FACULDADE MACHADO DE ASSIS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FACULDADE MACHADO DE ASSIS"

Transcrição

1 1 FACULDADE MACHADO DE ASSIS METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA PROFESSORA: SELMA ROSA DE OLIVEIRA CURSO: LETRAS (PL E PI) ORIENTAÇÕES PARA A CONTRUÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA E TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (MONOGRAFIA)

2 2 SUMÁRIO Apresentação...3 O Conhecimento Científico...4 Recomendações na escrita de textos científicos... 5 O Projeto de Pesquisa... 5 Comunicados importantes... 7 O Trabalho de Conclusão de Curso... 7 Comunicados importantes... 8 Normas técnicas para trabalhos acadêmicos (ABNT )... 8 A construção do texto acadêmico: algumas orientações...14 O desenvolvimento do texto: exemplificações...15 Referências...20 Anexos: Modelos de Pré-textuais do TCC Capa Folha de rosto Folha de Aprovação e Banca Examinadora Dedicatória Agradecimento Epígrafe Resumo em Língua Portuguesa Resumo em Língua Estrangeira Sumário Modelo de Capa e Lombada para o TCC (capa dura definitiva) Modelo de Protocolo de Aceitação de Orientação Modelo de autoavaliação do Projeto de Pesquisa...33

3 3 APRESENTAÇÃO O Ensino Superior é uma modalidade de ensino que tem três objetivos básicos: Ensino, Pesquisa e Extensão. Devido a necessidade das universidades estimular o conhecimento científico na busca de melhor compreensão do homem, da sociedade e da natureza, a pesquisa é um instrumento indispensável e de grande relevância social, por isso tem sido muito incentivada a partir dos curso de Graduação. O final de uma pesquisa científica é a redação de um trabalho científico, que pode ser entendido como um processo pelo qual os conhecimentos são construídos de forma a gerar novos conhecimentos. Nesse sentido, a coordenação acadêmica da Faculdade Machado de Assis vem colocando o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) como uma atividade curricular obrigatória, uma exigência e requisito para a conclusão do Curso de Graduação. O TCC é uma monografia não aprofundada, um trabalho escrito sobre um tema específico que resulta de uma Pesquisa Científica e que constitui uma contribuição muito relevante para a vida acadêmica. Embora a originalidade não seja um requisito obrigatório nesse momento da pesquisa, estabelecer novas relações e interpretações sobre o tema são atitudes fundamentais do pesquisador. No curso de Letras, o TCC poderá ser um trabalho documental, através de uma metodologia baseada na pesquisa bibliográfica ou de observação em campo. A disciplina por excelência onde é lecionada e orientada a pesquisa científica é a Metodologia da Pesquisa Científica. A construção do TCC, envolverá duas etapas distintas. A primeira consta da elaboração do Projeto de Pesquisa, sob a responsabilidade de orientação e acompanhamento do professor da disciplina Metodologia da Pesquisa Científica. A segunda etapa caracteriza-se como o momento da elaboração do TCC (monografia). Durante esta etapa da pesquisa, cada aluno terá um professor orientador, que deverá ser indicado pela coordenação do curso de Letras ou a escolha do aluno, considerando a linha de pesquisa do professor orientador e, portanto, a sua afinidade com o tema.

4 4 O CONHECIMENTO CIENTÍFICO A ciência é uma das formas de se ter acesso ao conhecimento. A atividade básica da ciência é a pesquisa. A pesquisa é um processo de permanente busca da verdade, que através de reflexões são encontrados os erros e feitas as correções, chegando ao que chamamos de conhecimento científico. Segundo Galliano (1979), o conhecimento científico: É racional e objetivo Atém se aos fatos. Transcende aos fatos. É analítico. Requer exatidão e clareza. É comunicável. É verificável. Depende de investigação metódica. Busca e aplica leis. É explicativo. Pode fazer predições. É aberto. É útil. A CONSTRUÇÃO DA PESQUISA PRIMEIRA DIFICULDADE: ESCOLHA DO TEMA Fatores a serem considerados na escolha do tema: Afinidade com o tema; Importância do tema escolhido; Capacidade de obtenção dos dados.

5 5 RECOMENDAÇÕES NA ESCRITA DE TEXTOS CIENTÍFICOS: Apropriar se de leituras acerca do tema; Manter se em condições específicas como concentração, espírito investigativo e organização; Escrever com freqüência sobre o assunto, treinando a escrita; Usar linguagem clara, objetiva e coesa; Fazer citações de autores diversos na especialidade do tema; Ter cuidado com as fontes de informação (internet, revistas, etc.); Escrever períodos curtos, evitando redundâncias e ideias diferentes; Evitar saltos de um parágrafo para o outro; Evitar a repetição de palavras; Gírias e abreviações não são aceitas pela academia científica; Escrever de forma impessoal; O PROJETO DE PESQUISA É o planejamento de uma pesquisa. * ELEMENTOS DE UM PROJETO DE PESQUISA: Tema é o fato ou fenômeno a ser pesquisado; Título nome do estudo de acordo com o conteúdo da pesquisa; Delimitação do tema especificação do objeto de estudo e onde o mesmo será estudado; Problema questão central a ser enfocada na pesquisa. O problema é descrito em forma de pergunta; Hipótese é a possível resposta ao problema formulado;

6 6 Justificativa é o porquê, o motivo, a razão do estudo; Objetivo Geral propósito central da pesquisa, o que se pretende alcançar; Objetivos Específicos - desmembramento dos objetivos gerais em questões mais específicas, objetivos atingidos mais a curto prazo; Metodologia Como se pretende desenvolver a pesquisa, indicar qual o tipo de pesquisa: bibliográfica ou de campo, indicar o passo a passo da pesquisa; Explicitação do quadro teórico (revisão da bibliografia) é a indicação das principais obras literárias consultadas durante o estudo, explicitando os conteúdos e principais focos da pesquisa. É indicado para pesquisa bibliográfica; Coleta de dados é a explicação de como os dados serão coletados e que instrumentos serão utilizados. A entrevista oral ou escrita, o questionário, a observação em campo e os registros de campo são exemplos de alguns instrumentos que poderão ser utilizados para a coleta de dados. É indicado para a pesquisa de campo; Cronograma é a organização cronológica da pesquisa; a explicitação de quando cada etapa da pesquisa acontecerá; Tópicos centrais do trabalho (suposto sumário) é a previsão dos principais tópicos a serem abordados no seu TCC, isto é, os possíveis títulos dos seus capítulos do TCC, o suposto sumário; Referências é a indicação das fontes teóricas da pesquisa: livros, artigos, ensaios, teses e dissertações, revistas científicas, anotações de aulas, CD, etc.; OBS: Caso na pesquisa teórica seja utilizado apenas livros, usa-se o termo bibliografia; Webgrafia é a indicação dos endereços eletrônicos, isto é, os site pesquisados na internet.

