ESTRUTURA E MANUAL DE CARGOS E FUNÇÕES DA SECRETARIA ADMINISTRATIVA DO MERCOSUL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTRUTURA E MANUAL DE CARGOS E FUNÇÕES DA SECRETARIA ADMINISTRATIVA DO MERCOSUL"

Transcrição

1 MERCOSUL/GMC/RES. Nº 15/02 ESTRUTURA E MANUAL DE CARGOS E FUNÇÕES DA SECRETARIA ADMINISTRATIVA DO MERCOSUL TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto, a Decisão Nº 24/00 do Conselho do Mercado Comum e as Resoluções Nº 67/96, 42/97, 74/98, 92/00 e 93/00 do Grupo Mercado Comum. CONSIDERANDO: A conveniência de fortalecer a Secretaria Administrativa do MERCOSUL com vistas a obter um melhor desempenho das tarefas que lhe foram atribuídas pelo Protocolo de Ouro Preto; A necessidade de adaptar a estrutura inicial básica da Secretaria Administrativa do MERCOSUL, aprovada pela Resolução Nº 67/96 do Grupo Mercado Comum, às necessidades atuais do processo de integração; O resolvido pela XXIV Reunião Extraordinária do GMC que decidiu transformar um cargo de Assistente de Apoio do Setor Documentação e Divulgação em Técnico de Divulgação, sem que isso tenha incidência sobre o Orçamento total da SAM. O GRUPO MERCADO COMUM RESOLVE: Art. 1 - Aprovar a Estrutura e Manual de Cargos e Funções da Secretaria Administrativa do MERCOSUL. O Manual de Cargos e Funções da SAM figura como Anexo e faz parte da presente Resolução. Art. 2 - Ficam revogadas as Resoluções GMC Nº 92/00 e 93/00. Art. 3 - Ficam revogadas todas as disposições das Resoluções Nº 67/96, 42/97 e 74/98 que conflitem com o teor da presente Resolução. 1

2 Art. 4 - A presente Resolução não precisa ser incorporada ao ordenamento jurídico dos Estados Partes, por regulamentar aspectos da organização ou funcionamento do MERCOSUL. ESTRUTURA DA SECRETARIA ADMINISTRATIVA DO MERCOSUL 01. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL E DISTRIBUIÇÃO DE CARGOS A estrutura organizacional da Secretaria Administrativa do MERCOSUL comporta uma Diretoria e quatro Setores, a saber: Diretoria (2 cargos): a) Diretor da SAM b) Secretária Setor de Normativa (7 cargos): a) Chefe do Setor de Normativa b) Técnico em Normativa c) Técnico em Normativa d) Assistente de Apoio e) Assistente de Apoio f) Assistente Técnico em Normativa g) Assistente Administrativo Setor de Documentação e Divulgação (7 cargos): a) Chefe do Setor de Documentação e Divulgação b) Técnico em Documentação c) Técnico de Divulgação d) Assistente de Apoio e) Assistente de Apoio f) Assistente Técnico em Documentação e Divulgação g) Assistente Administrativo Setor de Informática (3 cargos): a) Chefe do Setor de Informática b) Técnico em Informática c) Assistente Administrativo Setor de Administração (8 cargos): a) Chefe do Setor de Administração b) Técnico em Contabilidade c) Técnico em Orçamento d) Técnico em Recursos Humanos e) Recepcionista 2

3 f) Recepcionista g) Operador de Fotocopiadora h) Mensageiro Estrutura da Secretaria Administrativa do MERCOSUL Diretor Secretária Diretoria Normativa Documentação e Administração Informática Divulgação Chefe de Setor Chefe de Setor Chefe de Setor Chefe de Setor Técnico Normativa em Técnico em Documentação Técnico Contabilidade em Técnico Informática em Técnico em Normativa Técnico de Divulgação Técnico Orçamento em A s s i s t e n t e Administrativo Assistente Apoio de Assistente Apoio de Técnico em R e c u r s o s Humanos Assistente de Apoio Assistente Técnico em Normativa Assistente de Apoio Assistente Técnico em Documentação e Divulgação Recepcionista Recepcionista A s s i s t e n t e Administrativo A s s i s t e n t e Administrativo Operador Fotocopiadora de Mensageiro 02. APOIO LOGÍSTICO A REUNIÕES A organização do apoio logístico a reuniões do MERCOSUL incumbirá a uma coordenação intra-setorial sob a responsabilidade do Chefe do Setor de Administração. Com vistas a facilitar a mobilização dos recursos humanos necessários ao 3

4 adequado cumprimento dessa tarefa, os Setores de Documentação e Divulgação e Normativa, contarão com Assistentes de Apoio que serão especialmente treinados para atender às necessidades correntes das reuniões negociadoras. O número e o perfil dos funcionários que integrarão as equipes de apoio da SAM a cada reunião serão definidos pela Presidência Pro Tempore, cabendo ao Diretor da SAM, com base nesses parâmetros, e respeitadas as limitações orçamentárias, formar a equipe de apoio, integrada por funcionários dos quatro setores, designando, em todos os casos, um Chefe de equipe, a fim de facilitar a coordenação com a Presidência Pro Tempore. 03. ATRIBUIÇÕES DOS SETORES Os quatro Setores da Secretaria Administrativa do MERCOSUL terão as seguintes atribuições: Setor de Normativa (SN) O SN será responsável por todas as atividades de apoio requeridas pela Presidência Pro Tempore durante o processo de elaboração, aprovação e implementação das normas emanadas dos órgãos do MERCOSUL, desde sua negociação até a notificação da plena incorporação das mesmas aos ordenamentos jurídicos dos Estados Partes. Será responsável, ainda, pela sistematização, compilação e gerenciamento de informações em apoio aos demais órgãos do MERCOSUL, assim como pelo acompanhamento da tramitação de Consultas, Reclamações e Controvérsias e pela elaboração do Boletim Oficial do MERCOSUL. Caberá ao SN, especialmente, assistir o Diretor da SAM no cumprimento das tarefas atribuídas à Secretaria no procedimento de Solução de Controvérsias do MERCOSUL (Protocolo de Brasília), no Procedimento Geral para Reclamações perante a Comissão de Comércio do MERCOSUL (Anexo ao Protocolo de Ouro Preto) e nos procedimentos de Solução de Controvérsias acordados nos acordos firmados pelo MERCOSUL com terceiros países, grupos de países ou organismos internacionais. Apoio ao processo de elaboração e implementação de normas no MERCOSUL: 1) Análise dos projetos e propostas de normas elevados pelos foros técnicos a consideração dos órgãos decisórios do MERCOSUL: O SN deverá assegurar a qualidade formal e linguística dos projetos e propostas de normas a serem submetidos à consideração do Conselho do Mercado Comum, do Grupo Mercado Comum e da Comissão de Comércio do MERCOSUL. 4

5 2) Traduções: O SN deverá proceder à revisão das versões em idiomas espanhol e português dos projetos de norma, bem como assegurar a efetiva correspondência dos textos nos dois idiomas, antes de seu encaminhamento à consideração dos órgãos decisórios do MERCOSUL. O SN deverá ainda realizar, em coordenação com os Estados Partes, as traduções autênticas para os idiomas espanhol e português de todas as decisões adotadas pelos órgãos da estrutura institucional do MERCOSUL. 3) Incorporação das normas do MERCOSUL ao ordenamento jurídico dos Estados Partes: O SN deverá executar as seguintes tarefas: Registrar as notificações dos Estados Partes relativas à incorporação das normas do MERCOSUL aos ordenamentos jurídicos nacionais; Arquivar as normas nacionais por meio das quais os Estados Partes hajam incorporado a seus respectivos ordenamentos jurídicos as normas do MERCOSUL; Comunicar aos Estados Partes a conclusão do processo de incorporação das normas do MERCOSUL ao ordenamento jurídico dos quatro países. Manter atualizada lista com o estado de incorporação das normas do MERCOSUL nos Estados Partes. 4) Intervenção nos procedimentos de solução de controvérsias e de reclamações perante a Comissão de Comércio do MERCOSUL: O SN deverá executar as seguintes tarefas: Assistir o Diretor da SAM na execução das tarefas relativas à intervenção da Secretaria no procedimento de Solução de Controvérsias do MERCOSUL, no procedimento geral para Reclarmações perante a Comissão de Comércio do MERCOSUL e nos procedimentos de solução de controvérsias acordados nos acordos firmados pelo MERCOSUL com terceiros países, grupos de países ou organismos internacionais; Registrar as listas nacionais de árbitros e especialistas, assim como desempenhar outras tarefas determinadas pelo Procedimento de Solução de Controvérsias do MERCOSUL; Registrar as listas de especialistas nacionais e estrangeiros previstas no regime de solução de controvérsias nos acordos firmados pelo MERCOSUL com terceiros países, grupos de países ou organismos internacionais. Elaborar o Boletim Oficial do MERCOSUL, nos termos estabelecidos pelo Protocolo de Ouro Preto Apoio logístico a reuniões: 5

