Manejo Florestal Sustentável: Dificuldade Computacional e Otimização de Processos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Manejo Florestal Sustentável: Dificuldade Computacional e Otimização de Processos"

Transcrição

1 Manejo Florestal Sustentável: Dificuldade Computacional e Otimização de Processos Daniella Rodrigues Bezerra 1, Rosiane de Freitas Rodrigues 12, Ulisses Silva da Cunha 3, Raimundo da Silva Barreto 12 Universidade Federal do Amazonas 1 Programa de Pós-Graduação em Informática (PPGI) 2 Departamento de Ciência da Computação (DCC) 3 Departamento de Ciências Florestais (DCF) 08 de outubro de 2010 Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

2 Roteiro 1 Contexto da Pesquisa 2 Visão do Manejo Florestal Sustentável 3 Aspectos de Complexidade Computacional 4 Considerações Finais Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

3 Roteiro 1 Contexto da Pesquisa 2 Visão do Manejo Florestal Sustentável 3 Aspectos de Complexidade Computacional 4 Considerações Finais Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

4 Roteiro 1 Contexto da Pesquisa 2 Visão do Manejo Florestal Sustentável 3 Aspectos de Complexidade Computacional 4 Considerações Finais Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

5 Roteiro 1 Contexto da Pesquisa 2 Visão do Manejo Florestal Sustentável 3 Aspectos de Complexidade Computacional 4 Considerações Finais Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

6 Roteiro Contexto da Pesquisa 1 Contexto da Pesquisa 2 Visão do Manejo Florestal Sustentável 3 Aspectos de Complexidade Computacional 4 Considerações Finais Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

7 Contexto da Pesquisa Domínio Engenharia Dirigida por Modelos Objetivos Os resultados desta publicação estão associados a um projeto de doutorado; Mapear cenários relacionados ao domínio de manejo florestal em uma linguagem de domínio específico e gerar análises a partir de perturbações no ambiente; Enfoque para a Ciência pura e aplicada; Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

8 Contexto da Pesquisa Domínio Engenharia Dirigida por Modelos Objetivos Os resultados desta publicação estão associados a um projeto de doutorado; Mapear cenários relacionados ao domínio de manejo florestal em uma linguagem de domínio específico e gerar análises a partir de perturbações no ambiente; Enfoque para a Ciência pura e aplicada; Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

9 Contexto da Pesquisa Domínio Engenharia Dirigida por Modelos Objetivos Os resultados desta publicação estão associados a um projeto de doutorado; Mapear cenários relacionados ao domínio de manejo florestal em uma linguagem de domínio específico e gerar análises a partir de perturbações no ambiente; Enfoque para a Ciência pura e aplicada; Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

10 Contexto da Pesquisa Domínio Engenharia Dirigida por Modelos Objetivos Os resultados desta publicação estão associados a um projeto de doutorado; Mapear cenários relacionados ao domínio de manejo florestal em uma linguagem de domínio específico e gerar análises a partir de perturbações no ambiente; Enfoque para a Ciência pura e aplicada; Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

11 Roteiro Visão do Manejo Florestal Sustentável 1 Contexto da Pesquisa 2 Visão do Manejo Florestal Sustentável 3 Aspectos de Complexidade Computacional 4 Considerações Finais Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

12 Visão do Manejo Florestal Sustentável Perfil dos Problemas Abordados Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

13 Visão do Manejo Florestal Sustentável Perfil dos Problemas Abordados O que é Manejo Florestal Sustentável? Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

14 Visão do Manejo Florestal Sustentável Perfil dos Problemas Abordados O que é Manejo Florestal Sustentável? É a administração da floresta para obtenção de benefícios econômicos e sociais, respeitando-se os mecanismos de sustentação do ecossistema. Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

15 Visão do Manejo Florestal Sustentável Perfil dos Problemas Abordados O que é Manejo Florestal Sustentável? É a administração da floresta para obtenção de benefícios econômicos e sociais, respeitando-se os mecanismos de sustentação do ecossistema. Tal atividade, desenvolvida em florestas nativas, implica na realização de uma exploração planejada, seja de recursos madeireiros ou não-madeireiros, previamente selecionados. Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

16 Visão do Manejo Florestal Sustentável Perfil dos Problemas Abordados O que é Manejo Florestal Sustentável? É a administração da floresta para obtenção de benefícios econômicos e sociais, respeitando-se os mecanismos de sustentação do ecossistema. Tal atividade, desenvolvida em florestas nativas, implica na realização de uma exploração planejada, seja de recursos madeireiros ou não-madeireiros, previamente selecionados. Motivação Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

17 Visão do Manejo Florestal Sustentável Perfil dos Problemas Abordados O que é Manejo Florestal Sustentável? É a administração da floresta para obtenção de benefícios econômicos e sociais, respeitando-se os mecanismos de sustentação do ecossistema. Tal atividade, desenvolvida em florestas nativas, implica na realização de uma exploração planejada, seja de recursos madeireiros ou não-madeireiros, previamente selecionados. Motivação A atividade madeireira e a cadeia produtiva a ela associada contemplam problemas interessantes de serem investigados do ponto de vista computacional. Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

18 Visão do Manejo Florestal Sustentável Perfil dos Problemas Abordados O que é Manejo Florestal Sustentável? É a administração da floresta para obtenção de benefícios econômicos e sociais, respeitando-se os mecanismos de sustentação do ecossistema. Tal atividade, desenvolvida em florestas nativas, implica na realização de uma exploração planejada, seja de recursos madeireiros ou não-madeireiros, previamente selecionados. Motivação A atividade madeireira e a cadeia produtiva a ela associada contemplam problemas interessantes de serem investigados do ponto de vista computacional. É um domínio mundialmente em evidência já que em vários países, a atividade madeireira é objeto de investimentos e transações comerciais de elevado valor. Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

19 Visão do Manejo Florestal Sustentável Perfil dos Problemas Abordados Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

20 Visão do Manejo Florestal Sustentável Perfil dos Problemas Abordados Dados relevantes no Contexto Brasil-Mundi Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

21 Visão do Manejo Florestal Sustentável Perfil dos Problemas Abordados Dados relevantes no Contexto Brasil-Mundi O Brasil é o segundo país com maior cobertura florestal do mundo, superado apenas pela Rússia. Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

22 Visão do Manejo Florestal Sustentável Perfil dos Problemas Abordados Dados relevantes no Contexto Brasil-Mundi O Brasil é o segundo país com maior cobertura florestal do mundo, superado apenas pela Rússia. Além de posição estratégica nas questões ambientais globais, o Brasil possui um grande potencial produtivo de produtos madeireiros e não-madeireiros. Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

23 Visão do Manejo Florestal Sustentável Perfil dos Problemas Abordados Dados relevantes no Contexto Brasil-Mundi O Brasil é o segundo país com maior cobertura florestal do mundo, superado apenas pela Rússia. Além de posição estratégica nas questões ambientais globais, o Brasil possui um grande potencial produtivo de produtos madeireiros e não-madeireiros. Cerca de 48,5% do território nacional é coberto por florestas Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

24 Visão do Manejo Florestal Sustentável Perfil dos Problemas Abordados Dados relevantes no Contexto Brasil-Mundi O Brasil é o segundo país com maior cobertura florestal do mundo, superado apenas pela Rússia. Além de posição estratégica nas questões ambientais globais, o Brasil possui um grande potencial produtivo de produtos madeireiros e não-madeireiros. Cerca de 48,5% do território nacional é coberto por florestas No sul, sudeste e nordeste brasileiro a cobertura florestal foi explorada à exaustão e pouca prioridade foi dada ao relorestamento Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

