(*)OFÍCIO GP n.º 86/CMRJ Em 1º de outubro de 2013.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "(*)OFÍCIO GP n.º 86/CMRJ Em 1º de outubro de 2013."

Transcrição

1 (*)OFÍCIO GP n.º 86/CMRJ Em 1º de outubro de Senhor Presidente, Dirijo-me a Vossa Excelência para comunicar que, nesta data, sancionei o Projeto de Lei n.º 442-A, de 2013, de autoria do Poder Executivo, que Dispõe sobre o Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração dos funcionários da Secretaria Municipal de Educação e dá outras providências, cuja segunda via restituo-lhe com o presente. Aproveito o ensejo para reiterar a Vossa Excelência meus protestos de estima e distinta consideração. EDUARDO PAES Ao Exmo. Sr. Vereador JORGE FELIPPE Presidente da Câmara Municipal do Rio de Janeiro

2 LEI Nº DE 1º DE outubro DE Dispõe sobre o Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração dos funcionários da Secretaria Municipal de Educação e dá outras providências. Autor: Poder Executivo O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, faço saber que a Câmara Municipal decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 Esta Lei institui o Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração dos funcionários da Secretaria Municipal de Educação - SME e adota outras providências no interesse da valorização do pessoal da área de Educação e da melhoria da qualidade do ensino público municipal. Art. 2º O Quadro de Pessoal da SME é constituído na forma a seguir: I - Quadro de Pessoal do Magistério; II - Quadro de Pessoal de Apoio Técnico à Educação; III - Quadro de Pessoal de Agente de Educação Infantil; IV - Quadro de Pessoal de Apoio à Educação. CAPÍTULO II DO QUADRO DE PESSOAL DA SME Seção I Do Ingresso Art. 3º O ingresso no Quadro de Pessoal da SME dar-se-á mediante a nomeação para cargo de provimento efetivo, submetido ao regime estatutário, mediante prévia aprovação em concurso público, obedecidos a ordem de classificação e o prazo de sua validade. 1º O concurso público será realizado em etapas, conforme estabelecido em edital, observado no que couber, as especificidades do cargo: I - provas objetivas e discursivas, de caráter eliminatório/classificatório; 2

3 II - curso de formação, de caráter eliminatório; III - avaliação prática de desempenho didático, de caráter eliminatório; IV - provas de títulos, de caráter classificatório. 2º É obrigatória a prova oral para as disciplinas de línguas estrangeiras. 3º O provimento nos cargos far-se-á nos níveis iniciais, correspondendo à formação exigida em Edital e à respectiva área de atuação. Subseção I Do Quadro de Pessoal do Magistério Art. 4 O Quadro de Pessoal do Magistério é constituído pelos cargos efetivos de: I - Professor de Educação Infantil - PEI - criado pela Lei n.º 5.217, de 1º de setembro de para o exercício de atividades docentes em turmas, exclusivamente, de Educação Infantil; II - Professor de Ensino Fundamental - PEF - para o exercício de atividades docentes em turmas do primeiro ao nono ano do Ensino Fundamental, criado nos termos desta Lei, respeitada a formação específica. 1º Os detentores dos cargos de Professor I, Professor II, Professor de Ensino Especializado e Especialista de Educação continuam a integrar o Quadro de Pessoal do Magistério. 2º O Professor I - PI e Professor de Ensino Fundamental PEF - habilitados nas disciplinas de Educação Física, Língua Estrangeira e Educação Artística poderão atuar, mediante opção, em turmas de Educação Infantil ao quinto ano respeitada a sua jornada de trabalho. 3º O cargo de Professor de Ensino Religioso criado por intermédio da Lei n.º 5.303, de 19 de outubro 2011, e sua totalidade de vagas passam a integrar a categoria funcional de Professor I. Art. 5º Os profissionais do Quadro de Pessoal do Magistério terão a seguinte formação: I - PEI - Nível Médio completo na modalidade Normal; II - PEF - Nível Superior em Licenciatura Plena. Art. 6º Fica fixado em R$ 132,25 (cento e trinta e dois reais e vinte e cinco centavos) o Bônus-Cultura, criado pela Lei nº 3.438, de 27 de setembro de 2002, concedido para os ocupantes do Quadro de Pessoal do Magistério. 3

4 Parágrafo único. O valor do Bônus-Cultura será atualizado no mesmo período e índice adotados para o reajuste geral do funcionalismo municipal, a partir de janeiro de Subseção II Do Quadro de Pessoal de Apoio Técnico à Educação Art. 7 O Quadro de Pessoal de Apoio Técnico à Educação é constituído pelos cargos efetivos de: I - Secretário Escolar - criado pela Lei n.º 5.335, de 8 de dezembro de 2011, com escolaridade de Nível Médio completo; II - Agente de Apoio à Educação Especial, criado nos termos desta Lei. Art. 8º Fica criado, no Quadro de Apoio Técnico à Educação, o cargo de Agente de Apoio à Educação Especial, para atuar, exclusivamente, no âmbito da SME, com escolaridade de Nível Médio completo. 1º A composição numérica do cargo de Agente de Apoio à Educação Especial é de três mil vagas. 2º As especificações do cargo de Agente de Apoio à Educação Especial são as constantes do Anexo I desta Lei. Subseção III Do Quadro de Pessoal de Agente de Educação Infantil Art. 9 O Quadro de Pessoal de Agente de Educação Infantil é constituído pelo cargo efetivo de Agente Auxiliar de Creche, criado pela Lei n.º 3.985, de 8 de abril de 2005, com escolaridade de Ensino Fundamental completo, que passa a denominar-se Agente de Educação Infantil. Subseção IV Do Quadro de Pessoal de Apoio à Educação Art. 10. O Quadro de Pessoal de Apoio à Educação é constituído pelos cargos efetivos de: I - Agente Educador II e Inspetor de Alunos - com escolaridade de Ensino Fundamental completo; II - Servente - com escolaridade de Ensino Fundamental incompleto - até o quinto ano; III - Merendeira - com escolaridade de Ensino Fundamental completo. 4

5 Parágrafo único. A Merendeira alfabetizada, tendo o domínio de escrita, de leitura e de execução das quatro operações básicas de matemática, continua a integrar o Quadro de Apoio à Educação. Seção II Dos níveis e classes Art. 11. Os Profissionais do Quadro de Pessoal do Magistério serão posicionados em Níveis, considerando o escalonamento por tempo de serviço, observadas as disposições a seguir: I - Nível 1: de 0 a 5 anos; II - Nível 2: mais de 5 até 8 anos; III - Nível 3: mais de 8 até 10 anos; IV - Nível 4: mais de 10 até 15 anos; V - Nível 5: mais de 15 até 20 anos; VI - Nível 6: mais de 20 até 25 anos; VII - Nível 7: mais de 25 anos. Parágrafo único. Será computado, para fins do escalonamento previsto no caput, o tempo de serviço prestado no magistério público municipal. Art. 12. Os Profissionais do Quadro de Pessoal do Magistério serão enquadrados em Classes de acordo com a formação a seguir: I - Classe A: Nível Médio - Habilitação específica de Nível Médio na modalidade Normal; II - Classe B: Licenciatura Curta - Habilitação específica de Nível Médio com estudos adicionais, ou habilitação específica de Grau Superior em Nível de Graduação ou Licenciatura de curta duração; III - Classe C: Licenciatura Plena - Habilitação específica obtida em Curso Superior de Graduação, correspondente à Licenciatura Plena; IV - Classe D: Pós-Graduação Stricto Sensu - Habilitação específica em Curso de Pós-Graduação em Mestrado com tese defendida, na área da Educação. 1º As classes constituem a linha de promoção da carreira do titular do cargo do Magistério. 5

6 2º O enquadramento por formação dar-se-á após a conclusão do estágio probatório, com confirmação no Quadro Permanente publicada no Diário Oficial do Município do Rio de Janeiro. 3º O enquadramento poderá ser revisto sempre que o profissional concluir uma nova habilitação, respeitado o interstício de três anos do enquadramento anteriormente obtido. 4º O enquadramento por formação de que trata este artigo dar-se-á sem prejuízo da área de atuação do Professor. Seção III Dos Professores de Ensino Fundamental e de Educação Infantil Subseção I Dos Professores de Ensino Fundamental Art. 13. Fica criado o cargo de Professor de Ensino Fundamental - PEF, com formação em Nível Superior em Licenciatura Plena, para o exercício de atividades docentes em turmas de primeiro ao nono ano do Ensino Fundamental. Art. 14. As especificações e a tabela de vencimento do cargo de PEF encontram-se descritas, respectivamente, nos Anexos II e III desta Lei. Art. 15. A composição numérica do cargo de PEF, criado por esta Lei, corresponde a cinco mil vagas. Parágrafo único. As vagas ocupadas pelos professores de que trata o art. 18 serão acrescidas à composição numérica de que trata o caput. Art. 16. Os Professores de Ensino Fundamental - PEF - serão enquadrados em Classes de acordo com a formação a seguir: I - Classe C: Licenciatura Plena - Habilitação específica obtida em Curso Superior de Graduação, correspondente à Licenciatura Plena; II - Classe D: Pós-Graduação Stricto Sensu - Habilitação específica em Curso de Pós- Graduação em Mestrado com tese defendida, na área da Educação. Parágrafo único. O enquadramento nas Classes C e D dar-se-á de acordo com as condições previstas no art. 12 desta Lei. Art. 17. Os Professores de Ensino Fundamental - PEF - poderão, ainda, ser enquadrados em Classes de acordo com a formação a seguir: I - Classe A1: Pós-Graduação Lato Sensu - Habilitação específica em Curso de Pós- Graduação, de no mínimo trezentos e sessenta horas, na área da Educação; 6