6 O SN deverá prestar apoio às reuniões do MERCOSUL, em especial no que respeita à elaboração e tradução das normativas em exame. Setor de Documentação e Divulgação (SDD) O SDD será responsável pela formação, organização e manutenção do arquivo oficial da documentação do MERCOSUL, em meio físico e magnético, assim como pela adoção das medidas necessárias à difusão dos documentos e normas aprovados pelos órgãos da estrutura institucional do MERCOSUL. Arquivamento e difusão da documentação e das normas do MERCOSUL: 1) Arquivo oficial da documentação (meios físico e magnético): O SDD deverá executar as seguintes tarefas: Organizar e manter atualizado o arquivo oficial do MERCOSUL, o qual deverá estar conformado por toda a documentação emanada dos órgãos da estrutura institucional do MERCOSUL, assim como por todos os instrumentos firmados pelo MERCOSUL com terceiros países, grupos de países ou organismos internacionais; Manter atualizada a Base de Dados da SAM, a qual deverá estar estruturada de maneira a viabilizar consultas por tema, órgão emissor ou tipo de norma; Cotejar as versões em meio físico e magnético das atas e de seus anexos e, em caso de discrepância entre as mesmas, proceder à correção pertinente na versão em meio magnético; Manter atualizada lista de Decisões, Resoluções e Diretivas, assim como de projetos de normas elevados pelos foros técnicos a consideração dos órgãos decisórios do MERCOSUL; 2) Divulgação: O SDD deverá executar as seguintes tarefas: Editar e divulgar o Boletim Oficial do MERCOSUL, elaborado pelo Setor de Normativa Manter atualizada a lista de destinatários do Boletim Oficial do MERCOSUL e responsabilizar-se pela divulgação e distribuição do mesmo; Selecionar e encaminhar ao Setor de Informática, para sua incorporação na página WEB, toda a documentação de caráter público emanada dos órgãos da estrutura institucional do MERCOSUL; Velar, nos casos pertinentes, pela confidencialidade da documentação do MERCOSUL; Atender às consultas internas e externas sobre a documentação emanada do processo negociador e as normas adotadas no âmbito do MERCOSUL. Apoio logístico a reuniões: O SDD deverá prestar apoio operacional às reuniões dos órgãos MERCOSUL, 6

7 em especial em matéria de organização da documentação em exame. Setor de Informática (SI) O SI será responsável pela prestação de assistência técnica informática ao conjunto da SAM, pela segurança do sistema informático da SAM, pelo aprimoramento técnico da Base de Dados da Secretaria e pela atualização da página WEB do MERCOSUL. O SI deverá executar as seguintes tarefas: Prestar assistência técnica informática a todos os setores da SAM, inclusive na organização logística das reuniões; Definir e implementar os métodos de segurança do sistema de informática da SAM; Responsabilizar-se pelo aprimoramento técnico e pela segurança da Base de Dados da SAM; Manter atualizada a página WEB do MERCOSUL, mediante a incorporação das informações providas pelo Setor Documentação e Divulgação; Manter atualizado o calendário de reuniões do processo negociador na página WEB do MERCOSUL, mediante a incorporação das informações específicas providas pelo Setor Documentação e Divulgação. 7

8 Setor de Administração (SA) O SA será responsável por todas as atividades relativas à administração financeira, patrimonial e de recursos humanos da SAM. O SA será responsável, ainda, pelos serviços concernentes à manutenção da SAM. 1. Administração financeira e patrimonial: O SA deverá executar as seguintes tarefas: Elaborar o projeto de orçamento da SAM, a ser aprovado pelo Grupo Mercado Comum; Praticar todos os atos necessários à correta execução do orçamento da SAM e manter os registros contábeis correspondentes; Preparar a Prestação de Contas anual da SAM, a ser aprovada pelo Grupo Mercado Comum; Assistir o Diretor da SAM no estabelecimento do Plano Anual de Compras e Investimentos da Secretaria; Executar os atos de compra e alienação de bens e contratação de serviços para a SAM, de conformidade com as normas e procedimentos estabelecidos; Efetuar pagamentos a credores, registrar e controlar a liquidação de créditos e débitos, emitir documentos de pagamento e recibos, fazer transferências e responsabilizar-se pela custódia de fundos e valores da SAM; Manter atualizado, corretamente avaliado e identificado o inventário de bens da SAM; Manter sistema de registro e controle de almoxarifado. 2. Administração de recursos humanos: O SA deverá executar as seguintes tarefas: Administrar os recursos humanos da SAM; Planejar e implementar, em coordenação com os demais setores da Secretaria, planos de capacitação do pessoal da SAM; Assegurar o adequado registro de presenças, ausências e afastamentos do pessoal da SAM; Assistir o Diretor da SAM na aplicação do regime disciplinar dos funcionários da Secretaria; 3. Serviços: O SA deverá executar as seguintes tarefas: Funcionar como centro de comunicações da SAM (telefone, fax e correio eletrônico); Funcionar como centro de recepção, distribuição e expedição de correspondência da SAM; 8

9 Planejar e supervisionar a execução dos serviços de portaria, limpeza e segurança da SAM; Executar os serviços de fotocópia e mensageria da SAM; Assistir o Diretor da SAM em questões de protocolo. XLV GMC Buenos Aires, 18/IV/02 9

10 ANEXO MANUAL DE CARGOS E FUNÇÕES DA SECRETARIA ADMINISTRATIVA DO MERCOSUL DIRETORIA Unidade: Diretoria Denominação do Cargo: MERCOSUL Diretor da Secretaria Administrativa do Funções: Responsabilizar-se pelo adequado cumprimento das tarefas atribuídas à Secretaria Administrativa do MERCOSUL pelo Protocolo de Ouro Preto. Responder, perante o Grupo Mercado Comum, pelo conjunto das atividades da SAM. Responsabilizar-se pela gestão administrativa, financeira e patrimonial da SAM. Montar, em coordenação com a Presidência Pro Tempore, as equipes de apoio logístico da SAM às reuniões do processo negociador. Título universitário; Conhecimento abrangente sobre o MERCOSUL; Unidade: Diretoria Denominação do Cargo: Secretária Subordinação hierárquica: Diretor da SAM Funções: Planejar, coordenar e executar as tarefas concernentes ao secretariado da Diretoria da SAM. Executar as tarefas de telefonia, recepção e expedição de correspondência, fax e correio eletrônico na Diretoria da SAM. Executar tarefas de natureza protocolar. Receber e orientar visitantes. Organizar a agenda pessoal do Diretor da SAM. Experiência em secretariado executivo; Conhecimentos gerais sobre o MERCOSUL; 10

11 SETOR DE NORMATIVA (SN) Unidade: Setor de Normativa Denominação do Cargo: Chefe do Setor de Normativa Subordinação hierárquica: Diretor da SAM Funções: Planejar, dirigir e supervisionar a execução das tarefas atribuídas ao Setor de Normativa. Responsabilizar-se por todas as atividades de apoio requeridas durante o processo de elaboração, aprovação e implementação das normas emanadas dos órgãos do MERCOSUL, desde sua negociação até a notificação de sua plena incorporação aos ordenamentos jurídicos dos Estados Partes. Acompanhar a tramitação de Consultas, Reclamações e Controvérsias Supervisionar a elaboração do Boletim Oficial do MERCOSUL, nos termos estabelecidos pelo Protocolo de Ouro Preto. Título universitário em Direito; Experiência no MERCOSUL ou em funções similares em outros organismos internacionais; Conhecimento abrangente sobre o MERCOSUL; Unidade: Setor de Normativa Denominação do Cargo: Técnico em Normativa Subordinação hierárquica: Chefe do Setor de Normativa Funções: Realizar o controle de qualidade formal e lingüística dos projetos de norma submetidos pelos órgãos técnicos aos órgãos decisórios do MERCOSUL. Preparar, em coordenação com os Estados Partes, as traduções autênticas para os idiomas espanhol e português de todas as decisões adotadas pelos órgãos das estrutura institucional do MERCOSUL. Preparar as erratas das normas do MERCOSUL. Adotar todas as medidas necessárias ao controle da incorporação das normas do MERCOSUL ao ordenamento jurídico dos Estados Partes, nos termos definidos pelo Protocolo de Ouro Preto. Assistir o Chefe do Setor nas atividades concernentes à intervenção da Secretaria nos procedimentos de solução de controvérsias e de reclamações perante a Comissão de Comércio, bem como no acompanhamento das Consultas. Elaborar o Boletim Oficial do MERCOSUL, nos termos estabelecidos pelo Protocolo de Ouro Preto. Título universitário ou intermediário (não inferior a três anos) em Direito ou experiência nas funções na SAM por mais de 2 anos; Conhecimento do processo normativo do MERCOSUL; 11

