Mestrado em Têxtil e Confecção (simultâneos)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Mestrado em Têxtil e Confecção (simultâneos)"

Transcrição

1 Instituto Técnico Têxtil e do Vestuário Universidade Técnica de Dresden Faculdade de Ciências Mecânicas Diretor do Instituto: Prof. Dr.-Ing. habil. Dipl.-Wirt. Ing. Ch. Cherif Mestrado em Têxtil e Confecção (simultâneos) Grau obtido ao final do curso: Mestre (M.Sc.) Informações técnicas ligadas à organização do curso: Prof. Dr.-Ing. habil. Dipl.-Wirt. Ing. Chokri Cherif Diretor do Instituto Tel.:( ) Fax: ( ) Dr.-Ing. Joachim Arnold Tel.:( ) Fax: ( ) Endereço para correspondência: Technische Universität Dresden Institut für Textil- und Bekleidungstechnik Dresden URL: Endereço para visitação: Hohe Str. 6 (próximo à estação principal de trens) Dresden

2 Objetivos do Curso (1) O mestrado em têxtil e confecção oferece a possibilidade para estudantes com graduação nas áreas de engenharia mecânica, química ou têxtil (técnica têxtil, confecção, vestuário, acabamento) a formação interdisciplinar no campo da técnica têxtil e de confecção. (2) O objetivo é receber um mestrando que já conheça a complexidade do campo da área têxtil e de confecção, que tenha conhecimento nos campos inovativos da pesquisa e que possa colocar em prática na sua futura atividade profissional os conhecimentos que serão adquiridos, especialmente nas áreas de pesquisa, ensino e cooperação internacional. (3) O formando é capacitado a atuar em funções técnicas de liderança na indústria têxtil, de confecção e do vestuário, na indústria de construção de máquinas têxteis e de confecção, na indústria de novas aplicações têxteis, especialmente tecidos e produtos técnicos (indústria mecânica, automobilística, aviação, construção civil e medicina, entre outras), em instituições de ensino e pesquisa, órgãos públicos e ministérios, bem como em organizações nacionais e internacionais. Condições para a admissão (1) As condições para o ingresso no mestrado têxtil e de confecção (simultâneos) são: 1. uma primeira graduação em escola técnica alemã com notas acima da média (Dipl.-Ing.(FH), B.Sc. ou semelhante) num curso do campo da engenharia (normalmente mecânica, técnica têxtil, tecnologia têxtil, de confecção ou do vestuário) ou no campo das ciências naturais (normalmente química têxtil e acabamento têxtil) ou um curso reconhecidamente semelhante feito no exterior (B.Sc., M.Sc. ou similar). Deve haver uma graduação acima da média se a nota final for 2,3 ou melhor (sendo 1 a melhor nota e 5 a pior nota). Nas matérias ligadas à engenharia, matemática e ciências naturais, as notas devem ser preponderantemente boas e muito boas. É necessário apresentar documentos para comprovar as notas. 2. para candidatos estrangeiros é necessário comprovar conhecimentos suficientes na língua alemã (teste de idioma alemão para o ingresso nas universidades alemãs DSH 2, TestDaF, nível 4 para todas as partes do teste, ou outro documento equivalente de conhecimento do idioma, conforme decisão da Conferência do Ministério da Cultura realizado em e alterado em ), pois o Mestrado, incluindo a tese todas as provas são em idioma alemão. (2) A comprovação do cumprimento das exigências técnicas ocorre através de uma comissão instituída pelo Comitê de Provas após a pré-verificação dos documentos

3 feita pela Repartição Acadêmica de Estrangeiros e pela Repartição Acadêmica de Matrículas. Início e duração do Curso (1) O curso é presencial e inicia respectivamente no semestre de inverno (1 o de outubro de cada ano). (2) O curso envolve a participação em aula, estudos particulares assim como provas. Ele finaliza no quarto semestre com a elaboração da tese e sua defesa. Estrutura e realização do curso (1) O mestrado é estruturado em módulos e abrange quatro semestres. As matérias são divididas nos três primeiros semestres e nas 6 semanas no início do quarto semestre. No quarto semestre é reservado um espaço de quatro meses para a elaboração e defesa da tese. O curso total corresponde a 72 semanas de aula. (2) O mestrado compreende 12 módulos obrigatórios, dos quais 6 são módulos básicos e 6 são módulos técnicos da área têxtil e de confecção. Nos módulos técnicos, representados pelos módulos de aprofundamento I e II, os estudantes podem optar entre as matérias obrigatórias. (3) Conteúdo e objetivos de cada módulo, envolvendo a forma das aulas, prérequisitos, prática, freqüência e duração são encontrados na descrição dos módulos. (4) A divisão técnica dos módulos em cada semestre, que permite a observância do término do curso assim como o tipo e duração de cada matéria, estão descritas no Plano de Aulas. (5) A oferta das matérias obrigatórias nos dois módulos de aprofundamento pode ser alterada ou complementada. Isso ocorre em função da implementação dos mais recentes resultados da pesquisa e do desenvolvimento. As matérias obrigatórias dos módulos de aprofundamento são divulgadas no início de cada semestre nos murais. (6) Em função da liderança no mercado mundial de construção de máquinas têxteis assim como a pesquisa e desenvolvimento no campo têxtil que ocorre na Alemanha, nos melhores níveis mundiais, o curso é oferecido apenas no idioma alemão. Isso exige sobremaneira a utilização da rica literatura técnica alemã e da cooperação com os institutos alemães de pesquisa, formação e economia têxtil. Na matéria Método científico e seminários são realizadas além de palestras em alemão, palestras em inglês, proferidas por docentes e experts internacionais ligados aos mais recentes e inovativos campos da pesquisa têxtil.

