ou quando quer mudar a velocidade de abertura e/ou fechamento de um portão automático e deve substituir a engrenagem do rotor...

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ou quando quer mudar a velocidade de abertura e/ou fechamento de um portão automático e deve substituir a engrenagem do rotor..."

Transcrição

1 FERA, quando você utiliza uma bicicleta de marchas e precisa escolher qual a melhor combinação de catraca-coroa. ou quando quer mudar a velocidade de abertura e/ou fechamento de um portão automático e deve substituir a engrenagem do rotor conceitos trabalhados em aulas de cinemática angular deverão ser evocados. Coisas simples, do cotidiano, podem trazer camufladas interessantes discussões. A visão geral das pessoas (o senso comum) nem sempre é capaz de elucidar pequenas situações do dia-a-dia. Grande é a importância do saber científico, não só por levar o homem a Lua, fragmentar um átomo ou outro feito extraordinário, mas, também, por tornar claro aos homens os mecanismos por trás da natureza das coisas. 209

2 MÓDULO 7 aula 61 (definição de radiano) FERA, dizemos que um ponto material descreve um movimento circular quando sua trajetória é uma circunferência (ou um arco de circunferência). Discos, rodas-d água, moinhos, regadores rotatórios de jardim, hélices de avião e de helicóptero, engrenagens de máquinas, rodas de veículos, etc, são exemplos de corpos que descrevem movimentos circulares. O estudo de partículas que realizam movimentos circulares pode ser feito com base na teoria da cinemática estudada nos módulos anteriores, entretanto, esse estudo pode ser aperfeiçoado se introduzirmos novas grandezas: as grandezas angulares. Antes de estudar o movimento circular propriamente dito é necessário acrescentar ao nosso conhecimento uma definição importante: FERA, sempre bom lembrar que posição é o mesmo que localização, ok? E que a diferença entre duas posições corresponde ao deslocamento. Definição de ângulo em radianos LEMBRE - SE 210

3 MÓDULO 7 aula 62 (movimentos periódicos) FERA, dizemos que um movimento é periódico quando repete seu estado cinemático (posição, velocidade e aceleração) em intervalos iguais de tempo; este intervalo de tempo chamamos: período (T) Uma forma de determinar a rapidez de um movimento é através da razão entre o número de voltas dada pelo móvel e o intervalo de tempo para dar essas voltas (em outras palavras, o número de voltas dada por unidade de tempo). Denominamos frequência do movimento ao resultado desta razão. FREQUÊNCIA Quando um movimento repete seu estado cinemático (posição, velocidade e aceleração) em intervalos iguais de tempo é dito periódico. O período desse movimento é o intervalo de tempo entre duas repetições consecutivas. PERÍODO A T E N Ç Ã O Relação entre Hz e rpm 211

4 MÓDULO 7 aula 63 (Movimento Circular e Uniforme) FERA, Dizemos que um ponto material descreve um movimento circular e uniforme quando sua trajetória é uma circunferência (ou um arco de circunferência) e sua velocidade escalar angular É CONSTANTE. M.C.U. LEMBRE - SE A T E N Ç Ã O Aceleração do MCU 212

5 EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO AULA 63 Exemplo 01 ( ) Um automóvel realiza uma curva de raio 20m com velocidade constante de 72km/h. Qual é a sua aceleração durante a curva? a) 0 m/s 2 b) 5 m/s 2 c) 10 m/s 2 d) 20 m/s 2 e) 3,6 m/s 2 AULA 63 Exemplo 02 (UERJ) Um satélite encontra-se em uma órbita circular, cujo raio é cerca de km, ao redor da Terra. Sabendo-se que sua velocidade é de km/h, o número de horas que corresponde ao período de revolução desse satélite é, aproximadamente, igual a: a) 6 b) 8 c) 12 d) 24 AULA 63 Exemplo 03 (Vunesp SP) Sejam 1 e 2 as velocidades angulares dos ponteiros das horas de um relógio da torre de uma igreja e de um relógio de pulso, respectivamente, e v 1 e v 2 as velocidades escalares das extremidades desses ponteiros. Se os dois relógios fornecem a hora certa, podemos afirmar que: a) 1 = 2 e v 1 = v 2. b) 1 = 2 e v 1 > v 2. c) 1 > 2 e v 1 = v 2. d) 1 > 2 e v 1 > v 2. e) 1 < 2 e v 1 < v

6 MÓDULO 7 aula 64 (Canivete de MacGyver) FERA, uma relação bastante útil entre as grandezas do MCU é a seguinte: 2 2. f t T v R Carinhosamente chamo essa expressão de canivete de MacGyver em alusão a um personagem de série famosa na década de 90 que muitas vezes alegrou minha tarde de domingo. FERA, Um aspecto interessante desta expressão é que não há repetição entre as grandezas, daí, não há dúvida quanto o termo a utilizar. Basta ler o que é dado (e identificar no canivete ) e o que é pedido (e identificar no canivete ) A T E N Ç Ã O Aceleração do MCU 214

