ESTUDO DA ADERÊNCIA DE PLACAS DE ROCHAS ORNAMENTAIS COM ARGAMASSA COLANTE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTUDO DA ADERÊNCIA DE PLACAS DE ROCHAS ORNAMENTAIS COM ARGAMASSA COLANTE"

Transcrição

1 ESTUDO DA ADERÊNCIA DE PLACAS DE ROCHAS ORNAMENTAIS ESTUDO DA ADERÊNCIA DE PLACAS DE ROCHAS ORNAMENTAIS COM ARGAMASSA COLANTE Lizandra Nogami Mestre do Programa de Pós-graduação em Geotecnia EESC/USP, Av. Trabalhador São-carlense, 4, CEP , São Carlos, SP, Antenor Braga Paraguassú Professor Titular, Departamento de Geotecnia EESC/USP, Av. Trabalhador São-carlense, 4, CEP , São Carlos, SP, José Eduardo Rodrigues Professor Titular do Departamento de Geotecnia EESC/USP, Av. Trabalhador São-carlense, 4, CEP , São Carlos, SP, Resumo Nos revestimentos de paredes, a fixação de placas de rochas pode ser feita com inserts metálicos ou por aderência com argamassas. Nos assentamentos com argamassas, os valores de aderência, por norma, devem ser superiores a MPa e a altura máxima do revestimento não pode ultrapassar m. No presente trabalho foram feitos ensaios com ladrilhos de três tipos de granitos visando comparar a aderência de argamassa específica para granitos existentes no mercado com uma argamassa colante para porcelanatos, de mesmo custo de produção, desenvolvida por pesquisadores do Departamento de Arquitetura da Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo. O ensaio de aderência por tração, normatizado para cerâmica, foi realizado tanto na face rugosa como na face polida dos ladrilhos. Os resultados mostraram a excelente qualidade da argamassa colante desenvolvida em laboratório e que sua aderência está relacionada à rugosidade e à mineralogia dos granitos. Palavras-chave: cimento, argamassa colante, rochas ornamentais. Introdução Nas construções, as rochas ornamentais e de revestimento destacam-se pela durabilidade, resistência mecânica, efeitos estéticos e funcionais, representando importante setor da economia de diversos países. O Brasil, destacado por sua espetacular geodiversidade, com mais de. tipos de rochas ornamentais, tornouse um dos grandes produtores e exportadores mundiais. Os sistemas de revestimentos de edificações ainda baseiam-se no empirismo, pois inexistem especificações metodológicas tanto para a rocha quanto para os materiais utilizados na fixação. Por essa razão, o presente trabalho trata da fixação das placas de rocha utilizando argamassas colantes, processo que ultimamente tem apresentado grande crescimento. O objetivo principal é o de comparar a aderência de argamassa existente no mercado, específica para granitos, com uma argamassa ainda não comercial desenvolvida para fixação de porcelanato, levando em conta a influência da rugosidade das placas e as características petrográficas da rocha. Materiais Rochas ornamentais Do ponto de vista comercial, as rochas ornamentais são subdivididas basicamente em mármores e granitos, numa designação mais ampla do que os termos petrológicos tradicionais (Brandão et al., 99). Os mármores englobam todas as rochas carbonatadas, enquanto os granitos abrangem, genericamente, as rochas silicatadas (granitos, sienitos, charnoquitos, gabros, basaltos, arenitos, dioritos, etc.). Alguns outros tipos litológicos, incluídos no campo das rochas ornamentais, são os quartzitos, serpentinitos e ardósias, também muito importantes setorialmente.

2 46 NOGAMI, PARAGUASSÚ & RODRIGUES Os granitos são bem aceitos no mercado mundial, principalmente os brasileiros, por conta da grande variedade cromática e textural. O fator estético, muitas vezes decisivo na escolha, é resultado da harmonia entre cores, tamanhos, formas e arranjos entre os minerais. No presente trabalho foram escolhidos três tipos de granitos, comercialmente conhecidos como Preto Indiano (Figura ), Vermelho Brasília (Figura ) e Verde Labrador (Figura ), por sua alta aceitação nos mercados interno e externo. cm Figura Preto Indiano (migmatito). Figura Vermelho Brasília (sienogranito).

3 ESTUDO DA ADERÊNCIA DE PLACAS DE ROCHAS ORNAMENTAIS Figura Verde Labrador (charnoquito). Argamassas No mercado há argamassas colantes específicas para granitos, mármores e ardósias. Neste trabalho foi utilizada a argamassa específica para granitos, aqui chamada de argamassa industrializada, que foi comparada com uma argamassa desenvolvida no Departamento de Arquitetura da USP, São Carlos (Almeida, 5), para porcelanato, chamada de argamassa A4. A escolha se deve ao fato de o porcelanato e o granito possuírem uma característica em comum, a baixíssima porosidade (< %), que restringe a aderência mecânica (penetração da argamassa nos poros ancoragem). Por essa razão, a aderência se processa apenas por ligações químicas ou forças intermoleculares (físicas). Essa argamassa tem a seguinte composição: 5% de sílica, % de látex, relação at/c =,4 (em que at = água total, incluindo a água proveniente do látex polimérico; c = cimento), proporção cimento:areia de :,5 em massa e % de superplastificante em relação à massa do cimento. O mecanismo de aderência entre a argamassa e o porcelanato é promovido por forças intermoleculares (ligação de Van der Waals) entre o filme polimérico e os compostos hidratados. Métodos Determinação da rugosidade dos corpos-de-prova O desdobramento de blocos (serragem) realizado em teares é tradicional e amplamente difundido. É a operação mais complexa da indústria da pedra, e as chapas obtidas apresentam maior ou menor rugosidade em função das características da rocha, dos insumos utilizados e das condições operacionais. A rugosidade das superfícies das chapas determina o volume de material a ser removido nas etapas de polimento, sendo também importante sua determinação no assentamento das placas com argamassa dada a sua influência na aderência. Para relacionar a rugosidade das placas dos granitos estudados com os valores de aderência, foi necessário medi-la utilizando-se um perfilômetro portátil (Figura 4) projetado e construído por Ribeiro (5). Por questões práticas, executaram-se medidas da rugosidade das superfícies não polidas dos corpos-deprova antes de eles serem extraídos dos ladrilhos por meio de coroas diamantadas. A Figura 5 mostra os perfis (linhas) onde estão delimitados os corpos-deprova de diâmetro de cm. Com o perfil de rugosidade dos corpos-de-prova, foi determinado o parâmetro de rugosidade (Rt), que corresponde à maior altura entre pico-vale ao longo do comprimento avaliado (Figura 6). Determinação da resistência de aderência à tração Para avaliação da resistência de aderência das argamassas adotou-se a NBR 484 (998), que especifica um método de ensaio de laboratório para determinação da resistência de aderência para argamassas colantes para cerâmica. No desenvolvimento da pesquisa as etapas a seguir foram adotadas.

4 48 NOGAMI, PARAGUASSÚ & RODRIGUES Figura 4 Avaliador de rugosidade de chapas ARC (Ribeiro, 5). Figura 5 Medição da rugosidade dos ladrilhos de granito nos quais estão desenhados círculos donde posteriormente serão extraídos os corpos-de-prova. R t Figura 6 Definição de R t (Sandvik, 994, apud Spínola, 998). L

5 ESTUDO DA ADERÊNCIA DE PLACAS DE ROCHAS ORNAMENTAIS Os corpos-de-prova (bolachas) de, cm de diâmetro foram ensaiados tanto com a superfície rugosa quanto com a superfície polida em contato com a argamassa. O brilho da superfície polida/retificada foi previamente removido em retífica de rebolo diamantado (Figura 7). Os corpos-de-prova assentados com as argamassas descritas foram mantidos em condições normais de cura especificadas na norma (temperatura de C e umidade relativa do ar de 65%) por 8 dias. O equipamento utilizado para o arrancamento é do tipo manual, mostrado na Figura 8, em que é o manômetro e é um cilindro metálico, conectado ao equipamento e colado com araldite no corpo-de-prova. Resultados Os resultados dos ensaios de resistência de aderência à tração na face rugosa e na face polida/ retificada, assim como os valores de rugosidade (R t ) dos corpos-de-prova, são apresentados e discutidos a seguir. Resistência de aderência à tração na face rugosa Os Gráficos, e mostram os valores de resistência de aderência à tração dos corpos-de-prova fixados com a argamassa industrializada e a argamassa A4. Para todas as rochas ensaiadas, a aderência da argamassa A4 é aproximadamente o dobro da argamassa industrializada. Figura 7 Detalhamento da retificação dos corpos-de-prova no torno mecânico com retífica. Figura 8 Equipamento utilizado no ensaio de resistência de aderência à tração.

