PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE MEDICINA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE MEDICINA"

Transcrição

1 PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE MEDICINA Universidade Federal do Piauí Março/1999 Diretor do Centro de Ciências da Saúde: Prof Antônio de Deus Filho Coordenadora do Curso de Medicina: Profª Ana Márcia Clementino Santos Correia Lima

2 Colegiado do Curso de Medicina 1-Presidente: Profª Ana Márcia Clementino Santos C. Lima 2- Titulares: Prof. Carlos Henrique Nery Costa Prof. Manoel Aderson Soares Profª.Oneide Angélica M. dos Santos Rocha Prof. Paulo Humberto Moreira Nunes Prof. Ricardo Lobo Furtado 3-Representante Discente: Napoleão Bonaparte de S. Júnior Colaboradores: Prof. Zenon Rocha Filho Aluna: Ana Célia Antônia Tito da Costa Orientadora: Profª Maria Santana de Carvalho Neri

3 INDICE INTRODUÇÃO... 4 JUSTIFICATIVA... 7 PRINCIPIOS CURRICULARES... 8 OBJETIVOS PERFIL DO PROFISSIONAL ESTRUTURA CURRICULAR Diretrizes Gerais do Currículo Desdobramento do Currículo Correspondências das áreas com as Disciplinas Grade Curricular Fluxograma Disciplinas X Pré-requisitos Etapas de Inserção na Comunidade Disciplinas Complementares Optativas EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS METODOLOGIA AVALIAÇÃO Da Aprendizagem Do Currículo 38 BIBLIOGRAFIA BÁSICA EQUIVALENCIA DO CURRÍCULO PLENO VIGENTE COM O PROPOSTO TRANSIÇÃO CURRICULAR... 58

4 INTRODUÇÃO A comunidade piauiense ressentia-se da necessidade de uma Faculdade de Medicina no Estado, devido a grande demanda de jovens que buscavam em outras unidades da Federação a sua formação médica. Este fator, somado à marcha célere do desenvolvimento que vinha se processando no Estado, fez com que médicos e autoridades governamentais da terra se movimentassem para a criação desta Escola. A Faculdade de Medicina do Piauí (FAMEPI) foi criada pelo decreto Estadual nº 694 de 11 de agosto de 1966,como estabelecimento isolado de ensino superior, sediada na cidade de Teresina e mantida pelo Estado do Piauí através da Fundação de Ensino Superior do Piauí (FESPI), nos termos da lei estadual nº de 10 de agosto de Em 19 de novembro de 1966 o Conselho Estadual de Educação, através do parecer nº 1/66, autorizou o seu funcionamento e em 04 de dezembro de 1967 teve nomeado, por mérito, o seu 1º diretor, Dr. Zenon Rocha, incansável batalhador que muito contribuiu para a concretização desse sonho. De 8 a 12 de janeiro de 1968, realizou-se o primeiro vestibular para Medicina, sob a supervisão de uma Comissão Examinadora composta pelos Drs.: Dirceu Mendes Arcoverde (presidente), Hugo Prado, Francisco das Chagas Pacheco, Ludgero Raulino da Silva Neto e da professora Maria Cecília da Costa Araújo, escolhidos durante a 1ª sessão extraordinária da Congregação da FAMEPI. homens e 6 mulheres. Dos 200 candidatos inscritos, foram aprovados 28, dentre eles 22 No dia 11 de março de 1968 realizou-se a aula inaugural do Curso de Medicina, solenemente ministrada pelo professor Dirceu Mendes Arcoverde, titular de Anatomia. Posteriormente, em 12 de novembro de 1968, foi criada a Universidade Federal do Piauí (UFPI), pela lei federal Nº 5.528/68, extinguindo-se, automaticamente, a FESPI.

5 Finda a fase de institucionalização, a Universidade realmente veio a estruturar-se com a instalação da Fundação Universidade Federal do Piauí (FUFPI) ocorrida em março de 1972, quando foi nomeado o seu primeiro Reitor, o professor Robert Wall de Carvalho, então Diretor da Faculdade de Direito, única Instituição Federal existente no Piauí e que em junho do mesmo ano foi substituído pelo professor Hélcio Ulhoa Saraiva. Tomando como modelo a Universidade de Brasília, de onde viera, o novo Reitor revolucionou a estrutura e a política universitária adotadas em relação à saúde. Criou um órgão consultivo e deliberativo, surgindo, assim, em 3 de Outubro de 1973, o Conselho Departamental do Centro de Ciências da Saúde, que veio a substituir a Congregação. A Universidade Federal do Piauí passou a ser constituída por unidades denominadas Centros, e não mais Faculdades, de modo que a FAMEPI e a Faculdade de Odontologia (FOPI), antes regidas pela FESPI, foram agregadas ao Centro de Ciências da Saúde(CCS) que, juntamente com o Centro de Ciências da Natureza, foi implantado pela resolução do Conselho Departamental nº 07/73, de 15 de fevereiro. Só mais tarde, foram criados os cursos de Enfermagem e Educação Física, através do ato da Reitoria nº 198/74. Ulteriormente, a 06 de dezembro de 1976 foi criado o curso de Nutrição, através da resolução do Conselho Universitário nº 003/76 que veio a integrar o Departamento de Medicina Comunitária, e em 05 de outubro de 1992 foi criado o curso de Farmácia, através da resolução 015/92. Em 26 de agosto de 1974, através do decreto nº , foi reconhecido oficialmente pelo Ministério de Educação e Cultura (MEC) o Curso de Medicina da FUFPI. A atual grade curricular do curso de Medicina foi elaborada de acordo com as normas definidas pela legislação federal, através do disposto no Parecer 506/69, de 11 de julho de 1969 e com a resolução nº 08/69 de 09 de agosto de 1969, que fixou o mínimo de conteúdo e a duração do curso. relevantes, tais como: Ao longo desses anos o currículo sofreu modificações

6 a) Regulamentação do Estágio Obrigatório, sob a forma de Internato do curso de Medicina, aprovada em 11/03/74, através do Parecer Federal nº 116/83; b) Extinção das disciplinas Estudos Problemas Brasileiros I e II, aprovada em 21/06/, pela resolução 039/ do CEPEX; c) Extinção do Ciclo Geral de Estudos (CGE), em 07/01/94, pela resolução nº 004/94 do CEPEX; d) Mudança da denominação e da carga horária da disciplina Saúde Coletiva III para Administração de Serviços de Saúde, com aumento da carga horária de 45 para 60 horas, conforme resolução nº 113/95 do CEPEX, de 21 de dezembro de 1995; e) Modificação no item 4 da resolução 033/96 do Internato, ampliando a duração do mesmo de 12 para 18 meses, aprovada em 02/12/98 pela resolução nº 09 / 98 do CEPEX; f) Extinção das disciplinas Prática Desportiva I e II da grade curricular aprovada em 21/12/98, pela resolução 125/98 do CEPEX. O documento, ora apresentado, traduz uma proposta de estruturação do currículo pleno e de reestruturação da grade curricular do curso de Medicina da UFPI, com a inclusão de algumas disciplinas, desmembramento e exclusão de outras, alterações de cargas horárias e de nomenclaturas, descentralizando os cenários de ensino, visando adequar o curso às demandas sociais contemporâneas e atender às sugestões oferecidas no relatório de recredenciamento do Curso Médico da UFPI, MEC / Secretaria de Educação Superior (SESU)1999, e às novas Diretrizes Curriculares para Curso Médico propostas pelo Conselho Nacional de Educação. 1-JUSTIFICATIVA: Desde a implantação do curso de Medicina na UFPI, já se graduaram 1120 médicos que, indiscutivelmente, têm contribuído para o progresso e o

7 desenvolvimento do nosso Estado, na medida em que têm conseguido proporcionar às populações carentes, acesso fácil e gratuito a uma medicina de qualidade, reduzindo dessa forma as mortalidades infantil e materna em nossa região e, sobretudo, proporcionando maior expectativa e melhor qualidade de vida ao povo piauiense, além de maiores oportunidades de empregos. As mudanças nos atuais currículos do curso médico constituem-se, hoje, numa preocupação nacional. Debates, iniciativas e inúmeros esforços foram empreendidos ao longo dos anos visando à melhoria do ensino médico, como se pôde verificar em Anais dos Congressos da Associação Brasileira de Educação Médica (ABEM), em publicações da Revista Brasileira de Educação Médica, e no projeto CINAEM (Comissão Interinstitucional Nacional de Avaliação do Ensino Médico). Por sua vez, o rápido avanço científico e tecnológico, trazendo a acentuação do processo de especialização / subespecialização da profissão, a progressiva substituição da prática liberal pelo assalariamento e a vinculação / submissão a convênios e seguradoras de saúde, a elevação dos custos de procedimentos e serviços, aliados a crise estrutural e financeira da saúde em escala mundial, no final desta década, levaram a ABEM a dar respostas a estas demandas e a participar desse processo de um novo modelo de atenção à saúde. Diante de tantas transformações no sistema de saúde, impõe-se um reexame no que diz respeito à missão da Escola Médica, adequando as grades curriculares já consideradas anacrônicas às reais necessidades frente às demandas sociais contemporâneas, impostas pelo mercado de trabalho. Neste contexto, o Colegiado do curso de Medicina da UFPI, biênio 1998/2000, em consonância com a portaria do MEC nº 1670-A, com a LDB 9394/96 e com as Diretrizes Curriculares para Curso Médico propostas pelo Conselho Nacional de Educação, vem atuando no sentido de implantar as mudanças necessárias, atendendo também aos interesses dos corpos docente e discente desta Universidade. 2-PRINCÍPIOS CURRICULARES:

