Unified Modeling Language UML

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Unified Modeling Language UML"

Transcrição

1 Unified Modeling Language UML

2 Requisito Ator Caso de uso Associações Entre atores e casos de uso Entre casos de uso Inclusão: estereótipo <<include>> Extensão: estereótipo <<extend>> Generalização Diagrama de casos de uso Especificação de casos de uso

3 Faça uma breve pesquisa na Web sobre requisitos procurando compreender sua importância, principais características e a divisão conceitual entre requisitos funcionais e não funcionais.

4 Importância Características Claro Completo Preciso Classificação Funcionais Não funcionais

5

6 É qualquer entidade que interage com o sistema Pode ser um usuário, um hardware externo, outro sistema Representa uma classe de usuários (papel), não um usuário específico Algo sobre o que o sistema não tem controle

7 Várias pessoas podem ser representadas por um único ator Bruno é um cliente Caixa Correntista Ana Lúcia Eletrônico é uma cliente Sacar Dinheiro

8 Uma pessoa pode atuar como mais de um ator. Fulano é um cliente Correntista Caixa Fulano também é responsável pelo abastecimento da máquina Eletrônico Técnico responsável

9 Agrupe os indivíduos segundo a utilização do sistema Identifique os papéis que eles assumem ao utilizar o sistema: cada papel é um ator em potencial Cargo nem sempre é um papel Escolha nomes conhecidos dos usuários: não invente!

10 Nomes ruins INSS Recepcionista IN Cadastro de Títulos Paulo Bons nomes Auditor

11

12 Um Caso de Uso é a relação de uma seqüência de ações que um sistema executa produzindo um resultado de valor observável para um ator específico. Rational Unified Process RUP

13 Modela um diálogo entre ator e sistema Define o comportamento de um sistema ou de parte dele Descreve passo a passo como o sistema desempenha suas funções Possui cenários (instâncias) Define respostas que o sistema deve gerar para cada evento previsto Deve possuir uma especificação

14 Para cada um dos estudos de caso dados levante uma lista de atores e casos de uso Para cada um dos atores, pergunte: O <ator> usa o sistema para quê? Depois, relacione o ator com os seus casos de uso. No sentido oposto, para cada caso de uso, pergunte: Quem faz uso direto do <caso de uso>? Atualize e relacione as listas levantadas

15 Descrição Pré-condição Fluxo Básico Fluxo Alternativo 1 Fluxo Alternativo n Pontos de Extensão Pós-condição

16 Apresenta uma breve descrição do objetivo do caso de uso. Exemplo: Este caso de uso descreve o procedimento de saque de dinheiro em um caixa eletrônico.

17 É o estado do sistema requerido antes do caso de uso ser iniciado Deve ser um estado de valor mensurável; A pré-condição é uma restrição para o início do caso de uso e não o evento que inicia o caso de uso (um evento ter ocorrido pode ser uma pré-condição). Exemplo: Cliente identificado corretamente. Cliente ter solicitado a operação de saque.

18 Uma pós-condição é o estado no qual o sistema deve estar ao término da execução do caso de uso Deve ser um estado de valor mensurável Exemplo: Cartão devolvido ao cliente.

19 São os caminhos possíveis no diálogo atorsistema durante a execução do caso de uso: instância de um caso de uso Fluxo principal (ou básico) Fluxo onde tudo dá certo ; o mais freqüente Fluxos alternativos Variações na execução do fluxo básico Fluxos de exceção Erros que podem ocorrer nos fluxos básico e alternativo

20 Pré-condição Fluxo Principal Fluxos Alternativos Pós-Condição

21 Exemplo: 1. O Cliente informa a opção de Saque. 2. O Sistema solicita o valor do saque. 3. O Cliente informa o valor e confirma a operação. 4. O Sistema verifica o valor informado. 5. O Sistema verifica o saldo do cliente. 6. O Sistema debita o valor sacado do saldo do cliente. 7. O Sistema entrega o dinheiro. 8. Fim do caso de uso.

22 Exemplos: A1. Saldo insuficiente 1. No passo 5 do fluxo básico o Sistema verificou que o cliente não possui saldo. 2. O Sistema informa o saldo disponível. 3. O caso de uso volta para o passo 8 do fluxo básico. A2. Valor informado inválido 1. No passo 4 do fluxo básico o sistema verificou que o valor informado é inválido. 2. O sistema informa que o valor é inválido. 3. O sistema informa as regras para valores válidos. 4. O caso de uso volta para o passo 2 do fluxo básico.

23 Detalhes da interface gráfica com usuário GUI (útil apenas para protótipos) Objetivos de performance (requisito não funcional) Detalhes da arquitetura da aplicação: módulos, menus, componentes Quaisquer requisitos não funcionais: eventualmente, podem ser inserido por meio de notas explicativas

24 ... O ator clica no botão OK O sistema exibe um JTable com os A resposta deverá ser retornada em menos de 10 segs O sistema inicia uma conexão com o servidor de aplicação O usuário deverá informar os códigos por meio da caneta ótica...

25 Identifique as interações do usuário: concentre-se nos objetivos do usuário: Sacar dinheiro... Transferir dinheiro entre contas... Cadastrar contas de débito automático... Descreva o quê o usuário espera do sistema Descreva as operações que criam, lêem, atualizam e excluem informações (manter, CRUD, etc.); Descreva como os atores são notificados sobre alterações de estado do sistema; Descreva como o ator necessitará informar ao sistema eventos ocorridos.

26 Crie listas de verificação e validação (V&V): O sistema fornece o comportamento correto às necessidades do negócio? Todas as necessidades são resolvidas pelos Casos de Uso que você identificou? Quais Casos de Uso suportarão as principais funcionalidades do sistema? Quais informações devem ser modificadas ou criadas no sistema? Aplicar as Listas de V&V para os casos de uso encontrados

27 Use uma frase que especifique o objetivo do ator Técnica O ator usa o sistema para... Utilize verbos concretos, fortes, ao invés de verbos genéricos e fracos, exemplos: Verbos fortes: criar, calcular, migrar, receber, arquivar, registrar e ativar Verbos fracos: fazer, relatar, controlar, gerenciar, administrar, organizar e processar Seja explícito Use termos específicos: Termos genéricos: formulário, dado e sistema Termos específicos: propriedade, pagamento e conta

28 Boas escolhas Depositar Dinheiro Conferir Movimentação Bancária Transferir Valores entre Contas Correntes Escolhas ruins Controle de Saque Controle de Saldo Transferência Bancária Gerir Algo Gestão Disso ou Daquilo

29 O cliente pode usar o caixa automático para sacar e transferir dinheiro e consultar o saldo Ator: Cliente Casos de uso: Sacar Dinheiro Transferir Dinheiro Consultar Saldo

30 Como base nas listas de casos de uso levantadas, crie um fluxo principal (ou básico) para cada um dos casos de uso. DEPOIS, estude e defina os fluxos alternativos convenientes para o funcionamento seguro do sistema. Para simplificar, considere os fluxos de exceção (ou de erro) como fluxos alternativos.

31

32 Indicar que o ator participa e se comunica com o sistema, conforme descrito no caso de uso A seta, quando houver, indica quem inicia a comunicação, não demonstram fluxo e setas duplas não são usadas

33 Seta do ator para o caso de uso: Ator dispara o caso de uso Ator estimula o sistema Ator principal Consultar Saldo Correntista

34 Seta do caso de uso para o ator: Sistema solicita ou envia informações Sistema sinaliza que espera uma ação do ator Ator secundário Consultar Saldo Correntista Sistema Mainframe

35 Sacar Dinheiro Correntista Depositar Dinheiro Pagar Título Técnico do Suporte Abastecer Numerário

36 Surgem da fatoração de casos de uso Três tipos: Inclusão <<include>> Extensão <<extend>> Generalização Objetivos: Reuso de parte do caso de uso Especialização de comportamento Descrição de procedimentos opcionais

37 Aluno Consultar Disponibilidade Atualizar Financeiro <<extend>> <<include>> Inscrever-se em Curso

38 A execução do caso de uso incluído é obrigatória O caso de uso base depende do caso de uso incluído Nem o caso de uso base, nem o incluído, acessam os atributos um do outro (baixo acoplamento) A inclusão é, na essência, um tipo de encapsulamento

39 No sistema de Caixa Bancário, os casos de uso Sacar, Depositar e Transferir precisam indicar que o cliente será identificado no sistema. Este comportamento pode ser fatorado em um caso de uso chamado Identificar Cliente, que os três casos de uso incluem. Da perspectiva dos casos de uso base, não importa qual método é utilizado para a identificação, se senha, cartão, identificação de retina, mas apenas o resultado. Da perspectiva do caso de uso incluído, não importa qual caso de uso o está utilizando (incluindo) ou como o resultado será processado.

