FACULDADE IBGEN INSTITUTO BRASILEIRO DE GESTÃO DE NEGÓCIOS MANUAL PARA REALIZAÇÃO DE PROJETO DE TCC E DE TCC

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FACULDADE IBGEN INSTITUTO BRASILEIRO DE GESTÃO DE NEGÓCIOS MANUAL PARA REALIZAÇÃO DE PROJETO DE TCC E DE TCC"

Transcrição

1 1 FACULDADE IBGEN INSTITUTO BRASILEIRO DE GESTÃO DE NEGÓCIOS MANUAL PARA REALIZAÇÃO DE PROJETO DE TCC E DE TCC Este Manual para realização de Projeto de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) e de TCC possui caráter informativo e normativo. Tem por objetivo informar e orientar sobre os procedimentos e as condutas que envolvem o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), da graduação, em cursos de bacharelado e tecnólogo, na Faculdade IBGEN. O TCC é desenvolvido em três semestres, nas disciplinas Projeto Organizacional I (POI), Projeto Organizacional II (POII) e Projeto Organizacional III (POIII). O formato adotado pela Faculdade IBGEN, para a entrega do TCC, é o Artigo Científico. O presente Manual traz informações sobre as disciplinas de Projeto Organizacional I (POI), Projeto Organizacional II (POII) e Projeto Organizacional III (POIII). Também apresenta os moldes para a formatação e o conteúdo do Projeto de TCC e para o Artigo Científico (TCC), além de instruções sobre os sistemas de orientação, acompanhamento, supervisão e de avaliação, tanto por parte do orientador como das bancas avaliativas, que ocorrem em POII e POIII. DAS DISCIPLINAS DE PROJETO ORGANIZACIONAL I, II, III, O TCC é desenvolvido em três disciplinas, consecutivas, para que o discente tenha condições de construir uma linha de raciocínio, que tem como chegada a Banca de Defesa Final, em POIII. Cabe ressaltar que, nas disciplinas de POI e POII, é construída proposta de Projeto de TCC, de acordo com modelo definido pela Faculdade. Somente em POIII, o conteúdo toma a forma de um artigo científico, conforme as regras de formatação e de conteúdo estipuladas pelo IBGEN. O uso dos modelos indicados pela Faculdade IBGEN é obrigatório. Na disciplina de POI, que possui carga horária de 36h a, ministrada no primeiro trimestre do semestre letivo, o aluno ambienta-se com o conceito de produção do

2 2 conhecimento científico. Ao longo da disciplina, ele definirá seu tema de pesquisa; a delimitação do tema; o problema de pesquisa; os objetivos geral e específicos; e, a justificativa da pesquisa, tendo contato com o modelo de Projeto de TCC. Ao final de POI, as primeiras definições do trabalho serão entregues ao professor, o qual fará a avaliação dos itens referentes ao que foi desenvolvido na disciplina. Este documento deve ser repassado ao professor de POII no primeiro dia de aula. Em POII, que possui carga horária de 36h a, ministrada no segundo trimestre do semestre letivo, o desafio do aluno é finalizar o Projeto de TCC. Ele deve construir o referencial teórico que dará sustentação ao TCC, indicar o procedimento metodológico a ser seguido no trabalho, construir o modelo do instrumento de coleta de dados, e preparar-se para a Banca de Qualificação. Nesta disciplina, ao final do semestre, o Projeto de TCC do aluno será avaliado por uma Banca de Qualificação. O objetivo é que os professores avaliadores ofereçam ao aluno ideias que possam contribuir com o TCC, no que se refere ao corpo teórico e ao procedimento metodológico, visto que o discente, ainda, não terá ido a campo para coleta de dados. Na Banca, o aluno irá apresentar, apenas, o modelo de coleta de dados, não tendo realizado, ainda, a coleta definitiva. Esta Banca tem caráter avaliativo, sendo obrigatória a participação de todos os alunos matriculados em POII. Em POIII, cada aluno tem um orientador. A primeira providência é resgatar as indicações da Banca de Qualificação para, então, dar prosseguimento ao TCC. É o momento de ajustar o referencial teórico e o instrumento de coleta dos dados. Após realizada a coleta de campo, é redigida a última etapa do TCC e feita a formatação do artigo dentro das normas indicadas pela Faculdade IBGEN. Concluído o trabalho, segue-se com a entrega do TCC e a realização da Banca de Defesa Final. A seguir, seguem as ementas de cada uma das disciplinas mencionadas. Ementa de POI A disciplina caracteriza-se pelo desenvolvimento de competências especiais que promovam ao discente a inserção e o conhecimento em questões lógicas e epistemológicas da produção do conhecimento científico. Por meio da identificação e do desenvolvimento de elementos característicos que compõem a redação científica e sua normatização, aliados à interpretação de textos e cases, busca-se habilitar o graduando à introdução ao trabalho de investigação sistemática de problemas de gestão, a partir de um enfoque teórico-prático, conduzindo o

3 3 aluno às etapas iniciais de construção de projeto científico com base em uma realidade empresarial. Ementa de POII A disciplina caracteriza-se pelo desenvolvimento de competências especiais que promovam ao discente a inserção e o conhecimento em questões lógicas e epistemológicas da produção do conhecimento científico, de maneira a aprimorar a capacidade crítica, a análise reflexiva e o poder de síntese. A partir da interpretação de textos, de cases e da análise de cenários, busca-se estabelecer a relação teórico-prática, por meio do desenvolvimento e da qualificação de um projeto científico, com base em uma realidade empresarial. Ementa de POIII A disciplina de Projeto Organizacional III caracteriza-se por ser a última etapa, de uma série de três, que visa à produção de um artigo científico como trabalho de conclusão de curso. Nesta disciplina, o objetivo é a produção do artigo em si, tomando por base o projeto desenvolvido nas disciplinas de PO I e II, as quais abarcam os conhecimentos sobre saber científico, problema de pesquisa e objetivos do trabalho de conclusão de curso, bem como o desenvolvimento do referencial teórico, do método e da coleta de dados. Assim, esta disciplina se caracteriza pelo desenvolvimento das competências necessárias para a produção de artigo científico, segundo os padrões estabelecidos pela Faculdade. DAS RESPONSABILIDADES DOS PROFESSORES E ORIENTADORES Em Projeto Organizacional I e Projeto Organizacional II Os responsáveis pelo auxílio aos alunos em POI e POII são os professores que ministram as disciplinas. Cabe a eles respeitar e divulgar as informações contidas neste Manual e cumpri-las. Em Projeto Organizacional III Em POIII, os orientadores são professores coordenadores de curso e os indicados pela Direção de Graduação. Os orientadores de POIII serão definidos ao final da disciplina de POII, a partir de dois critérios: aderência ao tema pesquisado e ou carga horária do professor. A escolha será feita entre o aluno e o professor de POII. A listagem contendo a proposta com

4 4 o nome do orientador e do orientando será entregue, após as Bancas de Qualificação de POII, ao Diretor de Graduação, que irá dar o aval final, para fins de matrícula. São responsabilidades do orientador, na disciplina de POIII: tomar conhecimento deste Manual e das normas para orientação, planejamento, elaboração, entrega e avaliação do TCC; zelar pelo cumprimento do trabalho proposto e dos prazos estabelecidos no cronograma de atividades para POIII; atender o aluno orientando diretamente ou por meio da troca de mensagens eletrônicas, preenchendo a Ficha de Acompanhamento de TCC (ANEXO A); acompanhar o desenvolvimento do TCC, de sorte a viabilizar sua entrega nos prazos estabelecidos; autorizar a entrega do TCC à Secretaria Geral, da Faculdade IBGEN, para a submissão de processo avaliativo em banca; cumprir e fazer cumprir este Manual. DAS RESPONSABILIDADES DOS ALUNOS ORIENTANDOS Compete ao aluno em POI e POII e ao aluno orientando em POIII: tomar conhecimento deste Manual e das normas para orientação, planejamento, elaboração, entrega e avaliação do Projeto de TCC (POII) e do TCC (POIII); cumprir o calendário divulgado, pela Faculdade IBGEN, atividades das disciplinas de POI, POII e POIII; para a realização das em POIII, contatar com o professor orientador, diretamente ou por , para receber orientações e esclarecimentos devidos; respeitar o cronograma de seu trabalho, conforme plano apresentado pelo professor da disciplina, seja em POI, POII ou POIII; acatar as orientações dadas pelos professores de POI, POII ou POIII, no que tange a realização e a entrega de documentos, seja para o Projeto de TCC, seja para o TCC.

