Válvula de Governo e Alarme 4, 6 e 8

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Válvula de Governo e Alarme 4, 6 e 8"

Transcrição

1 DESCRIÇÃO: As Válvulas de Alarme Modelo E da Re li able são instaladas tanto na posição ver tical como na hor izontal no suprimento principal para o sistema de canalização molhada. O suprimento de água de pressão variável necessita do uso dos dois conjuntos de compensação de pressão variável Modelo 1 e da Câmara de Retardo Modelo E-1 da Re liable. O suprimento de água de pressão constante somente necessita do uso do conjunto de compensação de pressão constante Modelo E1. As válvulas de Alarme Modelo E são expedidas com o conjunto designado como de compensação Modelo E1. Por exemplo, dreno variável/aberto, dreno variável/fechado ou pressão constante. Descrição da Válvula 1. Pressão de trabalho nom i nal 175 psi (12,1 bar) 2. Pressão de teste hidrostático de fábrica 350 psi (24, 2 bar) 3.Conexões da extremidade e de compensação Estão disponíveis três estilos de conexão de válvula. a. Padrão EUA de Admissão e Descarga Flangeada Os flanges estão de acordo com o flange da norma ANSI B 16.1 (125 lb.) (56,69kg) Tamanho da Válvula 4 6 Dia.Círculo do Parafuso 7/12 9/12 11/34 Dimensões EUA do Flange em Polegadas Dia. Do Orifício do Parafuso 3/4 7/ 7/ Dia. Externod o Flange 9 15/ /2 Espessura do Flange 15/ /2 Número de Parafusos Aberturas roscadas conforme a norma ANSI B 2.1. Os conjuntos padrão de compensação da Re li able são compatíveis com as válvulas flangeadas dos E.U.A. Cor - Preta

2 b. Admissão Flangeada e Descarga Ranhurada Padrão E.U.A. O flange de admissão está de acordo com o flange da norma ANSI B 16.1 (125 lb.) (56,69kg) As dimensões da ranhura de descarga estão de acordo com a norma ANSI/AWWA C606. Tamanho da Válvula 4 6 Dimensões EUA da Ranhura em Polegadas Dia.Descarga Dia. Ranhura Larg. Ranhura / 3/ 7/16 Face da Descarga à Ranhura 5/ 5/ 3/4

3 Aberturas Roscadas de acordo com a norma ANSI B 2.1 Os conjuntos padrão de compensação da Reliable são compatíveis com as válvulas flangeadas e ranhuradas dos E.U.A. Cor Preta c. Admissão e descarga flangeada métrica Os flanges de face plana da válvula de 100mm e 150mm estão de acordo com as normas DIN 2501, NF-E-29-22, ISO 204 NP10 e NP16 e BS4504 NP10 e NP1 6. Os flanges de face em relevo de 200m estão de acordo com as normas DIN 2501, ISO 204 NP16 e BS4504 NP16. Valve Size Bolt Circle Dia. Met ric Flange Di men sions in Mil li me ters Bolt Raised Face Flange Hole Out side Dia. Dia. Ht. Dia. Flange Thick ness No. Bolts Aberturas roscadas de acordo com a ISO 7/1-Rp Os conjuntos padrão de compensação da Reliable podem ser usados com válvulas métricas desde que a guarnição seja montada com cuidado e seja aplicado um selante para rosca ex tra às conexões entre a válvula e a compensação. Cor Azul 4. Dimensão de face a face 4² e 100 mm 113/4² (299 mm) 6² e 150 mm 131/2² (343 mm) ² e 200 mm 141/2² (36 mm) 5. Perda por Atrito expressa no comprimento de canalização equivalente, com base na fórmula Hazen & Wil liams, sendo C= 120 Comp. Equivalente 4² e 100 mm 17 (5.1 m) 6² e 150 mm 27 (.23 m) ² e 200 mm 29 (.4 m) Descrição da Guarnição As guarnições básicas para válvulas de alarme Modelo E da Re li able (Figura 2) são dispostas para uma ligação rápida, fácil e compacta e servem como pontos de conexão para o alarme e outros dispositivos da Re li able. Eles também atuam como um meio de testar os dispositivos de alarme sem ocasionar a operação do sistema. Encontram-se disponíveis três conjuntos de compensação básicos Modelo E1 para uso com a Válvula de Alarme Modelo E. Pressão Constante Não é necessária a câmara de retardo. Esse conjunto de compensação é utilizado onde a pressão do suprimento de água não varia. Uma cuba de gotejamento aberta é instalada para drenar a linha de alarme mecânico do sprinkler. A conexão de drenagem deve ser ligada por canalizações separadas partindo da drenagem prin cipal de 2². Pressão variável com drenagem aberta com retardo É necessária câmara de retardo. Este conjunto de compensação é utilizado onde as pressões de suprimento variam. Uma cuba de gotejamento aberta é instalada para drenar a câmara de retardo e a linha de alarme mecânico do sprin kler A conexão de drenagem deve ser ligada por canalizações separadas partindo da drenagem principal de 2².

4 Pressão variável com câmara de Retardo Fechado É necessária câmara de retardo. Este conjunto de compensação é utilizado onde as pressões de suprimento variam. A câmara de retardo e a linha de alarme mecânico de sprin kler são drenadas através de uma conexão fechada, com retenção, para a linha de drenagem de 2². Somente é necessária uma conexão de drenagem. Cada conjunto básico de compensação Modelo E1 permite tanto a instalação ver ti cal como hor i zon tal. Para todos os conjuntos básicos de compensação a linha de drenagem deve estar a mais de 2 abaixo da cuba de gotejamento ou da admissão da câmara de retardo. As válvulas de alarme são listadas e homologadas pelos Laboratórios das Seguradoras (Un derwriters Lab oratories, Inc.) e pelo Fac tory Mu tual Re search Corp. somente quando utilizadas com os conjuntos de compensação do fabricante da válvula. Kits de compensação são disponíveis nos acabamentos galvanizados ou preto (o preto é o padrão), em três estilos de guarnição: Guarnição de peça in di vid ual t Guarnição de peça individual Guarnição Pré-montada Válvula Compensada na fábrica Figa. 2 Válvula de Alarme de Admissão e Descarga Flangeada Modelo E² Compensação de Dreno Aberto de Pressão Variável

5 Kits de Compensação da Válvula de Segurança É necessário um kit de compensação da válvula de segurança para sistema de canalização molhada gradõs kits de compensação da válvula de segurança devem ser instalados nos conjuntos de compensação de pressão variável modelo E1, como ilustrado nas figuras 11 a 14. Os kits de compensação de válvula de segurança estão disponíveis em três versões mostradas na página 12: 175 psi, homologado pela FM (Válvula de segurança ajustável) 15 psi, homologado pela FM (Válvula de segurança ajustável) 175 psi, Listado pela UL (Válvula de segurança fixa) Todas as versões incluem todas as peças necessárias para a instalação, tanto nos kits de compensação de drenagem com retardo abertos como fechados. Montagem da Guarnição Modelo E-1 Pressão Variável Drenagem com Retardo Fechada Instalação Ver ti cal (Figura 3) A seguinte descrição diz respeito a guarnição conforme mostrada neste Boletim. A guarnição pode ser diferente da mostrada neste Boletim. Consulte o desenho da Folha de Advertência fornecida com cada conjunto de compensação. 1. IInstale o niplo (32) na abertura roscada de 2² da caixa (descarga da drenagem) e conecte as peças restantes na ordem correta à união (14) na linha de drenagem de retardo. Nota: O orifício de drenagem (30), P/N , ½² x ¾² deve ser instalado conforme mostrado. 2. Instale o niplo (45) na abertura roscada de ½² da caixa (descarga do alarme) e conecte as peças na ordem correta à união (14) na linha de teste dos inspetores. 3. Instale o niplo (33) na abertura roscada inferior de ¾ da caixa e conecte as peças na ordem correta à união (13). Nota: A seta na válvula de retenção (6) ¾² deve apontar na direção do lado do sistema da válvula de alarme conforme mostrado. 4. IInstale o niplo (34) na abertura roscada superior de 3/4 dacaixa e união (13). Conecte a união 5. IInstale o niplo (45) no T (17) e conecte as peças na ordem correta à união (14) na linha de teste dos inspetores. Conecte a união. 6. IInstale o niplo (4) no T (21) e conecte as peças na ordem correta à união (14), na linha de drenagem com retardo. Conecte a união. Nota: A seta na válvula de retenção (7), ½ deve apontar na direção do T(15) como mostrado. 7. Instale o Orifício de retardo (31), no T (16) e conecte as peças na ordem correta ao ralo. Nota: O orifício de retardo (31), P/N , ¾ x ¾ deve ser instalado conforme mostrado. IInstale as buchas (27), niplos (50), válvulas(5), bujões (12), e medidores (9). As guarnições para os outros arranjos da instalação são montadas de maneira sim i lar à descrita acima. Nota: Em todos os casos instale cuidadosamente válvulas de retenção nas posições mostradas com pino articulado para cima e com a seta de fluxo da válvula de retenção apontando na direção mostrada. A seqüência de montagem para compensação de drenagem horizontal fechada de pressão variável é idêntica à descrita acima. Ao instalar os outros conjuntos de compensação na posição hor i zon tal, instale primeiro o niplo (3) e a união (13), seguidos da válvula de drenagem de 2, niplo (4) e joelho (23) na abertura de descarga roscada de ½ da caixa do alarme. Quando instalada verticalmente, a instalação do niplo (4) e do joelho (23) deve ser a primeira operação. O pino articulado deve estar na posição su pe rior quando as válvulas de alarme são instaladas na posição hor i zon tal.