40 Identificar Cliente <<include>> <<include>> <<include>> Sacar Dinheiro Transferir entre Contas Depositar Dinheiro

41 O comportamento incluído é inserido em uma localização específica do caso de uso base e é executado quando este passo é atingido. Caso de Uso base Instância Caso de Uso incluído

42 Indica que uma parte do caso de uso é um comportamento opcional do sistema Para mostrar que um comportamento é executado somente sob certas condições Para mostrar que podem existir tipos de comportamento que serão inseridos no caso de uso dependendo da interação do ator com o caso de uso

43 O caso de uso de extensão é inserido no caso de uso base em locais específicos chamados Pontos de extensão O caso de uso extensor depende do caso de uso estendido.

44 No sistema de Caixa Bancário, quando o cliente for identificado, o sistema precisa saber se ele já adquiriu seguro contra roubo de cartão e, caso negativo, oferecer a aquisição do seguro. Podemos demonstrar isso com a criação de um caso de uso chamado Adquirir Seguro que estende a funcionalidade de Identificar Cliente.

45 Identificar Cliente <<extend>> Aquirir Seguro

46 Quando a execução do caso de uso atinge o ponto de extensão, a condição do caso de uso é avaliada, e se for verdadeira o caso de uso é executado. Caso de Uso base Instância Ponto de extensão Caso de Uso <<extend>>

47 Freqüentemente nos deparamos com a dúvida entre um fluxo alternativo e um caso de uso estendido. Considerar o seguinte: O fluxo alternativo é complexo ao ponto de confundir o entendimento do caso de uso? A condição para execução do fluxo é muito excepcional? O valor semântico do modelo com extensão fica aprimorado?

48 Destacar o comportamento comum a mais de um caso de uso, mas com algumas particularidades adicionais Demonstrar formas mais específicas de comportamento do um caso de uso Relacionamento do tipo é-um entre um caso de uso base (pai) com um ou mais casos de uso filhos

49 Semelhante a herança entre classes O filho herda toda a estrutura, comportamento e relacionamentos do pai; O filho é totalmente dependente da estrutura do pai.

50 No caso de uso Cobrança de Pênalti, podem ser representados: (1) a cobrança de pênalti em tempo regulamentar e (2) a cobrança de pênalti como desempate. Esses dois casos de uso têm muito do seu comportamento em comum, mas com uma particularidade: a reposição da bola, que deve ser posta em jogo (1) ou não (2).

51 Cobrança de Penalti Cobrança de Penalti em tempo regulamentar Cobrança de Penalti em desempate

52 Cobrança de pênalti O Jogador cobra o pênalti 6. A bola entra no gol

53 Cobrança de pênalti no tempo regulamentar 1. O caso de uso base é executado até o item 6 2. O Juiz posiciona a bola no centro do campo para reinício da partida Cobrança de pênalti para desempate 1. O caso de uso base é executado até o item 6 2. O Juiz posiciona a bola para a próxima cobrança

54 O caso de uso pai é executado quando, no fluxo do caso de uso filho, existe generalização O caso de uso filho é executado quando, no fluxo do caso de uso pai, existe especialização Caso de Uso Pai Instância do Caso de Uso Caso de Uso Filho

55

56 É criado para representar o conjunto de associações entre atores e casos de uso e entre casos de uso São casos de uso associados que descrevem todas as formas de uso do sistema Fornece uma visão das funcionalidades de um sistema: ajuda a capturar os requisitos funcionais Constitui uma forma de comunicação bastante útil entre projetistas e clientes Ajuda na identificação de objetos, na execução de testes e na documentação

57 Indica que tipo de usuário (ator, perfil) usa quais funcionalidades: o quê o sistema deve fazer e para quem Deve ser completo: todas as funcionalidades devem estar presentes, mesmo que em diagramas separados que compõem o sistema É uma visão de alto nível: perspectiva externa e dos atores O mais informal dos diagramas da UML

58 Trata-se de uma representação dinâmica: é importante para a organização e modelagem de comportamentos do sistema Não há decomposições funcionais (explosões) Devem ter a complexidade controlada, podendo ser organizados de acordo com sua relevância, freqüência de utilização e valor para os usuários

59

60

61

62 Na locadora, os funcionários são identificados por CPF, nome, endereço, telefone. Já os veículos estão divididos em: popular, luxo e utilitário. Sobre os veículos deve-se saber: placa, tipo, modelo, ano, cor, chassis, quilometragem e valor do aluguel diário e semanal. Os funcionários serão responsáveis pelo cadastro dos clientes e dos carros adquiridos pela locadora, por efetuar o aluguel de um carro para um cliente e dar baixa no aluguel. Existem clientes especiais e clientes comuns. Os especiais possuem uma taxa de desconto e uma quilometragem extra. O cliente é identificado por RG, nome, CPF, telefone, endereço, cidade. O cliente solicita o aluguel de veículo a um funcionário.

63 Alugar Carro: cliente solicita ao funcionário o aluguel do carro. O sistema verifica se o carro solicitado pelo cliente está disponível. Caso esteja, o processo de locação é concluído e o carro passa a estar indisponível. A data de aluguel deve ser guardada para cálculo do valor do aluguel na devolução. Dar Baixa: cliente faz devolução do carro para o funcionário e solicita nota fiscal com a quilometragem percorrida e o valor do aluguel. O funcionário coloca o status do carro novamente como disponível, solicita ao sistema para calcular o valor a ser pago e emite o recibo para o cliente.

64 Cadastrar Cliente: cliente solicita ao funcionário que o cadastre na locadora. O funcionário recebe os dados e efetua o cadastramento. Cadastrar Carro: funcionário cadastra o carro adquirido.

65 Sistema deve permitir: 1. o cadastro de usuários on-line 2. que o usuário se identifique 3. consultar a classe de vôo 4. consultar o trecho da viagem 5. consultar aeroportos 6. consultar as datas disponíveis de ida e volta 7. consultar as formas de pagamento 8. enviar aos usuários cadastrados s promocionais 9. que usuário consulte o CEP no sistema dos correios 10. que o usuário faça a reserva on-line 11. gerar código de reserva 12. enviar para usuário confirmando a reserva com dados 13. que usuário cancele a reserva 14. que o administrador emita relatório de reservas confirmadas 15. que o administrador emita relatório de reservas canceladas 16. validar o pagamento com a operadora do cartão 17. que o administrador emita relatório de usuários cadastrados 18. que o usuário edite seus dados pessoais

66 Um cliente primeiramente se dirige à Clínica onde marca uma consulta com a secretária, fornecendo suas informações pessoais e do animal que deseja tratar. Se o cliente ou o animal ainda não estiverem cadastrados no sistema ou possuam algum dado que precise ser atualizado, a secretária deverá atualizar seus cadastros. Em cada sessão de tratamento (uma sessão equivale a uma consulta), o cliente deve informar os sintomas aparentes do animal e estes devem ser registrados. Um tratamento pode ser encerrado em apenas uma consulta, quando se tratar de algo simples ou pode se arrastar por muitas sessões dependendo do diagnóstico do médico-veterinário. Durante uma sessão o veterinário pode marcar exames para o animal, a serem trazidos na sessão seguinte, O pedido dos exames, bem como seus resultados devem ser registrados no histórico de tratamentos do animal. Após cada sessão, o histórico da consulta deve ser atualizado e gera-se uma conta a receber a ser paga pelo cliente. A manutenção das consultas é responsabilidade exclusiva do médico-veterinário que a realizou. É responsabilidade da secretária manter atualizados os cadastros de clientes, animais, médicos e espécies.

