TERMO DE REFERÊNCIA -2

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TERMO DE REFERÊNCIA -2"

Transcrição

1 TERMO DE REFERÊNCIA O PROJETO Título do Projeto: Reforma e Ampliação das Promotorias de Justiça de Direitos Constitucionais e Patrimônio Público e Promotorias de Justiça de Ações Constitucionais e Fazenda Pública no Anexo do Ministério Público do Estado do Pará Localização: Rua Ângelo Custódio, 60, Município de Belém, Estado do Pará 2. OBJETIVOS O presente Termo de Referência tem como objetivo nortear a contratação de Projetos Executivos da Reforma e Ampliação das Promotorias de Justiça de Direitos Constitucionais e Patrimônio Público e Promotorias de Justiça de Ações Constitucionais e Fazenda Pública no Anexo do Ministério Público do Estado do Pará, a ser construído nas instalações do Anexo 1 do Ministério Público do Estado do Pará, no Município de Belém, Estado do Pará. O material a ser desenvolvido será constituído dos Projetos Executivos de Instalações Hidráulicas, Esgotamento Sanitário e Drenagem Pluvial Predial, Prevenção e Combate a incêndio e Pânico, Elétricas, Telefônicas e Rede de Dados, Circuito Fechado de TV (CFTV) e Alarme de Presença, Proteção contra Descargas Atmosféricas, Detecção e Alarme de Incêndio, Condicionamento de Ar e Ventilação Mecânica. Integram, também, esse material, as Especificações Técnicas, Planilha de Quantitativos, Orçamento, Cronograma Físicofinanceiro e Composição de Preços Unitários da obra, referentes aos projetos em questão. 3. CRITÉRIOS TÉCNICOS PARA O PROJETO Os projetos a serem concebidos deverão obedecer à legislação específica referente à natureza da edificação, às normas da ABNT, às prescrições e regulamentos das concessionárias locais e à supervisão e orientações do órgão técnico da contratante. 4. DESCRIÇÃO DO PROJETO O conjunto arquitetônico que, abriga a Reforma e Ampliação das Promotorias de Justiça de Direitos Constitucionais e Patrimônio Público e Promotorias de Justiça de Ações Constitucionais e Fazenda Pública no Anexo do Ministério Público do Estado do Pará, que deverá ser ampliado para receber as instalações de gabinetes de Promotores. Para a elaboração dos projetos, alguns aspectos devem ser observados com especial atenção. A intervenção proposta deverá estar de acordo com os padrões de intervenção em conjuntos arquitetônicos de valor histórico aceitos pela Secretaria de Cultura do Estado do Pará, órgão público que fiscaliza obras no bairro da Cidade Velha, em Belém do Pará. O complexo de edificações, em todos os seus ambientes, internos e externos, não poderá possuir obstáculos à livre mobilidade de portadores de necessidades especiais. 5. SERVIÇOS A SEREM DESENVOLVIDOS Deverão ser desenvolvidos os seguintes produtos, referentes ao Prédio: 5.1. PROJETO EXECUTIVO DE INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS DA EDIFICAÇÃO

2 O Projeto Executivo de Instalações Hidráulicas apresentará a proposta do sistema de abastecimento, distribuição e alimentação de água fria a ser instalado no edifício. Essas informações deverão ser apresentadas da seguinte forma: Planta Baixa de Situação e Locação das edificações, trazendo os posicionamentos, dimensionamentos e especificações de todas as tubulações externas e equipamentos diversos (hidrômetro etc), e a indicação das redes existentes de propriedade do Poder Público local (quando for o caso); Plantas Baixas de todos os pavimentos, trazendo os posicionamentos, dimensionamentos e especificações das tubulações, dos pontos de consumo, dos reservatórios (quando for o caso) e de todos os elementos como, por exemplo, conexões, válvulas, registros etc; Plantas de Detalhamentos, em escala maior, de todos os ambientes onde existam pontos de consumo; Desenhos isométricos da rede geral e dos conjuntos individuais, indicando-se as vazões, os posicionamentos e dimensionamentos das tubulações, as conexões, as válvulas, os registros e os demais componentes do sistema; Detalhamentos de todos os elementos de passagem ou suporte das instalações a serem embutidos, fixados ou transpassados na estrutura da edificação; Memória de Cálculo, apresentando dados, conceitos e critérios utilizados para a concepção e dimensionamento do sistema proposto, e quadros e tabelas que informem, de forma organizada, os quantitativos parciais e globais de todos os materiais envolvidos PROJETO EXECUTIVO DE INSTALAÇÕES DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO E DRENAGEM PLUVIAL PREDIAL DA EDIFICAÇÃO O Projeto Executivo de Esgotamento Sanitário e Pluvial apresentará a proposta do sistema de eliminação dos efluentes de origem sanitária e pluvial a ser instalado nos edifícios. Essas informações deverão ser apresentadas da seguinte forma: Planta Baixa de Situação e Locação das edificações, trazendo os posicionamentos, dimensionamentos e especificações de todas as tubulações externas e equipamentos diversos (caixas de passagem, fossas, filtros, sumidouros etc), e a indicação das redes existentes de propriedade do Poder Público local (quando for o caso); Detalhamento dos equipamentos externos diversos (caixas de passagem, fossas, filtros, sumidouros etc); Planta de Urbanização, trazendo a indicação de todas as tubulações externas, as redes existentes de propriedade do Poder Público local (quando for o caso) e dos equipamentos diversos (caixas de passagem, poços de visitas, canaletas, bacias de contenção de resíduos etc); Detalhamento dos equipamentos de drenagem externos diversos (caixas de passagem, poços de visitas, canaletas etc); Plantas Baixas de todos os pavimentos das edificações, trazendo os posicionamentos, dimensionamentos e especificações das tubulações, dos pontos de coleta, e de todos os elementos como, por exemplo, caixas, ralos, conexões etc;

3 Plantas de Detalhamentos, em escala maior, de todos os ambientes da edificação onde existam pontos de coleta; Desenhos isométricos da rede geral e dos conjuntos individuais, indicando-se as vazões, os posicionamentos e dimensionamentos das tubulações, as conexões, as caixas, os ralos e os demais componentes do sistema; Detalhamentos de todos os elementos de passagem ou suporte das instalações a serem embutidos, fixados ou transpassados na estrutura das edificações; Memória de cálculo, apresentando dados, conceitos e critérios utilizados para a concepção e dimensionamento do sistema proposto, e quadros e tabelas que informem, de forma organizada, os quantitativos parciais e globais de todos os materiais envolvidos PROJETO EXECUTIVO DE INSTALAÇÕES DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO E PÂNICO DA EDIFICAÇÃO O Projeto Executivo de Prevenção e Combate à Incêndio apresentará todos os equipamentos e instalações destinadas à proteção dos edifícios contra ocorrências dessa natureza, utilizando-se redes de hidrantes internos e externos, extintores portáteis e/ou outros equipamentos adequados. Essas informações deverão ser apresentadas da seguinte forma: Planta Baixa de Situação e Locação das edificações, trazendo os posicionamentos, dimensionamentos e especificações de todas as tubulações externas e de equipamentos diversos (hidrantes etc); Plantas Baixas de todos os pavimentos das edificações, trazendo os posicionamentos, dimensionamentos e especificações das tubulações, dos pontos de hidrantes, dos reservatórios (quando for o caso) e de todos os elementos como, por exemplo, extintores portáteis (para os quais informar-se-ão tipo e capacidade), registros, mangueiras etc; Detalhamento da montagem de todos os componentes dos equipamentos do sistema, incluindo-se mangueiras, extintores portáteis etc; Desenhos isométricos da rede geral e dos conjuntos individuais, indicando-se as vazões, os posicionamentos e dimensionamentos das tubulações, as conexões, as válvulas, os registros e os demais componentes do sistema; Detalhamentos de todos os elementos de passagem ou suporte das instalações a serem embutidos, fixados ou transpassados na estrutura da edificação; Memória de Cálculo, apresentando dados, conceitos e critérios utilizados para a concepção e dimensionamento do sistema proposto, e quadros e tabelas que informem, de forma organizada, os quantitativos parciais e globais de todos os materiais envolvidos PROJETO EXECUTIVO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DA EDIFICAÇÃO O Projeto Executivo de Instalações Elétricas trará a solução do sistema de energia elétrica a ser instalado nas edificações. Deverão ser apresentadas plantas baixas, cortes, vistas e detalhes, integralmente cotados e especificados, de todos os elementos e espaços pertencentes ao sistema em questão. Deverão ser definidos, nesse projeto, a entrada de energia, os centros de medição, os eventuais esquemas alternativos de fornecimento (geradores), os posicionamentos dos pontos de consumo com indicações de potências e comandos, os trajetos e bitolas das tubulações, as localizações e dimensionamentos das caixas, os circuitos e as fiações e