7 II - Classe A2: Doutorado - Habilitação específica em Curso de Pós-Graduação em Doutorado com tese defendida, na área da Educação; III - Classe A3: Pós-Doutorado - Habilitação específica em Curso de Pós- Doutorado com tese defendida, na área da Educação. Parágrafo único. O enquadramento nas Classes A1, A2 e A3 dar-se-á a partir de critérios e número de vagas a serem estabelecidos pelo Poder Executivo, de acordo com os valores constantes na tabela do Anexo III desta Lei, que não serão cumulativos. Art.18. Passam a denominar-se Professor de Ensino Fundamental - PEF, os seguintes professores: I - Professores I - PI: a) com jornada de trabalho de quarenta horas semanais; b) com jornada de trabalho de dezesseis e de trinta horas semanais que tiver sua jornada ampliada de acordo com o art. 27; II - Professor II - PII, com jornada de trabalho de quarenta horas semanais, cuja habilitação exigida no concurso para ingresso no cargo tenha sido de Nível Superior em Licenciatura Plena. 1º A alteração da denominação dos cargos de Professor I PI e Professor II PII de que trata este artigo não implica em interrupção de direitos e vantagens e não configura descontinuidade dos respectivos cargos. 2º A tabela de vencimento dos Cargos de Professor de que tratam a alínea a do inciso I e o inciso II é a constante no Anexo III. Subseção II Dos Professores de Educação Infantil Art. 19. A composição numérica do cargo de Professor de Educação Infantil - PEI fica acrescida de três mil e duzentas vagas. Art. 20. O PEI terá jornada de quarenta horas semanais e vencimento constante da tabela do Anexo IV. Parágrafo único. O PEI cujo provimento no cargo do Município tenha se dado com base na jornada prevista na Lei n.º 5.217, de 1º de setembro de 2010, poderá optar pela jornada de trabalho de quarenta horas semanais nos termos do art

8 Art. 21. O enquadramento do PEI após o término do estágio probatório dar-se-á da seguinte forma: I - com jornada de vinte e duas horas e trinta minutos semanais, de acordo com as regras previstas no art. 12 desta Lei; II - com jornada de vinte e duas horas e trinta minutos semanais, ampliada na forma do art. 27, de acordo com as condições estabelecidas nos arts. 16 e 17 desta Lei; III - com jornada de quarenta horas, de acordo com as condições previstas nos arts. 16 e 17 desta Lei. Seção IV Dos cargos em comissão e funções gratificadas em Unidades Escolares Art. 22. A nomeação para cargos em comissão de Diretor e de funções gratificadas de Diretor Adjunto e Coordenador Pedagógico das Unidades Escolares da Rede Pública do Sistema Municipal de Ensino é exclusiva dos profissionais integrantes do Quadro de Pessoal do Magistério da SME. Art. 23. A escolha do Diretor das Unidades Escolares far-se-á por intermédio de consulta à comunidade escolar, da qual somente participarão os profissionais habilitados em etapa anterior. Parágrafo único. A habilitação a que se refere o caput será obtida mediante critérios a serem definidos em regulamento próprio. CAPÍTULO III DA JORNADA DE TRABALHO Art. 24. A jornada de trabalho dos funcionários que integram o Quadro de Pessoal da SME será de oito horas diárias e quarenta horas semanais. Art. 25. Ficam mantidas as atuais jornadas dos profissionais ocupantes dos cargos integrantes do Quadro de Pessoal do Magistério, resguardado o direito de opção na forma do art. 27. Art. 26. A jornada de trabalho dos ocupantes de cargos em comissão e funções gratificadas é de oito horas diárias e de quarenta horas semanais, podendo ser convocado sempre que o interesse do serviço o exigir. Art. 27. Por ato do Poder Executivo, de acordo com a necessidade de serviço, critérios e disponibilidade orçamentária anual, poderá ser implantada a jornada de trabalho de quarenta horas semanais, respeitado o direito de opção e a habilitação específica para os seguintes professores: 8

9 I - Professor I - PI, com jornada de dezesseis e de trinta horas semanais; II - Professor II - PII, com jornada de trabalho de vinte e duas horas e trinta minutos semanais; III - Professor de Educação Infantil - PEI, com jornada de vinte e duas horas e trinta minutos semanais. 1º O valor da hora-aula dos Professores de que tratam os incisos II e III, de Nível Médio, que tiverem sua jornada de trabalho ampliada para quarenta horas semanais na forma do caput, guardará equivalência entre as Classes, com a hora-aula do Professor de Ensino Fundamental, na forma da tabela constante do Anexo IV. 2º O valor da hora-aula dos Professores de que tratam os incisos II e III, de Nível Médio, enquadrados em Licenciatura Plena que tiverem sua jornada de trabalho ampliada para quarenta horas semanais na forma do caput será equiparado ao valor hora-aula do Professor de Ensino Fundamental. CAPÍTULO IV DA REMUNERAÇÃO E DO VENCIMENTO Seção I Pessoal de Magistério Art. 28. A remuneração do Profissional do Magistério corresponde ao vencimento relativo ao nível e classe em que se encontre posicionado, acrescido das vantagens pecuniárias a que fizer jus, previstas em legislação específica. Art. 29. O profissional do magistério fará jus à gratificação pelo exercício de direção, direção adjunta ou coordenação pedagógica de Unidades Escolares. Art. 30. Os ocupantes do Quadro de Pessoal da SME em exercício em Unidades Escolares, de difícil acesso, assim definidas por regulamento próprio, farão jus à gratificação que incidirá sobre o valor do vencimento, correspondente a: I - quinze por cento para Professor I com jornada de trabalho de trinta e de quarenta horas semanais, Professor II, Professor de Educação Infantil e Professor de Ensino Fundamental; II - dez por cento para Professor I com jornada de trabalho de dezesseis horas horas semanais; III - quinze por cento para o Quadro de Pessoal de Apoio Técnico à Educação, Quadro de Pessoal de Agente de Educação Infantil e Quadro de Pessoal de Apoio à Educação. 9

10 Art. 31. O vencimento do Professor II - PII, com jornada de quarenta horas semanais, cuja habilitação exigida no concurso para ingresso no cargo de Nível Superior com Licenciatura Plena, será o constante da tabela do Anexo III. Seção II Pessoal de Apoio Técnico à Educação Art. 32. O vencimento do Secretário Escolar e do Agente de Apoio à Educação Especial passam a ser os constantes dos Anexos V e VI, respectivamente. Seção III Pessoal de Agente de Educação Infantil Art. 33. A tabela de vencimento do Cargo de Agente Auxiliar de Creche, denominado Agente de Educação Infantil de acordo com o art. 9º, é a constante do Anexo IX. Parágrafo único. Ficam mantidas, no que couber, as disposições contidas na Lei nº 3.985, de 8 de abril de 2005, e na Lei nº 5.620, de 20 de setembro de Seção IV Pessoal de Apoio à Educação Art. 34. Os ocupantes dos cargos de servente e demais categorias funcionais que percebam com base na mesma tabela de vencimento e estejam lotados e em exercício na SME farão jus a um complemento salarial, a título de direito pessoal, correspondente ao percentual de oito por cento na forma da tabela constante no Anexo XI. 1º Sobre o complemento incidirá a gratificação prevista no art. 126 da Lei nº 94, de 14 de março de º O complemento será reajustado no mesmo período e de acordo com os índices anuais concedidos ao funcionalismo público municipal. Art. 35. A tabela de vencimento das categorias funcionais de Merendeira, Agente Educador II e Inspetor de Alunos é a constante do Anexo X. CAPÍTULO V DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 36. O período de férias anuais dos Professores em função docente; Agente Educador II; Inspetor de Alunos; Merendeira; Agente Auxiliar de Creche,denominado Agente de Educação Infantil de acordo com o art. 9º; e Agente de Apoio à Educação Especial será de trinta dias no mês de janeiro. 10

11 Art. 37. O Poder Executivo publicará os calendários de recesso escolar. Art. 38. Aos profissionais do Magistério, fica assegurado, mediante regulamentação da SME, concurso anual de remoção para Unidades Escolares da Coordenadoria Regional de Educação onde o servidor estiver lotado, ou de outras Coordenadorias. CAPÍTULO VI DAS DISPOSIÇÕES FINAIS Art. 39. São considerados extintos, à medida que vagarem, os cargos da categoria funcional de Professor de Ensino Especializado. Art. 40. As tabelas constantes dos Anexos desta Lei já contemplam o percentual de oito por cento sobre o valor do vencimento do mês de agosto de º Exclui-se do disposto no caput a tabela das categorias funcionais mencionadas no art. 34 desta Lei. 2º O valor do vencimento do cargo corresponde ao Nível e à Classe onde o servidor estiver posicionado. Art. 41. Estende-se ao Professor II - PII, de Nível Médio, com jornada de trabalho de quarenta horas semanais, enquadrado na forma do art. 12 desta Lei, o valor da horaaula aplicado ao Professor de Ensino Fundamental - PEF. Art. 42. O valor do vencimento do Professor II - PII, de Nível Médio, com jornada de trabalho de quarenta horas semanais, é o constante do Anexo VII. Art. 43. Os Professores II PII e os Professores de Educação Infantil PEI, ambos de Nível Médio, com jornada de trabalho semanal de vinte e duas horas e meia, terão o valor do vencimento aumentado, no prazo de cinco anos, anualmente, de acordo com o posicionamento no Nível e na Classe em que o professor estiver enquadrado, na forma do Anexo VIII. 1º Os valores das tabelas de vencimento de que trata o caput serão atualizados no mesmo período e índice adotados para o reajuste geral do funcionalismo municipal, a partir de janeiro de º O aumento de que trata este artigo estende-se aos inativos e às pensões provenientes dos cargos de Professor com escolaridade de Nível Médio, cuja jornada de trabalho na data da aposentadoria ou do fato gerador da pensão era de vinte e duas horas e meia semanais. 3º O valor do vencimento constante na tabela do Anexo VIII terá validade nas datas dos aniversários desta Lei, tendo início em

