Mariana Oliveira, mais conhecida como

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Mariana Oliveira, mais conhecida como"

Transcrição

1 Entrevista: Mariana (Mainha) e Cleusa Oliveira, Baianas do Acarajé Mariana Oliveira, mais conhecida como a baiana da torre de TV, é uma das personagens mais conhecidas de Brasília. Há quase quarenta anos na capital brasileira, a Barraca da Mainha, como é conhecido seu pequeno empreendimento, faz sucesso entre os turistas brasileiros e estrangeiros que visitam a Capital Federal. Indicativo desse prestígio são os convites que tanto Dona Mariana como sua filha Dona Cleusa recebem de diversas autoridades para fazerem o famoso acarajé em cerimônias públicas. Nesta entrevista cedida a Textos do Brasil, Dona Cleusa comenta algumas peculiaridades de seu ofício, registrado, recentemente, como Patrimônio Histórico Imaterial. Sabores do Brasil 123

2 Foto: Anneluize Shmeil TB: A senhora sabe o que significa a palavra acarajé? Baiana: A origem é da África. Vem de acará, que significa bola de fogo. Jé quer dizer comer. TB: Apenas os filhos-de-santo podem fazer o acarajé? Baiana: Sim. Os filhos-de-santo fazem acarajé para oferenda. Quando estão fazendo a cabeça, fazem oferenda para Iansã. É aconselhável que seja feito por quem é filha de Iansã. TB: Quais são os rituais de uso do acarajé no candomblé? Baiana: É a comida de Iansã. A gente faz os bolinhos e oferece para ela. Na origem assim conta a história, que não é da minha época, nem da minha mãe, foi da minha bisa as africanas vinham e faziam. Você sabe que a religião delas 124 Textos do Brasil. Nº 13

3 era o candomblé. E só recebiam a graça se elas rezassem, dançassem para o santo e oferecessem o acarajé. Umas oferecem só o bolinho cru. Depende do que o santo pede. Outras oferecem frito também, puro, sem nada. Oferecem no bambuzal. Isso é para Iansã, isso não é trabalho! A gente vende o acarajé como trabalho também. Mas, primeiro, nós damos a graça e, depois, nós trabalhamos. E as africanas segundo as histórias que ouço desde que nasci eram muito maltratadas pelas sinhás. Então, elas faziam o acarajé para comer e davam um pouco para Iansã para que ela desse uma surra na iaiá. A fé remove montanha, né? Elas tinha fé de que a sinhá ficaria mansinha, ficaria boa, acalmaria. Iansã é dona do vento, é Santa Bárbara. Então elas faziam essa oferenda. É igual a quem tem fé em Santo Antônio. O que dar para Santo Antônio?! Um pãozinho. Ofereço um pãozinho para uma criança e Santo Antônio me dá uma graça. As negras, as africanas que vieram para o nosso país, davam um bolinho para Iansã acalmar a sinhá. Não era fazendo o mal, era fazendo o bem, para que ela, a sinhá, não judiasse tanto delas. E, na mediação da fome, fritava e comia. A nossa história é linda! TB: O acarajé utilizado no candomblé é diferente do que é vendido nos tabuleiros? Baiana: Depende do orixá que pedir. Alguns pedem frito, outros pedem cru. Iansã gosta bem pequeno e frito. Puro, sem recheio. TB: Quais são os segredos para se fazer um bom acarajé? Baiana: Bom, é segredo, né? (risos) As negras, as africanas que vieram para o nosso país, davam um bolinho para Iansã acalmar a sinhá. Não era fazendo o mal, era fazendo o bem, para que ela a sinhá não judiasse tanto delas. E, na mediação da fome, fritava e comia. A nossa história é linda! TB: Como o acarajé é servido? Baiana: Quando eu nasci, minha mãe fazia o bolinho de feijão, fritava três camarõezinhos, cortava, botava uma pimentinha e vatapá. Só isso! Agora, não, como muita gente não come camarão, muitas baianas preparam tudo separado: vatapá, camarão e salada. Em Salvador, tem muita gente que já serve com caruru outra comida de orixá que não tem nada a ver com o acarajé. Isso é para o turista aprender a comer caruru. TB: O modo de se fazer acarajé se tornou patrimônio cultural do Brasil... Baiana: Graças a Deus! Principalmente ao nosso esforço, porque se a gente não corresse atrás!... Havia pessoas fazendo a farinha de feijão de qualquer jeito para exportação. Na embalagem tinha a figura de uma baiana, para dizer que Sabores do Brasil 125

4 A nossa culinária tem mil e tantos pratos, então com um pedacinho de pimenta, um pouquinho de dendê e uma água de peixe, a gente faz diversas comidas. foi uma baiana que fez. Foi a nossa associação, lá de Salvador, que correu atrás para ser patrimônio nosso, para patentear a nossa culinária. Porque, se não, ia ser igual ao açaí, que o japonês patenteou. E não tem nada a ver! Veio aqui no Brasil, comprou o açaí, patenteou e é dele! O acarajé é nosso com muito orgulho! TB: Por que a receita do acarajé não pode ser modificada? Baiana: Porque não dá certo. Primeiro, porque é uma comida sagrada. Além disso, se modificasse não teria graça, ficaria ruim. Por exemplo, tinha uma propaganda que nós, baianas, lutamos para tirar. Era uma propaganda de uma fábrica de frios em que se colocava lingüiça no acarajé. Aquilo foi um deboche! Por ela ser de uma nação, por ela ser de uma religião, ninguém deixa modificar a receita. TB: Qual a importância da regulamentação da profissão de baiana do acarajé, como acontece em Salvador? Baiana: Para nós isso é muito importante. Até porque já somos muitas. Muitas pessoas falam que o baiano é mais preguiçoso. Ele não gosta de levantar cedo, ele não gosta muito do batente. São as baianas as que vão à luta. Levantam cedo. Algumas vão lavar roupa na Lagoa do Abaeté. Outras vão para a casa da sinhá trabalhar. Outras são ótimas cozinheiras porque a nossa culinária tem mil e tantos pratos, então com um pedacinho de pimenta, um pouquinho de dendê e uma água de peixe, a gente faz diversas comidas. Por isso, ficamos felizes com essas iniciativas. O acarajé é nosso, das baianas do acarajé. Agora, no resto do Brasil ainda falta regulamentação. Tem gente de todas as partes do Brasil falando que é baiano e vendendo acarajé feito de qualquer jeito. Eu não sei porque eles não regularizam. Já tem muito acarajé na rua. Tem muito, muito mesmo. Antigamente, muita gente olhava para o acarajé e dizia: ai, eu não como esse bicho!. Hoje o Brasil inteiro come acarajé. TB: Quais são os adereços típicos da baiana do acarajé? Baiana: A nossa farda. É importante a nossa farda. Tem gente que gosta de estampada; outros branca. Como a baiana geralmente é bem pretinha, ela fica o máximo com a farda toda branquinha. Tem também as nossas guias-de-santo. Tem muitas que usam guia e nem sabem quem é o santo! Aí não dá, né? É só para enfeite! Tem que falar logo que é só para enfeite. Tem algumas baianas que também colocam uma folhinha de arruda na cabeça, para afastar mau-olhado. As pessoas acham que é para tirar a dor-de-cabeça, mas é contra quebranto. E seca rapidinho... TB: O que mais existe no tabuleiro da baiana além do acarajé? Baiana: Ah! Tem muita coisa! Pode ter abará, vatapá, cuscuz, cocada. No tabuleiro da 126 Textos do Brasil. Nº 13