67 O sistema aceita submissões sobre diversos temas como Engenharia de Software, Banco de Dados, Hipermídia, sendo necessário, portanto manter um cadastro de todos os temas aceitos. Um autor pode realizar muitas submissões. Uma submissão pode constituir-se em um artigo, um mini curso ou palestra. As submissões só podem ser realizadas através da Internet. Ao acessar a página de submissão o autor pode logar-se, realizar uma submissão ou verificar a situação de trabalhos porventura já submetidos, no entanto, para poder utilizar os dois últimos serviços ele deverá antes executar o primeiro. Um autor deve registrar-se no sistema antes de poder se logar. Se já estiver registrado deverá então logar-se, informando seu login e senha. Toda submissão precisa ser avaliada por uma comissão de três avaliadores, responsável por analisá-la e fornecer notas. Um avaliador pode avaliar muitas submissões. As submissões são aprovadas de acordo com as maiores notas gerais. A nota geral de uma submissão será o resultado da média de todas as notas das avaliações de cada submissão. As n melhores notas de cada tema e tipo serão consideradas aprovadas. É necessário manter-se um cadastro de todos os avaliadores do congresso.

68 É responsabilidade do coordenador do evento definir quais avaliadores avaliarão quais submissões. E também responsabilidade do coordenador notificar os autores sobre a aceitação ou não de suas submissões no evento. O coordenador pode emitir o relatório das avaliações sempre que quiser, no entanto, a partir do momento em que selecionar a opção notificar autores, estes serão avisados se suas submissões foram ou não aprovadas. Sendo ou não aprovada, uma submissão pode ou não receber comentários dos avaliadores, referentes a possíveis alterações necessárias antes da submissão ser publicada e disponibilizada no congresso ou informações ao autor do por que da não aprovação de seu trabalho pelo avaliador. Um autor pode consultar o estado de suas submissões, ou seja, se elas estão ainda sob avaliação, foram aprovadas ou reprovadas. Um autor pode também, se assim o desejar, verificar os possíveis comentários dos avaliadores a respeito de uma submissão específica.

69 Observações Complementares: O Autor pode realizar login, registrar-se, realizar submissão, verificar submissões e verificar comentários. Observe que o Autor somente poderá se auto-registrar a partir a partir de uma tentativa realizar o login e assim mesmo se ainda não estiver registrado, o que indica o uso de uma associação e extensão. Da mesma forma, a consulta a comentários só pode ser feita a partir de uma consulta a submissões. A realização das submissões e o seu acompanhamento só podem ser feitos se o autor tiver logado. O avaliador para emitir seus comentários sobre as submissões deve ter informado sua avaliação previamente.

70 O aluno primeiramente solicita informações ao atendente sobre quais cursos a empresa oferece. Se o aluno se interessar por algum curso, pedirá informações a respeito de quais turmas, do curso em questão, estão abertas, qual o horário em que as aulas serão ministradas, qual a data prevista para início das aulas e qual o mínimo de alunos necessários para que uma turma inicie o curso. Caso o horário de alguma turma seja compatível com os horários do aluno, este realizará a matrícula em uma turma relativa ao curso em que se interessou. Caso o aluno nunca tenha feito nenhum curso na empresa e, portanto, não esteja cadastrado, o aluno deverá ser registrado antes de realizar a matrícula.

71 Um cliente (pessoa física ou jurídica que paga o advogado para defendêla ou para processar outra pessoa) procura o advogado. Se o cliente ainda não estiver cadastrado, o advogado deverá registrar seus dados pessoais. Em seguida, o cliente deve fornecer informações a respeito do processo que deseja que o advogado mova contra alguém ou que o defenda de outra pessoa. Obviamente o processo precisa ser registrado e receberá diversas adições enquanto estiver em andamento. O cliente deve fornecer também informações sobre a parte contrária (pessoa física ou jurídica que está processando ou sendo processada pelo cliente), que deverá também ser registrada, caso ainda não esteja. Observe que uma mesma pessoa física ou jurídica pode ser tanto um cliente como uma parte contrária em períodos diferentes, obviamente.

72 Um processo pode gerar custas (despesas com xérox, viagens etc.). Cada custa deve ser armazenada de forma a ser cobrada da parte contrária caso o processo seja ganho. Este sistema deve estar integrado a um sistema de contas a pagar e receber, cada custa gera uma conta a pagar. Caso o processo seja ganho, ele gerará uma ou mais contas a receber, dependendo da negociação com a parte contrária.

73 Crie um documento de requisitos hipotético e a partir dele encontre os atores e os casos de uso. Represente todas as associações em um diagrama de casos de uso, procurando identificar oportunidades para usar cada um dos tipos de associações.

74

75 Os casos de uso, mesmo no contexto de seus diagramas, são semanticamente limitados, dependendo de interpretação A especificação (documentação) é essencial para uma compreensão precisa Diagramas da UML, como o de atividades e o de seqüência, mais formais e precisos, podem ser usados na documentação O padrão de especificação, incluindo nível de detalhe exigido e informações obrigatórias, deve estar definido na metodologia

76 1. Descrição 2. Requisitos 3. Atores 4. Pré-condições 5. Evento que inicia 6. Fluxo Principal 7. Fluxos Alternativos 8. Extensões 9. Pós-condições 10. Regras de negócio

77 RF1 O sistema deve permitir a manutenção dos dados dos empregados, pelo gerente, conforme regras de negócio RN1 a RN6

78 RN1 Um empregado deve possuir obrigatoriamente os dados: código, nome, idade, data de admissão e estar associado a um cargo RN2 O código é o identificador do empregado na empresa e deve ser exclusivo RN3 O nome do empregado deve ser um nome válido de acordo com a legislação de registro de nascimentos

79 RN4 A idade deve ser um número inteiro maior ou igual a 16 e menor que 150 RN5 A data de admissão deve ser uma data válida, no formato dia, mês e ano e não pode ser posterior à data corrente, nem anterior à data corrente menos trinta dias RN6 O cargo do cliente deve ser selecionado entre os cargos cadastrados no sistema

80 Descrição: Permite consultar, incluir, alterar dados e excluir fisicamente empregados na base de dados do sistema Requisitos: RF1 Atores: Gerente Pré-condições: O ator deve estar identificado pelo sistema e ser um gerente Evento que inicia: Solicitação do ator Extensões e inclusões: não há

81 Pós-condições: A operação solicitada pelo ator é concluída com dados atualizados ou consultados, condicionado ao atendimento das regras de negócio Regras de Negócio: RN1 a RN6

82 Fluxo Principal: 1. O sistema lê todos os empregados e os apresenta com código, nome, idade e descrição do cargo, e as opções de consulta detalhada, alteração de dados, exclusão e inclusão 2. O ator encerra o sistema [A1] [A2] [A3] [A4] 3. Fim do Caso de Uso

83 Fluxos Alternativos: [A1] O ator escolhe um empregado para consulta detalhada 1. O sistema pesquisa e exibe todos os dados do empregado selecionado 2. O ator solicita retorno à relação de empregados 3. O sistema retorna ao passo 1 do fluxo principal

84 [A2] O ator escolhe um empregado para edição 1. O sistema pesquisa e exibe todos os dados do empregado selecionado, oferecendo as opções de edição dos dados exceto o código identificador 2. O ator edita os dados e solicita gravação [A5] 3. O sistema valida e grava os dados [A6] 4. O sistema retorna ao passo 1 do fluxo principal

85 [A3] O ator escolhe um empregado para exclusão 1. O sistema solicita confirmação 2. O ator confirma a exclusão [A7] 3. O sistema exclui o empregado e retorna ao passo 1 do fluxo principal

