FAIN. FACULDADE INDEPENDENTE DO NORDESTE - FAINOR Credenciada pela Portaria MEC n 1.393, de 04/07/01 Publicada no DOU de 09/07/01

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FAIN. FACULDADE INDEPENDENTE DO NORDESTE - FAINOR Credenciada pela Portaria MEC n 1.393, de 04/07/01 Publicada no DOU de 09/07/01"

Transcrição

1 FAIN FACULDADE INDEPENDENTE DO NORDESTE - FAINOR Credenciada pela Portaria MEC n 1.393, de 04/07/01 Publicada no DOU de 09/07/01 MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS E CIENTÍFICOS: ESTÁGIO E TCC VITÓRIA DA CONQUISTA 2007

2 FAIN Manual para Elaboração de Trabalhos Acadêmicos e Científicos: Estágio e TCC F143 Faculdade Independente do Nordeste Manual para elaboração de trabalhos acadêmicos e científicos: Estágio e TCC / Organizado pela professora Msc. Maria Célia Ferreira Neves. Vitória da Conquista, p. 1. Normalização I. T CDD:

3 FAIN Manual para Elaboração de Trabalhos Acadêmicos e Científicos: Estágio e TCC APRESENTAÇÃO A direção da FAINOR com a colaboração de alguns professores, elaborou um regulamento visando a normalização dos Trabalhos de Conclusão de Curso desta Faculdade, adotado pelos cursos de Administração, Direito, Ciências Contábeis e Engenharia da Computação, uniformizando, portanto, todos os trabalhos feitos pelos alunos da FAINOR. Acreditamos que com esta padronização, toda ela calcada nas diretrizes da ABNT, estaremos caminhando no sentido de alcançar maior unidade e integração de procedimentos entre os cursos oferecidos pela Faculdade. A elaboração deste manual de normalização para trabalhos objetiva fazer com que o acadêmico, recente ingresso e veteranos da faculdade, possam de forma mais eficaz aproveitar as orientações técnicas metodológicas exigidas no curso superior. Para tanto, as regras aqui mencionadas devem ser uma constante no fazer do professor, uma vez que elas são de uso comum para as diversas áreas do conhecimento. Sua utilização de modo uniforme em todas as disciplinas das mais diversas áreas de conhecimento fomentará uma postura adequada à produção de saberes de forma consciente, crítica, metodológica, sistemática e, acima de tudo, com clareza, fundamentada na normalização estabelecida pela Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT. Espera-se que este manual seja útil para professores e alunos da Faculdade Independente do Nordeste FAINOR, e que possa levá-los a aproveitar e interagir de forma sadia com o processo de conhecimento. Professora Maria Célia Ferreira Neves, M. Sc. Diretora Acadêmica

4 FAIN Manual para Elaboração de Trabalhos Acadêmicos e Científicos: Estágio e TCC COMPOSIÇÃO INSTITUCIONAL PRESIDENTE DA MANTENEDORA Prof. Raymundo Barbosa Vianna DIREÇÃO GERAL Prof. Edgard Larry Andrade Soares VICE-DIREÇÃO Profª Maria Célia Ferreira Neves COORDENAÇÃO DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO Prof. Fábio Félix Ferreira COORDENAÇÃO DO NÚCLEO DE ESTÁGIO E TRABALHOS ACADÊMICOS Prof. Itamar Figueredo dos Santos COORDENAÇÃO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Profª. Maria Auxiliadora Nunes Cordeiro COORDENAÇÃO DO CURSO DE DIREITO Prof. Rafael Vilas Boas COORDENAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Prof. Josenaldo Souza Alves COORDENAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO Prof. Wilton Lacerda Silva

5 FAIN Manual para Elaboração de Trabalhos Acadêmicos e Científicos: Estágio e TCC SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DOS TRABALHOS DE GRADUAÇÃO PESQUISA BIBLIOGRÁFICA PROJETO DE PESQUISA RELATÓRIO TÉCNICO-CIENTÍFICO FASES DE UM RELATÓRIO ORIENTAÇÕES GERAIS RELATÓRIO DE PESQUISA RELATÓRIO DE VISITA MONOGRAFIA ESTRUTURA DE UMA MONOGRAFIA SEGUNDO A NBR 14724/ FORMATAÇÃO DA MONOGRAFIA APRESENTAÇÃO GRÁFICA DE TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO.27 7 ARTIGO CIENTÍFICO COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA ENSAIO CIENTÍFICO INFORME CIENTÍFICO AS CITAÇÕES CONFORME A NBR 10520/ AS REFERÊNCIAS SEGUNDO A NBR 6023/

6 FAIN Manual para Elaboração de Trabalhos Acadêmicos e Científicos: Estágio e TCC 6 1 INTRODUÇÃO O manual para elaboração e normalização de trabalhos acadêmicos e científicos consiste num instrumento de orientação para acadêmicos e docentes do curso superior, pois contém elementos que auxiliarão na fase propedêutica daqueles que almejam de forma sistemática e mais segura construir e refletir acerca do acervo de conhecimentos, ao qual a humanidade se propõe a desvelar. Inicialmente se fala da problemática pela qual passa o recém ingresso na instituição de ensino superior, consequentemente é também um problema do docente, visto ser necessário transpor os obstáculos impostos pelo nível de ensino anterior. As normas para elaboração e modalidades de trabalhos acadêmicos constituem-se no passo posterior, uma vez que se deve observar o padrão na elaboração deles e que as instituições de ensino superior estabelecem e exigem um padrão de elaboração. Este padrão de elaboração deve estar em conformidade com as normas estabelecidas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT. Portanto, orientar acadêmicos e docentes e demais interessados pela sistematicidade e qualidade dos trabalhos desenvolvidos nos cursos de nível superior constitui-se no alvo principal deste Manual.

7 7 2 ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DOS TRABALHOS DE GRADUAÇÃO Os trabalhos de graduação, mesmo os de pesquisa bibliográfica obedecem a NBR 14724, e podem adaptar-se a estrutura institucional conforme o que se preconiza a seguir. A apresentação dos trabalhos acadêmicos obedece às regras de padronização reconhecidas por toda a comunidade científica. É necessário observar não somente a elaboração intelectual dos trabalhos. Deve-se observar principalmente que a apresentação destes reflita a seriedade, empenho e organização dedicados à sua realização. Os trabalhos em seus aspectos exteriores devem obedecer à seguinte normalização: - Tamanho das folhas e numeração - O papel A4 é o mais recomendado, pois atende perfeitamente as exigências de um texto discursivo. Somente o anverso da folha deverá ser utilizado. Todas as folhas devem ser numeradas começando a contagem pela folha de rosto, muito embora ela não apresente a numeração. Os números devem ser arábicos e localizam-se na margem superior, ao centro ou à direita; também podem figurar na margem inferior, ao centro ou à direita. - Margens e espaços - Superior 3 cm, inferior 2 cm, direita 2 cm e esquerda 3 cm. Caso se deseje encadernar o trabalho, a margem esquerda deve ser de 3,5 cm. Apresenta-se a escrita em espaço 1,5; os títulos e os subtítulos são separados em dois espaços de 1,5. - A fonte - Recomenda-se utilizar a fonte times new roman ou arial com o tamanho 12 e a cor preta. - Títulos e subtítulos - Embora trabalhos curtos dispensem o destaque dos títulos e subtítulos, outros mais extensos, como dissertações, monografias ou relatórios de pesquisa, exigem a ordenação do conteúdo que deve ser dividido em títulos e subtítulos, podendo ser digitados em itálico, negrito ou grifo e redondo. A numeração dos tópicos dependerá da extensão do trabalho. O número de títulos e subtítulos constantes no trabalho deverão ser mencionados no sumário. Em trabalhos mais extensos se tem partes, capítulos e seções. No caso, as partes serão indicadas por letras ou algarismos romanos, os capítulos necessariamente devem ser numerados com algarismos romanos e as seções com arábicos. Recomenda-se para os trabalhos mais extensos (livros ou teses) a numeração pelo sistema alfanumérico; a numeração progressiva é aconselhável para os trabalhos de graduação.

