perfil do profissional de desenvolvimento. Delimitação SIMCAP Simpósio de Computação Aplicada O mercado do desenvolvimento de SW para games O mercado de games independentes e o perfil do profissional de desenvolvimento. Guarulhos 2012 Arthur Gomes Faria RA

Leia mais

DESENVOVIMENTO DE GAMES APRESENTAÇÃO. MARCELO HENRIQUE DOS SANTOS http://www.marcelohsantos.com marcelosantos@outlook.com

DESENVOVIMENTO DE GAMES APRESENTAÇÃO. MARCELO HENRIQUE DOS SANTOS http://www.marcelohsantos.com marcelosantos@outlook.com JOGOS DIGITAIS DESENVOVIMENTO DE GAMES APRESENTAÇÃO MARCELO HENRIQUE DOS SANTOS http://www.marcelohsantos.com marcelosantos@outlook.com Bacharel em Sistema de Informação Pós Graduado em Games : Produção

Leia mais

Desenvolvimento com grandes equipes: desafios e soluções. Charles Marcel de Barros (Lead Game Programmer)

Desenvolvimento com grandes equipes: desafios e soluções. Charles Marcel de Barros (Lead Game Programmer) Desenvolvimento com grandes equipes: desafios e soluções Charles Marcel de Barros (Lead Game Programmer) O desafio Desenvolver jogos em equipe: Prazo Qualidade para o jogador Qualidade de sistema Por que

Leia mais

design de jogos digitais o essencial da licenciatura

design de jogos digitais o essencial da licenciatura design de jogos digitais o essencial da licenciatura ÍNDICE ciclo de estudos plano de estudos metodologias de ensino perfil de saída candidaturas ipb virtual Dados do ciclo de estudos ciclo de estudos

Leia mais

Marketing de Jogos e plataformas digitais

Marketing de Jogos e plataformas digitais FCT - UNL Expressão e Comunicação 2011/2012 Outline 1 Tipo de produto 2 Estudos de 2010 Discussão mais extensa em: www.mjpd.tk Outline 1 Tipo de produto 2 Estudos de 2010 Discussão mais extensa em: www.mjpd.tk

Leia mais

Design 3D. Formação em Game GAME DESIGN 1

Design 3D. Formação em Game GAME DESIGN 1 1 Formação em Game Design 3D O treinamento de Game Design da Data 3D tem duração de 1 ano. O aluno a partir do treinamento de arte 3D e design para games poderá desenvolver seus projetos para as empresas

Leia mais

Um estudo sobre o desenvolvimento de jogos para portadores de necessidades especiais Proposta de Trabalho de Graduação em Ciência da Computação

Um estudo sobre o desenvolvimento de jogos para portadores de necessidades especiais Proposta de Trabalho de Graduação em Ciência da Computação UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA Um estudo sobre o desenvolvimento de jogos para portadores de necessidades especiais Proposta de Trabalho de Graduação em Ciência da Computação

Leia mais

O que vamos apresentar

O que vamos apresentar O que vamos apresentar O que vamos apresentar Como funciona uma empresa de Indie games; O que vamos apresentar Como funciona uma empresa de Indie games; O passo-a-passo de um projeto de Indie game; O que

Leia mais

PROPOSTA DE PARCERIA COM A ÓBIDOS CRIATIVA E.E.M.

PROPOSTA DE PARCERIA COM A ÓBIDOS CRIATIVA E.E.M. PROPOSTA DE PARCERIA COM A ÓBIDOS CRIATIVA E.E.M. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA A Blend Point é uma empresa que engloba algumas marcas das quais, para este projecto, se destacam a CorkWay Store e a Gods From

Leia mais

Formalização da proposta do projecto

Formalização da proposta do projecto Formalização da proposta do projecto 1 Nome do projecto: Allgarve Events 2 Nome do produto: EventsBottle 3 Descrição do projecto: Este projecto tem como objectivo criar uma aplicação web, visando esta

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE MULTIMÉDIA. PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Multimédia Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/5

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE MULTIMÉDIA. PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Multimédia Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/5 PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE MULTIMÉDIA PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Multimédia Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/5 ÁREA DE ACTIVIDADE OBJECTIVO GLOBAL - AUDIOVISUAIS E PRODUÇÃO DOS

Leia mais

1.3. Componentes dum sistema informático HARDWARE SOFTWARE

1.3. Componentes dum sistema informático HARDWARE SOFTWARE 1.3. Componentes dum sistema informático Computador Sistema Informático HARDWARE SOFTWARE + Periféricos Sistema Operativo Aplicações HARDWARE - representa todos os componentes físicos de um sistema informático,

Leia mais

- Aula 03_2012 - Profa. Ms. Karen Reis

- Aula 03_2012 - Profa. Ms. Karen Reis Protótipos de Jogos Digitais - Aula 03_2012-1 Design de Games Só temos GAMES quando há: contexto interessante, direcionados a um objetivo e limitado por regras. Os games da era pós-digital se apoiam em