6 Válvula de Governo e Alarme 4, 6 e

7

8

9

10

11 Equipamento de Pressão Variável A posição nor mal da Válvula de Alarme é mostrada na Figura 9. O fluxo da água na canalização do sistema resultante da descarga através de um sprin kler ou de sprin klers automáticos fusíveis provoca que o Flape (4) se eleve da Sede Ranhurada (3) e permita que a água da canalização de suprimento en tre no sistema. O movi men to do Flape (4) no Pino Articulado () descobre a ranhura na Sede (3) e permite que a água possa fluir através da ranhura para a Linha de Alarme Fig. 10 para a Câmara de Retardo. O fluxo contínuo da água enche a câmara de retardo e flui para os alarmes mecânicos e/ou elétricos. (Para maiores detalhes sobre os alarmes mecânicos e elétricos consulte a folha de instrução in dividual.) Uma pequena quantidade de água irá fluir para a linha de drenagem através da restrição da descarga. Quando a água pára de fluir através da válvula de alarme, o Flape (4), Fig. 9, retorna para a sua sede parando, portanto, o fluxo de água para a câmara de retardo. Ao mesmo tempo, os orifícios de restrição de drenagem permitem que a câmara de retardo e a linha de alarme drenem através da descarga de drenagem. Praticamente toda a canalização de sistema de sprinkler contém ar represado. Se ocorrer uma oscilação repentina de pressão ou um martelo hidráulico, a pressão aumentada irá comprimir o ar represado e fará com que o flape da válvula de alarme seja içado intermitentemente o que poderá resultar em alarmes falsos. A válvula de alarme da Re liable evita alarmes falsos sob estas condições através de duas características: 1. A linha de By pass (derivação) Fig. 10, com válvula de retenção (B) permite que as oscilações passem do suprimento para o lado do sistema do flape da válvula de alarme sem içar o flape da sua sede. As repetidas oscilações criam um efetivo excesso de pressão no sistema que estabiliza o flape e evita alarmes falsos. Caso uma forte oscilação force o flape para fora da sua sede e faça com que a água possa fluir para fora da linha de alarme, então a Câmara de Retardo entrará em ação. 2. A câmara de retardo e os orifícios de restrição e drenagem permitem que fluxos intermitentes sejam drenados an tes que eles possam encher a câmara e operar os alarmes elétricos e mecânicos.

12 Equipamento de Pressão Constante A operação deste equipamento é idêntica a descrita para o equipamento de pressão variável exceto que, devido ao fato de o suprimento de água ser constante a câmara de retardo não é necessária e a água, após passar através da ranhura na sede da válvula de alarme, flui diretamente e op era os alarmes elétricos e mecânicos. Testes Para testar a operação da válvula de alarme e seu equipamento de alarme, abra a conexão de teste de 1 dos inspetores, o que deve causar o acionamento sonoro dos alarmes mecânicos e elétricos. Esta conexão de teste está normalmente localizada na extremidade ou na linha superior do sistema e a sua abertura é equivalente à fusão de um sprin kler automático. Para testar somente a operação do equipamento de alarme, sem mover da sede o flape da válvula de alarme, abra a válvula (D), Fig. 10. Caso o alarme mecânico do sprin kler (mo tor hidráulico) não opere, é provável que o ralo,fig. 10, esteja entupido. Para limpar retire a tampa e o filtro do ralo. Assegure-se de recolocar o filtro após a limpeza e apertar firmemente a tampa. Para testar a canalização de suprimento quanto ao fluxo sem obstrução, feche a válvula (C), Fig. 10, e abra a válvula de drenagem (A). Quando tiver sido completado o teste, assegure-se de fechar firmemente a válvula de drenagem (A) e de abrir e vedar a válvula (C). Manutenção As válvulas de alarme da Re liable e equipamentos associados devem ser submetidos periodicamente a inspeção e teste. A norma NFPA 25 estabelece os requisitos mínimos para inspeção, teste e manutenção. As válvulas de alarme devem ser testadas, operadas, limpas e inspecionadas pelo menos uma vez ao ano e as peças substituídas quando necessário. Normalmente qualquer problema será mostrado por um ou mais dos seguintes sintomas: A. O alarme mecânico do sprin kler(motor hidráulico) inoperante. Consulte TES TES acima quanto as medidas corretivas; B. Fluxo contínuo de água na cuba de gotejamento; C. Alarmes falsos; e D. Alarmes intermitentes. Caso a descrição a seguir não corrija a falha, é recomendado que seja contactado o distribuidor autorizado da Reliable. B. Fluxo contínuo de água na cuba de gotejamento: Devem ser cumpridas as seguintes etapas da seqüência abaixo até que cesse o fluxo contínuo de água na cuba de gotejamento. 1. Abra a válvula de drenagem (A), Fig. 10, o que deve provocar a lavagem de qualquer matéria estranha para fora da sede da válvula de alarme. Feche a válvula e ob serve se o fluxo de água con tinua. 2. Abra a válvula (D), Fig.10, que deve lavar qualquer matéria estranha para for a da sua sede. Feche a válvula e ob serve se o fluxo de água con tinua 3. Abra a união (13), Fig. 3 a, e ob serve se o fluxo de água vem da descarga do alarme da válvula de alarme ou através da válvula (D), Fig. 10. Caso o fluxo ocorra através da válvula (D), feche a válvula de controle principal e em seguida abra e inspecione a válvula (D). Repare, conforme necessário, e proceda à reinstalação. Feche a união (13), Fig. 3 a, e em seguida abra a válvula principal de suprimento. 4. Feche a válvula de controle prin ci pal para determinar se o fluxo de água está vindo da parte de cima ou de baixo do flape da válvula de alarme. Nota: O manômetro de pressão do suprimento deve indicar 0 psi quando a válvula de controle prin ci pal estiver ompletamente fechada e quando for aliviada a pressão de água en tre essa válvula e a válvula de alarme. Caso seja necessária aliviar a pressão de água, abra a válvula (D), Fig. 10. Quando a água parar de correr na cuba de gotejamento, feche a válvula (D). a. Caso o fluxo de água esteja vindo da parte debaixo do flape, a água irá parar de correr na cuba de gotejamento. b. ICaso o fluxo de água esteja vindo da parte de cima do flape, a água continuará a correr na cuba de gotejamento. Nota: Para minimizar o tempo de paralização, as seguintes peças devem estar disponíveis antes da desmontagem da válvula: 1. Chave da instalação da sede: ²¾Número da peça ; 6²¾Número da peça ; 4²¾ Número da peça Face de borracha do flape: Item 5, Figura Anéis de retenção do tipo O-Ring da sede: itens 9 e 10, Figura 9.

