LOGÍSTICA, TRANSPORTE E SEGURO INTERNACIONAL. Professor: Ms. Adm. Antônio Maria

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LOGÍSTICA, TRANSPORTE E SEGURO INTERNACIONAL. Professor: Ms. Adm. Antônio Maria E-mail: antoniomaria@outlook.com.br"

Transcrição

1 LOGÍSTICA, TRANSPORTE E SEGURO INTERNACIONAL Professor: Ms. Adm. Antônio Maria

2 EMENTA Introdução ao transporte internacional. INCOTERM s. Transporte marítimo, aéreo, ferroviário, fluvial, rodoviário e outros, suas características físicas, jurídicas, custo e tarifa. Transporte Multimodal. Documentos de embarque e desembaraço. Mercadorias perigosas. Seguros: tipos, responsabilidade, garantias e custo.

3 REFERÊNCIAS RODRIGUES, Paulo Roberto Ambrósio. Introdução aos sistemas de transportes no Brasil e a logística internacional 3ª ed. São Paulo: Aduaneiras, KEEDI, Samir. Logística de transporte internacional: veículo prático de competitividade. São Paulo: Aduaneiras, TAYLOR, David A. Logística na cadeia de suprimentos: uma perspectiva gerencial. São Paulo: Pearson Addison-Wesley, MENDONÇA, P. Transportes e Seguros. São Paulo: Aduaneiras, 2007.

4 INTRODUÇÃO AO TRANSPORTE INTERNACIONAL O QUE É TRANSPORTE? É O DESLOCAMENTO DE PESSOAS E PESOS DE UM LOCAL PARA OUTRO (RODRIGUES, 2003)

5 INTRODUÇÃO AO TRANSPORTE INTERNACIONAL Evolução do transporte. Nos primórdios da Humanidade todos os pesos eram transportados pelo próprio Homem, levando em consideração a sua limitada capacidade física. Após ter começado a permutar mercadorias (escambo), alguns animais foram domesticados e utilizados para ampliar a capacidade de transporte. Com o advento da agricultura, as mercadorias disponíveis para serem trocadas se diversificavam cada mais. Impulsionado por essa necessidade, o ser humano inventou a roda e construiu veículos puxados por animais, otimizando o potencial de cargas transportadas de uma única vez.

6 INTRODUÇÃO AO TRANSPORTE INTERNACIONAL Transportes como fator de custo Na maior parte das indústrias, a atividade de transporte representa um dos elementos mais importantes na composição do custo logístico. Nas nações desenvolvidas, os fretes costumam absorver cerca de 60% do gasto logístico total e entre 9% e 10% do produto nacional bruto (PNB). Assim, a contratação de serviços de transporte deve buscar eficiência e qualidade, com base em relacionamentos de parceria. Qualquer estratégia comercial deve obrigatoriamente contemplar o fator economicidade. Um dos fatores de ganhos em competitividade é a escolha do modal de transporte que agregue menos custo ao produto durante o seu percurso.

7 INTRODUÇÃO AO TRANSPORTE INTERNACIONAL O Transporte de Cargas no Mundo (%) Países Hidrovia Ferrovia Rodovia Alemanha Canadá EUA França Rússia Brasil* * Aerovias +dutos = 8% Fonte: Ministério dos Transportes (1999)

8 INTRODUÇÃO AO TRANSPORTE INTERNACIONAL Exemplos comparativos de custos entre diferentes modais de transportes no Brasil. (RODRIGUES, 2003) Uma carreta para 35 toneladas de carga (padrão médio), consome cerca de 1,0 litro de diesel por cada 1,2 quilômetros rodados, à velocidade média de 60 Km/h. Ou seja, gasta cerca de litros de combustível para cobrir a distância rodoviária de Km na rota-padrão entre o ABC paulista e Manaus. Considerando que, para grandes consumidores, o preço médio do litro de diesel é da ordem de US$ 0,30, totalizamos US$ 28,93 (custo do combustível) por tonelada transportada.

9 INTRODUÇÃO AO TRANSPORTE INTERNACIONAL Fonte: acessado em 02/02/2014.

10 INTRODUÇÃO AO TRANSPORTE INTERNACIONAL Atualizando os dados (31/01/14) PREÇO DO DIESEL RECIFE (R$) PREÇO DO DIESEL (US$) 2,190 0,908 CONSUMO TOTAL DE DIESEL (L) GASTO TOTAL COM DIESEL (R$) ,25 CUSTO DO DIESEL POR TONELADA (R$) CUSTO DO DIESEL POR TONELADA (US$) 211,18 98,63

11 INTRODUÇÃO AO TRANSPORTE INTERNACIONAL Formas de transporte UNIMODAL Uma modalidade e um contrato SUCESSIVO Uma modalidade e um ou mais contratos SEGMENTADO Uma ou mais modalidades com contratos separados MULTIMODAL Duas ou mais modalidades e um único contrato

12 INTRODUÇÃO AO TRANSPORTE INTERNACIONAL Modos ou Modais de Transporte

13 INTRODUÇÃO AO TRANSPORTE INTERNACIONAL Os modos utilizados para se efetuar um transporte podem ser: RODOVIÁRIO FERROVIÁRIO FLUVIAL/LACUSTRE MARITÍMO AQUAVIÁRIO AÉREO DUTOVIÁRIO

14 INTRODUÇÃO AO TRANSPORTE INTERNACIONAL As principais variáveis de decisão quanto à seleção dos modais de transportes são: Disponibilidade e frequência do transporte; Confiabilidade do tempo de trânsito; Valor do frete; Índice de faltas e/ou avarias (taxa de sinistro); Nível de serviços prestados.

15 INTRODUÇÃO AO TRANSPORTE INTERNACIONAL nomia-geral,estrangeiros-entram-no-mercadode-combustivel-maritimo,146947,0.htm Link off-line

16 INTRODUÇÃO AO TRANSPORTE INTERNACIONAL TERMINOLOGIA UTILIZADA EM TRANSPORTES Embarcador ou Expedidor Pessoa física ou jurídica que celebra o contrato de transporte com o transportador, não necessariamente o proprietário da mercadoria. Consignatário Pessoa física ou jurídica legitimamente autorizada para receber a mercadoria no local contratualmente acordado para sua entrega.

17 INTRODUÇÃO AO TRANSPORTE INTERNACIONAL Volume indivisível Volume unitário contendo mercadorias, indivisível durante o processo de transferência e movimentação, ao longo de seu percurso e em todas as modalidades de transportes utilizadas. Carga fracionada Volumes de carga solta, constituídos por sacos, fardos, tambores, barris, engradados, etc.

18 INTRODUÇÃO AO TRANSPORTE INTERNACIONAL Carga Unitizada Lote formado por diversos pequenos volumes de carga fracionada, acondicionados em uma única unidade de carga. Pallet (ou Palete) Estrado com entradas para os garfos de empilhadeiras, feito em madeira ou materiais sintéticos, sobre cuja superfície se pode agrupar e fixar as mercadorias com fitas de poliester, nylon ou outros meios, constituindo uma unidade de carga.

19 INTRODUÇÃO AO TRANSPORTE INTERNACIONAL Pré-lingado Rede especial resistente, manufaturada com fios de poliester, nylon ou similar, adequada para unitizar mercadorias ensacadas, empacotadas ou acondicionadas de outras formas (marino slings). Contêiner Caixa de aço ou outro material resistente, destinada a acondicionar mercadorias para transporte com segurança, inviolabilidade e rapidez.

20 INTRODUÇÃO AO TRANSPORTE INTERNACIONAL House to house (door to door) A expressão diz respeito ao alcance do transporte. Significa que a mercadoria será recebida pelo transportador no seu local de origem ou onde melhor convier ao interesse do embarcador e liberada no destino final onde o consignatário o desejar.

21 INTRODUÇÃO AO TRANSPORTE INTERNACIONAL Pier to pier A expressão Porto a porto, significa que antes do transportador principal (maior percurso) receber a mercadoria, já houve um transporte anterior, às expensas do embarcador e que, após a mercadoria ser liberada no destino acordado, provavelmente haverá um transporte adicional antes de ser finalmente recebida pelo consignatário.