8 O Currículo de um curso deve ser a expressão de um projeto pedagógico. É a vida que se desenvolve no curso, isto é, o conjunto de atividades, de experiências, de situações de ensino-aprendizagem, vivenciadas pelo aluno no seu tempo de formação. É o currículo que assegura a formação para uma competente atuação profissional na totalidade de suas dimensões: técnica, política e ética. A proposta de reformulação do curso de medicina a ser desenvolvida nesta Instituição, tem como base os princípios que expressam os fundamentos teóricos que norteiam a estrutura curricular, tais como; 2.1- Formação teórica no campo da medicina- Este princípio fundamenta-se na formação do médico, norteada nas ciências: morfológicas, fisiológicas, patológicas, clínicas, e humanísticas. Busca transmitir conceitos teóricos profundos e amplos, que permitam o reconhecimento e a intervenção dos principais problemas de saúde da população Relação orgânica entre teoria e prática- Todo conteúdo curricular do curso médico deve fundamentar-se na articulação teórico-prática, que representa a etapa essencial do processo de ensinoaprendizagem. Adotando-se este princípio, a prática estará presente em todas disciplinas do curso, permitindo o desenvolvimento de habilidades para lidar com conhecimento de maneira crítica e criativa. 2.3-Interdepartamentalização- Este princípio demonstra que a estrutura curricular do curso deve organizar-se de forma a promover o trabalho integrado entre os diversos departamentos acadêmicos, existentes no curso médico. 2.4-Interdisciplinaridade- Este princípio tem a finalidade de integrar e ao mesmo tempo de gerar um conhecimento próprio à luz da interpretação do conteúdo e domínio das ciências

9 auxiliares. Desta forma, a interdisciplinaridade deve ser garantida através de programas de outras áreas do conhecimento, quer nas disciplinas do curso, quer nos programas complementares Flexibilidade: Fundamenta-se este princípio na liberdade do corpo docente para promover mudanças necessárias nos conteúdos programáticos e na carga horária disciplinares, de modo a permitir melhor adequação do curso Predomínio da formação sobre a informação A prática médica ministrada deve ser centrada no enfoque à pessoa, de modo a levar à formação de profissional competente, capaz de responder a uma demanda não só específica de sua área de atuação, mas global da sociedade, enquanto cidadão. 2.7-Multiplicidade dos cenários de ensino: Este princípio tem a finalidade de permitir a formação do profissional no contexto da realidade sócio-econômica e cultural da comunidade e na atuação em equipe multi-profissional, possibilitando ao mesmo a prática médica nos diferentes níveis de complexidade de atenção à saúde. 3-Objetivo: O Curso de Medicina visa formar médicos generalistas com competência teóricoprática com habilidades suficientes para intervir na promoção e preservação da saúde e

10 na prevenção de doenças, tanto a nível individual quanto coletivo, tendo os seguintes objetivos: 1. Reconhecer a saúde como estado de bem-estar físico, psíquico e social e dependente de condições ambientais favoráveis; 2. Relacionar-se com os pacientes de modo a percebê-los como unidade física, mental e social, e conduzir-se estritamente dentro da lei e da ética profissional; 3. Aplicar, de forma correta e sistemática, os procedimentos rotineiros que conduzem ao diagnóstico e interpretar adequadamente os dados obtidos que tenham base em evidências científicas; 4. Indicar e executar corretamente as medidas terapêuticas das doenças de maior prevalência em nosso meio, bem como dos estados que colocam a vida em risco iminente; 5. Contribuir para a promoção da saúde, prevenção das doenças e reabilitação dos incapacitados, levando em conta as condições sócio-econômicas e culturais da comunidade; 6. Reconhecer a posição que ocupará no sistema de saúde do País e avaliar, com sentido crítico, o modo de atuação desse sistema na solução dos problemas de saúde da população brasileira; 7. Adquirir, continuadamente, informações relevantes à prática médica de modo a garantir a atualização profissional por meio da utilização de recursos de aprendizagem e de análise crítica de comunicações científicas; 8. Contribuir para o avanço do conhecimento, realizando observações originais, sistematizando sua experiência pessoal e relatando-as apropriadamente à comunidade médica. 4-Perfil do Profissional:

11 O curso de Medicina da UFPI tem como meta a formação profissional de médico generalista, que tenha uma visão ampla sobre as doenças e que seja apto a atuar na solução dos problemas de saúde da comunidade onde exercerá o seu mister. Serão cultivados no profissional médico a ser formado os seguintes atributos: 4.1-Atributos de Natureza Pessoal a) Senso de responsabilidade e humanidade; b) Consciência moral e cívica; c) Capacidade de discernimento diante de alternativas conflitantes; d) Capacidade para desenvolver um pensamento crítico; e) Agilidade de raciocínio e criatividade; 4.2-Atributos de Natureza Social a) Capacidade para trabalhar em iniciativa de interesse coletivo; b) Capacidade para analisar a realidade sócio-econômica cultural e de transformá-la; c) Espírito de equipe; d) Capacidade para desenvolver críticas construtivas. 4.3-Atributos de Natureza Profissional: a) Capacidade para solucionar ou bem encaminhar os problemas de saúde da população a que se vai servir; b) Capacidade para adquirir habilidades e técnicas indispensáveis ao exercício de atos médicos básicos; c) Capacidade para aplicar de forma correta e sistemática os procedimentos rotineiros que conduzem ao diagnóstico e para interpretar adequadamente os dados obtidos; d) Capacidade para viabilizar a prática da assistência médica integrada, pelo estímulo à integração de diversos profissionais da equipe de saúde; e) Capacidade para relacionar-se com os pacientes de modo a percebê-los como unidade física, mental e social e conduzir-se estritamente dentro da lei e da ética profissional; f) Capacidade para compreender a necessidade do aperfeiçoamento profissional continuado;

12 g) Capacidade para indicar e executar corretamente as medidas terapêuticas das doenças de maior prevalência em nosso meio, bem como, dos estados que colocam a vida em risco iminente; h) Capacidade para ter a consciência das suas limitações profissionais, responsabilidades e deveres éticos perante o paciente, à comunidade e à Instituição, a que se vai servir; i) Capacidade para desenvolver perguntas sobre eventos biológicos ou sociais vinculados à saúde individual ou coletiva; j) Capacidade para elaborar projetos e publicações científicas; k) Capacidade para comunicar-se adequadamente com o paciente e seus familiares, para lidar com as emoções e para demonstrar atitude empática com o paciente e familiares; l) Capacidade para otimizar o uso de recursos propedêuticos, valorizando o método clínico em todos os seus aspectos; m) Capacidade para lidar com a diversidade de comportamento, crenças e idéias, reconhecendo os direitos dos pacientes; n) Capacidade para lidar com a dinâmica do mercado de trabalho. As atividades do médico em relação ao tipo de ação a ser desenvolvida, ou seja, ao seu perfil ocupacional, situam-se na atenção à saúde, administração, educação, política e pesquisa. a) Atenção à Saúde: As funções estão diretamente relacionadas à promoção da saúde, prevenção das doenças, na participação dos programas de saúde pública e dos programas de saúde da família e da comunidade. Suas intervenções realizam-se em unidades de internações, ambulatórios, emergências, centro cirúrgicos, laboratórios, unidades diagnósticas e de planejamento. b) Administração: As funções desta área estão relacionadas à aplicação dos princípios da administração geral e específica, no planejamento, na organização, na direção, na

13 supervisão, no controle e na avaliação dos programas de saúde em Instituições no setor público ou privado. b)educação: Neste campo, as funções estão voltadas para dedicação ao magistério e para educação dos indivíduos e da coletividade sadia ou enferma. O profissional médico deverá ser o elo fundamental na transmissão de conhecimentos aos menos habilitados, aos mais jovens e inexperientes. c)pesquisa: Nesta atividade, as funções referem-se à participação direta dos profissionais médicos, no desenvolvimento da pesquisa em busca de aquisição de novos conhecimentos que contribuam para melhoria da qualidade de vida e ganho na expectativa de vida da população. d) Política: Na política, o médico, ao ocupar cargo de direção, utiliza-se de seus conhecimentos técnicos para desenvolver políticas de saúde que atendam aos interesses da comunidade, propiciando melhor qualidade da assistência à saúde.

