SINALIZAÇÃO PARA REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE GÁS NATURAL DIRTEC

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SINALIZAÇÃO PARA REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE GÁS NATURAL DIRTEC"

Transcrição

1 Rev DIRTEC ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ET-SUL Rev. 12 CIA DE GÁS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 1 de 15 REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE GÁS NATURAL ÍNDICE DE REVISÕES DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS EMISSÃO INICIAL EMITIDO PARA CONSTRUÇÃO REVISÃO BRASÍLIA GUAÍBA REVISÃO NÚMERO TELEFONE EM SUBSTIUTIÇÃO AS ET S 002, 007, 016 E REVISÃO DAS PLACAS DE SINALIZAÇÃO ALTERADA ALTURA DA PLACA TIPO B E NOTA 1 DAS PLACAS ALTERADA CONFIGURAÇÃO DO TACHÃO PASSEIO RECOMENDAÇÕES PARA A INSTALAÇÃO DOS TACHÕES ALTERAÇÕES PLACAS ANEXO A E ANEXO B E TACHOES ANEXO C E D ALTERAÇÕES DE TACHÕES / MARCOS DE SINALIZAÇÃO / TELA DE SEGURANÇA COM FITA DE AVISO. ALTERAÇÕES MARCOS DE SINALIZAÇÃO ALTERA CRITÉRIO PARA COLOCAÇÃO DE PLACAS DE SINALIZAÇÃO Rev. 1 Rev. 2 Rev. 3 Rev. 4 Rev. 5 Rev. 6 Rev. 7 Rev. 8 Rev. 9 DATA: 14/05/01 06/09/03 26/11/03 04/10/04 30/03/05 14/04/05 13/09/05 03/11/06 09/09/09 EXECUÇÃO: LIPPI EDUARDO EDUARDO HEBERT HEBERT HEBERT HEBERT ARAGAO L. FELIPE VERIFICAÇÃO: HEITOR BGOPSA BGOPSA JUARES JUARES JUARES JUARES HEBERT OTTO APROVAÇÃO: GÉZIO SULGÁS SULGÁS JUARES JUARES JUARES JUARES OTTO LEA Rev. 10 Rev. 11 Rev. 12 DATA: 02/06/10 16/10/14 16/10/14 EXECUÇÃO: OTTO Tiago Milke VERIFICAÇÃO: OTTO Tiago Milke APROVAÇÃO: LEA Tiago Milke

2 CIA DE GÁS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 2 de 18 Item Página ÍNDICE 1 Objetivos 3 2 Normas de referências 3 3 Considerações gerais 3 4 Placas de sinalização vertical na rede de distribuição 3 5 Tachão de sinalização horizontal 4 6 Marco de sinalização da rede de distribuição 5 7 Tela de segurança com fita de aviso de gasoduto 5 8 Condições específicas 5 Anexo A 6 Anexo B 7 Anexo C 8 Anexo D 9 Anexo E 10 Anexo F 11 Anexo G 12 Anexo H 13

3 CIA DE GÁS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 3 de OBJETIVO O objetivo da presente Especificação Técnica é definir os tipos, os critérios e as recomendações das instalações de sinalização das redes de distribuição de gás natural da Sulgás. 2. NORMAS DE REFERÊNCIA PETROBRÁS N Construção e Montagem de Dutos PETROBRÁS N Tinta Acrílica PETROBRÁS N Cores PETROBRÁS N Pintura de Estrutura Metálica PETROBRÁS N Sinalização de Faixa de Domínio de Duto 3. CONSIDERAÇÕES GERAIS A sinalização da Rede de Distribuição de Gás Natural compreende a instalação de: Placas de sinalização vertical da rede de distribuição de gás natural; Placas de sinalização de estações de gás natural (consultar ET-SUL , em sua última revisão) Tachões de sinalização horizontal; Placas de identificação e advertência de obras especiais; Marcos de sinalização da rede de distribuição. Telas de segurança com aviso sobre a tubulação 4. PLACAS DE SINALIZAÇÃO DA REDE DE DISTRIBUIÇÃO Tem a finalidade de sinalizar a existência de uma Rede de Distribuição de Gás Natural ao longo das vias e/ou logradouros públicos e demais locais por onde passa o gasoduto. 4.1 DIMENSIONAIS MODELO A O modelo A tem as seguintes dimensões: 1000 x 650 x 3,175 mm. É apropriada para a utilização às margens de rodovias e avenidas de alto volume de tráfego, áreas de baixa densidade demográfica, paredes ou painéis e locais onde a visualização seja dificultada por distância ou acesso visual. Representada no ANEXO A MODELO B O modelo B tem as seguintes dimensões: 550 x 400 x 2,5 mm. É indicada para trechos urbanos ou onde haja limitações de espaço disponível ou das ERM s e ERP s. Representada no ANEXO B. 4.2 DIRETRIZES PARA LOCAÇÃO

4 CIA DE GÁS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 4 de Devem ser instalados ao longo da Rede de Distribuição de Gás Natural, em intervalos de no máximo 500m, quando esta estiver instalada em estradas e rodovias. Quando forem instaladas em trechos urbanos (vias públicas) estas devem ter espaçamento máximo de 150m (Placas Tipo B), ou quando o gasoduto mudar de direção ou de lado da via. Neste caso, obrigatoriamente, devem ser instaladas uma de cada lado. As placas devem ser instaladas paralelamente ao sentido da estrada, ao lado onde estiver locada a tubulação. - As placas devem ser instaladas a distâncias superiores a 3m de esquinas, evitando-se interferências com veículos grandes (caminhões /Ônibus). - Em caso de travessias, as placas deverão ser instaladas uma de frente para a outra. - Evitar a proximidade com árvores, cuja visualização de nossa placa fique prejudicada. - Manter distância mínima de 3 metros de outras estruturas, tais como postes, entrada e saída de veículos e locais com outras sinalizações existentes (Ex. Placas de Trânsito, Publicidade, etc...). - A placa deve estar visível para um observador a pé ou dentro de um veículo As Placas devem ser frente e verso, permitindo a visualização nos dois sentidos e devem ser instaladas perpendicularmente ao sentido da tubulação. 5. TACHÃO DE SINALIZAÇÃO HORIZONTAL 5.1. MODELOS REDE DE GÁS NA VIA Serão instalados no passeio da via pública, junto ao meio-fio, espaçados de 20 em 20metros. No caso de locais onde não forem montadas as placas de sinalização o espaçamento será de 10 em 10 metros. Representado no ANEXO C REDE DE GÁS NO PASSEIO Serão instalados no passeio, sobre a tubulação de gasoduto, com espaçamentos regulares de 20 em 20metros. No caso de locais onde não forem montadas as placas de sinalização o espaçamento será de 10 em 10 metros. Representado no ANEXO D. 5.3 MATERIAIS Os tachões devem ser confeccionados em resina de Poliamida com proteção UVA/UVB na cor Amarelo Segurança Notação Munsell 5 Y 8/ RECOMENDAÇÕES PARA INSTALAÇÃO/FIXAÇÃO Serão instalados/fixados observando-se: 1 Locação; 2- Furo em broca de concreto 10 mm com 4 cm profundidade; 3- Apicoamento em 4 pontos a 90 graus do furo;( garante substrato limpo em 4 pontos para melhor aderência) 4- Limpeza do furo e da superfície;

