Call Centers Regime Jurídico

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Call Centers Regime Jurídico"

Transcrição

1 Junho 2009 Call Centers Regime Jurídico I. DESTAQUES Call Centers - Regime jurídico aplicável à prestação de serviços de promoção, informação e apoio aos consumidores, através de call centers Decreto-Lei n.º 134/2009, D.R. n.º 106, Série I de Ministério da Economia e Inovação (i) Âmbito de aplicação Com a publicação do Decreto-Lei n.º 134/2009, de 2 de Junho, com entrada em vigor no dia 2 de Dezembro de 2009, as empresas e todos os profissionais que coloquem à disposição do consumidor um centro de relacionamento telefónico terão de se adaptar, até à data da entrada em vigor do diploma, a novas regras, de forma a que possam prestar este tipo de serviços salvaguardando os direitos dos consumidores e dos utentes. O novo regime jurídico aplica-se a todas as empresas privadas que disponibilizam um serviço de call center, mas também às entidades públicas que prestem serviços essenciais, tais como: os serviços de fornecimento de água, energia eléctrica, gás natural, comunicações electrónicas, recolha e tratamento de águas residuais e de gestão de resíduos sólidos urbanos. (ii) Regras Gerais Com a regulamentação da actividade dos call centers, existem determinadas regras que deverão agora ser respeitadas pelas empresas. Em suma: o call center deve possuir números de telefone exclusivos para acesso dos consumidores, bem como meios técnicos e humanos adequados ao cumprimento das suas funções. Os serviços do call center deverão funcionar, pelo menos, num número de horas pré-estabelecido em período diurno e também disponibilizar atendimento personalizado. O horário não se encontra estipulado na lei, pelo que será o horário estabelecido pela empresa responsável pelo call center. De salientar ainda, a obrigação de os números de telefone do serviço e do horário de funcionamento deverem constar, de forma bem visível, dos materiais de suporte de todas as comunicações. 1

2 (iii) Atendimento Em relação ao atendimento de chamadas, importa realçar o facto de o atendimento ser processado por ordem de entrada das chamadas. Adicionalmente, uma vez atendida a chamada, o período de espera em linha não poderá ser superior a 60 segundos. Se existir um menu electrónico, o período de 60 segundos conta-se a partir da escolha pelo consumidor da opção de contacto com o profissional. Caso não seja possível o atendimento da chamada dentro do período de 60 segundos, deverá ser disponibilizada uma forma de o consumidor deixar o seu contacto e indicar a finalidade da chamada, devendo, neste caso, o profissional responder no prazo máximo de 2 dias úteis. Quando o atendimento for efectuado através de menu electrónico, este não poderá conter mais de 5 opções iniciais, sendo obrigatoriamente uma delas a opção de contacto com o profissional. E quando se trate de um serviço de atendimento relativo a serviços de execução continuada ou periódica, uma das opções deverá ser relativa ao cancelamento do serv iço. (iv) Emissão de chamadas As chamadas dirigidas aos consumidores devem ser efectuadas entre as 9 e as 22 horas, devendo o operador identificar-se logo após o atendimento, bem como identificar o profissional em nome de quem actue e a finalidade do contacto. Se o consumidor expressar a vontade de não prosseguir a chamada, esta deve ser desligada com urbanidade. (v) Prestação de informação A informação que é prestada ao consumidor deve ser clara e objectiva, e sempre de acordo com os princípios da legalidade, boa-fé, transparência, eficiência, eficácia, celeridade e cordialidade. As questões que forem colocadas pelo consumidor devem ser respondidas de imediato ou, não sendo possível, no prazo máximo de 3 dias úteis, salvo motivo devidamente justificado. (vi) Registo de Chamadas As empresas deverão manter o histórico do atendimento até à resolução da questão suscitada pelo consumidor, bem como proceder à gravação das chamadas efectuadas e à sua conservação pelo prazo mínimo de 90 dias, excepto se as chamadas forem de conteúdo meramente informativo. As regras relativas à definição dos elementos que devem constar do registo histórico das chamadas e ao tratamento a dar aos dados pessoais, serão publicadas em Portaria do membro do Governo responsável pela área da defesa do consumidor. (vii) Práticas proibidas 2

3 O legislador elenca ainda as práticas que considera expressamente proib i- das neste tipo de serviço: o reencaminhamento da chamada para outros números que impliquem um custo adicional para o consumidor (excepto se por este expressamente autorizado), a emissão de qualquer publicidade durante o período de espera no atendimento e o registo em bases de dados do número de telefone utilizado pelo consumidor para efectuar a ligação telefónica. (viii) Fiscalização A violação das regras referidas em (ii), (iii), (iv), (v), (vi) e (vii) são pun í- veis com coimas de 500,00 Euros a ,00 Euros, para as pessoas colectivas e de 250,00 Euros a 3.740,00 Euros para as pessoas singulares. II. BREVES DE LEGISLAÇÃO Constituição Imediata de Associações Portaria n.º 580/2009, D.R. n.º 106, I Série de Ministério da Justiça Alarga às conservatórias do Registo Comercial de Aljezur, Bombarral, Cantanhede, Moimenta da Beira, Serpa, Sertã, Murça, Vila Flor e da Trofa, e ainda ao Cartório Notarial de Competência Especializada de Matosinhos, Porto, Castelo Branco e Viseu a competência para a tramitação do regime especial de constituição imediata de associações. Registo das entidades certificadoras que emitem certificados qualificados previsto no regime jurídico dos documentos electrónicos e da assinatura digital Portaria n.º 597/2009, D.R. n.º 108, Série I de Presidência do Conselho de Ministros As entidades certificadoras que emitem certificados qualificados, no âmbito do regime jurídico aplicável aos documentos electrónicos e da assinatura digital, devem registar-se junto da Autoridade Nacional de Segurança, a qual, por sua vez, organiza e mantém um registo no respectivo sítio da internet que garanta a publicidade das informações relativas às entidades certificadoras. Regime jurídico do acesso à actividade e ao mercado dos transportes rodoviários de mercadorias Decreto-Lei n.º 136/2009, D.R. n.º 109, Série I de Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações 3

4 Procede à segunda alteração ao Decreto-Lei n.º 257/2007, de 16 de Julho, aplicável ao regime jurídico do acesso à actividade e ao mercado dos transportes rodoviários de mercadorias, por meio de veículos com peso bruto igual ou superior a 2500 kg, e regula as operações de cabotagem em território nacional. Esta alteração visa adaptar o regime jurídico do acesso à actividade e ao mercado do transporte rodoviário de mercadorias por conta de outrem. Licença internacional de condução Portaria n.º 630/2009, D.R. n.º 110, Série I de Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações A presente Portaria estabelece as condições de emissão da licença internacional de condução prevista na Convenção Internacional sobre Trânsito Rodoviário, a qual pode ser solicitada ao Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres, I.P. e ao Automóvel Clube de Portugal. A licença internacional de condução, utilizável no espaço económico europeu, poderá também ser utilizada em países que não tenham adoptado o modelo de carta de condução constante da referida Convenção. O período de validade máximo da licença internacional de condução é de um ano, a contar da data em que foi emitida, e encontra-se subordinada à validade da carta de condução, que serviu de base para a respectiva emissão. Código de Conduta a adoptar pelas empresas de animação turística e dos operadores marítimo-turísticos que exerçam actividades reconhecidas como turismo de natureza e o logótipo que os identifica Portaria n.º 651/2009, D.R. n.º 112, Série I de Ministérios do Ambiente, do Ordenamento do Território e do Desenvolvimento Regional e da Economia e da Inovação Com a entrada em vigor do Decreto-Lei n.º 108/2009, de 15 de Maio, que estabelece o regime jurídico das empresas de animação turística e dos operadores marítimo-turísticos, estas empresas para obterem o reconhecimento das suas actividades como turismo de natureza têm de apresentar o respectivo pedido no Turismo de Portugal, I.P. Ora, um dos documentos que instrui este pedido é uma declaração de ad e- são formal a um Código de Conduta, o qual é agora publicado na presente Portaria. É igualmente publicado nesta portaria o logótipo que identifica as empresas cujas actividades são reconhecidas como turismo de natureza. 4

