Ministério das Cidades. Plano de Ação em Habitação e Saneamento em Regiões Metropolitanas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ministério das Cidades. Plano de Ação em Habitação e Saneamento em Regiões Metropolitanas"

Transcrição

1 Ministério das Cidades Plano de Ação em Habitação e Saneamento em Regiões Metropolitanas

2 UMA VISÃO GERAL DO QUADRO METROPOLITANO BRASILEIRO Definição Formal Regiões Metropolitanas definidas em em lei lei 3 Regiões Integradas de de Desenvolvimento -- RIDE Critérios diferenciados Manaus não é considerado RM enquanto Londrina o é. Dificuldade de encontrar um conceito pactuado nacionalmente Constituição Federal de 1988 remeteu competência aos estados: situação insatisfatória, vazio institucional.

3 Regiões Metropolitanas do Brasil Dados Institucionais Criadas por Leis Federais Criadas por Leis Estaduais Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal RIDE Lei Complementar 94 de 1988 Região Integrada de Desenvolvimento criada após 2000 RIDE Decreto nº 4366, setembro de 2002

4 BRASIL Concentração da população no território 13 municípios concentram 20% da população ou 34 milhões de pessoas: São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Fortaleza, Brasília, Curitiba, Recife, Manaus, Porto Alegre, Belo Horizonte, Goiânia, Guarulhos e Belém RMs: São Paulo e Rio de Janeiro 16,9% da população brasileira RMs: São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte - 20% da população brasileira 83% dos municípios possuem menos de 30 mil habitantes (FNRM) 30 RMs possuem 40 % da população brasileira, ou seja, habitantes 49 aglomerações possuem aproximadamente 50% da população brasileira (IPEA)

5 Regiões Metropolitanas em Risco - Definição do Universo de Ação Foram Foram selecionadas selecionadas regiões regiões a a partir partir do do seguinte seguinte critério critério básico: básico: carência carência habitacional habitacional medida medida pelo: pelo: déficit déficit habitacional habitacional absoluto absoluto e, e, complementarmente, complementarmente, pelo pelo número número de de domicílios domicílios em em favelas. favelas. Dada Dada a a forte forte correlação correlação entre entre déficit déficit habitacional habitacional ee as as carências carências de de serviços serviços de de saneamento, saneamento, admite-se admite-se que que as as questões questões mais mais críticas críticas de de habitação habitação e e de de saneamento saneamento estejam estejam contempladas contempladas nesse nesse critério critério de de seleção. seleção. Metrópolis em risco déficit habit. dom. em favelas São Paulo Rio de Janeiro Recife Belo Horizonte Salvador Fortaleza RIDE Brasília Belém Porto Alegre Manaus Curitiba Regiões metropolitanas não selecionadas Regiões selecionadas

6 Tabela 1 População, Taxa de Crescimento, Percentual da População do Estado na RM, IDH, Taxa de Mortalidade Infantil, Taxa de Desemprego e Taxa de Homicídios - Brasil e Regiões Metropolitanas Região Metropolitana População Total 2000 (1) População Urbana 2000 (1) Percentual da População do Estado na RM Taxa de Crescimento da População, IDH 2000 (2) Taxa de Mortalidade Infantil, 2000 (3) Taxa de Desemprego Total, 2003 (4) Violência (Taxa de Homicídios), 2000 (5) 1 São Paulo - SP ,3% 15,8% 0,828 20,24 20,0 66,54 2 Rio de Janeiro - RJ ,7% 11,0% 0,816 21,60-62,96 3 Recife - PE ,1% 14,3% 0,780 30,00 23,1 97,79 4 Belo Horizonte - MG ,3% 23,7% 0,811 27,53 19,9 35,22 5 Salvador - BA ,1% 21,0% 0,794 36,32 29,2 29,87 6 Fortaleza - CE ,2% 24,3% 0,767 34,73 28,09 7 RIDE - GO/DF/MG (6) ,9% 36,6% 0,815 22,87 23,6 37,54 8 Belém - PA ,0% 28,1% 0,797 26,48-26,62 9 Porto Alegre - RS ,9% 15,4% 0,833 16,16 16,5 39,79 10 Manaus - AM ,0% 39,0% 0,774 28, Curitiba - PR ,5% 32,3% 0,824 20,22-29,17 12 Campinas - SP ,3% 25,3% 0,835 13, Goiânia - GO ,8% 33,2% 0,812 21,17-28,93 14 São Luís - MA ,9% 30,5% 0,766 29,53-19,65 15 Baixada Santista - SP ,0% 21,0% 0,817 17, Maceió - AL ,0% 25,7% 0,724 43,00-44,88 17 Natal - RN ,6% 26,3% 0,762 37,87-24,93 18 Vitória - ES ,0% 26,5% 0,798 28,34-78,90 19 Norte/Nordeste Catarinense - SC ,9% 24,5% 0,853 6, Londrina - PR ,8% 17,1% 0,813 15, Florianópolis - SC ,2% 29,7% 0,859 11,90-9,51 22 Vale do Itajaí - SC ,4% 23,6% 0,850 8, Maringá - PR ,0% 24,3% 0,817 14, Vale do Aço - MG ,2% 22,6% 0,803 21, Foz do Rio Itajaí - SC 13,94 26 Carbonífera - SC 12,37 27 Tubarão - SC 7,49 28 João Pessoa - PB 37,66 29 RIDE - Petrolina/Juazeiro - PE/BA 30 RIDE - Teresina/Timon - PI/MA 22,85 TOTAL RM's ,0% BRASIL ,0% 0,764 30,57 Fontes: Dados básicos: (1) Ministério das Cidades/SNIU/IBGE, Censo Demográfico 1991 e 2000; (2) IPEA / FJP / PNUD - Atlas de Desenvolvimento Humano no Brasil; (3) IPEA / FJP / PNUD - Atlas de Desenvolvimento Humano no Brasil; (4) PED - Pesquisa de Emprego e Desemprego - Convênio DIEESE/SEADE, MTE/FATe convênios regionais; (5) DATASUS-IBGE-CRISP/UFMG - Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública da Universidade de Minas Gerais. (5) Taxas referentes aos municípios sede das RM s (6) Para dados de Percentual da População do Estado na RM foi ultilizado a população do Distrito Federal como referência. (7) Os dados referentes às RM's da Foz do Rio Itajaí, Carbonífera, de Tubarão e de João Pessoa, além dos dados das RIDE's de Petrolina/Juazeiro e de Teresina/Timon estão sendo consolidados e ainda não se encontram disponíveis.

