LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS Enem - Simulado 9 Profª Fernanda Pessoa

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS Enem - Simulado 9 Profª Fernanda Pessoa"

Transcrição

1 LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS Enem - Simulado 9 Profª Fernanda Pessoa PROPOSTA DE REDAÇÃO A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo em norma padrão da língua portuguesa sobre o tema O impacto da violência doméstica contra crianças e adolescentes no Brasil. Apresente proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista. TEXTO MOTIVADOR I Número de homicídios de jovens cresce 346% Um levantamento do Centro Brasileiro de Estudos Latino-Americanos, com base no Sistema de Informações de Mortalidade (SIM) do Ministério da Saúde, mostra que o número de homicídios contra jovens entre 1980 e 2010 cresceu 346%. O Mapa da Violência Crianças e Adolescentes do Brasil, do sociólogo Julio Jacobo Waiselfisz, traça as principais causas de morte no período. O Estado mais violento para os jovens, segundo o relatório, é Alagoas, com 34,8 homicídios para cada 100 mil crianças e adolescentes. O mais seguro é o Piauí, com 3,6 casos registrados para cada 100 mil. A seguir, o Terra elencou estes e outros números que se destacaram na pesquisa. TEXTO MOTIVADOR IV TEXTO MOTIVADOR II Homicídios Em 2010, o Brasil registrou homicídios contra crianças e adolescentes, representando um crescimento de 375,9% em relação aos números de A situação se agravou na década de 1990, quando o País registrou um aumento de 62% no número de mortos em relação à década anterior. A partir do ano 2000 o crescimento foi menor, mas continua-se matando mais a cada ano. Entre 2001 e 2010, mais de 84 mil crianças e adolescentes foram mortas, um crescimento de 6,8%. Evolução das mortes violentas Em 30 anos, houve um salto no número de homicídios, que passou a ser o principal motivo de morte violenta entre jovens, com 13,8 óbitos em cada 100 mil. Os acidentes de trânsito também aumentaram, assumindo o segundo lugar em número de mortes, com 8,7 a cada 100 mil. No gráfico abaixo é possível ver a evolução das taxas de óbito (em cada 100 mil) de crianças e adolescentes até 19 anos por causas não naturais. TEXTO MOTIVADOR III TEXTO MOTIVADOR V Violência contra crianças e jovens atinge 120 mil casos em 2012 Adolescente agitado, Lucas fica tímido ao mostrar suas mãos. Em uma delas, há uma marca de infância. Mas não é uma marca que nasceu com ele. Ela surgiu quando uma pessoa da família utilizou um garfo quente para repreendê-lo e o queimou. "Até hoje eu tenho (a marca). Nas costas também, mas lá acho que não tenho mais as marcas", contou ele à Agência Brasil. Lucas - cujo nome foi alterado - tem 13 anos. É filho adotivo e começou a apanhar "de cinta e de fio" da mãe e do cunhado depois que o pai morreu. Em vários desses momentos, fugiu para a casa de um amigo para se livrar das agressões. "Tinha vezes em que eu dormia lá", diz. "Se eu não lavasse a louça, eles (a mãe e um cunhado) me batiam. Se eu não acordasse na hora certa, eles me batiam. Aí eu fugi de casa e Página 1 de 22

2 esse foi um dos motivos que me levaram ao abrigo", diz o adolescente, um entre milhares de exemplos de vítimas de violência doméstica em todo o País. Dados divulgados pela Secretaria de Direitos Humanos (SDH) da Presidência da República mostraram que 77% das denúncias registradas por meio do Disque 100 entre janeiro e novembro deste ano são relativas à violência contra crianças e adolescentes, o que corresponde a casos relatados. Isso significa que, por mês, ocorreram agressões contra crianças e adolescentes, o que dá uma média de 364 denúncias por dia no País. Já o Disque Denúncia 181, serviço criado em 2000 pelo Instituto São Paulo contra a Violência e pelo governo paulista, por meio da Secretaria de Segurança Pública, registrou denúncias de maustratos contra crianças entre janeiro e outubro deste ano em todo o Estado, o que dá uma média diária de 22 denúncias. O número é superior ao do mesmo período do ano passado, quando foram registradas denúncias. Para Ariel de Castro Alves, presidente da Fundação Criança e vicepresidente da Comissão Especial da Criança e do Adolescente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), é difícil deduzir, por esses números, se os casos de violência envolvendo crianças e adolescentes têm crescido ou se as pessoas estão denunciando mais. "Na verdade, a sociedade está muito mais alerta e mais atuante diante de casos de abusos e de violência contra crianças e adolescentes. Isso é um fator muito positivo no País nos últimos anos. As pessoas estão denunciando mais, sendo menos coniventes e omissas", opina. Nenhum dos dois serviços de denúncia contabiliza quantos desses casos registrados referem-se especificamente à violência doméstica. Mas sabe-se que o número é grande. "Hoje, temos muitas vítimas de violência doméstica. De maus-tratos e de espancamento", diz Maria Aparecida Azevedo, que coordena as três casas de acolhimento da Fundação Criança, uma organização municipal focada na defesa e na garantia de direitos de crianças e adolescentes, que funciona em São Bernardo do Campo (SP). "Os casos que chegam para nós são de abuso sexual, de criança negligenciada e abandonada e de criança queimada e espancada. Essa é a violência doméstica que está vindo para as casas de acolhimento", explica. A violência doméstica pode gerar traumas para as crianças e os adolescentes, diz Alves. "Muitas vezes, elas (crianças e adolescentes) são vítimas daquelas pessoas em quem confiam, que entendem ser as pessoas que cuidam delas. Por isso, há dificuldade para assimilarem uma situação desse tipo. Esse é o trauma maior. A pessoa que tinha que proteger é a que acaba violando o direito dessas crianças e adolescentes. Isso gera um trauma, uma desconfiança permanente com relação aos adultos e dificuldade depois de convivência com outras pessoas. Isso pode, muitas vezes, gerar também prejuízo no desenvolvimento educacional", explica, em entrevista à Agência Brasil. Origens Segundo Helen Vivili Santana Carmona, diretora técnica adjunta da Fundação Criança, grande parte dessa violência contra crianças e adolescentes tem como motivação principal o uso de álcool ou de drogas pelos pais. "Temos um índice grande de pais com problemas psiquiátricos e que fazem uso abusivo de álcool, que são geradores de violência", explica. Outro fator que contribui para a violência doméstica contra crianças e adolescentes, diz Helen, é a ineficiência do Estado. "A falta dessa rede de atendimento e de serviços, que contemple a necessidade da família, faz com que ssa violência esteja aí, latente, nas famílias mais vulneráveis", acrescenta. Pela ineficiência do Estado, esclarece Helen, entende-se a falta de uma política habitacional adequada, falta de políticas envolvendo a empregabilidade e também questões nas áreas de saúde, educação e até atendimento psicológico precário ou inexistente. "Essas famílias têm essa dificuldade financeira e isso acaba gerando outros tipos de violência. A questão financeira é geradora das demais violências. Já tivemos relatos de mães que tiveram seus filhos acolhidos por conta da questão financeira e que acabaram agredindo o filho porque ele pediu comida", conta. Alves cita outro motivador da violência doméstica: a impunidade. Para ele, todos os órgãos que trabalham com a questão envolvendo a defesa dos direitos da criança e do adolescente, "desde a denúncia no Disque 100 (federal) ou no 181 (estadual), passando pelo Conselho Tutelar, pelas delegacias, pelas promotorias ou varas especializadas", precisam funcionar e atuar de forma integrada para combater a impunidade. Também é necessário, destaca Alves, criar, ampliar ou melhorar as redes de proteção social de atendimento familiar para prevenir os casos de violência. A ideia seria, na sua opinião, educar os pais para que possam educar seus filhos de maneira adequada. Lucas vive há cerca de um ano em um dos abrigos em São Bernardo do Campo. Lá, ele e a família passam por acompanhamento médico, psicológico, educacional e social. Alguns dos fins de semana Lucas passa com a família. "Agora eu não apanho mais", conta. A ideia do programa desenvolvido na Fundação Criança é que Lucas volte a viver com a família, agora mais preparada para educá-lo. "A nossa proposta é a de reintegração familiar. Acolhimento não é lugar de criança. Ela deve estar no seio familiar, se não biológico, da família extensiva ou até comunitária", finaliza Helen. Agência Brasil - TEXTO MOTIVADOR VI Governo Federal: Entre em campo pelos direitos de crianças e adolescentes Abaixo-assinado por Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes Petição Pública promovida pelas Redes Nacionais de Defesa dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes e a Articulação Nacional dos Comitês Populares da Copa - ANCOP no Contexto dos Megaeventos Esportivos Considerando que grandes eventos aumentam o risco e a incidência da violação de direitos humanos de crianças e adolescentes e suas famílias; Considerando que a vulnerabilidade sócioeconômica e cultural associada ao contexto de grande movimentação financeira e concentração de pessoas contribui para o aumento dos riscos de exploração sexual de crianças e adolescentes, trabalho infantil, tráfico e desaparecimento de crianças e adolescentes; Considerando que a preparação das cidades para sediar megaeventos tem acentuado um processo de higienismo social, Página 2 de 22

3 aumentando a criminalização de crianças e adolescentes em situação de rua, bem como a repressão policial em relação a eles; Considerando que, conforme o art. 4 da Lei n que institui o Estatuto da Criança e do Adolescente, nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão ; Considerando que os governos federal, estaduais, municipais e do Distrito Federal estão criando legislação especial para a Copa do Mundo 2014 e a Copa das Confederações 2013; Considerando que essas legislações até agora não abordam a perspectiva do fortalecimento de direitos e da efetivação de políticas publicas para a população em geral, em particular de crianças e adolescentes; Considerando que os megaeventos já consumiram enormes somas de recursos públicos em prioridades que não são aquelas da população das cidades envolvidas; Eu, abaixo assinado, exijo que os entes públicos incluam nas políticas públicas estratégias de proteção e garantia dos direitos da criança e do adolescente, bem como previsão orçamentária para sua implementação, antes, durante e após os megaeventos, com vistas ao fortalecimento do Sistema de Garantias de Direitos, dentre as quais, destacam: a) criação de campanha nacional de ampla cobertura em todo o trade turístico, composto por rede hoteleira, pontos turísticos, taxis, além de escolas da rede pública e privada e junto aos profissionais da Segurança Pública, com vistas à sensibilização e mobilização pelos direitos de crianças e adolescentes e alertando para coibir violações de direitos, principalmente à exploração sexual e ao trabalho infantil, com dotação orçamentária prioritária; b) criação de planos concretos de estruturação e capacitação para o funcionamento em plantão dos Conselhos Tutelares; c) proibição da abordagem policial e de órgãos do Estado de forma a violar os direitos humanos de crianças e adolescentes; d) proibição da decretação de férias ou feriados escolares em dias que não ocorrerem jogos oficiais da Seleção Brasileira na Copa das Confederações 2013 e na Copa do Mundo 2014; e) incentivar as unidades escolares para organizarem atividades comunitárias com crianças e jovens, aproveitando pedagogicamente a temática, no período da realização dos megaeventos; f) promoção de iniciativas de esporte e lazer nas escolas da rede pública e centros esportivos; g) criação de programa especial para combater a escassez de creches públicas; h) criação, antes da Copa das Confederações, de comitê composto por membros dos órgãos e entidades públicas e com participação equitativa da sociedade civil, a fim de regulamentar programas adicionais para a garantia dos direitos das crianças e adolescentes para a Copa do Mundo de Para: Governo Federal Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente TEXTO MOTIVADOR VII TEXTO MOTIVADOR VIII INSTRUÇÕES: O rascunho da redação deve ser feito no espaço apropriado. O texto definitivo deve ser escrito à tinta, na folha própria, em até 30 linhas. A redação com até 7 (sete) linhas escritas será considerada insuficiente e receberá nota zero. A redação que fugir ao tema ou que não atender ao tipo dissertativoargumentativo receberá nota zero. A redação que apresentar proposta de intervenção que desrespeite os direitos humanos receberá nota zero. A redação que apresentar cópia dos textos da Proposta de Redação ou do Simulado terá o número de linhas copiadas desconsideradas para efeito de correção. Página 3 de 22

4 1 As produções artísticas e culturais, sobretudo no período entre as duas Grandes Guerras Mundiais, evidenciaram novas formas de expressão. Os movimentos artísticos e culturais relacionados à Arte Moderna se opunham à tradição e às formas clássicas e, com isso, marcaram o surgimento de uma arte mais politizada. e privilegia formas geométricas simples, repetidas simetricamente. No decurso da história da arte, durante o século XX, houve três grandes tendências que poderiam ser chamadas de minimalistas : (manifestações minimalistas: construtivismo, vanguarda russa, modernismo). Os construtivistas por meio da experimentação formal procuravam uma linguagem universal da arte, passível de ser absorvida por toda humanidade. Assinale a alternativa que mostra uma arte minimalista e a frase que sintetiza este movimento. Assinale a alternativa que contém aquela(s) que representa(m) a Arte Moderna do período abordado. A Somente a obra A. B Somente as obras A e B. C Somente as obras A, C e E. D Somente as obras B, C, D. E Todas as obras. 2 Texto I O minimalismo é um estilo de vida que está muito na moda esses dias ironicamente. Abrange desde o seu estilo pessoal à sua forma de lidar com o mundo. Esse lifestyle prega a minimização dos nossos pertences, das nossas obrigações, das nossas dividas e em alguns casos do nosso círculo de amizades. Tudo isso para que possamos focar no que realmente nos interessa: nossa família, as atividades que nos apaixonam, nossa saúde e nosso bem-estar. Parece bom. E é. Mas requer bastante força de vontade e conhecimento de si mesmo, pois nadar contra a maré não é fácil e será pior ainda se, na pressa por minimalizar tudo, você se desfizer de coisas erradas. A melhor coisa [sobre o minimalismo] é descobrir o que é realmente essencial na sua vida. A pior coisa é se desfazer de coisas, hábitos e pessoas por engano, justamente por você não ter uma identidade tão definida, estar confuso e depois se arrepender do que fez. Você pode se encontrar em um vazio, sem saber o que é essencial de verdade, comenta a publicitária Thais Godinho. Texto II A palavra minimalismo reporta-se a um conjunto de movimentos artísticos e culturais que percorreram vários momentos do século XX, manifestos através de seus fundamentais elementos, especialmente nas artes visuais, no design e na música. Surgiu nos anos 60 nos Estados Unidos. As obras minimalistas possuem um mínimo de recursos e elementos. A pintura minimalista usa um número limitado de cores 3 Ingredientes do Chutney 2 colheres (sopa) de azeite 1 cebola picada 2 dentes de alho 2 colheres (chá) de pimenta vermelha picada 2 colheres (sopa) de gengibre ralado 2 colher (chá) de curry 1 colher (sopa) de suco de limão 1 pimentão vermelho picado 2 maçãs picadas sem asca e sem caroço 1 abacaxi em cubinhos 1/3 de xícara de açúcar mascavo ½ colher (chá) de sal Preparo Aqueça o azeite, coloque o curry e o alho e frite até doura. Acrescente o gengibre e mexa. Junte a cebola e deixe dourar. Adicione o pimentão vermelho, o abacaxi, as maçãs, o açúcar, o limão e o sal. Acrescente a pimenta e deixe apurar até o abacaxi ficar bem doce e o caldo secar. (Folha de São Paulo, 26 de abril de 200. p.9) Esse texto utiliza, predominantemente, os verbos no imperativo. Esse recurso garante A a opção de escolher os ingredientes a serem utilizados. B a opção de se seguir aleatoriamente a sequência de utilização dos ingredientes. C o sucesso a ser alcançado ao final da execução. D a coesão entre os ingredientes da receita. Página 4 de 22

