Representação e enquadramento Sindical ITF ILO IMO. Central Sindical CTB. Confederação CONTTMAF Federação FNTTAA. Representados

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Representação e enquadramento Sindical ITF ILO IMO. Central Sindical CTB. Confederação CONTTMAF Federação FNTTAA. Representados"

Transcrição

1

2 Representação e enquadramento Sindical ILO ITF IMO Central Sindical CTB Confederação CONTTMAF Federação FNTTAA Representados

3 Atividades de navegação e seus segmentos Navegação tradicional - Longo curso -Cabotagem Atividade Offshore - Rebocadores Plataformas FPSO -FSO Dragagem Apoio Portuário rio - Rebocadores - Lanchas Navegação em Baías Navegação Fluvial Pesca Oceânica as - Navegação de Recreio - Fluvio-Cabotagem Navios - Fluvio-Cabotagem Barcaças as - Ferry Boats -Ex.: Rio de Janeiro e Salvador Ex.: Rio de Janeiro Pink Flix Ex.: Pará Vila do Conde x Trombetas Granel LíquidoL Granel SólidoS Containers Carga Geral Ro-Ro Ex.: Porto Céu C u x Aracruz x S. Fco. do Sul

4 Acordos, Convenções e Contratos Acordo Coletivo de Trabalho convencionado entre sindicato laboral e empresa. Convenção Coletiva de Trabalho acordados entre sindicato laboral e sindicato ou associação de representantes patronais. Contrato individual de trabalho documento obrigatório rio por ocasião do estabelecimento do vínculo v empregador x empregado. Data base data pré estabelecida para um contrato ou convenção coletiva de trabalho. Valerápor um ano ou no máximo m dois. Dissídio divergência/ denúncia ncia a respeito de um Acordo Coletivo de Trabalho ou Convenção (antes / depois).

5 DO PROCESSO NEGOCIAL Fases do processo: - Contato com os representados (ex. visitações) -Provocação àempresa - Edital / Assembléia - Solicitação de pauta para os marítimos (Msg. Circular) - Recebimento, sistematização de pauta - Aprovação de pauta pelos Sindicatos - Encaminhamento da pauta para as Empresas - Consulta aos Representados SIM NÃO - Opções: - Analise e/ou confecção de minuta - Formalização (assinatura, depósito e registro) Continuar negociando Auxílio Divino Resistência

6 Fatores relevantes para o alcance dos objetivos na negociação (D) Envolvimento - Acompanhamento Condição sine qua non: Preservação da imagem sindical. Sindicato é o espelho dos seus representados

7 COMENTÁRIOS Todo e qualquer processo, seja ele qual for, depende fundamentalmente do homem. Nada funciona sem a interveniência do homem. Nenhum processo, nenhuma máquina, m nenhum sistema econômico, nada. Mas que homem éesse? é Qualquer homem? Pode sim ser qualquer um, todos são capazes, porém m se esse homem não tiver auto-estima, com certeza não será ele. Mas como se consegue esta auto-estima? Entendemos que o homem vive num sistema comunitário, com ele deve interagir, nunca, de forma alguma, ser omisso ou um u mero expectador. Deve ser pró ativo! E para interagir com o sistema, tem que ter auto-estima profissional, estar preparado, intervir em benefício de todos, pois desta forma, com certeza fortalecerátambém também m a auto-estima pessoal, não sendo um eterno derrotado e sim um vencedor.

8 Realidade comparativa entre o mercado Internacional e o mercado Brasileiro TIPOS DE CONTRATOS EXTERIOR Aleatório sub standard Standard Total Crew Cost (TCC) International Bargain Forum (IBF) BRASIL Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) Convenção Coletiva de Trabalho TEMPO DE DURAÇÃO DOS CONTRATOS EXTERIOR Prazo máximo m de 10 meses BRASIL Tempo Indeterminado

9 RELAÇÃO TRABALHO X REPOUSO

10 Prática na maioria do mundo

11 Ameaças, as, riscos e dificuldades 1) Cenários Nacional e Mundial Variação de valores de Fretes Queda na relação dólar d (U$) X moeda nacional Variação de volume de fretes Diminuição nos lucros e resultados dos Armadores Dificuldade para a renovação da frota nacional 2) Intenção de utilização de mão-de de-obra estrangeira pela Armação Pseudo falta de tripulante Competitividade Custo menor Relação trabalho x repouso 3) Custo de mão-de de-obra marítima nacional Previdência 13º Salário Férias Repouso Auxílio Alimentação INSS Outros benefícios

12 Principais conquistas nos últimos nove anos - Redução gradativa e continua da relação trabalho x repouso - Implantação e significativo aumento do Auxílio Alimentação (vale alimentação) - Auxílio Educação - Marítima gestante - Acompanhamento de acidente - Bônus por tempo de Empresa - Adicional por tempo de serviço - Auxílio Uniforme - Acordo Coletivo de Trabalho com vigência de 2 anos - Abono pecuniário (férias offshore) - Custeio de passagens - Auxílio deslocamento -Participação nos lucros e/ou resultados -PLR - Assistência médica m e odontológica - Seguro para os eventos de morte natural ou acidental e invalidez z permanente - Pró labore - Previdência privada ou previdência fechada