4 Conteúdo do Curso (1) O curso é fortemente orientado à pesquisa. O conteúdo das aulas e os temas das teses são definitivamente influenciados pelos temas que estão sendo pesquisados na Universidade. (2) Os módulos de matemática II, computação aplicada à mecânica, mecânica técnica A, projetos/elementos de máquina, técnicas de movimentação e ciências do trabalho/economia industrial transmitem ao mestrando as bases matemáticas, econômicas, trabalhistas e de engenharia necessárias para a técnica têxtil e de confecção. (3) Os módulos de matérias-primas têxteis e ensaios de laboratório, processos e máquinas da técnica têxtil, processos e máquinas da técnica de confecção, módulos de aprofundamento I / técnica têxtil, de acabamento e de confecção I, módulos de aprofundamento II / técnica têxtil, de acabamento e de confecção II, método científico e seminários de especialistas ampliam o conhecimento técnico. Nessa oportunidade, as mais recentes descobertas e técnicas da pesquisa em diversos campos da atividade têxtil são divulgadas. Em ambos os módulos de aprofundamento o mestrando pode direcionar seus interesses pessoais visando uma orientação profissional futura, em aulas baseadas nos mais recentes e atuais resultados da pesquisa e do desenvolvimento. (4) Na tese final o mestrando deve mostrar que é capaz de desenvolver de forma individual, sob métodos e critérios científicos, uma tarefa do atual campo de pesquisa da técnica têxtil e de confecção e no contexto da apresentação e do debate da tese, poder defendê-la. Pontos por aproveitamento (Créditos) (1) Pontos por aproveitamento Créditos registram a exigência média da carga horária, bem como o progresso individual do mestrando no curso. Um ponto corresponde a uma carga horária de 30 horas. Normalmente são distribuídos 60 pontos por ano letivo, isto é, 30 por semestre. Através da forma e duração das aulas descritas nos módulos assim como a carga horária e o resultado das provas, e também através de estudos individuais, incluindo a tese e a defesa, podem ser obtidos 120 pontos no total. (2) Os pontos são dados basicamente por módulo e somente quando houver o aproveitamento através das notas obtidas nas provas. O parágrafo 25 da Ordem de Provas não é invocado dessa forma. Na descrição dos módulos (anexo 1) está descrito, quantos pontos podem ser alcançados por módulo e sob quais condições isto é possível.

5 Maiores informações podem ser encontradas na Ordem do Curso e na Ordem de Provas do Mestrado em Têxtil e Confecção (simultâneos)! Inscrição para o Mestrado: Os formulários de inscrição podem ser encontrados na Internet: ou Candidatos alemães enviam os seus documentos para: Technische Universität Dresden Immatrikulationsamt Dresden Candidatos estrangeiros enviam os seus documentos para: Technische Universität Dresden Akademisches Auslandsamt D Dresden Germany Custo: 300 euros/semestre Acrescentar a taxa de contribuição semestral para estudantes diretos (atualmente 137,60 euros/semestre)

6 Plano de aulas Incluindo o tipo e duração das aulas (em horas semanais) Módulo N o Nome do módulo 1 o 2 o 3 o 4 o Pontos 1. Módulos básicos MG1 Matemática II 2/2/0 2/2/0 12 MG2 Computação aplicada à 2/2/0 6 Mecânica MG3 Mecânica técnica A 2/2/0 2/2/0 12 MG4 Projetos / Elementos de 2/1/0 4 máquina MG5 Técnicas de movimentação 2/1/0 4 MG6 Ciências do trabalho / 6 Economia industrial - Ciências do trabalho / 2/0/0 Direção industrial - Princípios de economia industrial 2/1/0 Módulos básicos: Módulos técnicos MF1 MF2 MF3 MF4 MF5 MF6 Matérias-primas têxteis e técnica de testes laboratoriais - Química das fibras - Fibras têxteis e técnica de testes Processos e máquinas da técnica têxtil - Técnica da produção de fios - Técnica da produção de tecidos Processos e máquinas da técnica de confecção Módulo de aprofundamento I: Técnica têxtil, de acabamento e de confecção I Módulo de aprofundamento II: Técnica têxtil, de acabamento e de confecção II Método científico e 2/0/0 2/0/0 2/0/1 2/0/0 0/0/1 2/0/0 2/0/2 2/0/0 0/0/ * 15 5 * 4 * 13 seminários de especialistas 2/1/0 Módulos técnicos: 56 Tese 19 4 Legenda do Plano de aulas: LP: Pontos V: Aula teórica Ü: Exercício P: Prática * Soma de Defesa 1 Tese e defesa: 20 Total: 120

FACULDADE PRUDENTE DE MORAES MANUAL DE ATIVIDADE COMPLEMENTAR

FACULDADE PRUDENTE DE MORAES MANUAL DE ATIVIDADE COMPLEMENTAR FACULDADE PRUDENTE DE MORAES MANUAL DE ATIVIDADE COMPLEMENTAR DESCRIÇÃO DAS MODALIDADES OFERECIDAS a) ESTÁGIOS NÃO CURRICULARES Exercício de estágios não curriculares deverá ser realizado de acordo com

Leia mais

FACULDADE DE ARACRUZ FAACZ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

FACULDADE DE ARACRUZ FAACZ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS FACULDADE DE ARACRUZ FAACZ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA O CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA FACULDADE DE ARACRUZ - FAACZ ARACRUZ 2010 CAPÍTULO 1 DAS DISPOSIÇÕES

Leia mais

Ciência sem Fronteiras Alemanha (CsF) Oferta curricular para bolsistas CsF. Programa de Engenharia de Processos Resumo

Ciência sem Fronteiras Alemanha (CsF) Oferta curricular para bolsistas CsF. Programa de Engenharia de Processos Resumo Bernburg Dessau Köthen Hochschule Anhalt Fachbereich Angewandte Biowissenschaften und Prozesstechnik Ciência sem Fronteiras Alemanha (CsF) Oferta curricular para bolsistas CsF Departamento de Biociências

Leia mais

Regulamento Atividades Complementares. Faculdade da Cidade de Santa Luzia - FACSAL

Regulamento Atividades Complementares. Faculdade da Cidade de Santa Luzia - FACSAL Regulamento Atividades Complementares Faculdade da Cidade de Santa Luzia - 2014 Regulamento das Atividades Complementares CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Artigo 1º - As Atividades

Leia mais

EDITAL PARA INGRESSO NO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA SEMESTRE 2016/1

