Proteção de Programa de Computador UFAL -UNIT

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Proteção de Programa de Computador UFAL -UNIT"

Transcrição

1 Proteção de Programa de Computador UFAL -UNIT Elvira Andrade Diretoria de Contratos e Outros Registros Agosto de 2009

2 Pontos Abordados Proteção de Programa de computador Tipos e diferenciações Legislação O Registro Vantagens Processamento Licenciamento e contrafação Estatísticas Topografia EAndrade 2

3 Propriedade Intelectual Direito de Autor e Conexos Registro de Direito de Autor Propriedade Industrial Patentes, marcas, etc Segredo Sui Generis Plantas, topografia EAndrade 3

4 Propriedade Intelectual Legislações Direito de Autor Internacional Convenção de Berna 1886 TRIPS Nacional Lei de Software Lei de Direito de Autor Propriedade Industrial Internacional Convenção União de Paris 1883 TRIPS Nacional Lei da Propriedade Industrial EAndrade 4

5 Propriedade Intelectual Legislação Internacional - TRIPS Direito de Autor Propriedade Industrial determina que o SW será protegido como obra literária pela Convenção de Berna (1971) artigo 10 determina que qualquer invenção, [...], em todos os setores tecnológicos, será patenteável, desde que seja nova, envolva um passo inventivo e seja passível de aplicação industrial. artigo 27 EAndrade 5

6 Propriedade Intelectual Legislações Nacionais Direito de Autor Lei de Software (Lei 9609/98) Artigo 2º - O regime de proteção à propriedade intelectual de software é o conferido às obras literárias pela legislação de direitos autorais e conexos (Lei 9610/98) vigentes no País, observado o disposto nesta Lei. Propriedade Industrial Lei da Propriedade Industrial (9279/96) Artigo 10 - Não se considera invenção nem modelo de utilidade: [...] V - programas de computador em si; EAndrade 6

7 O que é software? Pela Lei 9.609/98 (Lei de Software): direito de autor... expressão de um conjunto organizado de instruções em linguagem natural ou codificada, contida em um suporte físico de qualquer natureza, [...] para fazê-los funcionar de modo e para fins determinados. patentes EAndrade 7

8 Direito concedido Direito de Autor: impedir a reprodução, distribuição, comercialização da obra, sem o seu consentimento 50 anos a partir de 1º de janeiro do ano seguinte à sua publicação ou criação Patente: impedir terceiros de produzir, usar, colocar à venda, vender ou importar a invenção, sem o seu consentimento 20 anos a partir do depósito do pedido de patente Segredo: Não há concessão de direitos, mas enquanto o segredo persistir, todas as possibilidades EAndrade 8

9 Objeto da Proteção direito de autor a parte textual, a redação do programa de computador (código fonte, objeto), não abrange o conteúdo técnico e funcional patente o objeto, com a funcionalidade que o programa introduziu (sistema, equipamento, processo) Segredo - a parte textual e a funcionalidade EAndrade 9

10 Sigilo contrato de confidencialidade, evidenciando, claramente, os termos de confidenciabilidade. deve-se cuidar para que apenas aqueles que precisam conhecer o segredo entrem em contato com ele. a tecnologia deve ser opaca. EAndrade 10

11 Concessão do Direito com o segredo não há direito concedido Direito de Autor não há exame, deve ser original (personalidade) proteção para a expressão literal e não para a aplicação da idéia. Patente exame quanto à novidade, atividade inventiva, aplicação industrial e suficiência descritiva proteção para a aplicação prática da idéia e não para a idéia em si EAndrade 11

12 Principais Diferenças Direito de Autor o registro é facultativo o direito emerge da comprovação da autoria Patente o depósito é obrigatório rio o direito emerge do depósito do pedido e sua concessão a abrangência internacional (TRIPS) a validade nacional EAndrade 12

13 Analogia SW X HW se entendemos que a solução de um problema técnico gera uma invenção; se a implementação de uma solução por software ou por hardware é uma decisão de projeto => não se pode diferenciar a implementação por SW ou HW Software Patents in Europe - Software Patents A Global Perspective, pg 5 IBM EAndrade 13

14 Automatização de Processos P R O C E S S O S A PROCES- SADOR (controlador) MEMÓ- RIA VISUALI- ZADOR EAndrade 14

15 Forno Elétrico (EP291302) Forno elétrico no qual a temperatura é controlada por microprocessador, de acordo com o modo de operação selecionado, estando gravadas as características de energização EAndrade 15

16 EAndrade 16

17 Casos de utilização total do sistema Caso Stac v. Microsoft A Stac acionou a µsoft por violação de patente e µsoft acionou a Stac por violação de segredo. Ambas ganharam as ações A criadora do bi-fuel solicitou patentes, registro do software e trabalha com segredo com relação à sua criação EAndrade 17

18 Legislação

19 Legislação Nacional Lei 9609 de Lei do Software; Lei 9610 de Lei dos Direitos Autorais - LDA -, dispõe sobre a matéria não disciplinada na Lei 9.609/98; PL 5535/09: Aumenta as penas e confere indenização ao titular dos direitos violados de programa de computador (pirataria de software). Decreto 2556 de estabelece a competência para o INPI da aplicação da Lei 9.609/98; Resolução INPI 058/98 - estabelece normas e procedimentos específicos relativos ao registro. Resolução INPI 201/09 estabelece a possibilidade de depósito da documentação Técnica em CD/DVD EAndrade 19

20 PL 5535/09 Cria novas formas de violação dos DPI de Sw Publicar, ofertar o serviço de publicidade ou fazer veicular por qualquer meio, convencional ou eletrônico, anúncio ou informação destinada à compra, venda, aluguel, importação, exportação de original ou cópia de programa de computador, em violação ao direito do autor Antes, apenas: reproduz, vende, expõe à venda, introduz no País, adquire, oculta ou tem em depósito (comércio), sw produzido com violação de direito autoral. Aumenta o mínimo das penas cabíveis Reclusão de 1 para de 2 anos e 2 meses. EAndrade 20

21 Direito de Autor - natureza Direitos Morais Direitos inalienáveis e irrenunciáveis. Direitos Patrimoniais Direitos negociáveis $ EAndrade 21

22 Direitos Morais (SW) Direito de paternidade; Direito de opor se a alterações não -autorizadas, quando estas impliquem em deformação, mutilação ou outra modificação do programa de computador,que venham a prejudicar a sua honra ou reputação. EAndrade 22

23 Direitos Patrimoniais (SW) Direito de Reprodução; Direito de Comercialização; Direito de Locação; Direito de Autorização de Modificações; Direito de Utilizar a obra por qualquer meio. EAndrade 23

24 Importante! o registro é declaratório => pode ser superado por outra evidência que seja aplicável uma criação anterior afeta a originalidade de outra posterior, apenas se houver apropriação indevida de material da primeira pela segunda criação (prova) EAndrade 24

25 Vantagens

26 Vantagens do Registro o registro provê segurança jurídica aos negócios o INPI provê back up sigiloso e seguro do registro, o que garante forte evidência em casos de disputas, quantas vezes necessário sem que a prova seja invalidada, firmando a data da criação e atestando autoria reconhecimento internacional (TRIPS); EAndrade 26

27 Vantagens do Registro Nos casos de transferência de direitos, o contrato pode ser averbado no certificado, garantindo os direitos das partes contratantes e de terceiros; Necessário para participar de licitações governamentais e conta como titulo para mestrados e doutorados Dedução fiscal EAndrade 27

28 O Processamento

29 Portal do INPI - informações EAndrade 29

30 Portal do INPI - informações EAndrade 30

31 Informações Básicas EAndrade 31

32 Página da GRU Portal INPI EAndrade 32

33 Registro de Programa de Computador A documentação para o registro é constituída por: documentação técnica: CD/DVD envelope SEDEX Papel - invólucros documentação formal. Toda informação prestada é considerada verdadeira, respondendo o depositante pelas mesmas. EAndrade 33

34 Documentação Técnica - eletrônica Resolução INPI 201/09 Documentação técnica em CD ou DVD Duas vias, cada uma apresentada em caixa plástica convencional de acondicionamento de CD s, resistente e apropriada, que garanta a integridade da mídia cada caixa deverá ser colocada em um envelope SEDEX. Comprado nos Correios, tamanho A4 (médio), plástico EAndrade 34