12 Art. 44 Aplica-se aos valores constantes das Tabelas de Vencimento estipuladas nesta Lei, a Gratificação Adicional por Tempo de Serviço Triênio prevista no art. 126, da Lei nº 94, de 14 de março de Art. 45 Para fins de enquadramento nas classes por formação, a área de Educação de que tratam os art. 12, 16 e 17 será definida através de ato do Poder Executivo. Art. 46 Ficam assegurados pelo menos sessenta por cento dos recursos anuais totais do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação FUNDEB para pagamento da remuneração dos profissionais do Magistério da Educação Básica em efetivo exercício na Rede, nos termos da Lei Federal nº , de 20 de junho de Art. 47 Os ocupantes da categoria funcional de Agente Educador II, Inspetor de Alunos, Merendeira e os ocupantes dos cargos de que trata o art. 34 farão jus a um Adicional de Qualificação a ser concedido mediante regulamento do Poder Executivo. Art. 48 As tabelas constantes do Anexo XII desta Lei correspondem ao vencimento dos cargos de: I Professor I PI, com jornada de trabalho de dezesseis e de trinta horas semanais; II Professor de Ensino Religioso e Especialista de Educação, ambos com jornada de trabalho de dezesseis horas semanais; III Professor II PII, com formação de Nível Médio; Professor de Educação Infantil PEI; e Professor de Ensino Especializado, todos com jornada de trabalho de vinte e duas horas e trinta minutos semanais. Art. 49. Aos Professores da Rede Pública Municipal de Ensino do Rio de Janeiro será assegurada, de forma paulatina, a implantação da composição da jornada de trabalho prevista na Lei Federal nº , de 16 de julho de 2008, observados o planejamento, a disponibilidade orçamentária e as orientações contidas no Parecer nº 18/2012 da Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educação, homologado pelo Ministro da Educação, conforme publicado no Diário Oficial da União DOU de 1º de agosto de Art. 50. Aplicam-se as disposições desta Lei aos concursos públicos realizados que se encontram dentro do prazo de validade ou em andamento à época da publicação desta Lei. Art. 51. Os proventos da aposentadoria e os valores das pensões serão revistos, no mesmo percentual e na mesma data, sempre que se modificar a remuneração dos servidores em atividade. 12

13 Art. 52. Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação, produzindo efeitos financeiros a partir do primeiro dia útil do mês seguinte ao de sua publicação. Art. 53. Ficam revogados os arts. 3º, 5º a 7º, 9º a 17 e 19, e respectivos parágrafos, incisos e alíneas, da Lei nº 1.881, de 23 de julho de EDUARDO PAES 13

14 ANEXO I AGENTE DE APOIO À EDUCAÇÃO ESPECIAL DESCRIÇÃO SUMÁRIA Prestar apoio nas atividades executadas pelo Professor Regente e/ou Direção, contribuindo para o oferecimento de espaço físico e de convivência adequados à segurança, ao desenvolvimento e ao bem-estar social, físico e emocional dos alunos com deficiência, incluídos nas turmas regulares ou matriculados em Classes ou Escolas Especiais da Rede Pública Municipal de Ensino do Rio de Janeiro. RESPONSABILIDADES GENÉRICAS manter-se atualizado quanto às modernas técnicas profissionais; requisitar e manter o suprimento necessário à realização das atividades; zelar pela higiene e limpeza do ambiente e dependências sob sua guarda; observar as condições de funcionamento dos equipamentos, instrumentos e bens patrimoniais, solicitando os reparos necessários, para evitar riscos e prejuízos; zelar pelo uso racional e econômico e pela conservação dos equipamentos, materiais de consumo e pedagógicos pertinentes ao trabalho; colaborar com o docente na observância de regras de segurança quando do atendimento aos alunos e da utilização de materiais, equipamentos e instrumentos durante o desenvolvimento das rotinas diárias; acompanhar e participar sistematicamente dos cuidados essenciais referentes à alimentação, higiene pessoal, educação, cultura, recreação e lazer dos alunos; participar de programas de capacitação corresponsável. ATRIBUIÇÕES ESPECÍFICAS colaborar com o Professor Regente e/ou Direção quando da execução das atividades propostas aos alunos, interagindo com os demais profissionais da instituição; apoiar o processo de inclusão do aluno com deficiência; colaborar com o Professor Regente e/ou Direção no desenvolvimento das atividades previstas no projeto político pedagógico da unidade escolar; receber e acatar, criteriosamente, a orientação e as recomendações do Professor no trato e atendimento ao aluno; 14

15 executar tarefas relativas à observação de registros e avaliação do comportamento e desenvolvimento infanto-juvenil, sob a orientação e supervisão do Professor Regente; disponibilizar os materiais pedagógicos a serem utilizados nas atividades desenvolvidas pelo Professor Regente; executar tarefas relativas à observação das alterações físicas e de comportamento; colaborar na execução de atividades que visem à desestimulação da agressividade sob a orientação e supervisão do Professor Regente; colaborar na estimulação da independência do aluno, em especial, no que tange aos hábitos alimentares, de acordo com as orientações dos técnicos responsáveis; responsabilizar-se pela alimentação direta dos alunos dos berçários; cuidar da higiene e do asseio dos alunos sob sua responsabilidade; acompanhar o aluno em atividades sociais e culturais programadas pela unidade; executar outros encargos semelhantes, pertinentes à função. CARGA HORÁRIA Quarenta horas semanais. 15

16 ANEXO II ATRIBUIÇÕES DO PROFESSOR DE ENSINO FUNDAMENTAL Responsabilizar-se pelo bom andamento do trabalho dos seus alunos; Participar do planejamento curricular da Unidade Escolar; Planejar suas atividades como regente de turma, visando a um bom desenvolvimento funcional; Acompanhar e avaliar o desempenho do aluno, propondo medidas para melhor rendimento e ajustamento do mesmo, em consonância com a Coordenação Pedagógica; Manter atualizado o material de registro de desempenho do aluno, obedecendo a normas e prazos estabelecidos; Atender às determinações da Unidade Escolar, quanto à observância de horários e convocações; Manter-se em permanente atualização pedagógica, visando ao aperfeiçoamento profissional; Executar quaisquer outros encargos semelhantes e pertinentes à categoria funcional. Em consonância com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, são, também, atribuições do cargo: Ministrar os dias letivos e as horas-aula estabelecidos; Participar, integralmente, dos períodos dedicados ao planejamento, à avaliação e ao desenvolvimento profissional; Colaborar com as atividades de articulação da Unidade Escolar com as famílias e a comunidade. 16

17 ANEXO III QUADRO DE PESSOAL DA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO PROFESSOR DE ENSINO FUNDAMENTAL / PROFESSOR II (INGRESSO COM NÍVEL SUPERIOR - LICENCIATURA PLENA) / PROFESSOR I (40 HORAS) TABELA DE VENCIMENTO PROFESSOR ENSINO FUNDAMENTAL / PII (INGRESSO COM LICENCIATURA PLENA) / PI (40 HORAS) NÍVEL TEMPO SERVIÇO LICENCIATURA PLENA (Classe C) PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU (Classe A1) MESTRADO (Classe D) DOUTORADO (Classe A2) PÓS DOUTORADO (Classe A3) Nível 7 Mais de 25 anos R$ 5.247,75 R$ 5.405,18 R$ 5.877,48 R$ 6.034,91 R$ 6.349,77 Nível 6 Mais de 20 até 25 anos R$ 5.045,91 R$ 5.197,29 R$ 5.651,42 R$ 5.802,80 R$ 6.105,55 Nível 5 Mais de 15 até 20 anos R$ 4.851,84 R$ 4.997,39 R$ 5.434,06 R$ 5.579,61 R$ 5.870,72 Nível 4 Mais de 10 até 15 anos R$ 4.665,23 R$ 4.805,18 R$ 5.225,05 R$ 5.365,01 R$ 5.644,92 Nível 3 Mais de 8 até 10 anos R$ 4.485,80 R$ 4.620,37 R$ 5.024,09 R$ 5.158,66 R$ 5.427,81 Nível 2 Mais de 5 até 8 anos R$ 4.313,26 R$ 4.442,66 R$ 4.830,86 R$ 4.960,25 R$ 5.219,05 Nível 1 De 0 a 5 anos R$ 4.147,37 R$ 4.271,79 R$ 4.645,05 R$ 4.769,48 R$ 5.018,32 17

18 ANEXO IV QUADRO DE PESSOAL DA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL PEI (40 HORAS) TABELA DE VENCIMENTO PEI 40 HORAS MÉDIO NIVEL TEMPO SERVIÇO ENSINO MÉDIO (Classe A) LICENCIATURA CURTA (Classe B) LICENCIATURA PLENA (Classe C) PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU (Classe A1) MESTRADO (Classe D) DOUTORADO (Classe A2) PÓS DOUTORADO (Classe A3) Nível 7 Mais de 25 anos R$ 4.183,47 R$ 4.685,49 R$ 5.247,75 R$ 5.405,18 R$ 5.877,48 R$ 6.034,91 R$ 6.349,78 Nível 6 Mais de 20 até 25 anos R$ 4.022,57 R$ 4.505,28 R$ 5.045,91 R$ 5.197,29 R$ 5.651,42 R$ 5.802,80 R$ 6.105,55 Nível 5 Mais de 15 até 20 anos R$ 3.867,86 R$ 4.332,00 R$ 4.851,84 R$ 4.997,39 R$ 5.434,06 R$ 5.579,62 R$ 5.870,73 Nível 4 Mais de 10 até 15 anos R$ 3.719,09 R$ 4.165,38 R$ 4.665,23 R$ 4.805,19 R$ 5.225,06 R$ 5.365,01 R$ 5.644,93 Nível 3 Mais de 8 até 10 anos R$ 3.576,05 R$ 4.005,18 R$ 4.485,80 R$ 4.620,37 R$ 5.024,09 R$ 5.158,67 R$ 5.427,82 Nível 2 Mais de 5 até 8 anos R$ 3.438,51 R$ 3.851,13 R$ 4.313,27 R$ 4.442,67 R$ 4.830,86 R$ 4.960,26 R$ 5.219,05 Nível 1 De 0 a 5 anos R$ 3.306,26 R$ 3.703,01 R$ 4.147,37 R$ 4.271,79 R$ 4.645,06 R$ 4.769,48 R$ 5.018,32 18