5 baiana não pode faltar cocada. Inclusive quando a gente faz eventos, onde muitas vezes não querem cocada porque tem muita sobremesa, eu levo pelo menos 30, e se o freguês panha, tem que pagar! (risos). Tabuleiro sem cocada não tem graça! TB: Como a senhora vê a concorrência da venda de acarajé em bares e supermercados? É uma coisa boa ou ruim? Baiana: Para nós, não prejudicou em nada. Só expandiu a exposição do nosso produto, que é maravilhoso. É igual a churrasquinho que tem em todo lugar e todo mundo vende. Mas o bom acarajé, só o feito na hora, pela baiana. TB: As novidades tecnológicas, como o liqüidificador, facilitaram o preparo do acarajé? Baiana: Não. A gente não usa nada disso. Liqüidificador a gente só usa para bater a mandioca e fazer o bobó. Até para bater o pão, a gente deixa de molho e bate com a mão. Nós temos que manter a tradição. A gente não usa muito o liqüidificador, principalmente para bater a massa. E tem mais: quando se começa a bater a massa, não se pode passar para outra. Quando começa a bater, tem que bater até o fim. TB: Qual a reação dos estrangeiros ao provar o acarajé? Baiana: Ah! Ficam encantados! Muito encantados. Às vezes chega um ônibus, uma van de estrangeiros. Eles vêem e começam a provar desconfiados, porque têm medo de azangar a barriga. Aí pedem um, e fazem hummm, igual a Ana Maria Braga, e, então, todo mundo come. Os estrangeiros ficam encantados! Muito encantados. Às vezes chega um ônibus, uma van de estrangeiros. Eles vêem e começam a provar desconfiados, porque têm medo de azangar a barriga. Aí pedem um, e fazem hummm TB: E eles costumam pedir quente (apimentado)? Baiana: Não. Eles têm medo. Só quem pede apimentado é o indonésio e o africano. Eles comem o bolinho puro, puro com pimenta. Aí eles falam bagadu, bagadu. Sei lá o que é bagadu. Tô botando é pimenta!... (risos) TB: A senhora poderia nos dar a receita do acarajé? Baiana: Na medida do possível, posso. Até porque, o acarajé depende sobretudo da mão da baiana! Você compra o feijão-fradinho. Melhor comprar muito (uns dois quilos) porque a gente quebra um saco por dia. Quebra e deixa de molho para tirar a casca. Depois, você mói e bota tempero: sal e cebolinha branca. Cebola de cabeça. Não é a verde! Você pode bater bastante. Bota um pouquinho de sal, cebola e bate. O segredo é a batida! Depois faz o bolinho e frita no dendê para dar cor. No óleo, fica branquinho. Sabores do Brasil 127

Baianas do acarajé: uma história de resistência

Baianas do acarajé: uma história de resistência Carolina Cantarino Baianas do acarajé: uma história de resistência O ofício das baianas do acarajé é patrimônio cultural do Brasil. Quando anunciado, equívocos em torno do tombamento do acarajé e outros

Leia mais

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento.

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. museudapessoa.net P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. R Eu nasci em Piúma, em primeiro lugar meu nome é Ivo, nasci

Leia mais

Acarajé. Comida de Santo, Tradição e Fonte de Sustento.

Acarajé. Comida de Santo, Tradição e Fonte de Sustento. Acarajé Comida de Santo, Tradição e Fonte de Sustento. 1 2 Acarajé Comida de Santo, Tradição e Fonte de Sustento. David J. Santos 3 Copyright 2014 by David José dos Santos Foto: Acarajé da Baiana Autoria

Leia mais

Anexo 2.1 - Entrevista G1.1

Anexo 2.1 - Entrevista G1.1 Entrevista G1.1 Entrevistado: E1.1 Idade: Sexo: País de origem: Tempo de permanência 51 anos Masculino Cabo-verde 40 anos em Portugal: Escolaridade: Imigrações prévias : São Tomé (aos 11 anos) Língua materna:

Leia mais

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

Rio de Janeiro, 10 de junho de 2008

Rio de Janeiro, 10 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Rio de Janeiro, 10 de junho de 2008 Humberto Cordeiro Carvalho admitido pela companhia em 1 de julho de 1981. Eu nasci em 25 de maio de 55 em Campos do Goytacazes. FORMAÇÃO Segundo grau Escola

Leia mais

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA DESENGANO FADE IN: CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA Celular modelo jovial e colorido, escovas, batons e objetos para prender os cabelos sobre móvel de madeira. A GAROTA tem 19 anos, magra, não

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele O Plantador e as Sementes Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele sabia plantar de tudo: plantava árvores frutíferas, plantava flores, plantava legumes... ele plantava

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 2 Data: 18/10/2010 Hora: 16h00 Duração: 23:43 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

Lista de Diálogo - Cine Camelô

Lista de Diálogo - Cine Camelô Lista de Diálogo - Cine Camelô Oi amor... tudo bem? Você falou que vinha. É, eu tô aqui esperando. Ah tá, mas você vai vir? Então tá bom vou esperar aqui. Tá bom? Que surpresa boa. Oh mano. Aguá! Bolha!