13 c. Em ambos os casos, drene o sistema abrindo a válvula de drenagem (A) Fig.10. Re tire a tam pa (2) Fig.9, o bujão da canalização do eixo (14). Pino articulado () e conjunto do flape (4). Nota: Mantenha pressionada a mola (13) ao re mover o pino articulado (). d. Inspecione cuidadosamente o seguinte: 1. Dano a face de borracha do flape - Inspecione a superfície quanto a presença de matéria estranha. Troque a face caso esteja danificada. (Assegure-se de que o flape e as superfícies do anel de ligação do flape estejam completamente limpas an tes da montagem de uma nova face. ) 2. Dano a superfície da sede Limpe completamente a sede. Inspecione quanto a existência de quaisquer mossas na sede, pedrinhas ou qualquer outra matéria estranha alojada na ranhura da sede. Caso a sede ou outras peças da válvula estejam muito danificadas, deve ser contato um distribuidor autorizado da Reliable. e. Para trocar os anéis de retenção do tipo 0 - Ring da sede: 1) Usando uma chave de sede, desaparafuse a sede. Tome cuidado para não danificar a superfície da sede. 2) Re tire os anéis de retenção do tipo 0 Ring, itens 9 e 10, Fig. 9. Limpe totalmente as ranhuras e as superfícies de vedação dos anéis de retenção do tipo O - Ring. Inspecione quanto a danos e presença de matéria estranha. 3) Aplique uma camada fina de lubrificante aos novos anéis de retenção do tipo 0 - Rings e instale-os nas ranhuras adequadas. Tome cuidado de modo a evitar estiramento, torcedura ou qualquer outro dano aos anéis de retenção do tipo O-Ring. 4) Depois de verificar se os anéis de retenção do tipo 0 Rings estão corretamente instalados, reinstale cuidadosamente a sede e aperte-a firmemente com a chave. f. Para remontar a válvula de alarme: 1) Recoloque o conjunto do flape na sede da válvula de alarme Coloque o pino articulado () na válvula e passe-o através de um mancal do flape (4). Aperte e segure a mola (13) firmemente na posição en tre o mancal do braço do flape e empurre o eixo do braço do flape através das espirais da mola totalmente para o lado da válvula. Recoloque o bujão da canalização do eixo (14). 2) Ice a ponta do flape Verifique qualquer empeno e a vedação adequada da sede. 3) Recoloque a tam pa (2) assegurando-se que a junta da tampa (11) está na posição e as porcas e parafusos estão firmemente apertados. 4) Feche a válvula de drenagem (A), Fig. 10. Abra lenta - mente e vede a válvula de controle prin cipal. Assegure-se de que a válvula (C) esteja vedada na posição aberta. C. Alarmes Falsos Alarmes falsos são geralmente causados por oscilações repentinas de pressão no suprimento de água e podem ocorrer caso o sistema perca a sua sobrepressão efetiva (consulte Operação). Uma indicação vi sual desta condição de falha é fornecida por leituras semelhantes nos manômetros de pressão de suprimento e do sistema em geral. Um ou mais dos fatores abaixo irá contribuir para essa perda de pressão: Vazamento na válvula de drenagem do sistema, vazamento na sede da válvula de alarme (3), Fig. 9, vazamento en tre o flape (4), Fig. 9; e a face (5), Fig. 9; ou vazamento na válvula de retenção de by pass (derivação) (B), Fig. 10. Medidas corretivas: 1. Verifique a estanqueidade das válvulas de drenagem do sistema. 2. De modo a localizar e corrigir um vazamento na sede da válvula de alarme, proceda conforme descrito em B ( 1 a 4.) 3. Para corrigir um vazamento en tre o flape a face do flape proceda conforme descrito em B 4(c) e B 4(d)(1). 4. De modo a localizar e corrigir um vazamento através da válvula de retenção de by pass (derivação) com a compensação de drenagem aberta, proceda como a seguir: a. Feche a válvula de controle prin ci pal e abra a válvula (D) Fig. 10 para aliviar a pressão en tre a válvula de controle prin ci pal e o flape da válvula de alarme. Abra a união (12), Figs. 3 a 6. Um vazamento contínuo na união in dica que a válvula de retenção de by pass (derivação) (B) Fig. 10 possui matéria estranha debaixo da sua sede ou que a face de borracha do flape necessita de substituição. b. Se a válvula de retenção de by pass (derivação) (B) estiver vazando, repare após abrir a válvula de drenagem e depois de drenar o sistema c. Conecte a união, feche as válvulas (A) e (D) e a seguir abra lenta mente e efetue a vedação da válvula de controle principal.

14 5. Caso a linha de retardo e o alarme mecânico do sprinkler não drenem completamente, podem ocorrer alarmes falsos. Neste caso, verifique os orifícios de drenagem do retardo (2,29 ou 30) e a válvula de retenção de drenagem (6), Figs. 3 a 6, para assegurar-se que não estejam bujonadas e estejam operando corretamente. D. Alarmes Intermitentes Os alarmes intermitentes são conseqüência de uma excessiva quantidade de ar represado na canalização do sistema de sprin kler. Para corrigir este problema encha o sistema lenta mente e ao mesmo tempo ventile o ar em todas as aberturas do sistema e em todos os pontos anúmero. Entre em contato com o empreiteiro responsável pela instalação ou com a Re li able na ocorrência de quaisquer dificuldades. Caso sejam necessárias peças de reposição, uti lize somente peças genuínas fabricadas pela Re li able. Ao fazer pedidos, especifique número da peça, nome, tamanho, modelo e número de série da unidade.

Válvula de Governo e Alarme 2.1/2 e 3

Válvula de Governo e Alarme 2.1/2 e 3 DESCRIÇÃO: A Válvula de Alarme Modelo E atua como um dispositivo de alarme de fluxo de água em sistemas espargidores de tubo úmido. O projeto permite instalação sob condições de fornecimento de pressão

Leia mais

Instalação. Generalidades. 1 1 98248000 Manômetro, Pressão de Ar 2 2 98604406 Bujão, Galvanizado ½ 3

Instalação. Generalidades. 1 1 98248000 Manômetro, Pressão de Ar 2 2 98604406 Bujão, Galvanizado ½ 3 Generalidades O Acelerador Modelo B da Reliable com o seu Accelo-Check (dispositivo anti-alagamento) integrado é utilizado para acelerar a operação das válvulas de canalização seca em sistemas automáticos

Leia mais

Figura 1 Flape na posição fechada Travada aberta 2.

Figura 1 Flape na posição fechada Travada aberta 2. Generalidades As Válvulas de Dilúvio Modelos B & BX da Reliable são válvulas do tipo diferencial operadas hidraulicamente, projetadas para utilização como válvulas de controle principal em sistemas de

Leia mais

Instruções de instalação, operação, cuidados e manutenção

Instruções de instalação, operação, cuidados e manutenção Bulletin 350 Rev R_PT Instruções de instalação, operação, cuidados e manutenção Válvula de tubulação seca Modelo D Válvula de 4 (100 mm) 6 (150 mm) com acessórios Modelo D Listada pelo Underwriters Laboratories,

Leia mais

Manual de Instalação, Operação e Manutenção Válvulas Gaveta, Globo e Retenção Informações Gerais Precauções e Recomendações Manuseio e Armazenamento

Manual de Instalação, Operação e Manutenção Válvulas Gaveta, Globo e Retenção Informações Gerais Precauções e Recomendações Manuseio e Armazenamento Informações Gerais Para garantir a qualidade e a vida útil de uma válvula é necessário verificar a instalação, aplicação, bem como o seu material de acordo com o fluido que será utilizado e uma manutenção

Leia mais

Fig ure A. c. Admissão e descarga flangeada métrica

Fig ure A. c. Admissão e descarga flangeada métrica Generalidades As Válvulas de Canalização Seca Modelo D da Re li able são instaladas na posição ver ti cal no suprimento prin ci pal para o sistema de canalização seca. O conjunto básico de compensação,

Leia mais

MODELO RD UL/FM. Válvula de Governo e Alarme. Descrição do Produto. Operação

MODELO RD UL/FM. Válvula de Governo e Alarme. Descrição do Produto. Operação Válvula de Governo e Alarme MODELO RD UL/FM Descrição do Produto A válvula de alarme modelo RD possui design simples e funcional com alto padrão de qualidade atestado pelas aprovações UL e FM. Utilizada

Leia mais

6 Manutenção de Tratores Agrícolas

6 Manutenção de Tratores Agrícolas 6 Manutenção de Tratores Agrícolas 6.1 Introdução Desenvolvimento tecnológico do país Modernização da agricultura Abertura de novas fronteiras agrícolas Aumento no uso de MIA Aumento da produtividade Maiores

Leia mais

AJUSTADORES AUTOMÁTICOS DE FREIO JUNHO 2012

AJUSTADORES AUTOMÁTICOS DE FREIO JUNHO 2012 AJUSTADORES AUTOMÁTICOS DE FREIO JUNHO 2012 Conheça o funcionamento, diagnóstico e reparo do ajustador de freio automático, um componente primordial para segurança, aplicado em veículos pesados. Que a

Leia mais

W Worldval. Manual de instalação, operação e manutenção para válvulas gaveta, globo e retenção forjadas.