7 7 COMUNICADOS IMPORTANTES O PROJETO DE PESQUISA DEVE SER ENTREGUE À PROFESSORA DE METODOLOGIA DA PESQUISA ATÉ A DATA DE GQ2; O PROJETO DE PESQUISA DEVE SER ENTREGUE ENCADERNADO EM DUAS CÓPIAS; JUNTO COM O PROJETO DE PESQUISA, O ALUNO DEVERÁ ENTREGAR O PROTOCOLO DE ACEITAÇÃO DE ORIENTAÇÃO DEVIDAMENTE PREENCHIDO E ASSINADO EM TRÊS CÓPIAS. O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO: (TCC) Compreende os seguintes elementos: pré-textuais, textuais e pós-textuais. Estrutura Pré-textuais Textuais Elementos Capa (obrigatório) Folha de rosto (obrigatório) Folha de aprovação (obrigatório) Dedicatória (opcional) Agradecimento (opcional) Epígrafe (opcional) Resumo na língua vernácula (obrigatório) Resumo em língua estrangeira (obrigatório) Lista de ilustrações, tabelas, símbolos, abreviações e siglas (opcional) Sumário (obrigatório) Introdução Desenvolvimento (capítulos) Conclusão

8 8 Pós-textuais Referências (obrigatório) Glossário (opcional) Apêndice(s) (opcional) Anexo(s) (opcional) Índice(s) (opcional) COMUNICADOS IMPORTANTES AS REFERÊNCIAS DEVEM SER RECENTES E CONTER NO MÍNIMO 7 (SETE) LIVROS DE REFERÊNCIA; USAR, NO MÁXINO 5 (CINCO) WEBGRAFIA; NORMAS TECNICAS PARA TRABALHOS ACADEMICOS (ABNT ) 1) Formato de Apresentação: 2.1. Papel: branco, formato A4 (21 cm x 29,7 cm); 2.2. Fonte: Times New Roman, tamanho 12 para texto e 10 para citação com mais de três linhas, notas de rodapé, legendas, ilustrações e tabelas; 2.3. Margem: esquerda e superior: 3 cm; direita e inferior: 2 cm; parágrafo: 2 cm; citação com mais de três linhas: 4 cm 2.4. Espacejamento:

9 9 Todo o texto deve ser digitado com espaço 1,5, exceto as citações com mais de três linhas, notas de rodapé, referências, legendas das ilustrações e das tabelas, ficha catalográfica, natureza do trabalho, objetivo, nome da instituição a que é submetida e área de concentração, que devem ser digitados em espaço simples. As referências ao final do trabalho, devem ser separadas entre si por dois espaços simples. Os títulos e subseções devem ser separados do texto que sucede e antecede por dois espaços de 1, Notas de rodapé: As notas devem ser digitadas dentro das margens, ficando separadas do texto por um espaço simples de entrelinhas e por filete de 3 cm, a partir da margem esquerda Paginação: Todas as folhas do trabalho, a partir da folha de rosto devem ser contadas, mas não numeradas. A numeração deve ser colocada a partir da primeira folha da parte textual (introdução), em algarismos arábicos no canto superior direito da folha, a 2 cm da borda. Havendo apêndice e anexo, as suas folhas devem ser numeradas de maneira contínua e sua paginação deve dar seguimento à do texto principal Citações (NBR 10520): 3.1. Conceito de citação: Menção de uma informação extraída de outra fonte Localização: As citações podem aparecer no texto ou em nota de rodapé Tipos de citação: direta ou indireta Citação direta: Transcrição textual da parte da obra do autor consultado. Transcrição do texto de até três linhas, devem estar contidas entre aspas duplas, ser escrita no decorrer do texto e NÃO ITÁLICO. Exemplos: 1) Cereja, (1994, p. 25) descreve: Se a literatura é a arte da palavra e esta é a unidade básica da língua, podemos dizer que a literatura é um instrumento de comunicação.

10 10 2) Luis de Camões é o poeta que melhor traduziu os anseios do homem português renascentista. (CEREJA, 1994, p. 123). Obs.: Quando o nome do autor estiver no decorrer do texto, sem parêntese, usa-se somente as iniciais do nome do autor em letra maiúsculo. Quando o nome do autor estiver no final da citação, entre parênteses, deve-se transcrever o nome todo em letra maiúsculo. Transcrição do texto com mais de três linhas, devem ser destacadas com recuo de 4 cm da margem esquerda, com letra menor que a do texto utilizado (10 ou 11) e sem as aspas. Exemplo: Quando lemos com atenção um texto bem construído, não nos perdemos por entre os enunciados que o constituem nem perdemos a noção de conjunto. Com efeito, é possível perceber a conexão existente entre os vários segmentos de um texto e compreender que todos estão interligados entre si. (PLATÃO E FIORIN, 2002, P.271) Citação indireta: Texto baseado na obra de outro autor consultado; transcrição livre. Não é necessário o uso de aspas. A indicação da (s) página (s) é opcional. Exemplo: Aranha (2005) fala que, no Brasil, as primeiras escolas abrigavam os filhos dos índios e dos colonos. E que a intenção dos jesuítas é separar os catequizados dos povos instruídos Citação de citação: Transcrição direta de um texto em que não se teve acesso ao original. Exemplo: Segundo Berlinger (1975 apud BOTAZZO; FREITAS, 1998) no que diz respeito ao ensino da área de saúde, as propostas de reformulação de Abraham Flexner em 1910 e Bertran Dawson em 1920 influenciaram diversas partes do mundo. Obs.: apud é uma expressão latina utilizada em pesquisa que significa citado por Siglas: Quando aparece pela primeira vez no texto, a forma completa do nome pr4cede a sigla, colocada entre parênteses.

11 11 Exemplo: Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN) 50. Palavras ou expressões latinas utilizadas em pesquisa: Apud: significa citado por; Et al.(et alli): significa e outros. Utilizado quando a obra for executada por muitos autores; Ibid ou ibidem: significa igual a anterior. Utilizado quando a citação for do autor anteriormente citado; In: significa em; Ipsis litteris: significa pelas mesmas letras, literalmente. Utiliza-se para expressar que o texto foi transcrito com fidelidade, mesmo que possa parecer estranho ou esteja, reconhecidamente, escrito com erros. Ipsis verbis: significa pelas mesmas palavras, textualmente. Utiliza-se da mesma forma que ipsis litteris; Opus citatum ou op,cit: significa obra citada; Passim: Significa aqui e ali. É utilizada quando a citação se repete em mais de um trecho da obra; Sic: significa assim. Utiliza-se da mesma forma que ipsis verbis; Supra:significa acima, referindo-se a nota anterior Ilustrações: Qualquer tipo de ilustração (desenhos, esquemas, fluxogramas, fotografias, gráficos, mapas, organogramas, plantas, quadros e ouros) sua identificação aparece na parte inferior, precedida da palavra designativa, seguida de seu número de ordem de ocorrência no texto, em

12 12 algarismos arábicos, do respectivo título. A ilustração deve ser inserida o mais próximo possível do trecho a que se refere Tabelas: As tabelas apresentam informações tratadas estatisticamente, conforme IBGE (1993) 8.0. Referências (NBR 6023): Elementos essenciais: Autor (es), título, edição (a partir da segunda [2.ed]), local, editora e data de publicação. Quando necessário, acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento. O recurso tipográfico (negrito, grifo ou itálico) deve ser utilizado apenas para destacar o título; subtítulo não. Deve ser uniforme em todas as referências de um mesmo documento. Somente devem ser incluídos nas referências os documentos que tenham sido citados no texto. Recomenda-se a utilização de ordem alfabética para a ordenação das referências ao final do trabalho. Exemplos: 1) Livros: a) 1 autor: SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do Trabalho Científico. 22.ed.. São Paulo: Cortez, b) 2 autores: FIORIN, José Luis; SAVIOLI, Francisco Platão. Pra entender o texto - leitura e redação. 16.ed. São Paulo, Ática, c) 3 autores: MACHADO, Anna Rachel; LOUSADA, Eliane; TARDELLI, Lília santos Abreu. Planejar gêneros acadêmicos. São Paulo: Parábola Editorial, d) Mais de 3 autores: SOUZA, Donaldo Bello de; et al. Trabalho e Educação: centrais sindicais e reestruturação produtiva no Brasil. Rio de janeiro: Quartet, 1999.

13 13 2) Livros (entidade): ORGANIZAÇÕES MUNDIAL DAS ALFANDEGAS. Glossários de termos aduaneiros internacionais. Tradução: Oswaldo da Costa e Silva. Brasília, DF: LGE, ) Trabalhos Acadêmicos: dissertações e teses: OLIVEIRA, Selma Rosa. Orientação Sexual na Escola: a constituição do lugar do Orientador Educacional diante da orientação sexual: relato de uma pesquisa participante. Centro Universitário Plínio Leite, Niterói, ) Eventos: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, 1997, Belo Horizonte. Educação, democracia e qualidade social: consolidando um plano nacional de educação. Belo Horizonte: APUBH, ) Referências Legislativas: BRASIL. Decreto-lei nº5.452, de 1 de maio de Lex: Coletãnia de legislação: edição federal, São Paulo, v.7, Suplemento. BRASIL, Lei Federal nº 9.394, de 20 de dezembro de Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. MEC (Ministério da Educação e do Desporto). Parâmetros Curriculares Nacionais: (colocar aqui o nome do volume, por exemplo: Introdução ou Orientação Sexual) Brasília/DF: Ministério da Educação e do Desporto / Secretaria de Educação Fundamental, e) Monografia em meio eletrônico: a) Em CD-ROM: GOMES, L.G.F.F. Novela e sociedade no Brasil. Niterói: EDUFF, CD-ROM. b) Em consulta online: ALVES, Castro. Navio Negreiro: Virtual Books, Disponível em :<http://www.terra.com.br/virtualbooks/freebook/port/lport2/navionegreiro.htm>. Acesso em: 10 jan.2002, 16:30.