Leia mais

Paródia 1ªA. Música Fugidinha Michel Teló. Cheguei na escola não consegui entender. Mas depois de um tempo tudo foi se resolver

Paródia 1ªA. Música Fugidinha Michel Teló. Cheguei na escola não consegui entender. Mas depois de um tempo tudo foi se resolver Paródia 1ªA Música Fugidinha Michel Teló Cheguei na escola não consegui entender Mas depois de um tempo tudo foi se resolver Tudo dando certo eu vou ficar esperto E vestibular eu vou fazer Sempre tem aquele

Leia mais

Os encontros de Jesus. sede de Deus

Os encontros de Jesus. sede de Deus Os encontros de Jesus 1 Jo 4 sede de Deus 5 Ele chegou a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, que ficava perto das terras que Jacó tinha dado ao seu filho José. 6 Ali ficava o poço de Jacó. Era mais ou

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex praticante Clarice Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 08.10.2013 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h COR PRETA

Leia mais

MEU TIO MATOU UM CARA

MEU TIO MATOU UM CARA MEU TIO MATOU UM CARA M eu tio matou um cara. Pelo menos foi isso que ele disse. Eu estava assistindo televisão, um programa idiota em que umas garotas muito gostosas ficavam dançando. O interfone tocou.

Leia mais

Sei... Entra, Fredo, vem tomar um copo de suco, comer um biscoito. E você também, Dinho, que está parado aí atrás do muro!

Sei... Entra, Fredo, vem tomar um copo de suco, comer um biscoito. E você também, Dinho, que está parado aí atrás do muro! Capítulo 3 N o meio do caminho tinha uma casa. A casa da Laila, uma menina danada de esperta. Se bem que, de vez em quando, Fredo e Dinho achavam que ela era bastante metida. Essas coisas que acontecem

Leia mais

Expressão Cultural selecionada: Rezadeiras

Expressão Cultural selecionada: Rezadeiras Município: Ipaporanga Estado: CE Mobilizador Cultural: Cyria Mayrellys Lima Expressão Cultural selecionada: Rezadeiras Prática desenvolvida na Europa, durante da Idade Média, estritamente dentro do modelo

Leia mais

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência 43 5 ADOLESCÊNCIA O termo adolescência, tão utilizado pelas classes médias e altas, não costumam fazer parte do vocabulário das mulheres entrevistadas. Seu emprego ocorre mais entre aquelas que por trabalhar

Leia mais

Oficina de Roteiro - Onda Cidadã

Oficina de Roteiro - Onda Cidadã Oficina de Roteiro - Onda Cidadã ---Pesquisa Todo vídeo necessita de pesquisa para ser produzido. Isto ajuda a organizar as ideias e facilita a produção. Faça a sua própria pesquisa (...) você deve fazer

Leia mais

FEIJOADA FÁCIL E LIGHT

FEIJOADA FÁCIL E LIGHT FEIJOADA FÁCIL E LIGHT Cozinha pratica do Souki - Receita de Thiago Souki http://www.cozinhapratica.com/ Ingredientes No total, usa-se 1 kg de Carne variada, natural, defumada ou salgada. Pode-se usar

Leia mais

Afonso levantou-se de um salto, correu para a casa de banho, abriu a tampa da sanita e vomitou mais uma vez. Posso ajudar? perguntou a Maria,

Afonso levantou-se de um salto, correu para a casa de banho, abriu a tampa da sanita e vomitou mais uma vez. Posso ajudar? perguntou a Maria, O Afonso levantou-se de um salto, correu para a casa de banho, abriu a tampa da sanita e vomitou mais uma vez. Posso ajudar? perguntou a Maria, preocupada, pois nunca tinha visto o primo assim tão mal

Leia mais

Os chineses não têm o hábito de dividir a conta. Devemos retribuir este almoço nas próximas semanas.

Os chineses não têm o hábito de dividir a conta. Devemos retribuir este almoço nas próximas semanas. Ni hao Segunda pela manhã, ônibus lotado como de costume, segurei um pacote para uma chinesa. Quando começou o congestionamento na linha do trem que o ônibus cruza, começamos a conversar, obviamente em

Leia mais

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak Entrevista com Ezequiel Quem é você? Meu nome é Ezequiel, sou natural do Rio de Janeiro, tenho 38 anos, fui

Leia mais

01- NA CACHOEIRA. Eu vi Mamãe Oxum na Cachoeira, Sentada na beira do rio! (bis)

01- NA CACHOEIRA. Eu vi Mamãe Oxum na Cachoeira, Sentada na beira do rio! (bis) 01- NA CACHOEIRA Eu vi Mamãe Oxum na Cachoeira, Sentada na beira do rio! (bis) Colhendo lírio, lírio ê... Colhendo lírio, lírio a... Colhendo lírios, P'ra enfeitar nosso congá. (bis) 02- BRADO DE MAMÃE

Leia mais

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO.

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO. Roteiro de Telenovela Brasileira Central de Produção CAPÍTULO 007 O BEM OU O MAL? Uma novela de MHS. PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO. AGENOR ALBERTO FERNANDO GABRIELE JORGE MARIA CLARA MARIA CAMILLA MARÍLIA

Leia mais

Time Code. Sugestão (conexões externas)

Time Code. Sugestão (conexões externas) Número da fita: 0047 Título: Entrevista com Geraldo Abel Mídia: Mini DV Time Code in out 00 20 00 06 11 S. Abel e esposa sentados, rodeados pelos instrumentos da folia e pela bandeira. S. Abel mostra passo

Leia mais

Entrevista 1.02 - Brenda

Entrevista 1.02 - Brenda Entrevista 1.02 - Brenda (Bloco A - Legitimação da entrevista onde se clarificam os objectivos do estudo, se contextualiza a realização do estudo e participação dos sujeitos e se obtém o seu consentimento)

Leia mais

Crianças e Meios Digitais Móveis TIC KIDS ONLINE NO TEMPO DOS MEIOS MÓVEIS: OLHARES DO BRASIL PARA CRIANÇAS DE 11-12 ANOS

Crianças e Meios Digitais Móveis TIC KIDS ONLINE NO TEMPO DOS MEIOS MÓVEIS: OLHARES DO BRASIL PARA CRIANÇAS DE 11-12 ANOS Crianças e Meios Digitais Móveis Lisboa, 29 de novembro de 2014 TIC KIDS ONLINE NO TEMPO DOS MEIOS MÓVEIS: OLHARES DO BRASIL PARA CRIANÇAS DE 11-12 ANOS Educação para o uso crítico da mídia 1. Contexto

