CENTRO UNIVERSITÁRIO DE JOÃO PESSOA PRÓ REITORIA DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO LAURO HENRIQUE FIRMINO DA SILVA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CENTRO UNIVERSITÁRIO DE JOÃO PESSOA PRÓ REITORIA DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO LAURO HENRIQUE FIRMINO DA SILVA"

Transcrição

1 1 CENTRO UNIVERSITÁRIO DE JOÃO PESSOA PRÓ REITORIA DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO LAURO HENRIQUE FIRMINO DA SILVA A IMAGEM DA MARCA E A FIDELIDADE DO CLIENTE DE LOCAÇÃO DE VEICULOS: O CASO DA LOCACENTER JOÃO PESSOA PB 2008

2 2 LAURO HENRIQUE FIRMINO DA SILVA A IMAGEM DA MARCA E A FIDELIDADE DO CLIENTE DE LOCAÇÃO DE VEICULOS: O CASO DA LOCACENTER Monografia apresentada ao Centro Universitário de João Pessoa UNIPÊ, como requisito parcial para obtenção do título de Bacharel em Administração. Orientadora: Professora Ms. Ilka Maria Soares Campos JOÃO PESSOA PB 2008

3 3 S586i Silva, Lauro Henrique Firmino. A imagem da marca e a fidelidade do cliente de locação de veículos: o caso da Locacenter./ Lauro Henrique Firmino da Silva.-João Pessoa, f. Monografia (Curso de Administração) Centro Universitário de João Pessoa - UNIPÊ 1. Marketing. 2. Marca. 3. Fidelidade. 4. Cliente I. Título. UNIPÊ / BC CDU 658.8

4 4 LAURO HENRIQUE FIRMINO DA SILVA A IMAGEM DA MARCA E A FIDELIDADE DO CLIENTE DE LOCAÇÃO DE VEICULOS: O CASO DA LOCACENTER Monografia apresentada ao Centro Universitário de João Pessoa UNIPÊ, como requisito parcial para obtenção do título de Bacharel em Administração. Aprovado em... /... / de BANCA EXAMINADORA Professora Ms. Ilka Maria Soares Campos Professora Ms.Carolina Barroca Rocha Professor Ms. George Washington Alves de Melo

5 À meu pai Luzimar Firmino da Silva, minha mãe Suely Dias Borba da Silva, minha esposa Avanilde Lobo Maia e aos meus filhos Avany e Lauro. Dedico. 5

6 6 AGRADECIMENTOS À Deus, que me concedeu a benção de mais uma conquista, à Ele, toda honra e toda glória. À minha esposa Avanilde, pela paciência e o carinho que demostrou durante a minha trajetória para a realização desse curso. À Profª e Orientadora Ilka Maria Soares Campos, pela compreensão e as informações fundamentais que tornaram possíveis este trabalho À todos os professores do Curso de Administração.

7 7 SILVA, Lauro Henrique Firmino. A imagem da marca e a fidelidade do cliente de locação de veiculos: O caso da Locacenter Monografia (Graduação em Administração) Centro Universitário de João Pessoa UNIPÊ. RESUMO A preocupação com a imagem e os cuidados com a marca têm crescido de forma acelerada em inúmeras empresas ao redor do mundo, as empresas desejam saber cada vez mais qual a contribuição das marcas para o sucesso dos seus negócios, para as empresas de locação de veículos a gestão do intangível torna-se ainda mais crucial, devido a imensa disponibilidade no mercado de concorrentes locais e nacionais. Então surge a pergunta: Até que ponto a Locacenter está utilizando a imagem da marca como estratégia para fidelizar seus clientes? Partindo de uma abordagem metodológica, caracterizada como uma pesquisa de caráter exploratório, uma vez que existe a necessidade de aprofundamentos dos conhecimentos sobre o assunto, este trabalho fundamentou-se inicialmente, no estudo documental e para a investigação, procedeu-se a coleta de dados através de questionários aplicados junto aos clientes cadastrados na empresa. O método utilizado para análise dos dados foi o descritivo. O estudo é de relevância tanto prática como teórica, por coletar informações que servirão de subsídios para a Locacenter. Os resultados desta pesquisa poderão proporcionar estudos subseqüentes, como também ser uma fonte de informações para reflexões sobre a imagem da marca e a fidelidade do consumidor de locação de veículos. Palavras-chave: Marketing, Marca, Fidelidade e Cliente..

8 8 SILVA, Lauro Henrique Firmino. The image of the brand and customer loyalty for the leasing of vehicles: The case of Locacenter Monograph (Graduation in Administration) - University Center of Joao Pessoa - UNIPÊ. ABSTRACT The concern with the image and the care with the brand have grown so rapidly in many companies around the world, companies increasingly want to know what the contribution of brands to the success of their businesses, for enterprises of rental cars the management of intangibles becomes even more crucial because the vast market availability of local and national competitors. Then comes the question: To what extent does Locacenter is using the brand image as a strategy to retain its customers? From a methodological approach, characterized as a search exploratory in nature, since there is a need for deepening of knowledge on the subject, this work was based initially in the documentary study and research, an in-collecting data through questionnaires applied to customers registered with the company. The method used for data analysis was the descriptive. The study is both practical and theoretical importance, for collecting information which will serve as subsidies for Locacenter. The results of this research could provide subsequent studies, but also be a source of information for reflection on the brand image and loyalty of consumers of rental cars. Word-key: Marketing, Brand, Loyalty and Customer.

9 9 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Marketing Conceitos Composto de Marketing Produto Preço Promoção Praça Marca Comportamento do Consumidor Fatores que Influenciam o Comportamento do Consumidor O Processo de Decisão de Compra do Consumidor Fidelização Modelos de Relacionamento PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS Problema de Pesquisa Objetivos Objetivo Geral Objetivo Específico Campo Empírico Tipo de Pesquisa Universo/Amostra Instrumentos de Coleta de dados ANÁLISE E RESULTADOS DOS DADOS CONSIDERAÇÔES FINAIS REFERÊNCIAS APÊNDICE... 44

10 8 1 INTRODUÇÃO A crescente competitividade do mercado vem mudando a visão das empresas no que tange a importância da construção de marcas para a sua sobrevivência. A marca é um fator crítico de sucesso para todas as organizações. Para as empresas de locação de veículos, a construção de uma marca torna-se ainda mais crucial, devido a imensa disponibilidade no mercado de concorrentes locais e nacionais com marcas de qualidade similares, e preços competitivos. E para impedir que sejam vistas da mesma forma, muitas destas empresas investem pesado em marketing e propaganda sem, no entanto perceberem que eles não são a parte mais importante para se construir uma marca forte, que as diferenciará na multidão. Distinguir as necessidades e desejos das pessoas e proporcionar sua satisfação, de forma mais rápida e eficaz que seus concorrentes é um desafio. O sucesso de uma empresa está intimamente ligado às experiências dos clientes, fruto dos contatos diários entre esses e seus funcionários. Isso significa dizer que a principal vantagem competitiva de uma empresa prestadora de serviços são seus funcionários. Os funcionários são os verdadeiros responsáveis pela construção de um poderoso relacionamento emocional entre os clientes e a marca. São eles, que constroem as mais fortes associações (positivas ou negativas) nas mentes dos clientes, influenciando suas percepções todas as vezes que ouvem, vêem ou pensam na marca da sua empresa. As empresas que já descobriram isso concentram agora seus esforços para, mais do que construir uma marca de serviço com marketing e propaganda, oferecer ao mercado, através de todos os funcionários, um serviço que marque. O Capítulo II, inicia a compreensão dos processos de marketing e suas ferramentas. As compreensões destes elementos são analisadas através do composto de marketing e avaliação das oportunidades de marketing no mercado-alvo. Outras questões como Marca e Fidelização também são explorados neste capítulo. O capítulo III, inicia-se definindo os seus fundamentos básicos tais como: Objetivos geral e específicos,onde procurou-se definir, de forma mais inequívoca possível, indicando-se o propósito da pesquisa. Também indicou-se, o tipo de pesquisa, fazendo-se referência aos instrumentos de pesquisa e natureza do estudo. Por fim a descrição da população e do processo de amostragem utilizado.

