TÍTULO: MECANISMOS DE GESTÃO E DE ACELERAÇÃO DE EMPREENDIMENTOS O CASO DA INCUBADORA RAIAR

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TÍTULO: MECANISMOS DE GESTÃO E DE ACELERAÇÃO DE EMPREENDIMENTOS O CASO DA INCUBADORA RAIAR"

Transcrição

1 TÍTULO: MECANISMOS DE GESTÃO E DE ACELERAÇÃO DE EMPREENDIMENTOS O CASO DA INCUBADORA RAIAR Marcos Braga Barros, Jorge Luis Nicolas Audy, Roberto Astor Moschetta, Vicente H. B. Zanella. Tema: Incubação de Empreendimentos Resumo Os mecanismos de gestão de incubadoras se apresentam como um dos processos chave para o sucesso dos empreendimentos desenvolvidos em incubadoras. Objetivando garantir a melhor destinação de seus recursos, órgãos de fomento estão cada vez mais exigentes quanto aos resultados dos projetos incubados por eles financiados. Entre os indicadores de sucesso que passam a ser medidos, o volume de novos empreendimentos, a capacidade de geração de emprego e renda e a sua relevância para a sociedade, são alguns dos principais. Passam a ser razão de atenta observação por parte dos gestores de processos de incubação. Neste contexto, o papel da gerência na aceleração dos empreendimentos torna-se crucial, não se limitando a executar atividades de apoio, mas envolve coordenar ações de integração das empresas incubadas e seus parceiros, propiciando assim, uma estratégia eficaz de apresentação de seus produtos e serviços ao mercado. Este artigo tem por objetivo descrever as ações da incubadora RAIAR frente ao desafio de acelerar e potencializar os empreendimentos por ela incubados. Descreve seus mecanismos de gestão e estratégias para colocação dos produtos e serviços das empresas em um mercado cada vez mais exigente e seletivo. Palavras-chave Incubadora de base tecnológica, empresas incubadas, habitats de inovação, suporte às empresas incubadas, empreendedorismo, modelo de gestão. Dados dos autores Eng. Barros, M. B. Engenheiro Eletrônico Incubadora de Base Tecnológica da PUCRS RAIAR Av. Ipiranga 6681, Prédio 94 CEP Porto Alegre RS Telefone: (51) Prof. Dr. Audy, J. L. N. Professor Titular da Faculdade de Informática da PUCRS Doutor em Sistemas de Informação Diretor da Agência de Gestão Tecnológica e de Propriedade Intelectual AGT Av. Ipiranga 6681, Prédio 96B conj 103 Telefone: (51) Prof. Msc. Moschetta, R. A. Professor da Faculdade de Administração, Contabilidade e Economia. Agência de Gestão Tecnológica e de Propriedade Intelectual AGT Av. Ipiranga 6681, Prédio 96B conj 103 Telefone: (51) Prof. Msc. Zanella, V. H. B. Doutorando em Administração do PPGA da FEA/USP - SP Coordenador Acadêmico da Incubadora de Base Tecnológica da PUCRS Professor da Faculdade de Administração, Contabilidade e Economia PUCRS.

2 ADMINISTRATION MECHANISMS AND BUSINESS ACCELARATION THE RAIAR INCUBATOR CASE Marcos Braga Barros, Jorge Luis Nicolas Audy, Roberto Astor Moschetta, Vicente H. B. Zanella. Tema: Business Incubation Abstract The incubator mechanisms of management are regarded as a key process to the enterprises developed in the incubator success. The development agencies are more demanding about the results of the incubator projects. The numbers of new enterprises, the capacity of income and job generation, as well as its relevance for the society, are basic factors to be considered by the managers of the incubation process. The management function in the business acceleration becomes a basic function, not imitated to support activities, but at coordinating activities to integrate the enterprise and its partners, thus propitiating an efficient presentation strategy of its products and services to the public-target. This article has the objective to describe the RAIAR Incubator actions to speed up and to increase the projects enterprises. Also describes its management mechanisms and strategies to assist the sells of the companies products and services into a market more challenging and selective. Palavras-chave Technological Incubator, Incubated enterprise, Innovation habitats, enterprise support, entrepreneurship, management models. Dados dos autores Eng. Barros, M. B. Engenheiro Eletrônico Incubadora de Base Tecnológica da PUCRS RAIAR Av. Ipiranga 6681, Prédio 94 CEP Porto Alegre RS Telefone: (51) Prof. Dr. Audy, J. L. N. Professor Titular da Faculdade de Informática da PUCRS Doutor em Sistemas de Informação Diretor da Agência de Gestão Tecnológica e de Propriedade Intelectual AGT Av. Ipiranga 6681, Prédio 96B conj 103 Telefone: (51) Prof. Msc. Moschetta, R. A. Professor da Faculdade de Administração, Contabilidade e Economia Agência de Gestão Tecnológica e de Propriedade Intelectual AGT Av. Ipiranga 6681, Prédio 96B conj 103 Telefone: (51) Prof. Msc. Zanella, V. H. B. Doutorando em Administração do PPGA da FEA/USP - SP Coordenador Acadêmico da Incubadora de Base Tecnológica da PUCRS Professor da Faculdade de Administração, Contabilidade e Economia PUCRS

3 Introdução O SEBRAE e os órgãos oficiais de fomento às incubadoras de empresas sinalizam que os recursos para estes organismos serão cada vez mais escassos. Adicionalmente, com o aumento do número de incubadoras de empresas no Brasil e, especialmente no Rio Grande do Sul, é imperativo que seus gestores busquem, de forma acelerada, mecanismos eficazes para sua sustentação, de forma a garantir a continuidade em seus propósitos de geração de novos empreendimentos. Uma breve análise nos últimos editais dos agentes de fomento permitirá constatar a crescente necessidade das incubadoras de empresas apresentarem contra-partidas elevadas em seus projetos, bem como uma alta taxa de ocupação de suas instalações. Como conseqüência destas novas exigências surge a necessidade de implementar e operacionalizar sistemas que permitam a medição de performance dos empreendimentos de forma consistente. É importante para as incubadoras de empresas serem capazes de articular e gerenciar um conjunto de projetos de incubação que se complementem de forma sinérgica, que viabilizem seu funcionamento, e que apresentem, dessa forma, algum resultado mensurável para a administração da incubadora e para os órgãos responsáveis pelos investimentos realizados. Um importante ator na busca desses propósitos é o gerente da incubadora empresarial. O gerente passa a assumir a postura de um agente de negócios, ter capacidade de interlocução e articulação capazes de inserir a incubadora nos círculos de negócios, para então, tirar proveito a favor de suas empresas incubadas. Neste contexto, este artigo pretende descrever os mecanismos que a Incubadora de Base Tecnológica RAIAR, localizada no TECNOPUC, Parque Tecnológico da PUCRS, vem utilizando e pretende utilizar para garantir o sucesso de seu empreendimento e de suas empresas incubadas. Para este fim, se apresentará como a Incubadora de Base Tecnológica RAIAR está se estruturando para vencer estes desafios e se distinguir em um ambiente bastante competitivo, focando principalmente, o sucesso mercadológico de suas empresas incubadas. MODELOS EXISTENTES Incubadoras Base Teórica Desde a criação da primeira incubadora de empresas de base tecnológica no Brasil, no início da década de 80, tem-se observado um constante e crescente aprimoramento na forma de apoiar e potencializar o desenvolvimento de novos produtos ou serviços que se originam, ou da necessidade de se vencer uma dificuldade tecnológica, ou como resultado de pesquisa requerida para dissertações de mestrado ou teses de doutorado. Qualquer que seja sua origem, o que se busca em uma incubadora de empresas é um ambiente favorável para experimentos cujo objetivo principal é transformar o conhecimento ou a experiência em um produto ou serviço comercializável que proporcione solução a uma carência de mercado. Segundo Medeiros (1992) incubadora é um núcleo que abriga, usualmente, microempresas de base tecnológica, isto é, aquela que têm no

4 conhecimento seu principal insumo de produção. Para Spolidoro (1999), incubadora é um ambiente que favorece a criação e o desenvolvimento de empresas e de produtos (bens e serviços), em especial aqueles inovadores e intensivos de conteúdo intelectual (produtos em cujo custo à parcela do trabalho intelectual é maior que a parcela devida a todos os demais insumos). Com estes propósitos as incubadoras de empresas, permitiram gerar, entre os empreendedores das empresas incubadas, uma consciência de que existe efetiva possibilidade de produzir tecnologia nacional que sirva como solução alternativa e, muitas vezes, mais vantajosa às necessidades do mercado nacional, fundamentada no conhecimento e no empreendedorismo. O Brasil endossou este modelo e instituições de fomento ao desenvolvimento econômico nas três esferas de governo implementaram programas voltados ao incentivo, ou das incubadoras ou das empresas incubadas, em maior ou menor grau. Nos últimos 20 anos o crescimento de programas de incubação de empresas, patrocinados por universidades, por administrações públicas e ainda por centros de pesquisas públicos e privados registraram para o Brasil uma marca de destaque no posicionamento mundial em relação ao número de incubadoras de empresas em operação. Dados da ANPROTEC (2003) dão conta da existência de 207 incubadoras de empresas em operação distribuídas pelas cinco regiões do território nacional. Esse crescimento também ocorreu na qualificação do apoio aos projetos de incubação por parte das administrações das incubadoras, que passaram a oferecer serviços e treinamento empresarial aos incubados. A evolução no processo de apoio da incubadora a suas incubadas permitiu constatar que o sucesso dos empreendimentos aumentava quando era possível integrar o ambiente onde se encontrava a incubadora e suas empresas com o entorno econômico carente de tecnologias inovadoras. Assim, a relação das incubadoras com centros de pesquisa, dentro ou fora de universidades, se apresentou como um caminho concreto para o fortalecimento de novos empreendimentos que centram seu patrimônio no conhecimento e ao mesmo tempo predispõem-se a gerar soluções para as necessidades das empresas que procuram estes centros. Se, além disso, se puder ir adiante, e instalar a incubadora empresarial dentro de um parque tecnológico, a aproximação das partes irá gerar um intercambio entre empresas carentes de soluções e empresas produtoras de soluções. Dá-se um passo além da pesquisa de soluções e oferta-se a disponibilização de produtos prontos para consumo das empresas ou mercados interessados, fortalecendo toda a corrente do desenvolvimento tecnológico nacional a partir de spin-off de empresas ou projetos conectados ao mercado local. O processo de estímulo e geração de novas empresas Base Teórica O processo de geração de novos negócios tem forte influência cultural e deriva fundamentalmente dos valores de uma sociedade. A estes fatores associam-se outros de caráter ambientais, tais como condições econômicas, legais e de infra-estrutura, os quais têm como objetivo suportar o desenvolvimento de iniciativas próprias para criação de novos negócios.