7 EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO AULA 64 Exemplo 01 (UFPE) O relógio da Estação Ferroviária Central do Brasil, no Rio de Janeiro, tem ponteiros de minutos e de horas que medem, respectivamente, 7,5m e 5,0m de comprimento. Qual a razão v A / v B, entre as velocidades lineares dos pontos extremos dos ponteiros de minutos e de horas? a) 10 b) 12 c) 18 d) 24 e) 30 AULA 64 Exemplo 02 (PUC MG) As ambulâncias usam, em geral, um dispositivo de sinalização luminoso que consiste em uma lanterna que gira, com velocidade constante, em torno de um eixo. Um desses objetos possui diâmetro de 16 cm e gira com velocidade de 0,40 m/s. O intervalo de tempo necessário para que uma pessoa, distante alguns metros do veículo, seja iluminada duas vezes consecutivas é, aproximadamente, igual a: a) 0,50 s. b) 1,2 s c) 1,8 s. d) 2,0 s. e) 2,5 s. AULA 64 Exemplo 03 (UFPE 2ª fase) Um carro de Fórmula 1 dá uma volta completa num percurso de 2 km em 100 segundos. Se cada pneu desse carro tem 25 cm de raio, determine o número médio de voltas que cada roda do automóvel dá, por segundo, neste percurso. 215

8 MÓDULO 7 aula 65 (função horária no MCU) FUNÇÃO HORÁRIA da POSIÇÃO ANGULAR GRÁFICO versus t (rd) (rd) t(s) t(s) 216

9 EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO AULA 65 Exemplo 01 ( ) uma partícula, em MCU, tem frequência 30 rpm. Qual o deslocamento angular desta partícula em um intervalo de tempo de 1 min? a) 60 rad b) 45 rad c) 30 rad d) 15 rad e) 5 rad AULA 65 Exemplo 02 (FT) o manual de um automóvel explica que, em determinada marcha, o eixo do motor efetua rpm. Mantida essa frequência o número de voltas dadas pelo eixo a cada 2s é igual a: a) 40 b) 80 c) 120 d) 160 e)

10 MÓDULO 7 aula 66 (encontro entre partículas) Condições para que haja encontro LEMBRE - SE ANOTAÇÕES ANOTAÇÕES SENTIDOS OPOSTOS MESMOS SENTIDOS A T E N Ç Ã O Aceleração do MCU 218

11 EXERCÍCIOS DE APLICAÇ ÃO AULA 66 Exemplo 01 (UFPE 2ª fase) Dois carros, A e B, percorrem uma pista oval de 10,0 km de perímetro, no mesmo sentido, com velocidades constantes. No instante t = 0, eles cruzam o ponto de partida. O carro A é mais rápido e após 40 min tem uma volta de vantagem em relação a B. Se v B = 250 km/h, determine a diferença v A v B em km/h. AULA 66 Exemplo 02 (UFPE 2ª fase) A partir de um mesmo ponto, dois garotos saem correndo em sentidos opostos ao longo de uma pista circular de raio R = 50m, com velocidade v 1 = m/s e v 2 = 3 /2 m/s, respectivamente. Determine o tempo, em segundos, que levarão para se encontrar pela primeira vez, após a partida. AULA 66 Exemplo 03 ( ) Duas partículas, 1 e 2, partem de um mesmo ponto A com velocidades de sentidos contrários e frequências respectivamente iguais a 2 Hz e 5 Hz. Após quanto tempo após a partida voltarão a se encontrar no ponto A? a) 0,2s b) 0,5s c) 0,7s d) 1,0s e) 1,5s 219

12 MÓDULO 7 aula 67 (transmissão COAXIAL) É possível efetuar a transmissão de movimento circular entre duas rodas, dois discos, duas polias, etc, através de três procedimentos básicos: De forma que tenham mesmo eixo (coaxial) (fig. a); Ligando-os por uma correia ou corrente (fig. b); Encostando-os (roda dentada) (fig. c) figura a figura b figura c Transmissão Coaxial LEMBRE - SE 220

13 EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO AULA 67 Exemplo 01 (PUCCamp SP) Na última fila de poltronas de um ônibus, dois passageiros estão distando 2 m entre si. Se o ônibus faz uma curva fechada, de raio 40 m, com velocidade de 36 km/h, a diferença das velocidades dos passageiros é, aproximadamente, em metros por segundo, a) 0,1. b) 0,2. c) 0,5. d) 1,0. e) 1,5. AULA 67 Exemplo 02 (FEI SP) Duas polias, A e B, rigidamente unidas por um eixo, giram com freqüência f constante, como mostra a figura. Sendo R A = 2R B a razão a A / a B entre as acelerações dos pontos das periferias das respectivas polias é: a) 4. b) 0,25. c) 1. d) 0,5. e)

14 MÓDULO 7 aula 68 (transmissão PERIFÉRICA) ANOTAÇÕES ANOTAÇÕES 222

15 EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO AULA 68 Exemplo 01 (FUVEST SP) Uma criança, montada num velocípede, desloca-se, em trajetória retilínea, com velocidade constante em relação ao chão. A roda dianteira descreve uma volta completa em 1 segundo. O raio da roda dianteira vale 24 cm e os raios das rodas traseiras valem 16 cm. Podemos afirmar, corretamente, que as rodas traseiras do velocípede completam uma volta em, aproximadamente: a) ( ½ )s b) (2/3)s c) 1s d) (3/2)s e) 2s AULA 68 Exemplo 02 ( ) A figura representa um acoplamento de três rodas dentadas A, B e C que possuem 40, 10 e 20 dentes respectivamente. Lembrando que os dentes são todos iguais, quantas voltas dá a roda A enquanto a roda C completa 10 voltas? a) 10 b) 5 c) 1 d) 0,5 e) 0,1 223

16 MÓDULO 7 aula 69 (BICICLETA de MARCHAS) Bicicleta de marchas LEMBRE - SE A T E N Ç Ã O Máximo e mínimo desempenhos 224