5 CIA DE GÁS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 5 de 18 5 Aplicação da resina epóxi Hilti HTE 50 com pistola no furo; 6 Fixação do tachão; Equipamentos requeridos: Furadeira + gerador ou furadeira a bateria, vassoura, haste para limpeza, resina + aplicador. Tempo de instalação aproximado 3 minutos por peça. Tempo de trabalho da resina a 4º 60 minutos, a 24ºC 20 minutos. Cura total de 60 horas a 24 horas. Após 2 horas o tachão já não pode ser removido. Em locais onde não houver pavimentação do passeio ou em locais que comprometam a fixação do mesmo, o tachão deverá ser instalado sob um bloco de concreto nas dimensões de 200 x 200 x 200mm. 6. MARCO DE SINALIZAÇÃO DA REDE DE DISTRIBUIÇÃO Tem a finalidade de demarcar uma faixa ou servir de limitador de uma área onde esteja localizada a Rede de Distribuição de Gás Natural. Como demarcador, é recomendado para travessias, trechos alagadiços e zonas rurais, sempre em substituição as placas tipo A e tipo B. Fica flexibilizado a critério da fiscalização a substituição das placas de sinalização por marcos em áreas rurais e localidades com pouco movimento. Como limitador, pode ser utilizado quando da execução das várias etapas de trechos rodoviários ou viários, impedindo o acesso do maquinário sobre o gasoduto. Pode ser utilizado como reforço da sinalização. Representado no ANEXO E e ANEXO F. 7. TELA DE SEGURANÇA COM FITA DE AVISO DE GASODUTO Tem a finalidade de sinalizar a existência do gasoduto, é instalada acima da placa de concreto sobre a diretriz do gasoduto. Atua como elemento suplementar à sinalização vertical e horizontal nos casos de escavação, avisando ao interferente que o gasoduto está instalado naquele local. Representado no ANEXO G. 8. CONDIÇÕES ESPECÍFICAS 7.1. Padrões de Fonte As fontes utilizadas nos textos das placas e dos marcos devem ser do padrão ARIAL, estilo normal Padrões de Cores Os padrões das cores das placas devem ser os abaixo indicados: Preto Notação Munsell N 1 Branco Notação Munsell N 9.5

6 CIA DE GÁS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 6 de 18 Amarelo Segurança Notação Munsell 5 Y 8/12 Vermelho Segurança Notação Munsell 5 R 4/14 Azul Sulgás no padrão CMYK (C-100, M-69, Y-0, K-0) Pintura/Proteção Os marcos devem receber pintura em tinta acrílica conforme norma PETROBRÁS N As placas devem receber preparação de superfície e pintura conforme norma ET-SUL Substituir a tinta de acabamento indicada na especificação técnica pela tinta de poliuretano acrílico. Os suportes (tubos e cantoneiras) devem receber tratamento de galvanização a fogo as NBR s 8.855, e Todo o trabalho de solda, corte e furo efetuados nos suportes metálicos, devem ser executados antes da galvanização. A pintura das placas deve ser efetuada por um processo que garanta uma vida útil de no mínimo 5 (cinco) anos. Na parte inferior lateral das placas deverá constar a data de fabricação em letra Arial conforme detalhe do ANEXO I e ANEXO J. ANEXO A Placa de sinalização MODELO A Fundo Branco Altura da letra - 25 Cor - Azul Sulgás CIA DE GÁS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ATENÇÃO TUBULAÇÃO DE GÁS NATURAL ENTERRADA NESTA VIA NÃO ESCAVAR EMERGÊNCIA Fundo Amarelo Altura da letra - 70 Cor - Vermelho Altura da letra - 40 Cor - Preto Altura da letra - 70 Cor - Vermelho Fundo Branco Altura da letra - 45 Cor - Vermelho Tamponar com chapa esp.1/4" Ø 20 CA-24 = 100mm Ø 20 CA-24 = 100mm 500 CONCRETO 600 Ø

7 CIA DE GÁS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 7 de 18 Notas: 1. Chapa de aço carbono / chapa preta ou galvanizada com espessura maior ou igual que 3,175mm. 2. Fundo da placa na cor Branca e as palavras ATENÇÃO, NÃO ESCAVAR e EMERGÊNCIA: , em vermelho. 3. Na necessidade de visualização nos dois sentidos, coloca-se duas placas justa postas. 4. Parafusos (cabeça redonda) e porca M10 em aço inoxidável. 5. Martelar roscas excedentes dos parafusos após aperto para dificultar furto. 6. Tubos Ø2" padrão DIN 2440 galvanizado D NOM D EXT D INT Espessura Comprimento Ø 2 60 mm 50 mm 3,75 mm 3000 mm OBS: Medidas mínimas de referência ANEXO B Placa de Sinalização MODELO B CIA DE GÁS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ATENÇÃO: TUBULAÇÃO DE GÁS NATURAL ENTERRADA NESTA VIA NÃO ESCAVAR EMERGÊNCIA: DETALHE 1 Ø 20 CA-24 = 100mm CONCRETO

8 CIA DE GÁS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 8 de 18 Notas: 1. Fundo da placa na cor Branca e as palavras ATENÇÃO, NÃO ESCAVAR e EMERGÊNCIA: em vermelho. 2. Placa deve ser frente e verso, permitindo a visualização nos dois sentidos. 3. Chapa da placa em aço carbono com espessura de 2,5 mm. 4. Cantoneiras 1 ½ (Espessura ¼ ) em aço carbono 5. Parafusos e porcas sextavadas M10 x 1 ½ em aço inoxidável 6. Martelar roscas excedentes dos parafusos após aperto para dificultar furto. 7. Cotas em mm salvo indicação contrária. 8. Tubos Ø2 padrão DIN D NOM D EXT D INT Espessura Comprimento Ø 2 60 mm 50 mm 2,5 mm 3000 mm OBS: Medidas mínimas de referência 9. O conjunto (tubo e cantoneiras) deve ser galvanizado após a soldagem com espessura mínima de 70 µm de Zn. ANEXO C TACHÃO REDE DE GÁS NA VIA

9 CIA DE GÁS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 9 de 18 ANEXO D TACHÃO REDE DE GÁS NO PASSEIO

10 CIA DE GÁS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 10 de 18

11 CIA DE GÁS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 11 de 18 ANEXO E MARCO DE SINALIZAÇÃO NOTAS: 1) Os marcos devem ser totalmente pintados nas quatro faces na cor amarelo. 2) Cotas em mm salvo indicação contrária.

12 CIA DE GÁS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 12 de 18 ANEXO F PILAR EM PVC

13 CIA DE GÁS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 13 de 18 ANEXO G ADESIVO

14 CIA DE GÁS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 14 de 18 Especificação do material: Vinil Color Max, tinta vinílica Imagraf: Vinil 5 anos Dimensão : 100cm ( altura ) X 33 cm ( comprimento ) Cores: Preto ( black C cor mundial) Amarelo Pantoni 123C Azul céu Azul noturno Prata

15 CIA DE GÁS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 15 de 18 ANEXO H

16 CIA DE GÁS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 16 de 18

17 CIA DE GÁS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 17 de 18 ANEXO I Placa de Sinalização MODELO B, detalhamento da data de fabricação.

18 CIA DE GÁS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 18 de 18 ANEXO J Placa de Sinalização MODELO A, detalhamento da data de fabricação.

ANEXO II - MEMORIAL DESCRITIVO

ANEXO II - MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS SECRETARIA DE TURISMO SECRETARIA MUNICIPAL DE URBANISMO PROJETO SINALIZAÇÃO TURÍSTICA PELOTAS ANEXO II - MEMORIAL DESCRITIVO Este documento tem por objetivo estabelecer

Leia mais

Anexo 3 - Modelo de Planilha Orçamentária (consumo estimado para o exercício de 2012) Sinalização Interna e Externa para a Justiça Federal/ES

Anexo 3 - Modelo de Planilha Orçamentária (consumo estimado para o exercício de 2012) Sinalização Interna e Externa para a Justiça Federal/ES Anexo 3 - Modelo de Planilha Orçamentária (consumo estimado para o exercício de 2012) 1 Placa tipo 1 1.1 1.2 Placa de sinalização geral para pavimentos em alumínio escovado, removível e de fundo adesivo;

Leia mais

Obras complementares - sinalização vertical

Obras complementares - sinalização vertical MT - DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO - IPR DIVISÃO DE CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA Rodovia Presidente Dutra km 163 - Centro Rodoviário, Parada de Lucas

Leia mais

O presente memorial descritivo tem por finalidade descrever os serviços que compõe a obra de Capeamento Asfáltico nas vias acima descritas.