Leia mais

LOURENÇO LOURINHO PRACIANO 1

LOURENÇO LOURINHO PRACIANO 1 LOURENÇO LOURINHO PRACIANO 1 TESOUREIRO 41 ANOS DE TRABALHO Empresa Horizonte Nascido em Itapipoca, Ceará Idade: 76 anos Esposa: Maria Pinto de Oliveira Praciano Filhos: Lucineide Eu entrei na Empresa

Leia mais

Acostumando-se com os Milagres

Acostumando-se com os Milagres Acostumando-se com os Milagres Ap. Ozenir Correia 1. VOCÊ NÃO PERCEBE O TAMANHO DO MILAGRE. Enxame de moscas Naquele dia, separarei a terra de Gósen, em que habita o meu povo, para que nela não haja enxames

Leia mais

PROJETO PROFISSÕES. Entrevista com DJ

PROJETO PROFISSÕES. Entrevista com DJ Entrevista com DJ Meu nome é Raul Aguilera, minha profissão é disc-jóquei, ou DJ, como é mais conhecida. Quando comecei a tocar, em festinhas da escola e em casa, essas festas eram chamadas de "brincadeiras

Leia mais

FIM DE SEMANA. Roteiro de Curta-Metragem de Dayane da Silva de Sousa

FIM DE SEMANA. Roteiro de Curta-Metragem de Dayane da Silva de Sousa FIM DE SEMANA Roteiro de Curta-Metragem de Dayane da Silva de Sousa CENA 1 EXTERIOR / REUNIÃO FAMILIAR (VÍDEOS) LOCUTOR Depois de uma longa semana de serviço, cansaço, demoradas viagens de ônibus lotados...

Leia mais

A.C. Ilustrações jordana germano

A.C. Ilustrações jordana germano A.C. Ilustrações jordana germano 2013, O autor 2013, Instituto Elo Projeto gráfico, capa, ilustração e diagramação: Jordana Germano C736 Quero-porque-quero!! Autor: Alexandre Compart. Belo Horizonte: Instituto

Leia mais

Vinho Novo Viver de Verdade

Vinho Novo Viver de Verdade Vinho Novo Viver de Verdade 1 - FILHOS DE DEUS - BR-LR5-11-00023 LUIZ CARLOS CARDOSO QUERO SUBIR AO MONTE DO SENHOR QUERO PERMANECER NO SANTO LUGAR QUERO LEVAR A ARCA DA ADORAÇÃO QUERO HABITAR NA CASA

Leia mais

Ernest Hemingway Colinas como elefantes brancos

Ernest Hemingway Colinas como elefantes brancos Ernest Hemingway Colinas como elefantes brancos As colinas do outro lado do vale eram longas e brancas. Deste lado, não havia sombra nem árvores e a estação ficava entre duas linhas de trilhos sob o sol.

Leia mais

04 Os números da empresa

04 Os números da empresa 04 Os números da empresa Além de conhecer o mercado e situar-se nele, o empreendedor tem de saber com clareza o que ocorre com os números de sua empresa. Neste capítulo conheça os principais conceitos,

Leia mais

ANINHÁ VAGURETÊ. Ô senhô dono da casa Licença quero pedir Meia-hora de relógio Para nós se divertir Mas ô vevê tem manibóia

ANINHÁ VAGURETÊ. Ô senhô dono da casa Licença quero pedir Meia-hora de relógio Para nós se divertir Mas ô vevê tem manibóia ANINHÁ VAGURETÊ Ô senhô dono da casa Licença quero pedir Meia-hora de relógio Para nós se divertir Mas ô vevê tem manibóia Aninha vaguretê Aninha vaguretê Quando eu aqui cheguei Nesta casa de alegria Se

Leia mais

Este testemunho é muito importante para os Jovens.

Este testemunho é muito importante para os Jovens. Este testemunho é muito importante para os Jovens. Eu sempre digo que me converti na 1ª viagem missionária que fiz, porque eu tinha 14 anos e fui com os meus pais. E nós não tínhamos opção, como é o pai

Leia mais

Nº 8 - Mar/15. PRESTA atenção RELIGIÃO BÍBLIA SAGRADA

Nº 8 - Mar/15. PRESTA atenção RELIGIÃO BÍBLIA SAGRADA SAGRADA Nº 8 - Mar/15 PRESTA atenção RELIGIÃO! BÍBLIA Apresentação Esta nova edição da Coleção Presta Atenção! vai tratar de um assunto muito importante: Religião. A fé é uma questão muito pessoal e cada

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca Programa transmitido em 26 de fevereiro

Leia mais

A TURMA DO ZICO EM: CUIDADO COM A DENGUE

A TURMA DO ZICO EM: CUIDADO COM A DENGUE Texto: Warley di Brito A TURMA DO ZICO EM: CUIDADO COM A DENGUE Personagens: Zico, Zefinha, Paulinha e sua mãe Bastiana Cenário: A esquete acontece no quintal da casa da mãe de Zico, para a montagem do

Leia mais

::Seu João o Senhor sabe o que é o meio ambiente?

::Seu João o Senhor sabe o que é o meio ambiente? O Meio Ambiente ::Seu João o Senhor sabe o que é o meio ambiente? Seu João: Não sei não! Mas quero que você me diga direitinho pra eu aprender e ensinar todo mundo lá no povoado onde eu moro. : Seu João,

Leia mais

A VERDADEIRA HISTÓRIA DOS TRÊS PORQUINHOS

A VERDADEIRA HISTÓRIA DOS TRÊS PORQUINHOS COLÉGIO NOSSA SENHORA DE SION Troca do Livro Lições de Português e de História 3º ano 3º A e B 3º C 3º D Semana de 7 a 11 de outubro quarta-feira segunda-feira terça-feira Leia o texto abaixo para realizar

Leia mais

AULA CRIATIVA DE HISTÓRIA - FOLCLORE

AULA CRIATIVA DE HISTÓRIA - FOLCLORE AULA CRIATIVA DE HISTÓRIA - FOLCLORE Mesmo não acreditando na Educação Criativa, o professor pode fazer uma experiência para ver o resultado. É o caso da professora deste relato. Glorinha Aguiar glorinhaaguiar@uol.com.br