Leia mais

DESIGN DE GAMES APRESENTAÇÃO. MARCELO HENRIQUE DOS SANTOS http://www.marcelohsantos.com marcelosantos@outlook.com

DESIGN DE GAMES APRESENTAÇÃO. MARCELO HENRIQUE DOS SANTOS http://www.marcelohsantos.com marcelosantos@outlook.com DESIGN DE GAMES DESIGN DE GAMES APRESENTAÇÃO MARCELO HENRIQUE DOS SANTOS http://www.marcelohsantos.com marcelosantos@outlook.com Bacharel em Sistema de Informação Pós Graduado em Games : Produção e Programação

Leia mais

MANUAL DO UTILIZADOR

MANUAL DO UTILIZADOR MANUAL DO UTILIZADOR Versão 1.6 PÁGINA DE PESQUISA A página principal do PacWeb permite a realização de um número muito variado de pesquisas, simples, ou pelo contrário extremamente complexas, dependendo

Leia mais

1 Noções de software musical Conteúdo

1 Noções de software musical Conteúdo Introdução Conceitos básicos de software educacional e informática na educação O software musical como auxílio aos professores de música Software para acompanhamento Software para edição de partituras

Leia mais

FEUP 2006/2007 Mestrado em Tecnologias Multimédia Doc. Apresentação V0

FEUP 2006/2007 Mestrado em Tecnologias Multimédia Doc. Apresentação V0 FEUP 2006/2007 Mestrado em Tecnologias Multimédia Doc. Apresentação V0 TÍTULO: Animatic - Marionetas Digitais Interactivas ORIENTADORES: Professor Doutor Aníbal Ferreira Professor Doutor Rui Torres ALUNO:

Leia mais

Elementos para construção de um briefing

Elementos para construção de um briefing Elementos para construção de um briefing O que é briefing? Briefing é a reunião das ideias captadas com o cliente, possibilitando assim que a equipe ou o designer consigam compreender e mensurar o projeto

Leia mais

Artes Visuais/1º Semestre/Noturno/2014 Desenho Artístico I 3183/08 #VA #VA Artes Visuais/1º Semestre/Noturno/2014 Desenho Artístico I 3050/08 #VA #VA

Artes Visuais/1º Semestre/Noturno/2014 Desenho Artístico I 3183/08 #VA #VA Artes Visuais/1º Semestre/Noturno/2014 Desenho Artístico I 3050/08 #VA #VA NMATRIC NOT FAL SALA DISCIPLINA ULA A2BI TA2 Artes Visuais/1º Semestre/Noturno/2014 Formas e Expressão em Artes Visuais 3238/08 Artes Visuais/1º Semestre/Noturno/2014 Formas e Expressão em Artes Visuais

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Habilitação Profissional

Leia mais

NOVOS DEVERES DE INFORMAÇÃO NO ÂMBITO DA PUBLICIDADE AO CRÉDITO

NOVOS DEVERES DE INFORMAÇÃO NO ÂMBITO DA PUBLICIDADE AO CRÉDITO TMT N.º 1/2009 MAR/ABRIL 2009 NOVOS DEVERES DE INFORMAÇÃO NO ÂMBITO DA PUBLICIDADE AO CRÉDITO A informação divulgada pelas Instituições de Crédito relativamente aos produtos que estas oferecem tem sido

Leia mais

Madeira. Bens e serviços. Açores. Taxa Taxa intermédia. Observações / Legislação reduzida

Madeira. Bens e serviços. Açores. Taxa Taxa intermédia. Observações / Legislação reduzida F i s c a l i d a d e TOC 86 - Maio 2007 Para determinar a taxa aplicável nas operações relacionadas com as Regiões Autónomas são chamados os critérios constantes do artigo 6. do Código do IVA, por força

Leia mais

PLANO TIC PLANO DE AÇÃO ANUAL PARA A UTILIZAÇÃO DAS TIC COMO APOIO AO ENSINO E À APRENDIZAGEM

PLANO TIC PLANO DE AÇÃO ANUAL PARA A UTILIZAÇÃO DAS TIC COMO APOIO AO ENSINO E À APRENDIZAGEM PLANO TIC PLANO DE AÇÃO ANUAL PARA A UTILIZAÇÃO DAS TIC COMO APOIO AO ENSINO E À APRENDIZAGEM Ano Letivo 2011/2012 Marinha Grande, Setembro de 2011 1. Índice: Índice 2 1. Introdução 3 2. Caracterização

Leia mais

Regulamento. 5. O Concurso 50/50, promovido pelo ACM, IP, lançado pela primeira vez em 2015, assume um carácter experimental.