19 ANEXO V QUADRO DE PESSOAL DA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SECRETÁRIO ESCOLAR TABELA DE VENCIMENTO CLASSE TEMPO DE SERVIÇO VENCIMENTO 3ª DE 0 ATÉ 5 ANOS R$ 980,51 2ª MAIS DE 5 ATÉ 8 ANOS R$ 1.005,02 1ª MAIS DE 8 ATÉ 10 ANOS R$ 1.030,14 ESPECIAL MAIS DE 10 ANOS R$ 1.055,90 19

20 ANEXO VI QUADRO DE PESSOAL DA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO AGENTE DE APOIO À EDUCAÇÃO ESPECIAL TABELA DE VENCIMENTO CATEGORIA TEMPO SERVIÇO VENCIMENTO AGENTE DE APOIO À EDUCAÇÃO ESPECIAL Especial Mais de 10 anos R$ 1.055,90 1a categoria Mais de 8 até 10 anos R$ 1.030,15 2a categoria Mais de 5 até 8 anos R$ 1.005,02 3a categoria De 0 a 5 anos R$ 980,51 20

21 ANEXO VII QUADRO DE PESSOAL DA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO PROFESSOR II (40 HORAS NÍVEL MÉDIO)* TABELA DE VENCIMENTO PROFESSOR II (40 HORAS) NÍVEL TEMPO SERVIÇO ENSINO MÉDIO (Classe A) LICENCIATURA CURTA (Classe B) LICENCIATURA PLENA (Classe C) MESTRADO (Classe D) Nível 7 Mais de 25 anos R$ 4.183,47 R$ 4.685,49 R$ 5.247,75 R$ 5.877,48 Nível 6 Mais de 20 até 25 anos R$ 4.022,57 R$ 4.505,28 R$ 5.045,91 R$ 5.651,42 Nível 5 Mais de 15 até 20 anos R$ 3.867,85 R$ 4.332,00 R$ 4.851,84 R$ 5.434,06 Nível 4 Mais de 10 até 15 anos R$ 3.719,09 R$ 4.165,38 R$ 4.665,23 R$ 5.225,05 Nível 3 Mais de 8 até 10 anos R$ 3.576,05 R$ 4.005,17 R$ 4.485,80 R$ 5.024,09 Nível 2 Mais de 5 até 8 anos R$ 3.438,51 R$ 3.851,13 R$ 4.313,26 R$ 4.830,86 Nível 1 De 0 a 5 anos R$ 3.306,26 R$ 3.703,01 R$ 4.147,37 R$ 4.645,05 *Ingresso por concurso de Nível Médio 21

22 ANEXO VIII QUADRO DE PESSOAL DA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO EVOLUÇÃO PROFESSOR II E PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL (22,5 HORAS) NÍVEL TEMPO SERVIÇO ENSINO MÉDIO (Classe A) LICENCIATURA CURTA (Classe B) LICENCIATURA PLENA (Classe C) MESTRADO (Classe D) VALIDADE 2014 PROFESSOR II E PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL (22,5 HORAS) VALIDADE 2015 PROFESSOR II E PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL (22,5 HORAS) VALIDADE 2016 PROFESSOR II E PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL (22,5 HORAS) VALIDADE 2017 PROFESSOR II E PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL (22,5 HORAS) VALIDADE 2018 PROFESSOR II E PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL (22,5 HORAS) Nível 7 Mais de 25 anos R$ 1.791,47 R$ 2.006,45 R$ 2.247,22 R$ 2.516,89 Nível 6 Mais de 20 até 25 anos R$ 1.722,57 R$ 1.929,28 R$ 2.160,79 R$ 2.420,08 Nível 5 Mais de 15 até 20 anos R$ 1.656,32 R$ 1.855,07 R$ 2.077,68 R$ 2.327,00 Nível 4 Mais de 10 até 15 anos R$ 1.592,61 R$ 1.783,72 R$ 1.997,77 R$ 2.237,50 Nível 3 Mais de 8 até 10 anos R$ 1.531,36 R$ 1.715,12 R$ 1.920,93 R$ 2.151,45 Nível 2 Mais de 5 até 8 anos R$ 1.472,46 R$ 1.649,15 R$ 1.847,05 R$ 2.068,70 Nível 1 De 0 a 5 anos R$ 1.415,83 R$ 1.585,72 R$ 1.776,01 R$ 1.989,13 Nível 7 Mais de 25 anos R$ 1.917,88 R$ 2.148,03 R$ 2.405,79 R$ 2.694,49 Nível 6 Mais de 20 até 25 anos R$ 1.844,12 R$ 2.065,41 R$ 2.313,26 R$ 2.590,86 Nível 5 Mais de 15 até 20 anos R$ 1.773,19 R$ 1.985,97 R$ 2.224,29 R$ 2.491,21 Nível 4 Mais de 10 até 15 anos R$ 1.704,99 R$ 1.909,59 R$ 2.138,74 R$ 2.395,39 Nível 3 Mais de 8 até 10 anos R$ 1.639,42 R$ 1.836,15 R$ 2.056,48 R$ 2.303,26 Nível 2 Mais de 5 até 8 anos R$ 1.576,36 R$ 1.765,52 R$ 1.977,39 R$ 2.214,67 Nível 1 De 0 a 5 anos R$ 1.515,73 R$ 1.697,62 R$ 1.901,33 R$ 2.129,49 Nível 7 Mais de 25 anos R$ 2.053,22 R$ 2.299,60 R$ 2.575,56 R$ 2.884,62 Nível 6 Mais de 20 até 25 anos R$ 1.974,25 R$ 2.211,16 R$ 2.476,50 R$ 2.773,68 Nível 5 Mais de 15 até 20 anos R$ 1.898,32 R$ 2.126,11 R$ 2.381,25 R$ 2.667,00 Nível 4 Mais de 10 até 15 anos R$ 1.825,30 R$ 2.044,34 R$ 2.289,66 R$ 2.564,42 Nível 3 Mais de 8 até 10 anos R$ 1.755,10 R$ 1.965,71 R$ 2.201,60 R$ 2.465,79 Nível 2 Mais de 5 até 8 anos R$ 1.687,60 R$ 1.890,11 R$ 2.116,92 R$ 2.370,95 Nível 1 De 0 a 5 anos R$ 1.622,69 R$ 1.817,41 R$ 2.035,50 R$ 2.279,76 Nível 7 Mais de 25 anos R$ 2.198,10 R$ 2.461,87 R$ 2.757,30 R$ 3.088,17 Nível 6 Mais de 20 até 25 anos R$ 2.113,56 R$ 2.367,19 R$ 2.651,25 R$ 2.969,40 Nível 5 Mais de 15 até 20 anos R$ 2.032,27 R$ 2.276,14 R$ 2.549,28 R$ 2.855,19 Nível 4 Mais de 10 até 15 anos R$ 1.954,10 R$ 2.188,60 R$ 2.451,23 R$ 2.745,37 Nível 3 Mais de 8 até 10 anos R$ 1.878,95 R$ 2.104,42 R$ 2.356,95 R$ 2.639,78 Nível 2 Mais de 5 até 8 anos R$ 1.806,68 R$ 2.023,48 R$ 2.266,30 R$ 2.538,25 Nível 1 De 0 a 5 anos R$ 1.737,19 R$ 1.945,65 R$ 2.179,13 R$ 2.440,63 Nível 7 Mais de 25 anos R$ 2.353,21 R$ 2.635,59 R$ 2.951,86 R$ 3.306,09 Nível 6 Mais de 20 até 25 anos R$ 2.262,70 R$ 2.534,22 R$ 2.838,33 R$ 3.178,93 Nível 5 Mais de 15 até 20 anos R$ 2.175,67 R$ 2.436,75 R$ 2.729,16 R$ 3.056,66 Nível 4 Mais de 10 até 15 anos R$ 2.091,99 R$ 2.343,03 R$ 2.624,20 R$ 2.939,10 Nível 3 Mais de 8 até 10 anos R$ 2.011,53 R$ 2.252,91 R$ 2.523,26 R$ 2.826,06 Nível 2 Mais de 5 até 8 anos R$ 1.934,16 R$ 2.166,26 R$ 2.426,22 R$ 2.717,36 Nível 1 De 0 a 5 anos R$ 1.859,77 R$ 2.082,95 R$ 2.332,90 R$ 2.612,85 22

PROPOSTA DE PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E REMUNERAÇÃO DOS POFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO: MAGISTÉRIO E FUNCIONÁRIOS ADMINISTRATIVOS.

PROPOSTA DE PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E REMUNERAÇÃO DOS POFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO: MAGISTÉRIO E FUNCIONÁRIOS ADMINISTRATIVOS. PROPOSTA DE PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E REMUNERAÇÃO DOS POFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO: MAGISTÉRIO E FUNCIONÁRIOS ADMINISTRATIVOS. Seção 1 Disposições Preliminares Art. 1º- Fica criado o Plano Unificado de

Leia mais

Perguntas e Respostas sobre o PCCR

Perguntas e Respostas sobre o PCCR Perguntas e Respostas sobre o PCCR 1) Como é o ingresso na Secretaria Municipal de Educação? O ingresso no Quadro de Pessoal da Secretaria Municipal de Educação, assim como em toda a Administração Pública

Leia mais

COMUNICADO OFICIAL. Prezado(a) Servidor(a),

COMUNICADO OFICIAL. Prezado(a) Servidor(a), COMUNICADO OFICIAL Prezado(a) Servidor(a), Em razão das diversas informações desencontradas acerca do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR), Lei nº 5.623, de 1º de outubro de 2013, gostaríamos

Leia mais

Prefeitura Municipal de Sabará Rua Dom Pedro II, 200 CEP: 34505-000 Sabará MG Fones: (31) 3672-7672 - (31) 3674-2909

Prefeitura Municipal de Sabará Rua Dom Pedro II, 200 CEP: 34505-000 Sabará MG Fones: (31) 3672-7672 - (31) 3674-2909 PROJETO DE LEI Nº 023, de 05 de maio de 2015 Dispõe sobre o processo de ingresso à direção das Instituições de Ensino do Municipio, estabelece a estrutura de cargos e salários dos Diretores e Vice Diretores

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE. CAPÍTULO I DA CARREIRA DOS PROFISSIONAIS DA SEFAZ Seção I Dos Princípios Básicos

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE. CAPÍTULO I DA CARREIRA DOS PROFISSIONAIS DA SEFAZ Seção I Dos Princípios Básicos LEI N. 2.265, DE 31 DE MARÇO DE 2010 Estabelece nova estrutura de carreira para os servidores públicos estaduais da Secretaria de Estado da Fazenda SEFAZ. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE seguinte Lei: FAÇO

Leia mais

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL 1 CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL LEI Nº 5.106, DE 3 DE MAIO DE 2013 (Autoria do Projeto: Poder Executivo) Dispõe sobre a carreira Assistência à Educação do Distrito Federal e dá outras providências.