7 Tabela 2 Déficit Habitacional, Inadequação Habitacional, Domicílios em Setores Subnormais Total de Domicílios - Brasil e Regiões Metropolitanas (Domicílios) Déficit Habitacional Inadequação Habitacional 2000 (1) Domicílios em Setores Subnormais 2000 (²) Região Metropolitana Domicílios Improvisados, Coabitação Familiar, Cômodo Cedido ou Alugado (3) Habitação Precária, com Ônus Excessivo c/ Aluguel ou com Depreciação (4) Total (4) Por Adensamento Por Infraestrutura Absoluto Relativo Total de Domicílios (5) 1 São Paulo - SP , Rio de Janeiro - RJ , Recife - PE , Belo Horizonte - MG , Salvador - BA , Fortaleza - CE , RIDE - GO/DF/MG , Belém - PA , Porto Alegre - RS , Manaus - AM , Curitiba - PR , Campinas - SP , Goiânia - GO , São Luís - MA , Baixada Santista - SP , Maceió - AL , Natal - RN , Vitória - ES , Norte/Nordeste Catarinense - SC , Londrina - PR , Florianópolis - SC , Vale do Itajaí - SC , Maringá - PR , Vale do Aço - MG , Foz do Rio Itajaí - SC 26 Carbonífera - SC 27 Tubarão - SC 28 João Pessoa - PB 29 RIDE - Petrolina/Juazeiro - PE/BA 30 RIDE - Teresina/Timon - PI/MA TOTAL RM's , BRASIL , Fonte: (¹) IPPUR / Observatório / Censo Demográfico IBGE; (²) Fonte: IPPUR / Observatório / Censo Demográfico IBGE; (³) IPPUR / Observatório / Censo Demográfico IBGE; (4) FJP, 2001 / IBGE,Sinópse Preliminar do Censo Demográfico 2000, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios(PNAD) 1999 (microdados), IPPUR / Observatório / IBGE - Censo Demográfico 2000, Elaboração Ministério das Cidades (4) Ver nota (3) do texto

8 Caracterização Geral da Habitação e Saneamento nas metrópoles em risco Dimensionamento do Problema As 11 regiões em risco são compostas por 209 municípios que concentram: 15,2 milhões de domicílios, 34,2% dos domicílios brasileiros; 55,0 milhões de habitantes, 32% da população brasileira; 33% do déficit habitacional brasileiro, do qual 90,5% possui renda até 3 sm 82% dos domicílios em favelas do Brasil (R$ 14,9 bilhões) 2,19 milhões de domicílios com déficit habitacional (R$ 62 bilhões) 2,56 milhões de domicílios de baixa renda em situação de irregularidade fundiária (R$ 767,6 milhões), 1,6 milhão de domicílios com déficit de distribição de água (R$ 2,1 bilhões) 7,2 milhões de domicílios com déficit de coleta de esgoto (R$ 5,6 bilhões); 12,6 milhões de domicílios com déficit tratamento de esgoto (6,0 bilhões); Taxa de mortalidade infantil mais alta em Fortaleza (39,12) e mais baixa em Porto Alegre (15,19) Texa de homicídios mais alta em Recife (97,79) e mais baixa em Belém (26,62)

9 Por um Pacto Federativo a Favor das Metrópolis em Risco Considerando: A concentração de problemas ambientais urbanos e sociais nas RMs em risco; A dispersão e a desarticulação dos investimentos realizados nas RMs; A falência do modelo de gestão de RMs instituído durante governos autoritários e a pouca eficácia dos executivos e legislativos estaduais em cumprir a Constituição de 1988; A ausência de modelo de gestão integrado para transporte, saneamento, etc; As competências estabelecidas na CF 88 para estados e municípios; As diversas iniciativas em desenvolvimento pelo Ministério das Cidades: Sistema nacional de habitação e saneamento, programa de regularização fundiária, Conselho Nacional das Cidades, Programa Pró-Transporte, implementação do Código Nacional de Trânsito, Plano em Habitação e Saneamento para Metrópoles em Risco, entre outras; Propõe-se um PACTO FEDERATIVO com objetivo de articular as intervenções nas RMs críticas, incluindo participação social, para enfrentarem conjuntamente os graves problemas destes centros urbanos; Como 1º passo: Plano de Ação; 2º passo: Modelo de Gestão Metropolitana.

Regiões Metropolitanas do Brasil

Regiões Metropolitanas do Brasil Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia IPPUR/UFRJ CNPQ FAPERJ Regiões Metropolitanas do Brasil Equipe responsável Sol Garson Luiz Cesar de Queiroz Ribeiro Juciano Martins Rodrigues Regiões Metropolitanas

Leia mais

As Metrópoles no Censo 2010: novas tendências? 1

As Metrópoles no Censo 2010: novas tendências? 1 P á g i n a 1 As Metrópoles no Censo 2010: novas tendências? 1 Os primeiros resultados do Censo 2010 já permitem algumas reflexões sobre mudanças e permanências da posição das metrópoles na rede urbana

Leia mais

A REALIDADE DAS ÁREAS METROPOLITANAS DIA GNÓSTIC O SOCIO ECONÔMICO E DA ESTRUTURA DE GESTÃO

A REALIDADE DAS ÁREAS METROPOLITANAS DIA GNÓSTIC O SOCIO ECONÔMICO E DA ESTRUTURA DE GESTÃO A REALIDADE DAS ÁREAS METROPOLITANAS E SEUS DESAFIOS NA FEDERAÇÃO BRASILEIRA: DIA GNÓSTIC O SOCIO ECONÔMICO E DA ESTRUTURA DE GESTÃO Brasília - março de 2004 1ª fase - anos 70 Lei Federal 14/73 e 20/74

Leia mais

A QUESTÃO METROPOLITANA NO BRASIL

A QUESTÃO METROPOLITANA NO BRASIL A RONALDO GUIMARÃES GOUVEA A QUESTÃO METROPOLITANA NO BRASIL FGV EDITORA Sumário Apresentação 11 Edésio Fernandes Introdução 17 1. Urbanização e planejamento no Brasil 27 O processo brasileiro de urbanização

Leia mais

Nº 1. Estimativas do déficit habitacional brasileiro (2007-2011) por municípios (2010)

Nº 1. Estimativas do déficit habitacional brasileiro (2007-2011) por municípios (2010) Estimativas do déficit habitacional brasileiro (2007-2011) por municípios (2010) Bernardo Alves Furtado Vicente Correia Lima Neto Cleandro Krause Nº 1 Brasília, maio de 2013 Introdução Esta nota técnica

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE MOBILIDADE URBANA. LEI 12.587 3 de janeiro de 2012

POLÍTICA NACIONAL DE MOBILIDADE URBANA. LEI 12.587 3 de janeiro de 2012 LEI 12.587 3 de janeiro de 2012 A POLÍTICA NACIONAL DE MOBILIDADE URBANA, INSTITUDA PELA LEI 12.587, É INSTRUMENTO DA POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO URBANO, OBJETIVANDO A INTEGRAÇÃO ENTRE OS DIFERENTES MODOS