5 Também está associado a estes aspectos, o nível de educação formal vigente em determinada sociedade, já que nesta fase existe uma orientação mais definida à formação do indivíduo e não propriamente da empresa. A este processo, os estudiosos da área têm chamado de empreendedorismo. Dolabela (1999) classifica o empreendedorismo como um fenômeno social vinculado, portanto, às características de uma determinada sociedade, incluindo-se aí seu nível de desenvolvimento, suas crenças, valores, etc. Assim, observa o autor:...tudo indica que o empreendedorismo é um fenômeno regional, na medida em que a cultura, as necessidades e os hábitos de uma região determinam comportamentos.... (pág 50). Ainda, como observa Dolabela, o termo empreendedorismo é uma livre tradução do termo entrepreneurship, da língua inglesa, utilizado para designar os estudos relativos ao empreendedor, seu perfil, suas origens, seu sistema de atividades, seu universo de atuação. O empreendedor, por sua vez, é o elemento dinâmico do processo, é o indivíduo com capacidade suficiente para levar adiante seus desejos no campo empresarial. Dolabela apresenta uma concepção sistemática do fenômeno empreendedorismo e que precede a constituição formal de novas empresas e que é pouco trabalhado na maior parte das universidades e instituições de ensino brasileiras. Ele defende o processo de formação de empreendedores e o papel do ensino formal nessa missão através da inclusão de disciplinas e programas que abordem o tema de maneira objetiva e sistemática, permitindo aos alunos formar conceitos e, ao mesmo tempo, adquirir capacidades que os permitirão constituir novos negócios, com reais chances de sucesso. A partir desta abordagem do ensino formal, associam-se laboratórios, centros de pesquisa públicos e privados, constituindo iniciativas de préincubação que permitiriam aos alunos experimentar e vivenciar o ambiente de uma empresa, sem a necessidade de sua constituição formal desde o início. As empresas juniores já são uma realidade neste sentido. Tal experiência é considerada fundamental para a formação de novos empresários com capacidade gerencial e reais chances de sucesso nos negócios. Do ponto de vista do processo de incubação, como será visto mais adiante, o nível de atividade empreendedora relacionada à formação de novos negócios é fundamental para o sucesso do modelo, pois contribui fortemente para a formação de uma massa crítica de empresas, mantendo um fluxo de negócios constante para a incubadora em termos de empresas a serem incubadas. Bolton (1997), um pesquisador da área do empreendedorismo e incubação de empreendimentos, desenvolveu um modelo formal para estimular o processo de formação e desenvolvimento de novos empreendedores por entender que os modelos atuais, que buscavam explicar o desenvolvimento regional, não mais eram capazes de explicar o que estava acontecendo no mundo atual. Para Bolton, o paradigma das grandes corporações não tem mais capacidade de assegurar desenvolvimento econômico. A economia de mercado está infinitamente mais dinâmica e exige flexibilidade de adaptação e respostas rápidas, o que as pequenas empresas têm por princípio de trabalho. A Gerência como ator fundamental no processo. A literatura sobre incubadoras já apresenta soluções e metodologias que servem como base para o desenvolvimento de modelos de gestão do processo

6 de incubação. Porém, como observa Barros in Salomão (1998 pág. 213)... o grande desafio da incubadora está em convencer os novos empresários da importância dos conhecimentos administrativos para a sobrevivência da nova empresa.... As pessoas, recursos físicos e financeiros, são fundamentais para a gestão de uma incubadora. Geralmente a estrutura administrativa de uma incubadora é composta por uma gerência, pessoal administrativo e operacional. A principal função da gerência neste novo processo é a coordenação das ações no sentido de integrar as empresas incubadas com os parceiros da incubadora. Segundo Albert et al (2002, pg 32-33), as melhores incubadoras são aquelas que mantém forte ligação com o ambiente que o cerca, apresenta uma equipe gerencial experiente e uma política de propriedade intelectual bem definida e independente. Como exemplo, um diretor de incubadora ligada ao meio científico exige um profissional com competência científica, um bom conhecimento da cultura acadêmica, um perfil empreendedor e ter capacidade de gerenciar redes múltiplas e de relações complexas. De acordo com Stainsack (1998, p ) a relação entre o gerente da incubadora com o empreendedor envolve principalmente confiança entre ambas as partes. O comprometimento com o sucesso dos projetos a serem desenvolvidos na incubadora, as posturas de liderança, a firmeza frente aos problemas e reivindicações, o estabelecimento de regras claras, são fundamentais para o estabelecimento de um elo permanente e eficaz entre o gerente e o empreendedor. Para Lalkaka (1997, p.62-63) uma incubadora se concentra no processo de desenvolvimento de pequenas empresas, enquanto um parque tecnológico enfoca os aspectos imobiliários, realçados pelo apoio técnico. Para as empresas em estágio inicial a infra-estrutura comum (escritório, secretária, fotocópias, etc.), disponibilizada pela incubadora são vitais para o seu fortalecimento. A Incubadora RAIAR dentro do espaço físico do TECNOPUC Histórico da Incubadora RAIAR A Incubadora Raiar foi inaugurada em 11 de novembro de 2003 através de uma iniciativa da PUCRS para transformar projetos de pesquisa em empreendimentos de sucesso. O objetivo deste complexo é a instalação de pesquisadores da Universidade através da composição de empresas de base tecnológica para o desenvolvimento de produtos e inserção no mercado. A RAIAR conta com doze módulos, três salas de reuniões e área de administração. Também, oferece para empresários incubados serviços de apoio à gestão para assessorá-los. Os serviços abrangem profissionais de administração para ajudar na composição de planos de negócios e estratégias de marketing, profissionais de informática, jornalistas e comunicadores auxiliando na construção da identidade visual e textual dos empreendimentos. A Incubadora RAIAR envolve empresas que já possuem um protótipo do produto/serviço e volume de venda previamente negociado com uma organização cliente. Por exemplo, um grupo de alunos de pós-graduação da PUCRS ou ex-funcionários de uma empresa estabelecida no parque poderão

7 configurar um novo empreendimento respaldado pelo interesse e comprometimento desta empresa em determinado produto, serviço ou processo tecnológico. As facilidades e serviços oferecidos pela RAIAR são os seguintes: serviços de uso compartilhado, ou seja, fax, impressora a laser e copiadora; acesso a laboratórios, serviços especializados, bibliotecas e outros dos institutos e unidades acadêmicas da PUCRS; apoio na abertura do empreendimento (apoio administrativo, jurídico, contábil e outros), através da atuação do Serviço de Apoio a Gestão; apoio a serviços especializados que auxiliem as empresas residentes em suas atividades, quais sejam, gestão empresarial, gestão da inovação tecnológica, comercialização de produtos e serviços no mercado doméstico e internacional, contabilidade, marketing, assistência jurídica, captação de recursos, contratos com financiadores, engenharia de produção e propriedade intelectual, sempre com preços abaixo dos praticados no mercado; mecanismos de estímulo ao empreendedorismo; mecanismos de busca de parcerias comerciais e tecnológicas para as empresas; apoio a promoção e divulgação das empresas, bem como sua inclusão em redes e feiras que permitam a troca de informações e de experiências e que propiciem o surgimento de novos negócios; apoio às empresas em via de deixar a Incubadora, com o objetivo de auxiliá-las a encontrar instalações adequadas e investidores, entre outros; apoio a todas as empresas residentes que deixarem a Incubadora RAIAR na busca de instalações alternativas no TECNOPUC. Estrutura Organizacional A Incubadora RAIAR, segue a orientação estratégica da Agência de Gestão Tecnológica e de Propriedade Intelectual - AGT, que tem por objetivo geral atuar como agente de fomento e facilitador do processo de interação Universidade-Empresa, viabilizando e estimulando a criação de projetos conveniados com entidades públicas e privadas, aliando as necessidades do mercado com o conhecimento e o saber existente na Universidade. A estrutura organizacional da Incubadora RAIAR é constituída pelos seguintes atores: um gerente que é o agente responsável por imprimir um ritmo de negócios às atividades da incubadora. Para auxiliar esse gerente, há um coordenador acadêmico que atua como articulador das ações internas na PUCRS. Além disso, este coordenador responde as demandas relacionadas à elaboração de projetos, programas e outras atividades de natureza acadêmica. Em relação aos serviços de apoio prestados aos incubados, a incubadora conta com o Serviço de Apoio a Gestão (SAGE) e uma secretaria. O SAGE foi criado para atender as demandas de gestão e tecnologia oriundas da incubadora desenvolvendo funções de coordenação dos recursos humanos e serviços especializados necessários às atividades das empresas incubadas,