17 EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO AULA 69 Exemplo 01 (FUVEST SP) No sistema convencional de tração de bicicletas, o ciclista impele os pedais, cujo eixo movimenta a roda dentada (coroa) a ele solidária. Esta, por sua vez, aciona a corrente responsável pela transmissão do movimento a outra roda entada (catraca), acoplada ao eixo traseiro da bicicleta. Considere agora um sistema duplo de tração, com 2 coros, de raios R 1 e R 2 (R 1 < R 2 ) e 2 catracas R 3 e R 4, respectivamente. Obviamente, a corrente só toca uma coroa e uma catraca de cada vez, conforme o comando da alavanca de câmbio. A combinação que permite máxima velocidade da bicicleta, para uma velocidade angular dos pedais fixa, é: a) coroa R 1 e catraca R 3 b) coroa R 1 e catraca R 4 c) coroa R 2 e catraca R 3 d) coroa R 2 e catraca R 4 e) é indeterminada já que não se conhece o diâmetro AULA 69 Exemplo 02 (UFPE 2ª fase) Uma bicicleta possui duas catracas, uma de raio 6,0 cm, e outra de raio 4,5 cm. Um ciclista move-se com velocidade uniforme de 12 km/h usando a catraca de 6,0 cm. Com o objetivo de aumentar a sua velocidade, o ciclista muda para a catraca de 4,5 cm mantendo a mesma velocidade angular dos pedais. Determine a velocidade final da bicicleta, em km/h. 225

18 MÓDULO 7 aula 70 (Movimento Circular e Uniformemente Variado) M.C.U.V. LEMBRE - SE AULA 70 Exemplo 01 (UFPR) Um ventilador gira à razão de 900 rpm. Ao ser desligado, seu movimento passa a ser uniformemente retardado até parar, após 75 voltas. O tempo transcorrido desde o momento em que é desligado até a sua parada completa vale: a) 1,0 s. b) 10 s. c) 100 s. d) s. e) 0,1 s. AULA 70 Exemplo 02 (FEI SP) Um móvel em trajetória circular, de raio r = 5 m, parte do repouso com aceleração angular constante de 10 rad/s 2. Quantas voltas ele percorre nos dez primeiros segundos? a) 500 b) 250/ c) 100 d) 500/ e)

19 FERA, vamos que vamos. Com essa ficha, encerramos a cinemática (já vimos escalar, vetorial e agora, angula)? Bons estudos. Divirta-se #LQVP P 184 (UFPE) Qual a ordem de grandeza da velocidade angular, em rotações por minuto, do movimento de rotação da Terra em torno do seu eixo? a) b) 10-1 c) 10-3 d) 10-5 e) 10-7 P 185 (UFPE) O ponteiro dos segundos de um relógio tem 1 cm de comprimento. Qual a velocidade média da ponta deste ponteiro? a) 2 m/s b) cm/s c) 3 cm/s d) / 2 cm / min e) 2 cm / min P 186 (FUVEST SP) Qual a ordem de grandeza do número de voltas dadas pela roda de um automóvel ao percorrer uma estrada de 200 km? a) 10 2 b) 10 3 c) 10 5 d) 10 7 e)

20 P 187 (UFCE) Considere um relógio de pulso em que o ponteiro dos segundos tem um comprimento r s = 7 mm, e o ponteiro dos minutos tem um comprimento r m = 5 mm (ambos medidos a partir do eixo central do relógio). Sejam, v s a velocidade da extremidade do ponteiro dos segundos, e v m a velocidade da extremidade do ponteiro dos minutos. A razão v s /v m é igual a: a) 35. b) 42. c) 70. d) 84. e) 96 P 188 (UFPE 2ª fase) Um corpo descreve uma trajetória circular com 1 m de raio e velocidade escalar igual a 12 m/s. Qual o número de voltas realizadas pelo corpo a cada segundo? P 189 (PUCCamp SP) A necessidade de se explorarem jazidas mais profundas levou logo, já no século XVII, a uma dificuldade: a de ter que se esgotar a água das galerias profundas. O esgotamento era feito ou à força do braço humano ou mediante uma roda, movida ou por animais ou por quedad'água. Sabendo-se que uma roda, de raio 5,0m, movida por um cavalo, efetua, em média, 2 voltas por minuto, a velocidade angular dessa roda, em radianos por segundo, vale: a) / 10 b) / 15 c) / 30 d) / 45 e) / 60 P 190 (FEI SP) Em uma bicicleta com roda de 1 m de diâmetro, um ciclista necessita dar uma pedalada para que a roda gire duas voltas. Quantas pedaladas por minuto deve dar o ciclista para manter a bicicleta com uma velocidade constante de 6 km/h? a) 300. b) 200. c) 150. d) 100. e)

21 P 191 (TOF) Um trem viaja, numa curva de raio 1,0 km, com uma velocidade de valor igual a 20 km/h. Pede-se calcular o ângulo central, em radianos, A que subtenderá o arco percorrido pelo trem num intervalo de tempo t = 15s. a) 1 / 24 b) 1 / 18 c) 1 / 12 d) 1 / 6 e) 1 P 192 (UFPE) Um satélite de comunicações permanece em órbita equatorial aproximadamente circular, a Km da superfície da Terra, deslocandose a uma velocidade média de Km/h. Considere o raio da Terra igual a Km e indique o tempo que o satélite gasta para dar uma volta completa ao redor do centro de nosso planeta (Adote = 3,14): a) 2,0 dias. b) 1,5 dias. c) 1,0 dia d) 0,5 dia. e) 2,5 dias. P 193 (UFRN) Duas partículas percorrem uma mesma trajetória em movimentos circulares uniformes, uma em sentido horário e a outra em sentido anti-horário. A primeira efetua 1/3 rpm e a segunda 1/4 rpm. Sabendo que partiram do mesmo ponto, em 1 hora encontrar-se-ão: a) 45 vezes b) 35 vezes c) 25 vezes d) 15 vezes e) 7 vezes P 194 (UFRGS) Na temporada automobilística de Fórmula 1 do ano passado, os motores dos carros de corrida atingiram uma velocidade angular de rpm. Em rad/s, qual o valor dessa velocidade? a) 300 b) 600 c) 9000 d) e)