13

14

15

16

17 Global

18 Flumar

19 Global

20 Flumar Global

21

22

23

24

25 Desafios - Aumentar a auto-estima pessoal e profissional - Conscientizar e mobilizar os marítimos brasileiros para a necessidade de manutenção da bandeira brasileira e conservação dos postos de trabalho - Manter e/ou melhorar as condições de remuneração, relação trabalho x repouso e benefícios - Barrar as investidas que objetivam implantar mão-de de-obra estrangeira - Fazer um câmbio de consciência individual para consciência coletiva - Aumentar o nível n de engajamento, participação e disposição de luta do quadro associativo - Entender que a luta sindical é travada em diversos níveisn - Valorizar e reconhecer a imagem da Federação e Sindicatos como meio de fortalecimento - O devido reconhecimento do alcance de objetivos e metas de melhores condições para seus representados - Entender que não basta sós boa intenção e sim muita AÇÃO, A AÇÃO A E AÇÃO... A

26 Comentários finais Devemos estar sempre atentos para a máxima m que diz: O O direito individual cessa quando aparece o direito coletivo.. Isto émuito é importante para a criação da unidade, evitando distensões e cismas internas, com o aparecimento de rachas que ocasionam o enfraquecimento de qualquer movimento laboral. Não devemos esquecer que o interesse coletivo na realidade é sempre maior, suplanta e abrange o interesse individual. Se você está participando do processo de forma positiva e preservando a imagem do seu sindicato, jáj é um lutador. Todos sabemos e isto é histórico, pois reporta-se a origem dos sindicatos, que sem luta não existe conquista e todos nós s temos que ter isso em mente. Nós N s como sindicato somos como você, uma peça a do tabuleiro das lutas de conquistas que exige a participação de todas as categorias por nós n representadas. Lembramos que sós seremos fortes com unidade. Pois esta é a fórmula f da vitória. O resultado final de qualquer negociação coletiva será sempre em função da disposição e união da categoria em torno de seu negociador, além m naturalmente do resultado da performance do negociador (Entidade laboral), coisa que obrigatoriamente deverá ser sentida pelo negociador patronal.

27

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO = 2005 / 2007 =

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO = 2005 / 2007 = ACORDO COLETIVO DE TRABALHO = 2005 / 2007 = Acordo Coletivo de Trabalho que fazem, de um lado, as empresas de apoio marítimo: AUGUSTA OFFSHORE BRASILEIRA LTDA e ASSO MARÍTIMA NAVEGAÇÃO LTDA, doravante

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO = 2005/2007=

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO = 2005/2007= ACORDO COLETIVO DE TRABALHO = 25/27= Acordo Coletivo de Trabalho que fazem, de um lado, a empresa de apoio marítimo: BOS NAVEGAÇÃO S/A, com sede na Rua Abílio Moreira de Miranda, 66, Imbetiba, Macaé, RJ,

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO = 2015/2017 =

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO = 2015/2017 = ACORDO COLETIVO DE TRABALHO = 2015/2017 = Acordo Coletivo de Trabalho que fazem, de um lado, a empresa DRAGABRAS SERVIÇOS DE DRAGAGEM LTDA. doravante denominada EMPRESA, CNPJ: 08.202.938/0001-04 com sede

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 1/5 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO O SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ENTIDADES CULTURAIS, RECREATIVAS, DE ASSISTÊNCIA SOCIAL, DE ORIENTAÇÃO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, NO ESTADO DO PARANÁ SENALBA/PR, CNPJ 75.992.446/0001-49,

Leia mais

BANCÁRIOS. Uma História marcada por lutas e conquistas

BANCÁRIOS. Uma História marcada por lutas e conquistas BANCÁRIOS Uma História marcada por lutas e conquistas 1 932 18/04/1932 1ª Greve dos Bancários Iniciada em Santos, formada por funcionários do Banco Banespa que reivindicavam melhorias salariais e das condições

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS Disciplina: Direito do Trabalho II Professora: Cláudia Glênia JUR: NÃO DEVE SER USADO COMO CONTEÚDO DE ESTUDO, NÃO DEVE SER

Leia mais

Contrato de Engajamento de Marinheiros

Contrato de Engajamento de Marinheiros 1 CONVENÇÃO N. 22 Contrato de Engajamento de Marinheiros I Aprovada pela 9ª reunião da Conferência Internacional do Trabalho (Genebra 1926), entrou em vigor no plano internacional em 4.4.28. II Dados referentes

Leia mais

Visão dos armadores sobre potencial, investimentos e obstáculos no corredor Centro Norte SINDARPA

Visão dos armadores sobre potencial, investimentos e obstáculos no corredor Centro Norte SINDARPA Visão dos armadores sobre potencial, investimentos e obstáculos no corredor Centro Norte SINDARPA SINDARPA INSTITUCIONAL O Sindicato das Empresas de Navegação Fluvial e Lacustre e das Agências de Navegação

Leia mais

Como contratar seu empregado

Como contratar seu empregado MEI - Microempreendedor Individual: Como contratar seu empregado O que você precisa para contratar o seu empregado? Para você que já se tornou MEI Microempreendedor Individual e precisa contratar um empregado,

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO - 2013

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO - 2013 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO - 2013 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO QUE FAZEM ENTRE SI, DE UM LADO O SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EMPRESAS DE SEGUROS PRIVADOS E DE CAPITALIZAÇÃO, CLUBE DE SEGUROS E

Leia mais

MC Coutinho Advocacia e Assessoria - QND 14 Lote 11 Sala 104 - Taguatinga Norte / DF Fone: (61) 3354-1575 (61) 3263-5362 Web Site:

MC Coutinho Advocacia e Assessoria - QND 14 Lote 11 Sala 104 - Taguatinga Norte / DF Fone: (61) 3354-1575 (61) 3263-5362 Web Site: APRESENTAÇÃO O Escritório MC Marins Coutinho é hoje referência em Direito Trabalhista e Sindical. A especialização em tais áreas do direito social faz parte de sua estratégia de diferenciação e excelência