8 tais como gestão empresarial, gestão da inovação tecnológica, comercialização de produtos, contabilidade, comunicação e marketing. Os serviços especializados do SAGE são prestados por bolsistas ITI (iniciação tecnológica industrial) e DTI (desenvolvimento tecnológico industrial) devidamente aprovados pelo CNPq. A secretaria tem como função apoiar o SAGE bem como a coordenação da incubadora nas operações do dia a dia. Incubação Modalidade Empresa Associada A Incubadora Raiar a partir do ano de 2004 introduziu uma nova modalidade de incubação a de empresa associada. Este novo formato provê aos empreendedores todos os serviços e apoios da modalidade já existente, porém não oferece espaço físico na incubadora. Os principais focos de apoio são: marketing, acesso à rede de contatos, tecnologias, recursos humanos, assessoria fiscal e contábil e apoio para obtenção de capital de risco. Cabe ressaltar, que esses empreendimentos possuem vínculos formais com a incubadora física, porém, encontram-se instalados fora do espaço físico da incubadora. Os empreendedores passam por criterioso processo de seleção junto a uma comissão específica de avaliadores. Empresas Incubadas residentes Telemon: a empresa oferece soluções em segurança patrimonial através de monitoração de imagens via Internet. São equipamentos de alta tecnologia e aplicações em software que representam significativa redução de custos em vigilância. Os empreendedores desenvolveram o Telemonbox que torna possível a visualização de imagens capturadas por até oito câmeras de vídeo instaladas em qualquer local através de redes de computadores e Internet. As imagens são enviadas para o aparelho pelos mesmos cabos utilizados em ligações comuns de circuito fechado de vigilância e o armazenamento é possível por trinta dias. Com as novas tecnologias CDMA e GSM, o acesso destas imagens também pode ser efetuado utilizando endereços WAP. Zero Defect Test House: a importância de um produto final de qualidade tornou-se um grande diferencial no mercado tecnológico, por isso a diminuição ou, até mesmo, a ausência total de defeitos nestes produtos é fundamental. A Zero Defect certifica e qualifica softwares empresariais com procedimentos metodológicos e agilidade em configuração de ambientes. A empresa é a primeira a oferecer este serviço na região sul do país. Sul Gênesis: O envelhecimento populacional é um fenômeno mundial. Devido a melhores condições nutricionais, de trabalho, saneamento e moradia além da queda da taxa de fecundidade e aumento da expectativa de vida, o número de idosos brasileiros cresceu rapidamente. A qualidade de vida e o envelhecimento saudável se tornaram prioridade para adultos e novas descobertas médicas surgiram para atender este segmento. Seguindo estes novos padrões, a Sul Gênesis atua na consultoria, desenvolvimento e execução de projetos voltados à promoção de saúde, ao envelhecimento ativo e saudável e à melhoria da qualidade de vida. Para isso, conta com uma equipe interdisciplinar e especializada na área de gerontologia, biomédica e geriatria. Inpar: empresa do segmento de tecnologia ligada à área da saúde que tem como objetivo desenvolver soluções inovadoras em armazenamento,

9 processamento e visualização de imagens médicas. As soluções são personalizadas para o gerenciamento e arquivamento de dados, com o objetivo de otimizar os procedimentos operacionais de instituições de saúde, melhorando a qualidade do diagnóstico médico e a qualidade do tratamento do paciente. A empresa unifica conhecimentos em tecnologia da informação e processamento de imagem para criar ferramentas que permitem o acesso simultâneo a exames, reconstrução tridimensional de órgãos e ossos, suporte a medições através de viewer e soluções para o armazenamento com indexação e recuperação de imagens. Worbi: A consolidação de novas formas de interação entre empresa e cliente possibilitadas pelas inovações comunicacionais e informativas geram necessidade de adaptação empresarial para alcançar parcelas de público e mercado. Ajustada a esta nova visão, a Worbi planeja, desenvolve e aplica soluções em Internet Business unindo integração de sistemas e planejamento estratégico. As soluções oferecidas são utilizadas dentro de um grande projeto ou executadas individualmente conforme a necessidade do cliente. Mobisol: a utilização de dispositivos móveis faz parte das atividades diárias de milhares de consumidores, por isso a possibilidade de executar diversas funções em um único aparelho torna o seu uso fácil, ágil e atende as necessidades de seu usuário. A empresa atua no desenvolvimento de soluções inovadoras em dispositivos móveis, realizando projetos nas áreas de comunicação de redes de computadores e telefonia celular. Onbiz: a empresa atua no nicho de consultoria e implementação de metodologias, processos e sistemas de informação que viabilizem o aumento da produtividade, qualidade e economia no desenvolvimento dos negócios de empresas que possuam a tecnologia de informação como área fim ou suporte. Conex Segurity: a empresa atua na área de software desenvolvendo software e hardware para equipamentos de instrumentação eletrônica de forma a gerenciar e monitorar dados e energia elétrica para os meios físicos atualmente existentes, aperfeiçoando tecnologia VoIP (Voz sobre IP) para empresas obterem redução de custo em suas comunicações telefônicas, transmitindo dados utilizando tecnologia celular GSM para área de segurança patrimonial e pessoal, criando aplicativos que se utilizam de sensores biométricos (por impressão digital) para proteção de dados e controle de acesso, desenvolvendo lentes para aplicação de leds de alta intensidade em uso automotivo e prestação de serviço a terceiros em desenvolvimento de projetos ligados à área acima. 4TI: a empresa atende as necessidades de cooperativas de crédito através da tecnologia da informação e soluções de softwares específicos para este segmento. Os produtos oferecidos são Sistema para Automação de Cooperativas de Crédito de qualquer categoria profissional. Abrange todas as necessidades de automação de processos e controle financeiro de uma cooperativa. Contemplara os módulos de cadastro, conta-corrente, aplicações financeiras, empréstimos e capital, além de implementar cobranças e possuir interfaces EDI para comunicação com bancos e outros sistemas. Internet Banking para cooperativas de crédito, o qual possibilita a disponibilização de diversos serviços para os cooperados de suas filiadas, como consultas e transações online e/ou offline. Cash Dispenser Auto-Atendimento on-line permitindo movimentações 24 horas por dia.

10 Energétika: a empresa apresenta consultoria e prestação de serviços de engenharia que combatam o desperdício de energia e promove o seu uso eficiente. Também se caracteriza por realizar trabalhos com exclusividade e confidencialidade requeridos por cada cliente. É uma equipe formada por um agrupamento de profissionais experientes intencionados em desenvolver tecnologias inovadoras, que decorram de investimentos com Pesquisa e Desenvolvimento. Empresas Incubadas associadas Tronco Pesquisa e Desenvolvimento: a empresa fornece serviços dentro das atividades de experimentação e pesquisa focando o aprimoramento de sistemas educacionais. Os serviços oferecidos são avaliações, pesquisas e experimentos educacionais através de diversos formatos como Acompanhamento de Edição (em obras didáticas), Orientação para Pesquisa (avaliar o delineamento experimental, os instrumentos de medida, os testes e sua aplicação), Revisões de Obras Didáticas (tomar obras já editadas, verificar se existem erros, apontá-los, corrigi-los e testar o texto final para verificar a qualidade do resultado), Orientações sobre Oficinas (avaliação dos processos experimentais que serão desenvolvidos pelos clientes) e Geração de Materiais Educacionais Experimentais (experimentação de materiais educacionais dos clientes no uso e ensino de novas tecnologias resultantes da investigação científica). Radiopharmacus: é uma empresa voltada para a manipulação e pesquisa de fármacos radioativos para uso na área da Medicina Nuclear in vivo e in vitro. Os radiofármacos são medicamentos radioativos usados para diagnóstico e terapia de desordens humanas. Estes medicamentos, uma vez administrados aos pacientes, permitem a obtenção de imagens diagnósticas, acompanhamento terapêutico e terapia (Radioisótopoterapia). A empresa concentra suas atividades em uma radiofarmácia centralizada enquadrada nas normas internacionais para atender hospitais e clínicas particulares através de garantia de qualidade em todas as etapas do processo de obtenção dos radiofármacos (manipulação, controle de qualidade e dispensação). Além da distribuição de doses unitárias destes fármacos, a Radiopharmacus trabalha na implementação de atividades clínicas, pesquisa de novos compostos e consultorias em todas as áreas técnicas relacionadas à Medicina Nuclear. Matrice: o serviço oferecido é o desenvolvimento de sistemas corporativos para a Internet e a prestação de consultoria em processos, utilizando uma metodologia de desenvolvimento própria baseada em MDA e geração automática de código-fonte. MDA corresponde a Model Driven Architecture, uma arquitetura da OMG (Object Management Group) para desenvolvimento de software voltada a modelagem, dando grande ênfase ao processo de modelagem. A OMG é uma organização bastante conceituada no mercado internacional de TI, sendo formada pela participação de diversas empresas do ramo. A MDA utiliza em seu processo de modelagem a linguagem UML, bastante conhecida e utilizada na produção de sistemas de software. O diferencial é que a MDA possui uma UML formalizada, reduzindo drasticamente as ambigüidades na interpretação dos modelos, tão comum no processo de análise de sistemas.