22 INTRODUÇÃO AO TRANSPORTE INTERNACIONAL Pier to house O termo Porto na origem identifica que já houve um transporte antes do transportador principal receber a mercadoria e que este, após recebe-la a entregará no seu destino final, conforme indica a expressão Porta no destino. House to pier Situação inversa à anterior, indica que o transportador irá buscar a mercadoria no seu local de origem e que após a sua entrega no local acordado, provavelmente haverá um transporte adicional antes de ser recebida pelo consignatário.

23 INTRODUÇÃO AO TRANSPORTE INTERNACIONAL Contrato de transporte Documento que expressa a relação entre o transportador e o usuário. Juntamente com a apólice de seguro e o contrato de compra e venda, todos interrelacionados, regulam os direitos e deveres entre as partes envolvidas. Conhecimento de transporte (Bill of lading) É a prova da existência do contrato de transporte, no qual se discrimina e disciplina as cláusulas que regerão estes transportes.

24 INTRODUÇÃO AO TRANSPORTE INTERNACIONAL Seguro-carga Ao ser transportada por qualquer dos modos e formas existentes, a mercadoria corre riscos, devendo ser segurada porta-a-porta pelo interessado: embarcador, exportdor, destinatário ou importador. Diz respeito à carga e não ao veículo transportador, onde quer que esteja, em qualquer dos modos ou formas de trasnportes.

25 INTRODUÇÃO AO TRANSPORTE INTERNACIONAL Seguro-casco Cobre apenas o equipamento que efetua o transporte. Sua indenização diz respeito aos prejuízos que este possa sofrer, independente de estar transportando carga. Não guarda nenhuma relação com a carga.

26 INCOTERMS Conjunto de termos de entrega das mercadorias, uniformizados pela CCI Câmara de Comércio Internacional Paris, e publicadas desde 1936, sendo atualizados continuamente, de acordo com os usos e costumes dos países. Este instrumento auxilia o desenvolvimento do comércio mundial, pois proporciona aos países, a utilização de regras uniformes e universalmente aceitas.

27 INCOTERMS Os INCOTERMS são representados por siglas. As regras estabelecidas internacionalmente são uniformes e imparciais e servem de base para negociação no comércio entre países.

28 INCOTERMS EXW FCA FAS FOB CFR CPT CIF CIP DAF DES DEQ DDU DDP

29 INCOTERMS Tendo em vista a publicação do Incoterms 2010 pela Câmara de Comércio Internacional (International Chamber of Commerce - ICC) e a entrada em vigência da Resolução CAMEX nº 21, de 07 de abril de 2011, normatizando o assunto, a partir do dia 16/09/2011 serão implantadas as seguintes alterações implementadas no SISCOMEX IMPORTAÇÃO:

30 INCOTERMS Deixam de existir os termos DAF, DES, DEQ e DDU: Estes termos não aparecem mais como opção para o Importador na elaboração e registro de DIs, mas continuam existindo nas consultas e retificações de declarações e LI s já registradas. Estes termos serão substituídos por 2 novos termos: DAT e DAP. Será possível efetuar o registro de DI para LI já registrada com termo extinto.

31 INCOTERMS Licença de Importação (DI), documento eletrônico processado no Sistema Integrado de Comércio Exterior Siscomex, utilizado para licenciar as importações de produtos cuja natureza ou tipo de operação está sujeita a controles dos órgãos governamentais. Para produtos que não estão sujeitos a controles especiais, o importador precisa apenas providenciar a Declaração de Importação (DI), também no Siscomex.

32 INCOTERMS Declaração de Importação (DI), documento eletrônico que consolida as informações cambiais, tributárias, fiscais, comerciais e estatísticas de uma operação de importação de bens, cujo processamento ocorre através do Sistema Integrado de Comércio Exterior Siscomex.

33 INCOTERMS Grupo E EXW - Ex Works - a mercadoria é entregue no estabelecimento do vendedor, em local designado. O comprador recebe a mercadoria no local de produção (fábrica, plantação, mina, armazém), na data combinada; todas as despesas e riscos cabem ao comprador, desde a retirada no local designado até o destino final; são mínimas as obrigações e responsabilidade do vendedor.

34 INCOTERMS Grupo F FCA - Free Carrier - Franco Transportador ou Livre Transportador. A obrigação do vendedor termina ao entregar a mercadoria, desembaraçada para a exportação, à custódia do transportador nomeado pelo comprador, no local designado; o desembaraço aduaneiro é encargo do vendedor.

35 INCOTERMS Grupo F FAS - Free Alongside Ship - Livre no Costado do Navio. A obrigação do vendedor é colocar a mercadoria ao lado do costado do navio no cais do porto de embarque designado ou em embarcações de transbordo. Com o advento do Incoterms 2000 o desembaraço da mercadoria passa a ser de responsabilidade do vendedor, ao contrário da versão anterior quando era de responsabilidade do comprador.

36 INCOTERMS Grupo F FOB - Free on Board - Livre a Bordo do Navio. O vendedor, sob sua conta e risco, deve colocar a mercadoria a bordo do navio indicado pelo comprador, no porto de embarque designado. Compete ao vendedor atender as formalidades de exportação; esta fórmula é a mais usada nas exportações brasileiras por via marítima ou aquaviário doméstico. A utilização da cláusula FCA será empregada, no caso de utilizar o transporte rodoviário, ferroviário ou aéreo.

37 INCOTERMS Grupo C CFR - Cost and Freight - Custo e Frete. As despesas decorrentes da colocação da mercadoria a bordo do navio, o frete até o porto de destino designado e as formalidades de exportação correm por conta do vendedor; os riscos e danos da mercadoria, a partir do momento em que é colocada a bordo do navio, no porto de embarque, são de responsabilidade do comprador, que deverá contratar e pagar o seguro e os gastos com o desembarque. Este termo pode ser utilizado somente para transporte marítimo ou transporte fluvial doméstico. Será utilizado o termo CPT quando o meio de transporte for rodoviário, ferroviário ou aéreo.

38 INCOTERMS Grupo C CIF - Cost, Insurance and Freight - Custo, Seguro e Frete. Cláusula universalmente utilizada em que todas despesas, inclusive seguro marítimo e frete, até a chegada da mercadoria no porto de destino designado correm por conta do vendedor; todos os riscos, desde o momento que transpõe a amurada do navio, no porto de embarque, são de responsabilidade do comprador; o comprador recebe a mercadoria no porto de destino e arca com todas despesas, tais como, desembarque, impostos, taxas, direitos aduaneiros. Esta modalidade somente pode ser utilizada para transporte marítimo. Deverá ser utilizado o termo CIP para os casos de transporte rodoviário, ferroviário ou aéreo.

39 INCOTERMS Grupo C CPT - Carriage Paid To - Transporte Pago Até. O vendedor paga o frete até o local do destino indicado; o comprador assume o ônus dos riscos por perdas e danos, a partir do momento em que a transportadora assume a custódia das mercadorias. Este termo pode ser utilizado independentemente da forma de transporte, inclusive multimodal.

40 INCOTERMS Grupo C CIP - Carriage and Insurance Paid to - Transporte e Seguro Pagos até. O frete é pago pelo vendedor até o destino convencionado; as responsabilidades são as mesmas indicadas na CPT, acrescidas do pagamento de seguro até o destino; os riscos e danos passam para a responsabilidade do comprador no momento em que o transportador assume a custódia das mercadorias. Este termo pode ser utilizado independentemente da forma de transporte, inclusive multimodal.

41 INCOTERMS Grupo D DAF - Delivered At Frontier - Entregue na Fonteira. A entrega da mercadoria é feita em um ponto antes da fronteira alfandegária com o país limítrofe desembaraçada para exportação, porém não desembaraçada para importação; a partir desse ponto a responsabilidade por despesas, perdas e danos é do comprador.

42 INCOTERMS Grupo D DES - Delivered Ex-Ship - Entregue no Navio. O vendedor coloca a mercadoria, não desembaraçada, a bordo do navio, no porto de destino designado, à disposição do comprador; até chegar ao destino, a responsabilidade por perdas e danos é do vendedor. Este termo somente pode ser utilizado quando tratar-se de transporte marítimo.