11 9 No capítulo IV, na análise e resultados dos dados procurou-se conhecer a opinião dos clientes do mercado de locação de veículos, com base nas sua características e tendências e busca interpretar e analisar os resultados da pesquisa, onde são discutidos aspectos qualitativos e quantitativos, relacionados as variáveis estudadas. Portanto, este estudo buscou oferecer conhecimento e informações úteis no setor de locação de serviços, tanto para o segmento de locadoras de veículos como para qualquer um que queira aprofundar-se no assunto ou atuar na área.

12 10 2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA 2.1 MARKETING O marketing é a arte de descobrir oportunidades, desenvolvê-las e lucrar com elas, porém não cria necessidade nem induz as pessoas a comprarem coisas que não desejem. O papel do marketing é identificar as necessidades não satisfeitas, de forma a colocar no mercado produtos ou serviços que, ao mesmo tempo, proporcionem satisfação dos consumidores, gerem resultados promissores as empresas e ajudem na qualidade de vida das pessoas e da comunidade em geral. Marketing não é apenas venda e propaganda, marketing também é, distinguir as necessidades e desejos das pessoas e proporcionar sua satisfação, de forma mais rápida e eficaz que seus concorrentes. É imprescindível para qualquer organização a busca em satisfazer os desejos e necessidades das pessoas tornado-as consumidoras de seus produtos e serviços. As pessoas respondem ao marketing quando compram um produto ou utilizam um serviço em busca de satisfazer uma necessidade ou simplesmente um desejo, assim o marketing demonstra sua eficácia e cumpre seu papel dentro da organização CONCEITOS Podemos afirmar que marketing é um processo onde a empresa pesquisa as necessidades do mercado para obtenção de informações que serão utilizadas na criação de produtos ou serviços que venham atender as necessidades dos consumidores. De acordo com Kotler(2000,p.3), Marketing é o processo social e gerencial através do qual indivíduos e grupos obtêm aquilo de que necessitam e que desejam, criando e trocando produtos e valores com outros. Para Sandhusen (2000,p.8), Marketing é o processo de planejar a concepção, o preço, a promoção e a distribuição de bens e serviços para criar trocas que satisfaçam os objetivos individuais e organizacionais. Las Casas (1991,p.12), define marketing como:

13 11 A área de conhecimento que engloba todas as atividades concernentes às relações de troca, orientadas para a satisfação dos desejos e necessidades dos consumidores, visando alcançar determinados objetivos da organização ou indivíduo e considerando sempre o meio ambiente de atuação e o impacto que estas relações causam no bemestar da sociedade. O marketing deve proporcionar a satisfação das pessoas e das organizações e quando se alcança essa satisfação é porque o marketing resultou positivamente. Segundo Semenik e Bamossy (1995,p.6), Marketing é o processo de planejamento e execução do conceito, preço, comunicação e distribuição de idéias, bens e serviços, de modo a criar trocas que satisfaçam objetivos individuais e organizacionais O COMPOSTO DE MARKETING Embora centenas de variáveis estejam envolvidas, a tomada de decisões em marketing pode ser dividida em quatro estratégias: produto, preço, praça e promoção. De acordo com Sandhusen (2000,p.4), o composto de marketing é a combinação de ferramentas de marketing que um gerente de marketing manipula para controlar e orquestrar trocas com membros do mercado- alvo. Segundo Berkowitz (2003,p.6-8): Essas ferramentas, chamadas freqüentemente de os Quatro Ps, incluem, produto, preço, promoção e praça PRODUTO Sendo a ferramenta mais básica do composto de marketing, o produto é a oferta tangível da empresa para o mercado, abrangendo qualidade, características, marca, embalagem e design. A empresa pode ainda fornecer serviços de manutenção, entrega, entre outros, como parte do produto, podendo com isso gerar vantagem competitiva. Segundo Boone e Kurtz (1998,p.19): A palavra produto significa mais do que bem, serviço ou idéia.

14 12 Produto é um conceito amplo que também leva em conta a satisfação de todas as necessidades do consumidor em relação a um bem, serviço ou idéia. Assim, a estratégia de produto envolve mais do que apenas decidir que produtos a empresa deve oferecer a um grupo de consumidores. Inclui, também, decisões sobre serviços prestados ao consumidor, projeto das embalagens, nomes de marcas, marcas registradas, garantias, ciclos de vida do produto, posicionamento e desenvolvimento do novo produto PREÇO Uma das áreas mais difíceis para decisão de marketing é a estratégia de preço, que trata de métodos de estabelecimento de preços lucrativos e justificáveis.o preço deve ser compatível com o valor do produto ou serviço para que o consumidor não se sinta lesado e acabe procurando o concorrente. Segundo Kotler (2000,p.476): O preço é o único elemento de marketing que produz receita, os demais produzem custos. Ele é também um dos elementos mais flexíveis: pode ser alterado com rapidez, ao contrario das características dos produtos e dos compromissos com canais de distribuição PROMOÇÃO Inclui todas as atividades desempenhadas pela empresa para comunicar e promover seus produtos ou serviços no mercado-alvo. Essa atividades também devem estimular a compra do consumidor. De acordo com kotler(2000,p.229): Promoção consiste na combinação específica de ferramentas de propaganda, venda pessoal, promoção de vendas e relações públicas que a empresa utiliza para perseguir seus objetivos de propaganda e marketing.

15 PRAÇA As empresas devem identificar, controlar e unir vários facilitadores de marketing para fornecer eficientemente seus produtos e serviços, como também vários tipos de varejistas, atacadistas e empresas de distribuição física. É uma ferramenta-chave, pois os consumidores procuram comodidade e por isso esperam encontrar os produtos com facilidade.(semenik e BAMOSSY,1995). As estratégias de distribuição são desenvolvidas para assegurar que seus produtos estejam disponíveis nas quantidades apropriadas nos lugares e momentos certos. As decisões de distribuição envolvem meios de transporte, armazenamento, controle de estoque, processamento de encomendas e seleção de canais de marketing.(semenik E BAMOSSY,1995). Assim, o Composto de Marketing ou Marketing Mix, é o conjunto de ferramentas que a empresa usa para atingir seus objetivos de marketing no mercadoalvo, e saem vencedoras aquelas que conseguem satisfazer as necessidades do consumidor. (PERREAULT ET al,2002,p.32) 2.2 MARCA A preocupação com a imagem e os cuidados com a marca têm crescido de forma acelerada em inúmeras empresas ao redor do mundo. De acordo com o Federal Reserve Board (Fed), atualmente 47% do valor líquido das empresas americanas, por exemplo, é vinculado a ativos intangíveis ou brand equity, conceito que expressa sobretudo o valor da marca das empresas. Há 50 anos atrás, apenas 22% do valor líquido das empresas era atribuído à marca. Para a American Marketing Association (apud Kotler,2000,p.426): Uma marca é um nome, termo, símbolo, desenho ou uma combinação desses elementos que deve identificar os bens ou serviços de uma empresa ou grupo de empresas e diferenciálos dos da concorrência.

16 14 Semenik e Bamossy (1995,p.314), define marca como o estabelecimento de um nome, termo, símbolo ou design que identifica o produto ou serviço de uma determinada empresa e cuja finalidade é distinguir claramente este produto dos outros oferecidos pela concorrência. Para Czinkota (2001,p.230): As marcas são uma das peças mais fundamentais de informações que os clientes utilizam para simplificar as escolhas e reduzir os riscos de aquisição. As marcas servem as funções de comunicação importantes e ao fazê-lo, estabelecem crenças sobre os atributos e a imagem geral do produto entre os clientes. Depois que uma marca foi estabelecida, o nome da marca, o logo e a marca registrada, servem para lembrar e reforçar as crenças que foram formadas. Para chegar a esse ponto, a empresa deve cumprir bem suas promessas. Para Semenik e Bamossy (1996,p.314): O nome ou marca pode ajudar a empresa a cristalizar uma boa imagem em torno do produto. A marca pode tornar-se uma representação de satisfação que vai influenciar o consumidor a optar repetidamente por um produto específico em detrimento de outros produtos concorrentes. Quanto mais favoráveis e mais fortes forem as associações positivas, tanto maior será o potencial de vendas do produto. Essencialmente, a marca representa a promessa de o vendedor entregar um conjunto específico de características, benefícios e serviços aos compradores. As melhores marcas trazem uma garantia de qualidade. Porém, uma marca é um símbolo ainda mais complexo. Segundo Kotler (2000,p.426) ela pode conduzir seis níveis de significados: Atributos A princípio, uma marca traz certos atributos. Tomamos como exemplo a Mercedes Benz sugere preço alto, qualidade de construção, boa engenharia, durabilidade, elevado prestígio, alto valor de revenda e velocidade. A empresa pode usar um ou mais destes atributos para divulgar o carro. Durante anos, um Mercedes foi anunciado com o seguinte título: Trabalho de engenharia que não é oferecido em nenhum outro carro do mundo. Isto serviu como plataforma de posicionamento para projetar outros atributos do carro.