5 E o cumprimento da sequência de utilização dos ingrediente elencados. 4 Catar Feijão Catar feijão se limita com escrever: joga-se os grãos na água do alguidar e as palavras na da folha de papel; e depois, joga-se fora o que boiar. Certo, toda palavra boiará no papel, água congelada, por chumbo seu verbo: pois, para catar esse feijão, soprar nele, e jogar o leve e o oco, palha e eco. Ora, nesse catar feijão entra um risco: o de que entre os grãos pesados entre um grão qualquer, pedra ou indigesto, um grão imastigável, de quebrar dente. Certo não, quando ao catar palavras: a pedra dá à frase seu grão mais vivo: obstrui a leitura fluviante, flutual, açula a atenção, isca-a com o risco. (João Cabral de Melo Neto) * alguidar : alguidar. [Do ár. al-giëar.] S. m. 1. Vaso de barro ou de metal, baixo, em forma de tronco de cone invertido, e com diversos usos domésticos; ababá, alquidar. Ao colocar que toda palavra boiará no papel, água congelada, o poeta está se referindo A à capacidade criativa do homem. B ao valor artístico da composição linguística. C à perenidade da palavra impressa. D à efemeridade das ideias humanas. E ao talento inventivo da humanidade. 5 [O brasileiro apresenta uma] tendência para a omissão do nome de família no tratamento social. Em regra é o nome individual, de batismo, que prevalece. Essa tendência, que entre portugueses resulta de uma tradição com velhas raízes como se sabe, os nomes de família só entram a predominar na Europa cristã e medieval a partir do século XII acentuou-se estranhamente entre nós. Seria talvez plausível relacionar tal fato à sugestão de que o uso do simples prenome importa em abolir psicologicamente as barreiras determinadas pelo fato de existirem famílias diferentes e independentes umas das outras. Corresponde à atitude natural aos grupos humanos que, aceitando de bom grado uma disciplina da simpatia, da concórdia, repelem as do raciocínio abstrato ou que não tenham como fundamento (...) as comunidades de sangue, de lugar ou de espírito. (HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. 12.ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1978.) Segundo o texto, o costume de se utilizar o nome individual, em detrimento do nome de família, nas relações sociais do brasileiro, A surgiu antes do século XII. B faz crescer as diferenças sociais. C prejudica o bom relacionamento social. D impõe barreiras psicológicas ao convívio social. E mostra relações patriarcais relacionadas à família. Hard, light, diet, drink, sale, print, over, mouse. 6 Palavras como essas causam arrepio no deputado federal do PCdoB, Aldo Rebelo (SP), autor de um projeto de lei de defesa da língua portuguesa, culta e bela, porém ultrajada, segundo ele. (COSTA, F.; GARÇONI, I. Língua ferida. In: Isto É, n ) De acordo com esse trecho, é correto afirmar que A o deputado pretende proibir o uso da língua inglesa no Brasil. B as autoras concordam com o deputado sobre o ultraje à língua portuguesa. C a opinião sobre o ultraje que sofre a língua portuguesa é apenas do deputado. D o projeto de lei tem o objetivo de proclamar o português como língua oficial do Brasil. E o deputado mostra-se a favor da inclusão de novas palavras no nosso idioma. 7 Um aluno quer aprofundar seus conhecimentos em análise sintática e, ao buscar uma bibliografia específica sobre o assunto, vêse diante desse livro de Evanildo Bechara. Julgando apenas pela capa do livro, o aluno resolve adotá-lo como ferramenta de estudo porque I. reconhece a autoridade do autor cujo nome aparece em destaque. II. já houve várias edições desse mesmo livro, o que atesta sua aceitação pelo público. III. a presente edição foi revista e ampliada, o que denota a atenção do autor para com o leitor. IV. traz exercícios resolvidos, o que lhe servirá de instrumento para verificar sozinho o seu desempenho. As informações que fundamentaram corretamente a decisão do aluno foram A I, II, III e IV. B I, II e III. C I, III e IV. D II, III e IV. E II e III. 8 Sampa Caetano Veloso Alguma coisa acontece no meu coração Que só quando cruzo a Ipiranga e a Avenida São João... É que quando eu cheguei por aqui eu nada entendi Da dura poesia concreta de tuas esquinas Da deselegância discreta de tuas meninas... Ainda não havia para mim Rita Lee a tua mais completa tradução Alguma coisa acontece no meu coração Que só quando cruzo a Ipiranga e a Avenida São João... Quando eu te encarei frente a frente não vi o meu rosto Chamei de mau gosto o que vi, de mau gosto, mau gosto É que Narciso acha feio o que não é espelho E a mente apavora o que ainda não é mesmo velho Nada do que não era antes quando não somos mutantes... E foste um difícil começo, afasto o que não conheço E quem vem de outro sonho feliz de cidade Aprende depressa a chamar-te de realidade Porque és o avesso do avesso do avesso do avesso... Do povo oprimido nas filas nas vilas, favelas Da força da grana que ergue e destrói coisas belas Da feia fumaça que sobe apagando as estrelas Eu vejo surgir teus poetas de campos e espaços Tuas oficinas de florestas, teus deuses da chuva... Panaméricas de Áfricas utópicas, Túmulo do samba, mais possível novo Quilombo de Zumbi E os novos baianos passeiam na tua garoa Página 5 de 22

6 E novos baianos te podem curtir numa boa... (LP Muito. Rio de Janeiro, Phillips, 1978.) Esse texto apresenta traços estilísticos típicos da linguagem A familiar. B jornalística. C literária. D oficial. E denotativa. 9 O rio Oswaldo França Júnior O homem viu o rio e se entusiasmou pela sua beleza. O rio corria pela planície, contornando árvores e molhando grandes pedras. Refletia o sol e era margeado por grama verde e macia. O homem pegou o rio e o levou para casa, esperando que, lá, ele lhe desse a mesma beleza. Mas o que aconteceu foi sua casa ser inundada e suas coisas levadas pela água. O homem devolveu o rio à planície. Agora quando lhe falam das belezas que antes admirava, ele diz que não se lembra. Não se lembra das planícies, das grandes pedras, dos reflexos do sol e da grama verde e macia. Lembra-se apenas da sua casa alagada e de suas coisas perdidas pela corrente. (As laranjas iguais. São Paulo: Nova Fronteira, 1985, p.13) A organização da narrativa apresenta I. uma situação inicial, uma complicação e um desfecho; II. o início, a complicação e o desfecho correspondendo a cada um dos parágrafos do texto; III. na complicação, dois fatos: o homem levar o rio para casa e a inundação causada por este. Em relação à organização da narrativa, estão corretas: A I e II, apenas. B I e III, apenas. C II e III, apenas. D I, II e III. E III, apenas. 10 Leia: (Fonte: Arquivos da Internet, sem autoria declarada.) A interação imagem e palavras é responsável pelo humor nesse texto, que faz uma paródia da campanha publicitária de um cartão de crédito. Essa interação se verifica entre a A expressão do jogador e o verbo mendigar. B imagem de fundo, representando um templo japonês e a expressão ser ignorado. C expressão do jogador e a referência aos bens que ele pode adquirir: apartamento e carro. D imagem da marca do cartão, ao lado da marca da Copa da Coréia e do Japão, e a informação sobre o número de hotéis em que o cartão é aceito. E a insatisfação do jogador em não participar da transação imobiliária. 11 No texto: O classificado através da história de Luis Fernando Veríssimo, publicado no livro Comédias para se ler na Escola, 2001, o autor faz paródia de outros textos, de outras situações, como em: CRUZEIRO Procuram-se casais para um cruzeiro de 40 dias e 40 noites. Ótima oportunidade para fazer novas amizades, compartilhar alegre vida de bordo e preservar a espécie. Trazer guarda-chuva. Tratar com Noé. TORRO TUDO E toco cítara. Tratar com Nero. CORRESPONDÊNCIA Quero me corresponder com qualquer pessoa em qualquer lugar. Escrever para Robinson Crusoé com urgência. Com relação às características intertextuais da paródia, são feitas as afirmativas abaixo. I. Paródia é uma forma de apropriação de outros textos que, em lugar de endossar o modelo retomado, rompe com ele, sutil ou abertamente. II. No texto, o autor recorre ao humor para fazer a paródia do episódio bíblico da Arca de Noé, do fato histórico que é o incêndio de Roma, por Nero e de um literário Robinson Crusoé. III. A paródia está sempre funcionando na literatura e na sociedade como um canto que desafina o tom elogioso, bem comportado, conservador das práticas discursivas hegemônicas. São corretas as afirmativas: A I e II, apenas. B I e III, apenas. C II e III, apenas. D I, II e III. E III apenas. 12 São demais os perigos desta vida para quem tem paixão principalmente quando uma lua surge de repente e se deixa no céu como esquecida e se ao luar que atua desvairada vem se unir uma música qualquer aí então é preciso ter cuidado porque deve andar perto uma mulher deve andar perto uma mulher feita de música, luar e sentimento e que a vida não quer, de tão perfeita uma mulher que é como a própria lua tão linda que só espalha sofrimento tão cheia de pudor que vive nua. (MORAES, Vinícius de. Soneto do Corifeu. In:. Livro de sonetos. 10. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, p Composto em 1956, para a peça Orfeu da Conceição). São influências românticas presentes no poema de Vinícius de Moraes: A Diluição do sentimento amoroso, predomínio da razão. B Valorização sentimental, presença marcante da natureza. C Valorização da música e do perfume, natureza como fundo poético. D Negação da natureza, presença marcante da razão. E Idealização da mulher e da natureza, predomínio da musicalidade. Dirigir um lar de fevereiro de 1960 Somente uma mulher, e dona de casa, sabe e reconhece a grande tarefa que é bem dirigir uma casa. A dona de casa tem de ser, antes de tudo, uma economista, uma equilibrista das finanças, principalmente com as dificuldades da vida atual. O lar é o lugar onde devemos encontrar a nossa paz de espírito num ambiente saudável, sadio e agradável e cabe à mulher providenciar isso. (...) LISPECTOR, Clarice. Correio Feminino. Org. Aparecida Maria Nunes. Rio de Janeiro: Rocco, p.45. Página 6 de 22

7 A respeito desse texto, são feitas as afirmativas a seguir. I. O texto apresenta conselhos às mães e esposas sobre como alcançar a felicidade na vida familiar. II. No texto, a mulher é vista como submissa ao marido e sem voz ativa. III. A ideologia presente no texto é a que define a felicidade conjugal como decorrente da organização do contexto familiar pela mulher. Estão corretas as afirmativas A I e II, apenas. B I e III, apenas. C II e III, apenas. D I, II e III. E I, apenas. 14 A charge, de autoria de Ziraldo, foi publicada no número especial do Almanaque da Mônica, em comemoração dos 30 anos da personagem. Mônica foi posta ao lado de uma caricatura do escritor francês Honoré de Balzac e ela mesma está caracterizada com traços mais maduros que o da menina dos quadrinhos de Maurício de Souza. Ziraldo aproxima os dois porque A Balzac escreveu uma novela intitulada A mulher de 30 anos, a partir da qual o adjetivo balzaquiana passou a ser utilizado para as mulheres dessa faixa etária. B Maurício de Souza, em sua opinião, deveria fazer com que a personagem se desenvolvesse nas historinhas, para que a idade da personagem correspondesse ao tempo de sua criação. C Maurício de Souza se inspirou no escritor francês para criar a personagem Mônica. D Mônica é admiradora desse escritor francês, o que explica o coração que paira entre os dois na charge. E Maurício de Souza mostra a força da personagem feminina em suas histórias. Textos para as próximas duas questões. Os textos abaixo foram retirados da seção Ponto de Vista, da Revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios. É indispensável fazer pesquisa de mercado para lançar um produto? SIM NÃO TEXTO 01 O caminho para uma empresa colocar um novo produto no mercado não é tão curto quanto se pode imaginar. Neste processo, mais do que saber o que será produzido e como produzir, é necessário saber para quem vamos fazê-lo. As pesquisas de mercado, desta forma, são tão importantes quanto a definição da matéria-prima, do design, da embalagem, dos canais de distribuição e da estratégia de comunicação que pretendemos adotar. Portanto, nada mais apropriado e, por que não dizer, justo, do que ouvir a palavra de quem é o nosso principal foco: o consumidor. Pesquisa de mercado é uma ferramenta primordial para qualquer empresa conseguir acertar no lançamento de um produto ou de um serviço. As empresas inteligentes trabalham para atender às necessidades do consumidor e, para isso, é preciso que se saiba o que ele quer com exatidão. A opinião do consumidor é o melhor argumento para levar adiante um projeto, e sem querer fazer propaganda barata, acredito que, hoje, as metodologias usadas pelos institutos de pesquisa no Brasil são absolutamente eficazes. Tanto é que, segundo consta, em 100% dos casos de produtos que foram testados de forma adequada, seja para produção, para adequação de público ou a definição do processo ideal de distribuição, a chance de haver impactos negativos sobre a aceitação do público-alvo é reduzida. É claro que as pesquisas não dizem o que temos que fazer, mas elas apontam o caminho de menor risco que devemos seguir para que possamos evitar deslizes e fracassos na trajetória. Por Carlos Tilkian TEXTO 02 É fato que as pesquisas de mercado reduzem significativamente o risco de qualquer negócio, seja a criação de uma nova empresa ou o lançamento de um produto ou serviço. Teoricamente, toda vez que uma empresa, especialmente as de pequeno e médio portes, lança um novo produto no mercado, deveria fazer um estudo de viabilidade com base em pesquisas de mercado. Mas, na prática, não é bem assim. Pesquisas boas, abrangentes e feitas por instituições renomadas são caras e, em minha opinião, não é necessário que sejam feitas a cada lançamento de produto, especialmente se for um produto de uma mesma família que outro já disponível na praça. Neste caso, o empreendedor pode se valer de uma estratégia que eu chamo de FDD, ou Feeling do Dono. Normalmente, o dono e os sócios de uma pequena ou média empresa conhecem o mercado em que atuam; já passaram por uma série de situações em que puderam fazer pesquisas diretamente com o consumidor, in loco. É a vivência. Não estou dizendo que pesquisas de mercado são dispensáveis. Mas, se você tem em mãos uma pesquisa apurada e não conhece o mercado no qual sua empresa atua, pode incorrer em erros tão graves quanto os cometidos por aqueles que jamais contrataram uma pesquisa, para o que quer que seja. Daí a importância da intuição do empreendedor, aliada, claro, à razão. É dessa vivência, desse feeling, que geralmente se valem as pequenas e médias empresas para lançar novos produtos ou serviços no mercado. Pesquisas, como disse, não são baratas e temos que fazer malabarismos para sobreviver num mercado onde a competição é acirrada e os custos têm que ser cada vez mais enxutos. Por Walter IIhoshi O uso de jargão permite, do ponto de vista linguístico, a 15 identificação de uma atividade profissional. O trecho em que, em função da maior neutralidade dos termos, não há a possibilidade de identificação de uma visão mais vinculada a determinado campo profissional é: A daí a importância da intuição do empreendedor, aliada, claro, à razão. B... devemos seguir para que possamos evitar deslizes e fracassos na trajetória. C... deveria fazer um estudo de viabilidade com base em pesquisas de mercado. D... especialmente se for um produto da mesma família que outro já disponível na praça. E...puderam fazer pesquisas diretamente com o consumidor, in loco. É a vivência. Página 7 de 22