6 5 NOGAMI, PARAGUASSÚ & RODRIGUES,5,5 Argamassa industrializada Argamassa A4 Gráfico Resistência de aderência à tração do sienogranito Vermelho Brasília.,5,5 Argamassa industrializada Argamassa A4 Gráfico Resistência de aderência do charnoquito Verde Labrador.,5,5 Argamassa industrializada Argamassa A4 Gráfico Resistência de aderência à tração do migmatito Preto Indiano.

7 ESTUDO DA ADERÊNCIA DE PLACAS DE ROCHAS ORNAMENTAIS... 5 O sienogranito Vermelho Brasília apresentou maior valor de aderência, seguido do charnoquito Verde Labrador e do migmatito Preto Indiano, respectivamente. Nos Gráficos 4 e 5 são mostradas as relações entre a aderência e a rugosidade. Verificou-se influência da rugosidade, uma vez que a resistência de aderência variou de forma diretamente proporcional com os valores de R t (mm), evidenciando, neste caso, que a aderência ocorreu por interação física (ligação de Van der Waals). Resistência de aderência à tração na face polida/ retificada Os ensaios de aderência à tração na superfície polida/retificada das rochas foram realizados para observar a influência da mineralogia/textura dos tipos de rochas estudados. Os valores de resistência de aderência são apresentados nos Gráficos 6 e 7. Observa-se que o charnoquito Verde Labrador apresentou maior aderência, seguido pelo migmatito Preto Indiano e o sienogranito Vermelho Brasília, o que sugere uma influência da mineralogia, uma vez que o Verde Labrador possui a menor porcentagem de quartzo (4%) das rochas ensaiadas. A resistência de aderência à tração da argamassa A4 é aproximadamente o triplo da obtida com a argamassa industrializada para qualquer dos granitos ensaiados com a face polida/retificada. Conclusões A argamassa industrializada apresentou valores de resistência de aderência à tração dentro da norma ( MPa). A argamassa A4 (desenvolvida em laboratório para porcelanatos) apresentou valores de aderência de, aproximadamente, o dobro da obtida para a argamassa industrializada nos ensaios com as superfícies rugosas das rochas estudadas. A resistência de aderência, como esperado, está intimamente ligada à rugosidade (força intermolecular interação física). Nos ensaios de aderência das argamassas com as superfícies não rugosas (polidas/retificadas), a aderência foi inversamente proporcional à quantidade de quartzo, sugerindo influência mineralógica. Resistência de aderência à tração (MPa),5 Preto Indiano,5 Vermelho Brasília Verde Labrador,,,,4,5,6 R (mm) t Gráfico 4 Resistência de aderência rugosidade com a argamassa industrializada. Resistência de aderência à tração (MPa) 4,5 4,5,5 Preto Indiano Vermelho Brasília,5 Verde Labrador,,,,4,5,6 R (mm) t Gráfico 5 Resistência de aderência rugosidade com a argamassa A4.

8 5 NOGAMI, PARAGUASSÚ & RODRIGUES,9,8,7,6,5,4,,, Argamassa industrializada Vermelho Brasília Verde Labrador Preto Indiano Gráfico 6 Resistência de aderência da argamassa industrializada com os granitos ensaiados. Gráfico 7,5,5 Argamassa A4 Vermelho Brasília Verde Labrador Preto Indiano Resistência de aderência da argamassa A4 com os granitos ensaiados. Referências Bibliográficas ALMEIDA, A. E. S. Estudo da influência das adições de sílica ativa e copolímeros estireno acrílico nas propriedades de argamassa para o assentamento de porcelanato. 5. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNI- CAS. NBR 48: Argamassa colante industrializada para assentamento de placas de cerâmica: execução do substrato padrão e aplicação de argamassa para ensaio. 4. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNI- CAS. NBR 484: Argamassa colante industrializada para assentamento de placas de cerâmica: determinação da resistência de aderência. 4. BRANDÃO, W.; SARDDOU FILHO, R.; QUEIROZ, E. T. Mármores, granitos e outras rochas ornamentais no Brasil. In: SCHOBBENHAUS, C.; QUEIROZ, E. T.; COELHO, C. E. S. (Eds.). Principais depósitos minerais do Brasil. Brasília: D.N.P.M., 99. v. IV, Parte A, p RIBEIRO, R. P. Influência das características petrográficas de granitos no processo industrial de desdobramento de blocos. 5. Tese (Doutorado) Programa de Pós-graduação em Geotecnia, Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos. SPÍNOLA, S. V. P. A. C. Influência da qualidade da serragem de granitos no consumo energético do desbaste f. Dissertação (Mestrado) Instituto Superior Técnico, Universidade Técnica de Lisboa, Lisboa.

Argamassa colante para assentamento de porcelanato em fachadas externas ARGAMASSA COLANTE PARA ASSENTAMENTO DE PORCELANATO EM FACHADAS EXTERNAS

Argamassa colante para assentamento de porcelanato em fachadas externas ARGAMASSA COLANTE PARA ASSENTAMENTO DE PORCELANATO EM FACHADAS EXTERNAS ARGAMASSA COLANTE PARA ASSENTAMENTO DE PORCELANATO EM FACHADAS EXTERNAS OBJETIVO: Desenvolver argamassa à base cimentícia para fixação de placas cerâmicas (porcelanato) e granitos em fachadas externas.

Leia mais

ÁREA DE ENSAIOS ALVENARIA ESTRUTURAL RELATÓRIO DE ENSAIO N O 36555

ÁREA DE ENSAIOS ALVENARIA ESTRUTURAL RELATÓRIO DE ENSAIO N O 36555 LABORATÓRIO DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL ENDEREÇO: Cidade Universitária Camobi, Santa Maria (RS) CEP 97105 900 TELEFONE: (55) 3220 8608 (Fax) Direção 3220 8313 Secretaria E-MAIL: lmcc@ct.ufsm.br 1/5

Leia mais

AVALIAÇÃO DA ADERÊNCIA DE SISTEMAS ARGAMASSADOS SOBRE MANTAS ASFÁLTICAS

AVALIAÇÃO DA ADERÊNCIA DE SISTEMAS ARGAMASSADOS SOBRE MANTAS ASFÁLTICAS AVALIAÇÃO DA ADERÊNCIA DE SISTEMAS ARGAMASSADOS SOBRE MANTAS ASFÁLTICAS IRENE DE AZEVEDO LIMA JOFFILY (1) MARCELO BRAGA PEREIRA (2) (1) Professora Mestre do UniCeub/Virtus Soluções (2) Graduando em Engenharia

Leia mais

REVESTIMENTOS COM PLACAS DE ROCHAS: ADERÊNCIA COM ARGAMASSA COLANTE

REVESTIMENTOS COM PLACAS DE ROCHAS: ADERÊNCIA COM ARGAMASSA COLANTE REVESTIMENTOS COM PLACAS DE ROCHAS: ADERÊNCIA COM ARGAMASSA COLANTE LIZANDRA NOGAMI Programa de Pós-Graduação em Geotecnia EESC/USP São Carlos/SP Brasil linogami@yahoo.com.br ANTENOR BRAGA PARAGUASSÚ EESC/USP

Leia mais

AVALIAÇÃO COMPARATIVA DA PERDA DE ÁGUA DA ARGAMASSA PARA DIFERENTES BASES

AVALIAÇÃO COMPARATIVA DA PERDA DE ÁGUA DA ARGAMASSA PARA DIFERENTES BASES AVALIAÇÃO COMPARATIVA DA PERDA DE ÁGUA DA ARGAMASSA PARA DIFERENTES BASES Angelo Just da Costa e Silva (1); João Manoel de Freitas Mota (2); Fred Rodrigues Barbosa (3); José Orlando Vieira Filho (4) (1)