17 15 Benefícios. A marca é mais de que um conjunto de atributos. Os consumidores não compram atributos; compram benefícios. Os atributos precisam ser transformados em benefícios funcionais e/ou emocionais. O atributo durabilidade pode ser transformado em atributo funcional: Não terei que comprar um carro novo por muitos anos. O atributo preço elevado pode ser traduzido em benefício emocional: O carro ajuda-me a sentir importante e admirado. O atributo qualidade de construção pode ser transformado em benefício funcional e emocional. Estou seguro no caso de um acidente. Valores A marca também transmite algo sobre os valores do fabricante. Assim, a marca Mercedes Benz representa alto desempenho, segurança, prestígio, etc. A empresa deve descobrir grupos de compradores de carros que procuram esses valores. Cultura Adicionalmente, a marca pode representar certa cultura. A marca Mercedes Benz representa a cultura alemã: organizada, eficiente e de alta qualidade. Personalidade A marca pode também projetar certa personalidade. Se ela fosse uma pessoa, animal ou objeto, o que viria à mente? Mercedes Benz pode sugerir um chefe incoerente (pessoa), uma leoa reinando (animal) ou um palácio austero (objeto). Às vezes, a marca pode assumir a personalidade de uma pessoa ou porta-voz bem conhecido. Usuário A marca sugere o tipo de consumidor que compra o produto. Ficaríamos surpresos em ver uma secretária de 20 anos de idade comprando um Mercedes. Nossa expectativa seria ver um alto executivo de 55 anos de idade atrás do volante. O usuários são aqueles que se relacionam com os valores, cultura e personalidade do produto. 2.3 COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR Conhecer os consumidores não é tarefa simples. Eles podem declarar suas necessidades e desejos, mas agir de modo diferente. Podem manifestar suas motivações mais profundas e reagir à influências que mudam sua maneira de pensar no último minuto. Segundo Semenik e Bamossy(1995,p.207):

18 16 As atividades de consumo, desde a decisão do que quer comprar até o uso e posse dos produtos, desempenham um papel importante na vida das pessoas. Devido à difusão do consumo, os profissionais do mercado recorreram a conceitos ligados à psicologia, à sociologia, à antropologia e à recém estabelecida matéria de comportamento do consumidor para melhor entender o comportamento de compra. A compreensão do comportamento humano se faz principalmente através da análise de suas necessidades. Todo o processo de tomada de decisão se alinhava na sensação das necessidades satisfeitas. Isto é válido para a satisfação de compra. As necessidades são, muitas vezes, percebidas ou não pelas pessoas. Por exemplo: a compra de determinados produtos ou marcas são necessidades muitas vezes, levadas a um nível emocional e não necessariamente a um nível racional. Para descrever os tipos básicos de decisão de compra do consumidor é preciso que se conheça dois fatores fundamentais a decisão de compra: a busca da informação e o envolvimento. Para Semenik e Bamossy (1995,p.207) " a busca da informação refere-se a quanto tempo e energia um indivíduo dedica ao processo de coleta de fatos antes de tomar uma decisão." Algumas pessoas buscam com persistência e demoram para decidir, enquanto há outras pessoas menos preocupadas e pouco se esforçam para conseguir informações. O envolvimento é o quanto cada compra feita está voltada ao valor ou para satisfazer o ego. Continuando Semenik e Bamossy (1995,p.207) "quanto mais uma compra está ligada à auto-imagem da pessoa, mais altamente envolvida aquela pessoa ficará no processo de decisão." FATORES QUE INFLUENCIAM O COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR O comportamento dos consumidores são influenciados por fatores culturais, sociais, pessoais e psicológicos.

19 17 Segundo Boone e Kurtz (1998,p.97) As compras do consumidor são altamente influenciadas pelas características culturais, sociais, pessoais e psicológicas. Fatores Culturais Os fatores culturais exercem uma influência muito ampla e profunda no comportamento do consumidor. Nesses fatores culturais estão inseridas a cultura a subcultura e classe social do consumidor que detalharemos a seguir: De acordo com kotler(1996,p.161): A cultura é o determinante mais fundamental dos desejos e do comportamento de uma pessoa. A criança em crescimento adquire um conjunto de valores, percepções, preferências e comportamentos através da vida familiar e de outras instituições básicas.. Cada cultura contém pequenas subculturas, ou grupos de pessoas com os mesmos sistemas de valor baseados em experiências e situações de vida comum. As subculturas podem ter determinantes tais como nacionalidades, religiões, raças e regiões geográficas, (KOTLER, 1996). Quase toda sociedade tem alguma forma de estrutura de classes sociais. Classes sociais são divisões relativamente permanentes e homogêneas da sociedade cujos membros partilham valores, interesses e comportamentos semelhantes, (KOTLER,1996). Fatores Sociais O comportamento de consumo do consumidor também é influenciado por fatores sociais, como grupos a que pertence ou aspira pertencer, família, papéis sociais e status. O comportamento de uma pessoa é influenciado por vários grupos pequenos como: grupos de associação; grupos secundários; grupos de referência; e grupos de aspiração, (KOTLER,1996). Os familiares podem ter grande influência no comportamento do comprador. A família é a estrutura ou organização de compra mais importante da sociedade.

20 18 As pessoas pertencem a muitos grupos família, clubes, organizações - e sua posição em cada um desses grupos pode ser definida em termos de papel e status. O papel consiste nas atividades esperadas de uma pessoa com relação aos outros à sua volta. Cada papel tem um status que reflete a opinião geral da sociedade sobre ele. Fatores Pessoais As decisões de um consumidor também são influenciadas por suas características pessoais, como idade e estágio de vida, ocupação, situação econômica, estilo de vida, personalidade e auto - conceito. As pessoas oriundas de uma mesma sub - cultura, classe social e ocupação podem ter estilos de vida diferentes. Estilo de vida é o padrão de vida da pessoa conforme expresso na sua psicografia, envolvendo a medida das dimensões centrais do consumidor atividades (trabalho, hobby, compras, esporte, compromissos sociais), interesses (comida, moda, família, diversão) e opiniões (sobre si próprio e sobre questões sociais, negócios, produtos). O estilo de vida envolve algo mais do que a classe social ou a personalidade da pessoa dá o perfil do seu padrão de ação e interação com o mundo, (KOTLER, 1996). Fatores Psicológicos As escolhas de compra do consumidor também são influenciadas por fatores psicológicos importantes: motivação, percepção, aprendizado e crenças e atitudes. A pessoa tem muitas necessidades em qualquer momento. Algumas dessas necessidades são biológicas, originadas de estados de tensão como fome, sede ou desconforto. Outras são psicológicas originadas de necessidade de reconhecimento, de auto-estima ou de relacionamento. Grande parte dessas necessidades não é tão forte a ponto de motivar a pessoa a agir em um dado momento. Elas só se tornam um motivo quando aumentam de intensidade. O motivo (ou impulso) é uma necessidade com tal grau de intensidade que leva a pessoa a tentar satisfazer-se. Depois de motivada, a pessoa está pronta para agir. A forma como cada um age é influenciada por sua percepção da situação. Percepção é o