W Worldval. Manual de instalação, operação e manutenção para válvulas gaveta, globo e retenção forjadas. Antes da instalação de quaisquer válvula, estas instruções deverão der lidas: 1.0 Informações gerais: Confira as especificações da válvula com as condições de serviço (fluído, pressão, etc.); Não instale

Leia mais

MODELO P UL. Válvula de Governo e Alarme. Descrição do Produto. Operação. Especificações

MODELO P UL. Válvula de Governo e Alarme. Descrição do Produto. Operação. Especificações Válvula de Governo e Alarme MODELO P UL Descrição do Produto As válvulas de governo e alarme são dispositivos de retenção instalados entre o sistema de abastecimento e a linha de combate à incêndio. Em

Leia mais

Manual PORTA PLACAS. Rev 00-12/07/2012 pág - 1 de 21

Manual PORTA PLACAS. Rev 00-12/07/2012 pág - 1 de 21 Rev 00-12/07/2012 pág - 1 de 21 Manual PORTA PLACAS Rev 00-12/07/2012 pág - 2 de 21 Índice CERTIFICADO ISO 9001:2008 DESENHO DE OPERAÇÃO MANUAL DE OPERAÇÃO DESENHO DE CONJUNTO TABELAS DIMENSIONAIS Histórico

Leia mais

Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer

Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer MANUAL DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA Finalidade deste Manual Este manual proporciona as informações necessárias para uma correta manutenção dos filtros Metalsinter, contendo também importantes informações

Leia mais

Boletim da Engenharia

Boletim da Engenharia Boletim da Engenharia 10 Verificação e Ajuste da Folga Axial dos Compressores Parafuso 11/02 Tipos de compressores: OS.53 / OS.70 / OS.74 HS.53 / HS.64 / HS.74 HSKC 64 / HSKC 74 Sumário Página 1 Introdução

Leia mais

Válvula Redutora de Pressão Tipo 2422/2424. Instruções de Montagem e Operação EB 2547 PT

Válvula Redutora de Pressão Tipo 2422/2424. Instruções de Montagem e Operação EB 2547 PT Válvula Redutora de Pressão Tipo 2422/2424 Válvula Redutora de Pressão Tipo 2422/2424 Instruções de Montagem e Operação EB 2547 PT Edição de Outubro de 2006 Conteúdo Conteúdo Página 1 Concepção e princípio

Leia mais

MANUAL DE FUNCIONAMENTO FILTROS INDUSTRIAIS. G:Manuais/Manuais atualizados/ta

MANUAL DE FUNCIONAMENTO FILTROS INDUSTRIAIS. G:Manuais/Manuais atualizados/ta MANUAL DE FUNCIONAMENTO FILTROS INDUSTRIAIS TA G:Manuais/Manuais atualizados/ta Rev.01 ESQUEMA HIDRÁULICO 1 - INTRODUÇÃO 1.1. - FINALIDADE DESTE MANUAL Este manual proporciona informações teóricas e de

Leia mais

Seção 9 Cilindros e protetores/reservatórios do cárter

Seção 9 Cilindros e protetores/reservatórios do cárter Seção 9 Cilindros e protetores/reservatórios do cárter Página CILINDROS... 150 Inspeção e medição... 150 Retificação de cilindros... 150 Acabamento... 151 Limpeza... 151 MANCAIS DE MOTOR... 152 Mancal

Leia mais

Barreto. Certificado de garantia

Barreto. Certificado de garantia Barreto Certificado de garantia Certificamos que o equipamento (macaco hidráulico BNB de 30 ou 60 tons); passaram pelos testes característicos de construção conforme modelo e capacidade, em nossa fábrica,

Leia mais

Instruções de montagem

Instruções de montagem Instruções de montagem Indicações importantes relativas às instruções de montagem VOSS O desempenho e a segurança mais elevados possíveis no funcionamento dos produtos VOSS só serão obtidos se forem cumpridas

Leia mais

Instruções de montagem

Instruções de montagem Instruções de montagem Indicações importantes relativas às instruções de montagem VOSS O desempenho e a segurança mais elevados possíveis no funcionamento dos produtos VOSS só serão obtidos se forem cumpridas

Leia mais

Seção 9 PISTÕES - ANÉIS - BIELAS

Seção 9 PISTÕES - ANÉIS - BIELAS Seção 9 PISTÕES - ANÉIS - BIELAS Índice da seção Página Bielas Montagem da biela no pistão... 4 Verificação Instalação... 7 Remoção Torque... 8 Pistões Montagem do pistão na biela... 4 Verificação do desgaste

Leia mais

BOMBA DE VÁCUO MANUAL DE OPERAÇÃO MODELOS. VP-50D (1,8cfm) VP-140D ( 5cfm) VP-200D (7cfm) VP-340D (12cfm) I COMPONENTES

BOMBA DE VÁCUO MANUAL DE OPERAÇÃO MODELOS. VP-50D (1,8cfm) VP-140D ( 5cfm) VP-200D (7cfm) VP-340D (12cfm) I COMPONENTES BOMBA DE VÁCUO MANUAL DE OPERAÇÃO MODELOS VP-50D (1,8cfm) VP-140D ( 5cfm) VP-200D (7cfm) VP-340D (12cfm) I COMPONENTES II -MANUAL DE OPERAÇÃO 1 Leia atentamente antes de utilizar a bomba de Vácuo Todos

Leia mais

REBITADEIRA HIDROPNEUMÁTICA RF06

REBITADEIRA HIDROPNEUMÁTICA RF06 m a n u a l REBITADEIRA HIDROPNEUMÁTICA RF06 1 2 ÍNDICE Rebitadeira Hidropneumática RF06... 04 Características da ferramenta... 04 Recomendações... 05 Especificações de regulagem... 06 Manutenção... 12

Leia mais

Instruções de instalação, operação, cuidados e manutenção

Instruções de instalação, operação, cuidados e manutenção Bulletin 59_PT Válvula de dilúvio Modelo DDX de (50 mm), / (65 mm), 3 (80 mm), 76 mm, 4 (00 mm), 6 (50 mm), 65 mm e 8 (00 mm) Bulletin 59_PT Instruções de instalação, operação, cuidados e manutenção Linha

Leia mais

Purgador Termostático Bimetálico Manual de Instalação e Manutenção

Purgador Termostático Bimetálico Manual de Instalação e Manutenção Purgador Termostático Bimetálico Manual de Instalação e Manutenção ÍNDICE Termo de Garantia 1.Descrição 2.Instalação 3.Manutenção 4.Peças de reposição 5.Informações Técnicas 1 TERMO DE GARANTIA A Spirax

Leia mais

NIVELADOR DE DOCA DESLIZANTE

NIVELADOR DE DOCA DESLIZANTE PREFÁCIO NIVELADOR DE DOCA DESLIZANTE APLICAÇÃO: Este manual contém informações para a operação e manutenção, bem como uma lista ilustrada de peças do NIVELADOR DOCA de fabricação exclusiva da ZELOSO.