Regulamento. 5. O Concurso 50/50, promovido pelo ACM, IP, lançado pela primeira vez em 2015, assume um carácter experimental. Regulamento PARTE I ENQUADRAMENTO GERAL Artigo 1º Âmbito 1. O Alto Comissariado para as Migrações, I.P. (doravante ACM, I.P.) propõe a dinamização de um concurso de ideias, denominado Concurso 50/50, destinado

Leia mais

Engenharia de Segurança 2/12

Engenharia de Segurança 2/12 Especialização em Engenharia de Segurança Um Contributo da Ordem dos Engenheiros para a Prevenção de Riscos A. Sérgio Miguel & Pedro Arezes Lisboa, Auditório da OE 27Abril2011 Engenharia de Segurança 2/12

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DO SOFTWARE DE FACTURAÇÃO

CERTIFICAÇÃO DO SOFTWARE DE FACTURAÇÃO CERTIFICAÇÃO DO SOFTWARE DE FACTURAÇÃO A SoftNova vai garantir a Certificação do Software de Facturação em conformidade com as regras da Direcção-Geral dos Impostos (DGCI). A partir de 1 de Janeiro de

Leia mais

O gerador terá que disponibilizar um factory que permita ao coordenador obter uma instância para o mesmo.

O gerador terá que disponibilizar um factory que permita ao coordenador obter uma instância para o mesmo. INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA Engenharia Informática e de Computadores Projecto e Seminário Proposta de Projecto Rapid Application Development Membros do Grupo 26657 Ricardo Neto 31923 Nuno

Leia mais

PROJETO PÁGINA WEB GRUPO DISCIPLINAR DE EF

PROJETO PÁGINA WEB GRUPO DISCIPLINAR DE EF UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA FACULDADE DE MOTRICIDADE HUMANA MESTRADO EM ENSINO DA EDUCAÇÃO FÍSICA NOS ENSINOS BÁSICO E SECUNDÁRIO ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE GAMA BARROS ESTÁGIO PEDAGÓGICO 20122013

Leia mais

Concurso de Ideias. Congresso Ibérico de Jovens Engenheiros

Concurso de Ideias. Congresso Ibérico de Jovens Engenheiros Congresso Ibérico de Jovens Engenheiros Braga, Maio 2012 REGULAMENTO O Prémio rege-se pelo presente regulamento, sendo o Júri soberano na sua interpretação, aplicação, e resolução de eventuais lacunas.

Leia mais

Ambiente Visual para o Desenvolvimento de Jogos Eletrônicos

Ambiente Visual para o Desenvolvimento de Jogos Eletrônicos Ambiente Visual para o Desenvolvimento de Jogos Eletrônicos Diego Cordeiro Barboza 1, Júlio César da Silva 2 1 UNIFESO, Centro de Ciências e Tecnologia, Curso de Ciência da Computação, diego.cbarboza@gmail.com

Leia mais

Módulo de CRM. Customer Relationship Management [VERSÃO 1.0] [APRESENTAÇÃO DE FUNCIONALIDADES]

Módulo de CRM. Customer Relationship Management [VERSÃO 1.0] [APRESENTAÇÃO DE FUNCIONALIDADES] Módulo de CRM Customer Relationship Management [VERSÃO 1.0] [APRESENTAÇÃO DE FUNCIONALIDADES] Um software com cada vez mais funcionalidades a pensar no seu negócio! A quem se destina As empresas que pretendem

Leia mais

Gestão de Estágios e Projectos de Investigação Manual de Utilizador - Aluno

Gestão de Estágios e Projectos de Investigação Manual de Utilizador - Aluno Gestão de Estágios e Projectos de Investigação Manual de Utilizador - Aluno GESTÃO DE ESTÁGIOS E PROJECTOS DE INVESTIGAÇÃO MANUAL DE UTILIZADOR - ALUNO Passaremos a demonstrar quais os passos a dar para

Leia mais

A Gestão operacional total da clínica ou consultório

A Gestão operacional total da clínica ou consultório Descritivo completo Clínica 2008 A Gestão operacional total da clínica ou consultório Benefícios Fácil de utilizar; Totalmente integrada com o restante Software PHC; Maior eficiência na Gestão de Marcações;

Leia mais

REGULAMENTO PEQUENOS DESIGNERS IKEA I - PARTICIPAÇÕES

REGULAMENTO PEQUENOS DESIGNERS IKEA I - PARTICIPAÇÕES REGULAMENTO PEQUENOS DESIGNERS IKEA I - PARTICIPAÇÕES 1. A IKEA PORTUGAL - MÓVEIS E DECORAÇÃO LDA. (adiante IKEA PORTUGAL ), sociedade com sede na EN 250, Rua 28 de Setembro, Frielas, 2660-001 Loures,

Leia mais

Programação para Internet I. 10. Motores de busca. Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt

Programação para Internet I. 10. Motores de busca. Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Programação para Internet I 10. Motores de busca Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt A Internet assume-se como a maior fonte de informação de todos os tempos No entanto, a informação encontra-se

Leia mais

Base de Dados para Administrações de Condomínios

Base de Dados para Administrações de Condomínios Base de Dados para Administrações de Condomínios José Pedro Gaiolas de Sousa Pinto: ei03069@fe.up.pt Marco António Sousa Nunes Fernandes Silva: ei03121@fe.up.pt Pedro Miguel Rosário Alves: alves.pedro@fe.up.pt