Leia mais

DESEJOSOS de desenvolver a navegação marítima comercial entre os países,

DESEJOSOS de desenvolver a navegação marítima comercial entre os países, Acordo sobre Navegação Marítima Comercial entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Governo da República Popular da Bulgária Assinado em 19 de agosto de 1982 Aprovado pelo Decreto Legislativo

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000145/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 31/01/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR080680/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.001357/2014-74 DATA

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015. Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015. Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG002515/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/07/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR038779/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.004745/2014-77 DATA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 6 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR001702/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 21/05/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR014964/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.006002/2013-41

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ000096/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 18/01/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR064426/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.042751/2011-40 DATA DO

Leia mais

Trabalhadores a bordo de navios e plataformas Principais aspectos legais

Trabalhadores a bordo de navios e plataformas Principais aspectos legais Trabalhadores a bordo de navios e plataformas Principais aspectos legais Navios e Plataformas Embarcação: Designação comum a toda construção destinada a navegar sobre água. (in Aurélio) Navio: Embarcação

Leia mais

Data-Base 1º de maio de 2015

Data-Base 1º de maio de 2015 PRÉ-PAUTA DE REIVINDICAÇÕES 2015 Data-Base 1º de maio de 2015 Pré-Pauta de Reivindicações 2015 Agroindústrias do setor de carnes e leite, Cooperativas Agropecuárias, Clinicas Veterinárias, Laboratórios

Leia mais

Estudos sobre valores limite para a. contratação de serviços de vigilância e. limpeza no âmbito da Administração Pública. Federal

Estudos sobre valores limite para a. contratação de serviços de vigilância e. limpeza no âmbito da Administração Pública. Federal Estudos sobre valores limite para a contratação de serviços de vigilância e limpeza no âmbito da Administração Pública Federal Caderno Técnico 33/2014 Serviços de Vigiância Unidade da Federação: PE Data

Leia mais

CCT 2013/2015. Comparativo entre a atual Convenção Coletiva e a Pauta entregue pelo SINDPD-RJ em 31/07/2013

CCT 2013/2015. Comparativo entre a atual Convenção Coletiva e a Pauta entregue pelo SINDPD-RJ em 31/07/2013 CCT 2013/2015 Comparativo entre a atual Convenção Coletiva e a Pauta entregue pelo SINDPD-RJ em 31/07/2013 Vigência O SINDPD-RJ propõe que a Convenção Coletiva de Trabalho passe a ter vigência anual em

Leia mais

INICIAÇÃO DE PROJETO

INICIAÇÃO DE PROJETO INICIAÇÃO DE PROJETO SUMÁRIO 1) Encaminhamento de projeto à Fiotec... 1.1) Instruções para Encaminhamento do Projeto Básico... 3 3 2) Orientações para elaboração do Projeto Básico... 3 3) Estruturação

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: AL000089/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 07/04/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR002498/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46201.000506/2014-67 DATA

Leia mais

As diversas opções de aposentadoria para os Servidores Públicos Federais

As diversas opções de aposentadoria para os Servidores Públicos Federais As diversas opções de aposentadoria para os Servidores Públicos Federais Secretaria de Estudos, Pesquisas e Políticas Públicas e Secretaria de Formação Política e Sindical. SINDICATO DOS TRABALHADORES

Leia mais

Comparativo da Despesa Paga. Gratificação por Tempo de Serviço. Programa de Alimentação ao Trabalhador - Pat

Comparativo da Despesa Paga. Gratificação por Tempo de Serviço. Programa de Alimentação ao Trabalhador - Pat Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Pará CNPJ: 14.974.293/0001-12 Comparativo da Paga CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 922.380,03 665.569,81 CRÉDITO DISPONÍVEL DESPESA CORRENTE 541.961,33 188.309,60

Leia mais

Aprovado pelo Decreto Legislativo nº 41, de 10 de junho de 1980 - DOU de 13.06.80

Aprovado pelo Decreto Legislativo nº 41, de 10 de junho de 1980 - DOU de 13.06.80 Acordo entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Governo da República Portuguesa sobre Transportes e Navegação Marítima Assinado em 23 de maio de 1978 Aprovado pelo Decreto Legislativo nº 41,

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000955/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/06/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR028972/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.009094/2013-61 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SP010191/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 24/09/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR054036/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46262.003848/2010-91 DATA DO

Leia mais

Lição 13. Direito Coletivo do Trabalho

Lição 13. Direito Coletivo do Trabalho Lição 13. Direito Coletivo do Trabalho Organização sindical: Contribuições, Convenções e Acordos Coletivos do Trabalho, Dissídio Coletivo, Direito de Greve (Lei nº 7.783, de 28/6/89). Comissões de Conciliação

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016. Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016. Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC000601/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 07/04/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR016325/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46305.000436/2015-60 DATA

Leia mais

Salários, Reajustes e Pagamento

<sp> Salários, Reajustes e Pagamento TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC001994/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 20/08/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR051798/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46301.002524/2014-55

Leia mais

INSS/FGTS/IRRF TABELA DE INCIDÊNCIAS

INSS/FGTS/IRRF TABELA DE INCIDÊNCIAS INSS/FGTS/IRRF TABELA DE INCIDÊNCIAS Abonos de qualquer natureza Evento Descrição INSS FGTS IRRF Acidente de Trabalho - Típico - Trajeto - Doença Laboral Acidente de Trabalho - Típico - Trajeto - Doença

Leia mais

Aprovado pelo Decreto Legislativo nº 58, de 13 de outubro de 1989, do Congresso Nacional.