14 5- ESTRUTURA CURRICULAR 5.1-CARGA HORÁRIA E DURAÇÃO DO CURSO: A proposta do Currículo Pleno do Curso de Medicina compreenderá as matérias do ciclo básico profissionalizante, internato e as complementares optativas, com uma carga horária mínima de 7145 horas, equivalentes a 476 créditos, assim distribuídos: Disciplinas de Formação Básica: Disciplinas do Ciclo Básico 1785 horas 119créditos Disciplinas de Formação Profissional: Disciplinas do Ciclo Profissionalizante 2.250horas 150créditos Internato Internato em Saúde Coletiva 960 horas 64 créditos Internato em Clínica Médica 960 horas 64 créditos Internato em Clínica Pediátrica 960 horas 64 créditos Internato em Clínica Cirúrgica 960 horas 64 créditos Internato em Toco-Ginecologia 960 horas 64 créditos Carga Horária Total =9105 horas(incluindo + 150horas de optativas). O curso terá uma duração mínima de 06 (seis) anos e máxima de 09(nove) anos, com as disciplinas distribuídas em 12 períodos letivos. O limite máximo de créditos que cada aluno deverá cursar por período letivo será de 36 créditos, com exceção ao internato. Os alunos só poderão cursar disciplinas referentes ao Internato após terem sido aprovados nas demais disciplinas do curso, inclusive nas optativas INTEGRALIZAÇÃO CURRICULAR Para efeito de integralização curricular o aluno deverá cursar obrigatoriamente 7145 horas, correspondentes às disciplinas de formação básica, profissional, e optativas e internato assim distribuídas: 14

15 Disciplinas do Ciclo Básico 1785 horas 119 créditos Disciplinas do Ciclo Profissionalizante 2250 horas 150 créditos Disciplinas Complementares Optativas 150horas 10 créditos Internato (Estágio Rotativo) 4800 horas 320 créditos Total créditos 5.3- CORRESPONDÊNCIA DAS ÁREAS COM AS DISCIPLINAS 1- CICLO BÁSICO a) Biologia e Ciências Morfológicas b) Ciências Fisiológicas DISCIPLINAS 1-Introdução à Biologia Molecular 2- Anatomia Médica I 3- Anatomia Médica III 4- Anatomia Médica II (Neuroanatomia) 5- Histologia e Embriologia 6- Genética Médica 1-Bioquímica Médica I 2-Bioquímica Médica II 3-Fisiologia para Medicina 4-Biofísica para Medicina 5-Farmacologia para Medicina c) Patologia 1-Parasitologia Médica 2-Microbiologia Médica 3-Patologia e Processos Gerais para Medicina 4-Imunologia Médica c)metodologia 1-Introdução à Metodologia Científica 2-Bioestastística CARGA HORÁRIA d)saúde Coletiva 1-Iniciação as Práticas em Saúde 2-Saúde Coletiva I 3-Saúde Coletiva II 4-Administração em Serviços de Saúde CICLO PROFISSIONALI ZANTE DISCIPLINAS CARGA HORÁRIA CRÉDI- TOS CRÉDI- TOS a)inic.ao Ex. Clínico 1- Iniciação ao Exame Clínico b) Bases da Técnica Cirúrgica e da Anestesia 1- Bases da Técnica Cirúrgica e da Anestesia 2- Clínica Cirúrgica I 3- Clínica Cirúrgica II

16 c) Patologia Clínica Dos Órgãos e Sistemas 1- Clínica Médica I (Gastroenterologia + Endocrinologia) 2- Clinica Médica II (Cardiologia + Pneumologia + Nefrologia) 3- Clínica Médica III (Reumatologia + Hematologia + Urgências) 4- Neurologia 5- Dermatologia 6- Oftalmologia 7- Otorrinolaringologia 8- Urologia 9- Ortopedia e Traumatolologia 10-Doenças Infecciosas e Parasitárias 1- Ginecologia 2- Obstetrícia d) Ginecologia e Obstetrícia e) Pediatria 1-Clínica Integrada Infantil f) Psiquiatria 1- Psiquiatria Psicologia Médica g)medicina Legal e Deontologia 1-Medicina Legal e Deontologia 2-Medicina do Trabalho 3-Bioética GRADE CURRICULAR DO CURRÍCULO PLENO DO CURSO DE MEDICINA (DISTRIBUIÇÃO POR PERÍODOS) PERÍ ODO DISCIPLINAS CRÉ DITO C.H PRÉ-REQUISITO 1 º 1- Anatomia Médica I 2- Int. Metodologia Científica Bioquímica Médica I 4- Bioestatística 5-Iniciação às Práticas em Saúde º 1- Anatomia Médica III 2- Bioquímica Médica II 3- Biofísica para Medicina 4- Anatomia II(Neuroanatomia) 5- Histologia e Embriologia 6-Introdução à Biologia Molecular 1- Fisiologia para Medicina 3 º 2-Microbiologia Médica 3-Imunologia Médica 4- Saúde Coletiva I 5- Saúde Coletiva II 6-OPTATIVA 4 º 1- Farmacologia para Medicina 2- Parasitologia Médica 3- Patologia e Processos Gerais p/medicina 4-Psicologia Médica 5- OPTATIVA Anatomia Medicai 2-Bioquímica Médica I 3-Bioq. Méd I + Anatomia MédicaI 4-Anatomia Médica I 5-Anatomia Médica I 6-Bioquímica Médica I e Met. Científica 1-Bioq MédicaII+Int.Biologia Molec l+.anat Médica II e III 2-Bioq. II +Anat.Médica IIe III+ Int. à Biol Molecular Histo+Embrio+ Biofísica 3-Bioq.Med. II, Anat Médica II e III+Int.àBiologiaMolec.+Histo+Emb rio + Biofísica 4-Bioestatistica + Inic Prat Saúde 5-Saúde Coletiva I 1-Microbio + Imunolo. + Fisiologia 2-Bioquimica Médica II- Introd. À Biologia molecular Anatomia Médica II e III - Micro+ Imunologia 3-Micro+ Imunologia + Fisiologia 4-Não tem 16

17 5 º 1- Iniciação ao Exame Clínico 2- Bases da Tec. Cirurg.e Anest. 3- Genética Médica 4- Administração em Serv de Saúde 5- OPTATIVA 1- Clínica Médica I 6 º 2- Oftalmologia 3- Psiquiatria 4- Dermatologia 5- OPTATIVA 7 º 1- Clínica Médica II 2- Clínica Cirúrgica I 3- Obstetrícia 4- Medicina Legal e Deontologia 5- Ginecologia 6-OPTATIVA 8 º 1- Clínica Médica III 2- Doenças Infecciosas e Parasit. 3- Ortopedia e Traumatologia 4- Medicina do Trabalho 5- Otorrinolaringologia Patol e Proc Gerais + Farmaco +Fisiologia +Psicologia Médica 2-Patologia e Proc Gerais+ Fármaco + Fisiologia+ Psicologia Médica 3-Histo + Embriologia+ Int.Biologia molecular 4-Saúde Coletiva II 1-Inic Exam. Clín. + Bases Tec.+Genética +Adm. em Serv. Saúde 2-Bases da Téc. Cirg. e Anest + Inic. Exam. Clínico 3-Iniciação ao Exam Clínico+ Bases da Tec. Cirúrgica 4-Inic. Exam Clin. + Bases da Tec. 1-Clínica Médica I 2-Bases da Tec. Cir. + Inic. Exam 3-Iniciação ao Exame Clínico + Bases da Tecn. Cirúrgica 4-Inic. Exam. Clin + Bases da Tec + Clinica Médica I 5-Inc. Exam Clin + Bases da Tec. 1-Clínica Médica II 2-Clínica Médica I 3-Inic. Exam Clin + Bases da Tec 4-Inic. Exame Clínico 5-Inic. Exam Clin + Bases da Tec.. 1- Clínica Integrada Infantil 9 º 2- Clínica Cirúrgica II 3- Urologia 4- Neurologia 5- Bioética 10º 11º 12º INTERNATO(Cl.Médica,Cl.Cirúrgica Tocoginecologia, Pediatria, Saúde Coletiva) Dermatologia+ Inic Exam Clinico+ Doenças InfectoContagiosas 2-Clínica Médica III e Clínica Cirúgica I 3-Inic. Exam Clin + Bases da Tec. 4-Inic. Exam.Clin + Bases da Tec. 5-Clínica Médica III 1-Todas Disciplinas + Optativas 5.5- FLUXOGRAMA 17