Leia mais

Reduzindo Fome, Pobreza e Desigualdade

Reduzindo Fome, Pobreza e Desigualdade Reduzindo Fome, Pobreza e Desigualdade Regiões Metropolitanas (RMs) e Regiões Integradas de Desenvolvimento (RIDEs) 11% dos municípios 47% da população Nome Quantidade de População Municípios Total* RM

Leia mais

ANEXO II - PLANILHA DE FORMAÇÃO DE PREÇOS - MODELO DE PROPOSTA PROPOSTADEFORNECIMENTO

ANEXO II - PLANILHA DE FORMAÇÃO DE PREÇOS - MODELO DE PROPOSTA PROPOSTADEFORNECIMENTO ANEXO II - PLANILHA DE FORMAÇÃO DE PREÇOS - MODELO DE PROPOSTA PROPOSTADEFORNECIMENTO Ref.:COTAÇÃO ELETRÔNICANº003/2015 ApresentamosnossapropostaparafornecimentodosItensabaixodiscriminados,conformeAnexoI

Leia mais

SUFICIÊNCIA DE REDE: Ligia Bahia Ronir Raggio Luiz Maria Lucia Werneck Vianna. Edital 005/2014 ANS/OPAS

SUFICIÊNCIA DE REDE: Ligia Bahia Ronir Raggio Luiz Maria Lucia Werneck Vianna. Edital 005/2014 ANS/OPAS SUFICIÊNCIA DE REDE: UM ESTUDO ECOLÓGICO SOBRE BENEFICIÁRIOS E REDES DE CUIDADOS À SAÚDE A PARTIR DE ANÁLISES EXPLORATÓRIAS DAS PROPORÇÕES DE PARTOS CESARIANOS E TAXAS DE MORTALIDADE POR CÂNCER DE MAMA

Leia mais

Diretoria de Geociências Coordenação de Geografia. Regiões de Influência das Cidades

Diretoria de Geociências Coordenação de Geografia. Regiões de Influência das Cidades Diretoria de Geociências Coordenação de Geografia Regiões de Influência das Cidades 2007 Objetivos Gerais Hierarquizar os centros urbanos Delimitar as regiões de influência associadas aos centros urbanos

Leia mais

DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA

DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA Analista de Correios / Administrador AC / Rio Branco 123 1 123,00 Analista de Correios / Técnico em Comunicação Social Atuação: Jornalismo AC / Rio Branco 27 1 27,00 Médico do Trabalho Formação: Medicina

Leia mais

O CUSTO DOS DESLOCAMENTOS NAS PRINCIPAIS ÁREAS URBANAS DO BRASIL

O CUSTO DOS DESLOCAMENTOS NAS PRINCIPAIS ÁREAS URBANAS DO BRASIL PUBLICAÇÕES SISTEMA FIRJAN PESQUISAS E ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS AMBIENTE DE NEGÓCIOS O CUSTO DOS DESLOCAMENTOS NAS PRINCIPAIS ÁREAS URBANAS DO BRASIL Setembro/2015 Esta publicação contempla os seguintes

Leia mais

OAB/RN RELATÓRIO DE APROVADOS NA PROVA OBJETIVA POR INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR

OAB/RN RELATÓRIO DE APROVADOS NA PROVA OBJETIVA POR INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR OAB/RN RELATÓRIO DE APROVADOS NA PROVA OBJETIVA POR INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR Tabela 01 - Aprovados Prova Objetiva - Exame de Ordem 2009.3, Natal/RN, 2009. UF MUNICÍPIO DA IES IES INSCRITOS PRESENTES

Leia mais

Evolução demográfica 1950-2010

Evolução demográfica 1950-2010 Evolução demográfica 195-1 37 A estrutura etária da população brasileira em 1 reflete as mudanças ocorridas nos parâmetros demográficos a partir da segunda metade do século XX. Houve declínio rápido dos

Leia mais

OS MUNICÍPIOS BILIONÁRIOS EM 2012

OS MUNICÍPIOS BILIONÁRIOS EM 2012 OS MUNICÍPIOS BILIONÁRIOS EM 2012 (Estudo Técnico nº 175) François E. J. de Bremaeker Salvador, julho de 2012 2 OS MUNICÍPIOS BILIONÁRIOS EM 2012 François E. J. de Bremaeker Economista e Geógrafo Associação

Leia mais

Metrópoles em Números. Crescimento da frota de automóveis e motocicletas nas metrópoles brasileiras 2001/2011. Observatório das Metrópoles

Metrópoles em Números. Crescimento da frota de automóveis e motocicletas nas metrópoles brasileiras 2001/2011. Observatório das Metrópoles Crescimento da frota de automóveis e motocicletas nas metrópoles brasileiras 21/211 Observatório das Metrópoles Elaboração: Juciano Martins Rodrigues Doutor em Urbanismo (PROURB/UFRJ), Pesquisador do INCT

Leia mais

Seleção Territorial Enfrentamento a Violência contra Juventude Negra Classificação 2010

Seleção Territorial Enfrentamento a Violência contra Juventude Negra Classificação 2010 Posição Nome do Município Estado Região RM, RIDE ou Aglomeração Urbana 1 Salvador BA Nordeste RM Salvador 2 Maceió AL Nordeste RM Maceió 3 Rio de Janeiro RJ Sudeste RM Rio de Janeiro 4 Manaus AM Norte

Leia mais

Interior de SP. Mailing Jornais

Interior de SP. Mailing Jornais São Paulo AGORA SÃO PAULO BRASIL ECONÔMICO D.C.I. DESTAK (SP) DIÁRIO DO COMMERCIO (SP) DIÁRIO DE SÃO PAULO DIÁRIO DO GRANDE ABC EMPREGO JÁ (SP) EMPREGOS & CONCURSOS (SP) EMPRESAS & NEGÓCIOS (SP) FOLHA

Leia mais

NOTA TÉCNICA 63 2011 PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO DO PROJETO VIDA NO TRÂNSITO

NOTA TÉCNICA 63 2011 PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO DO PROJETO VIDA NO TRÂNSITO NOTA TÉCNICA 63 2011 PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO DO PROJETO VIDA NO TRÂNSITO Repasse financeiro do Fundo Nacional de Saúde aos Fundos de Saúde Estaduais, Municipais e do Distrito Federal, por meio do Piso Variável

Leia mais

Demanda por Investimentos em Mobilidade Urbana Brasil/2014

Demanda por Investimentos em Mobilidade Urbana Brasil/2014 Demanda por Investimentos em Mobilidade Urbana Brasil/2014 Classificação: Documento Reservado Restrição de Acesso: Empresas do Sistema BNDES - Uso no Âmbito Interno Unidade Gestora: AS/DEURB AS/DEURB -

Leia mais

Seminário de Políticas para o trânsito Seguro de Motos Saúde, Processo de Habilitação e Questões Socioeducativas

