INDICE. Introdução Estações Elevatórias de Esgoto Estações de Tratamento de Esgoto... 7

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INDICE. Introdução... 2. Estações Elevatórias de Esgoto... 2. Estações de Tratamento de Esgoto... 7"

Transcrição

1 INDICE Introdução... 2 Estações Elevatórias de Esgoto... 2 Estações de Tratamento de Esgoto... 7

2 Introdução: Este relatório apresenta os serviços realizados no mês de julho de 2010, conforme prevê o contrato firmado de PPP Administrativa, no que diz respeito ao esgotamento sanitário do município de Guaratinguetá, que compreende 13 Estações Elevatórias de Esgoto, quais sejam: Chácara Selles, centro (Defesa Civil), Jardim do Vale, Bom Retiro, Pingo de Ouro, Vitória, Jequitibás, Belo Horizonte, Internacional Parque, São Manoel rua 1, São Manoel rua 3, Jardim Rony e a da EATON, além de 03 Estações de Tratamento de Esgoto, as ETE`s Campo do Galvão, Vila Bela e Pedrinha, e demais atividades correlatas à prestação de serviço de tratamento de esgoto do município. Estações Elevatórias de Esgoto Foi dado continuidade às vistorias periódicas das EEE s, com a frequência de 2X / semana (segundas e sextas), no mínimo, a fim de avaliar as condições de funcionamento dos equipamentos (bombas, bóias, painéis, etc), fazendo o registro das informações em check list`s, confeccionados para tal, que se encontram, anexados, neste relatório e em Livro de Ocorrência, à disposição para consulta em nossas instalações. Foi dado continuidade com as limpezas dos poços e das instalações internas e externas das EEE`s (corte de grama, pintura, etc), no mês que faz referência este relatório, a fim de atender a programação previamente elaborada para o serviço supracitado. Foi realizado a limpeza externa e interna, incluindo a pintura das instalações (prédio, portões, grades, mourões), corte e capina de grama, aplicação de produtos indicados para evitar o crescimento do mato, além da limpeza do poço que recebe o esgoto bruto, com o auxílio do caminhão hidrovácuo e equipe

3 disponibilizada para tal, nas EEE`s Chácara Selles, Jardim Rony, centro, Bom Retiro, Eaton e Jardim do Vale. Relatório fotográfico após as intervenções nas EEE`s EEE Chácara Selles EEE Jardim Rony

4 EEE centro EEE Bom Retiro EEE Eaton

5 EEE Jardim do Vale No dia 23 de julho, dia estabelecido para realizar a vistoria nas Estações Elevatórias de Esgoto, de acordo com o Check List elaborado para tal, foi observado, pelo técnico da CAB Guaratinguetá, responsável pela mesma, atos de vandalismo na EEE Jardim do Vale, com a retirada de uma parte do portão de entrada, pichação e tentativa de violação do painel elétrico, conforme se pode verificar nas fotos acima. De imediato, foi contratada uma empresa para confeccionar novo gradeamento de proteção para o painel de comando da bomba submersível, sendo o mesmo instalado no mesmo dia em que se constatou o fato. A CAB está providenciando o fechamento do local, com a confecção de coluna, colocação de tela e corrente com cadeado. Será feito também a pintura dos locais que sofreram a pichação, ambos até a primeira semana de agosto de 2010.

6 A CAB Guaratinguetá persiste aguardando um parecer final da desapropriação da área referente a Estação Elevatória de Esgoto do Pingo de Ouro para dar continuidade e concluir a instalação da bomba Flyght na Estação Elevatória supracitada. Segundo informações que vem sendo obtidas na SAEG, o processo de desapropriação ainda permanece na Secretaria de Planejamento, conforme vem sendo mencionado nos relatórios anteriores. Neste mês de julho de 2010 foram realizadas algumas intervenções nas Estações Elevatórias de Esgoto, quais sejam: - substituição das válvulas da linha de recalque e troca da guia da bomba submersível da EEE do Jardim do Vale; - substituição das correias da bomba e bóia de nível da EEE do centro (Defesa Civil); - substituição da base de sustentação da bomba submersível da EEE do Jardim Rony; - substituição do gradeamento do poço da EEE São Manoel rua 3, que se encontrava em adiantado estado de corrosão; - reforço e nivelamento do portão de entrada da EEE São Manoel rua 1; - substituição da bomba submersível e confecção de caixas de passagem para a rede elétrica na EEE da rua Vitória; - substituição da bomba e contatores do painel de comando elétrico na EEE da rua Belo Horizonte.

7 Estações de Tratamento de Esgoto ETE - Campo do Galvão Em referência as alterações que se fazem necessárias na ETE Campo do Galvão, registradas no relatório referente ao mês de julho de 2008, cumpre-nos informar o seguinte: - a CAB Guaratinguetá vem mantendo, desde o dia 05 de julho de 2010, de forma contínua, a recirculação de lodo dos decantadores para a Estação Elevatória de Esgoto Bruto, conforme mencionado no relatório referente ao mês de junho de 2010, a fim de privilegiar a dinâmica do processo, otimizando a eficiência da ETE em referência; - a empresa fez tentativas, neste mês de julho de 2010, no sentido de viabilizar, conforme o mencionado no relatório referente ao mês anterior, o encaminhamento do lodo descartado (excedente) para o Adensador e posteriormente para os Leitos de Secagem, ao invés de descartá-lo diretamente para os Leitos de Secagem, sem passar pelo Adensador, como vinha sendo feito. Porém não obteve sucesso em virtude da ausência de cota do Adensador para os Leitos de Secagem. Para viabilizar esse procedimento a CAB teria que realizar obras nos Leitos de Secagem, o que não faz parte do Cronograma estabelecido previamente pela empresa para atendimento ao contrato de PPP Administrativa, neste momento. Todavia algumas ações mais imediatas foram realizadas no período de vigência deste relatório, quais sejam: - foi dado continuidade na limpeza e conservação geral das instalações internas e externas da ETE, incluindo a pintura dos prédios, painéis, guias, tanques, guarda-corpos, o corte da grama, a varrição e o jateamento dos tanques e pisos que compõem as mesmas com Lava Jato, realizados pelos

8 operadores, além da limpeza e organização das instalações que compõem o Prédio Administrativo, por funcionária contratada para tal, seguindo programação elaborada previamente; - persiste a aplicação de treinamento contínuo nos colaboradores da empresa, incluindo operação e processo aplicado na ETE em referência, análises de monitoramento, rotinas de laboratório, cronograma de limpezas, segurança no trabalho, educação no trânsito, considerando a especificidade para cada tipo de função (operador ou ajudante); - a limpeza no canal de entrada de esgoto bruto, composta de gradeamento e caixa de areia, com auxílio do caminhão Hidrovácuo e equipe disponibilizada para tal; - foi dado continuidade à coleta e realização de análises por laboratório externo (AMPROLAB), credenciado pela CETESB, para monitoramento da ETE e atendimento à Licença de Operação. A coleta, composta, foi realizada em 06/07/2010, no período de 08:00 às 18:00 h. Esses resultados estão disponibilizados em anexo. Ao se verificar os resultados das análises observou-se que todos os parâmetros analisados na saída do processo (esgoto tratado), pelo laboratório contratado, atendem aos Padrões Estabelecidos pelas Legislações Ambientais, referenciadas nos Relatórios de Análises Nºs e Houve uma redução em termos da DBO em 93,12 % e a concentração da DBO no esgoto tratado foi de 24 mg/l, sendo que a Legislação (CETESB; artigo 18) exige 80 % ou 60 mg/l, respectivamente. - Segue anexado o Relatório de Operação da ETE Campo do Galvão, com o registro das vazões médias diárias e a vazão média do mês, em formulário da SAEG, a ser encaminhado para a CETESB, a fim de atender exigência do Órgão Ambiental.

9 ETE - Vila Bela Na ETE Vila Bela foi dado prosseguimento a algumas ações que identificamos necessárias, que foram relacionadas no relatório referente ao mês de julho de 2008, quais sejam: - a CAB Guaratinguetá vem mantendo, desde o dia 05 de julho de 2010, de forma contínua, a recirculação de lodo dos decantadores para a Estação Elevatória de Esgoto Bruto, conforme mencionado no relatório referente ao mês de junho de 2010, a fim de privilegiar a dinâmica do processo, otimizando a eficiência da ETE em referência. - a empresa também viabilizou o encaminhamento do lodo descartado (excedente) para o Adensador e posteriormente para os Leitos de Secagem, ao invés de descartá-lo diretamente para os Leitos de Secagem, sem passar pelo Adensador, como vinha sendo feito. Esta alteração tem a finalidade de encaminhar um lodo mais concentrado para ser desidratado e já vem ocorrendo desde 0 dia 05 de julho de No entretanto foi dado continuidade na realização de algumas ações mais imediatas, no período de vigência deste relatório, quais sejam : - foi dado continuidade na limpeza e conservação geral das instalações internas e externas da ETE, incluindo a pintura dos prédios, painéis, guias, tanques, guarda-corpos, a varrição e o jateamento dos tanques e pisos que compõem as mesmas com Lava Jato, realizados pelos operadores, além da limpeza e organização das instalações que compõem o Prédio Administrativo, por funcionária contratada para tal, seguindo programação elaborada previamente; - o corte de grama, poda das árvores e limpeza geral das instalações externas da ETE Vila Bela por intermédio de empresa contratada para este fim, dando continuidade a programação estabelecida para tal;

10 - limpeza no canal de entrada do esgoto bruto, composta de gradeamento e caixa de areia, com auxílio do caminhão Hidrovácuo e equipe disponibilizada para tal; - substituição de um dos aeradores do tanque de aeração (o de nº 3), que apresentou problema. O motor foi encaminhado para reparo em empresa especializada; - reinstalada outra bomba submersível, no poço da Estação Elevatória de Esgoto Bruto, que fica de stand-by, que havia sido retirada para manutenção; - persiste instalada uma bomba submersível no final do canal de esgoto tratado para possibilitar a transferência do mesmo para os caminhões Hidrovácuo, quando da necessidade do uso da água de reuso para alguma aplicação pertinente (rega de plantas, preparo de massa em obras da prefeitura, etc), por solicitação da SAEG; - persiste a aplicação de treinamento contínuo nos nossos colaboradores, incluindo operação e processo aplicado na ETE em referência, análises de monitoramento, rotinas de laboratório, cronograma de limpezas, segurança no trabalho, educação no trânsito, considerando a especificidade para cada tipo de função (operador ou ajudante); - foi dado continuidade à coleta e a realização de análises por laboratório externo (AMPROLAB), credenciado pela CETESB, para monitoramento da ETE e atendimento à Licença de Operação. A coleta, composta, foi realizada em 06/07/2010, no período de 08:00 às 18:00 h.