14 14 f) Artigo e/ou matéria de revista, jornal etc. GURGEL, C. Reforma do Estado e segurança pública. Política e administração, Rio de janeiro, v.3, n.2p.15-21, set LEAL, L. N. MP fiscaliza com autonomia total. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, p.3, 25 abr g) Palestras: LEONARDO, Ana Cristina. Educação e novas tecnologias Palestra realizada na Universidade Estácio de Sá em 28 ago h) Música em CD: ANA Carolina. [Rio de Janeiro]: BMG, c CD (53 min). A CONSTRUÇÃO DO TEXTO ACADEMICO: ALGUMAS ORIENTAÇÕES Fazer um estudo mais aprofundado do seu tipo de pesquisa. Tal procedimento facilitará não só a escrita da metodologia do seu projeto de pesquisa, como a realização do TCC; O cronograma faz parte da metodologia. Não esquecer de colocá- lo no projeto de pesquisa; Todas as referências devem estar citadas no texto; Quem optar por coletar os dados através de entrevistas ou questionário, deverá apresentar estes em anexo no projeto de pesquisa; Procure analisar, cuidadosamente a coerência entre todos os itens do projeto de pesquisa, especialmente entre a delimitação do assunto, objetivos e metodologia; Procure usar frases curtas e objetivas no seu texto científico. Use o ponto final com freqüência. Períodos longos dificultam o entendimento de suas idéias e compromete a objetividade do seu texto; Ao descrever seu texto, procure fazer o encadeamento entre os assuntos, evite saltos entre os parágrafos;

15 15 As citações devem ser coerentes com o assunto que você está descrevendo. Os termos: desta forma, portando, como já descrito anteriormente, como salienta, nesta abordagem ou concepção, tal fato nos leva a refletir sobre, além disso,assim,... são muito bem vindos num texto científico, pois servem de elemento de ligação entre os assuntos ou parágrafos; Evite repetições de palavras ou expressões, bem como de assuntos já descritos; Um texto científico deve ser descrito de forma impessoal. Uma sugestão é usar a 1ª pessoa do plural; O DESENVOLVIMENTO DO TEXTO: EXEMPLIFICAÇÕES (*) Evitando saltos entre os parágrafos: A idéia de que a mídia contribui com a formação da cultura consumista parece consenso entre diferentes autores. Analisemos algumas afirmações: A mídia faz com que vivamos sob uma nova cultura, que promete felicidade através de sensações corporais: a boa forma, a sensualidade, o estímulo da beleza, o êxtase das festas. (COSTA, apud Hoje o que importa é a imagem. É uma cultura de imagem. Se você é jovem, bonito e está ao lado de um carro Audi, você é alguém. Do contrário, você não existe. ( PINHEIRO, apud ) (citação direta com mais de 3 linhas) Os anúncios convencem-nos a consumir bens empregando mídias visuais que, com freqüência não tem absolutamente nada a ver com o produto em termos de necessidade que ele poderia satisfazer. Pelo contrário, procuram criar desejos e, assim, nos rendemos para a imagem que consumimos (MAY, 2004, p.173). (citação indireta) (*) Usando os temos ibid e ibidem Com o crescente movimento de industrialização, surgiu, em 1971, uma nova lei, a LDB nº 5692/71, que confere à educação a tarefa de preparar mão-de-obra qualificada, de acordo com as necessidades da indústria. A referida lei estabelece a habilitação profissional no 2º e no 1º graus, propõe a iniciação para o trabalho e a sondagem de aptidão (BARROS, 1985). Nesta perspectiva, o orientador educacional torna-se um profissional obrigatório, como descrito no artigo 10º: Será instituída obrigatoriamente a orientação educacional, incluindo

16 16 aconselhamento vocacional, em cooperação com os professores, a família e a comunidade (BRASIL, 1971). (citação direta de até 3 linhas).de acordo com referida lei, no artigo 33º, fica estabelecido também que a formação dos orientadores será feita em curso superior de graduação, com duração plena ou curta, ou de pós-graduação (Ibid). Em seu artigo 1º, a Lei 5692/71 propunha o desenvolvimento das potencialidades do aluno, a sua auto-realização, a qualificação para o trabalho e o exercício consciente da cidadania (Ibidem). (*) Citando nome de livros e usando termos de ligação Podemos concluir que a legislação continuava reforçando a preocupação com as diferenças e aptidões individuais, propondo, no entanto, a escolha profissional compatível com as necessidades do mercado de trabalho. Desta forma, a função do orientador na escola muda de configuração, tendo em vista que esta instituição passou a preocupar-se com o mercado de trabalho, com a organização da sociedade, descaracterizando assim a sua neutralidade social. Celso Ferreti (1988), em sua obra Uma Nova Proposta de Orientação Profissional, afirma que são dois os objetivos da informação profissional: ajudar o indivíduo a obter, organizar e utilizar informações objetivas a respeito de si e do mundo do trabalho; e ajudar o indivíduo a dominar uma metodologia que o instrumente na tomada de decisões profissionais são aspectos importantes para o orintador (pp.14-5). Diante da Lei 5692/71, o orientador educacional se vê como um educador e sente a necessidade de buscar um referencial teórico para o desenvolvimento do seu trabalho As reflexões junto à direção e equipe técnica acerca das questões pedagógicas, conduziram o orientador educacional a uma nova conscientização que o levaria a uma prática educativa, agora mais transformadora e modernizadora, tornando-o um elemento articulador da escola com o mercado de trabalho. Se o trabalho é assunto de sua competência na escola, também é tarefa sua o estímulo à reflexão das contradições que perpassam as ideologias do trabalho na transformação da sociedade (MAIA e GARCIA 1984, p. 58). Desta forma, cabelhe também a reflexão do papel da escola, dos conteúdos por ela trabalhados e sua importância na formação do homem trabalhador. Esse novo re-posicionamento do orientador o envolve nas questões pedagógicas de forma bem mais profunda, na medida em que discute e se preocupa com que conteúdos são propostos e como estes são trabalhados, já que o

17 17 objetivo dos conteúdos é levar os alunos à compreensão da sociedade em que vivem (MEC,1997). Nesta perspectiva, o orientador educacional intitulado um especialista da educação, profissional que exerce a sua função na relação educação/sociedade e educação/ trabalho. Seu trabalho na escola é integrado com a atividade desenvolvida pelo supervisor educacional e o diretor, e juntos, compõem a Equipe Técnico-Pedagógica, articulando o projeto educativo, de modo a atingir a qualidade do trabalho escolar. Vasconcellos (2002) valoriza a presença dos especialistas na escola para a garantia do ensino de qualidade. Sobre este aspecto, o autor registrou: É certo que podemos ter ensino de qualidade só com professores, todavia as pesquisas educacionais têm demonstrado a exaustão que as escolas que têm ensino de melhor qualidade contam com a presença de alguma liderança pedagógica, sendo que muito freqüentemente esta liderança é exercida pela direção, orientação educacional ou coordenação pedagógica, até pela possibilidade que têm, por contingência do tipo de atividade que exercem, de construírem uma visão de conjunto da instituição (p.59). (*) Sobre metodologia: explicando sobre o local da pesquisa 4.1. Caracterização do cenário da pesquisa O universo empírico deste estudo é a Escola Municipal Nossa Senhora Aparecida, situada no bairro São Judas Tadeu, 2º distrito de Duque de Caxias, denominado Campos Elíseos. A unidade escolar fica próxima à rodovia Washington Luís, numa área considerada zona industrial. Foto 1