8 Uma afirmativa falsa em relação aos textos é: 16 A Os dois autores consideram que as pesquisas de mercado são bastante confiáveis. B Os dois autores mostram-se favoráveis a que os empresários utilizem suas impressões para definir estratégias de mercado. C O texto de Iihoshi, apesar de reconhecer vantagens, ressalta a questão do alto custo das pesquisas de mercado. D O texto de Tilkian ressalta de maneira mais enfática as vantagens de uma pesquisa de mercado. E Acreditam na vivência, no feeling para continuar no mercado de trabalho. 17 ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DO SENAC NO ESTADO DE SÃO PAULO Presidente do Conselho Regional: Abram Szajman Diretor do Departamento Regional. Luiz Francisco de Assis Salgado Superintendente de Operações: Darcio Sayad Maia EDITORA SENAC SÃO PAULO Conselho Editorial: Luiz Francisco de Assis Salgado Clairton Martins Luiz Carlos Dourado Darcio Sayad Maia A. P. Quartim de Moraes Editor: A. P. Quartim de Moraes Coordenação de Prospecção Editorial: Isabel M. M. Alexandre Coordenação de Produção Editorial: António Roberto Bertelli Preparação e Revisão de Texto: Adalberto Luís de Oliveira Leia Fontes Guimarães Editoração Eletrônica: António Carlos De Angelo Capa: João Baptista da Costa Aguiar Ilustrações: Dover DeskGallery Gerência Comercial: Marcus Vinícius Barili Alves Vendas: José Carlos de Souza Jr. Administração: Rubens Gonçalves Folha (ESTA OBRA FOI COMPOSTA PELA EDITORA SENAC SÃO PAULO EM GARAMONDE IMPRESSA PELA GEO-GRÁFICA E EDITORA LTDA. EM OFFSET SOBRE PAPEL OFFSET ALCALINO 90g/m2 DA BAHIA CELULOSE S.A. EM FEVEREIRO DE ,) Todos os direitos desta edição reservados à Editora SENAC São Paulo Rua Rui Barbosa, 377-1a andar - Bela Vista - CEP Caixa Postal CEP São Paulo - SP Tels. (11) / / / Fax (l 1) Home page: Regina Zilberman, 2000 Classifique as afirmativas referentes aos dados que a ficha técnica de um livro permitem ao leitor, sejam corretas ou incorretas. I. ter conhecimento dos diversos profissionais que se envolvem na produção de um livro; II. estabelecer um relacionamento comercial com a editora ou solicitar informações mais precisas sobre o livro ou a editora, se assim desejar; III. saber quem é o detentor dos direitos autorais de propriedade intelectual e dos direitos autorais sobre a edição em que está a ficha, no caso de precisar de autorização para reproduzir o livro, no todo ou em parte; IV. saber que profissionais do ramo editorial estão trabalhando naquela editora e entrar em contato com eles individualmente, se desejar. Assinale a opção que identifica as afirmativas corretas. A I, II, III e IV. B I e III apenas. C II e IV apenas. D II, III e IV apenas. E III, apenas. 18 ORELHAS DE OURO Pior do que não conhecer determinado livro é saber de sua existência e não ter a menor ideia do que ele trata. Principalmente quando o capa-dura se enquadra entre os chamados imperdíveis. Para não ser confundido com um mero leitor de orelha de livro, a solução é comprar rapidinho os dois volumes organizados por Heloisa Seixas de As obras-primas que poucos leram (Record, vol. 1, 490 págs., R$52,90; vol. 2, 364 págs., R$41,90), reunião de 70 textos sobre títulos obrigatórios, assinados por escritores, jornalistas e especialistas para a extinta revista Manchete. Como a maioria das matérias, publicadas entre 1972 e 1977, era sugerida pelo próprio resenhador, o prazer fica transparente na fluidez e no tamanho dos textos, gigantescos para o internético padrão atual. (CHAGAS, Luiz. In: Isto É, 9 mar. 2005, n. 1847, p. 108.) A partir do trecho destacado nesse texto, é correto afirmar que as orelhas dos livros A destinam-se aos leitores que querem conhecer a obra, mas sem ter de lê-la por completo. B são prejudiciais porque desviam o leitor da leitura integral de uma obra, fazendo-o contentar-se com suas informações incompletas. C são produzidas com o intuito de fazer vender o livro, por isso trazem elementos suficientes para seduzir o leitor, mesmo que este nunca leia o livro todo. D trazem informações suficientes para que os leitores possam falar sobre eles sem lê-los integralmente. E são desnecessárias para quem quer ler o livro. A LÍNGUA VOLÁTIL 19 Eu tentei mudar, pelo home bank em meu computador, o valor de uma transferência de dinheiro, que faço todos os meses. Em lugar da mudança, veio uma mensagem: não é possível alterar transferências recorrentes. Fiquei intrigado. Recorrente? Que diabo será isso? Era a palavra-chave que poderia decifrar a mensagem. Recorri ao Aurélio, o Pai dos Burros. E lá descobri que recorrente é 1. o que recorre; 2.o que retorna ao ponto de partida ou o que ressurge depois de desaparecido; 3.um processo que pode ser indefinidamente continuado, uma vez que seus efeitos parciais se transformam em causas e efeitos semelhantes; e 4. dois nervos laríngeos. Pronto. Estava eu diante de um mistério. O banco estava falando chinês, grego ou suaíli comigo. Fiquei totalmente perdido. Esperei uns dias, deixando passar o dia da transferência, e aí anulei a ordem e fiz outra, com outro valor. Deu certo. Mas até hoje o banco está me devendo a tradução do seu recorrente. Trabalhei quase 10 anos em banco, enquanto terminava meus estudos, mas o máximo da linguagem daquela época era o sacado à epígrafe, todavia, palavras assim que não resistiam ao dicionário. Hoje não. O banco insiste em me informar que disponibilizou tais e tais serviços. E fico esperando que ele me ofereça algo. Mas só disponibiliza. Eu descobri que o banco inventara a palavra para traduzir o available dos meus manuais em inglês. Talvez por isso, quando não estou entendendo o que me dizem os terminais eletrônicos, aperto logo na opção English, porque em português fica difícil traduzir para a língua da gente. Outro dia, uma gerente me deu um susto. Pedi a ela que na segunda-feira transferisse da minha conta, 3 mil reais para realizar um aporte de capital. Ela me confirmou: Então, dia 23, vou estar transferindo de sua conta 3 mil reais. Reagi: Pelo amor de Deus, não! Se você ficar transferindo 3 mil reais da minha conta durante o dia 23, vai zerar a conta. Só transfira uma vez, não fique transferindo! Tudo o que ela tinha a fazer era transferir. E não estar transferindo. Mas ela não entendeu. Falava a outra língua. Página 8 de 22

9 Transmitindo em outra frequência, um banco me ofereceu uma linha de crédito para equalizar o caixa. Cáspite! Equalizar a caixa de som, tudo bem. Mas o caixa! Recusei o crédito para comprar os tais equalizadores de caixa. Motivo: não sei nem nunca vou saber do que se trata. Certa feita, disquei para reclamar da anuidade do cartão de crédito, que cobram de mim e dispensam de dezenas de amigos meus com menos tempo como clientes. Usei um 0800 e veio a mensagem para ocorrência registrada, digite cinco. Fiquei mudo. Até onde sei, ocorrência registrada é na delegacia de polícia. Desisti. Continuo pagando a anuidade e meus amigos continuam me gozando. Quando era bancário, há 30 anos, tínhamos o balcão para nos proteger dos clientes. Hoje, a nova barreira é a língua. Os bancos estão usando uma linguagem para ninguém entendê-los e não serem importunados com detalhes. Agora mesmo recebi uma carta do banco, me informando de que existe grande falta de liquidez e crescimento da volatilidade. Quer dizer, se falta liquidez é porque sobra solidez? O melhor é fechar as janelas, para que tudo não se volatize. (Alexandre Garcia. In: Classe - Revista de Bordo da TAM. nº 95, p.24). A alternativa em que a palavra selecionada pode representar um exemplo de empréstimo linguístico é: A Equalizar. B Home bank. C Laríngeo. D Volatilidade. E Suaíli. 20 James Corry é um presidiário do futuro, cumprindo pena em um asteroide. Vai ficar 50 anos sozinho. O comandante da nave que o leva, com pena do condenado, deixa com ele Alicia, um robô com forma de mulher. Com o tempo, James apaixona-se por Alicia. Um ano depois, o tribunal revê o processo e ele é perdoado. A nave volta para buscá-lo, mas surge um impasse: não há espaço para Alicia. James se vê, então, na traumática situação de ter de escolher entre a liberdade e seu grande amor. James Corry ficou paralisado diante da terrível decisão. Quem agiu, então, foi Allenby, o comandante da nave, que destrói Alicia com um tiro. Tudo o que você está deixando para trás é a solidão, diz, colocando a situação na perspectiva adequada. Este é o enredo de um episódio do seriado Além da Imaginação, que fez muito sucesso há alguns anos, explorando os limites da mente humana por meio de situações hipotéticas. (www.sapiensapiens.com.br/viver-e-fazer-escolhas. Acesso: 19/08/2011. Adaptado.) O fragmento que melhor relaciona o nome do seriado Além da Imaginação e as situações hipotéticas mencionadas no último parágrafo do texto é A colocando a situação na perspectiva adequada. B cumprindo pena em um asteroide. C ficou paralisado diante da terrível decisão. D o tribunal revê o processo e ele é perdoado. E limites da mente humana. Poema para as próximas duas questões. Quadrilha Carlos Drummond de Andrade João amava Teresa que amava Raimundo que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili que não amava ninguém. João foi para os Estados Unidos, Teresa para o convento, Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia, Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes que não tinha entrado na história. 21 Em relação aos aspectos formais do poema, não se pode afirmar que: A seus versos são livres e brancos. B o poeta faz uso do assíndeto e da gradação. C o terceiro verso é uma redondilha maior e o sexto exemplifica um verso bárbaro. D o texto despreza qualquer tipo de ritmo ou de sonoridade. E os versos são formados através de um encadeamento sintático. Assinale o comentário INCORRETO sobre o poema 22 acima: A o título pode ser considerado uma metáfora. B o texto é uma micronarrativa em versos. C o encadeamento das personagens sugere o título do poema. D o conjunto das personagens é marcada pela reciprocidade amorosa. E o texto apresenta uma visão desencantada das relações amorosas. 23 Frequentemente, em seus versos, Seixas falava de estrelas, flores e brisas, de que tirava imagens para exprimir a graça da mulher, e as emoções do amor. Pura imitação, como em geral os poetas da civilização, ele não recebia da realidade essas impressões, e sim de uma variada leitura. Originais somente são aqueles engenhos que se infundem na natureza, musa inexaurível porque é divina. Para isso é preciso, ou nascer nas idades primitivas, ou desprezar a sociedade e refugiar-se na solidão. (ALENCAR, J. Senhora. 38. ed. RJ: Ediouro, p. 89. Adaptado.) Nessa passagem, verifica-se uma concepção de poesia, baseada na A aplicação e disciplina na produção do trabalho artístico. B imitação dos modelos da antiguidade clássica. C inspiração na natureza e na fuga da civilização. D paixão pela leitura como forma de conhecimento. E objetividade na elaboração da literatura. 24 (Jornal O Globo, 15 jul. 2007, p. 4) Em relação à construção sintática da oração Faça o mercado te receber, pode-se afirmar que: A Inseriu um erro gramatical, porque o suporte em que a propaganda circularia permitia esse tipo de ocorrência. B Integrou duas formas linguísticas distintas, ou seja, a linguagem padrão formal ao lado da linguagem acadêmica. XC Faltou uniformidade de tratamento entre a forma verbal faça, no imperativo afirmativo, e o pronome te, na 2ª pessoa do singular. D Usou inadequadamente a relação entre a linguagem verbal e a não-verbal indicando uma mesma ação. E Usou o modo indicativo para convencer o interlocutor. Página 9 de 22

10 25 Este é um trecho de um diálogo entre o branco Vicentino e o índio Ipavu, personagens do romance A Expedição Montaigne, de Antonio Callado. Você, Ipavu, vai chefiar ao meu lado a Expedição Montaigne, cujo objetivo é restituir você à comunidade dos índios xinguanos. Vou te dizer uma coisa, ô cara, disse Ipavu caprichando em falar bem bacana, bem papo de boteco, eu sou é brasileiro, tá sabendo, a minha transa é outra, tá manjando, o meu negócio é no asfalto, meu chapa. (CALLADO, A. A Expedição Montaigne. RJ: Nova Fronteira, p. 28. Adaptado.) Pelo diálogo travado entre os personagens, verifica-se que no processo de aculturação do índio brasileiro ocorre A absorção da linguagem coloquial urbana por parte do indígena. B conservação dos valores autênticos da comunidade indígena. C exploração da mão de obra indígena à maneira da escravidão. D manifestação do indígena em ser restituído à comunidade de origem. E preconceito linguístico por no processo de aculturação. Texto para as próximas duas questões. NATAL 1961 Deslocados por uma operação burocrática o recenseamento da terra a Virgem e o carpinteiro José aportam a Belém. Não há lugar para essa gente, grita o dono do hotel onde se realiza um congresso internacional de solidariedade. O casal dirige-se a uma estrebaria, recebido por um boi branco e um burro cansado do trabalho. Os soldados de Herodes distribuem elementos radioativos a todos os meninos de menos de dois anos. Uma poderosa nuvem em forma de cogumelo abre o horizonte e súbito explode. O menino nasce morto. MENDES, Murilo. Conversa portátil. Poesia completa e prosa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, p Pode-se inferir que o autor do texto: 26 I. Atualiza a história de Cristo, adaptando o sentido da paixão cristã às duras condições de vida nas grandes cidades. II. Faz ver que, em nossa era, o advento de um Cristo seria impossível, em vista das atrocidades em que os homens se especializaram. III. Ironiza a corrida armamentista, comparando-a a fatos narrados em passagens bíblicas. Está correto somente o que se afirma em: A I. B II. C III. D I e II. E I e III. Segundo o Novo Dicionário Aurélio de Língua 27 Portuguesa, anacronismo é uma confusão de data quanto a acontecimentos ou pessoas. Com base na definição acima, o autor se vale intencionalmente de um anacronismo quando associa: A a Virgem e o carpinteiro José à cidade de Belém; B a fala do dono de um hotel à realização de um congresso; C soldados de Herodes a elementos radioativos; D nuvem em forma de cogumelo a súbita explosão; E uma estrebaria a um boi branco e um burro cansado. OS JARDINS 28 Sempre olhei para os jardins com doçura e gratidão. Eles são as minhas aldeias. Tão sossegados! Só nos jardins há amores-perfeitos. Aquele jardim era meu amigo. Tinha uma árvore, um jardineiro risonho, mas triste, com qualquer coisa de gato e de mulher. E tinha canteiros de rosas. Era um Jardim sereno. Sábado. Quem pode vai para fora. Os outros ficam aqui mesmo. Imagine o campo, logo mais. A noite caindo sem desastres. O cheiro de terra. Uma voz de água no silêncio. Ah! dormir com o sentimento de pôr, nos olhos e nas mãos, amanhã, bem cedo a luz que desce de um céu imenso perdido, luz cheia de sombras de asas. Lembro-me dela. Ela pousa, primeiro, nas árvores, como se dissesse Bom-dia! Chega, depois até a gente tão simples, tão igual, como se convidasse Não quer andar? Este desejo de viver no campo, que enche de ar refrigerante os meus sentimentos, não veio da cidade, com certeza. Veio, talvez, do tempo. Hoje, ir para fora tem um sentido mais libertador. Que bom ver outra vida! Que bom ouvir a outra face do disco!... É preciso gostar da vida. A vida arranja tudo pelo melhor, às vezes na realidade. Às vezes na imaginação, realidade de uso interno. Álvaro Moreyra. Eles são as minhas aldeias. Tão sossegados! Só nos jardins há amores-perfeitos. No texto, as palavras destacadas conotam, respectivamente: A esconderijo e flor silvestre; B lugarejo e beleza natural; C solução e realidade; D proteção e felicidade; E segurança e incerteza. 29 Invasão de língua estrangeira tem várias razões. Uma é o prestígio. O inglês avançou nas nossas fronteiras porque é falado pela maior potência do planeta, que vende como ninguém sua música, seu cinema, sua televisão, sua literatura, sua tecnologia e o american way of life. Outra é a receptividade. Nós, já dizia Gláuber Rocha, temos complexo de vira-lata. O que vem de fora é melhor. (...) Hoje aportuguesamos termos que nem sonhavam figurar no Aurélio. A informática serve de exemplo. Deletar tomou a vez do velho apagar. Printar expulsou o imprimir. Startar cassou o começar. É isso. Quem não aderiu se tornou out. Que corra atrás do prejuízo. Peça help. E vire in. SQUARISI, Dad. Revista Exame, 18 de nov. 1998, p Segundo o texto A Dizer que os brasileiros têm complexo de vira-lata significa dizer que eles sofrem de xenofobia. B Segundo Squarisi, é a ascendência cultural, e não econômica, que determina o prestígio de uma língua sobre as outras. C O aportuguesamento do vocabulário da informática em deletar, printar e startar não é meramente semântico. D A Língua Portuguesa tem sido ampliada pela entrada e acomodação de estrangeirismos. E Dizer que os brasileiros têm complexo de vira-lata sugere que eles se sentem inferiores em relação aos demais países. A ilustração da capa do 30 romance Benjamim, de Chico Buarque, sugere uma história A clássica, que se apoia em uma sequência linear, com início, meio e fim bem delineados. B contemporânea, construída a partir da fragmentação da narrativa e da apresentação quase simultânea dos acontecimentos narrados. C realista, em que os elementos são destacados em seus mínimos detalhes. D romântica, na qual as personagens se sentem deslocadas e apresentam sentimentos desconexos. E fantástica, construída a partir de seres místicos. ATENÇÃO CLUBES! CERVEJA EM LATA NÃO TEMOS E NÃO SABEMOS QUEM TEM. EM COMPENSAÇÃO TEMOS OS DELICIOSOS SUCOS E BATIDAS EMBALADOS EM COPOS PLÁSTICOS INDIVIDUAIS. SABORES DE LARANJA, MARACUJÁ, COCO, LIMÃO, TANGERINA, UVA E Página 10 de 22