4 cabeamentos com suas respectivas bitolas. Também serão apresentados os cortes esquemáticos dos alimentadores, os diagramas unifilares dos quadros de distribuição e força, os detalhamentos de todos os elementos de passagem ou suporte das instalações a serem embutidos, fixados ou transpassados na estrutura das edificações, além das demais informações que se fizerem necessárias. serem utilizados no sistema em questão PROJETO EXECUTIVO DE INSTALAÇÕES TELEFÔNICAS E REDE DE DADOS DA EDIFICAÇÃO O Projeto Executivo de Instalações Telefônicas e Rede de Dados trará a solução do sistema de telefonia a ser instalado nos edifícios, além da tubulação destinada à instalação da rede de dados. Deverão ser apresentadas plantas baixas, cortes, vistas e detalhes, integralmente cotados e especificados, de todos os elementos pertencentes aos sistemas em questão. Deverão ser definidos, nesse projeto, a entrada, o distribuidor geral, os pontos de telefonia, os quadros de distribuição, os trajetos e bitolas das tubulações, as localizações e dimensionamentos das caixas, e as fiações e cabeamentos com suas respectivas bitolas. Também serão apresentados os diagramas, os cortes esquemáticos da distribuição e cabeamento, os detalhamentos, quando necessário for, de todos os elementos de passagem ou suporte das instalações a serem embutidos, fixados ou transpassados na estrutura das edificações, além das demais informações que se fizerem necessárias. serem utilizados nos sistemas em questão PROJETO EXECUTIVO DO CIRCUITO FECHADO DE TV (CFTV) E ALARME DE PRESENÇA DA EDIFICAÇÃO O Projeto Executivo do Circuito Fechado de Tv (CFTV) e de Alarme de Presença trará a solução do sistema interno de TV e de alarme a serem instalados nos edifícios. Deverão ser apresentadas plantas baixas, cortes, vistas e detalhes, integralmente cotados e especificados, de todos os elementos pertencentes ao sistema em questão. Deverão ser definidos, nesse projeto, as localizações das câmeras, dos alarmes, os trajetos e bitolas das tubulações, a localização da central de comando e o dimensionamentos do equipamento, e as fiações e cabeamentos com suas respectivas bitolas. Também serão apresentados os detalhamentos, quando necessário for, de todos os elementos de passagem ou suporte das instalações a serem embutidos, fixados ou transpassados na estrutura das edificações, além das demais informações que se fizerem necessárias. serem utilizados nos sistemas em questão PROJETO EXECUTIVO DE INSTALAÇÕES DE PROTEÇÃO CONTRA DESCARGAS ATMOSFÉRICAS DA EDIFICAÇÃO O Projeto Executivo de Instalações de Proteção Contra Descargas Atmosféricas trará a solução do sistema de escoamento para a terra das correntes elétricas resultantes das descargas atmosféricas, a ser instalado nas edificações. Deverão ser apresentadas plantas baixas, cortes, vistas e detalhes, integralmente cotados e especificados, de todos os elementos pertencentes ao sistema em questão. Deverão ser definidos, nesse projeto, os posicionamentos dos captores e pára-raios, os trajetos e bitolas das tubulações, fiações e cabeamentos, além dos demais componentes que se fizerem necessários. Também serão apresentados os detalhamentos de todos os elementos de passagem ou suporte das instalações a serem embutidos, fixados ou transpassados em suas estruturas de sustentação.

5 serem utilizados no sistema em questão PROJETO EXECUTIVO DE INSTALAÇÕES DE DETECÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO DA EDIFICAÇÃO O Projeto Executivo de Instalações de Detecção e Alarme de Incêndio trará a solução do sistema de identificação e aviso de indícios de incêndios a ser instalado na edificação. Deverão ser apresentadas plantas baixas, cortes, vistas e detalhes, integralmente cotados e especificados, de todos os elementos pertencentes ao sistema em questão. Deverão ser definidos, nesse projeto, os posicionamentos dos detectores termovelométricos, dos sensores iônicos de fumaça, das sirenes e da central de supervisão de alarme, os trajetos e diâmetros das tubulações, e as fiações e cabeamentos com suas respectivas bitolas, além dos demais componentes que se fizerem necessários. Também serão apresentados os detalhamentos de todos os elementos de passagem ou suporte das instalações a serem embutidos, fixados ou transpassados em suas estruturas de sustentação. serem utilizados no sistema em questão PROJETO EXECUTIVO DE INSTALAÇÕES DE AR CONDICIONADO DA EDIFICAÇÃO O Projeto Executivo de Instalações de Condicionamento de Ar trará a solução dos sistemas de refrigeração, ventilação e exaustão mecânicas de ar a serem instalados no edifício. Deverão ser apresentadas plantas baixas, cortes e vistas integralmente cotados e especificados, de todos os elementos e espaços pertencentes ao sistema em questão. Nesse projeto, o sistema a ser adotado será em Splits, e deverão ser apresentados suas respectiva cargas térmicas, os equipamentos a serem empregados (informando-se seus consumos de água e suas potências térmicas e elétricas relativas, os posicionamentos e dimensionamentos das redes hidráulica e elétrica de suporte, além dos demais elementos componentes do sistema). Também serão apresentados, quando for o caso, os detalhamentos de todos os elementos de passagem ou suporte das instalações a serem embutidos, fixados ou transpassados na estrutura da edificação. Ainda integram esse produto a Memória de Cálculo, apresentando dados, conceitos e critérios utilizados para a concepção e dimensionamento do sistema proposto, e quadros e tabelas que informem, de forma organizada, os quantitativos parciais e globais de todos os materiais envolvidos ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS, PLANILHA DE QUANTITATIVOS, ORÇAMENTO, CRONOGRAMA FÍSICO-FINANCEIRO E COMPOSIÇÃO DE PREÇOS UNITÁRIOS Especificações Técnicas As Especificações Técnicas trarão a descrição pormenorizada dos procedimentos técnicos de execução e montagem de todos os aspectos da obra, definindo os materiais, componentes e equipamentos a serem empregados, considerando-se as particularidades locais. A apresentação das informações integrantes desse produto deverá ser distribuída em segmentos, divididos de acordo com a natureza dos serviços a serem executados, havendo, portanto os seguintes itens, por exemplo: I. Instalações Hidráulicas; II. Instalações de Esgotamento Sanitário e Drenagem Pluvial Predial;

