UM NOVO PERFIL PROFISSIONAL: O BIBLIOTECÁRIO COMO AGENTE DE TRANSFORMAÇÃO SOCIAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UM NOVO PERFIL PROFISSIONAL: O BIBLIOTECÁRIO COMO AGENTE DE TRANSFORMAÇÃO SOCIAL"

Transcrição

1 UM NOVO PERFIL PROFISSIONAL: O BIBLIOTECÁRIO COMO AGENTE DE TRANSFORMAÇÃO SOCIAL Eixo 2: Ação Social ANA DANIELE MACIEL - autor i - DIANA CARLA MENDONÇA - autor ii - RESUMO Apresenta o poder que a informação têm, principalmente após as transformações que ocorreram nos últimos anos, intensificando seu real poder perante a sociedade. Mostra que a partir dessas transformações surgiu também um novo perfil profissional para o bibliotecário, como conseqüência a biblioteconomia no Brasil apresentou um significativo crescimento tanto científico quanto tecnológico. Destaca a importância das competências e habilidades informacionais que o profissional da informação deve ter, saber aliar a sua competência de saber fazer como o querer fazer e pode fazer. Diante dessas informações o trabalho aborda a nova visão do contexto social que o bibliotecário passou a assumir, identificando seu papel na sociedade do conhecimento e na responsabilidade social que ele tem de formar cidadãos conscientes e críticos. Palavras- Chave: Informação. Perfil profissional. Responsabilidade social do bibliotecário. i Graduanda em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Bolsista de Iniciação à Docência na Área de Recursos e Serviços do Departamento de Ciências da Informação da Universidade Federal do Ceará (DCI/UFC). ii Graduanda em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Bolsista de Extensão do Departamento de Ciências da Informação da Universidade Federal do Ceará (DCI/UFC). 1

2 1. INTRODUÇÃO A informação é fator fundamental para que o homem possa viver em sociedade, por isso a mesma torna-se um recurso essencial. Não é atual a necessidade de informação por parte das pessoas, desde os tempos passados percebe-se a busca pela mesma. Mostrando assim a necessidade de se ter um profissional que atenda a essas necessidades. Surge assim o bibliotecário, não mais como um tecnicista, mas assumindo um novo perfil, saindo dos muros da biblioteca e atuando como especialistas na busca da informação, ajudando assim na produção conhecimento. As mudanças e avanços no meio tecnológico influenciou grandemente na mudança desse perfil, pois os bibliotecários passaram a ter a necessidade de se especializarem e adquirirem novas habilidades, principalmente no que diz respeito ao uso das tecnologias afim de gerenciar todo processo informacional. Esse novo fazer bibliotecário fez com que os profissionais percebessem sua responsabilidade social, pois facilitar o acesso a informação é seu dever, e por conseqüência, cidadãos bem informados terão consciência de seus direitos e deveres. 2. INFORMAÇÃO: INSTRUMENTO DE PODER O mundo atual passa por transformações significativas, e o homem como parte integrante passa a ser também um agente da sociedade, passa a ter novos interesses e a informação torna-se um recurso de poder. Nesse contexto surge a ciência da informação em meio a uma sociedade que necessitava de uma organização estruturada do conhecimento, no que diz respeito a acesso e uso da informação. A informação é o principal instrumento da ciência da informação, é um recurso mutável, impalpável, dinâmico e valioso, a garantia de seu valor está disposta em dois aspectos, primeiro na possibilidade da geração do conhecimento e segundo nas interpretações que cada pessoa pode ter ao acessá-la. Para Gomes (2000) no ambiente informacional público o conhecimento encontra-se materializado mediante uma determinada linguagem, em um determinado suporte, o que assegura a sua navegação para além do espaço e do tempo de sua construção. 2

3 A informação necessita estar sempre ligada a algum suporte que garanta a sua transmissão, a sua comunicação, a fim de tornar-se instrumento de mudança social a partir das interpretações e cada receptor. Mikhailov apud PINHEIRO afirma que: A substância do assunto da informação diz respeito aos: processos, métodos e leis relativas ao registro processamento sintético analítico, armazenamento, recuperação e disseminação da informação científica, mas mão a informação científica tal qual atributo de uma respectiva ciência ou disciplina [...] E para clarificar os significados de informação científica é explicado que é aquela [...] usada, no caso, para significar as leis do mundo material e atividades espirituais de experiência humana e é utilizada na prática sócio-histórica. Vitro apud Rocha (2000) esclarece que a informação contribui de dois modos para o crescimento e o desenvolvimento: primeiro porque a produção e distribuição de informação é uma atividade econômica, segundo porque a aplicação do conhecimento pode melhorar a produtividade e a qualidade de vida. Já para Freire (2001): a comunicação da informação representa mais que a circulação de mensagens que contêm conhecimento com determinado valor para produção de bens e serviços na sociedade, mas, também compreende a objetivação de idéias racionalização e eficiência, essenciais à sociedade, tendo em vista a extrema relevância da informação para a produção social, sua organização e socialização adquirem maior importância e valor social. A informação é uma das mais poderosas forças de transformação da humanidade, isso porque o seu poder ligado aos meios de comunicação pode ter a capacidade de transformar o homem seja social, político ou culturalmente. A priori a informação é o elemento que permite ao ser humano conhecer e ajustar-se ao mundo exterior, de acordo com Targino (1991) a informação é fator essencial para a conquista de cidadania por todos os indivíduos, e a cidadania é o principio de igualdade, estratificação social, logo a informação é um direito de todos. Atua como fator de integração, democratização e dignidade pessoal. A busca do saber pelo homem é percebida desde os primórdios da socialização da humanidade, a partir da invenção da escrita ele pode transmitir seus aprendizados, sua cultura, com a evolução da ciência o homem também se modificou, a sociedade criou novas formas de viver e de produzir conhecimentos e informações; o fluxo informacional cresceu imensuravelmente, necessitando de uma organização mais precisa e uma disseminação mais adequada. 3

4 A informação é um instrumento de poder e de mudança na sociedade e o bibliotecário nesse contexto é o responsável pela mediação dessas informações, é o profissional da informação, o agente de transformação social. 3. UM NOVO PERFIL PROFISSIONAL A biblioteconomia no Brasil e no mundo apresentou um vertiginoso crescimento devido a um intenso desenvolvimento científico e tecnológico desde os anos 70, a informação constitui-se como matéria-prima do saber e paralelo a isso consolida-se uma nova área de estudo, denominada de Ciência da Informação, se trata de uma disciplina cientifica, interdisciplinar que abrange os estudos e a formação profissional relativo aos cursos de Biblioteconomia e Arquivologia Na chamada sociedade da informação a necessidade e o valor do bem ou produto de consumo informacional se dá principalmente pela importância de estar atualizado seja em âmbito local, ou mundial, seja sob os aspectos econômicos, geográficos ou científicos de determinados conteúdos. O bibliotecário é o profissional responsável para corresponder as necessidades de informação emergentes da sociedade do conhecimento, essa sociedade altamente influenciada por todo um conglomerado tecnológico. É a tecnologia que dinamiza e amplia ainda mais a produção e o uso das informações. Jambeiro; Silva, (2004) constatam que o desenvolvimento que converge da informática, das telecomunicações e da eletrônica está permitindo uma explosão mundial na produção e circulação de informações de toda natureza (dados, imagens, sons, notícias, mensagens privadas, etc.) A formação de um profissional deve basear-se na criação de soluções para as áreas nas quais a profissão está inserida, na criação de produtos e serviços aplicáveis ao desenvolvimento da profissão. 0s profissionais tradicionais da biblioteconomia e/ou arquivística notaram as mudanças da profissão principalmente no que diz respeito à informação, o bibliotecário de antes, por exemplo, estava mais preocupado em catalogar e indexar os registros do conhecimento, não fazia uso das tecnologias em seu benefício e tampouco se preocupava com as necessidades dos usuários, no novo perfil do bibliotecário o foco está na gestão da informação, em saber mediar os fluxos e sistemas de informação e os usuários, em saber utilizar as tecnologias de 4