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADE

RELATÓRIO DE ATIVIDADE RELATÓRIO DE ATIVIDADE A IMPORTÂNCIA DE CADA ALIMENTO Coordenador da atividade: Thaís Canto Cury Integrantes da equipe: Manha: Bianca Domingues, Fernando Peixoto e Juliana Ravelli Tarde: Thaís Cury, Thalita

Leia mais

ENTRE FRALDAS E CADERNOS

ENTRE FRALDAS E CADERNOS ENTRE FRALDAS E CADERNOS Entre Fraldas e Cadernos Proposta metodológica: Bem TV Educação e Comunicação Coordenação do projeto: Márcia Correa e Castro Consultoria Técnica: Cláudia Regina Ribeiro Assistente

Leia mais

Luís Norberto Pascoal

Luís Norberto Pascoal Viver com felicidade é sucesso com harmonia e humildade. Luís Norberto Pascoal Agradecemos aos parceiros que investem em nosso projeto. ISBN 978-85-7694-131-6 9 788576 941316 Era uma vez um pássaro que

Leia mais

Caridade quaresmal. Oração Avé Maria. Anjinho da Guarda. S. João Bosco Rogai por nós. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Bom dia a todos!

Caridade quaresmal. Oração Avé Maria. Anjinho da Guarda. S. João Bosco Rogai por nós. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Bom dia a todos! 2ª feira, 09 de março: Dar esmola Esta semana iremos tentar aprender a dar. A dar aos que mais precisam. E vamos ver que Dar é BRU TAL!!!! Um dia, uma mulher vestida de trapos velhos percorria as ruas

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na visita ao Assentamento Lulão

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na visita ao Assentamento Lulão , Luiz Inácio Lula da Silva, na visita ao Assentamento Lulão Santa Cruz de Cabrália-BA, 28 de setembro de 2005 Meu caro governador Paulo Souto, governador do estado da Bahia, Meu querido companheiro Miguel

Leia mais

Temario Serie 1. Introducción / Lección 1. Competencias: Gramática: Vocabulario: Las Introducciones. Nombres Tudo bem!

Temario Serie 1. Introducción / Lección 1. Competencias: Gramática: Vocabulario: Las Introducciones. Nombres Tudo bem! Temario Serie 1 Introducción / Lección 1 Introducciones Nombres Tudo bem! Las Introducciones > muito prazer, tudo bem, com licença Vocabulario: com licença por favor obrigado, obrigada muito prazer bom

Leia mais

PERSONAL SHOPPER MARY KAY

PERSONAL SHOPPER MARY KAY PERSONAL SHOPPER MARY KAY O QUE É? Personal shopping é uma ocupação, na qual se ajuda alguém a fazer suas compras, dando conselhos e fazendo sugestões para os clientes. A personal shopper vai dar ao cliente

Leia mais

SOBRAS REQUINTADAS REAPROVEITE RESTOS ALIMENTARES NA PREPARAÇÃO DE RECEITAS ORIGINAIS E SABOROSAS REDUZA O SEU DESPERD ÍCIO ALIMENTAR

SOBRAS REQUINTADAS REAPROVEITE RESTOS ALIMENTARES NA PREPARAÇÃO DE RECEITAS ORIGINAIS E SABOROSAS REDUZA O SEU DESPERD ÍCIO ALIMENTAR SOBRAS REQUINTADAS REAPROVEITE RESTOS ALIMENTARES NA PREPARAÇÃO DE RECEITAS ORIGINAIS E SABOROSAS REDUZA O SEU DESPERDÍCIO ALIMENTAR Legumes cozidos ( ± 0,5 kg, variados) 250 gr de farinha 2dl de leite

Leia mais

10 segredos para falar inglês

10 segredos para falar inglês 10 segredos para falar inglês ÍNDICE PREFÁCIO 1. APENAS COMECE 2. ESQUEÇA O TEMPO 3. UM POUCO TODO DIA 4. NÃO PRECISA AMAR 5. NÃO EXISTE MÁGICA 6. TODO MUNDO COMEÇA DO ZERO 7. VIVA A LÍNGUA 8. NÃO TRADUZA

Leia mais

Narrador Era uma vez um livro de contos de fadas que vivia na biblioteca de uma escola. Chamava-se Sésamo e o e o seu maior desejo era conseguir contar todas as suas histórias até ao fim, porque já ninguém

Leia mais

UM LÍDER DO TEMPLO VISITA JESUS

UM LÍDER DO TEMPLO VISITA JESUS Bíblia para crianças apresenta UM LÍDER DO TEMPLO VISITA JESUS Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:Byron Unger; Lazarus Adaptado por: M. Maillot; Sarah S. Traduzido por: Berenyce Brandão Produzido

Leia mais

Entrevista Noemi Rodrigues (Associação dos Pescadores de Guaíba) e Mário Norberto, pescador. Por que de ter uma associação específica de pescadores?

Entrevista Noemi Rodrigues (Associação dos Pescadores de Guaíba) e Mário Norberto, pescador. Por que de ter uma associação específica de pescadores? Entrevista Noemi Rodrigues (Associação dos Pescadores de Guaíba) e Mário Norberto, pescador. Por que de ter uma associação específica de pescadores? Noemi: É a velha história, uma andorinha não faz verão,

Leia mais

Uma do norte e outra do sul 3. Glória e Lúcia moram em partes diferentes da cidade. Depois de ouvi-las, complete as lacunas.

Uma do norte e outra do sul 3. Glória e Lúcia moram em partes diferentes da cidade. Depois de ouvi-las, complete as lacunas. Rio, de norte a sul Aproximando o foco: atividades Moradores da Zona Norte e da Zona Sul O din-dim 1. Ouça Kedma e complete as lacunas: Quem mora na Zona Norte na Zona Sul é quem tem mais. Na Zona Su na

Leia mais

bom, eu gostaria de me sentir uma pessoa útil sem precisar fazer ã-hã...

bom, eu gostaria de me sentir uma pessoa útil sem precisar fazer ã-hã... A eu gostaria de me sentir uma pessoa útil... só não se esqueça, charlie brown, que as pessoas úte is são chamadas para fazer uma porção de coisas... ã-hã... bom, eu gostaria de me sentir uma pessoa útil

Leia mais

Ima. Sempre. em Frente. Eric Peleias

Ima. Sempre. em Frente. Eric Peleias Ima Sempre em Frente Eric Peleias Baseado em uma história real CAPÍTULO 1 LETÔNIA, DÉCADA DE 1940. 8 PODEM PARAR DE CAVAR! QUERO TODOS ENFILEIRADOS! O QUE ESTÃO ESPERANDO? ENFILEIRADOS, ANDEM LOGO! MUITO

Leia mais

Carcará composição: João do Vale/José Cândido

Carcará composição: João do Vale/José Cândido 104 A FLOR E O CARCARÁ Carcará Lá no sertão É um bicho que avoa que nem avião É um pássaro malvado Tem o bico volteado que nem gavião... trecho da canção Carcará composição: João do Vale/José Cândido Ana?