Leia mais

CURSOS DE FORMAÇÃO COM ANIMAÇÃO NO PLANO DE ESTUDOS

CURSOS DE FORMAÇÃO COM ANIMAÇÃO NO PLANO DE ESTUDOS CURSOS DE FORMAÇÃO COM ANIMAÇÃO NO PLANO DE ESTUDOS Portugal, 2010 Documento elaborado pelo grupo de trabalho designado como Formação com base em orientações determinadas no encontro nacional de profissionais

Leia mais

Metodologias de desenvolvimento de jogos

Metodologias de desenvolvimento de jogos Metodologias de desenvolvimento de jogos Truesoft? A Truesoft é um grupo independente de desenvolvedores de jogos digitais. Nossos objetivos: Criar experiências divertidas e criativas em jogos digitais.

Leia mais

CA Clarity PPM. Visão geral. Benefícios. agility made possible

CA Clarity PPM. Visão geral. Benefícios. agility made possible FOLHA DO PRODUTO CA Clarity PPM agility made possible O CA Clarity Project & Portfolio Management (CA Clarity PPM) o ajuda a inovar com agilidade, a transformar seu portfólio com confiança e a manter os

Leia mais

Game Design: A segurança da humanidade em suas mãos

Game Design: A segurança da humanidade em suas mãos Game Design: A segurança da humanidade em suas mãos Todos Direitos Reservados 2013 Bruno Ruaro Confortin Versão # 1.01 22/04/2013 Índice 1. INTRODUÇÃO 4 2. VISÃO GERAL DO JOGO 5 QUANTO AO TIPO DE OBJETOS

Leia mais

Departamento Comercial e Marketing. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010. Técnicas de Secretariado

Departamento Comercial e Marketing. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010. Técnicas de Secretariado Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010 Técnicas de Secretariado Departamento Comercial e Marketing Módulo 23- Departamento Comercial e Marketing Trabalho realizado por: Tânia Leão Departamento

Leia mais

METODOLOGIA DOS ESTUDOS PARA A

METODOLOGIA DOS ESTUDOS PARA A METODOLOGIA DOS ESTUDOS PARA A DETERMINAÇÃO DA CAPACIDADE NO ARMAZENAMENTO SUBTERRÂNEO DE GÁS NATURAL FEVEREIRO 2008 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113

Leia mais

Novo Aeroporto de Lisboa e privatização da ANA

Novo Aeroporto de Lisboa e privatização da ANA Novo Aeroporto de Lisboa e privatização da ANA O turismo de Portugal não precisa de uma cidade aeroportuária nem de um mega aeroporto; O desenvolvimento do turismo de Portugal, num quadro de coesão territorial

Leia mais

Projecto Netliga. Proposta de desenvolvimento de jogo interactivo multiutilizador. Ruido Visual Telecomunicações Interactivas 24/11/2000 MV

Projecto Netliga. Proposta de desenvolvimento de jogo interactivo multiutilizador. Ruido Visual Telecomunicações Interactivas 24/11/2000 MV Projecto Netliga Proposta de desenvolvimento de jogo interactivo multiutilizador Ruido Visual Telecomunicações Interactivas 24/11/2000 MV 0. INTRODUÇÃO... 3 1.OBJECTIVOS... 4 2.DESCRIÇÃO... 5 3.CONCORRÊNCIA...

Leia mais

Organização de Eventos

Organização de Eventos Organização de Eventos Página de Rosto Aluna: Tânia Marlene Silva Ano/ Turma: 12º ano do Curso Profissional Técnico de Secretariado Disciplina: Técnicas de Secretariado Modulo: 20 Organização de Eventos

Leia mais

Interactive Menu. Trabalho feito por: Jorge Manuel Rei Félix (c0807021) Eduardo Miguel Ferreira Alves (c0807047)

Interactive Menu. Trabalho feito por: Jorge Manuel Rei Félix (c0807021) Eduardo Miguel Ferreira Alves (c0807047) Interactive Menu Trabalho feito por: Jorge Manuel Rei Félix (c0807021) Eduardo Miguel Ferreira Alves (c0807047) Bruno Miguel Rodrigues Martins (c0707025) Índice Introdução... 3 Motivação... 3 Objectivos...