Leia mais

ARG. COLANTE REVESTIMENTO REJUNTE COMPONENTES DO REVESTIMENTO

ARG. COLANTE REVESTIMENTO REJUNTE COMPONENTES DO REVESTIMENTO TECNOLOGIA DE REVESTIMENTO Componentes do sistema BASE CHAPISCO Base Características importantes: Avidez por água - inicial e continuada Rugosidade EMBOÇO ARG. COLANTE REVESTIMENTO REJUNTE Chapisco Função:

Leia mais

Goiânia GO. Daniel da Silva ANDRADE Danillo de Almeida e SILVA André Luiz Bortolacci GAYER

Goiânia GO. Daniel da Silva ANDRADE Danillo de Almeida e SILVA André Luiz Bortolacci GAYER O comportamento do concreto de alto desempenho com sílica ativa e metacaulim como adições químicas minerais quanto à sua resistência à compressão utilizando agregados provenientes da região metropolitana

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE CINZAS PROVENIENTES DA QUEIMA DE MADEIRA EM CALDEIRA DE AGROINDÚSTRIA COMO ADITIVO EM ARGAMASSAS PARA FINS NÃO ESTRUTURAIS.

UTILIZAÇÃO DE CINZAS PROVENIENTES DA QUEIMA DE MADEIRA EM CALDEIRA DE AGROINDÚSTRIA COMO ADITIVO EM ARGAMASSAS PARA FINS NÃO ESTRUTURAIS. UTILIZAÇÃO DE CINZAS PROVENIENTES DA QUEIMA DE MADEIRA EM CALDEIRA DE AGROINDÚSTRIA COMO ADITIVO EM ARGAMASSAS PARA FINS NÃO ESTRUTURAIS. Alexsandro Luiz Julio (1) Biólogo pela Universidade Comunitária

Leia mais

IMPORTÂNCIA DA CURA NO DESEMPENHO DAS ARGAMASSAS IMPORTÂNCIA DA CURA NO DESEMPENHO DAS ARGAMASSAS

IMPORTÂNCIA DA CURA NO DESEMPENHO DAS ARGAMASSAS IMPORTÂNCIA DA CURA NO DESEMPENHO DAS ARGAMASSAS Universidade Federal da Bahia Escola Politécnica Departamento de Ciência e Tecnologia dos Materiais IMPORTÂNCIA DA CURA NO DESEMPENHO DAS ARGAMASSAS Prof.Dra Vanessa Silveira Silva 1 IMPORTÂNCIA DA CURA

Leia mais

Revestimentos de Alto Desempenho - RAD

Revestimentos de Alto Desempenho - RAD Revestimentos de Alto Desempenho - RAD O mercado de revestimentos para pisos de concreto se desenvolveu mais expressivamente no Brasil na década de 1980. Foi nesse momento que os revestimentos autonivelantes

Leia mais

PALAVRAS CHAVE: Tijolos de solo-cimento, rochas ornamentais, absorção de água.

PALAVRAS CHAVE: Tijolos de solo-cimento, rochas ornamentais, absorção de água. ESTUDO DO FATOR ÁGUA/CIMENTO PARA A CONFECÇÃO DE TIJOLOS ECOLÓGICOS DE SOLO-CIMENTO INCORPORADOS COM RESÍDUOS GERADOS NO BENEFICIAMENTO DE ROCHAS ORNAMENTAIS Natália de Oliveira SANTIAGO 1, Djane de Fátima

Leia mais

MAXIJUNTA - PASTILHAS DE PORCELANA

MAXIJUNTA - PASTILHAS DE PORCELANA INDICAÇÕES: Argamassa colante de assentamento e rejuntamento simultâneo flexível, de alta adesividade, para áreas internas e externas. O Maxijunta Pastilhas de Porcelana é indicado principalmente para

Leia mais

Lia Lorena Pimentel Professor Doutor, Fac. Engenharia Civil Puc- Campinas CEATEC lialp@puc-campinas.edu.br

Lia Lorena Pimentel Professor Doutor, Fac. Engenharia Civil Puc- Campinas CEATEC lialp@puc-campinas.edu.br VIABILIDADE DE APROVEITAMENTO DE RESÍDUO GRAÚDO (CACOS) DE EMPRESA BENEFICIADORA DE ROCHAS ORNAMENTAIS Agatha dos Santos Engenharia Ambiental CEATEC Agatha.s@puccampinas.edu.br Lia Lorena Pimentel Professor

Leia mais

Palavras-chave: Capeamento; Concreto; Compressão Axial.

Palavras-chave: Capeamento; Concreto; Compressão Axial. INFLUÊNCIA DO MATERIAL DE CAPEAMENTO NA RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO DOS CORPOS-DE-PROVA DE CONCRETO E ARGAMASSAS: COMPARAÇÃO ENTRE ENXOFRE, PASTA DE CIMENTO E PASTA DE GESSO Rodrigo Boesing (1); Rogério A.

Leia mais

Basalto e Gabro. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho

Basalto e Gabro. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho ROCHAS Mármores e Granitos Basalto e Gabro Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho Mineral x Rocha MINERAL ROCHA Corpo natural sólido e Agregado natural cristalino formado em composto de minerais, resultado

Leia mais

ENSAIO DE LIGAÇÃO PILAR PRÉ-MOLDADO FUNDAÇÃO MEDIANTE CHAPA DE BASE

ENSAIO DE LIGAÇÃO PILAR PRÉ-MOLDADO FUNDAÇÃO MEDIANTE CHAPA DE BASE ENSAIO DE LIGAÇÃO PILAR PRÉ-MOLDADO FUNDAÇÃO MEDIANTE CHAPA DE BASE 53 ENSAIO DE LIGAÇÃO PILAR PRÉ-MOLDADO FUNDAÇÃO MEDIANTE CHAPA DE BASE Mounir K. El Debs Toshiaki Takeya Docentes do Depto. de Engenharia

Leia mais

CONCRETO PROJETADO PARA RECUPERAÇÃO DE ESTRUTURAS ANÁLISE DAS RESISTÊNCIAS À COMPRESSÃO E ADERÊNCIA À TRAÇÃO

CONCRETO PROJETADO PARA RECUPERAÇÃO DE ESTRUTURAS ANÁLISE DAS RESISTÊNCIAS À COMPRESSÃO E ADERÊNCIA À TRAÇÃO CONCRETO PROJETADO PARA RECUPERAÇÃO DE ESTRUTURAS ANÁLISE DAS RESISTÊNCIAS À COMPRESSÃO E ADERÊNCIA À TRAÇÃO Marcos ANJOS (1); Walney SILVA (2); Alexandre PEREIRA (3); Hoffman RODRIGUES (4); Valtencir

Leia mais

5. Limitações: A argamassa Matrix Assentamento Estrutural não deve ser utilizada para assentamento de blocos silicocalcário;

5. Limitações: A argamassa Matrix Assentamento Estrutural não deve ser utilizada para assentamento de blocos silicocalcário; A argamassa Matrix Assentamento Estrutural é uma mistura homogênea de cimento Portland, agregados minerais com granulometria controlada e aditivos químicos. 3. Indicação: Excelente para assentamento de

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II TECNOLOGIA DA ARGAMASSA E DO CONCRETO

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II TECNOLOGIA DA ARGAMASSA E DO CONCRETO SEÇÃO DE ENSINO DE ENGENHARIA DE FORTIFICAÇÃO E CONSTRUÇÃO MAJ MONIZ DE ARAGÃO MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II TECNOLOGIA DA ARGAMASSA E DO CONCRETO Ensaio de Compressão de Corpos de Prova Resistência do Concreto

Leia mais

A VERSATILIDADE DAS ARDÓSIAS EM REVESTIMENTOS

A VERSATILIDADE DAS ARDÓSIAS EM REVESTIMENTOS A VERSATILIDADE DAS ARDÓSIAS EM REVESTIMENTOS O que são Ardósias? Revestimento em ardósia cinza - Europa Ardósias são materiais rochosos naturais altamente duráveis, historicamente utilizados para revestimento

Leia mais

MAXIJUNTA - 3 EM 1 PRODUTO:

MAXIJUNTA - 3 EM 1 PRODUTO: INDICAÇÕES: Argamassa colante de assentamento e rejuntamento simultâneo flexível de alta adesividade para áreas internas e externas. Assenta e rejunta pastilhas de porcelana e cerâmica até 7,5 x 7,5 cm,

Leia mais

Blocos de. Absorção de água. Está diretamente relacionada à impermeabilidade dos produtos, ao acréscimo imprevisto de peso à Tabela 1 Dimensões reais

Blocos de. Absorção de água. Está diretamente relacionada à impermeabilidade dos produtos, ao acréscimo imprevisto de peso à Tabela 1 Dimensões reais Blocos de CONCRETO DESCRIÇÃO: Elementos básicos para a composição de alvenaria (estruturais ou de vedação) BLOCOS VAZADOS DE CONCRETO SIMPLES COMPOSIÇÃO Cimento Portland, Agregados (areia, pedra, etc.)