6 III. Instalações de Prevenção e Combate à Incêndio; IV. Instalações Elétricas; V. Instalações Telefônicas e Rede de Dados; VI. Instalações de Circuito Fechado de TV (CFTV) e de Alarme de Presença; VII. Instalações de Proteção Contra Descargas Atmosféricas; VIII. Instalações de Detecção e Alarme de Incêndio; IX. Instalações de Condicionamento de Ar e Ventilação Mecânica; Planilha de Quantitativos A Planilha de Quantitativos, elaborada a partir das Especificações Técnicas, trará o levantamento pormenorizado de todos os materiais e equipamentos a serem empregados na edificação, bem como dos serviços a serem realizados na execução das obras, apresentando-se seus quantitativos, parciais e totais, organizados de acordo com a especificidade de cada serviço e/ou projeto Orçamento e Cronograma Físico Financeiro O Orçamento, estruturado sobre a Planilha de Quantitativos, trará o lançamento de preços de mercado em todos os itens daquela, apresentando-se, portanto, os custos parciais e totais dos materiais, equipamentos e serviços da obra, organizados de acordo com a especificidade de cada serviço e/ou projeto. O Cronograma Físico-Financeiro da obra será destinado a relacionar etapas de serviços e seus respectivos desembolsos. Integra, ainda, este item, a Composição de Preços Unitários, com data-base de Abril ETAPAS DO DESENVOLVIMENTO DOS SERVIÇOS 6.1. Etapa 1 Ante-projetos Etapa 2 - Projetos Executivos, Especificações Técnicas, Planilha de Quantitativos, Orçamento, Composição de Preços Unitários e Cronograma Físico-Financeiro da obra. Os projetos deverão ser elaborados sempre com o acompanhamento de técnicos designados pela Contratante, os quais darão o aceite para cada estágio da concepção da edificação, desde seus estudos preliminares até a proposta final. O material descrito acima deverá ser entregue em mídia digital e analógica. A parte digital deverá estar integralmente contida em um CD, com os arquivos vetoriais de desenho em formato Dwf, as imagens em JPG ou TIF, os textos em DOC e as planilhas em XLS. Já no que se refere ao material analógico, todos os desenhos (expressos em escala adequada) deverão estar plotados em papel sulfite (1 via), de dimensões que permitam suas perfeitas compreensões e manuseios. Os textos e planilhas serão impressos, em uma via, em papel sulfite ou similar, no formato A4. Os projetos em questão deverão estar rigorosamente de acordo com as leis que os regulam, não havendo, portanto, desconformidades legais nas esferas de licenciamento de âmbito municipal, estadual e federal. O aceite dos projetos será concedido pela Contratante, podendo esta solicitar a complementação de informações, se assim julgar necessário. 7. PRAZOS PARA O DESENVOLVIMENTO DOS SERVIÇOS 7.1. Etapa 1

7 O prazo de entrega do produto referente à Etapa 1 será de 30 dias consecutivos, contados a partir da data assinatura do contrato e emissão da ordem de serviço Etapa 2 O prazo máximo para a entrega dos produtos da Etapa 2 será de 30 dias consecutivos, contados a partir da data do aceite do produto da Etapa PREÇOS DOS PROJETOS A proposta de preços deverá ser expressa de maneira detalhada, especificando-se os preços dos produtos de cada etapa. Deverão estar discriminandos os Projetos Executivos, além das Especificações Técnicas, Planilha de Quantitativos, Orçamento, Cronograma Físico-financeiro e Composição de Preços Unitários da obra. 9. DADOS TÉCNICOS NECESSÁRIOS PARA O DESENVOLVIMENTO DOS SERVIÇOS A contratada deverá fornecer, para o desenvolvimento dos serviços de que trata este documento, o Projeto Básico de Arquitetura.

TERMO DE REFERÊNCIA -2

TERMO DE REFERÊNCIA -2 TERMO DE REFERÊNCIA -2 1. O PROJETO Projeto executivo para construção do prédio das Promotorias da Infância e Juventude. 2. OBJETIVOS O presente Termo de Referência tem como objetivo nortear a contratação

Leia mais

ESTADO DO PARÁ MINISTÉRIO PÚBLICO ESPECIFICAÇÃO

ESTADO DO PARÁ MINISTÉRIO PÚBLICO ESPECIFICAÇÃO ESPECIFICAÇÃO 1. O PROJETO Projeto básico e executivo para construção do prédio das Promotorias de Justiça de Parauapebas. 2. OBJETIVOS O presente Termo de Referência tem como objetivo nortear a contratação

Leia mais

LOCAIS DE TRABALHO COM QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PROJETOS COMPLEMENTARES

LOCAIS DE TRABALHO COM QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PROJETOS COMPLEMENTARES LOCAIS DE TRABALHO COM QUALIDADE E PRODUTIVIDADE 01 NOSSOS SERVIÇOS Após 35 anos de experiência na área de edificações para o mercado imobiliário gaúcho, a BENCKEARQUITETURA, juntamente com a BENCKECONSTRUÇÕES,

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA 06 PROJETOS DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS, COMUNICAÇÃO E SISTEMAS DE PREVENÇÃO DE DESCARGAS ATMOSFÉRICAS

INSTRUÇÃO TÉCNICA 06 PROJETOS DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS, COMUNICAÇÃO E SISTEMAS DE PREVENÇÃO DE DESCARGAS ATMOSFÉRICAS INSTRUÇÃO TÉCNICA 06 PROJETOS DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS, COMUNICAÇÃO E SISTEMAS DE PREVENÇÃO DE DESCARGAS ATMOSFÉRICAS 1 OBJETIVO Revisão 00 fev/2014 1.1 Estas Instruções Normativas de Projeto apresentam

Leia mais

MEMO Nº 022/ENG/IFC/2010 Blumenau, 15 de julho de 2010. Do: Departamento de Engenharia do Instituto Federal Catarinense

MEMO Nº 022/ENG/IFC/2010 Blumenau, 15 de julho de 2010. Do: Departamento de Engenharia do Instituto Federal Catarinense MEMO Nº 022/ENG/IFC/2010 Blumenau, 15 de julho de 2010. Ao: Pró Reitor de Desenvolvimento Institucional ANTÔNIO A. RAITANI JÚNIOR Do: Departamento de Engenharia do Instituto Federal Catarinense Assunto:

Leia mais

= CONSTANTE x CUB PR x M2

= CONSTANTE x CUB PR x M2 1 TABELA DE HONORÁRIOS MÍNIMOS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE INSTALAÇÃO ELÉTRICAS E TELEFONIA, TUBULAÇÃO DE ALARME/CFTV/LÓGICA/SOM/TV E SPDA (SISTEMA PROTEÇÃO CONTRA DESCARGA ATMOSFÉRICA). PRESCRIÇÕES

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE INSTALAÇÕES PREVENTIVAS CONTRA INCÊNDIO DE EDIFICAÇÃO

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE INSTALAÇÕES PREVENTIVAS CONTRA INCÊNDIO DE EDIFICAÇÃO 1 INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE INSTALAÇÕES PREVENTIVAS CONTRA INCÊNDIO DE EDIFICAÇÃO 2 ÍNDICE Lista de Abreviaturas 03 Introdução 04 Parte I 05 Instruções Gerais 05 Modelo de Selo Padrão 07

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 017/DAT/CBMSC) SISTEMA DE ÁGUA NEBULIZADA (MULSIFYRE)

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 017/DAT/CBMSC) SISTEMA DE ÁGUA NEBULIZADA (MULSIFYRE) ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS - DAT NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 017/DAT/CBMSC)

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA 02 PROJETOS DE INFRAESTRUTURA : FUNDAÇÃO

INSTRUÇÃO TÉCNICA 02 PROJETOS DE INFRAESTRUTURA : FUNDAÇÃO INSTRUÇÃO TÉCNICA 02 PROJETOS DE INFRAESTRUTURA : FUNDAÇÃO 1. OBJETIVO 1.1. Estas Instruções Normativas de Projeto apresentam os procedimentos, critérios e padrões a serem adotados para elaboração dos

Leia mais

MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES

MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES 1 ANEXO I ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS (NORMAS E DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS, ESPECIFICAÇÕES E PLANILHA) MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES ELABORAÇÃO, APROVAÇÃO, DETALHAMENTO E DESENVOLVIMENTO DOS PROJETOS

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE INSTALAÇÕES PREVENTIVAS CONTRA INCÊNDIO DE EDIFICAÇÃO

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE INSTALAÇÕES PREVENTIVAS CONTRA INCÊNDIO DE EDIFICAÇÃO INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE INSTALAÇÕES PREVENTIVAS CONTRA INCÊNDIO DE EDIFICAÇÃO Blumenau, maio de 2010 1. RESUMO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. INTRODUÇÃO... 3 4. SISTEMA PREVENTIVO CONTRA INCÊNDIO...