12 Unidade: Setor de Normativa Denominação do Cargo: Técnico em Normativa Subordinação hierárquica: Chefe do Setor de Normativa Funções: Realizar o controle de qualidade formal e lingüística dos projetos de norma submetidos pelos órgãos técnicos aos órgãos decisórios do MERCOSUL. Preparar, em coordenação com os Estados Partes, as traduções autênticas para os idiomas espanhol e português de todas as decisões adotadas pelos órgãos das estrutura institucional do MERCOSUL. Preparar as erratas das normas do MERCOSUL. Adotar todas as medidas necessárias ao controle da incorporação das normas do MERCOSUL ao ordenamento jurídico dos Estados Partes, nos termos definidos pelo Protocolo de Ouro Preto. Assistir o Chefe do Setor nas atividades concernentes à intervenção da Secretaria nos procedimentos de solução de controvérsias e de reclamações perante a Comissão de Comércio, bem como no acompanhamento das Consultas. Elaborar o Boletim Oficial do MERCOSUL, nos termos estabelecidos pelo Protocolo de Ouro Preto. Título universitário ou intermediário (não inferior a três anos) em Direito ou experiência nas funções na SAM por mais de 2 anos; Conhecimento do processo normativo do MERCOSUL; Unidade: Setor de Normativa Denominação do Cargo: Assistente de Apoio Subordinação hierárquica: Chefe do Setor de Normativa Funções: Apoiar a organização dos aspectos logísticos das reuniões do processo negociador realizadas no edifício-sede. Prover apoio permanente às Delegações durante às reuniões, em especial no que tange aos serviços de secretariado e reprodução de documentos. Tomar notas em sala e assistir na elaboração de atas e documentos. Assistir no desempenho das funções atribuídas ao setor de Normativa. Conhecimentos gerais sobre o MERCOSUL; 12

13 Unidade: Setor de Normativa Denominação do Cargo: Assistente de Apoio Subordinação hierárquica: Chefe do Setor de Normativa Funções: Apoiar a organização dos aspectos logísticos das reuniões do processo negociador realizadas no edifício-sede. Prover apoio permanente às Delegações durante às reuniões, em especial no que tange aos serviços de secretariado e reprodução de documentos. Tomar notas em sala e assistir na elaboração de atas e documentos. Assistir no desempenho das funções atribuídas ao setor de Normativa. Conhecimentos gerais sobre o MERCOSUL; Unidade: Setor de Normativa Denominação do Cargo: Assistente Técnico em Normativa Subordinação hierárquica: Chefe do Setor de Normativa Funções: Assistir o Técnico em Normativa no desempenho das funções atribuídas ao mesmo. Conhecimento do processo negociador do MERCOSUL; Domínio de processador de texto e de outros programas utilizados pela SAM; Unidade: Setor de Normativa Denominação do Cargo: Assistente Administrativo Subordinação hierárquica: Chefe do Setor de Normativa Funções: Prestar assistência aos funcionários do Setor de Normativa na execução das tarefas que lhes forem atribuídas. Prestar apoio de caráter administrativo ao Setor. Conhecimentos gerais sobre o MERCOSUL; ********* 13

14 SETOR DE DOCUMENTAÇÃO E DIVULGAÇÃO (SDD) Unidade: Setor de Documentação e Divulgação Denominação do Cargo: Chefe do Setor de Documentação e Divulgação Subordinação hierárquica: Diretor da SAM Funções: Planejar, dirigir e supervisionar a execução das tarefas atribuídas ao Setor de Documentação e Divulgação. Responsabilizar-se pela formação, organização e manutenção do arquivo oficial da documentação do MERCOSUL, em meio físico e magnético, assim como pela adoção das medidas necessárias à difusão dos documentos e normas aprovados pelos órgãos da estrutura institucional do MERCOSUL, em especial a edição e publicação do Boletim Oficial do MERCOSUL. Velar pela confidencialidade das Normas MERCOSUL, quando for o caso. Título universitário; Experiência no MERCOSUL ou em funções similares em outros organismos internacionais; Conhecimento abrangente sobre o MERCOSUL; Unidade: Setor de Documentação e Divulgação Denominação do Cargo: Técnico em Documentação Subordinação hierárquica: Chefe do Setor de Documentação e Divulgação Funções: Coletar documentos, sistematizar e manter atualizado o arquivo oficial da documentação do MERCOSUL, em meio físico e magnético. Garantir que as versões física e magnética da documentação do MERCOSUL tenham idêntico teor. Estruturar a Base de Dados da SAM, em coordenação com o Setor de Informática, de maneira a viabilizar consultas por tema, órgão emissor ou tipo de norma. Velar pela confidencialidade da documentação do MERCOSUL, quando pertinente. Editar e divulgar o Boletim Oficial do MERCOSUL. Assistir o Chefe do Setor no atendimento às consultas internas e externas sobre a documentação emanada do processo negociador, bem como sobre as normas adotadas no âmbito do MERCOSUL. Selecionar e encaminhar ao Setor de Informática as informações concernentes às normas e à documentação do MERCOSUL necessárias à atualização da página WEB. Título universitário ou intermediário (não inferior a três anos) em Direito ou Biblioteconomia ou experiência nas funções na SAM por mais de 2 anos; Conhecimento do processo negociador do MERCOSUL; 14

15 Unidade: Setor de Documentação e Divulgação Denominação do Cargo: Técnico de Divulgação Subordinação hierárquica: Chefe do Setor de Documentação e Divulgação Funções: Apoiar ao Chefe no desempenho das funções atribuídas ao Setor de Documentação e Divulgação, em especial no que diz respeito ao desenho e implementação da política de divulgação, em especial no que concierne ao desenho e implementação da política de divulgação institucional, com especial atenção no enriquecimento da Página Web do MERCOSUL. Assistir na organização e sistematização da documentação da Base de Dados Documental. Contribuir na tarea de edição do Boletim Oficial do MERCOSUL, elaborado pelo Setor Normativa, o Relatório Anual de Atividades da SAM e do Diretório de Autoridades do MERCOSUL. Assistir na composição e difusão de Bases de Dados Documental específicos, relativos ao processo de integração e ao ingresso da informação necessária. Velar pela confidencialidad da documentação, quando seja pertinente. Título universitário ou intermediário (não inferior a três anos), em matéria a fim. Conhecimento do processo negociador do MERCOSUL; Unidade: Setor de Documentação e Divulgação Denominação do Cargo: Assistente de Apoio Subordinação hierárquica: Chefe do Setor de Documentação e Divulgação Funções: Apoiar a organização dos logísticos das reuniões do processo negociador realizadas no edifício-sede. Prover apoio permanente às Delegações durante às reuniões, em especial no que tange à organização e sistematização da documentação em exame. Assistir no desempenho das funções atribuídas ao Setor de Documentação e Divulgação. Conhecimentos gerais sobre o MERCOSUL; ******** 15

16 Unidade: Setor de Documentação e Divulgação Denominação do Cargo: Assistente de Apoio Subordinação hierárquica: Chefe do Setor de Documentação e Divulgação Funções: Apoiar a organização dos logísticos das reuniões do processo negociador realizadas no edifício-sede. Prover apoio permanente às Delegações durante às reuniões, em especial no que tange à organização e sistematização da documentação em exame. Assistir no desempenho das funções atribuídas ao Setor de Documentação e Divulgação. Conhecimentos gerais sobre o MERCOSUL; ******** Unidade: Setor de Documentação e Divulgação Denominação do Cargo: Assistente Técnico Subordinação hierárquica: Chefe do Setor de Documentação e Divulgação Funções: Assistir o Técnico em Documentação no desempenho das funções atribuídas aos mesmos. Conhecimento do processo negociador do MERCOSUL; Unidade: Setor de Documentação e Divulgação Denominação do Cargo: Assistente Administrativo Subordinação hierárquica: Chefe do Setor de Documentação e Divulgação Funções: Prestar assistência aos demais funcionários do Setor de Arquivo e Documentação na execução das tarefas que lhes forem atribuídas. Prestar apoio de caráter administrativo ao Setor. Conhecimentos gerais sobre o MERCOSUL; ******** 16

17 SETOR DE INFORMÁTICA (SI) Unidade: Setor de Informática Denominação do Cargo: Chefe do Setor de Informática Subordinação hierárquica: Diretor da SAM Funções: Planejar, dirigir e supervisionar a execução das tarefas atribuídas ao Setor de Informática. Responsabilizar-se pela assistência técnica informática ao conjunto dos setores da SAM, pelo aperfeiçoamento técnico e pela segurança da Base de Dados da Secretaria e pela atualização da página WEB do MERCOSUL. Formular e coordenar o plano de capacitação dos funcionários da SAM em matéria de informática. Título universitário em Informática; Experiência no MERCOSUL ou em funções semelhantes em outros organismos internacionais; Conhecimento abrangente sobre o MERCOSUL; ******* Unidade: Setor de Informática Denominação do Cargo: Técnico em Informática Subordinação hierárquica: Chefe do Setor de Informática Funções: Prestar assistência técnica informática ao conjunto dos Setores da SAM. Manter atualizada a página WEB do MERCOSUL, mediante a incorporação das informações providas pelo Setor de Normativa e Documentação. Manter atualizado o calendário de reuniões do MERCOSUL na página WEB, mediante a incorporação das informações providas pelo Setor de Apoio e Logística. Definir e implementar os métodos de segurança do sistema de informática da SAM. Título universitário ou intermediário (não inferior a três anos) em Informática ou experiência nas funções na SAM por mais de 2 anos: Experiência de trabalho na área de informática; Conhecimento sobre o processo negociador do MERCOSUL; ******* Unidade: Setor de Informática Denominação do Cargo: Assistente Administrativo 17