35 Documentação Técnica eletrônica Para a apresentação do pedido nas recepções do INPI, o conjunto deverá ser acondicionado em envelope comum. Depois de protocolado o material, a via da documentação técnica do depositante poderá ser devolvida imediatamente já com seu número de protocolo geral. EAndrade 35

36 Documentação Técnica - eletrônica Para a apresentação do pedido pela via postal, o conjunto deverá ser acondicionado em envelope apropriado, endereçado à sede do INPI/DIREPRO, e através de serviço que garanta a inviolabilidade e o aviso de recebimento. O INPI não receberá qualquer volume de documentos em que sejam constatados sinais de violação, procedendo imediatamente à devolução do material ao depositante. EAndrade 36

37 Documentação Técnica - eletrônica Documentação técnica gravada em CD/DVD: mídias não regraváveis; O formato deverá ser o PDF - Portable Document Format; Os arquivos não deverão estar protegidos, por senha ou qualquer outro meio, contra a cópia, impressão ou qualquer outra utilização. EAndrade 37

38 Documentação Técnica... Listagem integral ou parcial do programa e outros dados que caracterizem sua criação independente, identificando o programa e caracterizando a sua originalidade. Lei nº 9.609/98, art. 3º, 1º, inciso III. Só é ilegal se for cópia ou roubo. EAndrade 38

39 Documentação Técnica A documentação técnica, apesar de poder conter apenas trechos do programa, estes trechos devem ser capazes de caracterizar a criação independente e identificar o programa Lei nº 9.609/98, art. 3º, 1º, inciso III; O Registro só terá a eficácia desejada, se a documentação técnica demonstrar que o programa correspondente é aquele que se encontra depositado. EAndrade 39

40 Documentação Formal... Formulário pedido de registro; Guia de Recolhimento; Procuração; Documento comprobatório de titularidade; Autorização para cópia do CD/DVD; Autorização titular do programa original. EAndrade 40

41 Classificações Tipo de programa Campo de aplicação Disponíveis no Portal do INPI EAndrade 41

42 EAndrade 42

43 Atenção! Criador do programa: pode ser mais de um; só pode ser pessoa física. Se o titular autor: documentos comprobatórios da transferência de direitos: documento de cessão de direitos; comprovação de vínculo Válido à época da criação. EAndrade 43

44 Documento comprobatório de vínculo: A parte do contrato ou documento com as disposições pactuadas apresentado deve evidenciar que: O programa foi desenvolvido/elaborado na vigência do contrato/vínculo/estatutário; e É destinado à P & D ou estar prevista a atividade do empregado, servidor ou prestador de serviços ou decorrer da própria natureza dos encargos contratados. EAndrade 44

45 Documento de Cessão: devem constar claramente os direitos, objeto da cessão, e as condições de seu exercício quanto ao tempo, ao lugar e às condições de remuneração o documento deverá ser firmado pelo criador do programa (cedente) e pelo depositante (cessionário) ou pelo titular (cedente) e pelo depositante (cessionário); Será interpretada restritivamente. EAndrade 45

46 EAndrade 46

47 Procuração: Explicitar os poderes: Propriedade Intelectual; Instrumento público ou particular; Nome do signatário; Assinatura nítida; Datada e, no prazo de validade; Substabelecimento => expressos os poderes; Cópia => autenticada. EAndrade 47

48 Programa modificado, derivado? Deve ser apresentada autorização para modificação/derivação com os dados: título do programa original; Número do programa original, se houver limite da autorização, se houver; apresentar apenas as modificações (inclusões e exclusões). EAndrade 48

49 Exame de Registrabilidade Apenas a documentação formal é examinada. documentação técnica sigilo Informação dos atos do INPI: APENAS RPI (Patentes) => MUDOU!!!! Publicação depósito, transf. Titularidade, deferimento, certificado Cumprimento de exigências 60 dias da notificação/recebimento; Cabe recurso contra o deferimento - 60 dias documentação formal EAndrade 49

50 Exame de Registrabilidade Problemas Não preenchimento de todos os dados; Mesmo que o criador seja sócio ou dono da empresa, deverá ser apresentado um documento de cessão da pessoa física para a pessoa jurídica; Data de criação do programa posterior aa contratação do desenvolvedor EAndrade 50

51 Exame de Registrabilidade Problemas Procuração específica para propriedade industrial; Cópia de procuração não autenticada; Se o título do programa pode ser abreviado, deverão ser apresentadas as duas formas de escrita, tal como: CCA Controle de Caixa Automático, em toda a documentação formal; EAndrade 51

52 Problemas no Exame função do empregado não compatível com o desenvolvimento de programas contrato de trabalho com um item especificando que o empregado concorda que qualquer programa de computador desenvolvido na empresa é de propriedade única e exclusiva da empresa EAndrade 52

53 Formulário de Pedido EAndrade 53

54 Formulário de Pedido EAndrade 54

55 Formulário de Pedido EAndrade 55

56 Formulário de Pedido EAndrade 56

57 Formulário de Pedido EAndrade 57

58 EAndrade 58

59 EAndrade 59

60 Nova Resolução - novidades Comunicações dos atos pela RPI - Patentes acompanhamento da RPI se faz necessário. Não haverá mais reiteração de exigências Não cumprimento das exigências arquivamento do pedido (Lei do Processo Administrativo, artigo 40). O certificado de Registro disponível na recepção do INPI ou na Representação do INPI do estado em que o pedido foi depositado. EAndrade 60

61 Licenciamento e Contrafação

62 Contratos de Licenças Uso basta documento fiscal de aquisição ou licenciamento de cópia; Comercializaçã ção - precisa de contrato entre partes; Transferência ncia de Tecnologia deve ser averbado no INPI. EAndrade 62

63 Uso Legítimo (Fair Use)... Não constituem ofensa aos direitos do titular de programa de computador (art.6º, Lei 9.609/98): Reprodução, em um só exemplar, de cópia adquirida de forma legítima, desde que se destine à backup; Citação parcial, para fins didáticos, desde que sejam identificados o programa e o titular dos respectivos direitos; EAndrade 63

64 Uso Legítimo (Fair Use) Ocorrência de semelhança de programa a outro já existente, quando se der por força das características funcionais de sua aplicação, da observância de preceitos normativos e técnicos ou de limitação de forma alternativa para a sua expressão; Integração de um programa, desde que sejam mantidas suas características essenciais, a um sistema aplicativo ou operacional. EAndrade 64

65 ILÍCITO (TRIPS) - LDA Art Independentemente da perda dos equipamentos utilizados, responderá por perdas e danos, nunca inferiores... à aplicação do... art. 103, quem alterar, suprimir, modificar ou inutilizar, de qualquer maneira: I - dispositivos técnicos introduzidos nos exemplares das obras e produções protegidas para evitar ou restringir sua cópia; II - os sinais codificados destinados a restringir a comunicação ao público de obras, produções ou emissões protegidas ou a evitar a sua cópia;... EAndrade 65

66 ILÍCITO (TRIPS) - LDA Art Quem editar obra literária, artística ou científica, sem autorização do titular, perderá para este os exemplares que se apreenderem e pagar-lhe-á o preço dos que tiver vendido. Parágrafo único. Não se conhecendo o número de exemplares que constituem a edição fraudulenta, pagará o transgressor o valor de três mil exemplares, além dos apreendidos. EAndrade 66

67 Lim./Exceções à Proteção Fair Use (EUA) Atos relativos a: Crítica Comentários Notícias Ensino pesquisa Teste dos 4 fatores: Propósito do uso ($) Natureza do trabalho Porção => f(todo) Efeito sobre o mercado EAndrade 67

68 ILÍCITO Fácil identificação - cópia => pirataria Difícil identificação engenharia reversa, cópia de algumas linhas e pequenas modificações para parecer uma criação independente => falsificação se houver apropriação indevida de material de uma criação anterior (prova). EAndrade 68

69 Infrações e Penalidades... Cópia sem autorização do titular violação dos direitos de autor de Software: Pena - Detenção de seis meses a dois anos ou multa. Se copia com fins de comércio ou vende, expõe à venda, introduz no País, adquire, oculta ou tem em depósito com fim comercial, material produzido com violação : Pena - Reclusão de um a quatro anos e multa. EAndrade 69

70 Infrações e Penalidades Cabe ação penal, ação para proibir ao infrator a prática do ato incriminado e ação de perdas e danos pelos prejuízos decorrentes de infração (cívil). Independentemente de ação cautelar preparatória, o juiz poderá conceder medida liminar proibindo ao infrator a prática do ato incriminado. EAndrade 70