5 5 realizar a entrega dos devidos documentos, conforme indica este Manual, na Secretaria Geral, quando da Banca de Qualificação e da Banca de Defesa Final e nos encaminhamentos pós Banca; cumprir e fazer cumprir este Manual. DAS RESPONSABILIDADES DOS COMPONENTES DAS BANCAS Espera-se dos professores avaliadores, que participam da Banca de Qualificação (POII) e da Banca de Defesa Final (POII): o conhecimento deste Manual e das normas para orientação, planejamento, elaboração, entrega e avaliação do Projeto de TCC (POII) e do TCC (POIII); o recebimento, na Secretaria Geral, da Faculdade IBGEN, mediante assinatura de protocolo, dos trabalhos que serão por eles avaliados, em tempo hábil para a realização da leitura adequada; a leitura, atenta, dos trabalhos que estão sob sua responsabilidade, para realização da melhor avaliação possível; observação das normas deste Manual, para realizar a avaliação, no que tange ao conteúdo e à formatação, seja do Projeto de TCC, seja do TCC; realização de uma avaliação apreciativa. Entenda-se por avaliação apreciativa aquela que busca ressaltar os pontos fortes do trabalho e apontar suas fragilidades, de forma que se tenha em mente que a realização da Banca ainda é um momento de aprendizado por parte do aluno, carecendo de uma postura didática; a sensibilidade para perceber que o momento da Banca é muito importante para o aluno, sendo um marco em sua formação; o respeito ao trabalho e à orientação do professor orientador, que acompanha o aluno durante o processo de feitura do Projeto de TCC ou do TCC; o entendimento de que, sendo a Banca pública, outros alunos assistem às defesas como forma de aprendizado; o cumprimento e a divulgação deste Manual.

6 6 DA REALIZAÇÃO DAS BANCAS EM POII E POIII A seguir são apresentadas as instruções sobre a realização das Bancas de Qualificação em POII e da Banca de Defesa Final em POIII. Banca de Qualificação POII O responsável pela organização das Bancas de Qualificação é o professor da disciplina de Projeto Organizacional II. Cabe a ele organizar as atividades da disciplina para que, em tempo hábil, os projetos estejam prontos para serem repassados aos integrantes da Banca. O Projeto de TCC deve seguir o modelo utilizado pela Faculdade IBGEN (ANEXO B). É responsabilidade do professor da disciplina indicar ou não o trabalho para Banca. Caso o professor considere que o projeto não está apto para apresentação em Banca, este pode reprová-lo. A Banca de Qualificação é requisito obrigatório para o aluno que pretende cursar a disciplina de POIII. Caso este falte, sem justificativa plausível, ao processo da Banca, estará reprovado. Qualquer exceção, conforme julgamento do professor de POII, será levada ao Diretor de Graduação. As Bancas de Qualificação ocorrem no período da Semana Acadêmica. Os Projetos de TCC que serão indicados para a qualificação devem ser repassados aos professores que irão compor a banca com 15 (quinze) dias de antecedência. O aluno que não respeitar este prazo, sem a devida justificativa, estará reprovado. Qualquer exceção, conforme julgamento do professor de POII, será levada ao Diretor de Graduação. No dia estipulado, seguindo o Calendário do IBGEN, o aluno deve entregar, na Secretaria da Faculdade, duas vias impressas e encadernadas do Projeto de TCC e a Carta de Apresentação à Banca de Qualificação (ANEXO C), com o aval e a assinatura do professor da disciplina de POII. A Secretaria irá homologar a entrega somente com a apresentação de todos os documentos anteriormente indicados. Da realização da Banca de Qualificação POII A Banca de Qualificação é composta por dois professores. A indicação dos nomes segue dois critérios: a aderência do professor ao tema do projeto ou sua disponibilidade de horário para participar da Banca. Durante sua realização, o professor de POII assume a função

7 7 de coordenador das Bancas, estando presente no dia e no horário das Bancas e à disposição para qualquer eventualidade e supervisão do processo. Um dos professores que compõe a Banca será indicado como seu presidente, tendo como atribuição conduzir a realização do evento, verificando o respeito ao tempo de apresentação do aluno e da fala dos professores, e o preenchimento das fichas avaliativas, com posterior entrega na Secretaria da Faculdade IBGEN, perante assinatura de protocolo. A nota do aluno será a soma aritmética de duas notas, com peso dez (10): a nota indicada pelo professor da disciplina de POII, somada à nota indicada pela Banca. A média das duas notas representa a nota da Banca de Qualificação. Cabe ao presidente da banca retirar, antes do horário da Banca, na Secretaria, as fichas avaliativas que serão preenchidas e a ficha de avaliação do aluno feita pelo professor de POII, com seu parecer. Ao final deste parecer, o professor de POII deve atribuir uma nota ao aluno, de zero a dez. Esta nota fará parte da composição da nota do aluno para a Banca de Qualificação. Cabe aos professores que integram a Banca de Qualificação observar os aspectos que compõem a Ficha de Avaliação para a Banca de Qualificação (ANEXO D), para poder, então, definir a nota do aluno. Cada Banca terá a duração de 60 (sessenta) minutos. O aluno terá 15 (quinze) minutos para apresentar seu Projeto de TCC, devendo utilizar recursos de multimídia para tal. Cada professor integrante da Banca tem o tempo de dez (10) minutos para suas colocações. O aluno tem o tempo de cinco (05) minutos para responder aos questionamentos do professor. Sobram quinze (15) minutos para a Banca definir e informar a nota do aluno, com a leitura da Ata da Banca de Qualificação (ANEXO E). Encaminhamentos pós Banca de Qualificação Após a realização das Bancas de Qualificação, nas semanas que seguem o semestre, o professor de POII, durante as aulas, deve acompanhar os alunos na realização dos ajustes necessários ao Projeto de TCC. Para isso, utilizar-se-á do que foi sugerido pelos professores que participaram das bancas. O objetivo é alinhar o Projeto de TCC que será repassado ao orientador, em POIII. Ao final do semestre, no período de Grau C, o aluno deve entregar na Secretaria uma cópia impressa e uma em CD (no formato Word) do Projeto de TCC. Somente após esta entrega, a matrícula do aluno em POIII será homologada.

8 8 Cabe à Secretaria, na semana que segue o Grau C, disponibilizar aos professores orientadores de POIII as cópias (impressa e em CD) do Projeto de TCC do aluno orientando e uma cópia das fichas avaliativas com o parecer final da Banca de Qualificação. Este material deve ser retirado pelos professores orientadores perante assinatura de protocolo. Banca de Defesa Final - POIII O responsável pela organização das Bancas de Defesa Final será um professor indicado pelo Diretor de Graduação, com o suporte da Secretaria Geral da Faculdade IBGEN. Este nome será tornado público no início do semestre letivo. A Banca de Defesa Final é requisito obrigatório para o aluno matriculado na disciplina de POIII. Caso este falte, sem justificativa plausível, ao processo da Banca, estará reprovado. Qualquer exceção será encaminhada ao Diretor de Graduação. As Bancas de Defesa Final ocorrem no período de Grau C. Os TCCs que indicados para a Banca pelo orientador devem ser repassados aos professores avaliadores, que irão compor a Banca, com 15 (quinze) dias de antecedência. O aluno que não respeitar este prazo, sem a devida justificativa, terá seu caso levado pelo orientador ao Diretor de Graduação. No dia estipulado, seguindo o Calendário do IBGEN, o aluno deve entregar na Secretaria da Faculdade, três vias impressas e encadernadas do TCC, formatado no modelo definido pela Faculdade IBGEN (ANEXO F) e a Carta de Apresentação à Banca de Defesa Final (ANEXO G), com o aval e a assinatura do professor orientador. A Secretaria irá homologar a entrega somente com a apresentação de todos os documentos anteriormente indicados. Da realização da Banca de Defesa Final A Banca de Defesa Final do TCC é composta por três professores (o professor orientador e dois professores avaliadores). A indicação dos nomes segue dois critérios: a aderência do professor ao tema do TCC ou sua disponibilidade de horário para participar da Banca. Durante a realização das Bancas, será indicado, pela Direção de Graduação, um professor que irá assumir a função de coordenador das bancas, estando presente no dia e no horário das Bancas e à disposição para qualquer eventualidade e supervisão do processo. Este nome será divulgado juntamente com o calendário de defesas.

