Resultados da Pesquisa sobre Lixo Eletrônico

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Resultados da Pesquisa sobre Lixo Eletrônico"

Transcrição

1 Autores: Mayara Zago Munaretto Fernando dos Santos Sobre a pesquisa UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC Resultados da Pesquisa sobre Lixo Eletrônico No mês de junho de 2012, foi aplicado um questionário sobre o lixo eletrônico no CEAVI. Foram entrevistadas 233 pessoas, dentre acadêmicos, técnicos e professores. O objetivo do questionário era verificar a percepção do público quanto a questão do lixo eletrônico, em especial os seguintes aspectos: Dados gerais do público (faixa etária, cidade, nível de instrução); Quem o público aponta como responsável pelo tratamento e descarte do lixo eletrônico; Se o público conhece a Política Nacional de Resíduos Sólidos; Se nas cidades onde o público reside há local de coleta permanente nte de lixo eletrônico; Quantos e quais equipamentos eletrônicos o público trocou nos últimos anos, e também o que o público fez quando precisou descartar materiais eletrônicos; A seguir, são apresentados os resultados obtidos, para cada questão. Ao final encontram-se as principais observações e conclusões. 1 Faixa etária O público que respondeu o questionário teve maior concentração nas faixas etárias de 11 a 20 anos (48%) e de 21 a 30 anos (41%). Isto explica-se pelo fato de que a grande maioria dos participantes está frequentando os cursos de graduação do CEAVI. O gráfico a seguir apresenta a distribuição do público nas faixas etárias. 1

2 2 Cidade de residência UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC O público foi questionado a respeito de sua cidade de residência. As alternativas disponibilizadas apresentavam as cidades que compõem a 14ª Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR) de SC. Cidade onde mora? Apiuna Ascurra Benedito Novo Dona Emma Ibirama José Boiteux Lontras Presidente Getúlio Presidente Nereu Rio do Sul Vitor Meireles Wittmarsum Outra. Qual? O gráfico a seguir apresenta a distribuição do público de acordo com a cidade de residência. Pode-se verificar que a maior porcentagem (41%) dos entrevistados são da cidade de Ibirama, seguido por 22% de Rio do Sul e Presidente Getúlio (13%) 2

3 3 Nível de instrução O público foi questionado a respeito de seu nível de instrução. Qual o seu nível de instrução? (deixe em branco se for não alfabetizado) (marque pós-graduado para pós-graduação/mestrado/doutorado completos ou incompletos) primário fundamental médio superior incompleto superior completo pós graduado incompleto pós graduado completo O gráfico a seguir apresenta a distribuição do público de acordo com o nível de instrução. 3

4 4 Conhecimento sobre o lixo eletrônico O público foi questionado a respeito de seu conhecimento sobre a questão do lixo eletrônico. As alternativas disponibilizadas variavam desde a ausência de conhecimento, até o conhecimento sobre o que se trata, riscos e cuidados no momento do descarte. Qual é o seu conhecimento sobre lixo eletrônico? (marque uma opção que melhor reflete seu conhecimento) Nada.. É a primeira vez que vejo este termo lixo eletrônico. Já ouvi falar,, mas não sei exatamente do que se trata. Só sei que é formado por materiais eletrônicos como televisores, computadores e celulares. Sei o que é, e conheço os riscos que oferece para o meio ambiente e a saúde. Sei o que é, e além de conhecer os riscos do lixo eletrônico, procuro sempre tomar cuidado para descartar adequadamente este material. O gráfico abaixo resume qual o conhecimento sobre o lixo eletrônico apontado pelo público. Pode-se verificar que 47% sabem o que é o lixo eletrônico e conhecem os riscos que oferece ao meio ambiente e a saúde. No entanto, apenas 25% sabe o que é, e procura tomar cuidado para descartar adequadamente esse tipo de material. 4

5 5 Responsabilidade pelo tratamento e descarte do lixo eletrônico O público foi questionado a respeito de quem julga ser a responsabilidade pelo tratamento e descarte do lixo eletrônico. Foram apresentadas três alternativas, sendo que o público poderia assinalar apenas uma, ou combinar as alternativas. Em sua opinião, de quem é a responsabilidade pelo tratamento e descarte do lixo eletrônico? (marque quantas opções desejar) Governo.. As prefeituras devem coletar o lixo eletrônico nas residências ou em pontos de coleta, para fazer o tratamento e descarte adequado deste material. Indústria e Comércio. As empresas que fabricam eletrônicos e os comerciantes que vendem devem receber o lixo eletrônico dos consumidores (logística reversa). Empresas de tratamento e reciclagem.. Devem ser criadas empresas para receber o lixo eletrônico e reciclar ou descartar este material. O gráfico a seguir apresenta as respostas do público. Observa-se que 29% apontam a indústria e o comércio (simultaneamente) como responsáveis pelo descarte e tratamento do lixo eletrônico. Já 23% acreditam que a responsabilidade é exclusivamente do governo. Ainda, 22% acreditam que a responsabilidade é exclusivamente de empresas de tratamento e reciclagem de lixo eletrônico. Por fim, 18% apontam responsabilidade compartilhada entre governo, indústria, comércio, e empresas de tratamento e reciclagem. 5

6 6 Política Nacional de Resíduos Sólidos O público foi questionado a respeito da Política Nacional de Resíduos Sólidos (lei federal nº / 2010). O objetivo da questão é verificar o conhecimento do público a respeito desta lei, que constitui que toda pessoa física ou jurídica, responsáveis pela geração de resíduos sólidos, desenvolvam ações relacionadas à gestão integrada ou ao gerenciamento de resíduos sólidos (BRASIL, 2010). Você conhece a Política Nacional de Resíduos Sólidos (lei federal nº / 2010) (marque uma opção) Não Conheço parcialmente.. Já ouvi falar, mas não conheço exatamente o seu conteúdo. Sim, conheço.. Sei o que regulamenta e quais as responsabilidades que a lei atribui para consumidores, indústrias, comércios e governos. O gráfico abaixo apresenta o resultado. Verifica-se que mais da metade do público (57%) não tem conhecimento sobre esta lei. Já 24% do público ouviu falar a respeito, mais não conhece exatamente o conteúdo desta lei. Por fim, apenas 19% conhecem a lei, sabe como é regulamentada e quais as responsabilidades atribuídas aos consumidores, indústrias, comércios e governos. 6

7 7 Local de coleta permanente de lixo eletrônico O público foi questionado a respeito da existência de coleta de lixo eletrônico na cidade onde reside. O objetivo da questão é verificar como as cidades da região estão lidando com a questão do lixo eletrônico. A sua cidade possui um local onde a coleta de lixo eletrônico é feita de forma permanente? Sim Não Não sei. Se tiver não conheço. O gráfico abaixo apresenta os resultados. 49% do público afirma que a sua cidade não oferece alguma forma de coleta permanente de lixo eletrônico. Já 38% desconhece a existência deste serviço em sua cidade. Com estes números, pode-se concluir que mais da metade dos entrevistados não dispõe de coleta permanente em sua cidade. Se esse lixo for descartado de maneira incorreta pode vir a prejudicar o meio ambiente e o ser humano. 7

8 8 Trocas de equipamentos eletrônicos nos últimos anos e descarte de materiais eletrônicos O público foi questionado a respeito de quantas vezes trocou de equipamentos eletrônicos nos últimos três anos. O objetivo da pergunta é estimar o potencial de produção de lixo eletrônico da região, pois quanto mais trocas são realizadas, maior é a quantidade de lixo eletrônico produzido. O público respondeu a seguinte questão: Nos últimos 3 anos, quantas vezes trocou de... (deixe em branco caso não possua o equipamento) nenhuma vez 1 vez 2 vezes computador monitor de computador notebook / netbook Cellular impressora teclado/ mouse roteador / modem pen-drive / HD-externo estabilizador / no-break fonte de energia bateria (de celular ou notebook) televisor de LCD/LED televisor de tubo aparelho de som aparelho telefônico aparelho de videocassete / DVD 3 vezes ou mais Outra pergunta respondida pelo público visava identificar o que o público está fazendo com o seu lixo eletrônico. As alternativas de resposta incluíam desde o descarte em local apropriado/permanente, até descarte em lixo comum, ou não realização de descarte (deixar guardado por falta de local apropriado). A questão apresentada ao público foi a seguinte: Quando precisou se desfazer de algum destes materiais eletrônicos, o que fez? (deixe em branco se nunca precisou se desfazer) computador ou monitor notebook ou netbook entreguei em local de coleta permanentede lixo eletrônico entreguei em campanha de coleta de lixo eletrônico celular impressora teclado ou mouse roteador ou modem entreguei na loja quando comprei o novo vendi ou doei para assistência técnica vendi ou doei para outra pessoa ou entidade entreguei na coleta seletiva de reciclados joguei no lixo comum está guardado, pois não há local apropriado para descarte 8