Aprovado pelo Decreto Legislativo nº 58, de 13 de outubro de 1989, do Congresso Nacional. Acordo sobre Transportes Marítimos entre a República Federativa do Brasil e a República Argentina Assinado em 15 de agosto de 1985, em Buenos Aires. Aprovado pelo Decreto Legislativo nº 58, de 13 de outubro

Leia mais

1º O Tribunal Marítimo emitirá, para as embarcações incluídas no REB, o Certificado de Registro Especial Brasileira.

1º O Tribunal Marítimo emitirá, para as embarcações incluídas no REB, o Certificado de Registro Especial Brasileira. DECRETO Nº 2.256, DE 17 DE JUNHO DE 1997 Regulamenta o Registro Especial Brasileiro-REB para embarcações de que trata a Lei nº 9.432, de 8 de janeiro de 1997. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição

Leia mais

COMO SÃO DEFINIDOS OS 2. NOSSOS SALÁRIOS

COMO SÃO DEFINIDOS OS 2. NOSSOS SALÁRIOS COMO SÃO DEFINIDOS OS 2. NOSSOS SALÁRIOS Fazendo uma analogia, podemos afirmar que salário é um preço pago pelo trabalho realizado, assim como se paga um preço por qualquer mercadoria na praça. A força

Leia mais

CONHEÇA A SUA CONVENÇÃO COLETIVA

CONHEÇA A SUA CONVENÇÃO COLETIVA CONHEÇA A SUA CONVENÇÃO COLETIVA O objetivo dessa seção é detalhar as cláusulas da convenção coletiva vigente para o período de 2011/2012, que foi assinada entre o seu Sindicato e o SEAC sindicato patronal

Leia mais

CAMPANHA SALARIAL 2013 PAUTA DE

CAMPANHA SALARIAL 2013 PAUTA DE CAMPANHA SALARIAL 2013 PAUTA DE REIVINDICAÇÕES ruas. Este tem sido um ano de intensas lutas, seja nas fábricas, seja nas São muitas as greves e mobilizações por melhores condições de trabalho, plano de

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 SINPRO X SECRASO-NP (LONDRINA)

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 SINPRO X SECRASO-NP (LONDRINA) CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 SINPRO X SECRASO-NP (LONDRINA) DATA DE REGISTRO NO MTE:23/04/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR018742/2013 SINDICATO DOS PROF.DAS ESCOLAS PART.DE LDA.E NORTE PR, CNPJ

Leia mais

COMPOSIÇÃO DO CÁLCULO DA TAXA DE ENCARGOS SOCIAIS (MEMÓRIA DE CÁLCULO)

COMPOSIÇÃO DO CÁLCULO DA TAXA DE ENCARGOS SOCIAIS (MEMÓRIA DE CÁLCULO) COMPOSIÇÃO DO CÁLCULO DA TAXA DE ENCARGOS SOCIAIS (MEMÓRIA DE CÁLCULO) ESCLARECIMENTOS PRELIMINARES Inicialmente é necessário esclarecer que este estudo permite ser moldado às características de cada empresa,

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL 1 de 7 20/3/2014 10:43 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: GO000166/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 18/03/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR001874/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46208.003144/2014-04

Leia mais

INSS/FGTS/IRRF - TABELA DE INCIDÊNCIAS Tabela de incidências

INSS/FGTS/IRRF - TABELA DE INCIDÊNCIAS Tabela de incidências INSS/FGTS/IRRF - TABELA DE INCIDÊNCIAS Tabela de incidências Evento Descrição INSS FGTS IRRF Abonos de qualquer natureza Acidente de Trabalho - Típico - Trajeto - Doença Laboral Acidente de Trabalho -

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO ARTIGOS LIVRE ACESSO AOS INSTRUMENTOS COLETIVOS DE TRABALHO

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO ARTIGOS LIVRE ACESSO AOS INSTRUMENTOS COLETIVOS DE TRABALHO TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO ARTIGOS Orientador Empresarial LIVRE ACESSO AOS INSTRUMENTOS COLETIVOS DE TRABALHO Nos dias atuais, todo cidadão tem acesso aos instrumentos coletivos

Leia mais

7.1.1 DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA EMISSÃO DO AIT ATESTADO DE INSCRIÇÃO TEMPORÁRIA DE EMBARCAÇÃO ESTRANGEIRA

7.1.1 DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA EMISSÃO DO AIT ATESTADO DE INSCRIÇÃO TEMPORÁRIA DE EMBARCAÇÃO ESTRANGEIRA 7.1.1 DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA EMISSÃO DO AIT ATESTADO DE INSCRIÇÃO TEMPORÁRIA DE EMBARCAÇÃO ESTRANGEIRA 1) Requerimento ao CP/DL. 2) Ofício/carta da empresa contendo razão social do armador, proprietário,

Leia mais

ACORDO COLETIVO 2008/2009

ACORDO COLETIVO 2008/2009 SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA E ATACADISTA DE VITÓRIA DA CONQUISTA ACORDO COLETIVO 2008/2009 SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO EM VITÓRIA DA CONQUISTA - BAHIA 01 DE MARÇO DE 2008 CONVENÇÃO COLETIVA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR003439/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 26/08/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR046249/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.012779/2015 14 DATA DO

Leia mais

Atuação do Gestor. no Departamento de Pessoal. Gestão de Pessoas. Fernando Silva da Paixão