86 [A4] O ator escolhe a inclusão de um novo empregado 1. O sistema solicita os dados do empregado 2. O ator informa os dados e solicita gravação [A5] 3. O sistema valida e grava os dados [A6] 4. O sistema retorna ao passo 1 do fluxo principal

87 [A5] O ator solicita cancelamento da operação 1. O sistema retorna ao passo 1 do fluxo principal

88 [A6] Dados inválidos, conforme RN usadas no caso de uso 1. O sistema informa quais dados estão inválidos e porque 2. O sistema retorna à inclusão ou edição com os dados informados pelo usuário, mesmo que inválidos

89 [A7] O ator não confirma a exclusão dos dados 1. O sistema retorna ao passo 1 do fluxo principal

Unified Modeling Language UML

Unified Modeling Language UML Unified Modeling Language UML Classe e Objeto Atributo Operação Associações (Delegações [SANTOS, 2003]) Dependência Simples: multiplicidade, papel, navegabilidade Com valor semântico adicional: agregação

Leia mais

UML Unified Modeling Language. Professor: André Gustavo Bastos Lima

UML Unified Modeling Language. Professor: André Gustavo Bastos Lima UML Unified Modeling Language Professor: André Gustavo Bastos Lima Diagramas de Casos de Uso Professor: André Gustavo Bastos Lima DEFINIÇÃO DE CASO DE USO Segundo o RUP: Um Caso de Uso é a relação de uma

Leia mais

Diagramas de Casos de Uso

Diagramas de Casos de Uso Diagramas de Casos de Uso Não diga pouco em muitas palavras, mas sim, muito em poucas. Pitágoras Casos de uso O modelo de casos de uso modela os requisitos funcionais do sistema. É uma técnica de modelagem

Leia mais

Curso de Licenciatura em Informática

Curso de Licenciatura em Informática Curso de Licenciatura em Informática Disciplina: Análise e Projeto de Sistemas Professor: Rafael Vargas Mesquita EXERCÍCIOS SOBRE MODELAGEM DE CASOS DE USO Exercício 1: construa um Diagrama de Casos de

Leia mais

Modelagem de Sistemas Prof. Marcos Roberto e Silva

Modelagem de Sistemas Prof. Marcos Roberto e Silva Modelagem de Sistemas Prof. Marcos Roberto e Silva Diagrama de Casos de Uso Demonstra o comportamento externo do sistema, através de uma linguagem simples. Apresentando o sistema sobre a perspectiva do

Leia mais

Estudo de Caso 1: Sistema de Controle de Cinema

Estudo de Caso 1: Sistema de Controle de Cinema Estudo de Caso 1: Sistema de Controle de Cinema Desenvolva o diagrama de casos de uso sabendo que: I. Um cinema pode ter muitas salas, sendo necessário, portanto, registrar informações a respeito de cada

Leia mais

Diagrama de Casos de Uso. Diagrama de Casos de Uso. Diagrama de Casos de Uso. Diagrama de Casos de Uso. Componentes do Diagrama

Diagrama de Casos de Uso. Diagrama de Casos de Uso. Diagrama de Casos de Uso. Diagrama de Casos de Uso. Componentes do Diagrama DCC / ICEx / UFMG Diagrama de Diagrama de Eduardo Figueiredo http://www.dcc.ufmg.br/~figueiredo Adota uma linguagem simples Acessível ao cliente Objetivo é a compreensão do comportamento externo do sistema

Leia mais

Modelos de Sistemas Casos de Uso

Modelos de Sistemas Casos de Uso Modelos de Sistemas Casos de Uso Auxiliadora Freire Fonte: Engenharia de Software 8º Edição / Ian Sommerville 2000 Slide 1 Casos de Uso Objetivos Principais dos Casos de Uso: Delimitação do contexto de

Leia mais

Engenharia de Software III

Engenharia de Software III Engenharia de Software III Casos de uso http://dl.dropbox.com/u/3025380/es3/aula6.pdf (flavio.ceci@unisul.br) 09/09/2010 O que são casos de uso? Um caso de uso procura documentar as ações necessárias,

Leia mais

Modelagem de Casos de Uso (Parte 1)

Modelagem de Casos de Uso (Parte 1) Modelagem de Casos de Uso (Parte 1) Roteiro Introdução Descrição: Sistema de Ponto de Vendas Casos de Usos Atores Fluxo de Eventos Cenários Formato de Documentação de Casos de Uso Diagramas de Casos de

Leia mais

A linguagem UML. UML e Diagramas de Casos de Uso e Classes. Por que usar UML? O que é modelagem?

A linguagem UML. UML e Diagramas de Casos de Uso e Classes. Por que usar UML? O que é modelagem? UML e Diagramas de Casos de Uso e Classes Prof. Ms. Luiz Alberto Contato: lasf.bel@gmail.com A linguagem UML UML (Unified Modeling Language) Linguagem de Modelagem Unificada É uma linguagem de modelagem

Leia mais

Conteúdo. 1. Introdução. 2. Levantamento de Requisitos. 3. Análise Orientada a Objetos. 4. Projeto Orientado a Objetos 5. UML. 6.

Conteúdo. 1. Introdução. 2. Levantamento de Requisitos. 3. Análise Orientada a Objetos. 4. Projeto Orientado a Objetos 5. UML. 6. Conteúdo 1. Introdução 2. Levantamento de Requisitos 3. Análise Orientada a Objetos 4. Projeto Orientado a Objetos 5. UML 6. Métodos Ágeis Análise Orientada a Objetos Exercícios Exercício 1 Defina o diagrama

Leia mais

UML: Casos de Uso. Projeto de Sistemas de Software

UML: Casos de Uso. Projeto de Sistemas de Software UML: Casos de Uso Projeto de Sistemas de Software UML Casos de Uso Introdução Casos de uso Elementos do diagrama de casos de uso Descrição de casos de uso Exemplo: Blog Ferramentas de modelagem Bibliografia

Leia mais

É uma forma do engenheiro de requisitos especificar os limites e as funcionalidades do sistema.

É uma forma do engenheiro de requisitos especificar os limites e as funcionalidades do sistema. Definindo o Escopo: Modelo de Caso de Uso Agradei-me, particularmente, da possibilidade de que Joshua estivesse tão preso ao seu modo clássico de pensar que me permitisse realizar o incrível feito de chegar

Leia mais

Ricardo Roberto de Lima UNIPÊ 2008.1 APS-I. Históricos e Modelagem Orientada a Objetos

Ricardo Roberto de Lima UNIPÊ 2008.1 APS-I. Históricos e Modelagem Orientada a Objetos Históricos e Modelagem Orientada a Objetos Histórico Diversas metodologias e métodos surgiram para apoiar OO. Evolução a partir de linguagens C++ e SmallTalk. Anos 80 Anos 80-90: diversidade de autores.