25 Visão do Manejo Florestal Sustentável Perfil dos Problemas Abordados Dados relevantes no Contexto Brasil-Mundi O Brasil é o segundo país com maior cobertura florestal do mundo, superado apenas pela Rússia. Além de posição estratégica nas questões ambientais globais, o Brasil possui um grande potencial produtivo de produtos madeireiros e não-madeireiros. Cerca de 48,5% do território nacional é coberto por florestas No sul, sudeste e nordeste brasileiro a cobertura florestal foi explorada à exaustão e pouca prioridade foi dada ao relorestamento Na região norte, onde ainda há uma grande extensão de florestas nativas, o problema que se coloca é a exploração sustentável dessas florestas, envolvendo proteção às espécies ameaçadas, métodos de exploração menos invasivos e aumento de produtividade no processamento industrial Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

26 Visão do Manejo Florestal Sustentável Etapas do Manejo Florestal relevantes para o contexto desta pesquisa Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

27 Visão do Manejo Florestal Sustentável Etapas do Manejo Florestal relevantes para o contexto desta pesquisa Planejamento Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

28 Visão do Manejo Florestal Sustentável Etapas do Manejo Florestal relevantes para o contexto desta pesquisa Planejamento Exploração Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

29 Visão do Manejo Florestal Sustentável Etapas do Manejo Florestal relevantes para o contexto desta pesquisa Planejamento Exploração Beneficiamento Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

30 Visão do Manejo Florestal Sustentável Planejamento - Inventário Florestal Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

31 Visão do Manejo Florestal Sustentável Planejamento - Inventário Florestal O que é Inventário Florestal? Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

32 Visão do Manejo Florestal Sustentável Planejamento - Inventário Florestal O que é Inventário Florestal? Processo que identifica as espécies com valor econômico presentes na área a ser explorada, bem como sua importância relativa para a representação do ecossistema. Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

33 Visão do Manejo Florestal Sustentável Planejamento - Inventário Florestal O que é Inventário Florestal? Processo que identifica as espécies com valor econômico presentes na área a ser explorada, bem como sua importância relativa para a representação do ecossistema. Identifica as condições sociais das comunidades presentes na floresta, permitindo que o plano de exploração não resulte em prejuízos de seu bem-estar. Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

34 Visão do Manejo Florestal Sustentável Planejamento - Inventário Florestal Amostral Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

35 Visão do Manejo Florestal Sustentável Planejamento - Inventário Florestal Amostral Desafio enfrentado pelos Engenheiros Florestais Percorrer determinada área e investigar todas as árvores e mapeá-las seguindo a melhor rota possível. Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

36 Visão do Manejo Florestal Sustentável Planejamento - Inventário Florestal Amostral Desafio enfrentado pelos Engenheiros Florestais Percorrer determinada área e investigar todas as árvores e mapeá-las seguindo a melhor rota possível. Variáveis Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

37 Visão do Manejo Florestal Sustentável Planejamento - Inventário Florestal Amostral Desafio enfrentado pelos Engenheiros Florestais Percorrer determinada área e investigar todas as árvores e mapeá-las seguindo a melhor rota possível. Variáveis Custo Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

38 Visão do Manejo Florestal Sustentável Planejamento - Inventário Florestal Amostral Desafio enfrentado pelos Engenheiros Florestais Percorrer determinada área e investigar todas as árvores e mapeá-las seguindo a melhor rota possível. Variáveis Custo Esforço Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

39 Visão do Manejo Florestal Sustentável Definições Básicas Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

40 Visão do Manejo Florestal Sustentável Definições Básicas De forma análoga ao Problema do Caixeiro Viajante (em inglês, travelling salesman problem), o inventário florestal amostral pode ser mapeado como um circuito que possua a melhor rota do ponto de vista prático, começando em uma sub-região qualquer e visitando todas as outras uma única vez. Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

41 Visão do Manejo Florestal Sustentável Definições Básicas De forma análoga ao Problema do Caixeiro Viajante (em inglês, travelling salesman problem), o inventário florestal amostral pode ser mapeado como um circuito que possua a melhor rota do ponto de vista prático, começando em uma sub-região qualquer e visitando todas as outras uma única vez. Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

42 Exploração Visão do Manejo Florestal Sustentável Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

43 Exploração Visão do Manejo Florestal Sustentável A partir do inventário, é traçado um plano de exploração que contemple a subdivisão da área a ser explorada em lotes, definida pelos engenheiros como áreas de parcelas permanentes as quais serão exploradas em sequência. Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

44 Exploração Visão do Manejo Florestal Sustentável Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

45 Exploração Visão do Manejo Florestal Sustentável No plano de exploração são definidos: Os ramais de arraste das toras, conhecidos como ramais espinha de peixe; A direção de queda das árvores; Localiação/tamanho dos pátios de estocagem que vão armazenar a madeira antes de ser transportada para as usinas de beneficiamento Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

46 Exploração Visão do Manejo Florestal Sustentável Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

47 Exploração Visão do Manejo Florestal Sustentável Após a extração das árvores, as toras devem ser transportadas da floresta até o pátio de estocagem e posteriormente até uma usina de beneficiamente madeireiro. Neste momento os engenheiros florestais se deparam com o seguinte problema: Problema (i) Que toras armazenar de forma a minimizar o impacto ambiental, otimizar o espaço no pátio de estocagem, minimizando o custo de armazenamento e maximizando os benefícios já que o volume ocupado no pátio de estocagem varia muito em função da quantidade de toras e do seu diâmetro, tamanho e valor comercial? Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

48 Exploração Visão do Manejo Florestal Sustentável Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

49 Exploração Visão do Manejo Florestal Sustentável Assim como o problema clássico da mochila inteira, o armazenamento das toras pode ser mapeado de forma a respeitar a capacidade máxima do pátio de estocagem (em m 3 ), e dentre as várias árvores abatidas, o critério de seleção das toras pode ser com base no seu volume e valor resultante da razão entre o valor comercial e o impacto ambiental. Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

50 Beneficiamento Visão do Manejo Florestal Sustentável Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

51 Beneficiamento Visão do Manejo Florestal Sustentável Após a exploração, vem a etapa de beneficiamento da madeira, onde os engenheiros se deparam com o seguinte problema: Problema (ii) Como cortar toras em peças menores, maximizando a quantidade de peças extraídas e minimizando o desperdício do material? O corte das toras pode ser mapeado como um problema da mochila fracionária. Diante de uma madeira rara e de alto valor comercial, os desperdícios devem ser minimizados. Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

52 Aspectos de Complexidade Computacional Roteiro 1 Contexto da Pesquisa 2 Visão do Manejo Florestal Sustentável 3 Aspectos de Complexidade Computacional 4 Considerações Finais Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

53 Aspectos de Complexidade Computacional Beneficiamento Definições Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

54 Aspectos de Complexidade Computacional Beneficiamento Definições Do ponto de vista da teoria de complexidade computacional, os problemas (i) e (ii), possuem uma relevância regional e global, onde métodos otimizados podem resultar no aumento da produtividade madeireira com impacto ambiental reduzido. Resolvê-los de forma eficiente implica em benefícios socio-econômicos e ambientais. Esses fatores reforçam a motivação de avaliar a dificuldade pertinente a natureza dos problemas, ou seja, dado o problema (i) e (ii) para os quais se pode construir uma família de algoritmos que os resolvam, existe dentre eles algum que seja polinomial? Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

55 Aspectos de Complexidade Computacional Correlação entre os Problemas Mochila Inteira x Estocagem de Madeira Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

56 Aspectos de Complexidade Computacional Correlação entre os Problemas Mochila Inteira x Estocagem de Madeira Mochila Inteira: Dada uma mochila de capacidade W (em kg) e n objetos com seus respectivos pesos (em kg) e valores (em R$). É possível adicionar itens a essa mochila respeitando a sua capacidade máxima de forma que ao final, a combinação dos itens adicionados a mochila resulte em carga de máximo valor? Variáveis: W, n objetos, cada um com peso e valor. Exemplo: W = 50, n = 4 e os pesso e valores definidos conforme a tabela abaixo. Variáveis Objeto1 Objeto2 Objeto3 Objeto4 p v Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

57 Aspectos de Complexidade Computacional Correlação entre os Problemas Mochila Inteira x Estocagem de Madeira Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