18 18 (Uso de foto dentro do texto) Breve histórico da escola O movimento para a abertura de uma escola no bairro São Judas Tadeu foi iniciado no dia 13 de fevereiro de 1963, por um grupo de moradores, assessorados pelo Vigário da Paróquia, padre Eugênio. A intenção era construir uma capela que também pudesse ser utilizada como escola, pois na época, não havia nenhuma outra instituição de ensino na localidade. A construção foi realizada por moradores da comunidade em um terreno doado pelo Prefeito de Duque de Caxias......A referida escola atende alunos do 1º ano do Ciclo de Alfabetização à 8ª série do Ensino Fundamental, na faixa etária de 6 a 17 anos. Atualmente conta com um contingente de 571 alunos regularmente matriculados em 17 turmas, distribuídos em três turnos: o primeiro, de 7 às 11 horas, o segundo, de 11 às 15 horas e o terceiro, de 15 às 19 horas. O Projeto Político Pedagógico da unidade escolar estabelece que a Escola Municipal Nossa Senhora Aparecida tem como meta fundamental ter o educando como centro de toda ação educativa, para que ele adquira, gradualmente, os conhecimentos, as competências, habilidades e os valores necessários a sua auto-realização e formação como cidadão, participando de forma ativa do processo de desenvolvimento de sua comunidade (PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO, ESCOLA MUNICIPAL NOSSA SENHORA APARECIDA, 2004, p. 4). Para o desenvolvimento de tal proposta educativa, a escola Municipal Nossa Senhora Aparecida conta com: - uma equipe técnico-pedagógica formada por diretora, que possui formação pedagógica em curso de graduação Português/Inglês; orientadora educacional graduada em Pedagogia com habilitação em orientação educacional e curso de especialização em Psicopedagogia e orientadora pedagógica, também graduada em Pedagogia, com habilitação em supervisão escolar e curso de especialização em educação; - equipe extra-classe composta de um secretário escolar, dois auxiliares de (...)...explicando sobre o tipo de pesquisa O princípio metodológico que fundamenta este estudo é a pesquisa participante. De acordo com Thiollent (2003), trata-se de

19 19 um tipo de pesquisa social com base empírica que é concebida e realizada em estreita associação com uma ação ou com a solução de um problema coletivo e no qual os pesquisadores e os participantes representativos da situação ou do problema estão envolvidos de modo cooperativo ou participativo (p.14). O autor caracteriza, de forma mais específica a pesquisa participante como um tipo de pesquisa baseado numa metodologia de observação participante, na qual os pesquisadores estabelecem relações comunicativas com pessoas ou grupos da situação investigada com o intuito de serem melhor aceitos. Neste caso, a participação é, sobretudo participação dos pesquisadores e consiste em aparente identificação com os valores e os comportamentos que são necessários para a sua aceitação pelo grupo considerado (idem, p.15). (*)... usando nota de rodapé Análise dos dados Técnica de análise dos dados Utilizaremos como técnica para análise dos dados a análise do discurso 1, segundo Maingueneau (apud, OLIVEIRA,2003), que as novas tendências da análise do discurso francesa. Assim, o conceito com o qual iremos trabalhar é o foucautiano, pois é esta a referência de Maingueneau. Segundo este autor, não há como demarcar nenhuma exterioridade entre os sujeitos e seus discursos. Sendo este constituído por uma dupla voz com os chamados discursos implícito e explícito, onde o sujeito é constituído no e constitutivo do discurso: Esta instância de subjetividade enunciativa possui duas faces: por um lado, ela constitui o sujeito em sujeito, por outro, ela o assujeita (...) atualmente, a tendência, cada vez maior, é de questionar esta topografia que coloca o discurso e a realidade como exteriores um ao outro. 2 (p.33) 1 A análise do discurso é a estratégia do pensamento recorrida, visando a que o discurso dos atores institucionais não seja tratado de maneira conteudista, ou seja, como se existisse nele mesmo ou se tivesse uma causa objetiva exterior ( apud Oliveira, 2003) 2 MAINGUENEAU, D. Novas Tendências em Análise do Discurso. 3ª edição. SP: Pontes Editores e Campinas: Editora da Universidade de Campinas, 1997.

20 20 REFERÊNCIAS: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NRB 14724: Informações e documentação Trabalhos acadêmicos Apresentação. Rio de Janeiro, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NRB 6023: Informações e documentação Referências Elaboração. Rio de Janeiro, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NRB Informação e documentação citações em documentos Apresentação. Rio de Janeiro, BASTOS, Dau; SOUZA, Mariana; NASCIMENTO, Solange. Monografia ao alcance de todos. Rio de Janeiro: Garamond, CIRIBELLI, Marilda Corrêa. Como elaborar uma dissertação de mestrado através da pesquisa científica. Rio de Janeiro: 7letras, SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia dotrabalho Científico. 22. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

21 21 ANEXOS MODELO DE PRÉ-TEXTUAIS DO TCC. Capa;. Folha de rosto;. Folha de Aprovação e Banca Examinadora;. Dedicatória;. Agradecimento;. Epígrafe;. Resumo em Língua Portuguesa;. Resumo em Língua Estrangeira;. Sumário; MODELO DE CAPA E LOMBADA PARA TCC (capa dura definitiva); MODELO DE PROTOCOLO DE ACEITAÇÃO DE ORIENTAÇÃO; MODELO DE AUTOAVALIAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA.

22 22 (Anexo 1 - Modelo de capa) CENTRO UNIVERSITÁRIO PLÍNIO LEITE CURSO DE MESTRADO PROFISSIONAL EM ENSINO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE E DO AMBIENTE ORIENTAÇÃO SEXUAL NA ESCOLA: A CONSTITUIÇÃO DO LUGAR DO ORIENTADOR EDUCACIONAL DIANTE DA ORIENTAÇÃO SEXUAL NA ESCOLA: RELATO DE UMA PESQUISA PARTICIPANTE SELMA ROSA DE OLIVEIRA Niterói 2005

23 23 (Anexo 2 Modelo de Folha de Rosto) SELMA ROSA DE OLIVEIRA ORIENTAÇÃO SEXUAL NA ESCOLA: A CONSTITUIÇÃO DO LUGAR DO ORIENTADOR EDUCACIONAL DIANTE DA ORIENTAÇÃO SEXUAL NA ESCOLA: RELATO DE UMA PESQUISA PARTICIPANTE Trabalho de Conclusão de Curso apresentado a Faculdade Machado de Assis como requisito parcial para a obtenção do grau em licenciatura em Português (Literatura ou Inglês) Professor orientador: Prof. Drª Luiza Rodrigues de Oliveira Rio de Janeiro Faculdade Machado de Assis 2005

24 24 (Anexo 3 Modelo de Folha de Aprovação e Banca Examinadora) SELMA ROSA DE OLIVEIRA ORIENTAÇÃO SEXUAL NA ESCOLA: A CONSTITUIÇÃO DO LUGAR DO ORIENTADOR EDUCACIONAL DIANTE DA ORIENTAÇÃO SEXUAL NA ESCOLA: RELATO DE UMA PESQUISA PARTICIPANTE Aprovado em 06 de dezembro de (Data da apresentação da Banca Examinadora) BANCA EXAMINADORA Prof. Dra. Luiza Rodrigues de Oliveira (orientadora) Centro Universitário Plínio Leite Prof. Dra. Antonio Carlos de Miranda (membro interno) Centro Universitário Plínio Leite Prof. Dra. Mirian Paura S. Zippin Grinspun (membro externo) Universidade Estadual do Rio de Janeiro Rio de Janeiro, 06 de dezembro de 2005.

CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA

CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA 1 Prezado(a) aluno(a), Este roteiro foi preparado para auxiliá-lo na elaboração de sua monografia (TCC). Ele o apoiará na estruturação das etapas do seu trabalho de maneira

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA ANEXO da Norma 004/2008 CCQ Rev 1, 28/09/2009 UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE QUÍMICA CURSO DE GRADUAÇÃO EM QUÍMICA Salvador 2009 2 1 Objetivo Estabelecer parâmetros para a apresentação gráfica

Leia mais

REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO

REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO 1 REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO Os seguintes padrões atendem às exigências da FTC Feira de Santana, em conformidade com a NBR 14724:2002/2005 da Associação Brasileira de Normas Técnicas

Leia mais

METODOLOFIA DA PESQUISA CIENTÍFICA

METODOLOFIA DA PESQUISA CIENTÍFICA 1 ORIENTAÇÕES PARA A CONTRUÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA E TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC (MONOGRAFIA) METODOLOFIA DA PESQUISA CIENTÍFICA 2 SUMÁRIO Apresentação... O conhecimento Científico... Recomendações

Leia mais

- TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto de 2008)

- TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto de 2008) Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre Curso de Sistemas de Informação Trabalho de Conclusão de Curso Prof. Dr. Luís Fernando Garcia - TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto

Leia mais

Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011. São Carlos

Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011. São Carlos Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011 São Carlos Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico As orientações abaixo estão de acordo com NBR 14724/2011 da Associação

Leia mais

NBR 14724/2011 ABNT NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 19/10/2011. Objetivo

NBR 14724/2011 ABNT NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 19/10/2011. Objetivo Objetivo ABNT Normas para elaboração de trabalhos científicos Esta Norma especifica os princípios gerais para a elaboração de trabalhos acadêmicos, visando sua apresentação à instituição Estrutura Parte

Leia mais

5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5.

5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5. 5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5.2 Capa... 48 5.3 Folha de rosto... 51 5.4 Errata... 53

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III

UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III Projeto Integrado Multidisciplinar Cursos Superiores Tecnológicos G. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Trabalho

Leia mais

2- DETALHES SOBRE A ESTRUTURA DO RELATÓRIO A seguir estão orientações sobre como formatar as diversas partes que compõem o relatório.

2- DETALHES SOBRE A ESTRUTURA DO RELATÓRIO A seguir estão orientações sobre como formatar as diversas partes que compõem o relatório. 1 - ESTRUTURA DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO O relatório do Estágio Supervisionado de todos os cursos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Minas Gerais Campus Formiga - irá mostrar

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA (ABNT - NBR 15287- válida a partir de 30.01.2006) 1 COMPONENTES DE UM PROJETO DE PESQUISA (itens em negrito são obrigatórios) ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS Capa

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte Faculdade de Educação ORIENTAÇÕES GERAIS PARA NORMALIZAÇÃO DA MONOGRAFIA

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte Faculdade de Educação ORIENTAÇÕES GERAIS PARA NORMALIZAÇÃO DA MONOGRAFIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte Faculdade de Educação ORIENTAÇÕES GERAIS PARA NORMALIZAÇÃO DA MONOGRAFIA 2014 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA Regulamento do TCC

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA Regulamento do TCC ANEXO A TERMO DE COMPROMISSO DE ORIENTAÇÃO DO TRABALHO DE Nome do Aluno: Matricula: Título do TCC CONCLUSAO DE CURSO (TCC) Solicito que seja designado como meu Orientador do Trabalho de Conclusão de Curso

Leia mais

Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos

Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos Padrão FEAD de normalização Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos Objetivo Visando padronizar os trabalhos científicos elaborados por alunos de nossa instituição Elaboramos este manual

Leia mais

NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT TRABALHOS ACADÊMICOS:

NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT TRABALHOS ACADÊMICOS: MANUAL PARA TCC www.etecmonteaprazivel.com.br Estrada do Bacuri s/n Caixa Postal 145 Monte Aprazível SP CEP 15150-000 Tel.: (17) 3275.1522 Fax: (17) 3275.1841 NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT

Leia mais

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS ARACAJU 2012 2 PREFÁCIO A apresentação dos trabalhos acadêmicos

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE DISSERTAÇÃO (FORMATO

Leia mais

ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA

ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA A elaboração da monografia deve ter como referência a ABNT NBR 14724/ 2006, a qual destaca que um trabalho acadêmico compreende elementos pré-textuais,

Leia mais

REGRAS BÁSICAS PARA APRESENTAÇÃO FORMAL DE TRABALHOS

REGRAS BÁSICAS PARA APRESENTAÇÃO FORMAL DE TRABALHOS F A C UL DA DE DE P R E S I DE N T E V E N C E S L A U REGRAS BÁSICAS PARA APRESENTAÇÃO FORMAL DE TRABALHOS APRESENTAÇÃO GRÁFICA - CONFIGURAÇÃO DAS MARGENS Ir ao menu Arquivo, escolher a opção Configurar

Leia mais

Escola de Administração Biblioteca. Normas para elaboração do TCC

Escola de Administração Biblioteca. Normas para elaboração do TCC Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Administração Biblioteca Normas para elaboração do TCC O que é um Trabalho de Conclusão de Curso? O TCC, é um trabalho acadêmico feito sob a coordenação

Leia mais

Os trabalhos acadêmicos devem ser divididos em: elementos pré-textuais, textuais e

Os trabalhos acadêmicos devem ser divididos em: elementos pré-textuais, textuais e NORMAS PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA O projeto gráfico é de responsabilidade do autor

Leia mais

NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL) Apresentação Gráfica

NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL) Apresentação Gráfica UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Faculdade de Educação UAB/UnB Curso de Especialização em Educação na Diversidade e Cidadania, com Ênfase em EJA Parceria MEC/SECAD NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL)

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS APRESENTAÇÃO O trabalho deve ser digitado e impresso em papel formato A4. O texto deve ser digitado, no anverso das folhas, em espaço 1,5, letra do tipo

Leia mais

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA MANUAL DE NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS DE CONCLUSÃO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA FORMOSA/GO

Leia mais

ABNT NBR 14724 [terceira edição atualizada em 2011]

ABNT NBR 14724 [terceira edição atualizada em 2011] ABNT NBR 14724 [terceira edição atualizada em 2011] Professora Alcione Mazur 25/07/11 Cancela e substitui a edição anterior. ABNT NBR 14724: 2005 Não houve alterações na estrutura do trabalho, mas em uma

Leia mais

MONOGRAFIA ESTRUTURA DE MONOGRAFIAS

MONOGRAFIA ESTRUTURA DE MONOGRAFIAS MONOGRAFIA Trata-se de uma construção intelectual do aluno-autor que revela sua leitura, reflexão e interpretação sobre o tema da realidade. Tem como base a escolha de uma unidade ou elemento social, sob

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE INGRESSO E VITALICIAMENTO DOS NOVOS MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE INGRESSO E VITALICIAMENTO DOS NOVOS MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ GESTÃO2010/2012 ESCOLASUPERIORDOMINISTÉRIOPÚBLICO(Art.1ºdaLei11.592/89) Credenciada pelo Parecer 559/2008, de 10/12/08, do CEC (Art. 10, IV da Lei Federal n.º 9.394, de 26/12/1996 - LDB) NORMAS PARA ELABORAÇÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado MANUAL DE DEFESA Exame de Qualificação: banca examinadora

Leia mais

Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010

Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010 1 Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010 Pré-textuais Textuais Pós-textuais Estrutura Elemento OK Capa (obrigatório) Anexo A (2.1.1) Lombada (obrigatório) Anexo H Folha

Leia mais

DISCIPLINA: PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II E III CIÊNCIAS CONTÁBEIS ACADÊMICOS

DISCIPLINA: PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II E III CIÊNCIAS CONTÁBEIS ACADÊMICOS DISCIPLINA: PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II E III CIÊNCIAS CONTÁBEIS APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS PROF. DR. MARCOS FRANCISCO R. SOUSA PROF. Me. CELSO LUCAS COTRIM APRESENTAÇÃO