18 Subordinação hierárquica: Chefe do Setor de Informática Funções: Assistir no desempenho das funções atribuídas ao Setor de Informática. Prestar apoio em sala quando solicitado, especialmente nas tarefas de digitação. Conhecimento do processo negociador do MERCOSUL; Domínio de processador de texto e de outros programas utilizados pela SAM; ******* 18

19 SETOR DE ADMINISTRAÇÃO (SA) Unidade: Setor de Administração Denominação do Cargo: Chefe do Setor de Administração Subordinação hierárquica: Diretor da SAM Funções: Organizar o apoio logístico às reuniões do MERCOSUL. Planejar, dirigir e supervisionar a execução das tarefas atribuídas ao Setor de Administração. Responsabilizar-se por todas as atividades relativas à administração financeira, patrimonial e de recursos humanos da SAM. Preparar o projeto de orçamento da SAM e praticar todos os atos necessários à correta execução do referido orçamento. Elaborar a Prestação de Contas anual da SAM. Assistir o Diretor da SAM no estabelecimento do Plano Anual de Compras e Investimentos da Secretaria. Planejar e implementar, em coordenação com os demais setores da Secretaria, planos de capacitação do pessoal da SAM. Assistir o Diretor da SAM na aplicação do regime disciplinar dos funcionários da Secretaria. Organizar e supervisionar os serviços de comunicações, portaria, limpeza e segurança da SAM, dentre outros serviços relativos ao funcionamento regular da Secretaria. Título universitário em Administração ou Contabilidade; Experiência no MERCOSUL ou em funções semelhantes em outros organismos internacionais; Conhecimento abrangente sobre o MERCOSUL; Unidade: Setor de Administração Denominação do Cargo: Técnico em Contabilidade Subordinação hierárquica: Chefe do Setor de Administração Funções: Realizar os registros contáveis e responsabilizar-se pela guarda dos documentos contábeis correspondentes. Efetuar pagamentos a credores, registrar e controlar a liquidação de créditos e débitos, emitir documentos de pagamento e recibos, fazer transferências e responsabilizar-se pela custódia de fundos e valores da SAM. Assistir o Chefe do Setor na execução dos atos de compra e alienação de bens e contratação de serviços para a SAM. Assistir o Diretor da SAM no estabelecimento do Plano Anual de Compras e Investimentos da Secretaria. Manter atualizado, corretamente avaliado e identificado o inventário de bens da SAM. Manter sistema de registro e controle de almoxarifado. Título universitário ou intermediário (não inferior a três anos) em Contabilidade ou experiência nas 19

20 funções na SAM por mais de 2 anos; Experiência em contabilidade patrimonial e orçamentária; Conhecimentos gerais sobre o MERCOSUL; Domínio de processador de texto e outros programas utilizados pela SAM; Unidade: Setor de Administração Denominação do Cargo: Técnico em Orçamento Subordinação hierárquica: Chefe do Setor de Administração Funções: Assistir o Chefe do Setor na elaboração do projeto de orçamento da SAM e na preparação da Prestação de Contas anual da Secretaria. Acompanhar e velar pela correção de todos os atos concernentes à execução do orçamento da SAM. Assistir o Chefe do Setor no estabelecimento do Plano Anual de Compras e Investimentos da Secretaria. Assistir o Técnico em Contabilidade na execução das tarefas que lhe forem atribuídas. Título universitário ou intermediário (não inferior a três anos) em Contabilidade ou experiência nas funções na SAM por mais de 2 anos; Experiência em contabilidade patrimonial e orçamentária; Conhecimentos gerais sobre o MERCOSUL; Domínio de processador de texto e outros programas utilizados pela SAM; Unidade: Setor de Administração Denominação do Cargo: Técnico em Recursos Humanos Subordinação hierárquica: Chefe do Setor de Administração Funções: Assistir o Chefe do Setor nas questões relacionadas com a organização, a formação e a supervisão do pessoal da SAM. Preparar os contratos de trabalho do pessoal da SAM e adotar as medidas administrativas necessárias à sua implementação. Assegurar o correto registro de presenças, ausências e afastamentos do pessoal da Secretaria. Prestar assistência, quando cabível, nos processos de avaliação regular do pessoal da SAM, bem como na aplicação do regime disciplinar da Secretaria. Supervisionar a execução dos serviços de comunicações, portaria, limpeza e segurança da SAM, dentre outros serviços relativos ao funcionamento regular da Secretaria. Título universitário ou intermediário (não inferior a três anos) relacionado com a administração de recursos humanos ou experiência nas funções na 20

21 SAM por mais de 2 anos; Experiência de trabalho na área de recursos humanos; Conhecimentos gerais sobre o MERCOSUL; Unidade: Setor de Administração Denominação do Cargo: Recepcionista Subordinação hierárquica: Chefe do Setor de Administração Funções: Realizar tarefas concernentes aos serviços de telefonia, recepção e expedição de fax e correio eletrônico. Receber, distribuir e expedir correspondência da SAM. Executar tarefas relativas ao protocolo da SAM. Receber e orientar visitantes e delegados. Prestar apoio de caráter administrativo ao Setor. Conhecimento básico sobre o MERCOSUL; Unidade: Setor de Administração Denominação do Cargo: Recepcionista Subordinação hierárquica: Chefe do Setor de Administração Funções: Realizar tarefas concernentes aos serviços de telefonia, recepção e expedição de fax e correio eletrônico. Receber, distribuir e expedir correspondência da SAM. Executar tarefas relativas ao protocolo da SAM. Receber e orientar visitantes e delegados. Prestar apoio de caráter administrativo ao Setor. Conhecimento básico sobre o MERCOSUL; Unidade: Setor de Administração 21

22 Denominação do Cargo: Operador de Fotocopiadora Subordinação hierárquica: Chefe do Setor de Administração Funções: Executar os serviços de fotocópia da SAM. Prestar apoio de caráter administrativo ao Setor. Curso primário completo; Conhecimento básico dos idiomas espanhol e português. Unidade: Setor de Administração Denominação do Cargo: Mensageiro Subordinação hierárquica: Chefe do Setor de Administração Funções: Executar os serviços de fotocópia da SAM. Prestar apoio de caráter administrativo ao Setor. Curso primário completo; Conhecimento básico dos idiomas espanhol e português. 22

MANUAL DE CARGOS E FUNÇÕES DA SECRETARIA ADMINISTRATIVA DO MERCOSUL

MANUAL DE CARGOS E FUNÇÕES DA SECRETARIA ADMINISTRATIVA DO MERCOSUL MERCOSUL/GMC/RES Nº 93/00 MANUAL DE CARGOS E FUNÇÕES DA SECRETARIA ADMINISTRATIVA DO MERCOSUL TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto, a Decisão Nº 24/00 do Conselho do Mercado

Leia mais

ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DA SECRETARIA DO MERCOSUL

ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DA SECRETARIA DO MERCOSUL MERCOSUL/GMC/RES. N 01/03 ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DA SECRETARIA DO MERCOSUL TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto, as Decisões Nº 04/96, 24/00, 1/02, 16/02 e 30/02 do Conselho

Leia mais

Mercosul Protocolo de Ouro Preto

Mercosul Protocolo de Ouro Preto PROTOCOLO DE OURO PRETO PROTOCOLO ADICIONAL AO TRATADO DE ASSUNÇÃO SOBRE A ESTRUTURA INSTITUCIONAL DO MERCOSUL (Ouro Preto, 17/12/1994) A República Argentina, a República Federativa do Brasil, a República

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 199 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº. 199 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2013 RESOLUÇÃO Nº. 199 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2013 A PRESIDENTE EM EXERCÍCIO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA, no uso de suas atribuições legais e CONSIDERANDO que as entidades da Administração Pública Federal indireta

Leia mais

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM DECRETO nº 1098, de 12 de fevereiro de 2009 Dispõe sobre alocação, denominação e atribuições dos órgãos que compõem a estrutura organizacional do Gabinete da Prefeita e dá outras providências. A PREFEITA

Leia mais

ATO NORMATIVO Nº 006 /2007

ATO NORMATIVO Nº 006 /2007 ATO NORMATIVO Nº 006 /2007 Dispõe sobre os cargos em comissão do Ministério Público do Estado da Bahia, e dá outras providências. O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA, no uso das atribuições

Leia mais

MINISTÉRIO DO COMÉRCIO

MINISTÉRIO DO COMÉRCIO MINISTÉRIO DO COMÉRCIO REGULAMENTO INTERNO DAS REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS DA REPÚBLICA DE ANGOLA NO ESTRANGEIRO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º (Natureza) As representações são órgãos de execução

Leia mais

Marcones Libório de Sá Prefeito

Marcones Libório de Sá Prefeito Mensagem n. 010 /2015 Salgueiro, 14 de Setembro de 2015. Senhor Presidente, Senhores (as) Vereadores (as), Considerando os princípios de descentralização e transparência, que tem levado esta administração