EDITAL PARA INGRESSO NO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA SEMESTRE 2016/1 Admissão EDITAL PARA INGRESSO NO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA SEMESTRE 2016/1 A admissão no PPGEQ da UFRGS é feita em duas etapas: inscrição e seleção. 1 INSCRIÇÃO As inscrições para

Leia mais

Faculdade HSM Núcleo de Prática Acadêmica (NPA) Manual de orientações para o cumprimento das horas de Atividades Complementares

Faculdade HSM Núcleo de Prática Acadêmica (NPA) Manual de orientações para o cumprimento das horas de Atividades Complementares Faculdade HSM Núcleo de Prática Acadêmica (NPA) Manual de orientações para o cumprimento das horas de Complementares 2014 As Complementares abrangem o ensino, a pesquisa e a extensão, estão fixadas em

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS Coordenação do Curso de Jornalismo REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS Coordenação do Curso de Jornalismo REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Regulamenta as Atividades Complementares do Curso de Jornalismo do Centro de Comunicação e Letras da Universidade Presbiteriana Mackenzie CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO

Leia mais

REGIMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DO SISTEMA TERRESTRE

REGIMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DO SISTEMA TERRESTRE REGIMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DO SISTEMA TERRESTRE TÍTULO I DA ORGANIZAÇÃO Art. 1 - O Curso de Doutorado em Ciência do Sistema Terrestre do INPE tem como objetivo a formação de recursos

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Tecnologia de Materiais

Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Tecnologia de Materiais Faculdade de Engenharia Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Tecnologia de Materiais Regulamento Capítulo I Da Atribuição e Organização Geral Art. 1 - O Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Tecnologia

Leia mais

Regulamento do Núcleo de Atividades Complementares NAC (Resolução CNE/CES nº 9/2004)

Regulamento do Núcleo de Atividades Complementares NAC (Resolução CNE/CES nº 9/2004) CURSO DE DIREITO DA UniEVANGÉLICA DIREÇÃO DE CURSO Regulamento do Núcleo de Atividades Complementares NAC (Resolução CNE/CES nº 9/2004) DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. A carga horária da matriz 2009.1

Leia mais

FACITEC - Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas IESST Instituto de Ensino Superior Social e Tecnológico

FACITEC - Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas IESST Instituto de Ensino Superior Social e Tecnológico RESOLUÇÃO CONSU Nº. 01/2009 DE 28/01/2009 Aprova o Regulamento das Atividades Complementares Científico-Culturais de Engenharia de Produção da Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas - Facitec. O

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 74/2011

RESOLUÇÃO Nº 74/2011 Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão RESOLUÇÃO Nº 74/2011 DÁ NOVA REDAÇÃO À RESOLUÇÃO Nº 81/04 QUE TRATA DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES COMO COMPONENTE CURRICULAR DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE

Leia mais

Regulamento das. Atividades Complementares

Regulamento das. Atividades Complementares BACHARELADO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS Regulamento das Atividades Complementares Osasco 2013 Apresentação Este documento apresenta um conjunto geral de normas e orientações sobre a realização das Atividades

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA ANIMAL - PPGBA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA ANIMAL - PPGBA 1 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA ANIMAL - PPGBA I - Objetivos Art. 1º - O Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal (PPGBA) destina-se a proporcionar aos candidatos portadores

Leia mais

ATIVIDADES COMPLEMENTARES

ATIVIDADES COMPLEMENTARES PRÓ-REITORIA ACADÊMICA BURITIS / CARLOS LUZ / SILVA LOBO ATIVIDADES COMPLEMENTARES As Atividades Complementares, conforme as Diretrizes Curriculares do MEC, são atividades extracurriculares obrigatórias

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. RECONHECIDO conforme PORTARIA nº 295, de 25 de Junho de 2008.

CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. RECONHECIDO conforme PORTARIA nº 295, de 25 de Junho de 2008. CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS RECONHECIDO conforme PORTARIA nº 295, de 25 de Junho de 2008. Título: Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Turno: Noturno

Leia mais

III REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES OBRIGATÓRIAS DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE DE DIREITO DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM

III REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES OBRIGATÓRIAS DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE DE DIREITO DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM III REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES OBRIGATÓRIAS DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE DE DIREITO DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM I Das Disposições Preliminares Art. 1º - O presente regulamento tem por

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS. Programa de Pós-Graduação em Química Área de Concentração: Química Níveis Mestrado e Doutorado REGIMENTO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS. Programa de Pós-Graduação em Química Área de Concentração: Química Níveis Mestrado e Doutorado REGIMENTO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS Programa de Pós-Graduação em Química Área de Concentração: Química Níveis Mestrado e Doutorado REGIMENTO 2010 2 Os artigos que seguem neste Regimento referem-se ao Programa

Leia mais

Regulamento das Atividades Complementares. Faculdade de Jussara

Regulamento das Atividades Complementares. Faculdade de Jussara ATIVIDADES COMPLEMENTARES O curso de Administração da Faculdade de Jussara, considerando a importância da existência de outras atividades acadêmicas na formação do profissional, reservará 5% (cinco por

Leia mais

GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Faculdade de Engenharia Universidade do Estado de Minas Gerais

GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Faculdade de Engenharia Universidade do Estado de Minas Gerais GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Faculdade de Engenharia Universidade do Estado de Minas Gerais Apresentação Querido (a) aluno (a) Seja bem vindo (a) à Faculdade de Engenharia da Universidade do Estado

Leia mais

Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas e Comunicação Curso Superior de Tecnologia em Gastronomia

Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas e Comunicação Curso Superior de Tecnologia em Gastronomia Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas e Comunicação Curso Superior de Tecnologia em Gastronomia PASSO A PASSO PARA ATIVIDADES PRÁTICAS COMPLEMENTARES São atividades obrigatórias

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES (937Q)

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES (937Q) REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES (937Q) ENGENHARIA CIVIL GOIÂNIA/GO 1. ATIVIDADES COMPLEMENTARES As Atividades Complementares são componentes curriculares enriquecedores e complementadores do

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS Art. 1º - Este Regulamento visa normatizar as Atividades Complementares do Curso de Ciências Contábeis.