9 pen-drive ou HD-externo estabilizador ou no-break fonte de energia bateria (de celular ou notebook) Televisor LCD /LED / Tubo aparelho de som aparelho telefônico aparelho de videocassete ou DVD Os resultados para estas duas questões serão apresentados a seguir. Os gráficos foram organizados por tipo de material eletrônico, de modo a facilitar na interpretação dos dados. 9

10 8.1 Trocas e descartes de computador (de mesa) ou monitor O lixo comum foi o local que 4% do público usou para se desfazer de computadores ou monitores; O descarte foi realizado em coleta seletiva por 37% do público; 75% entregaram o material para um terceiro, sendo 17% na loja onde comprou o novo, 21% em assistência técnica, e 37% para outra pessoa ou entidade; 8% afirma que ainda não realizou o descarte, estando com o material eletrônico guardado, por não ter encontrado local apropriado para descarte. Apenas 6% do público descartou adequadamente, seja através de um ponto de coleta permanente de lixo eletrônico (2%) ou através de campanha de coleta de lixo eletrônico (4%) 10

11 8.2 Trocas e descartes de notebook/netbook O lixo comum foi o local que 5% utilizaram para descarte; O descarte foi realizado em coleta seletiva por 36% do público; 46% entregaram o material para um terceiro, sendo 14% na loja onde comprou o novo, 16% em assistência técnica, e 16% para outra pessoa ou entidade; 7% afirmam que ainda não realizaram o descarte, estando com o material eletrônico guardado, por não ter encontrado local apropriado para descarte. Apenas 6% descartaram adequadamente, seja através de um ponto de coleta permanente de lixo eletrônico (4%) ou através de campanha de coleta de lixo eletrônico (2%) 11

12 8.3 Trocas e descartes de celular O celular mostrou-se se um equipamento trocado com maior frequência, pois 87% do público trocou de aparelho pelo menos uma vez nos últimos 3 anos. Isso ressalta o potencial deste material em gerar lixo eletrônico. O lixo comum foi o local que 8% utilizaram para descarte; O descarte foi realizado em coleta seletiva por 46% do público; 29% entregaram o material para um terceiro, sendo 9% na loja onde comprou o novo, 10% em assistência técnica, e 10% para outra pessoa ou entidade; 13% afirmam que ainda não realizaram o descarte, estando com o material eletrônico guardado, por não ter encontrado local apropriado para descarte. Apenas 4% descartaram adequadamente, seja através de um ponto de coleta permanente de lixo eletrônico (3%) ou através de campanha de coleta de lixo eletrônico (1%) 12

13 8.4 Trocas e descartes de impressora A impressora foi um item pouco trocado pelo público, sendo que 74% afirmam não ter trocado de impressora nos últimos 3 anos; O lixo comum foi o local que 7% utilizaram para descarte; O descarte foi realizado em coleta seletiva por 32% do público; 37% entregaram o material para um terceiro, sendo 7% na loja onde comprou o novo, 15% em assistência técnica, e 15% para outra pessoa ou entidade; 12% afirmam que ainda não realizaram o descarte, estando com o material eletrônico guardado, por não ter encontrado local apropriado para descarte. Apenas 12% descartaram adequadamente, seja através de um ponto de coleta permanente de lixo eletrônico (7%) ou através de campanha de coleta de lixo eletrônico (5%) 13

14 8.5 Trocas e descartes de teclado ou mouse Teclado ou mouse foram itens trocados por 58% do público; O lixo comum foi o local que 15% utilizaram para descarte; O descarte foi realizado em coleta seletiva por 18% do público; 25% entregaram o material para um terceiro, sendo 10% na loja onde comprou o novo, 8% em assistência técnica, e 7% para outra pessoa ou entidade; Um grande percentual (34%) afirmou que ainda não realizaram o descarte, estando com o material eletrônico guardado, por não ter encontrado local apropriado para descarte. Apenas 8% descartaram adequadamente, seja através de um ponto de coleta permanente de lixo eletrônico (3%) ou através de campanha de coleta de lixo eletrônico (5%) 14

15 8.6 Trocas e descartes de roteador ou modem Quase metade (48%) trocou de roteador ou modem nos últimos 3 anos; O lixo comum foi o local que 9% utilizaram para descarte; O descarte através da coleta seletiva foi feito por 9% do público; 37% entregaram o material para um terceiro, sendo 15% na loja onde comprou o novo, 11% em assistência técnica, e 11% para outra pessoa ou entidade; Um grande percentual (30%) ainda não descartou, estando com o material eletrônico guardado, por não ter encontrado local apropriado para descarte. 15% descartaram adequadamente, seja através de um ponto de coleta permanente de lixo eletrônico (9%) ou através de campanha de coleta de lixo eletrônico (6%) 15

16 8.7 Trocas e descartes de pen-drive ou HD externo Pouco mais da metade (54%) trocaram pen-drive ou HD externo nos últimos 3 anos; O lixo comum foi o local que 11% utilizaram para descarte; O descarte através da coleta seletiva foi feito por 11% do público; 23% entregaram o material para um terceiro, sendo 9% na loja onde comprou o novo, 7% em assistência técnica, e 7% para outra pessoa ou entidade; Um grande percentual (44%) ainda não descartou, estando com o material eletrônico guardado, por não ter encontrado local apropriado para descarte. 11% descartaram adequadamente, seja através de um ponto de coleta permanente de lixo eletrônico (4%) ou através de campanha de coleta de lixo eletrônico (7%) 16

17 8.8 Trocas e descartes de estabilizador ou no-break Estabilizadores ou no-breaks também foram itens pouco trocados pelo público, sendo que 75% afirmou não ter feito troca nos últimos 3 anos; O lixo comum foi o local que 5% utilizaram para descarte; O descarte através da coleta seletiva foi feito por 13% do público; 48% entregaram o material para um terceiro, sendo 18% na loja onde comprou o novo, 15% em assistência técnica, e 15% para outra pessoa ou entidade; 20% ainda não descartaram o material eletrônico, estando guardado por não ter encontrado local apropriado para descarte. 14% descartaram adequadamente, seja através de um ponto de coleta permanente de lixo eletrônico (7%) ou através de campanha de coleta de lixo eletrônico (7%) 17

18 8.9 Trocas e descartes de fonte de energia Fontes de energia também foram itens pouco trocados pelo público, sendo que 73% afirmou não ter feito troca nos últimos 3 anos; O lixo comum foi o local que 16% utilizaram para descarte; O descarte através da coleta seletiva foi feito por 7% do público; 35% entregaram o material para um terceiro, sendo 16% na loja onde comprou o novo, 10% em assistência técnica, e 9% para outra pessoa ou entidade; 30% ainda não descartaram o material eletrônico, estando guardado por não ter encontrado local apropriado para descarte. 12% descartaram adequadamente, seja através de um ponto de coleta permanente de lixo eletrônico (7%) ou através de campanha de coleta de lixo eletrônico (5%) 18

19 8.10 Trocas e descartes de bateria (de celular ou notebook) Baterias (de celular ou notebook) também foram itens pouco trocados pelo público, sendo que 68% afirmou não ter feito troca nos últimos 3 anos; O lixo comum foi o local que 17% utilizaram para descarte; O descarte através da coleta seletiva foi feito por 11% do público; 29% entregaram o material para um terceiro, sendo 11% na loja onde comprou o novo, 9% em assistência técnica, e 9% para outra pessoa ou entidade; Um grande percentual (47%) ainda não descartou, estando com o material eletrônico guardado, por não ter encontrado local apropriado para descarte; Apenas 6% descartaram adequadamente, seja através de um ponto de coleta permanente de lixo eletrônico (3%) ou através de campanha de coleta de lixo eletrônico (3%) 19