11 AMENDOIM. NÃO BRINCAREMOS O CARNAVAL, ESTAREMOS DE PLANTÃO 24 HORAS POR DIA PARA ATENDÊ-LOS EM QUALQUER LUGAR QUE FORMOS SOLICITADOS. ANOTE NOSSO TELEFONE: (Apud KOCH, I. V. et all. A coerência textual. São Paulo: Contexto, 1992, p. 69) A respeito da relação entre o título e esse texto, são feitas as afirmativas abaixo. I. O título sugere que a empresa está oferecendo a venda de cerveja em lata para os clubes. II. A leitura do texto nos permite verificar que é ao contrário: a empresa não tem cerveja para vender e nem sabe quem tem. III. O recurso do título despistador foi utilizado pelo texto publicitário para atrair a atenção dos leitores, possíveis compradores de seus produtos. São corretas as afirmativas: A I, apenas. B I e II, apenas. C I e III, apenas. D II e III, apenas. E I, II e III. 32 Observe esse fragmento de texto argumentativo, no qual foram utilizados verbos nos tempos do presente. A - O governo tem por obrigação tomar providências imediatas para diminuir os gastos públicos. Todos nós ficaremos satisfeitos se a diminuição desses gastos fizer diminuir também a inflação. Observe o mesmo fragmento com os verbos no futuro do pretérito. B - O governo teria por obrigação tomar providências imediatas para diminuir os gastos públicos. Todos nós ficaríamos satisfeitos se a diminuição desses gastos fizesse diminuir também a inflação. (Trechos retirados de ABREU, A. S. Curso de Redação. São Paulo: Ática, 1991, p.42) Em relação ao uso de mecanismos de modalização, são feitas as afirmativas abaixo. I. O fragmento A é autoritário, deixa pouca margem para o diálogo. II. O conteúdo de B é o mesmo de A, mas o texto é menos autoritário, mais polido. III. O uso de tempos verbais diferentes mantém o significado de cada fragmento, já que o conteúdo deles continuou o mesmo. Estão corretas as afirmativas: A I, apenas. B I e II, apenas. C I e III, apenas. D II e III, apenas. E I, II e III. Quando os pássaros, entrando pela boca da noite, 33 escreviam, com penas noturnas no céu, o avô lia os sinais dos ventos, das cores, das nuvens e previa chuva, colheita, frio. Por outras vezes, o pai, escutando o tempo, fazia leituras do silêncio e soltando a língua traduzia seus ruídos em palavras que traziam de volta a infância antiga ou decifravam o futuro escrito por Deus em linhas tortas. Enquanto bordava, a mãe lia chegadas de cartas, visitas, presentes, na medida em que a agulha lhe espetava os dedos e encarnava de vida o linho branco. E quando na beira do tanque, entre espuma e anil, enxaguava as roupas, o voo dos insetos lhe trazia pequenos pressentimentos de chegadas e partidas, percebidos pela intensidade do bater das asas. Ah! Lembro-me da volta do tio, depois de muita ausência. Antônio olhou em seus olhos, demoradamente, e leu que era possível não só deitar em seu colo mas deixar também escapar o choro, sem medo, até aliviar a saudade que era tanta! Na escola a professora ensinava leitura. Foi sem esforço que o menino aprendeu. Ele já conhecia que entre as letras e seus silêncios podia-se saber muito mais longe. Era possível viajar mundos distantes. Mundo que o olhar não alcançava, mas o livro trazia. E daí, para Antônio escrever, bastou ter apenas um lápis. (QUEIRÓS, Bartolomeu Campos. Indez. Belo Horizonte: Miguilim, p ) A personagem Antônio aprendeu o funcionamento da leitura A através das experiências de interpretação das pessoas que a rodeavam. B em casa, para se comunicar com o tio que estava ausente. C na escola, observando as letras sobre o papel. D por meio dos exercícios que lhe passavam seu avô, sua mãe e seu tio. E através da sua percepção pessoal sobre o mundo que o rodeava. 34 Mas sabemos bem como a linguagem literária se cria mediante a destruição da literalidade das palavras, mediante a implantação de novos valores semântico-formais sobre os valores inscritos no código linguístico, o que implica que o crítico, se necessita de possuir o conhecimento literal do texto literário, não pode de modo algum deter-se em tal estádio de leitura, sob pena de jamais compreender a literariedade desse mesmo texto. (SILVA, V. M. de A.e. Teoria da Literatura. Coimbra: Almedina, 1968) De acordo com esse texto, o texto literário caracteriza-se, basicamente, por A apresentar um remanejamento estético da linguagem. B ignorar totalmente os padrões linguísticos vigentes. C mostrar-se sempre apegado a rígidas regras gramaticais. D trabalhar com um código linguístico difícil e indecifrável. E trabalhar a língua culta em detrimento da coloquial. 35 As duas penas de morte Gabriela Wolthers Eduardo, 32, era motorista. Morava na Tijuca, na zona norte do Rio. Na quinta-feira da semana passada, estava tomando cerveja com os amigos, alguns moradores do morro dos Macacos. Um desses amigos pediu carona para encontrar a namorada na favela. Mal chegaram, encontraram um grupo de traficantes que, sem dizerem uma palavra, começaram a atirar. Eduardo ainda tentou fugir, mas foi atingido nas costas por um tiro de fuzil. Os dois morreram. Os corpos não foram até hoje encontrados. Nos sussurros da favela, a história que contam é que o amigo de Eduardo tinha uma rixa não se sabe bem o motivo com um dos traficantes do morro, que é do Terceiro Comando. Os corpos de Eduardo e de seu amigo foram queimados com pneus. Chamada de microondas, essa prática é comum nas favelas cariocas. As pessoas morrem sem motivo e as famílias não têm sequer o direito de enterrar o corpo. Cinco dias depois, do outro lado do mundo, o também carioca Marco Archer Moreira, 42, foi condenado à morte por ter entrado com 13 quilos de cocaína na Indonésia. O Brasil chegou a um tal ponto de degradação que uma comparação entre os dois casos deixa a Indonésia em melhor patamar. Não por ter instituído a pena de morte, uma forma arcaica de punição que já deveria ter sido abolida em todo o mundo. Mas pelo fato de que lá, pelo menos, essa condenação seguiu regras formais. Ao entrar no país com drogas, Archer tinha conhecimento de que poderia ser pego. Preso, teve direito a um defensor público. Condenado, tem direito a recorrer pelo menos duas vezes. Ratificada a pena, pode ainda pleitear perdão presidencial. Aqui as pessoas se vangloriam de morar num país onde não há pena de morte. Pena de morte há sim. O que não há é Estado real. Por isso um Estado paralelo decide quem deve morrer e quem deve viver. Sem direito a recurso. Sem direito a perdão. Eduardo morreu porque estava no lugar errado na hora errada. Esse foi seu crime. Simples assim. (Folha de S.Paulo, 11/06/04 p. A-2) A classificação do texto e a justificativa estão adequadamente relacionadas, pois trata-se de um texto Página 11 de 22

12 A analítico porque houve uma comparação entre dois acontecimentos que se situam em uma mesma temática. B híbrido em que diferentes traços aparecem simultaneamente com o intuito de noticiar, analisar e opinar. C noticioso porque houve um relato detalhado sobre dois acontecimentos que marcaram o cotidiano. D opinativo porque houve uma avaliação de dois acontecimentos com o propósito de construir um julgamento. E científico porque quis comprovar um julgamento. 36 Enquanto pasta alegre o manso gado Minha bela Marília, nos sentemos À sombra deste cedro levantado. Um pouco meditemos Na regular beleza, Que em tudo quanto vive nos descobre A sábia Natureza. (Tomás Antônio Gonzaga, Marília de Dirceu) Nesses versos, o poeta tem por finalidade A cantar a harmonia que se estabelece entre ele, pastor, Marília, a idealizada virgem, e a natureza expressiva, reveladora dos instintos. B celebrar o amor rústico, inspirado pela força primitiva de uma natureza que, sugestivamente bela, reflete as paixões da ingênua pastora. C confidenciar-se à musa imaginária, naquele tom pungente que já permitiu a alguns críticos apontar em seus versos inclinações préromânticas. D dirigir-se à amada, transfigurada em pastora, segundo o cânone de uma convenção poética para a qual a justa ordem do mundo natural é também um imperativo estético. E mostrar a mulher como um ser inatingível, comparada a ser místico. Texto para as próximas duas questões. O OSSO DE AÇAÍ Pesquisadores usam caroços da fruta para fazer próteses mais baratas e ecológicas Nem na tigela nem no colar de contas. Agora o açaí também vai ser osso no corpo de quem precisa de um implante. A novidade foi criada por uma parceria de pesquisadores da Unicamp e da UFPA, que fabricaram próteses de poliuretano usando o caroço da fruta como matéria-prima. O ingrediente não poderia ser mais abundante e barato: a polpa que vira alimento representa apenas 15% da massa do fruto. O resto vira lixo. Só no Pará, cerca de 250 mil toneladas desse material são jogadas fora todos os anos. Agora, pelo menos uma parte vai receber um destino mais útil. O tal caroço foi aproveitado por ser rico em poliol, substância que os pesquisadores converteram em poliuretano, polímero já usado para fazer próteses ósseas. Hoje, no entanto, a indústria o fabrica a partir de derivados de petróleo commodity cada vez mais escassa e cara. Uma das coisas mais legais desse projeto é que usamos uma matéria-prima renovável, diz a engenheira química da Unicamp, Laís Gabriel, que dedicou seu mestrado à fabricação do osso. O resultado é um produto sustentável e barato, cujo preço deve ser um quinto do atual. O produto já foi testado em ratos, com sucesso, e neste ano começam os testes em humanos, no Hospital de Clínicas da Unicamp. A previsão é que as primeiras próteses de açaí cheguem ao mercado até o fim de Elas vão ser usadas para substituir ossos que não exigem muita rigidez, como os da face e do crânio. [...] Na fase de testes clínicos, os médicos também vão ficar de olho se a prótese preserva outras propriedades funcionais do açaí como seu potencial anti-inflamatório e analgésico. Isso traria mais uma vantagem: usar uma quantidade menor de remédios na recuperação dos pacientes que recebem os implantes. Tarso Araújo - Fonte: Galileu, Setembro/ 2012 Ed p.24. Indique a alternativa que apresenta uma afirmação 37 INCOERENTE em relação ao conteúdo do texto: A A semente de açaí ainda é pouco aproveitada. B Uma prótese convencional tem um custo que pode ser até 5 vezes maior que a desenvolvida pela equipe da qual faz parte a engenheira Laís Gabriel. C Sementes do açaí são jogadas no lixo apenas no estado do Pará. D Para realizar próteses de ossos da perna, por exemplo, o produto desenvolvido pelos pesquisadores não é apropriado. E O açaí é consumido como alimento e seu caroço é usado na fabricação de colares. Considerando o contexto original, indique o que for 38 INCORRETO: A A forma Elas vão ser usadas (4º parágrafo) equivale a Elas serão usadas. A escolha da primeira construção conferiu um tom mais informal ao texto, considerando o público a que se destina. B O conectivo no entanto (2º parágrafo) pode ser trocado por portanto, sem alteração do sentido original. C O tal caroço (2º parágrafo) poderia ser substituído por O caroço do fruto. D A palavra Agora, remete ao momento em que a nova prótese foi desenvolvida pelas pesquisadoras. E O dois-pontos (:) foram empregados no primeiro e no quinto parágrafos com a mesma função. A SAÚDE E O FUTURO 39 Dráuzio Varella Reflexões para o futuro Ficaremos sobrecarregados, pagando caro pela ignorância e irresponsabilidade do passado. Acharemos inacreditável não havermos percebido em tempo, por exemplo, que o vírus da Aids, presente na seringa usada pelo adolescente da periferia para viajar ao paraíso por alguns instantes, infecta as mocinhas da favela, os travestis da cadeia, as garotas da boate, o meninão esperto, a menininha ingênua, o senhor enrustido, a mãe de família e se espalha para a multidão de gente pobre, sem instrução e higiene. Haverá milhões de pessoas com Aids, dependendo de tratamentos caros e assistência permanente. Seus sistemas imunológicos deprimidos se tornarão presas fáceis aos bacilos da tuberculose, que, por via aérea, irão parar nos pulmões dos que passarem por perto, fazendo ressurgir a tuberculose epidêmica do tempo dos nossos avós. Sífilis, hepatite B, herpes, papilomavírus e outras doenças sexualmente transmissíveis atacarão os incautos e darão origem ao avesso da revolução sexual entre os sensatos. No caldo urbano da miséria/sujeira/ignorância crescerão essas pragas modernas e outras imergirão inesperadas. Estará claro, então, que o perigo será muito mais imprevisível do que aquele representado pelas antigas endemias rurais: doença de Chagas, malária, esquistossomose, passíveis de controle com inseticidas, casas de tijolos, água limpa e farta. Assustada, a sociedade brasileira tomará, enfim, consciência do horror que será pôr filhos em um mundo tão inóspito. Nessas condições é provável que se organize para acabar com as causas dessas epidemias urbanas. Modernos hospitais sem fins lucrativos, dirigidos por fundações privadas e mantidos com o esforço e a vigilância das comunidades locais, poderão democratizar o atendimento público. Eficientes programas de prevenção, aplicados em parceria com instituições internacionais, diminuirão o número de pessoas doentes. Sem o HIV, por exemplo, a expectativa média de vida na África seria de 62 anos; atualmente, ela é de 47 anos. Vinte e um anos após a primeira descrição da doença e 19 anos após a descoberta do HIV, a epidemia de Aids continua a se alastrar pelo mundo. Mais de 22 milhões de pessoas já morreram em razão da doença. Quase 40 Página 12 de 22

13 milhões estão contaminadas com o vírus -e um terço delas tem entre 15 e 24 anos. Então virá a fase em que surgirão novos rebeldes sonhadores, para enfrentar o desafio de estender a revolução dos genes para melhorar a qualidade de vida dos que morarem na periferia das grandes cidades ou na imensidão dos campos brasileiros. O autor do texto fala de ignorância e da irresponsabilidade passadas como motivo de males futuros. O item que se refere mais à irresponsabilidade do que à ignorância é: A o vírus da Aids, presente na seringa usada pelo adolescente da periferia para viajar ao paraíso por alguns instantes, infecta as mocinhas da favela... ; B se espalha para a multidão de gente pobre, sem instrução e sem higiene ; C Seus sistemas imunológicos deprimidos se tornarão presas fáceis do bacilo da tuberculose... ; D outras doenças sexualmente transmissíveis atacarão os incautos ; E crescerão essas pragas modernas e outras imergirão inesperadas. 40 A geração do eu mereço Não é raro ver as pessoas buscando prazeres e momentos especiais com a velocidade de quem troca de canal de televisão, sem tempo para apreciar a experiência. Às vezes, sinto como se não houvesse amanhã, diz a professora de Psicologia Social da USP Yvette Lehamn. As pessoas comem, bebem, fazem festas como numa cidade sitiada. Há um esvaziamento do prazer. Muitas vezes, o sujeito nem está gostando daquilo. A consultora Vera Aldrighi questiona se a busca pelo prazer, em alguns casos, não esconde outras ausências. As pessoas estão carentes de autogratificação. Trabalham demais, estão sujeitas à violência, seus relacionamentos vão mal e elas ainda pegam trânsito. Precisam de um carinho. O apoio que não recebem do chefe, do marido ou dos filhos, vão buscar na comida, na bebida, nos perfumes gostosos. O psicanalista Jorge Forbes concorda com essas vozes críticas. Reconhece que algumas pessoas ainda seguem modelos, tomam vinho só porque está na moda ou comem foie gras porque todo mundo diz que é bom. Mas o autor do livro Você Quer o Que Deseja? acha que isso pode ser ponte para uma livre escolha mais real. O importante é que já se vê a mudança da ética do dever para a do desejo, diz. Saímos do mundo vertical, da era industrial, na qual os padrões eram muito definidos e hierarquizados, e passamos a viver em uma sociedade horizontal, globalizada, na qual não existe mais uma única forma correta de se portar. Essa falta de padrão abriu caminho para os prazeres. (Revista Época, adaptado) Entre as opiniões da psicóloga, da consultora e do psicanalista, I. é possível perceber que predomina um pouco de otimismo por parte das duas mulheres, apesar das críticas que fazem a essa atual busca pelo prazer. II. existe uma que diverge das outras, uma vez que uma dessas opiniões não vê apenas um aspecto, no que diz respeito à questão da busca pelo prazer. III. constata-se que, por causa da sua profissão, a psicóloga analisa a busca pelo prazer como uma compensação, por parte do indivíduo, de algo que lhe falta. IV. fica clara a intenção do psicanalista de tratar a questão da busca pelo prazer como uma opção de cada um, sem ver nisso qualquer tipo de influência. Está(ão) incorreta(s): público. III. a presente edição foi revista e ampliada, o que denota a atenção do autor para com o leitor. IV. traz exercícios resolvidos, o que lhe servirá de instrumento para verificar sozinho o seu desempenho. As informações que fundamentaram corretamente a decisão do aluno foram A II. B I, II e III. C I, III e IV. D II, III e IV. E II e III. 41 Quem não sabe que ao pé da cada bandeira pública, ostensiva, há muitas vezes outras bandeiras modestamente particulares, que se hasteiam e flutuam à sombra daquela, e não raras vezes lhe sobrevivem? (ASSIS, M. de. Memórias póstumas de Brás Cubas. São Paulo: Ática, [s.d.]) Nesse trecho, Machado de Assis estabelece uma crítica à sociedade, ao A acentuar uma concepção de mundo marcada por um exacerbado pessimismo, numa visão trágica e amarga da existência humana. B conduzir o leitor a refletir sobre sentimentos elevados como o amor, que, muitas vezes, relaciona-se a interesses financeiros. C denunciar a hipocrisia e o egoísmo: os bons sentimentos, quando surgem, escondem uma outra face, egoísta e hipócrita. D revelar a ganância desmedida que muitos usam como uma espécie de válvula de escape diante da constatação da miséria do homem. E mostrar a miséria humana e os bons sentimentos de pessoas comuns da sociedade. 42 ELES SOBRARAM Os números do IBGE, o principal órgão de pesquisas sociais do país, mostram um retrato dramático da realidade do trabalhador brasileiro. Segundo o Instituto, 36 milhões de brasileiros em idade de trabalhar têm só o 1º grau completo ou nem isso. Essa população equivale a quase a metade de toda a força de trabalho do país e coloca para a sociedade um enorme problema. Para garantir a sobrevivência, muitos deles ainda conseguem emprego na economia informal com algum êxito. Para os outros, o horizonte é desolador. Isso porque as empresas, com a modernização, já não precisam tanto de força física, que é o que eles têm a oferecer se não forem educados. O Brasil ainda tem uma vantagem a oferecer a esses trabalhadores, por uma ironia de seu passado recente. Durante mais de uma década, o governo abandonou estradas, viadutos, deixou ruas se esburacarem. Assim que a economia voltar a crescer, isso tudo vai ser consertado e haverá trabalho para essa massa de gente. O problema é saber durante quanto tempo eles poderão sobreviver à custa desses serviços. E o desafio, para o país, é evitar que continue crescendo a população de subtrabalhadores. VALENTINI, Cintia. Veja, 21 de julho, p Segundo o texto, a principal causa do retrato dramático da realidade do trabalhador brasileiro é: A a existência de quase metade da população brasileira sem escolaridade mínima e, por isso, subempregada. B o avanço da economia informal, única saída para os desempregados, mas que os deixa desassistidos. C a modernização das empresas que, hoje, empregam menos trabalhadores com escolaridade mínima. D o desaquecimento da economia que não permite a contratação da força física do trabalhador. E o descompasso entre modernização e economia. Desde os primórdios 43 Até hoje em dia O homem ainda faz O que o macaco fazia Eu não trabalhava, eu não sabia Que o homem criava e também destruía. Homem primata Página 13 de 22