58 Aspectos de Complexidade Computacional Correlação entre os Problemas Mochila Inteira x Estocagem de Madeira Armazenamento de Toras: Dado um pátio de estocagem em área de manejo florestal com capacidade máxima para suportar um volume W (em m 3 ). É possível adicionar toras a esse pátio de estocagem respeitando a sua capacidade máxima de armazenamento de forma que ao final, a combinação das toras adicionadas resulte na estocagem de maior valor comercial e menor impacto ambiental? Variáveis: W, n toras, cada uma com seu volume e benefício (resultante da razão entre valor comercial pelo índice de impacto ambiental [1 = menor impacto, 5 = médio impacto e 10 = alto impacto]). Exemplo: W = 3, n = 4, volumes e benefícios definidos conforme a tabela abaixo. Variáveis Mogno Cerejeira Cedro Jatobá v b Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

59 Aspectos de Complexidade Computacional Correlação entre os Problemas Mochila Inteira x Estocagem de Madeira Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

60 Aspectos de Complexidade Computacional Correlação entre os Problemas Mochila Inteira x Estocagem de Madeira Conclusão da Redução Polinomial: Identificar a classe de complexidade do Problema da Mochila Inteira auxilia na resolução do Problema de Armazenamento de toras. Complexidade: Mochila Inteira NP-Difícil Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

61 Aspectos de Complexidade Computacional Correlação entre os Problemas Mochila Fracionária x Fatiamento de Toras Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

62 Aspectos de Complexidade Computacional Correlação entre os Problemas Mochila Fracionária x Fatiamento de Toras Mochila Fracionária: Dada uma mochila de capacidade W (em kg) e n objetos com seus respectivos pesos (em kg) e valores (em R$). É possível adicionar itens (de 0% a 100%) a essa mochila respeitando a sua capacidade máxima de forma que ao final, a combinação dos itens adicionados a mochila resulte em carga de máximo valor? Variáveis: W, n objetos, cada um com peso e valor. Exemplo: W = 50, n = 4 e os pesso e valores definidos conforme a tabela abaixo. Variáveis Objeto1 Objeto2 Objeto3 Objeto4 p v x 0% 100% 100% 0% Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

63 Aspectos de Complexidade Computacional Correlação entre os Problemas Mochila Fracionária x Fatiamento de Toras Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

64 Aspectos de Complexidade Computacional Correlação entre os Problemas Mochila Fracionária x Fatiamento de Toras Fatiamento de Toras: Uma indústria moveleira deseja produzir móveis de madeira de alto padrão. O estoque de matéria-prima suporta um volume W (em m 3 ). A indústria moveleira solicita de uma usina de beneficiamento madeireiro a sua capacidade de estoque W da melhor madeira possível sendo que para preencher seu estoque, a usina de beneficiamento pode fornecer a tora ou parte dela. Que toras a usina de beneficiamento deve fornecer a esta indústria moveleira maximizando o lucro e minimizando o desperdício de material? Variáveis: W, n toras, cada uma com seu volume e valor comercial. Exemplo: W = 3, n = 4, volumes e valor comercial. Variáveis Mogno Cerejeira Cedro Jatobá v b x 100% 100% 0% 30% Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

65 Aspectos de Complexidade Computacional Correlação entre os Problemas Mochila Fracionária x Fatiamento de toras Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

66 Aspectos de Complexidade Computacional Correlação entre os Problemas Mochila Fracionária x Fatiamento de toras Conclusão da Redução Polinomial: Identificar a classe de complexidade do Problema da Mochila Fracionária auxilia na resolução do Problema de Fatiamento de Toras. Complexidade: Mochila Fracionária NP Abordagem de solução: Força Bruta - utilidade muito reduzida para o problema Programação Dinâmica - Armazenamento (Exploração) - O(nW ) Método Guloso - Fatiamento (Beneficiamento) - O(n log n) Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

67 Roteiro Considerações Finais 1 Contexto da Pesquisa 2 Visão do Manejo Florestal Sustentável 3 Aspectos de Complexidade Computacional 4 Considerações Finais Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

68 Conclusões Investigações Futuras Considerações Finais Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

69 Conclusões Investigações Futuras Considerações Finais Exercício teórico; Características dos problemas e o relacionamento entre eles; Métodos e testes; Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

70 Considerações Finais Obrigada! Otimização de Processos (UFAM) Modelagem Computacional ERIN / 27

FML (Forest Management Language): Uma Linguagem de Domínio Específico para simulação de estratégias de Manejo Florestal na Amazônia

FML (Forest Management Language): Uma Linguagem de Domínio Específico para simulação de estratégias de Manejo Florestal na Amazônia FML (Forest Management Language): Uma Linguagem de Específico para simulação de estratégias de Manejo Florestal na Amazônia Daniella Rodrigues Bezerra 1, Raimundo da Silva Barreto 2 Universidade Federal

Leia mais

GREEN NATION FEST. Design e Sustentável Consumo Consciente

GREEN NATION FEST. Design e Sustentável Consumo Consciente GREEN NATION FEST Design e Sustentável Consumo Consciente O trabalho do designer Pedro Petry sempre foi pautado pela busca de alternativas que fomentam a sustentabilidade: Das experiências com objetos

Leia mais

Análise e Complexidade de Algoritmos

Análise e Complexidade de Algoritmos Análise e Complexidade de Algoritmos Uma visão de Intratabilidade, Classes P e NP - redução polinomial - NP-completos e NP-difíceis Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com http://www.bolinhabolinha.com

Leia mais

Faculdade Alagoana de Administração FAA Ciência da Computação. (Resolução de Problemas em) Espaço de Estados

Faculdade Alagoana de Administração FAA Ciência da Computação. (Resolução de Problemas em) Espaço de Estados Faculdade Alagoana de Administração FAA Ciência da Computação (Resolução de Problemas em) Espaço de Estados (Adaptado de O.B. Coelho & G. Bittencourt & C. Moraes) Maria Aparecida Amorim Sibaldo maasibaldo@gmail.com

Leia mais

Técnicas para Programação Inteira e Aplicações em Problemas de Roteamento de Veículos 14

Técnicas para Programação Inteira e Aplicações em Problemas de Roteamento de Veículos 14 1 Introdução O termo "roteamento de veículos" está relacionado a um grande conjunto de problemas de fundamental importância para a área de logística de transportes, em especial no que diz respeito ao uso

Leia mais

ÍNDICE. Fotos: Greenpeace Designer Gráfico: Carol Patitucci

ÍNDICE. Fotos: Greenpeace Designer Gráfico: Carol Patitucci FSC - SECR - 0030 ÍNDICE 3 4 6 8 9 10 11 12 13 14 15 Sua empresa vai ficar fora do mercado O que é manejo florestal Resumo das Etapas do Manejo Florestal O que é Certificação Florestal Como funciona O

Leia mais

Treinamento em Cálculos Florestais Diversos Por Meio do Software FlorExcel

Treinamento em Cálculos Florestais Diversos Por Meio do Software FlorExcel Treinamento em Cálculos Florestais Diversos Por Meio do Software FlorExcel Julio Eduardo Arce Professor Adjunto do Departamento de Ciências Florestais Universidade Federal do Paraná Av. Pref. Lothário

Leia mais

Análise e Projeto de Algoritmos

Análise e Projeto de Algoritmos Análise e Projeto de Algoritmos Prof. Eduardo Barrére www.ufjf.br/pgcc www.dcc.ufjf.br eduardo.barrere@ice.ufjf.br www.barrere.ufjf.br Complexidade de Algoritmos Computabilidade: Um problema é computável

Leia mais

PROGRAMAÇÃO INTEIRA. Prof. Gustavo Peixoto Silva Departamento de Computação Univ. Federal de Ouro Preto 5 modelos

PROGRAMAÇÃO INTEIRA. Prof. Gustavo Peixoto Silva Departamento de Computação Univ. Federal de Ouro Preto 5 modelos PROGRAMAÇÃO INTEIRA Prof. Gustavo Peixoto Silva Departamento de Computação Univ. Federal de Ouro Preto 5 modelos M9.1 - Problema de Seleção de Projetos ver Taha Capítulo 9 Cinco projetos estão sob avaliação

Leia mais

PESQUISA OPERACIONAL -INTRODUÇÃO. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc.