11 Ao se verificar os resultados das análises observou-se que todos os parâmetros analisados na saída do processo (esgoto tratado), pelo laboratório contratado, atendem aos Padrões Estabelecidos pelas Legislações Ambientais, referenciadas nos Relatórios de Análises Nºs e Houve uma redução em termos da DBO em 83,49 % e a concentração da DBO no esgoto tratado foi de 35 mg/l, sendo que a Legislação (CETESB; artigo 18) exige 80 % ou 60 mg/l, respectivamente. Neste relatório também seguem os resultados da DQO e DBO, do esgoto bruto e tratado, referentes ao mês de junho. Houve a necessidade da repetição da coleta para a análise desses parâmetros, realizada no dia 02 de julho de 2010, devido à perda de parte da amostra pelo laboratório que presta serviço à CAB, conforme registrado no relatório referente ao mês de junho de Os resultados atestaram para uma redução, em termos da DBO, em 93,97 % e a concentração da DBO no esgoto tratado foi de 22 mg/l, sendo que a Legislação (CETESB; artigo 18) exige 80 % ou 60 mg/l, respectivamente. - Segue anexado o Relatório de Operação da ETE Vila Bela, com o registro das vazões médias diárias e a vazão média do mês, em formulário da SAEG, a ser encaminhado para a CETESB, a fim de atender exigência do Órgão Ambiental. ETE Pedrinha

12 Com relação às alterações que identificamos a necessidade de serem realizadas na ETE em questão, que foram registradas no relatório referente ao mês de julho de 2008, cumpre-nos informar que: - As obras e a própria instalação do instrumento de medição da vazão da entrada do esgoto bruto e saída do esgoto tratado, serão programadas de acordo com Cronograma estabelecido pela CAB Guaratinguetá. A CAB Guaratinguetá persiste estudando ainda, dentre outras coisas: viabilizar de forma efetiva o descarte de lodo para o Leito de Secagem com a construção de Elevatória de Recirculação de Lodo, instalar medidor de vazão do recirculado, além de encaminhar essa contribuição para o Tanque de Aeração (TA), de forma contínua, realizando contato com novas empresas. Todavia foi dado continuidade na realização de algumas ações mais imediatas, no período de vigência desse relatório, quais sejam: - foi dado a continuidade na limpeza e conservação geral das instalações internas e externas da ETE, com a pintura das mesmas, a varrição, a roçada da grama, a pintura do meio fio com cal, o jateamento dos tanques e pisos que compõem as mesmas com Lava Jato, serviços realizados pelos operadores. A limpeza e a organização das instalações que compõem o Prédio Administrativo também foram realizadas pelos operadores da ETE; - Persiste a aplicação de treinamento contínuo nos colaboradores, incluindo operação e processo aplicado na ETE em referência, análises de monitoramento, rotinas de laboratório, cronograma de limpezas, segurança no trabalho, educação no trânsito, considerando a especificidade para cada tipo de função (operador ou ajudante);

13 - limpeza no canal de entrada do esgoto bruto, que engloba o gradeamento e caixa de areia, com auxílio do caminhão Hidrovácuo e com equipe disponibilizada para tal; - manutenção preventiva na bomba de recalque do esgoto bruto, com a substituição das correias e óleo lubrificante; Conforme registrado no relatório referente ao mês de junho de 2010, a CAB Guaratinguetá finalizou, dentro da primeira quinzena do mês de julho de 2010, em sua íntegra, a recuperação florestal, realizada mais precisamente na margem esquerda do Córrego Cacunda, em Guaratinguetá, área urbanizada, localizada na Av. Ministro Salgado Filho s/nº, em frente ao bar 14 Bis, de acordo com projeto elaborado pela SAEG, que visou atender as exigências da CETESB, registradas em Ofício Nº 137/08, como compensação da obra de implantação do novo emissário de efluente tratado da ETE Pedrinha, realizada no período de 05 de novembro de 2009 a 27 de janeiro do corrente ano, compreendida em duas etapas. O Projeto de Recuperação Florestal teve como meta o reflorestamento, ou seja, o plantio de 170 (cento e setenta) mudas de essências arbóreas nativas, com a finalidade de garantir a recuperação da área, baseado na dinâmica da floresta natural, sobretudo através do processo de regeneração espontânea, visto que existem fragmentos florestais próximo à área, que somado com as atividades básicas de uso e conservação de solo, obteremos resultados positivos quanto à preservação e conservação ambiental na propriedade, quais sejam: redução das perdas de solo decorrentes de processos erosivos, causados pela ausência de cobertura vegetal, através do elemento arbóreo; promoção do aumento dos refúgios e fontes de alimentação para faunas silvestres e aquáticas;

14 melhora da qualidade e aumento do volume dos recursos hídricos disponíveis, próximos da propriedade; reintegração da área à paisagem da região. Dessa forma conseguiremos atingir os objetivos relacionados abaixo: - Atender as recomendações técnicas da legislação federal sobre o Meio Ambiente; - Lei nº 4.771, de 15 de setembro de 1965 e a resolução SMA Nº 08, de ; - Aumentar o percentual de floresta nativa (mata-ciliar) na área do município de Guaratinguetá, mais precisamente, uma faixa ciliar do córrego Cacunda; - Atender o ofício NTPA nº 762/2008. A seguir a CAB relaciona as etapas do serviço: 1ª Etapa - demarcação da área

15 2ª Etapa - manutenção da área (corte do capim Napier, Bracharia e grama batatais existente) 3ª Etapa preparo da cerca (colocação de moerão e arame farpado)

16 4ª Etapa abertura das covas (40x40x40)

17 5ª Etapa colocação de hydrogel (produto utilizado nessa época de seca para manter o terreno com umidade ideal) - 1 litro de hydrogel pronto / cova. 6ª Etapa plantio das mudas obedecendo a seguinte proporção: 40% Pioneiras - 68 mudas Angico vermelho Aroeira brava Carobinha Jambolão Embiruçu da Mata Paineira Pau pólvora

18 50% Secundárias Iniciais e tardias 85 mudas Açoita cavalo Canafístula Goiaba Ingá Pau viola Ipê Roxo Ipê amarelo Guapuruvu 10% Clímax 17 mudas Grumixama Genipapo Peroba rosa

19 7ª Etapa coroamento de 80 cm ao redor das mudas. 8ª Etapa estaqueamento das mudas com bambu.

20 9ª Etapa amarrio das mudas. No período de 90 a 180 dias será feito a 1ª adubação de cobertura e repasse as formigas cortadeiras. A compensação proposta no projeto é maior do que a mínima exigida, ou seja, deveriam ser plantadas 42 mudas e, no entanto, foram plantadas 170 mudas. Em virtude do atendimento às exigências, que vinham sendo requeridas pela CETESB (Ofício Nº 137/08), como a implantação de novo emissário, a 497 metros a jusante da ETE Pedrinha (finalizado), e a efetiva implantação do Projeto de Recuperação Florestal, ambos executados na sua íntegra, a CAB Guaratinguetá e a SAEG estão requerendo, junto a CETESB, a emissão da licença de operação, em definitivo, da ETE Pedrinha.

21 - foi dado continuidade à coleta e realização de análises por laboratório externo (AMPROLAB), credenciado pela CETESB, para monitoramento da ETE e atendimento à Licença de Operação. A coleta, composta, foi realizada em 16/07/2010, no período de 08:00 às 18:00 hs. Esses resultados estão disponibilizados em anexo. Ao se verificar os resultados das análises observou-se que todos os parâmetros analisados na saída do processo (esgoto tratado), pelo laboratório contratado, atendem aos Padrões Estabelecidos pelas Legislações Ambientais, referenciadas nos Relatórios de Análises Nº e Houve uma redução em termos da DBO de 93,42 % e a concentração da DBO no esgoto tratado foi de 36 mg/l, sendo que a Legislação (CETESB; artigo 18) exige 80 % ou 60 mg/l, respectivamente. Segue abaixo um quadro resumo, onde são indicados os parâmetros vazão de esgoto (média) e volume tratados, DBO de entrada e saída, assim como a eficiência que vem sendo observada nas Estações de Tratamento de Esgoto do Campo do Galvão, Vila Bela e Pedrinha, considerando a média do ano de 2009 e os meses de janeiro a junho de 2010, como medida para o acompanhamento e avaliação da performance das respectivas ETE`s.

22 Redes Coletoras de Esgoto Rua Tiradentes Neste mês de julho de 2010, a obra de extensão da rede coletora da rua Tiradentes foi concluída e interligada na rede coletora, existente, da Rua Antônio Leme Barbosa. Foram executados 237,30 m de rede coletora com Ø 150 mm, e sete poços de visita ao longo do trecho. A rede coletora, existente, que estava obstruída sob a linha ferroviária da MRS, foi desativada, sendo feita uma única rede na rua Tiradentes, com declividade no sentido da Rua Jaques Félix. Com isso, todas as ligações dos ramais de esgoto dos usuários, foram interligadas na nova rede coletora de esgoto, o que melhorará, em muito, os problemas da região. Atualmente, a construtora responsável pela execução dos serviços, se encontra realizando o nivelamento de paralelepípedos, nos pontos onde os mesmos ficaram afundados e fora do nível, com o existente, nas ruas onde foram executados os serviços, bem como a limpeza e a desmobilização do canteiro de obras, tendo previsão de término e entrega dos serviços no dia 06 de agosto de Todos os serviços realizados foram acompanhados, diariamente, pela equipe técnica da CAB Guaratinguetá, sendo feito um Diário de Obras, que segue em anexado a este relatório.

23 Relatório fotográfico Rede executada Rua Jaques Félix. Trecho da Rua Jaques Félix. PV da rua Jaques Felix x rua Tiradentes. Trecho da rua Tiradentes em execução. Reposição do paralelo rua Antônio L. Barbosa. Reposição do paralelo da rua Jaques Félix.