Leia mais

GESTÃO DO CONTROLE TECNOLÓGICO DE REVESTIMENTOS. Comunidade da Construção de Vitória

GESTÃO DO CONTROLE TECNOLÓGICO DE REVESTIMENTOS. Comunidade da Construção de Vitória GESTÃO DO CONTROLE TECNOLÓGICO DE REVESTIMENTOS 1 Objetivo Utilizar o controle tecnológico como ferramenta imprescindível para execução do revestimento de argamassa e cerâmica em fachadas, aumentando a

Leia mais

VERIFICAÇÃO DA RESISTÊNCIA DE UM CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND DO TIPO CPII-Z-32 PREPARADO COM ADIÇÃO DE UM RESÍDUO CERÂMICO

VERIFICAÇÃO DA RESISTÊNCIA DE UM CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND DO TIPO CPII-Z-32 PREPARADO COM ADIÇÃO DE UM RESÍDUO CERÂMICO VERIFICAÇÃO DA RESISTÊNCIA DE UM CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND DO TIPO CPII-Z-32 PREPARADO COM ADIÇÃO DE UM RESÍDUO CERÂMICO Belarmino Barbosa Lira (1) Professor do Departamento de Engenharia Civil e Ambiental

Leia mais

APLICAÇÃO DE BASES CONCEITUAIS DE TRIBOLOGIA NO BENEFICIAMENTO DE GRANITOS ORNAMENTAIS

APLICAÇÃO DE BASES CONCEITUAIS DE TRIBOLOGIA NO BENEFICIAMENTO DE GRANITOS ORNAMENTAIS APLICAÇÃO DE BASES CONCEITUAIS DE TRIBOLOGIA NO BENEFICIAMENTO 45 APLICAÇÃO DE BASES CONCEITUAIS DE TRIBOLOGIA NO BENEFICIAMENTO DE GRANITOS ORNAMENTAIS Rogério Pinto Ribeiro Leonardo Luiz Lyroda Silveira

Leia mais

Estudo da Viabilidade Técnica e Econômica do Calcário Britado na Substituição Parcial do Agregado Miúdo para Produção de Argamassas de Cimento

Estudo da Viabilidade Técnica e Econômica do Calcário Britado na Substituição Parcial do Agregado Miúdo para Produção de Argamassas de Cimento Estudo da Viabilidade Técnica e Econômica do Calcário Britado na Substituição Parcial do Agregado Miúdo para Produção de Argamassas de Cimento Rodrigo Cézar Kanning rckanning@yahoo.com.br Universidade

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DA GRANALHA DE AÇO RECUPERADA DO RESÍDUO DE ROCHAS ORNAMENTAIS POR SEPARAÇÃO MAGNÉTICA

CARACTERIZAÇÃO DA GRANALHA DE AÇO RECUPERADA DO RESÍDUO DE ROCHAS ORNAMENTAIS POR SEPARAÇÃO MAGNÉTICA CARACTERIZAÇÃO DA GRANALHA DE AÇO RECUPERADA DO RESÍDUO DE ROCHAS ORNAMENTAIS POR SEPARAÇÃO MAGNÉTICA E. Junca, V. B. Telles, G. F. Rodrigues, J.R. de Oliveira, J.A.S. Tenório Av. Prof. Mello Moraes n.

Leia mais

Pedra Natural em Fachadas

Pedra Natural em Fachadas Pedra Natural em Fachadas SELEÇÃO, APLICAÇÃO, PATOLOGIAS E MANUTENÇÃO Real Granito, S.A. Índice Características típicas dos diferentes tipos de Rochas Ensaios para a caracterização de produtos em Pedra

Leia mais

XXXV ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUCAO

XXXV ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUCAO COMPARAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO TIJOLO DE SOLO-CIMENTO INCORPORADO COM RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL PROVENIENTES DE CATAGUASES - MG E O RESÍDUO DE BORRA DE TINTA PROVENIENTE DAS INDÚSTRIAS PERTENCENTES

Leia mais

Concreto: O que utilizar nas diversas Tipologias?

Concreto: O que utilizar nas diversas Tipologias? Seminário: Concreto: O que utilizar nas diversas Tipologias? EngºArcindo A. Vaquero y Mayor Wish List Veloz Durável Prático (com racionalização) Econômico Baixo Desperdicio Confortável (Desempenho Termico

Leia mais

RELATÓRIO DE ENSAIOS N.º 103 / 540 / 13

RELATÓRIO DE ENSAIOS N.º 103 / 540 / 13 Folha 1/6 ARGAMASSA COLANTE INDUSTRIALIZADA PARA ASSENTAMENTO DE PLACAS CERÂMICAS Cliente: Saint-Gobain do Brasil Produtos Ind. e para Construção Ltda. Pedido n º 103/13 Divisão Weber Quartzolit Endereço:

Leia mais

SOLIDIFICAÇÃO/ESTABILIZAÇÃO DE LODO GALVÂNICO EM BLOCOS DE CONCRETO PARA PAVIMENTAÇÃO (PAVERS)

SOLIDIFICAÇÃO/ESTABILIZAÇÃO DE LODO GALVÂNICO EM BLOCOS DE CONCRETO PARA PAVIMENTAÇÃO (PAVERS) 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 SOLIDIFICAÇÃO/ESTABILIZAÇÃO DE LODO GALVÂNICO EM BLOCOS DE CONCRETO PARA PAVIMENTAÇÃO (PAVERS) Janaina de Melo Franco 1, Célia Regina Granhen Tavares 2,

Leia mais

PROGRAMA DE GARANTIA DA QUALIDADE DE ARGAMASSAS COLANTES

PROGRAMA DE GARANTIA DA QUALIDADE DE ARGAMASSAS COLANTES SINAPROCIM: SINPROCIM: SINDICATO NACIONAL DA INDÚSTRIA DE PRODUTOS DE CIMENTO SINDICATO DA INDÚSTRIA DE PRODUTOS DE CIMENTO DO ESTADO DE SÃO PAULO REFERÊNCIA: PROGRAMA DE GARANTIA DA QUALIDADE DE ARGAMASSAS

Leia mais

pro-part Ficha técnica Aplicações recomendadas Materiais Suportes

pro-part Ficha técnica Aplicações recomendadas Materiais Suportes Ficha técnica pro-part Perfil decorativo para revestimentos cerâmicos; alternativa à tradicional faixa cerâmica decorativa. Adequados para o remate de esquinas e transições entre ladrilhos cerâmicos. pro-part

Leia mais

PINTURA À BASE DE CAL COM SEIVA BRUTA DO PSEUDOCAULE DA BANANEIRA

PINTURA À BASE DE CAL COM SEIVA BRUTA DO PSEUDOCAULE DA BANANEIRA PINTURA À BASE DE CAL COM SEIVA BRUTA DO PSEUDOCAULE DA BANANEIRA Fernando Avancini Tristão¹; Bianca Rafaela da Silva Calderón Morales²; Ivana Pereira das Posses³; Karina Sampaio Pereira Dias 4 ; André