Atuação do Gestor. no Departamento de Pessoal. Gestão de Pessoas. Fernando Silva da Paixão Atuação do Gestor no Departamento de Pessoal Atuação do Gestor Férias E 13º Salário Sistema Integrado de Gestão de Pessoas no Dep. Pessoal PLR Férias Todo empregado adquire o direito às férias após 12

Leia mais

RECURSOS HUMANOS MÓDULO PRÁTICA TRABALHISTA I

RECURSOS HUMANOS MÓDULO PRÁTICA TRABALHISTA I MÓDULO I ÍNDICE OBJETIVO METODOLOGIA BIBLIOGRAFIA RECOMENDADA CURRICULUM RESUNIDO DO PROFESSOR CAPÍTULO 1 DIREITO DO TRABALHO Conceitos, Fontes e Convenções...4 Jornada de Trabalho...8 CAPÍTULO 2 REMUNERAÇÃO

Leia mais

TRANSPETRO/PRES/RH 4.022/12 Rio de Janeiro, 09 de janeiro de 2012.

TRANSPETRO/PRES/RH 4.022/12 Rio de Janeiro, 09 de janeiro de 2012. TRANSPETRO/PRES/RH 4.022/12 Rio de Janeiro, 09 de janeiro de 2012. À Federação Nacional dos Trabalhadores em Transportes Aquaviários e afins - FNTTAA Av. Passos, 120 3º e 4º andares Centro Rio de Janeiro

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO DE 2009/2010. b) Sentença normativa proveniente de Dissídio Coletivo de Trabalho.

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO DE 2009/2010. b) Sentença normativa proveniente de Dissídio Coletivo de Trabalho. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO DE 2009/2010 ESTEL - MÁQUINAS E SERViÇOS INDUSTRIAIS LTOA, com estabelecimento à Rua Luiz Musso, 240, Vila Nova, Aracruz Espírito Santo, doravante denominada ESTEL, representado

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2012

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2012 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ002030/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 30/09/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR054079/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.033057/2010-51 DATA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 8 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000792/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 25/05/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR016119/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 47193.000049/2012-58

Leia mais

Se você for trabalhar em:

Se você for trabalhar em: Se você for trabalhar em: CONSTRUÇÃO Metal MadeIra METAL, CONSTRUCCIÓN Y AFINES DE UGT deverá saber... SEMPRE DEVE TER EM CONTA: CONTRATO DE TRABALHO: exija sempre uma cópia assinada e comprove as condições.

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015. Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015. Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS002449/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 24/10/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR057015/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.017254/2014-26 DATA DO

Leia mais

A presente Convenção Coletiva de trabalho terá vigência de 1 (um) ano, a contar de 1º de abril de 2012 a 31 de março de 2013.

A presente Convenção Coletiva de trabalho terá vigência de 1 (um) ano, a contar de 1º de abril de 2012 a 31 de março de 2013. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO que entre si fazem, de um lado o SINDICATO DOS EMPREGADOS EM EMPRESAS DISTRIBUIDORAS E CORRETORAS DE TITULOS, VALORES MOBILIARIOS E CAMBIO E DE AGENTES AUTONOMOS DE INVESTIMENTOS

Leia mais

ACORDO COLETIVO. Parágrafo 5º - As horas serão remuneradas com base no salário do mês de seu efetivo pagamento.

ACORDO COLETIVO. Parágrafo 5º - As horas serão remuneradas com base no salário do mês de seu efetivo pagamento. ACORDO COLETIVO Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Juiz de Fora, registro sindical nº. 10.610, inscrito no CNPJ sob nº. 20.453.643/0001-06, sito a rua Halfeld, 805/603 Juiz de Fora MG 36010-000,

Leia mais

NEGOCIAÇÃO COM COREN PARA ACORDO COLETIVO DE TRABALHO - PERÍODO DE 1º MAIO DE 2012 A 30 DE ABRIL DE 2013.

NEGOCIAÇÃO COM COREN PARA ACORDO COLETIVO DE TRABALHO - PERÍODO DE 1º MAIO DE 2012 A 30 DE ABRIL DE 2013. NEGOCIAÇÃO COM COREN PARA ACORDO COLETIVO DE TRABALHO - PERÍODO DE 1º MAIO DE 2012 A 30 DE ABRIL DE 2013. GARANTIA DA DATA BASE Fica estabelecido primeiro de maio como data base da categoria REAJUSTE SALARIAL

Leia mais

Estudos sobre valores limite para a. contratação de serviços de vigilância e. limpeza no âmbito da Administração Pública. Federal

Estudos sobre valores limite para a. contratação de serviços de vigilância e. limpeza no âmbito da Administração Pública. Federal Estudos sobre valores limite para a contratação de serviços de vigilância e limpeza no âmbito da Administração Pública Federal Caderno Técnico 23/2014 Serviços de Vigilância Unidade da Federação: MT Data

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO = 2005 / 2007 =

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO = 2005 / 2007 = ACORDO COLETIVO DE TRABALHO = 2005 / 2007 = Acordo Coletivo de Trabalho que fazem, de um lado, a empresa de apoio marítimo: NORSKAN OFFSHORE LTDA, doravante denominada Empresa acordante, e de outro lado

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL Página 1 de 5 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ001421/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 29/07/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR029925/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46666.001925/2014-59

Leia mais

A Lei 6.019/74 que trata da contratação da mão de obra temporária abrange todos os segmentos corporativos ou há exceções?