43 INCOTERMS Grupo D DEQ - Delivered Ex-Quay - Entregue no Cais. O vendedor entrega a mercadoria não desembaraçada ao comprador, no porto de destino designado; a responsabilidade pelas despesas de entrega das mercadorias ao porto de destino e desembarque no cais é do vendedor. Este Incoterm prevê que é de responsabilidade do comprador o desembaraço das mercadorias para importação e o pagamento de todas as formalidades, impostos, taxas e outras despesas relativas à importação, ao contrário dos Incoterms 1990.

44 INCOTERMS Grupo D DDU - Delivered Duty Unpaid - Entregues Direitos Não-pagos. Consiste na entrega de mercadorias dentro do país do comprador, descarregadas; os riscos e despesas até a entrega da mercadoria correm por conta do vendedor exceto as decorrentes do pagamento de direitos, impostos e outros encargos decorrentes da importação.

45 INCOTERMS Grupo D DDP - Delivered Duty Paid - Entregue Direitos Pagos. O vendedor cumpre os termos de negociação ao tornar a mercadoria disponível no país do importador no local combinado desembaraçada para importação, porém sem o compromisso de efetuar desembarque; o vendedor assume os riscos e custos referentes a impostos e outros encargos até a entrega da mercadoria; este termo representa o máximo de obrigação do vendedor em contraposição ao EXW.

46 INCOTERMS Referências: ncotermsrevised.pdf /atbhe/tus/default.aspx?/p/1/a/1 KEEDI, Samir. Logística de transporte internacional: veículo prático de competitividade, São Paulo: Aduaneiras, 2001.

47 TRANSPORTE MULTIMODAL Caracteriza-se pela situação onde a carga é transportada ao longo de todo o seu percurso utilizando duas ou mais modalidades de transportes, abrangidas por um único contrato de transporte, de forma indivisível e inviolável.

48 TRANSPORTE MULTIMODAL O Conceito de multimodalidade foi introduzido no Brasil de forma embrionária com a Lei 6.288, de 11/12/75, complementada pelo Decreto , de 15/08/77, ambos já revogados. Com a promulgação da Lei 9.611/98, de 19/02/98, regulamentada pelo Decreto 3.411, de 12/04/2000, o Brasil consagrou o transporte multimodal, através da instituição de um único responsável durante todo o percurso (contrato único com o embarcador), dando à carga facilidades operacionais e burocráticas para a passagem de um modo de transporte a outro, com responsabilidades definidas em lei.

49 TRANSPORTE MULTIMODAL Para que um transporte seja considerado como multimodal, é necessário: Ser realizado, pelo menos, por dois modos de transportes; Haver um único responsável perante o dono da carga (OTM); Haver um único contrato de transporte entre transportador e o dono da mercadoria; Existir um conhecimento único (Multimodal Bill of Landing), válido para todo o percurso; Uso de cargas unitizadas e indivisíveis; Inspeções fiscais apenas na origem e no destino.

50 TRANSPORTE MULTIMODAL Definições Legais Transporte Multimodal Transporte de mercadorias com um único contrato de transporte, utilizando pelo menos dois modais, em decorrência da existência de um Contrato de Transporte Multimodal, desde o local onde o Operador de Transporte Multimodal tomar as mercadorias sob sua custódia até o lugar contratual para entrega, responsabilizando-se além do transporte em si, pelos serviços de coleta, consolidação e/ou desconsolidação, unitização e/ou desunitização da carga, armazenagem, manipulação e entrega ao destinatário.

51 TRANSPORTE MULTIMODAL Definições Legais Contrato de Transporte Multimodal Acordo de vontades através do qual um Operador de Transportes Multimodal se compromete, contra o pagamento de um frete, a executar ou a fazer executar o transporte multimodal internacional de mercadorias.

52 TRANSPORTE MULTIMODAL Definições Legais Conhecimento de Transporte Multimodal Documento que comprova a celebração de um contrato de Transporte Multimodal e prova que o OTM recebeu as mercadorias sob sua custódia tal como descrito nesse contrato, comprometendo-se a entregá-las conforme suas cláusulas.

53 TRANSPORTE MULTIMODAL Definições Legais Operador de Transporte Multimodal (OTM) Pessoa Jurídica, transportador ou não, que por si só ou através de outra que atue em seu interesse, celebre um Contrato de Transporte Multimodal, atuando como principal e não como agente ou no interesse do Expedidor ou de transportadores que participem das operações de Transportes Multimodal, estabelecendo contratos entre si e os demais e repassando um único contrato de transporte ao embarcador, nele abrangida a coordenação e a responsabilidade pelas movimentações, transbordos e transportes durante todo o percurso e modais envolvidos.

54 TRANSPORTE MULTIMODAL Definições Legais Transportador Pessoa que efetivamente executa o transporte ou parte dele, seja ou não OTM. Tomar sob custódia O ato de colocar fisicamente as mercadorias sob o poder do OTM, com aceitação do mesmo em transportá-las conforme as leis e usos do comércio imperantes. Consolidação Recebimento de mercadoria, sua preparação para embarque e emissão por Operador de Transporte Multimodal de um conhecimento mestre de transporte internacional. Entrega de mercadorias O ato de pôr as mercadorias, por parte do OTM, à disposição efetiva e material de consignatário, de conformidade com o Contrato de Transporte Multimodal.

55 TRANSPORTE MULTIMODAL Vantagens Sob o aspecto operacional, é necessário que a carga seja unitizada, de forma indivisível e inviolável. Sob o aspecto fiscal, a carga é inspecionada apenas na origem e/ou destino, não ocorrendo desagregação das suas unidades de carga durante todo o transporte.

MÓDULO 5 Termos Internacionais de Comércio (INCOTERMS)

MÓDULO 5 Termos Internacionais de Comércio (INCOTERMS) MÓDULO 5 Termos Internacionais de Comércio (INCOTERMS) Os INCOTERMS são regras criadas pela Câmara de Comércio Internacional (CCI) para administrar conflitos que possam existir através da interpretação

Leia mais

Termos Internacionais de Comércio EXW FCA FAS FOB CFR CIF CPT CIP DAP DAT DDP

Termos Internacionais de Comércio EXW FCA FAS FOB CFR CIF CPT CIP DAP DAT DDP Termos Internacionais de Comércio EXW FCA FAS FOB CFR CIF CPT CIP DAP DAT DDP Aspectos Gerais Cada vez mais as empresas recorrem às potencialidades do mercado global. Neste contexto é necessária a perfeita

Leia mais

Aula 11 TERMOS INTERNACIONAIS DE COMÉRCIO - (INTERNATIONAL COMMERCIAL TERMS - INCO- TERMS). MAIA (2007) apresenta a Convenção de Genebra

Aula 11 TERMOS INTERNACIONAIS DE COMÉRCIO - (INTERNATIONAL COMMERCIAL TERMS - INCO- TERMS). MAIA (2007) apresenta a Convenção de Genebra Aula 11 TERMOS INTERNACIONAIS DE COMÉRCIO - (INTERNATIONAL COMMERCIAL TERMS - INCO- TERMS). MAIA (2007) apresenta a Convenção de Genebra Em 1931, os países membros da Liga das Nações (Órgão, naquela época,

Leia mais

SEMINÁRIO TEMÁTICO VII: COMÉRCIO EXTERIOR EXEMPLO 1 EXEMPLO 2 AULA 02: OS FLUXOS COMERCIAIS BRASILEIROS

SEMINÁRIO TEMÁTICO VII: COMÉRCIO EXTERIOR EXEMPLO 1 EXEMPLO 2 AULA 02: OS FLUXOS COMERCIAIS BRASILEIROS SEMINÁRIO TEMÁTICO VII: COMÉRCIO EXTERIOR AULA 02: OS FLUXOS COMERCIAIS BRASILEIROS TÓPICO 04: TERMOS INTERNACIONAIS DE COMÉRCIO No tópico anterior você teve a oportunidade de conhecer os órgãos responsáveis

Leia mais

VISÃO GERAL - INCOTERMS COMÉRCIO INTERNACIONAL. Contratos e Termos Internacionais de Comércio: INCOTERMS 2000