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU

PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU ENGENHARIA FLORESTAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO

Leia mais

Fundação de Ensino Superior de Cajazeiras - FESC Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Cajazeiras - FAFIC

Fundação de Ensino Superior de Cajazeiras - FESC Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Cajazeiras - FAFIC REGULAMENTO DAS ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS DO CURSO DE LICENCIATURA EM FILOSOFIA Art. 1º As atividades acadêmico-científico-culturais, denominadas atividades complementares, compreendem

Leia mais

COMPLEMENTARES ATIVIDADES COMPLEMENTARES OBJETIVO ATIVIDADES COMPLEMENTARES

COMPLEMENTARES ATIVIDADES COMPLEMENTARES OBJETIVO ATIVIDADES COMPLEMENTARES OBJETIVO ESTIMULAR A PARTICIPAÇÃO DO ALUNO EM EXPERIÊNCIAS DIVERSIFICADAS QUE CONTRIBUAM PARA A SUA FORMAÇÃO PROFISSIONAL. O ACADÊMICO OBRIGATORIAMENTE DEVERÁ APRESENTAR A COMPROVAÇÃO DE 120 HORAS DE.

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO Rio de Janeiro, 2003 CAPÍTULO I DOS CURSOS: MODALIDADES E OBJETIVOS Art. 1º. Em conformidade com o Regimento Geral de nos termos da Lei de Diretrizes e Bases da

Leia mais

REGULAMENTO DA SEMANA DA ENGENHARIA

REGULAMENTO DA SEMANA DA ENGENHARIA REGULAMENTO DA SEMANA DA ENGENHARIA A Coordenadora da Faculdade de Ciência e Tecnologia de Montes Claros FACIT, no uso de suas atribuições regimentais, considerando que o projeto dos cursos de engenharia

Leia mais

CAPÍTULO II DA DURAÇÃO E DA CARGA HORÁRIA

CAPÍTULO II DA DURAÇÃO E DA CARGA HORÁRIA POLO UFRJ - XERÉM COORDENAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL E SUPORTE ACADÊMICO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO Art. 1 o. As Atividades Complementares são componentes

Leia mais

PROGRAMA DE MOBILIDADE ACADÊMICA

PROGRAMA DE MOBILIDADE ACADÊMICA OOBJETIVO PROGRAMA DE MOBILIDADE ACADÊMICA FACULDADE INTERNACIONAL SIGNORELLI E UNIVERSIDAD NACIONAL DE CUYO PROJETO DE INTEGRAÇÃO ACADÊMICA ENTRE BRASIL E ARGENTINA 1.1 O Programa de Mobilidade Acadêmica

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ESTÉTICA E COSMÉTICA MANUAL DE ATIVIDADES COMPLENTARES

CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ESTÉTICA E COSMÉTICA MANUAL DE ATIVIDADES COMPLENTARES CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ESTÉTICA E COSMÉTICA MANUAL DE ATIVIDADES COMPLENTARES 1 Prezado(a) aluno(a): Este é o Manual de Atividades Complementares do Curso Superior

Leia mais

FACULDADE SANTA TEREZINHA CEST CURSO DE ADMINISTRAÇÃO NORMAS COMPLEMENTARES ATIVIDADES COMPLEMENTARES INDEPENDENTES

FACULDADE SANTA TEREZINHA CEST CURSO DE ADMINISTRAÇÃO NORMAS COMPLEMENTARES ATIVIDADES COMPLEMENTARES INDEPENDENTES NORMAS COMPLEMENTARES ATIVIDADES COMPLEMENTARES INDEPENDENTES Art. 1º As Complementares Independentes são componente curricular do curso de Administração, objetivando a flexibilização da formação do aluno,

Leia mais

ANEXO III. Regulamentação da Educação Profissional Técnica de Nível Médio Integrado na Modalidade Educação de Jovens e Adultos. Capítulo I Da admissão

ANEXO III. Regulamentação da Educação Profissional Técnica de Nível Médio Integrado na Modalidade Educação de Jovens e Adultos. Capítulo I Da admissão ANEXO III ORGANIZAÇÃO DIDÁTICA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA SERTÃO PERNANBUCANO Resolução nº 031/2010 De 30 de setembro de 2010 Regulamentação da Educação Profissional Técnica

Leia mais

REGULAMENTO ATIVIDADE COMPLEMENTAR Curso de Ciências Contábeis

REGULAMENTO ATIVIDADE COMPLEMENTAR Curso de Ciências Contábeis REGULAMENTO ATIVIDADE COMPLEMENTAR Curso de O presente regulamento normativa as Atividades Complementares, componente do Projeto Pedagógico do Curso da Faculdade de Presidente Epitácio FAPE. DA NATUREZA

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS E COMUNICAÇÃO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE DESIGN DE MODA

FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS E COMUNICAÇÃO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE DESIGN DE MODA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS E COMUNICAÇÃO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE DESIGN DE MODA 1. Atividades Complementares Atividades Complementares são atividades desenvolvidas

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE GRADUAÇÃO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE COOPERATIVAS

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE GRADUAÇÃO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE COOPERATIVAS REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE GRADUAÇÃO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE COOPERATIVAS Santa Maria RS 2011 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE GRADUAÇÃO DO CURSO SUPERIOR

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA CERTIFICAÇÃO INTERMEDIÁRIA POR MÓDULOS. Suzano

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA CERTIFICAÇÃO INTERMEDIÁRIA POR MÓDULOS. Suzano CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA CERTIFICAÇÃO INTERMEDIÁRIA POR MÓDULOS Suzano CERTIFICAÇÃO INTERMEDIÁRIA POR MÓDULOS A estrutura curricular do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Financeira

Leia mais

O Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores possui flexibilidade para atender dois tipos de certificações intermediárias, que são:

O Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores possui flexibilidade para atender dois tipos de certificações intermediárias, que são: 1) Formas de participação do Corpo Discente: O Colegiado do Curso é um órgão consultivo, deliberativo e normativo, onde é possível a participação do corpo discente nas decisões que competem a exposição

Leia mais

O P²CEM FIQUE POR DENTRO DAS NORMAS!!! Programa de Pós-Graduação em Ciência e Engenharia de Materiais P²CEM/UFS