Leia mais

ANÁLISE E PROJETO ORIENTADO A OBJETOS. Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com

ANÁLISE E PROJETO ORIENTADO A OBJETOS. Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com ANÁLISE E PROJETO ORIENTADO A OBJETOS Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com Análise Descrição do problema a ser implementado Descrição dos objetos e classes que fazem parte do problema, Descrição

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. CURSO: Ciência da Computação DATA: / / 2013 PERÍODO: 4 o.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. CURSO: Ciência da Computação DATA: / / 2013 PERÍODO: 4 o. CURSO: Ciência da Computação DATA: / / 2013 PERÍODO: 4 o. PROFESSOR: Andrey DISCIPLINA: Técnicas Alternativas de Programação AULA: 08 APRESENTAÇÃO Na aula de hoje vamos apresentar e discutir como definir

Leia mais

Documento de Casos de Uso. MC436 Introdução à Engenharia de Software Profª Ariadne Maria Brito Rizzoni Carvalho

Documento de Casos de Uso. MC436 Introdução à Engenharia de Software Profª Ariadne Maria Brito Rizzoni Carvalho Documento de Casos de Uso MC436 Introdução à Engenharia de Software Profª Ariadne Maria Brito Rizzoni Carvalho 1. Índice 2. Introdução 3 3. Descrição dos atores 3 4. Diagrama de caso de uso 4 5. 5.1 5.2

Leia mais

Modelagem de Casos de Uso! Um modelo funcional

Modelagem de Casos de Uso! Um modelo funcional Modelagem de Casos de Uso Diagrama de Casos de Uso Especificação de Cenários! Um modelo funcional! Mostra como os valores são processados, sem preocupações com:! ordenamento (seqüência) das ações;! as

Leia mais

Engenharia de Software I

Engenharia de Software I Engenharia de Software I Curso de Desenvolvimento de Software Prof. Alessandro J de Souza ajdsouza@cefetrn.br 1 Rational Unified Process RUP Fase Elaboração 2 VISÃO GERAL Fase Elaboração. Visão Geral 3

Leia mais

Engenharia de Requisitos Estudo de Caso

Engenharia de Requisitos Estudo de Caso Engenharia de Requisitos Estudo de Caso Auxiliadora Freire Fonte: Engenharia de Software 8º Edição / Ian Sommerville 2007 Slide 1 Engenharia de Requisitos Exemplo 1 Reserva de Hotel 1. INTRODUÇÃO Este

Leia mais

Modelos de Sistemas Casos de Uso

Modelos de Sistemas Casos de Uso Modelos de Sistemas Casos de Uso Auxiliadora Freire Fonte: Engenharia de Software 8º Edição / Ian Sommerville 2000 Slide 1 Modelagem de Sistema UML Unified Modeling Language (Linguagem de Modelagem Unificada)

Leia mais

Estudo de Caso Sistema de Caixa Automático

Estudo de Caso Sistema de Caixa Automático Estudo de Caso Sistema de Caixa Automático Curso de Especialização DEINF - UFMA Desenvolvimento Orientado a Objetos Prof. Geraldo Braz Junior Referências: Notas de Aula Ulrich Schiel Notas de Aula Ariadne

Leia mais

Os casos de uso dão conta da maioria dos requisitos de um sistema computacional.

Os casos de uso dão conta da maioria dos requisitos de um sistema computacional. Unidade 3: Modelagem de requisitos e de soluções (Parte a) 1 Casos de uso 1.1 Conceitos básicos e parâmetros de descrição Os casos de uso dão conta da maioria dos requisitos de um sistema computacional.

Leia mais

Casos de Uso O que é. Casos de Uso. Objetivos de um Caso de Uso. Atores. Atores e Casos de Uso. Diagramas de Caso de Uso

Casos de Uso O que é. Casos de Uso. Objetivos de um Caso de Uso. Atores. Atores e Casos de Uso. Diagramas de Caso de Uso Casos de Uso O que é Casos de Uso Descrições narrativas de processos do domínio da aplicação Documentam a seqüência de eventos de um ator (um agente externo) usando o sistema para completar, do início

Leia mais

Modelagem de Casos de Uso (Parte 2)

Modelagem de Casos de Uso (Parte 2) Modelagem de Casos de Uso (Parte 2) Roteiro (1) Método para Modelagem de Casos De Uso Estudo de Caso: Sistema de Controle para Videolocadora Levantamento Inicial dos Casos de Uso Identificação dos Casos

Leia mais

Notas de Aula 05: Aplicação de um caso de uso

Notas de Aula 05: Aplicação de um caso de uso Notas de Aula 05: Aplicação de um caso de uso Objetivos da aula: Aprender a aplicar a técnica de casos de uso em um pequeno problema real Identificar as variáveis relevantes a serem consideradas Modelar

Leia mais

Diagrama de Casos de Uso

Diagrama de Casos de Uso Diagrama de Casos de Uso Curso de Especialização DEINF - UFMA Desenvolvimento Orientado a Objetos Prof. Geraldo Braz Junior Referências: Booch, G. et al. The Unified Modeling Language User Guide Medeiros,

Leia mais

Especificações de Casos de Uso UC04 Cadastro de Funcionários

Especificações de Casos de Uso UC04 Cadastro de Funcionários Especificações de Casos de Uso UC04 Cadastro de Funcionários Sistema Gerenciador de Locadora Documento de Caso de Uso UC04 Versão 1.1 Responsável: Gustavo Teles UC04 Cadastro de Funcionários Página 1 de

Leia mais

Análise Orientada a Objetos Modelagem Requisitos usando Casos de Uso

Análise Orientada a Objetos Modelagem Requisitos usando Casos de Uso Análise Orientada a Objetos Modelagem Requisitos usando Casos de Uso Não diga pouco em muitas palavras, mas sim, muito em poucas. Pitágoras Especificação e Modelagem de Requisitos Regras de Negócio Glossário

Leia mais

2 Diagrama de Caso de Uso

2 Diagrama de Caso de Uso Unified Modeling Language (UML) Universidade Federal do Maranhão UFMA Pós Graduação de Engenharia de Eletricidade Grupo de Computação Assunto: Diagrama de Caso de Uso (Use Case) Autoria:Aristófanes Corrêa

Leia mais

Casos de Uso - definições

Casos de Uso - definições Casos de Uso - definições Um caso de uso é uma descrição narrativa de uma seqüência de eventos que ocorre quando um ator (agente externo) usa um sistema para realizar uma tarefa [Jacobson 92] Um caso de

Leia mais

Engenharia Requisitos Estudo de caso

Engenharia Requisitos Estudo de caso Engenharia Requisitos Estudo de caso Auxiliadora Freire Fonte: Engenharia de Software 8º Edição / Ian Sommerville 2000 Slide 1 Sistema de Matricula Auxiliadora Freire Fonte: Engenharia de Software 8º Edição

Leia mais

CASO DE USO. Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com

CASO DE USO. Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com CASO DE USO Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com Caso de Uso Descreve o modelo funcional (comportamento) do sistema Técnica de especificaçao de requisitos Especifica um serviço que o sistema

Leia mais

Modelagem de Casos de Uso (Parte 2)

Modelagem de Casos de Uso (Parte 2) Modelagem de Casos de Uso (Parte 2) Roteiro (1) Método para Modelagem de Casos De Uso Estudo de Caso: Sistema de Controle para Videolocadora Levantamento Inicial dos Casos de Uso Identificação dos Casos

Leia mais

ESTÁGIO DE DOCÊNCIA II

ESTÁGIO DE DOCÊNCIA II FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ Centro de Tecnologia - CTC Departamento de Informática - DIN Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação PCC ESTÁGIO DE DOCÊNCIA II Disciplina: Engenharia

Leia mais

UML Aula I Diagramas de Caso de Uso, Sequência e Colaboração

UML Aula I Diagramas de Caso de Uso, Sequência e Colaboração UML Aula I Diagramas de Caso de Uso, Sequência e Colaboração Ricardo Argenton Ramos Engenharia de Software II 2013.1 Um Exercício Como você pode representar? Uma casa de 2 andares, 4 quartos, 2 banheiros,

Leia mais

Modelagem de Requisitos com Casos de Uso. Descrever em detalhe a técnica de Modelagem com Use Cases

Modelagem de Requisitos com Casos de Uso. Descrever em detalhe a técnica de Modelagem com Use Cases Engenharia de Software Modelagem de Requisitos com Casos de Uso 1 Objetivos Descrever em detalhe a técnica de Modelagem com Use Cases 2 1 Use Case É uma forma específica de uso do sistema através da execução

Leia mais

Engenharia de Software Folha 1 - UML - Casos de Uso/Utilização DI-UBI

Engenharia de Software Folha 1 - UML - Casos de Uso/Utilização DI-UBI 1. Considere o diagrama de casos de uso/utilização para um controlo remoto de TV, o qual garante que inclui todas as funções do controlo remoto como casos de uso/utilização do seu modelo. 2. Descreva textualmente

Leia mais

Modelagem. Entendimento do ambiente Permite lidar com complexidade complexidade progressiva