5 Certificação por via electrónica de micro, pequena e média empresa e permite aferir o estatuto de PME de qualquer empresa Decreto-Lei n.º 143/2009, D.R. n.º 114, Série I de Ministério da Economia e da Inovação É publicada a primeira alteração ao Decreto-Lei n.º 372/2007, de 6 de Novembro, que cria a certificação por via electrónica de micro, pequena e média empresa e permite aferir o estatuto de PME de qualquer empresa, de acordo com a definição e critérios previstos na Recomendação n.º 2003/361/CE, da Comissão Europeia, de 6 de Maio. Esta alteração tem por objectivo facilitar e acelerar o tratamento administrativo dos procedimentos de certificação, de forma a responder às legítimas expectativas manifestadas pelas empresas abrangidas pela certificação electrónica. III. JURISPRUDÊNCIA Contrato de Agência Acórdão do Supremo Tribunal de Justiça, de 4 de Junho de 2009, publicado em Processo: 08B0984 Sumário: 1. A actividade do agente é em abstracto apta a proporcionar ganhos ao principal, não só enquanto vigora o contrato de agência, mas também depois da sua cessação. 2. Esse ganho posterior à cessação do contrato tanto pode resultar de contratos preparados ou negociados pelo agente, mas concluídos depois, como de contratos negociados e celebrados depois da cessação, mas com clientela angariada ou desenvolvida pelo agente. 3. No primeiro caso, o agente tem direito ao pagamento de uma comissão; no segundo, à indemnização de clientela, posto que se verifiquem os requisitos cumulativamente exigidos pelo n.º 1 do artigo 33.º do Decreto-Lei n.º 178/86, de 3 de Julho. 4. Para calcular o montante da indemnização de clientela, há que realizar uma projecção para o futuro dos resultados da actividade desenvolvida pelo agente na vigência do contrato, que consiga demonstrar a verosimilhança da ocorrência de benefícios, combinado essa projecção com os benefícios já conhecidos quando a indemnização é reclamada. 5

6 5. Para que se possa considerar que o benefício assim projectado é considerável, tem de ser significativo, não só do ponto de vista do principal, mas também dentro do contexto do contrato de agência em concreto. 6. A função da indemnização de clientela não é indemnizar o agente pelos lucros cessantes (perda das comissões), mas fazê-lo beneficiar dos ganhos que o principal vai provavelmente auferir, após o termo do contrato, por virtude da actividade do agente. Resolução do Contrato Acórdão do Supremo Tribunal de Justiça, de 18 de Junho de 2009, publicado em Processo: 3676/04.6TBLRA.C1. S1 1. O artigo 432.º do Código Civil, depois de no seu n.º 1 consagrar expressamente a figura da resolução do contrato fundada na lei ou em convenção, dispõe no seu n.º 2 que a parte que, por circunstâncias não imputáveis ao outro contraente, não estiver em condições de restituir o que houver recebido, não tem o direito de resolver o contrato. As circunstâncias imputáveis à outra parte são as determinantes directamente da falta de condições de restituição do que houver sido recebido pelo contraente interessado na resolução e não as que remotamente com ela se conexionem. 2. Como foi a Autora que alienou o objecto que havia comprado (a viatura de que tratam os autos) e foi essa alienação que determinou a impossibilidade da sua restituição à sociedade vendedora, inviabilizada se mostra a possibilidade de resolução do contrato, face ao disposto no sobredito artigo 432.º, n.º 2 do Código Civil. 3. Assim, a tese defendida pela Recorrente de que o facto de ter alienado (vendido) a referida viatura não poderá obstar à resolução do contrato, operando a restituição do valor correspondente à parte do bem vendido, não procede! Tal só seria possível se a Ré, que vendeu aquela viatura à ora Recorrente, aceitasse esse sucedâneo pecuniário em lugar do próprio objecto do contrato. 4. A ratio da norma do artigo 432, n.º 2 do Código Civil é de cristalina transparência, visando evitar que algum possa ser coagido a receber, na sequência de um contrato em que interveio como parte e cuja resolução vem pedida, uma prestação diversa daquela que prestou. 5. Destarte, a restituição a que se refere o citado inciso legal é uma re s- tutio in natura, só sendo possível a entrega do valor pecuniário correspondente se, em caso de impossibilidade de restituição em espécie, se verificar acordo entre os sujeitos da relação contratual, em homenagem ao reconhecido e proclamado princípio jusprivatístico da auto- 6

7 nomia da vontade, de que emerge, como corolário, o da liberdade contratual nas suas vertentes de liberdade de negociação e liberdade de estipulação. Contactos LISBOA Praça Marquês de Pombal, 2 (e 1-8º) Lisboa Tel. (351) Fax (351) PORTO Avenida da Boavista, º Porto Tel. (351) Fax (351) CUATRECASAS, GONÇALVES PEREIRA & ASSOCIADOS, RL Sociedade de Advogados de Responsabilidade Limitada A presente Newsletter foi elaborada pela Cuatrecasas, Gonçalves Pereira & Associados, RL com fins exclusivamente informativos, não devendo ser entendida como forma de publicidade. A informação disponibilizada bem como as opiniões aqui expressas são de carácter geral e não subst i- tuem, em caso algum, o aconselhamento jurídico para a resolução de casos concretos, não assumindo a Cuatrecasas, Gonçalves Pereira & Associados, RL qualquer responsabilidade por danos que possam decorrer da utilização da referida informação. O acesso ao conteúdo desta newsletter não implica a constituição de qualquer tipo de vínculo ou relação entre advogado e cliente ou a constituição de qualquer tipo de relação jurídica. A presente newsletter é gratuita e a sua distribuição é de carácter reservado, encontrando-se vedada a sua reprodução ou circulação não expressamente autorizadas. 7

8 June 2009 Call Centres Legal Framework I. HIGHLIGHTS Call Centres Legal Framework of the provision of promotion, information and customer support services through call centres Decree-Law No 134/2009, D.R. (Portuguese Official Gazette) No 106, Series I of Ministry of Economy and Innovation (i) Scope of application Upon the publication of Decree-Law No 134/2009 of 2 June, to come into effect on 2 December 2009, all companies and professionals providing consumers with call centre services will have to conform to new rules until the effective date of the said Decree-Law, in order to be able to provide this type of service while safeguarding the rights of consumers and users. The new legal framework applies to all private undertakings that provide call centre services but also to public entities that provide essential services such as: water, electricity, natural gas and electronic communications supply as well as collection and treatment of waste water and municipal solid waste management services. (ii) General Rules The regulation of the activity of call centres introduced certain rules that will now have to be observed by undertakings. In brief: call centres should be equipped with exclusive telephone numbers for consumers to call as well as with the technical and human resources suitable to the performance of its duties. The call centre services shall operate, at least, during a pre-defined number of hours during the day and also provide personalised attention. The hours of operation are not set out in the law and therefore the same must be established by the undertaking responsible for the call centre. Also noteworthy is the obligation to visibly display the service s telephone numbers and the hours of operation on the communications equipment. 8

9 (iii) Call taking With regard to call taking, it should be highlighted that incoming calls are answered in the order they are received. Also, once a call has been answered, the waiting period cannot exceed 60 seconds. If an electronic list of options is available, the 60 seconds period is counted from the moment the consumer has chosen a contact option. Where a call cannot be taken within this 60 seconds period, the consumer must be able to leave his contact and state the purpose of the call, in which case, the professional shall reply within no more than 2 working days. Where the call is taken through the electronic list of options, the latter cannot have more than 5 initial options and one of those options shall ne c- essarily be direct contact with a professional. Where the service provided is a continuous or regular service, one of the options must be the cancellation of the service. (iv) Outgoing calls Calls to consumers shall be made between 9 am and 10 pm; the call centre officers should identify themselves immediately and also identify the professional on whose behalf they are calling and the purpose of the call. Where the consumer expresses the intention to terminate the call, the call should be terminated politely. (v) Provision of information The information provided to the consumer should be clear and objective and should always comply with the principles of legality, good faith, transparency, efficiency, speed and politeness. The questions made by the consumer should be replied immediately or, where this is not possible, within no more than 3 working days, unless there is a duly justified reason. (vi) Calls Record Undertakings shall keep a list of the calls taken until the question raised by the consumer is resolved and should also ensure that calls made are recorded and stored for at least 90 days, unless the calls is merely for information purposes. The rules that establish the information to be included in the list of calls and those relating to the treatment of the personal data, shall be published in a ministerial order of the member of the Government in charge of the consumer protection area. 9

10 (vii) Prohibited practices The legislature includes a list of the practices it considers to be expressly prohibited in this type of service: the forwarding of calls to other number that involve additional cost to the consumer (unless with the consumer s expressed consent), advertising during the call s waiting period and the inclusion of the telephone number used by the consumer to make in a data base. (viii) Supervision The breach of the rules referred to in (ii), (iii), (iv), (v), (vi) and (vii) are punishable by a fine from EUR to EUR 44, Euros for legal persons and from EUR to EUR 3, for natural persons. II. LEGISLATION HIGHLIGHTS Immediate Incorporation of Associations Ministerial Order No 580/2009, D.R. (Portuguese Official Gazette) No 106, I Series of Ministry of Justice Extends to the offices of the Registo Comercial (Company registry) of Aljezur, Bombarral, Cantanhede, Moimenta da Beira, Serpa, Sertã, Murça, Vila Flor and Trofa and to the Cartório Notarial de Competência Especializada (Specialized notary s office) of Matosinhos, Porto, Castelo Branco and Viseu the powers to handle the special procedure for the immediate incorporation of associations. Registration of certification entities that issue qualified certificates, provided for in the legal framework of electronic documents and digital signature Ministerial Order No 597/2009, D.R. (Portuguese Official Gazette) No 108, Series I of Presidency of the Council of Ministers Certification entities that issue qualified certificates under the legal framework of electronic documents and digital signature should be registered with Autoridade Nacional de Segurança (Portuguese safety authority), which, in turn, organizes and keeps a record on its internet site, ensuring that the information concerning those entities are made public. Legal framework of the taking up of the activity and access to the market of road freight transport Decree-Law No 136/2009, D.R. (Portuguese Official Gazette) No 109, Series I of Ministry of Public Works, Transport and Communications 10