11 Desafios de uma Incubadora para a aceleração dos empreendimentos A seguir, identificaremos quatro desafios chaves para o sucesso de empreendimentos instalados em uma Incubadora de Base Tecnológica: a) Formar uma rede de relacionamentos capaz de gerar negócios para as empresas incubadas Uma das principais metas de uma incubadora reside na sua capacidade de alavancar negócios para as empresas incubadas. Sem dúvida, o maior desafio de uma empresa incubada é começar a vender e, posteriormente, atingir um nível de faturamento que justifique sua existência e a torne uma empresa de sucesso. Neste sentido, a incubadora tem um papel fundamental, visto que, por ter uma natureza diferente das empresas, e por possuir entre seus princípios de atuação e objetivos a promoção do desenvolvimento, a incubadora tem muito mais chances de trabalhar sua imagem e atingir potenciais clientes para suas empresas do que elas próprias atuando de maneira individual. Neste sentido, cabe aos gestores a conexão entre as entidades parceiras como bancos, federações de indústria, investidores e outras empresas afins, propiciando assim, a ampliação da rede de relacionamentos da incubadora. b) Estabelecer uma marca reconhecida no meio empresarial, financeiro e político. O posicionamento da marca da incubadora é fundamental para seu sucesso. É preciso buscar diferenciais (principalmente na associação com as Universidades), atrair a atenção do mercado por razões que estejam associadas a fatores econômicos e de performance nos negócios (qualidade dos empreendimentos gerados na incubadora). Na verdade, este objetivo deve fazer parte do plano estratégico de qualquer incubadora, assim como seu foco e objetivos. São destes pontos que deverá nascer uma política de comunicação e marketing que vai posicionar a incubadora junto a seu mercado alvo (as empresas) e inseri-la em um contexto de instituições com afinidades e objetivos semelhantes. c) Constituir e manter uma boa equipe de gestão A formação de uma boa equipe de gestão é determinante para uma boa performance das empresas e conseqüentemente da incubadora. Não é possível desenvolver um trabalho profissional com as empresas sem ter pessoas capazes e em número suficiente para desempenhar as funções. Este é um dos fatores que diferencia as incubadoras de simples condomínios empresariais, onde as empresas buscam simplesmente custos subsidiados. As equipes de gestão devem ser formadas por pessoas (assessores, consultores ou não) com capacidade de orientar os empresários na condução dos negócios. As principais demandas das empresas são no campo do marketing, das finanças, assessoria jurídica e de comunicação entre outros. Outro fator de sucesso é a conexão da gestão da incubadora com a academia, ou centros de pesquisa, propiciando a busca de projetos junto às instituições de fomento potencializando assim, a atualização tecnológica do produto e processo desenvolvido pela empresa durante o período de incubação.

12 d) Estabelecer mecanismos eficientes de controle e gestão das empresas incubadas (processo de incubação gerando casos de sucesso) A estrutura de um bom modelo de gestão, focado em um conjunto de indicadores precisos e fáceis de mensurar, como também a descrição clara dos processos chaves, ajuda substancialmente a manutenção do foco da incubadora, bem como na maximização dos recursos por ela captado junto aos órgãos de fomento. Desta forma, os mecanismos de controle devem ter a preocupação de contribuir na construção de uma cultura de gestão dentro das novas empresas, dando subsídios ao gestor para tomar decisões sobre quais rumos a empresa deverá seguir. Cabe ressaltar, que estes mecanismos de controle são apreciados pelas instituições de fomento e apoio à pesquisa, do governo e da sociedade, porque representa agregação de valor ao PIB local, aumento de receita tributária, empregos e desenvolvimento econômico da região. Com relação à imagem da incubadora, os casos de sucesso de empresas liberadas contribuem para fortalecê-la junto à sociedade e ao seu público-alvo. Daí o interesse direto em manter um fluxo constante de liberação e contratação com novas empresas. Contudo, se a taxa de mortalidade de empresas dentro da incubadora for alta, ou se a taxa de mortalidade de empresas liberadas da incubadora for igualmente elevada, o processo de incubação deverá ser revisto, seja para possíveis correções de método, seja para possíveis correções de foco da incubadora. Resposta da Incubadora RAIAR aos desafios identificados. Tendo em vista os desafios apresentados nas sessões anteriores, iremos fazer um relato das principais ações da Incubadora RAIAR para suplantar os desafios propostos, ou seja: a) Implantação do Núcleo de comercialização de produtos e serviços da Incubadora RAIAR (contempla os itens a e b anteriores) Num cenário de competição cada vez mais acirrada, principalmente pelo advento da globalização econômica, as empresas necessitam de mecanismos eficientes para se posicionarem no mercado. Inicialmente, as empresas elaboram planos de marketing que tem por finalidade verificar a viabilidade econômica, técnica e mercadológica do empreendimento e, também, posicionar a empresa em relação ao seu mercado alvo, identificando-se, assim, o comportamento e o perfil do consumidor que pretende atingir. O Núcleo de Comercialização de Produtos e Serviços da Incubadora Raiar tem como objetivo principal fortalecer o poder de penetração no mercado das empresas participantes da incubadora, por meio da implementação de ferramentas voltadas à comercialização de produtos e serviços. O projeto do Núcleo foi apresentado pela equipe da incubadora e aprovado pelo SEBRAE/RS no edital de incubadoras e será implementado com apoio do serviço de apoio a gestão da incubadora. A metodologia empregada será:

13 Focus Group com formadores de opinião e clientes potenciais; Seminários; Análises mercadológicas segmentadas; Café tecnológico aberto ao público consumidor potencial; Entrevistas; Reuniões com clientes potenciais; Reuniões com entidades de classe. Será possível, a elaboração de estratégias de preço, comunicação e distribuição da empresa com seu público-alvo, bem como, a formação de equipe para a comercialização dos produtos e serviços. Identificam-se as seguintes ferramentas para alçar o objetivo descrito acima, ou seja: Rodada de Negócios (ex.café tecnológico); Rodadas Virtuais; Apoio à Comercialização; Feiras Nacionais e Internacionais. Através destas ferramentas as empresas se posicionaram diante da concorrência de forma mais sólida, identificando novas oportunidades de negócios, fornecedores, parceiros e tecnologias, expandindo sua fronteira comercial. Sem dúvida, a oportunidade da empresa expor produtos em feiras estaduais, nacionais e internacionais, com apoio técnico e gerencial da incubadora, propicia que a empresa realize novos negócios, encontre fornecedores e potenciais parceiros. b) Inserção da RAIAR junto aos projetos geridos pela AGT (contempla todos os itens anteriores) Um grande diferencial da Incubadora RAIAR é a capacidade da Incubadora em captar projetos de pesquisa de interação universidade-empresa geridos pela AGT, propiciando, assim, um espaço para criação de empresas de pesquisas aplicadas, nos quais a tecnologia representa alto valor agregado. Sem dúvida, está simbiose garante aos empreendimentos incubados na RAIAR, um alto grau de inovação dos produtos e processos gerados a partir destes projetos de interação universidade-empresa, sendo que algumas dessas empresas estabelecidas estão localizadas dentro do espaço físico do Parque Tecnológico TECNOPUC. Esta gestão da Incubadora pela AGT, disponibiliza aos incubados uma gama de serviços específicos para o fomento empresarial sem custo algum. Destacamos duas ações relevantes para o tema, que é a disponibilização da participação das empresas nos programas Núcleo de Extensão Empresarial e Programa Redes de Cooperação geridos pela AGT e o Núcleo de Extensão Empresarial que desenvolve atividades de identificação e resolução de problemas gerenciais e tecnológicos nas empresas incubadas, viabilizando o acesso das empresas a formas inovadoras de gestão administrativa, produtos e processos, capacitando-as para a conquista de novos mercados e para o incremento da qualidade e produtividade. O Programa Redes de Cooperação tem como objetivo desenvolver a cultura associativa dos empreendedores, atuantes no mesmo segmento produtivo, com interesses comuns em rede de

14 cooperação constituindo uma entidade jurídica estabelecida, sem cotas de capital, sem fins lucrativos e mantendo a independência legal e a individualidade jurídica de cada participante. c) Consolidação do Sistema de Gestão da Incubadora (contempla os itens c e d anteriores) A Incubadora Raiar está desenvolvendo um software de gestão com o objetivo de aprimorar os processos de gestão do dia-a-dia da incubadora. Este sistema tem por finalidade administrar, de forma organizada e automatizada, as informações e processos entre as empresas residentes/associadas e a incubadora. Esta comunicação e informações serão gerenciadas por um sistema computacional baseado em interface web tendo como premissa fundamental a sua modulariedade e expansabilidade. A figura abaixo identifica a fase inicial do processo de seleção de novos empreendimentos na Raiar, com os seus atores e processos envolvidos, ou seja: Figura 1 - Fase inicial do processo de seleção de novos empreendimentos. Para melhor implementação do sistema de gestão subdividiu-se em quatro módulos, conforme descrição abaixo:

15 Módulo Administração: gerenciando contas de usuários e permissões de acesso aos demais módulos por estes usuários; Módulo Admissão: controla a etapa de cadastramento e acompanhamento da avaliação de um candidato ao processo de incubação (seleção de projetos); Módulo Operação: gerenciando toda a comunicação entre a incubadora e as empresas incubadas, disponibilizando subsistemas de acompanhamento de solicitações, avisos, indicadores, relatórios, etc; Módulo Graduação: apresenta os indicadores finais de desempenho da empresa, com os respectivos critérios de tomada de decisão para a graduação final da empresa incubada. A estes módulos, será incluído um sistema de permissões de acesso, possibilitando o sigilo das informações e garantindo o acesso de informações pertinentes a cada grupo de usuários. Na figura abaixo, será apresentado um esquema sucinto do módulo de administração, destacando-se os seus componentes principais e como eles se relacionam: Figura 2 Funcionalidade do módulo de administração Este sistema permite o acompanhamento das empresas residentes na Incubadora Raiar (ocupando os módulos disponíveis), bem como, a forma de incubação associada (as empresas possuem a sua sede fora do espaço físico disponibilizado pela incubadora).