PESQUISA OPERACIONAL -INTRODUÇÃO. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. PESQUISA OPERACIONAL -INTRODUÇÃO Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. ROTEIRO Introdução Origem Conceitos Objetivos Aplicações da P. O. INTRODUÇÃO A P. O. e o Processo de Tomada de Decisão Tomar decisões

Leia mais

A Questão Florestal e o Desenvolvimento

A Questão Florestal e o Desenvolvimento Alcir Ribeiro Carneiro de Almeida, Eng. Ftal., MSc.,Dr. Gerente Florestal A Questão Florestal e o Desenvolvimento BNDES, Rio de Janeiro, 09 de julho de 2003 Grupo CIKEL CIKEL BRASIL VERDE S.A. - atua na

Leia mais

MÉTODO PERT/CPM APLICADO NO MANEJO DE FLORESTAS NATIVAS

MÉTODO PERT/CPM APLICADO NO MANEJO DE FLORESTAS NATIVAS MÉTODO PERT/CPM APLICADO NO MANEJO DE FLORESTAS NATIVAS João Ricardo Vasconcellos Gama Estudante D.S. Agostinho Lopes de Souza Professor Orientador 1. INTRODUÇÃO PERT - Program Evaluation and Review Technique

Leia mais

Planejamento e Análise de Sistemas de Produção

Planejamento e Análise de Sistemas de Produção Aula 26 Planejamento e Análise de Sistemas de Produção Paulo Augusto Valente Ferreira Departamento de Telemática Faculdade de Engenharia Elétrica e Computação Universidade Estadual de Campinas Conteúdo

Leia mais

Carta de Apresentação Documento Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura 11/06/15

Carta de Apresentação Documento Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura 11/06/15 Carta de Apresentação Documento Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura 11/06/15 Formada por associações empresariais, empresas, organizações da sociedade civil e indivíduos interessados na construção

Leia mais

EXO ANEXO TEMÁTICO 2: Tema Prioritário II Manejo de Paisagem Linha de Ação Temática 2.1 Manejo Florestal Sustentável

EXO ANEXO TEMÁTICO 2: Tema Prioritário II Manejo de Paisagem Linha de Ação Temática 2.1 Manejo Florestal Sustentável EXO ANEXO TEMÁTICO 2: Tema Prioritário II Manejo de Paisagem Linha de Ação Temática 2.1 Manejo Florestal Sustentável 1. Objetivos da Chamada de Projetos para esta Linha de Ação Temática O objetivo da chamada

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO. Curso técnico em manejo florestal

RELATÓRIO DE ESTÁGIO. Curso técnico em manejo florestal RELATÓRIO DE ESTÁGIO Curso técnico em manejo florestal JARBAS ALESSANDRO DA SILVA ANDRADE Manaus dezembro 2006 MINISTERIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFICIONAL E TECNOLOGIA ESCOLA AGROTECNICA

Leia mais

ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO FLORESTAL NA AVALIAÇÃO DE IMPACTOS AMBIENTAIS. Paulo Rogério Soares de OLIVEIRA Universidade Federal de Viçosa

ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO FLORESTAL NA AVALIAÇÃO DE IMPACTOS AMBIENTAIS. Paulo Rogério Soares de OLIVEIRA Universidade Federal de Viçosa REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE ENGENHARIA FLORESTAL - ISSN 1678-3867 P UBLICAÇÃO C IENTÍFICA DA F ACULDADE DE A GRONOMIA E E NGENHARIA F LORESTAL DE G ARÇA/FAEF A NO IV, NÚMERO, 07, FEVEREIRO DE 2006.

Leia mais

Resolução de problemas por meio de busca. Capítulo 3 Russell & Norvig Seções 3.1, 3.2 e 3.3

Resolução de problemas por meio de busca. Capítulo 3 Russell & Norvig Seções 3.1, 3.2 e 3.3 Resolução de problemas por meio de busca Capítulo 3 Russell & Norvig Seções 3.1, 3.2 e 3.3 Agentes de resolução de problemas Agentes reagvos não funcionam em ambientes para quais o número de regras condição-

Leia mais

Simulação Computacional de Sistemas, ou simplesmente Simulação

Simulação Computacional de Sistemas, ou simplesmente Simulação Simulação Computacional de Sistemas, ou simplesmente Simulação Utilização de métodos matemáticos & estatísticos em programas computacionais visando imitar o comportamento de algum processo do mundo real.

Leia mais

AULA 1 INTRODUÇÃO - ENGENHARIA DE SOFTWARE. Prof. Msc. Hélio Esperidião

AULA 1 INTRODUÇÃO - ENGENHARIA DE SOFTWARE. Prof. Msc. Hélio Esperidião AULA 1 INTRODUÇÃO - ENGENHARIA DE SOFTWARE Prof. Msc. Hélio Esperidião O QUE É UM ALGORITMO? É qualquer procedimento computacional bem definido que informa algum valor ou conjunto de valores como entrada

Leia mais

Gerenciamento Integrado de Ferramentas de Corte

Gerenciamento Integrado de Ferramentas de Corte Gerenciamento Integrado de Ferramentas de Corte DESAFIOS DA INDÚSTRIA Eng. Jardel Lemos do Prado jardel.prado@adeptmec.com Eng. Rafael B. Mundim mundim@ita.br SUMÁRIO Histórico 1900-2000 Definição do Gerenciamento

Leia mais

BCC204 - Teoria dos Grafos

BCC204 - Teoria dos Grafos BCC204 - Teoria dos Grafos Marco Antonio M. Carvalho (baseado nas notas de aula do prof. Haroldo Gambini Santos) Departamento de Computação Instituto de Ciências Exatas e Biológicas Universidade Federal

Leia mais

APLICAÇÃO DE MÉTODOS HEURÍSTICOS EM PROBLEMA DE ROTEIRIZAÇÃO DE VEICULOS

APLICAÇÃO DE MÉTODOS HEURÍSTICOS EM PROBLEMA DE ROTEIRIZAÇÃO DE VEICULOS APLICAÇÃO DE MÉTODOS HEURÍSTICOS EM PROBLEMA DE ROTEIRIZAÇÃO DE VEICULOS Bianca G. Giordani (UTFPR/MD ) biancaggiordani@hotmail.com Lucas Augusto Bau (UTFPR/MD ) lucas_bau_5@hotmail.com A busca pela minimização

Leia mais

SLAG - Resolvendo o Problema do Caixeiro Viajante Utilizando Algoritmos Genéticos

SLAG - Resolvendo o Problema do Caixeiro Viajante Utilizando Algoritmos Genéticos SLAG - Resolvendo o Problema do Caixeiro Viajante Utilizando Algoritmos Genéticos Fredson Vieira Costa 1, Fábio Silveira Vidal 1, Claudomiro Moura Gomes André 1 1 Curso de Bacharelado em Ciência da Computação

Leia mais

Resolução do Problema de Roteamento de Veículos com Frota Heterogênea via GRASP e Busca Tabu.