Leia mais

LOUÇAS E INSTALAÇÕES SANITÁRIAS

LOUÇAS E INSTALAÇÕES SANITÁRIAS Antes de executar qualquer furação nas paredes, consulte a planta de instalações hidráulicas em anexo, para evitar perfurações e danos à rede hidráulica, bem como na impermeabilização. Não jogue quaisquer

Leia mais

2. ORIENTAÇÕES DE SEGURANÇA

2. ORIENTAÇÕES DE SEGURANÇA MANUAL DE INSTRUÇÕES COMPRESSOR DE AR ÍNDICE 1. PREPARAÇÃO 2. ORIENTAÇÕES DE SEGURANÇA 3. PRECAUÇÕES 4. DESCRIÇÃO BREVE 5. VISÃO GERAL E COMPONENTES PRINCIPAIS 6. PRINCIPAIS PARÂMETROS TÉCNICOS 7. VISÃO

Leia mais

Instruções de montagem

Instruções de montagem Instruções de montagem Indicações importantes relativas às instruções de montagem VOSS O desempenho e a segurança mais elevados possíveis no funcionamento dos produtos VOSS só serão obtidos se forem cumpridas

Leia mais

30.01-PORB. Válvula de Retenção e Alarme FireLock. * Estações de Válvulas de Retenção e Alarme Européias FireLock * * * VNIIPO

30.01-PORB. Válvula de Retenção e Alarme FireLock. * Estações de Válvulas de Retenção e Alarme Européias FireLock * * * VNIIPO (CONSULTE A PÁG. ) A válvula de retenção e alarme Victaulic Série 51 funciona como uma válvula de retenção impedindo o fluxo inverso de água da tubulação do sistema para o fornecimento de água. A válvula

Leia mais

- Cilindro Pneumático ISO

- Cilindro Pneumático ISO de Instalação, Operação e Manutenção Janeiro 2000 - ISO Série P1E (Tubo Perfilado) 32 a 100 mm Índice Introdução... 1 Características Técnicas... 1 Características Construtivas... 1 Instalação... 2 Manutenção...

Leia mais

5Manutenções no Sistema de

5Manutenções no Sistema de Manutenção Preventiva dos Filtros do Ar A manutenção adequada deve incluir, também, uma inspeção completa dos sistemas. Todas as conexões, as tubulações ou dutos entre o filtro e o motor devem ser mantidos

Leia mais

EVAPORADOR ELIMINADOR DE GOTEJAMENTO

EVAPORADOR ELIMINADOR DE GOTEJAMENTO EVAPORADOR ELIMINADOR DE GOTEJAMENTO Aparelho Bivolt 110v 220v ATENÇÃO: INSTALAR EXTERNAMENTE * Capacidade total em 220v. Em 110v, redução de 50% a 60% na capacidade de evaporação. *Não testar com água

Leia mais

ULITEC-1000 LIMPA TANQUE

ULITEC-1000 LIMPA TANQUE MANUAL DE INSTRUÇÕES ULITEC-1000 LIMPA TANQUE MOTOR ELÉTRICO / MOTOR A GASOLINA APRESENTAÇÃO A DOCTOR DIESEL parabeniza-o(s) pela aquisição do(s) produto(s) de nossa fabricação, pois ao investir em tecnologia

Leia mais

Unidade Hidráulica de Pré-Crimpagem com Múltiplas Cabeças (MHSU) Instruções de Instalação e Operação

Unidade Hidráulica de Pré-Crimpagem com Múltiplas Cabeças (MHSU) Instruções de Instalação e Operação www.swagelok.com Unidade Hidráulica de Pré-Crimpagem com Múltiplas Cabeças (MHSU) Instruções de Instalação e Operação MHSU para tubos de até 1"/25 mm com base MHSU para tubos maiores do que 1"/25 mm com

Leia mais

Manual de Instruções TORVEL. Unidade de Potência Hidráulica S10014L3-45. Manual Técnico. Unidade de Potência Hidráulica S10014L3-45

Manual de Instruções TORVEL. Unidade de Potência Hidráulica S10014L3-45. Manual Técnico. Unidade de Potência Hidráulica S10014L3-45 Manual Técnico 1 Índice 1. Precauções de segurança...3 2. Diagrama hidropneumático...4 3. Principais componentes e suas funções...5 4. Características técnicas...6 e 7 5. Instalação...8 e 9 6. Componentes

Leia mais

CHAVES PARA INSTALAÇÃO DE SPRINKLER

CHAVES PARA INSTALAÇÃO DE SPRINKLER DESCRIÇÃO: Modelo G4 Para os Mod elos: G4, G4FR, F4FR & F4/RES Embutidos G3A Embutido Seco Modelo GFR1 A/F2 & GFR/F2 Rebaixados F1/RES/F2 & G/F1/EC4 Lateral Horizontal Rebaixado G/F1,F1/EC6 & F1 FR/EC8&9

Leia mais

27 Sistemas de vedação II

27 Sistemas de vedação II A U A UL LA Sistemas de vedação II Ao examinar uma válvula de retenção, um mecânico de manutenção percebeu que ela apresentava vazamento. Qual a causa desse vazamento? Ao verificar um selo mecânico de

Leia mais

Informação do Produto Filtros da Linha RCS

Informação do Produto Filtros da Linha RCS Rev-00 Plug: ½ NPT Os filtros da Linha RCS são projetados para separação de água e sólidos de hidrocarbonetos em aplicação no abastecimento industrial, aeronaves e postos de gasolina. Objetivamente, os

Leia mais

Manual de Instruções e Lista de Peças. Máquina de Costura Industrial Galoneira BC 500-01 CB

Manual de Instruções e Lista de Peças. Máquina de Costura Industrial Galoneira BC 500-01 CB Manual de Instruções e Lista de Peças Máquina de Costura Industrial Galoneira BC 500-01 CB ÍNDICE DETALHES TÉCNICOS, INSTRUÇÕES DE SEGURANÇA... 01 MONTAGEM MOTOR E ROTAÇÃO DA MÁQUINA... 02 LUBRIFICAÇÃO...

Leia mais

Compressor de Ar Portátil de Alta Pressão

Compressor de Ar Portátil de Alta Pressão Compressor de Ar Portátil de Alta Pressão (200BAR/3000PSI/20MPa) 0 Atenção Importante! Este COMPRESSOR DE AR PORTÁTIL DE ALTA PRESSÃO deve ser utilizado exclusivamente para a recarga do ar comprimido diretamente

Leia mais

Série: FBME MANUAL TÉCNICO BOMBA CENTRÍFUGA MULTIESTÁGIO FBME. Aplicação

Série: FBME MANUAL TÉCNICO BOMBA CENTRÍFUGA MULTIESTÁGIO FBME. Aplicação MANUAL TÉCNICO Série: FBME Aplicação Desenvolvida para trabalhar com líquidos limpos ou turvos, em inúmeras aplicações, tais como indústrias químicas, petroquímicas, papel, polpa, siderúrgica, mineração,

Leia mais

Atuador de diafragma Fisher 667 tamanhos 30 a 76 e 87

Atuador de diafragma Fisher 667 tamanhos 30 a 76 e 87 Manual de instruções Atuador 667 Tamanhos 30 a 76 e 87 Atuador de diafragma Fisher 667 tamanhos 30 a 76 e 87 Índice Introdução... 1 Escopo do manual... 1 Descrição... 2 Especificações... 3 Serviços educacionais...