O presente memorial descritivo tem por finalidade descrever os serviços que compõe a obra de Capeamento Asfáltico nas vias acima descritas. MEMORIAL DESCRITIVO CAPEAMENTO ASFÁLTICO SOBRE PEDRAS IRREGULARES Proprietário: MUNICÍPIO DE ITATIBA DO SUL Local: - Rua Argentina = 5.910,43 m²; - Rua Estados Unidos = 1.528,98 m². Total = 7.439,41 m²

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PROGRAMAÇÃO VISUAL EXTERNA

MEMORIAL DESCRITIVO PROGRAMAÇÃO VISUAL EXTERNA MEMORIAL DESCRITIVO PROGRAMAÇÃO VISUAL EXTERNA 1. FINALIDADE O presente memorial tem por finalidade orientar a elaboração de orçamento bem como a execução dos elementos componentes da PROGRAMAÇÃO VISUAL

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE TRANSPORTES

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE TRANSPORTES EMPRESA PÚBLICA DE TRANSPORTE E CIRCULAÇÃO S/A CADERNO DE ENCARGOS DE MATERIAIS E SERVIÇOS DE SINALIZAÇÃO VIÁRIA VERTICAL, HORIZONTAL E SEMAFÓRICA Prefeito Municipal José Fortunati Secretário Municipal

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE BOMBINHAS PROJETO PAVIMENTAÇÃO COM LAJOTAS SEXTAVADAS E DRENAGEM PLUVIAL RUA CANGERANA

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE BOMBINHAS PROJETO PAVIMENTAÇÃO COM LAJOTAS SEXTAVADAS E DRENAGEM PLUVIAL RUA CANGERANA - 1 - PROJETO PAVIMENTAÇÃO COM LAJOTAS SEXTAVADAS E DRENAGEM PLUVIAL RUA CANGERANA MUNICÍPIO DE BOMBINHAS - SC PROJETO: AMFRI Associação dos Municípios da Região da Foz do Rio Itajaí Carlos Alberto Bley

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Pato Branco Departamento de Projetos e Obras MEMORIAL DESCRITIVO

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Pato Branco Departamento de Projetos e Obras MEMORIAL DESCRITIVO Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Pato Branco Departamento de Projetos e Obras PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ MEMORIAL DESCRITIVO FORNECIMENTO E EXECUÇÃO

Leia mais

Memorial Descritivo OBRA: CERCAMENTO DOS LOTES Nº02 E Nº03 DA QUADRA Nº344

Memorial Descritivo OBRA: CERCAMENTO DOS LOTES Nº02 E Nº03 DA QUADRA Nº344 Memorial Descritivo OBRA: CERCAMENTO DOS LOTES Nº02 E Nº03 DA QUADRA Nº344 Endereço da obra: Quadra 128, situada na esquina da Rua Ijui esquina Rua Inhacorá, Bairro Recanto do Sol, Horizontina - RS. O

Leia mais

Manual de Identidade Visual

Manual de Identidade Visual Manual de Identidade Visual Aplicação de marca Aplicação de placa de fachada Manual de sinalização de segurança para a rede de distribuição de Gás Natural em áreas urbanas e rurais Aplicação de marca 1.

Leia mais

C-EC/U. Porta Comercial de Encosto em caixilho "U

C-EC/U. Porta Comercial de Encosto em caixilho U C-EC/U Porta Comercial de Encosto em caixilho "U A Dânica Doors recomenda que as instruções de montagem contidas neste manual sejam seguidas rigorosamente para que as portas atendam em sua plena funcionalidade.

Leia mais

RTQ 32 - PÁRA-CHOQUE TRASEIRO DE VEÍCULOS RODOVIÁRIOS PARA O TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS - CONSTRUÇÃO, ENSAIO E INSTALAÇÃO

RTQ 32 - PÁRA-CHOQUE TRASEIRO DE VEÍCULOS RODOVIÁRIOS PARA O TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS - CONSTRUÇÃO, ENSAIO E INSTALAÇÃO RTQ 32 - PÁRA-CHOQUE TRASEIRO DE VEÍCULOS RODOVIÁRIOS PARA O TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS - CONSTRUÇÃO, ENSAIO E INSTALAÇÃO SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Siglas e Abreviaturas

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE SINALIZAÇÃO HORIZONTAL E VERTICAL LINHA VERDE CIC

IMPLANTAÇÃO DE SINALIZAÇÃO HORIZONTAL E VERTICAL LINHA VERDE CIC MEMORIAL DESCRITIVO IMPLANTAÇÃO DE SINALIZAÇÃO HORIZONTAL E VERTICAL LINHA VERDE CIC Lote 01 MARÇO/2011 1. PROJETO DE SINALIZAÇÃO HORIZONTAL E VERTICAL LINHA VERDE CIC SUL INTRODUÇÃO O Projeto de Sinalização

Leia mais

FS-06. Fossa séptica. Componentes. Código de listagem. Atenção. FS-06-01 (L=3,00m) FS-06-02 (L=3,80m) FS-06-03 (L=5,40m) 01 27/12/10

FS-06. Fossa séptica. Componentes. Código de listagem. Atenção. FS-06-01 (L=3,00m) FS-06-02 (L=3,80m) FS-06-03 (L=5,40m) 01 27/12/10 - -03 1/5 - -03 2/5 - -03 3/5 - -03 4/5 DESCRIÇÃO Constituintes Lastro de concreto magro, traço 1:4:8, cimento, areia e brita. Fundo e vigas de concreto armado, moldados in loco: - Fôrmas de tábuas de

Leia mais

MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS IFSC- JOINVILLE SANTA CATARINA DISCIPLINA DESENHO TÉCNICO CURSO ELETRO-ELETRÔNICA MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 2011.2 Prof. Roberto Sales. MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS A

Leia mais

IDENTIDADE CORPORATIVA

IDENTIDADE CORPORATIVA IDENTIDADE CORPORATIVA PADRÃO DE CORES C: 100 M: 020 Y: 000 K: 040 308 4,0 8,0 chapas galvanizadas #22 Lona com impressão em alta resolução (720dpi) Arte-final ser definida. Canopla Solda Parabolt DET.

Leia mais

Estado de Mato Grosso PREFEITURA MUNICIPAL DE PRIMAVERA DO LESTE Secretaria Municipal de Infraestrutura Departamento de Engenharia

Estado de Mato Grosso PREFEITURA MUNICIPAL DE PRIMAVERA DO LESTE Secretaria Municipal de Infraestrutura Departamento de Engenharia MEMORIAL DESCRITIVO CONSTRUÇÃO DE ROTATÓRIAS, CANTEIROS E FAIXAS ELEVADAS EM DIVERSAS VIAS PÚBLICAS DO MUNICÍPIO Local 1: BORGUETTI; Local 2: Local 3: - RUA DO COMÉRCIO, ENTRE AV. INÁCIO CASTELLI E RUA

Leia mais

22/31 13. PADRÃO CROMÁTICO

22/31 13. PADRÃO CROMÁTICO 18/31 12.2 PLACAS AÉREAS As placas aéreas são utilizadas ortogonalmente aos forros, lajes e coberturas. Em geral estas placas indicam mensagens direcionais, mas podem também indicar mensagens locais. Conforme

Leia mais

TORRE ESTAIADA ESPECIFICAÇÃO DOS MATERIAIS CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS ACESSÓRIOS

TORRE ESTAIADA ESPECIFICAÇÃO DOS MATERIAIS CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS ACESSÓRIOS TORRE ESTAIADA A torre estaiada é a solução mais econômica por atingir grandes alturas e com elevada capacidade de carga, porém exige-se disponibilidade de terreno para sua instalação. Possui seção transversal

Leia mais

DIRETORIA DE ENGENHARIA. ADMINISTRAÇÃO DA FAIXA DE DOMÍNIO Autorização para implantação de oleodutos.