Leia mais

Ministério do Comércio

Ministério do Comércio Ministério do Comércio Decreto Executivo nº /07 De 03 de Setembro Convindo regulamentar o funcionamento do Gabinete de Estudos, Planeamento e Estatística do Ministério do Comércio; Nestes termos, ao abrigo

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 080/2014, DE 25 DE JUNHO DE 2014 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG

RESOLUÇÃO Nº 080/2014, DE 25 DE JUNHO DE 2014 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG RESOLUÇÃO Nº 080/2014, DE 25 DE JUNHO DE 2014 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG O Conselho Universitário da UNIFAL-MG, no uso de suas atribuições regimentais e estatutárias,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 13/2010 Aprova o Regimento Interno do Núcleo de Inovação e Transferência de Tecnologia

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLOGICA NIT

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLOGICA NIT RESOLUÇÃO CONSU Nº. 33/21 DE 3 DE AGOSTO DE 21. A Presidente do Conselho Superior Universitário da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas, no uso de suas atribuições regimentais, e consequente

Leia mais

GUIA PARA O RECONHECIMENTO DOS PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE

GUIA PARA O RECONHECIMENTO DOS PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE MERCOSUL/GMC/RES. Nº 14/05 GUIA PARA O RECONHECIMENTO DOS PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto e as Resoluções Nº 38/95, 77/98, 56/02,

Leia mais

ACORDO-QUADRO SOBRE MEIO AMBIENTE DO MERCOSUL

ACORDO-QUADRO SOBRE MEIO AMBIENTE DO MERCOSUL MERCOSUL/CMC/DEC. N o 02/01 ACORDO-QUADRO SOBRE MEIO AMBIENTE DO MERCOSUL TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto, a Resolução N o 38/95 do Grupo Mercado Comum e a Recomendação

Leia mais

Minuta REGIMENTO DO ARQUIVO CENTRAL DA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA CAPÍTULO I DA NATUREZA, COMPOSIÇÃO E OBJETIVOS

Minuta REGIMENTO DO ARQUIVO CENTRAL DA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA CAPÍTULO I DA NATUREZA, COMPOSIÇÃO E OBJETIVOS Minuta REGIMENTO DO ARQUIVO CENTRAL DA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA CAPÍTULO I DA NATUREZA, COMPOSIÇÃO E OBJETIVOS Art. 1.º O ARQUIVO CENTRAL (ACE) é órgão de natureza complementar da Fundação Universidade

Leia mais

PORTARIA Nº 1.146, DE 10 DE JUNHO DE 2008

PORTARIA Nº 1.146, DE 10 DE JUNHO DE 2008 PORTARIA Nº 1.146, DE 10 DE JUNHO DE 2008 O MINISTRO DE ESTADO DA JUSTIÇA, no uso de suas atribuições que lhe confere o art. 4o- do Decreto no- 6,061, de 15 de março de 2007, resolve: Art. 1 Aprovar o

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO I V S E M I N Á R I O D E E X E C U Ç Ã O F I N A N C E I R A D E P R O J E T O S F I N A N C I A D O S C O M R E C U R S O S E X T E R N O S MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO REGIMENTO INTERNO DA COORDENAÇÃO DE GESTÃO DE DOCUMENTOS E INFORMAÇÃO DA UFRRJ

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO REGIMENTO INTERNO DA COORDENAÇÃO DE GESTÃO DE DOCUMENTOS E INFORMAÇÃO DA UFRRJ MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO REGIMENTO INTERNO DA COORDENAÇÃO DE GESTÃO DE DOCUMENTOS E INFORMAÇÃO DA UFRRJ Art. 1 O presente Regimento Interno estabelece diretrizes

Leia mais

REGULAMENTO DA ASSESSORIA DE PLANEJAMENTO

REGULAMENTO DA ASSESSORIA DE PLANEJAMENTO REGULAMENTO DA ASSESSORIA PLANEJAMENTO (RES. Nº 280/99-CAD) CAPÍTULO I DA FINALIDA Art. 1º - A Assessoria de Planejamento (ASP), órgão da reitoria, é responsável pela análise da evolução da Universidade

Leia mais

CONSELHO DE MINISTROS

CONSELHO DE MINISTROS CONSELHO DE MINISTROS Decreto n.º 35/02 de 28 de Junho Considerando a importância que a política comercial desempenha na estabilização económica e financeira, bem como no quadro da inserção estrutural

Leia mais

Prefeitura Municipal de Nova Ubiratã Gestão: 2009/2012

Prefeitura Municipal de Nova Ubiratã Gestão: 2009/2012 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 018 /2011/CSCI Versão: 01 Aprovação em: 17 de novembro de 2011 Ato de Aprovação: 018/2011 Unidades Responsáveis: Assessoria de Imprensa e Comunicação Social DISPÕE SOBRE PROCEDIMENTOS

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 033 DE 10 DE MARÇO DE 2015.

RESOLUÇÃO Nº. 033 DE 10 DE MARÇO DE 2015. RESOLUÇÃO Nº. 033 DE 10 DE MARÇO DE 2015. O CONSELHO DE UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS, no uso de suas atribuições legais, e considerando o Parecer nº. 01/2015 da Comissão Permanente

Leia mais

Brasileira (UNILAB).

Brasileira (UNILAB). RESOLUÇÃO N 029/2013, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2013. Aprova o Regimento da Unidade de Auditoria Interna da Brasileira (UNILAB). Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro- O VICE-REITOR, PRO

Leia mais

REGIMENTO DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA DO IF SUDESTE DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I

REGIMENTO DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA DO IF SUDESTE DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I REGIMENTO DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA DO IF SUDESTE DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I Disposições Preliminares Art. 1º A Auditoria Interna do IF Sudeste de Minas Gerais, está vinculada ao Conselho Superior,

Leia mais

RESOLUÇÃO - RDC No- 22, DE 23 DE ABRIL DE 2013

RESOLUÇÃO - RDC No- 22, DE 23 DE ABRIL DE 2013 RESOLUÇÃO - RDC No- 22, DE 23 DE ABRIL DE 2013 Aprova os Procedimentos Comuns para as Inspeções nos Fabricantes de Produtos Médicos e Produtos para Diagnóstico de Uso in vitro nos Estados Partes, e dá

Leia mais

1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS

1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS 1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS 1.1. Diretoria Executiva (DEX) À Diretora Executiva, além de planejar, organizar, coordenar, dirigir e controlar as atividades da Fundação, bem como cumprir e fazer cumprir

Leia mais

ACORDO BÁSICO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA Assinado no Rio de Janeiro, a 29 de dezembro de 1964.

ACORDO BÁSICO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA Assinado no Rio de Janeiro, a 29 de dezembro de 1964. ACORDO BÁSICO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA Assinado no Rio de Janeiro, a 29 de dezembro de 1964. Aprovado pelo Decreto Legislativo nº 11, de 1966. Entrada em vigor (art. 6º, 1º) a 2 de maio de 1966. Promulgado

Leia mais

LEI N.º 3.590 de 2 de maio de 2006.

LEI N.º 3.590 de 2 de maio de 2006. LEI N.º 3.590 de 2 de maio de 2006. O PREFEITO MUNICIPAL DE URUGUAIANA: Dispõe sobre a Estrutura Administrativa e institui organograma da Câmara Municipal de Uruguaiana e dá outras providências. Faço saber,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 044/2015, DE 13 DE ABRIL DE 2015 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG

RESOLUÇÃO Nº 044/2015, DE 13 DE ABRIL DE 2015 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG RESOLUÇÃO Nº 044/2015, DE 13 DE ABRIL DE 2015 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG O Conselho Universitário da UNIFAL-MG, no uso de suas atribuições regimentais e estatutárias,

Leia mais

Projeto IPPDH Cooperação Humanitária Internacional

Projeto IPPDH Cooperação Humanitária Internacional TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONSULTORIA COORDENADOR/A DE CAPACITAÇÃO 1. Antecedentes Projeto IPPDH Cooperação Humanitária Internacional O Projeto Cooperação Humanitária Internacional tem por objetivo o desenvolvimento

Leia mais

REGIMENTO INTERNO AUDITORIA INTERNA DA UNIFEI. CAPÍTULO I Disposições Preliminares

REGIMENTO INTERNO AUDITORIA INTERNA DA UNIFEI. CAPÍTULO I Disposições Preliminares REGIMENTO INTERNO DA UNIFEI CAPÍTULO I Disposições Preliminares Art. 1º. A Auditoria Interna da Universidade Federal de Itajubá é um órgão técnico de assessoramento da gestão, vinculada ao Conselho de

Leia mais

I. conhecer o Projeto Político-Pedagógico deste estabelecimento d e ensino;

I. conhecer o Projeto Político-Pedagógico deste estabelecimento d e ensino; Compete ao Secretário Escolar: I. conhecer o Projeto Político-Pedagógico deste estabelecimento d e ensino; II. cumprir a legislação em vigor e as instruções normativas emanadas da SEED, que regem o registro