5 informação e comunicação para ampliação e melhoria dos serviços e atendimento, além de desenvolver novos produtos informacionais. Essas revoluções do conhecimento científico e das tecnologias na sociedade provocaram e desaparecimento e o surgimento de inúmeras atividades e profissões, proporcionando a formação de novos profissionais, estudos e habilitações. 3.1 BIBLIOTECÁRIO: O PROFISSIONAL DA INFORMAÇÃO As tecnologias da informação transformaram o tratamento da informação nas bibliotecas e em outras unidades de informação, essas alterações repercutiram na formação e no perfil dos bibliotecários, esse contexto desencadeou na exigência destes profissionais em possuir como afirma Mota & Oliveira (2005) um corpo de conhecimento especializados e habilidades no uso das tecnologias para organizar, processar, recuperar e disseminar informações, independente do suporte no qual elas estejam registradas. O profissional da informação como tal, é categorizado pela sociedade do conhecimento e diz respeito àqueles que trabalham com informações em qualquer suporte. Para Araripe apud JAMBEIRO & SILVA (2004): O profissional da informação(...) deve ser detentor de conhecimento para compreender e/ou utilizar: as teorias da informação e da comunicação; as bases teóricas da biblioteconomia; os aspectos legais e éticos da profissão; as teorias de organização dos registros do conhecimento; o valor e a importância política, social, econômica e cultural da informação; o trabalho pautado na interdisciplinaridade; os diferentes tipos de linguagem e de comunicação; (...) a informação como vantagem competitiva; a evolução tecnológica; administração e gestão de recursos e unidades de informação; e o ambiente sócio-político e econômico que se apresenta em seu país e sua posição na estrutura mundial. O verdadeiro profissional da informação é aquele que possui habilidades e competências específicas a área da ciência da informação. É aquele que sabe aliar a sua competência informacional de saber fazer, querer fazer e poder fazer. O quadro abaixo representa essas competências informacionais: 5

6 SABER SABER FAZER SABER FAZER ACONTECER Aprender a aprender Aplicar o conhecimento Aplicar habilidades Educação continuada Saber agregar valor a Alcançar metas e informação; Criar produtos objetivos; Transformar e serviços habilidades em resultados A ciência da informação necessita de profissionais que possibilitem a geração de novos conhecimentos e práticas inseridas no contexto social, econômico e político. No Brasil os estudos e pesquisas em ciência da informação ainda são muito deficientes exigindo expansões nos cursos de formação dos profissionais, qualificando-os na área da informação, afim de ampliar a produção científica e divulgar as pesquisas proporcionando intercâmbios entre a comunidade de pesquisadores das diversas áreas do conhecimento. Diante do exposto o perfil necessário para esse tipo de profissional é vasto. A base da sua formação são os conhecimentos específicos e teóricos de gerencia e mediação da informação e do conhecimento, e o mercado tem ansiedade por encontrar profissionais capacitados, com visão, com arcabouço intelectual e cultural, com ética, honestidade e criatividade, além da responsabilidade social mediante a sociedade atual. A par das mudanças na sociedade está esse profissional, uma remasterização da profissão, uma nova visão do contexto social, assim, como afirma Arruda (2000) o profissional da informação precisa está atento a ser cada vez mais atuante, não podendo, em hipótese alguma acomodar-se frente as demandas que lhe são impostas. É necessário que haja mais reflexão sobre a profissão tendo em vista a atualização e capacitação dos profissionais, expandindo a área de atuação da profissão, fazendo com que a partir desse novo perfil possa haver maiores oportunidades, maiores aptidões, maiores competências compreendendo e sabendo fazer uso da informação e das tecnologias para o seu crescimento profissional e social. 6

7 4. A TRANFORMAÇÃO SOCIAL: A MEDIAÇÃO DA INFORMAÇÃO PELO BIBLIOTECÁRIO PARA A MELHORIA DA SOCIEDADE O mundo encontra-se hoje em constantes mudanças, há um grande desenvolvimento tecnológico, que influencia tanto na economia quanto na informação. Portanto faz-se necessário que os profissionais da informação compreendam seu verdadeiro papel nesta sociedade, não tenha medo de inovar e de estar em contato com os mais variados profissionais, pois é cada vez mais notável que o acesso a informação, a sua disseminação e livre circulação são elementos fundamentais para alguns aspectos da vida humana. O uso da informação proporciona a inclusão do homem no sistema das relações sociais. Permite a interação humana não somente na produção de bens materiais e culturais, mas também, na vida social (CARVALHO, 1991 P.1172) Devido a biblioteconomia ser uma área interdisciplinar ela permite uma maior interação com as outras áreas e influencia diretamente no aspecto social, o bibliotecário pode levar a informação a todas as pessoas com o objetivo de democratizar a informação além de transformar a sociedade e levar conhecimento para a mesma. O prioritário é democratizar a informação, o primordial é possibilitar de todas as maneiras, condições para o acesso da comunidade a informação, permitindo principalmente que ela possa também gerar e produzir, não só informação, mas cultura, veiculando seus interesses, suas idéias, suas propostas, suas soluções. (ALMEIDA JUNIOR, 1997, P.23) O papel do bibliotecário deve ser formar pessoas criticas e com consciência dos seus deveres e direitos na sociedade, para tanto deve viabilizar o acesso a essas informações e pode fazer isso por conhecer a comunidade a qual estar servindo, seja ela de uma biblioteca, empresa ou qualquer outro órgão. O profissional da informação deve por em prá tica os ensinamentos da universidade, adaptando ao meio ambiente, sendo imprescindível o uso da flexibilidade e da criatividade. Os bibliotecários devem estar cada vez mais qualificado com habilidades de tomada de decisão e de bem relacionar-se, assim participando ativamente do fluxo internacional de informações, principalmente porque é uma profissão essencialmente social, de mediação, de fazer para e com o outro. Podemos citar 7

8 alguns exemplos de como o papel do bibliotecário se reflete na sociedade, se as necessidades de informação dos cidadãos de uma biblioteca pública são atendidas isto vai refletir na conquista dos direitos básicos de cidadania, se pesquisadores tiverem suas necessidades informacionais atendidas irá refletir no progresso científico do país, etc.. A informação tornou-se essencial para tomada de decisão em diversos âmbitos, portanto o papel do bibliotecário é primordial, ele tornou-se um agente de mudanças, comunicar essas informações é seu objetivo principal, e isto envolve decisões e escolhas. Nossa missão como bibliotecários, é facilitar aos indivíduos o acesso à informação e possibilitar, desta forma, o desejo de aprender, de discutir, enfim, a formação do conhecimento ou o conhecimento em formação. Desta forma, nossa missão como agentes de transformação social é plenamente realizada. (CUNHA, 2003) Na situação atual os indivíduos já tem a consciência de que são responsáveis pelo que pode acontecer ao ecossistema, a sociedade e até mesmo as suas próprias vidas. Portanto é essencial que os indivíduos aprimorem três principais elementos: a sua competência informacional, aprendam a aprender e o aprendizado ao longo da vida. Notamos mais uma vez o papel fundamental da informação. Aos poucos o bibliotecário foi assumindo esse papel, passou de intermediário da informação a gestor do conhecimento, mediador pedagógico, líder e agente educacional de transformação, possibilitando ao cidadão uma consciência crítica a respeito de si mesmo e do mundo (sociedade). Destaca-se portanto a competência informacional, porque é um processo que nunca termina, é dinâmico de auto-renovação e transformação, envolve um conjunto de habilidades relacionadas ao universo informacional, surgiu como elemento da atividade bibliotecária ligada ao processo que investiga, é um aprendizado crítico e independente. Daí a necessidade do profissional manter-se atualizado sempre. Para isso ele deve Ter conhecimento especializado do conteúdo de recursos de informação, inclusive na habilidade de avaliar criticamente e os filtrar; Desenvolver e administrar convenientemente, o custo efetivo acessível dos serviços de informação dos quais são alinhados com as direções estratégicas da organização; saber utilizar a tecnologia de informação apropriada para adquirir, organizar e disseminar a informação; Desenvolver produtos de informação especializados para uso dentro ou 8