DIRETORIA DE ENGENHARIA. ADMINISTRAÇÃO DA FAIXA DE DOMÍNIO Autorização para implantação de oleodutos. fls. 1/5 ÓRGÃO: DIRETORIA DE ENGENHARIA MANUAL: ADMINISTRAÇÃO DA FAIXA DE DOMÍNIO Autorização para implantação de oleodutos. PALAVRAS-CHAVE: Faixa de Domínio, oleodutos. APROVAÇÃO EM: Portaria SUP/DER-

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PINTURA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PINTURA Página 1 de 7 ÍNDICE DE REVISÕES REV. DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS E PARA LICITAÇÃO ORIGINAL REV. A REV. B REV. C REV. D REV. E REV. F REV. G REV. H DATA 01.09.1999 10.07.2000 21.07.2004 09.03.09 05.05.09

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Faixa de Domínio, linhas físicas de telecomunicações, cabos metálicos e fibras ópticas.

PALAVRAS-CHAVE: Faixa de Domínio, linhas físicas de telecomunicações, cabos metálicos e fibras ópticas. fls. 1/6 ÓRGÃO: MANUAL: DIRETORIA DE ENGENHARIA ADMINISTRAÇÃO DA FAIXA DE DOMÍNIO Autorização para implantação de Linhas Físicas de Telecomunicações, com Cabos Metálicos e com Fibras Ópticas. PALAVRAS-CHAVE:

Leia mais

Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Coordenação Geral de Infraestrutural Educacional CGEST

Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Coordenação Geral de Infraestrutural Educacional CGEST Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Coordenação Geral de Infraestrutural Educacional CGEST MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO PADRÃO PARA QUADRA POLIESPORTIVA COBERTA COM

Leia mais

FINALIDADE DESTA ESPECIFICAÇÃO

FINALIDADE DESTA ESPECIFICAÇÃO SESC PANTANAL HOTEL SESC PORTO CERCADO POSTO DE PROTEÇÃO AMBIENTAL SÃO LUIZ BARÃO DE MELGAÇO/MT ESTRUTURAS METÁLICAS PARA COBERTURA DE BARRACÃO DEPÓSITO MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO VI 1. FINALIDADE DESTA

Leia mais

DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS

DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA N : ET-810-CGC-007 USUÁRIO: CEGÁS 1 de 7 FOLHA: OBJETO AMPLIAÇÃO DA REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE GÁS NATURAL RAMAL DE DISTRIBUIÇÃO PARA ATENDIMENTO A CLIENTES REV. Í N D I C E D E R E

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DISTRIBUIÇÃO

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DISTRIBUIÇÃO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DISTRIBUIÇÃO CAIXAS PARA EQUIPAMENTOS DE MEDIÇÃO E PROTEÇÃO DE UNIDADES CONSUMIDORAS INDIVIDUAIS OU AGRUPADAS EMISSÃO: JANEIRO /02 REVISÃO: MARÇO /06 FOLHA : 1 / 23 A P R E S E N

Leia mais

Autorização para implantação de Adutora de Água, de Emissário de Esgoto e Rede de Vinhaça.

Autorização para implantação de Adutora de Água, de Emissário de Esgoto e Rede de Vinhaça. fls. 1/5 ÓRGÃO: MANUAL: DIRETORIA DE ENGENHARIA ADMINISTRAÇÃO DA FAIXA DE DOMÍNIO Autorização para implantação de Adutora de Água, de Emissário de Esgoto e Rede de Vinhaça. PALAVRAS-CHAVE: Faixa de Domínio,

Leia mais

LANÇAMENTO MARÇO 2015 CHUMBADOR QUÍMICO WIT-P 200

LANÇAMENTO MARÇO 2015 CHUMBADOR QUÍMICO WIT-P 200 LANÇAMENTO MARÇO 2015 CHUMBADOR QUÍMICO WIT-P 200 Descrição do produto O Chumbador Químico WIT-P 200 possui excelente propriedade de fixação e ancoragem em substratos maciços e ocos, com rápido tempo

Leia mais

RESULTADO Nº QTDADE UNIDADE DESCRIÇÃO NEGOC VENCEDOR 1 10 UNIDADE 148,00 DORNE & DORNE LTDA - EPP 94,00 DORNE & DORNE LTDA - EPP 2 10 UNIDADE

RESULTADO Nº QTDADE UNIDADE DESCRIÇÃO NEGOC VENCEDOR 1 10 UNIDADE 148,00 DORNE & DORNE LTDA - EPP 94,00 DORNE & DORNE LTDA - EPP 2 10 UNIDADE 1 10 UNIDADE CADEIRA modelo secretária executiva, giratória, com braços tipo corsa fechado, em poliuretano injetado; assento e encosto moldados anatomicamente em compensado com espessura mínima de 12 mm,

Leia mais

Refª 2201.03.15010. Banco corrido, assento contraplacado e régua de cabides coloridos Ligue Grátis 210 461 786

Refª 2201.03.15010. Banco corrido, assento contraplacado e régua de cabides coloridos Ligue Grátis 210 461 786 Assentos em Sociedade de Equipamentos Escolares, Lda. geral Refª 2201.03.1668SB Refª 2201.03.1633 Refª 2201.03.15010 Cadeira 1ª série, contraplacado Refª 2201.03.1667PDC Cadeira Faia s/braços existe com

Leia mais

5 CONDIÇÕES ESPECÍFICAS 5.1 Material: A armação da caixa deve ser feita com cantoneiras de aço-carbono, ABNT 1010 a 1020, laminado.

5 CONDIÇÕES ESPECÍFICAS 5.1 Material: A armação da caixa deve ser feita com cantoneiras de aço-carbono, ABNT 1010 a 1020, laminado. CAIXA DE MEDIÇÃO EM 34, kv 1 OBJETIVO Esta Norma padroniza as dimensões e estabelece as condições gerais e específicas da caixa de medição a ser utilizada para alojar TCs e TPs empregados na medição de

Leia mais

Anexo II. Modelo de totem. Modelo de placa com letra vazada e iluminação interna MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

Anexo II. Modelo de totem. Modelo de placa com letra vazada e iluminação interna MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL Anexo I Lote 1 Item 01 Marca do MPF MPF - Letra caixa em chapa galvanizada medindo 2,83x1,25m, profundidade 7cm, na cor azul (Pantone 281C) Item 02 - Brasão da República letra caixa em chapa galvanizada,

Leia mais

DIRETRIZES DO CADASTRO TÉCNICO DE REDES DE ESGOTOS SANITÁRIOS

DIRETRIZES DO CADASTRO TÉCNICO DE REDES DE ESGOTOS SANITÁRIOS DIRETRIZES DO CADASTRO TÉCNICO DE REDES DE ESGOTOS SANITÁRIOS 1. OBJETIVO Esta Diretriz fixa as condições exigíveis na elaboração de plantas e relatórios detalhados do cadastro de redes de coleta de esgoto,

Leia mais

Anexo I-A: Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia

Anexo I-A: Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia MEMORIAL DESCRITIVO Anexo I-A: Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia Sumário 1.Considerações gerais...1 2.Serviços

Leia mais

IFSC - Campus São José Área de Refrigeração e Ar Condicionado Prof. Gilson Desenvolvimento de Chapas