VISÃO GERAL - INCOTERMS COMÉRCIO INTERNACIONAL. Contratos e Termos Internacionais de Comércio: INCOTERMS 2000 COMÉRCIO INTERNACIONAL VISÃO GERAL - INCOTERMS Contratos e Termos Internacionais de Comércio: INCOTERMS 2000 Prof.Nelson Guerra Concurso Receita Federal EXW Ex Works Tradução: Na Origem Exemplo: EXW-Curitiba

Leia mais

O Uso dos Incoterms na Exportação

O Uso dos Incoterms na Exportação O Uso dos Incoterms na Exportação Por JOSÉ ELIAS ASBEG Auditor Fiscal da Receita Federal do Brasil Belém - Pará Nas exportações brasileiras, são aceitas quaisquer condições de venda praticadas no comércio

Leia mais

9. INCOTERMS. CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio FONTES: Exterior. São Paulo: Aduaneiras, 2010.

9. INCOTERMS. CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio FONTES: Exterior. São Paulo: Aduaneiras, 2010. 9. INCOTERMS CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio FONTES: SILVA, Luiz Augusto Tagliacollo. Logística no Comércio Exterior. São Paulo: Aduaneiras, 2010. SOUZA, José Meireles de Sousa. Gestão do Comércio

Leia mais

SEGUROS E RISCOS EM TRANSPORTE INTERNACIONAL. Profª MSc Cristiana Rennó D Oliveira Andrade

SEGUROS E RISCOS EM TRANSPORTE INTERNACIONAL. Profª MSc Cristiana Rennó D Oliveira Andrade SEGUROS E RISCOS EM TRANSPORTE INTERNACIONAL Profª MSc Cristiana Rennó D Oliveira Andrade TRANSPORTE INTERNACIONAL Transporte Internacional: comercial e global progresso e desenvolvimento troca e circulação

Leia mais

INCONTERMS 2010. Grupo E (Partida) EXW EX Works A partir do local de produção ( local designado: fábrica, armazém, etc.)

INCONTERMS 2010. Grupo E (Partida) EXW EX Works A partir do local de produção ( local designado: fábrica, armazém, etc.) Numa negociação internacional, é muito importante que o gestor comercial esclareça com o seu cliente quais serão as condições de entrega a praticar para a mercadoria que vai ser transacionada, ou seja,

Leia mais

Faculdade Salesiana Dom Bosco de Piracicaba

Faculdade Salesiana Dom Bosco de Piracicaba Faculdade Salesiana Dom Bosco de Piracicaba Ana Paula Haypas Olvera Gabriela Itália Sartori Lucas Selles Marina Feo Luís Henrique João Comércio Exterior Contrato de Compra e Venda Internacional Piracicaba

Leia mais

Informações INCOTERMS 2010 - versão 1.0-19/08/2015 1/7. Informa

Informações INCOTERMS 2010 - versão 1.0-19/08/2015 1/7. Informa Informações INCOTERMS 2010 - versão 1.0-19/08/2015 1/7 Informa INCOTERMS 2010 Tendo em vista a publicação do Incoterms 2010 pela Câmara de Comércio Internacional (International Chamber of Commerce - ICC)

Leia mais

GRUPO C Transporte principal pago pelo exportador (riscos do importador)

GRUPO C Transporte principal pago pelo exportador (riscos do importador) Na última aula, estudamos os INCOTERMS dos grupos E e F. Agora, discutiremos os INCOTERMS dos grupos C e D. Claro que nosso objetivo é identificar quais despesas (custos) e quais riscos (responsabilidade

Leia mais

Termos Internacionais de Comércio (INCOTERMS 2010)

Termos Internacionais de Comércio (INCOTERMS 2010) PUCGO 2014 Termos Internacionais de Comércio (INCOTERMS 2010) Convenção das Nações Unidas sobre Contratos de Compra e Venda Internacional de Mercadorias (Convenção de Viena) Regras estándar internacionalmente

Leia mais

Agenciamento de Cargas Importação Marítima

Agenciamento de Cargas Importação Marítima Agenciamento de Cargas Importação Marítima Jailson de Souza Agenciamento de Cargas Definição Sistemática, como trabalha, intermediários, contratação de serviços Vantagens do Agenciamento de Cargas O que

Leia mais

Serviços em Comércio Exterior

Serviços em Comércio Exterior INCOTERMS Os Incoterms (International Commercial Terms / Termos Internacionais de Comércio) foram instituídos em 1936 pela Câmara Internacional do Comércio com o intuito de fornecer regras internacionais

Leia mais

INCOTERMS A importância da ferramenta no comércio internacional (revisão de 2010)

INCOTERMS A importância da ferramenta no comércio internacional (revisão de 2010) Universidade Tuiuti do Paraná Artigo de conclusão de curso MBA em Relações internacionais, negociação e comércio exterior INCOTERMS A importância da ferramenta no comércio internacional (revisão de 2010)

Leia mais

COMÉRCIO EXTERIOR. Incoterms 2000 PROF. NORBERTO RODRIGUES

COMÉRCIO EXTERIOR. Incoterms 2000 PROF. NORBERTO RODRIGUES COMÉRCIO EXTERIOR Incoterms 2000 PROF. NORBERTO RODRIGUES Histórico 1936 - Câmara de Comércio Internacional - CCI, publicou série de normas para interpretação dos mais importantes termos utilizados no

Leia mais

INCOTERMS 2000-2010. samir keedi. samir@aduaneiras.com.br

INCOTERMS 2000-2010. samir keedi. samir@aduaneiras.com.br INCOTERMS 2000-2010 samir keedi samir@aduaneiras.com.br INCOTERMS 2000-2010 PUBLICAÇÃO Nº 560 / 715E VIGOR A PARTIR DE 01.01.2000 / 2011 CÂMARA DE COMÉRCIO INTERNACIONAL CCI - PARIS O QUE É E O OBJETIVO

Leia mais

Contratos Internacionais de Compra e Venda & Incoterms

Contratos Internacionais de Compra e Venda & Incoterms Contratos Internacionais de Compra e Venda & Incoterms O contrato internacional é formal, bilateral, consensual, oneroso e comutativo, o que pressupõe agentes autônomos, livre formação de suas vontades

Leia mais

Aula Nº 15 Contratos Mercantis

Aula Nº 15 Contratos Mercantis Aula Nº 15 Contratos Mercantis Objetivos da aula: Nesta aula, vamos conhecer os contratos mercantis mais usuais, suas características e as normas que os disciplinam. 1. NOÇÕES GERAIS Contrato é um negócio

Leia mais

www.commex.com.br cursos@commex.com.br

www.commex.com.br cursos@commex.com.br CURSO DE INICIAÇÃO À EXPORTAÇÃO Módulo I www.commex.com.br cursos@commex.com.br 1 SUMÁRIO 1 DRAWBACK... 03 1.1 Formas de Classificação... 03 1.2 Mercadorias Admitidas no Regime... 04 1.3 Modalidades de

Leia mais

Desembarque no local de entrega no destino Marco da transferência de risco da mercadoria negociada

Desembarque no local de entrega no destino Marco da transferência de risco da mercadoria negociada INCOTERMS Definições para interpretar as fórmulas contratuais Elaboradas pelas Câmara de Comércio Internacional (CCI) São termos facilitadores na redação do contrato de compra e venda, mas não são obrigatórios

Leia mais

International Commercial Terms. Incoterms e Procedimentos Para o Comércio Exterior Conceitos Básicos. Eduardo Leoni Machado Junho/2012

International Commercial Terms. Incoterms e Procedimentos Para o Comércio Exterior Conceitos Básicos. Eduardo Leoni Machado Junho/2012 International Commercial Terms Incoterms e Procedimentos Para o Comércio Exterior Conceitos Básicos Eduardo Leoni Machado Junho/2012 Incoterms Definição e Conceito International Commercial Terms (Termos

Leia mais

GUIA PRÁTICO DE APOIO ÀS EXPORTAÇÕES

GUIA PRÁTICO DE APOIO ÀS EXPORTAÇÕES GUIA PRÁTICO DE APOIO ÀS EXPORTAÇÕES 1. Aspectos operacionais 1.1 Roteiro para exportação 1º Passo Efetuar o registro de exportador na Secretaria de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento,