16 Com o intuito de fornecer subsídios aos seus gestores, o sistema permite a emissão de relatórios individualizados de acompanhamento de cada empresa. Através dos indicadores estabelecidos pela coordenação da incubadora o sistema, além de fazer um acompanhamento dos serviços disponibilizados pela RAIAR às empresas incubadas, fornece parâmetros para a graduação das empresas participantes do processo de incubação da RAIAR. Conclusão A Incubadora RAIAR, localizada dentro do Habitat de inovação do TECNOPUC, está se destacando na captação de novos empreendimentos. Um indicador importante que demonstra este fato é a sua taxa de ocupação de 85% em menos de um ano de existência. A forte interação como os projetos geridos pela AGT, principalmente os de pesquisa aplicados com empresas parceiras da universidade e a existência de um programa de atração de empreendedores (Olimpíada de empreendimentos), constitui-se como um diferencial importante para o estímulo e criação de novas empresas de base tecnológica. A captação de recursos junto aos órgãos de fomento, bem como o estabelecimento de mecanismos para a gestão e acompanhamento destes projetos, são necessários para assegurar o êxito mercadológico destas novas empresas. Percebe-se que as instituições estão cada vez mais preocupadas com os resultados dos projetos apoiados, introduzindo, assim, ferramentas de controle e avaliação com o intuito de mensurar os projetos a serem desenvolvidos. Surge então, a necessidade do desenvolvimento de ações específicas na área de gestão e comercialização de produtos e serviços das empresas. Com a criação do Serviço de Apoio a Gestão (SAGE) e do Núcleo de Comercialização de produtos e serviços da Incubadora RAIAR, é dado um passo importante para a capacitação das treze empresas nascentes, participantes do processo de incubação da Incubadora RAIAR. As ações nas áreas de busca de parcerias, gestão empresarial, publicidade, propriedade intelectual, entre outras, capacita o empreendedor a desenvolver habilidades de como prospectar o mercado e estabelecer estratégias de inserção das empresas no seu mercado alvo. O papel dos gestores da incubadora torna-se fundamental na animação destas diversas ações propostas. O comprometimento efetivo com o êxito dos empreendimentos, a forte liderança, a eqüidade no encaminhamento das demandas das empresas são desejáveis para a aceleração dos empreendimentos apoiados na incubadora.

17 Referência Bibliográficas ALBERT, Phiippe et al. Les incubateus Emergence d une Nuvelle Industrie. Report de recherché. Nice Côte d Azur. Cambre de Commerce et Industrie, 2002 BOLTON, W. The University Handbook on Enterprise Development. Paris: Columbus, p. DOLABELA, Fernando. Oficina do Empreendedor. São Paulo: Cultura Editores Associados, p. LALKAKA, Rustam; BISHOP, Jack; Business Incubators in Economic Development: an initial assessment in industrial countries. New York: UNDP, p. MEDEIROS, J.A, MEDEIROS, L.A, MARTINS, T., PERILO, S.. Pólos, parques e incubadoras A busca da modernização e competitividade. CNPq, SCT/PR, IBICT, SENAI. Brasília, MEDEIROS, J.A. Pólos Científicos, Tecnológicos e de Modernização. TECBAHIA Revista Baiana de Tecnologia, v.11, N.1, p.11-25, SALOMÃO, J.R. Criação de Incubadora de Empresas de Base Tecnológica; Incubatec. TECBAHIA. Camaçari v.1,n.1,p.10-17, maio, ago SPOLIDORO, R. Habitats de inovação e empreendedores: agentes de transformação das estruturas sociais. TECHBAHIA R. Baiana Tenol., Camaçari, v.14 n.3 p.9-21, set./dez STAINSACK, Cristiane. A Experiência no Gerenciamento da Intec. In. SALOMÃO, J.R. (org) As incubadoras pelos seus gerentes: uma coletânea de artigos. Brasília, 1998,p.47-66

PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO. Modalidade Associada

PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO. Modalidade Associada Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO Modalidade Associada Incubadora Multissetorial de Empresas de Base Tecnológica e Inovação da PUCRS RAIAR

Leia mais

CHAMADA PARA PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO

CHAMADA PARA PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO CHAMADA PARA PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO RAIAR Incubadora Multissetorial de Empresas de Base Tecnológica e Inovação da PUCRS TECNOPUC Parque Científico e Tecnológico da PUCRS Porto Alegre,

Leia mais

SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO NA MODALIDADE ASSOCIADA

SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO NA MODALIDADE ASSOCIADA SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO NA MODALIDADE ASSOCIADA EDITAL 04/2009 IDÉIA FLUXO CONTÍNUO INCUBADORA MULTI-SETORIAL DE BASE TECNOLÓGICA E INOVAÇÃO Novembro de 2009. PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS

Leia mais

Edital 1/2014. Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica

Edital 1/2014. Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica Edital 1/2014 Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica A (PoloSul.org) torna pública a presente chamada e convida os interessados para apresentar propostas de incubação

Leia mais

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ 2009 Índice Introdução...3 O que é Base Tecnológica?...3 O que é o Programa de Incubação?...3 Para quem é o Programa de Incubação?...4 Para que serve o

Leia mais

EDITAL PARA ADMISSÃO DE EMPREENDIMENTOS INCUBADOS. Apoio:

EDITAL PARA ADMISSÃO DE EMPREENDIMENTOS INCUBADOS. Apoio: EDITAL PARA ADMISSÃO DE EMPREENDIMENTOS INCUBADOS Apoio: Recife, 2015 Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. OBJETIVOS... 3 3. PUBLICO ALVO... 3 4. ATORES... 3 5. ESPAÇO FÍSICO... 4 6. SERVIÇOS OFERECIDOS...

Leia mais

Fluxo de Criação e Consolidação de Empreendimentos Inovadores

Fluxo de Criação e Consolidação de Empreendimentos Inovadores Fluxo de Criação e Consolidação de Empreendimentos Inovadores Oportunidade Criação da Empresa Ensino Spinoffs Pesquisa Laboratórios Startups Pré-Incubações Hotel de Projetos Incubação da Empresa Aceleradora

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

EMPRESA JÚRIOR E O SEU PAPEL NA FORMAÇÃO DO NOVO PROFISSIONAL O CASO DA FLUXO CONSULTORIA.

EMPRESA JÚRIOR E O SEU PAPEL NA FORMAÇÃO DO NOVO PROFISSIONAL O CASO DA FLUXO CONSULTORIA. EMPRESA JÚRIOR E O SEU PAPEL NA FORMAÇÃO DO NOVO PROFISSIONAL O CASO DA FLUXO CONSULTORIA. Alessandro A. da Silveira fluxo@bol.com.br Universidade Federal do Rio de Janeiro, Departamento de Engenharia

Leia mais

Regulamento do Programa RiSE/Porto Digital de Residência em Reuso de Software 2011

Regulamento do Programa RiSE/Porto Digital de Residência em Reuso de Software 2011 Regulamento do Programa RiSE/Porto Digital de Residência em Reuso de Software 2011 1. Apresentação A RiSE Reuse in Software Engineering e o Núcleo de Gestão do Porto Digital (NGPD), com o apoio do CNPq

Leia mais

FUMSOFT SOCIEDADE MINEIRA DE SOFTWARE PROGRAMAS DE APOIO E INCENTIVO AO EMPREENDEDORISMO ABERTO EM 10/02/2012

FUMSOFT SOCIEDADE MINEIRA DE SOFTWARE PROGRAMAS DE APOIO E INCENTIVO AO EMPREENDEDORISMO ABERTO EM 10/02/2012 FUMSOFT SOCIEDADE MINEIRA DE SOFTWARE PROGRAMAS DE APOIO E INCENTIVO AO EMPREENDEDORISMO EDITAL DE SELEÇÃO SELEÇÃO DE NOVOS EMPREENDIMENTOS E PROJETOS PARA OS PROGRAMAS DE PRÉ-INCUBAÇÃO DE PROJETOS E PROGRAMA

Leia mais

Incubadora de Empresas de Inovação Tecnológica UNIJUÍ

Incubadora de Empresas de Inovação Tecnológica UNIJUÍ PRÁTICA-CHAVE 2.2 AVALIAÇÃO ANEXO I Edital de Incubação EDITAL Nº 03/2014 DA CRIATEC - INCUBADORA DE EMPRESAS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DA UNIJUI CAMPUS IJUÍ, PANAMBI E SANTA ROSA PARA SELEÇÃO DE PROJETOS

Leia mais

PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO

PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO 1. APRESENTAÇÃO: A Universidade Salvador UNIFACS torna público o seu Programa de Empreendedorismo desenvolvido pela Incubadora de Negócios da Unifacs como um instrumento de

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO As ações de pesquisa do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas constituem um processo educativo

Leia mais

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DO SETOR METAL MECÂNICO DO GRANDE ABC

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DO SETOR METAL MECÂNICO DO GRANDE ABC ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DO SETOR METAL MECÂNICO DO GRANDE ABC TERMO DE REFERÊNCIA Nº 002/2009 SERVIÇOS DE CONSULTORIA DE COORDENAÇÃO DO PROJETO Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Relações Institucionais)

Leia mais

APRESENTAÇÃO DIRETORIA DE INOVAÇÃO. OFICINA DA INOVAÇÃO

APRESENTAÇÃO DIRETORIA DE INOVAÇÃO. OFICINA DA INOVAÇÃO APRESENTAÇÃO DIRETORIA DE INOVAÇÃO. OFICINA DA INOVAÇÃO Página 1 de 18 ÍNDICE DA PROPOSTA Apresentação da Empresa... 3 Apresentação dos serviços da Oficina da Inovação... 6 Consultoria... 6 Capacitação...