Modelagem. Entendimento do ambiente Permite lidar com complexidade complexidade progressiva Modelagem Entendimento do ambiente Permite lidar com complexidade complexidade progressiva Modelos são úteis para: Entendimento de problemas Comunicação entre stakeholders Compreensão dos requisitos Difundir

Leia mais

Universidade Federal Rural de Pernambuco. Bacharelado em Sistemas de Informação. Disciplina: Análise e Projeto de Sistemas de Informação

Universidade Federal Rural de Pernambuco. Bacharelado em Sistemas de Informação. Disciplina: Análise e Projeto de Sistemas de Informação Universidade Federal Rural de Pernambuco Bacharelado em Sistemas de Informação Disciplina: Análise e Projeto de Sistemas de Informação Docente: Rodrigo Aluna: Thays Melo de Moraes Diagramas do Projeto

Leia mais

04/07/2015 UML. Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@hotmail.com DEFINIÇÃO DE REQUSIITOS

04/07/2015 UML. Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@hotmail.com DEFINIÇÃO DE REQUSIITOS UML Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@hotmail.com DEFINIÇÃO DE REQUSIITOS 1 REQUISITOS São os serviços fornecidos para um sistema. São classificados em requisitos

Leia mais

Unified Modeling Language UML - Notações

Unified Modeling Language UML - Notações Unified Modeling Language UML - Notações Prof. Ms. Elvio Gilberto da Silva elvio@fmr.edu.br UML Ponto de Vista É gerada com propósito geral de uma linguagem de modelagem visual usada para especificar,

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES DE CASOS DE USO

ESPECIFICAÇÕES DE CASOS DE USO ESPECIFICAÇÕES DE CASOS DE USO CASO DE USO: INCLUIR CLIENTE Sumário: este caso de uso se inicia quando o usuário precisa incluir um cliente no sistema. Atores: Atendente Pré-condições: Documentação do

Leia mais

No artigo anterior explicamos. Desenvolvimento de Software Dirigido por Caso de Uso. Parte II: Especificando Caso de Uso

No artigo anterior explicamos. Desenvolvimento de Software Dirigido por Caso de Uso. Parte II: Especificando Caso de Uso Desenvolvimento de Software Dirigido por Caso de Uso Parte II: Especificando Caso de Uso Vinicius Lourenço de Sousa viniciuslsousa@gmail.com Atua no ramo de desenvolvimento de software há mais de 10 anos,

Leia mais

IF-718 Análise e Projeto de Sistemas

IF-718 Análise e Projeto de Sistemas Centro de Informática - Universidade Federal de Pernambuco Especificação de Requisitos do Software Sistema de Gerenciamento de Restaurantes IF-718 Análise e Projeto de Sistemas Equipe: Jacinto Filipe -

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 17 PROFª BRUNO CALEGARO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 17 PROFª BRUNO CALEGARO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 17 PROFª BRUNO CALEGARO Santa Maria, 19 de Novembro de 2013. Revisão aula anterior Modelagem orientada a objetos com UML Software: Astah Community

Leia mais

Modelagem do Sistema EMD Vanice Pinheiro do Amaral Silva, Alberto da Silva Lobo

Modelagem do Sistema EMD Vanice Pinheiro do Amaral Silva, Alberto da Silva Lobo Modelagem do Sistema EMD Vanice Pinheiro do Amaral Silva, Alberto da Silva Lobo NTI Núcleo de Tecnologia e Informação Fundação Unirg 1. Introdução A utilização da informática surgiu como uma ferramenta

Leia mais

Unioeste Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Unioeste Universidade Estadual do Oeste do Paraná Unioeste Universidade Estadual do Oeste do Paraná CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Colegiado de Informática Curso de Bacharelado em Informática Especificação de Requisitos e Modelagem Orientada

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE PROGRAMAS. PROGRAMADOR Joel Victor. Introdução

ESPECIFICAÇÃO DE PROGRAMAS. PROGRAMADOR Joel Victor. Introdução Página 1 de 16 Introdução Documento para especificação de programa do Caso de Uso Manter Usuários. Além da descrição de programa o documento terá o diagrama de classes e o diagrama de sequência. Caso de

Leia mais

Documento de Diagrama de Classes. MC436 Introdução à Engenharia de Software Profª Ariadne Maria Brito Rizzoni Carvalho

Documento de Diagrama de Classes. MC436 Introdução à Engenharia de Software Profª Ariadne Maria Brito Rizzoni Carvalho Documento de Diagrama de Classes MC436 Introdução à Engenharia de Software Profª Ariadne Maria Brito Rizzoni Carvalho 1. Índice 2. Introdução 3 3. Diagrama de casos de uso simplificado 3 4. Dicionário

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE PROGRAMAS. PROGRAMADOR Joel Victor. Introdução

ESPECIFICAÇÃO DE PROGRAMAS. PROGRAMADOR Joel Victor. Introdução Página 1 de 15 Introdução Documento para especificação de programa do Caso de Uso Manter Usuários. Além da descrição de programa o documento terá o diagrama de classes e o diagrama de sequência. Caso de

Leia mais

O Processo Unificado: Captura de requisitos

O Processo Unificado: Captura de requisitos O Processo Unificado: Captura de requisitos Itana Gimenes Graduação em Informática 2008 Captura de Requisitos Modelagem do negócio: Visão de negócios Modelo de objetos de negócio de negócio Especificação

Leia mais

MÓDULO DE CONTROLE ACADÊMICO - MCA Documento de Requisitos

MÓDULO DE CONTROLE ACADÊMICO - MCA Documento de Requisitos 1 MÓDULO DE CONTROLE ACADÊMICO - MCA Documento de Requisitos GUILHERME MANOEL CELESTE DE FREITAS GILBERTO TIMOTHEO JUNIOR RICARDO CUNHA VALE JUIZ DE FORA 2009 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO 2 1.1 Propósito 2 1.2

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE DIÁRIAS DA MGS. Versão 1.0

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE DIÁRIAS DA MGS. Versão 1.0 MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE DIÁRIAS DA MGS Versão 1.0 SUMÁRIO 1. Descrição do Local de Acesso... 1 2. Módulo Registrar Diárias... 3 3. Módulo Aprovar Diárias... 11 4. Registrar Prestação de Contas...

Leia mais

MANUAL ESCOLA FLEX. Revisado em 09/07/2008. Sistema Flex www.sistemaflex.com

MANUAL ESCOLA FLEX. Revisado em 09/07/2008. Sistema Flex www.sistemaflex.com MANUAL ESCOLA FLEX Revisado em 09/07/2008 Sistema Flex www.sistemaflex.com Índice Manual Escola Flex Índice... 2 Tela de Abertura (Splash Screen)... 3 Login... 4 Seleção de Empresas... 5 Tela Principal...

Leia mais

Modelagem. Entendimento do ambiente Permite lidar com complexidade complexidade progressiva

Modelagem. Entendimento do ambiente Permite lidar com complexidade complexidade progressiva Modelagem Entendimento do ambiente Permite lidar com complexidade complexidade progressiva Modelos são úteis para: Entendimento de problemas Comunicação entre stakeholders Compreensão dos requisitos Difundir

Leia mais

Engenharia de Software I

Engenharia de Software I Engenharia de Software I Rogério Eduardo Garcia (rogerio@fct.unesp.br) Bacharelado em Ciência da Computação Aula 05 Material preparado por Fernanda Madeiral Delfim Tópicos Aula 5 Contextualização UML Astah

Leia mais

Sumário. Uma visão mais clara da UML

Sumário. Uma visão mais clara da UML Instituto Federal de Santa Catarina Câmpus Chapecó Ensino Médio Integrado em Informática Módulo V Unidade Curricular: Engenharia de Software Professora: Lara P. Z. B. Oberderfer Uma visão mais clara da

Leia mais

Resolução da lista de exercícios de casos de uso

Resolução da lista de exercícios de casos de uso Resolução da lista de exercícios de casos de uso 1. Explique quando são criados e utilizados os diagramas de casos de uso no processo de desenvolvimento incremental e iterativo. Na fase de concepção se

Leia mais

NeXT ERP Manual do usuário. Resumo das principais funcionalidades. Dezembro/2009. NeXT Software

NeXT ERP Manual do usuário. Resumo das principais funcionalidades. Dezembro/2009. NeXT Software NeXT ERP Manual do usuário Resumo das principais funcionalidades Dezembro/2009 NeXT Software Página 1 de 33 Índice Iniciando NeXT ERP...3 Tela inicial...3 Interface padrão do NeXT ERP...3 Interface - Cadastro

Leia mais

Manual de utilização do Relatório de Viagens

Manual de utilização do Relatório de Viagens Manual de utilização do Relatório de Viagens Os Módulos do Sistema de Relatório de Viagens foram criados tendo com base a Regulamentação de Viagem da MGS - Minas Gerais Administração e Serviços S/A (RG/AD/02/10ª).