Leia mais

Projeto IPPDH Cooperação Humanitária Internacional

Projeto IPPDH Cooperação Humanitária Internacional TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONSULTORIA PESQUISADOR/A ESPECIALISTA REFÚGIO 1. Antecedentes Projeto IPPDH Cooperação Humanitária Internacional O Projeto Cooperação Humanitária Internacional tem por objetivo

Leia mais

CARGOS E FUNÇÕES APEAM

CARGOS E FUNÇÕES APEAM CARGOS E FUNÇÕES APEAM 1. PRESIDÊNCIA A Presidência possui por finalidades a representação oficial e legal da associação, coordenação e integração da Diretoria Executiva, e o acompanhamento, avaliação,

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DE MG Rua Tomaz Gonzaga 686 Bairro de Lourdes CEP 30180 140 Belo Horizonte MG RESOLUÇÃO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DE MG Rua Tomaz Gonzaga 686 Bairro de Lourdes CEP 30180 140 Belo Horizonte MG RESOLUÇÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DE MG Rua Tomaz Gonzaga 686 Bairro de Lourdes CEP 30180 140 Belo Horizonte MG RESOLUÇÃO RESOLUÇÃO N. 162/2015 Institui o Regimento Interno da Escola Judicial Militar do Estado

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DE ATUAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA FUNDAÇÃO UNIPLAC DA NATUREZA, FINALIDADE E COMPOSIÇÃO

REGIMENTO INTERNO DE ATUAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA FUNDAÇÃO UNIPLAC DA NATUREZA, FINALIDADE E COMPOSIÇÃO REGIMENTO INTERNO DE ATUAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA FUNDAÇÃO UNIPLAC DA NATUREZA, FINALIDADE E COMPOSIÇÃO Art. 1º A Diretoria Executiva, subordinada ao Presidente da Fundação, é responsável pelas atividades

Leia mais

1 Prefeitura Municipal de Luís Eduardo Magalhães ESTADO DA BAHIA

1 Prefeitura Municipal de Luís Eduardo Magalhães ESTADO DA BAHIA A 1 CNPJ 04.214.41910001-05 DECRETO N 3.091, DE 05 DE JANEIRO DE 2014. "Dispõe sobre a estrutura organizacional da Procuradoria Geral do Município ". O PREFEITO MUNICIPAL DE LUIS EDUARDO MAGALHÃES,, no

Leia mais

SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A.

SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A. SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REGIMENTO INTERNO DOS COMITÊS COMITÊ DE FINANÇAS E ORÇAMENTO APROVADO PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EM 24 DE SETEMBRO DE 2014 SUMÁRIO I INTRODUÇÃO

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ESTADO DOS DIREITOS HUMANOS AUTORIDADE CENTRAL ADMINISTRATIVA FEDERAL

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ESTADO DOS DIREITOS HUMANOS AUTORIDADE CENTRAL ADMINISTRATIVA FEDERAL II REUNIÃO DO CONSELHO DAS AUTORIDADES CENTRAIS BRASILEIRAS RESOLUÇÃO N.º 02/ 2000 Dispõe sobre a Aprovação do Regimento Interno e dá outras providências O Presidente do Conselho das Autoridades Centrais

Leia mais

ANEXO VI REGIMENTO INTERNO DA SECRETARIA DE PLANEJAMENTO E INVESTIMENTOS ESTRATÉGICOS CAPÍTULO I CATEGORIA E FINALIDADE

ANEXO VI REGIMENTO INTERNO DA SECRETARIA DE PLANEJAMENTO E INVESTIMENTOS ESTRATÉGICOS CAPÍTULO I CATEGORIA E FINALIDADE (Portaria GM-MP nº 220, de 25 de junho de 2014) ANEXO VI REGIMENTO INTERNO DA SECRETARIA DE PLANEJAMENTO E INVESTIMENTOS ESTRATÉGICOS CAPÍTULO I CATEGORIA E FINALIDADE Art. 1º A Secretaria de Planejamento

Leia mais

Projeto IPPDH Cooperação Humanitária Internacional

Projeto IPPDH Cooperação Humanitária Internacional TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONSULTORIA PESQUISADOR/A ESPECIALISTA 1. Antecedentes Projeto IPPDH Cooperação Humanitária Internacional O Projeto Cooperação Humanitária Internacional tem por objetivo o desenvolvimento

Leia mais

REGRAS MODELO DE PROCEDIMENTO PARA OS TRIBUNAIS ARBITRAIS AD HOC DO MERCOSUL

REGRAS MODELO DE PROCEDIMENTO PARA OS TRIBUNAIS ARBITRAIS AD HOC DO MERCOSUL MERCOSUL/CMC/DEC. Nº 30/04 REGRAS MODELO DE PROCEDIMENTO PARA OS TRIBUNAIS ARBITRAIS AD HOC DO MERCOSUL TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Olivos para a Solução de Controvérsias no MERCOSUL

Leia mais

PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. Regulamenta as atribuições da Secretaria de Controle Interno do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região e dá outras providências. A PRESIDENTE DO, no uso de

Leia mais

SECRETARÍA DEL MERCOSUR RESOLUCIÓN GMC Nº 26/01 ARTÍCULO 10 FE DE ERRATAS ORIGINAL

SECRETARÍA DEL MERCOSUR RESOLUCIÓN GMC Nº 26/01 ARTÍCULO 10 FE DE ERRATAS ORIGINAL MERCOSUL/GMC/RES. N 56/02 SECRETARÍA DEL MERCOSUR DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO E REVISÃO DE REGULAMENTOS TÉCNICOS MERCOSUL E PROCEDIMENTOS MERCOSUL DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE (REVOGAÇÃO DAS RES. GMC N

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 09/2010

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 09/2010 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 09/2010 Aprova o Regimento Interno da Comissão Interna de Supervisão da Carreira dos Cargos

Leia mais

o artigo 13, VIII do Estatuto da UEPG;

o artigo 13, VIII do Estatuto da UEPG; Certifico que a presente Resolução foi disponibilizada neste local no dia 05/12/2014 Graziela de Fátima Rocha Secretaria da Reitoria RESOLUÇÃO UNIV. N o 43, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2014. Aprova o Regimento

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS NINTEC CAPÍTULO I DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E SEUS FINS

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS NINTEC CAPÍTULO I DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E SEUS FINS REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS NINTEC CAPÍTULO I DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E SEUS FINS Art. 1º O Núcleo de Inovação Tecnológica da Universidade

Leia mais

PORTARIA Nº 356, DE 10 DE MARÇO DE 2014

PORTARIA Nº 356, DE 10 DE MARÇO DE 2014 PORTARIA Nº 356, DE 10 DE MARÇO DE 2014 Publica a proposta de Projeto de Resolução "Boas Práticas em procedimentos para organização e funcionamento dos serviços de transplante de órgãos". O MINISTRO DE

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO R E S O L U Ç Ã O :

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO R E S O L U Ç Ã O : SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 662, DE 31 DE MARÇO DE 2009 Aprova o Regimento dos Órgãos Executivos da Administração Superior. O REITOR DA UNIVERSIDADE

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS SECRETARIA DOS CONSELHOS RESOLUÇÃO N 182 CEPEX/2006

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS SECRETARIA DOS CONSELHOS RESOLUÇÃO N 182 CEPEX/2006 SECRETARIA DOS CONSELHOS RESOLUÇÃO N 182 CEPEX/2006 APROVA A ALTERAÇÃO DA SIGLA DO NÚCLEO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E O SEU REGIMENTO O Reitor e Presidente do CONSELHO DE ENSINO,

Leia mais

MENSAGEM N.º 594, DE 2015 (Do Poder Executivo)

MENSAGEM N.º 594, DE 2015 (Do Poder Executivo) CÂMARA DOS DEPUTADOS MENSAGEM N.º 594, DE 2015 (Do Poder Executivo) Aviso nº 682/2015 - C. Civil Texto da Decisão nº 10/12 do Conselho de Chefes de Estado e de Governo da União das Nações Sul-Americanas

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DOS PRINCÍPIOS

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DOS PRINCÍPIOS Er REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DOS PRINCÍPIOS Art 1º O Fórum da Agenda 21 Local Regional de Rio Bonito formulará propostas de políticas públicas voltadas para o desenvolvimento sustentável local, através

Leia mais

PORTARIA Nº 281, DE 16 DE JUNHO DE 2015

PORTARIA Nº 281, DE 16 DE JUNHO DE 2015 PORTARIA Nº 281, DE 16 DE JUNHO DE 2015 Aprova o anexo Regimento Interno do Fórum Permanente para o Transporte Rodoviário de Cargas. O SECRETÁRIO-EXECUTIVO, SUBSTITUTO, DO MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES, no

Leia mais

DECRET0 Nº 2.250, DE 30 DE MAIO DE 2008

DECRET0 Nº 2.250, DE 30 DE MAIO DE 2008 DECRET0 Nº 2.250, DE 30 DE MAIO DE 2008 Publicado no Jornal Correio Paranaense Em, 04.06.2008 Dispõe sobre a Estrutura Regimental da Secretaria Municipal de Governo. O Prefeito Municipal de São José dos