Leia mais

MANUAL DO PROPRIETÁRIO DO SolarPRO XF

MANUAL DO PROPRIETÁRIO DO SolarPRO XF MANUAL DO PROPRIETÁRIO DO SolarPRO XF MODELO SB 001 NORMAS DE SEGURANÇA IMPORTANTES Leia todas as instruções ANTES de montar e utilizar este produto. GUARDE ESTE MANUAL Seu Aquecedor de Piscina foi projetado

Leia mais

Válvulas de Segurança 3/2 vias DM² C

Válvulas de Segurança 3/2 vias DM² C Válvulas de Segurança 3/2 vias DM² C Isolamento da Energia Pneumática Categoria 4 Líder na Tecnologia de Válvulas de Segurança Desde 1950 2005 Tecnologia e experiência 1995 2000 1980 1976 1967 1962 1954

Leia mais

CONJUNTOS DE FACAS DE AR WINDJET

CONJUNTOS DE FACAS DE AR WINDJET CONJUNTOS DE FACAS WINDJET CONJUNTO DE FACAS WINDJET SOPRADORES CONJUNTOS DE FACAS WINDJET SUMÁRIO Página Visão geral dos pacotes de facas de ar Windjet 4 Soprador Regenerativo 4 Facas de ar Windjet 4

Leia mais

Manual de Operação e Manutenção

Manual de Operação e Manutenção Manual de Operação e Manutenção Rebitador Pneumático para Rebites de Repuxo SRC-3 1 Características Gerais: Leve; Alta velocidade de operação, grande potência; Baixo ruído; Baixo impacto; Curso longo;

Leia mais

Purgador de Bóia FTA - 550 Manual de Instalação e Manutenção

Purgador de Bóia FTA - 550 Manual de Instalação e Manutenção Purgador de Bóia FTA - 550 Manual de Instalação e Manutenção ÍNDICE Termo de Garantia 1.Descrição 2.Instalação 3.Manutenção 4.Peças de reposição 5.Informações Técnicas 1 TERMO DE GARANTIA A Spirax Sarco

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO MÁQUINA DE LAVAR LOUÇA LAVA RÁPIDO

MANUAL DE OPERAÇÃO MÁQUINA DE LAVAR LOUÇA LAVA RÁPIDO MANUAL DE OPERAÇÃO MÁQUINA DE LAVAR LOUÇA LAVA RÁPIDO 1 1. AVISOS Leia este manual cuidadosamente antes de instalar e operar o equipamento. A operação da máquina deve estar de acordo com as instruções

Leia mais

Manual do Usuário. Produto LUBE-SEAL. Versão: LUBE-SEAL Manual V1.0 Data: 13/10/2006 Escrito por: Marcelo da Silveira Petter Prada dos Santos

Manual do Usuário. Produto LUBE-SEAL. Versão: LUBE-SEAL Manual V1.0 Data: 13/10/2006 Escrito por: Marcelo da Silveira Petter Prada dos Santos Manual do Usuário Produto Versão: Manual V1.0 Data: 13/10/2006 Escrito por: Marcelo da Silveira Petter Prada dos Santos SUMÁRIO SUMÁRIO 2 1. TERMOS E CONVENÇÕES 4 2. INFORMAÇÕES GERAIS 5 2.1. Dados do

Leia mais

BK 212. Instruções de Instalação 810769-00 Purgador BK 212

BK 212. Instruções de Instalação 810769-00 Purgador BK 212 BK 212 Instruções de Instalação 810769-00 Purgador BK 212 1 Índice Advertências Importantes Seite Instruções de segurança... 7 Perigo... 7 Notas Explicativas Conteúdo da embalagem... 8 Descrição... 8 Funcionamento...

Leia mais

Cilindros de parada seguros - silenciosos - confiáveis

Cilindros de parada seguros - silenciosos - confiáveis Cilindros de parada seguros - silenciosos - confiáveis 13017381 Info 166 Cilindros de parada o equipamento compacto e simples para automatizar linhas de transporte Utilização Equipamento rápido e simples

Leia mais

INTRODUÇÃO INFORMAÇÕES ADICIONAIS NOTAS

INTRODUÇÃO INFORMAÇÕES ADICIONAIS NOTAS 1 INTRODUÇÃO Neste catálogo estão descritos todos os modelos de bombas das linhas E e EP de nossa fabricação assim como seus acessórios e opcionais. Dele constam informações técnicas, desde a construção,

Leia mais

Actuador de Diafragma 657 de Tamanhos 30-70 e 87 da Fisher

Actuador de Diafragma 657 de Tamanhos 30-70 e 87 da Fisher Manual de Instruções Actuador 657 (30-70 e 87) Actuador de Diafragma 657 de Tamanhos 30-70 e 87 da Fisher Conteúdo Introdução................................... 1 Âmbito do Manual...........................

Leia mais

Desmontagem e Montagem de um Rolamento do Cubo da Roda Compacto

Desmontagem e Montagem de um Rolamento do Cubo da Roda Compacto Desmontagem e Montagem de um Rolamento do Cubo da Roda Compacto Página 1 / 6 A desmontagem e montagem de um cubo de roda podem ser diferentes em função do fabricante dos veículos. Recomendamos que a substituição

Leia mais

Máquinas de Gelo em Escama QF800-QC700. Instalação. Sistema Elétrico. Localização da Máquina de Gelo

Máquinas de Gelo em Escama QF800-QC700. Instalação. Sistema Elétrico. Localização da Máquina de Gelo Máquinas de Gelo em Escama QF800-QC700 Instalação Localização da Máquina de Gelo Sistema Elétrico O local selecionado para a máquina de gelo deve atender os critérios seguintes. Se algum desses critérios

Leia mais

Seção 4 Sistemas de combustível e carburação

Seção 4 Sistemas de combustível e carburação Seção 4 Sistemas de combustível e carburação Página CARBURAÇÃO... 79 Identificação do carburador... 79 Remoção do carburador... 79 Manutenção do carburador... 81 Carburador Aisan - Modelos 290700, 303700,

Leia mais

2. CARACTERÍSTICAS 1. INTRODUÇÃO

2. CARACTERÍSTICAS 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO O estabilizador portátil de câmera Tedi Cam é um equipamento de avançada tecnologia utilizado para filmagens de cenas onde há a necessidade de se obter imagens perfeitas em situações de movimento

Leia mais

Seção 12 Conjunto do motor

Seção 12 Conjunto do motor Seção 12 Conjunto do motor Página CONJUNTO DO MOTOR... 164 Instalação do virabrequim... 164 Instale o pistão e a biela... 164 Instalação do eixo de cames... 164 Instalação da bomba de óleo... 165 Instalação

Leia mais

Procedimentos de montagem e instalação

Procedimentos de montagem e instalação Procedimentos de montagem e instalação das cápsulas filtrantes Pall Supracap 100 1. Introdução Os procedimentos abaixo devem ser seguidos para a instalação das cápsulas Pall Supracap 100. As instruções

Leia mais

9 de janeiro de 2014 Sistema Húmido 26a DADOS TÉCNICOS

9 de janeiro de 2014 Sistema Húmido 26a DADOS TÉCNICOS 9 de janeiro de 2014 Sistema Húmido 26a 1. DESCRIÇÃO A Válvula de Alarme Viking, Modelo J-1 actua como uma válvula de retenção, mantendo a água sob pressão abaixo da chapeleta e evitando o fluxo de água

Leia mais

Extensômetro de Alto Alongamento AHX800 Manual Title

Extensômetro de Alto Alongamento AHX800 Manual Title Extensômetro de Alto Alongamento AHX800 Manual Title Additional Manual do Information Produto be certain. 100-238-343 A Informações sobre Direitos Autorais Informações sobre Marca Registrada Informação

Leia mais

www.montanahidrotecnica.com.br

www.montanahidrotecnica.com.br MANUAL DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA CAIXAS DE DESCARGA MONTANA LINHA 9000 MONTANA HIDROTÉCNICA LTDA. Rua Flora Rica, 79 - Engenho da Rainha - CEP 20766-620 - Rio de Janeiro - RJ Tel.: (21) 2597-2332

Leia mais

PRESSURIZADOR PL - 9 MANUAL DE INSTRUÇÕES DE INSTALAÇÃO, FUNCIONAMENTO E GARANTIA. ATENDIMENTO AO CONSUMIDOR 0800 0 17 28 44 www.lorenzetti.com.