Leia mais

Ficha Técnica de Produto Biomassa Piso e Azulejo Rápido Código: APR001

Ficha Técnica de Produto Biomassa Piso e Azulejo Rápido Código: APR001 1. Descrição: A é mais uma argamassa inovadora, de alta tecnologia e desempenho, que apresenta vantagens econômicas e sustentáveis para o assentamento e sobreposição de pisos, azulejos e pastilhas. O principal

Leia mais

APROVEITAMENTO DE RESÍDUOS DE GERADOS NO CORTE DE ROCHAS ORNAMENTAIS... 269 CAPÍTULO 25

APROVEITAMENTO DE RESÍDUOS DE GERADOS NO CORTE DE ROCHAS ORNAMENTAIS... 269 CAPÍTULO 25 APROVEITAMENTO DE RESÍDUOS DE GERADOS NO CORTE DE ROCHAS ORNAMENTAIS... 269 CAPÍTULO 25 UTILIZAÇÃO DE TRAMAS PARA O PROJETO DE PAINÉIS, PISOS E FACHADAS COM SOBRAS DE MÁRMORES E GRANITOS Oberdan José Santana

Leia mais

porcelanato interno ficha técnica do produto

porcelanato interno ficha técnica do produto 01 DESCRIÇÃO: votomassa é uma argamassa leve de excelente trabalhabilidade e aderência, formulada especialmente para aplicação de revestimentos cerâmicos e s em áreas internas. 02 CLASSIFICAÇÃO TÉCNICA:

Leia mais

Tipos de Acabamentos e Tecnologias Disponíveis

Tipos de Acabamentos e Tecnologias Disponíveis Tipos de Acabamentos e Tecnologias Disponíveis Maria Heloisa Barros de Oliveira Frascá, geóloga - mheloisa@ipt.br LMCC Laboratório de Materiais de Construção Civil CT-OBRAS Centro de Tecnologia de Obras

Leia mais

INFLUÊNCIA DAS ADIÇÕES MINERAIS NA CORROSÃO DE ARMADURAS INDUZIDA POR CLORETOS E POR CARBONATAÇÃO NO CONCRETO ARMADO

INFLUÊNCIA DAS ADIÇÕES MINERAIS NA CORROSÃO DE ARMADURAS INDUZIDA POR CLORETOS E POR CARBONATAÇÃO NO CONCRETO ARMADO INFLUÊNCIA DAS ADIÇÕES MINERAIS NA CORROSÃO DE ARMADURAS INDUZIDA POR CLORETOS E POR CARBONATAÇÃO NO CONCRETO ARMADO 1 OLIVEIRA, Andrielli Morais (1), CASCUDO, Oswaldo (2) Palavras chave: Corrosão, adições

Leia mais

CARACTERÍSTICAS DAS FRATURAS DO GRANITO ORNAMENTAL PRETO SÃO MARCOS... 199 CAPÍTULO 17

CARACTERÍSTICAS DAS FRATURAS DO GRANITO ORNAMENTAL PRETO SÃO MARCOS... 199 CAPÍTULO 17 CARACTERÍSTICAS DAS FRATURAS DO GRANITO ORNAMENTAL PRETO SÃO MARCOS... 199 CAPÍTULO 17 CONTROLE DO PROCESSO DE DESDOBRAMENTO DE DIVERSAS ROCHAS ORNAMENTAIS DO NORDESTE, EM FUNÇÃO DE SUAS CARATERÍSTICAS

Leia mais

CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO COM AREIA ARTIFICIAL

CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO COM AREIA ARTIFICIAL CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO COM AREIA ARTIFICIAL Paulo Hidemitsu Ishikawa 1 1 Prof. Me. do curso Construção Civil Edifícios da FATEC-SP paulo.ishikawa@uol.com.br Resumo Esta pesquisa tem como proposta

Leia mais

Apoio à Normalização e Avaliação da Conformidade de Rochas Ornamentais

Apoio à Normalização e Avaliação da Conformidade de Rochas Ornamentais Apoio à Normalização e Avaliação da Conformidade de Rochas Ornamentais Eunice de Freitas Lima Bolsista do Programa de Capacitação Institucional, Tecnóloga em Rochas Ornamentais Nuria Fernández Castro Orientadora,

Leia mais

22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental III-065 - AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DE VIDRO COMINUIDO COMO MATERIAL AGREGADO AO CONCRETO

22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental III-065 - AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DE VIDRO COMINUIDO COMO MATERIAL AGREGADO AO CONCRETO 22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 14 a 19 de Setembro 2003 - Joinville - Santa Catarina III-065 - AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DE VIDRO COMINUIDO COMO MATERIAL AGREGADO AO CONCRETO

Leia mais

(PPGEMA), pela Escola de Engenharia Civil (EEC); joaoluizmplopes@yahoo.com.br.

(PPGEMA), pela Escola de Engenharia Civil (EEC); joaoluizmplopes@yahoo.com.br. ESTUDO DO POTENCIAL DE UTILIZAÇÃO DO RESÍDUO DE BENEFICIAMENTO DE MÁRMORE E GRANITO (RBMG), COMO FÍLER, NA PRODUÇÃO DE CONCRETOS. LOPES, João Luiz Macedo Prudêncio¹; BACARJI, Edgar²; PAZINI FIGUEIREDO,

Leia mais

Capítulo 68. Obras de pedra, gesso, cimento, amianto, mica ou de matérias semelhantes

Capítulo 68. Obras de pedra, gesso, cimento, amianto, mica ou de matérias semelhantes Capítulo 68 Obras de pedra, gesso, cimento, amianto, mica ou de matérias semelhantes Notas. 1.- O presente Capítulo não compreende: a) os produtos do Capítulo 25; b) o papel e cartão revestidos, impregnados

Leia mais

Diamantados MAIS RÁPIDOS. MAIS DURÁVEIS.

Diamantados MAIS RÁPIDOS. MAIS DURÁVEIS. Contínuos Turbo Turbo para Porcelanato Segmentados Segmentados para Concreto Segmentados para Asfalto Segmentado para Granito e Mármore Segmentado Multiuso 102 102 103 103 104 104 105 105 NOVOS Discos

Leia mais

Adição de polímeros ao concreto visando durabilidade.

Adição de polímeros ao concreto visando durabilidade. Adição de polímeros ao concreto visando durabilidade. Prof. Luciano Martin Teixeira, M.Sc. Eng. INTRODUÇÃO O emprego de polímeros no concreto tem como objetivo intensificar certas qualidades devido a diminuição

Leia mais

Índice. P r o j e t o Tratamento de piso

Índice. P r o j e t o Tratamento de piso TRATAMENTO DE PISOS Índice Porque fazer um tratamento de piso? Fases do tratamento de piso Tipos de pisos Vantagens do tratamento Conceitos técnicos Equipamentos e acessórios Etapas do tratamento Produtos

Leia mais

MÓDULO 02. Rochas na História Aplicação rochas ornamentais Arquitetura/ Construção. arquiteto@renatopaldes.arq.br

MÓDULO 02. Rochas na História Aplicação rochas ornamentais Arquitetura/ Construção. arquiteto@renatopaldes.arq.br MÓDULO 02 Rochas na História Aplicação rochas ornamentais Arquitetura/ Construção arquiteto@renatopaldes.arq.br Uso da Pedra Primeiras manifestações Stonehenge 3.300 AC. Antigo Egito Encontrados blocos

Leia mais

ALVENARIA: como reconhecer blocos de qualidade e ecoeficientes!

ALVENARIA: como reconhecer blocos de qualidade e ecoeficientes! ALVENARIA: como reconhecer blocos de qualidade e ecoeficientes! Bloco de concreto As paredes são montadas a partir de componentes de alvenaria - os blocos. Portanto, é imprescindível que eles obedeçam

Leia mais

PEDRAS DE REVESTIMENTOS

PEDRAS DE REVESTIMENTOS PEDRAS DE REVESTIMENTOS Sem dúvida alguma, as pedras ornamentais constituem uma ótima opção para o revestimento de pisos e paredes, graças à reconhecida durabilidade e aos efeitos estéticos que proporcionam.