O P²CEM FIQUE POR DENTRO DAS NORMAS!!! Programa de Pós-Graduação em Ciência e Engenharia de Materiais P²CEM/UFS O P²CEM FIQUE POR DENTRO DAS NORMAS!!! Programa de Pós-Graduação em Ciência e Engenharia de Materiais P²CEM/UFS Coordenação: Prof. Dr. Luís Eduardo Almeida Prof. Dr. Marcelo Massayoshi Ueki http://www.engenhariademateriais-ufs.net/

Leia mais

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. O presente Regulamento tem por finalidade normatizar as atividades complementares que compõem o currículo pleno dos

Leia mais

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA O CURSO DE FISIOTERAPIA

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA O CURSO DE FISIOTERAPIA MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA O CURSO DE FISIOTERAPIA MONTES CLAROS - MG SUMÁRIO 1. Introdução 4 2. Obrigatoriedade das atividades complementares 5 3. Modalidades de Atividades Complementares

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Estabelece normas operacionais para acompanhamento e registro das Atividades Complementares. O Colegiado do Curso de Administração da

Leia mais

REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES NORMAS OPERACIONAIS PARA ACOMPANHAMENTO E REGISTRO DOS ESTUDOS COMPLEMENTARES

REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES NORMAS OPERACIONAIS PARA ACOMPANHAMENTO E REGISTRO DOS ESTUDOS COMPLEMENTARES REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES NORMAS OPERACIONAIS PARA ACOMPANHAMENTO E REGISTRO DOS ESTUDOS COMPLEMENTARES O Parecer do CNE/CES nº 492/2001, assim define as atividades complementares:

Leia mais

UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO

UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO TÍTULO I - APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA... 1 TÍTULO II - DOS OBJETIVOS...

Leia mais

ATIVIDADES COMPLEMENTARES

ATIVIDADES COMPLEMENTARES S COMPLEMENTARES A partir das Diretrizes Curriculares, as Atividades Complementares constituem-se, também, em um dos componentes dos Cursos Superiores. As Diretrizes Curriculares objetivam servir de referência

Leia mais

PROGRAMA DE INTERCÂMBIO INTERNACIONAL DA FESPSP. Edital de Seleção 2014. Universidade Autônoma de Barcelona

PROGRAMA DE INTERCÂMBIO INTERNACIONAL DA FESPSP. Edital de Seleção 2014. Universidade Autônoma de Barcelona PROGRAMA DE INTERCÂMBIO INTERNACIONAL DA FESPSP Edital de Seleção 2014 Universidade Autônoma de Barcelona A área de Extensão Acadêmica e Cooperação Internacional da FESPSP em conjunto com as coordenações

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES 1 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Este regulamento, elaborado pela Coordenação do Curso de Ciências Econômicas da Universidade Metodista de São Paulo, tem por objetivo regulamentar o desenvolvimento

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. Capítulo I Das Disposições Gerais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. Capítulo I Das Disposições Gerais REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Dispõe sobre as Atividades Complementares do Curso Superior de Tecnologia em Análise e

Leia mais

Aprova o Regulamento do Programa de Pós-graduação em Relações Internacionais, Cursos de Mestrado Acadêmico e Doutorado, da Unesp, Unicamp e PUC/SP.

Aprova o Regulamento do Programa de Pós-graduação em Relações Internacionais, Cursos de Mestrado Acadêmico e Doutorado, da Unesp, Unicamp e PUC/SP. Resolução UNESP nº 46 de 26/03/2012 Aprova o Regulamento do Programa de Pós-graduação em Relações Internacionais, Cursos de Mestrado Acadêmico e Doutorado, da Unesp, Unicamp e PUC/SP. TÍTULO I Do Programa

Leia mais

Resolução N 0 06/2010 Edital de Ingresso 1º Semestre de 2011

Resolução N 0 06/2010 Edital de Ingresso 1º Semestre de 2011 Universidade Federal de Campina grande CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA UNIDADE ACADÊMICA DE ENGENHARIA QUÍMICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO Resolução N 0 06/2010 Edital de Ingresso 1º Semestre de 2011 O Colegiado

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOQUÍMICA E BIOPROSPECÇÃO MESTRADO DOUTORADO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOQUÍMICA E BIOPROSPECÇÃO MESTRADO DOUTORADO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOQUÍMICA E BIOPROSPECÇÃO MESTRADO DOUTORADO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU MESTRADO E DOUTORADO EM BIOQUÍMICA E BIOPROSPECÇÃO

Leia mais

PROGRAMA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES OBRIGATÓRIAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO - FACHASUL 1 - DEFINIÇÃO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES OBRIGATÓRIAS

PROGRAMA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES OBRIGATÓRIAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO - FACHASUL 1 - DEFINIÇÃO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES OBRIGATÓRIAS PROGRAMA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES OBRIGATÓRIAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO - FACHASUL 1 - DEFINIÇÃO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES OBRIGATÓRIAS O Programa de Atividades Complementares para o Curso de Administração

Leia mais

Art. 1º - Aprovar o Regulamento das Atividades Complementares do Curso de Turismo da Faculdade de Sinop FASIP, nos termos abaixo expostos.

Art. 1º - Aprovar o Regulamento das Atividades Complementares do Curso de Turismo da Faculdade de Sinop FASIP, nos termos abaixo expostos. FACULDADE DE SINOP FASIP - Faculdade de SINOP Credenciada pela portaria: RESOLUÇÃO CAS Nº. 14/2007 DE 06/04/2007 Aprova o Regulamento das atividades complementares do Curso de Turismo da Faculdade de Sinop

Leia mais

DIRETRIZES PARA O PROGRAMA DE INCENTIVO A TALENTOS DA KONRAD-ADENAUER-STIFTUNG

DIRETRIZES PARA O PROGRAMA DE INCENTIVO A TALENTOS DA KONRAD-ADENAUER-STIFTUNG DIRETRIZES PARA O PROGRAMA DE INCENTIVO A TALENTOS DA KONRAD-ADENAUER-STIFTUNG e. V. - INCENTIVO A ESTRANGEIROS - SELEÇÃO NO EXTERIOR Janeiro de 2011 OBJETIVOS A Konrad-Adenauer-Stiftung (KAS) incentiva