Leia mais

Depressão e Qualidade de Vida. Dra. Luciene Alves Moreira Marques Doutorado em Psicobiologia pela UNIFESP

Depressão e Qualidade de Vida. Dra. Luciene Alves Moreira Marques Doutorado em Psicobiologia pela UNIFESP Depressão e Qualidade de Vida Dra. Luciene Alves Moreira Marques Doutorado em Psicobiologia pela UNIFESP 1 Percepções de 68 pacientes entrevistadas. 1. Sentimentos em relação à doença Sinto solidão, abandono,

Leia mais

mundo. A gente não é contra branco. Somos aliados, queremos um mundo melhor para todo mundo. A gente está sentindo muito aqui.

mundo. A gente não é contra branco. Somos aliados, queremos um mundo melhor para todo mundo. A gente está sentindo muito aqui. Em 22 de maio de 2014 eu, Rebeca Campos Ferreira, Perita em Antropologia do Ministério Público Federal, estive na Penitenciária de Médio Porte Pandinha, em Porto Velho RO, com os indígenas Gilson Tenharim,

Leia mais

Freelapro. Título: Como o Freelancer pode transformar a sua especialidade em um produto digital ganhando assim escala e ganhando mais tempo

Freelapro. Título: Como o Freelancer pode transformar a sua especialidade em um produto digital ganhando assim escala e ganhando mais tempo Palestrante: Pedro Quintanilha Freelapro Título: Como o Freelancer pode transformar a sua especialidade em um produto digital ganhando assim escala e ganhando mais tempo Quem sou eu? Eu me tornei um freelancer

Leia mais

Agroindústria. Menu Introdução Pão integral Pão de mandioca Pão de torresmo com creme de alho Pão de Forma Pãezinhos de Batata. 1.

Agroindústria. Menu Introdução Pão integral Pão de mandioca Pão de torresmo com creme de alho Pão de Forma Pãezinhos de Batata. 1. 1 de 6 10/16/aaaa 10:42 Agroindústria Processamento artesanal de farinhas e farináceos Fabricação de pão caseiro Pão integral, pão de torresmo, pão de forma e pãezinhos de batata Processamento artesanal

Leia mais

PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO. Fome e Sede

PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO. Fome e Sede PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO HISTÓRIA BÍBLICA: Mateus 18:23-34 Nesta lição, as crianças vão ouvir a Parábola do Servo Que Não Perdoou. Certo rei reuniu todas as pessoas que lhe deviam dinheiro.

Leia mais

ATIVIDADE DE ESTUDOS SOCIAIS 3ª S SÉRIES A-B-C-D

ATIVIDADE DE ESTUDOS SOCIAIS 3ª S SÉRIES A-B-C-D Nome: n.º 3ª série Barueri, / / 2009 Disciplina: ESTUDOS SOCIAIS 1ª POSTAGEM ATIVIDADE DE ESTUDOS SOCIAIS 3ª S SÉRIES A-B-C-D Querido aluno, segue a orientação para esta atividade. - Ler com atenção, responder

Leia mais

Coleção Amigos da Floresta. Festa na Floresta. Patrícia Engel Secco. Ilustrações Maria Eugênia

Coleção Amigos da Floresta. Festa na Floresta. Patrícia Engel Secco. Ilustrações Maria Eugênia Coleção Amigos da Floresta Festa na Floresta Patrícia Engel Secco Ilustrações Maria Eugênia Coleção Amigos da Floresta Festa na Projeto Folclore, Alegria e Tradição Coleção Amigos da Floresta Floresta

Leia mais

Eu sempre ouço dizer. Que as cores da pele são diferentes. Outros negros e amarelos. Há outras cores na pele dessa gente

Eu sempre ouço dizer. Que as cores da pele são diferentes. Outros negros e amarelos. Há outras cores na pele dessa gente De todas as cores Eu sempre ouço dizer Que as cores da pele são diferentes Que uns são brancos Outros negros e amarelos Mas na verdade Há outras cores na pele dessa gente Tem gente que fica branca de susto

Leia mais

Após o término da Segunda Guerra Mundial foram trabalhar no SíNo Quinta das Amoreiras, de propriedade de Augusto Camossa Saldanha, aqui entre Miguel

Após o término da Segunda Guerra Mundial foram trabalhar no SíNo Quinta das Amoreiras, de propriedade de Augusto Camossa Saldanha, aqui entre Miguel Vamos falar umas poucas palavras sobre nosso pai. Na tradição japonesa nessas horas esquecemos a tristeza e falamos das alegrias, das virtudes de quem foi. O duro é esquecer a tristeza. Hiroshi Watanabe

Leia mais

FICHA SOCIAL Nº 121 INFORMANTE: SEXO: IDADE: ESCOLARIZAÇÃO: LOCALIDADE: PROFISSÃO: DOCUMENTADORA: TRANSCRITORA: DIGITADORA: DURAÇÃO:

FICHA SOCIAL Nº 121 INFORMANTE: SEXO: IDADE: ESCOLARIZAÇÃO: LOCALIDADE: PROFISSÃO: DOCUMENTADORA: TRANSCRITORA: DIGITADORA: DURAÇÃO: FICHA SOCIAL Nº 121 INFORMANTE: F.A.C. SEXO: Masculino IDADE: 51 anos ESCOLARIZAÇÃO: 9 a 11 anos LOCALIDADE: Alto da Penha Zona Urbana PROFISSÃO: Funcionário Público DOCUMENTADORA: Luciana Muniz da França

Leia mais

Exposição Mandela: de Prisioneiro a Presidente Angola 2014

Exposição Mandela: de Prisioneiro a Presidente Angola 2014 Exposição Mandela: de Prisioneiro a Presidente Angola 2014 1 Eu sou dono e senhor de meu destino; Eu sou o comandante de minha alma. Invictus - William E Henley «Nos ficávamos um bocado aborrecidos com

Leia mais

Fantástico mostra o que aconteceu com as empresas e com as pessoas mostradas na reportagem há um ano.