14 Capitalismo selvagem Ô, ô, ô Eu aprendi A vida é um jogo Cada um por si E Deus contra todos Você vai morrer e não vai pro céu É bom aprender, a vida é cruel. Homem primata Capitalismo selvagem Ô, ô, ô Eu me perdi na selva de pedra Eu me perdi, eu me perdi Na letra do grupo musical Titãs, a comparação estabelecida entre o homem e macaco alude: A a uma das teorias sobre a origem da espécie humana; B ao comportamento irracional do homem na sociedade moderna; C às semelhanças biológicas entre os dois seres; D ao bom relacionamento entre homem e macaco; E ao capitalismo selvagem da sociedade contemporânea 44 Pronominais Dê-me um cigarro Diz a gramática Do professor e do aluno E do mulato sabido Mas o bom negro e o bom branco Da Nação Brasileira Dizem todos os dias Deixa disso camarada Me dá um cigarro O texto acima, típico da primeira fase do Modernismo, comporta a seguinte intenção do poeta A Imitar a linguagem sertaneja. B Mostrar como as pessoas falam e escrevem na língua portuguesa. C Fazer um manifesto contra a gramática, infringindo uma regra considerada inviolável pelos puristas. D Destacar, por meio do erro, o nível social da personagem. E Causar polêmica. SIMULADO 9 ENEM - PROF. DARLAN JR 46. O gráfico abaixo, publicado na Folha de S. Paulo, mostra os gastos (em bilhões de reais) do Governo Federal com os juros da dívida pública no período de 2004 a Analisando o gráfico, podemos afirmar que o item CORRETO é: a) Em 2006, o gasto foi maior do que em b) O menor gasto foi em c) Em 2006, houve redução de 20% nos gastos, em relação a d) A média dos gastos nos anos de 2009 e 2010 foi de R$ 63,7 bilhões. e) Os gastos decresceram de 2006 a Irene no céu Irene preta Irene boa Irene sempre de bom humor. Imagino Irene entrando no céu: Licença, meu branco! E São Pedro, bonachão: Entra, Irene. Você não precisa pedir licença. O pernambucano Manuel Bandeira caracteriza sua obra com versos livres e uma linguagem simples e coloquial. Iniciou sua carreira em 1917 com A cinza das horas, obra ainda influenciada pelas estéticas parnasiana e simbolista. Neste poema, Bandeira manifesta uma das suas fortes características, qual seja, a tendência a: A tematizar o cotidiano em linguagem cifrada e metafórica. B excluir personagens associadas às minorias marginalizadas. C recorrer ao mundo real para abordar questões metafísicas. D associar subjetividade e objetividade. E sublimar seus problemas de saúde. O tanque de combustível de um automóvel flex estava cheio com uma mistura de 80% de gasolina e o restante de álcool. Após utilizar a metade do tanque, seu proprietário completou-o com álcool, apenas. Os percentuais da mistura de álcool e de gasolina, nessa ordem, ficaram sendo: a) 30% e 70% b) 35% e 23% c) 50% e 50% d) 60% e 40% e) 75% e 25% Página 14 de 22

15 48. Em um recipiente contendo 5 decilitros de água, foram colocados 300 centigramas açúcar, obtendo - se, assim, uma mistura homogênea. Quantos miligramas de açúcar existem em uma amostra de 1 cm3 dessa mistura? a) 0,06 b) 0,6 c) 6 d) 60 e) Para mostrar aos seus clientes alguns dos produtos que vende, um comerciante reservou um espaço em uma vitrine, para colocar exatamente 3 latas de refrigerante, lado a lado. direção norte-sul direção leste-oeste Sentido norte (da semirreta PN) sentido sul (da semirreta PS) sentido leste (da semirreta PL) sentido oeste (da semirreta PO) Na figura seguinte, as retas NS e LO são perpendiculares entre si no ponto P. Considerando a reta NS como indicação da direção norte (N)- sul (S) e a reta LO como indicação da direção leste (L)-oeste (O), imagine: o ponto A, na direção norte-sul, sentido norte, tal que PA = 3cm; o ponto B, na direção norte-sul, sentido sul, tal que PB = 3cm; o ponto C, na direção leste-oeste, sentido oeste, tal que PC = 3cm. Se ele vende 6 tipos diferentes de refrigerante, de quantas maneiras distintas pode expô-los na vitrine? a) 144 b) 132 c) 120 d) 72 e) Os pontos cardeais norte, sul, leste e oeste foram criados pelos seres humanos para facilitar a orientação e a localização. Você já deve ter observado que o Sol sempre nasce do mesmo lado da sua casa e realiza no céu um movimento no sentido oposto ao lado em que nasceu. O Sol nasce no lado leste e se põe no lado oeste. Uma maneira de identificar os pontos cardeais norte e sul sem usar bússola é, em uma manhã ensolarada, com os braços abertos, apontar a mão direita para o lado em que nasce o Sol (leste) e apontar a esquerda para o lado em que ele se põe (oeste); assim, seu rosto apontará para o norte e suas costas, para o sul. Observe o esquema: Nessas condições, a medida do ângulo ACB, em graus, é igual a: a) 30. b) 75. c) 45. d) 90. e) Um agente secreto precisa escapar de uma de suas investidas no trigésimo andar de um prédio. Ele pretende fazer isso por meio de uma corda pendurada em um helicóptero que sobrevoa o prédio a alguns metros de onde ele está. O objetivo do agente é pendurar-se na extremidade inferior da corda, balançar-se como um pêndulo até o topo do prédio vizinho, por onde ele poderá escapar. A figura a seguir ilustra as posições dos elementos envolvidos nessa missão. O ponto A representa a posição do helicóptero, o ponto B a posição inicial do agente, o ponto C o topo do prédio vizinho (por onde ele pretende escapar) e a linha tracejada DE representa o nível do chão. Note que os pontos cardeais indicam duas direções, cada uma com dois sentidos: Página 15 de 22

16 a) 100 b) 200 c) 300 d) 350 e) 180 Considerando que o helicóptero não irá se mover e que a corda é inextensível, ao saltar de B, agarrado à extremidade inferior da corda, o agente a) irá bater no chão em um ponto de abscissa negativa, o que irá interromper seu movimentoe impedi-lo de chegar a C. b) irá apenas encostar no chão em um ponto de abscissa zero e, mesmo que isso não interrompa seu movimento, ele atingirá uma altura menor do que a de C quando a abscissa de sua posição for 3. c) irá apenas encostar no chão em um ponto de abscissa zero e, se isso não interromper seu movimento, ele atingirá precisamente o ponto C quando a abscissa de sua posição for 3. d) ficará acima do nível do chão em toda sua trajetória, mas quando a abscissa de sua posição for 3, ele atingirá um ponto mais alto do que C. e) ficará acima do nível do chão em toda sua trajetória e atingirá precisamente o ponto C quando a abscissa de sua posição for Um supermercado adquiriu detergentes nos aromas limão e coco. A compra foi entregue, embalada em 10 caixas, com 24 frascos em cada caixa. Sabendose que cada caixa continha 2 frascos de detergentes a mais no aroma limão do que no aroma coco, o número de frascos entregues, no aroma limão, foi a) 110 b) 120 c) 130 d) 140 e) O gráfico abaixo indica os resultados de uma pesquisa realizada entre os brasileiros para saber a sua preferência em relação as empresas de telefonia celular. 52. Em um sistema de piscicultura intensiva, uma grande quantidade de peixes é cultivada por tanque-rede colocados em açudes, com alta densidade populacional e alimentação a base de ração. É importante salientar que para garantir o êxito é utilizado a oxigenção armax que é um sistema de oxigenação da água em profundidade que proporciona, ao mesmo tempo, a movimentação da água. Pedro, um renomado, pisicultor, recebe o seguinte problema para Com base nos dados a cima três planos de telefonia celular são apresentados na tabela abaixo, com a finalidade de atrair clientes: solucionar: Um grupo de 600 peixes de duas espécies foi posto em um conjunto de tanques-redes. Os peixes consomem 800 g de ração por refeição. Sabendo-se que um peixe da espécie A consome 1,5 g de ração por refeição e que um peixe da espécie B consome 1 g de ração por refeição. Nestas condições, assinale a alternativa que indica o número de peixes da espécie B que o tanque contém determinada por Pedro. A partir de quantos minutos de uso mensal o plano A é mais vantajoso que os outros dois? a) mais de 50 minutos b) menos de 50 minutos c) mais de 40 minutos d) menos de 40 minutos e) exatamente 40 minutos 55. Página 16 de 22

17 Com base nos texto acima responda as questões 57 e 58. Um ônibus chega ao terminal rodoviário a cada 4 dias. O segundo ônibus chega ao terminal a cada 6 dias e um terceiro, a cada 7 dias. Numa ocasião os três ônibus chegaram no terminal no mesmo dia. A próxima em que chegarão juntos novamente, ao terminal, ocorrerá depois de: a) 60 dias b) 35 dias c) 124 dias d) 84 dias e) 168 dias Marcos, um investidor conservador, após a entrevista acima decidiu aplicar certa quantia em ações de uma empresa. Após um mês o valor dessas ações subiu 5%. No segundo mês subiu 10% e no terceiro mês caiu 5%. A porcentagem de ganho do investidor nestes três meses foi: a) maior do que 12% b) entre 10% e 12% c) igual a 10% d) entre 8% e 10% e) abaixo de 8% 58. João, amigo de Marcos, resolveu comprar ações, que subiu 10% num dia e 12% no outro dia. Assim, no intervalo desses dois dias, as ações subiram: a) 23,2% b) 32,0% c) 33,2% d) 34,2% e) 34,0% O salário médio, por hora de trabalho, numa fábrica de 110 trabalhadores é de R$ 50,00. Calculando-se, no entanto, apenas com os 100 trabalhadores homens, a média passa a ser de R$ 53,00. Qual o salário médio das mulheres por hora de trabalho, em reais? a) 10 b) 15 c) 20 d) 25 e) Um grupo de amigos resolveu fazer uma viajem. Mario, que é o coordenador deste grupo, fez o seguinte levantamento: Mudanças nos preços e na economia dos países O novo ciclo da economia americana, a maior do planeta, provocará um ajuste de preços em todos os ativos ao redor do mundo, observa Poso. Haverá ajustes em taxas de juros, moedas, preços de commodities, ouro e mercados acionários. Os ajustes, por sua vez, vão mudar as relações econômicas entre os países e dentro de seus mercados. Vamos ter forças negativas atuando no curto prazo, mas depois virão fatores positivos, observa o analista financeiro em uma entrevista. A média aritmética das idades deste grupo com 40 pessoas é 22 anos. João, um dos componentes deste grupo, observou e comentou que a média aritmética das idades das mulheres desse grupo é 20 anos, e a das idades dos homens é 25 anos. Assim João, que é um grande paquerador, perguntou ao Mario: Qual o número de mulheres deste grupo? Assinale a resposta correta dada pelo Mario. a) 20 b) 24 Página 17 de 22

18 c) 25 d) 28 e) uma indústria de tecidos fabrica retalhos de mesmo comprimento. após realizarem os cortes necessários, verificou-se que duas peças restantes tinham as seguintes medidas: 156 centímetros e 234 centímetros o gerente de produção ao ser informado das medidas, deu a ordem para que o funcionário cortasse o pano em partes iguais e de maior comprimento possível. assinale o valor que corresponderá à medida do comprimento desejado. a) 78 b) 74 c) 75 d) 84 e) 88 Fazendo uso do texto acima, determine o intervalo da altura considerada normal para um menino (representado por o) e uma menina (representada por a), filhos de um casal em que o homem e a mulher medem respectivamente 1,73 metro e 1,64 metro a) o 1,79; 1,58 a 1,70 1,58 b) o 1,70; 1,67 a 1,79 1,65 c) o 1,77; 1,74 a 1,86 1,69 d) o 1,81; 1,56 a 1,68 1,73 e) o 1,79; 1,64 a 1, A prefeitura vai reformar uma praça quadrada de 16 metros de lado e foi aprovado o seguinte projeto: 61. O seu copo de suco, Isabela bebeu inicialmente 100 ml. Depois, bebeu 1/4 do que restava e, depois de algum tempo, ela bebeu o restante que representava 1/3 do volume inicial. O copo continha inicialmente uma quantidade de suco, em ml, igual a a) 160 b) 200 c) 220 d) 180 e) Maria tem em sua bolsa R$ 15,60 em moedas de 10 centavos e de 25 centavos. Dado que o número de moedas de 25 centavos é o dobro do número de moedas de 10 centavos, o total de moedas na bolsa é: a) 68. b) 75. c) 79. d) 78. O construtor que ganhou a licitação faz apenas a parte da calçada e seu orçamento foi de R$ 53,00 o metro quadrado. O jardim será feito por funcionários da própria prefeitura, e esse custo para a Secretaria de Parques e Jardins será de R$ 25,00 o metro quadrado. Usando π = 3,1, podemos concluir que o valor total da obra será de: a) R$ 6.400,00. b) R$ 8.310,40. c) R$ ,40. d) R$ , 00. e) R$ ,00 e) Crescimento e altura 65. Marcos ganha um salário mais uma comissão vendendo televisores em uma loja. A relação entre o salário semanal de Marcos (S) e o total, em reais, de suas vendas no período (v) está representada pela reta no gráfico a seguir. Filhos de pais com determinada estatura terão sua altura muito próxima do pai correspondente do mesmo sexo, ou seja, um fi- lho terá uma altura próxima a de seu pai, e uma filha, próxima a da sua mãe. Para um cálculo aproximado, costuma-se usar a seguinte fórmula: soma da altura dos pais mais 13 centímetros para os meninos (ou menos 13 centímetros para as meninas) dividido por dois. Temos assim o que chamamos de "altura- alvo" de uma pessoa. A altura é considerada normal se for seis centímetros acima ou abaixo do valor calculado. (...) Nesse contexto, temos a expectativa de que pais baixos terão filhos baixos e pais altos terão filhos mais altos, o que chamamos de "determinantes familiares da estatura". Fonte: Czepielewski, Mauro Antonio. Crescimento e altura, disponível em pailegal.net, acesso em 15 de abril de 2009). Nesta relação, o número 375 representa Página 18 de 22