Leia mais

Prof. Raul Sidnei Wazlawick UFSC-CTC-INE. Fonte: Análise e Projeto de Sistemas de Informação Orientados a Objetos, 2ª Edição, Elsevier, 2010.

Prof. Raul Sidnei Wazlawick UFSC-CTC-INE. Fonte: Análise e Projeto de Sistemas de Informação Orientados a Objetos, 2ª Edição, Elsevier, 2010. Casos de Uso Expandidos Prof. Raul Sidnei Wazlawick UFSC-CTC-INE 2010 Fonte: Análise e Projeto de Sistemas de Informação Orientados a Objetos, 2ª Edição, Elsevier, 2010. Expansão dos Casos de Uso Corresponde

Leia mais

Engenharia de Softwares e Sistema IF682 (2012.1) Bruno Medeiros(bmo@cin.ufpe.br)

Engenharia de Softwares e Sistema IF682 (2012.1) Bruno Medeiros(bmo@cin.ufpe.br) Engenharia de Softwares e Sistema IF682 (2012.1) Bruno Medeiros(bmo@cin.ufpe.br) Algumas definições Engenharia de Software conjunto de tecnologias e práticas usadas para construir software de qualidade

Leia mais

Notas de Aula 04: Casos de uso de um sistema

Notas de Aula 04: Casos de uso de um sistema Notas de Aula 04: Casos de uso de um sistema Objetivos da aula: Aprender os elementos básicos da modelagem por casos de uso Utilizar as associações entre casos de uso, atores e demais artefatos Compreender

Leia mais

Documentação de visão: Sistema de Controle de ponto eletrônico para empresas. Documentados por: Halison Miguel e Edvan Pontes

Documentação de visão: Sistema de Controle de ponto eletrônico para empresas. Documentados por: Halison Miguel e Edvan Pontes Documentação de visão: Sistema de Controle de ponto eletrônico para empresas Documentados por: Halison Miguel e Edvan Pontes Versão do documento: 1.4 Data de atualização: 04 de Fevereiro de 2012 Histórico

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPÚS: JOÃO CÂMARA DISCIPLINA: ENGENHARIA DE SOFTWARE

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPÚS: JOÃO CÂMARA DISCIPLINA: ENGENHARIA DE SOFTWARE INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPÚS: JOÃO CÂMARA DISCIPLINA: ENGENHARIA DE SOFTWARE PROFESSOR: EDMILSON CAMPOS GIB GERENCIAMENTO DE INFORMAÇÃO DE BIBLIOTECA

Leia mais

4. Exemplo de Levantamento de Classes...26. 3. Levantamento das Classes...24. 1. Conceito de Classe e Objeto... 15. 1. Modelo de Casos de Uso...

4. Exemplo de Levantamento de Classes...26. 3. Levantamento das Classes...24. 1. Conceito de Classe e Objeto... 15. 1. Modelo de Casos de Uso... Projeto de Software usando UML Sumário Capítulo I : Casos de Uso...3 1. Modelo de Casos de Uso... 3 2. Diagramas de Casos de Uso... 3 3. Exemplo... 9 4. Conclusão... 13 Capítulo II : Levantamento de Classes...15

Leia mais

Guia de Especificação de Caso de Uso Metodologia CELEPAR

Guia de Especificação de Caso de Uso Metodologia CELEPAR Guia de Especificação de Caso de Uso Metodologia CELEPAR Agosto 2009 Sumário de Informações do Documento Documento: guiaespecificacaocasouso.odt Número de páginas: 10 Versão Data Mudanças Autor 1.0 09/10/2007

Leia mais

Princípios de modelagem de Domínio e Projeto(design) de Software Parte 1

Princípios de modelagem de Domínio e Projeto(design) de Software Parte 1 Princípios de modelagem de Domínio e Projeto(design) de Software Parte 1 Prof. Gustavo Willam Pereira ENG10082 Programação II Créditos: Prof. Clayton Vieira Fraga Filho Apesar de todas as vantagens que

Leia mais

Processo De Engenharia de Software II

Processo De Engenharia de Software II UNIOESTE Universidade Estadual do Oeste do Paraná CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Colegiado de Ciência da Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação Processo De Engenharia de Software

Leia mais

UML 2.0 Diagrama de casos de uso

UML 2.0 Diagrama de casos de uso Definição UML 2.0 Diagrama de casos de uso Prof. Cesar Augusto Tacla Comunicação entre clientes, usuários e desenvolvedores Funcionalidades oferecidas pelo sistema Exemplo Elementos do diagrama Atores

Leia mais

DIAGRAMA DE CASO DE USO

DIAGRAMA DE CASO DE USO Simulador de uma casa bancária: que faz empréstimo para aposentados, pensionistas e funcionários públicos. Onde deve-se calcular a margem de consignação, o valor das parcelas de cada empréstimo e o valor

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica

Pontifícia Universidade Católica Pontifícia Universidade Católica Curso de Professor Rodrigues Neto Trabalho de Modelagem 2003.3 Turma A (Centro) Gerenciamento das Atividades da Pet Shop Boys Grupo: Evaldo Porto evaldoporto@ig.com.br

Leia mais

Especificação do Caso de Uso. Manter Cliente. Versão 1.0

Especificação do Caso de Uso. Manter Cliente. Versão 1.0 Especificação do Caso de Uso Manter Cliente Versão 1.0 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 27/05/2011 1.0 Elaboração do documento Isaque J. Barbosa Índice 1. Manter Cliente 3 1.1 Breve Descrição...

Leia mais

Unified Modeling Language

Unified Modeling Language Unified Modeling Language Modelagem de Negócios e de Sistemas com Casos de Uso Denize Terra Pimenta dpimenta@gmail.com www.analisetotal.com.br Índice 2 1 Objetivos Esta palestra é uma introdução à modelagem

Leia mais

Tópicos Especiais em Sistemas de Telecomunicações IV

Tópicos Especiais em Sistemas de Telecomunicações IV Sumário Tópicos Especiais em Sistemas de Telecomunicações IV Modelagem de Sistemas de Software Departamento de Engenharia de Telecomunicações Escola de Engenharia Universidade Federal Fluminense Setembro

Leia mais

Modelagem do Processo de Negócio

Modelagem do Processo de Negócio Análise e Projeto 1 Modelagem do Processo de Negócio Modelos de processos de negócios descrevem as diferentes atividades que, quando combinados, oferecem suporte a um processo de negócio. Processos de

Leia mais

Casos de Uso. Prof. Clayton Vieira Fraga Filho site: www.claytonfraga.pro.br e-mail: claytonfraga@gmail.com ENG10015 Engenharia de Software

Casos de Uso. Prof. Clayton Vieira Fraga Filho site: www.claytonfraga.pro.br e-mail: claytonfraga@gmail.com ENG10015 Engenharia de Software Prof. Clayton Vieira Fraga Filho site: www.claytonfraga.pro.br e-mail: claytonfraga@gmail.com ENG10015 Engenharia de Software Um caso de uso descreve o que seu sistema faz para atingir determinado objetivo