18 5.6- RELAÇÂO DAS DISCIPLINAS COM OS SEUS PRE- REQUISITOS: Disciplinas 1-Anatomia Médica I 2-Int. à Metodologia Científica 3-Bioquímica Médica I 4-Bioestatistica 5-Iniciação às Práticas em Saúde Não Tem Pré Requisitos 6-Anatomia Médica II Anatomia Médica I 7-Anatomia Médica III Anatomia Médica I 8-Bioquímica Médica II Bioquímica Médica I 9-Biofísica para Medicina Anatomia Médica I e Bioquímica.Médica I 10-Histologia e Embriologia Anatomia Médica I 11-Int.à Biologia Molecular Bioquímica Médica I + Int. à Met.Cientif. 12-Parasitologia Médica Anatomia II e III, Int.à Biologia Molecular Bioquimica. Médica II + Micro + Imunologia 13-Microbiologia Médica Anatomia Médica II e III, Int.à Biologia Molecular, Bioquímica Médica II, Histologia+ Embriologia 14-Imunologia Médica Anatomia Médica II e III, Int.à Biologia Molecular Bioquímica Médica II Histologia+ Embriologia 15-Saúde ColetivaI Bioestatística, Inc às Práticas em Saúde 16-Saúde ColetivaII Saúde Coletiva I 17-Farmacologia para Medicina Microbiologia, Imunologia, Fisiologia 18-Fisiologia para Medicina Bioquímica Médica II, Int. à Biol. Molecular, Anatomia Médica II e III 19-Patologia e Processos Gerais p/med Microbiologia, Imunologia, Fisiologia 20-Psicologia Médica Não Tem 21-Iniciação ao Exame Clínico Farmacologia, Fisiologia, Patologia e Processos Gerais, Psicologia Médica 22-Bases da Técnica Cirúrgica Farmacologia, Fisiologia, Patologia e Processos Gerais e Psicologia Médica 23-Genética Médica Farmacologia, Fisiologia Patologia e Processos Gerais,Psicologia Médica 24-Administração em Serviços de Saúde 25-Clínica Médica I 26-Oftalmologia Saúde Coletiva II Iniciação ao Exame. Clínico e Bases da Técnica Cirúrgica, Administração em Serviços de Saúde Iniciação ao Exame Clínico e Bases da Técnica Cirúrgica 18

19 27-Psiquiatria 28-Dermatologia 29-Clínica Médica II 30-Clínica Cirúrgica I Iniciação ao Exame Clínico e Bases da Técnica Cirúrgica Iniciação ao Exame Clínico e Bases da Técnica Cirúrgica Clínica Médica I Inic ao Ex. Clínico e Bases da Téc.cirúrgica 31-Obstetrícia Disciplinas 32-Medicina Legal e Deontologia 33-Ginecologia 34-Clínica Médica III 35-Doenças Infecciosas e Parasitárias 36-Ortopedia e Traumatologia 37-Medicina do Trabalho 38-Otorrinoloringologia 39-Clínica Integrada Infantil 40-Clínica Cirúrgica II 41-Urologia 42-Neurologia 43-Bioética 44-Internato(Clínica Médica, Clínica Cirúrgica,Toco Ginecologia, Pediatria, Saúde Coletiva) Pré-Requisitos Iniciação ao Exame Clínico e Bases da técnica Cirúrgica Iniciação ao Exame Clínico e Bases da Técnica Cirúrgica Iniciação ao Exame Clínico e Bases da Técnica Cirúrgica Clínica Médica II Clínica Médica I Iniciação ao Exame Clínico e Bases da Técnica Cirúrgica Iniciação ao Exame Clínico Iniciação ao Exame Clínico e Bases da Técnica Cirúrgica Dermatologia+ Inc ao exame clínico+ Doenças Infeciosas e Parasitárias Clínica Cirúrgica I e Clínica Médica III Iniciação ao Exame Clínico e Bases da Técnica Cirúrgica Iniciação ao Exame Clínico e Bases da Técnica Cirúrgica Clínica Médica III Todas as Disciplinas Obrigatórias + 150h de Optativas 19

20 5.7-ETAPAS DE INSERÇÃO DO ENSINO MÉDICO NA COMUNIDADE Período Disciplina Carga horária 1º Iniciação às Práticas 45 horas Médicas 3º Saúde Coletiva I Saúde Coletiva II 45 horas horas º Administração em Serviços de Saúde 60 horas º Internato 960 horas horas º Internato 960 horas horas º Internato 960 horas

21 5.8DISCIPLINAS COMPLEMENTARES OPTATIVAS: DISCIPLINAS C.HORÁRIA CRÉD PRE-REQUESITO 1- História da Medicina Não tem 2-Elementos de Antropologia Cultural Não tem 3- Tópicos em Sociologia da Saúde Não tem 4- Estágio em Radiologia Clínica Iniciação ao Exame Clínico 5- Estudo da Dor Neuroanatomia + Iniciação ao Exame Clínico 6- Nutrição Aplicada à Medicina Bioquímica Médica II 7- Oncologia Iniciação ao Ex. Clínico e Bases da Técnica Cirúrgica 8- Cirurgia de Cabeça e Pescoço Bases da Técnica Cirúrgica + Iniciação ao Exame Clínico 9- Traumatologia Bases da Técnica Cirúrgica 10-Inglês Instrumental Não Tem 21

22 11-Informática para Medicina Não Tem 6.0- EMENTAS DISCIPLINAS DO CICLO BÁSICO: INICIAÇÃO ÀS PRÁTICAS EM SAÚDE (Cred= CH=45) (Pré-Requisito= não tem) Medicina social aspectos teóricos e históricos. Sujeito e as Práticas de Saúde. PSF como prática de saúde numa comunidade. Elemento de Pesquisa em atenção básica (Instrumento). A relação médico paciente: humanização do atendimento. ANATOMIA MÈDICA I (Cred= C. H.= ) (Pré-Requisito= não tem) Estudo das estruturas anatômicas que compõem os sistemas esquelético, articular, muscular, tegumentar, circulatório, respiratório, digestório, urinário, sistema de reprodução, endócrino e sistema nervoso, em cadáveres previamente dissecados, correlacionando forma, estrutura e função, oferecendo ao aluno pré-requisitos necessários ao estudo da Anatomia topográfica e de outras disciplinas correlatas. BIOQUÍMICA MÉDICA I (Cred= CH=) Pré-Requisito= não tem) Características físico-químicas e funcionais das principais biomoléculas: carbohidratos, lipídios, aminoácidos, proteínas, ácidos nucléicos e vitaminas. Determinação qualitativa de biomoléculas. Metabolismo de carbohidratos, lipidios, compostos nitrogenados e ácidos nucléicos. Integração do metabolismo aos aspectos clínicos da bioquímica. INTRODUÇÃO À METODOLOGIA CIENTÍFICA (Cred CH=60) Pré-Requisito Não tem 22

Curso de Graduação em MEDICINA Plano Curricular Pleno 2014/1

Curso de Graduação em MEDICINA Plano Curricular Pleno 2014/1 Curso de Graduação em MEDICINA Plano Curricular Pleno 2014/1 MED-100 - Unidades de Ensino da área de conhecimento das bases moleculares e celulares dos processos normais e alterados, da estrutura e função

Leia mais

Aprovado no CONGRAD: 14.02.06 Vigência: ingressos a partir de 2006/2 CÓD. 1548 CURSO DE MEDICINA

Aprovado no CONGRAD: 14.02.06 Vigência: ingressos a partir de 2006/2 CÓD. 1548 CURSO DE MEDICINA Aprovado no CONGRAD: 14..06 Vigência: ingressos a partir de 2006/2 CÓD. 48 CURSO DE MEDICINA EIXOS TRANSVERSAIS E ÁREAS DO CONHECIMENTO DO CURRÍCULO PLENO ACADÊMI COS I FUNDAMENTOS CONCEITUAIS DO CURSO

Leia mais

CURSO DE MEDICINA - MATRIZ CURRICULAR 2013

CURSO DE MEDICINA - MATRIZ CURRICULAR 2013 CURSO DE MEDICINA - MATRIZ CURRICULAR 2013 Eixos longitudinais, conteúdos e objetivos cognitivos psicomotores Eixos transversais, objetivos Per. 1º Ano eixo integrador: O CORPO HUMANO CH INT. COMUM. HAB.

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR 2014/1. 60 h. 104 h. 146 h. 72 h 2º SEMESTRE. Carga horária

ESTRUTURA CURRICULAR 2014/1. 60 h. 104 h. 146 h. 72 h 2º SEMESTRE. Carga horária MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI FACULDADE DE MEDICINA DE DIAMANTINA - FAMED CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA ESTRUTURA CURRICULAR 2014/1 MED001 MED002 MED003

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO Biologia Geral, Citologia e Genética Estudo da célula, seus componentes e relação com as funções

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO EMENTAS DISCIPLINAS MATRIZ 3 1º AO 3º PERÍODO 1 º Período C.H. Teórica: 90 C.H. Prática: 90 C.H. Total: 180 Créditos: 10

Leia mais

A Câmara Superior de Ensino do Conselho Universitário da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições;

A Câmara Superior de Ensino do Conselho Universitário da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº /2010 Altera a estrutura curricular do Curso de Graduação em Medicina, do Centro

Leia mais

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*.