8 8 - A escrita - Deve-se digitar o trabalho atentando para a correção dos erros e rasuras. Recomenda-se fazer a revisão ortográfica antes da impressão final. Partes que compõem um trabalho de graduação - Capa: nos trabalhos de graduação é obrigatório. - Folha de rosto: é parte indispensável em qualquer tipo de trabalho. Deve conter informações especiais que identifiquem o trabalho: na margem superior, centralizado e sem justificação figura o cabeçalho (instituição, curso, disciplina e professor) em maiúsculas; no meio da página indica-se o título do trabalho também em maiúsculas; a dois espaços do título à direita ou centralizado indicase o nome do aluno (em redondo); dois espaços e à direita (em coluna), após o nome do aluno, registra-se o direcionamento ou natureza do trabalho; e na margem inferior centralizado indica-se local e data da entrega do trabalho (em redondo). - Sumário: é constituído dos títulos e subtítulos do trabalho. Não deve ser confundido com índice, que se refere às partes, geralmente figura no final de obras. - Corpo do trabalho: é composto de introdução que anuncia de maneira sucinta o tema, esclarece o assunto delimitando a extensão e profundidade que se deseja dar ao trabalho, apresenta a idéia de maneira sintética o que se deseja fazer apontando os objetivos e evidenciando a relevância do assunto; desenvolvimento, a parte nuclear do trabalho onde se expõe as idéias, argumenta-se a validade delas de modo a confirmar ou refutar os argumentos apresentados; conclusão consiste na síntese interpretativa dos argumentos ou elementos contidos no desenvolvimento. - Bibliografia: é a listagem de todas as obras consultadas para a realização do trabalho. Dever apresentar-se em ordem alfabética dos sobrenomes dos autores. - Apêndices e anexos: são partes complementares do trabalho. Apêndice: são os documentos de autoria de quem redigiu o trabalho (entrevistas, questionários, fotografias, ilustrações). Anexos: são documentos que não são de autoria do autor do trabalho (estatutos, leis, gráficos, recortes de jornais e revistas). - Capa final ou quarta capa: é uma folha em branco.

9 9 Modelo de capa e folha de rosto FACULDADE INDEPENDENTE DO NORDESTE CURSO: DISCIPLINA: PROFESSOR(A): FACULDADE INDEPENDENTE DO NORDESTE CURSO: DISCIPLINA: PROFESSOR(A): TÍTULO DO TRABALHO NOME DO ALUNO TÍTULO DO TRABALHO NOME DO ALUNO Trabalho como requisito para obtenção de nota parcial na disciplina. VITÓRIA DA CONQUISTA ABRIL/2007 VITÓRIA DA CONQUISTA ABRIL/2007

10 10 3 PESQUISA BIBLIOGRÁFICA É o procedimento básico na obtenção de dados para os trabalhos acadêmicos de modo geral. Para Martins e Pinto (2001, p. 41), A pesquisa bibliográfica procura explicar e discutir um tema com base em referências teóricas publicadas em livros, periódicos e etc. Busca conhecer e analisar as contribuições científicas quando realizadas independentemente - análise teórica - como parte da investigação empírica. Para se realizar com eficácia uma pesquisa bibliográfica, recomenda-se: a) fazer o registro completo de cada obra que se pretende estudar: autor, título, edição, local de publicação, editora e ano de publicação; b) registrar em arquivo de documentação pessoal todas as informações ou afirmações essenciais à corroboração de suas idéias, não esquecendo de fazer uma análise reflexiva do todo documentado; c) elaborar um plano provisório de trabalho, ou seja, devem-se indicar as partes que comporão o trabalho, poderá corresponder a um sumário temporário do trabalho; d) redigir o trabalho, que deve ser composto de: introdução, desenvolvimento e conclusão. Note-se que nem todo pesquisador inicia a redação do trabalho pela introdução, contudo, poderá ficar a critério de cada um. Portanto, a introdução anuncia de maneira sucinta o tema, esclarece o assunto delimitando a extensão e profundidade que se deseja dar ao trabalho, apresenta a idéia de maneira sintética o que se deseja fazer apontando os objetivos e evidenciando a relevância do assunto. O desenvolvimento: é a parte nuclear do trabalho onde se expõe as idéias, argumenta-se a validade delas de modo a confirmar ou refutar os argumentos apresentados. A conclusão: consiste na síntese interpretativa dos argumentos ou elementos contidos no desenvolvimento; e) revisar o trabalho, onde se faz uma leitura crítica do conteúdo e das idéias expressas no texto. Deve-se observar também a concordância, coerência, precisão, simplicidade, impessoalidade, objetividade, clareza e ortografia da redação, de modo geral; f) organizar em consonância com a NBR 6023, a bibliografia consultada.

11 11 4 PROJETO DE PESQUISA O objetivo principal de um projeto de pesquisa é delinear um trajeto que conduza da forma mais eficaz possível, o pesquisador. Logo, a primeira atitude a ser tomada quando se propõe um trabalho de pesquisa para o acadêmico, é deixar bem claro que não se pode iniciar a pesquisa (sair coletando dados imediatamente) antes da elaboração de um projeto. Segundo Severino (2002, p. 159), um projeto bem elaborado desempenha várias funções: a) define e planeja o caminho a ser seguido no desenvolvimento do trabalho. O planejamento define uma disciplina no desenvolvimento do trabalho não só em termos lógicos, mas também em termos de organização de tempo, de seqüência de roteiros e cumprimentos de prazo; b) atende às exigências didáticas dos professores, onde cada pesquisador submete sua proposta à apreciação pelo Conselho de Pesquisa da instituição; c) permite aos orientadores avaliem melhor o sentido do trabalho e seu desenvolvimento futuro; d) subsidia a discussão da banca examinadora com vistas à elaboração de propostas de posterior aprofundamento; e) serve de base para solicitação de bolsa de estudos ou de agências de apoio à pesquisa. O Projeto de Pesquisa deve ser distinguido do plano de pesquisa, tendo em vista que o primeiro é a concretização do segundo, ou seja, o projeto é o todo, constituído por partes, e estas são chamadas de plano. Segundo Andrade (2001, p ), o plano geral da pesquisa engloba a parte teórica e a coleta de dados ou execução da pesquisa.. O Plano geral de pesquisa poder ser ilustrado da forma indicada, a seguir: a) Escolha do tema: deve apresentar um novo enfoque do assunto, isso se, não for original. Deve demonstrar relevância, isto é, deve estar ligado, de alguma forma a uma questão de interesse geral ou social, e ser viável. b) Delimitação do assunto: diz respeito à extensão ou ao tipo de enfoque, além de fixar as circunstâncias espaço geográfico temporal.

12 12 c) Levantamento bibliográfico: refere-se à literatura pertinente ao tema escolhido. Possibilita a determinação dos objetivos, a construção das hipóteses, elementos para fundamentar o histórico da questão, bem como uma visão crítica dos trabalhos publicados. O esquema de um projeto de pesquisa deve conter os elementos abaixo descritos: a) Título ou tema: deve obedecer aos critérios de relevância, viabilidade e originalidade. b) Delimitação do assunto: determinar o tipo de enfoque, sua extensão e profundidade na perspectiva espacial e temporal. c) Justificativa: devem-se expor os motivos pelos quais se escolheu o tema, a relevância de se fazer o estudo e suas contribuições para a área em nível geral e específica, bem como suas implicações para a sociedade. d) Objetivos: esclarecer o que se pretende e quais os resultados que se deseja obter. Deve se apresentar em forma de objetivo geral: relaciona-se a uma visão global e abrangente do tema. Os específicos têm função intermediária, porém para atingir o geral aplica-se a situações intermediárias, referem-se a cada etapa da pesquisa. e) O problema: refere-se ao objeto de estudo, à questão que se propõe a resolver. O problema deve estar delimitado em um universo no qual os sujeitos que serão investigados se encontram. f) As hipóteses: são as respostas prováveis para a questão. Estas proposições prováveis podem vir a tornar-se a solução do problema. As hipóteses devem apresentar-se na forma de hipótese básica e hipóteses secundárias em que se devem definir as variáveis. Também podem ser apresentadas em forma de questões norteadoras. g) Embasamento teórico: são os elementos que fundamentam teoricamente a pesquisa e, também a definição dos conceitos empregados. h) Metodologia: define quais serão os métodos empregados na pesquisa, bem como as técnicas. Observa-se que deve apresentar os métodos de abordagem e os de procedimento. i) Cronograma: expressa qual o tempo necessário para desenvolver a pesquisa, discrimina quanto tempo se destinará a cada etapa da pesquisa. j) Orçamento: especifica os recursos humanos, materiais e financeiros, indispensáveis à realização do projeto.