PRESSURIZADOR PL - 9 MANUAL DE INSTRUÇÕES DE INSTALAÇÃO, FUNCIONAMENTO E GARANTIA. ATENDIMENTO AO CONSUMIDOR 0800 0 17 28 44 www.lorenzetti.com. PRESSURIZADOR ATENDIMENTO AO CONSUMIDOR 0800 0 17 28 44 www.lorenzetti.com.br Lorenzetti S.A. Indústrias Brasileiras Eletrometalúrgicas Av. Presidente Wilson, 1230 - CEP 03107-901 Mooca - São Paulo - SP

Leia mais

Manual de Instruções e Lista de Peças. Máquina de Corte Circular de Tecido 950C

Manual de Instruções e Lista de Peças. Máquina de Corte Circular de Tecido 950C Manual de Instruções e Lista de Peças Máquina de Corte Circular de Tecido 950C 104A 104B Singer é uma marca registrada da The Singer Company Limited ou suas afiliadas. 2009 Copyright The Singer Company

Leia mais

Instruções de montagem

Instruções de montagem Instruções de montagem Indicações importantes relativas às instruções de montagem VOSS O desempenho e a segurança mais elevados possíveis no funcionamento dos produtos VOSS só serão obtidos se forem cumpridas

Leia mais

099-100-R02 MANUAL DE DESMONTAGEM E MONTAGEM DE ACUMULADORES DE BEXIGA 1/6 1 - CARACTERÍSTICAS GERAIS

099-100-R02 MANUAL DE DESMONTAGEM E MONTAGEM DE ACUMULADORES DE BEXIGA 1/6 1 - CARACTERÍSTICAS GERAIS MANUAL DE DESMONTAGEM E MONTAGEM DE ACUMULADORES DE BEXIGA 1 - CARACTERÍSTICAS GERAIS - Se o acumulador precisa ser desmontado por qualquer razão, o procedimento seguinte deve ser seguido na sequência

Leia mais

APOSTILA DE MANUTENÇÃO - Compactador RAM 70 (Honda) -

APOSTILA DE MANUTENÇÃO - Compactador RAM 70 (Honda) - APOSTILA DE MANUTENÇÃO 1- OBJETIVO. Apresentar os passos necessários para a manutenção do compactador RAM70 com motor Honda GX120. 2- PASSOS DE DESMONTAGEM / MONTAGEM. Retirar filtro de ar. Retirar mangueira

Leia mais

Sprinklers, Válvulas e Acessórios

Sprinklers, Válvulas e Acessórios A Argus é uma empresa brasileira, especializada em segurança e proteção contra incêndio, com sede em Vinhedo/SP. Embora nova, a Argus é uma empresa com muita experiência. Seus sócios em conjunto somam

Leia mais

Caixa Múltipla de Esgoto CAIXA DE GORDURA, CAIXA DE INSPEÇÃO E COMPLEMENTOS

Caixa Múltipla de Esgoto CAIXA DE GORDURA, CAIXA DE INSPEÇÃO E COMPLEMENTOS Caixa Múltipla de Esgoto CAIXA DE GORDURA, CAIXA DE INSPEÇÃO E COMPLEMENTOS Localização no Website Tigre: Obra Predial Esgoto CAIXA MÚLTIPLA ESGOTO Função: A linha Caixa Múltipla Esgoto completa a solução

Leia mais

420 - Série 400. Flangeadas: ISO 7005-2 (PN10 &16) Ranhuradas: ANSI C606 Rosqueadas: NPT Rosqueadas: Rp ISO 7/1 (BSP.P) Padrão das Conexões

420 - Série 400. Flangeadas: ISO 7005-2 (PN10 &16) Ranhuradas: ANSI C606 Rosqueadas: NPT Rosqueadas: Rp ISO 7/1 (BSP.P) Padrão das Conexões Bermad Brasil Válvulas e Soluções Hidráulicas Matriz: Rua Jesuíno Arruda, n 797 - Conj. 22 Itaim Bibi - São Paulo - SP - Brasil CEP: 04532-082 Fone: +55 11 3074.1199 Fax: +55 11 3074.1190 Website: www.bermad.com.br

Leia mais

Índice. Características

Índice. Características Índice 1 2 4 5 12 14 Características 1 Cuidados para manuseio e operação Leia estes cuidados atentamente e use somente conforme destinado ou instruído. Instruções de segurança têm como objetivo evitar

Leia mais

SMART Control Manual de Instruções

SMART Control Manual de Instruções SMART Control Manual de Instruções Para utilizar corretamente esse dispositivo, leia este manual de instruções cuidadosamente antes de usar. precauções de segurança Este símbolo, juntamente com uma das

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO HIDRÁULICA

MANUAL DE INSTALAÇÃO HIDRÁULICA MANUAL DE INSTALAÇÃO HIDRÁULICA Esquema de Instalação Hidráulica RESIDENCIAL Atenção: Modelo meramente ilustrativo em casas térreas. Para sua segurança e garantia do bom funcionamento das tubulações de

Leia mais

Instruções de Instalação em Rack

Instruções de Instalação em Rack Instruções de Instalação em Rack Releia a documentação fornecida com seu gabinete de rack, para obter informações sobre cabeamento e segurança. Ao instalar seu servidor em um gabinete de rack, considere

Leia mais

Manual de Instruções de Operação e Manutenção Monitor de Posição

Manual de Instruções de Operação e Manutenção Monitor de Posição Manual de Instruções de Operação e Manutenção Monitor de Posição 1. INFORMAÇÕES GERAIS... 3 2. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS... 3 3. DESENHO DIMENSIONAL... 4 4. INSTALAÇÃO... 5 4.1 MONTAGEM EM ATUADOR ROTATIVO...

Leia mais

PLANO DE MANUTENÇÃO. incl. Planos A + B + B1 execução. rotinas + procedimentos FROTA SIM - SISTEMA INTEGRADO DE MANUTENÇÃO

PLANO DE MANUTENÇÃO. incl. Planos A + B + B1 execução. rotinas + procedimentos FROTA SIM - SISTEMA INTEGRADO DE MANUTENÇÃO PLANO DE MANUTENÇÃO C incl. Planos A + B + B1 execução rotinas + procedimentos FROTA OPERAÇÃO URBANA 1) Principais objetivos : Avaliação anual (aproxim.) do estado mecânico do veículo Acertos mecânicos

Leia mais

Manômetros, modelo 7 conforme a diretiva 94/9/CE (ATEX)

Manômetros, modelo 7 conforme a diretiva 94/9/CE (ATEX) Manual de instruções Manômetros, modelo 7 conforme a diretiva 94/9/CE (ATEX) II 2 GD c TX Modelo 732.51.100 conforme ATEX Modelo 732.14.100 conforme ATEX Manual de instruções, modelo 7 conforme ATEX ágina

Leia mais

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Página 1 de 9 Informativo nº 9 VENTILADOR DE MESA 30cm VENTNK1200 ASSUNTO: Lançamento. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Alimentação: Cor: Potência do aparelho: Consumo de energia: Característica diferencial: Período

Leia mais

Apostila de Treinamento: Geradores de Espuma

Apostila de Treinamento: Geradores de Espuma Apostila de Treinamento: Geradores de Espuma Nacional Tecnologia Instrumentos Equipamentos de Dosagem Ltda. EPP Rua José Carlos Geiss, 261 Rec. Camp. Jóia CEP13347-020 Indaiatuba SP Fone: (19) 3935-6107

Leia mais

Válvulas solenoides de 2/2 vias servo operadas tipo EV220B 15 50

Válvulas solenoides de 2/2 vias servo operadas tipo EV220B 15 50 Catálogo técnico Válvulas solenoides de 2/2 vias servo operadas tipo EV220B 15 50 EV220B 15 50 é um programa universal de válvula solenoide de 2/2 vias indiretamente servo-operada. O corpo da válvula em

Leia mais

CATÁLOGO TÉCNICO COMPRESSOR - MSA 8.1/25 - WTA 8.1/25-1 ESTÁGIO - 116 psig CSA 8.5/25-1 ESTÁGIO - 120 psig

CATÁLOGO TÉCNICO COMPRESSOR - MSA 8.1/25 - WTA 8.1/25-1 ESTÁGIO - 116 psig CSA 8.5/25-1 ESTÁGIO - 120 psig CT MSA./2 WTA./2 CSA./2 CATÁLOGO TÉCNICO COMPRESSOR MSA./2 WTA./2 ESTÁGIO psig CSA./2 ESTÁGIO psig TÉRMINO DE COMERCIALIZAÇÃO ABRIL/ (PRODUTO 0% IMPORTADO) MSA./2 TÉRMINO DE FABRICAÇÃO NOVEMBRO/ WAYNE

Leia mais

Reparação e Manutenção de Tubos

Reparação e Manutenção de Tubos Reparação e Manutenção de Tubos Vasta selecção a partir de uma fonte única. Concepções duradouras exclusivas. Desempenho rápido e fiável. Tipo de modelos Página Bombas de Teste de Pressão 2 9.2 Congeladores

Leia mais

Instruções de montagem

Instruções de montagem Instruções de montagem Indicações importantes relativas às instruções de montagem VOSS O desempenho e a segurança mais elevados possíveis no funcionamento dos produtos VOSS só serão obtidos se forem cumpridas

Leia mais

PLANO DE MA NU TEN ÇÃO

PLANO DE MA NU TEN ÇÃO SIM - SISTEMA INTEGRADO DE MAUTENÇÃO PLANO DE MA NU TEN ÇÃO C incl. Planos A + B + B1 execução roteiro + pro ce di men tos 1) Principais Ob je ti vos: => Avaliação anual (aproxim.) do estado mecâ nico

Leia mais

Thebe Bombas Hidráulicas Ltda.