Leia mais

OBRIGATÓRIO= + OPCIONAL= *

OBRIGATÓRIO= + OPCIONAL= * Lombada* UFRGS FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS BIBLIOTECA GLÁDIS W. DO AMARAL ORIENTAÇÃO SOBRE A ESTRUTURA DO TRABALHO ACADÊMICO Elementos póstextuais INDICES * PARTE INTERNA ANEXOS * APENDICES * GLOSSARIO

Leia mais

TRABALHO ACADÊMICO. Apresentação gráfica

TRABALHO ACADÊMICO. Apresentação gráfica 2012 2 Núcleo de Apoio à Pesquisa na Graduação- NAP/UNIMAR Projeto de Pesquisa; Apresentação gráfica TRABALHO ACADÊMICO Apresentação gráfica Segundo normas estabelecidas pela Associação Brasileira de Normas

Leia mais

Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura

Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura Iniciação à Pesquisa em Informática Profª MSc. Thelma E. C. Lopes e-mail: thelma@din.uem.br 2 Texto Científico: o que é? A elaboração do texto científico

Leia mais

4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO

4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO Este capítulo visa a orientar a elaboração de artigos científicos para os cursos de graduação e de pós-graduação da FSG. Conforme a NBR 6022 (2003, p. 2),

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA APRESENTAÇÃO NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS O trabalho deve ser digitado e impresso em papel

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS 2013

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS 2013 NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS 2013 Jaciara-MT COMPOSIÇÃO DA MONOGRAFIA MONOGRAFIA Recebe nº página CAPA FOLHA DE ROSTO FOLHA DE APROVAÇÃO DEDICATÓRIA (OPCIONAL) AGRADECIMENTO (OPCIONAL) EPIGRAFE

Leia mais

universia.com.br/materia/img/tutoriais/ /01.jsp 1/1

universia.com.br/materia/img/tutoriais/ /01.jsp 1/1 5/12/2008 Monografias - Apresentação Fazer um trabalho acadêmico exige muito de qualquer pesquisador ou estudante. Além de todo esforço em torno do tema do trabalho, é fundamental ainda, adequá-lo às normas

Leia mais

ESTRUTURA DE UM TRABALHO MONOGRÁFICO (NBR 14724/2005)

ESTRUTURA DE UM TRABALHO MONOGRÁFICO (NBR 14724/2005) Errata Folha de Rosto Capa ESTRUTURA DE UM TRABALHO MONOGRÁFICO (NBR 14724/2005) Epígrafe Resumo L. estrangeira Resumo Agradecimentos Dedicatória Folha de Aprovação Anexos Apêndices Glossário Referências

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA Normas para elaboração de Dissertações do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais MODELO

Leia mais

MODELO DE PROJETO DE PESQUISA DA ADJETIVO CETEP

MODELO DE PROJETO DE PESQUISA DA ADJETIVO CETEP MODELO DE PROJETO DE PESQUISA DA ADJETIVO CETEP REPRESENTAÇÕES GRÁFICAS DOS TRABALHOS Formato: A4 Cor preta Espaçamento entre linhas: 1,5cm Fonte texto: Times New Roman, 12 ou Arial, 11 Margem superior

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA (UESB) DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS (DCE) CURSO DE MATÉMATICA VANÊIDE ROCHA DIAS RIBEIRO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA (UESB) DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS (DCE) CURSO DE MATÉMATICA VANÊIDE ROCHA DIAS RIBEIRO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA (UESB) DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS (DCE) CURSO DE MATÉMATICA VANÊIDE ROCHA DIAS RIBEIRO FORMATAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS (FTA) VITÓRIA DA CONQUISTA BA 2009

Leia mais

DIRETRIZES PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOENGENHARIA

DIRETRIZES PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOENGENHARIA 1 DIRETRIZES PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOENGENHARIA O projeto gráfico é de responsabilidade do autor do trabalho, ou seja, o que não consta no texto destas

Leia mais

ESTRUTURA DO TRABALHO ACADÊMICO. Dissertações, Teses e Trabalhos de Conclusão de Curso de Graduação, Especialização e outros.

ESTRUTURA DO TRABALHO ACADÊMICO. Dissertações, Teses e Trabalhos de Conclusão de Curso de Graduação, Especialização e outros. ESTRUTURA DO TRABALHO ACADÊMICO Dissertações, Teses e Trabalhos de Conclusão de Curso de Graduação, Especialização e outros. Estrutura Elementos Parte externa Capa (obrigatório) Lombada (opcional) Parte

Leia mais

INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS PONTA GROSSA 2011 LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

Leia mais

Manual TCC Administração

Manual TCC Administração 1 Manual TCC Administração 2013 2 Faculdade Marista Diretor Geral Ir. Ailton dos Santos Arruda Diretora Administrativo-Financeiro Sra. Rafaella Nóbrega Coordenador do Curso de Administração e Gestão de

Leia mais

BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS. NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS: TRABALHOS ACADÊMICOS Aula 1

BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS. NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS: TRABALHOS ACADÊMICOS Aula 1 BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS: TRABALHOS ACADÊMICOS Aula 1 Paula Carina de Araújo paulacarina@ufpr.br 2014 Pesquisa Pesquisa Atividade básica da ciência

Leia mais

PIM I. Projeto Integrado Multidisciplinar

PIM I. Projeto Integrado Multidisciplinar PIM I Projeto Integrado Multidisciplinar PIM I - PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Descrição e Análise de Práticas de Gestão Organizacional em uma Empresa. OBJETIVOS: Favorecer aos alunos ingressantes

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO -TCC

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO -TCC UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE QUÍMICA NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO -TCC 1 APRESENTAÇÃO As recomendações a seguir resumem os princípios para a elaboração

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ - UESC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BOTÂNICA - PPGBOT. ANEXO 1 Normas de editoração e estruturação de dissertações

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ - UESC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BOTÂNICA - PPGBOT. ANEXO 1 Normas de editoração e estruturação de dissertações UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ - UESC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BOTÂNICA - PPGBOT ANEXO 1 Normas de editoração e estruturação de dissertações 1ª edição Ilhéus BA 2012 SUMÁRIO SUMÁRIO... 2 APRESENTAÇÃO...

Leia mais

PROJETO MULDISCIPLINAR DO CURSO DE BACHAREL EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIESP FACULDADE DO GUARUJÁ. Prof. Marat Guedes Barreiros

PROJETO MULDISCIPLINAR DO CURSO DE BACHAREL EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIESP FACULDADE DO GUARUJÁ. Prof. Marat Guedes Barreiros PROJETO MULDISCIPLINAR DO CURSO DE BACHAREL EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIESP FACULDADE DO GUARUJÁ Prof. Marat Guedes Barreiros GUARUJÁ 2º semestre de 2013 PROJETO MULDISCIPLINAR Curso superior de BACHAREL em

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 002/2009/PEQ-UFS ANEXO I NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 002/2009/PEQ-UFS ANEXO I NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA N 002/2009/PEQ-UFS ANEXO I NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO 1. INTRODUÇÃO A Dissertação é a apresentação escrita do trabalho de pesquisa desenvolvido no âmbito do Programa de

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO 1 Modelo de Artigo de periódico baseado na NBR 6022, 2003. Título do artigo, centralizado. COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Maria Bernardete Martins Alves * Susana Margaret de Arruda ** Nome do (s) autor

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA OU DO TRABALHO CIENTIFICO

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA OU DO TRABALHO CIENTIFICO 39 INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA OU DO TRABALHO CIENTIFICO 1. MONOGRAFIA Monografias são exposições de um problema ou assunto específico, investigado cientificamente, assim, não exige originalidade,

Leia mais

AJES FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÀO DO VALE DO JURUENA E AJES - INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO VALE DO JURUENA

AJES FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÀO DO VALE DO JURUENA E AJES - INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO VALE DO JURUENA AJES FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÀO DO VALE DO JURUENA E AJES - INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO VALE DO JURUENA NORMAS DE APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS JUINA/MT JULHO/2009 SUMÁRIO Introdução...