IFSC - Campus São José Área de Refrigeração e Ar Condicionado Prof. Gilson Desenvolvimento de Chapas DESENVOLVIMENTO DE CHAPAS É o processo empregado para transformar em superfície plana, peças, reservatórios, uniões de tubulações e de dutos, normalmente feitos em chapas, razão pela qual este processo

Leia mais

PROJETO BÁSICO DE SINALIZAÇÃO ACESSIBILIDADE SEINFRA - SECRETARIA DE INFRAESTRUTURA DO ESTADO DO CEARÁ

PROJETO BÁSICO DE SINALIZAÇÃO ACESSIBILIDADE SEINFRA - SECRETARIA DE INFRAESTRUTURA DO ESTADO DO CEARÁ ACESSIBILIDADE SEINFRA - SECRETARIA DE INFRAESTRUTURA DO ESTADO DO CEARÁ ÍNDICE SINALIZAÇÃO INTERNA WC - PLACAS DE PORTA E PAREDE QUANTITATIVO SINALIZAÇÃO INTERNA WC 05 SINALIZAÇÃO EXTERNA ESTACIONAMENTO

Leia mais

PARTE I CAPA. Data. Unidade. Folha. Assunto ITEM

PARTE I CAPA. Data. Unidade. Folha. Assunto ITEM PARTE I Manual de Sinalização Externa e Interna - Ano 2013 Detalhamento Técnico Especificações CAPA SINALIZAÇÃO EXTERNA Agência Campo Grande Horário de Funcionamento das 11h às 16h Autoatendimento das

Leia mais

1. Identificação do Produto e da Empresa

1. Identificação do Produto e da Empresa 1. Identificação do Produto e da Empresa Produto: Perfis de Poliestireno Tipo de produto: 96 % de Poliestireno Reciclado e 4 % de Poliestireno Virgem Empresa: Indústria e Comércio de Molduras Santa Luzia

Leia mais

ESTRUTURA CONSTRUÇÃO COM TÁBUAS CONSTRUÇÃO EM COMPENSADO. 5 32 x 44. 4 32 x 68. 3 Serrado de. 6 Cavernas do meio do barco. 8 44 x 143 1.

ESTRUTURA CONSTRUÇÃO COM TÁBUAS CONSTRUÇÃO EM COMPENSADO. 5 32 x 44. 4 32 x 68. 3 Serrado de. 6 Cavernas do meio do barco. 8 44 x 143 1. ESTRUTURA 17 18 Serrado de 20 x 193 CONSTRUÇÃO COM TÁBUAS 5 32 x 44 14 16 x 143 4 32 x 68 3 Serrado de 32 x 143 3 Cavernas da popa ao meio do barco: 32 x 143 6 Cavernas do meio do barco até proa: 32 x

Leia mais

FACEAMENTO DA SUPERFÍCIE DE ASSENTAMENTO DO CONJUNTO DE FORÇA DO MOTOR DIESEL DE LOCOMOTIVAS GE

FACEAMENTO DA SUPERFÍCIE DE ASSENTAMENTO DO CONJUNTO DE FORÇA DO MOTOR DIESEL DE LOCOMOTIVAS GE FACEAMENTO DA SUPERFÍCIE DE ASSENTAMENTO DO CONJUNTO DE FORÇA DO MOTOR DIESEL DE LOCOMOTIVAS GE 1/7 RESUMO Realização de faceamento de blocos de motores diesel 7FDL, de locomotivas GE, usinando a superfície

Leia mais

Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Coordenação Geral de Infraestrutural Educacional CGEST

Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Coordenação Geral de Infraestrutural Educacional CGEST Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Coordenação Geral de Infraestrutural Educacional CGEST MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO PADRÃO PARA COBERTURA DE QUADRA POLIESPORTIVA

Leia mais

Esquadrias Metálicas Ltda. Manual de instruções.

Esquadrias Metálicas Ltda. Manual de instruções. Manual de instruções. PORTA DE ABRIR A Atimaky utiliza, na fabricação das janelas, aço galvanizado adquirido diretamente da Usina com tratamento de superfície de ultima geração nanotecnologia (Oxsilan)

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DA FAIXA DE DOMÍNIO Autorização para Implantação de Ductos para Petróleo, Combustíveis Derivados e Etanol.

ADMINISTRAÇÃO DA FAIXA DE DOMÍNIO Autorização para Implantação de Ductos para Petróleo, Combustíveis Derivados e Etanol. fls. 1/5 ÓRGÃO: DIRETORIA DE ENGENHARIA MANUAL: ADMINISTRAÇÃO DA FAIXA DE DOMÍNIO Autorização para Implantação de Ductos para Petróleo, Combustíveis Derivados e Etanol. PALAVRAS-CHAVE: Faixa de Domínio,

Leia mais

MANUAL DE ACESSIBILIDADE

MANUAL DE ACESSIBILIDADE - LIC 71.3.8 - Índice 1. Elementos de Arquitetura 1.1 Passeio 1.2 Vagas de estacionamento - demarcação 1.3 Vagas de estacionamento - sinalização 1.4 Rampas 1.5 Escadas e seus componentes 1.6 Aproximação

Leia mais

PROCEDIMENTO GERAL. Identificação, sinalização e isolamento de obras e serviços

PROCEDIMENTO GERAL. Identificação, sinalização e isolamento de obras e serviços PÁG. 1/16 1. OBJETIVO Estabelecer um padrão de sinalização, identificação e isolamento nas obras e serviços da Bahiagás, a fim de minimizar os riscos a das atividades em vias públicas, proteger os munícipes

Leia mais

MÓDULO 4 4.5 - PROCEDIMENTOS DE REPARO

MÓDULO 4 4.5 - PROCEDIMENTOS DE REPARO Normas Aplicáveis MÓDULO 4 4.5 - PROCEDIMENTOS DE REPARO - NBR 15.979 Sistemas para Distribuição de Água e Esgoto sob pressão Tubos de polietileno PE 80 e PE 100 Procedimentos de Reparo - NBR 14.461 Sistemas

Leia mais

ANEXO I ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO

ANEXO I ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO ANEXO I ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO Item Código comprasnet Qtde Mínima Qtde Máxima Unidade Descrição do Item Valor Unitário Valor mínimo Valor Máximo 01 295318 450,00 860,00 m² Paredes em gesso acartonado

Leia mais

REQUISITOS E CONSIDERAÇÕES GERAIS REF. NBR 13434 DA ABNT

REQUISITOS E CONSIDERAÇÕES GERAIS REF. NBR 13434 DA ABNT ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE SINALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA JUNTO A DGST REQUISITOS E CONSIDERAÇÕES GERAIS REF. NBR 13434 DA ABNT ANÁLISE E VISTORIA DOS SISTEMAS DE SINALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA Objetivo

Leia mais

Sistema de Esteira Porta Cabos igus Guia de Instalação

Sistema de Esteira Porta Cabos igus Guia de Instalação Sistema de Esteira Porta Cabos igus Guia de Instalação Cursos Longos (Deslizantes) Horizontais Atenção: Não seguir as instruções instalação pode resultar em falha séria Antes de iniciar o processo de instalação,

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO VISUAL DOS TÁXIS EXECUTIVOS

PADRONIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO VISUAL DOS TÁXIS EXECUTIVOS GPM/M014/13/R2 PADRONIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO VISUAL DOS TÁXIS EXECUTIVOS DO MUNICÍPIO DE CAMPINAS O presente anexo estabelece os padrões de comunicação visual a serem observados nos veículos utilizados no

Leia mais

MANUAL. Instruções. Caixa D ÁGUA

MANUAL. Instruções. Caixa D ÁGUA MANUAL de Instruções Caixa D ÁGUA CONHEÇA O NOSSO PRODUTO PARA ARMAZENAR ÁGUA POTÁVEL ASSUNTOS A SEREM ESCLARECIDOS: 1) DADOS TÉCNICOS 2) MANUTENÇÃO 3) PRECAUÇÕES 4) CERTIFICADO DE GARANTIA 1) DADOS TÉCNICOS:

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CARLOS BARBOSA SECRETARIA MUNICIPAL DE PROJETOS E OBRAS PÚBLICAS MEMORIAL DESCRITIVO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CARLOS BARBOSA SECRETARIA MUNICIPAL DE PROJETOS E OBRAS PÚBLICAS MEMORIAL DESCRITIVO MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: MÓVEIS PARA SECRETARIA DE PROJETOS E OBRAS PÚBLICAS RUA ASSIS BRASIL, 11, CENTRO CARLOS BARBOSA GENERALIDADES O presente documento tem por objetivo: Instruir as condições que

Leia mais

Recomendações de Segurança do Trabalho

Recomendações de Segurança do Trabalho Recomendações de Segurança do Trabalho Localização e Sinalização dos Extintores Recomendações de Segurança do Trabalho Localização e Sinalização dos Extintores: Apresentação As recomendações aqui descritas

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS SITE: www.amm.org.br- E-mail: engenharia@amm.org.br AV. RUBENS DE MENDONÇA, N 3.920 CEP 78000-070 CUIABÁ MT FONE: (65) 2123-1200 FAX: (65) 2123-1251 MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES

Leia mais

SAN.T.IN.PR 143. Projeto e Instalação de Válvulas de Controle e Macromedidores 1. FINALIDADE

SAN.T.IN.PR 143. Projeto e Instalação de Válvulas de Controle e Macromedidores 1. FINALIDADE 1 / 8 SUMÁRIO: 1. FINALIDADE 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO 3. CONCEITOS BÁSICOS 4. PROCEDIMENTOS GERAIS 5. CONSIDERAÇÕES GERAIS 6. REFERÊNCIAS 7. ANEXOS 1. FINALIDADE Este procedimento define diretrizes básicas

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES PAT.

MANUAL DE INSTRUÇÕES PAT. MANUAL DE INSTUÇÕES NP do Brasil Este manual tem por definição, orientá-lo na utilização do perfil ALUAPID para manufatura de letras e formatos na área de comunicação visual. O QUE É ALUAPID? Perfil de

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES CAIXA D ÁGUA

MANUAL DE INSTRUÇÕES CAIXA D ÁGUA MANUAL DE INSTRUÇÕES CAIXA D ÁGUA 1 CONHEÇA O NOSSO PRODUTO PARA ARMAZENAR ÁGUA POTÁVEL ASSUNTOS A SEREM ESCLARECIDOS 1) DADOS TÉCNICOS; 2) MANUTENÇÃO; 3) PRECAUÇÕES; 4) CERTIFICADO DE GARANTIA. 1) DADOS

Leia mais

Manual de Montagem, Operação, Manutenção e Reparo. Engate de Container

Manual de Montagem, Operação, Manutenção e Reparo. Engate de Container Manual de Montagem, Operação, Manutenção e Reparo Engate de Container Março / 2005 O Engate de Container tem como função principal, promover o acoplamento de implementos rodoviários com containers para

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES PRELIMINARES BICICLETA ESCOLAR. Aro 20. Item Descrição Medidas Tolerância. Diâmetro interno - Usinado e Calibrado - mm

ESPECIFICAÇÕES PRELIMINARES BICICLETA ESCOLAR. Aro 20. Item Descrição Medidas Tolerância. Diâmetro interno - Usinado e Calibrado - mm MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO GERAL DE ARTICULAÇÃO E CONTRATOS COORDENAÇÃO DE REGISTRO DE PREÇOS ESPECIFICAÇÕES PRELIMINARES

Leia mais

MANUAL DE SINALIZAÇÃO PREDIAL

MANUAL DE SINALIZAÇÃO PREDIAL MANUAL DE SINALIZAÇÃO PREDIAL ÍNDICE 2 INTRODUÇÃO 3 BRASÃO DO ESTADO 4 MARCAS DO MPSP 5 PLACA DE INAUGURAÇÃO 6 PLACA SINALIZAÇÃO EMERGÊNCIA 7 PLACA PORTA 8 PLACA PVC USO INTERNO 9 PORTA AVISOS 10 TOTEM

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Projeto: Capeamento asfáltico Município: Fontoura Xavier / RS

MEMORIAL DESCRITIVO. Projeto: Capeamento asfáltico Município: Fontoura Xavier / RS ANEXO IV MEMORIAL DESCRITIVO Projeto: Capeamento asfáltico Município: Fontoura Xavier / RS Local: Rua Pedro Azelin da Silva Trecho: Entre a Rua 09 de Julho e a Rua Ernesto Ferreira Maia Área: TRECHO 01:

Leia mais

DESEMPENHO EM FORROS. Mais espaço para inovação THERMATEX SONIC SKY MAIS VANTAGENS COM FACILIDADE NOVO PRODUTO AMF MADE IN GERMANY

DESEMPENHO EM FORROS. Mais espaço para inovação THERMATEX SONIC SKY MAIS VANTAGENS COM FACILIDADE NOVO PRODUTO AMF MADE IN GERMANY THERMATEX SONIC SKY MAIS VANTAGENS COM FACILIDADE NOVO PRODUTO AMF THERMATEX Sonic Sky Painel plano A arquitetura moderna usa materiais rígidos refletivos como vidro, aço e concreto. Há pouco espaço para

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Obra: Recapagem Asfáltica contrato 1018.097-09 - 2014. Responsável Técnico: Eng. Luciano Bernardon

MEMORIAL DESCRITIVO. Obra: Recapagem Asfáltica contrato 1018.097-09 - 2014. Responsável Técnico: Eng. Luciano Bernardon MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Recapagem Asfáltica contrato 1018.097-09 - 2014 Município: ESTAÇÃO/RS Responsável Técnico: Eng. Luciano Bernardon INTRODUÇÃO Tem este Memorial Descritivo por finalidade orientar

Leia mais

1,40 m. 1,20 m. 3,35 m. 2,00 m. 0,30 m. 0,40 m. 0,15 m. Marco Rotário Modelo 1 TUBO DE AÇO GALVANIZADO - 1 - Rotary Club de SÃO PAULO - ÁGUA RASA

1,40 m. 1,20 m. 3,35 m. 2,00 m. 0,30 m. 0,40 m. 0,15 m. Marco Rotário Modelo 1 TUBO DE AÇO GALVANIZADO - 1 - Rotary Club de SÃO PAULO - ÁGUA RASA Marco Rotário Modelo 1 TUBO DE AÇO GALVANIZADO 1,40 m - 1 - RMW\ET-12\c:\arquivos\07\X0737.DOC em 14/07/2013 10:47 R-0 13/07/2013 DETALHE N 0 2 DETALHE N 0 3 0,15 m TRANSVERSINA 1 DETALHE N 0 2 DETALHE

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 013/DAT/CBMSC) SINALIZAÇÃO PARA ABANDONO DE LOCAL

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 013/DAT/CBMSC) SINALIZAÇÃO PARA ABANDONO DE LOCAL ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS - DAT NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 013/DAT/CBMSC)

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO RESOLUÇÃO Nº 805, DE 24 DE OUTUBRO DE 1995

CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO RESOLUÇÃO Nº 805, DE 24 DE OUTUBRO DE 1995 CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO RESOLUÇÃO Nº 805, DE 24 DE OUTUBRO DE 1995 Estabelece os requisitos técnicos mínimos do pára-choque traseiro dos veículos de carga O CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO, usando

Leia mais

Manual Descritivo para Construção do ASBC

Manual Descritivo para Construção do ASBC Manual descritivo para construção do ASBC 1 Felipe Marques Santos Manual Descritivo para Construção do ASBC (Aquecedor Solar de Baixo Custo) Coordenador: Prof. Dr. Rogério Gomes de Oliveira 2 Manual descritivo