9 9 O professor orientador é o presidente da Banca, tendo como atribuição conduzi-la, verificando o respeito ao tempo de apresentação do aluno e da fala dos professores e o preenchimento das fichas avaliativas, com posterior entrega na Secretaria da Faculdade IBGEN, perante assinatura de protocolo. A nota do aluno será uma nota de consenso entre o professor orientador e os professores avaliadores. Cabe aos professores avaliadores que integram a Banca de Defesa Final de TCC observar os aspectos que compõem a Ficha de Avaliação para a Banca de Defesa Final (ANEXO H), para poder, então, definir a nota do aluno. O resultado deverá ser expresso da seguinte forma: Aprovado com distinção (nota de 9,6 a dez); Aprovado plenamente (nota de 8,0 a 9,5); Aprovado (nota de 7,0 a 7,9); Reprovado (nota abaixo de 7,0). Cada banca terá a duração de 60 (sessenta) minutos. O aluno terá 15 (quinze) minutos para apresentar seu TCC, devendo utilizar recursos de multimídia para tal. Cada professor avaliador possuirá o tempo de dez (10) minutos para suas colocações. O aluno conta com o tempo de cinco (05) minutos para responder aos questionamentos do professor. O professor orientador, a priori, não se manifesta durante a Banca. No final, o orientador terá 10 (dez) minutos para seu comentário e/ ou solicitar ao aluno que esclareça algum ponto que não tenha ficado claro para a Banca. A Banca poderá ser assistida por outros alunos, familiares, professores, etc, sendo que em nenhuma hipótese poderá haver comentário, interferência ou conversas laterais. Este ponto deverá ser observado e controlado pelo presidente da Banca. Ao final, o presidente da Banca solicita ao aluno e à assistência que se retirem da sala. A Banca, então, define a nota do aluno. Depois, o aluno é convidado a retornar para ouvir a leitura da Ata de Banca de Defesa de TCC (ANEXO I), com a nota, que será assinada pelos componentes da Banca e o discente.

10 10 Encaminhamentos pós Banca de Defesa Final Após a realização das Bancas de Defesa Final, caso seja necessário e indicado pelos professores avaliadores, o aluno deve realizar os ajustes no TCC. O professor orientador deve acompanhar e supervisionar este processo de alterações. O aluno tem sete (07) dias para realizar as mudanças e entregar a versão final do TCC na Secretaria da Faculdade IBGEN, mediante assinatura de protocolo. O aluno deve entregar uma cópia do TCC em CD, com uma versão no formato PDF e outra em Word. Caso o aluno não entregue o documento no prazo definido neste manual, não terá sua nota homologada no sistema. Na ocasião da entrega, o aluno deve, ainda, assinar o Termo de Autorização para Divulgação do TCC (ANEXO J). Neste documento, o aluno autoriza a divulgação do seu TCC na Biblioteca, física e virtual, da Faculdade IBGEN e ou sua publicação na Revista Mundo da Gestão, editada pela Faculdade IBGEN. DO CONTEÚDO DO PROJETO DE TCC O Projeto de TCC é composto pelos seguintes itens: tema, delimitação do tema, problema de pesquisa, objetivos geral e específicos, justificativa da pesquisa, referencial teórico, procedimentos metodológicos, cronograma, referências, apêndice e anexo. A seguir é apresentado um breve conceito sobre cada um destes itens. Tema: é área em que a pesquisa será realizada. Delimitação do tema: é o recorte; a parcela mais próxima do pesquisador. É o ponto de vista que se deseja dar ao tema. Problema de pesquisa: é a questão que se quer responder com a realização da pesquisa. Redigido em forma de pergunta. Objetivos: iniciam sempre por verbos no infinitivo. Dividem-se em geral e específicos. O geral está relacionado, intimamente, ao problema de pesquisa. Os específicos são os caminhos a serem percorridos para alcançar o objetivo geral. Justificativa da pesquisa: serve para demonstrar a validade da pesquisa. Deve apresentar para que serve; para quem serve e por que é importante pesquisar o assunto. O assunto deve ser importante para o pesquisador e para a área de estudo.

11 11 Referencial Teórico: é o momento do projeto em que aparecem as orientações teóricas. São apresentados os autores e as suas teorias de referência para a pesquisa. É importante apresentar pesquisas recentes (como dissertações, teses e artigos publicados em revistas científicas), com objetivos semelhantes de pesquisa. Procedimentos Metodológicos: Neste item devem ser contemplados: o tipo de pesquisa; o tipo de abordagem; as técnicas de coleta de dados; o tipo de amostragem; e, as técnicas de apresentação, análise e interpretação dos dados. Cronograma: é o planejamento e distribuições das etapas da pesquisa e o período em que irão acontecer. Referências: são todas as referências que irão compor a pesquisa. Devem aparecer em ordem alfabética pelo sobrenome do autor, atendendo às normas da ABNT. Apêndice: é um elemento opcional. São materiais produzidos pelo pesquisador e utilizados no trabalho. Anexo: é um elemento opcional. São materiais de apoio produzidos por outrem e utilizados no trabalho. DA FORMATAÇÃO E DO CONTEÚDO DO TCC Segundo determinação da Faculdade IBGEN, o formato adotado para os Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC) é o Artigo Científico. Artigo científico é parte de uma publicação com autoria declarada, que apresenta e discute ideias, métodos, técnicas, processos e resultados nas diversas áreas do conhecimento. (ABNT NBR 6022, 2003, p. 02). Este Manual apresenta as regras para a formatação e para o conteúdo dos artigos científicos apresentados como TCC, na Faculdade IBGEN. Da formatação do Artigo Científico O texto deve ser formatado em Times New Roman, corpo 12, espaçamento entrelinhas de 1,5 cm, justificado, em páginas numeradas no canto inferior direito. A primeira linha de cada parágrafo deve ter entrada de 1,25cm. Entre parágrafos, mantém-se espaço 1,5cm entrelinhas, tal como o corpo do texto. As margens superior e esquerda devem ter 3cm e as margens inferior e direita 2cm. Para citação de quatro linhas ou mais, o corpo da fonte deve ser 10, espaçamento entrelinhas simples, com recuo de 4cm da margem, justificada.

12 12 O título do artigo deve vir em caixa alta, em negrito e centralizado. Seções devem vir alinhadas à esquerda, em caixa alta e negrito, separadas por 1 (um) espaço (ENTER) do parágrafo que a antecede. Subseções devem estar alinhadas à esquerda, em caixa baixa e negrito, separadas por 1 (um) espaço (ENTER) do parágrafo que a antecede (ANEXO F). O artigo deve ser escrito em Língua Portuguesa, contendo título, resumo e palavraschave na língua do texto e resumo e palavras-chave em Língua Inglesa (Abstract e Keywords). Os resumos não devem ultrapassar 300 (trezentas) palavras cerca de 10 linhas; e, as palavras-chave (até cinco termos) devem apresentar inicial maiúscula e serem separadas por ponto. Elas correspondem a palavras ou expressões que identifiquem o conteúdo do artigo, em ambas as línguas, permitindo assim a adequada indexação do trabalho. O texto deve dispor de: título centralizado; nome do autor e orientador alinhado(s) à direita, indicando titulação e para contato em nota de rodapé; resumo e palavras-chave em Língua Portuguesa; resumo e palavra-chave em inglês; seguido do texto do artigo, formado pela introdução, desenvolvimento e conclusão; e, referências. O artigo deve conter no máximo 20 páginas, contabilizando-se os anexos e apêndices, se houver. Para citação bibliográfica de literatura no texto, usar o sistema autor-data (ex: SILVA, 2010). As citações curtas (até três linhas) serão integradas no parágrafo, entre aspas, e seguidas pelo sobrenome do autor referido no texto, ano de publicação e página (s) do texto citado, tudo entre parênteses e separado por vírgulas (ex: SILVA, 2010, p.12). As citações de mais de três linhas serão destacadas no texto em parágrafo especial com recuo (4 cm à direita da margem esquerda). As referências sem citação literal devem ser incorporadas no texto, indicando entre parênteses, ao final, o sobrenome do autor e o ano da publicação. Ilustrações (fotografias, gráficos, desenhos, quadro, tabelas ou esquemas) devem conter título e fonte e estar numeradas com algarismos arábicos. As fotografias de pessoas devem estar acompanhadas de autorização para uso da imagem, com assinaturas e data e em formato jpg. Será adotado o sistema de notas de rodapé (Exemplo 1 ). As referências devem ser incluídas ao final do artigo, em ordem alfabética pelo sobrenome do autor, de acordo com as normas atuais da ABNT. Do conteúdo do Artigo Científico 1 Exemplo de nota de rodapé: deve vir em Times New Roman, corpo 10, espaçamento entrelinhas simples, justificada.