24 Reposição de paralelo rua Tiradentes. Inspeção do PV rua Jaques Félix x rua Antônio Leme Barbosa. Sub Sistema Pedregulho - Coletor Tronco Santa Luzia Neste mês de julho de 2010, A CAB Guaratinguetá e a empresa contratada para execução das obras, realizaram todo o levantamento cadastral da obra, locando os poços de visita, Estações Elevatórias de Esgoto, linhas de recalque e coletores troncos, que estão sendo executados conforme os projetos. A obra consiste na execução de 2.427,27 m de linha de recalque e m de coletor tronco, coletando e afastando o esgotamento sanitário do bairro de Santa Luzia até a ETE Pedregulho. Ao longo do trecho serão instaladas 3 (três) Estações Elevatórias de Esgoto, com vazões de 8,17, 29,96 e 38,13 l/s. Foram executados estudos de viabilidade para avaliar a possibilidade do encaminhamento da linha de recalque e coletores troncos para o interior de um loteamento particular, a fim de subtrair uma Estação Elevatória de Esgoto, conforme sugestão da SAEG. No dia 26 de julho, o projetista esteve visitando o local em conjunto com a equipe de topografia, fiscalização do SAEG, equipe técnica da CAB Guaratinguetá, além do engenheiro da construtora, do Sr. Tadeu Guimarães, dono do loteamento e do representante da secretária do meio ambiente do município, o Sr. Eduardo e, nesta visita de campo, foram verificadas todas as dificuldades para a realização do novo direcionamento da linha de recalque e

25 coletores de esgoto, passando pelo loteamento vizinho ao parque ecológico. Para a alteração do projeto inicial, haveria a necessidade da alteração dos dimensionamentos de bombas, tubulação, poços das elevatórias, projetos, levantamento topográfico e licenças ambientais junto aos órgãos competentes. Como a obra já está sendo executada, e a compra de todos os equipamentos e materiais já foi feita de acordo com o projeto inicial, ficou definido que a obra continuaria a ser realizada de acordo com o projeto inicial, sendo feito somente a locação da EEE do Parque Ecológico em uma área mais afastada da margem da estrada vicinal Rafael Américo Ranieri. Dessa forma, a obra foi retomada pela construtora, de acordo com o projeto executivo inicial, não havendo qualquer transtorno em relação ao prazo de entrega da mesma, prevista para dezembro de No decorrer do mês de julho foram executados, aproximadamente, 2.200,00 m de linha de recalque, ao longo do trecho da obra, bem como a locação das Estações Elevatórias de Esgoto. A empresa responsável pela execução das obras, a Construtora Fransterra, já efetuou a compra das bombas, painéis de comandos das Elevatórias de Esgoto, bem como o fechamento do pedido de toda a ferragem para a estrutura dos poços de esgotos e demais a serem construídas nas EEE`s.Segue, anexado, o Diário de Obra referente aos serviços executados no período de julho de 2010.

26 Relatório fotográfico Execução Linha de recalque PE 4.2 na Estrada Rafael A. Ranieri. Execução Linha de recalque PE 4.2 na Estrada Rafael A. Ranieri. Tubos de recalque LR PE 4.2. Execução Linha de recalque PE 4.1 na Estrada Rafael A. Ranieri. Recalque LR PE 4.2 próximo a Defesa Civil. Execução Linha de recalque PE 4.1 na Estrada Rafael A. Ranieri.

27 Relatório fotográfico Execução Linha de recalque PE no Parque Ecológico EE-Lixão Escavação da LR PE na EE do Lixão. Extensões de rede Neste mês de junho de 2010 houve somente uma execução de extensão de rede, na Rua 8, no bairro Chácaras Agrícolas Beira Rio I, descrita com mais detalhes no item Acompanhamento de Obras, além de Estudos de Viabilidade. Dessa forma a CAB Guaratinguetá concentrou os seus esforços nos serviços de manutenção preventiva, nas redes coletoras de esgoto do município. Manutenção Preventiva Aproveitando a redução na incidência de chuvas na região, realizamos os serviços de manutenção preventiva no bairro Jardim Esperança. Com isso, os bairros atendidos, até o mês que faz referência este relatório, são registrados a seguir:

28 Vila Municipal I; Vila Municipal II; Comerciários II; Jardim do Vale I; Jardim Esperança (em execução);

29 A seguir pode-se conferir tabela e gráfico comparando o número de ordens de serviços com o índice pluviométrico, no período de julho de 2008 a julho de 2010: Ordens de Serviços - Julho/08 a Julho/10 Demanda das Ordens de Serviço (OS`s) Durante o mês de julho de 2010, foram emitidas 305 Ordens de Serviços. Neste universo de OS s geradas, foram concluídas 305. Página 2 de 50

30 Para que se fizesse uma comparação mais afinada do mês de julho de 2010, em relação a julho de 2009, foi feito um levantamento do número de ordens de serviços emitidas e que não eram problemas relacionados a esgoto (água, drenagem de águas pluviais, etc). Em julho de 2009 foram emitidas 311 OS`s e 48 não eram referentes a esgoto. Já em julho de 2010 foram emitidas 305 OS`s, sendo 50 sem referência a esgoto. Dessa forma, comparando somente as ordens referentes a serviço de esgoto, foi observada uma redução de cerca de 3,04%. OS Nº / Desentupir ramal de esgoto. Rua Berilo, 53 Jardim Aeroporto No dia 29 de junho de 2010, foi emitida a Ordem de Serviço Nº /2010-7, na Rua Berilo, 53 Jardim Aeroporto, referente à reclamação de entupimento de ramal de esgoto. No mesmo dia a equipe técnica da CAB Guaratinguetá esteve no local e verificou que o ramal do usuário estava completamente obstruído, e sua caixa de inspeção não tinha mais fundo, e que o esgoto estava infiltrando na rua, causando afundamento no asfalto. Como a rua Berilo tem linha de ônibus e trânsito com fluxo razoável, agendamos com o departamento de trânsito, do município de Guaratinguetá, e a imprensa local, que a CAB estaria interditando a rua Berilo, no dia 01 de julho de 2010, a partir das 13:00 h, para a execução dos serviços de substituição de ramal do usuário. No dia 01 de julho, após a interdição da via, o serviço de substituição de ramal foi devidamente realizado, além da execução de uma nova caixa de inspeção, em função da mesma estar comprometida. Posteriormente a rua foi compactada e o trânsito liberado no mesmo dia. Relatório fotográfico Página 3 de 50

31 Abertura de vala para execução dos serviços Substituição de ramal. Caixa de inspeção comprometida. Interferência com rede de água potável. Rua Berilo, 53 Jardim Aeroporto OS Nº / Afundamento de esgoto. Rua José Garcia dos Reis Filho (52), 18 Santa Clara Página 4 de 50

32 No dia 19 de julho de 2010, foi emitida a Ordem de Serviço Nº /2010-4, na Rua José Garcia dos Reis Filho (52), 18 Santa Clara, referente ao serviço de afundamento de esgoto. A equipe operacional da CAB Guaratinguetá esteve no local para solucionar o problema, porém foi observado que o afundamento era no ramal de esgoto do usuário, próximo a sarjeta, devido a um vazamento do mesmo. Os serviços foram executados, com a substituição do ramal comprometido e substituição da terra, para a execução de aterro e compactação. Relatório fotográfico Ramal comprometido. Substituição de ramal comprometido. Rua José Garcia dos Reis Filho (52), 18 Santa Clara OS Nº / Afundamento de esgoto. Rua Waldemar Ferreira, 105 Comendador Rodrigues Alves Página 5 de 50

33 No dia 19 de julho de 2010, foi emitida a Ordem de Serviço Nº /2010-7, na Rua Waldemar Ferreira, 105 Comendador Rodrigues Alves, referente ao serviço de afundamento de esgoto. A equipe operacional da CAB Guaratinguetá esteve no local para solucionar o problema, contudo foi observado que não havia nenhum problema no ramal do usuário, bem como na rede coletora de esgoto que atende a região. Dessa forma, foram executados somente os serviços de limpeza da rede geral, coletora de esgoto, com o caminhão hidrovácuo, além de aterro e compactação de solo, devido ao afundamento da rua. Relatório fotográfico Limpeza de rede com hidrovácuo. Retirada de material existente para aterro e compactação de solo. Rua Waldemar Ferreira, 105 Comendador Rodrigues Alves OS Nº / Desentupir ramal de esgoto. Rua Alfonso Giannico, 330 Pedregulho Página 6 de 50

34 No dia 30 de junho de 2010, foi emitida a Ordem de Serviço Nº /2010-2, na Rua Alfonso Giannico, Pedregulho, referente ao serviço de desentupimento de ramal de esgoto. A equipe operacional da CAB Guaratinguetá esteve no local para solucionar o problema, porém foi observado que além do problema no ramal de esgoto do usuário, a rede coletora de esgoto, da rua em referência, também estava com obstrução, sendo necessária a substituição da tubulação. Os serviços foram agendados para o dia 02 de julho, devido à necessidade de interditar parcialmente o trânsito local, e a utilização de retro-escavadeira. No dia 02 de julho, a equipe operacional, acompanhada da equipe técnica da CAB Guaratinguetá, esteve no local para a realização dos serviços. Foi substituído o ramal de esgoto do usuário, além de realizado o reparo na rede coletora de esgoto. Após a conclusão desses serviços, foi feito todo o aterro e compactação de solo, deixando o trânsito livre e desimpedido para os usuários da região. Relatório fotográfico Abertura de vala para localização da rede coletora de esgoto. Rede de água potável próximo ao ramal de esgoto do usuário. Rua Alfonso Giannico, 330 Pedregulho ENGENHEIRO NEIVA Página 7 de 50

35 No dia 14 de junho de 2010, foi emitida a Ordem de Serviço Nº /2010-4, na Av. Basf, Engenheiro Neiva, referente a serviço de desentupimento de ramal de esgoto. A equipe operacional da CAB Guaratinguetá esteve no local, com o caminhão hidrovácuo, para a desobstrução do ramal, contudo foi constatado que o problema era interno, e que o usuário já estava executando uma nova rede interna para solucionar definitivamente os problemas com entupimento de ramal de esgoto. No dia 16 de julho de 2010, foi emitida a Ordem de Serviço N /2010-9, no mesmo endereço, referente ao serviço de verificações diversas. A equipe técnica da CAB Guaratinguetá esteve no local, verificando o problema do usuário, em relação ao entupimento do ramal e a instalação de uma caixa de inspeção. Após a verificação, foi solicitada uma nova ligação de ramal de esgoto, devido à urgência do usuário em relação ao problema exposto. No dia 16 de julho de 2010, foi emitida a Ordem de Serviço N /2010-9, no mesmo endereço, referente ao serviço de substituição de ramal de esgoto. O serviço foi agendado para o dia 19 de julho de 2010, devido à necessidade da utilização da retro-escavadeira para interligar o ramal do usuário na rede coletora de esgoto da rua. No dia agendado para a realização do serviço, a equipe técnica e operacional da CAB Guaratinguetá estiveram no local realizando os serviços de substituição de ramal, resolvendo o problema do usuário em relação as Ordens de Serviço abertas, referendadas acima. Relatório fotográfico Página 8 de 50