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO : COMPETITIVIDADE PERENIDADE SOBREVIVÊNCIA EVOLUÇÃO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO : COMPETITIVIDADE PERENIDADE SOBREVIVÊNCIA EVOLUÇÃO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO : COMPETITIVIDADE PERENIDADE SOBREVIVÊNCIA EVOLUÇÃO orienta na implantação e desenvolvimento do seu negócio de forma estratégica e inovadora O QUE SÃO PALESTRAS

Leia mais

Unidade IV GESTÃO DE. Prof. Léo Noronha

Unidade IV GESTÃO DE. Prof. Léo Noronha Unidade IV GESTÃO DE SUPRIMENTO E LOGÍSTICA Prof. Léo Noronha Logística na cadeia de suprimentos Logística Parte do processo da cadeia de suprimentos, que, para atingir o nível de serviço desejado pelo

Leia mais

CONTRATOS E INCOTERMS. Sobre contratos que regulamentam as importações e as exportações, é possível afirmar que

CONTRATOS E INCOTERMS. Sobre contratos que regulamentam as importações e as exportações, é possível afirmar que CONTRATOS E INCOTERMS 01 - (CODESP/2011) Um contrato internacional de compra e venda de mercadorias é um instrumento complexo, pois inclui não somente as condições de compra e venda, mas também acordos

Leia mais

Unidade II LOGÍSTICA PARA. Prof. Márcio Antoni

Unidade II LOGÍSTICA PARA. Prof. Márcio Antoni Unidade II LOGÍSTICA PARA IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO Prof. Márcio Antoni Termos comerciais internacionais: Incoterms 2000 São regras que limitam os direitos e as obrigações de compradores e vendedores no

Leia mais

Cargas unitárias cargas contidas em recipientes que permitem a manipulação. Embalagem para transporte de produtos em processo ou acabados

Cargas unitárias cargas contidas em recipientes que permitem a manipulação. Embalagem para transporte de produtos em processo ou acabados Logística Movimentação de materiais na cadeia de suprimentos Para que a matéria-prima possa transformar-se ou ser beneficiada, pelo menos um dos três elementos básicos de produção, homem, máquina ou material,

Leia mais

Termos de entrega, Incoterms 2000, compra e venda internacional de mercadorias, termos marítimos, termos de uso geral

Termos de entrega, Incoterms 2000, compra e venda internacional de mercadorias, termos marítimos, termos de uso geral DECISÃO D SOBRE OS TERMOS DE ENTREGA DAS MERCADORIAS NAS TRANSAÇÕES INTERNACIONAIS SEGUNDO AS REGRAS DOS INCOTERMS 2000 DA CÂMARA DE COMÉRCIO INTERNACIONAL Wagner Botelho Godinho Victor Aurélio Antunes

Leia mais

Glossário Alfandega. Apólice. Balança comercial. Cobrança documentaria

Glossário Alfandega. Apólice. Balança comercial. Cobrança documentaria Glossário Alfandega Alfândega (do árabe al-fundaq, "hospedaria", "estalagem") ou aduana (do árabe addīwān, "registro", "escritório") é uma repartição governamental oficial de controlo do movimento de entradas

Leia mais

Exportar e Internacionalizar, Como?

Exportar e Internacionalizar, Como? Exportar e Internacionalizar, Como? WORKSHOP Ferramentas de Apoio à Internacionalização de Empresas 13 de Junho 2012 1 António Trigueiros de Aragão Uma moda? Uma tendência? Uma estratégia? Um novo mundo?

Leia mais

CURSOS ON-LINE COMÉRCIO INTERNACIONAL CURSO REGULAR PROFESSORES: RODRIGO LUZ E MISSAGIA AULA 09 INCOTERMS (INTERNATIONAL COMMERCIAL TERMS)

CURSOS ON-LINE COMÉRCIO INTERNACIONAL CURSO REGULAR PROFESSORES: RODRIGO LUZ E MISSAGIA AULA 09 INCOTERMS (INTERNATIONAL COMMERCIAL TERMS) AULA 09 INCOTERMS (INTERNATIONAL COMMERCIAL TERMS) Olá pessoal. Hoje falaremos sobre o tema Incoterms, que tanto cai nas provas. É a nossa última aula. As próximas serão ministradas pelo professor Rodrigo

Leia mais

EXERCÍCIOS DE ECONOMIA INTERNACIONAL E COMEX. 1 - Ao se eleger um Incoterm para uma operação comercial, as partes definem

EXERCÍCIOS DE ECONOMIA INTERNACIONAL E COMEX. 1 - Ao se eleger um Incoterm para uma operação comercial, as partes definem EXERCÍCIOS DE ECONOMIA INTERNACIONAL E COMEX 1 - Ao se eleger um Incoterm para uma operação comercial, as partes definem a) a modalidade de transporte e a forma de contratação e liquidação de câmbio b)

Leia mais

Escola Secundária de Paços de Ferreira

Escola Secundária de Paços de Ferreira Cândida Raquel Brandão Carneiro Nº4 12ºS 11-11-2009 1 Importação e Exportação Importação é o processo comercial e fiscal que consiste em trazer um bem, que pode ser um produto ou um serviço, do exterior

Leia mais

Luanda, 30.Março.2015. SEMINÁRIO Frete Marítimo e Seguro de Importação de Mercadoria Francisco Agostinho Itembo 1

Luanda, 30.Março.2015. SEMINÁRIO Frete Marítimo e Seguro de Importação de Mercadoria Francisco Agostinho Itembo 1 Luanda, 30.Março.2015 SEMINÁRIO Frete Marítimo e Seguro de Importação de Mercadoria Francisco Agostinho Itembo 1 EXW DTA FAS FOB CFR CIF VANTAGENS NA IMPORTAÇÃO DA MODALIDADE FOB 2 ÍNDICE 1. Introdução

Leia mais

AQUILES VIEIRA. Teoria e Prática Cambial. Exportação e importação. 2ª edição. Editora Lex

AQUILES VIEIRA. Teoria e Prática Cambial. Exportação e importação. 2ª edição. Editora Lex AQUILES VIEIRA Teoria e Prática Cambial Exportação e importação 2ª edição Editora Lex São Paulo 2005 Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil) Vieira,

Leia mais

Unidade II. Administração. Prof. Ms. Livaldo dos Santos

Unidade II. Administração. Prof. Ms. Livaldo dos Santos Unidade II Administração de Suprimentos Prof. Ms. Livaldo dos Santos Administração de Suprimentos Objetivos da Unidade Analisar os principais conceitos sobre: A medição do desempenho na cadeia de suprimentos

Leia mais

CAPÍTULO 3 SISCOMEX SISTEMA INTEGRADO DE COMÉRCIO EXTERIOR... 29...32 Questões de Provas...34

CAPÍTULO 3 SISCOMEX SISTEMA INTEGRADO DE COMÉRCIO EXTERIOR... 29...32 Questões de Provas...34 Sumário CAPÍTULO 1 VISÃO GERAL DE UMA IMPORTAÇÃO BRASILEIRA... 1 1.1. Escolha da Mercadoria...1 1.2. Licenciamento das Importações...1 1.3. Siscomex e Habilitação...2 1.4. Deferimento da Licença de Importação

Leia mais

RESUMO DA 3ª AVALIAÇÃO

RESUMO DA 3ª AVALIAÇÃO UNIPAC UNIVERSIDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS, LETRAS E SAÚDE DE UBERLÂNDIA. RESUMO DA 3ª AVALIAÇÃO Prof. Esp. Romoaldo J S do Carmo Disciplina: Comércio Exterior 14 - FORMAS

Leia mais

ZONAS FRANCAS. PDF criado com versão de teste do pdffactory. Para comprar, acesse www.divertire.com.br/pdffactory UNIDADE I PARTE II

ZONAS FRANCAS. PDF criado com versão de teste do pdffactory. Para comprar, acesse www.divertire.com.br/pdffactory UNIDADE I PARTE II RELAÇÕES INTERNACIONAIS DE COMÉRCIO Profª [ Sidney Jaciana Reis] Amorim UNIDADE I PARTE II ZONAS FRANCAS PRINCIPAIS CONCEITOS UTILIZADOS PORTO SECO LIVRE denominação dada as Zonas Francas onde não há portos

Leia mais

$ $ $ $ $ ALTERNATIVAS DO EXPORTADOR PARA A DECISÃO DO TERMO COMERCIAL INTERNACIONAL SEGUNDO AS REGRAS DOS INCOTERMS Wagner B.