Leia mais

Curso Básico Sistema EMBI

Curso Básico Sistema EMBI Curso Básico Sistema EMBI Módulo Atendentes e Administradores Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste trabalho pode ser reproduzida em qualquer forma por qualquer meio gráfico, eletrônico ou

Leia mais

Modelagem Estática. Modelagem Estática. INF318 - Análise Orientada a Objetos e Projeto Arquitetural

Modelagem Estática. Modelagem Estática. INF318 - Análise Orientada a Objetos e Projeto Arquitetural Modelagem Estática Grupo 3: Caio Gomes Geovane Godoi Leonardo Tamura Roberto Honda Rosana Fagundes Talita Malaquias Página 1 1. Índice 1. Índice... 2 2. Caso de Uso #04 Reservar pacote... 3 3. Caso de

Leia mais

SuperStore Sistema para Automação de Óticas

SuperStore Sistema para Automação de Óticas SuperStore Sistema para Automação de Óticas MANUAL DO USUÁRIO (Administrador) Contato: (34) 9974-7848 http://www.superstoreudi.com.br superstoreudi@superstoreudi.com.br SUMÁRIO 1 ACESSANDO O SISTEMA PELA

Leia mais

MANUAL DO SERVICE DESK SYSTEM

MANUAL DO SERVICE DESK SYSTEM Manual do Sumário Conhecendo o SERVICE DESK SYSTEM... 3 - A tela de Acesso ao sistema:... 3 - A tela do sistema após o acesso(exemplo):... 3 OCORRÊNCIAS... 4 - Abertura de chamados:... 4 - Atendendo um

Leia mais

A Linguagem de Modelagem Unificada (UML)

A Linguagem de Modelagem Unificada (UML) Aécio Costa A Linguagem de Modelagem Unificada (UML) Percebeu-se a necessidade de um padrão para a modelagem de sistemas, que fosse aceito e utilizado amplamente. Surge a UML (Unified Modeling Language)

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 10 PROFª BRUNO CALEGARO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 10 PROFª BRUNO CALEGARO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 10 PROFª BRUNO CALEGARO Santa Maria, 10 de Outubro de 2013. Revisão aula anterior Documento de Requisitos Estrutura Padrões Template Descoberta

Leia mais

Cenários do CEL. Acessar ao sistema

Cenários do CEL. Acessar ao sistema Cenários do CEL Acessar ao sistema Permitir que o usuário acesse ao Sistema de Léxicos e Cenários nas seguintes condições: logando-se, quando já estiver cadastrado; ou incluindo usuário independente, quando

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE PROGRAMAS

ESPECIFICAÇÃO DE PROGRAMAS Página 1 de 7 Especificação de Programa Sistema de Vendas de Pizzas Online () - Versão 1.0 Autenticar Usuários Versão do Documento:1.0 Página 2 de 7 Histórico de Revisão Data Versão do Documento 26/08/2011

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Prof. M.Sc. Ronaldo C. de Oliveira ronaldooliveira@facom.ufu.br FACOM - 2011 Exemplo de Diagrama de Caso de Uso Sistema de Locadora de Filmes Sistema de Vídeo Locadora Você foi contratado para desenvolver

Leia mais

Uma visão mais clara da UML Sumário

Uma visão mais clara da UML Sumário Uma visão mais clara da UML Sumário 1 Definição de Objeto...2 2 Estereótipos...3 2.1 Classe fronteira (boundary):...3 2.2 Classe de Entidade (entity):...3 2.3 Classe de Controle (control):...4 3 Interação

Leia mais

Especificação do Caso de Uso Manter Cliente

Especificação do Caso de Uso Manter Cliente Especificação do Caso de Uso Manter Cliente Grupo 01 - Projeto Systrack Versão 2.0 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 24/05/2011 1.0 Início do documento João Ricardo 31/06/2011 2.0 Alteração

Leia mais

Especificação de Requisitos

Especificação de Requisitos Projeto/Versão: Versão 11.80 Melhoria Requisito/Módulo: 000552 / Conector Sub-Requisito/Função: Multas Tarefa/Chamado: 01.08.01 País: Brasil Data Especificação: 13/05/13 Rotinas Envolvidas Rotina Tipo

Leia mais

Uma visão mais clara da UML Sumário

Uma visão mais clara da UML Sumário Uma visão mais clara da UML Sumário 1 Método...2 2 Análise de requisitos...2 2.1 Diagramas de Casos de Uso...3 2.1.1 Ator...3 2.1.2 Casos de Uso (Use Case)...4 2.1.3 Cenário...4 2.1.4 Relacionamentos...6

Leia mais

MODELAGEM DE SISTEMAS

MODELAGEM DE SISTEMAS MODELAGEM DE SISTEMAS Diagramas de Casos de Uso Profa. Rosemary Melo Diagrama de Casos de Uso Modelagem de Sistemas Apresenta uma visão externa geral das funções ou serviços que o sistema deverá oferecer

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE IVY MARTINS SALLES SATCAR: SISTEMA DE GERÊNCIA DE UMA EMPRESA DE RASTREAMENTO VEICULAR

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE IVY MARTINS SALLES SATCAR: SISTEMA DE GERÊNCIA DE UMA EMPRESA DE RASTREAMENTO VEICULAR UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE IVY MARTINS SALLES SATCAR: SISTEMA DE GERÊNCIA DE UMA EMPRESA DE RASTREAMENTO VEICULAR NITERÓI 2010 IVY MARTINS SALLES SATCAR: SISTEMA DE GERÊNCIA DE UMA EMPRESA DE RASTREAMENTO

Leia mais

Engenharia de Requisitos. Estudo de Caso

Engenharia de Requisitos. Estudo de Caso Engenharia de Requisitos Estudo de Caso Engenharia de Requisitos Exemplo 1 Reserva de Hotel 1. INTRODUÇÃO Este documento especifica os requisitos do sistema Controle de Reserva de Hotel, fornecendo aos

Leia mais

Sicoobnet Empresarial. Manual do Usuário. Versão 1.5

Sicoobnet Empresarial. Manual do Usuário. Versão 1.5 Sicoobnet Empresarial Manual do Versão.5 Manual do Data: 04/0/0 Histórico Data Versão Descrição Autor 04/0/008.0 Criação do Manual Ileana Karla 0//008. Revisão Luiz Filipe Barbosa /07/00. Atualização Márcia

Leia mais

MODELAGEM DE CASOS DE USO PARA UM SISTEMA DE CLÍNICA VETERINÁRIA

MODELAGEM DE CASOS DE USO PARA UM SISTEMA DE CLÍNICA VETERINÁRIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE TECNOLOGIA FACULDADE DE ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO ADAM DREYTON FERREIRA DOS SANTOS CARLOS ROGÉRIO CAMPOS ANSELMO FELIPE BATISTA CABRAL FRANK GOMES DE AZEVEDO NAGIB

Leia mais

Introdução Diagramas de Casos de Uso Diagramas de Classes Estoque Fácil

Introdução Diagramas de Casos de Uso Diagramas de Classes Estoque Fácil UFCG Introdução Diagramas de Casos de Uso Diagramas de Classes Estoque Fácil Arthur Silva Freire Caio César Meira Paes Carlos Artur Nascimento Vieira Matheus de Araújo Maciel Tiago Brasileiro Araújo Engenharia

Leia mais

Modelagem de Software Prof. Flávio de Oliveira Silva, Ph.D.

Modelagem de Software Prof. Flávio de Oliveira Silva, Ph.D. UML Diagramas Um diagrama é a apresentação gráfica de um conjunto de elementos, onde os vértices são ITENS e os arcos RELACIONAMENTOS UML 2.0 possui os seguintes diagramas: Diagrama de Classes (Class Diagram)

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Prof. M.Sc. Ronaldo C. de Oliveira ronaldooliveira@facom.ufu.br FACOM - 2011 Análise e Projeto Orientados a Objetos Análise e Projeto Orientados a Objetos O que é Análise e Projeto? Análise o quê Investigação

Leia mais