Leia mais

Colegiado do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências Veterinárias

Colegiado do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências Veterinárias MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM CIÊNCIAS VETERINÁRIAS Colegiado do Programa de Pós-Graduação

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Metrologia Mestrado 2016.1

Programa de Pós-Graduação em Metrologia Mestrado 2016.1 Programa de Pós-Graduação em Metrologia Mestrado 2016.1 Área de Concentração: Metrologia para Qualidade e Inovação A Coordenação do Programa de Pós-Graduação em Metrologia da PUC-Rio, nos termos do Regulamento

Leia mais

ATIVIDADES COMPLEMENTARES - Curso de Comunicação Social

ATIVIDADES COMPLEMENTARES - Curso de Comunicação Social ATIVIDADES COMPLEMENTARES - Curso de Comunicação Social As Atividades Complementares são práticas acadêmicas, obrigatórias para os alunos do UniFIAMFAAM. Essas atividades são apresentadas sob múltiplos

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES OBRIGATÓRIAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Carga Horária Total exigida no curso: 200 horas

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES OBRIGATÓRIAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Carga Horária Total exigida no curso: 200 horas REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES OBRIGATÓRIAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Carga Horária Total exigida no curso: 200 LONDRINA/PR 2014 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES OBRIGATÓRIAS DO CURSO

Leia mais

3.1.2 As vagas serão preenchidas até o limite máximo de vagas.

3.1.2 As vagas serão preenchidas até o limite máximo de vagas. ABERTURA DE INSCRIÇÕES PARA S DE EXTENSÃO: UTILIZAÇÃO DO (EDITOR DE TEXTOS) LATEX PARA CONSTRUÇÃO DE LISTAS DE EXERCÍCIO, PROVAS E TEXTOS CIENTÍFICOS, PARA COMUNIDADE DOCENTE E DISCENTE DE SUPERIOR DE

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação

Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação Faculdade de Informática Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação Regulamento Capítulo I Da Atribuição e Organização Geral Art. 1 - O Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação (PPGCC),

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Designamos atividades complementares o conjunto de eventos oferecidos aos alunos de

Leia mais

Universidade Federal do Ceará Engenharia da Computação Campus de Sobral. Regulamento de Programa de Atividades Complementares

Universidade Federal do Ceará Engenharia da Computação Campus de Sobral. Regulamento de Programa de Atividades Complementares Universidade Federal do Ceará Engenharia da Computação Campus de Sobral Regulamento de Programa de Atividades Complementares Abril de 2010 SUMÁRIO Sumário INTRODUÇÃO... 3 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 3

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO DE RIO CLARO ASSOCIAÇÃO DE ESCOLAS REUNIDAS - ASSER

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO DE RIO CLARO ASSOCIAÇÃO DE ESCOLAS REUNIDAS - ASSER 1 ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO DE RIO CLARO ASSOCIAÇÃO DE ESCOLAS REUNIDAS - ASSER ATIVIDADES ACADÊMICAS CURRICULARES COMPLEMENTARES (A.A.C.C.) DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO: ATIVIDADES

Leia mais

Manual de Atividades Complementares

Manual de Atividades Complementares CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Manual de Atividades Complementares Belo Horizonte 1 Prezado(a) aluno(a): Este é o Manual de Atividades Complementar

Leia mais

EDITAL DE TRANSFERÊNCIA Nº 001/2013 DRCA/UFAL CAMPUS MACEIÓ

EDITAL DE TRANSFERÊNCIA Nº 001/2013 DRCA/UFAL CAMPUS MACEIÓ SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO DEPARTAMENTO DE REGISTRO E CONTROLE ACADÊMICO EDITAL DE TRANSFERÊNCIA Nº 001/2013 DRCA/UFAL CAMPUS MACEIÓ O Departamento

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA DE PETRÓPOLIS FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE SAÚDE HOSPITAL DE ENSINO ALCIDES CARNEIRO ANEXO 1 - AVALIAÇÃO CURRICULAR PADRONIZADA

FACULDADE DE MEDICINA DE PETRÓPOLIS FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE SAÚDE HOSPITAL DE ENSINO ALCIDES CARNEIRO ANEXO 1 - AVALIAÇÃO CURRICULAR PADRONIZADA FACULDADE DE MEDICINA DE PETRÓPOLIS FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE SAÚDE HOSPITAL DE ENSINO ALCIDES CARNEIRO ANEXO 1 - AVALIAÇÃO CURRICULAR PADRONIZADA O candidato deverá ler as instruções abaixo e entregar cópias

Leia mais

CURSOS DE MESTRADO ACADÊMICO E DOUTORADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA REGULAMENTO

CURSOS DE MESTRADO ACADÊMICO E DOUTORADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA REGULAMENTO CURSOS DE MESTRADO ACADÊMICO E DOUTORADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA REGULAMENTO 2013 CURSOS DE MESTRADO ACADÊMICO E DOUTORADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA REGULAMENTO

Leia mais

Carga horária: 504 horas Unidade Curricular Carga Horária (h) Carga Horária Semanal (h)

Carga horária: 504 horas Unidade Curricular Carga Horária (h) Carga Horária Semanal (h) ORGANIZAÇÃO CURRICULAR A estrutura curricular do Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas da FESC, tem sua essência referenciada na pesquisa de mercado identificando a demanda

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA UESB Recredenciada pelo Decreto Estadual N 9.996, de 02.05.2006 EDITAL Nº. 235/2013

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA UESB Recredenciada pelo Decreto Estadual N 9.996, de 02.05.2006 EDITAL Nº. 235/2013 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA UESB Recredenciada pelo Decreto Estadual N 9.996, de 02.05.2006 EDITAL Nº. 235/2013 PROCESSO SELETIVO DE TRANSFERÊNCIA INTERNA E EXTERNA PARA OS S DE GRADUAÇÃO

Leia mais

Parágrafo Único. As Atividades Complementares não se confundem com as disciplinas do Curso de Direito.