Leia mais

TERMO DE HOMOLOGAÇÃO. Item 0001

TERMO DE HOMOLOGAÇÃO. Item 0001 TERMO DE HOMOLOGAÇÃO Às 16:40 horas do dia 11 de outubro de 2012, após analisados todos os atos processuais do Pregão Pregão Eletrônico SRP 251/2012, referente ao processo 2012029949, o Sr(a). Samuel Braga

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 001/2014

TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 001/2014 Anexo I TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 001/2014 1 DO OBJETO 1.1 Prestação de serviços de instalação de piso elevado acessível, com fornecimento de componentes, acessórios e materiais, visando

Leia mais

05 PRATELEIRAS MEDIDAS EM MM: 920 (Largura) x 1980 (Altura) x 400 (Profundidade)

05 PRATELEIRAS MEDIDAS EM MM: 920 (Largura) x 1980 (Altura) x 400 (Profundidade) ESTANTE MULTIUSO 05 PRATELEIRAS MEDIDAS EM MM: 920 (Largura) x 1980 (Altura) x 400 (Profundidade) Estante multiuso, totalmente confeccionada em chapa de aço de baixo teor de carbono,com acabamento pelo

Leia mais

Elementos Táteis de Alerta Linha Dome - Mozaik

Elementos Táteis de Alerta Linha Dome - Mozaik Elementos Táteis de Alerta Linha Dome - Mozaik APRESENTAÇÃO Os elementos táteis Mozaik foram projetados para a sinalização tátil de pisos executados em praticamente quaisquer tipos de materiais de revestimento,

Leia mais

ANEXO I Condições gerais e Especificações Técnicas. Objeto.. A presente especificação técnica e condições gerais estabelecem os requisitos mínimos que deverão ser atendidos para a CONTRATAÇÃO DE EMPRESA

Leia mais

Linha Telecom m Teleco

Linha Telecom m Teleco Linha Telecom Telecom Linha Telecom Esteiras para telecomunicações... 93 Sistema para condução e distribuição do cabeamento, constituído de barra chata de aço carbono, muito utilizado como solução no cabeamento

Leia mais

ANEXO I RELAÇÃO DOS ITENS DA LICITAÇÃO

ANEXO I RELAÇÃO DOS ITENS DA LICITAÇÃO Nr.: - PR Folha: 1/6 1 540,000 UN MEDALHA, MATERIAL FUNDIDO COMPOSTO DE 6,3000 3.402,0000 ZINCO, MAGNÉSIO E COBRE. DESENHO DAS BORDAS EM ALTO RELEVO 3D (2MM EXTRAS), INCLUINDO O DESENHO DOS LOUROS, ANO,

Leia mais

1. DESCRIÇÃO: - Renovação do ar; - Movimentação do ar. 1.1 SISTEMA ADOTADO:

1. DESCRIÇÃO: - Renovação do ar; - Movimentação do ar. 1.1 SISTEMA ADOTADO: 1. DESCRIÇÃO: OBJETO: O sistema de ventilação mecânica visa propiciar as condições de qualidade do ar interior nos vestiários do mercado público de Porto Alegre. Para a manutenção das condições serão controlados

Leia mais

ANEXO IV ESPECIFICAÇÃO DE PINTURA PARA TRANSFORMADORES DE POTÊNCIA

ANEXO IV ESPECIFICAÇÃO DE PINTURA PARA TRANSFORMADORES DE POTÊNCIA Celesc Di Celesc Distribuição S.A. ANEXO IV ESPECIFICAÇÃO DE PINTURA PARA TRANSFORMADORES DE POTÊNCIA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PARA PINTURA SISTEMAS DE PROTEÇÃO ANTICORROSIVA PARA APLICAÇÃO EM : TRANSFORMADORES

Leia mais

SUPORTES DE SOLO SUPORTE DE SOLO PARA EXTINTOR EM ALUMINIO POLIDO MODELO AP E PQS

SUPORTES DE SOLO SUPORTE DE SOLO PARA EXTINTOR EM ALUMINIO POLIDO MODELO AP E PQS CATALO DE PRODUTOS SUPORTES DE SOLO SUPORTE DE SOLO PARA EXTINTOR EM ALUMINIO POLIDO MODELO AP E PQS SUPORTE DE SOLO PARA EXTINTOR EM ALUMINIO E PINTURA EPOXI VERMELHO MODELO AP E PQS Aba na base que impede

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE OSÓRIO SECRETARIA DE OBRAS SANEAMENTO E TRÂNSITO MEMORIAL DESCRITIVO

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE OSÓRIO SECRETARIA DE OBRAS SANEAMENTO E TRÂNSITO MEMORIAL DESCRITIVO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE OSÓRIO SECRETARIA DE OBRAS SANEAMENTO E TRÂNSITO MEMORIAL DESCRITIVO OBJETO: Fechamento de quadra esportiva da Escola Municipal de Ensino Fundamental

Leia mais

RESOLUÇÃO N 495, DE 5 DE JUNHO DE 2014

RESOLUÇÃO N 495, DE 5 DE JUNHO DE 2014 RESOLUÇÃO N 495, DE 5 DE JUNHO DE 2014 Estabelece os padrões e critérios para a instalação de faixa elevada para travessia de pedestres em vias públicas. O CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO CONTRAN, usando

Leia mais

Construção de Edícula

Construção de Edícula Guia para Construção de Edícula Guia do montador Mais resistência e conforto para sua vida. As paredes com Placas Cimentícias Impermeabilizadas e Perfis Estruturais de Aço Galvanizado para steel framing

Leia mais

Antes de abrir uma vala, consulte a Comgás

Antes de abrir uma vala, consulte a Comgás cartilha ppd final imagem 2/24/06 6:12 PM Page 1 Antes de abrir uma vala, consulte a Comgás 08000 110 197 cadastroderede@comgas.com.br Companhia de Gás de São Paulo Rua das Olimpíadas, 205-10º andar (recepção)

Leia mais

TSA/TDA DIFUSOR PARA LUMINÁRIA TROFFER

TSA/TDA DIFUSOR PARA LUMINÁRIA TROFFER TSA/TDA DIFUSOR PARA LUMINÁRIA TROFFER TSA/TODA DIFUSORES PARA LUMINÁRIAS O conjunto de difusão de ar completamente embutido, contribui para um visual leve e sem distorções. Sua flexibilidade própria,

Leia mais

Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 / Copa das Confederações FIFA Brasil 2013

Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 / Copa das Confederações FIFA Brasil 2013 Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 / Copa das Confederações FIFA Brasil 2013 MATERIAL CÓDIGO CERCA MÓVEL BAIXA FE 01 CERCA MÓVEL BAIXA FE 01 Descrição de Equivalência Técnica Exigida Guarda corpo movel

Leia mais

PMSP SMSP CALÇADAS DA AVENIDA PAULISTA 1 / 7 ESPECIFICAÇÃO E PROCEDIMENTOS REV. 0 JUL. 08

PMSP SMSP CALÇADAS DA AVENIDA PAULISTA 1 / 7 ESPECIFICAÇÃO E PROCEDIMENTOS REV. 0 JUL. 08 PMSP SMSP CALÇADAS DA AVENIDA PAULISTA 1 / 7 1. OBJETIVO: O objetivo deste documento é definir técnicas e procedimentos para intervenções e reparos sobre pisos de concreto moldado in loco, em conformidade

Leia mais

3.3) - É de inteira responsabilidade da empreiteira observar as normas de segurança do trabalho NBR-18.