Resolução do Problema de Roteamento de Veículos com Frota Heterogênea via GRASP e Busca Tabu. Resolução do Problema de Roteamento de Veículos com Frota Heterogênea via GRASP e Busca Tabu. Camila Leles de Rezende, Denis P. Pinheiro, Rodrigo G. Ribeiro camilalelesproj@yahoo.com.br, denisppinheiro@yahoo.com.br,

Leia mais

OTIMIZAÇÃO AVÍCOLA. Mix ótimo de Venda Rendimento de Fábrica Otimização Remessa de Ração Otimização de Apanha

OTIMIZAÇÃO AVÍCOLA. Mix ótimo de Venda Rendimento de Fábrica Otimização Remessa de Ração Otimização de Apanha OTIMIZAÇÃO AVÍCOLA Mix ótimo de Venda Rendimento de Fábrica Otimização Remessa de Ração Otimização de Apanha VISÃO GERAL DA SOLUÇÃO Gestão do Desempenho Gerenciamento de indicadores BI Otimização Campo

Leia mais

Inventário Florestal Nacional IFN-BR

Inventário Florestal Nacional IFN-BR Seminário de Informação em Biodiversidade no Âmbito do MMA Inventário Florestal Nacional IFN-BR Dr. Joberto Veloso de Freitas SERVIÇO FLORESTAL BRASILEIRO Gerente Executivo Informações Florestais Brasília,

Leia mais

CURSOS OFERECIDOS. seus objetivos e metas. E também seus elementos fundamentais de Administração, como: PLANEJAMENTO, ORGANIZAÇÃO E CONTROLE.

CURSOS OFERECIDOS. seus objetivos e metas. E também seus elementos fundamentais de Administração, como: PLANEJAMENTO, ORGANIZAÇÃO E CONTROLE. CURSOS OFERECIDOS Access 2007 Aproximadamente 20 horas O aluno aprenderá criar Banco de Dados de forma inteligente, trabalhar com estoques, número de funcionários, clientes etc. Conhecerá ferramentas aprimoradas

Leia mais

Complexidade de Algoritmos. Edson Prestes

Complexidade de Algoritmos. Edson Prestes Edson Prestes Caminhos de custo mínimo em grafo orientado Este problema consiste em determinar um caminho de custo mínimo a partir de um vértice fonte a cada vértice do grafo. Considere um grafo orientado

Leia mais

DEMARCAÇÃO DA EXPLORAÇÃO FLORESTAL

DEMARCAÇÃO DA EXPLORAÇÃO FLORESTAL CAPÍTULO 5 DEMARCAÇÃO DA EXPLORAÇÃO FLORESTAL Demarcação da Exploração Florestal 53 APRESENTAÇÃO A demarcação das estradas, ramais de arraste, pátios de estocagem e a indicação da direção de queda das

Leia mais

PLANEJAMENTO DA EXPLORAÇÃO

PLANEJAMENTO DA EXPLORAÇÃO CAPÍTULO 4 PLANEJAMENTO DA EXPLORAÇÃO Planejamento da Exploração 43 APRESENTAÇÃO A localização e o tamanho dos pátios de estocagem, a posição dos ramais de arraste e a direção de queda das árvores são

Leia mais

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO P á g i n a 3 INTRODUÇÃO A Administração de Materiais compreende as decisões e o controle sobre o planejamento, programação, compra, armazenamento e distribuição dos materiais indispensáveis à produção

Leia mais

Nota metodológica. Avaliação econômica dos Planos de Manejo Florestal Sustentável em Pequena Escala (PMFSPE)

Nota metodológica. Avaliação econômica dos Planos de Manejo Florestal Sustentável em Pequena Escala (PMFSPE) Nota metodológica Avaliação econômica dos Planos de Manejo Florestal Sustentável em Pequena Escala (PMFSPE) Jean François Kibler GRET / Projeto Floresta Viva Manaus - Janeiro de 2006 JF Kibler - Projeto

Leia mais

Aplicações de Otimização em Processos Industriais

Aplicações de Otimização em Processos Industriais Aplicações de Otimização em Processos Industriais Maria Cristina N. Gramani gramani@mackenzie.com.br Departamento de Engenharia de Produção Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Organização

Leia mais

Aplicação do algoritmo genético na otimização da produção em indústrias de açúcar e álcool

Aplicação do algoritmo genético na otimização da produção em indústrias de açúcar e álcool Aplicação do algoritmo genético na otimização da produção em indústrias de açúcar e álcool Lucélia Costa Oliveira¹; Mário Luiz Viana Alvarenga² ¹ Aluna do curso de Engenharia de Produção e bolsista do

Leia mais

Sistemas de gestão da informação em Planos de Manejo e Indústrias Madeireiras de Mato Grosso. Júlio Bachega Consultor-ICV Cuiabá, 27/03/2014

Sistemas de gestão da informação em Planos de Manejo e Indústrias Madeireiras de Mato Grosso. Júlio Bachega Consultor-ICV Cuiabá, 27/03/2014 Sistemas de gestão da informação em Planos de Manejo e Indústrias Madeireiras de Mato Grosso Júlio Bachega Consultor-ICV Cuiabá, 27/03/2014 Contexto Necessidade de rastreabilidade estabelecida pela resolução

Leia mais

Pesquisa Operacional. 4x1+3x2 <=1 0 6x1 - x2 >= 20 X1 >= 0 X2 >= 0 PESQUISA OPERACIONAL PESQUISA OPERACIONAL PESQUISA OPERACIONAL PESQUISA OPERACIONAL

Pesquisa Operacional. 4x1+3x2 <=1 0 6x1 - x2 >= 20 X1 >= 0 X2 >= 0 PESQUISA OPERACIONAL PESQUISA OPERACIONAL PESQUISA OPERACIONAL PESQUISA OPERACIONAL Modelo em Programação Linear Pesquisa Operacional A programação linear é utilizada como uma das principais técnicas na abordagem de problemas em Pesquisa Operacional. O modelo matemático de programação

Leia mais

Lista 2 - Modelos determinísticos

Lista 2 - Modelos determinísticos EA044 - Planejamento e Análise de Sistemas de Produção Lista 2 - Modelos determinísticos Exercício 1 A Companhia Ferroviária do Brasil (CFB) está planejando a alocação de vagões a 5 regiões do país para

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS. Parcela permanente (quando houver), tamanho e localização.

GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS. Parcela permanente (quando houver), tamanho e localização. TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DE PLANO OPERACIONAL DE EXPLORAÇÃO - POE CATEGORIA: MENOR E MAIOR IMPACTO DE EXPLORAÇÃO 1. Informações Gerais 1.1 Identificação Processo Administrativo; Número do Processo;

Leia mais

Uma Heurística Gulosa para o Problema de Bin Packing Bidimensional

Uma Heurística Gulosa para o Problema de Bin Packing Bidimensional Uma Heurística Gulosa para o Problema de Bin Packing Bidimensional Leandro Dias Costa, Luiz da Silva Rosa e Marcelo Lisboa Rocha Departamento de Ciência da Computação Fundação UNIRG Alameda Madrid Nº 545,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 4031 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA PROCESSO DE SELEÇÃO - EDITAL Nº

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 4031 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA PROCESSO DE SELEÇÃO - EDITAL Nº Impresso por: RAFAEL DE SOUZA RODRIGUES DOS SANTOS Data da impressão: 10/08/015-14:4:5 SIGOEI - Sistema de Informações Gerenciais da OEI TERMO DE REFERÊNCIA Nº 401 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA PROCESSO

Leia mais

Portaria Inep nº 249, de 02 de junho de 2014. Publicada no Diário Oficial da União em 04 de junho de 2014.

Portaria Inep nº 249, de 02 de junho de 2014. Publicada no Diário Oficial da União em 04 de junho de 2014. Portaria Inep nº 249, de 02 de junho de 2014. Publicada no Diário Oficial da União em 04 de junho de 2014. O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep),

Leia mais

O que os clientes não sabem é que o preço de qualquer peça, após o desconto, ainda é maior do que o preço original

O que os clientes não sabem é que o preço de qualquer peça, após o desconto, ainda é maior do que o preço original Atividade extra Exercício 1 Em uma loja de roupas, os preços foram remarcados com um aumento de 40%. O gerente percebeu a queda nas vendas após a remarcação e decidiu anunciar um desconto de 20% em todas

Leia mais

Jorge Figueiredo, DSC/UFCG. Análise e Técnicas de Algoritmos 2005.1. Jorge Figueiredo, DSC/UFCG. Análise e Técnicas de Algoritmos 2005.