Leia mais

NO EURONEXT: RISCOS, OPORTUNIDADES E PRINCIPAIS PROBLEMAS DE REGULAÇÃO DOS MERCADOS E DO SISTEMA DE

NO EURONEXT: RISCOS, OPORTUNIDADES E PRINCIPAIS PROBLEMAS DE REGULAÇÃO DOS MERCADOS E DO SISTEMA DE A INTEGRAÇÃO DA BVLP NO EURONEXT: RISCOS, OPORTUNIDADES E PRINCIPAIS PROBLEMAS DE REGULAÇÃO DOS MERCADOS E DO SISTEMA DE LIQUIDAÇÃO E COMPENSAÇÃO Amadeu Ferreira - CMVM Ponto da situação Nesta altura o

Leia mais

Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação

Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação Neste curso serão abordadas as melhores práticas que permitem gerir estrategicamente a informação, tendo em vista a criação de valor para

Leia mais

TESTE DE TREINO PARA O TESTE DE RACIOCÍNIO GLOBAL

TESTE DE TREINO PARA O TESTE DE RACIOCÍNIO GLOBAL TESTE DE TREINO PARA O TESTE DE RACIOCÍNIO GLOBAL COPYRIGHT 2008 PROCTER & GAMBLE CINCINNATI, OH 45202 U.S.A. ATENÇÃO: Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste folheto pode ser reproduzida de

Leia mais

OMiD Academia de Áudio

OMiD Academia de Áudio OMiD Academia de Áudio OMiD Academia de Áudio apresenta os procedimentos de trabalho dos estúdios de gravação de Los Angeles, considerados os melhores do mundo. A diferença destes estúdios é a valorização

Leia mais

Enunciado de apresentação do projecto

Enunciado de apresentação do projecto Engenharia de Software Sistemas Distribuídos 2 o Semestre de 2009/2010 Enunciado de apresentação do projecto FEARSe Índice 1 Introdução... 2 2 Cenário de Enquadramento... 2 2.1 Requisitos funcionais...

Leia mais

Centro de Emprego e Formação Profissional de Faro Curso Profissional de Técnico/a de Multimédia (EFA - NS)

Centro de Emprego e Formação Profissional de Faro Curso Profissional de Técnico/a de Multimédia (EFA - NS) Nome do projecto Autobiografia A estrada da Vida Objectivos do projecto Os principais objectivos do projecto são a apresentação da autobiografia obrigatória no final do curso EFA NA de Técnico de Multimédia

Leia mais

Formação em game programming: 01 - Introdução à programação

Formação em game programming: 01 - Introdução à programação Formação em game programming: Para que um jogo eletrônico funcione adequadamente como foi projetado, é necessário que ele esteja corretamente programado. Todas as funções de controle de personagens e objetos

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE ÉTICA PARA AS CIÊNCIAS DA VIDA Presidência do Conselho de Ministros 56/CNECV/08

CONSELHO NACIONAL DE ÉTICA PARA AS CIÊNCIAS DA VIDA Presidência do Conselho de Ministros 56/CNECV/08 56/CNECV/08 PARECER N.º 56 DO CONSELHO NACIONAL DE ÉTICA PARA AS CIÊNCIAS DA VIDA PARECER SOBRE VENDA DIRECTA DE TESTES GENÉTICOS AO PÚBLICO (Julho de 2008) A reflexão do Conselho Nacional de Ética para

Leia mais

Modernização dos Sistemas de Informação do Grupo Prosegur

Modernização dos Sistemas de Informação do Grupo Prosegur Modernização dos Sistemas de Informação do Grupo Prosegur Rogério Machado Director Técnico José Monteiro Ferreira Director Informática e Telecomunicações AGENDA 1. A APR 2. APRESENTAÇÃO DO PROJECTO 3.

Leia mais

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS DE SERVIÇOS: AVANÇOS E APRENDIZADOS

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS DE SERVIÇOS: AVANÇOS E APRENDIZADOS Painel INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS DE SERVIÇOS: AVANÇOS E APRENDIZADOS Profa. Angela da Rocha (PUC Rio) Projeto de Cooperação Interesse e Apoio Financeiro Governo APEX Universidade PUC Rio Execução

Leia mais

Desvendando Jogos 2D. Por Marcos Romero Setembro / 2008. Cyborg Arena - RHGames

Desvendando Jogos 2D. Por Marcos Romero Setembro / 2008. Cyborg Arena - RHGames Desvendando Jogos 2D Por Marcos Romero Setembro / 2008 Cyborg Arena - RHGames Jogos Casuais Paciência Windows XP Paciência deve ser o jogo mais usado no PC. O mercado de jogos casuais tem um grande potencial,

Leia mais

História dos jogos no Brasil Situação atual Empresas no Brasil Falácias Equipe de desenvolvimento Profissionais procurados Modelos de negócio Mercado

História dos jogos no Brasil Situação atual Empresas no Brasil Falácias Equipe de desenvolvimento Profissionais procurados Modelos de negócio Mercado História dos jogos no Brasil Situação atual Empresas no Brasil Falácias Equipe de desenvolvimento Profissionais procurados Modelos de negócio Mercado mobile Conclusões Primeiro jogo comercial brasileiro

Leia mais

O P E R A C I O N A L I Z A Ç Ã O D A S U N I D A D E S D E S A Ú D E F A M I L I A R E S. Carlos Nunes. Missão para os Cuidados de Saúde Primários

O P E R A C I O N A L I Z A Ç Ã O D A S U N I D A D E S D E S A Ú D E F A M I L I A R E S. Carlos Nunes. Missão para os Cuidados de Saúde Primários O P E R A C I O N A L I Z A Ç Ã O D A S U N I D A D E S D E S A Ú D E F A M I L I A R E S Carlos Nunes Missão para os Cuidados de Saúde Primários VILAMOURA 23 Março 2007 C A N D I D A T U R A S A U S F

Leia mais

2 pontos para cada comprovação. Limite: 10 pontos. 5 pontos para cada 60 horas comprovadas. Limite: 20 pontos. 2 pontos para cada comprovação.