20 8.11 Trocas e descartes de televisor LCD/LED/Tubo Televisores de LDC/LED ou Tubo também foram itens pouco trocados. Apenas 32% trocou de LCD/LED nos últimos 3 anos, e 18% de Tubo; O lixo comum foi o local que 14% utilizaram para descarte; O descarte através da coleta seletiva foi feito por 25% do público; 41% entregaram o material para um terceiro, sendo 5% na loja onde comprou o novo, 18% em assistência técnica, e 18% para outra pessoa ou entidade; 14% ainda não descartaram o material eletrônico, seja por não ter encontrado local apropriado, ou por talvez o equipamento ainda esteja em uso; Apenas 6% descartaram adequadamente, seja através de um ponto de coleta permanente de lixo eletrônico (6%) ou através de campanha de coleta de lixo eletrônico (2%) 20

21 8.12 Trocas e descartes de aparelho de som Aparelhos de som também foram itens pouco trocados pelo público, sendo que 76% afirmou não ter feito troca nos últimos 3 anos; O lixo comum foi o local que 20% utilizaram para descarte; O descarte através da coleta seletiva foi feito por 27% do público; 27% entregaram o material para um terceiro, sendo 7% na loja onde comprou o novo, 10% em assistência técnica, e 10% para outra pessoa ou entidade; 17% ainda não descartou, estando com o material eletrônico guardado ou em uso; 9% descartaram adequadamente, seja através de um ponto de coleta permanente de lixo eletrônico (6%) ou através de campanha de coleta de lixo eletrônico (3%) 21

22 8.13 Trocas e descartes de aparelho telefônico Aparelhos telefônicos também foram itens pouco trocados pelo público, sendo que 62% afirmou não ter feito troca nos últimos 3 anos; O lixo comum foi o local que 21% utilizaram para descarte; O descarte através da coleta seletiva foi feito por 12% do público; 21% entregaram o material para um terceiro, sendo 7% na loja onde comprou o novo, 7% em assistência técnica, e 7% para outra pessoa ou entidade; Um grande percentual (29%) ainda não descartou, estando com o material eletrônico guardado, por não ter encontrado local apropriado para descarte; 17% descartaram adequadamente, seja através de um ponto de coleta permanente de lixo eletrônico (7%) ou através de campanha de coleta de lixo eletrônico (10%) 22

23 8.14 Trocas e descartes de aparelho de videocassete/dvd Aparelhos de videocassete/dvd foram itens pouco trocados, sendo que 75% afirmou não ter feito troca nos últimos 3 anos; O lixo comum foi o local que 17% utilizaram para descarte; O descarte através da coleta seletiva foi feito por 21% do público; 33% entregaram o material para um terceiro, sendo 8% na loja onde comprou o novo, 12% em assistência técnica, e 13% para outra pessoa ou entidade; 17% ainda não descartou, estando com o material eletrônico guardado, por não ter encontrado local apropriado para descarte; Apenas 12% descartaram adequadamente, seja através de um ponto de coleta permanente de lixo eletrônico (8%) ou através de campanha de coleta de lixo eletrônico (4%) 23

24 9 Análise geral dos dados da pesquisa O campeão de trocas foi o celular, sendo que 87% do público trocou de aparelho pelo menos uma vez nos últimos 3 anos. Isso ressalta o potencial deste material em gerar lixo eletrônico. 46% descartou celulares em coleta seletiva, e 13% afirmam que ainda não realizaram o descarte, estando com o material eletrônico guardado, por não ter encontrado local apropriado para descarte. O lixo comum foi o local que 8% utilizaram para descarte de celulares. Também registraram grande percentual de troca os computadores (61%), teclados/mouses (57%) e pen-drives/hds-externos externos (53%). Os menores percentuais de troca registrados foram televisores de tubo (apenas 18%), aparelhos de som e estabilizadores/no-breaks breaks (24%), e videocassete/dvd (25%). O gráfico a seguir apresenta os percentuais de troca dos últimos 3 anos para cada eletrônico. Ao analisar cada forma de descarte (lixo comum, coleta seletiva, etc) foi possível identificar o tipo de eletrônico que mais foi descartado através de cada forma de descarte, com base no percentual de público que adotou aquela forma de descarte para se desfazer do material. Os gráficos a seguir apresentam o percentual do público que adotou a referida forma de descarte para cada um dos eletrônicos avaliados 1. 1 Nota-se que a soma dos percentuais de um único gráfico extrapola 100%, já que são percentuais independentes para cada tipo de eletrônico. Por outro lado, ao considerar um único tipo de eletrônico (por exemplo, celulares), a soma dos percentuais de todos os gráficos totalizarão 100%, refletindo a distribuição do descarte através de diferentes formas. 24

25 Os eletrônicos mais descartados através de campanhas de coleta de lixo eletrônico ou postos de coleta permanente nte foram aparelhos telefônicos, roteadores/modems e estabilizadores/no-breaks. Já o repasse a terceiros (assistências técnicas, lojas, ou outras pessoas) ocorreu com maior freqüência para computador/monitor, estabilizador/no-break break e notebook/netbook. O material mais descartado através de coleta seletiva é o celular, seguido por notebook/netbook e impressoras. O lixo comum ainda recebe materiais, com destaque para aparelhos telefônicos, aparelhos de som, e baterias. Muitos equipamentos ainda estão guardados em casa em função de não haver local propício para descarte, destacando-se os pen-drives/hds-externos externos e baterias. 25

26 10 Considerações finais sobre a pesquisa Uma grande parcela (47%) conhece bem o tema lixo eletrônico, inclusive os riscos oferecidos ao meio ambiente e saúde. No entanto, apenas 25% procura tomar cuidado para descartar adequadamente. Ainda há uma parcela que conhece apenas superficialmente o tema; Muitos (57%) ainda não conhecem a Política Nacional de Resíduos Sólidos (lei nº / 2010); 74% acreditam que a responsabilidade pelo descarte e tratamento do lixo eletrônico é exclusivamente do governo (23%), ou exclusivamente da indústria/comércio (29%), ou exclusivamente de empresas de tratamento e reciclagem (22%). Apenas 18% apontaram responsabilidade compartilhada entre os três organismos (governo, indústria/comércio, empresas de tratamento e reciclagem). Ressalta-se que a responsabilidade compartilhada é definida na Política Nacional de Resíduos Sólidos; Ainda há descarte de material eletrônico em lixo comum; Muitos apontaram ainda não haver locais de coleta permanente de lixo eletrônico nas suas cidades (49%), ou desconhecerem a existência deste serviço (38%). Apenas 13% apontou existir tal serviço; Muitos eletrônicos foram entregues para algum terceiro (seja loja, assistência técnica, ou outra pessoa\entidade). A iniciativa de repassar o material para outra pessoa\entidade entidade pode ser encarada como positiva, desde que o equipamento esteja funcionando e em bom estado, para que possa ser utilizado. Já entregar o material em lojas ou assistências técnicas traz benefícios apenas quando estes estabelecimentos estão preparados para descartar adequadamente o material. Caso contrário, o problema do lixo eletrônico apenas é transferido do consumidor para o comerciante. De qualquer modo, repassar o material para outra pessoa, loja, ou assistência técnica enfatiza a preocupação do público em não descartar o lixo eletrônico de forma inadequada; 26

27 11 Referências Bibliográficas BRASIL. Lei nº , de 02 de agosto de Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília, DF, CXLVII, n. 147, 03 ago Seção 1, p

I Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental I COBESA

I Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental I COBESA I Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental I COBESA DESCARTE DE BATERIAS DE CELULARES E REGULAMENTAÇÃO CONAMA 257/99 E 263/99: UM ESTUDO COM CONSUMIDORES NUM COMPLEXO DE INDÚSTRIAS NO MUNICÍPIO

Leia mais

A NECESSIDADE DE ALTERNATIVAS PARA O DESCARTE DE LÂMPADAS FLUORESCENTES EM PRESIDENTE PRUDENTE.