A Lei 6.019/74 que trata da contratação da mão de obra temporária abrange todos os segmentos corporativos ou há exceções? LUANA ASSUNÇÃO ALBUQUERK Especialista em Direito do Trabalho Advogada Associada de Cheim Jorge & Abelha Rodrigues - Advogados Associados O CONTRATO TEMPORÁRIO DE TRABALHO São as conhecidas contratações

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 9 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG001875/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 02/05/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR018509/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.004422/2012-11

Leia mais

CRP/RS. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Psicologia 7ª Região - CRPRS CNPJ: 03.230.787/0001-76. Página:1/5

CRP/RS. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Psicologia 7ª Região - CRPRS CNPJ: 03.230.787/0001-76. Página:1/5 Conselho Regional de Psicologia 7ª Região - CRPRS CNPJ: 03.230.787/0001-76 Comparativo da Paga 6.2.2.1.1 - CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 10.218.906,43 571.837,92 3.904.353,83 6.314.552,60 6.2.2.1.1.01

Leia mais

Apenas para referência. Serviços de transporte marítimo CEPA. Sector ou. 11. Serviços de Transporte. Subsector. A. Serviços de transporte marítimo

Apenas para referência. Serviços de transporte marítimo CEPA. Sector ou. 11. Serviços de Transporte. Subsector. A. Serviços de transporte marítimo Serviços de transporte marítimo CEPA A. Serviços de transporte marítimo H. Serviços de apoio Transporte internacional (transporte de mercadorias e de passageiros) (CPC7211, 7212, excluindo serviços de

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO Pelo presente instrumento, de um lado o SINDICATO DOS CONDUTORES DE VEÍCULOS E TRABALHADORES EM TRANSPORTES RODOVIÁRIOS DE CARGAS E PASSAGEIROS DE BRUSQUE, com sede na Rua

Leia mais

ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL. DEPARTAMENTO PESSOAL ONLINE www.departamentopessoalonline.com - 3 -

ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL. DEPARTAMENTO PESSOAL ONLINE www.departamentopessoalonline.com - 3 - ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL INTRODUÇÃO... 008 DISPOSIÇÕES GERAIS... 009 Conceito de empregador... 009 Conceito de empregado... 009 Direitos do empregado... 010 ASSÉDIO MORAL E SEXUAL NO TRABALHO...

Leia mais

Balancete de Verificação De 01/12/2014 até 31/12/2014

Balancete de Verificação De 01/12/2014 até 31/12/2014 Folha 1 ATIVO CAIXA 1.1.01.01.001 Caixa Geral 672,00D 754,60 1.053,60 373,00 D 1.1.01.01.002 Caixa Administrativo 25,24D 324,76 18 17 D Total do Grupo 697,24D 1.079,36 1.233,60 543,00 D BANCOS 1.1.01.02.001

Leia mais

Cartilha do Participante

Cartilha do Participante FACEAL Fundação Ceal de Assistência Social e Previdência Cartilha do Participante Manual de Perguntas e Respostas Plano Faceal CD Prezado leitor, A FACEAL apresenta esta cartilha de perguntas e respostas

Leia mais

15 - BASES DE INCIDÊNCIA E NÃO INCIDÊNCIA

15 - BASES DE INCIDÊNCIA E NÃO INCIDÊNCIA 15 - BASES DE INCIDÊNCIA E NÃO INCIDÊNCIA 15.1 - Integram a remuneração para fins de cálculos dos valores devidos à Previdência Social e a serem recolhidos para o FGTS, dentre outras, as seguintes parcelas:

Leia mais

1: 14% de aumento salarial Sindicato dos trabalhadores: Sindicato patronal: 2: Piso salarial de R$ 1mil Sindicato dos trabalhadores:

1: 14% de aumento salarial Sindicato dos trabalhadores: Sindicato patronal: 2: Piso salarial de R$ 1mil Sindicato dos trabalhadores: Das 70 reivindicações do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Caxias do Sul, 20 foram eleitas pela instituição como principais demandas da categoria que serão negociadas a partir desta segunda-feira

Leia mais

RELATÓRIO DE JULGAMENTO EMPRESA: AMAZON CONSTRUÇÕES E SERVIÇOS LTDA.

RELATÓRIO DE JULGAMENTO EMPRESA: AMAZON CONSTRUÇÕES E SERVIÇOS LTDA. PROCESSO Nº 51402.000225/2011-35 PREGÃO ELETRÔNICO Nº 009/2012 RELATÓRIO DE JULGAMENTO Trata o presente de Relatório de Julgamento relativo à licitação na modalidade de Pregão Eletrônico, Tipo Menor Preço

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ001092/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 26/06/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR005184/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.004081/2014-14 DATA DO

Leia mais

O salário normativo será fixado em 1. de setembro de 2011 em R$ 1.171,00 (Um mil, cento e setenta e um reais).

O salário normativo será fixado em 1. de setembro de 2011 em R$ 1.171,00 (Um mil, cento e setenta e um reais). ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SP012386/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 21/10/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR056287/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46266.006741/2011-45 DATA DO

Leia mais

LEI Nº 9.432, DE 8 DE JANEIRO DE 1997.

LEI Nº 9.432, DE 8 DE JANEIRO DE 1997. LEI Nº 9.432, DE 8 DE JANEIRO DE 1997. - 1 - LEI Nº 9.432, DE 8 DE JANEIRO DE 1997. Dispõe sobre a ordenação do transporte aquaviário e dá outras providências O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que

Leia mais

+ CONTEÚDO PROGRAMÁTICO E-LEAD+ 1

+ CONTEÚDO PROGRAMÁTICO E-LEAD+ 1 + CONTEÚDO PROGRAMÁTICO E-LEAD+ 1 2014/2015 A E-LEAD+ combinou Educação a Distância e trilhas de aprendizagem para apresentar a você um caminho alternativo de treinamento e capacitação de empregados. Através

Leia mais

3ª CLÁUSULA PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS: Os empregados participarão nos lucros de suas empresas empregadoras, na forma que vier estabelecida em lei.