13 13 k) Bibliografia: corresponde às obras consultadas e que deverão servir de referência no processo de pesquisa: livros, artigos, publicações e documentos utilizados nas diferentes fases da pesquisa. l) Apêndice: elemento opcional, devendo ser identificado por letra maiúscula, travessão e pelos respectivos títulos. Em situações excepcionais as letras maiúsculas dobradas na identificação dele, mas só quando esgotadas as letras do alfabeto. m) Anexo: elemento opcional, devendo ser identificado por letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos títulos consecutivos, quando esgotadas as letras do alfabeto. Segundo França (2003, p. 66), os projetos obedecem à estrutura conforme seja de serviços ou de pesquisa. Os projetos obedecem a estrutura a seguir apresentada: a) Folha de rosto: nome da instituição, autor e/ ou dos membros da equipe técnica. b) Título e subtítulo: informa com poucas palavras o caráter e objetivo da pesquisa, ou seja, a síntese do conteúdo do projeto; entidade a qual se destina: indica a que órgão ou setor se destina. c) Finalidade: informa a finalidade do projeto, local e data. d) Sumário: contém a lista de todas as divisões e subdivisões do trabalho. e) Lista de figuras e tabelas: contém a indicação da localização de gráficos, gravuras, desenhos, quadros, fórmulas... f) Justificativa: apresentação das razões teóricas e/ou práticas que justifiquem a realização do trabalho, bem como os resultados que a pesquisa irá frutificar. g) Objetivo geral: relaciona-se diretamente ao que se propõe o conteúdo do projeto. h) Objetivos específicos: permitem que se atinja o objetivo geral, mas são propostos conforme cada etapa da pesquisa. i) O problema: trata-se da dificuldade com a qual se defrontará a pesquisa; deve ser formulado em forma de pergunta no qual segundo Lakatos e Marconi (2001, p. 104), relacionam-se entre si pelo menos duas variáveis cujo processo de verificação pode ser metódica e sistematicamente controlado ou empiricamente verificado em suas conseqüências.

14 14 j) Hipóteses: são as soluções possíveis para o problema de pesquisa, de acordo com Rudio (2003, p ), a hipótese deve ter as seguintes características: ser plausível, [...] indicar uma situação possível de ser admitida [...]; ter consistência no enunciado, não estar em contradição com a Teoria nem com o conhecimento científico mais amplo; deve-se especificar o enunciado; deve ser verificável pelos processos científicos atualmente empregados; ser claro; simples e os termos utilizados devem ser necessários à compreensão. k) Variáveis: conforme Lakatos e Marconi (2000, p. 175), pode ser considerada uma classificação ou medida, [...] é um conceito, um constructo operacional [...]. Conferem maior precisão aos enunciados científicos (FRANÇA, 2003, p. 68). l) Referencial teórico: constitui-se de elementos pertinentes à literatura relativa ao tema, os quais servirão de fundamentação para que a pesquisa seja executada; deve-se estabelecer necessariamente a relação entre o objeto de estudo e o que anuncia a literatura. m) Metodologia: constitui-se nos procedimentos pelos quais o pesquisador realizará a pesquisa; contém o delineamento da pesquisa, a caracterização do universo; plano de amostragem; indica a estratégia de coleta, análise, interpretação dos dados e apuração; anuncia as perspectivas de resultados. n) Cronograma: indica em quanto tempo será executada a pesquisa; deve-se mencionar detalhadamente as atividades a serem desenvolvidas em cada etapa da pesquisa. o) Orçamento: corresponde aos recursos materiais e humanos demandados pela pesquisa; devem ser especificados em quantidade e custos. p) Bibliografia: corresponde à listagem de todos os elementos consultados e que necessariamente serão utilizados para que a pesquisa venha a se concretizar. q) Apêndices e/ou anexos: constituem-se de documentos complementares que possam enriquecer ou ajudar deixar mais claros os dados do projeto r) Capa final: folha em branco.

15 15 Modelo de capa, folha de rosto, sumário e seqüência dos elementos que compõem um de projeto de pesquisa FACULDADE INDEPENDENTE DO NORDESTE CURSO: FACULDADE INDEPENDENTE DO NORDESTE CURSO: TÍTULO DO PROJETO NOME DO ALUNO TÍTULO DO PROJETO NOME DO ALUNO Projeto como requisito para a elaboração do Trabalho de Conclusão de Curso..., sob a orientação da Profª... VITÓRIA DA CONQUISTA 2007 VITÓRIA DA CONQUISTA 2007 SUMÁRIO JUSTIFICATIVA 3 PROBLEMA 4 OBJETIVOS 4 HIPÓTESES E VARIÁVEIS 5 FUNDAMENTACÃO TEÓRICA 6 METODOLOGIA 9 CRONOGRAMA 11 ORCAMENTO 12 APÊNDICES 13 ANEXOS 16 REFERÊNCIAS 18

16 16 5 RELATÓRIO TÉCNICO-CIENTÍFICO O relatório se faz essencial em toda atividade de pesquisa visto relatar todas as atividades de pesquisa em toda a sua extensão. Portanto, o pesquisador antes deve saber o quão é importante transmitir de modo adequado o resultado de suas investigações. Conforme a peculiaridade da atividade desenvolvida se desenvolve o relatório. Logo, cabe ao relator saber selecionar as informações que irá mencionar. 5.1 FASES DE UM RELATÓRIO Geralmente a elaboração de um relatório passa pelas fases a seguir mencionadas: a) Plano inicial - Determinação da natureza, preparação do relatório e do programa para seu desenvolvimento. b) Coleta e organização do material - Durante a execução e organização do trabalho, e feita a coleta e organização do material necessário. c) Redação - Desenvolvimento das etapas do relatório. Estrutura A estrutura dos relatórios constitui-se dos elementos a seguir mencionados: - Capa (opcional) - Folha de rosto (obrigatório) - Texto (corpo do relatório) - Referências (obrigatório) - Capa final (obrigatório) Capa: - Contém dados identificadores da publicação, devendo ser padrão para todos os relatórios da série. Itens da capa: - Cabeçalho: nome da instituição, curso, disciplina e professor (em caixa alta, na margem superior, com fonte 12, arial ou time new roman). - Título do relatório (em caixa alta).