Leia mais

Art. 3º Os detentores de cargo de Educador Infantil atuarão exclusivamente na educação infantil.

Art. 3º Os detentores de cargo de Educador Infantil atuarão exclusivamente na educação infantil. LEI Nº 3464/2008 de 20.03.08 DÁ NOVA DENOMINAÇÃO AO CARGO DE MONITOR, INCLUI SEUS OCUPANTES NO PLANO DE CARGOS, CARREIRA E REMUNERAÇÃO DO MAGISTÉRIO MUNICIPAL DE FRANCISCO BELTRÃO, NA ÁREA DE EDUCAÇÃO

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR N º 38/2011

LEI COMPLEMENTAR N º 38/2011 LEI COMPLEMENTAR N º 38/2011 ALTERA O ESTATUTO E PLANO DE CARREIRA E DE REMUNERAÇÃO PARA O MAGISTÉRIO PÚBLICO DO MUNICIPIO DE FORTUNA DE MINAS, INSTITUÍDO PELA LEI COMPLEMENTAR N.º 27/2004. A Câmara Municipal

Leia mais

Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público do Estado de Minas Gerais

Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público do Estado de Minas Gerais LEI 15304 2004 Data: 11/08/2004 REESTRUTURA A CARREIRA DE ESPECIALISTA EM POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO GOVERNAMENTAL E INSTITUI A CARREIRA DE AUDITOR INTERNO DO PODER EXECUTO. Reestrutura a carreira de

Leia mais

O Prefeito Municipal de Macuco, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal de Macuco aprovou e ele sanciona a seguinte,

O Prefeito Municipal de Macuco, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal de Macuco aprovou e ele sanciona a seguinte, LEI Nº 302/05 "DISPÕE SOBRE O PLANO DE CARREIRA E REMUNERAÇÃO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO MUNICIPAL E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS" O Prefeito Municipal de Macuco, no uso de suas atribuições legais, faz saber que

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ÁGUA DOCE DO NORTE ESTADO DO ESPÍRITO SANTO GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA MUNICIPAL DE ÁGUA DOCE DO NORTE ESTADO DO ESPÍRITO SANTO GABINETE DO PREFEITO LEI COMPLEMENTAR Nº 060/1997. INSTITUI O PLANO DE CARREIRA E VENCIMENTOS DO MAGISTÉRIO PÚBLICO MUNICIPAL DE ÁGUA DOCE DO NORTE, ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. O Prefeito Municipal de Água Doce do Norte, Estado

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº (Autoria do Projeto: Poder Executivo) TÍTULO I DA CARREIRA

PROJETO DE LEI Nº (Autoria do Projeto: Poder Executivo) TÍTULO I DA CARREIRA PROJETO DE LEI Nº (Autoria do Projeto: Poder Executivo) A CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL DECRETA: Reestrutura a Carreira Magistério Público do Distrito Federal e dá outras providências. TÍTULO

Leia mais

PROJETO DE LEI. TÍTULO I Das Disposições Preliminares

PROJETO DE LEI. TÍTULO I Das Disposições Preliminares TEXTO DOCUMENTO PROJETO DE LEI Consolida o Plano de Carreira e Cargo de Professor Federal e dispõe sobre a reestruturação e unificação das carreiras e cargos do magistério da União, incluídas suas autarquias

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA RESOLUÇÃO Nº 5, DE 3 DE AGOSTO DE 2010 (*)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA RESOLUÇÃO Nº 5, DE 3 DE AGOSTO DE 2010 (*) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA RESOLUÇÃO Nº 5, DE 3 DE AGOSTO DE 2010 (*) Fixa as Diretrizes Nacionais para os Planos de Carreira e Remuneração dos Funcionários

Leia mais

LEI Nº 1.939/ 2004 CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

LEI Nº 1.939/ 2004 CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES LEI Nº 1.939/ 2004 EMENTA: Institui o Plano de Cargos Carreira e Remuneração do Grupo Ocupacional do Magistério de Goiana e revogada a Lei nº 1.817/98. O PREFEITO DO MUNICIPIO DE GOIANA, ESTADO D PERNAMBUCO,

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS PREFEITURA MUNICIPAL DE MUNDO NOVO CNPJ Nº 00.163.055/0001-12

ESTADO DE GOIÁS PREFEITURA MUNICIPAL DE MUNDO NOVO CNPJ Nº 00.163.055/0001-12 CNPJ Nº.163.55/1-12 LEI COMPLEMENTAR N.º 1/25 DE 1 DE MARÇO DE 25 Institui o Plano de Carreira do Magistério Público Municipal e dá outras providências. Faço saber que a Câmara de Vereadores da cidade

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR N.º 10, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2007. PREFEITO MUNICIPAL DE CACHOEIRINHA, Estado do Rio Grande do

LEI COMPLEMENTAR N.º 10, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2007. PREFEITO MUNICIPAL DE CACHOEIRINHA, Estado do Rio Grande do LEI COMPLEMENTAR N.º 10, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2007. Dispõe sobre o Plano de Carreira dos Servidores Municipais da Educação Infantil. Sul. PREFEITO MUNICIPAL DE CACHOEIRINHA, Estado do Rio Grande do FAÇO

Leia mais

Para efeito desta Lei:

Para efeito desta Lei: LEI ORDINARIA n 39/1993 de 17 de Dezembro de 1993 (Mural 17/12/1993) Estabelece o Plano de carreira do Magistério público do Município, institui o respectivo quadro de cargos e dá outras providências.

Leia mais

Câmara Municipal de Curitiba

Câmara Municipal de Curitiba Câmara Municipal de Curitiba PROPOSIÇÃO N 005.00164.2014 Projeto de Lei Ordinária Redação para 2º turno EMENTA Institui o Plano de Carreira do Profissional do Magistério de Curitiba. CAPÍTULO I DAS DIRETRIZES

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa LEI Nº 13.421, DE 05 DE ABRIL DE 2010. (publicada no DOE nº 062, de 05 de abril de 2010 2ª edição) Institui a Carreira

Leia mais

PORTARIA Nº, DE FEVEREIRO DE 2013

PORTARIA Nº, DE FEVEREIRO DE 2013 PORTARIA Nº, DE FEVEREIRO DE 2013 Define as diretrizes gerais para o processo de avaliação de desempenho para fins de progressão e de promoção das Carreiras do Magistério Superior e do Ensino Básico, Técnico

Leia mais

LEI Nº 9.586, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011 AUTORIA: PODER JUDICIÁRIO (PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO EM 15 DE DEZEMBRO DE 2011.

LEI Nº 9.586, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011 AUTORIA: PODER JUDICIÁRIO (PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO EM 15 DE DEZEMBRO DE 2011. LEI Nº 9.586, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011 AUTORIA: PODER JUDICIÁRIO (PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO EM 15 DE DEZEMBRO DE 2011.) Dispõe sobre o plano de cargos e carreira e remuneração dos servidores

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 633

LEI COMPLEMENTAR Nº 633 Altera os anexos I, III e IV da Lei Complementar nº 268, de 28.12.99, que dispõe sobre o Quadro de Pessoal da Prefeitura, cria cargos, institui o Plano de Cargos e Carreiras, e dá outras providências.

Leia mais

ASSEMBLEIA - MAGISTÉRIO

ASSEMBLEIA - MAGISTÉRIO ASSEMBLEIA - MAGISTÉRIO LEI COMPLEMENTAR N.º 752 DE 30 DE MARÇO DE 2012 Propostas de alterações no estatuto feitas pela Seduc SEÇÃO IV - Da Formação dos Profissionais do Magistério Art. 6º A formação dos

Leia mais

LEI Nº 8.966 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2003

LEI Nº 8.966 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2003 Publicada D.O.E. Em 23.12.2003 LEI Nº 8.966 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2003 Reestrutura o Plano de Carreira do Ministério Público do Estado da Bahia, instituído pela Lei nº 5.979, de 23 de setembro de 1990,

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 1.691, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2003. FLORISBALDO ANTONIO POLO, Prefeito Municipal de Santo Augusto, Estado do Rio Grande do Sul,

LEI MUNICIPAL Nº 1.691, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2003. FLORISBALDO ANTONIO POLO, Prefeito Municipal de Santo Augusto, Estado do Rio Grande do Sul, LEI MUNICIPAL Nº 1.691, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2003. Dispõe sobre o Plano de Carreira do Magistério Público Municipal. FLORISBALDO ANTONIO POLO, Prefeito Municipal de Santo Augusto, Estado do Rio Grande

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 001/2012

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 001/2012 PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 001/2012 DISPÕE SOBRE A REESTRUTURAÇÃO E GESTÃO DO PLANO DE CARREIRA, EMPREGOS E REMUNERAÇÃO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO MUNICIPAL DE JOSÉ BONIFÁCIO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. -

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE ALTO ARAGUAIA Av. Carlos Hugueney, 552 - Centro - CEP.: 78.780-000 Tel/Fax.: (065) 481 1139-481 1431

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE ALTO ARAGUAIA Av. Carlos Hugueney, 552 - Centro - CEP.: 78.780-000 Tel/Fax.: (065) 481 1139-481 1431 LEI N.º 761/93 Dispõe sobre o Estatuto do Magistério Público municipal de Alto Araguaia. O Prefeito Municipal de Alto Araguaia, Estado de Mato Grosso, no uso de suas atribuições legais, faço saber que

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL BOMBINHAS-SC

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL BOMBINHAS-SC LEI COMPLEMENTAR Nº 034, de 13 de dezembro de 2005. Institui o Plano de Carreira, Cargos e Vencimentos do Pessoal do Poder Legislativo do Município de Bombinhas e dá outras providências.. Júlio César Ribeiro,

Leia mais

LEI Nº 11.375 DE 05 DE FEVEREIRO DE 2009

LEI Nº 11.375 DE 05 DE FEVEREIRO DE 2009 LEI Nº 11.375 DE 05 DE FEVEREIRO DE 2009 Reestrutura as carreiras de Analista Universitário e Técnico Universitário, integrantes do Grupo Ocupacional Técnico- Específico, criado pela Lei nº 8.889, de 01

Leia mais

O Governador do Estado do Tocantins Faço saber que a Assembleia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O Governador do Estado do Tocantins Faço saber que a Assembleia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 2.859, DE 30 DE ABRIL DE 2014. Publicada no Diário da Oficial nº 4.120 Dispõe sobre o Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração dos Profissionais da Educação Básica Pública, e adota outras providências.