71 Casos na Justiça - funcionalidade Vida Executiva Tecnologia S.C. Ltda. v. Kolynos do Brasil Ltda. TJ/SP - 4ª C.D.Privado, Apelação No /6/SP Relator: Maia da Cunha CONCLUSÃO - A existência de semelhanças nos programas não é, por si só, causa de ferimento a direito autoral, nos termos do art. 6º da Lei 9609/98. Audit Business Solutions Ltda. v. ICOMS Soluções Comunicação Interconexão Ltda.- TJ/MG - 14ª C.C.Apelação No /002/06 Uberlândia - Relator: Dídimo Inocêncio de Paula CONCLUSÃO: Os programas de computador são protegidos pelo direito autoral e por isso comportam proteção apenas de seu meio exterior, razão pela qual é lícita a criação de software com finalidade assemelhada à de outro. EAndrade 71

72 Casos na Justiça - cópia Barsa Planeta Internacional Ltda v. Stand Center Comércio e Promoção de Feiras e Eventos Ltda e Outros - TJ/SP - 36ª CC Autos nº100/05 Relatora: Tatiana Magosso CONCLUSÃO: Cessar a reprodução e comercialização dos programas de computador da autora e destruir os exemplares aprendidos e indenizar Responsabilidade de quem explora economicamente o prédio onde há prática de pirataria. Valor exemplar da condenação: R$ ,00 sc=if EAndrade 72

73 ESTATÍSTICAS

74 Depósitos por ano T = Depósitos depósitos anos EAndrade 74

75 PJ (2665) x PJ (2598) Pedidos PFxPJ PF 51% PJ 49% PJ PF EAndrade 75

76 Depósitos por ano, por estados ESTADOS (UF) Amazonas Bahia Espírito Santo Minas Gerais Paraná Pernambuco Rio de Janeiro Rio Grande do Sul Santa Catarina São Paulo Demais Estados Empresas Estrangeiras TOTAL EAndrade 76

77 Depósito de Universidades UNICAMP - 90 PUC-RJ, UFSC 25 USP - 22 UFRS 15 UFMG 14 UFRJ 12 EAndrade 77

78 Proteção à Topografia de Circuitos Integrados Lei /07

79 Legislação de Proteção Intelectual da Topografia de CI Lei de , Capítulo III Proteção sui generis Art. 30 especifica: O registro deve ser feito no INPI; A proteção depende de registro. Resolução INPI 187/08 EAndrade 79

80 Definições... CI produto, final ou intermediário, ao menos um elemento ativo, com suas interconexões formadas sobre ou no interior de uma peça com a finalidade de desempenhar uma função eletrônica. Topografia de CI uma série de imagens relacionadas que represente a configuração tridimensional das camadas que compõem um CI e na qual cada imagem represente, no todo ou em parte, a disposição geométrica ou arranjos da superfície do CI EAndrade 80

81 Dos Direitos Conferidos pela Proteção... Direito exclusivo de explorar a topografia, sendo vedado a terceiros sem o consentimento do titular (art. 36): reproduzi-la, no todo ou em parte, por qualquer meio, inclusive incorporá-la a um CI; importar, vender ou distribuir, com fins comerciais, um produto que contenha topografia protegida ou a topografia protegida ou um circuito integrado no qual esteja incorporada uma topografia protegida EAndrade 81

82 Características Duração do Direito - 10 anos contados da data do depósito do pedido de registro ou da 1 a exploração, o que tiver ocorrido primeiro. A proteção independe da fixação da topografia O pedido deverá referir-se a uma única topografia (art. 31), original (art. 29): Que seja a combinação de elementos e interconexões comuns ou que incorpore a topografia protegida (aut.) Que resulte de esforço intelectual, que não seja comum ou vulgar para técnico no assunto EAndrade 82

83 Concessão do Direito exame formal O QUE FAZER????? INPI fará exame formal e quem se sentir prejudicado deverá entrar com uma ação de nulidade do registro quanto à Única topografia Originalidade Esforço intelectual, que não seja comum ou vulgar EAndrade 83

84 O registro da topografia de circuito integrado vigorará pelo prazo de 10 anos, do que tiver ocorrido primeiro: data de depósito data da 1ª exploração da topografia Brasil ou no exterior EAndrade 84

85 O Pedido de Registro... Deve se referir a apenas uma topografia Descrição da topografia e de sua função Desenhos/fotos da topografia Circuito integrado relativo à topografia requerida Declaração de exploração anterior, se houver EAndrade 85

86 O Pedido de registro... Documento comprobatório de titularidade ou documento de cessão Autorização do titular de topografia original protegida Tradução pública juramentada de docs. em língua estrangeira GRU paga Procuração, se for o caso EAndrade 86

87 O Pedido de registro Descrição de todos os elementos que compõem a topografia, tais como: memórias, conversores e controladores, e o número de imagens que representam a configuração tridimensional da topografia de maneira ordenada Circuito Integrado deve ser apresentado em até 6 meses da data do depósito independente de notificação ou exigência Caso não seja apresentado, o pedido de registro será definitivamente arquivado EAndrade 87

88 Do Exame... O exame se aterá apenas à parte formal da documentação Se devidamente instruído pode ser concedido o registro Prazo de 10 dias da publicação do deferimento para eventuais recursos documentação formal EAndrade 88

89 Do Exame... Caso haja irregularidades, serão formuladas exigências Prazo de cumprimento 60 dias Não cumprimento arquivamento definitivo Cumpridas as exigências => concessão do registro ainda que devidamente instruído, se indicar data de início de exploração > que 2 anos, contados da data de depósito pedido definitivamente arquivado EAndrade 89

90 Cabe Solicitação de sigilo, no ato do depósito prazo - 6 meses a partir do depósito retirada, sem a produção de qualquer efeito Divisão de pedido => + 1 topografia exigência Desistência do Pedido Recurso Renúncia do registro Nulidade Todos estes atos são publicados na RPI EAndrade 90

91 Obrigada pela atenção! Tel:

Proteção dos Programas de Computador INPI - UNESP

Proteção dos Programas de Computador INPI - UNESP Proteção dos Programas de Computador INPI - UNESP Elvira Andrade Diretoria de Contratos e Outros Registros Divisão de Registro de Programa de Computador Botucatu - Junho de 2009 Pontos Abordados Legislação

Leia mais

A PROTEÇÃO DOS PROGRAMAS DE COMPUTADOR

A PROTEÇÃO DOS PROGRAMAS DE COMPUTADOR A PROTEÇÃO DOS PROGRAMAS DE COMPUTADOR Divisão de Registro de Programa de Computador Victor Pimenta M. Mendes Fortaleza - CE Setembro- 2010 Propriedade Intelectual Propriedade Intelectual Propriedade Industrial

Leia mais

Proteção do Conhecimento: Operacionalizando Registros de Programas de Computador

Proteção do Conhecimento: Operacionalizando Registros de Programas de Computador Proteção do Conhecimento: Operacionalizando Registros de Programas de Computador Elvira Andrade Divisão de Registro de Programas de Computador - INPI Fortaleza 2007 PROPRIEDADE INTELECTUAL 1. Propriedade

Leia mais

3 PROGRAMA DE COMPUTADOR...2

3 PROGRAMA DE COMPUTADOR...2 Sumário 3 PROGRAMA DE COMPUTADOR...2 3.1 Conceito de Software...2 3.2 Aplicação do Direito Autoral...2 3.3 Direitos...2 3.4 Titularidade e Autoria...3 3.5 Prazo de Proteção...3 3.6 Registro...3 3.7 Relação

Leia mais

LEI DE PROGRAMA DE COMPUTADOR

LEI DE PROGRAMA DE COMPUTADOR LEI DE PROGRAMA DE COMPUTADOR LEI Nº 9.609, de 19 de fevereiro de 1998 Dispõe sobre a proteção de propriedade intelectual de programa de computador, sua comercialização no País, e dá outras providências.

Leia mais

Lei nº 9.609, de 19 de fevereiro de 1998.