13 13 O Artigo Científico é composto de elementos pré-textuais, textuais e pós-textuais, conforme segue esquema a seguir: Elementos Componentes do Artigo Científico Pré-textuais Título e subtítulo (quando for o caso) em português Nome do aluno Nome do professor orientador Resumo em português Palavras-chave em português Resumo em língua estrangeira Palavras-chave em língua estrangeira Textuais Introdução Desenvolvimento Conclusão Pós-textuais Referências Apêndices (Opcional) Anexos (Opcional) INTRODUÇÃO Na Introdução, devem aparecer, em forma de texto, os seguintes itens, obrigatoriamente: indicação do tema da pesquisa e a delimitação do tema; apresentação do problema de pesquisa: deve ser redigida na forma de uma pergunta, seguida da hipótese. O problema é a questão que se quer responder com a pesquisa. Deve estar intimamente relacionada ao objetivo geral. A hipótese não é um elemento obrigatório. Todavia, mostra quais são os pressupostos do pesquisador e o que ele espera alcançar como resposta para o problema. A hipótese está baseada na experiência e vivência do pesquisador, não necessitando de referencial teórico de apoio. São as expectativas do pesquisador frente o problema de pesquisa.

14 14 Indicação dos objetivos geral e específicos (entende-se por específicos, os caminhos que o pesquisador vai trilhar para chegar ao objetivo geral); explanação da justificativa para a realização do estudo, ou seja, a importância para a área da gestão; para o pesquisador; e, para a organização ou cenário ou segmento em estudo. indicação do procedimento metodológico (Tipo de Pesquisa (exploratório, explicativa ou descritiva); Tipo de Abordagem (qualitativa ou quantitativa); Técnicas de coleta de dados; Tipo de amostragem; e, as Técnicas de Apresentação, Análise e Interpretação dos dados coletados). O aluno não precisa deter-se na conceituação dos mesmos, mas, precisa deixar claro, os motivos que o levaram a optar por tais procedimentos. A conceituação e as informações referentes de como se deu a coleta, a apresentação, a análise e a interpretação dos dados à luz do referencial teórico, devem ocorrer no item que trata do procedimento metodológico, no Desenvolvimento. DESENVOLVIMENTO O desenvolvimento ou corpo, como parte principal e mais extensa do artigo, visa a expor as principais ideias. É, em essência, a fundamentação lógica do trabalho. Dependendo do assunto tratado, existe a necessidade de se subdividir o desenvolvimento nas etapas que seguem em seções e subseções, conforme a NBR 6024 (2003). O desenvolvimento pode ser subdividido em etapas, chamadas de seções e subseções, conforme segue: Referencial Teórico: cabe destacar que para cada assunto tratado no referencial teórico, o aluno deve trazer, no mínimo, o pensamento de dois autores. Neste item, deve constar, ainda, obrigatoriamente, pesquisas em teses, dissertações e artigos publicados em revistas científicas, recentemente publicadas, sobre o tema que está sendo tratado. Esta pesquisa demonstra que o aluno está indo além do que está posto nos livros, pois o pesquisador tem dimensão do que está sendo estudado e publicado na área. Apresentação da organização ou do cenário onde o estudo está sendo realizado: cabe uma apresentação da organização em estudo (se for o caso) e do cenário em que ela está inserida. Apresentar o macroambiente dá ao pesquisador e ao texto, maior profundidade e propriedade.

15 15 Procedimento Metodológico: neste momento, o pesquisador informa como se deu a coleta dos dados e como estes serão apresentados, analisados e interpretados. Ocorre, basicamente, em dois momentos: o Apresentação dos dados coletados em campo: neste momento, o aluno deve detalhar como foi feita a coleta dos dadas em campo e o que foi coletado. Precisa, obrigatoriamente, indicar as técnicas de coleta, período e local da coleta, como se deu o procedimento de coleta, quem foram as fontes consultadas e justificar a escolha da amostra consultada. o Análise dos dados coletados em campo com o apoio do referencial teórico, como caminho para responder ao problema de pesquisa: deve ficar clara a relação teoria X prática. Relacionar o que os autores dizem e o que está sendo visto na realidade é um caminho seguro para responder ao problema de pesquisa. Inferências do pesquisador: neste espaço, o aluno tem uma certa autonomia, sempre respeitando as regras de redação científica, para responder ao problema de pesquisa e trazer sua contribuição científica. CONCLUSÃO A conclusão destaca os resultados obtidos na pesquisa ou estudo. Deve conter uma resposta para a problemática do tema apresentado na introdução. Deve ser breve, concisa e referir-se às hipóteses levantadas e discutidas anteriormente. O autor pode expor seu ponto de vista pessoal com base nos resultados que avaliou e interpretou e poderá também incluir recomendações ou sugestões para outras pesquisas na área. Em forma de texto, o autor deve: apresentar breve contextualização do tema e delimitação do tema de pesquisa; relembrar, rapidamente, como se deu o procedimento metodológico; recuperar a pergunta de pesquisa e apresentar a resposta encontrada, a partir da relação entre os dados coletados em campo e o referencial teórico; informar se a resposta obtida contempla a hipótese levantada na introdução de forma plena, parcial ou se não contempla;

16 16 relembrar os objetivos geral e específicos e aponta se foram alcançados ou não. Explica como; indicar as principais limitações para a realização da pesquisa; indicar o que foi mais gratificante na realização da pesquisa; finalizar indicando possibilidade de estudos futuros, como desdobramento dos resultados obtidos. Linguagem do Artigo Tendo em vista que o artigo se caracteriza por ser um trabalho extremamente sucinto, exige-se que tenha algumas qualidades: linguagem correta e precisa, coerência na argumentação, clareza na exposição das ideias, objetividade, concisão e fidelidade às fontes citadas. Para que essas qualidades se manifestem é necessário, principalmente, que o autor tenha um certo conhecimento a respeito do que está escrevendo. Quanto à linguagem científica, é importante que sejam analisados os seguintes procedimentos no artigo científico: 1. Impessoalidade: redigir o trabalho na 3ª pessoa do singular; 2. Objetividade: a linguagem objetiva deve afastar as expressões: eu penso, eu acho, parece-me que dão margem a interpretações simplórias e sem valor científico; 3. Estilo científico: a linguagem científica é informativa, de ordem racional, firmada em dados concretos, onde pode-se apresentar argumentos de ordem subjetiva, porém dentro de um ponto de vista científico; 4. Vocabulário técnico: a linguagem científica serve-se do vocabulário comum, utilizado com clareza e precisão, mas cada ramo da ciência possui uma terminologia técnica própria que deve ser observada; 5. Correção gramatical: é indispensável, onde se deve procurar relatar a pesquisa com frases curtas, evitando muitas orações subordinadas, intercaladas com parênteses, num único período. O uso de parágrafos deve ser dosado na medida necessária para articular o raciocínio: toda vez que se dá um passo a mais no desenvolvimento do raciocínio, muda-se o parágrafo;

17 17 6. Recursos ilustrativos como gráficos estatísticos, desenhos e tabelas são considerados como figuras eles devem ser criteriosamente distribuídos no texto, tendo suas fontes citadas. A condição primeira e indispensável de uma boa redação científica é a clareza e a precisão das ideias. Saber-se-á como expressar adequadamente um pensamento, se for claro o que se deseja manifestar. O autor, antes de iniciar a redação, precisa ter assimilado o assunto em todas as suas dimensões, no seu todo como em cada uma de suas partes, pois ela é sempre uma etapa posterior ao processo criador de ideias.

18 ANEXO A: Ficha de Acompanhamento de Orientação de TCC 18

19 19 FICHA DE ACOMPANHAMENTO DE ORIENTAÇÃO DE TCC Nome do aluno: Professor orientador: Título provisório do trabalho: Data Hora Local Andamento do Trabalho Ass. Aluno Ass. Prof.