3.3) - É de inteira responsabilidade da empreiteira observar as normas de segurança do trabalho NBR-18. MEMORIAL DESCRITIVO PROPRIETÁRIO: PREFEITURA MUNICIPAL DE ARROIO DO MEIO TIPO: CONSTRUÇÃO DE BASE DE CONCRETO PARA RECEBER EQUIPAMENTOS ESPORTIVOS ACADEMIA AO AR LIVRE LOCALIZAÇÃO: SÃO QUATRO ACADEMIAS,

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO SINALIZAÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO SINALIZAÇÃO PROPRIETÁRIO: PREFEITURA MUNICIPAL DE PONTALINA OBRA: SINALIZAÇÃO HORIZONTAL E VERTICAL MEMORIAL DESCRITIVO SINALIZAÇÃO INTRODUÇÃO Devido ao pequeno tráfego de pessoas nos locais a serem pavimentados foi

Leia mais

CEMIG DISTRIBUIÇÃO S.A INSTRUÇÕES PARA ABERTURA DO CABO EN320

CEMIG DISTRIBUIÇÃO S.A INSTRUÇÕES PARA ABERTURA DO CABO EN320 a EMISSÃO INICIAL FTY MM LYT 18/12/14 REV. ALTERAÇÕES EXEC. VISTO APROV. DATA EXEC. VISTO APROV. FTY MM LYT DATA: CEMIG DISTRIBUIÇÃO S.A LD 1 ALMENARA - JEQUITINHONHA, 138kV (Op. 69 kv) 18/12/14 INSTRUÇÕES

Leia mais

Manual de Instruções Transportadores Moveflex Série B

Manual de Instruções Transportadores Moveflex Série B Manual de Instruções Transportadores Moveflex Série B Versão: 4.0 Data:01/2015 Ind. e Com. Eletro Eletronica Gehaka Ltda. CNPJ: 13005553/0001-23 Av. Duquesa de Goiás, 235 - Real Parque 05686-900 - São

Leia mais

Simples, resistente e fácil de montar.

Simples, resistente e fácil de montar. Simples, resistente e fácil de montar. Economia e resistência são as principais qualidades da telha Vogatex. Possui peso reduzido e simplicidade estrutural, exigindo o mínimo de mão-de-obra e madeiramento

Leia mais

PROJETO BÁSICO DE ENGENHARIA

PROJETO BÁSICO DE ENGENHARIA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE FONTOURA XAVIER SECRETARIA DO PLANEJAMENTO LOCAL: AVENIDA 25 DE ABRIL ASSUNTO: PROJETO DE CAPEAMENTO ASFÁLTICO ÁREA TOTAL: 4.935,75 m² PROJETO BÁSICO

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DISTRIBUIÇÃO

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DISTRIBUIÇÃO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DISTRIBUIÇÃO ETD - 07 CRUZETA DE CONCRETO ARMADO PARA REDES DE DISTRIBUIÇÃO ESPECIFICAÇÃO E PADRONIZAÇÃO EMISSÃO: julho/2003 REVISÃO: setembro/08 FOLHA : 1 / 6 FURAÇÃO DA CRUZETA

Leia mais

Piso Elevado. Vantagens: Instalação rápida e segura, reduzindo a necessidade de serviços de Mao de obra civil;

Piso Elevado. Vantagens: Instalação rápida e segura, reduzindo a necessidade de serviços de Mao de obra civil; Piso Elevado Os pisos elevados são ideais tanto para ambiente de escritório como para ambientes robustos, sendo capaz de adequar-se as necessidades de qualquer projeto. Fabricados de acordo com as normas

Leia mais

ESCORAMENTO ESPECIFICAÇÕES OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 3

ESCORAMENTO ESPECIFICAÇÕES OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 3 ESCORAMENTO PÁGINA 1/16 MOS 4ª Edição ESPECIFICAÇÕES MÓDULO 05 VERSÃO 00 DATA jun/2012 SUMÁRIO OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 3 0501 ESCORAMENTO DE MADEIRA... 3 0502

Leia mais

SINALIZAÇÃO HORIZONTAL. Profa. Mariana de Paiva

SINALIZAÇÃO HORIZONTAL. Profa. Mariana de Paiva SINALIZAÇÃO HORIZONTAL Profa. Mariana de Paiva 3. INSTRUMENTOS DE CONTROLE DE TRÁFEGO 3.2 SINALIZAÇÃO CLASSIFICAÇÃO Sinalização Vertical Sinalização Horizontal Sinais Luminosos Dispositivos de Sinalização

Leia mais

Autorização para ocupação transversal e/ou longitudinal da faixa de domínio por linhas físicas de transmissão e distribuição de energia.

Autorização para ocupação transversal e/ou longitudinal da faixa de domínio por linhas físicas de transmissão e distribuição de energia. fls. 1/11 ÓRGÃO: MANUAL: DIRETORIA DE ENGENHARIA ADMINISTRAÇÃO DA FAIXA DE DOMÍNIO Autorização para ocupação transversal e/ou longitudinal da faixa de domínio por linhas físicas de transmissão e distribuição

Leia mais

Alta produtividade Engenharia de projetos Qualidade assegurada Certificado de garantia Sigilo industrial Confiabilidade.

Alta produtividade Engenharia de projetos Qualidade assegurada Certificado de garantia Sigilo industrial Confiabilidade. Há mais de 46 anos no mercado, a Torcisão iniciou as suas atividades no desenvolvimento de materiais para a indústria automobilística, que exigia um rigoroso controle técnico e de qualidade. Em 2006, com

Leia mais

EMPRESA PÚBLICA DE TRANSPORTE E CIRCULAÇÃO GERÊNCIA DO MOBILIÁRIO E SINALIZAÇÃO VIÁRIA MEMORIAL DESCRITIVO PARADA SEGURA TIPO 1 PARA PASSEIO

EMPRESA PÚBLICA DE TRANSPORTE E CIRCULAÇÃO GERÊNCIA DO MOBILIÁRIO E SINALIZAÇÃO VIÁRIA MEMORIAL DESCRITIVO PARADA SEGURA TIPO 1 PARA PASSEIO MEMORIAL DESCRITIVO PARADA SEGURA TIPO 1 PARA PASSEIO SUMÁRIO: MEMORIAL DESCRITIVO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PLANTAS MEMORIAL DESCRITIVO 1. INTRODUÇÃO O presente projeto foi desenvolvido pela EPTC com o

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS GERAIS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS GERAIS Armários Construídos em madeira compensada laminada do tipo virola naval de 15 mm de espessura, revestido internamente laminado melamínico liso e externamente em laminado melamínico texturizado. Os que

Leia mais

QE-40. Tabela de basquete. Componentes. Código de listagem. Atenção. (Pré-laje treliçada) 1 15/09/10. Revisão Data Página 1/6

QE-40. Tabela de basquete. Componentes. Código de listagem. Atenção. (Pré-laje treliçada) 1 15/09/10. Revisão Data Página 1/6 /6 2/6 3/6 4/6 DESCRIÇÃO Constituintes Base do Pilar de concreto: - Concreto moldado in loco, fck>25 MPa; - Armação em aço CA-50A (bitolas indicadas no desenho). Pilar pré-moldado: - Concreto usinado,

Leia mais

PAVIMENTAÇÃO DE RUA COM LAJOTA DE CONCRETO SEXTAVADA E CALÇADA EM CONCRETO

PAVIMENTAÇÃO DE RUA COM LAJOTA DE CONCRETO SEXTAVADA E CALÇADA EM CONCRETO PREFEITURA MUNICIPAL DE ASCURRA ESTADO DE SANTA CATARINA CNPJ: 83.102.772/0001-61 PAVIMENTAÇÃO DE RUA COM LAJOTA DE CONCRETO SEXTAVADA E CALÇADA EM CONCRETO LOCAL: EM PARTE DA RUA RIBEIRÃO SÃO PAULO CONTEÚDO:

Leia mais