A NECESSIDADE DE ALTERNATIVAS PARA O DESCARTE DE LÂMPADAS FLUORESCENTES EM PRESIDENTE PRUDENTE. Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 116 A NECESSIDADE DE ALTERNATIVAS PARA O DESCARTE DE LÂMPADAS FLUORESCENTES EM PRESIDENTE PRUDENTE. Bruna Caroline

Leia mais

LEI Nº 1.709 DE 08 DE MAIO DE 2013

LEI Nº 1.709 DE 08 DE MAIO DE 2013 LEI Nº 1.709 DE 08 DE MAIO DE 2013 INSTITUI O PROJETO "DESTINO CERTO AO LIXO ELETRÔNICO DE FAGUNDES VARELA". JEAN FERNANDO SOTTILI, Prefeito Municipal de Fagundes Varela, no uso das atribuições que me

Leia mais

EDUCAR PARA PRESERVAR: Estudo do perfil sustentável dos acadêmicos do CEAVI/UDESC

EDUCAR PARA PRESERVAR: Estudo do perfil sustentável dos acadêmicos do CEAVI/UDESC EDUCAR PARA PRESERVAR: Estudo do perfil sustentável dos acadêmicos do CEAVI/UDESC ILda Valentim ilda.valentim@udesc.br UDESC Dinorá Baldo de Faverei dinora.faveri@udesc.br UDESC Marilei Kroetz marilei.kroetz@udesc.br

Leia mais

Você sabia. As garrafas de PET são 100% recicláveis. Associação Brasileira da Indústria do PET

Você sabia. As garrafas de PET são 100% recicláveis. Associação Brasileira da Indústria do PET Você sabia? As garrafas de PET são 100% recicláveis Associação Brasileira da Indústria do PET O Brasil é um dos maiores recicladores de PET do mundo A reciclagem é uma atividade industrial que gera muitos

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA 1. TÍTULO DO PROJETO

TERMO DE REFERÊNCIA 1. TÍTULO DO PROJETO 1. TÍTULO DO PROJETO TERMO DE REFERÊNCIA Elaboração de estudo de viabilidade técnica e econômica da implantação da logística reversa para resíduos de equipamentos eletroeletrônicos (REEE) 2. JUSTIFICATIVA

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável

PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS (APLICADO A INDÚSTRIA E COMÉRCIO

Leia mais

RESULTADOS E DISCUSSÂO

RESULTADOS E DISCUSSÂO LIXO ELETRÔNICO - WIKI E-LIXO Origens e reaproveitamento Marcos Felipe Friske dos Santos 1 ; Angelo Augusto Frozza 2 RESUMO Este projeto surgiu com o intuito de dar uma nova função às máquinas caça-níqueis

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2012

RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2012 RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG 26/09/2012 RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG

Leia mais

UMA PROPOSTA DE DRAMATIZAÇÃO PARA ABORDAGEM DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NO ENSINO MÉDIO

UMA PROPOSTA DE DRAMATIZAÇÃO PARA ABORDAGEM DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NO ENSINO MÉDIO UMA PROPOSTA DE DRAMATIZAÇÃO PARA ABORDAGEM DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NO ENSINO MÉDIO SOUZA, Caio Henrique Bueno de 1 RODRIGUES, Davi 2 SANTOS, Edna Silva 3 PIRES, Fábio José 4 OLIVEIRA, Jully Gabriela

Leia mais

Logística Reversa. Guia rápido

Logística Reversa. Guia rápido Logística Reversa Guia rápido 1 Apresentação Em 2010 foi sancionada pelo Governo Federal, a Política Nacional de Resíduos Sólidos, na qual, dentre outros temas, constam exigências às empresas quanto à

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DOS PAIS 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG

RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DOS PAIS 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DOS PAIS 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG 06/08/2012 RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DOS PAIS 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG Professores

Leia mais

POLÍTICA DE DESCARTE DE MEDICAMENTOS NA FARMÁCIA ENSINO DO SAS

POLÍTICA DE DESCARTE DE MEDICAMENTOS NA FARMÁCIA ENSINO DO SAS POLÍTICA DE DESCARTE DE MEDICAMENTOS NA FARMÁCIA ENSINO DO SAS CABRAL, Mayara da Nóbrega CHAVES, Antônio Marcos Maia CHAVES, Maria Emília Tiburtino JALES, Silvana Teresa Lacerda MEDEIROS, Leanio Eudes

Leia mais

PROJETO RECICLAGEM DE LIXO ELETRÔNICO Faculdade São Luis Jaboticabal

PROJETO RECICLAGEM DE LIXO ELETRÔNICO Faculdade São Luis Jaboticabal PROJETO RECICLAGEM DE LIXO ELETRÔNICO Faculdade São Luis Jaboticabal Prof. Ms. Marcelo M. Laffranchi Eduardo Vantini Neto Kassio D. Vendite INTRODUÇÃO O uso da tecnologia vem agilizando a vida do homem

Leia mais

4/10/2013. Sorocaba SP Parque Tecnológico. Sorocaba SP - Ciclovias. Sumário. Seminário Brasil-Japão Reciclagem de Resíduos Eletroeletrônicos

4/10/2013. Sorocaba SP Parque Tecnológico. Sorocaba SP - Ciclovias. Sumário. Seminário Brasil-Japão Reciclagem de Resíduos Eletroeletrônicos Sumário -SP Coleta Seletiva de Seminário Brasil-Japão Reciclagem de - Parceria Gislaine Vilas Boas PREFEITURA DE SOROCABA - SP Brasília, março 2013 - SP - SP Localizada a 100 km da capital paulista, com

Leia mais

Julho de 2013 SUMÁRIO

Julho de 2013 SUMÁRIO Pesquisa Resíduos de Equipamentos Eletroeletrônicos REE Julho de 2013 SUMÁRIO 1 Objetivo... 03 2 Metodologia... 04 3 Resultados da pesquisa nas instituições sediadas na Cidade Administrativa... 08 4 Considerações

Leia mais

Crédito: Elza Fiúza/Agência Brasil

Crédito: Elza Fiúza/Agência Brasil Crédito: Elza Fiúza/Agência Brasil PESQUISA FECOMÉRCIO PIRATARIA EM SANTA CATARINA 2014 Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina Pesquisa Fecomércio Pirataria em Santa Catarina

Leia mais

Prof. Paulo Medeiros

Prof. Paulo Medeiros Prof. Paulo Medeiros Em 2010 entrou em vigor no Brasil a lei dos Resíduos Sólidos. Seu objetivo principal é diminuir a destinação incorreta de resíduos ao meio ambiente. Ela define que todas as indústrias,

Leia mais

TI Verde: Sustentabilidade na área da tecnologia da informação TI VERDE: SUSTENTABILIDADE NA ÁREA DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

TI Verde: Sustentabilidade na área da tecnologia da informação TI VERDE: SUSTENTABILIDADE NA ÁREA DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TI VERDE: SUSTENTABILIDADE NA ÁREA DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Flávio Luiz de Azevedo BRAYNER Paulo Gustavo Sabino RAMOS Patrícia Verônica de Azevedo BRAYNER Resumo: Atualmente a Tecnologia da Informação

Leia mais

RELATÓRIO GERAL AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2014

RELATÓRIO GERAL AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2014 RELATÓRIO GERAL AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2014 2014 Dados da Instituição FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DO SUL DE MINAS - FACESM Código: 508 Faculdade privada sem fins lucrativos Estado: Minas Gerais

Leia mais

Ciclo de vida de eletroeletrônicos

Ciclo de vida de eletroeletrônicos Ciclo de vida de eletroeletrônicos Outubro de 2013 Parceria Contexto A lei nº 12.305 de 2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos, prevê a redução na geração de resíduos, propondo a prática

Leia mais

Ciclo de vida de eletroeletrônicos

Ciclo de vida de eletroeletrônicos Ciclo de vida de eletroeletrônicos Outubro de 2013 Parceria Contexto A lei nº 12.305 de 2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos, prevê a redução na geração de resíduos, propondo a prática

Leia mais

RESULTADOS DO PROJETO PILOTO

RESULTADOS DO PROJETO PILOTO RESULTADOS DO PROJETO PILOTO 1. INTRODUÇÃO O projeto piloto organizado pelo Centro de Pesquisas Rachid Mohamd Chibib sob a direção do Prof. Msc. Wagner Cardozo teve por objetivo analisar a composição de

Leia mais

Opinião da População Sobre a Cobrança das Sacolas Plásticas Reutilizáveis. Agosto de 2015

Opinião da População Sobre a Cobrança das Sacolas Plásticas Reutilizáveis. Agosto de 2015 Opinião da População Sobre a Cobrança das Sacolas Plásticas Reutilizáveis Agosto de 2015 2 A Lei nº 15.374 de 2011 proíbe a disponibilização de sacolas plásticas descartáveis nos estabelecimentos comerciais

Leia mais

POLITICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS

POLITICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS MARCO LEGAL Diálogo do Governo Federal com Sociedade Civil (Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis MNCR). Código Brasileiro de Ocupações - 2002 Reconhecimento a Categoria profissional

Leia mais

SUMÁRIO. Localidades da pesquisa, amostra e entrevistas realizadas por Área de Planejamento AP s 2. Caracterização do entrevistado sem carteira 04

SUMÁRIO. Localidades da pesquisa, amostra e entrevistas realizadas por Área de Planejamento AP s 2. Caracterização do entrevistado sem carteira 04 Pesquisa de Opinião Pública sobre as Campanhas Educativas para o Trânsito & da I m a g e m I n s t i t u c i o n a l da CET- RIO Relatório de Pesquisa 2008 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 03 PRINCIPAIS RESULTADOS

Leia mais

Ref.: Lei Estadual-RJ nº 6.805, de 18 de junho de 2014 DOERJ 23.06.2014.