21 19 processo pelo qual as pessoas selecionam, organizam e interpretam informações para formarem uma imagem significativa do mundo. À medida que as pessoas agem elas aprendem. O aprendizado são as mudanças no comportamento do indivíduo a partir da sua experiência, (KOTLER, 1996) O PROCESSO DE DECISÃO DE COMPRA DO CONSUMIDOR No estágio da decisão de compra, o cliente incorpora o conhecimento dos estágios anteriores: a busca da informação, a avaliação do produto e a avaliação da compra, e faz a sua escolha. Entretanto o processo não termina nesse estágio. É quando vem uma fase fundamental para o consumidor e para o profissional de marcado. Segundo Boone e Kurtz (1998,p.183) O comportamento do consumidor pode ser visto como um processo de decisão. Para compreender o comportamento do consumidor, precisamos examinar os eventos que precedem e sucedem a compra. O consumidor se envolve em vários graus de envolvimento e esforços de busca de informações no processo decisório de compra. Para Semenik e Bamossy (1995,p.209), os anos de pesquisa desenvolvidos sobre o comportamento do consumidor sugerem que o processo de decisão de compra do consumidor ocorre numa série de etapas. A saber: Reconhecimento de um problema ou oportunidade O reconhecimento da necessidade é a entrada no processo de decisão. Existe três tipos de reconhecimento de necessidade: reposição, funcional e emocional. A reposição é aquela em que um item comprado com freqüência, é regularmente reabastecido. A funcional é aquela que surge quando um consumidor está em busca de uma solução para uma exigência específica e geralmente importante. A emocional é a mais complexa e constitui um desafio para tomadores de decisão de marketing. Os consumidores buscam satisfazer com status, conquista, prestígio, etc. (SEMENIK E BAMOSSY,1995). Busca de Informações

22 20 Depois de surgida a necessidade vem a busca por informações, que podem ser de baixo envolvimento ou de alto envolvimento. O consumidor pode recorrer a dois tipos básicos de informações: internas e externas. As informações internas consistem nas experiências passadas e nas informações armazenadas pelo consumidor. As informações externas são basicamente a mídia, parentes ou amigos e avaliações objetivas do produto como guias de compras, por exemplo. (SEMENIK E BAMOSSY,1995). Avaliação de alternativas A avaliação do produto feita pelo consumidor é feita por meio de três critérios gerais: características funcionais do produto, que inclui fatores como preço, características de desempenho, características exclusivas e quaisquer garantias oferecidas pelo produto; satisfação emocional, que é a percepção que pode ser estimulada pela maneira como o fabricante retrata o seu produto e o interliga com uma imagem; os benefícios consistem na área intermediária entre os critérios de avaliação funcional e emocional.(semenik E BAMOSSY,1995). Decisão de compra e Ato de compra No estágio da decisão de compra, o cliente incorpora o conhecimento dos estágios anteriores: a busca da informação, a avaliação do produto e a avaliação da compra, e faz a sua escolha. Entretanto o processo não termina nesse estágio. É quando vem uma fase fundamental para o consumidor e para o profissional de marcado. (SEMENIK E BAMOSSY, 1995). Avaliação Pós-compra Depois que o consumidor faz a compra ele pode alterar o seu comportamento. Há dois tipos de comportamento pós-compra: a busca por informações adicionais e a aquisição de produtos relacionados. A primeira é motivada pela busca de informações adicionais depois da compra, resultante da tentativa do consumidor de aliviar a ansiedade obtida na tomada de decisão e no compromisso de compra. A segunda resulta da compra de outros produtos ou serviços complementares dos originais. (SEMENIK e BAMOSSY, 1995).

23 FIDELIZAÇÃO A palavra fidelidade em um contexto empresarial, que tem sido usada para descrever a vontade de um cliente de continuar prestigiando uma empresa durante um período prolongado de tempo, comprando e utilizando seus bens e serviços em uma base repetida e preferencialmente exclusiva, e recomendando voluntariamente os produtos da empresa a amigos e familiares. Para construir a fidelização é essencial entender as necessidades, desejos e valores, pois constantemente a comunicação deve reforçar a percepção sobre o produto ou serviço, com a mensagem certa, na hora certa. Fidelização nasce do Marketing de Relacionamento, vendas repetidas do esforço de vendas. Segundo Rapp (1991), a fidelização de clientes consiste em: Desenvolver um ciclo de comunicação com o cliente Isto significa que se deve ter uma estratégia de comunicação, onde as ações para os clientes sejam planejadas desde o contato inicial e se finalizem buscando obter uma resposta do cliente, dentro de um período pré-estabelecido. Esse período depende do produto, do tipo de cliente e dos objetivos da empresa. Fazer coisas juntos Este é o melhor meio de interação entre empresa e cliente, mas de difícil implementação. São poucas as atividades que a empresa pode realizar com seus clientes. Um dos melhores exemplos se encontra no mercado business-to-business quando empresa e cliente desenvolvem pesquisa em conjunto. Ouvir cuidadosamente

Marketing Empresarial MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE

Marketing Empresarial MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE Marketing Empresarial Capítulo 1 Marketing: uma introdução Introdução ao Marketing O que é Marketing Marketing é a área do conhecimento que engloba todas as atividades concernentes às relações de troca,

Leia mais

MARKETING EMPRESARIAL MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE

MARKETING EMPRESARIAL MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO E SUSTENTABILIDADE Marketing: uma introdução Introdução ao Marketing O que é Marketing Marketing é a área do conhecimento que engloba todas as atividades concernentes às relações

Leia mais

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes Unidade IV Marketing Profª. Daniela Menezes Comunicação (Promoção) Mais do que ter uma ideia e desenvolver um produto com qualidade superior é preciso comunicar a seus clientes que o produto e/ ou serviço

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO MERCADOLÓGICA II

ADMINISTRAÇÃO MERCADOLÓGICA II ADMINISTRAÇÃO MERCADOLÓGICA II Atividades Gerenciais de MKT Produto Testar Novos Produtos; Modificar Atuais; Eliminar; Política de Marcas; Criar Satisfação e Valor; Embalagem. 2 1 Atividades Gerenciais

Leia mais

Considerando que a pesquisa mercadológica é uma ferramenta de orientação para as decisões das empresas, assinale a opção correta.

Considerando que a pesquisa mercadológica é uma ferramenta de orientação para as decisões das empresas, assinale a opção correta. ESPE/Un SERE plicação: 2014 Nas questões a seguir, marque, para cada uma, a única opção correta, de acordo com o respectivo comando. Para as devidas marcações, use a Folha de Respostas, único documento

Leia mais

&DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR

&DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR &DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR Toda comunicação publicitária visa atender a alguma necessidade de marketing da empresa. Para isso, as empresas traçam estratégias de comunicação publicitária, normalmente traduzidas

Leia mais

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes Unidade IV Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas Prof a. Daniela Menezes Tipos de Mercado Os mercados podem ser divididos em mercado de consumo e mercado organizacional. Mercado de consumo: o consumidor

Leia mais

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro.

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. PLANO DE MARKETING Andréa Monticelli Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. 1. CONCEITO Marketing é

Leia mais

1- O que é um Plano de Marketing?