2 pontos para cada comprovação. Limite: 10 pontos. 5 pontos para cada 60 horas comprovadas. Limite: 20 pontos. 2 pontos para cada comprovação. ANEXO III - PONTUAÇÃO PARA AVALIAÇÃO DE CURRÍCULO LATTES PONTUAÇÃO PARA AVALIAÇÃO DE CURRÍCULO LATTES LINGUAGEM AUDIOVISUAL NA ESCOLA reconhecido ou validado pela CAPES, em campos relacionados às áreas

Leia mais

Teste Sensorial - Doce de Leite Prime -

Teste Sensorial - Doce de Leite Prime - Teste Sensorial - Doce de Leite Prime - Tipo Exportação Elaborado para: Preparado por: FLUXO DE ANÁLISE Página Introdução... Perfil da Amostra... Análise dos dados >> Freqüência de consumo... Análise dos

Leia mais

Software Registado e Certificado pela AT GESTÃO DE LAVANDARIAS. mercado exigente! Certificado. Retail Solutions

Software Registado e Certificado pela AT GESTÃO DE LAVANDARIAS. mercado exigente! Certificado. Retail Solutions Certificado Eficiência Eficiência para para vencer... vencer... Num Num mercado mercado exigente! exigente! Software Registado e Certificado pela AT LAVA i Índice Introdução Apresentação da Empresa Pág.

Leia mais

Migração da Versão 4.0 para a Versão 4.1 do MSS. Versão 1.0 de 08-03-2012. Português

Migração da Versão 4.0 para a Versão 4.1 do MSS. Versão 1.0 de 08-03-2012. Português Versão 1.0 de 08-03-2012 Português www.sysdevsolutions.com Migração da versão 4.0 para a versão 4.1 do MSS NOTA: Antes de executar qualquer operação, é aconselhado que faça a exportação de todos os documentos

Leia mais

DOCUMENTO DE CONSULTA PÚBLICA. Projecto de Norma Regulamentar - Financiamento de Planos de Benefícios de Saúde através de Fundos de Pensões

DOCUMENTO DE CONSULTA PÚBLICA. Projecto de Norma Regulamentar - Financiamento de Planos de Benefícios de Saúde através de Fundos de Pensões DOCUMENTO DE CONSULTA PÚBLICA N.º 4/2010 Projecto de Norma Regulamentar - Financiamento de Planos de Benefícios de Saúde através de Fundos de Pensões 26 de Maio de 2010 1. INTRODUÇÃO E ENQUADRAMENTO O

Leia mais

Aula 3 TECNOLOGIA EM JOGOS DIGITAIS PROGRAMACAO E INTEGRACAO DE JOGOS I. Marcelo Henrique dos Santos

Aula 3 TECNOLOGIA EM JOGOS DIGITAIS PROGRAMACAO E INTEGRACAO DE JOGOS I. Marcelo Henrique dos Santos Aula 3 Email: marcelosantos@outlook.com marcellohenrique@outlook.com Twitter: @marcellohsantos Apresentação Comparativa Apresentação Comparativa O QUE É UMA GAME ENGINE? Apresentação Comparativa O QUE

Leia mais

PHC Suporte. Rentabilize a sua assistência pós-venda e, em simultâneo, surpreenda os seus clientes com o seu profissionalismo

PHC Suporte. Rentabilize a sua assistência pós-venda e, em simultâneo, surpreenda os seus clientes com o seu profissionalismo PHCSuporte DESCRITIVO O PHC Suporte permite a qualquer empresa com assistência a clientes pós-venda, gerir todo o seu parque instalado, a actividade de suporte ao público e a performance e produtividade

Leia mais

Prova Escrita de Aplicações Informáticas B

Prova Escrita de Aplicações Informáticas B EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Prova Escrita de Aplicações Informáticas B 12.º Ano de Escolaridade Prova 703/2.ª Fase 11 Páginas Duração da Prova: 120 minutos.

Leia mais

Microsoft PowerPoint 2003

Microsoft PowerPoint 2003 Página 1 de 36 Índice Conteúdo Nº de página Introdução 3 Área de Trabalho 5 Criando uma nova apresentação 7 Guardar Apresentação 8 Inserir Diapositivos 10 Fechar Apresentação 12 Abrindo Documentos 13 Configurar

Leia mais

Os Investigadores da Universidade de Coimbra e as plataformas

Os Investigadores da Universidade de Coimbra e as plataformas Os Investigadores da Universidade de Coimbra e as plataformas & 1 Índice 2 Introdução...3 3 A Plataforma de Curricula DeGóis...3 3.1 É utilizada porque...3 3.2 Com a utilização do DeGóis ganho...4 3.1

Leia mais

GUÍA PARA UTILIZAR A WEBNODE EDU

GUÍA PARA UTILIZAR A WEBNODE EDU GUÍA PARA UTILIZAR A WEBNODE EDU Imagina que queres criar o teu próprio site. Normalmente, terías que descarregar e instalar software para começar a programar. Com a Webnode não é preciso instalar nada.