11 Amending for the second time Decree-Law No 257/2007 of 16 July, applicable to the legal framework of the taking up of the activity and access to the market of road freight transport with vehicles with a gross weight of 2,500 kg or more and governing cabotage operations on national territory. This amendment aims to adapt the legal Framework of the taking up of the activity and access to the market of road freight transport as employee. International driving permit Ministerial Order No 630/2009, D.R. (Portuguese Official Gazette) No 110, Series I of Ministry of Public Works, Transport and Communications This ministerial order sets out the conditions for the issue of the international driving permit referred to in the Convention on Road Traffic, which may be applied for from Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres, I.P. (mobility and land transport institute) and from the Automóvel Clube de Portugal. The international driving permit may be used in the European Economic Area and may also be used in countries that have not adopted the standard driving permit referred to in the Convention. The maximum period of validity of the international driving permit is one year from the date of issue and such validity is subject to the validity of the driving permit based on which it was issued. Code of Conduct on tourism entertainment companies and sea tourism operators engaged in activities recognized as nature tourism and on the identifying logo Ministerial Order No 651/2009, D.R. (Portuguese Official Gazette) No 112, Series I of Ministry for Environment, Land Use Planning and Regional Development and Ministry of Economy and Innovation Further to the coming into effect of Decree-Law No 108/2009 of 15 May setting out the legal framework of tourism entertainment companies and sea tourism operators, these companies and operators should submit an application to Turismo de Portugal, I.P (Portuguese tourism institute) in order to be recognized as companies engaged in nature tourism. One of the documents to be attached to the application is a statement of the formal subscription of a Code of Conduct, published with this Ministerial Order. Also published with this Ministerial Order is the logotype identifying the companies whose activities are recognized as nature tourism. 11

12 Electronic certification of micro, small and medium enterprises, enabling to establish the SME status of any company Decree-Law No 143/2009, D.R. (Portuguese Official Gazette) No 114, Series I of Ministry of Economy and Innovation Publishing the first amendment made to Decree-Law No 372/2007 of 6 November, which creates the electronic certification of micro, small and medium enterprises and enables to establish the SME status of any company, within the meaning of and in accordance with the criteria set out in Commission Recommendation 2003/361/EC of 6 May. The purpose of this amendment is to make the administrative processing of certification procedures easier and faster, so as to meet the legitimate expectations expressed by the undertakings concerned by the electronic certification. III. CASE LAW Agency Contract Judgment of the Supreme Court of Justice of 4 June 2009, published in Case: 08B0984 Summary: 1. The agent s activity is, in abstract, capable of bringing profit to the principal, not only while the agency contract is in force but also after its termination. 2. The profit made after the termination of the contract may arise either from contracts prepared or negotiated by the agent, albeit concluded later, or from contracts negotiated and concluded after termination with costumers acquired by the agent or with whom the agent liaised. 3. In the first case, the agent is entitled to a commission; in the second case, he is entitled to goodwill compensation, provided all the requirements set out in Article 33(1) of Decree-Law No 178/86 of 3 July are met. 4. The calculation of the amount of the goodwill compensation requires a forward projection of the results of the activity carried on by the agent while the contract was in force, which should demonstrate the likelihood that there would be benefits, combined with the benefits already known at the time compensation is claimed. 5. The benefit shown in the forward projection can only be regarded as considerable if the same is significant not only from the point of view 12

13 of the principal but also in the context of the specific agency contract under consideration. 6. The purpose of the goodwill compensation is not to compensate the agent for the loss of profit (loss of commission) but rather to enable him to benefit from the profit that the principal will possibly make after the termination of the contract, as a result of the work carried out by the agent. Termination of Contract Judgment of the Supreme Court of Justice of 18 June 2009, published in Case: 3676/04.6 TBLRA.C1.S1 1. Article 432(1) of the Portuguese Civil Code addresses the termination of contract based on the law or a contract; Article 432(2) provides that the party that, for circumstances not imputable to the other party, is unable to return what it has already received, is not entitled to terminate the contract. The circumstances imputable to the other party are those that directly determine the inability of the party seeking the termination to return what it has already received and not those that are remotely associated with such inability. 2. Considering that it was the Plaintiff that disposed of the object it had bought (the vehicle referred to in the records) and that the disposal made the restitution to the seller company impossible, it is not possible to terminate the contract, in light of the provisions of Article 432(2) of the Civil Code referred to above. 3. Therefore, the argument of the Appellant that the fact that it had disposed of (sold) the vehicle does not preclude the termination of the contract and that termination can occur with the restitution of a sum corresponding to the part of the item sold is unfounded! Such would only be possible if the Defendant, which sold the vehicle to the party that is now the Appellant, accepted that sum of money in lieu of the object of the contract. 4. The rationale underlying the rule of Article 432(2) of the Civil code is absolutely clear and it seeks to avoid that a person may be forced to accept, under a contract to which he was a party a consideration that is different from the one he tendered when the termination of that contract is sought. 5. Thus, the restitution to which the Article refers is a restitutio in natura and the delivery of the corresponding monetary value is only possible where, should the restitution in kind not be possible, the parties to the contract so agree, in accordance with the recognized and established private law principle of free will, from which the corollary of 13

14 the freedom of contract arises under the form of freedom of negotiation and freedom to establish the contract s clauses. Contact LISBOA Praça Marquês de Pombal, 2 (e 1-8º) Lisboa Tel. (351) Fax (351) PORTO Avenida da Boavista, º Porto Tel. (351) Fax (351) CUATRECASAS, GONÇALVES PEREIRA & ASSOCIADOS, RL Sociedade de Advogados de Responsabilidade Limitada This Newsletter was prepared by Cuatrecasas, Gonçalves Pereira & Associados, RL for information purposes only and should not be understood as a form of advertising. The information provided and the opinions herein expressed are of a general nature and should not, under any circumstances, be a replacement for adequate legal advice for the resolution of specific cases. Therefore Cuatrecasas, Gonçalves Pereira & Associados, RL is not liable for any possible damages caused by its use. The access to the information provided in this newsletter does not imply the establishment of a lawyerclient relation or of any other sort of legal relationship. This Newsletter is complimentary and the copy or circulation of the same without previous formal authorization is prohibited. 14

REGIME JURÍDICO APLICÁVEL AOS CALL CENTERS

REGIME JURÍDICO APLICÁVEL AOS CALL CENTERS TMT N.º 2 /2009 MAIO/JUNHO 2009 REGIME JURÍDICO APLICÁVEL AOS CALL CENTERS Foi publicado no passado dia 2 de Junho o Decreto-Lei nº 134/2009 que veio estabelecer o regime jurídico aplicável à prestação

Leia mais

Interface between IP limitations and contracts

Interface between IP limitations and contracts Interface between IP limitations and contracts Global Congress on Intellectual Property and the Public Interest Copyright Exceptions Workshop December 16, 9-12:30 Denis Borges Barbosa The issue Clause

Leia mais

Perguntas & Respostas

Perguntas & Respostas Perguntas & Respostas 17 de Abril de 2008 Versão Portuguesa 1. O que é uma Certidão Permanente?...4 2. Como posso ter acesso a uma Certidão Permanente?...4 3. Onde posso pedir uma Certidão Permanente?...4

Leia mais

ANÚNCIO DE LANÇAMENTO DE OFERTA PÚBLICA DE TROCA DE OBRIGAÇÕES PELO BANIF BANCO INTERNACIONAL DO FUNCHAL, S.A. ( BANIF )

ANÚNCIO DE LANÇAMENTO DE OFERTA PÚBLICA DE TROCA DE OBRIGAÇÕES PELO BANIF BANCO INTERNACIONAL DO FUNCHAL, S.A. ( BANIF ) Banif Banco Internacional do Funchal, S.A. Sede Social: Rua de João Tavira, n.º 30, 9004-509 Funchal, Portugal Capital Social: 780.000.000 Euros Matriculado na Conservatória do Registo Comercial do Funchal

Leia mais

Technical Information

Technical Information Subject Ballast Water Management Plan To whom it may concern Technical Information No. TEC-0648 Date 14 February 2006 In relation to ballast water management plans, we would advise you that according to

Leia mais

4º Trimestre de 2009. I. Destaque. Tratamento de dados decorrentes da gravação de chamadas princípios aplicáveis

4º Trimestre de 2009. I. Destaque. Tratamento de dados decorrentes da gravação de chamadas princípios aplicáveis 4º Trimestre de 2009 I. Destaque Tratamento de dados decorrentes da gravação de chamadas princípios aplicáveis A Comissão Nacional de Protecção de Dados (CNPD) aprovou, no passado dia 9 de Novembro de