20 ANEXO B: Projeto de TCC 20

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS ARACAJU 2012 2 PREFÁCIO A apresentação dos trabalhos acadêmicos

Leia mais

ANEXO II - Trabalho de conclusão de curso (TCC)

ANEXO II - Trabalho de conclusão de curso (TCC) ANEXO II - Trabalho de conclusão de curso (TCC) O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) compreende a elaboração de trabalho de caráter individual teórico, projetual ou aplicativo, com observância de exigências

Leia mais

Métodos e Técnicas de Pesquisas ARTIGO CIENTÍFICO. Professor Adm. Walter Martins Júnior CRA-PR 15.063

Métodos e Técnicas de Pesquisas ARTIGO CIENTÍFICO. Professor Adm. Walter Martins Júnior CRA-PR 15.063 Métodos e Técnicas de Pesquisas ARTIGO CIENTÍFICO Professor Adm. Walter Martins Júnior CRA-PR 15.063 ALGUMAS REGRAS 2 não deixe para a última hora escreva leia alguns relatórios ou resumos faça um esboço

Leia mais

MONOGRAFIA ESTRUTURA DE MONOGRAFIAS

MONOGRAFIA ESTRUTURA DE MONOGRAFIAS MONOGRAFIA Trata-se de uma construção intelectual do aluno-autor que revela sua leitura, reflexão e interpretação sobre o tema da realidade. Tem como base a escolha de uma unidade ou elemento social, sob

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA A ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA A ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA A ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS Este texto trata a respeito das Normas da ABNT e do Manual do Unisal com a finalidade de orientar os alunos sobre as regras básicas para a publicação

Leia mais

NORMAS ESPECÍFICAS DO TFG DO CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA

NORMAS ESPECÍFICAS DO TFG DO CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA NORMAS ESPECÍFICAS DO TFG DO CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA Art. 1º - Este regulamento disciplina o processo de elaboração, apresentação e avaliação do Trabalho Final de Graduação (TFG) do curso de

Leia mais

FACULDADE DE EDUCAÇÃO DE COSTA RICA-FECRA INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO LAURADAIANE REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC CURSO: LETRAS

FACULDADE DE EDUCAÇÃO DE COSTA RICA-FECRA INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO LAURADAIANE REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC CURSO: LETRAS FACULDADE DE EDUCAÇÃO DE COSTA RICA-FECRA INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO LAURADAIANE REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC CURSO: LETRAS INTRODUÇÃO FORMAS E REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADES DE ENGENHARIAS E DESIGN REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADES DE ENGENHARIAS E DESIGN REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADES DE ENGENHARIAS E DESIGN REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) INTRODUÇÃO O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) e é um componente curricular obrigatório

Leia mais

ORIENTAÇÃO DE TCC CURSO: PROF(A):

ORIENTAÇÃO DE TCC CURSO: PROF(A): ORIENTAÇÃO DE TCC CURSO: PROF(A): MATRÍCUL A ALUNO (A) REUNI ÃO ORIENTAÇ ÕES TCC Entregue Corrigida Nota Assinatura do Orientador: Data: / / Assinatura do Orientador: Data: / / Assinatura do Orientador:

Leia mais

ORIENTAÇÃO PARA DEFESA DO PROJETO DE DISSERTAÇÃO

ORIENTAÇÃO PARA DEFESA DO PROJETO DE DISSERTAÇÃO ORIENTAÇÃO PARA DEFESA DO PROJETO DE DISSERTAÇÃO Orientações para elaboração e defesa do projeto O projeto de pesquisa será apresentado na disciplina de Seminário II, no seguinte formato: O projeto deverá

Leia mais

MANUAL DE NORMATIZAÇÃO PARA ARTIGOS CIENTÍFICOS

MANUAL DE NORMATIZAÇÃO PARA ARTIGOS CIENTÍFICOS CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DOS CAMPOS GERAIS - CESCAGE FACULDADES INTEGRADAS DOS CAMPOS GERAIS COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO MANUAL DE NORMATIZAÇÃO PARA ARTIGOS CIENTÍFICOS PONTA GROSSA 2010 2 SUMÁRIO 1

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO Murilo Barros Alves 1 Maika Rodrigues Amorim 2 RESUMO Estas orientações têm por finalidade orientar os acadêmicos de Graduação da Faculdade de Imperatriz

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2013 PPGLET. O Colegiado do Programa de Pós-Graduação em Letras, Cultura e Regionalidade, da Universidade RESOLVE:

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2013 PPGLET. O Colegiado do Programa de Pós-Graduação em Letras, Cultura e Regionalidade, da Universidade RESOLVE: INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2013 PPGLET Estabelece os procedimentos para o Exame de Qualificação para os discentes vinculados ao Programa de Pós-Graduação em Letras, Cultura e Regionalidade Mestrado O Colegiado

Leia mais

Sociedade Educacional da Paraíba - SEDUP Faculdades de Ensino Supeior da Paraíba - FESP

Sociedade Educacional da Paraíba - SEDUP Faculdades de Ensino Supeior da Paraíba - FESP Sociedade Educacional da Paraíba - SEDUP Faculdades de Ensino Supeior da Paraíba - FESP REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO TCC CURSO DE DIREITO DA FESP FACULDADES Ultima versão 21/08/2012 CAPÍTULO

Leia mais

MANUAL PARA OS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO- TCC

MANUAL PARA OS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO- TCC MANUAL PARA OS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO- TCC 1) INTRODUÇÃO A ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas, define o Trabalho de Conclusão de Curso - TCC como: Documento que representa o resultado

Leia mais

REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE NUTRIÇÃO CAPÍTULO I DEFINIÇÃO

REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE NUTRIÇÃO CAPÍTULO I DEFINIÇÃO REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE NUTRIÇÃO CAPÍTULO I DEFINIÇÃO Artigo 1 o. Considerando a Resolução CNE/CES N o 5, de 7 de novembro de 2001, artigo 12, a qual institui diretrizes

Leia mais

FACULDADE DO GUARUJÁ

FACULDADE DO GUARUJÁ FACULDADE DO GUARUJÁ INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 01/2011 REGULAMENTO DE TCC TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO NORMAS GERAIS Artigo 1º - O Trabalho de Conclusão de Curso TCC constitui-se em pré-requisito para

Leia mais

FUPAC Fundação Presidente Antônio Carlos REDE DE BIBLIOTECAS

FUPAC Fundação Presidente Antônio Carlos REDE DE BIBLIOTECAS FUPAC Fundação Presidente Antônio Carlos REDE DE BIBLIOTECAS ROSY MARA OLIVEIRA (ORG.) Colaboração: Dirlhê Maria Lima Pereira Bibliotecária FUPAC Itabirito ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO:

Leia mais

NORMAS PARA REDAÇÃO E IMPRESSÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL

NORMAS PARA REDAÇÃO E IMPRESSÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL NORMAS PARA REDAÇÃO E IMPRESSÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL AQUIDAUANA MS 2009 1. PAPEL E PROCESSO DE MULTIPLICAÇÃO O papel

Leia mais

ELABORAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO

ELABORAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO ELABORAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO ORIENTAÇÕES BÁSICAS ESTRUTURA DO ARTIGO Regra geral um artigo possui a seguinte estrutura: 1.Título 2. Autor (es) 3. Resumo e Abstract 4. Palavras-chave; 5. Conteúdo (Introdução,

Leia mais

ANEXO IV RELATO DE EXPERIÊNCIA TÍTULO DO TRABALHO

ANEXO IV RELATO DE EXPERIÊNCIA TÍTULO DO TRABALHO ANEXO IV RELATO DE EXPERIÊNCIA TÍTULO DO TRABALHO Nome Sobrenome 1 Nome Sobrenome 2 RESUMO Este trabalho apresenta os elementos que constituem a estrutura do relato de experiência para o programa de apoio

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA Regulamento do TCC

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA Regulamento do TCC ANEXO A TERMO DE COMPROMISSO DE ORIENTAÇÃO DO TRABALHO DE Nome do Aluno: Matricula: Título do TCC CONCLUSAO DE CURSO (TCC) Solicito que seja designado como meu Orientador do Trabalho de Conclusão de Curso

Leia mais

ROTEIRO PARA CRIAÇÃO DE UM ARTIGO CIENTÍFICO

ROTEIRO PARA CRIAÇÃO DE UM ARTIGO CIENTÍFICO ROTEIRO PARA CRIAÇÃO DE UM ARTIGO CIENTÍFICO Finalidade de um Artigo Científico Comunicar os resultados de pesquisas, idéias e debates de uma maneira clara, concisa e fidedigna. Servir de medida da produtividade

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA ANEXO da Norma 004/2008 CCQ Rev 1, 28/09/2009 UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE QUÍMICA CURSO DE GRADUAÇÃO EM QUÍMICA Salvador 2009 2 1 Objetivo Estabelecer parâmetros para a apresentação gráfica

Leia mais

4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO

4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO Este capítulo visa a orientar a elaboração de artigos científicos para os cursos de graduação e de pós-graduação da FSG. Conforme a NBR 6022 (2003, p. 2),

Leia mais

Presidente da FUSVE Américo da Silva Carvalho. Vice-Presidente Executivo da FUSVE Antônio Orlando Izolani. Reitora da USS Ana Maria Severiano de Paiva

Presidente da FUSVE Américo da Silva Carvalho. Vice-Presidente Executivo da FUSVE Antônio Orlando Izolani. Reitora da USS Ana Maria Severiano de Paiva Presidente da FUSVE Américo da Silva Carvalho Vice-Presidente Executivo da FUSVE Antônio Orlando Izolani Reitora da USS Ana Maria Severiano de Paiva Vice-Reitor da USS Marco Antonio Soares de Souza Pró-Reitor

Leia mais

Art. 2º - Esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação. Professora Sandra Denise Kruger Alves Chefe do DEC

Art. 2º - Esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação. Professora Sandra Denise Kruger Alves Chefe do DEC RESOLUÇÃO DEC No 01/2013 Fixa normas para Elaboração e Apresentação dos Trabalhos de Conclusão do Curso de Graduação em Engenharia Civil. A Chefia do Departamento do Curso de Engenharia Civil, no uso de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 013, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2012.