22 P 195 (PUC MG) Para um satélite artificial, estacionário em órbita em torno da Terra, sobre o Equador, são feitas as seguintes afirmativas: I : A velocidade linear do satélite é maior que a velocidade linear de um ponto do Equador terrestre. II : A velocidade angular do satélite é igual a velocidade angular de rotação da Terra. III : O período de translação do satélite é igual ao período de rotação da Terra. É correto afirmar que: a) todas as afirmativas são corretas. b) somente as afirmativas I e II são corretas. c) somente a afirmativa III é correta. d) somente as afirmativas I e III são corretas. e) somente a afirmativa II é correta. P 196 (UFRGS) Levando-se em conta unicamente o movimento de rotação da Terra em torno de seu eixo imaginário, qual é aproximadamente a velocidade tangencial de um ponto na superfície da Terra, localizado sobre o Equador terrestre? Considere = 3,14; raio da Terra = km a) 440 km/h b) 800 km/h c) 880 km/h d) 1600 km/h e) 3200 km/h P 197 (UFPE 2ª fase) A parte mais externa de um disco, com 0,25m de raio, gira com uma velocidade linear de 15 m/s. O disco começa então a desacelerar uniformemente até parar, em um tempo de 0,5 min. Qual o módulo da aceleração angular do disco em rad/s 2? 230

23 P 198 (UESPI) A figura a seguir ilustra uma ciclista pedalando em sua bicicleta em um movimento retilíneo uniforme, com velocidade de módulo 2 m/s, em relação a um observador em repouso no solo. Os pneus giram sem deslizar. Os módulos das velocidades dos pontos mais alto (A) e mais baixo (B) do pneu dianteiro, em relação a esse observador, são respectivamente iguais a: a) 2 m/s e 2 m/s b) zero e 2 m/s c) 4 m/s e 2 m/s d) 2 m/s e 4 m/s e) 4 m/s e zero P 199 (UNIMONTES MG) Na figura, estão representadas duas polias, A e B, com raios R A < R B, acopladas por um eixo. É correto afirmar: a) As velocidades angulares dos pontos periféricos da polia A são iguais às dos pontos periféricos da polia B. b) As velocidades angulares dos pontos periféricos da polia A são maiores do que as dos pontos periféricos da polia B. c) As velocidades lineares dos pontos periféricos da polia A são iguais às dos pontos periféricos da polia B. d) As velocidades lineares dos pontos periféricos da polia A são maiores do que as dos pontos periféricos da polia B. P 200 (ITA SP) Uma partícula move-se ao longo de uma circunferência circunscrita em um quadrado de lado L com velocidade angular constante. Na circunferência inscrita nesse mesmo quadrado, outra partícula move-se com a mesma velocidade angular. A razão entre os módulos das respectivas velocidades lineares dessas partículas é: a) 2 b) 2 2 c) 2 /2 d) 3 e) 3 /

24 EHC 53. H20 ( ) Para que um satélite artificial em órbita ao redor da Terra seja visto parado em relação a um observador fixo na Terra é necessário que: a) sua velocidade angular seja a mesma que a da Terra. b) sua velocidade escalar seja a mesma que a da Terra. c) sua órbita não esteja contida no plano do equador. d) sua órbita esteja contida num plano que contém os pólos da Terra. EHC 54. H20 (VUNESP SP) Quem está na Terra vê sempre a mesma face da Lua. Isto ocorre porque: a) a Lua não efetua rotação nem translação. b) a Lua não efetua rotação, apenas translação. c) os períodos de rotação e translação da Lua são iguais. d) as oportunidades para se observar a face desconhecida coincidem com o período diurno da Terra. e) enquanto a Lua dá uma volta em torno da Terra, esta dá uma volta em torno de seu eixo. 232

25 EHC 55. H20 (UFRN) Satélites de comunicação captam, amplificam e retransmitem ondas eletromagnéticas. Eles são normalmente operados em órbitas que lhes possibilitam permanecer imóveis em relação às antenas transmissoras e receptoras fixas na superfície da Terra. Essas órbitas são chamadas geoestacionárias e situam-se a uma distância fixa do centro da Terra. A partir do que foi descrito, pode-se afirmar que, em relação ao centro da Terra, esse tipo de satélite e essas antenas terão: a) a mesma velocidade linear, mas períodos de rotação diferentes. b) a mesma velocidade angular e o mesmo período de rotação. c) a mesma velocidade angular, mas períodos de rotação diferentes. d) a mesma velocidade linear e o mesmo período de rotação. EHC 56. H20 (CEFET PR) Num lugar onde não se dispõe de energia elétrica, é usado um sarilho para tirar água de um poço. Essa máquina consta de um cilindro de raio r = 15 cm, fixo em um eixo que pode rotar apoiado em dois suportes. Uma das extremidades de uma corda é fixada no cilindro e a outra é amarrada em um balde. À medida que o cilindro gira, acionado por uma manivela de cabo C, a corda enrola-se nele numa única camada e o balde sobe 9 m em 30 s, em movimento uniforme. De acordo com o texto é possível determinar o valor da velocidade escalar linear do cabo, C. Seu valor, em m/s, é: a) 2 b) 1,6 c) 1,2 d) 0,8 e) 0,4 233