9 fora da organização ou por clientes individuais; e consequentemente avaliar os resultados e procurar a melhoria dos serviços informacionais. 5. CONSIDERAÇÕES FINAIS Após as pesquisas e considerações feitas, foi possível constatar que a importância da informação têm-se evidenciado principalmente depois das evoluções tecnológicas. Nota-se que é importante que o bibliotecário tome consciência da sua importância e assim busque atualização constante, passando a adquirir assim novas habilidades e competências, adquirindo um novo perfil. Ele deve saber que seu trabalho é essencial para o desenvolvimento da sociedade, pois a partir do momento que o cidadão tem acesso as informações sobre seus direitos e deveres, há quase que uma garantia do exercício de cidadania por parte da sociedade. Podemos constar ainda na pesquisa que o bibliotecário enquanto profissional da informação, tem o dever de atender as necessidades dos usuários, possibilitando aos mesmos as informações necessárias na hora que precisarem. Mostrando que seu dever é mediar a informação, podendo atuar assim não só na biblioteca, mas fora dos muros da mesma. 9

10 REFERÊNCIAS ALMEIDA JÚNIOR. Oswaldo F. de. Sociedade e biblioteconomia. São Paulo: Pólis, AMARAL, Sueli Angélica do. O profissional da informação e as técnicas de marketing. Revista de Biblioteconomia de Brasília, v. 23/24, n.2, p , especial 1999/2000 ARRUDA, Maria da Conceição Calmon; MARTELETO, Regina Maria; SOUZA, Donaldo Bello de. Educação, trabalho e o delineamento de novos perfis profissionais: o bibliotecário em questão. Ciência da Informação. Brasília, v.29, n.3, p , set/dez CARVALHO, Kátia de. Informação: direito do cidadão. IN: CONGRESSO BRASILEIRO DE BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃO, 16, 1991, Salvador. ANAIS... Salvador: Associação Profissional dos Bibliotecários do Estado da Bahia, 1991, CUNHA, Miriam Vieira da. O papel social do bibliotecário. Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação. Florianópolis, n. 15, 1º sem FREIRE, Isa Maria. Conhecimento e responsabilidade social: o olhar do cientista da informação. Comunicação & Comunidade, ano VIII, n.7, p , out JAMBEIRO, Othon; SILVA, Helena Pereira da. A informação e suas profissões: a sobrevivência ao alcance de todos: Data Grama Zero. Revista de Ciência da Informação. V.5, n.4, ago p.1-13 MOTA, Francisca Rosaline Leite; OLIVEIRA, Marlene. Formação e atuação profissional. IN.: OLIVEIRA, Marlene. Ciência da Informação e Biblioteconomia: novos conteúdos e espaços de atuação. Belo horizonte: UFMG, p.98 10

11 ROCHA, Marisa Perrone Campos. A questão da cidadania na sociedade da informação. Ciência da Informação, v. 29, n.1, p , jan/abr TARGINO, Maria das Graças. Biblioteconomia, informação e cidadania. Rev.Esp.Biblioteconomia. UFMG, Belo Horizonte, v.2, n.2 p , jul/dez

Zeny Duarte Professora e Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação - Ufba

Zeny Duarte Professora e Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação - Ufba DA GRADUAÇÃO EM ARQUIVOLOGIA AO MESTRADO E DOUTORADO Zeny Duarte Professora e Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação - Ufba Refletir sobre a preparação de um profissional arquivista

Leia mais

A PRÁTICA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO II e III NA BIBLIOTECA DO SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL DO CEARÁ SENAC-CE

A PRÁTICA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO II e III NA BIBLIOTECA DO SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL DO CEARÁ SENAC-CE XIV Encontro Regional dos Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência da Informação e Gestão da Informação - Região Sul - Florianópolis - 28 de abril a 01 de maio de 2012 A PRÁTICA DO ESTÁGIO

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA REDAÇÃO CONCURSO PÚBLICO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PREFEITURA DE DUQUE DE CAXIAS/RJ PROFESSOR DE INFORMÁTICA EDUCATIVA

PADRÃO DE RESPOSTA REDAÇÃO CONCURSO PÚBLICO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PREFEITURA DE DUQUE DE CAXIAS/RJ PROFESSOR DE INFORMÁTICA EDUCATIVA PROFESSOR DE INFORMÁTICA EDUCATIVA 3. O tema: Capacitação e formação continuada como ingredientes indispensáveis ao sucesso do profissional da educação. A exposição e a defesa das ideias do autor do texto

Leia mais

CENTROS DE INFORMAÇÃO POPULAR E O BIBLIOTECÁRIO

CENTROS DE INFORMAÇÃO POPULAR E O BIBLIOTECÁRIO CENTROS DE INFORMAÇÃO POPULAR E O BIBLIOTECÁRIO Eliany Alvarenga de Araújo' 1 1 - INTRODUÇÃO Inicialmente eu gostaria de agradecer a Comissão Organizadora do 15 Painel Biblioteconomia em Santa Catarina,

Leia mais

POLÍTICA DE FORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE ACERVO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE UNIDA DE CAMPINAS (FACUNICAMPS)

POLÍTICA DE FORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE ACERVO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE UNIDA DE CAMPINAS (FACUNICAMPS) XIV Encontro Regional dos Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência da Informação e Gestão da Informação - Região Sul - Florianópolis - 28 de abril a 01 de maio de 2012 POLÍTICA DE FORMAÇÃO

Leia mais

PERFIL DO PROFISSIONAL ARQUIVISTA PARA ATUAR COM A GESTÃO DOCUMENTAL EM AMBIENTES EMPRESARIAIS

PERFIL DO PROFISSIONAL ARQUIVISTA PARA ATUAR COM A GESTÃO DOCUMENTAL EM AMBIENTES EMPRESARIAIS PERFIL DO PROFISSIONAL ARQUIVISTA PARA ATUAR COM A GESTÃO DOCUMENTAL EM AMBIENTES EMPRESARIAIS CARDOSO, Débora Regina 1 debora.cardoso@click21.com.br VALENTIM, Marta Lígia Pomim 2 valentim@marilia.unesp.br

Leia mais

USO DAS NOVAS TECNOLOGIAS NO PROCESSO ENSINO- APRENDIZAGEM E NA DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA 1

USO DAS NOVAS TECNOLOGIAS NO PROCESSO ENSINO- APRENDIZAGEM E NA DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA 1 USO DAS NOVAS TECNOLOGIAS NO PROCESSO ENSINO- APRENDIZAGEM E NA DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA 1 Bruna Laís Campos do Nascimento Carla Beatriz Marques Felipe Malkene Wytiza F. de M. Noronha Midinai Gomes Bezerra

Leia mais

O PAPEL DO DESENVOLVIMENTO HUMANO

O PAPEL DO DESENVOLVIMENTO HUMANO XVI Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação 22 a 24 de julho de 2015 Modelo 1: resumo expandido de comunicação científica Resumo expandido Apresenta os resultados de uma revisão de literatura

Leia mais

LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO CRIATIVA

LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO CRIATIVA LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO Instituto Federal Farroupilha Câmpus Santa Rosa ledomanski@gmail.com Introdução Ler no contexto mundial globalizado

Leia mais

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES DOS BIBLIOTECÁRIOS DO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DA UFPE

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES DOS BIBLIOTECÁRIOS DO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DA UFPE TRABALHO ORAL IMPACTO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NA GESTÃO DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA Perfil do profissional da informação COMPETÊNCIAS E HABILIDADES DOS BIBLIOTECÁRIOS DO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

Leia mais

A EDUCAÇÃO ALIADA AS NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (NTIC)