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS INOVADORAS CDTI/UNITINS SELEÇÃO DE EMPRESAS EDITAL Nº 007, 13/08/2009.

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS INOVADORAS CDTI/UNITINS SELEÇÃO DE EMPRESAS EDITAL Nº 007, 13/08/2009. 1 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS INOVADORAS CDTI/UNITINS SELEÇÃO DE EMPRESAS EDITAL Nº 007, 13/08/2009. A Fundação Universidade do Tocantins UNITINS torna público

Leia mais

Plano de Trabalho 2013/2015

Plano de Trabalho 2013/2015 SECRETARIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO REGIONAL UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FUNDAP SEADE CEPAM CONVÊNIO SPDR USP FUNDAP SEADE CEPAM ANEXO I Plano de Trabalho 2013/2015 OUTUBRO DE 2013 I. JUSTIFICATIVAS

Leia mais

XII Seminario Latino-Iberoamericano de Gestión Tecnológica - ALTEC 2007

XII Seminario Latino-Iberoamericano de Gestión Tecnológica - ALTEC 2007 XII Seminario Latino-Iberoamericano de Gestión Tecnológica - ALTEC 2007 Processo de Avaliação e Acompanhamento de Empreendimentos Pré-Incubados Utilizando Balanced Scorecard Perez, Celso Roberto Instituto

Leia mais

POLÍTICA DE INOVAÇÃO DA SOFTEX

POLÍTICA DE INOVAÇÃO DA SOFTEX POLÍTICA DE INOVAÇÃO DA SOFTEX Março de 2009 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO...4 1.1 Objetivos...4 1.2 Público alvo deste documento...4 2 GLOSSÁRIO...5 3 POLÍTICA DE INOVAÇÃO DA SOFTEX...7 3.1 Em relação aos ambientes

Leia mais

DESAFIO À INTERNACIONALIZAÇÃO DE EBT S PROJETO PILOTO

DESAFIO À INTERNACIONALIZAÇÃO DE EBT S PROJETO PILOTO Autores: Beatrice Maria Zanellato Fonseca Mayer Leandro Carioni Laercio Aniceto Silva Maria Angélica Jung Marques Maria Gorete T. S. Hoffmann Alexandre M. Steinbruch XX Seminário Nacional de Parques Tecnológicos

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Coordenadoria Geral de Pós-Graduação Lato Sensu

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Coordenadoria Geral de Pós-Graduação Lato Sensu PORTFÓLIO ESPECIALIZAÇÃO / MBA UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Sumário ÁREA: CIÊNCIAS DA SAÚDE... 2 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO: PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E DO TRABALHO... 2 ÁREA: COMUNICAÇÃO E LETRAS...

Leia mais

Incubadora de C,T&I de Limeira Edital Permanente

Incubadora de C,T&I de Limeira Edital Permanente A Incubadora de Ciência, Tecnologia & Inovação de Limeira torna pública a abertura do Edital Permanente para as inscrições de candidatos, como empresas ou pré-projetos de base tecnológica, à incubação.

Leia mais

Escritório Modelo da Faculdade de Diadema

Escritório Modelo da Faculdade de Diadema Escritório Modelo da Faculdade de Diadema Profª. Vânia Amaro Gomes Coordenação de Curso DIADEMA, 2015 Introdução Atualmente há uma grande dificuldade dos alunos egressos das Faculdades em obter emprego

Leia mais

MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA.

MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA. MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA. SANKHYA. A nova geração de ERP Inteligente. Atuando no mercado brasileiro desde 1989 e alicerçada pelos seus valores e princípios,

Leia mais

PROGRAMAS DE APOIO E INCENTIVO AO EMPREENDEDORISMO EDITAL DE SELEÇÃO - 01/2012

PROGRAMAS DE APOIO E INCENTIVO AO EMPREENDEDORISMO EDITAL DE SELEÇÃO - 01/2012 PROGRAMAS DE APOIO E INCENTIVO AO EMPREENDEDORISMO EDITAL DE SELEÇÃO - 01/2012 Seleção para o Programa de Aceleração de Startups da Incubadora da Fumsoft A FUMSOFT torna público que se encontra aberto

Leia mais

As novas tecnologias podem finalmente - viabilizar o RH Estratégico? Thais Silva I Janeiro 2012

As novas tecnologias podem finalmente - viabilizar o RH Estratégico? Thais Silva I Janeiro 2012 As novas tecnologias podem finalmente - viabilizar o RH Estratégico? Thais Silva I Janeiro 2012 Universo TOTVS Fundada em 1983 6ª maior empresa de software (ERP) do mundo Líder em Software no Brasil e

Leia mais

PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO

PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO RAIAR Incubadora Multissetorial de Empresas de Base Tecnológica e Inovação da PUCRS TECNOPUC Parque Científico e Tecnológico da PUCRS Porto Alegre, dezembro

Leia mais

Soluções em Tecnologia da Informação

Soluções em Tecnologia da Informação Soluções em Tecnologia da Informação Curitiba Paraná Salvador Bahia A DTS Sistemas é uma empresa familiar de Tecnologia da Informação, fundada em 1995, especializada no desenvolvimento de soluções empresariais.

Leia mais

VI Reunião Técnica Internacional de FAEDPYME Nicarágua 08 a 10 de Maio de 2013

VI Reunião Técnica Internacional de FAEDPYME Nicarágua 08 a 10 de Maio de 2013 Comentários de Peter Hansen sobre interação Universidade- Empresa no Brasil e Experiências Práticas. VI Reunião Técnica Internacional de FAEDPYME Nicarágua 08 a 10 de Maio de 2013 Apresentação Prof. Peter

Leia mais

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE Palestra para o Conselho Regional de Administração 1 O QUE É O SEBRAE? 2 O Sebrae O Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas da Bahia

Leia mais

Innovation at PUCRS: Integrating University, Industry and Society (2/2)

Innovation at PUCRS: Integrating University, Industry and Society (2/2) COLUMBUS / UNESCO CURSO DE GESTORES DE EMPRENDIMIENTO UNIVERSITARIO 2010-2011 Innovation at PUCRS: Integrating University, Industry and Society (2/2) Jorge Audy, Dr. Vice-president for Research and Graduate

Leia mais

Startup Garagem Um programa de modelagem de negócios. RAIAR Incubadora Multissetorial de Empresas de Base Tecnológica e Inovação da PUCRS

Startup Garagem Um programa de modelagem de negócios. RAIAR Incubadora Multissetorial de Empresas de Base Tecnológica e Inovação da PUCRS Startup Garagem Um programa de modelagem de negócios RAIAR e Inovação da PUCRS TECNOPUC Parque Científico e Tecnológico da PUCRS Porto Alegre, abril de 2015 1. Apresentação da Incubadora Raiar A e Inovação

Leia mais

Edital Permanente Incubaero

Edital Permanente Incubaero Edital Permanente Incubaero A Incubaero torna pública a abertura permanente de inscrições para candidatos ao ingresso, como incubados, em seu quadro de empresas e ou de pré-projetos de base tecnológica.

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS

A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS Linha de pesquisa: Sistema de informação gerencial Pâmela Adrielle da Silva Reis Graduanda do Curso de Ciências

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. Pós-graduação

MANUAL DO CANDIDATO. Pós-graduação MANUAL DO CANDIDATO Pós-graduação Prezado(a) Candidato(a), Agradecemos o interesse pelos nossos cursos. Este manual contém informações básicas pertinentes ao curso, tais como: objetivos do curso e das

Leia mais

Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB. Incubadora

Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB. Incubadora Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB Incubadora 7. INCUBADORA 7.1 INCUBEM: desenvolvendo empresas de sucesso A Incubadora de Empresas do Sudoeste Baiano INCUBEM é uma instituição que tem por

Leia mais

EDITAL UnC REITORIA - 031/2015

EDITAL UnC REITORIA - 031/2015 EDITAL UnC REITORIA - 031/2015 Dispõe sobre a chamada de Projetos de Inovação para ingresso nas Incubadoras Tecnológicas e Empresariais da UnC. A Reitora da Universidade do Contestado - UnC, no uso de

Leia mais

EDITAL Nº 01/2009 PROJETOS EMPRESARIAIS PARA INGRESSO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DE SÃO JOSÉ

EDITAL Nº 01/2009 PROJETOS EMPRESARIAIS PARA INGRESSO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DE SÃO JOSÉ EDITAL Nº 01/2009 PROJETOS EMPRESARIAIS PARA INGRESSO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DE SÃO JOSÉ O presente edital regulamenta o processo de recrutamento, seleção e ingresso de projetos empresariais na Incubadora