Lei nº 9.609, de 19 de fevereiro de 1998. Lei de Software Lei nº 9.609, de 19 de fevereiro de 1998. Dispõe sobre a proteção da propriedade intelectual de programa de computador, sua comercialização no País, e dá outras providências. O PRESIDENTE

Leia mais

PROPRIEDADE INTELECTUAL PROTEÇÃO JURÍDICA DO SOFTWARE

PROPRIEDADE INTELECTUAL PROTEÇÃO JURÍDICA DO SOFTWARE PROPRIEDADE INTELECTUAL PROTEÇÃO JURÍDICA DO SOFTWARE UNISINOS Unidade 07 Professora Liz Beatriz Sass 2010/II O direito brasileiro e a informática Lei nº 7.232/84 Política Nacional de Informática Criou

Leia mais

PROTEÇÃO AO PROGRAMA DE COMPUTADOR. Divisão de Registro de Programas de Computador e Topografia de Circuitos DICIG / CGIR / DIPTO

PROTEÇÃO AO PROGRAMA DE COMPUTADOR. Divisão de Registro de Programas de Computador e Topografia de Circuitos DICIG / CGIR / DIPTO PROTEÇÃO AO PROGRAMA DE COMPUTADOR Divisão de Registro de Programas de Computador e Topografia de Circuitos DICIG / CGIR / DIPTO PROPRIEDADE INDUSTRAL PROPRIEDADE INTELECTUAL DIREITO AUTORAL PROTEÇÃO SUI

Leia mais

Lei de Proteção da Propriedade Intelectual de Programa de Computador. Lei Federal n o 9.609 de 19/02/1998

Lei de Proteção da Propriedade Intelectual de Programa de Computador. Lei Federal n o 9.609 de 19/02/1998 Lei de Proteção da Propriedade Intelectual de Programa de Computador Lei Federal n o 9.609 de 19/02/1998 Lei Federal n o 9.609 de 19/02/1998 Promulgada em conjunto com a Lei n o 9.610/98 de DIREITOS AUTORAIS,

Leia mais

PRESIDÊNCIA 31/10/2011 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 273 / 2011

PRESIDÊNCIA 31/10/2011 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 273 / 2011 PRESIDÊNCIA 31/10/2011 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 273 / 2011 EMENTA: Estabelece os procedimentos relativos ao depósito e processamento de pedidos de registro de topografia de circuito integrado no INPI. O

Leia mais

Dreaming in Digital, Living in Real Time, Thinking in Binary, Talking in IP? Welcome to your wolrd!

Dreaming in Digital, Living in Real Time, Thinking in Binary, Talking in IP? Welcome to your wolrd! Dreaming in Digital, Living in Real Time, Thinking in Binary, Talking in IP? Welcome to your wolrd! Leis de Software U M A V I S Ã O D O S A S P E C T O S R E G U L A T Ó R I O S D A T E C N O L O G I

Leia mais

Computadores e Sociedade II. Direito Autoral e Propriedade Intelectual

Computadores e Sociedade II. Direito Autoral e Propriedade Intelectual Computadores e Sociedade II Direito Autoral e Propriedade Intelectual Guilherme T. Yagui 6426698 Mateus Brandão de Pontes 6427208 Rodrigo Hideki Koga 6427254 Vinícius Marques Stocco 6427233 Tópicos Motivação

Leia mais

DIREITOS AUTORAIS, SOFTWARE, SOFTWARE LIVRE, Augusto Tavares Rosa Marcacini

DIREITOS AUTORAIS, SOFTWARE, SOFTWARE LIVRE, Augusto Tavares Rosa Marcacini DIREITOS AUTORAIS, SOFTWARE, SOFTWARE LIVRE, Augusto Tavares Rosa Marcacini IME USP Outubro/2007 Direitos Autorais Lei nº 9.610/98 Propriedade imaterial Direitos autorais Propriedade industrial Direitos

Leia mais

Registros de Programas de Computador

Registros de Programas de Computador Curso de Capacitação de Gestores de Tecnologia em Propriedade Intelectual Registros de Programas de Computador Maria Alice Camargo Calliari Coordenadora Geral de Outros Registros Diretoria de Transferência

Leia mais

PRESIDÊNCIA 18/03/2013 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 11/2013

PRESIDÊNCIA 18/03/2013 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 11/2013 PRESIDÊNCIA 18/03/2013 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 11/2013 EMENTA: Estabelece normas e procedimentos relativos ao registro de programas de computador O PRESIDENTE DO INPI, no exercício de suas atribuições,

Leia mais

ANEXO. TABELA DE RETRIBUIÇÕES DOS SERVIÇOS PRESTADOS PELO INPI (valores em Reais)

ANEXO. TABELA DE RETRIBUIÇÕES DOS SERVIÇOS PRESTADOS PELO INPI (valores em Reais) ANEXO TABELA DE RETRIBUIÇÕES DOS SERVIÇOS PRESTADOS PELO INPI (valores em Reais) Código 200 201 Descrição do serviço Pedido nacional de invenção; Pedido nacional de modelo de utilidade; Pedido nacional

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL ALAGOAS PROGRAMA DE COMPUTADOR

INSTITUTO FEDERAL ALAGOAS PROGRAMA DE COMPUTADOR INSTITUTO FEDERAL ALAGOAS PROGRAMA DE COMPUTADOR INSTITUTO FEDERA DE ALAGOAS. Núcleo de Inovação Tecnológica. Programa de Computador. Maceió. 2015. 11 p. 03 O QUE É UM PROGRAMA DE COMPUTADOR O programa

Leia mais

MARINHA DO BRASIL SECRETARIA DE CIÊNCIA, TECNOLOGIAE INOVAÇÃO DA MARINHA NORMAS PARA PROTEÇÃO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL NA MB

MARINHA DO BRASIL SECRETARIA DE CIÊNCIA, TECNOLOGIAE INOVAÇÃO DA MARINHA NORMAS PARA PROTEÇÃO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL NA MB Anexo(5), da Port nº 26/2011, da SecCTM MARINHA DO BRASIL SECRETARIA DE CIÊNCIA, TECNOLOGIAE INOVAÇÃO DA MARINHA NORMAS PARA PROTEÇÃO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL NA MB 1 PROPÓSITO Estabelecer orientações

Leia mais

Legislação em Informática. Prof. Ms. Victor Bartholomeu. Contato: victor@bartholomeu.adv.br victor.bartholomeu.adv.br

Legislação em Informática. Prof. Ms. Victor Bartholomeu. Contato: victor@bartholomeu.adv.br victor.bartholomeu.adv.br Legislação em Informática Prof. Ms. Victor Bartholomeu Contato: victor@bartholomeu.adv.br victor.bartholomeu.adv.br Bem-aventurado o homem que acha sabedoria, e o homem que adquire conhecimento; Porque

Leia mais

Inovação da Ideia ao Mercado

Inovação da Ideia ao Mercado Inovação da Ideia ao Mercado Como proteger minha Inovação 26.05.2015 AHK-SP Henrique Steuer I. de Mello henrique@dannemann.com.br dannemann.com.br 2013 2013 Dannemann Dannemann Siemsen. Siemsen. Todos

Leia mais

Noções de Direito e Legislação da Informática FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Noções de Direito e Legislação da Informática FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO LUIZ GUILHERME JULIANO PIROZZELLI TULIO TSURUDA WISLIY LOPES Noções de Direito e Legislação da Informática GOIÂNIA JUNHO DE 2014 RELACIONAR

Leia mais

Brasília, agosto de 2005.

Brasília, agosto de 2005. Brasília, agosto de 2005. A Proteção Legal das Jóias As jóias podem ser protegidas, legalmente, por duas naturezas jurídicas: 1. Registro de Desenho Industrial O desenho industrial protege a forma nova

Leia mais

NIT NÚCLEO DE INOVACAO TECNOLOGICA

NIT NÚCLEO DE INOVACAO TECNOLOGICA REGISTRO DE SOFTWARES Núcleo de Inovação Tecnológica Brauliro Gonçalves Leal Colegiado de Engenharia da Computação Coordenador do www.univasf.edu.br/~brauliro.leal Alana Maria Souza Siqueira Bacharel em

Leia mais

3º A proteção aos direitos de que trata esta Lei independe de registro.