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DO PROJETOS BÁSICO

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DO PROJETOS BÁSICO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DO PROJETOS BÁSICO 1. Projeto Arquitetônico (estudo preliminar, anteprojeto, projeto definitivo): O projeto arquitetônico compõe-se dos seguintes dados concepcionais suscetíveis

Leia mais

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTOS DE ITAPIRA

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTOS DE ITAPIRA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO PARA LOTEAMENTOS URBANOS 1 DO OBJETIVO A presente Norma estabelece os requisitos mínimos a serem obedecidos

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO DA 2ª REGIÃO/SP ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PREGÃO ELETRÔNICO Nº.

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO DA 2ª REGIÃO/SP ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PREGÃO ELETRÔNICO Nº. ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PREGÃO ELETRÔNICO Nº. 27/2011 TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETO 1.1. Contratação de empresa especializada na prestação de serviços de engenharia elétrica para elaboração de projeto

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO. Assessoria de Infraestrutura - INFRA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO. Assessoria de Infraestrutura - INFRA UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO Assessoria de Infraestrutura - INFRA Petrolina Junho de 2013 APRESENTAÇÃO A Assessoria de Infraestrutura INFRA é um órgão da administração superior da Univasf

Leia mais

PROJETO EXECUTIVO MEMORIAL DESCRITIVO

PROJETO EXECUTIVO MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO EXECUTIVO MEMORIAL DESCRITIVO DAS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS DO RESTAURANTE E VESTIÁRIOS Rev. 0: 09/01/13 1. INTRODUÇÃO Este memorial visa descrever os serviços e especificar os materiais do projeto

Leia mais

COORDENAÇÃO DOS PROJETOS DE SISTEMAS PREDIAIS HIDRO- SANITÁRIOS EM EDIFICAÇÕES VERTICALIZADAS

COORDENAÇÃO DOS PROJETOS DE SISTEMAS PREDIAIS HIDRO- SANITÁRIOS EM EDIFICAÇÕES VERTICALIZADAS COORDENAÇÃO DOS PROJETOS DE SISTEMAS PREDIAIS HIDRO- SANITÁRIOS EM EDIFICAÇÕES VERTICALIZADAS Arancibia Rodríguez, Marco A. (1); Novaes, Rogério (2) (1) Eng. Civil, Mestre em Engenharia, Doutorando em

Leia mais

FORMULÁRIO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO PROJETO TÉCNICO

FORMULÁRIO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO PROJETO TÉCNICO ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA E DA DEFESA SOCIAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS DAT/1 SEÇÃO DE ANÁLISE DE PROJETOS FORMULÁRIO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR CENTRO DE ATIVIDADES TÉCNICAS

GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR CENTRO DE ATIVIDADES TÉCNICAS GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR CENTRO DE ATIVIDADES TÉCNICAS NORMA TÉCNICA 20/2010 SISTEMAS DE PROTEÇÃO POR CHUVEIROS AUTOMÁTICOS SUMÁRIO 1 OBJETIVO 2 APLICAÇÃO 3 REFERÊNCIAS

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA 04 PROJETOS DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCENDIOS (PCI)

INSTRUÇÃO TÉCNICA 04 PROJETOS DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCENDIOS (PCI) INSTRUÇÃO TÉCNICA 04 PROJETOS DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCENDIOS (PCI) 1 OBJETIVO 1.1 Estas Instruções Normativas de Projeto apresentam os procedimentos, critérios e padrões a serem adotados para elaboração

Leia mais

ANEXO XVII PLANO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS E EDIFICAÇÕES

ANEXO XVII PLANO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS E EDIFICAÇÕES ANEXO XVII PLANO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS E EDIFICAÇÕES Complexo Esportivo de Deodoro Edital 1.10 1. Instalações Hidráulicas e Sanitárias Os serviços de manutenção de instalações hidráulicas e sanitárias,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE - PMPA Secretaria Municipal de Obras e Viação-SMOV DPP/EPO/SMOV ANEXO XII - TERMO DE REFERÊNCIA

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE - PMPA Secretaria Municipal de Obras e Viação-SMOV DPP/EPO/SMOV ANEXO XII - TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO XII - TERMO DE REFERÊNCIA ELABORAÇÃO DE PROJETOS ELÉTRICO, TELEFÔNICO E REDE DE LÓGICA PARA O TEATRO RENASCENÇA E SALA ÁLVARO MOREIRA E PROJETO DE SISTEMAS DE ALARMES E SPDA PARA O CENTRO MUNICIPAL

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE LOTEAMENTO URBANO

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE LOTEAMENTO URBANO SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO GUANHÃES MG INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE LOTEAMENTO URBANO SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO

Leia mais

Instruções Técnicas para Apresentação de Projetos de Sistemas de Tratamento de Efluentes Líquidos Industriais

Instruções Técnicas para Apresentação de Projetos de Sistemas de Tratamento de Efluentes Líquidos Industriais Governo do Estado do Rio Grande do Norte Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos Instruções Técnicas para Apresentação de Projetos de Sistemas Avenida Nascimento de Castro, 2127 Lagoa

Leia mais

ECV 5644 Instalações II

ECV 5644 Instalações II SISTEMA DE GÁS CENTRALIZADO Fonte: ETFSC Este Sistema também é conhecido como SISTEMA DE GÁS COMBUSTIVEL CENTRALIZADO, é constituído basicamente das seguintes instalações: 1. Central de Gás (Central de

Leia mais

GOVERNO DE SERGIPE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SERVIÇO DE EDIFICAÇÕES ESCOLARES TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PROJETOS DE ENGENHARIA

GOVERNO DE SERGIPE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SERVIÇO DE EDIFICAÇÕES ESCOLARES TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PROJETOS DE ENGENHARIA TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PROJETOS DE ENGENHARIA 1. OBJETIVO Este Termo de Referência é parte integrante do Convite nº 01 / 2015. O objetivo deste Termo de Referência é definir as diretrizes

Leia mais

EVENTOS QUADRO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA DADOS DO EVENTO

EVENTOS QUADRO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA DADOS DO EVENTO EVENTOS QUADRO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA NOME DO EVENTO: DADOS DO EVENTO EMPRESA RESPONSÁVEL: CNPJ: END. COMPLETO: ESTRUTURA: ( ) CAMAROTE NOME: ( ) POSTO DE TRANSMISSÃO ( ) PALCO - ( ) PRATICÁVEIS:

Leia mais

Blumenau, maio de 2010.

Blumenau, maio de 2010. INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS ELÉTRICO, TELEFÔNICO E CABEAMENTO ESTRUTURADO Blumenau, maio de 2010. 1. RESUMO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. INTRODUÇÃO... 3 4. INSTRUÇÕES GERAIS... 4 5. INSTALAÇÕES

Leia mais

Serviços e Projetos em Engenharia para todos os segmentos.