Leia mais

ARGAMASSAS DE REVESTIMENTO DE FACHADAS EXPOSTAS À. AMBIENTE MARINHO Avaliação da Aderência

ARGAMASSAS DE REVESTIMENTO DE FACHADAS EXPOSTAS À. AMBIENTE MARINHO Avaliação da Aderência ARGAMASSAS DE REVESTIMENTO DE FACHADAS EXPOSTAS À AMBIENTE MARINHO Avaliação da Aderência Por: Regina Helena Ferreira de Souza Professora Dra., Titular de Estruturas, Departamento de Engenharia Civil Universidade

Leia mais

Soluções de Alto Desempenho para Construção PRODUTO MULTIUSO PARA OBRAS ECONÔMICAS

Soluções de Alto Desempenho para Construção PRODUTO MULTIUSO PARA OBRAS ECONÔMICAS Soluções de Alto Desempenho para Construção PRODUTO MULTIUSO PARA OBRAS ECONÔMICAS + + desempenho por m² AMP ARGAMASSA MODIFICADA COM POLÍMERO ( + ) MEMBRANA POLIMÉRICA O BAUCRYL ECOVEDA é um polímero

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO RESÍDUO PROVENIENTE DO DESDOBRAMENTO DE ROCHAS ORNAMENTAIS NA CONFECÇÃO DE TIJOLOS ECOLOGICOS DE SOLO-CIMENTO

UTILIZAÇÃO DO RESÍDUO PROVENIENTE DO DESDOBRAMENTO DE ROCHAS ORNAMENTAIS NA CONFECÇÃO DE TIJOLOS ECOLOGICOS DE SOLO-CIMENTO UTILIZAÇÃO DO RESÍDUO PROVENIENTE DO DESDOBRAMENTO DE ROCHAS ORNAMENTAIS NA CONFECÇÃO DE TIJOLOS ECOLOGICOS DE SOLO-CIMENTO Joseane Damasceno Mota (1) Graduanda em Química Industrial na UEPB Djane de Fátima

Leia mais

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br Assunto: Pisos não cerâmicos Prof. Ederaldo Azevedo Aula 5 e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br 3. PISOS NÃO CERÂMICOS São pisos compostos de cimento, areia e agregados de origem mineral(granitina, quartzo,

Leia mais

Reduzido consumo de cimento na produção de concreto de elevada resistência

Reduzido consumo de cimento na produção de concreto de elevada resistência BE2008 Encontro Nacional Betão Estrutural 2008 Guimarães 5, 6, 7 de Novembro de 2008 Reduzido consumo de cimento na produção de concreto de elevada resistência Thiago Catoia 1, Bruna Catoia 2, Tobias Azevedo

Leia mais

CONCRETO AUTO-ADENSÁVEL: AVALIAÇÃO DO EFEITO

CONCRETO AUTO-ADENSÁVEL: AVALIAÇÃO DO EFEITO CONCRETO AUTO-ADENSÁVEL: AVALIAÇÃO DO EFEITO DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS EM SUBSTITUIÇÃO À AREIA (PARTE 1) SELF-COMPACTING CONCRETE: EVALUATION OF INDUSTRIAL WASTES REPLACING THE SAND (PART 1) Silva, Cláudia

Leia mais

CORROSÃO EM ESTRUTURAS DE CONCRETO. Prof. Ruy Alexandre Generoso

CORROSÃO EM ESTRUTURAS DE CONCRETO. Prof. Ruy Alexandre Generoso CORROSÃO EM ESTRUTURAS DE CONCRETO Prof. Ruy Alexandre Generoso É um dos materiais mais importantes de engenharia usado em construções. É usado nos mais variados tipos de construções tais como: barragens,

Leia mais

ESTUDO PARA IMPERMEABILIZAÇÃO NA INTERFACE ESTRUTURA METÁLICA E ALVENARIA

ESTUDO PARA IMPERMEABILIZAÇÃO NA INTERFACE ESTRUTURA METÁLICA E ALVENARIA ESTUDO PARA IMPERMEABILIZAÇÃO NA INTERFACE ESTRUTURA METÁLICA E ALVENARIA Joel Henrique Rohr 1 Resumo: Uma das patologias existentes na construção civil são as infiltrações. Um dos pontos críticos das

Leia mais

FS-06. Fossa séptica. Componentes. Código de listagem. Atenção. FS-06-01 (L=3,00m) FS-06-02 (L=3,80m) FS-06-03 (L=5,40m) 01 27/12/10

FS-06. Fossa séptica. Componentes. Código de listagem. Atenção. FS-06-01 (L=3,00m) FS-06-02 (L=3,80m) FS-06-03 (L=5,40m) 01 27/12/10 - -03 1/5 - -03 2/5 - -03 3/5 - -03 4/5 DESCRIÇÃO Constituintes Lastro de concreto magro, traço 1:4:8, cimento, areia e brita. Fundo e vigas de concreto armado, moldados in loco: - Fôrmas de tábuas de

Leia mais

Tecnologia da Construção I CRÉDITOS: 4 (T2-P2)

Tecnologia da Construção I CRÉDITOS: 4 (T2-P2) UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO DECANATO DE ENSINO DE GRADUAÇÃO DEPARTAMENTO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS E REGISTRO GERAL DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS PROGRAMA ANALÍTICO DISCIPLINA CÓDIGO: IT836

Leia mais

MACTRACOL. Adesivo para chapiscos, argamassas e gesso. Data da última revisão: 01/2010 DEFINIÇÃO

MACTRACOL. Adesivo para chapiscos, argamassas e gesso. Data da última revisão: 01/2010 DEFINIÇÃO Data da última revisão: 01/2010 DEFINIÇÃO MACTRACOL é um adesivo especial à base de resina sintética compatível com cimento, cal, gesso e isopor (EPS). MACTRACOL proporciona às argamassas alto poder de

Leia mais

AVALIAÇÃO DA ADERÊNCIA DAS ARGAMASSAS COLANTES ACIII SOBRE SISTEMAS ACRÍLICOS E ACRÍLICOS CIMENTÍCIOS SERGIO MAROSSI (1)

AVALIAÇÃO DA ADERÊNCIA DAS ARGAMASSAS COLANTES ACIII SOBRE SISTEMAS ACRÍLICOS E ACRÍLICOS CIMENTÍCIOS SERGIO MAROSSI (1) AVALIAÇÃO DA ADERÊNCIA DAS ARGAMASSAS COLANTES ACIII SOBRE SISTEMAS ACRÍLICOS E ACRÍLICOS CIMENTÍCIOS SERGIO MAROSSI (1) (1) Responsável Técnico da Citimat Impermeabilizantes Ltda. Citimat Impermeabilizantes

Leia mais

PAVIMENTAÇÃO INTERTRAVADA: UTILIZAÇÃO DE RESÍDUO DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO PARA FABRICAÇÃO E ASSENTAMENTO DE PAVERS

PAVIMENTAÇÃO INTERTRAVADA: UTILIZAÇÃO DE RESÍDUO DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO PARA FABRICAÇÃO E ASSENTAMENTO DE PAVERS PAVIMENTAÇÃO INTERTRAVADA: UTILIZAÇÃO DE RESÍDUO DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO PARA FABRICAÇÃO E ASSENTAMENTO DE PAVERS XV INIC / X EPG - UNIVAP 2011 Emerson Carlos Miranda Cavalcanti1, Rogério Penna Forte

Leia mais

Identificação DAHER Tecnologia

Identificação DAHER Tecnologia 1 Interessado: Jacson Polese dos Santos - ME. Rua Bandeirantes, 976. - Sítio Cercado. CEP 81.900-490. Curitiba Paraná. 1 de 6 Curitiba, 19 de setembro de 2006. 2 Referência: Avaliação de Triângulos pac

Leia mais

ME-37 MÉTODOS DE ENSAIO MOLDAGEM E CURA DE CORPOS-DE-PROVA CILÍNDRICOS OU PRISMÁTICOS DE CONRETO

ME-37 MÉTODOS DE ENSAIO MOLDAGEM E CURA DE CORPOS-DE-PROVA CILÍNDRICOS OU PRISMÁTICOS DE CONRETO ME-37 MÉTODOS DE ENSAIO MOLDAGEM E CURA DE CORPOS-DE-PROVA CILÍNDRICOS OU PRISMÁTICOS DE CONRETO 1 DOCUMENTO DE CIRCULAÇÃO EXTERNA ÍNDICE PÁG. 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. S E NORMAS COMPLEMENTARES...