Seminário de Políticas para o trânsito Seguro de Motos Saúde, Processo de Habilitação e Questões Socioeducativas Seminário de Políticas para o trânsito Seguro de Motos Saúde, Processo de Habilitação e Questões Socioeducativas Marta Maria Alves da Silva CGDANT/DASIS/SVS/MS Brasília/DF, 13 de setembro de 2012 2009:

Leia mais

Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da POF/IBGE

Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da POF/IBGE Agentes de Crédito e Grupos Solidários Segurado Segurador Agente de Seguro Segurado Segurado Definição de Microseguros Critério Renda Per Capita % Pop E 13.48 DE 34.96 83.83 1 SM 51.05 2 SM 74.82 3 SM

Leia mais

UN 4 0,00 Catraca pedestal com cofre com leitor smart card

UN 4 0,00 Catraca pedestal com cofre com leitor smart card ITEM 1 - Município - Rio de Janeiro - RJ ANEXO II DO TERMO DE REFERÊNCIA QT Valor Unitário R$ Valor Total R$ 1 - Projeto (verba para infraestrutura e ativação local) VB 1 Software de Acesso - Licença Web

Leia mais

Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Habitação

Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Habitação Ministério das Cidades SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE MEJORAMIENTO DE BARRIOS México - 29 e 30 novembro/2004 Programa Habitar Brasil/BID Governo Federal Processo de Urbanização Brasileiro Crescimento da

Leia mais

NOTA TÉCNICA ESTIMATIVAS DA POPULAÇÃO DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS COM DATA DE REFERÊNCIA EM 1º DE JULHO DE 2014

NOTA TÉCNICA ESTIMATIVAS DA POPULAÇÃO DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS COM DATA DE REFERÊNCIA EM 1º DE JULHO DE 2014 NOTA TÉCNICA ESTIMATIVAS DA POPULAÇÃO DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS COM DATA DE REFERÊNCIA EM 1º DE JULHO DE 2014 A divulgação anual das estimativas da população residente nos municípios brasileiros obedece

Leia mais

Demanda por Investimentos em Mobilidade Urbana Brasil/ ª Semana de Tecnologia Metroferroviária - AEAMESP setembro/2015

Demanda por Investimentos em Mobilidade Urbana Brasil/ ª Semana de Tecnologia Metroferroviária - AEAMESP setembro/2015 Demanda por Investimentos em Mobilidade Urbana Brasil/2014 21ª Semana de Tecnologia Metroferroviária - AEAMESP setembro/2015 AS PERGUNTAS Qual é o DÉFICIT de Infraestrutura de Mobilidade Urbana do BRASIL?

Leia mais

ACOMPANHAMENTO DAS CONVOCAÇÕES CARGO/ FORMÇÃO ÚLTIMA CLASSIFICAÇÃO CONVOCADA EDITAL 01/2011 PROFISSIONAL JÚNIOR ADMINISTRAÇÃO NACIONAL 51ª

ACOMPANHAMENTO DAS CONVOCAÇÕES CARGO/ FORMÇÃO ÚLTIMA CLASSIFICAÇÃO CONVOCADA EDITAL 01/2011 PROFISSIONAL JÚNIOR ADMINISTRAÇÃO NACIONAL 51ª ACOMPANHAMENTO DAS CONVOCAÇÕES PROFISSIONAL JÚNIOR ADMINISTRAÇÃO NACIONAL 51ª PROFISSIONAL JÚNIOR ADMINISTRAÇÃO NACIONAL 3ª PCD * PROFISSIONAL JÚNIOR ANALISTA DE SISTEMAS - ÊNFASE EM INFRAESTRUTURA RJ

Leia mais

FINANCIAMENTO DOS MUNICÍPIOS DO BRASIL Um balanço o entre aspectos sociais e econômicos

FINANCIAMENTO DOS MUNICÍPIOS DO BRASIL Um balanço o entre aspectos sociais e econômicos Seminário Internacional sobre Tributação Imobiliária FINANCIAMENTO DOS MUNICÍPIOS DO BRASIL Um balanço o entre aspectos sociais e econômicos Maria Cristina Mac Dowell maria-macdowell.azevedo@fazenda.gov.br

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira

CÂMARA DOS DEPUTADOS Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira CRÉDITO ESPECIAL NA FUNASA/MS (SANEAMENTO EM RM E RIDE) - PLN Nº 13, DE 2005-CN - Sidney A. Bittencourt e Mário Luis G. de Souza Núcleo da Saúde Julho/2005 Endereço na Internet: http://www.camara.gov.br

Leia mais

62ª REUNIÃO ANUAL DA SBPC NATAL, 2010 NATAL, 28 DE JULHO DE 2010

62ª REUNIÃO ANUAL DA SBPC NATAL, 2010 NATAL, 28 DE JULHO DE 2010 62ª REUNIÃO ANUAL DA SBPC NATAL, 2010 NATAL, 28 DE JULHO DE 2010 Mesa Redonda: OBSERVATÓRIO DAS METRÓPOLES: HISTÓRIA E RESULTADOS DE UMA PESQUISA NACIONAL EM REDE METROPOLIZAÇÃO, DINÂMICAS METROPOLITANAS

Leia mais

Situação da Tuberculose no Brasil

Situação da Tuberculose no Brasil Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância Epidemiológica Programa Nacional de Controle da Tuberculose Situação da Tuberculose no Brasil Draurio Barreira Coordenador

Leia mais

(continua) TABELA 1.1 Composição e População da Aglomeração Urbana (AUPOA) e Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPOA)

(continua) TABELA 1.1 Composição e População da Aglomeração Urbana (AUPOA) e Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPOA) 1 INTRODUÇÃO Este relatório consolida os principais resultados obtidos com a pesquisa sobre acidentes de trânsito nas aglomerações urbanas brasileiras pesquisa Renavam, efetuada como parte integrante do

Leia mais

Crédito Suplementar. 2049 Moradia Digna 2.000.000.000 OPERAÇÕES ESPECIAIS 28 845 2049 00AF Integralização de Cotas ao Fundo de Arrendamento

Crédito Suplementar. 2049 Moradia Digna 2.000.000.000 OPERAÇÕES ESPECIAIS 28 845 2049 00AF Integralização de Cotas ao Fundo de Arrendamento ÓRGÃO: 56000 - Ministério das Cidades UNIDADE: 56101 - Ministério das Cidades ANEXO I PROGRAMA DE TRABALHO (SUPLEMENTAÇÃO) Crédito Suplementar Recurso de Todas as Fontes R$ 1,00 FUNCIONAL PROGRAMÁTICA

Leia mais

Experiências de APLs e outros Arranjos de Empresas no Estado do Rio de Janeiro: resultados alcançados e cenários futuros