Leia mais

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social Programa 0465 SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - INTERNET II Objetivo Incrementar o grau de inserção do País na sociedade de informação e conhecimento globalizados. Público Alvo Empresas, usuários e comunidade

Leia mais

Gestão. Curso Superior de Tecnologia em Gestão da Qualidade. Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos

Gestão. Curso Superior de Tecnologia em Gestão da Qualidade. Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos da Qualidade Gestão O tecnólogo em Gestão da Qualidade é o profissional que desenvolve avaliação sistemática dos procedimentos, práticas e rotinas internas e externas de uma entidade, conhecendo e aplicando

Leia mais

CARTILHA DO PROGRAMA DE INCUBAÇÃO

CARTILHA DO PROGRAMA DE INCUBAÇÃO CARTILHA DO PROGRAMA DE INCUBAÇÃO MOD.INC. Data:/ / Rev.:01 1 Introdução O que é uma Incubadora de Empresas? Incubadora de empresas é uma estrutura disponibilizada a empreendedores para auxiliar na criação

Leia mais

OBJETIVO CARACTERIZAÇÃO

OBJETIVO CARACTERIZAÇÃO OBJETIVO Incrementar a economia digital do Estado de Alagoas e seus benefícios para a economia local, através de ações para qualificação, aumento de competitividade e integração das empresas e organizações

Leia mais

EDITAL 01/2014 EDITAL DE QUALIFICAÇÃO E HABILITAÇÃO PROJETOS PESSOAIS

EDITAL 01/2014 EDITAL DE QUALIFICAÇÃO E HABILITAÇÃO PROJETOS PESSOAIS EDITAL 01/2014 EDITAL DE QUALIFICAÇÃO E HABILITAÇÃO PROJETOS PESSOAIS CAPÍTULO I Do Programa Art. 1º O BP Instituto, doravante denominado BPI, pessoa jurídica, responsável pela gestão do Condomínio Empresarial

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA PARA INCUBAÇÃO DE EMPREENDIMENTOS DA ECONOMIA CRIATIVA NO PORTO DIGITAL (CP 01/2012)

CHAMADA PÚBLICA PARA INCUBAÇÃO DE EMPREENDIMENTOS DA ECONOMIA CRIATIVA NO PORTO DIGITAL (CP 01/2012) CHAMADA PÚBLICA PARA INCUBAÇÃO DE EMPREENDIMENTOS DA ECONOMIA CRIATIVA NO PORTO DIGITAL (CP 01/2012) 1. APRESENTAÇÃO O Núcleo de Gestão do Porto Digital (NGPD), com o apoio da Secretaria de Ciência, Tecnologia

Leia mais

PLANO DIRETOR 2014 2019

PLANO DIRETOR 2014 2019 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PESQUISA E INOVAÇÃO INDUSTRIAL EMBRAPII PLANO DIRETOR 2014 2019 1 Índice 1. INTRODUÇÃO... 4 2. MISSÃO... 8 3. VISÃO... 8 4. VALORES... 8 5. OBJETIVOS ESTRATÉGICOS... 8 6. DIFERENCIAIS

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias Coordenação Acadêmica: Maria Elizabeth Pupe Johann 1 OBJETIVOS: Objetivo Geral: - Promover o desenvolvimento

Leia mais

Pós Graduação em Gestão do Entretenimento

Pós Graduação em Gestão do Entretenimento Pós Graduação em Gestão do Entertainment Business Management Público - alvo Indicado para profissionais e empreendedores que necessitam de habilidades e ferramentas para a atuação no setor de gestão, nas

Leia mais

As 6 Práticas Essenciais de Marketing para Clínicas de Exames

As 6 Práticas Essenciais de Marketing para Clínicas de Exames As 6 Práticas Essenciais de Marketing para Clínicas de Exames Introdução Fique atento aos padrões do CFM ÍNDICE As 6 práticas essenciais de marketing para clínicas de exames Aposte em uma consultoria de

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

versa A solução definitiva para o mercado livreiro. Aumente a eficiência de seu negócio Tenha uma solução adequada para cada segmento

versa A solução definitiva para o mercado livreiro. Aumente a eficiência de seu negócio Tenha uma solução adequada para cada segmento Aumente a eficiência de seu negócio O Versa é um poderoso software de gestão de negócios para editoras, distribuidoras e livrarias. Acessível e amigável, o sistema foi desenvolvido especificamente para

Leia mais

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br PREZADO (A) SENHOR (A) Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso

Leia mais

BRDE INOVA. Joaçaba, 12 de maio de 2014. Apresentador: Paulo César Antoniollo

BRDE INOVA. Joaçaba, 12 de maio de 2014. Apresentador: Paulo César Antoniollo BRDE INOVA Joaçaba, 12 de maio de 2014 Apresentador: Paulo César Antoniollo Contextualização Primeiro Agente Financeiro do País credenciado junto ao BNDES Primeiro Agente Financeiro do País credenciado

Leia mais

Redes sociais no Terceiro Setor

Redes sociais no Terceiro Setor Redes sociais no Terceiro Setor Prof. Reginaldo Braga Lucas 2º semestre de 2010 Constituição de redes organizacionais Transformações organizacionais Desenvolvimento das organizações articuladas em redes

Leia mais

INCULTEC. Centro de Referência em Incubação de Empresas e Projetos de Ouro Preto

INCULTEC. Centro de Referência em Incubação de Empresas e Projetos de Ouro Preto INCULTEC Centro de Referência em Incubação de Empresas e Projetos de Ouro Preto EDITAL 01/2015 SELEÇÃO DE NOVOS EMPREENDIMENTOS DE BASE CULTURAL E/OU TECNOLÓGICA PARA PARTICIPA ÇÃO NO PROGRAMA DE INCUBAÇÃO

Leia mais

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1 2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Fundamentos da Vantagem Estratégica ou competitiva Os sistemas de informação devem ser vistos como algo mais do que um conjunto de tecnologias que apoiam

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Tecnologia da Informação

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Tecnologia da Informação Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Tecnologia da Informação Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão de Tecnologia da Informação tem por fornecer conhecimento

Leia mais

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com. AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.br COM O SEBRAE, O SEU NEGÓCIO VAI! O Sebrae Goiás preparou diversas

Leia mais

Núcleo de Gestão do Porto Digital. Plano Bi-anual 2001-2002

Núcleo de Gestão do Porto Digital. Plano Bi-anual 2001-2002 Núcleo de Gestão do Porto Digital Plano Bi-anual 2001-2002 Identidade Missão A estruturação e gestão sustentável de um ambiente de negócios capaz de criar e consolidar empreendimentos de classe mundial

Leia mais

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 -

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - O Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação é um curso da área de informática e tem seu desenho curricular estruturado por competências

Leia mais

Entrepreneurship Lab Inovação, Desempenho e Crescimento Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração

Entrepreneurship Lab Inovação, Desempenho e Crescimento Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo atual exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

2. Disseminar o conhecimento gerado no Instituto Federal do Amazonas.

2. Disseminar o conhecimento gerado no Instituto Federal do Amazonas. Extensão ETENSÃO A implementação da politica de Extensão, no Instituto Federal do Amazonas reafirma a missão deste Instituto e seu comprometimento com o desenvolvimento local e regional promovendo a integração

Leia mais

Cooperação Samsung, Anprotec & CCEI

Cooperação Samsung, Anprotec & CCEI Programa de Promoção da Economia Criativa Cooperação Samsung, Anprotec & CCEI CHAMADA PARA SELEÇÃO DE EMPREENDIMENTOS A Anprotec, a Samsung e o Centro Coreano de Economia Criativa e Inovação (CCEI), formalizaram

Leia mais

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012 Programa 2047 - Micro e Pequenas Empresas Número de Ações 10 Tipo: Operações Especiais 0473 - Honra de Aval decorrente de Garantia do Risco das Operações de Financiamento a Micro, Pequenas e Médias Empresas

Leia mais

Planejamento Estratégico Inova Metrópole

Planejamento Estratégico Inova Metrópole UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE UFRN INSTITUTO METRÓPOLE DIGITAL IMD INOVA METRÓPOLE Planejamento Estratégico Inova Metrópole Natal/ RN 2013 Sumário 1. Apresentação do Instituto Metrópole Digital...