3ª CLÁUSULA PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS: Os empregados participarão nos lucros de suas empresas empregadoras, na forma que vier estabelecida em lei. 2009/2010 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO FIRMADA ENTRE O SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMERCIO DE JACOBINA E O SINDICATO PATRONAL DO COMERCIO VAREJISTA DE JACOBINA E REGIÃO, PARA O PERIODO DE 01 DE JUNHO

Leia mais

do Transporte Aquaviário

do Transporte Aquaviário Principais dados da Pesquisa CNT do Transporte Aquaviário Cabotagem 2013 Pesquisa CNT do Transporte Aquaviário Cabotagem 2013 OBJETIVOS Pes Mensurar a importância econômica da cabotagem no Brasil. Identificar

Leia mais

TREINAMENTO: DEPARTAMENTO PESSOAL COMPLETO-ATENÇÃO AS RECENTES ALTERAÇÕES

TREINAMENTO: DEPARTAMENTO PESSOAL COMPLETO-ATENÇÃO AS RECENTES ALTERAÇÕES TREINAMENTO: DEPARTAMENTO PESSOAL COMPLETO-ATENÇÃO AS RECENTES ALTERAÇÕES PROGRAMA Módulo I - Processo Admissional Providências da Empresa, Documentação Exigida, Exame Médico na Admissão, CAGED, Registro

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL 1 de 5 05/11/2014 10:02 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002761/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 04/11/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR066410/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.007110/2014-12

Leia mais

Tal fato decorre do princípio da continuidade da relação do emprego, que é um princípio basilar do Direito do Trabalho.

Tal fato decorre do princípio da continuidade da relação do emprego, que é um princípio basilar do Direito do Trabalho. 1. CONTRATO POR PRAZO INDETERMINADO O Contrato por prazo indeterminado é firmado quando o empregado for contratado para trabalhar em atividades normais da empresa, sem tempo de duração (Princípio da Continuidade

Leia mais

SINDPD/SC SINDICATO DOS EMPREGADOS EM EMPRESAS DE PROCESSAMENTO DE DADOS DE SANTA CATARINA.

SINDPD/SC SINDICATO DOS EMPREGADOS EM EMPRESAS DE PROCESSAMENTO DE DADOS DE SANTA CATARINA. PAUTA DE REIVINDICAÇÕES 2012/2013 GRUPO I CLÁUSULAS ECONÔMICAS CLÁUSULA 1 ª. REAJUSTE SALARIAL Em 01.08.2012, os salários dos trabalhadores serão reajustados em 100% (cem por cento) do Índice do Custo

Leia mais

RAIS ANO BASE 2014. CONTRIBUIÇÃO SINDICAL: Os empregadores deverão, ainda, informar na RAIS:

RAIS ANO BASE 2014. CONTRIBUIÇÃO SINDICAL: Os empregadores deverão, ainda, informar na RAIS: RAIS ANO BASE 2014 As instruções para entrega da declaração da Relação Anual de Informações Sociais - RAIS ano base 2014, foram definidas pela PORTARIA Nº 10, DE 09 DE JANEIRO DE 2015. PRAZO DE ENTREGA:

Leia mais

ENCARGOS SOCIAIS DO TRABALHO NOS CUSTOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL - MAIO/2011

ENCARGOS SOCIAIS DO TRABALHO NOS CUSTOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL - MAIO/2011 ENCARGOS SOCIAIS DO TRABALHO NOS CUSTOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL - MAIO/2011 I APRESENTAÇÃO Este relatório tem por finalidade fornecer subsídios à empresas construtoras e órgãos contratantes sobre o método

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR029594/2015 DATA E HORÁRIO DA TRANSMISSÃO: 21/05/2015 ÀS 15:50 SINDICATO DOS EMP NO COM DE CONSELHEIRO LAFAIETE, CNPJ n. 19.721.463/0001-70,

Leia mais

Resumo Aula-tema 05: Repouso, férias, remuneração e salário. FGTS. Meio ambiente do trabalho

Resumo Aula-tema 05: Repouso, férias, remuneração e salário. FGTS. Meio ambiente do trabalho Resumo Aula-tema 05: Repouso, férias, remuneração e salário. FGTS. Meio ambiente do trabalho O fundamento da fixação da jornada de trabalho é de ordem tríplice, senão vejamos: de ordem social, no sentido

Leia mais

CREFITO/RS. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional 5ª Região CNPJ: 90.601.147/0001-20.