Jorge Figueiredo, DSC/UFCG. Análise e Técnicas de Algoritmos 2005.1. Jorge Figueiredo, DSC/UFCG. Análise e Técnicas de Algoritmos 2005. Agenda Análise e Técnicas de Algoritmos Jorge Figueiredo Problemas de de otimização Conceitos ásicos O Problema da da Mochila Fracionária Template Genérico xemplos: Código de de Huffman Algoritmos Gulosos

Leia mais

PREFEITURA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE SAÚDE. Procedimento Operacional Padrão

PREFEITURA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE SAÚDE. Procedimento Operacional Padrão Orientação para Elaboração Inventário nas Unidades de Saúde 1. PALAVRA CHAVE: inventário, estoque, contagem de estoque, controle de estoque 2. OBJETIVO 2.1. Auxiliar e melhorar o controle de estoque das

Leia mais

ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação

ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação UNIFEI Universidade Federal de Itajubá Prof. Dr. Alexandre Ferreira de Pinho 1 Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) Tipos de SAD Orientados por modelos: Criação de diferentes

Leia mais

Reflexões sobre as dificuldades na aprendizagem de Cálculo Diferencial e Integral

Reflexões sobre as dificuldades na aprendizagem de Cálculo Diferencial e Integral III Mostra de Pesquisa da Pós-Graduação PUCRS Reflexões sobre as dificuldades na aprendizagem de Cálculo Diferencial e Integral Marcelo Cavasotto, Prof.ª Dra. Ruth Portanova (orientadora) Mestrado em Educação

Leia mais

Pesquisa Operacional

Pesquisa Operacional Pesquisa Operacional Tópicos em Programação Linear e Inteira Prof. Dr.Ricardo Ribeiro dos Santos ricr.santos@gmail.com Universidade Católica Dom Bosco - UCDB Engenharia de Computação Roteiro Introdução

Leia mais

Coordenação Geral de Promoção ao Etnodesenvolvimento. Reunião Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Brasília, 01 de julho de 2011.

Coordenação Geral de Promoção ao Etnodesenvolvimento. Reunião Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Brasília, 01 de julho de 2011. Coordenação Geral de Promoção ao Etnodesenvolvimento Reunião Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Brasília, 01 de julho de 2011. Mapa Visão e Missão Funai Mapa Estratégico: Proteger e promover

Leia mais

programa fapesp de pesquisa sobre mudanças climáticas globais

programa fapesp de pesquisa sobre mudanças climáticas globais programa fapesp de pesquisa sobre mudanças climáticas globais programa fapesp de pesquisa sobre mudanças climáticas globais O funcionamento do nosso planeta depende da integração de diferentes compartimentos:

Leia mais

ESTRATÉGIAS DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS DE PESQUISA OPERACIONAL

ESTRATÉGIAS DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS DE PESQUISA OPERACIONAL ESTRATÉGIAS DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS DE PESQUISA OPERACIONAL André Luis Trevisan Universidade Tecnológica Federal do Paraná andrelt@utfpr.edu.br Magna Natalia Marin Pires Universidade Estadual de Londrina

Leia mais

NORMA DE EXECUÇÃO N.º 2, DE 26 DE ABRIL DE 2007

NORMA DE EXECUÇÃO N.º 2, DE 26 DE ABRIL DE 2007 INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS DIRETORIA DE FLORESTAS NORMA DE EXECUÇÃO N.º 2, DE 26 DE ABRIL DE 2007 Institui, no âmbito desta Autarquia, o Manual Simplificado

Leia mais

Mapeamento do Fluxo de Valor

Mapeamento do Fluxo de Valor Mapeamento do Fluxo de Valor O que é Fluxo de Valor É um conjunto de ações as que agregam valor, bem como as que não agregam valor necessárias para viabilizar o produto: da concepção ao lançamento do produto

Leia mais

Aplicação de Layout Celular na Recuperação de. Eficiência na Remanufatura

Aplicação de Layout Celular na Recuperação de. Eficiência na Remanufatura Aplicação de Layout Celular na Recuperação de Produtos: Uma Proposta Lean para Aumentar a Eficiência na Remanufatura (UFSC) - marinabouzon@gmail.com Carlos M. Taboada Rodriguez taboada@deps.ufsc.br Abelardo

Leia mais

Tecnologia e Sistemas de Informações Tipos de SI

Tecnologia e Sistemas de Informações Tipos de SI Universidade Federal do Vale do São Francisco Tecnologia e Sistemas de Informações Tipos de SI Prof. Ricardo Argenton Ramos Aula 5.2 Qual a Diferença? Dado? Informação? Conhecimento? Dado Platão (428-348

Leia mais

Inteligência Computacional Aplicada a Engenharia de Software

Inteligência Computacional Aplicada a Engenharia de Software Inteligência Computacional Aplicada a Engenharia de Software Estudo de caso III Prof. Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br Introdução Em alguns ambientes industriais, pode ser necessário priorizar

Leia mais

Gestão de Materiais e Patrimônio

Gestão de Materiais e Patrimônio Gestão de Materiais e Patrimônio Prof. Dr Jovane Medina jovanemedina@gmail.com Roteiro de Aula Gestão de Materiais Previsão e Controle Armazenagem Patrimônio Definição; Importância; Indagações da realidade.

Leia mais

6 Exploração florestal ATENÇÃO!

6 Exploração florestal ATENÇÃO! 6 Exploração florestal 6.1 O que depende de autorização ambiental? Uso alternativo do solo Toda intervenção na cobertura vegetal nativa (ou seja, desmatamento com ou sem destoca, raleamento ou brocamento

Leia mais

Logística e Administração de Estoque. Definição - Logística. Definição. Profª. Patricia Brecht

Logística e Administração de Estoque. Definição - Logística. Definição. Profª. Patricia Brecht Administração Logística e Administração de. Profª. Patricia Brecht Definição - Logística O termo LOGÍSTICA conforme o dicionário Aurélio vem do francês Logistique e significa parte da arte da guerra que

Leia mais

PLANO DE MANEJO FLORESTAL SUSTENTÁVEL. Resumo Público

PLANO DE MANEJO FLORESTAL SUSTENTÁVEL. Resumo Público PLANO DE MANEJO FLORESTAL SUSTENTÁVEL Resumo Público RIO CAPIM PA / 2011 2 EMPRESA CIKEL BRASIL VERDE MADEIRAS LTDA - COMPLEXO RIO CAPIM Fazenda Rio Capim, Rod. BR 010, Km 1564, Zona Rural Paragominas-PA

Leia mais

MINISTERIO DO MEIO AMBIENTE DEPARTAMENTO DE FLORESTAS

MINISTERIO DO MEIO AMBIENTE DEPARTAMENTO DE FLORESTAS MINISTERIO DO MEIO AMBIENTE DEPARTAMENTO DE FLORESTAS Referência: Agenda para a criação de instrumentos de financiamentos e crédito para o setor florestal Interessado: DFLOR/SBF/MMA. 1. ANTECEDENTES: O

Leia mais

FCH Consultoria e Projetos de Engenharia Escritório: São Paulo Atuação: Nacional

FCH Consultoria e Projetos de Engenharia Escritório: São Paulo Atuação: Nacional Projeto de Revestimento de Fachada em Argamassa Engª MSc Fabiana Andrade Ribeiro www.fchconsultoria.com.br Projeto de Revestimento de Fachada Enfoque na Racionalização FCH Consultoria e Projetos de Engenharia

Leia mais

Capítulo 2. Logística e Cadeia de Suprimentos

Capítulo 2. Logística e Cadeia de Suprimentos Capítulo 2 Logística e Cadeia de Suprimentos Prof. Glauber Santos glauber@justocantins.com.br 1 Capítulo 2 - Logística e Cadeia de Suprimentos Papel primordial da Logística na organização Gestão da Produção

Leia mais

MODELAGEM MATEMÁTICA EM UM CURSO SUPERIOR DE ENGENHARIA AGRÍCOLA ANÁLISE DE UM SOLO USANDO FUNÇÃO DE VÁRIAS VARIÁVEIS

MODELAGEM MATEMÁTICA EM UM CURSO SUPERIOR DE ENGENHARIA AGRÍCOLA ANÁLISE DE UM SOLO USANDO FUNÇÃO DE VÁRIAS VARIÁVEIS MODELAGEM MATEMÁTICA EM UM CURSO SUPERIOR DE ENGENHARIA AGRÍCOLA ANÁLISE DE UM SOLO USANDO FUNÇÃO DE VÁRIAS VARIÁVEIS Aracéli Ciotti de Marins, Universidade Tecnológica Federal do Paraná UTFPR aracelimarins@yahoo.com.br

Leia mais

CONTRATAÇÃO DE INSTRUTORES NA ÁREA AMBIENTAL PARA SERVIÇOS DE CONSULTORIA.