19 a) o salário de Marcos para cada televisor vendido. b) o salário de Marcos se ele vende apenas 375 televisores. c) o valor que deve ser somado ao preço de cada televisor. d) o salário de Marcos se ele não vende nenhum televisor. e) quanto aumenta o salário de Marcos em cada venda. 66. Uma doceira vende seu brigadeiro de colher em pequenos potes cilíndricos com 4 centímetros de diâmetro e 2 centímetros de altura de dimensões internas. Usando π = 3,1, podemos concluir que, para produzir 100 desses potes por dia, ela precisará preparar uma quantidade de brigadeiro aproximadamente igual a: professor selecionada nessa amostra ser favorável ao projeto é da ordem de a) 18%. b) 20%. c) 21%. d) 24%. e) 27%. 69. A densidade de um material é a razão entre sua massa e seu volume. A tabela abaixo fornece a densidade de alguns materiais. a) 1 litro. b) 1 litro e meio. c) 2 litros. d) 2 litros e meio. e) 3 litros. 67. O salão de festas de um prédio residencial tem 18 metros de largura, 9 metros de comprimento e um pé-direito de 4 metros. Possui, ainda, duas janelas de 2 metros por 1,5 metro. Para pintar somente as paredes desse salão, uma empresa cobra R$ 30,00 por metro quadrado, incluindo material e mão de obra. Em um recipiente graduado, colocam-se 860 mililitros de água, a 25 C. A seguir, mergulha-se nesse recipiente um objeto de 705 gramas e verifica-se que o volume de água atingiu a marcação de 1 litro e meio. Usando a tabela, podemos afirmar que o objeto utilizado no experimento descrito é feito de: O preço total da pintura é a) Borracha. b) Osso. c) Couro seco. d) Bambu. e) Porcelana 70. O gráfico a seguir mostra o resultado do reflorestamento de uma área. No eixo horizontal, da variável t (anos), t = 0 = 1996; t = 1 = 1997; t = 2 = 1998; e assim por diante. No eixo vertical, da variável y (mil), y = número de árvores plantadas (os valores de y são dados em unidades de mil). a) R$ 3.600,00. b) R$ 3.950,00. c) R$ 4.210,00. d) R$ 5.840,00. e) R$ 6.300, Em uma faculdade foi realizada uma pesquisa de opinião sobre um projeto de pesquisa. Uma amostra significativa de professores entrevistadas revelou que 44% delas não quiseram opinar, 360 eram a favor do projeto e 480 contra. Uma estimativa da probabilidade de um Página 19 de 22

20 quanto a substancia teria diminuído, duas horas após o mencionado instante. Assinale a resposta correta assinala pelo aluno. a) 30,00% b) 32,25% c) 27,75% d) 31,00% e) 28,00% 74. Numa aula de matemática financeira, um aluno perguntou ao seu professor: Se Coloca-se em um terço de um certo capital uma taxa de 7% ao mês, e o restante de 9% ao mês, obtendo-se no fim do mês um ganho de R$ ,00. Qual o capital empregado?. Assinale a alternativa que corresponde a resposta correta dada pelo professor. Se a taxa de reflorestamento anual se mantiver constante, pode-se afirmar que o número de árvores plantadas atingirá no ano de a) b) c) d) e) Um jovem gosta de se vestir com calça jeans e camiseta diariamente. Para não repetir um mesmo conjunto de calça e camiseta em cada um dos 20 dias de aulas de um mês, ele precisará contar, no mínimo, com um número de peças (calça mais camiseta) igual a: a) 20. b) 15. c) 10. d) 9. e) Assinale o saldo médio de um cliente, num mês em que seu extrato bancário tem seguinte histórico: R$ ,00 durante 2 dias R$ ,00 durante 5 dias R$ 4.000,00 durante 8 dias R$ 600,00 15 dias a) R$ 5.200,00 b) R$ 3.500,00 c) R$ 5.000,00 d) R$ 4.500,00 e) R$ 3.800, Em um laboratório de química de uma universidade, um aluno percebeu que a concentração de determinada substância, após atingir um máximo, num certo instante, diminui 15% ao fim de cada hora. a) R$ ,00 b) R$ ,00 c) R$ ,00 d) R$ ,00 e) R$ , Um posto de combustível vende litros de álcool por dia a RS 1,50 cada litro. Seu proprietário percebeu que, para cada centavo de desconto que concedia por litro, eram vendidos 100 litros a mais por dia. Por exemplo, no dia em que o preço do álcool foi RS 1,48, foram vendidos litros. Considerando x o valor, em centavos, do desconto dado no preço de cada litro, e V o valor, em RS, arrecadado por dia com a venda do álcool, então a expressão que relaciona V e x é: a) v = x x 2. b) v = x + x 2. c) v = x x 2. d) v = x x 2. e) v = x + x Em São Paulo, há cerca de 3,5 mil pizzarias espalhadas por toda a cidade. Nesse mercado concorridíssimo, o melhor a fazer é inventar! Para atrair clientes, alguns estabelecimentos estão apostando em formatos inusitados. Um pizzaiolo prepara pizzas quadradas e redondas com muita habilidade e rapidez. Com uma porção da massa, ele fez uma pizza quadrada de 30 cm de lado e 10 mm de espessura. Se ele preparasse uma pizza redonda de mesma espessura, com a mesma porção de massa, qual seria o raio aproximado dessa pizza, se considerarmos π = 3? Assim resolveu mostrar o caso para o seu orientador. Porém, quando seu orientador observou o fenômeno pediu ao aluno que calculasse em a) 15 cm. b) 10 3 cm. c) 3 10 cm. d) 10 cm. e) 33 cm. Página 20 de 22

21 77.O gráfico abaixo representa a elevação de temperatura da água em função do tempo ao se colocar uma panela com uma barra de gelo sobre a chama de um fogão. 80. Um empreiteiro recebeu a incumbência de ladrilhar um salão, mas para sua surpresa recebeu o desenho abaixo indicando a forma do salão e apenas algumas dimensões do local. Analisando o gráfico, podemos afirmar que: a) O bloco de gelo levou 12 minutos para derreter e atingir 100 graus. b) O bloco de gelo levou 10 minutos para derreter e atingir 10 graus. c) A temperatura subiu constantemente até atingir 100 graus. d) A temperatura ficou constante por 6 minutos ao atingir zero grau. e) A temperatura oscilou por 8 minutos antes de subir até 100 graus. 78. Um filtro para cromoterapia tratamento que emprega cores para promover o equilíbrio do ser humano tem formato circular. Para fazer um filtro com duas ou mais cores, é necessário que a área ocupada pelas cores seja igual. Ao realizar uma pesquisa para encontrar a melhor solução para o problema, verificou - se que, independentemente das dimensões do círculo, a razão entre o raio da coroa circular e o do círculo menor de modo que as áreas sejam iguais, é: Sabendo que o piso será de lajotas quadradas de 30 cm de lado, a quantidade mínima de caixas, com 16 lajotas cada uma, que ele deverá comprar é de: a) 80. b) 107. c) 100. d) 180. e) Em uma área quadrada, uma construtora criou um condomínio dividindo-o em quadras separadas por ruas e alamedas. As ruas são paralelas e, visualizandoas na horizontal, são numeradas de baixo para cima. As alamedas são perpendiculares às ruas e numeradas da esquerda para a direita. A distância entre duas ruas consecutivas é de 100 metros e entre duas alamedas consecutivas é de 400 metros. Chame de P o entroncamento da 11ª alameda com a rua 4 e de Q o entroncamento da rua 34 com a 1ª alameda. Denomine a menor distância (em quilômetros) que um condômino pode realizar ao caminhar do ponto P até o ponto Q de a. E a distância percorrida (em quilômetros) por um pássaro ao voar em linha reta para ir de P até Q, denomine de b. Assim, é correto afirmar que: a) a = b 2 b) a = b + 2 c) a² = b² d) a² = b² + 2 e) a² = b² 2 a) 3 b) 2 c) 3/2 d) 3 e) Uma frota de veículos é composta de carros a gasolina e flex (carro com tanque bicombustível que pode rodar com gasolina ou álcool). Dentre os dois carros disponíveis para uma viagem de 840 km estão um carro a gasolina que faz 12 km/l e um carro flex que faz 10 km/l com gasolina e 8 km/l com álcool. Sabendo que, nessa ocasião, o preço da gasolina era de R$ 2,50 e o preço do álcool era de R$ 1,50, de quanto seria a vantagem de usar o carro mais econômico? a) R$ 175,00. b) R$ 127,00. c) R$ 84,00. d) R$ 17,50. e) R$ 12, Uma empresa, com três sócios, teve um lucro de R$ ,00. O primeiro sócio empregou R$ ,00 por dois anos, o segundo R$ ,00 também por dois anos e o terceiro R$ ,00 por um ano e meio. O lucro de cada um foi respectivamente de: a) R$ ,00; R$ ,00 e R$ ,00. b) R$ ,00; R$ ,00 e R$ ,00. c) R$ ,00; R$ ,00 e R$ ,00. d) R$ ,00; R$ ,00 e R$ ,00. e) R$ ,00; R$ ,00 e R$ , Uma lata de refrigerante tem, em média, 6,4 cm de diâmetro e 12 cm de altura. A quantidade de refrigerante é de 350 ml. A diferença entre o volume total da lata e a quantidade de refrigerante é aproximadamente: (use = 3,1) a) 14,5 ml. b) 20,1 ml. c) 30,4 ml. d) 32,2 ml. e) 42,3 ml. Página 21 de 22

22 84. Após realizar experiências com seus alunos para obter distâncias sem medição direta, um professor esboçou uma situação em que um adulto de altura mediana observa o topo de um prédio. Considerando-se que os dados apresentados correspondem aos acertos dos 40 alunos que responderam às 8 questões, é correto afirmar que a probabilidade de que A situação criada apresenta incoerência, pois a) a altura de um prédio não pode ser de 29,3 m. b) a 28 m de distância não se pode ver o topo de um prédio. c) a 28 m de distância não se tem uma linha visual de 45º. d) a altura do observador não corresponde à de um adulto mediano. e) a ausência da medida da largura do prédio impossibilita qualquer cálculo. 85. Um aluno perguntou a idade de sua professora de matemática. Para deixá-lo intrigado, a professora respondeu: Minha idade mais dois terços dela é maior do que será minha idade daqui a 20 anos; além disso, três quartos dela são maiores do que a minha própria idade menos 12. Qual foi o resultado encontrado pelo aluno? a) 30 < x < 40 b) x = 35 c) 48 < x < 60 d) 30 < x < 48 e) x < Você precisa pintar um galpão, cuja planta se encontra abaixo: Certa marca de tinta tem no rótulo a indicação de que para duas demãos de tinta são necessários 90 ml por m² Sabendo que a altura das paredes é de 4 m e que ao todo as janelas e portas ocupam uma área de 15 m², a quantidade de galões necessários para pintar o galpão com duas demãos de tinta é: (1 galão = 3,6 litros) a) 2 galões. b) 3 galões. c) 4 galões. d) 5 galões. e) 6 galões. 87. Um estudo analisou o sucesso das estratégias que os 40 alunos do último ano do Ensino Médio, de uma escola pública de São Paulo, utilizaram para resolver 8 questões que envolvem estatística, retiradas das últimas avaliações do Enem. a) um aluno acerte as questões Q2 e Q6 é de 90%. b) um aluno acerte as questões Q3 e Q7 é de 18%. c) todos os alunos errem apenas uma questão é de 100%. d) todos os alunos errem pelo menos uma questão é de 100%. e) um aluno acerte sete questões é de pelo menos 15% 88. Uma loja em liquidação baixou o preço de seus artigos em 20%. Passando o período de desconto, para que voltem ao que eram antes, os preços devem ser reajustados em: a) 25%. b) 20%. c) 18%. d) 15%. e) 10% Encontra-se presente num congresso, 10 engenheiro s(jorge e Thiago são dois deles) e 7 economistas(ana, Rafaela e Lorena são três delas). Então o número n de comissões podem ser constituídas, formadas por quatro engenheiros e quatro economistas, de modo que delas façam parte Ana, Rafaela e Lorena e não façam parte Jorge e Thiago, é: a) 280 b) 74 c) 245 d) e) Dez cavalos disputam uma corrida. Um deles chama-se Cometa. Quantos são os possíveis resultados para as três primeiras colocações, se Cometa não chegar entre os três primeiros colocados? a) 504 b) 654 d) 345 e) No aniversário do Roberto, seu pai lhe deu 7 carrinhos em miniatura de presente, e prometeu que, se ele se comportasse bem, a cada 12 dias lhe daria mais um carrinho. Roberto, muito empolgado, resolveu fazer as contas, e tentou prever o número de dias d que seriam necessários para que ele acumulasse n carrinhos. Assim, obteve a relação: a) d = 12n + 7 b) d = 12n 7 c) d = 12n 84 d) d = 12 n - 5 e) d = 2 n + 8 Página 22 de 22

Teoria da Comunicação Funções da Linguagem

Teoria da Comunicação Funções da Linguagem Teoria da Comunicação Funções da Linguagem Professor Rafael Cardoso Ferreira O que é linguagem? A linguagem é o instrumento graças ao qual o homem modela seu pensamento, seus sentimentos, suas emoções,

Leia mais

C7_COMP_PORT_Prof 3/22/10 10:36 AM Página I

C7_COMP_PORT_Prof 3/22/10 10:36 AM Página I C7_COMP_PORT_Prof 3/22/10 10:36 AM Página I C7_COMP_PORT_Prof 3/22/10 10:36 AM Página II C7_COMP_PORT_Prof 3/22/10 10:36 AM Página 1 Linguagens, Códigos e suas Tecnologias PORTUGUÊS MÓDULO 13 Condicionada

Leia mais

AS TRÊS EXPERIÊNCIAS

AS TRÊS EXPERIÊNCIAS Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 8 Ọ ANO EM 2014 Disciplina: PoRTUGUÊs Prova: desafio nota: Texto para as questões de 1 a 7. AS TRÊS EXPERIÊNCIAS Há três coisas para

Leia mais

Conversando com os pais

Conversando com os pais Conversando com os pais Motivos para falar sobre esse assunto, em casa, com os filhos 1. A criança mais informada, e de forma correta, terá mais chances de saber lidar com sua sexualidade e, no futuro,

Leia mais

Quem tem boca vai a Roma

Quem tem boca vai a Roma Quem tem boca vai a Roma AUUL AL A MÓDULO 14 Um indivíduo que parece desorientado e não consegue encontrar o prédio que procura, aproxima-se de outro com um papel na mão: - Por favor, poderia me informar

Leia mais

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

PROJETO DE LEITURA PRÉ-LEITURA

PROJETO DE LEITURA PRÉ-LEITURA PROJETO DE LEITURA PRÉ-LEITURA ATIVIDADES ANTERIORES À LEITURA INTENÇÃO: LEVANTAR HIPÓTESES SOBRE A AUTORA, SOBRE O LIVRO, INSTIGAR A CURIOSIDADE E AMPLIAR O REPERTÓRIO DO ALUNO Para o professor Ou isto

Leia mais

Xixi na Cama. Cara Professora, Caro Professor,

Xixi na Cama. Cara Professora, Caro Professor, Xixi na Cama Cara Professora, Caro Professor, Estamos oferecendo a você e a seus alunos mais um livro da coleção Revoluções: Xixi na Cama, do autor mineiro Drummond Amorim. Junto com a obra, estamos também

Leia mais

Prefeito de São Bernardo do Campo: Hoje tem um show no Cedesc, às 18 horas (incompreensível).

Prefeito de São Bernardo do Campo: Hoje tem um show no Cedesc, às 18 horas (incompreensível). , Luiz Inácio Lula da Silva, durante a inauguração da República Terapêutica e do Consultório de Rua para Dependentes Químicos e outras ações relacionadas ao Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack São

Leia mais

1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar

1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar 1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar nosso amor 4. Porque a gente discute nossos problemas

Leia mais

Nível Médio Prova 1: Compreensão leitora e língua em uso

Nível Médio Prova 1: Compreensão leitora e língua em uso TEXTO 1 Leia o texto abaixo e nas alternativas de múltipla escolha, assinale a opção correta. INTERCÂMBIO BOA VIAGEM 1 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 Cursos de intercâmbio são uma

Leia mais

www.rockstarsocial.com.br

www.rockstarsocial.com.br 1 1 Todos os Direitos Reservados 2013 Todas As Fotos Usadas Aqui São Apenas Para Descrição. A Cópia Ou Distribuição Do Contéudo Deste Livro É Totalmente Proibida Sem Autorização Prévia Do Autor. AUTOR

Leia mais

Deborah Zaniolli DEBORAH ZANIOLLI DOCE VIDA DURA. 1ª Edição

Deborah Zaniolli DEBORAH ZANIOLLI DOCE VIDA DURA. 1ª Edição Deborah Zaniolli DEBORAH ZANIOLLI DOCE VIDA DURA 1ª Edição Piedade/SP Edição da Autora 2012 1 Doce vida dura Título da obra: DOCE VIDA DURA Gênero literário da obra: Não Ficção Copyright 2016 por Deborah

Leia mais

Entendendo o que é Gênero

Entendendo o que é Gênero Entendendo o que é Gênero Sandra Unbehaum 1 Vila de Nossa Senhora da Piedade, 03 de outubro de 2002 2. Cara Professora, Hoje acordei decidida a escrever-lhe esta carta, para pedir-lhe ajuda e trocar umas

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA Orientações para a Redação

INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA Orientações para a Redação I - Proposta de Redação INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA Orientações para a Redação A proposta de redação do vestibular do ITA pode ser composta de textos verbais, não verbais (foto ou ilustração,

Leia mais

REDAÇÃO DISSERTAÇÃO AULA 5. Professora Sandra Franco

REDAÇÃO DISSERTAÇÃO AULA 5. Professora Sandra Franco REDAÇÃO AULA 5 Professora Sandra Franco DISSERTAÇÃO 1. Definição de Dissertação. 2. Roteiro para dissertação. 3. Partes da dissertação. 4. Prática. 5. Recomendações Gerais. 6. Leitura Complementar. 1.