Serviços e Projetos em Engenharia para todos os segmentos. Apresentação da Empresa Sumário 02 Quem Somos 03 Urbanismo e Infraestrutura 04 Arquitetura e Paisagismo 05 Área de Estruturas 06 Proteção contra Incêndio 07 Área de Hidráulica 08 Instalações Elétricas

Leia mais

Instruções Técnicas para Apresentação de Projetos de Bases de Apoio a Empresas Transportadoras de Cargas e Resíduos - Licença de Instalação (LI) -

Instruções Técnicas para Apresentação de Projetos de Bases de Apoio a Empresas Transportadoras de Cargas e Resíduos - Licença de Instalação (LI) - Governo do Estado do Rio Grande do Norte Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos Instruções Técnicas para Apresentação de Projetos de Bases de Apoio a Empresas Transportadoras de Cargas e Resíduos

Leia mais

MANUAL PARA CONTRATAÇÃO DE PROJETOS

MANUAL PARA CONTRATAÇÃO DE PROJETOS MANUAL PARA CONTRATAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA E ENGENHARIA DESTINADOS À EXECUÇÃO DE OBRAS DA Novembro de 2013 Comitê Técnico de Obras Nacional 2 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 9 COMPOSIÇÃO DO BDI... 11 PLANILHA

Leia mais

PROC IBR EDIF 028/2014 Análise das especificações, quantidades e preços das Instalações de Prevenção à Incêndio e Pânico

PROC IBR EDIF 028/2014 Análise das especificações, quantidades e preços das Instalações de Prevenção à Incêndio e Pânico INSTITUTO BRASILEIRO DE AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS IBRAOP INSTITUTO RUI BARBOSA IRB / COMITÊ OBRAS PÚBLICAS PROC IBR EDIF 028/2014 Análise das especificações, quantidades e preços das Instalações de Prevenção

Leia mais

FUNDAMENTOS DE ARQUITETURA metodologia em projeto arquitetônico

FUNDAMENTOS DE ARQUITETURA metodologia em projeto arquitetônico FUNDAMENTOS DE ARQUITETURA metodologia em projeto arquitetônico UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA FACULDADE DE ENGENHARIA Curso: Engenharia Civil Profª. Raquel Portes ETAPAS DO PROJETO DE ARQUITETURA

Leia mais

NORMA TÉCNICA N o 18 SISTEMAS DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS

NORMA TÉCNICA N o 18 SISTEMAS DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS ANEXO XVIII AO DECRETO N o 3.950, de 25 de janeiro de 2010. NORMA TÉCNICA N o 18 SISTEMAS DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS 1. OBJETIVO Esta Norma Técnica visa a adequar o texto da norma NBR 10897, que dispõe sobre

Leia mais

c) Em hipótese alguma as taxa de iluminação das concessões deverão ultrapassar os valores

c) Em hipótese alguma as taxa de iluminação das concessões deverão ultrapassar os valores planta baixa, preferencialmente em escala 1:50, contendo indicação dos dutos de insuflamento ou exaustão de ar quanto a materiais, comprimentos, dimensões, com elevações; bocas de insuflamento e exaustão;

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA BANCO REGIONAL DE DESENVOLVIMENTO DO EXTREMO SUL BRDE ORIENTAÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ENGENHARIA

ESTADO DE SANTA CATARINA BANCO REGIONAL DE DESENVOLVIMENTO DO EXTREMO SUL BRDE ORIENTAÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ENGENHARIA 0 ESTADO DE SANTA CATARINA BANCO REGIONAL DE DESENVOLVIMENTO DO EXTREMO SUL BRDE ORIENTAÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ENGENHARIA 1 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 REQUISITOS MÍNIMOS DE PROJETOS...

Leia mais

Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas

Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas Pág. 1 Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas Cliente: Unidade: Assunto: Banco de Brasília - BRB Agência SHS Novas Instalações Código do Projeto: 1641-11 Pág. 2 Índice 1. Memorial Descritivo da Obra...3

Leia mais

DIRETORIA REGIONAL PARÁ GERÊNCIA DE ENGENHARIA

DIRETORIA REGIONAL PARÁ GERÊNCIA DE ENGENHARIA DIRETORIA REGIONAL PARÁ GERÊNCIA DE ENGENHARIA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA Nº 280/2015 CADERNO DE ENCARGOS Serviços Técnicos Especializados de Engenharia para ELABORAÇÃO DE PROJETOS EXECUTIVOS COMPLEMENTARES

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 013/DAT/CBMSC) SINALIZAÇÃO PARA ABANDONO DE LOCAL

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 013/DAT/CBMSC) SINALIZAÇÃO PARA ABANDONO DE LOCAL ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS - DAT NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 013/DAT/CBMSC)

Leia mais

ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS - INDÚSTRIAS DE COSMÉTICOS E SANEANTES -

ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS - INDÚSTRIAS DE COSMÉTICOS E SANEANTES - ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS - INDÚSTRIAS DE COSMÉTICOS E SANEANTES - 1. LEGISLAÇÃO SANITÁRIA ESPECÍFICA - Lei Federal 6.360/76 e Decreto Estadual (DE) 23.430 de 24/10/1974 (http://www.al.rs.gov.br/legis/);

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO 19 TOMADA DE PREÇOS Nº 02/2007 ANEXO I ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 1 DO OBJETO Contratação de Escritório Técnico para elaboração e desenvolvimento dos projetos do edifício que irá abrigar a futura sede da,

Leia mais

1. PROJETO EXECUTIVO ESTRUTURAL/FUNDAÇÕES E MEMORIAL DESCRITIVO ESTRUTURAL/FUNDAÇÕES

1. PROJETO EXECUTIVO ESTRUTURAL/FUNDAÇÕES E MEMORIAL DESCRITIVO ESTRUTURAL/FUNDAÇÕES ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS / EXIGÊNCIAS MÍNIMAS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DOS PROJETOS EXECUTIVOS E MEMORIAIS DESCRITIVOS ESTRUTURAL/FUNDAÇÕES, INSTALAÇÕES ELÉTRICAS/SPDA, PPCI E INSTALAÇÕES HIDROSSANITÁRIAS

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PROJETO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO (SPCI), DESCARGAS ATMOSFÉRICAS (SPDA), E DE GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO ( GLP)

TERMO DE REFERÊNCIA PROJETO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO (SPCI), DESCARGAS ATMOSFÉRICAS (SPDA), E DE GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO ( GLP) TERMO DE REFERÊNCIA PROJETO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO (SPCI), DESCARGAS ATMOSFÉRICAS (SPDA), E DE GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO ( GLP) EDIFÍCIO SEDE TERRACAP DITEC Diretoria Técnica e de Fiscalização

Leia mais

Unidade: Instalações prediais de proteção contra incêndio e de gás

Unidade: Instalações prediais de proteção contra incêndio e de gás Unidade: Instalações prediais de proteção contra incêndio e de gás Nesta Unidade da Disciplina tentaremos compreender a questão da problemática envolvida nos tratos dos assuntos atinentes a prevenção e

Leia mais

ESGOTAMENTO ESPECIFICAÇÕES OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2

ESGOTAMENTO ESPECIFICAÇÕES OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2 1/7 SUMÁRIO OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2 01 ESGOTAMENTO COM BOMBAS... 3 02 REBAIXAMENTO DE LENÇOL FREÁTICO COM PONTEIRAS FILTRANTES... 3 03 REBAIXAMENTO DE LENÇOL

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL

ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL 1 OBJETIVO: Padronizar os diversos tipos de sistemas de bomba de incêndio das edificações, seus requisitos técnicos, componentes, esquemas elétricos-hidráulicos e memória de cálculo, de acordo com os parâmetros

Leia mais

NORMAS E RELATÓRIOS HIDRÁULICA

NORMAS E RELATÓRIOS HIDRÁULICA NORMAS E RELATÓRIOS HIDRÁULICA instalações s, drenagem, gás e segurança contra incêndio sumário REFERÊNCIAS PARA PROJETO 3 Normas 3 Legislação 4 Documentos de referência 5 OBRA NOVA 6 RELATÓRIO DE VISTORIA

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS - ECT ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Nº 0025/2014 CADERNO DE ENCARGOS

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS - ECT ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Nº 0025/2014 CADERNO DE ENCARGOS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Nº 0025/2014 CADERNO DE ENCARGOS Serviços Técnicos Especializados de Engenharia para ELABORAÇÃO DOS PROJETOS EXECUTIVOS COMPLEMENTARES PARA REFORMA E AMPLIAÇÃO DO PRÉDIO DA UD TUCURUI/DR/PA.