3º A proteção aos direitos de que trata esta Lei independe de registro. Lei Nº 9.609 CAPÍTULO II DA PROTEÇÃO AOS DIREITOS DE AUTOR E DO REGISTRO Art. 2º O regime de proteção à propriedade intelectual de programa de computador é o conferido às obras literárias pela legislação

Leia mais

PRESIDÊNCIA 06 / 03 / 2014 RESOLUÇÃO Nº 126 / 14

PRESIDÊNCIA 06 / 03 / 2014 RESOLUÇÃO Nº 126 / 14 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL PRESIDÊNCIA 06 / 03 / 2014 RESOLUÇÃO Nº 126 / 14 Assunto: Dispõe sobre

Leia mais

RESOLUÇÃO CA Nº 011/2012

RESOLUÇÃO CA Nº 011/2012 RESOLUÇÃO CA Nº 011/2012 Dispõe sobre a regulamentação da propriedade intelectual no âmbito da Faculdade Independente do Nordeste - FAINOR O Presidente do Conselho Acadêmico, no uso de suas atribuições

Leia mais

PROPRIEDADE INTELECTUAL O Que é? Para Que Serve? Eduardo Winter Coordenador de Programas de Pós- Graduação e Pesquisa INPI

PROPRIEDADE INTELECTUAL O Que é? Para Que Serve? Eduardo Winter Coordenador de Programas de Pós- Graduação e Pesquisa INPI PROPRIEDADE INTELECTUAL O Que é? Para Que Serve? Eduardo Winter Coordenador de Programas de Pós- Graduação e Pesquisa INPI Maio / 2011 Propriedade Intelectual É o conjunto de direitos que incidem sobre

Leia mais

Propriedade Intelectual

Propriedade Intelectual CAPÍTULO 15 Propriedade Intelectual Apresentação A Propriedade Intelectual possui duas vertentes: (a) Propriedade Industrial (Patentes, Marcas e Desenhos, Indicações Geográficas de procedência e de origem)

Leia mais

RESOLVE: Número. De 8. Folha 1 Entrada em vigor

RESOLVE: Número. De 8. Folha 1 Entrada em vigor 1 O Presidente da Fundação Oswaldo Cruz, no Uso de suas atribuições e da competência que lhe foi delegada pela Portaria do MS/nº 93, de 22.07.99, RESOLVE: 1.0 PROPÓSITO Estabelecer as Diretrizes Institucionais

Leia mais

Propriedade intelectual Câmpus Pato Branco NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DIRETORIA DE RELAÇÕES EMPRESARIAIS E COMUNITÁRIAS

Propriedade intelectual Câmpus Pato Branco NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DIRETORIA DE RELAÇÕES EMPRESARIAIS E COMUNITÁRIAS Propriedade intelectual Câmpus Pato Branco NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA O que é a propriedade intelectual? A convenção da Organização Mundial da Propriedade Intelectual define como propriedade intelectual:

Leia mais

Propriedade Industrial. (Lei 9.279/96) Direitos Autorais (Lei 9.610/98)

Propriedade Industrial. (Lei 9.279/96) Direitos Autorais (Lei 9.610/98) Propriedade Industrial Patentes (Lei 9.279/96) Invenção Modelo de Utilidade Desenho Industrial Marcas Direitos Autorais (Lei 9.610/98) Software (Lei n 9.609/98) Patentes Invenção/Modelo de Utilidade Proteção

Leia mais

Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento. Douglas Farias Cordeiro

Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento. Douglas Farias Cordeiro Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento Douglas Farias Cordeiro ABNT NBR ISO/IEC 27002 Gestão de incidentes de segurança da informação Objetivo Os incidentes de segurança da informação precisam

Leia mais

CONTRATO DE LICENCIAMENTO DE CONTEÚDO

CONTRATO DE LICENCIAMENTO DE CONTEÚDO CONTRATO DE LICENCIAMENTO DE CONTEÚDO São partes ( Partes ), neste instrumento particular ( Contrato ):, inscrito no CNPJ/MF sob n.o, com sede na cidade de, estado de na, doravante denominado LICENCIADO,

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO TRANS-MUX (EXPLORAÇÃO INDUSTRIAL DE LINHA DEDICADA EILD) ANEXO 3 TERMO DE COMPROMISSO DE CONFIDENCIALIDADE

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO TRANS-MUX (EXPLORAÇÃO INDUSTRIAL DE LINHA DEDICADA EILD) ANEXO 3 TERMO DE COMPROMISSO DE CONFIDENCIALIDADE CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO TRANS-MUX (EXPLORAÇÃO INDUSTRIAL DE LINHA DEDICADA EILD) ANEXO 3 TERMO DE COMPROMISSO DE CONFIDENCIALIDADE 1. OBJETIVO Este Anexo ao Contrato de Prestação de Serviço TRANS-MUX

Leia mais

PROPRIEDADE INTELECTUAL O Que é? Para Que Serve? Eduardo Winter Coordenador de Programas de Pós- Graduação e Pesquisa INPI

PROPRIEDADE INTELECTUAL O Que é? Para Que Serve? Eduardo Winter Coordenador de Programas de Pós- Graduação e Pesquisa INPI PROPRIEDADE INTELECTUAL O Que é? Para Que Serve? Eduardo Winter Coordenador de Programas de Pós- Graduação e Pesquisa INPI Abril / 2011 Propriedade Intelectual É o conjunto de direitos que incidem sobre

Leia mais

RESOLUÇÃO N 49, DE 27 DE SETEMBRO DE 2012

RESOLUÇÃO N 49, DE 27 DE SETEMBRO DE 2012 RESOLUÇÃO N 49, DE 27 DE SETEMBRO DE 2012 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sua 33ª Reunião Ordinária, realizada no dia vinte e sete de setembro de 2012, no uso das atribuições

Leia mais

Lei 9609, Lei 9610, Lei 12.737 e Marco Cívil da Internet

Lei 9609, Lei 9610, Lei 12.737 e Marco Cívil da Internet Faculdade de Tecnologia Lei 9609, Lei 9610, Lei 12.737 e Marco Cívil da Internet Alunos: Anderson Mota, André Luiz da Silva, Misael Bezerra, Rodrigo Damasceno Kaji. GTI 5 Noturno Noções de Direito Prof.

Leia mais

PROTOCOLO DE HARMONIZAÇÃO DE NORMAS EM MATERIA DE DESENHOS INDUSTRIAIS

PROTOCOLO DE HARMONIZAÇÃO DE NORMAS EM MATERIA DE DESENHOS INDUSTRIAIS MERCOSUL/CMC/DEC N 16/98 PROTOCOLO DE HARMONIZAÇÃO DE NORMAS EM MATERIA DE DESENHOS INDUSTRIAIS TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção e o Protocolo de Ouro Preto e a Decisão Nº 8/95 do Conselho do Mercado

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA

POLÍTICA DE SEGURANÇA POLÍTICA DE SEGURANÇA GADE SOLUTION Tatiana Lúcia Santana GADE SOLUTION 1. Conceituação: A informação é um dos principais patrimônios do mundo dos negócios. Um fluxo de informação de qualidade é capaz

Leia mais

A COMPLETA INSTALAÇÃO DESTE SOFTWARE IMPLICA NA IMEDIATA ACEITAÇÃO DE TODOS OS SEUS TERMOS E CONDIÇÕES.

A COMPLETA INSTALAÇÃO DESTE SOFTWARE IMPLICA NA IMEDIATA ACEITAÇÃO DE TODOS OS SEUS TERMOS E CONDIÇÕES. SIGMA SISTEMA GERENCIAL DE MANUTENÇÃO CONTRATO DE LICENÇA DE USO E GARANTIA A COMPLETA INSTALAÇÃO DESTE SOFTWARE IMPLICA NA IMEDIATA ACEITAÇÃO DE TODOS OS SEUS TERMOS E CONDIÇÕES. 1.0. INDENTIFICAÇÃO DO

Leia mais

Propriedade Industrial. Curso de Engenharia de Telecomunicações Legislação Professora Msc Joseane Pepino de Oliveira

Propriedade Industrial. Curso de Engenharia de Telecomunicações Legislação Professora Msc Joseane Pepino de Oliveira Propriedade Industrial Curso de Engenharia de Telecomunicações Legislação Professora Msc Joseane Pepino de Oliveira 1 PROPRIEDADE INTELECTUAL Propriedade intelectual é gênero, do qual são espécies: o O

Leia mais

Dispõe sobre a proteção da propriedade intelectual de programa de computador, sua comercialização no País e dá outras providências.