Leia mais

ABNT NBR 15287 NORMA BRASILEIRA. Informação e documentação Projeto de pesquisa Apresentação

ABNT NBR 15287 NORMA BRASILEIRA. Informação e documentação Projeto de pesquisa Apresentação NORMA BRASILEIRA ABNT NBR 15287 Primeira edição 30.12.2005 Válida a partir de 30.01.2006 Informação e documentação Projeto de pesquisa Apresentação Information and documentation Research project Presentation

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PIRENÓPOLIS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PIRENÓPOLIS 0 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PIRENÓPOLIS MANUAL PARA FORMATAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS DA UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PIRENÓPOLIS PIRENÓPOLIS 2012 1 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 1

Leia mais

Elaborado pelo Coordenador do curso de Gestão Empresarial Prof. Ms. Ricardo Resende Dias e pela professora Profª Drª Silvana de Brito Arrais Dias.

Elaborado pelo Coordenador do curso de Gestão Empresarial Prof. Ms. Ricardo Resende Dias e pela professora Profª Drª Silvana de Brito Arrais Dias. Elaborado pelo Coordenador do curso de Gestão Empresarial Prof. Ms. Ricardo Resende Dias e pela professora Profª Drª Silvana de Brito Arrais Dias. Goiânia, 2010 SUMÁRIO SUMÁRIO...2 1. INTRODUÇÃO...3 1.1-

Leia mais

Normas para Apresentação de Monografias

Normas para Apresentação de Monografias UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE DEPARTAMENTO DE SISTEMAS E COMPUTAÇÃO COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Normas para Apresentação de Monografias Campina Grande, dezembro 2010

Leia mais

MODELO DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA

MODELO DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA MODELO DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E ENGENHARIA DE MATERIAIS Elaborado por Prof. Dr. Rodrigo Sampaio Fernandes Um projeto de pesquisa consiste em um documento no qual

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA. Apresentação gráfica

PROJETO DE PESQUISA. Apresentação gráfica 2012 PROJETO DE PESQUISA Apresentação gráfica Revisto e atualizado segundo alterações ABNT: NBR 15287:2011 Projeto de Pesquisa; NBR 14724:2011 Trabalhos Acadêmicos. Profa. Dra. Wakiria Martinez Heinrich

Leia mais

GESTÃO HOSPITALAR. PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar

GESTÃO HOSPITALAR. PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar GESTÃO HOSPITALAR PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar 1 PIM PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Elaborar um estudo acerca Estrutura e Funcionamento do Sistema de Saúde Pública e Privada no Brasil.

Leia mais

Normas técnicas para a monografia de graduação da Faculdade de Letras

Normas técnicas para a monografia de graduação da Faculdade de Letras UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO FACULDADE DE LETRAS DIREÇÃO ADJUNTA DE GRADUAÇÃO SEÇÃO DE ENSINO Normas técnicas para a monografia de graduação da Faculdade de Letras 2 SUMÁRIO 1 APRESENTAÇÃO...

Leia mais

(Publicações da Biblioteca; 4) ORGANIZAÇÃO. Weber Vasconcellos Gomes Maria Consuelene Marques Maurinete dos Santos

(Publicações da Biblioteca; 4) ORGANIZAÇÃO. Weber Vasconcellos Gomes Maria Consuelene Marques Maurinete dos Santos (Publicações da Biblioteca; 4) ORGANIZAÇÃO Weber Vasconcellos Gomes Maria Consuelene Marques Maurinete dos Santos Revisto e atualizado de acordo com a NBR 15287/2011 Brasília 2011 1 APRESENTAÇÃO De acordo

Leia mais

Manual de Trabalho de Conclusão de Curso

Manual de Trabalho de Conclusão de Curso CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Manual de Trabalho de Conclusão de Curso Curso de Engenharia de Produção NATAL RN 2010 Apresentação O curso de Engenharia de Produção institui

Leia mais

FACULDADE ÚNICA DE CONTAGEM CLAUDIANE SANTANA MANUAL DE NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS CIENTÍFICOS

FACULDADE ÚNICA DE CONTAGEM CLAUDIANE SANTANA MANUAL DE NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS CIENTÍFICOS FACULDADE ÚNICA DE CONTAGEM CLAUDIANE SANTANA MANUAL DE NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS CIENTÍFICOS Baseado nas obras de Júnia Lessa França e Ana Cristina de Vasconcellos; Rosy Mara Oliveira. Atualizado

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA ABNT NBR 15287:2011. Especifica os princípios gerais para a elaboração de projetos de pesquisa

PROJETO DE PESQUISA ABNT NBR 15287:2011. Especifica os princípios gerais para a elaboração de projetos de pesquisa PROJETO DE PESQUISA ABNT NBR 15287:2011 Especifica os princípios gerais para a elaboração de projetos de pesquisa REFERÊNCIA NORMATIVA Documentos indispensáveis à aplicação deste documento ABNT NBR 6023

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DO TCC ARUJÁ SP

CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DO TCC ARUJÁ SP CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DO TCC ARUJÁ SP 2011 ESTRUTURA 1 ELEMENTOS DE PRÉ-TEXTO 1.1 Capa 1.2 Lombada descendente 1.3 Folha de rosto 1.4 Folha de aprovação 1.5 Dedicatória 1.6 Agradecimentos 1.7 Epígrafe

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC. Título

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC. Título UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC CENTRO DE CIÊNCIAS NATURAIS E HUMANAS Programa de Pós-Graduação em Biotecnociência Título Santo André dd/mm/aaaa Normas para Dissertações Mestrado em Biotecnociência - UFABC.

Leia mais

Curso de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda NORMAS PARA ELABORAÇÃO / APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

Curso de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda NORMAS PARA ELABORAÇÃO / APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS Curso de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda NORMAS PARA ELABORAÇÃO / APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 1 ESTRUTURA A estrutura e a disposição dos elementos de um trabalho acadêmico são as

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE Comissão Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em

Leia mais

Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos

Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos Maria Bernardete Martins Alves Marili I. Lopes Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos Módulo 3 Apresentação

Leia mais

MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISAS (PADRÃO UDF)

MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISAS (PADRÃO UDF) (Publicações da Biblioteca; 4) ORGANIZAÇÃO Weber Vasconcellos Gomes Maria Consuelene Marques Maurinete dos Santos MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISAS (PADRÃO UDF) 3ª edição Revisto e atualizado

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. PIM IV Projeto Integrado Multidisciplinar

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. PIM IV Projeto Integrado Multidisciplinar SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PIM IV Projeto Integrado Multidisciplinar 1 PIM PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Propor a aplicação dos conhecimentos adquiridos nas disciplinas do semestre na estratégia

Leia mais

Título do trabalho: subtítulo do trabalho

Título do trabalho: subtítulo do trabalho Título do trabalho: subtítulo do trabalho Resumo Este documento apresenta um modelo de formatação a ser utilizado em artigos e tem como objetivo esclarecer aos autores o formato a ser utilizado. Este documento

Leia mais

GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA - UFSJ

GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA - UFSJ UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI UFSJ CAMPUS CENTRO-OESTE DONA LINDU CCO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA

Leia mais

ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PIM V. Projeto Integrado Multidisciplinar

ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PIM V. Projeto Integrado Multidisciplinar ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PIM V Projeto Integrado Multidisciplinar 1 PIM PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Propor a aplicação dos conhecimentos adquiridos nas disciplinas do semestre

Leia mais

Normas para Redação da Dissertação/Tese

Normas para Redação da Dissertação/Tese Normas para Redação da Dissertação/Tese Estrutura A estrutura de uma dissertação, tese ou monografia compreende três partes fundamentais, de acordo com a ABNT (NBR 14724): elementos prétextuais, elementos

Leia mais

GUIA PARA CONFECÇÃO DE PROJETO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)

GUIA PARA CONFECÇÃO DE PROJETO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) GUIA PARA CONFECÇÃO DE PROJETO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) Mestrado Profissional em Metrologia e Qualidade Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial 2010 APRESENTAÇÃO

Leia mais

GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA FORMATAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA FORMATAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA FORMATAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO 1. APRESENTAÇÃO É essencial o uso de normas técnicas para uma boa apresentação e compreensão da leitura de um trabalho acadêmico-científico.