CREFITO/RS. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional 5ª Região CNPJ: 90.601.147/0001-20. Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional 5ª Região CNPJ: 90.601.147/0001-20 Comparativo da Paga CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 6.425.208,00 2.742.999,95 2.742.999,95 3.682.208,05 CRÉDITO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PE000976/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 11/10/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR040264/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46213.016579/2011-99 DATA DO

Leia mais

JORNADA DE TRABALHO SINDIREPA LUCIANA CHARBEL GERÊNCIA DE RELAÇÕES TRABALHISTAS 20 DE JUNHO DE 2013

JORNADA DE TRABALHO SINDIREPA LUCIANA CHARBEL GERÊNCIA DE RELAÇÕES TRABALHISTAS 20 DE JUNHO DE 2013 JORNADA DE TRABALHO SINDIREPA LUCIANA CHARBEL GERÊNCIA DE RELAÇÕES TRABALHISTAS 20 DE JUNHO DE 2013 DURAÇÃO DA JORNADA DE TRABALHO DIÁRIA: 8 HORAS SEMANAL: 44 HORAS MENSAL: 220 HORAS INTERVALOS PARA DESCANSO

Leia mais

MAR - Registo Internacional de Navios da Madeira

MAR - Registo Internacional de Navios da Madeira MAR - Registo Internacional de Navios da Madeira MAR: Registo Internacional de Navios da Madeira S.D.M. - Sociedade de Desenvolvimento da Madeira, S.A. Rua da Mouraria, n.º 9-1.º P. O. Box 4164, 9001-801

Leia mais

No geral, a Hamburg Süd alcançou um resultado positivo nos serviços marítimos mesmo com as adversidades verificadas no mercado.

No geral, a Hamburg Süd alcançou um resultado positivo nos serviços marítimos mesmo com as adversidades verificadas no mercado. Hamburg Süd encerra 2014 com faturamento de 5,2 bilhões de euros Empresa movimentou, juntamente com a subsidiária Aliança, cerca de 3,4 milhões de contêineres, um aumento de 2% em relação ao período anterior

Leia mais

Parte I - Direito do trabalho - parte geral, 1. 1 Evolução histórica, 3 1 Evolução mundial, 3 2 Evolução no Brasil, 4.

Parte I - Direito do trabalho - parte geral, 1. 1 Evolução histórica, 3 1 Evolução mundial, 3 2 Evolução no Brasil, 4. Parte I - Direito do trabalho - parte geral, 1 1 Evolução histórica, 3 1 Evolução mundial, 3 2 Evolução no Brasil, 4 2 Denominação, 6 3 Conceito e divisão da matéria, 8 4 Posição enciclopédica, 9 5 Fontes,

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012 RS001648/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 05/09/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR048052/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.012138/2011-78 DATA DO PROTOCOLO: 01/09/2011 Confira

Leia mais

Férias Coletivas: AULA 7: terço constitucional

Férias Coletivas: AULA 7: terço constitucional AULA 7: Férias Coletivas: ART. 7º, XVII, CRFB gozo de férias anuais remuneradas com, pelo menos, ⅓ a + do que o salário normal. FÉRIAS = SALÁRIO + ⅓ terço constitucional férias coletivas art. 139 a 141

Leia mais

Câmara Temática de Infraestrutura e Logística CTLOG 10 de junho de 2015 Brasília - DF

Câmara Temática de Infraestrutura e Logística CTLOG 10 de junho de 2015 Brasília - DF Câmara Temática de Infraestrutura e Logística CTLOG 10 de junho de 2015 Brasília - DF André Mello Vice Presidente Executivo da ABAC Associação Brasileira dos Armadores de Cabotagem Junho/2015 Agenda Apresentação

Leia mais

ENCARGOS SOCIAIS. Grupo A. Subtotal. Grupo B. Subtotal. Grupo C. Subtotal Grupo D. Total de Encargos Sociais

ENCARGOS SOCIAIS. Grupo A. Subtotal. Grupo B. Subtotal. Grupo C. Subtotal Grupo D. Total de Encargos Sociais ENCARGOS SOCIAIS 1 INSS 20,00% 2 SESI ou SESC 1,50% 3 SENAI ou SENAC 1,00% 4 INCRA 0,20% 5 Salário Educação 2,50% 6 FGTS 8,00% 7 Seguro Acidente do Trabalho/SAT/INSS 3,00% 8 SEBRAE 0,60% 9 SECONCI 1,00%

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO Pelo presente instrumento, de um lado o SINDICATO DOS CONDUTORES DE VEÍCULOS E TRABALHADORES EM TRANSPORTES RODOVIÁRIOS DE CARGAS E PASSAGEIROS DE CANOINHAS, com sede na

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS002353/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 16/11/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR064468/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.017313/2015-47 DATA DO

Leia mais

CARTA DE FOZ DO IGUAÇU

CARTA DE FOZ DO IGUAÇU CARTA DE FOZ DO IGUAÇU Reunidos em Foz do Iguaçu, Paraná, no dia 2 de outubro de 2015, no II Encontro dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Região Sul, 566 representantes de 215 sindicatos, 23 federações,

Leia mais

PAUTA DA CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 CLÁUSULAS ECONÔMICAS

PAUTA DA CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 CLÁUSULAS ECONÔMICAS PAUTA DA CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 CLÁUSULAS ECONÔMICAS Cláusula 01 - ABRANGÊNCIA A presente Convenção Coletiva de Trabalho abrangerá todos os Empregadores e Empregados das categorias econômicas

Leia mais

MARINHA MERCANTE COMO UM DOS FACTORES IMPULSIONADORES DE DESENVOLVIMENTO

MARINHA MERCANTE COMO UM DOS FACTORES IMPULSIONADORES DE DESENVOLVIMENTO MARINHA MERCANTE COMO UM DOS FACTORES IMPULSIONADORES DE DESENVOLVIMENTO Arlindo Zandamela Instituto Nacional das Comunicações de Moçambique (INCM) Lisboa, Portugal Zandamela.arlindo@gmail.com Sumário

Leia mais

NEGOCIAÇÃO ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009-2010

NEGOCIAÇÃO ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009-2010 NEGOCIAÇÃO ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009-2010 Ata da 6ª reunião entre o Serviço Federal de processamento de Dados (SERPRO) e a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Processamento de Dados,

Leia mais