Leia mais

75, 8.º DTO 1250-068 LISBOA

75, 8.º DTO 1250-068 LISBOA EAbrief: Medida de incentivo ao emprego mediante o reembolso da taxa social única EAbrief: Employment incentive measure through the unique social rate reimbursement Portaria n.º 229/2012, de 03 de Agosto

Leia mais

INTERNATIONAL CRIMINAL COURT. Article 98 TREATIES AND OTHER INTERNATIONAL ACTS SERIES 04-1119

INTERNATIONAL CRIMINAL COURT. Article 98 TREATIES AND OTHER INTERNATIONAL ACTS SERIES 04-1119 TREATIES AND OTHER INTERNATIONAL ACTS SERIES 04-1119 INTERNATIONAL CRIMINAL COURT Article 98 Agreement between the UNITED STATES OF AMERICA and CAPE VERDE Signed at Washington April 16, 2004 NOTE BY THE

Leia mais

Consultoria em Direito do Trabalho

Consultoria em Direito do Trabalho Consultoria em Direito do Trabalho A Consultoria em Direito do Trabalho desenvolvida pelo Escritório Vernalha Guimarães & Pereira Advogados compreende dois serviços distintos: consultoria preventiva (o

Leia mais

CERTIFICADO DE GERENCIAMENTO DA SEGURANÇA

CERTIFICADO DE GERENCIAMENTO DA SEGURANÇA Certificado Nº ANEXO CERTIFICADO DE GERENCIAMENTO DA SEGURANÇA Expedido de acordo com as disposições da Convenção Internacional para Salvaguarda da Vida Humana no Mar, 1974, como emendada, (daqui em diante

Leia mais

MEMORANDUM OF UNDERSTANDING BETWEEN THE COMPETENT AUTHORITIES OF THE PORTUGUESE REPUBLIC AND THE GOVERNMENT OF JERSEY

MEMORANDUM OF UNDERSTANDING BETWEEN THE COMPETENT AUTHORITIES OF THE PORTUGUESE REPUBLIC AND THE GOVERNMENT OF JERSEY MEMORANDUM OF UNDERSTANDING BETWEEN THE COMPETENT AUTHORITIES OF THE PORTUGUESE REPUBLIC AND THE GOVERNMENT OF JERSEY The Competent Authorities of the Portuguese Republic and the Government of Jersey in

Leia mais

CARLA ALEXANDRA SEVES DE ANDRADE CANOTILHO

CARLA ALEXANDRA SEVES DE ANDRADE CANOTILHO Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico da Guarda R E L AT Ó R I O D E AT I V I D A D E P R O F I S S I O N A L N A J. V A R G A S - G A B I N E T E T É C N I C O D E G E S T Ã O E

Leia mais

HOW DO YOU BECOME A LAWYER IN BRAZIL?

HOW DO YOU BECOME A LAWYER IN BRAZIL? HOW DO YOU BECOME A LAWYER IN BRAZIL? Doing Business in Brazil: Pathways to Success, Innovation and Access under the Legal Framework Keynote Speaker: Mr. José Ricardo de Bastos Martins Partner of Peixoto

Leia mais

NEWSLETTER I FISCAL. NEWSLETTER FISCAL I Novembro, 2014. I Legislação Nacional 2. II Instruções Administrativas 3. III Jurisprudência Europeia 5

NEWSLETTER I FISCAL. NEWSLETTER FISCAL I Novembro, 2014. I Legislação Nacional 2. II Instruções Administrativas 3. III Jurisprudência Europeia 5 NEWSLETTER I FISCAL NEWSLETTER FISCAL I Novembro, 2014 I Legislação Nacional 2 II Instruções Administrativas 3 III Jurisprudência Europeia 5 IV Jurisprudência Nacional 6 V Outras informações 7 NEWSLETTER

Leia mais

** PESSOA SINGULAR ** 1. SE OPTAR POR EFETUAR O DESPACHO DIRETAMENTE JUNTO DA AUTORIDADE TRIBUTÁRIA E ADUANEIRA ALFÂNDEGA

** PESSOA SINGULAR ** 1. SE OPTAR POR EFETUAR O DESPACHO DIRETAMENTE JUNTO DA AUTORIDADE TRIBUTÁRIA E ADUANEIRA ALFÂNDEGA ** PESSOA SINGULAR ** 1. SE OPTAR POR EFETUAR O DESPACHO DIRETAMENTE JUNTO DA AUTORIDADE TRIBUTÁRIA E ADUANEIRA ALFÂNDEGA Se é uma Pessoa Singular, e quer optar por efetuar o despacho diretamente junto

Leia mais

A Direção-Geral do Território disponibiliza aos seus clientes diversas modalidades de pagamento:

A Direção-Geral do Território disponibiliza aos seus clientes diversas modalidades de pagamento: Modalidades de Pagamento A disponibiliza aos seus clientes diversas modalidades de pagamento: Estações de CTT Cheque por Correio Depósito Bancário Transferência Bancária Balcão 'Loja da DGT' Estações dos

Leia mais

PROGRAM FOR 3 DAYS in Faial and S. Jorge Islands, Azores

PROGRAM FOR 3 DAYS in Faial and S. Jorge Islands, Azores PROGRAM FOR 3 DAYS in Faial and S. Jorge Islands, Azores THIS PROGRAM AIMS TO TOAST OUR CUSTOMERS WITH THE OPPORTUNITY TO DISCOVER AND EXPLORE THE FAIAL AND S. JORGE ISLANDS. WE HAVE A WIDE RANGE OF CULTURAL

Leia mais

Com os nossos cumprimentos/ Best Regards, Espanha e Associados, RL

Com os nossos cumprimentos/ Best Regards, Espanha e Associados, RL Decreto-Lei n.º 222/2009, de 11 de Setembro estabelece medidas de protecção do consumidor nos contratos de seguro de vida associados ao crédito à habitação: Em acréscimo aos deveres de informação que já

Leia mais

INSTRUÇÕES INSTRUCTIONS

INSTRUÇÕES INSTRUCTIONS INSTRUÇÕES INSTRUCTIONS DOCUMENTAÇÃO A APRESENTAR PELOS CANDIDATOS PARA AVALIAÇÃO Os candidatos devem apresentar para avaliação da candidatura a seguinte documentação: a) Prova da nacionalidade (BI, passaporte.);

Leia mais

Best Corporate and Commercial Team in Portugal World Finance Legal Awards 2008

Best Corporate and Commercial Team in Portugal World Finance Legal Awards 2008 Best Corporate and Commercial Team in Portugal World Finance Legal Awards 2008 Portuguese Tax Firm of the Year - 2007 International Tax Review European Awards Newsletter Direito Público Português English

Leia mais

RINAVE EMBARCAÇÕES DE RECREIO CERTIFICADAS NO ÂMBITO DA DIR 94/25/CE CERTIFIED RECREATIONAL CRAFT IN THE SCOPE OF DIR 94/24/EC

RINAVE EMBARCAÇÕES DE RECREIO CERTIFICADAS NO ÂMBITO DA DIR 94/25/CE CERTIFIED RECREATIONAL CRAFT IN THE SCOPE OF DIR 94/24/EC RINAVE EMBARCAÇÕES DE RECREIO CERTIFICADAS NO ÂMBITO DA DIR 94/25/CE CERTIFIED RECREATIONAL CRAFT IN THE SCOPE OF DIR 94/24/EC OUTUBRO OCTOBER 2001 RINAVE Registro Internacional Naval, SA Estrada do Paço

Leia mais

Legislar melhor : os Estados -membros devem empenhar-se em aplicar efectivamente o direito comunitário

Legislar melhor : os Estados -membros devem empenhar-se em aplicar efectivamente o direito comunitário IP/97/133 Bruxelas, 26 de Novembro de 1997 Legislar melhor : os Estados -membros devem empenhar-se em aplicar efectivamente o direito comunitário A Comissão Europeia adoptou o seu relatório anual sobre

Leia mais

Vantagem de Adesão AMERICAN SOCIETY OF PLASTIC SURGEONS Como se Tornar um Membro Internacional:

Vantagem de Adesão AMERICAN SOCIETY OF PLASTIC SURGEONS Como se Tornar um Membro Internacional: Vantagem de Adesão AMERICAN SOCIETY OF PLASTIC SURGEONS Como se Tornar um Membro Internacional: Se você está ativamente envolvido na prática da Cirurgia Plástica ou Reconstrutiva por menos de três (3)

Leia mais

Erasmus Student Work Placement

Erasmus Student Work Placement Erasmus Student Work Placement EMPLOYER INFORMATION Name of organisation Address Post code Country SPORT LISBOA E BENFICA AV. GENERAL NORTON DE MATOS, 1500-313 LISBOA PORTUGAL Telephone 21 721 95 09 Fax

Leia mais

USPTO No. 15143095 USPTO No. 15143095 USPTO No. 15143095 USPTO No. 15143095 USPTO No. 15143095 USPTO No. 15143095 USPTO No. 15143095 WORK PLAN FOR IMPLEMENTATION OF THE UNITED STATES PATENT AND

Leia mais

IN RE: GUARDIAN ADVOCATE OF/ REF: CURATELA ESPECIAL DE

IN RE: GUARDIAN ADVOCATE OF/ REF: CURATELA ESPECIAL DE IN THE CIRCUIT COURT FOR ORANGE COUNTY, FLORIDA PROBATE DIVISION IN RE: GUARDIAN ADVOCATE OF/ REF: CURATELA ESPECIAL DE Case No / N o do Caso: ANNUAL GUARDIAN ADVOCATE REPORT ANNUAL GUARDIAN ADVOCATE PLAN

Leia mais

2.º Trimestre de 2010. I. Destaque. Patentes de Software?