A EDUCAÇÃO ALIADA AS NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (NTIC) A EDUCAÇÃO ALIADA AS NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (NTIC) José Wellithon Batista Zacarias (1); Programa de Pós Graduação, Faculdade Leão Sampaio - wellithonb@gmail.com RESUMO No mundo informatizado

Leia mais

PROPOSTA PEDAGOGICA CENETEC Educação Profissional. Índice Sistemático. Capitulo I Da apresentação...02. Capitulo II

PROPOSTA PEDAGOGICA CENETEC Educação Profissional. Índice Sistemático. Capitulo I Da apresentação...02. Capitulo II Índice Sistemático Capitulo I Da apresentação...02 Capitulo II Dos objetivos da proposta pedagógica...02 Capitulo III Dos fundamentos da proposta pedagógica...02 Capitulo IV Da sinopse histórica...03 Capitulo

Leia mais

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO * César Raeder Este artigo é uma revisão de literatura que aborda questões relativas ao papel do administrador frente à tecnologia da informação (TI) e sua

Leia mais

BIBLIOTECÁRIOS E ARQUIVISTAS: NOVOS FAZERES NA SOCIEDADE DO CONHECIMENTO 1

BIBLIOTECÁRIOS E ARQUIVISTAS: NOVOS FAZERES NA SOCIEDADE DO CONHECIMENTO 1 BIBLIOTECÁRIOS E ARQUIVISTAS: NOVOS FAZERES NA SOCIEDADE DO CONHECIMENTO 1 Miriam Vieira da Cunha 2 Resumo Discute as funções do bibliotecário e do arquivista na sociedade do conhecimento. Faz uma reflexão

Leia mais

Mídia, linguagem e educação

Mídia, linguagem e educação 21 3 22 Mídia, Linguagem e Conhecimento Segundo a UNESCO (1984) Das finalidades maiores da educação: Formar a criança capaz de refletir, criar e se expressar em todas as linguagens e usando todos os meios

Leia mais

ESTÁGIO: TREINANDO E DESENVOLVENDO HABILIDADES - UM RELATO DA EXPERIÊNCIA NA BIBLIOTECA SESI

ESTÁGIO: TREINANDO E DESENVOLVENDO HABILIDADES - UM RELATO DA EXPERIÊNCIA NA BIBLIOTECA SESI Região Sul - Florianópolis - 28 de abril a 01 de maio de 2012XIV Encontro Regional dos Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência da Informação e Gestão da Informação - ESTÁGIO: TREINANDO E DESENVOLVENDO

Leia mais

MAPEAMENTO E ORGANIZAÇÃO DOS PROGRAMAS E PROJETOS DE EXTENSÃO PARA A CONSTRUÇÃO DO CATÁLOGO DE EXTENSÃO DA FURG 2009-2012

MAPEAMENTO E ORGANIZAÇÃO DOS PROGRAMAS E PROJETOS DE EXTENSÃO PARA A CONSTRUÇÃO DO CATÁLOGO DE EXTENSÃO DA FURG 2009-2012 MAPEAMENTO E ORGANIZAÇÃO DOS PROGRAMAS E PROJETOS DE EXTENSÃO PARA A CONSTRUÇÃO DO CATÁLOGO DE EXTENSÃO DA FURG 2009-2012 Simone Machado Firme FURG 1 Karine Vargas Oliveira FURG 2 Michele Fernanda Silveira

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Concepção do Curso de Administração A organização curricular do curso oferece respostas às exigências impostas pela profissão do administrador, exigindo daqueles que integram a instituição

Leia mais

Palavras-chave: Sociedade da Informação. Bibliotecário. Transformação Social. Disseminação da informação.

Palavras-chave: Sociedade da Informação. Bibliotecário. Transformação Social. Disseminação da informação. O BIBLIOTECÁRIO COMO AGENTE TRANSFORMADOR SOCIAL: sua importância para o desenvolvimento da sociedade informacional através da disseminação da informação 1 Erik André de Nazaré Pires* Resumo Aborda questões

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS MISSÃO DO CURSO O Curso de Licenciatura em Artes Visuais busca formar profissionais habilitados para a produção, a pesquisa

Leia mais

PROGRAMA SOCIAL COMO ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO DA SOCIEDADE: Experiência da Unidade Móvel do SENAC PE

PROGRAMA SOCIAL COMO ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO DA SOCIEDADE: Experiência da Unidade Móvel do SENAC PE PROGRAMA SOCIAL COMO ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO DA SOCIEDADE: Experiência da Unidade Móvel do SENAC PE Autor(a): Ivalda Barbosa do Nascimento Mandú Coautor(es): Rosana de Fátima Oliveira Pedrosa Email:

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. PROCESSO SELETIVO 2013 Cursos Técnicos a Distância 2 SEMESTRE

MANUAL DO CANDIDATO. PROCESSO SELETIVO 2013 Cursos Técnicos a Distância 2 SEMESTRE MANUAL DO CANDIDATO PROCESSO SELETIVO 2013 Cursos Técnicos a Distância 2 SEMESTRE APRESENTAÇÃO Neste Manual, desenvolvido pela Comissão de Processo Seletivo (COPESE) do Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

PROPOSTA DE CRIAÇÃO DE UM CENTRO DE EXTENSÃO NA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA / SISTEMA DE BIBLIOTECAS UFMG

PROPOSTA DE CRIAÇÃO DE UM CENTRO DE EXTENSÃO NA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA / SISTEMA DE BIBLIOTECAS UFMG TRABALHO ORAL EMPREENDEDORISMO EM BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS Desenvolvimento de serviços inovadores em bibliotecas PROPOSTA DE CRIAÇÃO DE UM CENTRO DE EXTENSÃO NA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA / SISTEMA DE

Leia mais

Artigo Publicado na revista Eletrônica F@pciência, Apucarana-PR, v.1, n.1, 61-66, 2007. INCLUSÃO DIGITAL

Artigo Publicado na revista Eletrônica F@pciência, Apucarana-PR, v.1, n.1, 61-66, 2007. INCLUSÃO DIGITAL Artigo Publicado na revista Eletrônica F@pciência, Apucarana-PR, v.1, n.1, 61-66, 2007. Resumo INCLUSÃO DIGITAL Leandro Durães 1 A inclusão digital que vem sendo praticada no país tem abordado, em sua

Leia mais

XVI SEMINÁRIO DE PESQUISA DO CCSA ISSN 1808-6381

XVI SEMINÁRIO DE PESQUISA DO CCSA ISSN 1808-6381 GESTÃO DE PESSOAS APLICADA ÀS UNIDADES DE INFORMAÇÃO 1 Mailza Paulino de Brito e Silva Souza 2 Sandra Pontual da Silva 3 Sara Sunaria Almeida da Silva Xavier 4 Orientadora: Profª M.Sc. Luciana Moreira

Leia mais

Quadro Resumo de Projeto Pedagógico do Curso Superior de Tecnologia em GESTÃO COMERCIAL

Quadro Resumo de Projeto Pedagógico do Curso Superior de Tecnologia em GESTÃO COMERCIAL Quadro Resumo de Projeto Pedagógico do Curso Superior de Tecnologia em GESTÃO COMERCIAL Dados de Identificação: -Modalidade: Graduação Tecnológica -Ato Legal de Autorização: Resolução CONSUNI nº -Turnos

Leia mais

GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DO CURRICULO ANO 2 - APROFUNDAMENTO

GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DO CURRICULO ANO 2 - APROFUNDAMENTO ESTRUTURA GERAL DOS ROTEIROS DE ESTUDOS QUINZENAL Os roteiros de estudos, cujo foco está destacado nas palavras chaves, estão organizados em três momentos distintos: 1º MOMENTO - FUNDAMENTOS TEÓRICOS -

Leia mais

O MOVIMENTO ASSOCIATIVO DE BIBLIOTECÁRIOS NA COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA

O MOVIMENTO ASSOCIATIVO DE BIBLIOTECÁRIOS NA COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA O MOVIMENTO ASSOCIATIVO DE BIBLIOTECÁRIOS NA COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA O presente trabalho apresenta o contexto histórico em que surgiram os movimentos associativos de bibliotecários no Brasil