RESOLUÇÃO Nº 013, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2012. Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Câmpus Porto Alegre RESOLUÇÃO Nº 013, DE 13 DE NOVEMBRO

Leia mais

GESTÃO HOSPITALAR. PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar

GESTÃO HOSPITALAR. PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar GESTÃO HOSPITALAR PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar 1 PIM PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Elaborar um estudo acerca Estrutura e Funcionamento do Sistema de Saúde Pública e Privada no Brasil.

Leia mais

PRODUÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO DE CONCLUSÃO DE CURSO DIREITO

PRODUÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO DE CONCLUSÃO DE CURSO DIREITO PRODUÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO DE CONCLUSÃO DE CURSO DIREITO Dispõe sobre a forma de operacionalização do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) do Curso de Direito. CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO FACULDADE DE ESTUDOS SOCIAIS DO ESPÍRITO SANTO FACULDADE PIO XII REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO ( 6º PERÍODO/2013-7º PERÍODO/2014-8º PERÍODO/2014 ) Cariacica 2013/2014 FACULDADE DE ESTUDOS

Leia mais

- TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto de 2008)

- TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto de 2008) Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre Curso de Sistemas de Informação Trabalho de Conclusão de Curso Prof. Dr. Luís Fernando Garcia - TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (PROJETO DE PESQUISA E RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA)

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (PROJETO DE PESQUISA E RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA) REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (PROJETO DE PESQUISA E RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA) ARARUAMA / RIO DE JANEIRO AGOSTO / 2013 Diretor Geral: Prof. Rogério Leopoldo Rocha Diretor Acadêmico:

Leia mais

FACULDADES BORGES DE MENDONÇA NEDE NÚCLEO DE ESTUDOS DIRIGIDOS E ESTÁGIOS

FACULDADES BORGES DE MENDONÇA NEDE NÚCLEO DE ESTUDOS DIRIGIDOS E ESTÁGIOS 1 FACULDADES BORGES DE MENDONÇA NEDE NÚCLEO DE ESTUDOS DIRIGIDOS E ESTÁGIOS Roteiro para elaboração de artigo científico de acordo com a NBR 6022/2003 NEDE FLORIANÓPOLIS/SC 2011 Não existe método infalível,

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS NA ELABORAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO

ORIENTAÇÕES BÁSICAS NA ELABORAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO FACULDADE DE DIREITO DE VARGINHA - FADIVA COORDENAÇÃO DO NÚCLEO DE PESQUISA E MONOGRAFIA PROFª Ms Mª AUXILIADORA PINTO COELHO FROTA MATÉRIA: METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO ORIENTAÇÕES BÁSICAS NA ELABORAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) NA FACULDADE MONTESSORIANO DE SALVADOR

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) NA FACULDADE MONTESSORIANO DE SALVADOR 1 FACULDADE MONTESSORIANO DE SALVADOR REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) NA FACULDADE MONTESSORIANO DE SALVADOR Salvador 2011 2 REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) NA FACULDADE

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO 1 Modelo de Artigo de periódico baseado na NBR 6022, 2003. Título do artigo, centralizado. COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Maria Bernardete Martins Alves * Susana Margaret de Arruda ** Nome do (s) autor

Leia mais

FACULDADE ESTÁCIO DE BELÉM ESTÁCIO BELÉM REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO BELÉM PA

FACULDADE ESTÁCIO DE BELÉM ESTÁCIO BELÉM REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO BELÉM PA FACULDADE ESTÁCIO DE BELÉM ESTÁCIO BELÉM REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO BELÉM PA 1 2015 2 CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Art. 1º.

Leia mais

Normas técnicas para a monografia de graduação da Faculdade de Letras

Normas técnicas para a monografia de graduação da Faculdade de Letras UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO FACULDADE DE LETRAS DIREÇÃO ADJUNTA DE GRADUAÇÃO SEÇÃO DE ENSINO Normas técnicas para a monografia de graduação da Faculdade de Letras 2 SUMÁRIO 1 APRESENTAÇÃO...

Leia mais

F A C U L D A D E N A Z A R E N A D O B R A S I L REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO B A C H A R E L A D O E M T E O L O G I A

F A C U L D A D E N A Z A R E N A D O B R A S I L REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO B A C H A R E L A D O E M T E O L O G I A F A C U L D A D E N A Z A R E N A D O B R A S I L REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO B A C H A R E L A D O E M T E O L O G I A 2 CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1º O Trabalho de Conclusão de Curso

Leia mais

REGULAMENTO DO COMPONENTE CURRICULAR TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

REGULAMENTO DO COMPONENTE CURRICULAR TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO REGULAMENTO DO COMPONENTE CURRICULAR TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1. Das Disposições Preliminares Art. 1 o. Este Regulamento tem por finalidade normatizar as atividades

Leia mais

Faculdade de Alta Floresta (FAF) Programa de Iniciação Científica MANUAL DE NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS

Faculdade de Alta Floresta (FAF) Programa de Iniciação Científica MANUAL DE NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS Faculdade de Alta Floresta (FAF) Programa de Iniciação Científica MANUAL DE NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS Alta Floresta-MT 2015 Programa de Iniciação Científica MANUAL DE NORMAS PARA

Leia mais

Normas para Redação da Dissertação/Tese

Normas para Redação da Dissertação/Tese Normas para Redação da Dissertação/Tese Estrutura A estrutura de uma dissertação, tese ou monografia compreende três partes fundamentais, de acordo com a ABNT (NBR 14724): elementos prétextuais, elementos

Leia mais

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO REGULAMENTO GERAL DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO REGULAMENTO GERAL DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO REGULAMENTO GERAL DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DA CONCEITUAÇÃO E OBJETIVOS Art. 1º - O Trabalho de Conclusão de Curso

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. Este Regulamento estabelece as regras e os procedimentos para

Leia mais

UNIPAC Universidade Presidente Antônio Carlos REDE DE BIBLIOTECAS

UNIPAC Universidade Presidente Antônio Carlos REDE DE BIBLIOTECAS ROSY MARA OLIVEIRA (ORG.) Colaboração: Dirlhê Maria Lima Pereira Bibliotecária FUPAC Itabirito ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO: de acordo com a NBR 6022/2003 BARBACENA 2012 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO...

Leia mais

Guia de Orientação para o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC)

Guia de Orientação para o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) 1 Guia de Orientação para o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) Gepós Unidade de Gestão de Pós Graduação Como requisito obrigatório para a obtenção do certificado de pós-graduação, o TCC deve ser desenvolvido

Leia mais

REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO, APRESENTAÇÃO E AVALIAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO, APRESENTAÇÃO E AVALIAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO, APRESENTAÇÃO E AVALIAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O Trabalho de Conclusão de Curso TCC constitui-se atividade

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE ENSINO NORMATIVA INTERNA PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)

PRÓ-REITORIA DE ENSINO NORMATIVA INTERNA PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) PRÓ-REITORIA DE ENSINO NORMATIVA INTERNA PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) Aracaju/SE 2011 CAPÍTULO I Das finalidades e dos Objetivos Art. 1º - As Normas de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC)

Leia mais

FACULDADE CAMPO REAL CURSO DE NUTRIÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

FACULDADE CAMPO REAL CURSO DE NUTRIÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO FACULDADE CAMPO REAL CURSO DE NUTRIÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Caracterização A elaboração do Trabalho de Curso fundamenta-se nas Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Nutrição,

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE GOVERNADOR VALADARES

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE GOVERNADOR VALADARES REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE GOVERNADOR VALADARES FUNDAÇÃO FUPAC GOVERNADOR VALADARES 2010 TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO INTRODUÇÃO Todo aluno

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA FORMATAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE

INSTRUÇÕES PARA FORMATAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE 1 INSTRUÇÕES PARA FORMATAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE INSTRUÇÕES GERAIS: papel branco A4, fonte Arial tamanho 12, com espaçamento de 1,5 cm entre as linhas,