36 Caixa de inspeção instalada pelo usuário. Rede de água potável da rua. Av. Basf, Engenheiro Neiva VISTORIA NO SHOPPING BURITI Em face da Notificação Extrajudicial, movida pela própria SAEG, em 23 de junho de 2010, contra o Shopping Buriti, foi solicitado a CAB Guaratinguetá que se fizesse uma vistoria no local, tanto interna quanto externa, a fim de verificar a existência de caixas de gordura e as condições em que se encontram, o lançamento de águas pluviais e a própria gordura na rede coletora de esgoto, além da condição em que se encontrava o PV que recebe o esgoto produzido no estabelecimento, localizado na rua Padre Geraldo Rodrigues de Oliveira. Apresentamos, a seguir, as considerações que se fazem relevantes, pertinentes à vistoria, realizada em 24 de julho de 2010, por técnicos da CAB Guaratinguetá, acompanhada pela gerência operacional do Shopping: - existe lançamento de águas pluviais na rede coletora de esgoto interna do empreendimento Buriti Guará Shopping, conforme pode ser observado nas fotos disponibilizadas a seguir; - algumas caixas de inspeção, instaladas na área interna do empreendimento, estão lançando gordura diretamente na rede coletora de esgoto, sem qualquer tipo de separação dos sólidos sedimentados; Página 9 de 50

37 - o poço que atende o empreendimento, instalado na rede coletora de esgoto da Rua Padre Geraldo Rodrigues de Oliveira, apresentava uma camada de aproximadamente 1,00 m de gordura, além de marcas de gordura em sua parede interna até o nível do tampão, o que constata transbordo do mesmo; - mesmo com as limpezas periódicas das caixas de inspeção, localizadas no interior do empreendimento, as mesmas apresentam excesso de gordura nas paredes e fundos, o que comprova que trabalham de forma irregular, ou seja, são apenas caixas de passagem, não fazendo qualquer separação entre a gordura e os sólidos sedimentados; - o poço de visita, existente, antes da coleta do empreendimento Buriti Guará Shopping, apresenta condições normais sem qualquer obstrução ou lançamento de gordura, comprovando que o problema do lançamento de gordura vem da rede coletora do empreendimento. Em face do exposto acima concluímos que esse problema vem ocorrendo em decorrência da falta de caixas separadoras de gordura. Foi constatado apenas a presença de caixas de passagem, nos corredores, com grande acúmulo de gordura em suas paredes, evidenciando que as mesmas sempre estiveram com excesso de gordura, lançada diretamente na rede coletora da rua Padre Inácio Geraldo R. de Oliveira. Como a rede coletora de esgoto do empreendimento foi projetada apenas para coletar e afastar o esgoto faz-se necessário a separação da rede de águas pluviais, que está sendo lançada de forma irregular na rede coletora de esgoto, conforme fotos, em anexo, o que vem ocasionando o retorno e o vazamento no poço de visita localizado na rua em epígrafe. Dessa forma a CAB, em função do que foi observado e do agravamento dos problemas que vem ocorrendo com o passar do tempo, orienta no sentido de que a SAEG exija, dos responsáveis pelo Shopping Buriti, que seja retirado o lançamento de águas pluviais da rede coletora de esgoto, bem como a Página 10 de 50

38 instalação de caixas coletivas de gordura, antes da interligação na rede coletora de esgoto da rua, evitando que o problema interno continue a causar danos aos moradores que residem na vizinhança. Relatório fotográfico Marcas do nível de gordura Gordura no fundo do PV Foto 1 Poço de Visita completamente obstruído pelo lançamento de gordura do empreendimento. Página 11 de 50

39 Foto 2 Poço de Visita com marcas do excesso de gordura lançada pelo empreendimento. Foto 3 Poço de visita localizado na Rua Padre Inácio Geraldo R. de Oliveira. Página 12 de 50

40 Foto 4 Altura da camada de gordura no poço de visita. Rede de coleta do Shopping Corredor interno Rede de coleta do Shopping Corredor externo Rede de coleta do Tenda Foto 5 Caixa de inspeção das redes coletoras do Empreendimento. Página 13 de 50

41 Foto 6 Lançamento de águas pluviais na rede coletora de esgoto do empreendimento. Calha interligada na rede coletora de esgoto Foto 7 Lançamento de águas de chuva na rede coletora de esgoto corredor externo. Página 14 de 50

42 Foto 8 Lançamento de águas pluviais na rede coletora de esgoto do empreendimento. Foto 9 - Caixa de inspeção interna corredor interno. Foto 10 - Caixa de inspeção com excesso de gordura nas paredes corredor interno. Página 15 de 50

43 Foto 11 Caixas de inspeção corredor externo. Foto 12 Caixa de inspeção corredor externo. Foto 13 Tambores de coleta de gordura corredor externo. Foto 14 Tambores de coleta de gordura corredor interno. Página 16 de 50

44 Acompanhamento de obras Chácaras Agrícolas Beira Rio Em julho de 2010, foi iniciado os serviços referentes à extensão da rede coletora de esgoto na Rua 8, Chácaras Agrícolas Beira Rio. Essa obra consiste na execução de 201,00 m de extensão de rede coletora de esgoto, em tubo de concreto simples, Ø 600 mm, sendo necessária a sua execução em função da mesma estar sendo lançada, in-natura, na valeta de águas pluviais, que lança direto no Rio Paraíba do Sul. No plano diretor, está contemplado a execução do interceptor, na margem esquerda do Rio Paraíba do Sul, com extensão de m, em Ø 1000 e 1200 mm, onde este lançamento será coletado e encaminhado para o devido tratamento. Relatório fotográfico Rede coletora de esgoto Ø 600 mm Acompanhamento equipe técnica. Rua 8 Chácaras Agrícolas Beira Rio Página 17 de 50

45 Loteamento Jardim França I No dia 22 de julho de 2010, a equipe técnica da CAB Guaratinguetá esteve no loteamento França I, realizando inspeção nas redes coletoras de esgoto, caixas de inspeção e poços de visita, executados pela Construtora Menin, para coleta e afastamento do esgoto sanitário do loteamento, por solicitação do SAEG. Esta vistoria, solicitada pela SAEG, se fez necessária para a emissão do Termo de Recebimento Provisório dos serviços executados pela Construtora Menin, e que posteriormente, após o aceite definitivo da obra, serão de responsabilidade da CAB Guaratinguetá, a manutenção preventiva e corretiva. Constatou-se que os serviços ainda estão em fase de execução, necessitando agendar uma nova vistoria técnica após o término dos mesmos. Em relação à rede coletora de esgoto, já existente, que passa dentro do Loteamento França I, tendo como montante o bairro Pingo de Ouro, seguindo até o bairro Parque Santa Clara, foi verificada que a mesma encontra-se em perfeitas condições de uso. Informamos ainda que há a necessidade da instalação de tampões, em ferro fundido, nos poços de visita, existentes, com a finalidade de evitar o acúmulo de sujeira, o que poderia causar obstrução da rede coletora de esgoto, que se encontra em funcionamento. Em relação às caixas de inspeções dos ramais de esgoto, verificamos que as mesmas estão sendo refeitas devido à falta de nivelamento entre o passeio e a tampa da caixa. Foram encontradas caixas quebradas e sem acabamento interno, o que causa acúmulo de esgoto no fundo das caixas, o que poderá à vir causar mau cheiro e obstrução de ramal. Página 18 de 50

46 Relatório fotográfico Rede coletora existente refeita. Rede coletora do Loteamento. Envelopamento da rede coletora. Interligação na rede existente. PV da rede coletora de esgoto. PV da rede coletora de esgoto. Página 19 de 50

47 PV obstruído e quebrado. PV obstruído. PV da rede existente. PV da rede coletora executada. Caixa de inspeção vista interna. Caixa de inspeção vista interna. Página 20 de 50

48 Caixa de inspeção vista externa. Caixa de inspeção desnivelada. Caixa de inspeção desnivelada. Caixa de inspeção concluída. Avaliação dos serviços prestados pela CAB A SAEG e a CAB Guaratinguetá continuaram a realizar as vistorias, neste mês de julho, junto aos usuários que em algum momento solicitaram serviço de esgoto, quais sejam: obstrução de ramal e rede, afundamento, verificações diversas, etc, conforme já mencionado nos relatórios anteriores. Foi ratificado, no mês que faz referência este relatório, o que vem sendo constatado desde o mês de outubro de 2009, onde foi dado início às vistorias, ou seja, um retorno bem positivo do usuário que é atendido pela CAB Guaratinguetá, praticamente na sua unanimidade, atestando para a prestação de um serviço de qualidade, com agilidade no atendimento. Página 21 de 50

49 Realização de ligações novas de esgoto No período de junho de 2009 até julho de 2010, período que compreende o segundo ano de vigência do contrato, a CAB Guaratinguetá realizou um total de 718 ligações de esgoto, as quais estão relacionadas abaixo: Junho de 2009 Julho de 2009 Agosto de 2009 Setembro de 2009 Outubro de 2009 Novembro de 2009 Dezembro de 2009 Janeiro de 2010 Fevereiro de 2010 Março de 2010 Abril de 2010 Maio de 2010 Junho de 2010 Julho de ligações; 52 ligações; 59 ligações; 65 ligações; 67 ligações; 57 ligações; 38 ligações; 31 ligações; 44 ligações; 48 ligações. 60 ligações ligações ligações ligações. Página 22 de 50

50 Campanha Gordura não cabe no esgoto A seguir é registrado em Quadro Resumo Balanço da Coleta de Óleo O volume recolhido de óleo, mês a mês, desde que a campanha foi lançada, a treze meses. A seguir apresenta-se a listagem geral de todas as OS`s, geradas no mês de julho de 2010, bem como o resumo por tipo de serviço e respectivos gráficos. Página 23 de 50

INDICE. Introdução:... 2. Estações Elevatórias de Esgoto... 2. Estações de Tratamento de Esgoto... 4

INDICE. Introdução:... 2. Estações Elevatórias de Esgoto... 2. Estações de Tratamento de Esgoto... 4 INDICE Introdução:... 2 Estações Elevatórias de Esgoto... 2 Estações de Tratamento de Esgoto... 4 Página 1 de 16 Introdução: Este relatório apresenta os serviços realizados no mês de maio de 2009, conforme

Leia mais

INDICE. Introdução... 2. Estações Elevatórias de Esgoto... 2. Estações de Tratamento de Esgoto... 6

INDICE. Introdução... 2. Estações Elevatórias de Esgoto... 2. Estações de Tratamento de Esgoto... 6 INDICE Introdução... 2 Estações Elevatórias de Esgoto... 2 Estações de Tratamento de Esgoto... 6 Introdução: Este relatório apresenta os serviços realizados no mês de junho de 2010, conforme prevê o contrato

Leia mais

Relatório mensal das atividades

Relatório mensal das atividades Relatório mensal das atividades Novembro/2010 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 02 ESTAÇÕES ELEVATÓRIAS DE ESGOTO... 03 ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTO... 06 CONSUMO DE ÁGUA E ENERGIA ELÉTRICA... 19 INVESTIMENTOS...