Fantástico mostra o que aconteceu com as empresas e com as pessoas mostradas na reportagem há um ano. Fantástico mostra o que aconteceu com as empresas e com as pessoas mostradas na reportagem há um ano. Reportagem que chocou o país completou um ano esta semana. O Fantástico mostra o que aconteceu com

Leia mais

Geração Graças Peça: Os Cofrinhos

Geração Graças Peça: Os Cofrinhos Geração Graças Peça: Os Cofrinhos Autora: Tell Aragão Personagens: Voz - não aparece mendigo/pessoa Nervosa/Ladrão faz os três personagens Menina 1 Menina 2 Voz: Era uma vez, duas irmãs que ganharam dois

Leia mais

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses Estudo de Caso Cliente: Rafael Marques Duração do processo: 12 meses Coach: Rodrigo Santiago Minha idéia inicial de coaching era a de uma pessoa que me ajudaria a me organizar e me trazer idéias novas,

Leia mais

GANHADO O MUNDO SEM PERDER A FAMILIA

GANHADO O MUNDO SEM PERDER A FAMILIA TEXTO: 1 SAMUEL CAPITULO 3 HOJE NÃO É SOBRE SAMUEL QUE VAMOS CONHECER, SABEMOS QUE SAMUEL foi o último dos juízes e o primeiro dos profetas. Ele foi comissionado para ungir asaul, o primeiro rei, e a David,

Leia mais

Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008

Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Meu nome é Alexandre da Silva França. Eu nasci em 17 do sete de 1958, no Rio de Janeiro. FORMAÇÃO Eu sou tecnólogo em processamento de dados. PRIMEIRO DIA

Leia mais

IANSÃ PONTOS DE LINHA. 1. Oh, Iansã menina é do cabelo loiro Sua espada é de prata Sua coroa é de ouro

IANSÃ PONTOS DE LINHA. 1. Oh, Iansã menina é do cabelo loiro Sua espada é de prata Sua coroa é de ouro IANSÃ PONTOS DE LINHA 1. Oh, Iansã menina é do cabelo loiro Sua espada é de prata Sua coroa é de ouro 2. Iansã mãe virgem Do cabelo louro Ela desceu do céu Num cordel de ouro 3. Ventou nas matas Ventou

Leia mais

Atividades Lição 5 ESCOLA É LUGAR DE APRENDER

Atividades Lição 5 ESCOLA É LUGAR DE APRENDER Atividades Lição 5 NOME: N º : CLASSE: ESCOLA É LUGAR DE APRENDER 1. CANTE A MÚSICA, IDENTIFICANDO AS PALAVRAS. A PALAVRA PIRULITO APARECE DUAS VEZES. ONDE ESTÃO? PINTE-AS.. PIRULITO QUE BATE BATE PIRULITO

Leia mais

12/02/2010. Presidência da República Secretaria de Imprensa Discurso do Presidente da República

12/02/2010. Presidência da República Secretaria de Imprensa Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de inauguração da Escola Municipal Jornalista Jaime Câmara e alusiva à visita às unidades habitacionais do PAC - Pró-Moradia no Jardim do Cerrado e Jardim Mundo

Leia mais

Acorda, seu Zé Preguiça, hoje é domingo. Dia do Senhor. A sua mãe tá passando a roupa que você separou ontem, e o seu café já está pronto, só

Acorda, seu Zé Preguiça, hoje é domingo. Dia do Senhor. A sua mãe tá passando a roupa que você separou ontem, e o seu café já está pronto, só Acorda, seu Zé Preguiça, hoje é domingo. Dia do Senhor. A sua mãe tá passando a roupa que você separou ontem, e o seu café já está pronto, só esperando a sua boa vontade. Felipe tentou voltar a dormir,

Leia mais

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade Colégio Cenecista Nossa Senhora dos Anjos Gravataí RS. Cohab B

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade Colégio Cenecista Nossa Senhora dos Anjos Gravataí RS. Cohab B Campanha Nacional de Escolas da Comunidade Colégio Cenecista Nossa Senhora dos Anjos Gravataí RS Cohab B Data: 29/04/2015 Pedro Lima, Gabriel Landal, Lorenzo Silveira e Leonardo Souza. Turma 101 A COHAB

Leia mais

Musica de Capoeira Geração africana volume 2

Musica de Capoeira Geração africana volume 2 Musica de Capoeira Geração africana volume 2 1 - Filho d'ogum Vale me Deus do céu Vale me Deus do céu Colega velho, vale me nossa senhora Vou jogar a Capoeira, jogo de dentro e de fora Sou filho de Ogûm,

Leia mais

Livro de Receitas. Receitas do. Chef César Santos

Livro de Receitas. Receitas do. Chef César Santos Livro de Receitas Receitas do Chef César Santos Camarão com arroz de coco Ingredientes: 400 g de filé de camarão 10 quiabos médios 50 g de pimentão verde 50 g de pimentão amarelo 50 g de pimentão vermelho

Leia mais

O Livro de informática do Menino Maluquinho

O Livro de informática do Menino Maluquinho Coleção ABCD - Lição 1 Lição 1 O Livro de informática do Menino Maluquinho 1 2 3 4 5 6 7 8 Algumas dicas para escrever e-mails: 1. Aprender português. Não adianta fi car orgulhoso por mandar um e-mail

Leia mais

Modo de fazer RECEITAS PARA PESSACH CHAROSSET. Ingredientes. 2 xícaras de maçã ralada. ½ xícara de amêndoas. ½ xícara de nozes

Modo de fazer RECEITAS PARA PESSACH CHAROSSET. Ingredientes. 2 xícaras de maçã ralada. ½ xícara de amêndoas. ½ xícara de nozes RECEITAS PARA PESSACH CHAROSSET 2 xícaras de maçã ralada ½ xícara de amêndoas ½ xícara de nozes ½ xícaras de uvas passas 2 colheres (sopa) de açúcar ½ colher (chá) de canela em pó vinho tinto Picar as