2.º Trimestre de 2010. I. Destaque. Patentes de Software? 2.º Trimestre de 2010 I. Destaque Patentes de Software? O tema das patentes de software, ou seja a possibilidade de conferir protecção jurídica aos programas de computador através de patente, é provavelmente

Leia mais

World wide web (www) site design services

World wide web (www) site design services World wide web (www) site design services Info Version 4 Url http://com.mercell.com/permalink/34789351.aspx External tender id 409350-2012 Tender type Contract Award Document type Contract award Procurement

Leia mais

Transação de Ações na sua Conta de Planos de Ações (Stock Plan Account)

Transação de Ações na sua Conta de Planos de Ações (Stock Plan Account) Transação de Ações na sua Conta de Planos de Ações (Stock Plan Account) Português - Portuguese Siga os passos que se seguem para vender as ações da sua empresa.* Antes de fazer a sua transação Recomendamos

Leia mais

A Aviação no Comércio Europeu de Licenças de Emissão Especificidades para pequenos emissores

A Aviação no Comércio Europeu de Licenças de Emissão Especificidades para pequenos emissores A Aviação no Comércio Europeu de Licenças de Emissão Especificidades para pequenos emissores Departamento de Alterações Climáticas, Ar e Ruído (DACAR) Divisão de Poluição Atmosférica e Alterações Climáticas

Leia mais

NORMAS PARA AUTORES. As normas a seguir descritas não dispensam a leitura do Regulamento da Revista Portuguesa de Marketing, disponível em www.rpm.pt.

NORMAS PARA AUTORES. As normas a seguir descritas não dispensam a leitura do Regulamento da Revista Portuguesa de Marketing, disponível em www.rpm.pt. NORMAS PARA AUTORES As normas a seguir descritas não dispensam a leitura do Regulamento da Revista Portuguesa de Marketing, disponível em www.rpm.pt. COPYRIGHT Um artigo submetido à Revista Portuguesa

Leia mais

BUSINESS TO WORLD COMPANHIA GLOBAL DO VAREJO

BUSINESS TO WORLD COMPANHIA GLOBAL DO VAREJO BUSINESS TO WORLD COMPANHIA GLOBAL DO VAREJO 4Q08 Results Conference Call Friday: March 13, 2008 Time: 12:00 p.m (Brazil) 11:00 a.m (US EDT) Phone: +1 (888) 700.0802 (USA) +1 (786) 924.6977 (other countries)

Leia mais

Normalização e interoperabilidade da informação geográfica

Normalização e interoperabilidade da informação geográfica Normalização e interoperabilidade da informação geográfica perspetivas para a formação em Engenharia Geográfica João Catalão Departamento de Engenharia Geográfica, Geofísica e Energia Faculdade de Ciências

Leia mais

Intellectual Property. IFAC Formatting Guidelines. Translated Handbooks

Intellectual Property. IFAC Formatting Guidelines. Translated Handbooks Intellectual Property IFAC Formatting Guidelines Translated Handbooks AUTHORIZED TRANSLATIONS OF HANDBOOKS PUBLISHED BY IFAC Formatting Guidelines for Use of Trademarks/Logos and Related Acknowledgements

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS COORDENADORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS International Relations Office

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS COORDENADORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS International Relations Office UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS COORDENADORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS International Relations Office FORMULÁRIO DE CANDIDATURA PARA ESTUDANTE DE INTERCÂMBIO EXCHANGE STUDENT APPLICATION FORM Semestre

Leia mais

Parte 1 Part 1. Mercado das Comunicações. na Economia Nacional (2006-2010)

Parte 1 Part 1. Mercado das Comunicações. na Economia Nacional (2006-2010) Parte 1 Part 1 Mercado das Comunicações na Economia Nacional (2006-2010) Communications Market in National Economy (2006/2010) Parte 1 Mercado das Comunicações na Economia Nacional (2006-2010) / Part 1

Leia mais

學 術 研 究 獎 學 金 申 請 表. Bolsas de Investigação Académica Boletim de Candidatura. Academic Research Grant Application Form

學 術 研 究 獎 學 金 申 請 表. Bolsas de Investigação Académica Boletim de Candidatura. Academic Research Grant Application Form 澳 門 特 別 行 政 區 政 府 Governo da Região Administrativa Especial de Macau 文 化 局 Instituto Cultural 學 術 研 究 獎 學 金 申 請 表 ( 根 據 學 術 研 究 獎 學 金 規 章 第 九 條 第 一 款 ) Bolsas de Investigação Académica Boletim de Candidatura

Leia mais

ESTRUTURA DE CAPITAL: UMA ANÁLISE EM EMPRESAS SEGURADORAS

ESTRUTURA DE CAPITAL: UMA ANÁLISE EM EMPRESAS SEGURADORAS ESTRUTURA DE CAPITAL: UMA ANÁLISE EM EMPRESAS SEGURADORAS THE CAPITAL STRUCTURE: AN ANALYSE ON INSURANCE COMPANIES FREDERIKE MONIKA BUDINER METTE MARCO ANTÔNIO DOS SANTOS MARTINS PAULA FERNANDA BUTZEN

Leia mais

NEWSLETTER I FISCAL. NEWSLETTER FISCAL I Setembro, 2013. I Legislação Nacional 2. II Instruções Administrativas 2. III Jurisprudência Europeia 5

NEWSLETTER I FISCAL. NEWSLETTER FISCAL I Setembro, 2013. I Legislação Nacional 2. II Instruções Administrativas 2. III Jurisprudência Europeia 5 NEWSLETTER I FISCAL NEWSLETTER FISCAL I Setembro, 2013 I Legislação Nacional 2 II Instruções Administrativas 2 III Jurisprudência Europeia 5 IV Jurisprudência Nacional 6 NEWSLETTER FISCAL I LEGISLAÇÃO

Leia mais

DevOps. Carlos Eduardo Buzeto (@_buzeto) IT Specialist IBM Software, Rational Agosto 2013. Accelerating Product and Service Innovation

DevOps. Carlos Eduardo Buzeto (@_buzeto) IT Specialist IBM Software, Rational Agosto 2013. Accelerating Product and Service Innovation DevOps Carlos Eduardo Buzeto (@_buzeto) IT Specialist IBM Software, Rational Agosto 2013 1 O desenvolvedor O mundo mágico de operações Como o desenvolvedor vê operações Como operações vê uma nova release

Leia mais

TUTORIA INTERCULTURAL NUM CLUBE DE PORTUGUÊS

TUTORIA INTERCULTURAL NUM CLUBE DE PORTUGUÊS UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE PSICOLOGIA E DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO TUTORIA INTERCULTURAL NUM CLUBE DE PORTUGUÊS SANDRA MARIA MORAIS VALENTE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO Área de

Leia mais

I SOCIETÁRIO LEGAL FLASH. LEGAL FLASH I 14 de AGOSTO, 2012

I SOCIETÁRIO LEGAL FLASH. LEGAL FLASH I 14 de AGOSTO, 2012 LEGAL FLASH I SOCIETÁRIO LEGAL FLASH I 14 de AGOSTO, 2012 Lei n.º 29/2012, de 9 de Agosto Novo Regime de Autorização de Residência para Estrangeiros Investidores 2 LEI N.º 29/2012 NOVO REGIME DE AUTORIZAÇÃO

Leia mais

ROAD TRANSPORT REGULATING AND ENFORCEMENT BODIES

ROAD TRANSPORT REGULATING AND ENFORCEMENT BODIES ROAD TRANSPORT REGULATING AND ENFORCEMENT BODIES PORTUGAL November 2014 Country: PORTUGAL Items to be controlled State police Local police Customs Control Ministry of Economy: Secretary of State of Infrastructures,

Leia mais

Lloyd s no brasil. 2 anos após a abertura do mercado de resseguros MARCO ANTONIO DE SIMAS CASTRO

Lloyd s no brasil. 2 anos após a abertura do mercado de resseguros MARCO ANTONIO DE SIMAS CASTRO Lloyd s no brasil 2 anos após a abertura do mercado de resseguros MARCO ANTONIO DE SIMAS CASTRO July 2010 Lloyd s no Brasil abril 2008: O Lloyd s foi o primeiro ressegurador a receber a licença da SUSEP,

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA COMISSÃO NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA NOS PORTOS, TERMINAIS E VIAS NAVEGÁVEIS - CONPORTOS