Leia mais

MÓDULO II PISO SALARIAL PROFISSIONAL NACIONAL

MÓDULO II PISO SALARIAL PROFISSIONAL NACIONAL MÓDULO II PISO SALARIAL PROFISSIONAL NACIONAL LEGISLAÇÃO BÁSICA LEI Nº 11.738, DE 16/07/2008 1 Profissionais têm direito ao piso piso. O art. 1º e o 2º do art. 2º definem quais profissionais têm direito

Leia mais

LEI Nº 3480/2014, DE 06 DE MAIO DE 2014.

LEI Nº 3480/2014, DE 06 DE MAIO DE 2014. LEI Nº 3480/2014, DE 06 DE MAIO DE 2014. ALTERA DISPOSITIVOS CONSTANTES NA LEI Nº 3224/2011, QUE ESTABELECE O PLANO DE CARREIRA E REMUNERAÇÃO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO MUNICIPAL, INSTITUI O RESPECTIVO QUADRO

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA 03/2015/SMEC

INSTRUÇÃO NORMATIVA 03/2015/SMEC INSTRUÇÃO NORMATIVA 03/2015/SMEC Dispõe sobre o processo anual de atribuição de classes e ou aulas ao pessoal docente pertencentes ao quadro efetivo e com contrato temporário nas Unidades Escolares da

Leia mais

LEI Nº 2.355, DE 16 DE JANEIRO DE 2009

LEI Nº 2.355, DE 16 DE JANEIRO DE 2009 1 LEI Nº 2.355, DE 16 DE JANEIRO DE 2009 DISPÕE SOBRE O PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E REMUNERAÇÕES DOS SERVIDORES DO MAGISTÉRIO PÚBLICO MUNICIPAL DE ANANINDEUA, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 021, DE 01 DE OUTUBRO DE 2014 Dispõe sobre os Planos Acadêmicos, Regimes

Leia mais

LEI N 2.414/2003 DISPÕE SOBRE O PLANO DE CARREIRA E VENCIMENTOS DO MAGISTÉRIO PÚBLICO MUNICIPAL DE IBIRAÇU E.S.

LEI N 2.414/2003 DISPÕE SOBRE O PLANO DE CARREIRA E VENCIMENTOS DO MAGISTÉRIO PÚBLICO MUNICIPAL DE IBIRAÇU E.S. 1 LEI N 2.414/2003 DISPÕE SOBRE O PLANO DE CARREIRA E VENCIMENTOS DO MAGISTÉRIO PÚBLICO MUNICIPAL DE IBIRAÇU E.S. A Prefeita Municipal de Ibiraçu, Estado do Espírito Santo, no uso de suas atribuições legais;

Leia mais

Câmara Municipal de Uberaba O progresso passa por aqui LEI COMPLEMENTAR Nº 381

Câmara Municipal de Uberaba O progresso passa por aqui LEI COMPLEMENTAR Nº 381 LEI COMPLEMENTAR Nº 381 Modifica dispositivos da Lei Complementar nº 133, de 25 de novembro de 1998, e suas posteriores alterações, e dá outras providências. O Povo do Município de Uberaba, Estado de Minas

Leia mais

PROJETO DE LEI N LEI COMPLEMENTAR Nº, DE DE DE 2.004.

PROJETO DE LEI N LEI COMPLEMENTAR Nº, DE DE DE 2.004. PROJETO DE LEI N LEI COMPLEMENTAR Nº, DE DE DE 2.004. Dispõe sobre o Plano de Carreira, Remuneração e Estatuto do Magistério Público Municipal de Natal. O Prefeito Municipal de Natal, no uso de suas atribuições

Leia mais

LEI Nº 321 DE 31 DE DEZEMBRO DE 2001 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

LEI Nº 321 DE 31 DE DEZEMBRO DE 2001 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES LEI Nº 321 DE 31 DE DEZEMBRO DE 2001 Dispõe sobre o Plano de Carreira, Remuneração e Valorização do Magistério Público Estadual e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DE RORAIMA, no uso de suas

Leia mais

Prefeitura Municipal de Sabará Rua Dom Pedro II, 200 CEP: 34505-000 Sabará MG Fones: (31) 3672-7672 - (31) 3674-2909

Prefeitura Municipal de Sabará Rua Dom Pedro II, 200 CEP: 34505-000 Sabará MG Fones: (31) 3672-7672 - (31) 3674-2909 LEI COMPLEMENTAR NÚMERO 015, de 10 de novembro de 2011. Dispõe sobre o Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos dos Profissionais da Educação Básica do Município de Sabará, estabelece normas de enquadramento,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.074, DE 29 DE OUTUBRO DE 2010

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.074, DE 29 DE OUTUBRO DE 2010 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.074, DE 29 DE OUTUBRO DE 2010 Dispõe sobre os Planos Acadêmicos, Regimes e Horário de

Leia mais

COMUNICADO OFICIAL. 2. O plano garante a permanência dos triênios.

COMUNICADO OFICIAL. 2. O plano garante a permanência dos triênios. COMUNICADO OFICIAL Prezado(a) Servidor(a) Em razão das diversas informações desencontradas acerca do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR), que a Prefeitura do Rio enviou à Câmara de Vereadores,

Leia mais

Lei Complementar Nº 10/2001* Lei nº 2.882/2001

Lei Complementar Nº 10/2001* Lei nº 2.882/2001 Lei Complementar Nº 10/2001* Lei nº 2.882/2001 * (Epígrafe e numeração alterada pela Lei Municipal nº 3.194, de 05 de setembro de 2006). Dispõe sobre o Plano de Carreira do Magistério Público Municipal.

Leia mais

LEI Nº 2.581/2009. O Prefeito Municipal de Caeté, Minas Gerais, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele sanciona a seguinte Lei:

LEI Nº 2.581/2009. O Prefeito Municipal de Caeté, Minas Gerais, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele sanciona a seguinte Lei: LEI Nº 2.581/2009 DISPÕE SOBRE O PLANO DE CARREIRA E REMUNERAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA DO MUNICÍPIO DE CAETÉ. O Prefeito Municipal de Caeté, Minas Gerais, faz saber que a Câmara Municipal

Leia mais

A CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DA BARRA APROVA E EU SANCIONO A SEGUINTE LEI: CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E DOS CONCEITOS NORMATIVOS

A CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DA BARRA APROVA E EU SANCIONO A SEGUINTE LEI: CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E DOS CONCEITOS NORMATIVOS ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DA BARRA LEI Nº. 209/12, DE 04 DE ABRIL DE 2012. INSTITUI O PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E VENCIMENTOS DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE SÃO

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 2461/98. RENATO DELMAR MOLLING, Prefeito Municipal de Sapiranga, Estado do Rio Grande do Sul, no uso de suas atribuições legais.

LEI MUNICIPAL Nº 2461/98. RENATO DELMAR MOLLING, Prefeito Municipal de Sapiranga, Estado do Rio Grande do Sul, no uso de suas atribuições legais. LEI MUNICIPAL Nº 2461/98 Estabelece o Plano de Carreira, Remuneração do Magistério Público do Município, institui o respectivo quadro de cargos e dá outras providências. RENATO DELMAR MOLLING, Prefeito

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 449/2011

LEI COMPLEMENTAR Nº 449/2011 LEI COMPLEMENTAR Nº 449/2011 Dispõe sobre o Plano de Carreira e Remuneração dos Profissionais do Magistério da Educação Básica da Rede Municipal de Ensino de Uberaba, e dá outras providências. O povo do

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BRUSQUE

PREFEITURA MUNICIPAL DE BRUSQUE LEI COMPLEMENTAR nº 146, DE 31 DE AGOSTO DE 2009 Dispõe sobre o Estatuto do Magistério Público Municipal de Brusque. O PREFEITO MUNICIPAL DE BRUSQUE Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono

Leia mais

Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração da Educação

Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração da Educação Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração da Educação 17 de setembro de 2013 Prefeitura do Rio de Janeiro Secretaria da Casa Civil Secretaria de Educação Agenda Números da Rede Municipal de Educação Estratégia

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS PREFEITURA MUNICIPAL DE CALDAS NOVAS SECRETARIA MUNICIPAL DE SÁUDE LEI Nº [...],DE[...] DE [...] DE 2006.

ESTADO DE GOIÁS PREFEITURA MUNICIPAL DE CALDAS NOVAS SECRETARIA MUNICIPAL DE SÁUDE LEI Nº [...],DE[...] DE [...] DE 2006. ESTADO DE GOIÁS PREFEITURA MUNICIPAL DE CALDAS NOVAS SECRETARIA MUNICIPAL DE SÁUDE LEI Nº [...],DE[...] DE [...] DE 2006. Institui o Plano de Carreiros Cargos e Vencimentos do Quadro de Pessoal da Secretaria

Leia mais

LEI Nº 2.230, DE 2 DE MAIO DE 2001.