Leia mais

SISTEMAS PREDIAIS II. Automação Predial

SISTEMAS PREDIAIS II. Automação Predial PCC-2466 SISTEMAS PREDIAIS II Automação Predial Serviços dos Edifícios HIDRÁULICOS Água Fria; Água Gelada; Água Quente; Sistemas de Aquecimento (solar etc.); Esgotos Sanitários; Águas Pluviais; Drenagem

Leia mais

ENE065 Instalações Elétricas I

ENE065 Instalações Elétricas I 12/03/2012 ENE065 Instalações Elétricas I Prof.: Ivo Chaves da Silva Junior ivo.junior@ufjf.edu.br Informações ENE065 http://www.ufjf.br/ivo_junior/ ENE065_NOTURNO Generalidades Sistema Elétrico de Potência

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 002 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2010.

RESOLUÇÃO Nº 002 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2010. RESOLUÇÃO Nº 002 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2010. Dispõe sobre as diretrizes técnicas e condições necessárias para aprovação de PROJETOS HIDROSSANITÁRIOS pela OPERADORA DO S.A.A.E em empreendimentos localizados

Leia mais

ANEXO I CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ANEXO I CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 1 ANEXO I CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS EDITAL DO PREGÃO AMPLO Nº 008/2010-ER05-Anatel PROCESSO Nº 53528.001004/2010 Projeto Executivo e Estudos de Adequação da nova Sala de Servidores da rede de

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA Nº 20141102110350178 e 20141102110932178 MELHORIA DA ESTRUTURA DE USO PÚBLICO DO PARQUE NACIONAL DO ITATIAIA PROJETO.

TERMO DE REFERENCIA Nº 20141102110350178 e 20141102110932178 MELHORIA DA ESTRUTURA DE USO PÚBLICO DO PARQUE NACIONAL DO ITATIAIA PROJETO. TERMO DE REFERENCIA Nº 20141102110350178 e 20141102110932178 PROJETO Assunto MELHORIA DA ESTRUTURA DE USO PÚBLICO DO PARQUE NACIONAL DO ITATIAIA Item: Contratação de consultoria PJ especializada para realização

Leia mais

CADERNO DE ORIENTAÇÕES LOCAÇÃO DE IMÓVEL UNIDADE REGIONAL BAHIA

CADERNO DE ORIENTAÇÕES LOCAÇÃO DE IMÓVEL UNIDADE REGIONAL BAHIA LOCAÇÃO DE IMÓVEL UNIDADE REGIONAL BAHIA Dezembro de 2013 SUMÁRIO 1. OBJETO... 3 2. GENERALIDADES... 3 3. DO EDIFÍCIO... 4 4. INSTALAÇÕES ELÉTRICAS, ELETRÔNICAS, DADOS E VOZ... 4 5. INSTALAÇÕES DE REFRIGERAÇÃO...

Leia mais

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E/OU ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE EMPREENDIMENTOS

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E/OU ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE EMPREENDIMENTOS DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E/OU ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE EMPREENDIMENTOS ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. PROCEDIMENTOS... 3 3. APRESENTAÇÃO DOS PROJETOS...

Leia mais

2.3 Os projetos somente serão liberados pelos técnicos se estiverem assinados e acompanhados das respectivas ARTs ou RRTs.

2.3 Os projetos somente serão liberados pelos técnicos se estiverem assinados e acompanhados das respectivas ARTs ou RRTs. INSTRUÇÃO TÉCNICA 11 COMUNICAÇÃO VISUAL E SINALIZAÇÃO Revisão 00 jan/2014 1 OBJETIVO 1.1 Estas Instruções Normativas de Projeto apresentam os procedimentos, critérios e padrões a serem adotados para elaboração

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE URBANIZAÇÃO SUMÁRIO 1.0 - OBJETIVO 2 0 - DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 3.0 - ESCOPO 3.1 - PROCEDIMENTOS FORMAIS

ESPECIFICAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE URBANIZAÇÃO SUMÁRIO 1.0 - OBJETIVO 2 0 - DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 3.0 - ESCOPO 3.1 - PROCEDIMENTOS FORMAIS ESPECIFICAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE URBANIZAÇÃO SUMÁRIO 1.0 - OBJETIVO 2 0 - DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 3.0 - ESCOPO 3.1 - PROCEDIMENTOS FORMAIS 3.2 - COMPONENTES ESPECÍFICOS 3.2.1 - Plano de Intervenção

Leia mais

CLIENTE: CYRELA COMMERCIAL PROPOERTIES

CLIENTE: CYRELA COMMERCIAL PROPOERTIES Automação Predial e Patrimonial - Memorial Descritivo para Lojas CLIENTE: CYRELA COMMERCIAL PROPOERTIES Pasta: cyrella_metropolitano-pro-ec-lojas-1-0-2012.doc DATA: 14/05/2012 0 Emissão de Memorial Descritivo

Leia mais

NPT 023 SISTEMA DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS

NPT 023 SISTEMA DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS Janeiro 2012 Vigência: 08 Janeiro 2012 NPT 023 Sistema de chuveiros automáticos CORPO DE BOMBEIROS BM/7 Versão: 02 Norma de Procedimento Técnico 5 páginas SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências normativas

Leia mais

Apresentação. Quem Somos

Apresentação. Quem Somos Apresentação Quem Somos A F3 Soluções é uma organização de origem brasileira, de negócios diversificados, com atuação e padrão de qualidade globais e certificações de reconhecimento nas áreas especificas

Leia mais

Os Levantamentos somente serão liberados pelos técnicos se estiverem assinados e acompanhados das respectivas ARTs ou RRTs.

Os Levantamentos somente serão liberados pelos técnicos se estiverem assinados e acompanhados das respectivas ARTs ou RRTs. INSTRUÇÃO TÉCNICA 11 COMUNICAÇÃO VISUAL E SINALIZAÇÃO Revisão 00 jan/2014 1 OBJETIVO Esta Instrução Técnica apresenta os procedimentos, critérios e padrões que deverão ser adotados na execução de serviço

Leia mais

Instituto Brasileiro de Auditoria de Obras Públicas www.ibraop.com.br

Instituto Brasileiro de Auditoria de Obras Públicas www.ibraop.com.br Instituto Brasileiro de Auditoria de Obras Públicas www.ibraop.com.br ORIENTAÇÃO TÉCNICA OT - IBR 001/2006 PROJETO BÁSICO Primeira edição: válida a partir de 07/11/2006 Palavras Chave: Projeto Básico,

Leia mais

Recomendações para elaboração de projetos estruturais de edifícios em aço

Recomendações para elaboração de projetos estruturais de edifícios em aço 1 Av. Brigadeiro Faria Lima, 1685, 2º andar, conj. 2d - 01451-908 - São Paulo Fone: (11) 3097-8591 - Fax: (11) 3813-5719 - Site: www.abece.com.br E-mail: abece@abece.com.br Av. Rio Branco, 181 28º Andar

Leia mais

GRUPO NOVO BRASIL LINHA DE PRODUTOS 01/2002-REV.00

GRUPO NOVO BRASIL LINHA DE PRODUTOS 01/2002-REV.00 UNID ABRIGOS PARA HIDRANTES E MANGUEIRAS DE INCENDIO Medidas Padrão: Caixa de embutir com moldura removível: 50 x 70 x 25 (cm); Predial / Industrial 75 x 45 x 17 (cm);. Predial / Industrial Caixa externa

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 015/DAT/CBMSC) SISTEMA DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS (SPRINKLERS)

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 015/DAT/CBMSC) SISTEMA DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS (SPRINKLERS) ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS - DAT NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 015/DAT/CBMSC)

Leia mais

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA DE FINANÇAS Diretoria de Compras e Licitações

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA DE FINANÇAS Diretoria de Compras e Licitações ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 018/2012 PREGÃO PRESENCIAL Nº 036/2012 Órgão Processo SECRETARIA DA EDUCAÇÃO 2012022686 Modalidade Nº Data Tipo PREGAO PRESENCIAL 036/2012 19/09/2012 MENOR PREÇO POR LOTE O

Leia mais

SUMÁRIO 1.0 - ESCOPO 1.1 - PROCEDIMENTOS FORMAIS 1.2 - ELEMENTOS PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO 1.3 - COMPONENTES ESPECÍFICOS 1.