Experiências de APLs e outros Arranjos de Empresas no Estado do Rio de Janeiro: resultados alcançados e cenários futuros Experiências de APLs e outros Arranjos de Empresas no Estado do Rio de Janeiro: resultados alcançados e cenários futuros > Lia Hasenclever (IE/UFRJ) 10º Encontro da ReINC 08 e 09 de novembro de 2007 Grupo

Leia mais

Lote Produzidos Cidade UF Qte faturada

Lote Produzidos Cidade UF Qte faturada Lote Produzidos Cidade UF Qte faturada 1400008703 BELEM PA 339 1400008703 BELO HORIZONTE MG 2.034 1400008703 BRASILIA DF 1.356 1400008703 CONGONHAS MG 54 1400008703 CUIABA MT 678 1400008703 GOIANIA GO

Leia mais

Resultados da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Inverno 2014

Resultados da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Inverno 2014 Resultados da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Inverno 2014 EQUIPE TÉCNICA DO IPETURIS Coordenação: Mariana Nery Pesquisadores: César Melo Tamiris Martins Viviane Silva Suporte: Gerson

Leia mais

ACOMPANHAMENTO DAS CONVOCAÇÕES

ACOMPANHAMENTO DAS CONVOCAÇÕES ACOMPANHAMENTO DAS CONVOCAÇÕES PROFISSIONAL JÚNIOR ADMINISTRAÇÃO NACIONAL 57ª PROFISSIONAL JÚNIOR ADMINISTRAÇÃO NACIONAL PNE * PROFISSIONAL JÚNIOR ANALISTA DE SISTEMAS - ÊNFASE EM DESENVOLVIMENTO EM ERP

Leia mais

O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL

O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL 08 de Novembro de 2012 O que é o Brasil Rural? O Brasil Rural Diversidade: raças, origens étnicas, povos, religiões, culturas Conflitos: concentração de terra, trabalho

Leia mais

Edital de 18 de janeiro de 2010 Bolsão Curso Clio Concurso de Bolsas por Desempenho

Edital de 18 de janeiro de 2010 Bolsão Curso Clio Concurso de Bolsas por Desempenho Edital de 18 de janeiro de 2010 Bolsão Curso Clio Concurso de Bolsas por Desempenho 1. Das disposições preliminares 1.1 O Concurso de Bolsas do Curso Clio será organizado por esta mesma instituição e o

Leia mais

Estado da motorização individual no Brasil Relatório 2015. Coordenação: Juciano Martins Rodrigues. Observatório das Metrópoles

Estado da motorização individual no Brasil Relatório 2015. Coordenação: Juciano Martins Rodrigues. Observatório das Metrópoles Estado da motorização individual no Brasil Relatório 2015 Estado da motorização individual no Brasil Relatório 2015 Coordenação: Juciano Martins Rodrigues Observatório das Metrópoles Luiz Cesar de Queiroz

Leia mais

Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais. 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará

Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais. 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará IPECE Informe nº 38 Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará 1. INTRODUÇÃO O Neste documento serão analisados os aspectos educacionais da capital

Leia mais

Comitê Gestor do Programa de Divulgação da Qualificação dos Prestadores de Serviço na Saúde Suplementar COGEP

Comitê Gestor do Programa de Divulgação da Qualificação dos Prestadores de Serviço na Saúde Suplementar COGEP Comitê Gestor do Programa de Divulgação da Qualificação dos Prestadores de Serviço na Saúde Suplementar COGEP 1 ªReunião do GT de Indicadores de SADT 19/07/2012 GERPS/GGISE/DIDES/ANS Agenda Categorias

Leia mais

Aeroportos no Brasil: investimentos recentes, perspectivas e preocupações

Aeroportos no Brasil: investimentos recentes, perspectivas e preocupações Aeroportos no Brasil: investimentos recentes, perspectivas e preocupações Carlos Campos Neto carlos.campos@ipea.gov.br Frederico Hartmann de Souza frederico.souza@ipea.com.br Abril de 2011 Objetivos Avaliar

Leia mais

Transição da economia informal para a economia formal: o papel da Inspeção do Trabalho

Transição da economia informal para a economia formal: o papel da Inspeção do Trabalho Transição da economia informal para a economia formal: o papel da Inspeção do Trabalho Ministério do Trabalho e Emprego Secretaria de Inspeção do Trabalho SIT Departamento de Fiscalização do Trabalho DEFIT

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 ( t ) ( US$ / t ) 450.000 120.000 400.000 100.000 350.000 80.000 300.000 250.000 60.000 200.000 150.000 40.

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 ( t ) ( US$ / t ) 450.000 120.000 400.000 100.000 350.000 80.000 300.000 250.000 60.000 200.000 150.000 40. BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 (POR PAÍS) PAÍSES ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 269.719,83 387.213,30 406.882,12 310.956,48 318.530,07 375.612,10 414.745,41 233.717,31 309.486,24 320.128,57 267.045,80 205.498,88

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO Nota Técnica elaborada em 01/2014 pela CGAN/DAB/SAS. MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO NOTA TÉCNICA Nº15/2014-CGAN/DAB/SAS/MS

Leia mais

Investimento do Governo Federal em Mobilidade Urbana

Investimento do Governo Federal em Mobilidade Urbana Investimento do Governo Federal em Mobilidade Urbana PAC 2 SÃO PAULO R$ 241,5 bilhões R$ milhões Eixo 2011-2014 Pós 2014 TOTAL Transportes 55.427 2.169 57.596 Energia 57.578 77.936 135.513 Cidade Melhor

Leia mais

50 cidades com as melhores opções para aberturas de franquias

50 cidades com as melhores opções para aberturas de franquias 50 cidades com as melhores opções para aberturas de franquias Pesquisa realizada pela Rizzo Franchise e divulgada pela revista Exame listou as 50 cidades com as melhores oportunidades para abertura de

Leia mais

OBJETIVOS DO EVENTO APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA II NIVELAMENTO DAS INFORMAÇÕES DIRIMIR DÚVIDAS COLHER SUGESTÕES

OBJETIVOS DO EVENTO APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA II NIVELAMENTO DAS INFORMAÇÕES DIRIMIR DÚVIDAS COLHER SUGESTÕES OBJETIVOS DO EVENTO APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA II NIVELAMENTO DAS INFORMAÇÕES DIRIMIR DÚVIDAS COLHER SUGESTÕES MINHA CASA, MINHA VIDA Ampliação das oportunidades de acesso das famílias

Leia mais

POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS

POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS Seminário POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS LEGISLAÇÃO, FISCALIZAÇÃO E POLÍTICA DE SEGURANÇA Brasília DF 13 de setembro de 2012 Regulamentação da atividade de mototaxista Mesmo diante da ausência

Leia mais

OBJETIVOS DO EVENTO APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA II

OBJETIVOS DO EVENTO APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA II OBJETIVOS DO EVENTO APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA II NIVELAMENTO DAS INFORMAÇÕES DIRIMIR DÚVIDAS COLHER SUGESTÕES MINHA CASA, MINHA VIDA Ampliação das oportunidades de acesso das famílias