Leia mais

A Cura de Naamã - O Comandante do Exército da Síria

A Cura de Naamã - O Comandante do Exército da Síria A Cura de Naamã - O Comandante do Exército da Síria Samaria: Era a Capital do Reino de Israel O Reino do Norte, era formado pelas 10 tribos de Israel, 10 filhos de Jacó. Samaria ficava a 67 KM de Jerusalém,

Leia mais

O passageiro. 1.Edição. Edição do Autor

O passageiro. 1.Edição. Edição do Autor 1 1.Edição Edição do Autor 2012 2 3 Jonas de Paula Introdução Esse conto relata um mal entendido que poderia acontecer com qualquer pessoa em qualquer lugar, tem haver com a questão da globalização e seu

Leia mais

Anexo XXXIII Peça teatral com fantoches

Anexo XXXIII Peça teatral com fantoches Anexo XXXIII Peça teatral com fantoches Amanda (entra procurando os amigos) Lucas!? Juninho!? Chico!? Onde estão vocês? Ai meu Deus. Preciso encontrar alguém por aqui. (para o público) Ei pessoal, vocês

Leia mais

O que você deve saber antes de visitar um ZOOLÓGICO

O que você deve saber antes de visitar um ZOOLÓGICO O que você deve saber antes de visitar um ZOOLÓGICO Em princípio, sou contra a existência dos zoológicos. O melhor lugar para os animais estarem é na natureza, livres e soltos. Mas os Zoos existem e precisamos

Leia mais

PRAIA DO JACARÉ JOÃO PESSOA PB

PRAIA DO JACARÉ JOÃO PESSOA PB PRAIA DO JACARÉ JOÃO PESSOA PB A tradição de assistir ao pôr do sol ouvindo o Bolero de Ravel na Paraíba começou com uma grande coincidência. Um grupo de amigos se reuniu para assistir ao fenômeno na Praia

Leia mais

TRANSCRIÇÃO SAMBA DE QUADRA

TRANSCRIÇÃO SAMBA DE QUADRA TRANSCRIÇÃO SAMBA DE QUADRA letreiro 1: Sem o modernismo dos tempos atuais, o samba sertanejo era uma espécie de baile rústico, que ia noite à dentro até o raiar do dia, com seus matutos dançando e entoando

Leia mais

5º ano. Atividade de Estudo - Português

5º ano. Atividade de Estudo - Português Atividade de Estudo - Português 5º ano O texto que você vai ler abaixo pertence ao gênero crônica. As crônicas transformam um acontecimento comum, do nosso dia a dia, em uma história muito interessante.

Leia mais

JOSÉ DE SOUZA CASTRO 1

JOSÉ DE SOUZA CASTRO 1 1 JOSÉ DE SOUZA CASTRO 1 ENTREGADOR DE CARGAS 32 ANOS DE TRABALHO Transportadora Fácil Idade: 53 anos, nascido em Quixadá, Ceará Esposa: Raimunda Cruz de Castro Filhos: Marcílio, Liana e Luciana Durante

Leia mais

Trabalhar em Casa. Um Guia para quem quer iniciar um trabalho em casa e não sabe por onde começar. 2015 bastianafutebol.com @bastianafutebol

Trabalhar em Casa. Um Guia para quem quer iniciar um trabalho em casa e não sabe por onde começar. 2015 bastianafutebol.com @bastianafutebol Trabalhar em Casa Um Guia para quem quer iniciar um trabalho em casa e não sabe por onde começar 2015 bastianafutebol.com @bastianafutebol Como Começar? Primeiro você deve escolher o tipo de trabalho que

Leia mais

Para gostar de pensar

Para gostar de pensar Rosângela Trajano Para gostar de pensar Volume III - 3º ano Para gostar de pensar (Filosofia para crianças) Volume III 3º ano Para gostar de pensar Filosofia para crianças Volume III 3º ano Projeto editorial

Leia mais

Menu. Comidas típicas. Contribuições para o Brasil e Ijuí. Significado da bandeira Árabe. Costumes

Menu. Comidas típicas. Contribuições para o Brasil e Ijuí. Significado da bandeira Árabe. Costumes Árabes Componentes: Sabrina, Lucille,Giovana, M, Lucas C, João Vitor Z, Samuel. Disciplina: Estudos Sociais, Informática Educativa, Língua Portuguesa. Professores: Uiliam Michael, Cristiane Keller, Daniele

Leia mais

Meu nome é José Guilherme Monteiro Paixão. Nasci em Campos dos Goytacazes, Norte Fluminense, Estado do Rio de Janeiro, em 24 de agosto de 1957.

Meu nome é José Guilherme Monteiro Paixão. Nasci em Campos dos Goytacazes, Norte Fluminense, Estado do Rio de Janeiro, em 24 de agosto de 1957. Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Meu nome é José Guilherme Monteiro Paixão. Nasci em Campos dos Goytacazes, Norte Fluminense, Estado do Rio de Janeiro, em 24 de agosto de 1957. FORMAÇÃO

Leia mais

LEMA: EU VIM PARA SERVIR (Mc 10,45) TEMA: FRATERNIDADE: IGREJA E SOCIEDADE

LEMA: EU VIM PARA SERVIR (Mc 10,45) TEMA: FRATERNIDADE: IGREJA E SOCIEDADE LEMA: EU VIM PARA SERVIR (Mc 10,45) TEMA: FRATERNIDADE: IGREJA E SOCIEDADE Introdução A CF deste ano convida-nos a nos abrirmos para irmos ao encontro dos outros. A conversão a que somos chamados implica

Leia mais

Atividades 4 o - Bimestre

Atividades 4 o - Bimestre Atividades 4 o - Bimestre GRAMÁTICA 1. Preste atenção nos verbos das frases e complete-as observando o que combinaria com eles: a) jogam bola todos os dias das férias. b) Ontem chegou atrasada na escola.

Leia mais

SIMULADO/AVALIAÇÃO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO 3º ANO CADERNO DO ALUNO PRIMEIRO SEMESTRE 2012

SIMULADO/AVALIAÇÃO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO 3º ANO CADERNO DO ALUNO PRIMEIRO SEMESTRE 2012 Escola Estadual Professor Manoel Machado Povoado da Serra Verde Virgínia MG CEP 37465-000 SIMULADO/AVALIAÇÃO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO 3º ANO CADERNO DO ALUNO PRIMEIRO SEMESTRE 2012 ESCOLA: NOME: DATA DE

Leia mais