Parágrafo Único. As Atividades Complementares não se confundem com as disciplinas do Curso de Direito. REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO Dispõe sobre as Atividades Complementares do Curso de Direito do Centro Universitário do Cerrado-Patrocínio UNICERP. Capítulo I Das Disposições

Leia mais

REGULAMENTO GERAL ESTÁGIO SUPERVISIONADO LICENCIATURA

REGULAMENTO GERAL ESTÁGIO SUPERVISIONADO LICENCIATURA REGULAMENTO GERAL ESTÁGIO SUPERVISIONADO LICENCIATURA APRESENTAÇÃO 1. CARGA HORÁRIA DE ESTÁGIO 2. A COORDENAÇÃO DE ESTÁGIOS 2.1. SUPERVISÃO GERAL DE ESTÁGIOS 2.2. COORDENADORES DE CURSO 2.3. PROFESSORES

Leia mais

Programa de Residência C.E.S.A.R/ Datacom

Programa de Residência C.E.S.A.R/ Datacom Programa de Residência C.E.S.A.R/ Datacom Desenvolvimento de Sistemas Embarcados e Gerência de Redes Edital do Processo Seletivo 2011.2 Setembro / 2011 V01.00 CONTEÚDO CONTEÚDO... 2 1. APRESENTAÇÃO DO

Leia mais

PROCEDIMENTOS E GRADE CURRICULAR MESTRADO (ACADÊMICO E PROFISSIONAL) E DOUTORADO

PROCEDIMENTOS E GRADE CURRICULAR MESTRADO (ACADÊMICO E PROFISSIONAL) E DOUTORADO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA ESCOLA POLITÉCNICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA INDUSTRIAL Rua Professor Aristides Novis, nº 02 Federação EP/UFBA

Leia mais

MANUAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO EM SAÚDE

MANUAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO EM SAÚDE 1 MANUAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO EM SAÚDE Olinda PE Agosto / 2014 2 Introdução As atividades complementares representam um conjunto de atividades extracurriculares que

Leia mais

CANDIDATURA ÀS BOLSAS DE GRADUAÇÃO SANDUICHE NO EXTERIOR CNPQ/ PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS

CANDIDATURA ÀS BOLSAS DE GRADUAÇÃO SANDUICHE NO EXTERIOR CNPQ/ PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS CANDIDATURA ÀS BOLSAS DE GRADUAÇÃO SANDUICHE NO EXTERIOR CNPQ/ PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS CHAMADA INTERNA - N 0 01/2012 REITORIA O IFPR foi selecionado pelo CNPq para participar do programa Ciência

Leia mais

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEME MENTARES CURSO DE ENFERMAGEM. Belo Horizonte

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEME MENTARES CURSO DE ENFERMAGEM. Belo Horizonte MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEME MENTARES CURSO DE ENFERMAGEM Belo Horizonte 2013 ÍNDICE 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 FINALIDADE... 3 3 DEVERES DO COORDENADOR EM RELAÇÃO AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES... 4 4 DEVERES

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS Coordenação do Curso de Publicidade e Propaganda

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS Coordenação do Curso de Publicidade e Propaganda REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Regulamenta as Atividades Complementares do Curso de Publicidade e Propaganda do Centro de Comunicação e Letras da Universidade Presbiteriana Mackenzie CAPÍTULO

Leia mais

ESTRATÉGIAS DE ENSINO DE INGLÊS PARA CANDIDATOS AO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS NO ESTADO DE PERNAMBUCO,

ESTRATÉGIAS DE ENSINO DE INGLÊS PARA CANDIDATOS AO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS NO ESTADO DE PERNAMBUCO, PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA COORDENAÇÃO DE ASSUNTOS INTERNACIONAIS PROGRAMA DE APOIO À FORMAÇÃO EM LÍNGUAS ESTRANGEIRAS PARA CERTIFICAÇÃO DE CANDIDATOS AO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS EDITAL

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Art. 1º- A análise e registro das atividades complementares será realizada pela Coordenação das Atividades Complementares

Leia mais

Normas das Atividades Complementares do Curso de Ciência da Computação

Normas das Atividades Complementares do Curso de Ciência da Computação Normas das Atividades Complementares do Curso de Ciência da Computação 1. Apresentação As atividades complementares são consideradas parte integrante do Currículo do Curso de Bacharelado em Ciência da

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE INVERNO 2015 EDITAL

PROCESSO SELETIVO DE INVERNO 2015 EDITAL U N I V E R S I D A D E D E P A S S O F U N D O V i c e - R e i t o r i a d e G r a d u a ç ã o S e c r e t a r i a G e r a l d o s C u r s o s Campus I Rodovia BR 285 Km 292,7 - Bairro São José CEP 99052-900

Leia mais

SELEÇÃO. Edital DG nº010-2014.2. Programa de Mobilidade Acadêmica

SELEÇÃO. Edital DG nº010-2014.2. Programa de Mobilidade Acadêmica SELEÇÃO Edital DG nº010-2014.2 Programa de Mobilidade Acadêmica Edital DG nº 010 / 2014.2 - Programa de Mobilidade Acadêmica PROGRAMA DE MOBILIDADE ACADÊMICA FACULDADE INTERNACIONAL SIGNORELLI E UNIVERSIDAD

Leia mais

INSTITUTO METROPOLITANO DE ENSINO SUPERIOR NÚCLEO DE ASSESSORAMENTO EM EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

INSTITUTO METROPOLITANO DE ENSINO SUPERIOR NÚCLEO DE ASSESSORAMENTO EM EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE ATIVIDADES COMPLEMENTARES ATIVIDADES COMPLEMENTARES A partir das Diretrizes Curriculares dos Cursos de Graduação do Ministério da Educação, as Atividades Complementares passaram a figurar como importante componente dos Cursos Superiores

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS GABINETE DO REITOR FÓRMULA SANTANDER PROGRAMA DE BOLSAS DE MOBILIDADE INTERNACIONAL

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS GABINETE DO REITOR FÓRMULA SANTANDER PROGRAMA DE BOLSAS DE MOBILIDADE INTERNACIONAL O Gabinete do Reitor da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás), no uso de suas atribuições, torna público este Edital de seleção de estudantes de graduação da PUC Goiás para a realização