SUMÁRIO 1.0 - ESCOPO 1.1 - PROCEDIMENTOS FORMAIS 1.2 - ELEMENTOS PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO 1.3 - COMPONENTES ESPECÍFICOS 1. ESPECIFICAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA SUMÁRIO 1.0 - ESCOPO 1.1 - PROCEDIMENTOS FORMAIS 1.2 - ELEMENTOS PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO 1.3 - COMPONENTES ESPECÍFICOS 1.4 - APRESENTAÇÃO

Leia mais

Norma Técnica SABESP NTS 277

Norma Técnica SABESP NTS 277 Norma Técnica SABESP NTS 277 Critérios para implantação de medição individualizada em condomínios horizontais ou verticais. Procedimento São Paulo Dezembro 2008 - Rev. 1 NTS 277 : 2008 Rev.1 Norma Técnica

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº.

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº. SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº. 35/2011 Túnel rodoviário SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências

Leia mais

ARENA DE SALVADOR PROJETO BÁSICO DE INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS

ARENA DE SALVADOR PROJETO BÁSICO DE INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS ARENA DE SALVADOR PROJETO BÁSICO DE INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS Resp. Técnico: Carlos A. N. Viani MD-1944/02-HP-001 Rev. 0 1. OBJETIVO Este memorial

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO HIDRÁULICO

MEMORIAL DESCRITIVO HIDRÁULICO MEMORIAL DESCRITIVO HIDRÁULICO 1 MEMORIAL DESCRITIVO Obra Serviço: Centro de Parto Normal - Maternidade Santa Mônica - Uncisal Local: Avenida Comendador Leão, 1.001 - Poço - Alagoas Área de Construção:

Leia mais

EDITAL DE LICITAÇÃO CONVITE 01/2014 ANEXO I ESPECIFICAÇÃO DOS SERVIÇOS

EDITAL DE LICITAÇÃO CONVITE 01/2014 ANEXO I ESPECIFICAÇÃO DOS SERVIÇOS EDITAL DE LICITAÇÃO CONVITE 01/2014 ANEXO I ESPECIFICAÇÃO DOS SERVIÇOS I - OBJETO: Contratação de empresa habilitada para a elaboração de projetos de engenharia e arquitetura, resultando nos Projetos básico

Leia mais

INSTRUÇÕES NORMATIVAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE INSTALAÇÃO PREDIAL DE ÁGUA FRIA, ÁGUA QUENTE, ESGOTO SANITÁRIO E DRENAGEM DE ÁGUAS PLUVIAIS

INSTRUÇÕES NORMATIVAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE INSTALAÇÃO PREDIAL DE ÁGUA FRIA, ÁGUA QUENTE, ESGOTO SANITÁRIO E DRENAGEM DE ÁGUAS PLUVIAIS INSTRUÇÕES NORMATIVAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE INSTALAÇÃO PREDIAL DE ÁGUA FRIA, ÁGUA QUENTE, ESGOTO SANITÁRIO E DRENAGEM DE ÁGUAS PLUVIAIS Blumenau, maio de 2010. 1. RESUMO... 3 2. OBJETIVO... 3

Leia mais

Análise e Aprovação dos Projetos. dos Estabelecimentos de Saúde no SNVS. junho 2013. www.anvisa.gov.br. Agência Nacional de Vigilância Sanitária

Análise e Aprovação dos Projetos. dos Estabelecimentos de Saúde no SNVS. junho 2013. www.anvisa.gov.br. Agência Nacional de Vigilância Sanitária Análise e Aprovação dos Projetos dos Estabelecimentos de Saúde no SNVS junho 2013 RDC ANVISA 51 de 06/10/2011 Dispõe sobre os requisitos mínimos para a análise, avaliação e aprovação dos projetos físicos

Leia mais

NORMAS E RELATÓRIOS ELÉTRICA

NORMAS E RELATÓRIOS ELÉTRICA NORMAS E RELATÓRIOS ELÉTRICA Atualizado em agosto 2011 sumário sumário referências para projeto 2 introdução 2 normas e documentos complementares 2 obra nova 4 relatório de vistoria 4 anteprojeto 4 produtos

Leia mais

SAN.T.IN.NT 33. A.R.T.: Anotação de Responsabilidade Técnica do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura CREA;

SAN.T.IN.NT 33. A.R.T.: Anotação de Responsabilidade Técnica do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura CREA; 1 / 5 SUMÁRIO: 1. FINALIDADE 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO 3. DEFINIÇÕES 4. PROCEDIMENTOS 5. REFERÊNCIAS 6. ANEXOS 1. FINALIDADE Esta Norma tem como finalidade disciplinar e padronizar os procedimentos para liberação

Leia mais

FÓRUM DE LUIS EDUARDO MAGALHÃES

FÓRUM DE LUIS EDUARDO MAGALHÃES TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA FÓRUM DE LUIS EDUARDO MAGALHÃES MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DAS INSTALAÇÕES DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO EMPRESA RESPONSÁVEL: Senemig Engenharia LTDA RESPONSÁVEIS

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS S.A.F.- DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E PATRIMÔNIO 1/5 ANEXO I

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS S.A.F.- DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E PATRIMÔNIO 1/5 ANEXO I S.A.F.- DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E PATRIMÔNIO 1/5 ANEXO I MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO CENTRAIS DE ALARMES O presente memorial tem por objetivo descrever as instalações do sistema de proteção

Leia mais

REQUISITOS E CONSIDERAÇÕES GERAIS REF. NBR 10898 DA ABNT

REQUISITOS E CONSIDERAÇÕES GERAIS REF. NBR 10898 DA ABNT ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA JUNTO A DGST REQUISITOS E CONSIDERAÇÕES GERAIS REF. NBR 10898 DA ABNT ANÁLISE E VISTORIA DOS SISTEMAS DE ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA Objetivo

Leia mais

11. CONSIDERAÇÕES FINAIS

11. CONSIDERAÇÕES FINAIS Detalhes de execução ou instalação dos sprinklers; Detalhes de todos os furos necessários nos elementos de estrutura e suporte da instalação, e das peças a ser embutidas; Detalhes de fixação dos extintores

Leia mais

1. PROJETO ELÉTRICO RESIDENCIAL

1. PROJETO ELÉTRICO RESIDENCIAL 1. PROJETO ELÉTRICO RESIDENCIAL Um Projeto Elétrico é a previsão escrita da instalação, com todos os seus detalhes, localização dos pontos de utilização da energia elétrica, comandos, trajeto dos condutores,

Leia mais

REGULAMENTO DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DA DISPOSIÇÃO DOS EFLUENTES SANITÁRIOS DO LOTEAMENTO NINHO VERDE I

REGULAMENTO DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DA DISPOSIÇÃO DOS EFLUENTES SANITÁRIOS DO LOTEAMENTO NINHO VERDE I REGULAMENTO DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DA DISPOSIÇÃO DOS EFLUENTES SANITÁRIOS DO LOTEAMENTO NINHO VERDE I 1. O presente Regulamento objetiva estabelecer regras gerais de uso do sistema de abastecimento

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº.