Leia mais

PROGRAMA PARA CAPACITAÇÃO DE INSPETORES PARA A VERIFICAÇÃO DO CUMPRIMENTO DAS BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO DE PRODUTOS MÉDICOS

PROGRAMA PARA CAPACITAÇÃO DE INSPETORES PARA A VERIFICAÇÃO DO CUMPRIMENTO DAS BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO DE PRODUTOS MÉDICOS MERCOSUL/GMC/RES Nº 25/98 PROGRAMA PARA CAPACITAÇÃO DE INSPETORES PARA A VERIFICAÇÃO DO CUMPRIMENTO DAS BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO DE PRODUTOS MÉDICOS TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS SECRETARIA DOS CONSELHOS SUPERIORES CONSELHO COORDENADOR DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS SECRETARIA DOS CONSELHOS SUPERIORES CONSELHO COORDENADOR DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO REGIMENTO DA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA Art 1º A Pró-Reitoria de Extensão e Cultura e o órgão da Reitoria que supervisiona, coordena e apóia a execução das atividades extensionistas, no cumprimento

Leia mais

FORUM PERMANENTE DA AGENDA 21 LOCAL DE SAQUAREMA REGIMENTO INTERNO. CAPITULO 1-Da natureza, sede, finalidade, princípios e atribuições:

FORUM PERMANENTE DA AGENDA 21 LOCAL DE SAQUAREMA REGIMENTO INTERNO. CAPITULO 1-Da natureza, sede, finalidade, princípios e atribuições: FORUM PERMANENTE DA AGENDA 21 LOCAL DE SAQUAREMA REGIMENTO INTERNO CAPITULO 1-Da natureza, sede, finalidade, princípios e atribuições: Artigo I: O Fórum Permanente da Agenda 21 de Saquarema, criado pelo

Leia mais

Associação Matogrossense dos Municípios

Associação Matogrossense dos Municípios PORTARIA Nº 021/2010 O Presidente da Associação Matogrossense dos Municípios AMM, no uso de suas atribuições legais que lhe são conferidas pelo Estatuto Social e Resolução 002/2010 da AMM, RESOLVE: Art.

Leia mais

DECRETO N 6.664 DE 05 DE MARÇO DE 1990

DECRETO N 6.664 DE 05 DE MARÇO DE 1990 DECRETO N 6.664 DE 05 DE MARÇO DE 1990 DISPÕE SOBRE ALTERAÇÃO DO ANEXO III DO DECRETO N 2.456, DE 24.09.1982. O GOVERNADOR DO ESTADO DO PARÁ, no uso de suas atribuições que lhe confere o art. 135, inciso

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO. BKR-Lopes, Machado Orientador Empresarial LEX

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO. BKR-Lopes, Machado Orientador Empresarial LEX VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO Orientador Empresarial LEX Jovem Empreendedor Programa de Crédito Orientado Comitês de Aprovação Regulamento Operacional CARTA-CIRCULAR

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COMISSÃO DE ÉTICA DO CEFET/RJ REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I. Competências

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COMISSÃO DE ÉTICA DO CEFET/RJ REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I. Competências MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA COMISSÃO DE ÉTICA DO CEFET/RJ REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I Competências Art. 1º - Compete à Comissão de Ética, no âmbito

Leia mais

ANEXO XI REGIMENTO INTERNO DA SECRETARIA DE RELAÇÕES DE TRABALHO NO SERVIÇO PÚBLICO CAPÍTULO I CATEGORIA E FINALIDADE

ANEXO XI REGIMENTO INTERNO DA SECRETARIA DE RELAÇÕES DE TRABALHO NO SERVIÇO PÚBLICO CAPÍTULO I CATEGORIA E FINALIDADE (Portaria GM-MP nº 220, de 25 de junho de 2014 ) ANEXO XI REGIMENTO INTERNO DA SECRETARIA DE RELAÇÕES DE TRABALHO NO SERVIÇO PÚBLICO CAPÍTULO I CATEGORIA E FINALIDADE Art. 1º A Secretaria de Relações de

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE INOVAÇÃO DE FIBRIA CELULOSE S.A. CAPÍTULO I DO COMITÊ DE INOVAÇÃO

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE INOVAÇÃO DE FIBRIA CELULOSE S.A. CAPÍTULO I DO COMITÊ DE INOVAÇÃO REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE INOVAÇÃO DE FIBRIA CELULOSE S.A. CAPÍTULO I DO COMITÊ DE INOVAÇÃO 1. O Comitê de Inovação (o "Comitê") é um órgão colegiado de assessoramento e instrução, instituído pelo

Leia mais

REGIMENTO INTERNO Aprovado dia 02 de julho de 1982

REGIMENTO INTERNO Aprovado dia 02 de julho de 1982 REGIMENTO INTERNO Aprovado dia 02 de julho de 1982 Artigo 1º. - A FUNDAÇÃO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM AGRONOMIA, MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA - FUNEP, além das disposições constantes de seu Estatuto

Leia mais

PRIMEIRA CONFERÊNCIA DOS ESTADOS PARTES DA CONVENÇÃO INTERAMERICANA CONTRA A CORRUPÇÃO. Buenos Aires, Argentina 2, 3 e 4 de maio de 2001

PRIMEIRA CONFERÊNCIA DOS ESTADOS PARTES DA CONVENÇÃO INTERAMERICANA CONTRA A CORRUPÇÃO. Buenos Aires, Argentina 2, 3 e 4 de maio de 2001 PRIMEIRA CONFERÊNCIA DOS ESTADOS PARTES DA CONVENÇÃO INTERAMERICANA CONTRA A CORRUPÇÃO Buenos Aires, Argentina 2, 3 e 4 de maio de 2001 DOCUMENTO DE BUENOS AIRES SOBRE O MECANISMO DE ACOMPANHAMENTO DA

Leia mais

REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE FRUTAL FAF TÍTULO I DO REGULAMENTO E DO ÓRGÃO

REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE FRUTAL FAF TÍTULO I DO REGULAMENTO E DO ÓRGÃO REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE FRUTAL FAF TÍTULO I DO REGULAMENTO E DO ÓRGÃO Art. 1º Este Regulamento Interno disciplina as normas relativas ao funcionamento da Comissão Própria

Leia mais

ACORDO SOBRE O PROJETO DE FOMENTO DE GESTÃO AMBIENTAL E PRODUÇÃO MAIS LIMPA EM PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

ACORDO SOBRE O PROJETO DE FOMENTO DE GESTÃO AMBIENTAL E PRODUÇÃO MAIS LIMPA EM PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS MERCOSUL/CMC/DEC. Nº 03/02 ACORDO SOBRE O PROJETO DE FOMENTO DE GESTÃO AMBIENTAL E PRODUÇÃO MAIS LIMPA EM PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto e a

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN ROTINAS ADMINISTRATIVAS PROPLAN SETOR: Pró-Reitoria CARGO: Docente / TNS FUNÇÃO: Pró-Reitor

Leia mais

Ministério da Comunicação Social

Ministério da Comunicação Social Ministério da Comunicação Social Decreto Executivo Nº 80 /2007 de 2 de Julho Convindo regulamentar o funcionamento do Gabinete de Intercâmbio Internacional do Ministério da Comunicação Social; Nestes termos,

Leia mais

ANEXO I REGIMENTO INTERNO DO GABINETE DO MINISTRO CAPITULO I CATEGORIA E FINALIDADE

ANEXO I REGIMENTO INTERNO DO GABINETE DO MINISTRO CAPITULO I CATEGORIA E FINALIDADE (Portaria GM-MP nº 220, de 25 de junho de 2014 ) ANEXO I REGIMENTO INTERNO DO GABINETE DO MINISTRO CAPITULO I CATEGORIA E FINALIDADE Art. 1º O Gabinete do Ministro, órgão subordinado diretamente ao Ministro

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO FÓRUM NACIONAL DE PREVENÇÃO E ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL CAPÍTULO I DA FINALIDADE

REGIMENTO INTERNO DO FÓRUM NACIONAL DE PREVENÇÃO E ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL CAPÍTULO I DA FINALIDADE REGIMENTO INTERNO DO FÓRUM NACIONAL DE PREVENÇÃO E ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL CAPÍTULO I DA FINALIDADE Art. 1 o O Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil, constituído em 1994,

Leia mais

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL Diretor Geral O Diretor Geral supervisiona e coordena o funcionamento das unidades orgânicas do Comité Olímpico de Portugal, assegurando o regular desenvolvimento das suas

Leia mais

Aprovado pelo CONSUNI - UFRJ - 25 de agosto de 2011

Aprovado pelo CONSUNI - UFRJ - 25 de agosto de 2011 REGIMENTO DO INSTITUTO ALBERTO LUIZ COIMBRA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA DE ENGENHARIA (COPPE) DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO. Aprovado por unanimidade pelo Conselho Deliberativo da COPPE em

Leia mais

Aberta e a Distância - CEAD, da UNIFAL-MG.