Leia mais

BSC Funciona: Novo método para planejamento de empresas incubadas

BSC Funciona: Novo método para planejamento de empresas incubadas BSC Funciona: Novo método para planejamento de empresas incubadas Maria Clara Fonteque Scacchetti 1 Aparecido Rudnick 2 Washington Fernando Silva 3 Lucia Braga Sousa 4 Resumo: Este artigo tem o objetivo

Leia mais

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS Estabelece a política de pesquisa, desenvolvimento, inovação e extensão da Universidade Positivo (UP). O CONSELHO ACADÊMICO SUPERIOR (CAS), órgão da administração superior

Leia mais

MBA EXECUTIVO DA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA

MBA EXECUTIVO DA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA MBA EXECUTIVO DA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA 2012.1 FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS É uma instituição de direito privado, sem fins lucrativos, fundada em 20 de dezembro de 1944, com o objetivo de ser um centro voltado

Leia mais

EDITAL PARA CHAMAMENTO DE PROJETOS DE EMPREENDIMENTOS PARA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE EMPRESAS DE GUARULHOS

EDITAL PARA CHAMAMENTO DE PROJETOS DE EMPREENDIMENTOS PARA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE EMPRESAS DE GUARULHOS 1 EDITAL PARA CHAMAMENTO DE PROJETOS DE EMPREENDIMENTOS PARA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE EMPRESAS DE GUARULHOS EDITAL DE SELEÇÃO DAS EMPRESAS 02/2010 I - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES A Agência de Desenvolvimento

Leia mais

Profa. Dra. Cristina Castro Lucas de Souza Depieri

Profa. Dra. Cristina Castro Lucas de Souza Depieri Inovação e Tecnológia na Gestão Pública Profa. Dra. Cristina Castro Lucas de Souza Depieri Doutorado em Administração (UnB) Mestrado em Contabilidade e Controladoria (UFMG) Graduação em Ciências Contábeis

Leia mais

GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS

GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS Graduação PROCESSOS GERENCIAIS 1.675 HORAS Prepara os estudantes para o empreendedorismo e para a gestão empresarial. Com foco nas tendências

Leia mais

INaudax incubação 360

INaudax incubação 360 INaudax incubação 360 Incubação Necessidades, Conceitos INaudax Valores, Orientações Etapas, Soluções INCUBAÇÃO necessidades, conceitos Portugal necessita de plataformas para a inovação baseadas no empreendedorismo.

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 14A/2011

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 14A/2011 SELEÇÃO DE EMPRESA PARA MINISTRAR CURSO DE PRÉ-INCUBAÇÃO PARA PROJETOS DE BASE TECNOLÓGICA NO ÂMBITO DA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ (INCTEC-SA) TERMO DE REFERÊNCIA Nº 14A/2011 Contatos Luiz Augusto

Leia mais

Esse projeto enfatiza duas questões principais:

Esse projeto enfatiza duas questões principais: 1 Introdução O principal objetivo desta dissertação o é contribuir para o debate sobre a internacionalização de pequenas e médias empresas, destacando um tipo peculiar de empresas desta categoria, as empresas

Leia mais

CARTILHA DA LEI GERAL DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE DO MUNICÍPIO DE CURITIBA

CARTILHA DA LEI GERAL DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE DO MUNICÍPIO DE CURITIBA CARTILHA DA LEI GERAL DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE DO MUNICÍPIO DE CURITIBA Curitiba tem se mostrado uma cidade dinâmica e de grandes oportunidades para os trabalhadores e empreendedores.

Leia mais

Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Secretaria de Política de Informática

Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Secretaria de Política de Informática Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação Secretaria de Política de Informática Edital MCTI/SEPIN/Start-Up Brasil No. 01/2013 Edital de Qualificação de Instituições de Apoio ao Processo de Aceleração

Leia mais

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios UNIMEP MBA em Gestão e Negócios Módulo: Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 TI com foco nos Negócios: Áreas envolvidas (Parte II) Flávio I. Callegari www.flaviocallegari.pro.br O perfil do profissional

Leia mais

Prezado(a) Sr.(a.) Atenciosamente, Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas. comercial@trecsson.com.br

Prezado(a) Sr.(a.) Atenciosamente, Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas. comercial@trecsson.com.br Prezado(a) Sr.(a.) Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso de

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLÓGIA DO RN CAMPUS NATAL CENTRAL INCUBADORA TECNOLÓGICA NATAL CENTRAL - ITNC

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLÓGIA DO RN CAMPUS NATAL CENTRAL INCUBADORA TECNOLÓGICA NATAL CENTRAL - ITNC INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLÓGIA DO RN CAMPUS NATAL CENTRAL INCUBADORA TECNOLÓGICA NATAL CENTRAL - ITNC EDITAL Nº 02/2015 - SELEÇÃO DE IDEIAS EMPREENDEDORAS E MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Competências Analista 1. Administração de recursos de infra-estrutura de tecnologia da informação 2.

Leia mais

CESTEC- CENTRO DE SERVIÇOS EM TECNOLOGIA E INOVAÇÃO DO GRANDE ABC

CESTEC- CENTRO DE SERVIÇOS EM TECNOLOGIA E INOVAÇÃO DO GRANDE ABC CESTEC- CENTRO DE SERVIÇOS EM TECNOLOGIA E INOVAÇÃO DO GRANDE ABC TERMO DE REFERÊNCIA Nº 013/2010 PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA PARA GESTÃO COMERCIAL E VENDAS Contatos Luiz Augusto Gonçalves

Leia mais

Gestão estratégica em finanças

Gestão estratégica em finanças Gestão estratégica em finanças Resulta Consultoria Empresarial Gestão de custos e maximização de resultados A nova realidade do mercado tem feito com que as empresas contratem serviços especializados pelo

Leia mais

Edital CECOMPI PI-004/2014 Programa de Incubadoras do Município de São José dos Campos

Edital CECOMPI PI-004/2014 Programa de Incubadoras do Município de São José dos Campos Edital CECOMPI PI-004/2014 Programa de Incubadoras do Município de São José dos Campos O Centro para a Competitividade e Inovação do Cone Leste Paulista- CECOMPI, na qualidade de entidade gestora do Programa

Leia mais

PLANEJAMENTO E ESTRATÉGIAS 1. O CENÁRIO DO SETOR AGROPECUÁRIO BRASILEIRO

PLANEJAMENTO E ESTRATÉGIAS 1. O CENÁRIO DO SETOR AGROPECUÁRIO BRASILEIRO PLANEJAMENTO E ESTRATÉGIAS 1. O CENÁRIO DO SETOR AGROPECUÁRIO BRASILEIRO A economia brasileira tem passado por rápidas transformações nos últimos anos. Neste contexto ganham espaço novas concepções, ações

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

IDC TECHNOLOGY SPOTLIGHT

IDC TECHNOLOGY SPOTLIGHT IDC TECHNOLOGY SPOTLIGHT A importância da inovação em fornecedores de sistemas, serviços e soluções para criar ofertas holísticas Julho de 2014 Adaptado de Suporte a ambientes de datacenter: aplicando

Leia mais

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM ECOTURISMO Objetivo: O Curso tem por objetivo capacitar profissionais, tendo em vista a carência de pessoas qualificadas na área do ecoturismo, para atender,

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA

PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA Belo Horizonte 2011 Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins PLANO DE NEGÓCIOS

Leia mais

PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO E INOVAÇÃO

PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO E INOVAÇÃO PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Câmpus Cornélio Procópio Diretoria de Relações Empresariais e Comunitárias PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO

Leia mais

Com a sua atuação pró-ativa a SUCESU trouxe diversos benefícios em prol do setor que representa no Brasil, podendo destacar:

Com a sua atuação pró-ativa a SUCESU trouxe diversos benefícios em prol do setor que representa no Brasil, podendo destacar: Introdução É grande a parcela da população das nações mais desenvolvidas do mundo que está se organizando em sociedades e associações civis que defendem interesses comuns. Essas pessoas já perceberam que

Leia mais

CESTEC- CENTRO DE SERVIÇOS EM TECNOLOGIA E INOVAÇÃO DO GRANDE ABC

CESTEC- CENTRO DE SERVIÇOS EM TECNOLOGIA E INOVAÇÃO DO GRANDE ABC CESTEC- CENTRO DE SERVIÇOS EM TECNOLOGIA E INOVAÇÃO DO GRANDE ABC TERMO DE REFERÊNCIA Nº 11/2010 PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA PARA GESTÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA DE EMPRESAS DE MICRO, PEQUENO

Leia mais

Praticando o Conceito de Inteligência Estratégica Antecipativa (IEA) em uma Empresa de Software Médico

Praticando o Conceito de Inteligência Estratégica Antecipativa (IEA) em uma Empresa de Software Médico Praticando o Conceito de Inteligência Estratégica Antecipativa (IEA) em uma Empresa de Software Médico Pedro Freitas pedrof86@terra.com.br Henrique Freitas hf@ea.ufrgs.br Raquel Janissek-Muniz rjmuniz@ea.ufrgs.br

Leia mais

TRANSPORTADORA BRASILEIRA GASODUTO BOLÍVIA-BRASIL S.A

TRANSPORTADORA BRASILEIRA GASODUTO BOLÍVIA-BRASIL S.A TRANSPORTADORA BRASILEIRA GASODUTO BOLÍVIABRASIL S.A. TBG PROCESSO SELETIVO PÚBLICO PARA FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E NÍVEL MÉDIO Edital PSPGEPE01/2007 De 16/10/2007 A

Leia mais

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br Corporativo Transformar dados em informações claras e objetivas que possibilitem às empresas tomarem decisões em direção ao sucesso. Com essa filosofia a Star Soft Indústria de Software e Soluções vem

Leia mais

Respostas às perguntas frequentes: Chamada Pública MCT/FINEP/AT Inova Empresa PNI/Parques Tecnológicos 02/2013

Respostas às perguntas frequentes: Chamada Pública MCT/FINEP/AT Inova Empresa PNI/Parques Tecnológicos 02/2013 Respostas às perguntas frequentes: Chamada Pública MCT/FINEP/AT Inova Empresa PNI/Parques Tecnológicos 02/2013 Parte 1: Objetivos, instrumentos de apoio e quem pode participar Geral 1.1 Qual o objetivo

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1. COLABORAÇÃO NAS EMPRESAS Os sistemas colaborativos nas empresas nos oferecem ferramentas para nos ajudar a colaborar, comunicando idéias, compartilhando

Leia mais

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Vantagens e desvantagens de uma rede para a organização Maior agilidade com o uso intenso de redes de computadores; Grandes interações

Leia mais