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA COMISSÃO NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA NOS PORTOS, TERMINAIS E VIAS NAVEGÁVEIS - CONPORTOS MINISTÉRIO DA JUSTIÇA COMISSÃO NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA NOS PORTOS, TERMINAIS E VIAS NAVEGÁVEIS - CONPORTOS RESOLUÇÃO Nº 33, DE 11 DE NOVEMBRO DE 2004. Dispõe sobre a concessão de Declaração de Proteção

Leia mais

APRESENTAÇÃO. ABNT CB-3 Comitê Brasileiro de Eletricidade Comissão de Estudo CE 03:064.01 Instalações Elétricas de Baixa Tensão NBR 5410

APRESENTAÇÃO. ABNT CB-3 Comitê Brasileiro de Eletricidade Comissão de Estudo CE 03:064.01 Instalações Elétricas de Baixa Tensão NBR 5410 APRESENTAÇÃO ABNT CB-3 Comitê Brasileiro de Eletricidade Comissão de Estudo CE 03:064.01 Instalações Elétricas de Baixa Tensão NBR 5410 Instalações elétricas de baixa tensão NBR 5410:1997 NBR 5410:2004

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA AGRICULTURA PROGRAMA DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO RURAL NAS PROVINCIAS DE MANICA E SOFALA - PADR

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA AGRICULTURA PROGRAMA DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO RURAL NAS PROVINCIAS DE MANICA E SOFALA - PADR REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA AGRICULTURA PROGRAMA DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO RURAL NAS PROVINCIAS DE MANICA E SOFALA - PADR Concurso com Previa Qualificação Convite para a Manifestação de Interesse

Leia mais

Current Nationality Passport Nº Emitido em aos: / / Valido até: / /

Current Nationality Passport Nº Emitido em aos: / / Valido até: / / REPÚBLICA DE ANGOLA REPUBLIC OF ANGOLA MISSÃO CONSULAR DE ANGOLA EM SINGAPURA CONSULAR MISSION OF ANGOLA IN SINGAPORE PEDIDO DE VISTO/VISA APPLICATION TRÂNSITO Transit CURTA DURAÇÃO Brief Duration TURISMO

Leia mais

Valente. Boa Tarde. Boa tarde

Valente. Boa Tarde. Boa tarde Valente De: Valente Enviado: 3 de junho de 201316:27 Para: '' Eu Lamento mas quem perde com toda esta situação vai ser a Media Markt e por acréscimo a vossa seguradora, porque

Leia mais

protect decorate communicate

protect decorate communicate protect decorate communicate Make your Brand Talk. O seu produto. Um smartphone. Uma digitalização. E eis que o seu cliente mergulha num universo cintilante de marcas. Recebe informações sobre produtos,

Leia mais

A. Situação / Situation

A. Situação / Situation A. Situação / Situation A Assembleia Mundial da Saúde (OMS) aprova em 1969 o Regulamento Sanitário Internacional, revisto pela quarta vez em 2005. Esta última versão entrou em vigor no plano internacional

Leia mais

U M O L H A R S O B R E... A R E A L I D A D E S O C I E T Á R I A P O R T U G U E S A

U M O L H A R S O B R E... A R E A L I D A D E S O C I E T Á R I A P O R T U G U E S A i U M O L H A R S O B R E... A R E A L I D A D E S O C I E T Á R I A P O R T U G U E S A INFORMAÇÃO GERAL TAX & BUSINESS This Tax Information is intended for general distribution to clients and colleagues

Leia mais

澳 門 國 際 龍 舟 賽. Regatas Internacionais de Barcos-Dragão de Macau Macau International Dragon Boat Races

澳 門 國 際 龍 舟 賽. Regatas Internacionais de Barcos-Dragão de Macau Macau International Dragon Boat Races 隊 伍 報 名 表 / Boletim de Inscrição de Equipa / Team Registration Form ( 截 止 遞 交 日 期 / Data de entrega até / To submit by 17:, 23/3/2) ( 每 一 項 目 請 填 寫 一 張 表 格./ Preencha um formulário para cada prova. / Please

Leia mais

Formulário para Visto Visa Application Form

Formulário para Visto Visa Application Form CONSULATE GENERAL OF INDIA São Paulo Brazil Av. Paulista, 925 7º Andar CEP 01311-100 São Paulo/SP Telefone: (11) 3171-0340 / Fax: (11) 3171-0342 www.indiaconsulate.org.br Formulário para Visto Visa Application

Leia mais

Decreto-Lei n.º 44-A/2010, de 5 Maio. Resolução do Conselho de Ministros n.º 39-A/2010, de 4 de Junho

Decreto-Lei n.º 44-A/2010, de 5 Maio. Resolução do Conselho de Ministros n.º 39-A/2010, de 4 de Junho 2.º Trimestre de 2010 I. BREVE DE LEGISLAÇÃO NACIONAL CONTRATAÇÃO PÚBLICA Decreto-Lei n.º 29/2010, de 1 de Abril O Decreto-Lei n.º 34/2009, de 6 de Fevereiro, aprovou um regime excepcional de contratação

Leia mais

CONCLUSÃO DO PROGRAMA DE SONDAGENS EM MALHA APERTADA NO PROJECTO DE OURO EM BOA FÉ REINÍCIO DA PERFURAÇÃO NO PROJETO DE TUNGSTENIO EM TABUAÇO

CONCLUSÃO DO PROGRAMA DE SONDAGENS EM MALHA APERTADA NO PROJECTO DE OURO EM BOA FÉ REINÍCIO DA PERFURAÇÃO NO PROJETO DE TUNGSTENIO EM TABUAÇO COMUNICADO À IMPRENSA 18 de Junho de 2014 GTP (TSX-V) P01 (FRANKFURT) COLTF - (OTCQX) CONCLUSÃO DO PROGRAMA DE SONDAGENS EM MALHA APERTADA NO PROJECTO DE OURO EM BOA FÉ REINÍCIO DA PERFURAÇÃO NO PROJETO

Leia mais

Norma Regulamentar n.º 12/2010-R, de 22 de Julho Instituto de Seguros de Portugal

Norma Regulamentar n.º 12/2010-R, de 22 de Julho Instituto de Seguros de Portugal Norma Regulamentar n.º 12/2010-R, de 22 de Julho Instituto de Seguros de Portugal O Instituto de Seguros de Portugal aprovou hoje a Norma Regulamentar n.º 12/2010 R, relativa à utilização de fundos de

Leia mais

SUPLEMENTO AO DIPLOMA DA UNIVERSIDADE DO MINHO (MESTRADO EM ENGENHARIA URBANA) (2º CICLO)

SUPLEMENTO AO DIPLOMA DA UNIVERSIDADE DO MINHO (MESTRADO EM ENGENHARIA URBANA) (2º CICLO) SUPLEMENTO AO DIPLOMA DA UNIVERSIDADE DO MINHO (MESTRADO EM ENGENHARIA URBANA) (2º CICLO) 1 Principal(ais) área(s) de estudo da qualificação: Engenharia Civil - Planeamento Urbanístico Engenharia Civil

Leia mais

COMITÊ DO ESPECTRO PARA RADIODIFUSÃO - CER SPECTRUM DAY 16.08.2011 A REVISÃO DA REGULAMENTAÇÃO DO USO DA FAIXA DE 3,5 GHZ UMA NECESSIDADE COMPROVADA.

COMITÊ DO ESPECTRO PARA RADIODIFUSÃO - CER SPECTRUM DAY 16.08.2011 A REVISÃO DA REGULAMENTAÇÃO DO USO DA FAIXA DE 3,5 GHZ UMA NECESSIDADE COMPROVADA. COMITÊ DO ESPECTRO PARA RADIODIFUSÃO - CER SPECTRUM DAY 16.08.2011 A REVISÃO DA REGULAMENTAÇÃO DO USO DA FAIXA DE 3,5 GHZ UMA NECESSIDADE COMPROVADA. PAULO RICARDO H. BALDUINO 0 Conteúdo 1. Introdução

Leia mais

Comércio Eletrônico e a proteção de dados pessoais do consumidor E-commerce and the protection of consumer's personal data

Comércio Eletrônico e a proteção de dados pessoais do consumidor E-commerce and the protection of consumer's personal data Comércio Eletrônico e a proteção de dados pessoais do consumidor E-commerce and the protection of consumer's personal data Seminário de Proteção à Privacidade e aos Dados Pessoais International Seminar

Leia mais

MT BOOKING SYSTEM BACKOFFICE. manual for management

MT BOOKING SYSTEM BACKOFFICE. manual for management MT BOOKING SYSTEM BACKOFFICE manual for management BACKOFFICE BACKOFFICE Últimas Reservas Latest Bookings 8 7 6 3 2 2 Configurações Configuration - pag. 3 Barcos Boats - pag.8 Pessoal Staff - pag.0 Agentes