Leia mais

Gestão do Conhecimento Case Documentar

Gestão do Conhecimento Case Documentar Gestão do Conhecimento Case Documentar GESTÃO DO CONHECIMENTO CASE DOCUMENTAR Empresa: Documentar Tecnologia e Informação Localização: R. Barão de Macaúbas 460 20º Andar Santo Antônio BH/MG Segmento: Tecnologia,

Leia mais

PROJOVEM E INCLUSÃO DIGITAL: UM ESTUDO SOBRE AS REPERCUSSÕES DO PROGRAMA NA FORMAÇÃO DOS JOVENS ATENDIDOS NO RECIFE

PROJOVEM E INCLUSÃO DIGITAL: UM ESTUDO SOBRE AS REPERCUSSÕES DO PROGRAMA NA FORMAÇÃO DOS JOVENS ATENDIDOS NO RECIFE PROJOVEM E INCLUSÃO DIGITAL: UM ESTUDO SOBRE AS REPERCUSSÕES DO PROGRAMA NA FORMAÇÃO DOS JOVENS ATENDIDOS NO RECIFE Maria do Rozario Gomes da Mota Silva Orientadora: Profª Drª Márcia Ângela da Silva Aguiar

Leia mais

EDITORAÇÃO ELETRÔNICA DE PERIÓDICOS DA ÁREA DE BIBLIOTECONOMIA E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: A UTILIZAÇÃO DE SOFTWARE LIVRE

EDITORAÇÃO ELETRÔNICA DE PERIÓDICOS DA ÁREA DE BIBLIOTECONOMIA E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: A UTILIZAÇÃO DE SOFTWARE LIVRE EDITORAÇÃO ELETRÔNICA DE PERIÓDICOS DA ÁREA DE BIBLIOTECONOMIA E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: A UTILIZAÇÃO DE SOFTWARE LIVRE Eliane Apolinário Vieira Priscila Marylin de Almeida Arlete Inocencia Menezes Roni

Leia mais

PROJETOS DE ENSINO I DA JUSTIFICATIVA

PROJETOS DE ENSINO I DA JUSTIFICATIVA I DA JUSTIFICATIVA PROJETOS DE ENSINO O cenário educacional atual tem colocado aos professores, de modo geral, uma série de desafios que, a cada ano, se expandem em termos de quantidade e de complexidade.

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NA UFMG: EAD E O CURSO DE LETRAS

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NA UFMG: EAD E O CURSO DE LETRAS Aline Passos Amanda Antunes Ana Gabriela Gomes da Cruz Natália Neves Nathalie Resende Vanessa de Morais EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NA UFMG: EAD E O CURSO DE LETRAS Trabalho apresentado à disciplina online Oficina

Leia mais

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E A IMPORTÂNCIA DO EDUCADOR NA ATUALIDADE

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E A IMPORTÂNCIA DO EDUCADOR NA ATUALIDADE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E A IMPORTÂNCIA DO EDUCADOR NA ATUALIDADE ALMEIDA, Rozelaine Rubia Bueno D 1 Resumo Este artigo tem como objetivo apresentar uma reflexão sobre as mudanças na legislação do Ensino

Leia mais

UMA CONSTRUÇÃO DE GESTÃO DEMOCRÁTICA/PARTICIPATIVA NO ÂMBITO ESCOLAR

UMA CONSTRUÇÃO DE GESTÃO DEMOCRÁTICA/PARTICIPATIVA NO ÂMBITO ESCOLAR UMA CONSTRUÇÃO DE GESTÃO DEMOCRÁTICA/PARTICIPATIVA NO ÂMBITO ESCOLAR Neiva Maestro 1 A participação, sem dúvida, é o principal meio de se assegurar a gestão da escola que se quer democrática. Deve possibilitar

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE LONGA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do

Leia mais

Gestão 2013-2017. Plano de Trabalho. Colaboração, Renovação e Integração. Eduardo Simões de Albuquerque Diretor

Gestão 2013-2017. Plano de Trabalho. Colaboração, Renovação e Integração. Eduardo Simões de Albuquerque Diretor Gestão 2013-2017 Plano de Trabalho Colaboração, Renovação e Integração Eduardo Simões de Albuquerque Diretor Goiânia, maio de 2013 Introdução Este documento tem por finalidade apresentar o Plano de Trabalho

Leia mais

Planejamento de sistemas de informação.

Planejamento de sistemas de informação. Planejamento de sistemas de informação. O planejamento de sistemas de informação e da tecnologia da informação é o processo de identificação das aplicações baseadas em computadores para apoiar a organização

Leia mais

A FORMAÇÃO DO ALUNO DE BIBLIOTECONOMIA DA UFC NO PROJETO NOVO VESTIBULAR

A FORMAÇÃO DO ALUNO DE BIBLIOTECONOMIA DA UFC NO PROJETO NOVO VESTIBULAR XIV Encontro Regional dos Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência da Informação e Gestão da Informação - Região Sul - Florianópolis - 28 de abril a 01 de maio de 2012 A FORMAÇÃO DO ALUNO DE

Leia mais

MARKETING EM UNIDADES DE INFORMAÇÃO: um processo de inovação da gestão do bibliotecário

MARKETING EM UNIDADES DE INFORMAÇÃO: um processo de inovação da gestão do bibliotecário MARKETING EM UNIDADES DE INFORMAÇÃO: um processo de inovação da gestão do bibliotecário GT 2 Mercado de Trabalho, Empreendedorismo e Ações do Profissional da Informação Contemporâneo Modalidade: Comunicação

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ENGENHARIA ELÉTRICA MISSÃO DO CURSO O Curso de Engenharia Elétrica tem por missão a graduação de Engenheiros Eletricistas com sólida formação técnica que

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ CONCURSO PÚBLICO PARA A CARREIRA DE TÉCNICO-ADMINISTRATIVO EM EDUCAÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ CONCURSO PÚBLICO PARA A CARREIRA DE TÉCNICO-ADMINISTRATIVO EM EDUCAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ CONCURSO PÚBLICO PARA A CARREIRA DE TÉCNICO-ADMINISTRATIVO EM EDUCAÇÃO EDITAL N.º 51/2014 UNIFESSPA, DE 21 DE JULHO DE 2014 ANEXO I

Leia mais

Trabalho em equipe como fator facilitador da Gestão do Conhecimento

Trabalho em equipe como fator facilitador da Gestão do Conhecimento Trabalho em equipe como fator facilitador da Gestão do Conhecimento Viviane Maravieski Pereira (UTFPR) vivimaravieski@hotmail.com Isaura Alberton de Lima (UTFPR) alberton@cefetpr.br Resumo: Este artigo

Leia mais

Universidade de Brasília. Departamento de Ciência da Informação e Documentação

Universidade de Brasília. Departamento de Ciência da Informação e Documentação Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Informação Agilidade Qualidade Inovação freqüente Acesso ao conhecimento global Criação e adaptação de conhecimento Disseminação

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO SERVIÇO BIBLIOTECÁRIO NO ENSINO A DISTÂNCIA THE IMPORTANCE LIBRARIANS SERVICES IN DISTANCE LEARNING.

A IMPORTÂNCIA DO SERVIÇO BIBLIOTECÁRIO NO ENSINO A DISTÂNCIA THE IMPORTANCE LIBRARIANS SERVICES IN DISTANCE LEARNING. 1 A IMPORTÂNCIA DO SERVIÇO BIBLIOTECÁRIO NO ENSINO A DISTÂNCIA THE IMPORTANCE LIBRARIANS SERVICES IN DISTANCE LEARNING. Keli Rodrigues do Amaral 1 Linete Bartalo 2 Resumo: Os serviços bibliotecários oferecidos

Leia mais

EDUCAÇÃO CORPORATIVA EM EAD: Benefícios da modalidade e-learning.