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*. EMENTÁRIO As disciplinas ministradas pela Universidade Federal de Viçosa são identificadas por um código composto por três letras maiúsculas, referentes a cada Departamento, seguidas de um número de três

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA 1. PERFIL DO FORMANDO EGRESSO/PROFISSIONAL Médico, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva. Capacitado a atuar, pautado

Leia mais

Requisitos mínimos para o programa de Residência em Pediatria

Requisitos mínimos para o programa de Residência em Pediatria Requisitos mínimos para o programa de Residência em Pediatria O programa de Residência em Pediatria prevê 60 horas de jornada de trabalho semanal, sendo 40 horas de atividades rotineiras e 20 horas de

Leia mais

CURRÍCULO MEDICINA. Código Disciplina/Pré-Requisito Caráter Créditos

CURRÍCULO MEDICINA. Código Disciplina/Pré-Requisito Caráter Créditos CURRÍCULO MEDICINA 2012/1 Período Letivo: Curso: MEDICINA Habilitação: MEDICINA Currículo: MEDICINA Créditos Obrigatórios: 578 Créditos Eletivos: 0 Créditos Complementares: 6 Total: 584 Obrigatória: 10477

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS PADRE ALBINO. Catálogo 2015 do Curso de Medicina

FACULDADES INTEGRADAS PADRE ALBINO. Catálogo 2015 do Curso de Medicina EMENTÁRIO 1ª Série CÉLULA I Biologia Celular, Bioquímica, Biofísica Biologia Celular: Estrutura e função da célula eucariótica. Interação Célula/Matriz Extracelular Bioquímica: Estrutura química das principais

Leia mais

1. Pediatria /Internato 03+ 01 TP-20

1. Pediatria /Internato 03+ 01 TP-20 MINISTERIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUI EDITAL Nº. 01/2010UFPI, de 03 de fevereiro de 2010. CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTE DO MAGISTÉRIO SUPERIOR ANEXO DEPARTAMENTO MATERNO INFANTIL 1. Pediatria

Leia mais

DISCIPLINAS E CARGA HORÁRIA

DISCIPLINAS E CARGA HORÁRIA Carga Horária: Especificação DISCIPLINAS E CARGA HORÁRIA Nº de Horas Carga Horária da Grade Curricular 3.060 204 Carga Horária de s 900 60 Carga Horária de Disciplinas Eletivas Obrigatórias 90 06 CARGA

Leia mais

Bacharelado em Medicina Veterinária

Bacharelado em Medicina Veterinária Bacharelado em Medicina Veterinária INFORMAÇÕES Duração do Curso: 05 anos (10 semestres) Horário: Manhã Número de Vagas: 100 anuais Coordenador: Profº Dr. Carlos Tadeu Bandeira de Lavor O CURSO O Curso

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS. B) TEMPO ÚTIL (Carga Horária) = 3.840 H/AULA CURRÍCULO PLENO 1.

MATRIZ CURRICULAR SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS. B) TEMPO ÚTIL (Carga Horária) = 3.840 H/AULA CURRÍCULO PLENO 1. MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Regime: Duração: NUTRIÇÃO BACHARELADO SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS - MÁIMO = 7 (SETE)

Leia mais

EDITAL nº 103/2009 - ANEXO I CONCURSO PÚBLICO PARA O MAGISTÉRIO SUPERIOR DA UEA. Escola Superior de Ciências da Saúde

EDITAL nº 103/2009 - ANEXO I CONCURSO PÚBLICO PARA O MAGISTÉRIO SUPERIOR DA UEA. Escola Superior de Ciências da Saúde EDITAL nº 103/2009 - ANEXO I CONCURSO PÚBLICO PARA O MAGISTÉRIO SUPERIOR DA UEA Escola Superior de Ciências da Saúde Período de Inscrição: 18 de janeiro de 2010 a 19 de fevereiro de 2010. Local de Inscrição:

Leia mais

TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia

TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia Disciplina A Disciplina B Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Currículo 64823 MICROBIOLOGIA GERAL 17/34 ODONTOLOGIA MICROBIOLOGIA

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 012/2007 CONSUNIV

RESOLUÇÃO Nº 012/2007 CONSUNIV RESOLUÇÃO Nº 012/2007 CONSUNIV Fixa o currículo do Curso de Graduação em Medicina, na modalidade Bacharelado, da Universidade do Estado do Amazonas. A REITORA DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS e PRESIDENTE

Leia mais

Estrutura Curricular do Curso de Medicina

Estrutura Curricular do Curso de Medicina Quadro I. Disciplinas obrigatórias por carga horária (horas), créditos e pré-requisitos, aprovado na 63ª reunião do CEPE, de 25 de novembro de 2014. 2015/1º 4ª a 12ª fases 1ª FASE Anatomia Médica I 1 33h20

Leia mais

Estrutura Curricular do Curso de Medicina

Estrutura Curricular do Curso de Medicina Quadro I. Disciplinas obrigatórias por carga horária (horas), créditos e pré-requisitos, aprovado na 63ª reunião do CEPE, de 25 de novembro de 2014. 2015/2º 1ª FASE Anatomia Médica I 1 33h20 50h00 83h20

Leia mais

RESOLUÇÃO. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no 2º semestre letivo de 2001 para os alunos matriculados no 4º semestre.

RESOLUÇÃO. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no 2º semestre letivo de 2001 para os alunos matriculados no 4º semestre. RESOLUÇÃO CONSEPE 38/2001 ALTERA O CURRÍCULO DO CURSO DE ENFERMAGEM, REGIME SERIADO SEMESTRAL, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ENFERMAGEM Atividades Complementares Compreende atividades extracurriculares desenvolvidas conforme opção do aluno, correlacionadas com os objetivos gerais

Leia mais

CURSO: ENFERMAGEM. Objetivos Específicos 1- Estudar a evolução histórica do cuidado e a inserção da Enfermagem quanto às

CURSO: ENFERMAGEM. Objetivos Específicos 1- Estudar a evolução histórica do cuidado e a inserção da Enfermagem quanto às CURSO: ENFERMAGEM Missão Formar para atuar em Enfermeiros qualificados todos os níveis de complexidade da assistência ao ser humano em sua integralidade, no contexto do Sistema Único de Saúde e do sistema

Leia mais

MEDICINA. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1

MEDICINA. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 MEDICINA Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: MEDICINA Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo Calvo Galindo Base legal da Mantenedora

Leia mais

Agente Comunitário em Saúde

Agente Comunitário em Saúde Agente Comunitário em Saúde Introdução a Informática Ações de Promoção do ambiente saudável A sociedade em que vivemos Construção de Redes Comunitárias e Promoção à Saúde Introdução à Profissão de Agente

Leia mais

FLUXOGRAMA DO CURSO DE ENFERMAGEM DAS FACULDADES INTA

FLUXOGRAMA DO CURSO DE ENFERMAGEM DAS FACULDADES INTA FLUXOGRAMA DO CURSO DE ENFERMAGEM DAS FACULDADES INTA 1º SEMESTRE 1. Anatomia Humana 90 60 30 06 2. Biologia (Citologia/Genética) 60 45 15 04 3. Educação em Saúde 30 20 10 02 4. Introdução a Enfermagem

Leia mais

Biblioteca NMS/FCM ORIENTAÇÃO DE ESTANTES

Biblioteca NMS/FCM ORIENTAÇÃO DE ESTANTES Biblioteca NMS/FCM ORIENTAÇÃO DE ESTANTES ASSUNTO Classificação Estante Prateleira ABORTO espontâneo WQ 225 29 5 terapêutico WQ 440 30 5 ACIDENTES WA 250-292 15 3 ALERGOLOGIA veja em ANÁLISES CLÍNICAS

Leia mais

ENFERMAGEM DO TRABALHO - TURMA VII

ENFERMAGEM DO TRABALHO - TURMA VII Rua Rio Branco, 216, Centro, CEP 650-490, São Luís /MA - Fone: (98) 3878.21 Credenciado pela Portaria Ministerial nº 1764/06, D.O.U. 211 de 03.11.06, Seção 01, Folha14 ENFERMAGEM DO TRABALHO - TURMA VII

Leia mais

Currículos dos Cursos UFV ENFERMAGEM. COORDENADOR Pedro Paulo do Prado Júnior pedro.prado@ufv.br

Currículos dos Cursos UFV ENFERMAGEM. COORDENADOR Pedro Paulo do Prado Júnior pedro.prado@ufv.br 114 ENFERMAGEM COORDENADOR Pedro Paulo do Prado Júnior pedro.prado@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2013 115 Currículo do Curso de Bacharelado ATUAÇÃO O Curso de Graduação em da UFV apresenta como perfil

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ENFERMAGEM (Currículo iniciado em 2010)

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ENFERMAGEM (Currículo iniciado em 2010) EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ENFERMAGEM (Currículo iniciado em 2010) ANATOMIA HUMANA CH 102 (2372) Estudo morfológico dos órgãos e sistemas que constituem o organismo humano, com ênfase para os

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 179/2012

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 179/2012 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 179/2012 Altera o Currículo do Curso de Medicina, para regime seriado semestral. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA, na conformidade do Processo nº MED- 035/2012, aprovou e eu promulgo

Leia mais

IMPORTANTE: Consulte o edital 01/2015 e suas retificações em www.concursos.ufba.br e observe todas as demais exigências e prazos estabelecidos.