CONTRATAÇÃO DE INSTRUTORES NA ÁREA AMBIENTAL PARA SERVIÇOS DE CONSULTORIA. CONTRATAÇÃO DE INSTRUTORES NA ÁREA AMBIENTAL PARA SERVIÇOS DE CONSULTORIA. 1. OBJETIVO Contratação de profissionais com formação nas áreas de ciências biológicas, florestais, agronômicas, econômicas e

Leia mais

QUANTO CUSTA MANTER UM ESTOQUE

QUANTO CUSTA MANTER UM ESTOQUE QUANTO CUSTA MANTER UM ESTOQUE! Qual o valor de um estoque?! Quanto de material vale a pena manter em estoque?! Como computar o valor da obsolescência no valor do estoque?! Qual o custo de um pedido?!

Leia mais

Profa. Gislaine Stachissini. Unidade II GOVERNANÇA DE TI

Profa. Gislaine Stachissini. Unidade II GOVERNANÇA DE TI Profa. Gislaine Stachissini Unidade II GOVERNANÇA DE TI Estratégia e governança em TI Estratégia empresarial A palavra estratégia vem do grego strategus = "o general superior ou "generalíssimo. Strategia

Leia mais

SERVIÇO DE ANÁLISE DE REDES DE TELECOMUNICAÇÕES APLICABILIDADE PARA CALL-CENTERS VISÃO DA EMPRESA

SERVIÇO DE ANÁLISE DE REDES DE TELECOMUNICAÇÕES APLICABILIDADE PARA CALL-CENTERS VISÃO DA EMPRESA SERVIÇO DE ANÁLISE DE REDES DE TELECOMUNICAÇÕES APLICABILIDADE PARA CALL-CENTERS VISÃO DA EMPRESA Muitas organizações terceirizam o transporte das chamadas em seus call-centers, dependendo inteiramente

Leia mais

Controle de Processos: Introdução

Controle de Processos: Introdução Controle de Processos: Introdução Prof. Eduardo Stockler Tognetti & David Fiorillo Laboratório de Automação e Robótica (LARA) Dept. Engenharia Elétrica - UnB Conteúdo 1. Panorama da engenharia de controle

Leia mais

Palavras-Chaves: estoque, modelagem, requisitos, UML, vendas.

Palavras-Chaves: estoque, modelagem, requisitos, UML, vendas. UTILIZAÇÃO DA UML NO DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA DE CONTROLE DE VENDAS E ESTOQUE GILBERTO FRANCISCO PACHECO DOS SANTOS Discente da AEMS Faculdades Integradas de Três Lagoas JACKSON LUIZ ARROSTI Discente

Leia mais

INTRODUÇÃO A ECONOMIA AULA 01 : CONCEITOS BÁSICOS TÓPICO 01: FUNDAMENTOS DE ECONOMIA MULTIMÍDIA Ligue o som do seu computador! OBS.: Alguns recursos de multimídia utilizados em nossas aulas, como vídeos

Leia mais

Temas para estudo com alunos

Temas para estudo com alunos Temas para estudo com alunos Este documento reúne alguns dos temas de pesquisa desenvolvidos por professores do Departamento de Matemática Aplicada (DMA) e que podem ter alunos de graduação atuando. Tratam-se

Leia mais

Adriana Maria Imperador Lúcia Helena de Oliveira Wadt Silvio Crestana

Adriana Maria Imperador Lúcia Helena de Oliveira Wadt Silvio Crestana Percepções da Associação dos Moradores e Agroextrativistas do Remanso em Capixaba, Acre, a respeito da Certificação Florestal Comunitária de Produtos Florestais Não-madeireiros Adriana Maria Imperador

Leia mais

Estratégias para evitar o desmatamento na Amazônia brasileira. Antônio Carlos Hummel Diretor Geral Serviço Florestal Brasileiro

Estratégias para evitar o desmatamento na Amazônia brasileira. Antônio Carlos Hummel Diretor Geral Serviço Florestal Brasileiro Estratégias para evitar o desmatamento na Amazônia brasileira Antônio Carlos Hummel Diretor Geral Serviço Florestal Brasileiro Perfil - 2-1. Fatos sobre Brasil 2. Contexto Florestal 3. Estratégias para

Leia mais

PACM Planejamento, Análise e Controle da Manutenção 11 a 13 de fevereiro de 2014 Salvador BA

PACM Planejamento, Análise e Controle da Manutenção 11 a 13 de fevereiro de 2014 Salvador BA PACM Planejamento, Análise e Controle da Manutenção 11 a 13 de fevereiro de 2014 Salvador BA Este treinamento desenvolverá habilidades nas técnicas de Planejamento, Análise e Controle das variáveis de

Leia mais

1.2) PROJETO DE VIRTUALIZAÇÃO DE COMPUTADORES DE MESA

1.2) PROJETO DE VIRTUALIZAÇÃO DE COMPUTADORES DE MESA 1.1) PLANO DE APLICAÇÃO DE RECURSOS (EM ANEXO) 1.2) PROJETO DE VIRTUALIZAÇÃO DE COMPUTADORES DE MESA INTRODUÇÃO O curso de engenharia florestal possui 4395 horas de aulas em disciplinas obrigatórias e

Leia mais

Histórico de Comercialização da ACAF Boa Vista do Ramos

Histórico de Comercialização da ACAF Boa Vista do Ramos Histórico de Comercialização da ACAF Boa Vista do Ramos Marcus Biazzati Projeto Floresta Viva 1 Experiência de Comercialização Período: Julho 2004 a maio 2005. Vendedor: Associação Comunitária Agrícola

Leia mais

Transporte e receptação de madeira ilegal no Pará

Transporte e receptação de madeira ilegal no Pará Transporte e receptação de madeira ilegal no Pará 1. A investigação do Greenpeace Para expor e constatar meios de exploração ilegal de madeira, o Greenpeace monitorou, por alguns dias, dois caminhões entrando

Leia mais

SEMINÁRIO DO GRUPO DE PESQUISA MATEMÁTICA APLICADA E COMPUTACIONAL DO PÓLO UNIVERSITÁRIO DO SUL FLUMINENSE

SEMINÁRIO DO GRUPO DE PESQUISA MATEMÁTICA APLICADA E COMPUTACIONAL DO PÓLO UNIVERSITÁRIO DO SUL FLUMINENSE SEMINÁRIO DO GRUPO DE PESQUISA MATEMÁTICA APLICADA E COMPUTACIONAL DO PÓLO UNIVERSITÁRIO DO SUL FLUMINENSE Um problema de um milhão de dólares Luiz Leduíno de Salles Neto 25/07/2006 Grupo consultivo de

Leia mais

UML - Unified Modeling Language

UML - Unified Modeling Language UML - Unified Modeling Language Casos de Uso Marcio E. F. Maia Disciplina: Engenharia de Software Professora: Rossana M. C. Andrade Curso: Ciências da Computação Universidade Federal do Ceará 24 de abril

Leia mais

Fundamentos de Teste de Software

Fundamentos de Teste de Software Núcleo de Excelência em Testes de Sistemas Fundamentos de Teste de Software Módulo 3 Planejamento e Aula 8 do Projeto Aula 08 do Projeto SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 ACOMPANHAMENTO DO PROJETO... 3 1. do Progresso...