EDUCAÇÃO CORPORATIVA EM EAD: Benefícios da modalidade e-learning. EDUCAÇÃO CORPORATIVA EM EAD: Benefícios da modalidade e-learning. Autor(a): Gliner Dias Alencar Coautor(es): Joaquim Nogueira Ferraz Filho, Marcelo Ferreira de Lima, Lucas Correia de Andrade, Alessandra

Leia mais

A Utilização de Softwares Livres no Desenvolvimento de Cursos de Educação a Distância (EAD) nas Universidades e a Inclusão Digital² RESUMO

A Utilização de Softwares Livres no Desenvolvimento de Cursos de Educação a Distância (EAD) nas Universidades e a Inclusão Digital² RESUMO 1 A Utilização de Softwares Livres no Desenvolvimento de Cursos de Educação a Distância (EAD) nas Universidades e a Inclusão Digital² Bruna Barçante¹ Aylla Barbosa Ribeiro¹ Fernanda Teixeira Ferreira Leite¹

Leia mais

São Paulo, Ano I, n. 01, jan./abr. de 2014 ISSN 2358-0224. Podemos falar de ética nas práticas de consumo?

São Paulo, Ano I, n. 01, jan./abr. de 2014 ISSN 2358-0224. Podemos falar de ética nas práticas de consumo? São Paulo, Ano I, n. 01, jan./abr. de 2014 ISSN 2358-0224 9 772358 022003 Podemos falar de ética nas práticas de consumo? Universidade, uma usina de força intelectual Paulo Alonso 1 universidade novas

Leia mais

Gestão do Conhecimento e Arquivologia:

Gestão do Conhecimento e Arquivologia: Gestão do Conhecimento e Arquivologia: entrelaçamentos e possibilidades na formação do profissional arquivista. Profa. Dra. Maria do Rocio F. Teixeira DCI/FABICO/UFRGS Arquivologia Salvador, 2013. Apresentação

Leia mais

1. DADOS SOBRE A ATIVIDADE Título/Ementa (competências a serem desenvolvidas pelos estudantes; objetivos de ensino-aprendizagem)

1. DADOS SOBRE A ATIVIDADE Título/Ementa (competências a serem desenvolvidas pelos estudantes; objetivos de ensino-aprendizagem) UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA PROGRAD / PROEXT / SUPAC Atividade Curricular em Comunidade - ACC Formulário para solicitação de oferta Aprovado em 22.02.2008 1. DADOS SOBRE A ATIVIDADE Título/Ementa (competências

Leia mais

O PERFIL DO PROFISSIONAL DA INFORMAÇÃO: estudo de caso da Biblioteca Central de Ribeirão Preto-USP

O PERFIL DO PROFISSIONAL DA INFORMAÇÃO: estudo de caso da Biblioteca Central de Ribeirão Preto-USP TRABALHO ORAL IMPACTO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NA GESTÃO DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA Perfil do profissional da informação O PERFIL DO PROFISSIONAL DA INFORMAÇÃO: estudo de caso da Biblioteca Central

Leia mais

Desafios e vantagens da Educação a distância para uma aprendizagem significativa na Universidade

Desafios e vantagens da Educação a distância para uma aprendizagem significativa na Universidade Desafios e vantagens da Educação a distância para uma aprendizagem significativa na Universidade José Walter Fagundes de Souza Filho RESUMO Conhecer e analisar fatores que interferem de forma positiva

Leia mais

A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos

A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos Denis Alcides Rezende Do processamento de dados a TI Na década de 1960, o tema tecnológico que rondava as organizações era o processamento de

Leia mais

XVI Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação 22 a 24 de julho de 2015

XVI Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação 22 a 24 de julho de 2015 XVI Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação 22 a 24 de julho de 2015 Modelo 1: resumo expandido de comunicação científica A FORMAÇÃO DO BIBLIOTECÁRIO E A COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA: UMA ANALISE

Leia mais

PRÁTICAS LETRADAS NO AMBIENTE DAS BIBLIOTECAS: Um estudo no IF Sertão Pernambucano. Tatiane Lemos Alves 1

PRÁTICAS LETRADAS NO AMBIENTE DAS BIBLIOTECAS: Um estudo no IF Sertão Pernambucano. Tatiane Lemos Alves 1 PRÁTICAS LETRADAS NO AMBIENTE DAS BIBLIOTECAS: Um estudo no IF Sertão Pernambucano Tatiane Lemos Alves 1 RESUMO A leitura, inicialmente, veio atrelada à questão do incentivo e desenvolvimento do hábito

Leia mais

PRINCIPAIS FERRAMENTAS DE GESTÃO APLICADAS NA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DO SUL DE MINAS - FACESM

PRINCIPAIS FERRAMENTAS DE GESTÃO APLICADAS NA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DO SUL DE MINAS - FACESM PRINCIPAIS FERRAMENTAS DE GESTÃO APLICADAS NA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DO SUL DE MINAS - FACESM CRISTIANE MORATTO FÉLIX DE FREITAS Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas do Sul de Minas

Leia mais

A Biblioteconomia e a Situação Frente as Novas Tecnologias e ao Novo Usuário 1

A Biblioteconomia e a Situação Frente as Novas Tecnologias e ao Novo Usuário 1 A Biblioteconomia e a Situação Frente as Novas Tecnologias e ao Novo Usuário 1 Luciano Soares Duarte 2 Resumo: Apresenta características da profissão de biblioteconomia, do uso das novas tecnologias e

Leia mais

RESUMO. PALAVRAS-CHAVE: Educação à distância; Informática; Metodologia.

RESUMO. PALAVRAS-CHAVE: Educação à distância; Informática; Metodologia. 1 O PAPEL DA INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA: Um Estudo de Caso no pólo UNOPAR, Machadinho do Oeste - RO Izaqueu Chaves de Oliveira 1 RESUMO O presente artigo tem por objetivo compreender a importância

Leia mais

Apresentação Plano de Integridade Institucional da Controladoria-Geral da União (PII)

Apresentação Plano de Integridade Institucional da Controladoria-Geral da União (PII) PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO Secretaria-Executiva Diretoria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional Plano de Integridade Institucional (PII) 2012-2015 Apresentação Como

Leia mais

A disciplina de Gestão do Conhecimento no currículo do Curso de Biblioteconomia: a experiência da UFRGS/BRASIL.

A disciplina de Gestão do Conhecimento no currículo do Curso de Biblioteconomia: a experiência da UFRGS/BRASIL. A disciplina de Gestão do Conhecimento no currículo do Curso de Biblioteconomia: a experiência da UFRGS/BRASIL. Profa. Maria do Rocio F. Teixeira DCI/FABICO/UFRGS IX Encuentro de Directores y VIII de Docentes

Leia mais

FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO III SEMINÁRIO DE PESQUISA DA FESPSP

FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO III SEMINÁRIO DE PESQUISA DA FESPSP FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO III SEMINÁRIO DE PESQUISA DA FESPSP SUBPROJETO: BIBLIOTECAS PÚBLICAS DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO DESENVOLVEM A SUA FUNÇÃO SOCIAL? Diego Martins

Leia mais

O PROCESSO DE APRENDIZAGEM A DISTÂNCIA NA EDUCAÇÃO CORPORATIVA: A EFETIVIDADE DO TREINAMENTO

O PROCESSO DE APRENDIZAGEM A DISTÂNCIA NA EDUCAÇÃO CORPORATIVA: A EFETIVIDADE DO TREINAMENTO 1 O PROCESSO DE APRENDIZAGEM A DISTÂNCIA NA EDUCAÇÃO CORPORATIVA: A EFETIVIDADE DO TREINAMENTO CURITIBA PR MAIO DE 2014 Margarete Teresinha Fabbris de Oliveira Santos Faculdade de Administração, Educação,

Leia mais

INCLUSÃO E CIDADANIA: UMA QUESTÃO DE DIREITO

INCLUSÃO E CIDADANIA: UMA QUESTÃO DE DIREITO INCLUSÃO E CIDADANIA: UMA QUESTÃO DE DIREITO MARIA DA GLÓRIA DE SOUZA ALMEIDA mariadagloriaalmeida@ibc.gov.br INSTITUTO BENJAMIN CONSTANT RESUMO A educação inclusiva somente se efetivará, quando de fato,