Leia mais

REGRAS GERAIS PARA APRESENTAÇÃO/FORMATAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS. Prof. Dr. Luiz Carlos dos Santos

REGRAS GERAIS PARA APRESENTAÇÃO/FORMATAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS. Prof. Dr. Luiz Carlos dos Santos REGRAS GERAIS PARA APRESENTAÇÃO/FORMATAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS Todo trabalho acadêmico deve ser elaborado segundo parâmetros determinados pela Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT. Assim,

Leia mais

FACULDADE DOM BOSCO. Credenciada através da Portaria nº 2.387, D.O.U. em 12/08/2004 Cornélio Procópio/Paraná MANUAL DE TRABALHO DE CURSO

FACULDADE DOM BOSCO. Credenciada através da Portaria nº 2.387, D.O.U. em 12/08/2004 Cornélio Procópio/Paraná MANUAL DE TRABALHO DE CURSO FACULDADE DOM BOSCO Credenciada através da Portaria nº 2.387, D.O.U. em 12/08/2004 Cornélio Procópio/Paraná MANUAL DE TRABALHO DE CURSO CORNÉLIO PROCÓPIO 2012 Como elaborar um TC 1 Introdução Objetiva-se

Leia mais

SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA

SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA São Paulo 2014 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 1 ELEMENTOS EXTERNOS 1.1 CAPA 1.2 LOMBADA 2 ELEMENTOS INTERNOS PRÉ-TEXTUAIS

Leia mais

Trabalho de Conclusão de Curso (Administração) ETEC TEOTÔNIO ALVES PEREIRA

Trabalho de Conclusão de Curso (Administração) ETEC TEOTÔNIO ALVES PEREIRA Trabalho de Conclusão de Curso (Administração) ETEC TEOTÔNIO ALVES PEREIRA Objetivo: Estas diretrizes têm por objetivo padronizar a apresentação dos Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC) dos Cursos Técnicos

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS DO CET/UnB

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS DO CET/UnB UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Centro de Excelência em Turismo MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS DO CET/UnB Por: Jakeline V. de Pádua APRESENTAÇÃO As páginas que se seguem especificam os princípios gerais

Leia mais

GUIA PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA UFSJ

GUIA PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA UFSJ UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI UFSJ CAMPUS CENTRO OESTE DONA LINDU GUIA PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA UFSJ DIVINÓPOLIS MG 2009 O Trabalho de

Leia mais

PIM III. Projeto Integrado Multidisciplinar

PIM III. Projeto Integrado Multidisciplinar PIM III Projeto Integrado Multidisciplinar PIM III - PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Descrição e análise de práticas de gestão em empresas hospitalares de médio porte. OBS: O Projeto deverá ser

Leia mais

DIRETRIZES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA TCC2

DIRETRIZES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA TCC2 UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS COORDENAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA COORDENAÇÃO ADJUNTA DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DIRETRIZES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE AGUDOS - FAAG BIBLIOTECA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS PARA O PERIÓDICO. REVISTA DiCA!

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE AGUDOS - FAAG BIBLIOTECA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS PARA O PERIÓDICO. REVISTA DiCA! CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE AGUDOS - FAAG BIBLIOTECA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS PARA O PERIÓDICO REVISTA DiCA! Biblioteca - FAAG Tel. (14) 3262-9400 Ramal: 417 Email: biblioteca@faag.com.br http://www.faag.com.br/faculdade/biblioteca.php

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPUS CENTRAL NATAL DIRETORIA DE ENSINO E TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO CIVIL

INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPUS CENTRAL NATAL DIRETORIA DE ENSINO E TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO CIVIL INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPUS CENTRAL NATAL DIRETORIA DE ENSINO E TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO CIVIL NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE UM RELATÓRIO TÉCNICO Eurípedes de Medeiros Junior 1 Mara Matos

Leia mais

ANEXO IV RELATO DE EXPERIÊNCIA TÍTULO DO TRABALHO

ANEXO IV RELATO DE EXPERIÊNCIA TÍTULO DO TRABALHO ANEXO IV RELATO DE EXPERIÊNCIA TÍTULO DO TRABALHO Nome Sobrenome 1 Nome Sobrenome 2 RESUMO Este trabalho apresenta os elementos que constituem a estrutura do relato de experiência para o programa de apoio

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO 1 Modelo de Artigo de periódico baseado na NBR 6022, 2003. Título do artigo, centralizado. COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Andersown Becher Paes de Barros * Ideraldo Bonafé ** RESUMO Este trabalho apresenta

Leia mais

NORMAS PARA FORMATAR TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

NORMAS PARA FORMATAR TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Faculdades Milton Campos (FMC) NORMAS PARA FORMATAR TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Texto organizado a partir das normas vigentes da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) Emilce Maria Diniz Bibliotecária

Leia mais

FEMPAR Fundação Escola do Ministério Público do Paraná NORMAS METODOLÓGICAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO FINAL DE MONOGRAFIA

FEMPAR Fundação Escola do Ministério Público do Paraná NORMAS METODOLÓGICAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO FINAL DE MONOGRAFIA FEMPAR Fundação Escola do Ministério Público do Paraná NORMAS METODOLÓGICAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO FINAL DE MONOGRAFIA CURITIBA 2012 SUMÁRIO 1. ESTRUTURA DA MONOGRAFIA...03 1.1. Elementos pré-textuais...03

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP. FACULDADE (do aluno) CURSO. TÍTULO DO PROJETO Subtítulo do Projeto AUTOR DO PROJETO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP. FACULDADE (do aluno) CURSO. TÍTULO DO PROJETO Subtítulo do Projeto AUTOR DO PROJETO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP FACULDADE (do aluno) CURSO TÍTULO DO PROJETO Subtítulo do Projeto AUTOR DO PROJETO TÍTULO DO RELATÓRIO AUTOR(ES) DO RELATÓRIO SÃO PAULO 200_ NOTA PRÉVIA

Leia mais

FACULDADE DE EDUCAÇÃO DE COSTA RICA-FECRA INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO LAURADAIANE REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC CURSO: LETRAS

FACULDADE DE EDUCAÇÃO DE COSTA RICA-FECRA INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO LAURADAIANE REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC CURSO: LETRAS FACULDADE DE EDUCAÇÃO DE COSTA RICA-FECRA INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO LAURADAIANE REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC CURSO: LETRAS INTRODUÇÃO FORMAS E REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO

Leia mais

MANUAL Mostra de Responsabilidade Social

MANUAL Mostra de Responsabilidade Social MANUAL Mostra de Responsabilidade Social 1. REGRAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO/TEXTO Após pesquisas sobre Responsabilidade Social, escrever um artigo entre 3 a 5 páginas, seguindo os itens abaixo: 1 elementos

Leia mais

Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT

Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT Editoração do Trabalho Acadêmico 1 Formato 1.1. Os trabalhos devem ser digitados em papel A-4 (210 X297 mm) apenas no anverso (frente) da folha. 2 Tipo e tamanho

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS DE ESTÁGIO

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS DE ESTÁGIO MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS DE ESTÁGIO INSTITUTO FEDERAL MINAS GERAIS CAMPUS CONGONHAS MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS DE ESTÁGIO Congonhas 2009 Caio Mário Bueno Silva Reitor do IFMG Eleonardo

Leia mais

ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DO PROJETO/ARTIGO 1. O PROJETO DE PESQUISA

ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DO PROJETO/ARTIGO 1. O PROJETO DE PESQUISA ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DO PROJETO/ARTIGO 1. O PROJETO DE PESQUISA A primeira etapa para a organização do TCC nos cursos de pós-graduação lato sensu a distância consiste na elaboração do projeto de pesquisa,

Leia mais

Guia de Orientação para o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC)

Guia de Orientação para o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) 1 Guia de Orientação para o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) Gepós Unidade de Gestão de Pós Graduação Como requisito obrigatório para a obtenção do certificado de pós-graduação, o TCC deve ser desenvolvido

Leia mais