Dispõe sobre a proteção da propriedade intelectual de programa de computador, sua comercialização no País e dá outras providências. A Lei Do Software Lei nº 9.609, de 19/02/98 Dispõe sobre a proteção da propriedade intelectual de programa de computador, sua comercialização no País e dá outras providências. O software só adquiriu proteção

Leia mais

considerando a necessidade de regulamentar a propriedade intelectual da Unoesc;

considerando a necessidade de regulamentar a propriedade intelectual da Unoesc; RESOLUÇÃO Nº 213/CONSUN/2009. Define política e diretrizes para a gestão da Propriedade Intelectual no âmbito da Unoesc. O Conselho Universitário da Universidade do Oeste de Santa Catarina, no uso de suas

Leia mais

DIREITOS AUTORAIS EM ESPAÇOS DIGITAIS. Guilherme Carboni

DIREITOS AUTORAIS EM ESPAÇOS DIGITAIS. Guilherme Carboni DIREITOS AUTORAIS EM ESPAÇOS DIGITAIS Guilherme Carboni I. CRIAÇÕES INTELECTUAIS PROTEGIDAS PELA PROPRIEDADE INTELECTUAL Campo da Técnica Campo da Técnica Campo Estético Campo Estético Propriedade Industrial

Leia mais

CONTRATO DE API. iporto.com Serviços de Internet LTDA CNPJ: 09.249.136/0001-04

CONTRATO DE API. iporto.com Serviços de Internet LTDA CNPJ: 09.249.136/0001-04 CONTRATO DE API iporto.com Serviços de Internet LTDA CNPJ: 09.249.136/0001-04 Última revisão: 03 de julho de 2015 1. VISÃO GERAL: 1.1. Este é um contrato entre o CONTRATANTE, aqui anuente, e a CONTRATADA

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL Resolução INPI 58/98 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL DIRETORIA DE CONTRATOS DE TECNOLOGIA E OUTROS REGISTROS

Leia mais

PROPRIEDADE INDUSTRIAL - IV. 1. História e conceito do Direito Industrial:

PROPRIEDADE INDUSTRIAL - IV. 1. História e conceito do Direito Industrial: PROPRIEDADE INDUSTRIAL - IV 1. História e conceito do Direito Industrial: - Como referência ao direito industrial encontramos o uso da expressão marca e patente. Este ramo do direito teve início na Inglaterra

Leia mais

Registro de Programa de Computador

Registro de Programa de Computador Registro de Programa de Computador Elvira Andrade Diretoria de Contratos e Outros Registros Araraquara - Novembro de 2008 EAndrade 1 Propriedade Intelectual Direito de Autor e Conexos Registro de Direito

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSU 018/2014

RESOLUÇÃO CONSU 018/2014 RESOLUÇÃO CONSU 018/2014 Estabelece as diretrizes da Política Institucional de Propriedade Intelectual, Transferência de Tecnologia e Inovação da UEFS e dá outras providências. O Reitor da Universidade

Leia mais

TERMOS DE SERVIÇO. Bem vindo ao Color+City. 1. Visão Geral

TERMOS DE SERVIÇO. Bem vindo ao Color+City. 1. Visão Geral TERMOS DE SERVIÇO Bem vindo ao Color+City 1. Visão Geral 1.1. Este documento regula a utilização do Color+City disponibilizado ao usuário através do endereço http://www.colorpluscity.com 1.2. Trata-se

Leia mais

Figurativa: aquela constituída por desenho, figura ou qualquer forma estilizada de letra e número, isoladamente.

Figurativa: aquela constituída por desenho, figura ou qualquer forma estilizada de letra e número, isoladamente. MARCA O que é marca? É um sinal visualmente perceptível, usado para identificar e distinguir certos bens e serviços produzidos ou procedentes de uma específica pessoa ou empresa. As marcas podem ser: Nominativa:

Leia mais

Anexo I (Art. 1º da Instrução Normativa STJ/GDG n. 8 de 4 de maio de 2015) ROTINAS E PROCEDIMENTOS DO PROGRAMA DE GESTÃO DOCUMENTAL

Anexo I (Art. 1º da Instrução Normativa STJ/GDG n. 8 de 4 de maio de 2015) ROTINAS E PROCEDIMENTOS DO PROGRAMA DE GESTÃO DOCUMENTAL Anexo I (Art. 1º da Instrução Normativa STJ/GDG n. 8 de 4 de maio de 2015) ROTINAS E PROCEDIMENTOS DO PROGRAMA DE GESTÃO DOCUMENTAL Seção I Da Criação, da Captura e da Digitalização de Documentos Art.

Leia mais

COIFFEUR BRASIL. Termo e Condições de Uso v.1. Publicação dia 03 de Junho de 2015.

COIFFEUR BRASIL. Termo e Condições de Uso v.1. Publicação dia 03 de Junho de 2015. COIFFEUR BRASIL Termo e Condições de Uso v.1 Publicação dia 03 de Junho de 2015. Qualquer pessoa que se utilize dos serviços denominados Coiffeur Brasil (registrada sob CNPJ 20.402.266/0001 78 e localizada

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS O presente contrato estabelece condições para os relacionamentos comerciais derivados da contratação do uso da Loja virtual sistema denominado LOJA EFICAZ, constituída

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 478, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2012.

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 478, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2012. RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 478, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2012. Dispõe sobre concessão de incentivos à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no âmbito do Estado do Rio Grande do Norte.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO DEPARTAMENTO DE LEGISLAÇÃO E NORMAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO DEPARTAMENTO DE LEGISLAÇÃO E NORMAS PARECER Nº 001/2012 DLN. INTERESSADO: Reitoria da Universidade Federal do Amazonas (UFAM). ASSUNTO: PLÁGIO. Vem a este Departamento Ofício de nº 066/2011 PRODERE/FES, encaminhado pela Reitoria desta UFAM,

Leia mais

A- SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA ATO NORMATIVO Nº 706/2011-PGJ, DE 29 DE JULHO DE 2011 (Protocolado nº 80.329/11)

A- SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA ATO NORMATIVO Nº 706/2011-PGJ, DE 29 DE JULHO DE 2011 (Protocolado nº 80.329/11) A- SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA ATO NORMATIVO Nº 706/2011-PGJ, DE 29 DE JULHO DE 2011 (Protocolado nº 80.329/11) Texto compilado até o Ato (N) nº 791/2013 PGJ de 11/10/2013 Estabelece normas

Leia mais

PORTARIA SSER N.º 17 DE 28 DE SETEMBRO DE 2009

PORTARIA SSER N.º 17 DE 28 DE SETEMBRO DE 2009 Portaria SSER Publicada no D.O.E. de 29.09.2009, pág. 05 Este texto não substitui o publicado no D.O.E Índice Remissivo: Letra E - Emissor de Cupom Fiscal (ECF) PORTARIA SSER N.º 17 DE 28 DE SETEMBRO DE

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense Reitoria

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense Reitoria RESOLUÇÃO Nº 064 CONSUPER/2014 Dispõe sobre as normas reguladoras de prestação de serviços tecnológicos do Instituto Federal Catarinense. O Presidente do Conselho Superior do Instituto Federal Catarinense

Leia mais

Propriedade Intelectual e Lei de Inovação questão jurídica ou gerencial? Rodolfo Politano Núcleo de Inovação Tecnológica IPEN

Propriedade Intelectual e Lei de Inovação questão jurídica ou gerencial? Rodolfo Politano Núcleo de Inovação Tecnológica IPEN Propriedade Intelectual e Lei de Inovação questão jurídica ou gerencial? Rodolfo Politano Núcleo de Inovação Tecnológica IPEN AGENDA Lei de Inovação e demais legislação. Propriedade Intelectual na Lei

Leia mais

RESOLUÇÃO N 67, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2013.

RESOLUÇÃO N 67, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2013. RESOLUÇÃO N 67, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2013. Dispõe sobre os Direitos Autorais na Arquitetura e Urbanismo, estabelece normas e condições para o registro de obras intelectuais no Conselho de Arquitetura e

Leia mais

MANUAL DE NORMAS. 1. Fonogramas para TV, TV por assinatura, Cinema, Rádio, Internet e Mídia Alternativa

MANUAL DE NORMAS. 1. Fonogramas para TV, TV por assinatura, Cinema, Rádio, Internet e Mídia Alternativa MANUAL DE NORMAS 1. Fonogramas para TV, TV por assinatura, Cinema, Rádio, Internet e Mídia Alternativa A criação da composição musical ou lítero-musical, a produção fonográfica, a direção musical, a direção

Leia mais

ANEXO 1 CLÀUSULAS NEGOCIADAS

ANEXO 1 CLÀUSULAS NEGOCIADAS ANEXO 1 CLÀUSULAS NEGOCIADAS CLÁUSULA OITAVA - SIGILO E CONFIDENCIALIDADE 8.1 - Cada Partícipe se compromete em manter sigilo sobre as informações trocadas e geradas durante a execução das atividades do

Leia mais

ÍNDICE MANUAL DO USUÁRIO PROGRAMA DE COMPUTADOR. Introdução Pág. 03 a 04 Características Pág. 05 a 06 Documentação Formal Pág.