1- O que é um Plano de Marketing? 1- O que é um Plano de Marketing? 2.1-1ª etapa: Planejamento Um Plano de Marketing é um documento que detalha as ações necessárias para atingir um ou mais objetivos de marketing, adaptando-se a mudanças

Leia mais

O COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR NO PROCESSO DE DECISÃO DE COMPRA RESUMO

O COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR NO PROCESSO DE DECISÃO DE COMPRA RESUMO O COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR NO PROCESSO DE DECISÃO DE COMPRA Letícia Fernanda Giareta le.giareta@hotmail.com RESUMO Este artigo fundamenta-se numa pesquisa qualitativa que teve por objetivo identificar

Leia mais

COLETA DE INFORMAÇÕES E PREVISÃO DE DEMANDA

COLETA DE INFORMAÇÕES E PREVISÃO DE DEMANDA COLETA DE INFORMAÇÕES E PREVISÃO DE DEMANDA 1) Quais são os componentes de um moderno sistema de informações de marketing? 2) Como as empresas podem coletar informações de marketing? 3) O que constitui

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CONFEDERAÇÃO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL TRABALHO DE AVALIAÇÃO MARKETING PARA A QUALIDADE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CONFEDERAÇÃO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL TRABALHO DE AVALIAÇÃO MARKETING PARA A QUALIDADE UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CONFEDERAÇÃO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL TRABALHO DE AVALIAÇÃO MARKETING PARA A QUALIDADE CURITIBA ABRIL - 2000 ODILIO SEPULCRI TRABALHO DE AVALIAÇÃO MARKETING PARA

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE SITES DE COMPRA COLETIVA, POR EMPRESAS DO RAMO ALIMENTÍCIO, COMO ESTRATÉGIA DE MARKETING

UTILIZAÇÃO DE SITES DE COMPRA COLETIVA, POR EMPRESAS DO RAMO ALIMENTÍCIO, COMO ESTRATÉGIA DE MARKETING UTILIZAÇÃO DE SITES DE COMPRA COLETIVA, POR EMPRESAS DO RAMO ALIMENTÍCIO, COMO ESTRATÉGIA DE MARKETING Monique Michelon 1 Lorete Kossowski 2 RESUMO O empreendedorismo no Brasil vive hoje um cenário promissor,

Leia mais

Programa de Capacitação em Gestão da Responsabilidade Social Empresarial e Desenvolvimento PETROBRÁS

Programa de Capacitação em Gestão da Responsabilidade Social Empresarial e Desenvolvimento PETROBRÁS Programa de Capacitação em Gestão da Responsabilidade Social Empresarial e Desenvolvimento PETROBRÁS OFICINA 2 Professora: Izabel Portela izabel@institutoiris.org.br Novembro - 2007 1 M A R K E T I N G

Leia mais

SATISFAÇÃO DO CLIENTE NOS SERVIÇOS PRESTADOS PELA SERCOMTEL CELULAR

SATISFAÇÃO DO CLIENTE NOS SERVIÇOS PRESTADOS PELA SERCOMTEL CELULAR 1 V I I S E M E A D E S T U D O D E C A S O M A R K E T I N G SATISFAÇÃO DO CLIENTE NOS SERVIÇOS PRESTADOS PELA SERCOMTEL CELULAR Autores: Silvio Roberto Stefano Professor orientador. Mestre em Administração.

Leia mais

Recursos Humanos. Hotelaria: gestores portugueses vs. estrangeiros

Recursos Humanos. Hotelaria: gestores portugueses vs. estrangeiros Esta é uma versão post print de Cândido, Carlos J. F. (2004) Hotelaria: Gestores Portugueses vs. Estrangeiros, Gestão Pura, Ano II, N.º 7, Abril/Maio, 80-83. Recursos Humanos Hotelaria: gestores portugueses

Leia mais

Introdução. Introdução

Introdução. Introdução Prof. Dr. ANDERSON SONCINI PELISSARI Introdução O propósito do marketing e satisfazer as necessidades e desejos dos clientes-alvo. Dessa forma, a análise do comportamento do consumidor visa identificar

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING Sumário Parte um Conceitos e tarefas da administração de marketing CAPITULO I MARKETING PARA 0 SÉCULO XXI A importância do marketing O escopo do marketing 0 que é marketing? Troca e transações A que se

Leia mais

EMPREENDEDORISMO Marketing

EMPREENDEDORISMO Marketing Gerenciando o Marketing EMPREENDEDORISMO Marketing De nada adianta fabricar um bom produto ou prestar um bom serviço. É preciso saber colocálo no mercado e conseguir convencer as pessoas a comprá-lo. O

Leia mais

COMO VENDER. A IMAGEM DA SUA ESCOLA Dicas que garantem a visibilidade da sua instituição

COMO VENDER. A IMAGEM DA SUA ESCOLA Dicas que garantem a visibilidade da sua instituição BP COMO VENDER A IMAGEM DA SUA ESCOLA Dicas que garantem a visibilidade da sua instituição PRODUTOS EDUCACIONAIS MULTIVERSO Avenida Batel, 1750 Batel CEP 80420-090 Curitiba/PR Fone: (41) 4062-5554 Editor:

Leia mais

Análise de Mercado. Análise da Indústria/Setor. Descrição do Segmento de Mercado. Artigos de PN Como fazer Análise de Mercado. josedornelas.com.

Análise de Mercado. Análise da Indústria/Setor. Descrição do Segmento de Mercado. Artigos de PN Como fazer Análise de Mercado. josedornelas.com. Artigos de PN Como fazer Análise de Mercado Análise de Mercado A análise de mercado é um dos componentes do plano de negócios que está relacionado ao marketing da organização. Ela apresenta o entendimento

Leia mais

FTAD FORMAÇÃO TÉCNICA EM ADMINISTRAÇÃO MÓDULO DE MARKETING. Professor: Arlindo Neto

FTAD FORMAÇÃO TÉCNICA EM ADMINISTRAÇÃO MÓDULO DE MARKETING. Professor: Arlindo Neto FTAD FORMAÇÃO TÉCNICA EM ADMINISTRAÇÃO MÓDULO DE MARKETING Professor: Arlindo Neto Competências a serem trabalhadas GESTÃO DE MARKETING PUBLICIDADE E PROPAGANDA GESTÃO COMERCIAL FTAD FORMAÇÃO TÉCNICA EM

Leia mais

Os cursos oferecidos, em sua estrutura, apresentam objetivos e público-alvo especificados abaixo:

Os cursos oferecidos, em sua estrutura, apresentam objetivos e público-alvo especificados abaixo: Janela do Cliente-Aluno nos Cursos de Pós-Graduação Susana Taulé Piñol * Resumo Entender para atender o consumidor é a base para qualquer estratégia de marketing. Este artigo utiliza a ferramenta Janela

Leia mais

Problema ou Oportunidade. Processo de Decisão

Problema ou Oportunidade. Processo de Decisão Prof. Dr. ANDERSON SONCINI PELISSARI Processo de Decisão INFLUÊNCIA DO AMBIENTE Cultura Classes Sociais Valores Étnicos Família Situação DIFERÊNÇAS INDIVIDUAIS Recursos do cliente Auto conceito Problema

Leia mais

A FIDELIZAÇÃO DO CLIENTE COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO NA CONQUISTA DO MERCADO

A FIDELIZAÇÃO DO CLIENTE COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO NA CONQUISTA DO MERCADO 122 A FIDELIZAÇÃO DO CLIENTE COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO NA CONQUISTA DO MERCADO Edilene Mayumi Murashita Takenaka, Sérgio Luís Destro, João Vitor Minca Campioni, Dayane Magalhães Fernandes, Giovana Maria

Leia mais

Nível de Satisfação dos Clientes da Empresa Visual Mídia Formação Profissional: Um Estudo de Caso.

Nível de Satisfação dos Clientes da Empresa Visual Mídia Formação Profissional: Um Estudo de Caso. 1 Nível de Satisfação dos Clientes da Empresa Visual Mídia Formação Profissional: Um Estudo de Caso. Daiane Maria ALONGE 1 Edson Leite Lopes GIMENEZ 2 Resumo Com a atual concorrência, entender os desejos

Leia mais

AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR

AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR KOTLER, 2006 AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR. OS CANAIS AFETAM TODAS AS OUTRAS DECISÕES DE MARKETING Desenhando a estratégia

Leia mais

a) SEGMENTAÇÃO (1) Introdução

a) SEGMENTAÇÃO (1) Introdução a) SEGMENTAÇÃO (1) Introdução Segmentação de mercado é o processo de dividir mercados em grupos de consumidores potenciais com necessidades e/ou características semelhantes e que provavelmente exibirão

Leia mais

A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO

A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO 1 A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO Porto Alegre RS Abril 2010 Bianca Smith Pilla Instituto Federal de Educação,

Leia mais

Capítulo 3. Sumário do Capítulo. Sumário do Capítulo. Desenho da Pesquisa

Capítulo 3. Sumário do Capítulo. Sumário do Capítulo. Desenho da Pesquisa Capítulo 3 Desenho da Pesquisa 3-1 Sumário do Capítulo 1) Introdução 2) Desenho da Pesquisa: Definição 3) Desenho da Pesquisa: Classificação 4) Pesquisa Exploratória 5) Pesquisa Descritiva i. Desenho Secção