Leia mais

Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos

Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos Prova de certificação de nível de proficiência linguística no âmbito do Quadro de Referência para o Ensino Português no Estrangeiro,

Leia mais

PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS

PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS BANCO DE QUESTÕES - PORTUGUÊS - 8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================== BRINCADEIRA Começou

Leia mais

Texto 1 PRA DAR NO PÉ (Pedro Antônio de Oliveira)

Texto 1 PRA DAR NO PÉ (Pedro Antônio de Oliveira) PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS BANCO DE QUESTÕES - LÍNGUA PORTUGUESA - 3 ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ========================================================================== Texto 1 PRA DAR NO PÉ (Pedro

Leia mais

Igreja Amiga da criança. Para pastores

Igreja Amiga da criança. Para pastores Igreja Amiga da criança Para pastores Teste "Igreja Amiga da Criança" O povo também estava trazendo criancinhas para que Jesus tocasse nelas. Ao verem isso, os discípulos repreendiam aqueles que as tinham

Leia mais

Furor suave. O Ar. À beira mar Está um homem a pescar Peixe está a apanhar E sem nunca parar. (Pedro Ernesto, 10 anos)

Furor suave. O Ar. À beira mar Está um homem a pescar Peixe está a apanhar E sem nunca parar. (Pedro Ernesto, 10 anos) 6 Furor suave Vou fazer um poema com ar; mas não é com este ar. Qual ar? Este, aqui, este ar. Este qual? O que se respira? Sim, esse, não é com o que se respira, é com o ar de ar. Qual ar? Queres dizer

Leia mais

Gratuidade com os outros

Gratuidade com os outros 2ª feira, dia 21 de setembro de 2015 Gratuidade com os outros Bom dia! Com certeza, todos nós já experimentamos como é bom brincar com amigos, como nos faz felizes trocar jogos e brinquedos, como sabe

Leia mais

RECADO AOS PROFESSORES

RECADO AOS PROFESSORES RECADO AOS PROFESSORES Caro professor, As aulas deste caderno não têm ano definido. Cabe a você decidir qual ano pode assimilar cada aula. Elas são fáceis, simples e às vezes os assuntos podem ser banais

Leia mais

Momento com Deus Crianças de 10 a 11 anos NOME: DATA: 14/04/2013 AULA 02: O DILÚVIO

Momento com Deus Crianças de 10 a 11 anos NOME: DATA: 14/04/2013 AULA 02: O DILÚVIO Momento com Deus Crianças de 10 a 11 anos NOME: DATA: 14/04/2013 AULA 02: O DILÚVIO Versículo para Decorar: 1 Toda vez que o arco-íris estiver nas nuvens, olharei para ele e me lembrarei da aliança eterna

Leia mais

eunice arruda - poesias alguns (poemas selecionados de eunice arruda)

eunice arruda - poesias alguns (poemas selecionados de eunice arruda) eunice arruda - poesias alguns (poemas selecionados de eunice arruda) propósito Viver pouco mas viver muito Ser todo o pensamento Toda a esperança Toda a alegria ou angústia mas ser Nunca morrer enquanto

Leia mais

ROTEIRO DE ESTUDO I ETAPA LETIVA GEOGRAFIA 2.º ANO/EF - 2015

ROTEIRO DE ESTUDO I ETAPA LETIVA GEOGRAFIA 2.º ANO/EF - 2015 SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA MANTENEDORA DA PUC Minas E DO COLÉGIO SANTA MARIA ROTEIRO DE ESTUDO I ETAPA LETIVA GEOGRAFIA 2.º ANO/EF - 2015 Caro(a) aluno(a), É tempo de conferir os conteúdos estudados

Leia mais

Data de entrega 16/03/2015 segunda-feira Frase, oração e período

Data de entrega 16/03/2015 segunda-feira Frase, oração e período Nome: Ano: 7 ano Disciplina: P.T. Textos Nº: Data: Professor: Valdeci Lopes Data de entrega 16/03/2015 segunda-feira Frase, oração e período 1. Leia a tirinha abaixo: Reescreva a frase nominal do quadrinho,

Leia mais

ensino médio e pré-vestibular questão com resolução em vídeo/lplb

ensino médio e pré-vestibular questão com resolução em vídeo/lplb Onde queres comício, flipper-vídeo E onde queres romance, rock n roll Onde queres a lua, eu sou o sol E onde a pura natura, o inseticídio Onde queres mistério, eu sou a luz E onde queres um canto, o mundo

Leia mais

ÇÃO Chico Buarque DORME A CIDADE RESTA UM CORAÇÃO MISTERIOSO FAZ UMA ILUSÃO SOLETRA UM VERSO LARGA MELODIA SINGELAMENTE DOLOROSAMENTE

ÇÃO Chico Buarque DORME A CIDADE RESTA UM CORAÇÃO MISTERIOSO FAZ UMA ILUSÃO SOLETRA UM VERSO LARGA MELODIA SINGELAMENTE DOLOROSAMENTE DOCE A MÚSICA SILENCIOSA LARGA MEU PEITO SOLTA-SE NO ESPAÇO FAZ-SE CERTEZA MINHA CANÇÃO RESTIA DE LUZ ONDE DORME O MEU IRMÃO... DORME A CIDADE RESTA UM CORAÇÃO MISTERIOSO FAZ UMA ILUSÃO SOLETRA UM VERSO

Leia mais

2- Nas frases a seguir estão destacadas quatro formas verbais de um mesmo verbo. Compare-as.

2- Nas frases a seguir estão destacadas quatro formas verbais de um mesmo verbo. Compare-as. FICHA DA SEMANA 5º ANO A / B Instruções: 1- Cada atividade terá uma data de realização e deverá ser entregue a professora no dia seguinte; 2- As atividades deverão ser copiadas e respondidas no caderno,

Leia mais

COLÉGIO SHALOM Ensino Fundamental 9º Ano Profº: Clécio Oliveira Língua 65 Portuguesa Aluno (a):. No.

COLÉGIO SHALOM Ensino Fundamental 9º Ano Profº: Clécio Oliveira Língua 65 Portuguesa Aluno (a):. No. COLÉGIO SHALOM Ensino Fundamental 9º Ano Profº: Clécio Oliveira Língua 65 Portuguesa Aluno (a):. No. Trabalho Avaliativo Valor: 30 % Nota: Minhas Férias Eu, minha mãe, meu pai, minha irmã (Su) e meu cachorro

Leia mais

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos!

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! Documento final aprovado por adolescentes dos Estados do Amazonas, da Bahia, do Ceará, do Mato Grosso,

Leia mais

Seis mulheres e o único desejo: um futuro diferente Entrevistadas denunciam desigualdade velada

Seis mulheres e o único desejo: um futuro diferente Entrevistadas denunciam desigualdade velada Terça-feira, 11 de março de 2014 Seis mulheres e o único desejo: um futuro diferente Entrevistadas denunciam desigualdade velada Nádia Junqueira Goiânia - Dalila tem 15 anos, estuda o 2º ano no Colégio

Leia mais

A um poeta Olavo Bilac

A um poeta Olavo Bilac A um poeta Olavo Bilac Longe do estéril turbilhão da rua, Beneditino, escreve! No aconchego Do claustro, na paciência e no sossego, Trabalha, e teima, e lima, e sofre, e sua! Mas que na forma se disfarce

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO 2015/2016 PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA (PROVA 3) 1º Ano / Ensino Médio

CONCURSO DE ADMISSÃO 2015/2016 PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA (PROVA 3) 1º Ano / Ensino Médio Leia atentamente o texto 1 e responda às questões de 01 a 06, assinalando a única alternativa correta. Texto 1 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30

Leia mais

Para gostar de pensar

Para gostar de pensar Rosângela Trajano Para gostar de pensar Volume III - 3º ano Para gostar de pensar (Filosofia para crianças) Volume III 3º ano Para gostar de pensar Filosofia para crianças Volume III 3º ano Projeto editorial

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

Para pensar o. livro de imagens. Para pensar o Livro de imagens

Para pensar o. livro de imagens. Para pensar o Livro de imagens Para pensar o livro de imagens ROTEIROS PARA LEITURA LITERÁRIA Ligia Cademartori Para pensar o Livro de imagens 1 1 Texto visual Há livros compostos predominantemente por imagens que, postas em relação,

Leia mais

ARTES VISUAIS E LITERATURA

ARTES VISUAIS E LITERATURA Vestibular 2009 1ª Fase ARTES VISUAIS E LITERATURA Instruções Gerais: No dia de hoje (09/11), você deverá responder às questões de Geografia, História, Artes Visuais e Literatura e de Raciocínio Lógico-Matemático.

Leia mais

Atribuam ao Senhor glória e força (...) A voz do Senhor é poderosa; a voz do Senhor é majestosa. Salmos 29.1 e 4

Atribuam ao Senhor glória e força (...) A voz do Senhor é poderosa; a voz do Senhor é majestosa. Salmos 29.1 e 4 Precisa-se de Pais Espirituais Objetivo do Senhor: - Glorificar o nome de Deus, revelar Seu poder e beleza e atribuir a Ele toda glória. - Provocar o desejo de marcar significativamente a sua descendência/

Leia mais

coleção Conversas #10 - junho 2014 - Respostas que podem estar sendo feitas para algumas perguntas Garoto de Programa por um.

coleção Conversas #10 - junho 2014 - Respostas que podem estar sendo feitas para algumas perguntas Garoto de Programa por um. coleção Conversas #10 - junho 2014 - Eu sou Estou garoto num de programa. caminho errado? Respostas para algumas perguntas que podem estar sendo feitas Garoto de Programa por um. A Coleção CONVERSAS da

Leia mais

Belo reparo. capítulo um. No Japão, eles têm o kintsugi a arte de remendar porcelanas. Hoje Nova York Apartamento de Cassandra Taylor

Belo reparo. capítulo um. No Japão, eles têm o kintsugi a arte de remendar porcelanas. Hoje Nova York Apartamento de Cassandra Taylor capítulo um Belo reparo Hoje Nova York Apartamento de Cassandra Taylor No Japão, eles têm o kintsugi a arte de remendar porcelanas preciosas com ouro. O resultado é uma peça que nitidamente foi quebrada,

Leia mais

CLUBE EDUCACIONAL GESTAR NA ESCOLA TRAJETÓRIA II Atividades da III Unidade 7º ano / 6ª série ATIVIDADE 2 - LÍNGUA PORTUGUESA

CLUBE EDUCACIONAL GESTAR NA ESCOLA TRAJETÓRIA II Atividades da III Unidade 7º ano / 6ª série ATIVIDADE 2 - LÍNGUA PORTUGUESA CLUBE EDUCACIONAL GESTAR NA ESCOLA TRAJETÓRIA II Atividades da III Unidade 7º ano / 6ª série ATIVIDADE 2 - LÍNGUA PORTUGUESA IMPRIMA ANTES O FORMULÁRIO DE RESPOSTAS! Ao concluir as atividades e tendo certeza

Leia mais

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro;

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro; EIXO TEMÁTICO: 1 TEXTO LITERÁRIO E NÃO LITERÁRIO 1) Analisar o texto em todas as suas dimensões: semântica, sintática, lexical e sonora. 1. Diferenciar o texto literário do não-literário. 2. Diferenciar

Leia mais

Poética & Filosofia Cultural - Chico Xavier & Dalai Lama

Poética & Filosofia Cultural - Chico Xavier & Dalai Lama Page 1 of 6 Tudo Bem! Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia Disciplina: Filosofia Cultural Educador: João Nascimento Borges Filho Poética

Leia mais

Dicas para você trabalhar o livro Menino brinca de boneca? com seus alunos

Dicas para você trabalhar o livro Menino brinca de boneca? com seus alunos Dicas para você trabalhar o livro Menino brinca de boneca? com seus alunos Caro professor, Este link do site foi elaborado especialmente para você, com o objetivo de lhe dar dicas importantes para o seu

Leia mais

Caminho, verdade e vida: Definições de Jesus; Marcas em seus discípulos (Jo.14:1-11)

Caminho, verdade e vida: Definições de Jesus; Marcas em seus discípulos (Jo.14:1-11) Caminho, verdade e vida: Definições de Jesus; Marcas em seus discípulos (Jo.14:1-11) Mensagem 1 A metáfora do Caminho Introdução: A impressão que tenho é que Jesus escreveu isto para os nossos dias. Embora

Leia mais

Convite. Poesia é brincar com palavras como se brinca com bola, papagaio, pião. Só que bola, papagaio, pião de tanto brincar se gastam.

Convite. Poesia é brincar com palavras como se brinca com bola, papagaio, pião. Só que bola, papagaio, pião de tanto brincar se gastam. Convite Poesia é brincar com palavras como se brinca com bola, papagaio, pião. Só que bola, papagaio, pião de tanto brincar se gastam. As palavras não: quanto mais se brinca com elas mais novas ficam.

Leia mais

Versículo Biblíco Eu te louvo porque me fizeste de modo especial e admirável. Salmos 139:14 (NVI)

Versículo Biblíco Eu te louvo porque me fizeste de modo especial e admirável. Salmos 139:14 (NVI) Versículo Biblíco Eu te louvo porque me fizeste de modo especial e admirável. Salmos 139:14 (NVI) Objetivos O QUE? (GG): As crianças ouvirão a história de Marcinelo, um boneco de madeira que não se sentia

Leia mais

Concurso Literário. O amor

Concurso Literário. O amor Concurso Literário O Amor foi o tema do Concurso Literário da Escola Nova do segundo semestre. Durante o período do Concurso, o tema foi discutido em sala e trabalhado principalmente nas aulas de Língua

Leia mais

CARTAS: REGISTRANDO A VIDA

CARTAS: REGISTRANDO A VIDA CARTAS: REGISTRANDO A VIDA A carta abaixo foi escrita na época da ditadura militar. Ela traduz a alegria de um pai por acreditar estar próxima sua liberdade e, assim, a possibilidade do reencontro com

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA OS GRUPOS QUE ESTÃO PRODUZINDO UMA: REPORTAGEM Tipos de Textos Características

Leia mais

PROGRAMA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA ANOS FINAIS / SRE - CURVELO

PROGRAMA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA ANOS FINAIS / SRE - CURVELO 61 Poema O que é: Segundo o poeta Carlos Drummond de Andrade, entre coisas e palavras principalmente entre palavras circulamos. As palavras, entretanto, não circulam entre nós como folhas soltas no ar.

Leia mais

noite e dia marconne sousa

noite e dia marconne sousa noite e dia marconne sousa Mais uma noite na terra a terra é um lugar tão solitário cheio de pessoas, nada mais onde se esconderam os sentimentos? um dedo que aponta um dedo que desaponta um dedo que entra

Leia mais

Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA O 8 Ọ ANO EM 2014. Disciplina: PoRTUGUÊs

Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA O 8 Ọ ANO EM 2014. Disciplina: PoRTUGUÊs Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 8 Ọ ANO EM 2014 Disciplina: PoRTUGUÊs Prova: desafio nota: Texto para as questões 1 e 2. O MELHOR DE CALVIN /Bill Watterson MÃE, O

Leia mais

Violência contra a Pessoa Idosa. Sandra Regina Gomes Fonoaudióloga e Gerontóloga sandra@longevida.com.br

Violência contra a Pessoa Idosa. Sandra Regina Gomes Fonoaudióloga e Gerontóloga sandra@longevida.com.br Violência contra a Pessoa Idosa Sandra Regina Gomes Fonoaudióloga e Gerontóloga sandra@longevida.com.br Violência contra as pessoas idosas: FOTOGRAFIA: THINKSTOCK problema sério e invisível Síntese de

Leia mais

MEDITAÇÃO SALA LARANJA SEMANA 16 QUEDA E MALDIÇÃO Nome: Professor: Rebanho

MEDITAÇÃO SALA LARANJA SEMANA 16 QUEDA E MALDIÇÃO Nome: Professor: Rebanho MEDITAÇÃO SALA LARANJA SEMANA 16 QUEDA E MALDIÇÃO Nome: Professor: Rebanho VERSÍCULOS PARA DECORAR ESTA SEMANA Usamos VERSÍCULOS a Bíblia na PARA Nova DECORAR Versão Internacional ESTA SEMANA NVI Usamos

Leia mais

MARIANA: Fátima? Você tem certeza que seu pai vai gostar? Ele é meio careta, apesar de que é uma linda homenagem.