17 17 - Nome do aluno (a dois espaços do título, em redondo) acompanhado do número de matrícula. - Notas tipográficas (local e ano), devem ser indicadas na parte inferior da página em caixa alta). Folha de rosto: - Cabeçalho (idem ao da capa). - Número do relatório: o relatório deve ser numerado em ordem seqüencial. O número seqüencial deverá ser anotado no lado direito a dois espaços do cabeçalho, seguido da abreviatura de número (Nº). - Nome do autor: fica a dois espaços do título, centralizado e em redondo, este deverá ser seguido do respectivo número de matrícula (em caixa alta). - Notas tipográficas: devem ser indicadas na margem inferior da folha, centralizado e consta do local e ano (em caixa alta). O texto - Constitui a parte principal do relatório, devendo apresentar: introdução, desenvolvimento (material e método), resultados e conclusão. A linguagem deve ser clara, concisa, formal e, as frases devem ser objetivas com terminologia própria do assunto. Consta o desenvolvimento do trabalho com indicação cronológica de cada etapa do trabalho. As ilustrações (reações químicas, por exemplo) constituem parte integrante do texto, desempenhando papel importante para sua clareza e compreensão. O texto do relatório deve compreender as partes a seguir descritas: a) Introdução: deverá se composta por dois parágrafos, em que o primeiro compreenderá o marco teórico, seguido de referência e o segundo descreverá os objetivos do relatório. b) Desenvolvimento (material e método): deverão constar todos os métodos e técnicas utilizados, ou seja, descreverá testes, experiências, observações, vantagens e desvantagens, todos os equipamentos utilizados deverão ser mencionados de modo a que possam as experiências e testes ser repetidas, ou seja, para que possam ser verificadas. Conforme a exigência do professor, o aluno poderá colocar vide roteiro prático da disciplina ou os métodos e as técnicas propriamente ditas. c) Resultados e conclusão: os resultados devem ser apresentados em forma de tabela. A tabela inclui:

18 18 Título: deverá ser claro e conciso, sem abreviações, em caixa alta e localizado acima dela. Deverão ser numeradas com números arábicos. A tabela é constituída de dois traços (retas perpendiculares) com sua delimitação na parte superior e inferior por traços horizontais separando os dados numéricos. Não deverá ser fechada lateralmente, tampouco se colocam traços separando os dados numéricos. Não deverá ser deixada nenhuma casa vazia no corpo da tabela, recomenda-se utilizar os seguintes símbolos de acordo com França (2003, p. 96): - : quando, pela natureza do fenômeno, o dado não existir; Z : quando o dado for rigorosamente zero;..: quando não se aplicar dado numérico;...: quando não se dispuser do dado; / ou -: quando os dados anteriores ao símbolo não forem comparáveis aos posteriores; 0; 0,0 ou 0,00: quando aplicação dos critérios de arredondamento não permitir alcançar respectivamente, os valores 1; 0,1; 0,01; e assim por diante; -0; -0,0 ou -0,00: quando o dado numérico for igual a zero resultante de arredondamento de um dado numérico originalmente negativo; X: quando o dado for omitido para evitar a individualização da informação. - Fonte: será situada no rodapé da tabela. Designará a origem dos dados que constam na tabela, indicará autor (alunos do curso) e data ( período de 20). - Discussão: parte mais importante do relatório. Deverá descrever a natureza e os resultados do trabalho. Será redigida de maneira completa, detalhadamente, a fim de facilitar a compreensão. No texto, a referência à tabela poderá ser feita pela abreviatura de tabela (TAB.) acompanhada do número de ordem na forma direta ou entre parênteses no final TAB. 2 ou (TAB. 2). - Conclusão: constituirá na finalização do relatório. Deverá ser baseada na evidência clara dos fatos observados, ou seja, deverá responder os objetivos do trabalho. Não deverão constar na conclusão dados quantitativos e resultados passíveis de discussão.

19 19 Ex.: TABELA 1 Relação: estrutura X peso (meninos de 13 anos) Peso x Fonte: DUARTE,1985, p.19 apud LESSA, 2003, p. 96 Estatura Y d) Figuras: quando se quer fazer referência a gráficos, gravuras, fotografias, mapas, esquemas, desenhos são designadas no texto ou relatório como figuras. - Devem ser indicadas pela abreviatura de figura (Fig.) podendo se apresentar no corpo da frase ou no final. - São numeradas conforme aparecem no texto. Devem apresentar numeração progressiva e os números devem ser arábicos. - Apresentam título breve, no entanto significativo. Deve ser escrito após o nome FIGURA seguido do número e separado por hífen do título. Nas ilustrações publicadas anteriormente, obrigatoriamente a fonte (autor, data, página) deverá ser mencionada abaixo da respectiva. Ex.: FIGURA 2 - Eletroforese em gel de poliacrilamida (ECPA)

20 ORIENTAÇÕES GERAIS - Formato O texto deve ser apresentado em papel branco A4, fonte arial ou time new roman, na cor preta, tamanho 12 para o texto tamanho 11 para legendas e tabelas. - Margem As folhas devem apresentar margem esquerda e superior de 3 cm; direita e inferior de 2 cm. - Espaço entre linhas O texto deverá ser digitado com espaço de 1,5 entre linhas. Na legenda e ilustração da tabelas e gráficos em espaço simples. - Equações e fórmulas Deverão ser destacadas no texto, de modo a facilitar sua leitura. Quando destacadas do parágrafo são centralizadas. Quando fragmentadas em mais de uma linha, por falta de espaço devem ser interrompidas depois dos sinais de adição, subtração, multiplicação e divisão. 5.3 RELATÓRIO DE PESQUISA Os relatórios consistem propriamente na parte final da pesquisa. É, portanto o resultado final da pesquisa em toda a sua dimensão. É mais do que o resultado dos dados coletados, pois tem um propósito: comunicar os resultados da pesquisa em toda a sua dimensão, apresentando fatos, dados, procedimentos utilizados, resultados obtidos, análise, chegando a certas conclusões e recomendações. Os relatórios aderem a um sistema, cujos elementos seguem uma estrutura básica. Lakatos e Marconi (1999, p. 223), propõem um esquema que obedece a seguinte ordem: a) Seção preliminar - Capa (nº de série, título, autor, entidade responsável, data) - Folha de rosto (título, autor, entidade responsável, data) - Agradecimento (opcional) - Prefácio (opcional) - Abstract/ resumo

21 21 - Relação das tabelas e dos gráficos (se existirem) - Sumário (só omitido em relatórios curtos) b) Corpo do relatório - Introdução: explicitação da pesquisa realizada, significação da pesquisa, objeto investigado, aspectos teóricos, definições operacionais utilizadas. - Revisão da bibliografia relacionada com os temas ou análise das pesquisas efetuadas. - Esquema de investigação: procedimentos empregados, fontes de dados, metodologia e utilização. - Apresentação, análise e interpretação dos dados.. - Resumo e conclusões: principais descobertas e conclusões, sugestões para pesquisas posteriores. - Recomendações. c) Seção de Referências - Anexo ou apêndice: tabelas e quadros, gráficos, figuras, material suplementar (questionários, glossários etc.). d) Bibliografia. 5.4 RELATÓRIO DE VISITA Os relatórios de visita devem ser relativamente menos extensos uma vez que na sua maioria tem como base as orientações da disciplina que podem se configurar num formulário de pesquisa. Este elemento de orientação também se converte no instrumento de coleta de dados observacionais no qual o pesquisador deve utilizá-lo da melhor forma possível. O relatório de visita deverá apresentar então a seguinte estrutura: - introdução na qual se menciona o local da visita (sua respectiva localização), propósito da atividade e a que disciplina pertence; - objetivos da atividade de pesquisa (devem estar relacionados com cada etapa da atividade); - descrição do processo de coleta e análise dos dados, bem como os resultados a que se pretende alcançar;

22 22 - conclusão (interpretação dos dados coletados e comentários finais). - Quanto à estrutura gráfica de ser apresentado com o seguinte formato: - Capa (elemento dispensável); - Folha de rosto; - Folha de avaliação; - Sumário (se o conteúdo do relatório ultrapassar as doze páginas); - Corpo do trabalho (introdução, desenvolvimento e conclusão); - Bibliografia; - Anexos (informações oriundas de dados documentais: documentos, fichas, prontuários, estatutos...) e apêndices (informações elaboradas pelo próprio pesquisador: roteiros de entrevistas, questionários, gráficos, tabelas...); - Capa final. A seguir, as figuras indicativas dos modelos de capa e folha de rosto de relatórios técnico-científicos e de visita respectivamente, bem como a sugestão de modelo de ficha de avaliação para relatórios. Modelo de capa, folha de rosto e ficha de avaliação. Modelo de capa Modelo de folha de rosto FACULDADE INDEPENDENTE DO NORDESTE CURSO: FACULDADE INDEPENDENTE DO NORDESTE CURSO: RELATÓRIO DE NOME DO ALUNO RELATÓRIO DE NOME DO ALUNO Trabalho como requisito para obtenção de nota parcial. VITÓRIA DA CONQUISTA 2007 VITÓRIA DA CONQUISTA 2007

- TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto de 2008)

- TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto de 2008) Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre Curso de Sistemas de Informação Trabalho de Conclusão de Curso Prof. Dr. Luís Fernando Garcia - TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto

Leia mais

REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO

REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO 1 REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO Os seguintes padrões atendem às exigências da FTC Feira de Santana, em conformidade com a NBR 14724:2002/2005 da Associação Brasileira de Normas Técnicas

Leia mais

MONOGRAFIA ESTRUTURA DE MONOGRAFIAS

MONOGRAFIA ESTRUTURA DE MONOGRAFIAS MONOGRAFIA Trata-se de uma construção intelectual do aluno-autor que revela sua leitura, reflexão e interpretação sobre o tema da realidade. Tem como base a escolha de uma unidade ou elemento social, sob

Leia mais

Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011. São Carlos

Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011. São Carlos Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011 São Carlos Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico As orientações abaixo estão de acordo com NBR 14724/2011 da Associação

Leia mais

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS ARACAJU 2012 2 PREFÁCIO A apresentação dos trabalhos acadêmicos

Leia mais

Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos

Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos Padrão FEAD de normalização Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos Objetivo Visando padronizar os trabalhos científicos elaborados por alunos de nossa instituição Elaboramos este manual

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA ANEXO da Norma 004/2008 CCQ Rev 1, 28/09/2009 UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE QUÍMICA CURSO DE GRADUAÇÃO EM QUÍMICA Salvador 2009 2 1 Objetivo Estabelecer parâmetros para a apresentação gráfica

Leia mais

Curso de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda NORMAS PARA ELABORAÇÃO / APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

Curso de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda NORMAS PARA ELABORAÇÃO / APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS Curso de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda NORMAS PARA ELABORAÇÃO / APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 1 ESTRUTURA A estrutura e a disposição dos elementos de um trabalho acadêmico são as

Leia mais

CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA

CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA 1 Prezado(a) aluno(a), Este roteiro foi preparado para auxiliá-lo na elaboração de sua monografia (TCC). Ele o apoiará na estruturação das etapas do seu trabalho de maneira

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE INGRESSO E VITALICIAMENTO DOS NOVOS MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE INGRESSO E VITALICIAMENTO DOS NOVOS MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ GESTÃO2010/2012 ESCOLASUPERIORDOMINISTÉRIOPÚBLICO(Art.1ºdaLei11.592/89) Credenciada pelo Parecer 559/2008, de 10/12/08, do CEC (Art. 10, IV da Lei Federal n.º 9.394, de 26/12/1996 - LDB) NORMAS PARA ELABORAÇÃO

Leia mais

Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura

Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura Iniciação à Pesquisa em Informática Profª MSc. Thelma E. C. Lopes e-mail: thelma@din.uem.br 2 Texto Científico: o que é? A elaboração do texto científico

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 1 ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 1 APRESENTAÇÃO Tanto o artigo quanto a monografia são trabalhos monográficos, ou seja, trabalhos que apresentam resultados de pesquisa sobre um

Leia mais

ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA

ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA A elaboração da monografia deve ter como referência a ABNT NBR 14724/ 2006, a qual destaca que um trabalho acadêmico compreende elementos pré-textuais,

Leia mais

5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5.

5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5. 5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5.2 Capa... 48 5.3 Folha de rosto... 51 5.4 Errata... 53

Leia mais

NBR 14724/2011 ABNT NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 19/10/2011. Objetivo

NBR 14724/2011 ABNT NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 19/10/2011. Objetivo Objetivo ABNT Normas para elaboração de trabalhos científicos Esta Norma especifica os princípios gerais para a elaboração de trabalhos acadêmicos, visando sua apresentação à instituição Estrutura Parte

Leia mais

NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL) Apresentação Gráfica

NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL) Apresentação Gráfica UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Faculdade de Educação UAB/UnB Curso de Especialização em Educação na Diversidade e Cidadania, com Ênfase em EJA Parceria MEC/SECAD NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL)

Leia mais

METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO MATERIAL DIDÁTICO DA ABNT

METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO MATERIAL DIDÁTICO DA ABNT METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO MATERIAL DIDÁTICO DA ABNT www.abnt.org.br Objetivos da normalização Comunicação Simplificação Níveis de normalização Menos exigente (Genérica) INTERNACIONAL REGIONAL

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III

UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III Projeto Integrado Multidisciplinar Cursos Superiores Tecnológicos G. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Trabalho

Leia mais

INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS PONTA GROSSA 2011 LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

Leia mais

2- DETALHES SOBRE A ESTRUTURA DO RELATÓRIO A seguir estão orientações sobre como formatar as diversas partes que compõem o relatório.

2- DETALHES SOBRE A ESTRUTURA DO RELATÓRIO A seguir estão orientações sobre como formatar as diversas partes que compõem o relatório. 1 - ESTRUTURA DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO O relatório do Estágio Supervisionado de todos os cursos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Minas Gerais Campus Formiga - irá mostrar

Leia mais

NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT TRABALHOS ACADÊMICOS:

NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT TRABALHOS ACADÊMICOS: MANUAL PARA TCC www.etecmonteaprazivel.com.br Estrada do Bacuri s/n Caixa Postal 145 Monte Aprazível SP CEP 15150-000 Tel.: (17) 3275.1522 Fax: (17) 3275.1841 NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO 1 Modelo de Artigo de periódico baseado na NBR 6022, 2003. Título do artigo, centralizado. COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Maria Bernardete Martins Alves * Susana Margaret de Arruda ** Nome do (s) autor

Leia mais

Normas para Apresentação de Monografias

Normas para Apresentação de Monografias UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE DEPARTAMENTO DE SISTEMAS E COMPUTAÇÃO COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Normas para Apresentação de Monografias Campina Grande, dezembro 2010

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 002/2009/PEQ-UFS ANEXO I NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 002/2009/PEQ-UFS ANEXO I NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA N 002/2009/PEQ-UFS ANEXO I NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO 1. INTRODUÇÃO A Dissertação é a apresentação escrita do trabalho de pesquisa desenvolvido no âmbito do Programa de

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA Normas para elaboração de Dissertações do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais MODELO

Leia mais

BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS. NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS: TRABALHOS ACADÊMICOS Aula 1

BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS. NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS: TRABALHOS ACADÊMICOS Aula 1 BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS: TRABALHOS ACADÊMICOS Aula 1 Paula Carina de Araújo paulacarina@ufpr.br 2014 Pesquisa Pesquisa Atividade básica da ciência

Leia mais

Os trabalhos acadêmicos devem ser divididos em: elementos pré-textuais, textuais e

Os trabalhos acadêmicos devem ser divididos em: elementos pré-textuais, textuais e NORMAS PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA O projeto gráfico é de responsabilidade do autor

Leia mais

MANUAL DE NORMATIZAÇÃO PARA ARTIGOS CIENTÍFICOS

MANUAL DE NORMATIZAÇÃO PARA ARTIGOS CIENTÍFICOS CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DOS CAMPOS GERAIS - CESCAGE FACULDADES INTEGRADAS DOS CAMPOS GERAIS COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO MANUAL DE NORMATIZAÇÃO PARA ARTIGOS CIENTÍFICOS PONTA GROSSA 2010 2 SUMÁRIO 1

Leia mais

universia.com.br/materia/img/tutoriais/ /01.jsp 1/1

universia.com.br/materia/img/tutoriais/ /01.jsp 1/1 5/12/2008 Monografias - Apresentação Fazer um trabalho acadêmico exige muito de qualquer pesquisador ou estudante. Além de todo esforço em torno do tema do trabalho, é fundamental ainda, adequá-lo às normas

Leia mais

DISCIPLINA: PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II E III CIÊNCIAS CONTÁBEIS ACADÊMICOS

DISCIPLINA: PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II E III CIÊNCIAS CONTÁBEIS ACADÊMICOS DISCIPLINA: PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II E III CIÊNCIAS CONTÁBEIS APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS PROF. DR. MARCOS FRANCISCO R. SOUSA PROF. Me. CELSO LUCAS COTRIM APRESENTAÇÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ - UESC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BOTÂNICA - PPGBOT. ANEXO 1 Normas de editoração e estruturação de dissertações

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ - UESC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BOTÂNICA - PPGBOT. ANEXO 1 Normas de editoração e estruturação de dissertações UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ - UESC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BOTÂNICA - PPGBOT ANEXO 1 Normas de editoração e estruturação de dissertações 1ª edição Ilhéus BA 2012 SUMÁRIO SUMÁRIO... 2 APRESENTAÇÃO...