Leia mais

Gestão de Mercados e Estratégia de Marketing Administrando o Composto de Marketing: Os 4P s Aula 3

Gestão de Mercados e Estratégia de Marketing Administrando o Composto de Marketing: Os 4P s Aula 3 Gestão de Mercados e Estratégia de Marketing Administrando o Composto de Marketing: Os 4P s Aula 3 Prof. Me. Dennys Eduardo Rossetto. Objetivos da Aula 1. O composto de marketing. 2. Administração do P

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU EMENTA MBA GESTÃO DE VAREJO

PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU EMENTA MBA GESTÃO DE VAREJO MBA GESTÃO DE VAREJO 1 - FORMAÇÃO DE PREÇO E ANÁLISE DE MARGEM NO VAREJO: Ementa: Conhecer o conceito de lucro na visão da precificação baseada no custo; demonstrar termos utilizados na formação de preço

Leia mais

Coleção ajuda no sucesso profissional

Coleção ajuda no sucesso profissional COLEÇÃO Unic Josafá Vilarouca Renata Tomasetti (11) 5051-6639 josafa@unicbuilding.com.br renata@unicbuilding.com.br Coleção ajuda no sucesso profissional Série lançada pela Publifolha possui 36 títulos,

Leia mais

1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa

1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa 1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa A motivação, satisfação e insatisfação no trabalho têm sido alvo de estudos e pesquisas de teóricos das mais variadas correntes ao longo do século XX. Saber o que

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG.

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG. Bambuí/MG - 2008 A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG. Ana Cristina Teixeira AMARAL (1); Wemerton Luis EVANGELISTA

Leia mais

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente A Importância do Marketing nos Serviços da Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente Hellen Souza¹ Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS RESUMO Este artigo aborda a importância

Leia mais

10/7/2011 PLANEJAMENTO DE MARKETING

10/7/2011 PLANEJAMENTO DE MARKETING 1 PLANEJAMENTO DE MARKETING 2 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1.Importância do Planejamento de Marketing 2. Considerações Organizacionais no Planejamento de Marketing 3.Planejamento de Database Marketing 4.Análise

Leia mais

Unidade II MARKETING DE VAREJO E. Profa. Cláudia Palladino

Unidade II MARKETING DE VAREJO E. Profa. Cláudia Palladino Unidade II MARKETING DE VAREJO E NEGOCIAÇÃO Profa. Cláudia Palladino Preço em varejo Preço Uma das variáveis mais impactantes em: Competitividade; Volume de vendas; Margens e Lucro; Muitas vezes é o mote

Leia mais

Pesquisa de Marketing

Pesquisa de Marketing Pesquisa de Marketing CONCEITOS INICIAIS Prof. Daciane de Oliveira Silva Fonte: MALHORTA, Naresh K. Pesquisa de Marketing: uma orientação aplicada. 4 ed. Porto Alegre: Bookman, 2006. MATTAR, Fauze Najib.

Leia mais

Brasil em Alto Contraste: Conhecer é preciso

Brasil em Alto Contraste: Conhecer é preciso Brasil em Alto Contraste: Conhecer é preciso Percepção da Pesquisa no Brasil Congresso Brasileiro de Pesquisa Mercado h Opinião h Mídia Nelsom Marangoni Ney Luiz Silva Mudanças, muitas mudanças... e mudanças

Leia mais

Resumo para Identificação das Necessidades dos Clientes

Resumo para Identificação das Necessidades dos Clientes Resumo para Identificação das Necessidades dos Clientes O processo de decisão de compra é feito através da percepção de que os consumidores têm um problema. Então, se movem em direção à resolução. Disto

Leia mais

A Psicologia de Vendas: Por Que as Pessoas Compram

A Psicologia de Vendas: Por Que as Pessoas Compram A Psicologia de Vendas: Por Que as Pessoas Compram Esquema de Palestra I. Por Que As Pessoas Compram A Abordagem da Caixa Preta A. Caixa preta os processos mentais internos que atravessamos ao tomar uma

Leia mais

Módulo 6. O Produto. 6.1. Conceito de produto

Módulo 6. O Produto. 6.1. Conceito de produto Módulo 6. O Produto Para os consumidores a existência de uma multiplicidade de produtos expostos no mercado, cheio de características e adicionais, é de encher os olhos. A livre concorrência possibilita

Leia mais

04/09/2014. Parte 10 GESTÃO EMPRESARIAL. Administração de marketing. Objetivos de aprendizagem. Conteúdo

04/09/2014. Parte 10 GESTÃO EMPRESARIAL. Administração de marketing. Objetivos de aprendizagem. Conteúdo Parte 10 GESTÃO EMPRESARIAL Administração de marketing Profº Adm.Cláudio Fernandes, Ph.D Ph.D em Business Administration - EUA www.claudiofernandes.com.br 1 Conteúdo Objetivos de aprendizagem Administração

Leia mais

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA Há muito se discute que o mercado de farmácias é ambiente competitivo e que a atividade vem exigindo profissionalismo para a administração de seus processos, recursos e pessoal.

Leia mais

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014 #5 EMPREENDEDORISMO Outubro de 2014 ÍNDICE 1. Apresentação 2. Definição 3. Empreendedorismo: necessidade ou oportunidade? 4. Características do comportamento empreendedor 5. Cenário brasileiro para o empreendedorismo

Leia mais

1 Introdução 2 Comportamento do Consumidor e Diferenciação para Estratégia e para o Marketing

1 Introdução  2 Comportamento do Consumidor e Diferenciação para Estratégia e para o Marketing Diferenciação Informada: um Estudo sobre os Efeitos da Informação sobre a Disposição a Pagar João Roberto Lo Turco Martinez joaoadm01@yahoo.com.br UFG Lorena Estrela Peixoto lorenapeixoto18@yahoo.com.br

Leia mais

A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO

A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO Marcelo Cristian Vieira 1, Carolina Zavadzki Martins 2,Gerliane

Leia mais

com níveis ótimos de Brand Equity, os interesses organizacionais são compatíveis com as expectativas dos consumidores.

com níveis ótimos de Brand Equity, os interesses organizacionais são compatíveis com as expectativas dos consumidores. Brand Equity O conceito de Brand Equity surgiu na década de 1980. Este conceito contribuiu muito para o aumento da importância da marca na estratégia de marketing das empresas, embora devemos ressaltar

Leia mais

PREVIEW DAS PRINCIPAIS SEÇÕES DA NBR ISO 19011

PREVIEW DAS PRINCIPAIS SEÇÕES DA NBR ISO 19011 CENTRO DA QUALIDADE, SEGURANÇA E PRODUTIVIDADE PARA O BRASIL E AMÉRICA LATINA PREVIEW DAS PRINCIPAIS SEÇÕES DA NBR ISO 19011 Diretrizes para auditorias de sistemas de gestão da qualidade e/ou ambiental

Leia mais

4/2/2008. 2) Tomar grandes decisões = 1)Analisar a situação externa e interna. Leitura do mercado e das condições internas da organização

4/2/2008. 2) Tomar grandes decisões = 1)Analisar a situação externa e interna. Leitura do mercado e das condições internas da organização PLANO DE MARKETING Ferramenta importante do plano estratégico de uma empresa. Deve estar em perfeita sintonia com os objetivos estabelecidos pela empresa. É um passo para a elaboração do PLANO DE NEGÓCIOS

Leia mais

Aimportância do levantamento de informações e pesquisa na publicidade

Aimportância do levantamento de informações e pesquisa na publicidade Aimportância do levantamento de informações e pesquisa na publicidade UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 07.04.11 Agenda: A importância do levantamento

Leia mais

ROTEIRO PLANO DE MKT DIGITAL

ROTEIRO PLANO DE MKT DIGITAL ROTEIRO PLANO DE MKT DIGITAL Este é um roteiro completo, com pontos gerais e específicos. Na elaboração do plano, procure adaptar os tópicos que o compõe, à realidade da empresa-cliente. Priorize a qualidade

Leia mais

Marketing Prof. Raimundo Donizete de Camargo. Marketing de Serviços. Marketing de Serviços. Marketing de Serviços