IMPORTANTE: Consulte o edital 01/2015 e suas retificações em www.concursos.ufba.br e observe todas as demais exigências e prazos estabelecidos. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA GABINETE DA REITORIA EDITAL DE INCLUSÃO Nº 10 O REITOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA (UFBA), no uso de suas atribuições estatutárias, tendo em vista

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 02/2011 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO Aprova a estrutura curricular do Curso de Nutrição, na modalidade bacharelado,

Leia mais

MEDICINA VETERINÁRIA

MEDICINA VETERINÁRIA MEDICINA VETERINÁRIA 1. TURNO: Integral GRAU ACADÊMICO: Médico Veterinário PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos Máximo = 8 anos 2. PRINCÍPIOS NORTEADORES DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO Para a boa formação

Leia mais

III Princípios Gerais da Formação Médica

III Princípios Gerais da Formação Médica I Motivação Aprovação da Lei 12.871 de 22/10/2013; Necessidade de ter diretrizes curriculares em sintonia com o programa Mais Médicos; A oportunidade de atualizar e aprimorar as diretrizes de 2001; Acompanhar

Leia mais

Processo Pedagógico de Formação do aluno do curso medico do UNI-BH

Processo Pedagógico de Formação do aluno do curso medico do UNI-BH Processo Pedagógico de Formação do aluno do curso medico do UNI-BH A proposta pedagógica para formação do medico dentro do curso do UNI-BH baseia-se na estruturação em três módulos de conteúdo bem definido

Leia mais

1º SEMESTRE 30 30-02 2º SEMESTRE CARGA HORÁRIA TOTAL TEORIA PRÁTICA

1º SEMESTRE 30 30-02 2º SEMESTRE CARGA HORÁRIA TOTAL TEORIA PRÁTICA 1º SEMESTRE Introdução a 90 60 30 06 Anatomia Humana 90 60 30 06 Biologia Celular e Molecular Embriologia e Histologia Humana Antropologia da Saúde Educação em Saúde Relações Étnico-Raciais Metodologia

Leia mais

FINALIDADES E OBJETIVOS DO CURSO

FINALIDADES E OBJETIVOS DO CURSO 1.Identificação e situação legal - Identificação do curso, ato de criação, início do curso e ato de reconhecimento. CURSO: SITUAÇÃO LEGAL: Medicina Veterinária Dados de Criação/Autorização: Documento:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. Relatório Perfil Curricular

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. Relatório Perfil Curricular PERÍODO: 1º EF540- PROCESSO DE TRABALHO EM ENFERMAGEM OBRIG 90 30 120 7.0 Fórmula: (EF201 E EF230) OU (EF230 E EF232) EF201 - INTRODUCAO A ENFERMAGEM 1 EF230- EXERCICIO DA ENFERMAGEM 1A EF230 - EXERCICIO

Leia mais

ASPECTOS SÓCIO POLÍTICO DA SAÚDE Noções básicas de políticas sociais, com ênfase nas do setor saúde.

ASPECTOS SÓCIO POLÍTICO DA SAÚDE Noções básicas de políticas sociais, com ênfase nas do setor saúde. 1º PERÍODO ANATOMIA HUMANA Unidade I - Anatomia sistemática-generalidades - Nomenclatura anatômica. Sistema ósseo. Articular. Muscular. Sistema nervoso. Sistema circulatório. Sistema digestivo. Sistema

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES 1, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2003. (*)

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES 1, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2003. (*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES 1, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2003. (*) Institui Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Graduação em Medicina Veterinária.

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS 2004

RELATÓRIO DE GESTÃO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS 2004 RELATÓRIO DE GESTÃO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS 2004 1. Apreciação Global A existência de um Contrato de Desenvolvimento para a Medicina, celebrado entre a UNL e o Governo, em Dezembro de 2001, permitiu

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS Ementas das Disciplinas CURSO DE GRADUAÇÃO DE FISIOTERAPIA ATIVIDADES COMPLEMENTARES As atividades complementares correspondem a 204 horas realizadas nos diferentes espaços proporcionados

Leia mais

CURSO DE BACHARELADO EM NUTRIÇÃO-FORMAÇÃO NUTRICIONISTA

CURSO DE BACHARELADO EM NUTRIÇÃO-FORMAÇÃO NUTRICIONISTA CURSO DE BACHARELADO EM NUTRIÇÃO-FORMAÇÃO NUTRICIONISTA Coordenaçăo: Profª. MS. Mara Rosana dos Santos E-mail: nutricao@immes.com.br Telefone (96)3223-4244 ramal: 211 Ser Nutricionista É atuar em todas

Leia mais

Missão. - Estimular a capacidade de análise dos problemas que se apresentam no campo da Saúde Pública e Privada;

Missão. - Estimular a capacidade de análise dos problemas que se apresentam no campo da Saúde Pública e Privada; CURSO: Farmácia Missão O curso tem como missão formar profissionais farmacêuticos capazes de exercer atividades referentes aos fármacos e aos medicamentos, às análises clínicas e toxicológicas, ao controle,

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS 2003

RELATÓRIO DE GESTÃO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS 2003 RELATÓRIO DE GESTÃO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS 2003 A justificação da proposta de orçamento da Faculdade de Ciências Médicas para 2003 começava com uma nota introdutória na qual se reforçava de novo,

Leia mais

Avaliar, sistematizar e decidir as condutas mais adequadas, baseadas em evidências científicas;

Avaliar, sistematizar e decidir as condutas mais adequadas, baseadas em evidências científicas; CURSO: FISIOTERAPIA Missão O curso de Fisioterapia da Universidade Estácio de Sá, através de uma estrutura embasada em princípios contemporâneos, tem por missão a formação de um fisioterapeuta generalista,

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO BIOMÉDICO FACULDADE DE ENFERMAGEM PRÓ-SAUDE

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO BIOMÉDICO FACULDADE DE ENFERMAGEM PRÓ-SAUDE 1º período Saúde, Trabalho e Meio- Ambiente I 150 10 UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO BIOMÉDICO FACULDADE DE ENFERMAGEM PRÓ-SAUDE Identificação da relação entre os modos de viver e o processo

Leia mais

Programa de Formação do Internato Complementar de Medicina Interna aprovado pelo Colégio

Programa de Formação do Internato Complementar de Medicina Interna aprovado pelo Colégio Programa de Formação do Internato Complementar de Medicina Interna aprovado pelo Colégio 1 Duração do internato 60 meses. 2 Definição e âmbito: 2.1 A Medicina Interna ocupa-se da prevenção, diagnóstico

Leia mais

CURSO: MEDICINA 1º PERÍODO Nº DE AULAS SEMANAIS AULAS. Anatomia Sistêmica e Aplicada I 04 06 200 166. Histologia 03 03 120 100

CURSO: MEDICINA 1º PERÍODO Nº DE AULAS SEMANAIS AULAS. Anatomia Sistêmica e Aplicada I 04 06 200 166. Histologia 03 03 120 100 CURSO: MEDICINA 1º PERÍODO Anatomia Sistêmica e Aplicada I 04 06 200 166 Histologia 03 03 120 100 Biologia Celular 03-60 50 Bioquímica Celular 04-80 66 Embriologia Aplicada 01 02 60 50 Iniciação á Prática

Leia mais

QUADRO DE EQUIVALÊNCIA, SUBSTITUTAS E CONTIDAS FACULDADE DE ENFERMAGEM CCV 1º PERÍODO CURRÍCULO 2009

QUADRO DE EQUIVALÊNCIA, SUBSTITUTAS E CONTIDAS FACULDADE DE ENFERMAGEM CCV 1º PERÍODO CURRÍCULO 2009 QUADRO D QUIVALÊNIA, SUBSTITUTAS ONTIDAS FAULDAD D NFRMAGM V 1º PRÍODO URRÍULO 2009 DISIPLINA A DISIPLINA B ódigo Disciplina /H urso Disciplina H ódigo urso 01264 Anatomia 51T 17P nfermagem Anatomia 51T

Leia mais

A Câmara Superior de Ensino da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições,

A Câmara Superior de Ensino da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições, SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 02/2012 Aprova a estrutura curricular contida no Projeto

Leia mais

Dados a serem fornecidos para inclusão de novas bibliotecas

Dados a serem fornecidos para inclusão de novas bibliotecas Dados a serem fornecidos para inclusão de novas bibliotecas Para exemplos, consulte Serviços>Guia> em: http://www.apcisrj.org Nome da instituição/sigla Nome da biblioteca Endereço completo, com CEP Telefone,

Leia mais

FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA

FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA 1 FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA O PROFISSIONAL FARMACÊUTICO O Farmacêutico é um profissional da

Leia mais

CURSO DE BACHARELADO EM FISIOTERAPIA-FORMAÇÃO FISIOTERAPEUTA

CURSO DE BACHARELADO EM FISIOTERAPIA-FORMAÇÃO FISIOTERAPEUTA CURSO DE BACHARELADO EM FISIOTERAPIA-FORMAÇÃO FISIOTERAPEUTA Coordenaçăo: Profª. Esp. Lidiane Alves Dias E-mail: fisioterapia@immes.com.br Telefone (96)3223-4244 ramal: 219 Conceito É uma ciência da Saúde

Leia mais

CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA DA UFSC. Atualizado para 2015.2

CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA DA UFSC. Atualizado para 2015.2 CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA DA UFSC Atualizado para 2015.2 1ª Fase I: MED 7001 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA MEDICINA I Anatomia 48 (+12 Integr.) Fisiologia 68 (+12 Integr.) Bioquímica 62 Histologia

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES 1 1. PERFIL DO FORMANDO EGRESSO/PROFISSIONAL 1.1. Perfil Comum: Farmacêutico, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva.