Leia mais

Curso de Formação para Dinamização de workshops

Curso de Formação para Dinamização de workshops Curso de Formação para Dinamização de workshops Ficha Informativa Curso de Formação para Cientistas 1. A Empresa A Science4you é uma empresa 100% Nacional que nasceu em Janeiro de 2008. É considerada uma

Leia mais

sistema Com esta pode-se criar um sistema ajustado às necessidades dos clientes bem como aos seus estilos de vida.

sistema Com esta pode-se criar um sistema ajustado às necessidades dos clientes bem como aos seus estilos de vida. sistema O nosso inovador sistema utiliza a mais avançada tecnologia de inteligência distribuída, utilizando para o efeito, comunicações baseadas em CAN desenhadas para sistemas críticos. É um sistema revolucionário

Leia mais

Ministério das Pescas

Ministério das Pescas Ministério das Pescas Decreto Executivo n.º 30/06 de 0 de Março Havendo necessidade de se regulamentar a estrutura e o funcionamento da Direcção Nacional de InfraEstruturas e Pesquisa de Mercados a que

Leia mais

PHC Documentos Electrónicos CS

PHC Documentos Electrónicos CS PHCDocumentos Electrónicos CS DESCRITIVO O módulo PHC Documentos Electrónicos permite substituir a típica correspondência em papel, agilizando os processos documentais e reduzindo os custos das empresas,

Leia mais

Estrutura e Funcionamento de um Computador

Estrutura e Funcionamento de um Computador Estrutura e Funcionamento de um Computador ESE Viseu 2009/2010 Docente: Maribel Miranda Pinto O hardware é a parte física do computador, a parte palpável do computador, ou seja, é o conjunto de componentes

Leia mais

As Vendas e Prestações de Serviços

As Vendas e Prestações de Serviços Disciplina: Técnicas de Secretariado Ano lectivo: 2009/2010 Prof: Adelina Silva As Vendas e Prestações de Serviços Trabalho Realizado por: Susana Carneiro 12ºS Nº18 Marketing Marketing é a parte do processo

Leia mais

Simulador para Reabilitação de Pessoas com Deficiência Visual

Simulador para Reabilitação de Pessoas com Deficiência Visual Simulador para Reabilitação de Pessoas com Deficiência Visual Fernando Sebenello Soares 1, Jason Scalco Piloti 1, Lael Nervis 1, Lucas Signor Schwochow 1, Márcio Bortolini dos Santos 1 1 Instituto Federal

Leia mais

KidZania Lisboa Portugal

KidZania Lisboa Portugal KidZania Lisboa Portugal Acrescentando valor à indústria de entretenimento com soluções de Self-Service Este projecto representava um desafio real para nós, por isso, era necessário encontrar não só uma

Leia mais

O Conceito de Cluster

O Conceito de Cluster O Conceito de Cluster Conjunto de empresas, relacionadas entre si, que desenvolvem competências específicas, formando um pólo produtivo especializado e com vantagens competitivas. Antecedentes As empresas

Leia mais

PHC Letras. Execute todos os movimentos com letras a receber ou a pagar e controle totalmente a situação por cliente ou fornecedor

PHC Letras. Execute todos os movimentos com letras a receber ou a pagar e controle totalmente a situação por cliente ou fornecedor PHCLetras DESCRITIVO Com o módulo Letras, pode ter de uma forma integrada com o módulo Gestão e com o módulo Contabilidade a gestão completa e simples de todas as tarefas relacionadas com Letras. PHC Letras

Leia mais

2. Projecto Multimédia

2. Projecto Multimédia Multimédia 2. Projecto Multimédia Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt O que torna um produto multimédia apelativo? A sintaxe de comunicação deve ser adequada Mensagem passada de forma eficaz

Leia mais

TÉCNICO DE ARTES GRÁFICAS

TÉCNICO DE ARTES GRÁFICAS Saída Profissional 03.01 TÉCNICO DE ARTES GRÁFICAS O Técnico de Artes Gráficas é um profissional qualificado, conhecedor do fluxo de produção gráfica, e apto para o exercício de profissões ligadas à composição,

Leia mais

Observatório da Criação de Empresas. Observatório da Criação de Empresas

Observatório da Criação de Empresas. Observatório da Criação de Empresas Observatório da Criação de Empresas O Observatório da Criação de Empresas é um projecto desenvolvido pelo IAPMEI, com a colaboração da Rede Portuguesa de Centros de Formalidades das Empresas (CFE), que