Leia mais

Trabalho Social em Programas de Habitação e Desenvolvimento Urbano: Entre o Ideal e o Concreto

Trabalho Social em Programas de Habitação e Desenvolvimento Urbano: Entre o Ideal e o Concreto Trabalho Social em Programas de Habitação e Desenvolvimento Urbano: Entre o Ideal e o Concreto INÊS MAGALHÃES Secretária Nacional de Habitação Ministério das Cidades Seminário Trabalho Social em Programas

Leia mais

Seminário O controle interno governamental no Brasil. A articulação entre os órgãos de controle interno e o foco nos resultados

Seminário O controle interno governamental no Brasil. A articulação entre os órgãos de controle interno e o foco nos resultados Seminário O controle interno governamental no Brasil A articulação entre os órgãos de controle interno e o foco nos resultados Ronald da Silva Balbe CGU 14 a 16 de Maio Iguassu Resort Foz do Iguaçu - Paraná

Leia mais

A URBANIZAÇÃO BRASILEIRA. www.tiberiogeo.com.br A Geografia Levada a Sério

A URBANIZAÇÃO BRASILEIRA. www.tiberiogeo.com.br A Geografia Levada a Sério A URBANIZAÇÃO BRASILEIRA 1 Início de nossa urbanização Segundo o Censo 2010 aponta que aproximadamente 85% é urbano; Nossa economia estava voltada para a exportação; As primeiras ocupações urbanas se deram

Leia mais

Seminário Rio Metrópole Moradia: Assunto de Interessa Metropolitano

Seminário Rio Metrópole Moradia: Assunto de Interessa Metropolitano Realização Seminário Rio Metrópole Moradia: Assunto de Interessa Metropolitano Henry Cherkezian Rio, 18 de maio de 2011 A questão Habitacional Aspectos a serem abordados Breve Diagnóstico Um exemplo da

Leia mais

Soluciones para ciudades : La evolución de un proyecto que ayuda a construir ciudades sostenibles Erika Mota Associação Brasileira de Cimento

Soluciones para ciudades : La evolución de un proyecto que ayuda a construir ciudades sostenibles Erika Mota Associação Brasileira de Cimento Soluciones para ciudades : La evolución de un proyecto que ayuda a construir ciudades sostenibles Erika Mota Associação Brasileira de Cimento Portland Contexto das políticas públicas no Brasil Capacidade

Leia mais

Página 1 de 8 IPI - Jurisdição - Regiões fiscais 18 de Maio de 2012 Em face da publicação da Portaria MF nº 203/2012 - DOU 1 de 17.05.2012, este procedimento foi atualizado (novas disposições - tópico

Leia mais

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL CONCURSO PÚBLICO PARA FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA PARA O CARGO DE TÉCNICO BANCÁRIO NOVO CARREIRA ADMINISTRATIVA

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL CONCURSO PÚBLICO PARA FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA PARA O CARGO DE TÉCNICO BANCÁRIO NOVO CARREIRA ADMINISTRATIVA Técnico Bancário Novo AC Cruzeiro do Sul 1618 CR* Técnico Bancário Novo AC Rio Branco 6648 CR * Técnico Bancário Novo AC Sena Madureira 1065 CR* Técnico Bancário Novo AL Maceió 22524 CR * Técnico Bancário

Leia mais

URBANIZAÇÃO NO BRASIL, NO ESTADO E NO MUNICÍPIO, NOS ÚLTIMOS 50 ANOS.

URBANIZAÇÃO NO BRASIL, NO ESTADO E NO MUNICÍPIO, NOS ÚLTIMOS 50 ANOS. URBANIZAÇÃO NO BRASIL, NO ESTADO E NO MUNICÍPIO, NOS ÚLTIMOS 50 ANOS. O que é cidade? Segundo a ONU, aglomerado urbano concentrado com mais de 20 mil habitantes, com atividades no setorsecundário secundário

Leia mais

LOCALIZAÇÃO DOS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO NA ESCALA SUBNACIONAL: ÁGUA E ESGOTO

LOCALIZAÇÃO DOS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO NA ESCALA SUBNACIONAL: ÁGUA E ESGOTO LOCALIZAÇÃO DOS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO NA ESCALA SUBNACIONAL: ÁGUA E ESGOTO Maria da Piedade Morais 1º Seminário Franco-Brasileiro sobre Saúde Ambiental Brasília, 28 de junho de 2011 Objetivos

Leia mais

Júlio Eduardo dos Santos

Júlio Eduardo dos Santos Júlio Eduardo dos Santos Secretário Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana Linha do Tempo 1965 a 2003 Extinção da GEIPOT Lei 10.233 / 2001 Criação da EBTU lei nº 6.261 em 1975 Extinção da EBTU Dec.

Leia mais

INCT Observatório das Metrópoles

INCT Observatório das Metrópoles INCT Observatório das Metrópoles INDICADORES SOCIAIS PARA AS REGIÕES METROPOLITANAS BRASILEIRAS: EXPLORANDO DADOS DE 2001 A 2009 Apresentação Equipe Responsável Luiz Cesar de Queiroz Ribeiro Marcelo Gomes

Leia mais

FINANCIAMENTO DO DESENVOLVIMENTO URBANO

FINANCIAMENTO DO DESENVOLVIMENTO URBANO FINANCIAMENTO DO DESENVOLVIMENTO URBANO As condições para o financiamento do desenvolvimento urbano estão diretamente ligadas às questões do federalismo brasileiro e ao desenvolvimento econômico. No atual

Leia mais

Uma proposta da ISES do Brasil

Uma proposta da ISES do Brasil Uma proposta da ISES do Brasil INTRODUÇÃO: Aeroportos x Geração Fotovoltaica Características construtivas: praticamente horizontais, grandes áreas; Formadores de opinião e tomadores de decisão passam por

Leia mais

DETERMINANTES DA VIOLÊNCIA NO BRASIL

DETERMINANTES DA VIOLÊNCIA NO BRASIL ESTUDO DETERMINANTES DA VIOLÊNCIA NO BRASIL Luciana da Silva Teixeira Consultora Legislativa da Área IX Política e Planejamento Econômicos, Desenvolvimento Econômico, Economia Internacional ESTUDO NOVEMBRO/2004

Leia mais

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 Situação da microcefalia no Brasil Até 21 de novembro, foram notificados 739 casos suspeitos de microcefalia, identificados em 160 municípios de nove

Leia mais

A fórmula da Alterdata. Ladmir Carvalho

A fórmula da Alterdata. Ladmir Carvalho A fórmula da Alterdata Ladmir Carvalho Transformações expressivas ao longo do tempo 1989 A Alterdata é fundada em Petrópolis/RJ com sistemas de DP e Contabilidade 1990 Nasce a Escrita Fiscal 1991 Filial