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR 2015.2 MEDICINA

MATRIZ CURRICULAR 2015.2 MEDICINA Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Coordenadoria de Ensino de Graduação Centro de Ciências da Saúde MATRIZ CURRICULAR 2015.2 MEDICINA PRIMEIRO PERÍODO MORFOLOGIA BIOLOGIA CELULAR, TECIDUAL E DO DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Estrutura Curricular do Curso de Medicina Habilitação: Bacharel em Medicina Carga Horária: 8220 horas Regime: Semestral Turno de Aplicação: Integral

Estrutura Curricular do Curso de Medicina Habilitação: Bacharel em Medicina Carga Horária: 8220 horas Regime: Semestral Turno de Aplicação: Integral FAHESA - Faculdade de Ciências Humanas, Econômicas e da Saúde de Araguaína. ITPAC - INSTITUTO TOCANTINENSE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS LTDA. Av. Filadélfia, 568 Setor Oeste Araguaína TO CEP 77.816-540 Fone:

Leia mais

LISTAGEM DAS UNIDADES DE ENSINO OFERTADAS PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM 2015/1 * EM REGIME DE DEPENDÊNCIA/ADAPTAÇÃO

LISTAGEM DAS UNIDADES DE ENSINO OFERTADAS PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM 2015/1 * EM REGIME DE DEPENDÊNCIA/ADAPTAÇÃO Administração da Enfermagem na Atenção Primária a Saúde Enfermagem Administração de Produção Administração Administração de Produção II Administração Administração de Sistemas de Informação Administração/

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS PADRE ALBINO. Catálogo 2015 do Curso de Medicina

FACULDADES INTEGRADAS PADRE ALBINO. Catálogo 2015 do Curso de Medicina III MATRIZ CURRICULAR Matriz Curricular I (MC I), em atendimento às Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de Graduação em Medicina, aprovadas no Parecer CNE/CES nº 1133/2001, de 7/8/2001. Aprovada

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - Bacharelado (Currículo iniciado 2012)

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - Bacharelado (Currículo iniciado 2012) EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - Bacharelado (Currículo iniciado 2012) ANÁLISE BIOMECÂNICA DO MOVIMENTO (1504) C/H 68 Análise anátomo-funcional do movimento humano com ênfase no

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CCBS ESCOLA DE MEDICINA E CIRURGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CCBS ESCOLA DE MEDICINA E CIRURGIA Ciências Fisiológicas Ciências Morfológicas Patologia Saúde Coletiva SCF0013 Biofísica 1 60 60 120 4 2 6 SCF0014 Bioquímica 1 60 60 120 4 2 6 SCF0015 Fisiologia I 2 60 60 120 4 2 6 SCF0013, SCF0014, SCM0022,

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISICIPLINAS DO CURSO DE FISIOTERAPIA (Currículo iniciado em 2010)

EMENTÁRIO DAS DISICIPLINAS DO CURSO DE FISIOTERAPIA (Currículo iniciado em 2010) EMENTÁRIO DAS DISICIPLINAS DO CURSO DE FISIOTERAPIA (Currículo iniciado em 2010) ADMINISTRAÇÃO EM FISIOTERAPIA C/H 68 (2435) Introdução, princípios, bases legais e elementos da administração. Atuação da

Leia mais

MONITORIA - 2012 PONTOS PARA A PROVA

MONITORIA - 2012 PONTOS PARA A PROVA MONITORIA - 2012 PONTOS PARA A PROVA OTORRINOLARINGOLOGIA Otites Exames Audiológicos Labirintopatias Rinossinusites Doenças da Faringe Hipertrofia Tonsilar Larinites ÉTICA E RELAÇÕES PSICOSSOCIAIS I, II

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR Curso Medicina Semestres Área Temática Módulo Sem CH CH Semestre Introdução ao Estudo da Epidemiologia Geral 4 40

MATRIZ CURRICULAR Curso Medicina Semestres Área Temática Módulo Sem CH CH Semestre Introdução ao Estudo da Epidemiologia Geral 4 40 MATRIZ CURRICULAR Curso Medicina Semestres Área Temática Módulo Sem CH CH Semestre Introdução ao Estudo da Epidemiologia Geral 4 40 Medicina I Anatomia Sistêmica Aplicada 8 80 Semiologia Médica 6 60 Ética

Leia mais

Competências e Habilidades Específicas:

Competências e Habilidades Específicas: DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM 1. PERFIL DO FORMANDO EGRESSO/PROFISSIONAL Enfermeiro, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva. Profissional qualificado

Leia mais

Anatomia Humana I N/H 72 4. Biofísica N/H 72 4. Biologia Celular e Molecular N/H 72 2. Fundamentos de Fisioterapia N/H 36 2

Anatomia Humana I N/H 72 4. Biofísica N/H 72 4. Biologia Celular e Molecular N/H 72 2. Fundamentos de Fisioterapia N/H 36 2 Faculdades Integradas do Extremo Sul da Bahia Portaria MEC n º 1.77, de 13 de junho de 00 CURSO DE FISIOTERAPIA Estrutura Curricular 1º PERÍODO Anatomia Humana I N/H 7 Biofísica N/H 7 Biologia Celular

Leia mais

Anexo 1 Planos de Estudos do curso de Pedagogia Universidade do Sul de Santa Catarina

Anexo 1 Planos de Estudos do curso de Pedagogia Universidade do Sul de Santa Catarina ANEXOS Anexo 1 Planos de Estudos do curso de Pedagogia Universidade do Sul de Santa Catarina Plano de 20 Habilitação: Magistério das Séries Iniciais do Ensino Fundamental Se m 1º 2º nº Disciplinas nºcred

Leia mais

C.H DISCIPLINAS T P CRÉDITO

C.H DISCIPLINAS T P CRÉDITO Resolução UNICASTELO GR/ nº. 070 / 09 O Reitor e Presidente do Conselho de Ensino Pesquisa e Extensão CONSEPE e do Conselho Universitário CONSUN, Gilberto Luiz Moraes Selber, no uso das atribuições legais,

Leia mais

SELEÇÃO INTERNA DE PROFESSORES. Curso de Medicina EDITAL DE SELEÇÃO

SELEÇÃO INTERNA DE PROFESSORES. Curso de Medicina EDITAL DE SELEÇÃO SELEÇÃO INTERNA DE PROFESSORES Curso de Medicina EDITAL DE SELEÇÃO A coordenadora do curso de Medicina, Profa. Alessandra Duarte Clarizia, nos termos das regras fixadas pela Pró-Reitoria de Graduação do

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE NUTRIÇÃO GRADE (2009).

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE NUTRIÇÃO GRADE (2009). EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE NUTRIÇÃO GRADE (2009). ABASTECIMENTO E CUSTOS EM NUTRIÇÃO 1593 C/H 68 Conceito, processo e classificação de custos. Custos de mão-de-obra. Custos diversos. Política,

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DELIBERAÇÃO Nº 018/06 REFORMULA A ESTRUTURA DEPARTAMENTAL DA FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS. O CONSELHO SUPERIOR ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO, no uso da competência que lhe atribui o artigo 11, parágrafo

Leia mais

Currículos dos Cursos do CCB UFV NUTRIÇÃO. COORDENADOR DO CURSO DE NUTRIÇÃO Gilberto Paixão Rosado gilberto@ufv.br

Currículos dos Cursos do CCB UFV NUTRIÇÃO. COORDENADOR DO CURSO DE NUTRIÇÃO Gilberto Paixão Rosado gilberto@ufv.br 88 NUTRIÇÃO COORDENADOR DO CURSO DE NUTRIÇÃO Gilberto Paixão Rosado gilberto@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2002 89 Bacharelado ATUAÇÃO O Nutricionista é um profissional de saúde, legal e tecnicamente

Leia mais

FACULDADES UNIDAS DO NORTE DE MINAS FUNORTE

FACULDADES UNIDAS DO NORTE DE MINAS FUNORTE 1º PERÍODO MODULOS TEÓRICA PRATICA TOTAL TOTAL Módulo 0:Introdução ao Curso Médico 80 h 08 h - 88 h Módulo I: Atenção à Família e a Comunidade Módulo II: Concepção e Embriogênese Módulo III: Nutrição e

Leia mais

Matriz Curricular. Carga Horária. Unidades Acadêmicas. Período

Matriz Curricular. Carga Horária. Unidades Acadêmicas. Período Matriz Curricular Período 1º Unidades Acadêmicas UAI: Introdução ao Estudo da Odontologia Conhecer a estrutura do indivíduo nas suas bases biomoleculares e celulares quanto às propriedades e interrelações

Leia mais

FACIDER FACULDADE DE COLIDER. FACIDER atualizado 2014/1 FARMACIA, BACHARELADO ESTUDOS FORMATIVOS Página 1

FACIDER FACULDADE DE COLIDER. FACIDER atualizado 2014/1 FARMACIA, BACHARELADO ESTUDOS FORMATIVOS Página 1 Portaria Credenciamento IES: Portaria 1658 D.O.U. 25/07/01. Portaria Autorização Administração : Portaria 1658 D.O.U. 25/07/01 Portaria Reconhecimento Administração : Portaria 3.519 D.O.U.14/10/05. Portaria