26 EHC 57. H06 (UERJ) Um feixe de raios paralelos de luz é interrompido pelo movimento das três pás de um ventilador. Essa interrupção gera uma série de pulsos luminosos. Admita que as pás e as aberturas entre elas tenham a forma de trapézios circulares de mesma área, como ilustrados a seguir. Se as pás executam 3 voltas completas por segundo, o intervalo de tempo entre o início e o fim de cada pulso de luz é igual, em segundos, ao inverso de: a) 3 b) 6 c) 12 d) 18 e) 21 EHC 58. H20 (UERJ) Considere os pontos A, B e C, assinalados na bicicleta da figura adiante. (MÁXIMO, Antônio & ALVARENGA, Beatriz. Curso de Física. São Paulo: Harbra, 1992.) A e B são pontos das duas engrenagens de transmissão e C é um ponto externo do aro da roda. A alternativa que corresponde à ordenação dos módulos das velocidades lineares V A, V B e V C nos pontos A, B e C, é: a) V B < V A < V C b) V A < V B = V C c) V A = V B < V C d) V A = V B = V C 234

27 EHC 59. H20 (Mackenzie SP) Quatro polias, solidárias duas a duas, podem ser acopladas por meio de uma única correia, conforme as possibilidades abaixo ilustradas. Os raios das polias A, B, C e D são, respectivamente, 4,0cm, 6,0cm, 8,0cm e 10cm. Sabendo que a freqüência do eixo do conjunto CD é 4800 rpm, a maior freqüência obtida para o eixo do conjunto AB, dentre as combinações citadas, é: a) 400 Hz b) 200 Hz c) 160 Hz d) 133 Hz e) 107 Hz EHC 60. H20 (FT) Uma forma de simular gravidade em naves no espaço seria utilizar movimento circular e uniforme. Tendo a nave formato cilíndrico e sendo posta a girar com velocidade angular,, constante, os corpos em contato internamente com o cilindro de raio R teria uma aceleração centrípeta (que faria o papel da aceleração da gravidade), a cp, dada por: a cp = 2.R Uma nave espacial de formato cilíndrico, inicialmente apenas em movimento retilíneo uniforme, é posta a girar em torno de seu eixo de modo a proporcionar gravidade artificial aos seus ocupantes. Se o raio da nave é igual a 5,0 m e sua aceleração angular é de 0,05 rad/s 2, em quanto tempo, em segundos, a nave atinge velocidade angular suficiente para simular uma gravidade de g / 2 nos pontos de sua superfície lateral? a) 1s b) 10s c) 20s d) 50s e) 100s 235

28 G A B A R I T O EXERCÍCIOS PROPOSTOS: 184 C 185 E 186 C 187 D B 190 E 191 C 192 C 193 B 194 B 195 A 196 D E 199 A 200 A G A B A R I T O EXERCITANDO as HABILIDADES em CASA: 53 A 54 C 55 B 56 D 57 D 58 C 59 B 60 C 236

Física PRÉ VESTIBULAR / / Aluno: Nº: Turma: PRÉ-VESTIBULAR MOVIMENTO CIRCULAR UNIFORME (MCU)

Física PRÉ VESTIBULAR / / Aluno: Nº: Turma: PRÉ-VESTIBULAR MOVIMENTO CIRCULAR UNIFORME (MCU) PÉ VESTIBULA Física / / PÉ-VESTIBULA Aluno: Nº: Turma: MOVIMENTO CICULA UNIFOME (MCU) 01 (PUC-J) Um menino passeia em um carrossel de raio Sua mãe, do lado de fora do carrossel, observa o garoto passar

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL JOÃO XXIII A

ESCOLA ESTADUAL JOÃO XXIII A Educando para a Modernidade desde 1967 ESCOLA ESTADUAL JOÃO XXIII A Escola que a gente quer é a Escola que a gente faz! NATUREZA DA ATIVIDADE: EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO 2 DISCIPLINA: FÍSICA ASSUNTO: MOVIMENTO

Leia mais

Tópico 02: Movimento Circular Uniforme; Aceleração Centrípeta

Tópico 02: Movimento Circular Uniforme; Aceleração Centrípeta Aula 03: Movimento em um Plano Tópico 02: Movimento Circular Uniforme; Aceleração Centrípeta Caro aluno, olá! Neste tópico, você vai aprender sobre um tipo particular de movimento plano, o movimento circular

Leia mais

Lista de exercícios comitê. (Professor BOB)

Lista de exercícios comitê. (Professor BOB) Lista de exercícios comitê (Professor BOB) 1. (Fuvest) Dois carros, A e B, movem-se no mesmo sentido, em uma estrada reta, com velocidades constantes VÛ=l00km/h e V½=80km/h, respectivamente. a) Qual é,

Leia mais

EXERCÍCIOS UERJ 2014 MOVIMENTO CIRCULAR

EXERCÍCIOS UERJ 2014 MOVIMENTO CIRCULAR 1. (Fgv 2009) Uma grande manivela, quatro engrenagens pequenas de 10 dentes e outra de 24 dentes, tudo associado a três cilindros de 8 cm de diâmetro, constituem este pequeno moedor manual de cana. Ao

Leia mais

b) Qual deve ser a aceleração centrípeta, para que com esta velocidade, ele faça uma trajetória circular com raio igual a 2m?

b) Qual deve ser a aceleração centrípeta, para que com esta velocidade, ele faça uma trajetória circular com raio igual a 2m? 1 - Dadas as medidas da bicicleta abaixo: a) Sabendo que um ciclista pedala com velocidade constante de tal forma que o pedal dá duas voltas em um segundo. Qual a velocidade linear, em km/h da bicicleta?