Leia mais

INDICE. Introdução... 2. Estações Elevatórias de Esgoto... 2. Estações de Tratamento de Esgoto... 5

INDICE. Introdução... 2. Estações Elevatórias de Esgoto... 2. Estações de Tratamento de Esgoto... 5 INDICE Introdução... 2 Estações Elevatórias de Esgoto... 2 Estações de Tratamento de Esgoto... 5 Página 1 de 19 Introdução: Este relatório apresenta os serviços realizados no mês de outubro de 2009, conforme

Leia mais

INDICE. Introdução:... 2. Estações Elevatórias de Esgoto... 2. Estações de Tratamento de Esgoto... 4

INDICE. Introdução:... 2. Estações Elevatórias de Esgoto... 2. Estações de Tratamento de Esgoto... 4 INDICE Introdução:... 2 Estações Elevatórias de Esgoto... 2 Estações de Tratamento de Esgoto... 4 Página 1 de 18 Introdução: Este relatório apresenta os serviços realizados no mês de abril de 2009, conforme

Leia mais

INDICE. Introdução:... 2. Estações Elevatórias de Esgoto... 2. Estações de Tratamento de Esgoto... 5

INDICE. Introdução:... 2. Estações Elevatórias de Esgoto... 2. Estações de Tratamento de Esgoto... 5 INDICE Introdução:... 2 Estações Elevatórias de Esgoto... 2 Estações de Tratamento de Esgoto... 5 Página 1 de 21 Introdução: Este relatório apresenta os serviços realizados no mês de março de 2009, conforme

Leia mais

Durante o mês de janeiro de 2009, foram emitidas 437 Ordens de Serviço. Neste universo de OS s geradas, foram concluídas 429.

Durante o mês de janeiro de 2009, foram emitidas 437 Ordens de Serviço. Neste universo de OS s geradas, foram concluídas 429. Redes Coletoras de Esgoto O mês de janeiro de 2009 foi marcado pelo aumento do número de Ordens de Serviços (OS) causado pela grande incidência de chuvas, elevando significativamente os casos de afundamentos

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL ANO - 7 NOVEMBRO/2014

RELATÓRIO MENSAL ANO - 7 NOVEMBRO/2014 RELATÓRIO MENSAL ANO - 7 NOVEMBRO/2014 TERMO DE CONTRATO DE PARCERIA PÚBLICO PRIVADA CONTRATANTE: SAEG Companhia de Serviços de Água, Esgoto e Resíduos de Guaratinguetá. OBJETO: Prestação de Serviços público

Leia mais

INDICE. Introdução:... 2. Estações Elevatórias de Esgoto... 2. Estações de Tratamento de Esgoto... 4

INDICE. Introdução:... 2. Estações Elevatórias de Esgoto... 2. Estações de Tratamento de Esgoto... 4 INDICE Introdução:... 2 Estações Elevatórias de Esgoto... 2 Estações de Tratamento de Esgoto... 4 Página 1 de 23 Introdução: Este relatório apresenta os serviços realizados no mês de fevereiro de 2009,

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL ANO - 6 NOVEMBRO/2013

RELATÓRIO MENSAL ANO - 6 NOVEMBRO/2013 RELATÓRIO MENSAL ANO - 6 NOVEMBRO/2013 TERMO DE CONTRATO DE PARCERIA PÚBLICO PRIVADA CONTRATANTE: SAEG Companhia de Serviços de Água, Esgoto e Resíduos de Guaratinguetá OBJETO: Prestação de Serviços público

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL JULHO/2013

RELATÓRIO MENSAL JULHO/2013 RELATÓRIO MENSAL JULHO/2013 TERMO DE CONTRATO DE PARCERIA PÚBLICO PRIVADA CONTRATANTE: SAEG Companhia de Serviços de Água, Esgoto e Resíduos de Guaratinguetá OBJETO: Prestação de Serviços público para

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL ANO - 7 DEZEMBRO/2014

RELATÓRIO MENSAL ANO - 7 DEZEMBRO/2014 RELATÓRIO MENSAL ANO - 7 DEZEMBRO/2014 TERMO DE CONTRATO DE PARCERIA PÚBLICO PRIVADA CONTRATANTE: SAEG Companhia de Serviços de Água, Esgoto e Resíduos de Guaratinguetá. OBJETO: Prestação de Serviços público

Leia mais

Asfalto da rotatória reconstituído no dia 03 de dezembro de 2009

Asfalto da rotatória reconstituído no dia 03 de dezembro de 2009 Redes Coletoras de Esgoto Neste mês de dezembro de 2009 foi concluída a obra do coletor de esgoto da Rodovia Aristeu Vieira Vilela, possibilitando que as ligações de esgoto do pólo industrial sejam feitas

Leia mais

ESGOTAMENTO. Conceitos básicosb

ESGOTAMENTO. Conceitos básicosb ESGOTAMENTO SANITÁRIO Conceitos básicosb Interrelação entre captação de água e lançamento de esgotos ESGOTO SANITÁRIO ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO (ETE) ÁREA URBANA COM REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA

Leia mais

Elevatórias de Esgoto Sanitário. Profª Gersina N.R.C. Junior

Elevatórias de Esgoto Sanitário. Profª Gersina N.R.C. Junior Elevatórias de Esgoto Sanitário Profª Gersina N.R.C. Junior Estações Elevatórias de Esgoto Todas as vezes que por algum motivo não seja possível, sob o ponto de vista técnico e econômico, o escoamento

Leia mais

GT/FE/ Número / versão / ano ENG/CA/050/01/08 Data de aprovação 05.11.2008 Doc. de aprovação Resolução nº 4951/08

GT/FE/ Número / versão / ano ENG/CA/050/01/08 Data de aprovação 05.11.2008 Doc. de aprovação Resolução nº 4951/08 NORMA GT/FE/ Número / versão / ano ENG/CA/050/01/08 Data de aprovação 05.11.2008 Doc. de aprovação Resolução nº 4951/08 CADASTRO TÉCNICO DE SISTEMAS DE SUMÁRIO 1 OBJETIVO... 2 2 CAMPO DE APLICAÇÃO... 2

Leia mais

RELATÓRIO DE PROJETOS DE INVESTIMENTOS 3º TRIMESTRE DE 2009

RELATÓRIO DE PROJETOS DE INVESTIMENTOS 3º TRIMESTRE DE 2009 PSBJ- Programa de Saneamento da Barra da Tijuca, Jacarepaguá e Recreio dos Bandeirantes RELATÓRIO DE PROJETOS DE INVESTIMENTOS 3º TRIMESTRE DE 2009 As obras (tanto as concluídas quanto as em andamento)

Leia mais

SUMARÉ RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R3 Continuação do Diagnóstico e Não Conformidades

SUMARÉ RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R3 Continuação do Diagnóstico e Não Conformidades RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE SUMARÉ PRESTADOR: DAE DEPARTAMENTO DE ÁGUA E ESGOTO Relatório R3 Continuação do Diagnóstico e Não Conformidades Americana,

Leia mais

Sumário. 1 Características da propriedade 2 1.1 - Cobertura vegetal 2. 1.2 Hidrografia 2. 1.3 Topografia 2. 1.4 - Área de reserva florestal legal 3

Sumário. 1 Características da propriedade 2 1.1 - Cobertura vegetal 2. 1.2 Hidrografia 2. 1.3 Topografia 2. 1.4 - Área de reserva florestal legal 3 Sumário Pág. 1 Características da propriedade 2 1.1 - Cobertura vegetal 2 1.2 Hidrografia 2 1.3 Topografia 2 1.4 - Área de reserva florestal legal 3 1.5 Acesso 3 2 Objetivo Geral 4 3 Metodologia 5 3.1

Leia mais

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Sistema Condominial de Esgotamento Sanitário Elmo Locatelli Ltda PAC/BNDES BACIA D-E Vila Olinda Parque Universitário Sinalização ao longo das

Leia mais

RELATÓRIO (outubro à dezembro)

RELATÓRIO (outubro à dezembro) RELATÓRIO (outubro à dezembro) Dando continuidade aos serviços de manutenção e conservação do condomínio, observa-se o proveito dos resultados dos esforços de toda a equipe de colaboradores, através da

Leia mais

SISTEMA ALTERNATIVO DE TRATAMENTO DE ESGOTO Tanque séptico e Filtro Anaeróbio com fluxo ascendente EMEI Princesinha

SISTEMA ALTERNATIVO DE TRATAMENTO DE ESGOTO Tanque séptico e Filtro Anaeróbio com fluxo ascendente EMEI Princesinha SISTEMA ALTERNATIVO DE TRATAMENTO DE ESGOTO Tanque séptico e Filtro Anaeróbio com fluxo ascendente EMEI Princesinha Carazinho, RS, 30 de junho de 2014. APRESENTAÇÃO OBRA: Tanque Séptico Escola Municipal

Leia mais

SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ESGOTOS SANITÁRIOS PROJETO, IMPLANTAÇÃO E OPERAÇÃO DA ETE - ROTEIRO DO ESTUDO

SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ESGOTOS SANITÁRIOS PROJETO, IMPLANTAÇÃO E OPERAÇÃO DA ETE - ROTEIRO DO ESTUDO SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ESGOTOS SANITÁRIOS PROJETO, IMPLANTAÇÃO E OPERAÇÃO DA ETE - ROTEIRO DO ESTUDO Projetos de interceptor, emissário por gravidade, estação elevatória de esgoto e linha de recalque,

Leia mais

ESTUDO SOBRE O PLANO INTEGRADO DE MELHORIA AMBIENTAL NA ÁREA DE MANANCIAIS DA REPRESA BILLINGS Relatório Final

ESTUDO SOBRE O PLANO INTEGRADO DE MELHORIA AMBIENTAL NA ÁREA DE MANANCIAIS DA REPRESA BILLINGS Relatório Final 32 PROJETO DE EXECUÇÃO DAS OBRAS 32.1 Cronograma de execução e estimativa do custo das obras (1) Cronograma de execução O cronograma de execução da obra, tal como apresentado na Figura 32.1.1, terá início

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS Drenagem de Bacias SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS PROGRAMA Nº - 035 Garantir a captação e drenagem das bacias hidrográficas; Eliminar pontos de alagamento junto a córregos e canais; Proteger as margens