Leia mais

EMENTÁRIO DE COMPONENTES CURRICULARES

EMENTÁRIO DE COMPONENTES CURRICULARES Disciplinas obrigatórias: ICIA39 Administração de Unidades de Básica EMENTA: Conceitos de informação e gestão de organizações. Qualidade e competitividade (noções). Estudo de serviços de informação em

Leia mais

FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS

FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS 1 FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS MAURICIO SEBASTIÃO DE BARROS 1 RESUMO Este artigo tem como objetivo apresentar as atuais

Leia mais

Florianópolis SC - maio 2012. Categoria: C. Setor Educacional: 3. Classificação das Áreas de Pesquisa em EaD Macro: A / Meso: L / Micro: N

Florianópolis SC - maio 2012. Categoria: C. Setor Educacional: 3. Classificação das Áreas de Pesquisa em EaD Macro: A / Meso: L / Micro: N LABORATÓRIO DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA: UM ESPAÇO DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E AMPLIAÇÃO DE CONHECIMENTOS REFERENTES À INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA Florianópolis SC - maio 2012 Categoria: C Setor

Leia mais

Biblioteca Virtual em Saúde (BVS): Instrumento para a gestão da informação em Saúde

Biblioteca Virtual em Saúde (BVS): Instrumento para a gestão da informação em Saúde Biblioteca Virtual em Saúde (BVS): Instrumento para a gestão da informação em Saúde Objetivo: Apresentar o Modelo da BVS: conceitos, evolução, governabilidade, estágios e indicadores. Conteúdo desta aula

Leia mais

GESTÃO DO CONHECIMENTO E INTELIGÊNCIA COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÕES: UMA ABORDAGEM CONCEITUAL 1

GESTÃO DO CONHECIMENTO E INTELIGÊNCIA COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÕES: UMA ABORDAGEM CONCEITUAL 1 GESTÃO DO CONHECIMENTO E INTELIGÊNCIA COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÕES: UMA ABORDAGEM CONCEITUAL 1 Heide Miranda da SILVA 2 RESUMO As exigências do mercado atual somadas aos avanços das tecnologias de informação

Leia mais

ARQUITETURA E URBANISMO

ARQUITETURA E URBANISMO ADMINISTRAÇÃO OBJETIVANDO O APERFEIÇOAMENTO, DA CIÊNCIA DA ADMINISTRAÇÃO, O ARQUITETURA E URBANISMO PROMETO NO EXERCÍCIO DA ATIVIDADE INERENTE À PRÁTICA DA ARQUITETURA E URBANISMO, RESPEITAR OS PRINCÍPIOS

Leia mais

POLÍTICA DE BIBLIOTECAS DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE BIBLIOTECAS DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE BIBLIOTECAS DAS EMPRESAS ELETROBRAS Sumário 1 Objetivo... 3 2 Conceitos... 3 3 Referências... 6 4 Princípios... 7 5 Diretrizes... 9 6 Responsabilidades...12 7 Disposições Gerais...15 2 1 Objetivo

Leia mais

ALFABETIZAÇÃO DIGITAL E LETRAMENTO INFORMACIONAL EM LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA UNIVERSITÁRIO: RELATO DE PROJETO DE EXTENSÃO 1

ALFABETIZAÇÃO DIGITAL E LETRAMENTO INFORMACIONAL EM LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA UNIVERSITÁRIO: RELATO DE PROJETO DE EXTENSÃO 1 ALFABETIZAÇÃO DIGITAL E LETRAMENTO INFORMACIONAL EM LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA UNIVERSITÁRIO: RELATO DE PROJETO DE EXTENSÃO 1 RESUMO Thaísa Antunes Gonçalves 2 Este trabalho objetiva relatar as atividades

Leia mais

AS NOVAS TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO: DESAFIOS ATUAIS PARA A PRÁTICA DOCENTE

AS NOVAS TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO: DESAFIOS ATUAIS PARA A PRÁTICA DOCENTE AS NOVAS TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO: DESAFIOS ATUAIS PARA A PRÁTICA DOCENTE Renival Vieira de Freitas Faculdade São Luiz de França. E-mail: renofreitas@hotmail.com Magneide S. Santos Lima Universidade Lusófona

Leia mais

Projeto Pedagógico Institucional PPI FESPSP FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI

Projeto Pedagógico Institucional PPI FESPSP FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI Grupo Acadêmico Pedagógico - Agosto 2010 O Projeto Pedagógico Institucional (PPI) expressa os fundamentos filosóficos,

Leia mais

Tendências e mudanças no ambiente informacional Relatório de Tendências da IFLA

Tendências e mudanças no ambiente informacional Relatório de Tendências da IFLA Tendências e mudanças no ambiente informacional Relatório de Tendências da IFLA Sueli Mara Ferreira Webinar para América Latina e Caribe IFLA LAC e USP 18 de novembro de 2014 Surfando as ondas ou sendo

Leia mais

Articulando saberes e transformando a prática

Articulando saberes e transformando a prática Articulando saberes e transformando a prática Maria Elisabette Brisola Brito Prado Na sociedade do conhecimento e da tecnologia torna-se necessário repensar o papel da escola, mais especificamente as questões

Leia mais

PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E DO TRABALHO: CONCEITOS INTRODUTÓRIOS

PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E DO TRABALHO: CONCEITOS INTRODUTÓRIOS PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E DO TRABALHO: CONCEITOS INTRODUTÓRIOS 2011 Paola Lucena dos Santos Bolsista de Iniciação Científica, CNPq Acadêmica de Psicologia pela PUC/RS, Brasil Laura Traub Acadêmica de

Leia mais

1 INTRODUÇÃO 2 OBJETIVOS

1 INTRODUÇÃO 2 OBJETIVOS TÍTULO: PROJETO SALA DE LEITURA DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO AUTORES: Abinadá de Caldas da Silva e Ângela Cardoso Ferreira Silva e-mail: ângelacardoso@ligbr.com.br INSTITUIÇÃO: Universidade Federal da

Leia mais

A importância da Educação para competitividade da Indústria

A importância da Educação para competitividade da Indústria A importância da Educação para competitividade da Indústria Educação para o trabalho não tem sido tradicionalmente colocado na pauta da sociedade brasileira, mas hoje é essencial; Ênfase no Direito à Educação

Leia mais

A PRODUÇÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES NA PERSPECTIVA DA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO

A PRODUÇÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES NA PERSPECTIVA DA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO 22 a 24 de julho de 205 A PRODUÇÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES NA PERSPECTIVA DA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO INTRODUÇÃO Eva Dayane Jesus dos Santos Bibliotecária da Universidade do Estado da Bahia eva@uneb.br Marivaldina

Leia mais

5 201 O LI Ó RTF PO 1

5 201 O LI Ó RTF PO 1 1 PORTFÓLIO 2015 Um pouco da trajetória do Colégio Ação1 QUANDO TUDO COMEÇOU 1993 Experientes profissionais fundaram, no bairro do Méier, a primeira unidade da rede Ação1. O foco do trabalho era a preparação

Leia mais

REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO OBIGATÓRIO CURRICULAR NA BIBLIOTECA SETORIAL DA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIAS, CONTÁBEIS E SECRETARIADO

REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO OBIGATÓRIO CURRICULAR NA BIBLIOTECA SETORIAL DA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIAS, CONTÁBEIS E SECRETARIADO XIV Encontro Regional dos Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência da Informação e Gestão da Informação - Região Sul - Florianópolis - 28 de abril a 01 de maio de 2012 REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO

Leia mais

BIBLIOTECA 2.0 uso das ferramentas Web 2.0 na biblioteca INATEL

BIBLIOTECA 2.0 uso das ferramentas Web 2.0 na biblioteca INATEL Temática 2: Direito à Informação, Acesso à Informação e Inclusão Social BIBLIOTECA 2.0 uso das ferramentas Web 2.0 na biblioteca INATEL Alexander Willian Azevedo aw.azevedo@yahoo.com.br Universidade Federal