LEI Nº 2.230, DE 2 DE MAIO DE 2001. Plano de Cargos e Carreira UEMS LEI Nº 2.230, DE 2 DE MAIO DE 2001. Dispõe sobre o Plano de Cargos e Carreiras da Fundação Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, e dá outras providências. INDICE

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 1.240, DE 22 DE ABRIL DE 2014

LEI COMPLEMENTAR Nº 1.240, DE 22 DE ABRIL DE 2014 1 São Paulo, 124 (75) Diário Oficial Poder Executivo - Seção I quarta-feira, 23 de abril de 2014 LEI COMPLEMENTAR Nº 1.240, DE 22 DE ABRIL DE 2014 Altera a Lei Complementar nº 1.044, de 13 de maio de 2008,

Leia mais

PLANOS DE CARGOS E SALÁRIOS. Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado

PLANOS DE CARGOS E SALÁRIOS. Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado PLANOS DE CARGOS E SALÁRIOS Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado ESTRUTURA REMUNERATÓRIA BÁSICA PCS dos servidores comissionados PCS dos servidores efetivos (quadro geral) PCS dos servidores do magistério SERVIDORES

Leia mais

LEI Nº 13.574, DE 12 DE MAIO DE 2003. (Projeto de Lei nº 611/02, da Vereadora Claudete Alves - PT)

LEI Nº 13.574, DE 12 DE MAIO DE 2003. (Projeto de Lei nº 611/02, da Vereadora Claudete Alves - PT) LEI Nº 13.574, DE 12 DE MAIO DE 2003 (Projeto de Lei nº 611/02, da Vereadora Claudete Alves - PT) Dispõe sobre a transformação e inclusão no Quadro do Magistério Municipal, do Quadro dos Profissionais

Leia mais

PLANO DE CARREIRA E REMUNERAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO

PLANO DE CARREIRA E REMUNERAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO PLANO DE CARREIRA E REMUNERAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO I. INTRODUÇÃO: Plano de Carreira é o conjunto de normas que disciplinam o ingresso e instituem oportunidades e estímulos ao desenvolvimento

Leia mais

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE ARAPIRACA/AL, no uso das atribuições que lhe confere o Art. 51, inciso VI da Lei Orgânica Municipal.

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE ARAPIRACA/AL, no uso das atribuições que lhe confere o Art. 51, inciso VI da Lei Orgânica Municipal. LEI N o 2.829/2012 DISPÕE SOBRE A ESTRUTURAÇÃO DO PLANO DE CARGO, CARREIRA E VENCIMENTOS DA REDE PÚBLICA MUNICIPAL DE ENSINO DE ARAPIRACA E DÁ PROVIDÊNCIAS CORRELATAS. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE ARAPIRACA/AL,

Leia mais

Decreto nº 4.134, de 09 de janeiro de 2014.

Decreto nº 4.134, de 09 de janeiro de 2014. Decreto nº 4.134, de 09 de janeiro de 2014. Dispõe sobre o processo de escolha para a designação de Professor para exercer a função gratificada de Vice-Diretor de Escola e Coordenador Pedagógico, nas Unidades

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BAURU

PREFEITURA MUNICIPAL DE BAURU LEI Nº 5.999, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2.010 P. 42.519/09 Dispõe sobre o Plano de Cargos, Carreiras e Salário - PCCS, dos servidores específicos da área da educação do município; bem como reenquadra os respectivos

Leia mais

LEI Nº 2.971, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011

LEI Nº 2.971, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011 LEI Nº 2.971, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011 Altera dispositivos da Lei Municipal n o 2.913, de seis de maio de 2011, que dispõe sobre o Plano de Carreira do Magistério Público Municipal de Gramado. NESTOR

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE BARRETOS, ESTADO DE SÃO PAULO: Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

O PREFEITO MUNICIPAL DE BARRETOS, ESTADO DE SÃO PAULO: Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: LEI N.º 3629, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2003. (Com alterações impostas pelas leis n. os 3.636, de 17 de dezembro de 2003; 3.727, de 27 de janeiro de 2005; 3.816, de 27 de dezembro de 2005; 4.048, de 07 de março

Leia mais

O Prefeito Municipal de Mogi das Cruzes, Faço saber que a Câmara Municipal decreta e eu sanciono a seguinte lei complementar:

O Prefeito Municipal de Mogi das Cruzes, Faço saber que a Câmara Municipal decreta e eu sanciono a seguinte lei complementar: Dispõe sobre o Estatuto do Magistério Público Municipal, e dá outras providências. O Prefeito Municipal de Mogi das Cruzes, Faço saber que a Câmara Municipal decreta e eu sanciono a seguinte lei complementar:

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS PROJETO DE LEI Súmula: "Dispõe sobre o Plano de Carreiras, Cargos e Vencimentos- PCCV, dos servidores da Secretaria de Saúde do Estado do Paraná". CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º. Fica instituído

Leia mais

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DO PLANO DE CARREIRAS E CARGOS DE MAGISTÉRIO FEDERAL

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DO PLANO DE CARREIRAS E CARGOS DE MAGISTÉRIO FEDERAL PROJETO DE LEI Dispõe sobre a estruturação do Plano de Carreiras e Cargos de Magistério Federal; sobre a Carreira do Magistério Superior, de que trata a Lei n o 7.596, de 10 de abril de 1987; sobre o Plano

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Procuradoria-Geral de Justiça

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Procuradoria-Geral de Justiça MINIST ÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Procuradoria-Geral de Justiça LEI Nº 5891, DE 17 DE JANEIRO DE 2011 Dispõe sobre o Quadro Permanente dos Serviços

Leia mais

Lei 585/2013 ESTATUTO E PLANO DE CARGOS, CARREI- RAS E REMUNERAÇÃO DO MAGISTÉRIO PÚ- BLICO MUNICIPAL DE CARAPEBUS

Lei 585/2013 ESTATUTO E PLANO DE CARGOS, CARREI- RAS E REMUNERAÇÃO DO MAGISTÉRIO PÚ- BLICO MUNICIPAL DE CARAPEBUS Lei 585/2013 ESTATUTO E PLANO DE CARGOS, CARREI- RAS E REMUNERAÇÃO DO MAGISTÉRIO PÚ- BLICO MUNICIPAL DE CARAPEBUS 1 SUMÁRIO TÍTULO I - DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 03 CAPÍTULO I - DO REGIME JURÍDICO 03 CAPÍTULO

Leia mais

RESOLUÇÃO CEE Nº 127 de 1997 Regulamenta a Lei 9394/96 Câmara de Educação Básica

RESOLUÇÃO CEE Nº 127 de 1997 Regulamenta a Lei 9394/96 Câmara de Educação Básica RESOLUÇÃO CEE Nº 127 de 1997 Regulamenta a Lei 9394/96 Câmara de Educação Básica Fixa normas preliminares visando à adaptação da legislação educacional do Sistema Estadual de Ensino às disposições da Lei

Leia mais

Faculdade São Francisco de Piumhi FASPI

Faculdade São Francisco de Piumhi FASPI Faculdade São Francisco de Piumhi FASPI PLANO DE CARREIRA, CARGOS E SALÁRIOS - PCCS DOCENTE Piumhi- MG Fevereiro / 2011 1 SUMÁRIO CAPÍTULO I - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES....03 CAPÍTULO II - DO QUADRO

Leia mais

Lei 7645 de 12 de Fevereiro de 1999

Lei 7645 de 12 de Fevereiro de 1999 Lei 7645 de 12 de Fevereiro de 1999 INSTITUI O PLANO DE CARREIRA DOS SERVIDORES DA ÁREA DE ATIVIDADES DE TRIBUTAÇÃO, ESTABELECE A RESPECTIVA TABELA DE VENCIMENTO E DISPÕE SOBRE O QUADRO ESPECIAL DA SECRETARIA

Leia mais

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I PROJETO DE LEI O CONGRESSO NACIONAL decreta: Dispõe sobre a estruturação do Plano de Carreiras e Cargos de Magistério Federal; sobre a Carreira do Magistério Superior, de que trata a Lei no 7.596, de 10

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR N 320, DE 30 DE JUNHO DE 2008.

LEI COMPLEMENTAR N 320, DE 30 DE JUNHO DE 2008. LEI COMPLEMENTAR N 320, DE 30 DE JUNHO DE 2008. Publicado no D.O.E de 30/06/2008. Autor: Poder Executivo Dispõe sobre alteração do Plano de Carreira dos Docentes da Educação Superior da Universidade do

Leia mais

I - Técnico de Apoio Fazendário e Financeiro, integrando a categoria funcional de Profissional de Apoio Operacional;

I - Técnico de Apoio Fazendário e Financeiro, integrando a categoria funcional de Profissional de Apoio Operacional; (*) Os textos contidos nesta base de dados têm caráter meramente informativo. Somente os publicados no Diário Oficial estão aptos à produção de efeitos legais. ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL DECRETO Nº 10.609,

Leia mais

LEI Nº 1528/2004. A CÂMARA MUNICIPAL DE ARAUCÁRIA, Estado do Paraná, aprovou, e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 1528/2004. A CÂMARA MUNICIPAL DE ARAUCÁRIA, Estado do Paraná, aprovou, e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1528/2004 "INSTITUI O SISTEMA MUNICIPAL DE ENSINO DO MUNICÍPIO DE ARAUCÁRIA, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS". A CÂMARA MUNICIPAL DE ARAUCÁRIA, Estado do Paraná, aprovou, e eu, Prefeito Municipal, sanciono

Leia mais

DISPÕE SOBRE O PLANO DE CARREIRA E REMUNERAÇÃO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO DO MUNICÍPIO DE JEQUIÉ E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

DISPÕE SOBRE O PLANO DE CARREIRA E REMUNERAÇÃO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO DO MUNICÍPIO DE JEQUIÉ E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. 1 LEI N. º 1.613/2004 Em 21 de maio de 2004 DISPÕE SOBRE O PLANO DE CARREIRA E REMUNERAÇÃO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO DO MUNICÍPIO DE JEQUIÉ E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL DE JEQUIÉ, : Faço

Leia mais

LEI N. 1397/2013, de 03 de dezembro de 2013.