Marketing Prof. Raimundo Donizete de Camargo. Marketing de Serviços. Marketing de Serviços. Marketing de Serviços Marketing Prof. Raimundo Donizete de Camargo Objetivos Definir ; Conhecer as diferenças básicas entre Produtos (Bens e Serviços); Analisar uma visão geral do Setor de Serviços; Conhecer o processo de Prestação

Leia mais

CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora

CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Prof Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefet.br Prof Dr. Antonio Carlos de Francisco (UTFPR) acfrancisco@pg.cefetpr.br

Leia mais

Organização Sete de Setembro de Cultura e Ensino - LTDA Faculdade Sete de Setembro FASETE Bacharelado em Administração

Organização Sete de Setembro de Cultura e Ensino - LTDA Faculdade Sete de Setembro FASETE Bacharelado em Administração Organização Sete de Setembro de Cultura e Ensino - LTDA Faculdade Sete de Setembro FASETE Bacharelado em Administração VICTOR HUGO SANTANA ARAÚJO ANÁLISE DAS FORÇAS DE PORTER NUMA EMPRESA DO RAMO FARMACÊUTICO:

Leia mais

Gestão de Negócios. Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING

Gestão de Negócios. Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING Gestão de Negócios Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING 3.1- CONCEITOS DE MARKETING Para a American Marketing Association: Marketing é uma função organizacional e um Marketing é uma função organizacional

Leia mais

COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR

COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR Estímulos de Marketing Outros Estímulos Características do comprador Processo de decisão do comprador Produto Preço Praça Promoção Econômicos Tecnológicos Políticos Culturais Culturais Sociais Pessoais

Leia mais

Aula 03 Gestão de Marketing

Aula 03 Gestão de Marketing Aula 03 Gestão de Marketing Análise SWOT, Segmentação de Mercado e Mix de Marketing Prof. Marcopolo Marinho Prof. Esp. Marcopolo Marinho Segmentação é a identificação sistemática de conjuntos e subconjuntos

Leia mais

PAP (Perfil de Avanço Profissional)

PAP (Perfil de Avanço Profissional) PAP (Perfil de Avanço Profissional) Relatório para: Suzanne Example Data concluida: 14 de junho de 2012 14:03:23 2012 PsychTests AIM Inc. Índice analítico Índice analítico 1/10 Índice analítico Índice

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO Plano de Ação Estratégico Estratégias empresariais Anexo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas SEBRAE Unidade de Capacitação Empresarial Estratégias

Leia mais

AULA 4 Marketing de Serviços

AULA 4 Marketing de Serviços AULA 4 Marketing de Serviços Mercado Conjunto de todos os compradores reais e potenciais de um produto ou serviço. Trata-se de um sistema amplo e complexo, que envolve: FORNECEDORES CONCORRENTES CLIENTES

Leia mais

IMAGEM E REPUTAÇÃO NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO: A PESQUISA E RESULTADOS NO IMAGE E MARKET SHARE

IMAGEM E REPUTAÇÃO NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO: A PESQUISA E RESULTADOS NO IMAGE E MARKET SHARE IMAGEM E REPUTAÇÃO NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO: A PESQUISA E RESULTADOS NO IMAGE E MARKET SHARE GEduc 2012 - Novos Rumos para a Gestão Educacional Pág 1 Temas Pressupostos teórico-metodológicos As necessidades

Leia mais

1 O PROBLEMA 1.1 INTRODUÇÃO

1 O PROBLEMA 1.1 INTRODUÇÃO 1 O PROBLEMA 1.1 INTRODUÇÃO Ao analisar-se o mercado imobiliário de apartamentos novos, em particular os lançamentos voltados para a classe média no Município do Rio de Janeiro, observa-se que a indústria

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) «21. É falacioso falar que o marketing é filho do capitalismo e, portanto, apenas ajudaria a concentrar a renda satisfazendo necessidades supérfluas

Leia mais

5 Considerações finais 5.1. Reflexões sobre os resultados

5 Considerações finais 5.1. Reflexões sobre os resultados 5 Considerações finais 5.1. Reflexões sobre os resultados Ao longo da história o boca a boca sempre se mostrou como um meio eficaz de promoção de produtos e serviços, como advento da Internet esse poder

Leia mais

FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES: UMA DISCUSSÃO TEÓRICA. PALAVRAS-CHAVE: Fidelização. Clientes. Atendimento. Relacionamento. Qualidade.

FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES: UMA DISCUSSÃO TEÓRICA. PALAVRAS-CHAVE: Fidelização. Clientes. Atendimento. Relacionamento. Qualidade. FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES: UMA DISCUSSÃO TEÓRICA Marcus Vinicius Oliveira Canova 1 RESUMO As empresas enfrentam grandes dificuldades quando falamos de fidelização e atendimento aos clientes, a partir disso,

Leia mais

SCHOOL CHEF S: ESCOLA DE CULINÁRIA DE PRATOS TÍPICOS LTDA.

SCHOOL CHEF S: ESCOLA DE CULINÁRIA DE PRATOS TÍPICOS LTDA. 93 SCHOOL CHEF S: ESCOLA DE CULINÁRIA DE PRATOS TÍPICOS LTDA. ¹Camila Silveira, ¹Giseli Lima ¹Silvana Massoni ²Amilto Müller RESUMO O presente artigo tem como objetivo apresentar os estudos realizados

Leia mais

Briefing O que é? Para que serve?

Briefing O que é? Para que serve? Faculdade de Tecnologia da Paraíba CURSO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA A INTERNET DISCIPLINA DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES WEB ESTÁTICAS PERÍODO: P2 Semestre: 20082 PROFESSOR Geraldo Rodrigues

Leia mais

COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR

COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR O comportamento do consumidor estuda como pessoas, grupos e organizações selecionam, compram, usam e descartam artigos, serviços, idéias ou experiências para satisfazer suas

Leia mais

EMPREENDIMENTO COMERCIAL: QUAL O MELHOR CAMINHO A SEGUIR EM SEUS MOMENTOS INICIAIS? RESUMO

EMPREENDIMENTO COMERCIAL: QUAL O MELHOR CAMINHO A SEGUIR EM SEUS MOMENTOS INICIAIS? RESUMO FÁBIO RODRIGO DE ARAÚJO VALOIS Discente do Curso de Ciências Contábeis - UFPA RESUMO Não é de uma hora pra outra que um comerciante abre as portas de seu empreendimento. Se fizer deste modo, com certeza

Leia mais

MUDANÇA CULTURAL NAS ORGANIZAÇÕES

MUDANÇA CULTURAL NAS ORGANIZAÇÕES 1 MUDANÇA CULTURAL NAS ORGANIZAÇÕES Wainy Indaiá Exaltação Jesuíno 1 Marco Antônio 2 Resumo O objetivo deste trabalho é demonstrar a importância da análise do clima organizacional para mudança da cultura

Leia mais

Unidade II PROCESSOS ORGANIZACIONAIS. Prof. Léo Noronha

Unidade II PROCESSOS ORGANIZACIONAIS. Prof. Léo Noronha Unidade II PROCESSOS ORGANIZACIONAIS Prof. Léo Noronha Macroprocesso Referência: sistema de gestão da qualidade pela NBR ISO 9011:2008. Macroprocesso Para a realização do produto, necessitase da integração

Leia mais

Marketing de Relacionamento e Fidelização na Empresa Via Sul Automóveis

Marketing de Relacionamento e Fidelização na Empresa Via Sul Automóveis Marketing de Relacionamento e Fidelização na Empresa Via Sul Automóveis Danielle Cajueiro de Oliveira, Especialista em Comunicação Social pela ESURP, MBA de Gestão de Marketing e Vendas do CEDEPE, prestando

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING

GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING PÓS-GRADUAÇÃO / FIB-2009 Prof. Paulo Neto O QUE É MARKETING? Marketing: palavra em inglês derivada de market que significa: mercado. Entende-se que a empresa que pratica

Leia mais

Artigo: O Marketing e o Comportamento do Consumidor.