Leia mais

Câmara Municipal de Volta Redonda RJ PROGRAMA Nº - 195

Câmara Municipal de Volta Redonda RJ PROGRAMA Nº - 195 Câmara Municipal de Volta Redonda RJ PROGRAMA Nº - 195 Manutenção e Operacionalização da Administração SUB-FUNÇÃO: 122 ADMINISTRAÇÃO GERAL Prover o SAAE de recursos materiais e humanos para o bom desenvolvimento

Leia mais

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTOS DE ITAPIRA

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTOS DE ITAPIRA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO PARA LOTEAMENTOS URBANOS 1 DO OBJETIVO A presente Norma estabelece os requisitos mínimos a serem obedecidos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS - UFPEL CENTRO DE ENGENHARIAS - CENG DISCIPLINA: SISTEMAS URBANOS DE ÁGUA E ESGOTO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS - UFPEL CENTRO DE ENGENHARIAS - CENG DISCIPLINA: SISTEMAS URBANOS DE ÁGUA E ESGOTO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS - UFPEL CENTRO DE ENGENHARIAS - CENG DISCIPLINA: SISTEMAS URBANOS DE ÁGUA E ESGOTO SISTEMAS DE ESGOTO SANITÁRIO Prof. Hugo Alexandre Soares Guedes E-mail: hugo.guedes@ufpel.edu.br

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE PROGRAMA Nº- 148

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE PROGRAMA Nº- 148 PROGRAMA Nº- 148 GESTÃO E CONTROLE DE PERDAS FUNÇÃO: 17 SANEAMENTO SUB-FUNÇÃO: 512 SANEAMENTO BÁSICO URBANO - Reduzir perdas de água reais e aparentes; reduzir os custos de exploração, produção e distribuição

Leia mais

RESOLUÇÃO ARES-PCJ Nº 75, DE 14 DE JANEIRO DE 2015

RESOLUÇÃO ARES-PCJ Nº 75, DE 14 DE JANEIRO DE 2015 RESOLUÇÃO ARES-PCJ Nº 75, DE 14 DE JANEIRO DE 2015 Dispõe sobre a revisão tarifária dos serviços de abastecimento de água tratada, esgotamento sanitário e demais preços públicos a ser aplicado no Município

Leia mais

PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO AMBIENTAL DA REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA

PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO AMBIENTAL DA REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO AMBIENTAL DA REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA Diretoria de Tecnologia, Empreendimentos e Meio Ambiente - T Sistema Produtor de Água Mambu - Branco REUNIÃO DO COMITÊ TÉCNICO

Leia mais

(VERSÃO ORIGINAL COM EXCLUSÃO DE NOMES E IMAGENS DE PESSOAS)

(VERSÃO ORIGINAL COM EXCLUSÃO DE NOMES E IMAGENS DE PESSOAS) PCAI Programa de Controle Ambiental Intrínseco SÍTIO BELO MONTE (VERSÃO ORIGINAL COM EXCLUSÃO DE NOMES E IMAGENS DE PESSOAS) Foto 01: Aterro do acesso interno (próximo à nova central de britagem): Neste

Leia mais

Manual de Construção: Fossa ECOLÓGICA E Sumidouro

Manual de Construção: Fossa ECOLÓGICA E Sumidouro Manual de Construção: Fossa ECOLÓGICA E Sumidouro Introdução Este manual destina a fornecer informações sobre a construção e dimensionamento do sistema individual de tratamento de esgotos, especialmente

Leia mais

RELATÓRIO DE PROJETOS DE INVESTIMENTOS 2º TRIMESTRE DE 2009

RELATÓRIO DE PROJETOS DE INVESTIMENTOS 2º TRIMESTRE DE 2009 PSBJ- Programa de Saneamento da Barra da Tijuca, Jacarepaguá e Recreio dos Bandeirantes RELATÓRIO DE PROJETOS DE INVESTIMENTOS 2º TRIMESTRE DE 2009 As obras (tanto as concluídas quanto as em andamento)

Leia mais

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E/OU ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE EMPREENDIMENTOS

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E/OU ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE EMPREENDIMENTOS DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E/OU ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE EMPREENDIMENTOS ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. PROCEDIMENTOS... 3 3. APRESENTAÇÃO DOS PROJETOS...

Leia mais

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Sistema Condominial de Esgotamento Sanitário Elmo LocatelliLtda PAC/OGU BACIA LUZ D AYARA Sinalização das ruas onde serão realizadas as escavações

Leia mais

Protegida pelas últimas ramificações da Serra da Mantiqueira, em pleno vale do Rio Camanducaia.

Protegida pelas últimas ramificações da Serra da Mantiqueira, em pleno vale do Rio Camanducaia. MONTEALEGRE ALEGRE DO MONTE DOSUL SUL Protegida pelas últimas ramificações da Serra da Mantiqueira, em pleno vale do Rio Camanducaia. MONTE ALEGRE DO SUL Área 110,306 km² População (estimativa para 2014)

Leia mais

CONCORRENCIA INTERNACIONAL 001/2013 PPP SERRA

CONCORRENCIA INTERNACIONAL 001/2013 PPP SERRA CONCORRENCIA INTERNACIONAL 001/2013 PPP SERRA RELAÇÃO DOS PROCESSOS PROTOCOLADOS NO INSTITUTO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE ENCAMINHANDO OS FORMULÁRIOS INTEGRADOS DE CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO DAS SEGUINTES

Leia mais

A seguir, far-se-á a descrição das unidades operacionais dos referidos sistemas:

A seguir, far-se-á a descrição das unidades operacionais dos referidos sistemas: 3.4 MURIAÉ Projeto Preparatório para o Gerenciamento dos Recursos Hídricos do Paraíba do Sul Os sistemas de abastecimento de água e de esgotamento sanitário da cidade de Muriaé são operados e mantidos

Leia mais

REGISTRO DE ATIVIDADES DO PROCESSO (RAP)

REGISTRO DE ATIVIDADES DO PROCESSO (RAP) REGIONAIS 5.9.8.1 Executar rotina geral de manutenção da ETE REGIONAIS 5.9.8.2 Executar a manutenção geral das elevatórias das ETEs REGIONAIS 5.9.8.3 Executar a manutenção dos conjuntos motobombas Executar

Leia mais

Gráfico 1 Gráfico indicador GRMD ISP13 fonte: RG disponíveis no site do PNQS

Gráfico 1 Gráfico indicador GRMD ISP13 fonte: RG disponíveis no site do PNQS ORGANOGRAMA A. A OPORTUNIDADE A.1 Qual foi a oportunidade de melhoria de gestão (problema, desafio, dificuldade), solucionada pela prática de gestão implementada? Desde 1999, a OC utiliza o Modelo de Excelência

Leia mais

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Sistema Condominial de Esgotamento Sanitário Elmo Locatelli Ltda PAC/BNDES BACIA D-E Parque Universitário BACIA I Coletor Vila Goulart 300 mm Instalações

Leia mais

SISTEMA COMPACTO DE TRATAMENTO DE EFLUENTES SANITÁRIOS

SISTEMA COMPACTO DE TRATAMENTO DE EFLUENTES SANITÁRIOS SISTEMA COMPACTO DE TRATAMENTO DE EFLUENTES SANITÁRIOS ETE 600L 2 Cuidando do Meio Ambiente Anderson Müller Larrymar Ruoso Memorial Descritivo, Justificativa, Memória de Cálculo e Procedimentos de Operação

Leia mais

MANUAL DO CONSTRUTOR

MANUAL DO CONSTRUTOR 1. SOLICITAÇÕES PARA INÍCIO DA OBRA 01 jogo do projeto de arquitetura aprovado; Autorização para Construção emitida pelo CONDOMÍNIO RESIDENCIAL JARDINS COIMBRA. 2. IMPLANTAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRA 2.1 Fechamento

Leia mais

Sistema de Esgoto. Materiais das Tubulações. Profª Gersina Nobre

Sistema de Esgoto. Materiais das Tubulações. Profª Gersina Nobre Sistema de Esgoto Materiais das Tubulações Profª Gersina Nobre Materiais das tubulações Fatores que devem ser observados na escolha: Resistência a cargas externas; Resistência a abrasão e a ataque químico;

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DO SISTEMA DE TRATAMENTO DE ESGOTOS - 2011

RELATÓRIO ANUAL DO SISTEMA DE TRATAMENTO DE ESGOTOS - 2011 RELATÓRIO ANUAL DO SISTEMA DE TRATAMENTO DE ESGOTOS - 2011 INTRODUÇÃO: O objetivo deste relatório é apresentar os resultados, do ano de 2011, de qualidade dos efluentes da estação de tratamento de esgotos

Leia mais

3.3 CATAGUASES. Quanto ao sistema de esgotamento sanitário, a responsabilidade pela sua operação e manutenção cabe a Prefeitura local.

3.3 CATAGUASES. Quanto ao sistema de esgotamento sanitário, a responsabilidade pela sua operação e manutenção cabe a Prefeitura local. Da caixa de areia a água chega às quatro câmaras onde estão interligadas as tubulações de sucção das bombas, essas unidades de bombeamento são em número de quatro, cada uma com capacidade de recalque de

Leia mais

Copasa obtém resultados eficientes no tratamento de esgoto em Serro

Copasa obtém resultados eficientes no tratamento de esgoto em Serro Copasa obtém resultados eficientes no tratamento de esgoto em Serro Inaugurada há pouco mais de 3 anos, Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) garante melhorias na qualidade da água do córrego Lucas, que

Leia mais

3.9 VISCONDE DE RIO BRANCO

3.9 VISCONDE DE RIO BRANCO 3.9 VISCONDE DE RIO BRANCO Projeto Preparatório para o Gerenciamento dos Recursos Hídricos do Paraíba do Sul Em Visconde de Rio Branco, o sistema público de abastecimento de água é operado e mantido pela

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA INÍCIO DE OBRA

ORIENTAÇÕES PARA INÍCIO DE OBRA ORIENTAÇÕES PARA INÍCIO DE OBRA Associação Alphaville Salvador Residencial 1 PROCEDIMENTOS PARA INÍCIO DE OBRA 1. Entregar uma cópia do jogo de Plantas Aprovadas pela Prefeitura Municipal de Salvador e

Leia mais

3.5 SANTOS DUMONT. Quanto ao sistema de esgotamento sanitário, sua operação e manutenção cabe a Prefeitura local, através da Secretaria de Obras.