Leia mais

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO-UnC Curso de Psicologia REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA/TCC (TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE PSICOLOGIA)

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO-UnC Curso de Psicologia REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA/TCC (TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE PSICOLOGIA) UNIVERSIDADE DO CONTESTADO-UnC Curso de Psicologia REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA/TCC (TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE PSICOLOGIA) 2004 S U M Á R I O 1 CONCEITO, OBJETIVOS E ETAPAS....3 2

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DOS CURSOS DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA E BACHARELADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DOS CURSOS DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA E BACHARELADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO - UFOP CENTRO DESPORTIVO DA UFOP - CEDUFOP LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA BACHARELADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA COMISSÃO DE TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO NORMAS PARA ELABORAÇÃO

Leia mais

PASSO-A-PASSO PARA DESENVOLVER E REDIGIR UM ARTIGO CIENTÍFICO

PASSO-A-PASSO PARA DESENVOLVER E REDIGIR UM ARTIGO CIENTÍFICO CURSO DE PEDAGOGIA EaD PASSO-A-PASSO PARA DESENVOLVER E REDIGIR UM ARTIGO CIENTÍFICO 1. CARACTERÍSTICAS E CONCEITUAÇÃO Este texto trata a respeito das Normas da ABNT com a finalidade de orientar os acadêmicos

Leia mais

RESOLUÇÃO CONJUNTA nº 01/2011 Conselho Setorial / Colegiado do Curso

RESOLUÇÃO CONJUNTA nº 01/2011 Conselho Setorial / Colegiado do Curso UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ FACULDADE DE DIREITO RESOLUÇÃO CONJUNTA nº 01/2011 Conselho Setorial / Colegiado do Curso Regulamenta a elaboração e a defesa de Trabalho de Conclusão de Curso - TCC. O Colegiado

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA Normas para elaboração de Dissertações do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais MODELO

Leia mais

NORMAS PARA DEFESA DE PROJETOS DE DISSERTAÇÃO OU TESE

NORMAS PARA DEFESA DE PROJETOS DE DISSERTAÇÃO OU TESE NORMAS PARA DEFESA DE PROJETOS DE DISSERTAÇÃO OU TESE Estabelece os procedimentos relativos à defesa de projeto de pesquisa, a serem desenvolvidos pelos acadêmicos do curso de Pós-Graduação em Ciências

Leia mais

GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA - UFSJ

GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA - UFSJ UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI UFSJ CAMPUS CENTRO-OESTE DONA LINDU CCO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA

Leia mais

REGULAMENTO PARA A REALIZAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO PARA A REALIZAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO PARA A REALIZAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente Regulamento dispõe sobre as diretrizes específicas para a realização de Trabalho de Conclusão

Leia mais

Pré-texto. Texto. Pós-texto. Estrutura do Trabalho Final de Curso. A estrutura do Trabalho Final de Curso compreende: pré-texto, texto e pós-texto.

Pré-texto. Texto. Pós-texto. Estrutura do Trabalho Final de Curso. A estrutura do Trabalho Final de Curso compreende: pré-texto, texto e pós-texto. Estrutura do Trabalho Final de Curso A estrutura do Trabalho Final de Curso compreende: pré-texto, texto e pós-texto. Pré-texto Capa Folha de Rosto Dedicatória Agradecimentos Epígrafe Resumo Sumário Texto

Leia mais

FACULDADE SETE DE SETEMBRO COMUNICAÇÃO SOCIAL JORNALISMO/PUBLICIDADE E PROPAGANDA COORDENAÇÃO DE TCC

FACULDADE SETE DE SETEMBRO COMUNICAÇÃO SOCIAL JORNALISMO/PUBLICIDADE E PROPAGANDA COORDENAÇÃO DE TCC REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art.1º. Este regulamento disciplina o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) de Comunicação Social (Cursos de Jornalismo

Leia mais

FACULDADE D. PEDRO II MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE SERVIÇO SOCIAL

FACULDADE D. PEDRO II MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE SERVIÇO SOCIAL FACULDADE D. PEDRO II MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE SERVIÇO SOCIAL TÍTULO I CARACTERIZAÇÃO E OBJETIVOS CAPÍTULO I DA FINALIDADE E CARACTERIZAÇÃO Art. 1º - Este manual destina-se

Leia mais

Art. 1. O presente Regulamento tem por objetivo normatizar o conjunto de atividades relacionadas com o Trabalho de Conclusão Curso (TCC);

Art. 1. O presente Regulamento tem por objetivo normatizar o conjunto de atividades relacionadas com o Trabalho de Conclusão Curso (TCC); Regulamenta o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), fixados no Projeto Pedagógico dos cursos de graduação da Faculdade Sequencial, e dá outras providências: O COLEGIADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO, no uso

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS CURSO DE PSICOLOGIA UNIDADE SÃO GABRIEL

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS CURSO DE PSICOLOGIA UNIDADE SÃO GABRIEL 1 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS CURSO DE PSICOLOGIA UNIDADE SÃO GABRIEL DIRETRIZES PARA O PROCESSO DE AVALIAÇÃO DAS DISCIPLINAS DE ORIENTAÇÃO DE MONOGRAFIA I E II Considerando os problemas

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO 1 Modelo de Artigo de periódico baseado na NBR 6022, 2003. Título do artigo, centralizado. COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Andersown Becher Paes de Barros * Ideraldo Bonafé ** RESUMO Este trabalho apresenta

Leia mais

Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos

Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos Padrão FEAD de normalização Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos Objetivo Visando padronizar os trabalhos científicos elaborados por alunos de nossa instituição Elaboramos este manual

Leia mais

Instituto de Economia. Curso de Graduação Bacharelado em Relações Internacionais. Regulamento para Monografia

Instituto de Economia. Curso de Graduação Bacharelado em Relações Internacionais. Regulamento para Monografia CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento visa normatizar as atividades relacionadas a Trabalho de Conclusão do Curso (TCC) de Graduação - Bacharelado em Relações Internacionais

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS DE CASSILÂNDIA - FIC PÓS GRADUAÇÃO Lato sensu

FACULDADES INTEGRADAS DE CASSILÂNDIA - FIC PÓS GRADUAÇÃO Lato sensu FACULDADES INTEGRADAS DE CASSILÂNDIA - FIC PÓS GRADUAÇÃO Lato sensu MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA EXECUÇÃO DA MONOGRAFIA DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO Lato sensu DA FIC Cassilândia - 2010 APRESENTAÇÃO Este

Leia mais

CAPÍTULO II DA CARGA HORÁRIA

CAPÍTULO II DA CARGA HORÁRIA Regulamentação do Trabalho de Conclusão de Curso do Bacharelado em Ciências Econômicas com Ênfase em Controladoria CAPÍTULO I DA MONOGRAFIA 1. Este documento regulamenta, no âmbito do Bacharelado em Ciências

Leia mais

NORMAS GERAIS 1 PLANO DE TRABALHO SOLICITADO AOS CANDIDATOS PARA O PROCESSO DE SELEÇÃO

NORMAS GERAIS 1 PLANO DE TRABALHO SOLICITADO AOS CANDIDATOS PARA O PROCESSO DE SELEÇÃO 1 PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA INFORMAÇÃO MESTRADO PROFISSIONAL (PPGI-MP) NORMAS GERAIS 1 PLANO DE TRABALHO SOLICITADO AOS CANDIDATOS PARA O PROCESSO DE SELEÇÃO Conforme decisão da Comissão Coordenadora

Leia mais

NORMAS PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

NORMAS PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO NORMAS PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Faculdade de Ciências Contábeis e Administrativas de Avaré AVARÉ NORMAS PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Considerações preliminares O Regulamento do Trabalho

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 1 DE 9 DE NOVEMBRO DE 2012

RESOLUÇÃO Nº 1 DE 9 DE NOVEMBRO DE 2012 1 RESOLUÇÃO Nº 1 DE 9 DE NOVEMBRO DE 2012 Regulamenta a orientação, elaboração e apresentação do Trabalho de Graduação nos cursos tecnológicos da Fatec Professor Fernando Amaral de Almeida Prado. A diretora

Leia mais

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE RIO VERDE REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO FISIOTERAPIA

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE RIO VERDE REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO FISIOTERAPIA INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE RIO VERDE REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO FISIOTERAPIA Capítulo I Definições e Finalidade Art. 1º - O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC)