Leia mais

Exercícios 3 Movimentos em 2 Dimensões, Movimento Circular e Aplicações

Exercícios 3 Movimentos em 2 Dimensões, Movimento Circular e Aplicações Exercícios 3 Movimentos em 2 Dimensões, Movimento Circular e Aplicações Movimentos em 2D 1) Você está operando um modelo de carro com controle remoto em um campo de tênis vazio. Sua posição é a origem

Leia mais

MCU Movimento Circular Uniforme

MCU Movimento Circular Uniforme MCU Movimento Circular Uniforme 1. (Ufrgs 2013) A figura apresenta esquematicamente o sistema de transmissão de uma bicicleta convencional. Na bicicleta, a coroa A conecta-se à catraca B através da correia

Leia mais

Lista 1 Cinemática em 1D, 2D e 3D

Lista 1 Cinemática em 1D, 2D e 3D UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA DEPARTAMENTO DE ESTUDOS BÁSICOS E INSTRUMENTAIS CAMPUS DE ITAPETINGA PROFESSOR: ROBERTO CLAUDINO FERREIRA DISCIPLINA: FÍSICA I Aluno (a): Data: / / NOTA: Lista

Leia mais

ESSA AULA ESTÁ NO YOUTUBE COM O NOME: Física Total aula 11 Introdução à cinemática angular RESUMO RESUMIDÍSSIMO

ESSA AULA ESTÁ NO YOUTUBE COM O NOME: Física Total aula 11 Introdução à cinemática angular RESUMO RESUMIDÍSSIMO Fala, FERA! Chegamos a nossa aula 11, lembrando que até o final do ano além das aulas, com as Pílulas Enem abordaremos todos os principais conteúdos abordados nos exames. Cinemática angular é um conteúdo

Leia mais

CINEMÁTICA ANGULAR. 1-Espaço angular ( ) P S

CINEMÁTICA ANGULAR. 1-Espaço angular ( ) P S CINEMÁTICA ANGULAR Para a Mecânica clássica, o estudo dos movimentos circulares é de grande importância. Movimentos circular é aquele em que o móvel se desloca numa trajetória circular dependendo para

Leia mais

Exercícios cinemática MCU, Lançamento horizontal e Oblíquo

Exercícios cinemática MCU, Lançamento horizontal e Oblíquo Física II Professor Alexandre De Maria Exercícios cinemática MCU, Lançamento horizontal e Oblíquo COMPETÊNCIA 1 Compreender as Ciências Naturais e as tecnologias a elas associadas como construções humanas,

Leia mais

Prof. Rogério Porto. Assunto: Cinemática em uma Dimensão II

Prof. Rogério Porto. Assunto: Cinemática em uma Dimensão II Questões COVEST Física Mecânica Prof. Rogério Porto Assunto: Cinemática em uma Dimensão II 1. Um carro está viajando numa estrada retilínea com velocidade de 72 km/h. Vendo adiante um congestionamento

Leia mais

Física. Questão 1. Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor:

Física. Questão 1. Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor: Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor: Física Questão 1 No setor de testes de velocidade de uma fábrica de automóveis, obteve-se o seguinte gráfico para o desempenho de um modelo novo: Com relação

Leia mais

COLÉGIO PEDRO II UNIDADE ESCOLAR SÃO CRISTÓVÃO III 1ª SÉRIE/ EM 2011 FÍSICA LISTA DE EXERCÍCIOS: CINEMÁTICA Prof. Carlos Frederico (Fred)

COLÉGIO PEDRO II UNIDADE ESCOLAR SÃO CRISTÓVÃO III 1ª SÉRIE/ EM 2011 FÍSICA LISTA DE EXERCÍCIOS: CINEMÁTICA Prof. Carlos Frederico (Fred) COLÉGIO PEDRO II UNIDADE ESCOLAR SÃO CRISTÓVÃO III 1ª SÉRIE/ EM 2011 FÍSICA LISTA DE EXERCÍCIOS: CINEMÁTICA Prof. Carlos Frederico (Fred) 1) (UFRJ) Um maratonista percorre a distância de 42 km em duas

Leia mais

Exemplos de aceleração Constante 1 D

Exemplos de aceleração Constante 1 D Exemplos de aceleração Constante 1 D 1) Dada a equação de movimento de uma partícula em movimento retilíneo, s=-t 3 +3t 2 +2 obtenha: a) A velocidade média entre 1 e 4 segundos; e) A velocidade máxima;

Leia mais

Física. Cinemática EDUCACIONAL EXERCÍCIOS. 01.(FM-Santos) Considere um ponto na superfície da Terra. É correto afirmar que:

Física. Cinemática EDUCACIONAL EXERCÍCIOS. 01.(FM-Santos) Considere um ponto na superfície da Terra. É correto afirmar que: Física Cinemática EXECÍCIOS 1.(FM-Santos) Considere um ponto na superfície da Terra. É correto afirmar que: a) o ponto descreve uma trajetória circular b) o ponto está em repouso c) o ponto descreve uma

Leia mais

Gráficos de M.U. Movimento Uniforme

Gráficos de M.U. Movimento Uniforme Gráficos de M.U. Movimento Uniforme 1. (Fuvest 1989) O gráfico a seguir ilustra a posição s, em função do tempo t, de uma pessoa caminhando em linha reta durante 400 segundos. Assinale a alternativa correta.