3.5 SANTOS DUMONT. Quanto ao sistema de esgotamento sanitário, sua operação e manutenção cabe a Prefeitura local, através da Secretaria de Obras. Esta unidade compõe-se de três conjuntos moto-bombas idênticos, dos quais dois operam em paralelo, ficando o terceiro como unidade de reserva e/ou rodízio. Estão associados, cada um, a um motor elétrico

Leia mais

Opersan Resíduos Industriais Sociedade Ltda. 3º Prêmio FIESP de Conservação e Reuso de Água

Opersan Resíduos Industriais Sociedade Ltda. 3º Prêmio FIESP de Conservação e Reuso de Água Opersan Resíduos Industriais Sociedade Ltda. 3º Prêmio FIESP de Conservação e Reuso de Água Projeto de Reuso de Água Eng. Juliano Saltorato Fevereiro 2008 1) Identificação da Empresa: Endereço completo

Leia mais

Planilha de Supervisão do PAC no Canteiro de Obras da UHE Santo Antônio

Planilha de Supervisão do PAC no Canteiro de Obras da UHE Santo Antônio 1.0 Portaria 1.1 Limpeza da área 1.2 Destinação dos resíduos 1.3 Efluente 2.0 Paiol 2.1 Limpeza da área 2.2 Destinação dos resíduos 3.0 Aterro sanitário 3.1 Organização da área 3.2 Pátio de estoque Acúmulo

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. 2. SERVIÇOS PRELIMINARES Limpeza, Barracão de Obra e Placa de Obra 2.1. LIMPEZA DA ÁREA DE INTERVENÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO. 2. SERVIÇOS PRELIMINARES Limpeza, Barracão de Obra e Placa de Obra 2.1. LIMPEZA DA ÁREA DE INTERVENÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO 1. INFORMAÇÕES GERAIS Obra: Intervenção nos Canteiros Centrais da Avenida Santa Luzia Segunda Etapa. Endereço: Avenida Santa Luzia Área de Intervenção: 4758,52 m² 2. SERVIÇOS PRELIMINARES

Leia mais

O sistema ora descrito apresenta as seguintes unidades operacionais: O sistema conta com dois mananciais, ambos com captações superficiais:

O sistema ora descrito apresenta as seguintes unidades operacionais: O sistema conta com dois mananciais, ambos com captações superficiais: 3.8 SÃO JOÃO NEPOMUCENO Projeto Preparatório para o Gerenciamento dos Recursos Hídricos do Paraíba do Sul A Companhia de Saneamento de Minas Gerais - COPASA, é o órgão responsável pela operação e manutenção

Leia mais

Coleta e Transporte de Esgoto Sanitário

Coleta e Transporte de Esgoto Sanitário Coleta e Transporte de Esgoto Sanitário Giovana Martinelli da Silva Ricardo Franci Gonçalves Universidade Federal do Espírito Santo Índice Evolução Histórica Definição Objetivos Tipos de Sistemas Componentes

Leia mais

CAPÍTULO 3: ESGOTO SANITÁRIO

CAPÍTULO 3: ESGOTO SANITÁRIO CAPÍTULO 3: ESGOTO SANITÁRIO 155 1. Infraestrutura de Esgotamento Sanitário do município de Vinhedo 1.1. ETE Pinheirinho O município de Vinhedo conta com uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) denominada

Leia mais

VIII EXPOSIÇÃO DE EXPERIÊNCIAS MUNICIPAIS EM SANEAMENTO

VIII EXPOSIÇÃO DE EXPERIÊNCIAS MUNICIPAIS EM SANEAMENTO ASSEMAE VIII EXPOSIÇÃO DE EXPERIÊNCIAS MUNICIPAIS EM SANEAMENTO Título do trabalho O SEMASA E O TRATAMENTO DE ESGOTO NA CIDADE DE SANTO ANDRÉ Nome do Autor ISABEL CRISTINA ALEIXO DIAS CURRÍCULO DO AUTOR

Leia mais

Fundação SOS Mata Atlântica. Relatório Programa Florestas do Futuro Parceria Química Amparo / Ypê.

Fundação SOS Mata Atlântica. Relatório Programa Florestas do Futuro Parceria Química Amparo / Ypê. Fundação SOS Mata Atlântica Relatório Programa Florestas do Futuro Parceria Química Amparo / Ypê. Itu SP / novembro de 2014 1. Introdução. O aumento da preocupação social com o destino dos fragmentos florestais

Leia mais

Gerenciamento e Tratamento de Águas Residuárias - GTAR

Gerenciamento e Tratamento de Águas Residuárias - GTAR Gerenciamento e Tratamento de Águas Residuárias - GTAR Segunda 15 às 17h IC III sala 16 Turma: 2015/1 Profª. Larissa Bertoldi larabertoldi@gmail.com Aula de hoje.. Tratamento Preliminar Gradeamento Desarenador

Leia mais

LIGAÇÃO COMERCIAL OU INDUSTRIAL DE ESGOTO

LIGAÇÃO COMERCIAL OU INDUSTRIAL DE ESGOTO LIGAÇÃO COMERCIAL OU INDUSTRIAL DE ESGOTO Padronização da caixa de amostragem industrial e/ou comercial de efluentes. 1. Localização e infra estrutura da caixa de amostragem de efluentes: 1.1 Esta caixa

Leia mais

Check list e Avaliação. Orientações para preenchimento do Formulário de Inspeção/Vistoria e Subsídios para Avaliação do Sistema

Check list e Avaliação. Orientações para preenchimento do Formulário de Inspeção/Vistoria e Subsídios para Avaliação do Sistema SISTEMA DE ESGOTO ESTÁTICO Check list e Avaliação Orientações para preenchimento do Formulário de Inspeção/Vistoria e Subsídios para Avaliação do Sistema Belo Horizonte, Outubro de 2008 SISTEMA DE ESGOTO

Leia mais

Laudo de Vistoria Ambiental ÁREA DE ESTUDO

Laudo de Vistoria Ambiental ÁREA DE ESTUDO Laudo de Vistoria Ambiental I Identificação da Propriedade: Associação Condomínio Parque Primavera CNPJ 60.549.656/0001-90 Rua Eurico Gaspar Dutra 255 - Carapicuíba CEP 06342-200 ÁREA DE ESTUDO II Característica

Leia mais

COPASA Day 2011. 24 e 25 de novembro

COPASA Day 2011. 24 e 25 de novembro COPASA Day 2011 24 e 25 de novembro Benefícios do Tratamento de Esgoto Despoluição dos córregos e rios; Eliminação do mau cheiro; Meio ambiente limpo, recuperado e preservado; Diminuição da presença de

Leia mais

TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA. Nº. 016/ 2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013

TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA. Nº. 016/ 2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013 TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA Nº. 016/ 2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013 S Capacitação de Técnicos e Gestores para Elaboração do Plano Municipal de Saneamento Básico Módulo I Sistema de Esgotamento Sanitário

Leia mais

ESGOTAMENTO ESPECIFICAÇÕES OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2

ESGOTAMENTO ESPECIFICAÇÕES OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2 1/7 SUMÁRIO OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2 01 ESGOTAMENTO COM BOMBAS... 3 02 REBAIXAMENTO DE LENÇOL FREÁTICO COM PONTEIRAS FILTRANTES... 3 03 REBAIXAMENTO DE LENÇOL

Leia mais

MANUAL DO CONSTRUTOR

MANUAL DO CONSTRUTOR 1. SOLICITAÇÕES PARA INÍCIO DA OBRA 01 jogo do projeto de arquitetura aprovado; Autorização para Construção emitida pela Associação Jardins Ibiza. 2. IMPLANTAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRA 2.1 Fechamento do canteiro

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 01/2011. x Obras e Instalações Prestação de Serviços INFORMAÇÕES

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 01/2011. x Obras e Instalações Prestação de Serviços INFORMAÇÕES TERMO DE REFERÊNCIA Nº 01/2011 Projeto: FORTALECIMENTO DO PARQUE ESTADUAL DA PEDRA BRANCA - PEPB: OBRAS DE RECUPERAÇÃO E AQUISIÇÃO DE MOBILIÁRIO E EQUIPAMENTOS Protocolo nº: 20110302174043107 Assunto:

Leia mais

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO Estação Elevatória de Esgoto

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO Estação Elevatória de Esgoto DETALHES CONSTRUTIVOS OBJETIVO Este documento tem como objetivo definir diretrizes para projetos de Estações Elevatórias de Esgoto. CLASSIFICAÇÃO DAS EEE POR PORTE As EEE são classificadas, segundo seu

Leia mais

Relatório de Atividade Técnicas de Restauração Florestal PROGRAMA PLANTE BONITO. Operadora Ambiental Expedições

Relatório de Atividade Técnicas de Restauração Florestal PROGRAMA PLANTE BONITO. Operadora Ambiental Expedições Relatório de Atividade Técnicas de Restauração Florestal PROGRAMA PLANTE BONITO Operadora Ambiental Expedições 1. Objetivo Este relatório tem o objetivo de fornecer informações e imagens, referentes ao

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE LOTEAMENTO URBANO

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE LOTEAMENTO URBANO SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO GUANHÃES MG INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE LOTEAMENTO URBANO SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO

Leia mais

LAUDO DE CARACTERIZAÇÃO AMBIENTAL

LAUDO DE CARACTERIZAÇÃO AMBIENTAL LAUDO DE CARACTERIZAÇÃO AMBIENTAL INTERESSADO: IMOBILIÁRIA PARQUE BRASIL LTDA DENOMINAÇÃO: LOTEAMENTO RESIDENCIAL VILA REAL FINALIDADE: LAUDO TÉCNICO PARA CUMPRIMENTO DA LEI MUNICIPAL 4.123 DE 04/05/2007

Leia mais

Manual Irrigabras para obras de infra-estrutura

Manual Irrigabras para obras de infra-estrutura Manual Irrigabras para obras de infra-estrutura Índice 1. Obras de infra-estrutura... 2 2. Base de concreto do Pivô... 2 3. Base de concreto da motobomba... 3 4. Casa de bombas... 4 5. Valeta da adutora...