Ref.: Lei Estadual-RJ nº 6.805, de 18 de junho de 2014 DOERJ 23.06.2014. Rio de Janeiro, 24 de junho de 2014. Of. Circ. Nº 212/14 Ref.: Lei Estadual-RJ nº 6.805, de 18 de junho de 2014 DOERJ 23.06.2014. Senhor Presidente, Fazendo referência à Lei Estadual-RJ nº 6.805, de 18

Leia mais

Pesquisa sobre: Panorama da Gestão de Estoques

Pesquisa sobre: Panorama da Gestão de Estoques Pesquisa sobre: Panorama da Gestão de Estoques Uma boa gestão de estoques comprova sua importância independente do segmento em questão. Seja ele comércio, indústria ou serviços, o profissional que gerencia

Leia mais

Manual do Segurado Serviços Sustentáveis. Empresa. Sua empresa conectada com o sucesso.

Manual do Segurado Serviços Sustentáveis. Empresa. Sua empresa conectada com o sucesso. Manual do Segurado Serviços Sustentáveis Empresa Sua empresa conectada com o sucesso. Índice Serviços Sustentáveis 4 1. Serviços 4 1.1. Descarte Ecológico com Emissão de Certificado 4 1.1.1. Regras para

Leia mais

cesop OPINIÃO PÚBLICA, Campinas, Vol. 19, nº 2, novembro, 2013, Encarte Tendências. p.475-485

cesop OPINIÃO PÚBLICA, Campinas, Vol. 19, nº 2, novembro, 2013, Encarte Tendências. p.475-485 cesop OPINIÃO PÚBLICA, Campinas, Vol. 19, nº 2, novembro, 2013, Encarte Tendências. p.475-485 Este encarte Tendências aborda as manifestações populares que tomaram as grandes cidades brasileiras em junho

Leia mais

AVALIE ENSINO MÉDIO 2013 Questionário do Estudante

AVALIE ENSINO MÉDIO 2013 Questionário do Estudante AVALIE ENSINO MÉDIO 2013 Questionário do Estudante Caro Estudante, O Projeto Avalie pretende conhecer melhor o perfil do estudante do Ensino Médio da Bahia, por isso a sua participação representa a garantia

Leia mais

Do lixo ao valor. O caminho da Logística Reversa

Do lixo ao valor. O caminho da Logística Reversa Do lixo ao valor O caminho da Logística Reversa O problema do lixo A sociedade, hoje, vive com um grande desafio: o lixo. Calcula-se que, por dia, no Brasil, são gerados 1 Kg de resíduos por habitante.

Leia mais

TÍTULO: DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NA CIDADE DE POÁ, SP.

TÍTULO: DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NA CIDADE DE POÁ, SP. TÍTULO: DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NA CIDADE DE POÁ, SP. CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO

Leia mais

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para Política Nacional de Resíduos Sólidos Agora é lei Novos desafios para poder público, empresas, catadores e população Marco histórico da gestão ambiental no Brasil, a lei que estabelece a Política Nacional

Leia mais

LIXO ELETRÔNICO: UMA QUESTÃO AMBIENTAL

LIXO ELETRÔNICO: UMA QUESTÃO AMBIENTAL LIXO ELETRÔNICO: UMA QUESTÃO AMBIENTAL Luiz Felipe Borges Martins (*), Lis Ângela De Bortoli, Patrícia Nascimento da Silva, Érica Luiza de Oliveira, Tays Zanolla * Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

PROJETO DIDÁTICO: O LIXO QUE VIROU LUXO

PROJETO DIDÁTICO: O LIXO QUE VIROU LUXO PROJETO DIDÁTICO: O LIXO QUE VIROU LUXO Maria do Socorro dos Santos EEEFM José Soares de Carvalho socorrosantosgba@gmail.com Paula Priscila Gomes do Nascimento Pina EEEFM José Soares de Carvalho paulapgnascimento@yahoo.com.br

Leia mais

INTENÇÃO DE COMPRA DIA DAS CRIANÇAS 2014

INTENÇÃO DE COMPRA DIA DAS CRIANÇAS 2014 PE MPRA DIA DAS CRIANÇAS 2014 1 MPRA DIA DAS CRIANÇAS 2014 PE MPRA DIA DAS CRIANÇAS 2014 2 Faculdade Estácio de Sá de Campo Grande Intenção de Compra para o Dia das Crianças 2014 Rua Venâncio Borges do

Leia mais

08 a 13 de Julho de 2012 UEFS Feira de Santana - BA

08 a 13 de Julho de 2012 UEFS Feira de Santana - BA PERCEPÇÃO PÚBLICA ACERCA DO SANEAMENTO BÁSICO NO BAIRRO PEDRA DO LORDE, JUAZEIRO BA. Roberta Daniela da Silva Santos (1) Anne Kallyne dos Anjos Silva (2) Simone do Nascimento Luz (3) Marcello Henryque

Leia mais

Avaliação do Desenvolvimento do Projeto PET-Geologia Recicla

Avaliação do Desenvolvimento do Projeto PET-Geologia Recicla Avaliação do Desenvolvimento do Projeto PET-Geologia Recicla Maurício Brito de Sousa¹, Diogo Isamu de Almeida Okuno¹, Estefânia Fernandes Lopes¹, Flavio Rafael Cogo Ramos¹, Mariana de Assunção Rodrigues¹,

Leia mais

INTENÇÃO DE COMPRA NATAL 2014

INTENÇÃO DE COMPRA NATAL 2014 1 INTENÇÃO DE COMPRA NATAL 2014 2 Faculdade Estácio de Sá de Campo Grande Intenção de Compra para o Natal 2014 Rua Venâncio Borges do Nascimento, 377 Jardim Tv Morena Campo Grande - MS, 79050-700 Fone:

Leia mais

Eixo Temático ET-03-004 - Gestão de Resíduos Sólidos VANTAGENS DA LOGÍSTICA REVERSA NOS EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS

Eixo Temático ET-03-004 - Gestão de Resíduos Sólidos VANTAGENS DA LOGÍSTICA REVERSA NOS EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS 198 Eixo Temático ET-03-004 - Gestão de Resíduos Sólidos VANTAGENS DA LOGÍSTICA REVERSA NOS EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS Isailma da Silva Araújo; Luanna Nari Freitas de Lima; Juliana Ribeiro dos Reis; Robson

Leia mais

André Luis Saraiva. andresaraiva@prac.com.br (11) 3511.3889 WWW.PRAC.COM.BR

André Luis Saraiva. andresaraiva@prac.com.br (11) 3511.3889 WWW.PRAC.COM.BR André Luis Saraiva andresaraiva@prac.com.br (11) 3511.3889 WWW.PRAC.COM.BR Seja bem vindo!! O PRAC - Programa de Responsabilidade Ambiental Compartilhada foi idealizado em 2000, em virtude da publicação

Leia mais

(Disponível em: <http://www.vagalume.com.br/engenheiros-do-hawaii/3-do-plural.html>. Acesso em: 10 out. 2013.)

(Disponível em: <http://www.vagalume.com.br/engenheiros-do-hawaii/3-do-plural.html>. Acesso em: 10 out. 2013.) GEOGRFI 1 Leia o texto a seguir. Corrida contra o relógio silicone contra a gravidade dedo no gatilho, velocidade quem mente antes diz a verdade satisfação garantida obsolescência programada eles ganham

Leia mais

Universidade Federal de Alagoas Campus Arapiraca Curso de Administração Pública QUESTIONÁRIO SUPLEMENTAR 01

Universidade Federal de Alagoas Campus Arapiraca Curso de Administração Pública QUESTIONÁRIO SUPLEMENTAR 01 Universidade Federal de Alagoas Campus Arapiraca Curso de Administração Pública Sistemas de Informação Gerenciais 2º Período 2013.2 QUESTIONÁRIO SUPLEMENTAR 01 FCC - 2013 - Banco do Brasil - Escriturário

Leia mais

Comitê Interministerial para Inclusão Social e Econômica dos Catadores de Materiais Reutilizáveis e Recicláveis CIISC.