Artigo: O Marketing e o Comportamento do Consumidor. Artigo: O Marketing e o Comportamento do Consumidor. Carmen Beatriz Miranda Portela PUC/SP MBA EM MARKETING Resumo Este trabalho objetiva apresentar de forma teórica o marketing e o comportamento do consumidor,

Leia mais

Tema: Deep Consumer Insights. Palestrante: Sergio Santos

Tema: Deep Consumer Insights. Palestrante: Sergio Santos Tema: Deep Consumer Insights Palestrante: Sergio Santos Deep Consumer Insights A Nova fronteira do conhecimento do consumidor Agosto de 2015 Quem somos? Consultoria Internacional, focada no desenvolvimento

Leia mais

CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI)

CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Profº Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefetpr,br Profº Dr. Luciano

Leia mais

INFORMAÇÃO EM RELAÇÕES PÚBLICAS a pesquisa empírica em Portais Corporativos

INFORMAÇÃO EM RELAÇÕES PÚBLICAS a pesquisa empírica em Portais Corporativos INFORMAÇÃO EM RELAÇÕES PÚBLICAS a pesquisa empírica em Portais Corporativos Cláudia Peixoto de Moura Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul PUCRS E-mail: cpmoura@pucrs.br Resumo do Trabalho:

Leia mais

Plataforma da Informação. Finanças

Plataforma da Informação. Finanças Plataforma da Informação Finanças O que é gestão financeira? A área financeira trata dos assuntos relacionados à administração das finanças das organizações. As finanças correspondem ao conjunto de recursos

Leia mais

Modelo de Briefing de Produto - Roteiro de Coleta de Informações - Completo

Modelo de Briefing de Produto - Roteiro de Coleta de Informações - Completo BRIEFING DE PRODUTO Modelo de Briefing de Produto - Roteiro de Coleta de Informações - Completo Modelo Extraído dos livros: Tudo o que você queria saber sobre propaganda e ninguém teve paciência para explicar

Leia mais

Capítulo 19 - RESUMO

Capítulo 19 - RESUMO Capítulo 19 - RESUMO Considerado como sendo um dos principais teóricos da área de marketing, Philip Kotler vem abordando assuntos referentes a esse fenômeno americano chamado marketing social, desde a

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE Módulo 2 CLIENTES: DEFINIÇÕES E ENTENDIMENTOS Objetivo: Ao final desse módulo, você estará capacitado a termos, como: cliente, comprador, cliente final, consumidor,

Leia mais

FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES: UM FATOR DETERMINANTE PARA O SUCESSO DE UMA ORGANIZAÇÃO AUTOMOTIVA

FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES: UM FATOR DETERMINANTE PARA O SUCESSO DE UMA ORGANIZAÇÃO AUTOMOTIVA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES: UM FATOR DETERMINANTE PARA O SUCESSO DE UMA ORGANIZAÇÃO AUTOMOTIVA Márcia Esperidião 1, Renato Nogueira Perez Avila 2, Patrícia Pâmela Martins 3. RESUMO Este artigo tem como finalidade,

Leia mais

Fiorella Del Bianco. Roteiro para o desenvolvimento de novas ofertas. Posicionamento de produto e de marca

Fiorella Del Bianco. Roteiro para o desenvolvimento de novas ofertas. Posicionamento de produto e de marca Fiorella Del Bianco Roteiro para o desenvolvimento de novas ofertas Tema: Passos e estratégias mercadológicas para o desenvolvimento de novas ofertas (DNO). Objetivo: Esta aula visa apresentar os últimos

Leia mais

Operações de Merchandising estratégias competitivas para o aumento da vendas em supermercados do pequeno varejo de secos e molhados

Operações de Merchandising estratégias competitivas para o aumento da vendas em supermercados do pequeno varejo de secos e molhados Operações de Merchandising estratégias competitivas para o aumento da vendas em supermercados do pequeno varejo de secos e molhados Fabiano Akiyoshi Nagamatsu Everton Lansoni Astolfi Eduardo Eufrasio De

Leia mais

GESTÃO DE MARKETING RECAPITULANDO. Prof. Marcopolo Marinho

GESTÃO DE MARKETING RECAPITULANDO. Prof. Marcopolo Marinho GESTÃO DE MARKETING RECAPITULANDO Prof. Marcopolo Marinho Marketing: É a área do conhecimento que engloba todas as atividades referente às relações de troca de bens entre pessoas ou instituições, buscando

Leia mais

O processo de decisão de compra é feito através da percepção de que os consumidores têm um problema. Então, se movem em direção à resolução.

O processo de decisão de compra é feito através da percepção de que os consumidores têm um problema. Então, se movem em direção à resolução. Pesquisa de Mercado O processo de decisão de compra é feito através da percepção de que os consumidores têm um problema. Então, se movem em direção à resolução. Disto decorre um modelo genérico de decisão,

Leia mais

Logística Empresarial. Logística de Serviço ao Cliente Prof. José Correia

Logística Empresarial. Logística de Serviço ao Cliente Prof. José Correia Logística Empresarial Logística de Serviço ao Cliente Prof. José Correia Logística de Serviço ao Cliente Kyj e Kyj definem: Serviços ao cliente, quando utilizados de forma eficaz, é uma variável primária

Leia mais

O CRM e a TI como diferencial competitivo

O CRM e a TI como diferencial competitivo O CRM e a TI como diferencial competitivo Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Profº Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefetpr.br Profº Dr. Luciano Scandelari (UTFPR) luciano@cefetpr.br

Leia mais

Escala de Vínculo. O que entender por fidelidade? Thelma Rocha 1 e Fabiano Rodrigues 2

Escala de Vínculo. O que entender por fidelidade? Thelma Rocha 1 e Fabiano Rodrigues 2 Thelma Rocha 1 e Fabiano Rodrigues 2 Esta edição dos Estudos ESPM aborda os programas de fidelidade implantados em países emergentes, com ênfase no modelo chamado programa de coalizão. Esse tipo de programa

Leia mais

A pesquisa acadêmica stricto sensu no Brasil sobre a inteligência competitiva

A pesquisa acadêmica stricto sensu no Brasil sobre a inteligência competitiva A pesquisa acadêmica stricto sensu no Brasil sobre a inteligência competitiva Sandely Fernandes de Araújo (UFRN) sandely.araujo@pep.ufrn.br Anatália Saraiva Martins Ramos (UFRN) anatalia@pep.ufrn.br Resumo

Leia mais

O processo de decisão de compra

O processo de decisão de compra DOSSIÊ O processo de decisão de compra Estudo IBM Business Consulting Services sugere uma ferramenta para entender as escolhas dos consumidores Você sabe tudo que precisa saber sobre as razões que levam

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Autor: Jeferson Correia dos Santos ARTIGO TÉCNICO INOVAÇÃO NA GESTÃO DE PÓS-VENDAS: SETOR AUTOMOTIVO RESUMO A palavra inovação tem sido atualmente umas das mais mencionadas

Leia mais

GERENCIAMENTO DE CLÍNICAS

GERENCIAMENTO DE CLÍNICAS GERENCIAMENTO DE CLÍNICAS A administração eficiente de qualquer negócio requer alguns requisitos básicos: domínio da tecnologia, uma equipe de trabalho competente, rigoroso controle de qualidade, sistema

Leia mais

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010 COMPETITIVIDADE SOB A ÓTICA DAS CINCO FORÇAS DE PORTER: UM ESTUDO DE CASO DA EMPRESA OXIFOR OXIGÊNIO FORMIGA LTDA JUSSARA MARIA SILVA RODRIGUES OLIVEIRA 1, LÍVIA COUTO CAMBRAIA 2 RESUMO: Neste trabalho,

Leia mais

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Vantagens e desvantagens de uma rede para a organização Maior agilidade com o uso intenso de redes de computadores; Grandes interações

Leia mais

INFORMAÇÃO E VANTAGEM COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÃO DE MÓVEIS E ELETROS

INFORMAÇÃO E VANTAGEM COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÃO DE MÓVEIS E ELETROS INFORMAÇÃO E VANTAGEM COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÃO DE MÓVEIS E ELETROS Elane de Oliveira, UFRN 1 Max Leandro de Araújo Brito, UFRN 2 Marcela Figueira de Saboya Dantas, UFRN 3 Anatália Saraiva Martins Ramos,

Leia mais