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA INSTALAÇÃO DE FOSSA SÉPTICA E SUMIDOURO EM SUA CASA

INSTRUÇÕES PARA INSTALAÇÃO DE FOSSA SÉPTICA E SUMIDOURO EM SUA CASA INSTRUÇÕES PARA INSTALAÇÃO DE FOSSA SÉPTICA E SUMIDOURO EM SUA CASA A participação da Comunidade é fundamental Na preservação do Meio Ambiente COMPANHIA DE SANEAMENTO AMBIENTAL DO DISTRITO FEDERAL ASSESSORIA

Leia mais

BIANCO é uma resina sintética de alto desempenho que proporciona excelente aderência das argamassas aos mais diversos substratos.

BIANCO é uma resina sintética de alto desempenho que proporciona excelente aderência das argamassas aos mais diversos substratos. Descrição BIANCO é uma resina sintética de alto desempenho que proporciona excelente aderência das argamassas aos mais diversos substratos. BIANCO confere maior elasticidade e, assim, maior resistência

Leia mais

CATÁLOGO DE PRODUTOS

CATÁLOGO DE PRODUTOS CATÁLOGO DE PRODUTOS ISOPORTEC A ISOPORTEC é focada na produção de soluções em isopor de alta performance para a construção civil, valorizando produtos que fazem diferença nos projetos mais complexos.

Leia mais

COMUNICADO À IMPRENSA

COMUNICADO À IMPRENSA Wacker Química do Brasil Ltda. R. Municipal, 325 Jd. Alvorada 06612-060 - Jandira, SP, Brasil www.wacker.com COMUNICADO À IMPRENSA Número 03 Concrete Show South America 2014: A WACKER apresenta novo polímero

Leia mais

2202 ARGAMASSA MATRIX REVESTIMENTO FACHADA Argamassa para uso em revestimento de áreas externas

2202 ARGAMASSA MATRIX REVESTIMENTO FACHADA Argamassa para uso em revestimento de áreas externas É composta por uma mistura homogênea de cimento Portland, cal hidratada e agregados minerais com granulometria controlada e aditivos químicos. O produto é oferecido na cor cinza. 3. Indicação: A argamassa

Leia mais

Construção. Mangueira para Injeção utilizada para o selamento de juntas de construção em estruturas estanques. Descrição do produto

Construção. Mangueira para Injeção utilizada para o selamento de juntas de construção em estruturas estanques. Descrição do produto Ficha de Produto Edição 09/04/2014 Identificação no: 02 07 03 06 001 0 000002 SikaFuko Eco 1 Mangueira para Injeção utilizada para o selamento de juntas de construção em estruturas estanques Descrição

Leia mais

Manual de Rochas Ornamentais para Arquitetos 245 14. PATOLOGIAS

Manual de Rochas Ornamentais para Arquitetos 245 14. PATOLOGIAS Manual de Rochas Ornamentais para Arquitetos 245 14. PATOLOGIAS Mármore, granito, ardósia, gnaisse e outras rochas ornamentais são materiais de revestimento muito duráveis, além de conferirem solidez e

Leia mais

RELATÓRIO DE ENSAIO CCC/157.153/08 ARGAMASSA COLANTE ENSAIOS DIVERSOS

RELATÓRIO DE ENSAIO CCC/157.153/08 ARGAMASSA COLANTE ENSAIOS DIVERSOS Página: 1/8 RELATÓRIO DE ENSAIO CCC/157.153/08 ARGAMASSA COLANTE ENSAIOS DIVERSOS INTERESSADO: COLAFIX INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA. Rua Papa João XXIII, 780 Centro 94910-170 Cachoeirinha RS Ref.: (43.188)

Leia mais

BLOCOS, ARGAMASSAS E IMPORTÂNCIA DOS BLOCOS CARACTERÍSTICAS DA PRODUÇÃO CARACTERÍSTICAS DA PRODUÇÃO. Prof. Dr. Luiz Sérgio Franco 1

BLOCOS, ARGAMASSAS E IMPORTÂNCIA DOS BLOCOS CARACTERÍSTICAS DA PRODUÇÃO CARACTERÍSTICAS DA PRODUÇÃO. Prof. Dr. Luiz Sérgio Franco 1 Escola Politécnica da USP PCC 2515 Alvenaria Estrutural BLOCOS, ARGAMASSAS E GRAUTES Prof. Dr. Luiz Sérgio Franco IMPORTÂNCIA DOS BLOCOS! DETERMINA CARACTERÍSTICAS IMPORTANTES DA PRODUÇÃO! peso e dimensões

Leia mais

INFORMAÇÕES GERAIS Linha Completa

INFORMAÇÕES GERAIS Linha Completa INFORMAÇÕES GERAIS Linha Completa www.spdcutferramentas.com.br (11) 2762 5114 Disco Diamantado 110mm Linha Profissional Disco de alto rendimento Disco Diamantado 110mm para corte a seco com alta durabilidade

Leia mais

TRABALHO DE GESTÃO DE REVESTIMENTOS

TRABALHO DE GESTÃO DE REVESTIMENTOS TRABALHO DE GESTÃO DE REVESTIMENTOS TEMA Ensaio de aderência de revestimentos de argamassa, gesso e cerâmica. OBJETIVO Analisar o grau de aderência dos revestimentos utilizados, em relação à norma técnica

Leia mais

Revestimento Impermeável para Receber Piso de Madeira Sujeito a Pressão Negativa ou Umidade Ascedente. Soluções de Alto Desempenho para Construção

Revestimento Impermeável para Receber Piso de Madeira Sujeito a Pressão Negativa ou Umidade Ascedente. Soluções de Alto Desempenho para Construção Revestimento Impermeável para Receber Piso de Madeira Sujeito a Pressão Negativa ou Umidade Ascedente Soluções de Alto Desempenho para Construção Piso de Madeira Conforto térmico, requinte, beleza e durabilidade.

Leia mais

Aplicações Xadrez Pigmento em Pó

Aplicações Xadrez Pigmento em Pó Dê asas à sua imaginação nas diversas aplicações do Pó Xadrez. Aplicações Xadrez Pigmento em Pó O PÓ XADREZ é um pigmento concentrado que proporciona efeitos decorativos em diversas aplicações. Mais econômico,

Leia mais

III-267 EMPREGO DE AREIA DE FUNDIÇÃO LIGADA QUIMICAMENTE EM ARGAMASSAS PARA CONSTRUÇÃO CIVIL

III-267 EMPREGO DE AREIA DE FUNDIÇÃO LIGADA QUIMICAMENTE EM ARGAMASSAS PARA CONSTRUÇÃO CIVIL III-267 EMPREGO DE AREIA DE FUNDIÇÃO LIGADA QUIMICAMENTE EM ARGAMASSAS PARA CONSTRUÇÃO CIVIL Keilla Boehler Ferreira (1) Engenheira Agrícola pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Especialista

Leia mais

O Projeto da Estação UFF de Ensaio Natural de Revestimentos de Paredes

O Projeto da Estação UFF de Ensaio Natural de Revestimentos de Paredes O Projeto da Estação UFF de Ensaio Natural de Revestimentos de Paredes Ivan Ramalho de Almeida Regina Helena F. de Souza Maria do Rosário Veiga Prof. da Universidade Federal Fluminense, Niterói (RJ) Brasil

Leia mais

1/5. be-16. Bancada laboratório 2 CUBAS 50x40x25cm (L=180cm) eco. Componentes. Código de listagem. Atenção. Revisão Data Página 1 04/04/14

1/5. be-16. Bancada laboratório 2 CUBAS 50x40x25cm (L=180cm) eco. Componentes. Código de listagem. Atenção. Revisão Data Página 1 04/04/14 /5 2/5 3/5 4/5 DESCRIÇÃO Constituintes Tampo de granito polido (L=65cm, e=2cm), cinza andorinha ou cinza corumbá, com moldura perimetral (3,5x2cm) e frontão (7x2cm), conforme detalhe. Alvenaria de apoio