Leia mais

Programa de Requalificação de UBS. Março/2015

Programa de Requalificação de UBS. Março/2015 Programa de Requalificação de UBS Março/2015 PROGRAMA DE REQUALIFICAÇÃO DE UBS Instituído no ano de 2011 OBJETIVOS: Criar incentivo financeiro para as UBS Contribuir para estruturação e o fortalecimento

Leia mais

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO DE PROJETOS

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO DE PROJETOS CRITÉRIOS DE SELEÇÃO DE PROJETOS Lúcia Maria Mendonça Santos Marcos Daniel Souza dos Santos Paula Coelho da Nóbrega Departamento de Mobilidade Urbana Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana

Leia mais

Objetivos Consolidar uma política garantidora de direitos Reduzir ainda mais a desigualdade social

Objetivos Consolidar uma política garantidora de direitos Reduzir ainda mais a desigualdade social AGENDA SOCIAL AGENDA SOCIAL Estamos lutando por um Brasil sem pobreza, sem privilégios, sem discriminações. Um país de oportunidades para todos. A melhor forma para um país crescer é fazer que cada vez

Leia mais

MCMV 3 REUNIÃO COM EMPRESÁRIOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL 10/09/2015

MCMV 3 REUNIÃO COM EMPRESÁRIOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL 10/09/2015 MCMV 3 REUNIÃO COM EMPRESÁRIOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL 10/09/2015 1 SITUAÇÃO ATUAL MCMV RURAL 1. Orçamento encaminhado ao Congresso para 2016 assegura: Continuidade das obras que permitirá ao Governo entregar

Leia mais

O consumo dos brasileiros atingirá R$ 3,7 trilhões, em 2015

O consumo dos brasileiros atingirá R$ 3,7 trilhões, em 2015 O consumo dos brasileiros atingirá R$ 3,7 trilhões, em 2015 A potencialidade de consumo dos brasileiros deve chegar a R$ 3,730 trilhões neste ano, ao mesmo tempo em que revela significativo aumento dos

Leia mais

Relação dos cargos do próximo concurso da empresa, que formará cadastro reserva: Analista Superior I

Relação dos cargos do próximo concurso da empresa, que formará cadastro reserva: Analista Superior I Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) Relação dos cargos do próximo concurso da empresa, que formará cadastro reserva: AS I - Arquivista AS I Assistente Social AS I Biólogo Analista

Leia mais

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) ANEXO I BICICLETA ESCOLAR Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) Assunto: Adesão à ata de registro de preços nº 70/2010 do pregão eletrônico nº 40/2010. 1 2 BICICLETA 20 - AC,

Leia mais

ASPECTOS DA REDE URBANA DO ESTADO DE SÃO PAULO

ASPECTOS DA REDE URBANA DO ESTADO DE SÃO PAULO ASPECTOS DA REDE URBANA DO ESTADO DE SÃO PAULO SIMÃO, Rosycler Cristina Santos Palavras chave: rede urbana; São Paulo; disparidades regionais; Censo Demográfico 2000. Resumo O objetivo do trabalho é mostrar

Leia mais

Centro de Artes e Esportes Unificados, Sertãozinho SP. UBS Elpidio Moreira Souza AC. UPA município de Ribeirão Pires SP

Centro de Artes e Esportes Unificados, Sertãozinho SP. UBS Elpidio Moreira Souza AC. UPA município de Ribeirão Pires SP Centro de Artes e Esportes Unificados, Sertãozinho SP UBS Elpidio Moreira Souza AC Quadra da Escola Municipal Érico de Souza, Águas Lindas GO UPA município de Ribeirão Pires SP UBS Clínica da Família,

Leia mais

RESULTADOS DO ÍNDICE DE VULNERABILIDADE SOCIAL DO PARANÁ - 2010 *

RESULTADOS DO ÍNDICE DE VULNERABILIDADE SOCIAL DO PARANÁ - 2010 * RESULTADOS DO ÍNDICE DE VULNERABILIDADE SOCIAL DO PARANÁ - 2010 * Os resultados aqui apresentados foram extraídos do Atlas da Vulnerabilidade Social nos Municípios Brasileiros, elaborado pelo Instituto

Leia mais

ÓRGÃO: JUSTIÇA FEDERAL

ÓRGÃO: JUSTIÇA FEDERAL ÓRGÃO: JUSTIÇA FEDERAL Programa: 0569 - PRESTAÇÃO JURISDICIONAL NA JUSTIÇA FEDERAL Objetivo: Garantir pleno exercício do direito por meio da prestação dos serviços jurisdicionais, observando o disposto

Leia mais

CONVOCAÇÕES REALIZADAS ATÉ 01/01/2012

CONVOCAÇÕES REALIZADAS ATÉ 01/01/2012 SERVIÇO FEDERAL DE PROCESSAMENTO DE DADOS (SERPRO) CONCURSO PÚBLICO PARA PREENCHIMENTO DE E FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA PARA OS CARGOS DE ANALISTA E DE TÉCNICO EDITAL Nº 1 SERPRO, DE 08 DE OUTUBRO

Leia mais

A REALIDADE DAS ÁREAS METROPOLITANAS E SEUS DESAFIOS NA FEDERAÇÃO BRASILEIRA: DIAGNÓSTICO SOCIOECONÔMICO E DA ESTRUTURA DE GESTÃO 1

A REALIDADE DAS ÁREAS METROPOLITANAS E SEUS DESAFIOS NA FEDERAÇÃO BRASILEIRA: DIAGNÓSTICO SOCIOECONÔMICO E DA ESTRUTURA DE GESTÃO 1 A REALIDADE DAS ÁREAS METROPOLITANAS E SEUS DESAFIOS NA FEDERAÇÃO BRASILEIRA: DIAGNÓSTICO SOCIOECONÔMICO E DA ESTRUTURA DE GESTÃO 1 Rosa Moura, Paulo Delgado, Marley Deschamps 2 e Nelson Ari Cardoso 3

Leia mais

Inventar com a diferenca,

Inventar com a diferenca, Inventar com a diferenca, cinema e direitos humanos PATROCÍNIO APOIO REALIZAÇÃO Fundação Euclides da Cunha O que é Inventar com a diferença: cinema e direitos humanos O projeto visa oferecer formação e

Leia mais

Com este propósito, estamos apresentando o Programa de Treinamento a Clientes 2013.