$ $ $ $ $ ALTERNATIVAS DO EXPORTADOR PARA A DECISÃO DO TERMO COMERCIAL INTERNACIONAL SEGUNDO AS REGRAS DOS INCOTERMS Wagner B. XXVIENANGRAD ALTERNATIVAS DO EXPORTADOR PARA A DECISÃO DO TERMO COMERCIAL INTERNACIONAL SEGUNDO AS REGRAS DOS INCOTERMS Wagner B. Godinho! FOZDOIGUAÇU,2015 GESTÃODEOPERAÇÕESELOGÍSTICA2GOL ALTERNATIVAS

Leia mais

AS FÓRMULAS CONTRATUAIS TÍPICAS UTILIZADAS NO COMÉRCIO INTERNACIONAL

AS FÓRMULAS CONTRATUAIS TÍPICAS UTILIZADAS NO COMÉRCIO INTERNACIONAL AS FÓRMULAS CONTRATUAIS TÍPICAS UTILIZADAS NO COMÉRCIO INTERNACIONAL Elaborado em 09.2007 Cátia Cristina de Oliveira Bethonico Advogada formada pela Universidade Federal de Ouro Preto e Mestranda em Direito

Leia mais

Glossário. Alfândega (do árabe al-fundaq, "hospedaria", "estalagem") ou aduana (do

Glossário. Alfândega (do árabe al-fundaq, hospedaria, estalagem) ou aduana (do Glossário Alfandega Alfândega (do árabe al-fundaq, "hospedaria", "estalagem") ou aduana (do árabe ad-dīwān, "registro", "escritório") é uma repartição governamental oficial de controle do movimento de

Leia mais

Escola Secundária de Paços de Ferreira. Módulo 21 Comércio Internacional

Escola Secundária de Paços de Ferreira. Módulo 21 Comércio Internacional Escola Secundária de Paços de Ferreira Módulo 21 Comércio Internacional Trabalho realizado por: Mafalda Neves 12ºS 2009/2010 Importação É o processo comercial e fiscal que consiste em trazer um bem, que

Leia mais

ENCONTRO 6 Transporte Multimodal

ENCONTRO 6 Transporte Multimodal ENCONTRO 6 Transporte Multimodal ENCONTRO 6 Transporte Multimodal TÓPICO 1: Contextualizando o encontro Olá! No encontro passado você conheceu os serviços dos Correios Brasileiros, aquilo que pode ser

Leia mais

Unidade I GERENCIAMENTO DE. Prof. Altair da Silva

Unidade I GERENCIAMENTO DE. Prof. Altair da Silva Unidade I GERENCIAMENTO DE TRANSPORTES Prof. Altair da Silva Introdução O transporte é a essência das atividades logísticas visto como estratégica para que as empresas possam ser cada vez mais competitivas.

Leia mais

ESTUDO DOS TERMOS E CONDIÇÕES DO CONHECIMENTO DE EMBARQUE MARÍTIMO - BILL OF LADING.

ESTUDO DOS TERMOS E CONDIÇÕES DO CONHECIMENTO DE EMBARQUE MARÍTIMO - BILL OF LADING. UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE - UNESC CURSO DE ADMINISTRAÇÃO COM LINHA ESPECÍFICA EM COMÉRCIO EXTERIOR VICTOR JOSÉ GRASSI ESTUDO DOS TERMOS E CONDIÇÕES DO CONHECIMENTO DE EMBARQUE MARÍTIMO -

Leia mais

Seguros de Mercadorias Transportadas

Seguros de Mercadorias Transportadas Seguros de Mercadorias Transportadas Via Marítima, Aérea ou Terrestre Índice Introdução Parte 1 - Breve Resumo Histórico Parte 2 - O Seguro de Mercadorias O Tráfego de Mercadorias O Seguro de Mercadorias

Leia mais

Comércio Exterior no Brasil

Comércio Exterior no Brasil Comércio Exterior no Brasil Comércio Exterior Fluxograma para empresa brasileira exportar Fonte: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, http://www.mdic.gov.br/sistemas_web/aprendex/default/index/conteudo/id/235

Leia mais

Os Incoterms 2010 e a universalização do uso de condições gerais de venda padronizadas em contratos de compra e venda internacional de mercadorias

Os Incoterms 2010 e a universalização do uso de condições gerais de venda padronizadas em contratos de compra e venda internacional de mercadorias Os Incoterms 2010 e a universalização do uso de condições gerais de venda padronizadas em contratos de compra e venda internacional de mercadorias Nadejda V. S. Domingues Bacharela em Relações Internacionais

Leia mais

I Ciclo de Debates da Administração da PROAD. Divisão de Importação Palestrante: Mauricio Massao Oura * 29/05/2014

I Ciclo de Debates da Administração da PROAD. Divisão de Importação Palestrante: Mauricio Massao Oura * 29/05/2014 I Ciclo de Debates da Administração da PROAD Divisão de Importação Palestrante: Mauricio Massao Oura * 29/05/2014 (*) Administrador, Chefe da Divisão de Importação da UFABC, desde 2010. Graduado em Administração

Leia mais

Unidade IV LOGÍSTICA PARA IMPORTAÇÃO. Prof. Márcio Antoni

Unidade IV LOGÍSTICA PARA IMPORTAÇÃO. Prof. Márcio Antoni Unidade IV LOGÍSTICA PARA IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO Prof. Márcio Antoni Seguros O seguro é uma operação comercial na qual o segurado (exportador ou importador) e segurador (companhia de seguro) formalizam

Leia mais

Área temática: Internacionalização

Área temática: Internacionalização Área temática: Internacionalização A embalagem como um importante elemento nos negócios internacionais e o atendimento ao cliente como diferencial competitivo o caso da empresa Polyenka Ltda AUTORES GIVAN

Leia mais

Módulo 21 Comércio Internacional

Módulo 21 Comércio Internacional Escola Secundária de Paços de Ferreira 2009/2010 Módulo 21 Comércio Internacional Exportação e Importação Trabalho realizado por: Tânia Leão n.º19 12.ºS Importação e Exportação A Exportação é a saída de

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE A LOGÍSTICA DA IMPORTAÇÃO MARÍTIMA Por: Gabriela Galhardo Antunes de Figueiredo Orientador

Leia mais

Evolução da Utilização Multimodal

Evolução da Utilização Multimodal "Sem caminhão, o Brasil pára". Transporte Intermodal de Cargas A intermodalidade, fisicamente, é a mesma coisa, ou seja, o transporte da carga por mais de um modal para alcançar o seu destino. O que diferencia

Leia mais

Unidade II. Unidade II

Unidade II. Unidade II Unidade II Unidade II Nesta unidade, abordaremos a finalidade e a importância de alguns termos no comércio internacional, aprenderemos alguns aspectos do direito de navegação marítima e detalharemos o

Leia mais

Manual de Exportação e Formação de Preço

Manual de Exportação e Formação de Preço Manual de e Formação de Preço. Sumário FASE 1ª 1 - Planejamento de 2 - Planejamento Estratégico 3 - Canais de Distribuição FASE 2ª 4 - Procedimentos Operacionais de FASE 3ª 5 - Formação de Preço O sumário

Leia mais

COMÉRCIO INTERNACIONAL

COMÉRCIO INTERNACIONAL COMÉRCIO INTERNACIONAL 01. Sobre regimes aduaneiros, marque a opção incorreta: a) Regimes Aduaneiros Atípicos são criados para atender a determinadas situações econômicas peculiares, de pólos regionais

Leia mais

ESTUDO DE APLICAÇÕES DO SISCOSERV NOS SERVIÇOS PARA LOGISTICA DE COMERCIO EXTERIOR

ESTUDO DE APLICAÇÕES DO SISCOSERV NOS SERVIÇOS PARA LOGISTICA DE COMERCIO EXTERIOR ESTUDO DE APLICAÇÕES DO SISCOSERV NOS SERVIÇOS PARA LOGISTICA DE COMERCIO EXTERIOR A elaboração deste estudo foi feita por Rodrigo Monteiro Vicente, atualmente Diretor Financeiro da Leschaco Agente de