Leia mais

EDITAL PARA INGRESSO NO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA SEMESTRE 2015/2

EDITAL PARA INGRESSO NO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA SEMESTRE 2015/2 Admissão EDITAL PARA INGRESSO NO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA SEMESTRE 2015/2 A admissão no PPGEQ da UFRGS é feita em duas etapas: inscrição e seleção. 1 INSCRIÇÃO As inscrições para

Leia mais

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES APRESENTAÇÃO As Atividades Complementares são componentes curriculares enriquecedores e desenvolvedores do perfil do formando. Possibilitam o reconhecimento, por

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. Pós-graduação

MANUAL DO CANDIDATO. Pós-graduação MANUAL DO CANDIDATO Pós-graduação Prezado(a) Candidato(a), Agradecemos o interesse pelos nossos cursos. Este manual contém informações básicas pertinentes ao curso, tais como: objetivos do curso e das

Leia mais

SELEÇÃO INTERNA DE MONITORIAS NÍVEL TÉCNICO

SELEÇÃO INTERNA DE MONITORIAS NÍVEL TÉCNICO CAMPUS TERESINA ZONA SUL COORDENAÇÃO DE PESQUISA E INOVAÇÃO EDITAL N.º 0/05 SELEÇÃO INTERNA DE MONITORIAS NÍVEL TÉCNICO O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí, Campus Teresina Zona

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ZOOTECNIA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ZOOTECNIA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ZOOTECNIA 2012 COLEGIADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ZOOTECNIA ❶ Coordenador Prof. Márcio Machado Ladeira ❷ Coordenador Adjunto

Leia mais

ATIVIDADES COMPLEMENTARES

ATIVIDADES COMPLEMENTARES ATIVIDADES COMPLEMENTARES Regulamento das Atividades Complementares dos Cursos de Graduação da Faculdade Barretos Art. 1º - O presente Regulamento tem por finalidade definir normas e critérios para a seleção

Leia mais

REGULAMENTO BOLSA ESTÁGIO FACULDADES FUTURÃO

REGULAMENTO BOLSA ESTÁGIO FACULDADES FUTURÃO REGULAMENTO BOLSA ESTÁGIO FACULDADES FUTURÃO A Diretora Geral da Faculdades Futurão, mantida por CENTEFF Centro Técnico e Faculdades Futurão, faz saber aos interessados que a IES oferece Bolsa de Estágio

Leia mais

APEC - Associação Piauiense de Educação e Cultura CESVALE - Centro de Ensino Superior do Vale do Parnaíba

APEC - Associação Piauiense de Educação e Cultura CESVALE - Centro de Ensino Superior do Vale do Parnaíba RESOLUÇÃO Nº 07 DE 20/09/2004 Estabelece normas para a realização das Atividas Complementares nos cursos graduação do CESVALE. Art. 1 - Define como Ativida Complementar toda e qualquer ativida não prevista

Leia mais

Aprova o Regulamento das Atividades Complementares dos Cursos de Graduação da Faculdade Murialdo - FAMUR

Aprova o Regulamento das Atividades Complementares dos Cursos de Graduação da Faculdade Murialdo - FAMUR RESOLUÇÃO CONSUP Nº 25/2015 Aprova o Regulamento das Atividades Complementares dos Cursos de Graduação da Faculdade Murialdo - FAMUR O Presidente do Conselho Superior CONSUP, no uso de suas atribuições

Leia mais

Atividades Complementares dos Cursos da Faculdade de Engenharias, Arquitetura e Urbanismo - UNIVAP

Atividades Complementares dos Cursos da Faculdade de Engenharias, Arquitetura e Urbanismo - UNIVAP Atividades Complementares dos Cursos da Faculdade de Engenharias, Arquitetura e Urbanismo - UNIVAP Exigência das Atividades Complementares As Atividades Complementares para os cursos de graduação e graduação

Leia mais

REGULAMENTO NÚCLEO FLEXÍVEL CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO NÚCLEO FLEXÍVEL CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO NÚCLEO FLEXÍVEL CURSO DE DIREITO Art. 1º O presente conjunto de regras tem por finalidade normatizar as atividades que compõem o núcleo flexível do Currículo de Graduação em Direito e cujo

Leia mais

DISCIPLINA: ATIVIDADES ACADÊMICAS COMPLEMENTARES (AAC)

DISCIPLINA: ATIVIDADES ACADÊMICAS COMPLEMENTARES (AAC) Escola de Enfermagem Wenceslau Braz DISCIPLINA: ATIVIDADES ACADÊMICAS COMPLEMENTARES (AAC) INTRODUÇÃO O Projeto Pedagógico do Curso de Enfermagem da Escola de Enfermagem Wenceslau Braz (EEWB) da cidade

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal de São Paulo Instituto de Ciências Ambientais Químicas e Farmacêuticas Curso Ciências Ambientais

Ministério da Educação Universidade Federal de São Paulo Instituto de Ciências Ambientais Químicas e Farmacêuticas Curso Ciências Ambientais RESOLUÇÃO N. 01 DE 29/06/2011 Regulamenta as normas para o exercício e a validação das Atividades Complementares do Curso de Graduação Bacharelado em Ciências Ambientais (CBCA) do Instituto de Ciências

Leia mais

EDITAL Nº 03/2014 - PROEX

EDITAL Nº 03/2014 - PROEX EDITAL Nº 03/2014 - PROEX DIVULGA O PROCESSO SELETIVO DE ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO E PÓS- GRADUAÇÃO PARA O PROGRAMA DE FORMAÇÃO EM IDIOMA ESTRANGEIRO NA MODALIDADE DE CURSOS DE INGLÊS, FRANCÊS, ALEMÃO E

Leia mais

FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE

FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE REGULAMENTO PARA AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO RESOLUÇÃO - CONSUP Nº 001/2012 REGULAMENTO PARA AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DA NATUREZA DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

REGULAMENTAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO REGULAMENTAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Resolução 012/2010 da Pró-Reitoria de Graduação CAPÍTULO I - DO CONCEITO Art. 1º - O Trabalho de Conclusão de Curso

Leia mais