MARIANA: Fátima? Você tem certeza que seu pai vai gostar? Ele é meio careta, apesar de que é uma linda homenagem. Pais e filhos 1º cena: música ambiente (início da música pais e filhos legião urbana - duas pessoas entram com um mural e começam a confeccionar com frases para o aniversário do pai de uma delas (Fátima),

Leia mais

O Livro de informática do Menino Maluquinho

O Livro de informática do Menino Maluquinho Coleção ABCD - Lição 1 Lição 1 O Livro de informática do Menino Maluquinho 1 2 3 4 5 6 7 8 Algumas dicas para escrever e-mails: 1. Aprender português. Não adianta fi car orgulhoso por mandar um e-mail

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO 2015/2016 PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA (Prova 1) 6º Ano / Ensino Fundamental

CONCURSO DE ADMISSÃO 2015/2016 PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA (Prova 1) 6º Ano / Ensino Fundamental Leia atentamente o texto 1 e responda às questões de 01 a 12 e 18, assinalando a única alternativa correta. Texto 1 O pote vazio 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24

Leia mais

Quem mora na Zona Norte na Zona Sul é quem tem mais din-dim. Na Zona Su na Zona Norte é quem tem menos recursos.

Quem mora na Zona Norte na Zona Sul é quem tem mais din-dim. Na Zona Su na Zona Norte é quem tem menos recursos. Rio, de norte a sul Aproximando o foco: atividades RESPOSTAS Moradores da Zona Norte e da Zona Sul O din-dim 1. Ouça Kedma e complete as lacunas: Quem mora na Zona Norte na Zona Sul é quem tem mais din-dim.

Leia mais

MENOS ASSISTENCIALISMO, MAIS PEDAGOGIA. Moysés Kuhlmann: carências da educação infantil vão desde instalações à formação dos professores.

MENOS ASSISTENCIALISMO, MAIS PEDAGOGIA. Moysés Kuhlmann: carências da educação infantil vão desde instalações à formação dos professores. MENOS ASSISTENCIALISMO, MAIS PEDAGOGIA Moysés Kuhlmann: carências da educação infantil vão desde instalações à formação dos professores. 2 Ao lado das concepções do trabalho pedagógico para a infância,

Leia mais

ARTES PLÁSTICAS - LICENCIATURA (NOTURNO)

ARTES PLÁSTICAS - LICENCIATURA (NOTURNO) assinatura do(a) candidato(a) ADMISSÃO PARA PORTADOR DE DIPLOMA DE CURSO SUPERIOR 2.ª DCS/2011 ARTES PLÁSTICAS - LICENCIATURA (NOTURNO) LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO. Prova Dissertativa 1 Ao receber

Leia mais

A vez e a voz das crianças

A vez e a voz das crianças 119 outubro de 2010-ESPECIAL CRIANÇA PARA LER NO AR A vez e a voz das crianças Às vésperas de 12 de outubro, Dia das Crianças, eu convido você, ouvinte, a refletir sobre os direitos das meninas e meninos

Leia mais

POR QUE BATISMO? PR. ALEJANDRO BULLÓN

POR QUE BATISMO? PR. ALEJANDRO BULLÓN POR QUE BATISMO? PR. ALEJANDRO BULLÓN "Pr. Williams Costa Jr.- Pastor Bullón, por que uma pessoa precisa se batizar? Pr. Alejandro Bullón - O Evangelho de São Marcos 16:16 diz assim: "Quem crer e for batizado,

Leia mais

Guia do Professor / Vozes da Cidade / Conhecendo.../ Eduardo Guimarães. Conhecendo a Cidade

Guia do Professor / Vozes da Cidade / Conhecendo.../ Eduardo Guimarães. Conhecendo a Cidade 1 Guia do Professor Episódio Conhecendo a Cidade Programa Vozes da Cidade Apresentação Como já vimos nos trabalhos desenvolvidos para o episódio 1, os trabalhos para o episódio 2 também trazem várias questões

Leia mais

70% 500.000. De acordo com a nova lei, são crianças e adolescentes. 1. de estupro

70% 500.000. De acordo com a nova lei, são crianças e adolescentes. 1. de estupro O QUE É VIOLÊNCIA SEXUAL Todos os anos, estima-se que 500.000 70% Mulheres das vítimas sejam vítimas de estupro no Brasil, e que outros tantos milhões sofram com abusos e violências sexuais. de estupro

Leia mais

Ano: 9 Turma: 9.1 e 9.2

Ano: 9 Turma: 9.1 e 9.2 COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Final 2ª Etapa 2014 Disciplina: Língua Portuguesa Professor (a): Cris Souto Ano: 9 Turma: 9.1 e 9.2 Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de

Leia mais

Superando Seus Limites

Superando Seus Limites Superando Seus Limites Como Explorar seu Potencial para ter mais Resultados Minicurso Parte VI A fonte do sucesso ou fracasso: Valores e Crenças (continuação) Página 2 de 16 PARTE 5.2 Crenças e regras!

Leia mais

Onde você vai encontrar as suas futuras iniciadas?????

Onde você vai encontrar as suas futuras iniciadas????? Há 16 anos quando entrou na MK, a consagrada Diretora Nacional, Gloria Mayfield, não sabia como chegar ao topo, hoje ela dá o seguinte conselho. As lições que eu aprendi na Mary Kay para me tornar uma

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL Relatório Analítico PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL PESQUISA SOBRE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA A MULHER DATASENADO SECS PESQUISA SOBRE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA A MULHER Há dois anos, o DataSenado

Leia mais

Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA O 5 Ọ ANO EM 2014. Disciplina: PoRTUGUÊs UMA IDEIA TODA AZUL

Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA O 5 Ọ ANO EM 2014. Disciplina: PoRTUGUÊs UMA IDEIA TODA AZUL Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 5 Ọ ANO EM 2014 Disciplina: PoRTUGUÊs Prova: desafio nota: UMA IDEIA TODA AZUL Um dia o Rei teve uma ideia. Era a primeira da vida

Leia mais

Só que tem uma diferença...

Só que tem uma diferença... Só que tem uma diferença... Isso não vai ficar assim! Sei. Vai piorar. Vai piorar para o lado dela, isso é que vai! Por enquanto, só piorou para o seu, maninho. Pare de me chamar de maninho, Tadeu. Você

Leia mais

5º ANO 8 8/nov/11 PORTUGUÊS 4º

5º ANO 8 8/nov/11 PORTUGUÊS 4º 5º ANO 8 8/nov/11 PORTUGUÊS 4º 1. Um músico muito importante do nosso país é Milton Nascimento, cantor e compositor brasileiro, reconhecido, mundialmente, como um dos mais influentes e talentosos cantores

Leia mais

COMO AVALIAR O TEXTO LITERÁRIO CRITÉRIOS DE ANÁLISE

COMO AVALIAR O TEXTO LITERÁRIO CRITÉRIOS DE ANÁLISE COMO AVALIAR O TEXTO LITERÁRIO CRITÉRIOS DE ANÁLISE Literatura Infantil aspectos a serem desenvolvidos A natureza da Literatura Infanto-Juvenil está na Literatura e esta é uma manifestação artística. Assim,

Leia mais

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa.

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Encontro com a Palavra Agosto/2011 Mês de setembro, mês da Bíblia 1 encontro Nosso Deus se revela Leitura Bíblica: Gn. 12, 1-4 A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Boas

Leia mais

A CRUCIFICAÇÃO DE JESUS Lição 46

A CRUCIFICAÇÃO DE JESUS Lição 46 A CRUCIFICAÇÃO DE JESUS Lição 46 1 1. Objetivos: Mostrar que o Senhor Jesus morreu na cruz e foi sepultado. Ensinar que o Senhor Jesus era perfeito; não havia nada que o condenasse. Ensinar que depois

Leia mais

CONVERSA DE PSICÓLOGO CONVERSA DE PSICÓLOGO

CONVERSA DE PSICÓLOGO CONVERSA DE PSICÓLOGO Página 1 CONVERSA DE PSICÓLOGO Volume 03 - Edição 01 Agosto - 2013 Entrevistada: Renata Trovarelli Entrevistadora: Cintia C. B. M. da Rocha TEMA: RELACIOMENTO AMOROSO Psicóloga Comportamental, atualmente

Leia mais

Bloco Mauricio Diogo. Agora não há como voltar atrás.

Bloco Mauricio Diogo. Agora não há como voltar atrás. Bloco Mauricio Diogo Vejo um bloco de mármore branco. A rocha dura. A rocha é dura. O mármore tem textura. É duro. Resistente. Sincero. Tem caráter. Há mármore rosa, bege, azul, branco. O escultor doma

Leia mais

HABILIDADES DE LEITURA

HABILIDADES DE LEITURA HABILIDADES DE LEITURA QUESTÃO 1 Os PCNs Parâmetros Curriculares Nacionais: Língua Portuguesa prescrevem como se deve organizar o ensino de Língua Portuguesa. Assinale a alternativa cuja afirmação está

Leia mais

COMBINADOS PARA O SEMESTRE:

COMBINADOS PARA O SEMESTRE: COMBINADOS PARA O SEMESTRE: Temas de redação serão dados durantes as aulas. É importante pesquisá-los e estudá-los, pois alguns deles serão utilizados para as produções em sala ou em simulados; Toda a

Leia mais

Manifeste Seus Sonhos

Manifeste Seus Sonhos Manifeste Seus Sonhos Índice Introdução... 2 Isso Funciona?... 3 A Força do Pensamento Positivo... 4 A Lei da Atração... 7 Elimine a Negatividade... 11 Afirmações... 13 Manifeste Seus Sonhos Pág. 1 Introdução

Leia mais

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES:

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES: Atividades gerais: Verbos irregulares no - ver na página 33 as conjugações dos verbos e completar os quadros com os verbos - fazer o exercício 1 Entrega via e-mail: quarta-feira 8 de julho Verbos irregulares

Leia mais

2010 PRÊMIO CORUJA DO SERTÃO 2ª FASE - REDAÇÃO

2010 PRÊMIO CORUJA DO SERTÃO 2ª FASE - REDAÇÃO 2010 PRÊMIO CORUJA DO SERTÃO 2ª FASE - REDAÇÃO NOME: Jaguarari, outubro de 2010. CADERNO DO 6º E 7º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 2010 Numa carta de Papai Noel destinada às crianças, ele comunica que não será

Leia mais

coleção Conversas #26 Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #26 Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça. Saí da prisão volto coleção Conversas #26 - setembro 2015 - e estou ou não desempregado, para o crime? Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS, da

Leia mais

Tia Pri Didáticos Educação Cristã PROIBIDA REPRODUÇÃO,CÓPIA OU DISTRIBUIÇÃO POR QUALQUER MEIO tiapri@tiapri.com (47) 3365-4077 www.tiapri.

Tia Pri Didáticos Educação Cristã PROIBIDA REPRODUÇÃO,CÓPIA OU DISTRIBUIÇÃO POR QUALQUER MEIO tiapri@tiapri.com (47) 3365-4077 www.tiapri. Tia Pri Didáticos Educação Cristã PROIBIDA REPRODUÇÃO,CÓPIA OU DISTRIBUIÇÃO POR QUALQUER MEIO tiapri@tiapri.com (47) 3365-4077 www.tiapri.com Página 1 1. HISTÓRIA SUNAMITA 2. TEXTO BÍBLICO II Reis 4 3.

Leia mais

Shué também cantou na Festa de Natal da Escola O Gotinhas...fim 42 43

Shué também cantou na Festa de Natal da Escola O Gotinhas...fim 42 43 O Gotinhas 43 Era uma vez um País feito de nuvens. Ficava no cimo de uma enorme montanha impossível de expugnar. Lá viviam muitos meninos. Cada um tinha a sua própria nuvem. Uma enorme cegonha do espaço

Leia mais

HISTÓRIA DE SÃO PAULO. Alunos: Tatiana Santos Ferreira, Joyce Cruvello Barroso, Jennifer Cristine Silva Torres dos Santos, Sabrina Cruz. 8ª série.

HISTÓRIA DE SÃO PAULO. Alunos: Tatiana Santos Ferreira, Joyce Cruvello Barroso, Jennifer Cristine Silva Torres dos Santos, Sabrina Cruz. 8ª série. EE Bento Pereira da Rocha HISTÓRIA DE SÃO PAULO Alunos: Tatiana Santos Ferreira, Joyce Cruvello Barroso, Jennifer Cristine Silva Torres dos Santos, Sabrina Cruz. 8ª série. História 1 CENA1 Mônica chega

Leia mais

Coisas de pais. partes I e II Língua Portuguesa e Matemática. texto 1. Você pode utilizar o verso de todas as folhas e a última página como rascunho.

Coisas de pais. partes I e II Língua Portuguesa e Matemática. texto 1. Você pode utilizar o verso de todas as folhas e a última página como rascunho. Você pode utilizar o verso de todas as folhas e a última página como rascunho. partes I e II Língua Portuguesa e Matemática texto 1 Coisas de pais Eu estudava em um colégio bom, ele tinha uma ótima localização.

Leia mais

5Passos fundamentais. Conseguir realizar todos os seus SONHOS. para. Autora: Ana Rosa. www.novavitacoaching.com

5Passos fundamentais. Conseguir realizar todos os seus SONHOS. para. Autora: Ana Rosa. www.novavitacoaching.com 5Passos fundamentais para Conseguir realizar todos os seus SONHOS Autora: Ana Rosa www.novavitacoaching.com O futuro pertence àqueles que acreditam na beleza dos seus sonhos! Eleanor Roosevelt CONSIDERA

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA PROVA 1º BIMESTRE 3º ANO

LÍNGUA PORTUGUESA PROVA 1º BIMESTRE 3º ANO PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO LÍNGUA PORTUGUESA PROVA 1º BIMESTRE 3º ANO 2010 QUESTÃO 1 Esta notícia apareceu

Leia mais

O Dep. Pastor Frankembergen pronuncia o seguinte discurso: O poder da mídia. Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados.

O Dep. Pastor Frankembergen pronuncia o seguinte discurso: O poder da mídia. Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados. 1 O Dep. Pastor Frankembergen pronuncia o seguinte discurso: O poder da mídia Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados. Hoje estou aqui para, mais uma vez, alertar sobre o mal que a televisão pode

Leia mais

SUMÁRIO EU E MEUS COLEGAS... 8 A CASA: ESPAÇO DE CONVIVÊNCIA COM MEUS FAMILIARES... 18 A ESCOLA: ESPAÇO DE CONVIVÊNCIA COM MEUS COLEGAS...

SUMÁRIO EU E MEUS COLEGAS... 8 A CASA: ESPAÇO DE CONVIVÊNCIA COM MEUS FAMILIARES... 18 A ESCOLA: ESPAÇO DE CONVIVÊNCIA COM MEUS COLEGAS... SUMÁRIO 1 EU E MEUS COLEGAS... 8 FAZENDO AMIGOS... 8 BRINCAR É CONVIVER COM OS AMIGOS... 10 VAMOS CIRANDAR?... 12 O MAPA DA MINHA MÃO... 16 PARA LER... 17 2 A CASA: ESPAÇO DE CONVIVÊNCIA COM MEUS FAMILIARES...

Leia mais

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência 43 5 ADOLESCÊNCIA O termo adolescência, tão utilizado pelas classes médias e altas, não costumam fazer parte do vocabulário das mulheres entrevistadas. Seu emprego ocorre mais entre aquelas que por trabalhar

Leia mais

Existe uma terapia específica para problemas sexuais?

Existe uma terapia específica para problemas sexuais? Existe uma terapia específica para problemas sexuais? Maria de Melo Azevedo Eu acho que a terapia sexual para casos bem específicos até que pode funcionar. Ou, pelo menos, quebra o galho, como se diz.

Leia mais

- Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe?

- Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe? Trecho do romance Caleidoscópio Capítulo cinco. 05 de novembro de 2012. - Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe? Caçulinha olha para mim e precisa fazer muita força para isso,

Leia mais

Apoio. Patrocínio Institucional

Apoio. Patrocínio Institucional Patrocínio Institucional Parceria Apoio InfoReggae - Edição 83 Papo Reto com José Junior 12 de junho de 2015 O Grupo AfroReggae é uma organização que luta pela transformação social e, através da cultura

Leia mais