Leia mais

SISTEMA INFORMATIZADO PARA GERENCIAMENTO DA PRODUÇÃO E QUALIDADE DA MADEIRA EM SERRARIAS

SISTEMA INFORMATIZADO PARA GERENCIAMENTO DA PRODUÇÃO E QUALIDADE DA MADEIRA EM SERRARIAS RELATÓRIO TÉCNICO-CIENTÍFICO FINAL (Observação: as informações prestadas neste relatório poderão, no todo ou em parte, ser publicadas pela FAPESC.) Chamada Pública Universal 03/2006 1.1. N do Contrato:

Leia mais

Aluno: RA: INSTRUÇÕES GERAIS

Aluno: RA: INSTRUÇÕES GERAIS PROVA DE EIXO - REGULAR CURSOS: ADMINISTRAÇÃO Disciplina: Gestão de Operações IV Duração: 1h30 90 minutos Professor: Número de questões: 20 Data: 12/06/2010 Nota: Aluno: RA: INSTRUÇÕES GERAIS 1. A prova

Leia mais

Solução de problemas por meio de busca (com Python) Luis Martí DEE/PUC-Rio http://lmarti.com

Solução de problemas por meio de busca (com Python) Luis Martí DEE/PUC-Rio http://lmarti.com Solução de problemas por meio de busca (com Python) Luis Martí DEE/PUC-Rio http://lmarti.com Python e AI (Re)-introdução ao Python. Problemas de busca e principais abordagens. Exemplos em Python Por que

Leia mais

Instalações Máquinas Equipamentos Pessoal de produção

Instalações Máquinas Equipamentos Pessoal de produção Fascículo 6 Arranjo físico e fluxo O arranjo físico (em inglês layout) de uma operação produtiva preocupa-se com o posicionamento dos recursos de transformação. Isto é, definir onde colocar: Instalações

Leia mais

3 Geo/Sensoriamento Remoto

3 Geo/Sensoriamento Remoto 3 Geo/Sensoriamento Remoto Neste item, serão apresentadas pesquisas desenvolvidas em programas da Coppe/UFRJ relacionadas à temática geo/sensoriamento remoto. Alguns resultados parciais desta linha temática

Leia mais

Gerenciamento de Projeto

Gerenciamento de Projeto UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS, LETRAS E CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DE COMPUTAÇÃO E ESTATÍSTICA Gerenciamento de Projeto Engenharia de Software 2o. Semestre/ 2005

Leia mais

Sistema de Monitoramento e Controle Florestal de Mato Grosso: avaliação dos avanços e novos desafios

Sistema de Monitoramento e Controle Florestal de Mato Grosso: avaliação dos avanços e novos desafios Sistema de Monitoramento e Controle Florestal de Mato Grosso: avaliação dos avanços e novos desafios Julio César Bachega Consultor em Gestão Florestal j_bachega@hotmail.com Estrutura da apresentação Resgate

Leia mais

A importância da gestão para o pequeno e médio produtor florestal

A importância da gestão para o pequeno e médio produtor florestal A importância da gestão para o pequeno e médio produtor florestal Richard Respondovesk ESALQ - 20/08/2014 Tópicos A Empresa Áreas de atuação Cadeia produtiva florestal Planejamento e mercado Uso de tecnologias

Leia mais

PRÁTICAS SILVICULTURAIS

PRÁTICAS SILVICULTURAIS CAPÍTULO 10 PRÁTICAS SILVICULTURAIS 94 Manual para Produção de Madeira na Amazônia APRESENTAÇÃO Um dos objetivos do manejo florestal é garantir a continuidade da produção madeireira através do estímulo

Leia mais

O PROCESSO DE SELEÇÃO NO CONTEXTO DO MODELO DE COMPETÊNCIAS E GESTÃO DOS TALENTOS

O PROCESSO DE SELEÇÃO NO CONTEXTO DO MODELO DE COMPETÊNCIAS E GESTÃO DOS TALENTOS O PROCESSO DE SELEÇÃO NO CONTEXTO DO MODELO DE COMPETÊNCIAS E GESTÃO DOS TALENTOS Autor: Maria Rita Gramigna Como identificar potenciais e competências em um processo seletivo? Como agir com assertividade

Leia mais

10º CONGRESSO NACIONAL DE MANUTENÇÃO

10º CONGRESSO NACIONAL DE MANUTENÇÃO 10º CONGRESSO NACIONAL DE MANUTENÇÃO Gestão da Manutenção ou Gestão de Activos? (custos ao longo do Ciclo de Vida) (rassis@rassis.com ) (juliao@fe.lisboa.ucp.pt ) Faculdade de Engenharia da Universidade

Leia mais

Regionalização da Saúde do Estado do Paraná: Uma nova proposta utilizando o algoritmo Branch-and-Price.

Regionalização da Saúde do Estado do Paraná: Uma nova proposta utilizando o algoritmo Branch-and-Price. Regionalização da Saúde do Estado do Paraná: Uma nova proposta utilizando o algoritmo Branch-and-Price. Cassius Tadeu Scarpin UFPR Programa de Pós-Graduação em Métodos Numéricos em Engenharia 81531-990,

Leia mais

Redes Dinâmicas de Cooperação Organizacional, Modelo Dinâmico Descritivo de Negócios e Interoperabilidade

Redes Dinâmicas de Cooperação Organizacional, Modelo Dinâmico Descritivo de Negócios e Interoperabilidade Redes Dinâmicas de Cooperação Organizacional, Modelo Dinâmico Descritivo de Negócios e Interoperabilidade Bruno Carvalho Palvarini bruno.palvarini@caixa.gov.br CAIXA ECONÔMICA FEDERAL 1 Desenvolvimento

Leia mais

Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação. Comissão de Curso e NDE do BCC

Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação. Comissão de Curso e NDE do BCC Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação Comissão de Curso e NDE do BCC Fevereiro de 2015 Situação Legal do Curso Criação: Resolução CONSU no. 43, de 04/07/2007. Autorização: Portaria

Leia mais

Introdução à Adm Rec Materiais

Introdução à Adm Rec Materiais Introdução à Adm Rec Materiais Objetivo principal de uma empresa: maximizar o retorno do capital investido. Estoques: parte do capital investido que funciona como um lubrificante, de modo a permitir um

Leia mais

TRIZ (Theory of Inventive Problem Solving)

TRIZ (Theory of Inventive Problem Solving) TRIZ (Theory of Inventive Problem Solving) Helena V. G. Navas hvgn@fct.unl.pt 09 Outubro 2013 Teoria da Resolução Inventiva de Problemas, mais conhecida pelo seu acrónimo TRIZ, foi desenvolvida por Genrich

Leia mais

Treinamento Empresarial de Alto Impacto

Treinamento Empresarial de Alto Impacto Treinamento Empresarial de Alto Impacto EM GRUPO Vendas Marketing Sistematização de Processos Finanças Planejamento Gestão do Tempo Gestão de Pessoas Sobre o Programa de Coaching O Programa de Coaching

Leia mais

ABNT NBR ISO/IEC 27002:2005

ABNT NBR ISO/IEC 27002:2005 ABNT NBR ISO/IEC 27002:2005 Código de prática para a gestão da segurança da informação A partir de 2007, a nova edição da ISO/IEC 17799 será incorporada ao novo esquema de numeração como ISO/IEC 27002.

Leia mais

: Transforme seu plantio em um fundo de investimento ativo. The single source for Forest Resource Management

: Transforme seu plantio em um fundo de investimento ativo. The single source for Forest Resource Management : Transforme seu plantio em um fundo de investimento ativo The single source for Forest Resource Management 2 Tecnologia laser aerotransportada LiDAR LiDAR é um sistema ativo de sensoriamento remoto, originalmente

Leia mais