Leia mais

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO RF / DSB / 02/2012

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO RF / DSB / 02/2012 AGERSA - Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Cachoeiro de Itapemirim RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO RF / DSB / 02/2012 Sistema de Esgotamento Sanitário SES de Córrego dos Monos

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO SUBSTITUIÇÃO DA COBERTURA DA CASA DE PASSAGEM DO MUNICÍPIO DE CAÇADOR

MEMORIAL DESCRITIVO SUBSTITUIÇÃO DA COBERTURA DA CASA DE PASSAGEM DO MUNICÍPIO DE CAÇADOR MEMORIAL DESCRITIVO SUBSTITUIÇÃO DA COBERTURA DA CASA DE PASSAGEM DO MUNICÍPIO DE CAÇADOR 1 SUMÁRIO SUMÁRIO 2 MEMORIAL DESCRITIVO 3 I. DADOS FÍSICOS LEGAIS 3 II. DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 3 III. SERVIÇOS

Leia mais

7.815,15 3.0 SERVIÇOS TÉCNICOS 3.1 Locação de valas com nivelamento m 8.186,62 0,75 1,19 1,94 15.882,04

7.815,15 3.0 SERVIÇOS TÉCNICOS 3.1 Locação de valas com nivelamento m 8.186,62 0,75 1,19 1,94 15.882,04 PREFEITURA MUNICIPAL DE ALMIRANTE TAMANDARÉ DO SUL / RS SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO Planilia Orçamentária da Obra Sede do Município de Almirante Tamandaré do Sul / RS TC/PAC 0567 - FUNASA REDE COLETORA

Leia mais

SHS0402 - Instalações Hidráulicas e Sanitárias

SHS0402 - Instalações Hidráulicas e Sanitárias SHS0402 - Instalações Hidráulicas e Sanitárias Fossas sépticas e disposição final dos efluentes Francisco Glaucio Cavalcante de Souza Doutorando em Engenharia Hidráulica e Saneamento Introdução O que fazer

Leia mais

O sistema ora descrito apresenta as seguintes unidades operacionais:

O sistema ora descrito apresenta as seguintes unidades operacionais: A elevatória apresenta três conjuntos moto-bombas (Foto 3), dos quais dois operam em paralelo, ficando um de reserva, cada um associado a um motor elétrico de 150 cv de potência e recalcando uma vazão

Leia mais

Apresentação da Metodologia da Conferência

Apresentação da Metodologia da Conferência Apresentação da Metodologia da Conferência Objetivos das Conferências? são espaços de diálogo entre o governo e a população Instrumentos de participação popular na construção e acompanhamento de políticas

Leia mais

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Sistema Condominial de Esgotamento Sanitário Elmo Locatelli Ltda PAC/OGU BACIA LUZ D AYARA Coletor Luz D ayara 500 mm Execução de Poços de Visita

Leia mais

LAUDO PERICIAL. São quesitos a serem respondidos ao Ministério Público de Minas Gerais, ofício Nº 136 / 2007, de 17 de Abril de 2007:

LAUDO PERICIAL. São quesitos a serem respondidos ao Ministério Público de Minas Gerais, ofício Nº 136 / 2007, de 17 de Abril de 2007: LAUDO PERICIAL A Empresa Universalis Consultoria, Projetos e Serviços Ltda, atendendo solicitação da Prefeitura Municipal de Timóteo, Secretaria Municipal de Obras e Habitação / Divisão de Meio Ambiente,

Leia mais

TÍTULO: VISTORIAS TÉCNICAS DAS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAS SANITÁRIAS

TÍTULO: VISTORIAS TÉCNICAS DAS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAS SANITÁRIAS TÍTULO: VISTORIAS TÉCNICAS DAS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAS SANITÁRIAS Autores: Rita de Cássia Junqueira: Cargo atual: Tecnóloga Sanitarista Formação: Tecnologia Sanitária Universidade de Campinas -

Leia mais

ETE do Baldo - Natal/RN

ETE do Baldo - Natal/RN ETE do Baldo - Natal/RN A Estação de Tratamento de Esgoto do Sistema Central de Natal, localizada no bairro do Baldo, na rua Capitão Silveira Barreto S/N, constitui-se num investimento de aproximadamente

Leia mais

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Sistema Condominial de Esgotamento Sanitário Elmo Locatelli Ltda PAC/OGU BACIA LUZ D AYARA Coletor Luz D ayara 500 mm Escavações das valas, acompanhando

Leia mais

RESIDENCIAL SANTA MONICA MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I

RESIDENCIAL SANTA MONICA MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I RESIDENCIAL SANTA MONICA MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I CONTRATO N.º ANEXO I MEMORIAL DESCRITIVO DO RESIDENCIAL SANTA MÔNICA A INFRAESTRUTURA DE IMPLANTAÇÃO DO LOTEAMENTO RESIDENCIAL SANTA MONICA OBEDECERÁ

Leia mais

DIRETRIZES DO CADASTRO TÉCNICO DE REDES DE ESGOTOS SANITÁRIOS

DIRETRIZES DO CADASTRO TÉCNICO DE REDES DE ESGOTOS SANITÁRIOS DIRETRIZES DO CADASTRO TÉCNICO DE REDES DE ESGOTOS SANITÁRIOS 1. OBJETIVO Esta Diretriz fixa as condições exigíveis na elaboração de plantas e relatórios detalhados do cadastro de redes de coleta de esgoto,

Leia mais

NORMA TÉCNICA INSTRUÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE SISTEMAS DE TRATAMENTO DE EFLUENTES LÍQUIDOS CPRH N 2.005

NORMA TÉCNICA INSTRUÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE SISTEMAS DE TRATAMENTO DE EFLUENTES LÍQUIDOS CPRH N 2.005 NORMA TÉCNICA INSTRUÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE SISTEMAS DE TRATAMENTO DE EFLUENTES LÍQUIDOS CPRH N 2.005 SUMÁRIO 1. OBJETIVO 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 3. DEFINIÇÕES 4. CONDIÇÕES GERAIS 5. INFORMAÇÕES

Leia mais

II-338 PLANO DE MELHORIA OPERACIONAL DO SISTEMA INTEGRADO DOS COLETORES TRONCO DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO

II-338 PLANO DE MELHORIA OPERACIONAL DO SISTEMA INTEGRADO DOS COLETORES TRONCO DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO II-338 PLANO DE MELHORIA OPERACIONAL DO SISTEMA INTEGRADO DOS COLETORES TRONCO DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Antônio Simões Teixeira Filho (1) Engenheiro Civil / Sanitarista pela Pontifícia Universidade

Leia mais

III - disciplinar a implantação adequada e o funcionamento dos sistemas de coleta, tratamento e disposição de esgotos sanitários;

III - disciplinar a implantação adequada e o funcionamento dos sistemas de coleta, tratamento e disposição de esgotos sanitários; PROJETO DE: EMENDA À LEI ORGÂNICA LEI COMPLEMENTAR LEI ORDINÁRIA RESOLUÇÃO NORMATIVA DECRETO LEGISLATIVO ( X ) Nº /2013 AUTOR/SIGNATÁRIO: Ver. GILBERTO PAIXÃO EMENTA: Dispõe sobre os serviços e obras para

Leia mais

Construção da Rede Coletora de Esgoto. Profª Gersina N.R.C. Junior

Construção da Rede Coletora de Esgoto. Profª Gersina N.R.C. Junior Construção da Rede Coletora de Esgoto Profª Gersina N.R.C. Junior Instalação da Rede Coletora de Esgoto Assentamento do Coletor Transportar os tubos da superfície do terreno para o fundo da vala, que em

Leia mais

Banco de Boas Práticas Ambientais: Cases de. Antônio Malard FEAM 09/06/2015

Banco de Boas Práticas Ambientais: Cases de. Antônio Malard FEAM 09/06/2015 Banco de Boas Práticas Ambientais: Cases de Reuso de Água Antônio Malard FEAM 09/06/2015 Sumário Legislações de Reuso; Consumo de Água na Indústria; Experiências de Sucesso: Banco de Boas Práticas Ambientais;

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO HIDRO-SANITÁRIO

MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO HIDRO-SANITÁRIO MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO HIDRO-SANITÁRIO OBRA: UNIDADE DE ACOLHIMENTO ADULTO PREFEITURA MUNICIPAL DE SOBRAL ENDEREÇO: Rua Dinamarca, S/N Sobral - Ceará PROJETO: HIDRO-SANITÁRIO E ÁGUAS PLUVIAIS

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO MANUAL DE INSTALAÇÃO Os equipamentos do Kit Chuva atendem as exigências da norma NBR 15527: Água de chuva - Aproveitamento de coberturas em áreas urbanas para fins não potáveis Requisitos. KIT CHUVA Filtro

Leia mais

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Sistema Condominial de Esgotamento Sanitário Elmo Locatelli Ltda. PAC/BNDES BACIA A, BACIA C e BACIA D-E Jardim Rui Barbosa Vila Planalto Vila

Leia mais

SISTEMA COMPACTO DE TRATAMENTO DE ESGOTO SANITÁRIO EM PLÁSTICO REFORÇADO /COMPÓSITO TUCUNARÉ 32000 TUCUNARÉ 32000

SISTEMA COMPACTO DE TRATAMENTO DE ESGOTO SANITÁRIO EM PLÁSTICO REFORÇADO /COMPÓSITO TUCUNARÉ 32000 TUCUNARÉ 32000 SISTEMA COMPACTO DE TRATAMENTO DE ESGOTO SANITÁRIO EM PLÁSTICO REFORÇADO /COMPÓSITO TUCUNARÉ 32000 EEA Empresa de Engenharia Ambiental Ltda. OWENS CORNING AMÉRICA LATINA RIO CLARO-SP Cuidando do Meio Ambiente

Leia mais

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Sistema Condominial de Esgotamento Sanitário Elmo Locatelli Ltda PAC/BNDES BACIA D-E Vila Olinda Instalações dos dispositivos de sinalização para

Leia mais

PROJETO HIDROSSANITÁRIO

PROJETO HIDROSSANITÁRIO PROJETO HIDROSSANITÁRIO Ampliação Comercial 1/10. PROJETO HIDROSSANITÁRIO CLIENTE : Rosangela Slomp Obra : Ampliação Comercial Endereço: Rua Dr. Mauricio Cardoso Hamburgo Velho Novo Hamburgo - RS Área

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA COORDENADORIA DE MANUTENÇÃO LISTA DE VERIFICAÇÕES SERVIÇOS PREVENTIVOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA COORDENADORIA DE MANUTENÇÃO LISTA DE VERIFICAÇÕES SERVIÇOS PREVENTIVOS LOCAL: SETOR/ENDEREÇO: PERÍODO: RESPONSÁVEL PELAS INFORMAÇÕES: LISTA DE VERIFICAÇÕES SERVIÇOS PREVENTIVOS SISTEMAS HIDROSSANITÁRIOS PERÍODICIDADE SERVIÇOS PREVENTIVOS STATUS SEMANA 01 DIÁRIO Verificação

Leia mais

Esgotamento Sanitário

Esgotamento Sanitário CAPÍTULO 14 Esgotamento Sanitário Impacto socioambiental das práticas de esgotamento sanitário 14. 1 Soluções de esgotamento sanitário 14. 2 Modelo de gestão para o saneamento integrado 14. 3 245 14. 1

Leia mais

RHS CONTROLS Recursos Hídricos e Saneamento Ltda

RHS CONTROLS Recursos Hídricos e Saneamento Ltda A laje sanitária do poço está em boas condições atendendo a padronização do DAEE. O funcionamento do poço P5 ocorre com timer, no período entre 5:00 e 22:00 horas. Assim, deve-se instalar um sistema de

Leia mais