Leia mais

SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA

SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA São Paulo 2014 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 1 ELEMENTOS EXTERNOS 1.1 CAPA 1.2 LOMBADA 2 ELEMENTOS INTERNOS PRÉ-TEXTUAIS

Leia mais

FACULDADE ÚNICA DE CONTAGEM CLAUDIANE SANTANA MANUAL DE NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS CIENTÍFICOS

FACULDADE ÚNICA DE CONTAGEM CLAUDIANE SANTANA MANUAL DE NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS CIENTÍFICOS FACULDADE ÚNICA DE CONTAGEM CLAUDIANE SANTANA MANUAL DE NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS CIENTÍFICOS Baseado nas obras de Júnia Lessa França e Ana Cristina de Vasconcellos; Rosy Mara Oliveira. Atualizado

Leia mais

4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO

4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO Este capítulo visa a orientar a elaboração de artigos científicos para os cursos de graduação e de pós-graduação da FSG. Conforme a NBR 6022 (2003, p. 2),

Leia mais

OBRIGATÓRIO= + OPCIONAL= *

OBRIGATÓRIO= + OPCIONAL= * Lombada* UFRGS FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS BIBLIOTECA GLÁDIS W. DO AMARAL ORIENTAÇÃO SOBRE A ESTRUTURA DO TRABALHO ACADÊMICO Elementos póstextuais INDICES * PARTE INTERNA ANEXOS * APENDICES * GLOSSARIO

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE DISSERTAÇÃO (FORMATO

Leia mais

Apresentação e formatação de artigo em publicação periódica científica:

Apresentação e formatação de artigo em publicação periódica científica: Apresentação e formatação de artigo em publicação periódica científica: Conforme NBR 6022:2003 Seção de atendimento ao usuário - SISBI Outubro 2013 Normas técnicas Norma técnica é um documento estabelecido

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGO EM PUBLICAÇÃO PERIÓDICA CIENTÍFICA (NBR 6022:2003)

PROCEDIMENTOS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGO EM PUBLICAÇÃO PERIÓDICA CIENTÍFICA (NBR 6022:2003) PROCEDIMENTOS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGO EM PUBLICAÇÃO PERIÓDICA CIENTÍFICA (NBR 6022:2003) Maio de 2012. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Biblioteca Universitária. Programa de capacitação. 2 NORMAS

Leia mais

Manual TCC Administração

Manual TCC Administração 1 Manual TCC Administração 2013 2 Faculdade Marista Diretor Geral Ir. Ailton dos Santos Arruda Diretora Administrativo-Financeiro Sra. Rafaella Nóbrega Coordenador do Curso de Administração e Gestão de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC. Título

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC. Título UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC CENTRO DE CIÊNCIAS NATURAIS E HUMANAS Programa de Pós-Graduação em Biotecnociência Título Santo André dd/mm/aaaa Normas para Dissertações Mestrado em Biotecnociência - UFABC.

Leia mais

PROJETO MULDISCIPLINAR DO CURSO DE BACHAREL EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIESP FACULDADE DO GUARUJÁ. Prof. Marat Guedes Barreiros

PROJETO MULDISCIPLINAR DO CURSO DE BACHAREL EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIESP FACULDADE DO GUARUJÁ. Prof. Marat Guedes Barreiros PROJETO MULDISCIPLINAR DO CURSO DE BACHAREL EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIESP FACULDADE DO GUARUJÁ Prof. Marat Guedes Barreiros GUARUJÁ 2º semestre de 2013 PROJETO MULDISCIPLINAR Curso superior de BACHAREL em

Leia mais

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA MANUAL DE NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS DE CONCLUSÃO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA FORMOSA/GO

Leia mais

NORMAS DA ABNT PARA TRABALHOS ACADÊMICOS

NORMAS DA ABNT PARA TRABALHOS ACADÊMICOS NORMAS DA ABNT PARA TRABALHOS ACADÊMICOS O texto a seguir tratará das seguintes normalizações: A. NBR 14724:2001 Informação e documentação - Trabalhos acadêmicos - Apresentação Informações pré-textuais

Leia mais

Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos

Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos Maria Bernardete Martins Alves Marili I. Lopes Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos Módulo 3 Apresentação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA Regulamento do TCC

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA Regulamento do TCC ANEXO A TERMO DE COMPROMISSO DE ORIENTAÇÃO DO TRABALHO DE Nome do Aluno: Matricula: Título do TCC CONCLUSAO DE CURSO (TCC) Solicito que seja designado como meu Orientador do Trabalho de Conclusão de Curso

Leia mais

(Publicações da Biblioteca; 4) ORGANIZAÇÃO. Weber Vasconcellos Gomes Maria Consuelene Marques Maurinete dos Santos

(Publicações da Biblioteca; 4) ORGANIZAÇÃO. Weber Vasconcellos Gomes Maria Consuelene Marques Maurinete dos Santos (Publicações da Biblioteca; 4) ORGANIZAÇÃO Weber Vasconcellos Gomes Maria Consuelene Marques Maurinete dos Santos Revisto e atualizado de acordo com a NBR 15287/2011 Brasília 2011 1 APRESENTAÇÃO De acordo

Leia mais

Escola de Administração Biblioteca. Normas para elaboração do TCC

Escola de Administração Biblioteca. Normas para elaboração do TCC Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Administração Biblioteca Normas para elaboração do TCC O que é um Trabalho de Conclusão de Curso? O TCC, é um trabalho acadêmico feito sob a coordenação

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Modelo de Artigo de periódico baseado na NBR 6022, 2003. Título do artigo, centralizado. COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Maria Bernardete Martins Alves * Susana Margaret de Arruda ** Nome do (s) autor

Leia mais

MODELO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO DO CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL - RELATÓRIO DE ESTÁGIO

MODELO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO DO CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL - RELATÓRIO DE ESTÁGIO MODELO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO DO CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL Estrutura formal do relatório Estrutura Elemento Capa Folha de Rosto Pré-textuais Folha de Identificação Sumário 1. Introdução Textuais 2. Atividades

Leia mais

Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT

Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT Editoração do Trabalho Acadêmico 1 Formato 1.1. Os trabalhos devem ser digitados em papel A-4 (210 X297 mm) apenas no anverso (frente) da folha. 2 Tipo e tamanho

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DO TCC ARUJÁ SP

CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DO TCC ARUJÁ SP CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DO TCC ARUJÁ SP 2011 ESTRUTURA 1 ELEMENTOS DE PRÉ-TEXTO 1.1 Capa 1.2 Lombada descendente 1.3 Folha de rosto 1.4 Folha de aprovação 1.5 Dedicatória 1.6 Agradecimentos 1.7 Epígrafe

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PIRENÓPOLIS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PIRENÓPOLIS 0 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PIRENÓPOLIS MANUAL PARA FORMATAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS DA UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PIRENÓPOLIS PIRENÓPOLIS 2012 1 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 1

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS 2013

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS 2013 NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS 2013 Jaciara-MT COMPOSIÇÃO DA MONOGRAFIA MONOGRAFIA Recebe nº página CAPA FOLHA DE ROSTO FOLHA DE APROVAÇÃO DEDICATÓRIA (OPCIONAL) AGRADECIMENTO (OPCIONAL) EPIGRAFE