Leia mais

ANEXO I EDITAL DE ABERTURA Nº 076/2015-UFAM

ANEXO I EDITAL DE ABERTURA Nº 076/2015-UFAM Unidade Acadêmica QUADRO II VAGAS PARA O INSTITUTO DE SAÚDE E BIOTECNOLOGIA Área de Vagas Requisito Mínimo Carga Classe/ Nº de Conhecimento para Horária Padrão Vagas negros Comunidade ÁREA I Comunidade

Leia mais

PROVA PARA SELEÇÃO AO SERVIÇO MILITAR TEMPORÁRIO NA ÁREA DA2ª REGIÃO MILITAR - ESTÁGIO DE SERVIÇO TÉCNICO (EST/2016)

PROVA PARA SELEÇÃO AO SERVIÇO MILITAR TEMPORÁRIO NA ÁREA DA2ª REGIÃO MILITAR - ESTÁGIO DE SERVIÇO TÉCNICO (EST/2016) PROVA PARA SELEÇÃO AO SERVIÇO MILITAR TEMPORÁRIO NA ÁREA DA2ª REGIÃO MILITAR - ESTÁGIO DE SERVIÇO TÉCNICO (EST/2016) ÁREA: ENFERMAGEM RELAÇÃO DE ASSUNTOS 1 - ADMINISTRAÇÃO EM SAÚDE E ADMINISTRAÇÃO APLICADA

Leia mais

FLUXOGRAMA DO CURSO DE BACHARELADO EM MEDICINA VETERINÁRIA 2011.2

FLUXOGRAMA DO CURSO DE BACHARELADO EM MEDICINA VETERINÁRIA 2011.2 FLUXOGRAMA DO CURSO DE BACHARELADO EM MEDICINA VETERINÁRIA 2011.2 1 SEMESTRE DISCIPLINA TEORICA PRÁTICA C/H CR 1. Ecologia e Manejo Ambiental 60-60 04 2. Informática Básica 30-30 02 3. Sociologia Rural

Leia mais

Currículos dos Cursos do CCB UFV ENFERMAGEM. COORDENADORA Rita de Cássia Lanes Ribeiro rribeiro@ufv.br

Currículos dos Cursos do CCB UFV ENFERMAGEM. COORDENADORA Rita de Cássia Lanes Ribeiro rribeiro@ufv.br 146 Currículos dos Cursos do CCB UFV ENFERMAGEM COORDENADORA Rita de Cássia Lanes Ribeiro rribeiro@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2011 147 Bacharelado ATUAÇÃO O Curso de Graduação em da UFV apresenta

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 08/2011 Aprova a estrutura curricular do Curso de Enfermagem, modalidade bacharelado,

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PESQUISADOR CIENTÍFICO LABORATÓRIOS DE INVESTIGAÇÃO MÉDICA HCFMUSP

CONCURSO PÚBLICO PESQUISADOR CIENTÍFICO LABORATÓRIOS DE INVESTIGAÇÃO MÉDICA HCFMUSP CONCURSO PÚBLICO PESQUISADOR CIENTÍFICO LABORATÓRIOS DE INVESTIGAÇÃO MÉDICA HCFMUSP Período de inscrições 04/08 a 05/09/08, das 8 às 16 horas Local de inscrições Serviço de Seleção do Hospital das Clínicas

Leia mais

ANEXO I ÁREA DE FORMAÇÃO E TITULAÇÃO MÍNIMA

ANEXO I ÁREA DE FORMAÇÃO E TITULAÇÃO MÍNIMA 1 CURSO DE MEDICINA CÓD. DISCIPLINAS 001 Inglês 1 I 12 Curso formação completo em língua Inglesa ou título proficiência em língua inglesa. 002 Interação à Saú Comunitária I 2 I 12 ou Saú Coletiva ou Graduação

Leia mais

JUSTIFICATIVA DA INCLUSÃO DA DISCIPLINA NA CONSTITUIÇÃO DO CURRÍCULO

JUSTIFICATIVA DA INCLUSÃO DA DISCIPLINA NA CONSTITUIÇÃO DO CURRÍCULO FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA LORENA - SP Curso: Enfermagem Disciplina: Enfermagem Saúde da Criança e do Adolescente Ano letivo 2011 Série 3º Ano Carga Horária Total h/a T 90 h/a P 54 h/a En. Cl.

Leia mais

PRÉ-REQUISITOS (ESPECIFICAR CONTEÚDOS E, SE POSSÍVEL, DISCIPLINAS)

PRÉ-REQUISITOS (ESPECIFICAR CONTEÚDOS E, SE POSSÍVEL, DISCIPLINAS) 7.5. Disciplina Clínica Médica 4: Atenção Primária (Atual Medicina Geral de Adultos II (CLM006)) CÓDIGO DA DISCIPLINA ATUAL: CLM006 NOME ATUAL: Medicina Geral de Adultos II NOVO NOME: Clínica Médica 4:

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR BACHARELADO EM NUTRIÇÃO

MATRIZ CURRICULAR BACHARELADO EM NUTRIÇÃO MATRIZ CURRICULAR BACHARELADO EM PRIMEIRO PERÍODO / 1 O ANO CIÊNCIAS SOCIAIS, HUMANAS E CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE Sociologia, Antropologia e Filosofia 2-40 Iniciação à Pesquisa em Nutrição 2-40 Leitura

Leia mais

SOCIEDADE BRASILEIRA DE NEFROLOGIA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM NEFROLOGIA

SOCIEDADE BRASILEIRA DE NEFROLOGIA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM NEFROLOGIA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM NEFROLOGIA OBJETIVOS DO PROGRAMA Objetivo Geral Capacitar o profissional médico durante os dois anos de treinamento de conteúdo programático teórico e prático essenciais,

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO EMENTAS DISCIPLINAS 4º E 5º PERÍODOS MATRIZ 2 4 º Período BIOLOGIA MOLECULAR - 2835 Introdução a Biologia Molecular. Estrutura

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA 30-30 02

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA 30-30 02 MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA 1º SEMESTRE 1. Anatomia Humana 30 30 60 04-2. Bioestatística Geral 30-30 02-3. Bioética 30-30 02-4. Biofísica 60-60 04-5. Citologia, Histologia e Embriologia

Leia mais

FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE ENFERMAGEM

FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE ENFERMAGEM FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE ENFERMAGEM UBERABA MG 2010 INSTITUTO EDUCACIONAL GUILHERME DORÇA PRESIDENTE: LUIZ HUMBERTO DORÇA FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS DIRETOR ACADÊMICO

Leia mais

PLANO DE CURSO 2. EMENTA:

PLANO DE CURSO 2. EMENTA: PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Enfermagem Disciplina: ENFERMAGEM OBSTÉTRICA E NEONATAL Professor: Renata Fernandes do Nascimento Código: Carga Horária: 80 H Créditos: 05 Preceptoria: 20H

Leia mais

Relação das Disciplinas/Curso que serão atribuídas em 2010. Importante!

Relação das Disciplinas/Curso que serão atribuídas em 2010. Importante! Relação das Disciplinas/Curso que serão atribuídas em 2010. Importante! A Direção do IMES Catanduva e a Comissão Organizadora do Processo Seletivo 007/2009 alerta os candidatos inscritos que as disciplinas

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ODONTOLOGIA Atividades Complementares Atividades extracurriculares desenvolvidades pelo aluno durante os 10 semestres do curso, nas áreas de ensino, pesquisa

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEIS SUPERIOR, MÉDIO E TÉCNICO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE PALMARES

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEIS SUPERIOR, MÉDIO E TÉCNICO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE PALMARES CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEIS SUPERIOR, MÉDIO E TÉCNICO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE PALMARES AVISO DE RETIFICAÇÃO DE EDITAL Nº 01 A Comissão de Concurso torna publica

Leia mais

PROGRAMA DE RESIDÊNCIA INTEGRADA MULTIPROFISSIONAL EM ATENÇÃO HOSPITALAR - PRIMAH

PROGRAMA DE RESIDÊNCIA INTEGRADA MULTIPROFISSIONAL EM ATENÇÃO HOSPITALAR - PRIMAH PROGRAMA DE RESIDÊNCIA INTEGRADA MULTIPROFISSIONAL EM ATENÇÃO HOSPITALAR - PRIMAH DIRETRIZES PEDAGÓGICAS DO PROGRAMA ESTÃO BASEADAS NAS AÇÕES QUE COMPORTAM ATIVIDADES Multiprofissionalidade e interdisciplinaridade:

Leia mais

Cursos de Curta Duração Integrados à Graduação

Cursos de Curta Duração Integrados à Graduação Cursos de Curta Duração Integrados à Graduação Área de Saúde Cursos de Curta Duração Integrados à Graduação Amplie suas oportunidades no mercado Para ser valorizado no mercado de trabalho, é fundamental

Leia mais

MEDICINA. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 6 anos

MEDICINA. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 6 anos MEDICINA 1. TURNO: Integral GRAU ACADÊMICO: Médico PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 6 anos Máximo = 9 anos 2. OBJETIVO/PERFIL DO PROFISSIONAL A SER FORMADO O objetivo do curso de Medicina da UEM é formar

Leia mais

VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP

VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ GABINETE DA REITORIA EDITAL Nº 12/2012 CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR EFETIVO ANEXO I VAGAS POR ÁREA DE CONHECIMENTO VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP 1) Área de Conhecimento:

Leia mais