Aberta e a Distância - CEAD, da UNIFAL-MG. RESOLUÇÃO Nº 023/2011, DE 28 DE ABRIL DE 2011 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG O Conselho Universitário da UNIFAL-MG, no uso de suas atribuições regimentais e estatutárias,

Leia mais

RESOLUÇÃO CSA N.º 05, DE 14 DE ABRIL DE 2015

RESOLUÇÃO CSA N.º 05, DE 14 DE ABRIL DE 2015 RESOLUÇÃO CSA N.º 05, DE 14 DE ABRIL DE 2015 Altera o Regimento Interno da Comissão Própria de Avaliação (CPA) das Faculdades Ponta Grossa. A Presidente do Conselho Superior de Administração das Faculdades

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO GABINETE DO PRESIDENTE

REGULAMENTO INTERNO DO GABINETE DO PRESIDENTE REGULAMENTO INTERNO DO GABINETE DO PRESIDENTE CAPÍTULO I Objecto ARTIGO.º (Objecto) O presente regulamento define a composição e o regime jurídico do pessoal do Gabinete do Presidente do Tribunal de Contas.

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI ÍTALO BOLOGNA - FATECIB REGIMENTO COLEGIADO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI ÍTALO BOLOGNA - FATECIB REGIMENTO COLEGIADO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI ÍTALO BOLOGNA - FATECIB REGIMENTO COLEGIADO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL OUTUBRO DE 2008 REGULAMENTO DO COLEGIADO DO CURSO SUPERIOR DE EM AUTOMAÇÃO

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO. PORTARIA Nº CF-POR-2012/00116 de 11 de maio de 2012

PODER JUDICIÁRIO. PORTARIA Nº CF-POR-2012/00116 de 11 de maio de 2012 PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL PORTARIA Nº CF-POR-2012/00116 de 11 de maio de 2012 Dispõe sobre a composição, o funcionamento e as atribuições dos Comitês Gestores do Código

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO DO COMITÉ DE AGENTES DO MERCADO

REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO DO COMITÉ DE AGENTES DO MERCADO REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO DO COMITÉ DE AGENTES DO MERCADO CAPÍTULO I. DENOMINAÇÃO E OBJETO. Artigo 1. Denominação e Regime jurídico. O Comité de Agentes do Mercado constitui-se como um órgão

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES FACULDADE DE MATEMÁTICA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES FACULDADE DE MATEMÁTICA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES FACULDADE DE MATEMÁTICA REGIMENTO INTERNO DA FACULDADE DE MATEMÁTICA, CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES, UFPA.

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DEFINIÇÃO

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DEFINIÇÃO CAPÍTULO I DA NATUREZA E DEFINIÇÃO Art. 1º As atividades de Pesquisa da Universidade de Santo Amaro UNISA buscam fomentar o conhecimento por meio da inovação técnica, científica, humana, social e artística,

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Art. 1º - A Diretoria de Tecnologia de Informação e Comunicação DTIC da Universidade FEDERAL DO ESTADO DO RIO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 021/2007 DO CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG

RESOLUÇÃO Nº 021/2007 DO CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas. UNIFAL-MG Comissão Permanente de Propriedade Intelectual RESOLUÇÃO Nº 021/2007 DO CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG

Leia mais

Regimento Interno do Comitê de Auditoria

Regimento Interno do Comitê de Auditoria 01. FINALIDADE Art. 1º O Comitê de Auditoria (Coaud) rege-se pela legislação aplicável, pelo Estatuto Social do Banco do Brasil, por seu Regimento Interno e por decisões do Conselho de Administração. Art.

Leia mais

Regulamento Estágio Curricular Obrigatório

Regulamento Estágio Curricular Obrigatório Regulamento Estágio Curricular Obrigatório CST em Fabricação Mecânica CST em Gestão de Recursos Humanos CST em Mecatrônica Industrial 1 CAPÍTULO I DA JUSTIFICATIVA E FINALIDADES Art. 1º - O programa de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 001/2010

RESOLUÇÃO Nº 001/2010 RESOLUÇÃO Nº 001/2010 ALTERA O REGIMENTO INTERNO DA OUVIDORIA DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS. O COLÉGIO DE PROCURADORES DE JUSTIÇA, no uso das atribuições conferidas pelo artigo 18, inciso XVII,

Leia mais

REGIMENTO DO CENTRO DE GESTÃO E TRATAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS

REGIMENTO DO CENTRO DE GESTÃO E TRATAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS REGIMENTO DO CENTRO DE GESTÃO E TRATAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS TÍTULO I DO CENTRO E SEUS FINS Artigo 1 O Centro de Gestão e Tratamento de Resíduos Químicos é um órgão auxiliar, de natureza técnica e científica,

Leia mais

TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto e as Resoluções Nº 31/97 e 09/01 do Grupo Mercado Comum.

TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto e as Resoluções Nº 31/97 e 09/01 do Grupo Mercado Comum. MERCOSUL/XXXVI SGT Nº11/P. RES. N /11 PROCEDIMENTOS COMUNS PARA AS INSPEÇÕES NOS FABRICANTES DE PRODUTOS MÉDICOS E PRODUTOS PARA DIAGNÓSTICO DE USO IN VITRO NOS ESTADOS PARTES (REVOGAÇÃO DAS RES. GMC Nº

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM SAÚDE CAPÍTULO I DA CATEGORIA E FINALIDADE

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM SAÚDE CAPÍTULO I DA CATEGORIA E FINALIDADE REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM SAÚDE CAPÍTULO I DA CATEGORIA E FINALIDADE Art. 1º O Núcleo de Inovação Tecnológica em Saúde da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL

PREFEITURA MUNICIPAL ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL LEI No 2.396197 Dispõem sobre a organizaçgo admi nistrativa da Prefeitura Municipal de Soledade e dá outras providên - cias.- HÉLIO ÂNGELO LODI - Prefeito Municipal de Soledade,

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO DECRETO Nº.1478-R de 14 de Abril de 2005 Regulamenta a Lei Complementar nº290, de 23 de junho de 2004, publicada no Diário Oficial do Estado em 25 de junho de 2004, que dispõe sobre a criação da Fundação

Leia mais

CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO

CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO Art. 1º O Laboratório de Línguas é um órgão complementar de fomento ao ensino, pesquisa, extensão, e prestação de serviços vinculado ao Centro de Letras e Ciências Humanas sob

Leia mais

Farmácia Universitária

Farmácia Universitária Universidade Federal de Alfenas UNIFAL-MG Faculdade de Ciências Farmacêuticas Farmácia Universitária Regimento Interno Título I Da Farmácia Universitária Art. 1o A Farmácia Universitária da UNIFAL-MG,

Leia mais

ACORDO SOBRE O PROJETO FOMENTO DA GESTÃO AMBIENTAL E DE PRODUÇÃO MAIS LIMPA EM PEQUENAS E MEDIAS EMPRESAS

ACORDO SOBRE O PROJETO FOMENTO DA GESTÃO AMBIENTAL E DE PRODUÇÃO MAIS LIMPA EM PEQUENAS E MEDIAS EMPRESAS MERCOSUL/CMC/DEC. Nº 09/04 ACORDO SOBRE O PROJETO FOMENTO DA GESTÃO AMBIENTAL E DE PRODUÇÃO MAIS LIMPA EM PEQUENAS E MEDIAS EMPRESAS TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto, as

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 16 - CONSU, DE 07 DE AGOSTO DE 2009.

RESOLUÇÃO Nº. 16 - CONSU, DE 07 DE AGOSTO DE 2009. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI CONSU RESOLUÇÃO Nº. 16 - CONSU, DE 07 DE AGOSTO DE 2009. Aprova o Regimento interno da Diretoria de Relações Internacionais

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO PARA O CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DA UFPR

REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO PARA O CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DA UFPR REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO PARA O CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DA UFPR DA NATUREZA Art.1 o No Projeto Pedagógico do Curso de Ciências Econômicas, as diretrizes curriculares incluem o estágio

Leia mais

PAUTAS NEGOCIADORAS DA RED

PAUTAS NEGOCIADORAS DA RED MERCOSUL/GMC/RES. Nº 39/00 PAUTAS NEGOCIADORAS DA RED TENDO EM VISTA: o Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto e a Resolução Nº 76/98 do Grupo Mercado Comum e a Recomendação N 1/00 da RED. CONSIDERANDO:

Leia mais

Comitê de Articulação Federativa Regimento Interno

Comitê de Articulação Federativa Regimento Interno PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS SUBCHEFIA DE ASSUNTOS FEDERATIVOS Comitê de Articulação Federativa Regimento Interno DA NATUREZA E FINALIDADE Art. 1º O Comitê de Articulação

Leia mais

RESOLUÇÃO N. TC-03/2003

RESOLUÇÃO N. TC-03/2003 RESOLUÇÃO N. TC-03/2003 Reorganiza o Sistema de Controle Interno do Tribunal de Contas do Estado e dá outras providências. O TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA, usando das atribuições que lhe

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA GABINETE DO PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 937/2012 - PGJ

PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA GABINETE DO PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 937/2012 - PGJ RESOLUÇÃO Nº 937/2012 - PGJ O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ, no uso de suas atribuições legais e com fundamento no art. 19, XX, da Lei Complementar nº 85, de 27 de dezembro de 1999, Considerando

Leia mais