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DE POUSO ALEGRE MANUAL DE RELATÓRIO CIENTÍFICO (MRC) (GRADUAÇÃO)

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DE POUSO ALEGRE MANUAL DE RELATÓRIO CIENTÍFICO (MRC) (GRADUAÇÃO) INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DE POUSO ALEGRE MANUAL DE RELATÓRIO CIENTÍFICO (MRC) (GRADUAÇÃO) O RELATÓRIO CIENTÍFICO 1. CONCEITO DE RELATÓRIO Exposição escrita na qual se descrevem fatos verificados

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA (ABNT - NBR 15287- válida a partir de 30.01.2006) 1 COMPONENTES DE UM PROJETO DE PESQUISA (itens em negrito são obrigatórios) ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS Capa

Leia mais

PIM I. Projeto Integrado Multidisciplinar

PIM I. Projeto Integrado Multidisciplinar PIM I Projeto Integrado Multidisciplinar PIM I - PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Descrição e Análise de Práticas de Gestão Organizacional em uma Empresa. OBJETIVOS: Favorecer aos alunos ingressantes

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1)

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) 1 COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) SOBRENOME, Nome Aluno 1 Graduando em Administração de Empresas Decision/FGV SOBRENOME, Nome Aluno 2 Graduando em Administração de Empresas Decision/FGV RESUMO Este

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO 1 Modelo de Artigo de periódico baseado na NBR 6022, 2003. Título do artigo, centralizado. COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Andersown Becher Paes de Barros * Ideraldo Bonafé ** RESUMO Este trabalho apresenta

Leia mais

Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010

Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010 1 Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010 Pré-textuais Textuais Pós-textuais Estrutura Elemento OK Capa (obrigatório) Anexo A (2.1.1) Lombada (obrigatório) Anexo H Folha

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS DO CET/UnB

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS DO CET/UnB UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Centro de Excelência em Turismo MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS DO CET/UnB Por: Jakeline V. de Pádua APRESENTAÇÃO As páginas que se seguem especificam os princípios gerais

Leia mais

Manual de Trabalho de Conclusão de Curso

Manual de Trabalho de Conclusão de Curso CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Manual de Trabalho de Conclusão de Curso Curso de Engenharia de Produção NATAL RN 2010 Apresentação O curso de Engenharia de Produção institui

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP. FACULDADE (do aluno) CURSO. TÍTULO DO PROJETO Subtítulo do Projeto AUTOR DO PROJETO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP. FACULDADE (do aluno) CURSO. TÍTULO DO PROJETO Subtítulo do Projeto AUTOR DO PROJETO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP FACULDADE (do aluno) CURSO TÍTULO DO PROJETO Subtítulo do Projeto AUTOR DO PROJETO TÍTULO DO RELATÓRIO AUTOR(ES) DO RELATÓRIO SÃO PAULO 200_ NOTA PRÉVIA

Leia mais

MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISAS (PADRÃO UDF)

MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISAS (PADRÃO UDF) (Publicações da Biblioteca; 4) ORGANIZAÇÃO Weber Vasconcellos Gomes Maria Consuelene Marques Maurinete dos Santos MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISAS (PADRÃO UDF) 3ª edição Revisto e atualizado

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado MANUAL DE DEFESA Exame de Qualificação: banca examinadora

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE Comissão Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em

Leia mais

NORMAS PARA A APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS (ABNT/NBR-14724, AGOSTO 2002)

NORMAS PARA A APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS (ABNT/NBR-14724, AGOSTO 2002) NORMAS PARA A APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS (ABNT/NBR-14724, AGOSTO 2002) DIRETOR: Profº. Daniel Jorge dos Santos Branco Borges COORDENADORA PEDAGÓGICA: Profª. Paloma Martinez Veiga Branco COORDENADORA

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS APRESENTAÇÃO O trabalho deve ser digitado e impresso em papel formato A4. O texto deve ser digitado, no anverso das folhas, em espaço 1,5, letra do tipo

Leia mais

1 Objetivo Esta Norma estabelece um sistema para a apresentação dos elementos que constituem o artigo em publicação periódica científica impressa.

1 Objetivo Esta Norma estabelece um sistema para a apresentação dos elementos que constituem o artigo em publicação periódica científica impressa. MAIO 2003 NBR 6022 ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas Informação e documentação - Artigo em publicação periódica científica impressa - Apresentação Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio,

Leia mais

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS. FAIBI Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ibitinga

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS. FAIBI Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ibitinga DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS FAIBI Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ibitinga Ibitinga/ SP 2010 SUMÁRIO 1 OBJETIVO... 3 2 REGRAS GERAIS... 3 2.1 DAS FINALIDADES... 3 2.2

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO CAMPINA GRANDE 2015 1 DISSERTAÇÃO A defesa pública da dissertação

Leia mais

REGRAS BÁSICAS PARA APRESENTAÇÃO FORMAL DE TRABALHOS

REGRAS BÁSICAS PARA APRESENTAÇÃO FORMAL DE TRABALHOS F A C UL DA DE DE P R E S I DE N T E V E N C E S L A U REGRAS BÁSICAS PARA APRESENTAÇÃO FORMAL DE TRABALHOS APRESENTAÇÃO GRÁFICA - CONFIGURAÇÃO DAS MARGENS Ir ao menu Arquivo, escolher a opção Configurar

Leia mais

ROTEIRO PARA CRIAÇÃO DE UM ARTIGO CIENTÍFICO

ROTEIRO PARA CRIAÇÃO DE UM ARTIGO CIENTÍFICO ROTEIRO PARA CRIAÇÃO DE UM ARTIGO CIENTÍFICO Finalidade de um Artigo Científico Comunicar os resultados de pesquisas, idéias e debates de uma maneira clara, concisa e fidedigna. Servir de medida da produtividade

Leia mais

DIRETRIZES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA TCC2

DIRETRIZES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA TCC2 UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS COORDENAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA COORDENAÇÃO ADJUNTA DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DIRETRIZES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO

Leia mais

Informação e documentação Trabalhos acadêmicos Apresentação

Informação e documentação Trabalhos acadêmicos Apresentação AGO 2002 NBR 14724 ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas Informação e documentação Trabalhos acadêmicos Apresentação Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 2º andar CEP 20003-900 Caixa Postal

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) HOW TO ELABORATE A SCIENTIFIC ARTICLE

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) HOW TO ELABORATE A SCIENTIFIC ARTICLE 1 COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) HOW TO ELABORATE A SCIENTIFIC ARTICLE SOBRENOME, Nome Aluno 1 Graduando em Educação Artística Unifadra / Dracena SOBRENOME, Nome Aluno 2 Graduando em Educação Artística

Leia mais

ABNT NBR 15287 NORMA BRASILEIRA. Informação e documentação Projeto de pesquisa Apresentação

ABNT NBR 15287 NORMA BRASILEIRA. Informação e documentação Projeto de pesquisa Apresentação NORMA BRASILEIRA ABNT NBR 15287 Primeira edição 30.12.2005 Válida a partir de 30.01.2006 Informação e documentação Projeto de pesquisa Apresentação Information and documentation Research project Presentation

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA FORMATAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE

INSTRUÇÕES PARA FORMATAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE 1 INSTRUÇÕES PARA FORMATAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE INSTRUÇÕES GERAIS: papel branco A4, fonte Arial tamanho 12, com espaçamento de 1,5 cm entre as linhas,

Leia mais

NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA APRESENTADA NO FINAL DO CURSO

NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA APRESENTADA NO FINAL DO CURSO U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D E O U R O P R E T O - U F O P ESCOLA DE MINAS EM C O L E G I A D O C U R S O E N G E N H A R I A D E C O N T R O L E E A U T O M A Ç Ã O ( C E C A U ) NORMAS PARA

Leia mais

FACULDADE DOM BOSCO. Credenciada através da Portaria nº 2.387, D.O.U. em 12/08/2004 Cornélio Procópio/Paraná MANUAL DE TRABALHO DE CURSO

FACULDADE DOM BOSCO. Credenciada através da Portaria nº 2.387, D.O.U. em 12/08/2004 Cornélio Procópio/Paraná MANUAL DE TRABALHO DE CURSO FACULDADE DOM BOSCO Credenciada através da Portaria nº 2.387, D.O.U. em 12/08/2004 Cornélio Procópio/Paraná MANUAL DE TRABALHO DE CURSO CORNÉLIO PROCÓPIO 2012 Como elaborar um TC 1 Introdução Objetiva-se

Leia mais

O título e subtítulo (quando houver) devem ser separados por dois pontos (:).