Leia mais

PONTNews Solução Comercial de e-marketing

PONTNews Solução Comercial de e-marketing PONTNews Solução Comercial de e-marketing Dossier de Produto DP010.03 02/01/2009 A Pontual A Pontual é uma empresa de capitais 100% nacionais, cuja principal actividade é implementação de Sistemas de Informação

Leia mais

WORKSHOP DE EXPRESSÃO AUDIOVISUAL

WORKSHOP DE EXPRESSÃO AUDIOVISUAL WORKSHOP DE EXPRESSÃO AUDIOVISUAL PROGRAMA Tronco Comum SESSÃO 1 Apresentação do Workshop e Introdução à Linguagem Audiovisual 3 horas Apresentação dos intervenientes (formador e formandos). Apresentação

Leia mais

Professor: Ronilson Morais Lobo. Salvador / 2015

Professor: Ronilson Morais Lobo. Salvador / 2015 Professor: Ronilson Morais Lobo Salvador / 2015 Introdução Motivação: Criar uma metodologia, Protótipar cenários reais, Proporcionar jogos divertidos, intuitivos e colaborativos. Tecnologia, Conceitos

Leia mais

Trabalhar com Jogos Digitais

Trabalhar com Jogos Digitais Trabalhar com Jogos Digitais Prof. João Paulo Domingos Silva Instituto de Ciências Exatas e Informática PUC Minas, 2014 Prazer em conhecer! Como foi no Québec? Como foi no Québec? Era realmente frio? Processo

Leia mais

Gestão Integral de Recuperação de Créditos Imobiliários - GIRCI

Gestão Integral de Recuperação de Créditos Imobiliários - GIRCI Gestão Integral de Recuperação de Créditos Imobiliários - GIRCI A atual conjuntura do mercado imobiliário é uma janela de oportunidade para criar novas soluções. Soluções que tragam eficiência e optimização.

Leia mais

COMITIVA COMPRADORES BRASIL (BR15) 26-10-2015 to 30-10-2015 - Portugal - Brasil. Informação geral. Tiago Caravana - Vinhos do Alentejo

COMITIVA COMPRADORES BRASIL (BR15) 26-10-2015 to 30-10-2015 - Portugal - Brasil. Informação geral. Tiago Caravana - Vinhos do Alentejo Tiago Caravana - Vinhos do Alentejo De: ViniPortugal Enviado: segunda-feira, 14 de Setembro de 2015 18:28 Para: tiagocaravana@vinhosdoalentejo.pt Assunto: ViniPortugal -

Leia mais

Game Design: Creepy Castle

Game Design: Creepy Castle Game Design: Creepy Castle Flee or Die Todos Direitos Reservados 2013 Allan Elias Ramos Versão #1.0 12/04/2013 Índice 1. INTRODUÇÃO 3 2. VISÃO GERAL DO JOGO 4 QUANTO AO TIPO DE OBJETOS MANIPULADOS 4 QUANTO

Leia mais

TÍTULO: BIS YOGO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: COMUNICAÇÃO SOCIAL INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA DE SANTA BÁRBARA

TÍTULO: BIS YOGO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: COMUNICAÇÃO SOCIAL INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA DE SANTA BÁRBARA TÍTULO: BIS YOGO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: COMUNICAÇÃO SOCIAL INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA DE SANTA BÁRBARA AUTOR(ES): PAMELA CRISTINA FARIA, RODOLFO OSÓRIO LEITE

Leia mais

Mercados informação sectorial

Mercados informação sectorial Mercados informação sectorial Xangai Mobiliário Breve Apontamento Junho 2010 Índice 1. Distribuição 3 1.1 Lojas de Mobiliário Importado de Gama Alta 3 1.2 Centros Comerciais com Mobiliário Importado 4

Leia mais

MEIOSTEC, S.A. RELATÓRIO E CONTAS 2008

MEIOSTEC, S.A. RELATÓRIO E CONTAS 2008 MEIOSTEC, S.A. RELATÓRIO E CONTAS 2008 MEIOSTEC, S.A. RELATÓRIO E CONTAS 2008 ÍNDICE 01 Relatório de Gestão... 1 02 Conjuntura Económica... 2 03 A Empresa... 3 04 Análise Financeira... 9 1 MEIOSTEC S.A.

Leia mais

Publicitar um Negócio ou Empresa na Internet de forma muito simples.

Publicitar um Negócio ou Empresa na Internet de forma muito simples. Publicitar um Negócio ou Empresa na Internet de forma muito simples. Você sabe que precisa de publicitar mais o seu negócio para este crescer e sabe que a Internet é melhor aposta para publicitar o seu

Leia mais

Conselho Regulador da Entidade Reguladora para a Comunicação Social. Deliberação 1/AUT-TV/2008

Conselho Regulador da Entidade Reguladora para a Comunicação Social. Deliberação 1/AUT-TV/2008 Conselho Regulador da Entidade Reguladora para a Comunicação Social Deliberação 1/AUT-TV/2008 Pedido de autorização para o exercício da actividade de televisão através de um serviço de programas televisivo

Leia mais