ÍNDICE MANUAL DO USUÁRIO PROGRAMA DE COMPUTADOR. Introdução Pág. 03 a 04 Características Pág. 05 a 06 Documentação Formal Pág. ÍNDICE Introdução Pág. 03 a 04 Características Pág. 05 a 06 Documentação Formal Pág. 08 a 15 Passo a passo do Formulário Pág. 16 a 24 Documentação Técnica Pág. 25 a 28 Depósito Pág. 29 a 30 Acompanhamento

Leia mais

SUSE LINUX Enterprise Server (SLES) 10 Contrato de Licença de Software da Novell

SUSE LINUX Enterprise Server (SLES) 10 Contrato de Licença de Software da Novell SUSE LINUX Enterprise Server (SLES) 10 Contrato de Licença de Software da Novell LEIA ESTE CONTRATO COM ATENÇÃO. AO INSTALAR OU DE QUALQUER OUTRA FORMA UTILIZAR O SOFTWARE (INCLUINDO SEUS COMPONENTES),

Leia mais

POLÍTICA DE GARANTIA CHAVES DE PROTEÇÃO DE SOFTWARE PRONOVA

POLÍTICA DE GARANTIA CHAVES DE PROTEÇÃO DE SOFTWARE PRONOVA POLÍTICA DE GARANTIA CHAVES DE PROTEÇÃO DE SOFTWARE PRONOVA IMPORTANTE-LEIA ESTA GARANTIA DO FABRICANTE COM ATENÇÃO PARA ENTENDER SEUS DIREITOS E OBRIGAÇÕES! O termo "Dispositivo de Hardware" significa

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERNET

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERNET CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERNET Pelo presente Instrumento Particular o BANCO MÁXIMA S/A, com sede na cidade de Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, na Avenida Atlântica, 1130, 12º andar

Leia mais

CONTRATO DE LOCAÇÃO DE SISTEMA DE ENGENHARIA GERENCIADOR DE OBRAS ON LINE IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES

CONTRATO DE LOCAÇÃO DE SISTEMA DE ENGENHARIA GERENCIADOR DE OBRAS ON LINE IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES CONTRATO DE LOCAÇÃO DE SISTEMA DE ENGENHARIA GERENCIADOR DE OBRAS ON LINE IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES LOCADOR: Obra24horas Soluções Web para Engenharia Ltda., com sede na Rua Formosa, 75 1º andar

Leia mais

MOBICONDO TERMOS DO SERVIÇO

MOBICONDO TERMOS DO SERVIÇO MOBICONDO TERMOS DO SERVIÇO FBT Tecnologia LTDA - ME., inscrita no CNPJ sob no 20.167.162/0001-26, com sede na Av Ipiranga 7464, 9º Andar Sala 914, Porto Alegre - RS, única e exclusiva proprietária do

Leia mais

Termos e Condições de Uso My Benefits

Termos e Condições de Uso My Benefits Termos e Condições de Uso My Benefits Este Termo de Uso apresenta as Condições Gerais aplicáveis ao uso do website e plataforma de descontos oferecida por PORTAL SUPER PUBLICO LTDA., inscrita no CNPJ sob

Leia mais

TERMOS DE LICENÇA PARA SOFTWARES HSC

TERMOS DE LICENÇA PARA SOFTWARES HSC TERMOS DE LICENÇA PARA SOFTWARES HSC LEIA COM ATENÇÃO ANTES DE USAR ESSE PRODUTO DE SOFTWARE: Este Termo de Aceite é um Contrato de Licença do Usuário Final ("EULA" - End-User License Agreement) é um contrato

Leia mais

1. Patente de Invenção (PI) Produtos ou processos que atendam aos requisitos de atividade inventiva, novidade e aplicação industrial.

1. Patente de Invenção (PI) Produtos ou processos que atendam aos requisitos de atividade inventiva, novidade e aplicação industrial. 1 O que é patente? Patente é um título de propriedade temporária sobre uma invenção ou modelo de utilidade, outorgado pelo Estado aos inventores ou autores ou outras pessoas físicas ou jurídicas detentoras

Leia mais

REGULAMENTO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UTFPR CAPÍTULO I DA FINALIDADE E LEGISLAÇÃO DE REFERÊNCIA

REGULAMENTO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UTFPR CAPÍTULO I DA FINALIDADE E LEGISLAÇÃO DE REFERÊNCIA REGULAMENTO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UTFPR CAPÍTULO I DA FINALIDADE E LEGISLAÇÃO DE REFERÊNCIA Art. 1º O presente Regulamento tem por finalidade regulamentar as atividades de propriedade intelectual

Leia mais

Proteção da Propriedade Intelectual. Prof. Dilson A. Bisognin, PhD. Depto. de Fitotecnia UFSM Sec. da Agricultura, Pecuária e Agronegócio

Proteção da Propriedade Intelectual. Prof. Dilson A. Bisognin, PhD. Depto. de Fitotecnia UFSM Sec. da Agricultura, Pecuária e Agronegócio Proteção da Propriedade Intelectual Prof. Dilson A. Bisognin, PhD. Depto. de Fitotecnia UFSM Sec. da Agricultura, Pecuária e Agronegócio Propriedade Intelectual Expressão genérica que corresponde ao direito

Leia mais

CONTRATO DE FORNECIMENTO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE PARA REVENDAS

CONTRATO DE FORNECIMENTO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE PARA REVENDAS CONTRATO DE FORNECIMENTO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE PARA REVENDAS FORNECEDOR: WORKSOFT INFORMÁTICA LTDA., pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CNPJ/MF sob nº. 08.707.221/0001-06, com sede

Leia mais

IMPORTANTE - LEIA COM ATENÇÃO:

IMPORTANTE - LEIA COM ATENÇÃO: IMPORTANTE - LEIA COM ATENÇÃO: Este contrato de licença do utilizador final (EULA) é um contrato entre o Adquirente (pessoa singular ou coletiva) e o GRUPOPIE ( GRUPOPIE ) de software GRUPOPIE identificado(s)

Leia mais

Proteção do Conhecimento da Embrapa Milho e Sorgo por meio da Propriedade Intelectual

Proteção do Conhecimento da Embrapa Milho e Sorgo por meio da Propriedade Intelectual O que é a Propriedade Intelectual A Propriedade Intelectual é o mecanismo que visa proteger a propriedade sobre o conhecimento, fruto da inteligência e do talento humano. Divide-se tradicionalmente em

Leia mais

TERMOS DE LICENCIAMENTO DE SOFTWARE CA PARA PROVEDORES DE SERVIÇOS

TERMOS DE LICENCIAMENTO DE SOFTWARE CA PARA PROVEDORES DE SERVIÇOS TERMOS DE LICENCIAMENTO DE SOFTWARE CA PARA PROVEDORES DE SERVIÇOS Estes Termos são celebrados entre a pessoa jurídica da CA ( CA ) e o Provedor de Serviços identificado no Formulário de Pedido e entrarão

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE USO

CONDIÇÕES GERAIS DE USO Antes de dar início ao processo de utilização do Website leia atentamente as Condições Gerais de Uso abaixo, as quais compõem o Contrato que regula a sua utilização. CONDIÇÕES GERAIS DE USO O presente

Leia mais

POLÍTICA DE PRIVACIDADE

POLÍTICA DE PRIVACIDADE POLÍTICA DE PRIVACIDADE A FUNCIONAL, com o escopo de firmar o compromisso junto aos USUÁRIOS visando a segurança e privacidade das informações transitadas e recepcionadas através de seus sites www.funcionalcorp.com.br

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI N o 3.966, DE 2004 Modifica a Lei nº 9.609, de 1998, que dispõe sobre a proteção da propriedade intelectual de programa de computador. Autor:

Leia mais

DECRETO-LEI Nº 122/2000, DE 4 DE JULHO

DECRETO-LEI Nº 122/2000, DE 4 DE JULHO DECRETO-LEI Nº 122/2000, DE 4 DE JULHO O presente diploma transpõe para a ordem jurídica interna a directiva do Parlamento Europeu e do Conselho nº 96/9/CE, de 11 de Março, relativa à protecção jurídica

Leia mais

(a) Retribuição por meio eletrônico (*) Retribuição

(a) Retribuição por meio eletrônico (*) Retribuição TABELA DE RETRIBUIÇÕES PELOS SERVIÇOS DO INPI (valores em Reais) Anexo da Resolução INPI/PR Nº 280, de 30 de dezembro de 2011 Código SERVIÇOS DA DIRETORIA DE PATENTES DIRPA INVENÇÃO, CERTIFICADO DE ADIÇÃO

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA-EXECUTIVA DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO NORMA OPERACIONAL/DIRAD/N 04, DE 7 DE AGOSTO DE 2014

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA-EXECUTIVA DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO NORMA OPERACIONAL/DIRAD/N 04, DE 7 DE AGOSTO DE 2014 MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA-EXECUTIVA DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO NORMA OPERACIONAL/DIRAD/N 04, DE 7 DE AGOSTO DE 2014 Define os procedimentos relativos à concessão de auxílio-moradia

Leia mais

Lista de documentos mínimos necessários para o início do processo de solicitação de autorização de funcionamento por Modalidade

Lista de documentos mínimos necessários para o início do processo de solicitação de autorização de funcionamento por Modalidade Lista de documentos mínimos necessários para o início do processo de solicitação de autorização de funcionamento por Modalidade Administradora de Benefícios Documento Requerimento formal solicitando a

Leia mais

PATENTES E SUAS ETAPAS. Antes de efetuado um depósito, recomendamos exame E BUSCA preliminar, para verificar se o pedido está de acordo com as normas.

PATENTES E SUAS ETAPAS. Antes de efetuado um depósito, recomendamos exame E BUSCA preliminar, para verificar se o pedido está de acordo com as normas. PATENTES E SUAS ETAPAS Antes de efetuado um depósito, recomendamos exame E BUSCA preliminar, para verificar se o pedido está de acordo com as normas. A busca de anterioridade não é obrigatória, mas é altamente

Leia mais

DOMíNIO PÚBLICO E DIREITOS DE PROPRIEDADE INTELECTUAL

DOMíNIO PÚBLICO E DIREITOS DE PROPRIEDADE INTELECTUAL DOMíNIO PÚBLICO E DIREITOS DE PROPRIEDADE INTELECTUAL Gilsomar Silva Barbalho Consultor Legislativo da Área II Direito Civil e Processual Civil, Direito Penal e Processual Penal, de Família, do Autor,

Leia mais

Licença Pública da União Europeia

Licença Pública da União Europeia Licença Pública da União Europeia V.1.0 EUPL Comunidade Europeia 2007 A presente licença pública da União Europeia ( EUPL ) 1 aplica-se a qualquer obra ou software (como definido abaixo) que seja fornecido

Leia mais

ANUCIANTE declara que aquiesceu com todas as condições apresentadas no presente Termo de Uso.

ANUCIANTE declara que aquiesceu com todas as condições apresentadas no presente Termo de Uso. O website e domínio www.busquecursos.co, bem como seus subdomínios, funcionalidades, conteúdo e demais aplicações e serviços (incluindo aplicações mobile) estão sujeitos aos termos e condições deste termo

Leia mais

GUIA PARA TRAMITAÇÃO DO PEDIDO DE PATENTE DIRETORIA DE PATENTES

GUIA PARA TRAMITAÇÃO DO PEDIDO DE PATENTE DIRETORIA DE PATENTES GUIA PARA TRAMITAÇÃO DO PEDIDO DE PATENTE DIRETORIA DE PATENTES NOVEMBRO DE 2007 ÍNDICE: APRESENTAÇÃO...1 I - PROCESSAMENTO ADMINISTRATIVO...2 DEPÓSITO DO PEDIDO... 2 EXAME FORMAL PRELIMINAR... 2 PUBLICAÇÃO

Leia mais

TERMOS DE USO DO SITE WWW.DAYCOVALINVESTE.COM.BR

TERMOS DE USO DO SITE WWW.DAYCOVALINVESTE.COM.BR TERMOS DE USO DO SITE WWW.DAYCOVALINVESTE.COM.BR Este site é de propriedade do Banco Daycoval S/A e foi desenvolvido com a finalidade de disponibilizar informações para sua correta utilização e reserva-se

Leia mais

Patentes Conceitos Básicos

Patentes Conceitos Básicos Patentes Conceitos Básicos O que é patente O que é patenteável O que não é patenteável Como é um documento de patente Como definir o escopo de proteção Como é o processo de patenteamento 2014 www.axonal.com.br

Leia mais

CONTRATO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE E-COMMERCE. Partes Contratantes

CONTRATO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE E-COMMERCE. Partes Contratantes CONTRATO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE E-COMMERCE Partes Contratantes São partes neste CONTRATO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE, na qualidade de LICENCIANTE, a empresa Dataconn Soluções Tecnológicas Ltda.

Leia mais

Proteção do Software no Brasil: Requisitos, Etapas e Abrangência.

Proteção do Software no Brasil: Requisitos, Etapas e Abrangência. Proteção do Software no Brasil: Requisitos, Etapas e Abrangência. Daniel Cavaretti UNISUL II Congresso Brasileiro de Propriedade Intelectual Tubarão - Outubro 2015 Software - Legislação Aplicável Lei

Leia mais

SUMÁRIO DO CONTRATO: ESTADÃO IMPRESSO, ESTADÃO DIGITAL, ESTADÃO IMPRESSO + DIGITAL; E PRODUTOS ESTADÃO DIGITAL

SUMÁRIO DO CONTRATO: ESTADÃO IMPRESSO, ESTADÃO DIGITAL, ESTADÃO IMPRESSO + DIGITAL; E PRODUTOS ESTADÃO DIGITAL SUMÁRIO DO CONTRATO: ESTADÃO IMPRESSO, ESTADÃO DIGITAL, ESTADÃO IMPRESSO + DIGITAL; E PRODUTOS ESTADÃO DIGITAL I. SUMÁRIO DO CONTRATO APENAS PARA CONTRATAÇÃO DE ESTADÃO IMPRESSO A Assinatura do Estadão

Leia mais

DECRETO Nº 1927, DE 20 DE MAIO DE 2013 CAPÍTULO II DISPOSIÇÕES GERAIS

DECRETO Nº 1927, DE 20 DE MAIO DE 2013 CAPÍTULO II DISPOSIÇÕES GERAIS DECRETO Nº 1927, DE 20 DE MAIO DE 2013 Regulamenta o acesso à informação pública pelo cidadão, no âmbito do Poder Executivo Municipal, cria normas de procedimentos e dá outras providências. INES PEGORARO

Leia mais

Guia prático sobre a Propriedade Intelectual no Brasil

Guia prático sobre a Propriedade Intelectual no Brasil Desk Italiano de Assistência para a Tutela do Direito da Propriedade Intelectual em São Paulo Instituto Italiano para o Comércio Exterior Dep. para a Promoção de Intercâmbios da Embaixada da Itália Guia

Leia mais

Princípios Gerais para a Prevenção dos Riscos Penais Endesa Brasil

Princípios Gerais para a Prevenção dos Riscos Penais Endesa Brasil Princípios Gerais para a Prevenção dos Riscos Penais Endesa Brasil Introdução 5 INTRODUÇÃO A seguir, são descritos os comportamentos e princípios gerais de atuação esperados dos Colaboradores da Endesa

Leia mais

CONTRATO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE

CONTRATO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE CONTRATO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE Ao aceitar eletronicamente este contrato, depois de aceito todas as condições do contrato, o cliente estará automaticamente aderindo e concordando com todos os termos

Leia mais

DECRETO-LEI Nº 3.689, DE 3 DE OUTUBRO DE 1941

DECRETO-LEI Nº 3.689, DE 3 DE OUTUBRO DE 1941 DECRETO-LEI Nº 3.689, DE 3 DE OUTUBRO DE 1941 Código de Processo Penal. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, usando da atribuição que lhe confere o art. 180 da Constituição, decreta a seguinte Lei: LIVRO II DOS

Leia mais