Comitê Interministerial para Inclusão Social e Econômica dos Catadores de Materiais Reutilizáveis e Recicláveis CIISC. Decreto 5.940/06 Brasília, 13 de abril de 2012 Comitê Interministerial para Inclusão Social e Econômica dos Catadores de Materiais Reutilizáveis e Recicláveis CIISC. Casa Civil da Presidência da República

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS NATAL 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG

RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS NATAL 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS NATAL 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG 15/12/2012 RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS NATAL 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG Professores Responsáveis:

Leia mais

Comitê Interministerial para Inclusão Social e Econômica dos Catadores de Materiais Reutilizáveis e Recicláveis CIISC.

Comitê Interministerial para Inclusão Social e Econômica dos Catadores de Materiais Reutilizáveis e Recicláveis CIISC. Comitê Interministerial para Inclusão Social e Econômica dos Catadores de Materiais Reutilizáveis e Recicláveis CIISC. Casa Civil da Presidência da República Ministério da Educação Ministério da Saúde

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SIMÃO DIAS Gabinete do Prefeito

PREFEITURA MUNICIPAL DE SIMÃO DIAS Gabinete do Prefeito LEI Nº. 632 /2014 03 de dezembro de 2.014 Dispõe sobre a criação do Programa de Coleta Seletiva com inclusão Social e Econômica dos Catadores de Material Reciclável e o Sistema de Logística Reversa e seu

Leia mais

1. Introdução. 3. Resultados. 2. Metodologia. Andréia Fernandes Muniz a *, Fernando Avancini Tristão a

1. Introdução. 3. Resultados. 2. Metodologia. Andréia Fernandes Muniz a *, Fernando Avancini Tristão a http://dx.doi.org/10.4322/cerind.2014.017 Estudo sobre a Forma de Comercialização e Especificação do Revestimento de Piso com Porcelanato Baseado nas Percepções dos Vendedores de Revestimentos Cerâmicos

Leia mais

Pesquisa de Percepção do Viver Direito

Pesquisa de Percepção do Viver Direito Metas lcançadas - Pesquisa de Percepção do Programa de Divulgação Viver Direito A pesquisa é um INDICADOR de efetividade do cumprimento da meta 1 do PRODVD: Atingir 60% do público interno com a campanha

Leia mais

COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO.

COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO. COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO. PROJETO DE LEI N o 2.863, DE 2011 Acresce parágrafos ao art. 32 da Lei nº 12.305, de 2010, que institui a Política de Resíduos Sólidos. Autor:

Leia mais

PROJETO DE REDUÇÃO DOS RESÍDUOS INFECTANTES NAS UTI S DO HOSPITAL ESTADUAL DE DIADEMA

PROJETO DE REDUÇÃO DOS RESÍDUOS INFECTANTES NAS UTI S DO HOSPITAL ESTADUAL DE DIADEMA Hospital Estadual Diadema Prêmio Amigo do Meio Ambiente 2013 PROJETO DE REDUÇÃO DOS RESÍDUOS INFECTANTES NAS UTI S DO HOSPITAL ESTADUAL DE DIADEMA Hospital Estadual de Diadema Responsáveis: João Paulo

Leia mais

Poder Judiciário Justiça Federal de Primeiro Grau em Santa Catarina. Projeto

Poder Judiciário Justiça Federal de Primeiro Grau em Santa Catarina. Projeto Poder Judiciário Justiça Federal de Primeiro Grau em Santa Catarina Projeto Florianópolis, 2006 ÍNDICE 1. OBJETIVO...5 2. APRESENTAÇÃO...5 3. JUSTIFICATIVAS...5 4. AÇÕES CONCRETAS...7 4.1. REDUÇÃO...

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTO ESPECÍFICO INSTRUTOR DE INFORMÁTICA

PROVA DE CONHECIMENTO ESPECÍFICO INSTRUTOR DE INFORMÁTICA PROVA DE CONHECIMENTO ESPECÍFICO INSTRUTOR DE INFORMÁTICA Questão 21 Assinale a alternativa incorreta de acordo com a Norma Regulamentadora 17 item 17.4.3, que aborda a ergonomia no ambiente de trabalho:

Leia mais

Pesquisa de. Dia dos Namorados

Pesquisa de. Dia dos Namorados ASSESSORIA ECONÔMICA Pesquisa de Dia dos Namorados 2013 Pesquisa realizada pelo Instituto Fecomércio de Pesquisa - IFEP Relatório elaborado pela Assessoria Econômica Fecomércio-RS PESQUISA DIA DOS NAMORADOS

Leia mais

ATENÇÃO. Apresentação

ATENÇÃO. Apresentação Apresentação O tema logística reversa vem crescendo em importância entre as empresas desde a regulamentação da Política Nacional de Resíduos Sólidos. Com as novas exigências, as empresas precisam buscar

Leia mais

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para Política Nacional de Resíduos Sólidos Agora é lei Novos desafios para poder público, empresas, catadores e população Marco histórico da gestão ambiental no Brasil, a lei que estabelece a Política Nacional

Leia mais

PESQUISA SOBRE AS PRÁTICAS DAS EMPRESAS DO PORTO DIGITAL

PESQUISA SOBRE AS PRÁTICAS DAS EMPRESAS DO PORTO DIGITAL PESQUISA SOBRE AS PRÁTICAS DAS EMPRESAS DO PORTO DIGITAL Recife, abril 2011. APRESENTAÇÃO O presente relatório é o resultado da pesquisa sobre as práticas das empresas do Porto Digital, previsto no Contrato

Leia mais

TRAÇOS DO PERFIL DOS CATADORES DEMATERIAIS RECICLÁVEIS DO MUNICÍPIO DE CRUZ ALTA/RS 1

TRAÇOS DO PERFIL DOS CATADORES DEMATERIAIS RECICLÁVEIS DO MUNICÍPIO DE CRUZ ALTA/RS 1 TRAÇOS DO PERFIL DOS CATADORES DEMATERIAIS RECICLÁVEIS DO MUNICÍPIO DE CRUZ ALTA/RS 1 SILVA, Enedina Maria Teixeira 2, VIRGOLIN, Isadora Cadore 3, ISRAEL, Ana Lúcia Pinheiro 4, VERISSIMO, Fabiane 5, GUMA,

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: UM ESTUDO SOBRE A PERCEPÇÃO DE EDUCANDOS REFERENTE À TEMÁTICA DO LIXO ELETRÔNICO

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: UM ESTUDO SOBRE A PERCEPÇÃO DE EDUCANDOS REFERENTE À TEMÁTICA DO LIXO ELETRÔNICO EDUCAÇÃO AMBIENTAL: UM ESTUDO SOBRE A PERCEPÇÃO DE EDUCANDOS REFERENTE À TEMÁTICA DO LIXO ELETRÔNICO Elaine Patrícia Araújo (1); Jussara Cristina Firmino da Costa (2); Edcleide Maria Araújo (1) (1) Universidade

Leia mais

O que é o Programa Reciclando Atitudes?

O que é o Programa Reciclando Atitudes? O que é o Programa Reciclando Atitudes? É um programa que visa despertar a reflexão da sociedade para a gestão adequada dos resíduos sólidos, através de ações socioambientais de sensibilização, formação,

Leia mais

Programa ABRELPE de Logística Reversa de Resíduos de Equipamentos EletroEletrônicos REEE

Programa ABRELPE de Logística Reversa de Resíduos de Equipamentos EletroEletrônicos REEE Programa ABRELPE de Logística Reversa de Resíduos de Equipamentos EletroEletrônicos REEE 1 A ABRELPE Associação nacional, sem fins lucrativos, que congrega e representa as empresas prestadoras de serviços

Leia mais

VI-277 - PROPOSTA DE ELABORAÇÃO DE POLÍTICA AMBIENTAL PARA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR IES DO SUL DO PAÍS

VI-277 - PROPOSTA DE ELABORAÇÃO DE POLÍTICA AMBIENTAL PARA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR IES DO SUL DO PAÍS VI-277 - PROPOSTA DE ELABORAÇÃO DE POLÍTICA AMBIENTAL PARA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR IES DO SUL DO PAÍS Camila Cardoso dos Reis (1) Acadêmica de Engenharia Ambiental na Universidade de Santa Cruz

Leia mais

RESÍDUOS ELETRÔNICOS: PROJETO PILOTO PARA O DESCARTE CORRETO

RESÍDUOS ELETRÔNICOS: PROJETO PILOTO PARA O DESCARTE CORRETO 110. ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( X) TECNOLOGIA RESÍDUOS ELETRÔNICOS: PROJETO

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS LEI 12.305 / 08/ 2010 DECRETO 7.404/ 12/ 2010

Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS LEI 12.305 / 08/ 2010 DECRETO 7.404/ 12/ 2010 Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS LEI 12.305 / 08/ 2010 DECRETO 7.404/ 12/ 2010 Cenário brasileiro de resíduos sólidos Aumento da: População nas cidades 50% mundial 85% Brasil (IBGE, 2010).