Leia mais

PROJETO INTEGRADOR 2015

PROJETO INTEGRADOR 2015 UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. PROGRAMA DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE CONSELHEIROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO PROJETO INTEGRADOR 2015 IOLANDA

Leia mais

O PAPEL DA BIBLIOTECA NO MARKETING INSTITUCIONAL: CLIPPING DIGITAL UNERJ RESUMO

O PAPEL DA BIBLIOTECA NO MARKETING INSTITUCIONAL: CLIPPING DIGITAL UNERJ RESUMO O PAPEL DA BIBLIOTECA NO MARKETING INSTITUCIONAL: CLIPPING DIGITAL UNERJ Hadra Mônica Kuester Marcio João Oliari Terezinha da Graça Moreira RESUMO Relata a elaboração e implementação de um clipping digital

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO NA TELEVISÃO VERDES MARES: INDEXAÇÃO DE IMAGENS AUDIOVISUAIS JORNALISTICAS RESUMO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO NA TELEVISÃO VERDES MARES: INDEXAÇÃO DE IMAGENS AUDIOVISUAIS JORNALISTICAS RESUMO XIV Encontro Regional dos Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência da Informação e Gestão da Informação - Região Sul - Florianópolis - 28 de abril a 01 de maio de 2012 RELATÓRIO DE ESTÁGIO

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC FLORIANÓPOLIS

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC FLORIANÓPOLIS FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC FLORIANÓPOLIS PORTARIA DE CREDENCIAMENTO DA FACULDADE Portaria Nº 3.544 de 13 de dezembro de 2002, publicada no DOU em 16 de dezembro de 2002. Diretor da Faculdade: José Carlos

Leia mais

USO DE JOGOS NAS AULAS DE INFORMÁTICA PARA IDOSOS: Relatos de Experiência

USO DE JOGOS NAS AULAS DE INFORMÁTICA PARA IDOSOS: Relatos de Experiência USO DE JOGOS NAS AULAS DE INFORMÁTICA PARA IDOSOS: Relatos de Experiência Lucas Santiago Rodrigues Graduando em Sistemas de Informação na UFMS Natália Fernanda de Castro Meira Graduanda em Engenharia de

Leia mais

Instituto Educacional Santa Catarina. Faculdade Jangada. Atenas Cursos

Instituto Educacional Santa Catarina. Faculdade Jangada. Atenas Cursos Instituto Educacional Santa Catarina Faculdade Jangada Atenas Cursos Curso de Capacitação em AEE Aluna: Ivete D. Poleto De Cezare Vanini, 01 de Maio de 2015. 1 - Tema: Deficiência Intelectual 2 - Problema:

Leia mais

PROFISSIONAL DA INFORMAÇÃO: aspectos de formação, atuação profissional e marketing para o mercado de trabalho

PROFISSIONAL DA INFORMAÇÃO: aspectos de formação, atuação profissional e marketing para o mercado de trabalho PROFISSIONAL DA INFORMAÇÃO: aspectos de formação, atuação profissional e marketing para o mercado de trabalho Milena Polsinelli Rubi * Maria Luzinete Euclides ** Juliana Cardoso dos Santos *** artigo de

Leia mais

A REFLEXÃO CRÍTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: Entre Práticas e Saberes. Alciane Gonçalves Barbosa - Graduanda em Pedagogia/UFPI

A REFLEXÃO CRÍTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: Entre Práticas e Saberes. Alciane Gonçalves Barbosa - Graduanda em Pedagogia/UFPI A REFLEXÃO CRÍTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: Entre Práticas e Saberes Alciane Gonçalves Barbosa - Graduanda em Pedagogia/UFPI Maria Antonia Alves Lima Graduanda em Pedagogia /UFPI Bárbara Maria Macedo

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS FUNCIONÁRIOS NO PROCESSO EDUCATIVO NAS ESCOLAS

A IMPORTÂNCIA DOS FUNCIONÁRIOS NO PROCESSO EDUCATIVO NAS ESCOLAS A IMPORTÂNCIA DOS FUNCIONÁRIOS NO PROCESSO EDUCATIVO NAS ESCOLAS Carine Ferreira Machado Virago 1 Carla Cristiane Costa 2 Resumo: A nova conjuntura educacional, voltada especialmente a uma educação integral

Leia mais

TECNOLOGIAS DA COMUNICAÇÃO E DA INFORMAÇÃO: novos desafios para o educador

TECNOLOGIAS DA COMUNICAÇÃO E DA INFORMAÇÃO: novos desafios para o educador TECNOLOGIAS DA COMUNICAÇÃO E DA INFORMAÇÃO: novos desafios para o educador Maceió AL, maio/2009 Luis Paulo Leopoldo Mercado Universidade Federal de Alagoas lpmercado@oi.com.br Categoria: B- Conteúdos e

Leia mais

DOCUMENTO FINAL DO ENCONTRO

DOCUMENTO FINAL DO ENCONTRO ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE HISTÓRIA ANPUH-BRASIL O PERFIL PROFISSIONAL DOS HISTORIADORES ATUANTES EM ARQUIVOS DOCUMENTO FINAL DO ENCONTRO São Paulo, dezembro de 2012. APRESENTAÇÃO Este documento, produzido

Leia mais

Incentivar a inovação em processos funcionais. Aprimorar a gestão de pessoas de TIC

Incentivar a inovação em processos funcionais. Aprimorar a gestão de pessoas de TIC Incentivar a inovação em processos funcionais Aprendizagem e conhecimento Adotar práticas de gestão participativa para garantir maior envolvimento e adoção de soluções de TI e processos funcionais. Promover

Leia mais

Marketing: an essential tool for the information professional

Marketing: an essential tool for the information professional MARKETING: E O PROFISSIONAL DA INFORMAÇÃO 83 COMUNICAÇÃO Marketing: uma ferramenta fundamental para o profissional da informação Marketing: an essential tool for the information professional Cibele Roberta

Leia mais

Educação técnica e desenvolvimento humano e social

Educação técnica e desenvolvimento humano e social Educação técnica e desenvolvimento humano e social Nacim Walter Chieco(*) 1. Educação e desenvolvimento social A partir de 1996 teve início, no Brasil, um processo de ampla e profunda reforma educacional.

Leia mais

PROGRAMA DE INTERIORIZAÇÃO DO TRABALHO EM SAÚDE (PITS) Curso de Internet para Profissionais de Saúde

PROGRAMA DE INTERIORIZAÇÃO DO TRABALHO EM SAÚDE (PITS) Curso de Internet para Profissionais de Saúde PROGRAMA DE INTERIORIZAÇÃO DO TRABALHO EM SAÚDE (PITS) INTRODUÇÃO UNIDADE 1 Módulo 1: Curso de Internet para Profissionais de Saúde Internet e a Ciência O papel da internet na formação dos profissionais

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

Público Interno e crises organizacionais: um estudo abordando a incidência de demissões motivadas pelo uso inadequado das redes sociais digitais

Público Interno e crises organizacionais: um estudo abordando a incidência de demissões motivadas pelo uso inadequado das redes sociais digitais Público Interno e crises organizacionais: um estudo abordando a incidência de demissões motivadas pelo uso inadequado das redes sociais digitais Penélope da Silva Almeida SANTOS Universidade Sagrado Coração

Leia mais

ANA LÚCIA DE OLIVEIRA BARRETO

ANA LÚCIA DE OLIVEIRA BARRETO COLÉGIO MILITAR DO RIO DE JANEIRO GUIA BÁSICO DE UTILIZAÇÃO DA REDE COLABORATIVA Construçãoo de Saberes no Ensino Médio ANA LÚCIA DE OLIVEIRA BARRETO CMRJ - 2010 2 LISTA DE FIGURAS Figura 01: Exemplo de

Leia mais