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº. SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº. 23/2011 Sistema de chuveiros automáticos SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação

Leia mais

SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ESGOTOS SANITÁRIOS PROJETO, IMPLANTAÇÃO E OPERAÇÃO DA ETE - ROTEIRO DO ESTUDO

SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ESGOTOS SANITÁRIOS PROJETO, IMPLANTAÇÃO E OPERAÇÃO DA ETE - ROTEIRO DO ESTUDO SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ESGOTOS SANITÁRIOS PROJETO, IMPLANTAÇÃO E OPERAÇÃO DA ETE - ROTEIRO DO ESTUDO Projetos de interceptor, emissário por gravidade, estação elevatória de esgoto e linha de recalque,

Leia mais

SISTEMA ALTERNATIVO DE TRATAMENTO DE ESGOTO Tanque séptico e Filtro Anaeróbio com fluxo ascendente EMEI Princesinha

SISTEMA ALTERNATIVO DE TRATAMENTO DE ESGOTO Tanque séptico e Filtro Anaeróbio com fluxo ascendente EMEI Princesinha SISTEMA ALTERNATIVO DE TRATAMENTO DE ESGOTO Tanque séptico e Filtro Anaeróbio com fluxo ascendente EMEI Princesinha Carazinho, RS, 30 de junho de 2014. APRESENTAÇÃO OBRA: Tanque Séptico Escola Municipal

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA

TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA 1. INTRODUÇÃO Este Termo de Referência tem por objetivo estabelecer as exigências técnicas e a metodologia para a contratação de serviços técnicos

Leia mais

NORMA TÉCNICA INSTRUÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE SISTEMAS DE TRATAMENTO DE EFLUENTES LÍQUIDOS CPRH N 2.005

NORMA TÉCNICA INSTRUÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE SISTEMAS DE TRATAMENTO DE EFLUENTES LÍQUIDOS CPRH N 2.005 NORMA TÉCNICA INSTRUÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE SISTEMAS DE TRATAMENTO DE EFLUENTES LÍQUIDOS CPRH N 2.005 SUMÁRIO 1. OBJETIVO 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 3. DEFINIÇÕES 4. CONDIÇÕES GERAIS 5. INFORMAÇÕES

Leia mais

IT - 35 SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM EDIFICAÇÕES HISTÓRICAS

IT - 35 SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM EDIFICAÇÕES HISTÓRICAS IT - 35 SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM EDIFICAÇÕES HISTÓRICAS SUMÁRIO 1 - Objetivo 7 - Exposição ao risco de incêndio 2 - Referências normativas 8 - Risco de incêndio 3 - Símbolos 9 - Fatores de segurança

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MOBILIZAÇÃO, CONSTRUÇÃO E DESMOBILIZAÇÃO DO CANTEIRO

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MOBILIZAÇÃO, CONSTRUÇÃO E DESMOBILIZAÇÃO DO CANTEIRO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MOBILIZAÇÃO, CONSTRUÇÃO E DESMOBILIZAÇÃO DO CANTEIRO 1. VIA DE ACESSO 1.1 - GENERALIDADES Será utilizada como acesso às obras, durante a fase de construção, as vias já existentes

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SUMÁRIO 1. Objetivo e campo de aplicação...2 2. Referências...2 3. Definições...2 4. Condições para início do projeto...3 5. Métodos e procedimentos de execução...3 5.1 Estudos Preliminares...3 5.2 Estudo

Leia mais

DODF Nº 237 14 de dezembro de 2000 CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL PORTARIA Nº 49/2000-CBMDF, DE 7 DE DEZEMBRO DE 2000

DODF Nº 237 14 de dezembro de 2000 CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL PORTARIA Nº 49/2000-CBMDF, DE 7 DE DEZEMBRO DE 2000 DODF Nº 237 14 de dezembro de 2000 CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL PORTARIA Nº 49/2000-CBMDF, DE 7 DE DEZEMBRO DE 2000 Aprova a Norma Técnica nº 004/2000-CBMDF, sobre o Sistema de Proteção

Leia mais

PROJETO BÁSICO PARA CONTRTAÇÃO DE EMPRESA PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS PROJ.: BÁSICOS DA AITY (INCUBADORA DE EMPRESAS DO IFAM)

PROJETO BÁSICO PARA CONTRTAÇÃO DE EMPRESA PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS PROJ.: BÁSICOS DA AITY (INCUBADORA DE EMPRESAS DO IFAM) PROJETO BÁSICO PARA CONTRTAÇÃO DE EMPRESA PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS 1 Projetos arquitetônicos, com programa de necessidades, antiprojeto e todos os detalhamentos necessários para o pleno entendimento

Leia mais

Ecologicamente correto. Economicamente viável. Socialmente justo. Culturalmente aceito.

Ecologicamente correto. Economicamente viável. Socialmente justo. Culturalmente aceito. Ecologicamente correto Economicamente viável Socialmente justo Culturalmente aceito. ENERGIA SEGURANÇA ETE FIBRA-ÓTICA DADOS TELEFONIA PAVIMENTAÇÃO VIAS PROJETADAS GÁS ETA SINALIZAÇÃO EQUIP. URBANOS ACESSIBILIDADE

Leia mais

GERAL GERAL INSTALAÇÕES DE GÁS COMBUSTÍVEL GERAL GE.01/580.75/00855/04

GERAL GERAL INSTALAÇÕES DE GÁS COMBUSTÍVEL GERAL GE.01/580.75/00855/04 04 NORMAS, CRITÉRIOS AMBIENTAIS, TIPO/ESPECIFICAÇÃO MAI/07 EPPJ-2 - EDMUNDO 03 ALTERAÇÃO NOMENCLATURA TÉCNICA JUN/06 EPPJ-2 - EDMUNDO 02 REVISÃO GERAL ABR/04 EPPJ-2 - ANDRE 01 REVISÃO CRITÉRIOS AMBIENTAIS

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA NÚMERO 002/2012/3300/3000 SERVIÇOS DE SURVEY E PROJETOS DE REDES DE CABOS DE FIBRA ÓPTICA PARA OS ESTADOS DA REGIÃO NORTE.

TERMO DE REFERÊNCIA NÚMERO 002/2012/3300/3000 SERVIÇOS DE SURVEY E PROJETOS DE REDES DE CABOS DE FIBRA ÓPTICA PARA OS ESTADOS DA REGIÃO NORTE. TERMO DE REFERÊNCIA NÚMERO 002/2012/3300/3000 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA EXECUÇÃO DE SERVIÇOS DE SURVEY E PROJETOS DE REDES DE CABOS DE FIBRA ÓPTICA PARA OS ESTADOS DA REGIÃO NORTE. 1. OBJETIVO: 1.1.

Leia mais

APRESENTAÇÃO PROJETOS DE INSTALAÇÕES PREDIAIS EDIFÍCIOS COMERCIAIS TRIPLE A. SOENG Construção Hidroelétrica Ltda.

APRESENTAÇÃO PROJETOS DE INSTALAÇÕES PREDIAIS EDIFÍCIOS COMERCIAIS TRIPLE A. SOENG Construção Hidroelétrica Ltda. APRESENTAÇÃO PROJETOS DE INSTALAÇÕES PREDIAIS EDIFÍCIOS COMERCIAIS TRIPLE A SOENG Construção Hidroelétrica Ltda. Oscar MORIO Tsuchiya Engenheiro Civil EPUSP (1975) diretor tecnico - SOENG SOENG Construção

Leia mais

IT - 18 SISTEMA DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS

IT - 18 SISTEMA DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS IT - 18 SISTEMA DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS SUMÁRIO ANEXO 1 Objetivo A - Hidrantes de recalque do sistema de chuveiros automáticos 2 Aplicação B Sinalização dos Hidrantes de Recalque do Sistema de chuveiros

Leia mais

Projetando um. Futuro Sustentável.

Projetando um. Futuro Sustentável. Projetando um Futuro Sustentável. UMA NOVA FORMA DE PENSAR. UMA NOVA FORMA DE PENSAR O TODO. UTILITASfuncional Todo projeto tem a finalidade de transformar ideias e necessidades dos clientes em resultados

Leia mais

zeppini@zeppini.com.br www.zeppini.com.br Estrada Sadae Takagi, 665 CEP 09852-070 Fone (11) 4393-3600 Fax (11) 4393-3609 Zeppini Comercial Ltda

zeppini@zeppini.com.br www.zeppini.com.br Estrada Sadae Takagi, 665 CEP 09852-070 Fone (11) 4393-3600 Fax (11) 4393-3609 Zeppini Comercial Ltda + Sideraço Industrial do Brasil Ltda Rua Francisco Reis, 785-3º Distrito Industrial CEP 88311-710 Itajaí - SC Fone (47) 3341-6700 Fax (47) 3341-6717 vendas@sideraco.com.br www.sideraco.ind.br Zeppini Comercial

Leia mais