O título e subtítulo (quando houver) devem ser separados por dois pontos (:). VIII Jornada Ibmec de Iniciação Científica - 2013 Normas para submissão dos artigos Os autores devem ser cuidadosos com a apresentação técnica, com a sintaxe e a ortografia de seu texto, sob pena de recusa

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS APLICADAS BIBLIOTECA PROF. DR. ALFONSO TRUJILLO FERRARI

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS APLICADAS BIBLIOTECA PROF. DR. ALFONSO TRUJILLO FERRARI INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS APLICADAS BIBLIOTECA PROF. DR. ALFONSO TRUJILLO FERRARI GUIA PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS: diretrizes para normalização Rosemeire Zambini Bibliotecária CRB5018

Leia mais

NORMAS PARA REDAÇÃO E IMPRESSÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL

NORMAS PARA REDAÇÃO E IMPRESSÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL NORMAS PARA REDAÇÃO E IMPRESSÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL AQUIDAUANA MS 2009 1. PAPEL E PROCESSO DE MULTIPLICAÇÃO O papel

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte Faculdade de Educação ORIENTAÇÕES GERAIS PARA NORMALIZAÇÃO DA MONOGRAFIA

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte Faculdade de Educação ORIENTAÇÕES GERAIS PARA NORMALIZAÇÃO DA MONOGRAFIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte Faculdade de Educação ORIENTAÇÕES GERAIS PARA NORMALIZAÇÃO DA MONOGRAFIA 2014 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DO MARANHÃO - FACEMA

FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DO MARANHÃO - FACEMA FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DO MARANHÃO - FACEMA MANUAL DE NORMALIZAÇÃO PARA TRABALHOS ACADÊMICOS Caxias MA 2012 1. INTRODUÇÃO Conforme regulamento do núcleo de trabalho de conclusão de curso da

Leia mais

GESTÃO HOSPITALAR. PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar

GESTÃO HOSPITALAR. PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar GESTÃO HOSPITALAR PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar 1 PIM PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Elaborar um estudo acerca Estrutura e Funcionamento do Sistema de Saúde Pública e Privada no Brasil.

Leia mais

Estrutura, redação e apresentação do relatório de pesquisa 7

Estrutura, redação e apresentação do relatório de pesquisa 7 UNIDADE 7 Estrutura, redação e apresentação do relatório de pesquisa 7 Objetivos de aprendizagem Identificar os componentes que integram os elementos pré-textuais, textuais e pós-textuais de um relatório

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá. Pró-Reitoria de Pós-Graduação Curso de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá. Pró-Reitoria de Pós-Graduação Curso de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pós-Graduação Curso de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA Segundo a NBR 15287:2011

Leia mais

O que você deverá saber. Ao final do estudo do Tópico 2 você deverá:

O que você deverá saber. Ao final do estudo do Tópico 2 você deverá: Tópico 2 Trabalhos acadêmicos: monografias, dissertações, teses e memoriais n. O que você deverá saber Ao final do estudo do Tópico 2 você deverá: - saber identificar cada tipo de trabalho acadêmico, bem

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS: de acordo com as normas da ABNT

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS: de acordo com as normas da ABNT ESCOLA E FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI ANTÔNIO ADOLPHO LOBBE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS: de acordo com as normas da ABNT SÃO CARLOS 2010 MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS:

Leia mais

Normas para Redação da Dissertação/Tese

Normas para Redação da Dissertação/Tese Normas para Redação da Dissertação/Tese Estrutura A estrutura de uma dissertação, tese ou monografia compreende três partes fundamentais, de acordo com a ABNT (NBR 14724): elementos prétextuais, elementos

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA (UESB) DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS (DCE) CURSO DE MATÉMATICA VANÊIDE ROCHA DIAS RIBEIRO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA (UESB) DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS (DCE) CURSO DE MATÉMATICA VANÊIDE ROCHA DIAS RIBEIRO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA (UESB) DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS (DCE) CURSO DE MATÉMATICA VANÊIDE ROCHA DIAS RIBEIRO FORMATAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS (FTA) VITÓRIA DA CONQUISTA BA 2009

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE AGUDOS - FAAG BIBLIOTECA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS PARA O PERIÓDICO. REVISTA DiCA!

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE AGUDOS - FAAG BIBLIOTECA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS PARA O PERIÓDICO. REVISTA DiCA! CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE AGUDOS - FAAG BIBLIOTECA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS PARA O PERIÓDICO REVISTA DiCA! Biblioteca - FAAG Tel. (14) 3262-9400 Ramal: 417 Email: biblioteca@faag.com.br http://www.faag.com.br/faculdade/biblioteca.php

Leia mais

Pré-texto. Texto. Pós-texto. Estrutura do Trabalho Final de Curso. A estrutura do Trabalho Final de Curso compreende: pré-texto, texto e pós-texto.

Pré-texto. Texto. Pós-texto. Estrutura do Trabalho Final de Curso. A estrutura do Trabalho Final de Curso compreende: pré-texto, texto e pós-texto. Estrutura do Trabalho Final de Curso A estrutura do Trabalho Final de Curso compreende: pré-texto, texto e pós-texto. Pré-texto Capa Folha de Rosto Dedicatória Agradecimentos Epígrafe Resumo Sumário Texto

Leia mais

SEMINÁRIO . ORGANIZAÇÃO DO SEMINÁRIO.

SEMINÁRIO . ORGANIZAÇÃO DO SEMINÁRIO. SEMINÁRIO Seminário é um grupo de pessoas que se reúnem com o propósito de estudar um tema sob a direção de um professor ou autoridade na matéria. O nome desta técnica vem da palavra semente, indicando

Leia mais

MANUAL DE NORMAS EVATA:

MANUAL DE NORMAS EVATA: CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU E MBA MANUAL DE NORMAS EVATA: MONOGRAFIAS, ARTIGOS, TRABALHOS ACADÊMICOS E PUBLICAÇÕES Com 8 anos de experiência, a EVATA oferece cursos aprovados pelo MEC e o melhor

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS DA UNEB MODALIDADE: MONOGRAFIA

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS DA UNEB MODALIDADE: MONOGRAFIA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS DA UNEB MODALIDADE: MONOGRAFIA 1 APRESENTAÇÃO A UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB, através do componente curricular Trabalho de Conclusão de Curso, apresenta

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1,5 espacejamento entre as linhas CURSO xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx 2 espaços 1,5 Fonte 14 Nome do Estagiário Fonte 14 RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Fonte 16 COLOCADO NO CENTRO DA FOLHA BAMBUÍ ANO Fonte

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1,5 espaçamento entre as linhas CURSO xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx Nome do Estagiário 2 espaços 1,5 Fonte 14 Fonte 14 RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Fonte 16 COLOCADO NO CENTRO DA FOLHA LOCAL ANO Fonte

Leia mais

AJES FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÀO DO VALE DO JURUENA E AJES - INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO VALE DO JURUENA

AJES FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÀO DO VALE DO JURUENA E AJES - INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO VALE DO JURUENA AJES FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÀO DO VALE DO JURUENA E AJES - INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO VALE DO JURUENA NORMAS DE APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS JUINA/MT JULHO/2009 SUMÁRIO Introdução...

Leia mais

GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA - UFSJ

GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA - UFSJ UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI UFSJ CAMPUS CENTRO-OESTE DONA LINDU CCO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA

Leia mais