Leia mais

SEGURANÇA DE INFRAESTRUTURAS CRÍTICAS NA PERSPETIVA DA RESILIÊNCIA E CONTINUIDADE DE NEGÓCIO

SEGURANÇA DE INFRAESTRUTURAS CRÍTICAS NA PERSPETIVA DA RESILIÊNCIA E CONTINUIDADE DE NEGÓCIO SEGURANÇA DE INFRAESTRUTURAS CRÍTICAS NA PERSPETIVA DA RESILIÊNCIA E CONTINUIDADE DE NEGÓCIO Cristina Alberto KPMG Advisory Consultores de Gestão, SA Agenda 1. Riscos Globais do Século XXI 2. Proteção

Leia mais

Guia de Preenchimento da Proposta de Adesão ao Plano de Saúde Claro Dental

Guia de Preenchimento da Proposta de Adesão ao Plano de Saúde Claro Dental Guia de Preenchimento da Proposta de Adesão ao Plano de Saúde Claro Dental Este documento vai auilia-lo(a) a realizar o correcto preenchimento do seu Plano de Saúde Dentário da Claro S.A. que é composto

Leia mais

ANGOLA Legislação cambial Setembro 2013

ANGOLA Legislação cambial Setembro 2013 ANGOLA Legislação cambial Setembro 2013 Alterações à legislação cambial angolana Operações de invisíveis correntes (Aviso n.º 13/13) Amendments to the Angolan foreign currency legislation invisible current

Leia mais

ANO I Abertura Opening Os primeiros movimentos do jogo Há um ano, três advogados vindos de renomados escritórios de advocacia, onde exerciam funções de destaque, se reuniram em torno de uma idéia:

Leia mais

FONTE Aviso do Ministério dos Negócios Estrangeiros (Diário do Governo, I Série n.º 108, p. 493)

FONTE Aviso do Ministério dos Negócios Estrangeiros (Diário do Governo, I Série n.º 108, p. 493) DATA 27.4.1963 FONTE Aviso do Ministério dos Negócios Estrangeiros (Diário do Governo, I Série n.º 108, p. 493) SUMÁRIO Torna público ter sido concluído em Camberra um acordo entre o governo português

Leia mais

AVISO DE EVENTO CORPORATIVO: SPORT LISBOA E BENFICA-FUTEBOL

AVISO DE EVENTO CORPORATIVO: SPORT LISBOA E BENFICA-FUTEBOL AVISO DE EVENTO CORPORATIVO: Aviso SPORT LISBOA E BENFICA-FUTEBOL LOCALIZACAO: Lisbon N DE AVISO: LIS_20150629_00549_EUR DATA DE DISSEMINACAO: 29/06/2015 MERCADO: EURONEXT LISBON AVISO DA REALIZAÇÃO DA

Leia mais

demais alterações do contrato de sociedade,

demais alterações do contrato de sociedade, Newsletter Societário Português English Alterações do Contrato de Sociedade Aumento e Redução do Capital Social I. Introdução O Decreto-Lei n.º 76-A/2006, de 29 de Março, entrou em vigor no passado dia

Leia mais

2. HUMAN RESOURCES 2. RECURSOS HUMANOS 1 RECRUTAMENTO E SELECÇÃO 1 RECRUITMENT AND SELECTION 2 QUALIFICAÇÃO DOS TRABALHADORES

2. HUMAN RESOURCES 2. RECURSOS HUMANOS 1 RECRUTAMENTO E SELECÇÃO 1 RECRUITMENT AND SELECTION 2 QUALIFICAÇÃO DOS TRABALHADORES RECURSOS HUMANOS HUMAN RESOURCES . RECURSOS HUMANOS RECRUTAMENTO E SELECÇÃO. HUMAN RESOURCES RECRUITMENT AND SELECTION O recrutamento e a situação contratual, no ano em análise, e face ao anterior, caracterizaram-se

Leia mais

Para Aplicação do Artigo 9º do Acordo / For the purposes of Article 9 of the Agreement

Para Aplicação do Artigo 9º do Acordo / For the purposes of Article 9 of the Agreement ACORDO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL ENTRE A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O CANADÁ AGREEMENT ON SOCIAL SECURITY BETWEEN THE FEDERATIVE REPUBLIC OF BRAZIL AND CANADA CERTIFICADO DE EXCEÇÃO/PRORROGAÇÃO DE DESLOCAMENTO

Leia mais

DPI. Núcleo de Apoio ao Desenvolvimento de Projetos e Internacionalização Project Development And Internationalization Support Office

DPI. Núcleo de Apoio ao Desenvolvimento de Projetos e Internacionalização Project Development And Internationalization Support Office DPI Núcleo de Apoio ao Desenvolvimento de Projetos e Internacionalização Project Development And Internationalization Support Office Apresentação/Presentation Criado em 1 de março de 2011, o Núcleo de

Leia mais

學 術 研 究 獎 學 金 申 請 表. Bolsas de Investigação Académica Boletim de Candidatura. Academic Research Grant Application Form

學 術 研 究 獎 學 金 申 請 表. Bolsas de Investigação Académica Boletim de Candidatura. Academic Research Grant Application Form 澳 門 特 別 行 政 區 政 府 Governo da Região Administrativa Especial de Macau 文 化 局 Instituto Cultural 學 術 研 究 獎 學 金 申 請 表 ( 根 據 學 術 研 究 獎 學 金 規 章 第 九 條 第 一 款 ) Bolsas de Investigação Académica Boletim de Candidatura

Leia mais

Decreto-Lei n.º 134/2009, de 2 de Junho

Decreto-Lei n.º 134/2009, de 2 de Junho Decreto-Lei n.º 134/2009, de 2 de Junho Regime jurídico aplicável à prestação de serviços de promoção, informação e apoio aos consumidores e utentes através de centros telefónicos de relacionamento Comentários

Leia mais

Doing Business in Brazil : Pathways to success, Innovation and Access under the Legal Framework

Doing Business in Brazil : Pathways to success, Innovation and Access under the Legal Framework Doing Business in Brazil : Pathways to success, Innovation and Access under the Legal Framework BY FABIANO ANDREATTA L E G A L A F F A I R S M A N A G E R E L I L I L L Y D O B R A S I L L T D A. * A s

Leia mais

Secretaria de Inform. e Documentação SECRETARIA DE INFORMAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO: ASPECTOS ORGANIZACIONAIS ANO DE CRIAÇÃO: 1972 HORÁRIO DE ATENDIMENTO:

Secretaria de Inform. e Documentação SECRETARIA DE INFORMAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO: ASPECTOS ORGANIZACIONAIS ANO DE CRIAÇÃO: 1972 HORÁRIO DE ATENDIMENTO: Secretaria de Inform. e Documentação SECRETARIA DE INFORMAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO: ASPECTOS ORGANIZACIONAIS ANO DE CRIAÇÃO: 1972 HORÁRIO DE ATENDIMENTO: O Gabinete da Secretaria de Informação e Documentação

Leia mais

ACEF/1112/04062 Decisão de apresentação de pronúncia

ACEF/1112/04062 Decisão de apresentação de pronúncia ACEF/1112/04062 Decisão de apresentação de pronúncia ACEF/1112/04062 Decisão de apresentação de pronúncia Decisão de Apresentação de Pronúncia ao Relatório da Comissão de Avaliação Externa 1. Tendo recebido

Leia mais

AVISO DE EVENTO CORPORATIVO: BANIF BCO INTER DO FUNCHAL SA

AVISO DE EVENTO CORPORATIVO: BANIF BCO INTER DO FUNCHAL SA AVISO DE EVENTO CORPORATIVO: Aviso BANIF BCO INTER DO FUNCHAL SA LOCALIZACAO: Lisbon N DE AVISO: LIS_20130927_00754_EUR DATA DE DISSEMINACAO: 27/09/2013 MERCADO: EURONEXT LISBON AVISO DA REALIZAÇÃO DA

Leia mais

Versão: 1.0. Segue abaixo, os passos para o processo de publicação de artigos que envolvem as etapas de Usuário/Autor. Figura 1 Creating new user.