LEI N. 1397/2013, de 03 de dezembro de 2013. LEI N. 1397/2013, de 03 de dezembro de 2013. REESTRUTURA O SISTEMA MUNICIPAL DE ENSINO, O CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE FAZENDA VILANOVA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. PEDRO ANTONIO DORNELLES, PREFEITO

Leia mais

FORTALEZA DIÁRIO OFICIAL DO MUNICÍPIO

FORTALEZA DIÁRIO OFICIAL DO MUNICÍPIO FORTALEZA DIÁRIO OFICIAL DO MUNICÍPIO ANO LV FORTALEZA, 12 DE JULHO DE 2007 Nº 13.613 PODER EXECUTIVO GABINETE DA PREFEITA LEI Nº 9249 DE 10 DE JULHO DE 2007 Institui o Plano de Cargos, Carreiras e Salários

Leia mais

REGIMENTO INTERNO Ato: Resolução Nº 009/2010- CONSUP

REGIMENTO INTERNO Ato: Resolução Nº 009/2010- CONSUP Pág. 1 de 10 DO PROGRAMA DE PÓS- DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PIAUÍ CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS DOS CURSOS Art. 1 o A Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação é o órgão

Leia mais

MUNICÍPIO DE VITÓRIA DA CONQUISTA/BA

MUNICÍPIO DE VITÓRIA DA CONQUISTA/BA Dispõe sobre o Plano de Carreira e Remuneração dos Servidores da Administração Direta, das Autarquias e Fundações Públicas do Município de Vitória da Conquista, e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

PROJETO DE RESOLUÇÃO

PROJETO DE RESOLUÇÃO PROJETO DE RESOLUÇÃO ESTABELECE CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO PARA FINS DE PROGRESSÃO E PROMOÇÃO NA CARREIRA DO MAGISTÉRIO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO, no uso de suas atribuições

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO POVO

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO POVO LEI Nº516/2012- DE 09 DE ABRIL DE 2012 Altera a Lei Municipal nº 280, de 30 de março de 2004, que dispõe sobre o Estatuto Geral do Servidores Públicos do Município de São José do Povo. JOÃO BATISTA DE

Leia mais

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES imprensa FESSERGS Novo esboço de Plano de Carreira do Quadro-Geral(para substituir no MURAL) July 19, 2012 2:32 PM Projeto de Lei nº00/2012 Poder Executivo Reorganiza o Quadro

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa LEI Nº 13.268, DE 22 DE OUTUBRO DE 2009. (publicada no DOE nº 204, de 23 de outubro de 2009) Estabelece Plano de Carreira

Leia mais

DECRETO Nº 1040, DE 28 DE ABRIL DE 2015

DECRETO Nº 1040, DE 28 DE ABRIL DE 2015 1 Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 1040, DE 28 DE ABRIL DE 2015 Regulamenta as Atividades de Treinamento e Desenvolvimento de Pessoal e o Adicional de Incentivo à Profissionalização. O PREFEITO DE GOIÂNIA,

Leia mais

Texto orientador para a audiência pública sobre o marco regulatório dos Cursos de Pós-graduação Lato Sensu Especialização

Texto orientador para a audiência pública sobre o marco regulatório dos Cursos de Pós-graduação Lato Sensu Especialização CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO Texto orientador para a audiência pública sobre o marco regulatório dos Cursos de Pós-graduação Lato Sensu Especialização Comissão da Câmara de Educação Superior Erasto Fortes

Leia mais

PLANO DE CARGOS, CARREIRA E REMUNERAÇÃO DO GRUPO OCUPACIONAL DO MAGISTÉRIO DE JABOATÃO DOS GUARARAPES

PLANO DE CARGOS, CARREIRA E REMUNERAÇÃO DO GRUPO OCUPACIONAL DO MAGISTÉRIO DE JABOATÃO DOS GUARARAPES PLANO DE CARGOS, CARREIRA E REMUNERAÇÃO DO GRUPO OCUPACIONAL DO MAGISTÉRIO DE JABOATÃO DOS GUARARAPES CAPÍTULO I - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1.º A presente Lei institui o Plano de Cargos, Carreira

Leia mais

Prof Dr. Antonio Guedes Rangel Junior

Prof Dr. Antonio Guedes Rangel Junior RESOLUÇÃO/UEPB/CONSEPE/065/2014 Regulamenta o processo de afastamento para capacitação de Docentes da UEPB. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE, da UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA UEPB,

Leia mais

DISPÕE SOBRE O PLANO DE CARREIRA E REMUNERAÇÃO DOS SERVIDORES DA EDUCAÇÃO DO MUNICÍPIO DE SALVADOR.

DISPÕE SOBRE O PLANO DE CARREIRA E REMUNERAÇÃO DOS SERVIDORES DA EDUCAÇÃO DO MUNICÍPIO DE SALVADOR. LEI Nº 8722/2014 DISPÕE SOBRE O PLANO DE CARREIRA E REMUNERAÇÃO DOS SERVIDORES DA EDUCAÇÃO DO MUNICÍPIO DE SALVADOR. O PREFEITO MUNICIPAL DO SALVADOR, CAPITAL DO ESTADO DA BAHIA, Faço saber que a Câmara

Leia mais

Lei n.º 346/2014. Iracema-RR, em 12 de Maio de 2014. Que dispõe sobre:

Lei n.º 346/2014. Iracema-RR, em 12 de Maio de 2014. Que dispõe sobre: Lei n.º 346/2014. Iracema-RR, em 12 de Maio de 2014. Que dispõe sobre: Estabelece o Plano de Cargos, Carreira e Remuneração dos Profissionais da Educação Básica do Município de Iracema e dá outras providências.

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS

PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS LEI Nº 1059, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2009. Dispõe sobre a Organização do Sistema Municipal de Ensino do Município de Pinhais e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE PINHAIS,, aprovou e eu, PREFEITO

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR N.º 63, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2005.

LEI COMPLEMENTAR N.º 63, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2005. LEI COMPLEMENTAR N.º 63, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2005. ALTERA DISPOSITIVOS DA LEI COMPLEMENTAR N.º 45, DE 26 DE FEVEREIRO DE 2004 E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL DE BARRETOS, ESTADO DE SÃO

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO, NATUREZA, FINALIDADES E OBJETIVOS DOS CURSOS Art. 1. Os Cursos de Pós-Graduação Lato sensu do Instituto Federal de Rondônia

Leia mais

Texto orientador para a audiência pública sobre o marco regulatório dos Cursos de Pós-graduação Lato Sensu Especialização

Texto orientador para a audiência pública sobre o marco regulatório dos Cursos de Pós-graduação Lato Sensu Especialização CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO Texto orientador para a audiência pública sobre o marco regulatório dos Cursos de Pós-graduação Lato Sensu Especialização Comissão da Câmara de Educação Superior Erasto Fortes

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Município de Pareci Novo Capital das Flores, Mudas e frutas

Estado do Rio Grande do Sul Município de Pareci Novo Capital das Flores, Mudas e frutas LEI COMPLEMENTAR N 1857, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2011. Dispõe sobre o Plano de Carreira do Magistério Público Municipal e dá outras providências. OREGINO JOSÉ FRANCISCO, Prefeito Municipal de Pareci Novo,

Leia mais

OAB. Direito Administrativo. Prof. Rodrigo Canda LEI 8.112/90

OAB. Direito Administrativo. Prof. Rodrigo Canda LEI 8.112/90 LEI 8.112/90 Art. 5o São requisitos básicos para investidura em cargo público: I - a nacionalidade brasileira; II - o gozo dos direitos políticos; III - a quitação com as obrigações militares e eleitorais;

Leia mais

em 05 de agosto de 2015 Mensagem nº 63/15 Proc. nº 18481/15 Senhor Presidente

em 05 de agosto de 2015 Mensagem nº 63/15 Proc. nº 18481/15 Senhor Presidente em 05 de agosto de 2015 Mensagem nº 63/15 Proc. nº 18481/15 Senhor Presidente Remetemos em anexo, Substitutivo ao Projeto de Lei Complementar remetido a essa Câmara Municipal pela Mensagem nº 47/15, que

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 1 de 03 de Abril de 2000

RESOLUÇÃO Nº 1 de 03 de Abril de 2000 RESOLUÇÃO Nº 1 de 03 de Abril de 2000 EMENTA: Estabelece normas para a organização e funcionamento de cursos de especialização (pósgraduação lato sensu) na Universidade. O CONSELHO COORDENADOR DE ENSINO,

Leia mais

Minuta do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração do Magistério de Vila Velha

Minuta do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração do Magistério de Vila Velha Minuta do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração do Magistério de Vila Velha PROPOSTA DE SUBSTITUIÇÃO DA LEI N.º 3.964/02 Institui o Plano de Cargos, Carreira e Remuneração do magistério Público do Município

Leia mais

CARREIRA DOS SERVIDORES DO QUADRO DO MAGISTÉRIO

CARREIRA DOS SERVIDORES DO QUADRO DO MAGISTÉRIO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR 3º Encontro de Integração dos Servidores da Educação CARREIRA DOS SERVIDORES DO QUADRO DO MAGISTÉRIO 29 de junho de 2011 Para mais informações consulte http://www.pmf.sc.gov.br/entidades/educa

Leia mais

Este texto não substitui o original publicado no Diário Oficial, de 07/07/2011

Este texto não substitui o original publicado no Diário Oficial, de 07/07/2011 Este texto não substitui o original publicado no Diário Oficial, de 07/07/2011 LEI Nº 810 DE 6 DE JULHO DE 2011. Dispõe sobre a reorganização dos Conselhos Escolares do Sistema Estadual de Ensino e dá

Leia mais

LEI Nº 21.710, DE 30 DE JUNHO DE

LEI Nº 21.710, DE 30 DE JUNHO DE LEI Nº 21.710, DE 30 DE JUNHO DE 2015. Dispõe sobre a política remuneratória das carreiras do Grupo de Atividades de Educação Básica do Poder Executivo, altera a estrutura da carreira de Professor de Educação

Leia mais