Leia mais

Curso Pré-Vestibular Primeiro de Maio Unesp FE Bauru

Curso Pré-Vestibular Primeiro de Maio Unesp FE Bauru Curso Pré-Vestibular Primeiro de Maio Unesp FE Bauru Lista de Exercícios de Física Cinemática Observações: Os exercícios onde a fonte está em negrito são considerados desafiadores e exigem um pouco mais

Leia mais

FÍSICA - MOVIMENTO CIRCULAR UNIFORME - PARÂMETROS SITE: www.sofstica.com.br Responsável: Sebastião Alves da Silva Filho Data: 02.12.

FÍSICA - MOVIMENTO CIRCULAR UNIFORME - PARÂMETROS SITE: www.sofstica.com.br Responsável: Sebastião Alves da Silva Filho Data: 02.12. O MOVIMENTO CIRCULAR Podemos definir movimento circular como todo aquele em que a trajetória percorrida por um móvel corresponde a uma circunferência. Não custa insistir, ainda uma vez, que a circunferência

Leia mais

7] As polias indicadas na figura se movimentam em rotação uniforme, ligados por um eixo fixo.

7] As polias indicadas na figura se movimentam em rotação uniforme, ligados por um eixo fixo. Colégio Militar de Juiz de Fora Lista de Exercícios C PREP Mil Prof.: Dr. Carlos Alessandro A. Silva Cinemática: Vetores, Cinemática Vetorial, Movimento Circular e Lançamento de Projéteis. Nível I 1] Dois

Leia mais

CDF-CURSO DE FÍSICA SIMULADO VIRTUAL

CDF-CURSO DE FÍSICA SIMULADO VIRTUAL 1.Suponha que desejo medir o tamanho do besouro, vamos medir com uma régua especial, graduada em centímetros, como mostra a figura.. qual das alternativas abaixo melhor caracteriza a medida do tamanho

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN NOME: TURMA: PROFESSOR: G:\2014\Pedagógico\Documentos\Exercicios\Est_Comp_Rec_Parcial\1ª Série\Física.

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN NOME: TURMA: PROFESSOR: G:\2014\Pedagógico\Documentos\Exercicios\Est_Comp_Rec_Parcial\1ª Série\Física. NOME: TURMA: PROFESSOR: 1 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DOS MOVIMENTOS Movimento: Um corpo está em movimento quando a posição entre este corpo e um referencial varia com o tempo. Este é um conceito relativo, pois

Leia mais

12-Função Horária da Posição do Movimento Uniforme

12-Função Horária da Posição do Movimento Uniforme 12-Função Horária da Posição do Movimento Uniforme Vamos agora chegar a uma função que nos vai fornecer a posição de um móvel sobre uma trajetória em qualquer instante dado. Para isto, vamos supor que

Leia mais

INTRODUÇÃO À CINEMÁTICA (ATÉ VELOCIDADE ESCALAR MÉDIA) NÍVEL 1

INTRODUÇÃO À CINEMÁTICA (ATÉ VELOCIDADE ESCALAR MÉDIA) NÍVEL 1 INTRODUÇÃO À CINEMÁTICA (ATÉ VELOCIDADE ESCALAR MÉDIA) 1) Marque com V de verdadeiro ou F de falso: NÍVEL 1 ( ) 1. Denominamos ponto material aos corpos de pequenas dimensões. ( ) 2. Um ponto material

Leia mais

Física Simples e Objetiva Mecânica Cinemática e Dinâmica Professor Paulo Byron. Apresentação

Física Simples e Objetiva Mecânica Cinemática e Dinâmica Professor Paulo Byron. Apresentação Apresentação Após lecionar em colégios estaduais e particulares no Estado de São Paulo, notei necessidades no ensino da Física. Como uma matéria experimental não pode despertar o interesse dos alunos?

Leia mais

L I S T A 0 2. Velocidade escalar média e Movimento Retilíneo e Uniforme (MRU)

L I S T A 0 2. Velocidade escalar média e Movimento Retilíneo e Uniforme (MRU) Olá, FERA. Sou o professor Ivys Urquiza, responsável pelo canal Física Total no YouTube. A partir de agora, colaborando semanalmente com o Projeto Medicina. Vamos juntos buscar SUA vaga. L I S T A 0 2

Leia mais

MCU Movimento Circular Uniforme Sem transmissão de movimento

MCU Movimento Circular Uniforme Sem transmissão de movimento MCU Movimento Circular Uniforme Sem transmissão de movimento 1. (Pucrj 2013) A Lua leva 28 dias para dar uma volta completa ao redor da Terra. Aproximando a órbita como circular, sua distância ao centro

Leia mais

FÍSICA - 1 o ANO MÓDULO 16 GRÁFICOS DA CINEMÁTICA REVISÃO

FÍSICA - 1 o ANO MÓDULO 16 GRÁFICOS DA CINEMÁTICA REVISÃO FÍSICA - 1 o ANO MÓDULO 16 GRÁFICOS DA CINEMÁTICA REVISÃO Como pode cair no enem? O estudo dos movimentos (Uniforme e Uniformemente Variado) é a aplicação física do estudo das funções em Matemática. As