Leia mais

Documentos de Instrução no Despacho Aduaneiro de Importação. Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012

Documentos de Instrução no Despacho Aduaneiro de Importação. Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012 Documentos de Instrução no Despacho Aduaneiro de Importação Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012 Documentos de Instrução na Importação A Declaração de Importação (D.I.) será instruída com os seguintes

Leia mais

Cursos in company CIA. LIBRA Formação Básica em Comércio Exterior Carga horária: 36h/aula

Cursos in company CIA. LIBRA Formação Básica em Comércio Exterior Carga horária: 36h/aula CIA. LIBRA Formação Básica em Comércio Exterior Carga horária: 36h/aula PROGRAMA Preparando-se para exportar 6 hs Procedimentos básicos na exportação 6 hs Procedimentos básicos na importação 6 hs Câmbio

Leia mais

Contratos internacionais. Contratos internacionais - Características. Contratos internacionais. Contratos internacionais

Contratos internacionais. Contratos internacionais - Características. Contratos internacionais. Contratos internacionais - Características Os contratos internacionais do comércio, como uma espécie de contrato internacional, são todas as manifestações de vontade de duas ou mais partes, que buscam criar relações patrimoniais

Leia mais

Referências Bibliográficas

Referências Bibliográficas Referências Bibliográficas BALLOU, R. H. Logística empresarial: transportes, administração de materiais e distribuição física. São Paulo: Atlas, 1993.. Gerenciamento da cadeia de suprimentos: planejamento,

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SOROCABA PRÓ-REITORA DE GRADUAÇÃO CURSO DE GESTÃO FINANCEIRA

UNIVERSIDADE DE SOROCABA PRÓ-REITORA DE GRADUAÇÃO CURSO DE GESTÃO FINANCEIRA UNIVERSIDADE DE SOROCABA PRÓ-REITORA DE GRADUAÇÃO CURSO DE GESTÃO FINANCEIRA Roseli de Fátima Nogueira Tatiane Santiago Cerqueira Barbosa Jefferson da Silva Pinheiro Gonçalves Alex Couto Carlos Eduardo

Leia mais

LOGÍSTICA DE OPERAÇÕES INTERNACIONAIS II. Prof. Alessandro Camargo

LOGÍSTICA DE OPERAÇÕES INTERNACIONAIS II. Prof. Alessandro Camargo LOGÍSTICA DE OPERAÇÕES INTERNACIONAIS II Prof. Alessandro Camargo Logística Internacional As principais características das operações logísticas são: - Complexidade: que podem ser desde o produto até a

Leia mais

TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO DOCENTE: EDUARDO MANGABEIRA

TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO DOCENTE: EDUARDO MANGABEIRA TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO DOCENTE: EDUARDO MANGABEIRA TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO TRANSPORTE TRANSPORTE EM LOGÍSTICA É a movimentação de produtos entre regiões geográficas ou área de comércio, elevando o

Leia mais

- Online Curso sob Regulamentação do Decreto 5.622 de 19/12/2005 - MEC

- Online Curso sob Regulamentação do Decreto 5.622 de 19/12/2005 - MEC FORMAÇÃO Analista de Logística em Comércio Exterior - Online Curso sob Regulamentação do Decreto 5.622 de 19/12/2005 - MEC Objetivo: Habilitar o participante para trabalhar com as rotinas da logística

Leia mais

104 Introdução ao e-learning

104 Introdução ao e-learning 104 Introdução ao e-learning Ficha Técnica Título: Comércio Internacional Autor: Alfredo Motty Editor: Companhia Própria Formação e Consultoria Lda. Edifício World Trade Center, Avenida do Brasil, n.º

Leia mais

Capítulo VII Terminal de Transporte TRE

Capítulo VII Terminal de Transporte TRE Capítulo VII Terminal de Transporte TRE 1. TEMAS CORRENTES PARA REFLEXÃO A vitalidade não se demonstra apenas com a persistência, mas também com a capacidade de começar de novo (F. Scott Fitzgerald) 2.

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO DIRETORIA DE PROJETOS ESPECIAIS PROJETO A VEZ DO MESTRE

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO DIRETORIA DE PROJETOS ESPECIAIS PROJETO A VEZ DO MESTRE UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO DIRETORIA DE PROJETOS ESPECIAIS PROJETO A VEZ DO MESTRE LOGÍSTICA DE EXPORTAÇÃO MARCELO CARNAVALE DE ALBUQUERQUE ORIENTADOR: PROFº

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos ADVERTÊNCIA Informamos que os textos das normas constantes deste material são digitados ou digitalizados, não sendo, portanto, textos oficiais. São reproduções digitais de textos publicados na internet

Leia mais

ACORDO SOBRE TRANSPORTE MULTIMODAL NO ÂMBITO DO MERCOSUL

ACORDO SOBRE TRANSPORTE MULTIMODAL NO ÂMBITO DO MERCOSUL MERCOSUL/CMC/DEC. 15/94 ACORDO SOBRE TRANSPORTE MULTIMODAL NO ÂMBITO DO MERCOSUL TENDO EM VISTA: o Tratado de Assunção, as Decisões 4/91 e 1/92 do Conselho do Mercado Comum e a Recomendação conjunta 1/94

Leia mais

Fundamentos do Transporte

Fundamentos do Transporte Prof.: Deibson Agnel Livro: Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos/Logística Empresarial Autor: Ronald Ballou Cap. 06 1 A importância de um sistema de transporte eficaz A movimentação de cargas absorve

Leia mais

PORTO ORGANIZADO DE PORTO VELHO TARIFA PORTUÁRIA VIGÊNCIA: 07/05/2015.

PORTO ORGANIZADO DE PORTO VELHO TARIFA PORTUÁRIA VIGÊNCIA: 07/05/2015. 1 SOCIEDADE DE PORTOS E HIDROVIAS DO PORTO ORGANIZADO DE PORTO VELHO TARIFA PORTUÁRIA VIGÊNCIA: 07/05/2015. RESOLUÇÃO Nº 4.093-ANTAQ, DE 07/05/2015. (ANTAQ-Agência Nacional de Transportes Aquaviário) PORTO

Leia mais

Guia de Introdução. ao Comércio Exterior. Informações importantes para ajudar sua empresa na hora de importar ou exportar

Guia de Introdução. ao Comércio Exterior. Informações importantes para ajudar sua empresa na hora de importar ou exportar Guia de Introdução ao Comércio Exterior Informações importantes para ajudar sua empresa na hora de importar ou exportar índice INTRODUÇÃO... 07 COURIER x FORMAL... 08 ÓRGÃOS INTERVENIENTES... 08 DESPACHANTE

Leia mais

Consultoria Empresarial

Consultoria Empresarial Consultoria Empresarial (Curso de consultoria empresarial em Belo Horizonte) Programa do curso: Planejamento Empresarial com Técnicas de Negociação 1. Perfil do gestor empresarial: Características do gestor

Leia mais

E XPORTAÇÃO. Dica: o dossiê com as informações sobre o produto deve ser preparado antes do contato com o importador.