Versão: 1.0. Segue abaixo, os passos para o processo de publicação de artigos que envolvem as etapas de Usuário/Autor. Figura 1 Creating new user. Órgão: Ministry of Science, Technology and Innovation Documento: Flow and interaction between users of the system for submitting files to the periodicals RJO - Brazilian Journal of Ornithology Responsável:

Leia mais

NEWSLETTER I SISTEMA FINANCEIRO E MERCADO DE CAPITAIS

NEWSLETTER I SISTEMA FINANCEIRO E MERCADO DE CAPITAIS NEWSLETTER I SISTEMA FINANCEIRO E MERCADO DE CAPITAIS NEWSLETTER SISTEMA FINANCEIRO E MERCADO DE CAPITAIS 2.º Trimestre I SISTEMAS DE GARANTIA DE DEPÓSITOS 2 II Legislação A. Direito Bancário Institucional

Leia mais

DATE July 04 th and 05 th, 2009. VENUE Ginásio Gilberto Cardoso Maracanãzinho Rua Professor Eurico Rabelo, S/Nr. Rio de Janeiro/RJ Brasil

DATE July 04 th and 05 th, 2009. VENUE Ginásio Gilberto Cardoso Maracanãzinho Rua Professor Eurico Rabelo, S/Nr. Rio de Janeiro/RJ Brasil DATE July 04 th and 05 th, 2009. VENUE Ginásio Gilberto Cardoso Rua Professor Eurico Rabelo, S/Nr Rio de Janeiro RJ Brazil ORGANIZER Confederação Brasileira de Judô Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro

Leia mais

Português 207 Portuguese for Business

Português 207 Portuguese for Business Português 207 Portuguese for Business Spring 2012: Porugal and the EU Instructor: Jared Hendrickson Office: 1149 Van Hise Office Hours: Monday and Thursday, 11:00 am-12:00 pm e-mail: jwhendrickso@wisc.edu

Leia mais

SAP Best Practices Informações sobre disponibilidade e download para Clientes SAP e Parceiros SAP. Know-how setorial e global pré-configurado

SAP Best Practices Informações sobre disponibilidade e download para Clientes SAP e Parceiros SAP. Know-how setorial e global pré-configurado SAP Best Practices Informações sobre disponibilidade e download para Clientes SAP e Parceiros SAP Know-how setorial e global pré-configurado Índice 1.Disponibilidade dos pacotes SAP Best Practices 2.Efetuar

Leia mais

聯 絡 人 電 話 TELEFONE TELEPHONE

聯 絡 人 電 話 TELEFONE TELEPHONE 隊 伍 報 名 表 / Boletim de Inscrição de Equipa / Team Registration Form ( 截 止 遞 交 日 期 / Data de entrega até / To submit by 9: 3/3/2) ( 每 一 請 填 寫 一 張 表 格./ Preencha um formulário para cada prova. / Please fill

Leia mais

Primeira Alteração ao Estatuto do Medicamento

Primeira Alteração ao Estatuto do Medicamento Julho/Agosto 2009 2009 2009 Primeira Alteração ao Estatuto do Medicamento I. DESTAQUE Primeira Alteração ao Estatuto do Medicamento Regime da Importação Paralela Decreto-Lei n.º 182/2009, D.R. n.º 152,

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL

MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL Diário da República 1.ª série N.º 84 30 de Abril de 2009 2503 3 Either Party may terminate this Treaty at any time by notice in writing to the other Party through diplomatic channels. The termination shall

Leia mais

Gestão de Serviços. Mário Lavado itsmf Portugal. Guimarães 18 de Novembro 2010. itsmf Portugal 1

Gestão de Serviços. Mário Lavado itsmf Portugal. Guimarães 18 de Novembro 2010. itsmf Portugal 1 Gestão de Serviços Mário Lavado itsmf Portugal Guimarães 18 de Novembro 2010 itsmf Portugal 1 Agenda 1. O que é o itsmf? 2. A Gestão de Serviços e o ITIL 3. A ISO 20000 4. A certificação ISO 20000 itsmf

Leia mais

Banco Santander Totta, S.A.

Banco Santander Totta, S.A. NINTH SUPPLEMENT (dated 26 October 2011) to the BASE PROSPECTUS (dated 4 April 2008) Banco Santander Totta, S.A. (incorporated with limited liability in Portugal) 5,000,000,000 (increased to 12,500,000,000)

Leia mais

Drug registration in Brazil and inspectional framework

Drug registration in Brazil and inspectional framework Drug registration in Brazil and inspectional framework Registro de medicamentos no Brasil e cenário de inspeções internacionais September 2012 José Alexandre Buaiz Neto Drug types recognized by ANVISA

Leia mais

Institutional Skills. Sessão informativa INSTITUTIONAL SKILLS. Passo a passo. www.britishcouncil.org.br

Institutional Skills. Sessão informativa INSTITUTIONAL SKILLS. Passo a passo. www.britishcouncil.org.br Institutional Skills Sessão informativa INSTITUTIONAL SKILLS Passo a passo 2 2 British Council e Newton Fund O British Council é a organização internacional do Reino Unido para relações culturais e oportunidades

Leia mais

Governação Novo Código e Exigências da Função Auditoria

Governação Novo Código e Exigências da Função Auditoria Novo Código e Exigências da Função Auditoria Fórum de Auditoria Interna - IPAI 19 de Junho de 2014 Direito societário e auditoria interna fontes legais 1. CSC artigo 420,º, n.º 1, i) - fiscalizar a eficácia

Leia mais

Normas Gráficas do Símbolo e Logótipo aicep Portugal Global aicep Portugal Global Symbol and Logo Graphic Guidelines Capítulo 1 Chapter 1

Normas Gráficas do Símbolo e Logótipo aicep Portugal Global aicep Portugal Global Symbol and Logo Graphic Guidelines Capítulo 1 Chapter 1 Normas Gráficas do Símbolo e Logótipo aicep Portugal Global aicep Portugal Global Symbol and Logo Graphic Guidelines Capítulo 1 Chapter 1 Introdução Introduction Normas Gráficas Este manual fornece os

Leia mais

Registration Form - 2013 - ALL - AMÉRICA LATINA LOGISTICA S.A. Version : 3

Registration Form - 2013 - ALL - AMÉRICA LATINA LOGISTICA S.A. Version : 3 Index: Company s Profile ALL AMÉRICA LATINA LOGÍSTICA S.A. Corporate Taxpayers ID (CNPJ/MF) 02.387.241/0001-60 Companies Registry (NIRE) 413 00 019886 Publicly-held Company REGISTRATION FORM General Information

Leia mais

DOCUMENTOS DE PREVENÇÃO DE RISCOS PROFISSIONAIS NA CONSTRUÇÃO NA TRANSPOSIÇÃO DAS DIRETIVAS COMUNITÁRIAS PARA PORTUGAL

DOCUMENTOS DE PREVENÇÃO DE RISCOS PROFISSIONAIS NA CONSTRUÇÃO NA TRANSPOSIÇÃO DAS DIRETIVAS COMUNITÁRIAS PARA PORTUGAL DOCUMENTOS DE PREVENÇÃO DE RISCOS PROFISSIONAIS NA CONSTRUÇÃO NA TRANSPOSIÇÃO DAS DIRETIVAS COMUNITÁRIAS PARA PORTUGAL Susana Sousa 1 José M. Cardoso Teixeira 2 RESUMO A Diretiva Comunitária nº 92/57/CEE

Leia mais

Decreto-Lei n.º 137/2009, de 8 de Junho. Decreto-Lei n.º 147/2009, de 24 de Junho. Decreto-Regulamentar n.º 9/2009, de 29 de Maio

Decreto-Lei n.º 137/2009, de 8 de Junho. Decreto-Lei n.º 147/2009, de 24 de Junho. Decreto-Regulamentar n.º 9/2009, de 29 de Maio 2.º Trimestre 2009 I. BREVE DE LEGISLAÇÃO NACIONAL AMBIENTE E ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO Decreto-Lei n.º 73/2009, de 31 de Março Com a aprovação deste Decreto-Lei entra em vigor no dia 10 de Abril o novo

Leia mais

Import Procedures - Anvisa

Import Procedures - Anvisa Import Procedures - Anvisa Good s and products for exhibition or demonstration in fair or events Legal Base: Resolution RDC from ANVISA nº13/2004; Important: The importing of products that are not registered

Leia mais

NEWSLETTER I FISCAL. NEWSLETTER FISCAL I Março, 2014. I Legislação Nacional 2. II Instruções Administrativas 3. III Jurisprudência Europeia 5

NEWSLETTER I FISCAL. NEWSLETTER FISCAL I Março, 2014. I Legislação Nacional 2. II Instruções Administrativas 3. III Jurisprudência Europeia 5 NEWSLETTER I FISCAL NEWSLETTER FISCAL I Março, 2014 I Legislação Nacional 2 II Instruções Administrativas 3 III Jurisprudência Europeia 5 IV Jurisprudência Nacional 7 V Outras informações 8 NEWSLETTER

Leia mais

NEWSLETTER I SISTEMA FINANCEIRO E MERCADO DE CAPITAIS

NEWSLETTER I SISTEMA FINANCEIRO E MERCADO DE CAPITAIS NEWSLETTER I SISTEMA FINANCEIRO E MERCADO DE CAPITAIS NEWSLETTER SISTEMA FINANCEIRO E MERCADO DE CAPITAIS 2.º Trimestre 2015 I Regime Jurídico das Sociedades Financeiras de Crédito 2 II Legislação A. Direito

Leia mais

assumptions of that particular strengthening the participation of families and local communities in the strategic direction of schools, not taking

assumptions of that particular strengthening the participation of families and local communities in the strategic direction of schools, not taking Agradecimentos A dissertação do Mestrado que adiante se apresenta resulta na concretização de um projecto que me parecia difícil mas não impossível de alcançar. Foram meses seguidos de trabalho de investigação,

Leia mais

Certificado de Conformidade Ex Ex Certificate of Conformity

Certificado de Conformidade Ex Ex Certificate of Conformity Certificado emitido conforme requisitos da avaliação da conformidade de equipamentos elétricos para atmosferas explosivas, anexo à Portaria Inmetro nº. 179 de 18 de maio de 2010 Certificate issued in according

Leia mais