Leia mais

Análise de diferentes ligantes na formulação de argamassas industriais de reabilitação

Análise de diferentes ligantes na formulação de argamassas industriais de reabilitação Análise de diferentes ligantes na formulação de argamassas industriais de reabilitação Coimbra, 29 e 30 de Março 2012 Índice Enquadramento Norma NP EN 459 Matérias primas Composição Características Produto

Leia mais

52&+$6251$0(17$,6 ROCHAS ORNAMENTAIS: EXPORTAÇÕES PROMISSORAS. Luiz Mauricio da Silva Cunha Maria Lúcia Amarante de Andrade Elisa Seixas de Souza*

52&+$6251$0(17$,6 ROCHAS ORNAMENTAIS: EXPORTAÇÕES PROMISSORAS. Luiz Mauricio da Silva Cunha Maria Lúcia Amarante de Andrade Elisa Seixas de Souza* ROCHAS ORNAMENTAIS: EXPORTAÇÕES PROMISSORAS Luiz Mauricio da Silva Cunha Maria Lúcia Amarante de Andrade Elisa Seixas de Souza* *Respectivamente, gerente, engenheira e estagiária da Gerência Setorial de

Leia mais

Influência do capeamento de corpos-de-prova cilíndricos na resistência à compressão do concreto

Influência do capeamento de corpos-de-prova cilíndricos na resistência à compressão do concreto pesquisa e desenvolvimento controle tecnológico do concreto Influência do capeamento de corpos-de-prova cilíndricos na resistência à compressão do concreto Fred R.Barbosa Pr o f e s s o r João M. F. Mota

Leia mais

Linha P05 Cime. Endurecedor mineral de superfície

Linha P05 Cime. Endurecedor mineral de superfície Linha P05 Cime Endurecedor mineral de superfície 1 Descrição. Composto granulométrico à base de cimento e agregados selecionados de origem mineral e/ou mineral metálica, para aplicações em sistema de aspersão

Leia mais

Belo Horizonte - MG Interface com Outros Subsistemas

Belo Horizonte - MG Interface com Outros Subsistemas Belo Horizonte - MG Interface com Outros Subsistemas 10/11/2009 Carlos Chaves LOG Gestão de Obras Subsistemas Deus está nos detalhes Mies van der Rohe (1886-1969) Pavilhão alemão na Feira Mundial de Barcelona

Leia mais

3 Programa Experimental

3 Programa Experimental 3 Programa Experimental 3.1.Planejamento dos experimentos Com o objetivo de quantificar a diferença entre as resistências à compressão de corpos-de-prova moldados e de testemunhos extraídos, e de verificar

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DOS MATERIAIS SETOR DE MATERIAIS

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DOS MATERIAIS SETOR DE MATERIAIS UFBA-ESCOLA POLITÉCNICA-DCTM DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DOS MATERIAIS SETOR DE MATERIAIS ROTEIRO DE AULAS CONCRETO FRESCO Unidade III Prof. Adailton de O. Gomes CONCRETO FRESCO Conhecer o comportamento

Leia mais

Concreto. Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira

Concreto. Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira Materiais constituintes do Concreto Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira Agregados Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira Fonte: ELETROBRAS FURNAS ABNT NBR 9935:2011 ABNT NBR 7211:2009 Mehta and Monteiro, 2008 Pacelli,

Leia mais

ABRALIMP Encontro de Associados. Alexis Joseph Steverlynck Fonteyne

ABRALIMP Encontro de Associados. Alexis Joseph Steverlynck Fonteyne ABRALIMP Encontro de Associados Alexis Joseph Steverlynck Fonteyne Projetistas de piso Executores de piso Fabricantes de revestimentos de alto desempenho (RAD) Fabricantes de insumos para pisos e revestimentos

Leia mais

PROCESSO DE INVESTIGAÇÃO PATOLÓGICA NO SUBSISTEMA DE REVESTIMENTO DE FACHADAS COM PLACAS CERÂMICAS

PROCESSO DE INVESTIGAÇÃO PATOLÓGICA NO SUBSISTEMA DE REVESTIMENTO DE FACHADAS COM PLACAS CERÂMICAS PROCESSO DE INVESTIGAÇÃO PATOLÓGICA NO SUBSISTEMA DE REVESTIMENTO DE FACHADAS COM PLACAS CERÂMICAS Elaine G. Vazquez (1); Ana Catarina J. Evangelista (2); Eduardo L. Qualharini (3) Cledson dos S. Ramos

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO Nº 113 437-205. Ensaios de caracterização de concreto fluido de alta resistência (graute)

RELATÓRIO TÉCNICO Nº 113 437-205. Ensaios de caracterização de concreto fluido de alta resistência (graute) RELATÓRIO TÉCNICO Nº 113 437-205 Ensaios de caracterização de concreto fluido de alta resistência (graute) CENTRO DE TECNOLOGIA DE OBRAS DE INFRAESTRUTURA Laboratório de Materiais de Construção Civil Cliente:

Leia mais

Elementos Táteis de Alerta Linha Dome - Mozaik

Elementos Táteis de Alerta Linha Dome - Mozaik Elementos Táteis de Alerta Linha Dome - Mozaik APRESENTAÇÃO Os elementos táteis Mozaik foram projetados para a sinalização tátil de pisos executados em praticamente quaisquer tipos de materiais de revestimento,

Leia mais

AVALIAÇÃO DO BIOCRETO COM FIBRAS MINERALIZADAS DE BAMBU RESUMO

AVALIAÇÃO DO BIOCRETO COM FIBRAS MINERALIZADAS DE BAMBU RESUMO AVALIAÇÃO DO BIOCRETO COM FIBRAS MINERALIZADAS DE BAMBU VIVIANE DA COSTA CORREIA 1, JOSÉ DAFICO ALVES 2, CÍRIO JOSÉ COSTA 3 1 Bolsista PBIC/UEG, acadêmico do curso de Engenharia Agrícola da UnUCET - UEG

Leia mais

FISPQ LIMPA PORCELANATO. FICHA DE SEGURANÇA de produtos químicos

FISPQ LIMPA PORCELANATO. FICHA DE SEGURANÇA de produtos químicos LIMPA PORCELANATO CARACTERÍSTICA DO PRODUTO: É um limpador alcalino especialmente formulado para limpeza leve e pesada em pisos tratados com acabamentos acrílicos, pisos não tratados como porcelanato.

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DO ENTULHO VISANDO A SUA UTILIZAÇÃO COMO AGREGADO GRAÚDO PARA CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND

CARACTERIZAÇÃO DO ENTULHO VISANDO A SUA UTILIZAÇÃO COMO AGREGADO GRAÚDO PARA CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND CARACTERIZAÇÃO DO ENTULHO VISANDO A SUA UTILIZAÇÃO COMO AGREGADO GRAÚDO PARA CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND Adailton de O. Gomes; (2) Cleber M. R. Dias; (3) Alexandre T. Machado; (4) Roberto J. C. Cardoso;

Leia mais

MATERIAIS PARA ALVENARIA ESTRUTURAL Humberto Ramos Roman Universidade Federal Santa atarina Catarina

MATERIAIS PARA ALVENARIA ESTRUTURAL Humberto Ramos Roman Universidade Federal Santa atarina Catarina MATERIAIS PARA ALVENARIA ESTRUTURAL Humberto Ramos Roman Universidade Federal de Santa Catarina SUMÁRIO 1. Materiais para alvenaria bloco argamassa graute 2. Material alvenaria fatores que afetam a resistência

Leia mais

O QUARTO ELEMENTO DA CONSTRUÇÃO

O QUARTO ELEMENTO DA CONSTRUÇÃO O QUARTO ELEMENTO DA CONSTRUÇÃO Porque Impermeabilizar? O que leva construtoras, construtores, proprietários de imóveis, etc... a procura de impermeabilizantes? De cada 10 pessoas que procuram produtos

Leia mais