Leia mais

TÍTULO CLARO E OBJETIVO QUANTO ÀS PRETENÇÕES RELATIVAS AO OBJETO DE ESTUDO

TÍTULO CLARO E OBJETIVO QUANTO ÀS PRETENÇÕES RELATIVAS AO OBJETO DE ESTUDO FORMATAÇÃO GERAL PAPEL: A4 MARGEM: 3 cm à esquerda e superior e 2 cm à direita e inferior ESPAÇAMENTO: 1,5 texto corrido; entre parágrafo 6pts antes e depois FONTE: Times New Roman ou Arial TAMANHO DA

Leia mais

ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA

ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA A elaboração da monografia deve ter como referência a ABNT NBR 14724/ 2006, a qual destaca que um trabalho acadêmico compreende elementos pré-textuais,

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP. FACULDADE (do aluno) CURSO. TÍTULO DO PROJETO Subtítulo do Projeto AUTOR DO PROJETO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP. FACULDADE (do aluno) CURSO. TÍTULO DO PROJETO Subtítulo do Projeto AUTOR DO PROJETO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP FACULDADE (do aluno) CURSO TÍTULO DO PROJETO Subtítulo do Projeto AUTOR DO PROJETO TÍTULO DO RELATÓRIO AUTOR(ES) DO RELATÓRIO SÃO PAULO 200_ NOTA PRÉVIA

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Direito

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Direito ATO DE DELIBERAÇÃO Nº 007/2009 1 PROCEDIMENTOS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE BACHARELADO EM DIREITO O Diretor da (FADIR) da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), no uso

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC -

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC - Sociedade de Medicina Veterinária da Bahia União Metropolitana para o Desenvolvimento da Educação e Cultura CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC - Lauro de Freitas Bahia Brasil

Leia mais

Universidade Federal de Pernambuco Centro de Ciências da Saúde Programa de Pós-Graduação em Gerontologia

Universidade Federal de Pernambuco Centro de Ciências da Saúde Programa de Pós-Graduação em Gerontologia Universidade Federal de Pernambuco Centro de Ciências da Saúde Programa de Pós-Graduação em Gerontologia Av. Av. Prof. Moraes Rego s/n - Cidade Universitária - CEP: 50739-970 Recife PE Fone: (81)21268538

Leia mais

Manual TCC Administração

Manual TCC Administração 1 Manual TCC Administração 2013 2 Faculdade Marista Diretor Geral Ir. Ailton dos Santos Arruda Diretora Administrativo-Financeiro Sra. Rafaella Nóbrega Coordenador do Curso de Administração e Gestão de

Leia mais

Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso TCC

Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso TCC Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso TCC Capítulo I Das Condições Gerais 1 O aluno do curso, cuja estrutura curricular contemple o TCC, deve se matricular na disciplina conforme as normas institucionais

Leia mais

FACULDADES EST - PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM TEOLOGIA MESTRADO PROFISSIONAL EM TEOLOGIA ORIENTAÇÕES PARA BANCAS DE DEFESA

FACULDADES EST - PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM TEOLOGIA MESTRADO PROFISSIONAL EM TEOLOGIA ORIENTAÇÕES PARA BANCAS DE DEFESA FACULDADES EST - PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM TEOLOGIA MESTRADO PROFISSIONAL EM TEOLOGIA ORIENTAÇÕES PARA BANCAS DE DEFESA 1. Prazos Os prazos para entrega de Trabalho Final encerram em 30 de maio (1º

Leia mais

Regulamento Geral do Trabalho de Conclusão do Curso de Graduação em Ciência Política Bacharelado TCC

Regulamento Geral do Trabalho de Conclusão do Curso de Graduação em Ciência Política Bacharelado TCC Regulamento Geral do Trabalho de Conclusão do Curso de Graduação em Ciência Política Bacharelado TCC Estabelece normas para a realização do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) do Curso de Graduação em

Leia mais

MANUAL ARTIGO CIENTÍFICO

MANUAL ARTIGO CIENTÍFICO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ MANUAL ARTIGO CIENTÍFICO Coordenação TCC-II Prof. Msc. Moisés Mendes 2 CONCEITUAÇÃO E CARACTERÍSTICAS PARA ELABORAÇÃO DO ARTIGO O artigo é a apresentação sintética, em forma

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP CURSO: Ciências Contábeis

UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP CURSO: Ciências Contábeis UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP CURSO: Ciências Contábeis MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR Prezado aluno: A princípio, receba meus sinceros parabéns por ter chegado ao final do curso de Ciências

Leia mais

Os trabalhos acadêmicos devem ser divididos em: elementos pré-textuais, textuais e

Os trabalhos acadêmicos devem ser divididos em: elementos pré-textuais, textuais e NORMAS PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA O projeto gráfico é de responsabilidade do autor

Leia mais

Faculdades Integradas de Taquara

Faculdades Integradas de Taquara Faculdades Integradas de Taquara Credenciada pela Portaria 921, de 07/11/2007, D.O.U. de 08/11/2007 NORMAS PARA A REDAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO *Berenice Gonçalves Hackmann 1 *Daiana Campani de Castilhos

Leia mais

ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIA CURSO: AGRONOMIA

ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIA CURSO: AGRONOMIA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO Av. Dom Manuel de Medeiros s/nº Dois Irmão, Recife PE Telefone: 3320-6203 ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIA CURSO: AGRONOMIA I ESTRUTURA DO RELATÓRIO 1.1

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DA GRADUAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA * TÍTULO I DA NATUREZA

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DA GRADUAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA * TÍTULO I DA NATUREZA REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DA GRADUAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA * TÍTULO I DA NATUREZA Art. 1º. O Trabalho de Conclusão de Curso TCC é exigência obrigatória para integralização curricular

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO Escola Profissionalizante Francisca Nobre da Cruz Educação Profissional Credenciada pelo o parecer Nº 0484/2009 do CEE/CE, DOE nº 005 08.01.2010 Recredenciamento nº 1788/2013, DOE nº 216 18.11.2013 - Censo

Leia mais

FACULDADE ESPÍRITO SANTENSE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO CURSO DE DIREITO

FACULDADE ESPÍRITO SANTENSE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO CURSO DE DIREITO FACULDADE ESPÍRITO SANTENSE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO CURSO DE DIREITO Cariacica/ES 2014 FACULDADE ESPÍRITO SANTENSE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE CATÓLICA DE UBERLÂNDIA. I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE CATÓLICA DE UBERLÂNDIA. I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE CATÓLICA DE UBERLÂNDIA. I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - O presente Regulamento tem por finalidade normatizar

Leia mais

FACULDADE DE ROSEIRA FARO

FACULDADE DE ROSEIRA FARO REGULAMENTO PARA TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO 2009 FACULDADE DE ROSEIRA DIRETOR GERAL PROF. DR. JORGE PASIN DE OLIVEIRA DIRETOR ACADÊMICO PROF. DR. FRANCISLENE HASMANN ELABORAÇÃO PROF. DR. FRANCISLENE

Leia mais

FACULDADE PATOS DE MINAS TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO INSTRUÇÕES PARA ORIENTADORES E ORIENTADOS

FACULDADE PATOS DE MINAS TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO INSTRUÇÕES PARA ORIENTADORES E ORIENTADOS INSTRUÇÕES PARA ORIENTADORES E ORIENTADOS Seguem abaixo informações fundamentais que devem orientar a realização do TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) que será feito individualmente e em forma MONOGRAFIA

Leia mais

FACULDADE 7 DE SETEMBRO CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

FACULDADE 7 DE SETEMBRO CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO FACULDADE 7 DE SETEMBRO CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO FORTALEZA - 2014 Diretor Geral Ednilton Gomes de Soárez Diretor Acadêmico Ednilo Gomes de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 03/2009, DE 5 DE JANEIRO DE 2009

RESOLUÇÃO Nº 03/2009, DE 5 DE JANEIRO DE 2009 RESOLUÇÃO Nº 03/2009, DE 5 DE JANEIRO DE 2009 Altera o Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso - TCC do Curso de Economia, na forma do Anexo. O Reitor da Universidade Regional de Blumenau, no uso

Leia mais

MANUAL PARA A APRESENTAÇÃO DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO NO CURSO DE ENGENHARIA FLORESTAL

MANUAL PARA A APRESENTAÇÃO DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO NO CURSO DE ENGENHARIA FLORESTAL MANUAL PARA A APRESENTAÇÃO DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO NO CURSO DE ENGENHARIA FLORESTAL Comissão de Estágio do Curso de Engenharia Florestal 2ª versão CURITIBA Fevereiro 2015 Este Manual foi desenvolvido

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado MANUAL DE DEFESA Exame de Qualificação: banca examinadora

Leia mais

GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA FORMATAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA FORMATAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA FORMATAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO 1. APRESENTAÇÃO É essencial o uso de normas técnicas para uma boa apresentação e compreensão da leitura de um trabalho acadêmico-científico.

Leia mais