Leia mais

INCLUSÃO DIGITAL: A TERCEIRA IDADE E SUAS DIFICULDADES ASSOCIADAS AS NOVAS TECNOLOGIAS.

INCLUSÃO DIGITAL: A TERCEIRA IDADE E SUAS DIFICULDADES ASSOCIADAS AS NOVAS TECNOLOGIAS. INCLUSÃO DIGITAL: A TERCEIRA IDADE E SUAS DIFICULDADES ASSOCIADAS AS NOVAS TECNOLOGIAS. Cícero Gonçalves dos Santos Faculdade Sete de Setembro (FASETE), cycero_hsc@hotmail.com Denise Xavier Fortes Faculdade

Leia mais

CADERNO DE QUESTÕES WINDOWS 8

CADERNO DE QUESTÕES WINDOWS 8 CADERNO DE QUESTÕES WINDOWS 8 1) No sistema operacional Microsoft Windows 8, uma forma rápida de acessar o botão liga/desliga é através do atalho: a) Windows + A. b) ALT + C. c) Windows + I. d) CTRL +

Leia mais

Logística Reversa dos Equipamentos Elétricos e Eletrônicos Câmara Ambiental da Indústria Paulista (CAIP)

Logística Reversa dos Equipamentos Elétricos e Eletrônicos Câmara Ambiental da Indústria Paulista (CAIP) Logística Reversa dos Equipamentos Elétricos e Eletrônicos Câmara Ambiental da Indústria Paulista (CAIP) André Saraiva Diretor de Sustentabilidade ABINEE Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica

Leia mais

Modelagem da Logística Reversa dos Resíduos Eletroeletrônicos

Modelagem da Logística Reversa dos Resíduos Eletroeletrônicos DISCLAIMER: O conteúdo apresentado neste documento encontra-se em construção pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) em parceria com o Grupo de Trabalho Temático Resíduos de Equipamentos

Leia mais

O PROCESSO DE RECICLAGEM DE RESÍDUOS SÓLIDOS ELETRÔNICOS NO BRASIL (2005 2012) RESUMO

O PROCESSO DE RECICLAGEM DE RESÍDUOS SÓLIDOS ELETRÔNICOS NO BRASIL (2005 2012) RESUMO O PROCESSO DE RECICLAGEM DE RESÍDUOS SÓLIDOS ELETRÔNICOS NO BRASIL (2005 2012) RESUMO Gerusa Coutinho Ramos profgcramos@yahoo.com.br - Mestre em Economia, professora universitária de Economia, Terceiro

Leia mais

MANUAL CERTIFICADOS DIGITAIS e-cnpj e e-cpf A1

MANUAL CERTIFICADOS DIGITAIS e-cnpj e e-cpf A1 MANUAL CERTIFICADOS DIGITAIS e-cnpj e e-cpf A1 ÍNDICE 1 Informações importantes 2 Identificando o Sistema Operacional de seu Computador 2.1 Para sistema operacional Windows 8 2.2 Para sistema operacional

Leia mais

Curso sobre a Gestão de resíduos sólidos urbanos

Curso sobre a Gestão de resíduos sólidos urbanos Curso sobre a Gestão de resíduos sólidos urbanos Consideram-se resíduos sólidos como sendo rejeitos resultantes das diversas atividades humanas. Podem ser de diversas origens: industrial, doméstica, hospitalar,

Leia mais

TESTE SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIO Nº 001/2014 DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS MUNICÍPIO DE MARMELEIRO-PR

TESTE SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIO Nº 001/2014 DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS MUNICÍPIO DE MARMELEIRO-PR TESTE SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIO Nº 001/2014 DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS MUNICÍPIO DE MARMELEIRO-PR CADERNO DE PROVA CARGO: ESTAGIÁRIO DO DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE

Leia mais

Trabalho Integrado. Ana Luiza. Isabella Souza. Nathália Roberta. Teoria de Pesquisa Opinião e Mercado. Direção de Arte

Trabalho Integrado. Ana Luiza. Isabella Souza. Nathália Roberta. Teoria de Pesquisa Opinião e Mercado. Direção de Arte Trabalho Integrado Teoria de Pesquisa Opinião e Mercado Direção de Arte Ana Luiza Isabella Souza Nathália Roberta Like Store A Like Store é um aplicativo recém chegado no Brasil, que funciona dentro do

Leia mais

TÍTULO AUTORES ÁREA TEMÁTICA Objetivo: DEDICATÓRIA

TÍTULO AUTORES ÁREA TEMÁTICA Objetivo: DEDICATÓRIA TÍTULO: CARACTERIZAÇÃO DOS CATADORES DE PAPEL NO COMÉRCIO DE FEIRA DE SANTANA -BA AUTORES: Celso Luiz P. da Silva, Clairton Batista Vieira, Gilmar Matias P. Júnior, Wilson Dourado Lima, Maria de Fátima

Leia mais

III - PERCEPÇÃO DA LIMPEZA PÚBLICA PELA POPULAÇÃO DO MUNICÍPIO DO NATAL

III - PERCEPÇÃO DA LIMPEZA PÚBLICA PELA POPULAÇÃO DO MUNICÍPIO DO NATAL III - PERCEPÇÃO DA LIMPEZA PÚBLICA PELA POPULAÇÃO DO MUNICÍPIO DO NATAL INSTITUIÇÕES: COMPANHIA DE SERVIÇOS URBANOS DE NATAL URBANA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DOS NAMORADOS 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG

RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DOS NAMORADOS 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DOS NAMORADOS 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG 31/05/2012 RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DOS NAMORADOS 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG

Leia mais

CONSCIÊNCIA AMBIENTAL NOS ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: para onde vão os resíduos sólidos tóxicos?

CONSCIÊNCIA AMBIENTAL NOS ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: para onde vão os resíduos sólidos tóxicos? CONSCIÊNCIA AMBIENTAL NOS ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: para onde Jéssica Cristina Garcia Universidade Federal de Uberlândia Instituto de Geografia jessicacrisis@yahoo.com.br O destino dado aos resíduos

Leia mais

Alex Maciel Gonzaga, Sean Conney Vieira da SILVA, & Flávia Pereira da SILVA

Alex Maciel Gonzaga, Sean Conney Vieira da SILVA, & Flávia Pereira da SILVA 1 QUALIDADE DA COLETA E A NECESSIDADE DE UMA CONSCIÊNCIA DE PRESERVAÇÃO AMBIENTAL NA CIDADE DE GOIANA Alex Maciel Gonzaga, Sean Conney Vieira da SILVA, & Flávia Pereira da SILVA RESUMO O consumismo da

Leia mais

PESQUISA DIA DAS CRIANÇAS - NATAL

PESQUISA DIA DAS CRIANÇAS - NATAL PESQUISA DIA DAS CRIANÇAS - NATAL Natal, setembro de 2015 1 Sumário 1. Aspectos Metodológicos... 3 2. Descrição dos Resultados... 4 Itens de comemoração... 4 Gastos com presente... 4 Local e quando compra...