E XPORTAÇÃO. Dica: o dossiê com as informações sobre o produto deve ser preparado antes do contato com o importador. EXPORTAÇÃO E XPORTAÇÃO Antes de fornecer o preço, é importante analisar os preços de produtos similares praticados no mercado onde está o potencial cliente, exigências técnicas, barreiras tarifárias e

Leia mais

05/08/2015. Regras Internacionais de Comércio. Pagamentos Internacionais. Pagamentos Internacionais. Regras Internacionais de Comércio

05/08/2015. Regras Internacionais de Comércio. Pagamentos Internacionais. Pagamentos Internacionais. Regras Internacionais de Comércio Fundamentos do Comércio Internacional (3) Regras Internacionais de Comércio Internacionais Regras Internacionais de Comércio Fundamentos do Comércio Internacional (3) Embarque da Mercadoria Remessa de

Leia mais

ANALISE DA INFLUÊNCIA LOGÍSTICA NA RELAÇÃO COMERCIAL ENTRE BRASIL E CHINA: ESTUDO DE NOVAS ROTAS PARA EXPORTAÇÃO PELO PACÍFICO

ANALISE DA INFLUÊNCIA LOGÍSTICA NA RELAÇÃO COMERCIAL ENTRE BRASIL E CHINA: ESTUDO DE NOVAS ROTAS PARA EXPORTAÇÃO PELO PACÍFICO CENTRO TECNOLÓGICO DA ZONA LESTE FACULDADE DE TECNOLOGIA DA ZONA LESTE ADRIANA CHIA MONTILHA ANALISE DA INFLUÊNCIA LOGÍSTICA NA RELAÇÃO COMERCIAL ENTRE BRASIL E CHINA: ESTUDO DE NOVAS ROTAS PARA EXPORTAÇÃO

Leia mais

Eduardo de Freitas Secaf Renato da Silva Lima Instituto de Engenharia de Produção e Gestão Universidade Federal de Itajubá

Eduardo de Freitas Secaf Renato da Silva Lima Instituto de Engenharia de Produção e Gestão Universidade Federal de Itajubá DESENVOLVIMENTO DE UMA FERRAMENTA DE SIMULAÇÃO DE FRETES E ESTIMATIVA DE PREÇOS PARA UMA EMPRESA MULTINACIONAL DE BENS DE CONSUMO Eduardo de Freitas Secaf Renato da Silva Lima Instituto de Engenharia de

Leia mais

MBA em Logística. Distribuição e Transportes DTA04 sala 22

MBA em Logística. Distribuição e Transportes DTA04 sala 22 MBA em Logística Distribuição e Transportes DTA04 sala 22 Prof. MBA em Logística Prof. Distribuição e Transportes DTA04 sala 22 NOMENCLATURA DE CARGAS Classificação de Cargas Classes de Cargas Sub-Classes

Leia mais

Unidade IV GESTÃO DE SUPRIMENTOS E LOGÍSTICA. Objetivos do módulo

Unidade IV GESTÃO DE SUPRIMENTOS E LOGÍSTICA. Objetivos do módulo GESTÃO DE SUPRIMENTOS E LOGÍSTICA Unidade IV 4 LOGÍSTICA Objetivos do módulo Apesar de ser um exemplo ruim, as guerras feitas pelo homem ao longo da história têm sido ganhas e perdidas em função da capacidade

Leia mais

Fiscal - Exercícios Comércio Internacional Exercício Fábio Lobo

Fiscal - Exercícios Comércio Internacional Exercício Fábio Lobo Fiscal - Exercícios Comércio Internacional Exercício Fábio Lobo 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. 01. (AFRF/2002-2) Considerando que o sistema harmonizado de

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM TRANSPORTES

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM TRANSPORTES DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM TRANSPORTES Sistema de Tranporte Sob qualquer ponto de vista econômico, político e militar o transporte é,, inquestionavelmente, a indústria mais importante no mundo. Congresso

Leia mais

AGORA VOCÊ PODE: IMPORTAR FALANDO PORTUGUÊS, E COM A VANTAGEM DE QUEM É ESPECIALISTA NO QUE FAZ!

AGORA VOCÊ PODE: IMPORTAR FALANDO PORTUGUÊS, E COM A VANTAGEM DE QUEM É ESPECIALISTA NO QUE FAZ! AGORA VOCÊ PODE: IMPORTAR FALANDO PORTUGUÊS, E COM A VANTAGEM DE QUEM É ESPECIALISTA NO QUE FAZ! ZM TRADE A ZM pensou nisso para você, e agora pode lhe oferecer os serviços da ZM TRADE. Qualidade, preço

Leia mais

Joana Nunes Coelho 19.11.2014

Joana Nunes Coelho 19.11.2014 Joana Nunes Coelho 19.11.2014 1 INDICE TEMÁTICO 1. Contrato de compra e venda internacional 2. Incoterms 2010 que diferenças? 3. Análise das regras Incoterms 2010 a. Para qualquer modo ou modos de transporte;

Leia mais

Administração do Comércio Exterior e Legislação do Comércio Internacional

Administração do Comércio Exterior e Legislação do Comércio Internacional Escola Técnica Aberta do Brasil Comércio Administração do Comércio Exterior e Legislação do Comércio Internacional Elaine de Fátima Soares Barbosa Souto Luis Fernando Barbosa Ministério da Educação Escola

Leia mais

Armazenagem, Controle e Distribuição. Aula 6. Contextualização. Modais de Transporte. Instrumentalização. Modais de Transporte

Armazenagem, Controle e Distribuição. Aula 6. Contextualização. Modais de Transporte. Instrumentalização. Modais de Transporte Armazenagem, Controle e Distribuição Aula 6 Contextualização Prof. Walmar Rodrigues da Silva Modais de Transporte Característica Comparações Utilização Instrumentalização Multimodalidade e intermodalidade

Leia mais

Variações no Patrimônio NBS. 4.2.2. Solicitação do Licenciamento. Capítulo 1 Visão Geral de uma Importação Brasileira

Variações no Patrimônio NBS. 4.2.2. Solicitação do Licenciamento. Capítulo 1 Visão Geral de uma Importação Brasileira Sumário Capítulo 1 Visão Geral de uma Importação Brasileira 1.1. Escolha da Mercadoria 1.2. Licenciamento das Importações 1.3. Siscomex e Habilitação 1.4. Deferimento da Licença de Importação e Embarque

Leia mais

Prof. Rodrigo Luz Prova de AFRF/2002-1. Auditor-Fiscal da Receita Federal - AFRF - 2002 / 1

Prof. Rodrigo Luz Prova de AFRF/2002-1. Auditor-Fiscal da Receita Federal - AFRF - 2002 / 1 1 Auditor-Fiscal da Receita Federal - AFRF - 2002 / 1 COMÉRCIO INTERNACIONAL 01- Assinale a opção que melhor define "Comércio Internacional". a) A expressão "Comércio Internacional" designa, unicamente,

Leia mais

INCOTERMS. (International Commercial Terms)

INCOTERMS. (International Commercial Terms) Página 1 INCOTERMS (International Commercial Terms) André de Farias Albuquerque Recife PE 2016 Página 2 ANDRÉ DE FARIAS ALBUQUERQUE INCOTERMS (International Commercial Terms) Recife, janeiro de 2016. Página

Leia mais

GOIÂNIA, MARÇO DE 2003.

GOIÂNIA, MARÇO DE 2003. UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO Professores: Lucilene Correia de Macêdo e Manuel Gomes da Silva Não existe vento favorável para aquele que não sabe aonde vai. (Sêneca) GOIÂNIA,

Leia mais

TABELA DE PREÇOS E CONDIÇÕES COMERCIAIS ESTRUTURA DE SERVIÇOS E PREÇOS

TABELA DE PREÇOS E CONDIÇÕES COMERCIAIS ESTRUTURA DE SERVIÇOS E PREÇOS TABELA DE PREÇOS E CONDIÇÕES COMERCIAIS Vigência: 15/03/2014 a 14/03/2015 ESTRUTURA DE SERVIÇOS E PREÇOS OPERAÇÃO PORTUÁRIA - Tarifas devidas pelo armador, agente de navegação ou requisitante - A. OPERAÇÃO

Leia mais

Navegação de Cabotagem

Navegação de Cabotagem Reunião Conjunta Câmaras Setoriais da Cadeia Produtiva de Milho e Sorgo e da Cadeia Produtiva de Aves e Suínos Identificação das formas de movimentação dos excedentes de milho no Brasil Navegação de Cabotagem

Leia mais

Logística Globalizada

Logística Globalizada Logística Globalizada Logística Globalizada Objetivo Facilitar o engenheiro de logística a projetar e especificar os melhores meios de transporte para a logística internacional, bem como entender todas

Leia mais

PANORAMA BRASILEIRO DAS EXPORTAÇÕES DE CARNE DE FRANGO

PANORAMA BRASILEIRO DAS EXPORTAÇÕES DE CARNE DE FRANGO CENTRO PAULA SOUZA CENTRO TECNOLÓGICO DA ZONA LESTE FACULDADE DE TECNOLOGIA DA ZONA LESTE FÁBIO PEREZ PANORAMA BRASILEIRO DAS EXPORTAÇÕES DE CARNE DE FRANGO A IMPORTÂNCIA DA LOGÍSTICA PARA O COMÉRCIO EXTERIOR

Leia mais