Thebe Bombas Hidráulicas Ltda. Manual de Montagem com Motores a Combustão Bomba P-15 e PX-15 (Multiestágio) 18 10 9 8 7 6 2 12 14 12 14 12 11 1 17 6 5 16 13 15 13 15 13 4 3 Descrição de Peças 1 Arruela traseira P-15 2 Paraf. Sext. M8x

Leia mais

KEYSTONE. Válvulas de Borboleta de elevade performance Winn HiSeal Instruções de funcionamento, instalação e manutenção. www.pentair.

KEYSTONE. Válvulas de Borboleta de elevade performance Winn HiSeal Instruções de funcionamento, instalação e manutenção. www.pentair. KEYSTONE As válvulas de borboleta HiSeal, de elevada perfomance e de dupla excentricidade, estão totalmente de acordo com as classes ANSI 0 e ANSI 300. Índice 1 Armazenagem / Selecção / Protecção 1 2 Instalação

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL

ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL 1 OBJETIVO: Padronizar os diversos tipos de sistemas de bomba de incêndio das edificações, seus requisitos técnicos, componentes, esquemas elétricos-hidráulicos e memória de cálculo, de acordo com os parâmetros

Leia mais

ÍNDICE INTRODUÇÃO. Obrigado por adquirir produtos Toyama.

ÍNDICE INTRODUÇÃO. Obrigado por adquirir produtos Toyama. INTRODUÇÃO ÍNDICE Obrigado por adquirir produtos Toyama. As aplicações das motobombas Toyama são diversas: Agricultura, indústrias, minas, empresas, construções, comunicação, cabeamento subterrâneo, manutenção

Leia mais

Pulverizadores costais manuais. Prof.: Brandão

Pulverizadores costais manuais. Prof.: Brandão Pulverizadores costais manuais Prof.: Brandão PULVERIZADORES COSTAIS Operação Manutenção Regulagem da pulverização PJH O QUE É UM PULVERIZADOR COSTAL MANUAL? - Os pulverizadores Costais Manuais são equipamentos

Leia mais

Leia atentamente antes de usar

Leia atentamente antes de usar Leia atentamente antes de usar MANUAL DE INSTRUÇÕES www.btcmail.com.br PURIFICADOR DE ÁGUA Obrigado por adquirir produtos POLAR. O PURIFICADOR DE ÁGUA POLAR reúne design, qualidade, praticidade e garantia

Leia mais

www.cubos.com.br 2 1) INTRODUÇÃO 3 2) PEÇAS 3 3) INSTRUÇÕES DE USO 3 4) MANUTENÇÃO 5 5) ESPECIFICAÇÕES 6 6) GARANTIA 6 7) CONTATO 6

www.cubos.com.br 2 1) INTRODUÇÃO 3 2) PEÇAS 3 3) INSTRUÇÕES DE USO 3 4) MANUTENÇÃO 5 5) ESPECIFICAÇÕES 6 6) GARANTIA 6 7) CONTATO 6 MANUAL DO USUÁRIO CUBOS UV LIGHT 8W PRO 15W 30W 15W CRISTAL DE QUARTZO 30W CRISTAL DE QUARTZO 55W HO CRISTAL DE QUARTZO 75W HO CRISTAL DE QUARTZO 36W COMPACTO CRISTAL DE QUARTZO 60W COMPACTO CRISTAL DE

Leia mais

MÓDULO 4 4.8.2 - PROCEDIMENTOS DE TESTES DE ESTANQUEIDADE PARA LINHAS DE POLIETILENO PARAGASES E AR COMPRIMIDO

MÓDULO 4 4.8.2 - PROCEDIMENTOS DE TESTES DE ESTANQUEIDADE PARA LINHAS DE POLIETILENO PARAGASES E AR COMPRIMIDO MÓDULO 4 4.8.2 - PROCEDIMENTOS DE TESTES DE ESTANQUEIDADE PARA LINHAS DE POLIETILENO PARAGASES E AR COMPRIMIDO Normas Aplicáveis - NBR 14.462 Sistemas para Distribuição de Gás Combustível para Redes Enterradas

Leia mais

Atuador de Diafragma Fisher 657 Tamanhos 30-70 e 87

Atuador de Diafragma Fisher 657 Tamanhos 30-70 e 87 Manual de instruções Atuador 657 (30-70 e 87) Atuador de Diafragma Fisher 657 Tamanhos 30-70 e 87 Índice Introdução... 1 Escopo do manual... 1 Descrição... 2 Especificações... 2 Serviços educacionais...

Leia mais

CATÁLOGO TÉCNICO COMPRESSOR - MSV 6/50 - DENTAL SPLIT - 1 ESTÁGIO - 120 psig

CATÁLOGO TÉCNICO COMPRESSOR - MSV 6/50 - DENTAL SPLIT - 1 ESTÁGIO - 120 psig SCHULZ: INÍCIO DE FABRICAÇÃO - ABRIL/005 CATÁLOGO TÉCNICO COMPRESSOR - MSV 6/ - DENTAL SPLIT - 1 ESTÁGIO - 10 psig CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS ISENTO DE ÓLEO L C DESLOCAMENTO TEÓRICO pés /min PRESSÃO MÁX.

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES

MANUAL DE INSTRUÇÕES MANUAL DE INSTRUÇÕES Sistema para aquecimento de água sanitária com o aproveitamento de energia solar INSTALACÃO DO TERMOACUMULADOR A Norma respeitante á montagem deste aparelho é a NP 3401. Estes aparelhos

Leia mais

Guia de ajuste do corpo clínico e do paciente

Guia de ajuste do corpo clínico e do paciente Page 1 Instalação do fixador da máscara Remoção da parte almofadada Uma vez completa e adequadamente Guia de ajuste do corpo clínico e do paciente Segure pela parte superior da parte almofadada da máscara

Leia mais

HPP06 UNIDADE HIDRÁULICA

HPP06 UNIDADE HIDRÁULICA HPP06 UNIDADE HIDRÁULICA A partir do nº de Série 5688 ANTES Antes DE UTILIZAR Agradecemos a sua preferência pela unidade HYCON. Por favor note que a unidade foi vendida sem óleo hidráulico, o qual deverá

Leia mais

ZJ20U93 Montagem e Operacional

ZJ20U93 Montagem e Operacional www.zoje.com.br ZJ20U93 Montagem e Operacional ÍNDICE 1. Aplicação...2 2. Operação segura...2 3. Cuidados antes da operação...2 4. Lubrificação...2 5. Seleção da agulha e do fio...3 6. A Inserção da agulha...3

Leia mais

Thebe Bombas Hidráulicas Ltda.

Thebe Bombas Hidráulicas Ltda. Manual de Montagem com Motores a Combustão Bomba P-11/3 e P-11/4 (Multiestágio) 18 10 12 10 12 10 12 10 7 9 6 2 1 17 8 16 15 14 11 13 11 13 11 13 11 5 4 3 Descrição de Peças 1 Arruela traseira P-11 2 Paraf.

Leia mais