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Perspectivas/oportunidades para o

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Perspectivas/oportunidades para o Política Nacional de Resíduos Sólidos Perspectivas/oportunidades para o CATA AÇÃO e as cooperativas. RESÍDUOS SÓLIDOS: UM PROBLEMA DE CARÁTER SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICO POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS

Leia mais

Pesquisa IBOPE Ambiental. Setembro de 2011

Pesquisa IBOPE Ambiental. Setembro de 2011 Pesquisa IBOPE Ambiental Setembro de 2011 Com quem falamos? Metodologia & Amostra Pesquisa quantitativa, com aplicação de questionário estruturado através de entrevistas telefônicas. Objetivo geral Identificar

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA ESTRATÉGIA NA INTEGRAÇÃO DAS AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA ESTRATÉGIA NA INTEGRAÇÃO DAS AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE Revista Ceciliana Jun 5(1): 1-6, 2013 ISSN 2175-7224 - 2013/2014 - Universidade Santa Cecília Disponível online em http://www.unisanta.br/revistaceciliana EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA

Leia mais

SUSTENTABILIDADE NA LOGÍSTICA REVERSA: ANÁLISE EMPÍRICA DE MULTIPLOS CASOS

SUSTENTABILIDADE NA LOGÍSTICA REVERSA: ANÁLISE EMPÍRICA DE MULTIPLOS CASOS 181 SUSTENTABILIDADE NA LOGÍSTICA REVERSA: ANÁLISE EMPÍRICA DE MULTIPLOS CASOS Valdecir Cahoni Rodrigues 1, Alvaro Costa Jardim Neto 2, Nilmaer Souza da Silva 1 1 Universidade do Oeste Paulista UNOESTE.

Leia mais

EXERCÍCIO AVALIATIVO DESENVOLVIMENTO ADMINISTRATIVO PROJETO CONTROLES

EXERCÍCIO AVALIATIVO DESENVOLVIMENTO ADMINISTRATIVO PROJETO CONTROLES EXERCÍCIO AVALIATIVO DESENVOLVIMENTO ADMINISTRATIVO PROJETO CONTROLES Aula 5 1) Num levantamento realizado pela Fiscalização em uma loja de venda de celulares, constatou-se que o contribuinte omitiu operações

Leia mais

PREGÃO ELETRÔNICO Nº 2013/023 ESCLARECIMENTOS

PREGÃO ELETRÔNICO Nº 2013/023 ESCLARECIMENTOS Esclarecimento I PERGUNTA 1: PREGÃO ELETRÔNICO Nº 2013/023 ESCLARECIMENTOS 7.5.3. documentação técnica do fabricante dos componentes cotados, incluindo partes de manuais e catálogos, que comprovem o atendimento

Leia mais

Sumário. (11) 3177-7700 www.systax.com.br

Sumário. (11) 3177-7700 www.systax.com.br Sumário Introdução... 3 Amostra... 4 Tamanho do cadastro de materiais... 5 NCM utilizadas... 6 Dúvidas quanto à classificação fiscal... 7 Como as empresas resolvem as dúvidas com os códigos de NCM... 8

Leia mais

Perfil das empresas. Porte da Empresa. Tipo de indústria. (NA) (%) Média 84 55 De 100 a 499 funcionários Grande 69 45 500 ou mais funcionários

Perfil das empresas. Porte da Empresa. Tipo de indústria. (NA) (%) Média 84 55 De 100 a 499 funcionários Grande 69 45 500 ou mais funcionários Perfil das empresas Porte da Empresa (NA) Média 84 De 00 a 499 funcionários Grande 69 4 00 ou mais funcionários 3 00 Tipo de indústria (NA) Indústria/agência de embalagens 33 Usuária de embalagens 02 67

Leia mais

N : PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA. Entrevistador: Nome do entrevistado: (xx)xxxxxxxx. Endereço: Cidade: Situação do domicílio: 1.Urbano 2.

N : PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA. Entrevistador: Nome do entrevistado: (xx)xxxxxxxx. Endereço: Cidade: Situação do domicílio: 1.Urbano 2. Entrevistador: Nome do entrevistado: Telefone: (xx)xxxxxxxx N : Endereço: Cidade: Situação do domicílio: 1.Urbano 2.Rural Estado: AC AP DF MA MT PE RJ RR SE AL BA ES MG PA PI RN RS SP AM CE GO MS PB PR

Leia mais

PROFISSIONAIS DE RECURSOS HUMANOS: EXPECTATIVAS E PERCEPÇÕES SOBRE A INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO

PROFISSIONAIS DE RECURSOS HUMANOS: EXPECTATIVAS E PERCEPÇÕES SOBRE A INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO PROFISSIONAIS DE RECURSOS HUMANOS: EXPECTATIVAS E PERCEPÇÕES SOBRE A INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO 2014 APRESENTAÇÃO Já faz tempo que as empresas estão trabalhando com o desafio

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS (PGRS)

TERMO DE REFERÊNCIA PARA A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS (PGRS) TERMO DE REFERÊNCIA PARA A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS (PGRS) 1 - DIRETRIZ GERAL O presente Termo de Referência tem o objetivo de orientar os empreendimentos, sujeitos ao

Leia mais

Realizado de 25 a 31 de julho de 2010. Porto Alegre - RS, 2010. ISBN 978-85-99907-02-3

Realizado de 25 a 31 de julho de 2010. Porto Alegre - RS, 2010. ISBN 978-85-99907-02-3 DIMENSÕES DE SUSTENTABILIDADE NOS PROGRAMAS DE COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS. Márcio José Celeri Doutorando em Geografia da UNESP/Rio Claro marcioceleri@yahoo.com.br Ana Tereza Cáceres Cortez Docente

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO NÚCLEO DE ESTUDO E PESQUISA EM RESÍDUOS SÓLIDOS III SIMPÓSIO SOBRE RESÍDUOS SÓLIDOS III SIRS (2013)

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO NÚCLEO DE ESTUDO E PESQUISA EM RESÍDUOS SÓLIDOS III SIMPÓSIO SOBRE RESÍDUOS SÓLIDOS III SIRS (2013) UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO NÚCLEO DE ESTUDO E PESQUISA EM RESÍDUOS SÓLIDOS III SIMPÓSIO SOBRE RESÍDUOS SÓLIDOS III SIRS (2013) Estudo de caso: Diagnóstico do sistema de manejo de resíduos sólidos domiciliares

Leia mais

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: O CASO DE UMA ESCOLA DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: O CASO DE UMA ESCOLA DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: O CASO DE UMA ESCOLA DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA Angelica Raquel Negrele de Faria (UNICENTRO), Izamara de Oliveira Ferreira (UNICENTRO), Prof. Silvio Roberto Stefano (Orientador),

Leia mais

Seja bem-vindo. Um abraço, Bruno Raposo Diretor de Relacionamento com Clientes. *Serviços gratuitos até junho de 2009.

Seja bem-vindo. Um abraço, Bruno Raposo Diretor de Relacionamento com Clientes. *Serviços gratuitos até junho de 2009. Seja bem-vindo. AGORA VOCÊ FARÁ SUAS LIGAÇÕES COM MUITO MAIS ECONOMIA. A partir de agora, você tem acesso a todos os benefícios do telefone via cabo, que reuniu as tecnologias da Embratel e da NET o NET

Leia mais

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2013. Lançamento da Coleta. Rio de Janeiro, 29/10/2013 1

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2013. Lançamento da Coleta. Rio de Janeiro, 29/10/2013 1 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2013 Lançamento da Coleta Rio de Janeiro, 29/10/2013 1 A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - PNAD investiga anualmente, de forma permanente: características

Leia mais

V Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental Belo Horizonte/MG 24 a 27/11/2014

V Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental Belo Horizonte/MG 24 a 27/11/2014 ATIVIDADES DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL E GERENCIAMENTO DA COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS DOMÉSTICOS EM ÁREA URBANA: ESTUDO DE CASO EM MUNICÍPIO DE PEQUENO PORTE Aline Ferrão Custodio Passini (*), Guilherme Barros,

Leia mais

Crédito Imobiliário do HSBC apresenta: Sustentabilidade em Casa

Crédito Imobiliário do HSBC apresenta: Sustentabilidade em Casa Crédito Imobiliário do HSBC apresenta: Sustentabilidade em Casa Seja bem-vindo ao Guia Sustentabilidade em Casa do HSBC. O Guia Sustentabilidade em Casa é uma iniciativa do Crédito Imobiliário do HSBC

Leia mais

Produto mais sustentável

Produto mais sustentável Produto mais sustentável De maneira geral, um produto pode ser considerado mais sustentável por diversas razões: a) processo de fabricação com baixo impacto: consiste em produtos que eliminaram ingredientes

Leia mais

Maioria das empresas já adota ou pretende adotar medidas que contribuem para o controle das emissões

Maioria das empresas já adota ou pretende adotar medidas que contribuem para o controle das emissões Ano 7 Número 05 dezembro de 2009 www.cni.org.br Mudança Climática Maioria das empresas já adota ou pretende adotar medidas que contribuem para o controle das emissões 97% das empresas industriais têm conhecimento

Leia mais