Com este propósito, estamos apresentando o Programa de Treinamento a Clientes 2013. DEPARTAMENTO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA PROGRAMA DE TREINAMENTO A CLIENTES 2013 Caro cliente, Você tem acompanhado o compromisso da Marcopolo em oportunizar treinamentos para a capacitação e o aperfeiçoamento

Leia mais

Redes de Pesquisa: a experiência nacional do Observatório das Metrópoles

Redes de Pesquisa: a experiência nacional do Observatório das Metrópoles Redes de Pesquisa: a experiência nacional do Observatório das Metrópoles Profª. Drª. Maria do Livramento Miranda Clementino (Coordenadora do Núcleo RMNatal - Observatório das Metrópoles - UFRN) Apresentação

Leia mais

Política dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes e o Pacto Federativo

Política dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes e o Pacto Federativo Política dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes e o Pacto Federativo Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente - Setembro de 2010- Peculiaridades do Brasil na implementação

Leia mais

Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015

Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015 Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015 PRESIDENTE: Marciano Gianerini Freire EQUIPE TÉCNICA: Coordenação: Mariana Nery Pesquisadores: Heike Duske César Melo

Leia mais

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

Resolução nº 089/CONSUNI/2012 (MG) 10. Ciências Contábeis Resolução nº 105/CONSUNI/2009. Resolução nº 103/CONSUNI/2009 (MG) 45

Resolução nº 089/CONSUNI/2012 (MG) 10. Ciências Contábeis Resolução nº 105/CONSUNI/2009. Resolução nº 103/CONSUNI/2009 (MG) 45 Edital A Universidade Estácio de Sá faz saber que estarão abertas, no período de 10 de Novembro à 25 de Março de 2015, as inscrições para os Processos Seletivos Agendados e Processos de Seleção destinados

Leia mais

Luciano Coutinho Presidente

Luciano Coutinho Presidente O papeldo BNDES napromoçãodo desenvolvimento econômico e social do Brasil IV Fórum Internacional de comunicação e sustentabilidade Brasília, 26 de maio de 2011 Luciano Coutinho Presidente O Brasil ingressa

Leia mais

DIAGNÓSTICO DA FISCALIZAÇÃO DE USO E COMÉRCIO DE AGROTÓXICOS NO BRASIL

DIAGNÓSTICO DA FISCALIZAÇÃO DE USO E COMÉRCIO DE AGROTÓXICOS NO BRASIL CGAA/DFIA/SDA/MAPA DIAGNÓSTICO DA FISCALIZAÇÃO DE USO E COMÉRCIO DE AGROTÓXICOS NO BRASIL Luís Eduardo Pacifici Rangel Coordenador Geral de Agrotóxicos e Afins odilson.silva@agricultura.gov.br Objetivos

Leia mais

NELSON WILIANS ADVOGADOS ASSOCIADOS

NELSON WILIANS ADVOGADOS ASSOCIADOS www.nwadv.com.br NELSON WILIANS ADVOGADOS ASSOCIADOS CNPJ UF Cidade CNPJ SP São Paulo 03.584.647/0001-04 PR Londrina 03.584.647/0002-87 RJ Rio de Janeiro 03.584.647/0003-68 DF Brasília 03.584.647/0004-49

Leia mais

Boas práticas para Mobilidade Urbana

Boas práticas para Mobilidade Urbana Boas práticas para Mobilidade Urbana PAC para Mobilidade - EMBARQ Otávio Vieira Cunha, Presidente da Diretoria Executiva Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos NTU Brasília, 28 de Novembro

Leia mais

Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar

Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar Parcerias: PeNSE 1. Introdução Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar O IBGE, em parceria com o Ministério da Saúde e da Educação realizará, em 2015, a 3ª edição da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar

Leia mais

Panorama do Mercado Imobiliário. Celso Petrucci Economista-Chefe do Secovi-SP

Panorama do Mercado Imobiliário. Celso Petrucci Economista-Chefe do Secovi-SP Panorama do Mercado Imobiliário Celso Petrucci Economista-Chefe do Secovi-SP Município de São Paulo Lançamentos Residenciais Mun. de São Paulo Mil Unidades Média = 31,7 22,6 24,9 25,7 39,0 34,5 31,6 38,2

Leia mais

Plano de Ação do Governo Federal para o período de chuvas. Sul e Sudeste

Plano de Ação do Governo Federal para o período de chuvas. Sul e Sudeste Plano de Ação do Governo Federal para o período de chuvas Sul e Sudeste Plano de Ação do Governo Federal para o período de chuvas Sul e Sudeste 1. Prognóstico Climático 2. Municípios Monitorados 3. Preparação

Leia mais

Contas Regionais do Brasil 2010

Contas Regionais do Brasil 2010 Diretoria de Pesquisas Contas Regionais do Brasil 2010 Coordenação de Contas Nacionais frederico.cunha@ibge.gov.br alessandra.poca@ibge.gov.br Rio, 23/11/2012 Contas Regionais do Brasil Projeto de Contas

Leia mais

MARÇO 19 A 21 RECIFE - PE FILIAL XII (PE-AL-PB) MARÇO 19 A 21 PORTO ALEGRE - RS FILIAL VI (RS) MARÇO 26 A 29 CURITIBA - PR FILIAL VII (PR-SC)

MARÇO 19 A 21 RECIFE - PE FILIAL XII (PE-AL-PB) MARÇO 19 A 21 PORTO ALEGRE - RS FILIAL VI (RS) MARÇO 26 A 29 CURITIBA - PR FILIAL VII (PR-SC) TÉCNICAS DE GESTÃO DE PROJETOS MARÇO 19 A 21 BELO HORIZONTE - MG FILIAL III (MG) ANÁLISE DE FALHAS E ESTRATÉGICAS DE PLANEJAMENTO E CONTROLE DE - MARÇO 19 A 21 RECIFE - PE FILIAL XII (PE-AL-PB) MARÇO 19

Leia mais

O que é o PLHIS? Quais são os beneficiários do PLHIS? Quais são as exigências do PLHIS?

O que é o PLHIS? Quais são os beneficiários do PLHIS? Quais são as exigências do PLHIS? O que é o PLHIS? Quais são os beneficiários do PLHIS? Quais são as exigências do PLHIS? Planejamento Planejamento é uma das condições para a prática profissional dos Assistente Social (BARBOSA, 1991).

Leia mais

4. População de estudo

4. População de estudo 4. População de estudo A população de estudo é representada por 23.457 indivíduos, residentes em 10.172 domicílios, conforme figura 4.1 abaixo. No Anexo C encontram-se as informações referentes à distribuição

Leia mais

Diana Meirelles da Motta

Diana Meirelles da Motta Diana Meirelles da Motta 1. O conceito de segregação é pertinente para entender a realidade metropolitana (a referência fundamental são as metrópoles brasileiras, tendo como pano de fundo as metrópoles

Leia mais

PORTO ALEGRE EM ANÁLISE 2013

PORTO ALEGRE EM ANÁLISE 2013 PORTO ALEGRE EM ANÁLISE 2013 Na data em que Porto Alegre comemora seus 241 anos de fundação, o Observatório da Cidade apresenta o Porto Alegre em Análise 2013. Trata-se de um espaço que tem como desafio

Leia mais