Leia mais

Resumo de Física 2C13 Professor Thiago Alvarenga Ramos

Resumo de Física 2C13 Professor Thiago Alvarenga Ramos Resumo de Física 2C13 Professor Thiago Alvarenga Ramos ENERGIA Grandeza escalar que existe na natureza em diversas formas: mecânica, térmica, elétrica, nuclear, etc. Não pode ser criada nem destruída;

Leia mais

Movimento Uniformemente Variado (MUV)

Movimento Uniformemente Variado (MUV) Movimento Uniformemente Variado (MUV) É o movimento no qual a aceleração escalar é constante e diferente de zero. Portanto, a velocidade escalar sofre variações iguais em intervalos de tempos iguais Observe

Leia mais

MOVIMENTO UNIFORMEMENTE VARIADO (M.U.V)

MOVIMENTO UNIFORMEMENTE VARIADO (M.U.V) INSTITUTO DE EDUCAÇÃO PROF. DENIZARD RIVAIL A Educação é a base da vida 1ºAno do Ensino médio. Turmas: Jerônimo de Mendonça e Pedro Alcantara Disciplina: Física Prof. Dr. Mário Mascarenhas Aluno (a): 1.

Leia mais

Capítulo 3 A Mecânica Clássica

Capítulo 3 A Mecânica Clássica Capítulo 3 A Mecânica Clássica AMecânica Clássica é formalmente descrita pelo físico, matemático e filósofo Isaac Newton no século XVII. Segundo ele, todos os eventos no universo são resultados de forças.

Leia mais

Unidade III: Movimento Uniformemente Variado (M.U.V.)

Unidade III: Movimento Uniformemente Variado (M.U.V.) Unidade III: Movimento Uniformemente Variado (M.U.V.) 3.1- Aceleração Escalar (a): Em movimentos nos quais as velocidades dos móveis variam com o decurso do tempo, introduz-se o conceito de uma grandeza

Leia mais

FUNDAMENTOS DA CINEMÁTICA PROF. BIGA. 1. (Pucrj 2013) O gráfico da figura mostra a posição em função do tempo de uma pessoa que passeia em um parque.

FUNDAMENTOS DA CINEMÁTICA PROF. BIGA. 1. (Pucrj 2013) O gráfico da figura mostra a posição em função do tempo de uma pessoa que passeia em um parque. FUNDAMENTOS DA CINEMÁTICA PROF. BIGA 1. (Pucrj 2013) O gráfico da figura mostra a posição em função do tempo de uma pessoa que passeia em um parque. Calcule a velocidade média em m/s desta pessoa durante

Leia mais

Lista de Exercícios de Física

Lista de Exercícios de Física Lista de Exercícios de Física Assunto: Dinâmica do Movimento Circular, Trabalho e Potência Prof. Allan 1- Um estudante, indo para a faculdade, em seu carro, desloca-se num plano horizontal, no qual descreve

Leia mais

Unidade I: Introdução à CINEMÁTICA

Unidade I: Introdução à CINEMÁTICA Colégio Santa Catarina Unidade I: Introdução à Cinemática 1 O que é a Física? palavra física tem origem grega e significa natureza. ssim física é a ciência que estuda a natureza, daí o nome de ciência

Leia mais

Movimento Circular. Parte I. www.soexatas.com Página 1

Movimento Circular. Parte I. www.soexatas.com Página 1 Parte I Movimento Circular 1. (Ufpa 2013) O escalpelamento é um grave acidente que ocorre nas pequenas embarcações que fazem transporte de ribeirinhos nos rios da Amazônia. O acidente ocorre quando fios

Leia mais

Pré Universitário Uni-Anhanguera

Pré Universitário Uni-Anhanguera Lista de Exercícios Pré Universitário Uni-Anhanguera Aluno(a): Nº. Professor: Fabrízio Gentil Série: 1 o ano Disciplina: Física - Velocidade média V m, Aceleração Média A m e Movimento Retilíneo Uniforme

Leia mais

MUV. constante igual a a 2,0 m/s. O veículo B, distando d = 19,2 km do veículo A, parte com aceleração constante igual a veículos, em segundos.

MUV. constante igual a a 2,0 m/s. O veículo B, distando d = 19,2 km do veículo A, parte com aceleração constante igual a veículos, em segundos. MUV 1. (Espcex (Aman) 013) Um carro está desenvolvendo uma velocidade constante de 7 km h em uma rodovia federal. Ele passa por um trecho da rodovia que está em obras, onde a velocidade máxima permitida

Leia mais

Resolva os exercícios a mão.

Resolva os exercícios a mão. Lista de Exercícios de Física I Estes exercícios tem a finalidade de auxiliar os alunos nos estudos para a matéria: Física I. Resolva os exercícios a mão. Não digite, não faça copy/paste, não procure respostas

Leia mais

UNIDADE 10 ESTUDOS DE MECÂNICA - INÍCIO LISTA DE EXERCÍCIOS

UNIDADE 10 ESTUDOS DE MECÂNICA - INÍCIO LISTA DE EXERCÍCIOS INTRODUÇÃO À FÍSICA turma MAN 26/2 profa. Marta F. Barroso UNIDADE 1 LISTA DE EXERCÍCIOS UNIDADE 1 ESTUDOS DE MECÂNICA - INÍCIO Exercício 1 Movendo-se com velocidade constante de 15 m/s, um trem, cujo

Leia mais

Neste ano estudaremos a Mecânica, que divide-se em dois tópicos:

Neste ano estudaremos a Mecânica, que divide-se em dois tópicos: CINEMÁTICA ESCALAR A Física objetiva o estudo dos fenômenos físicos por meio de observação, medição e experimentação, permite aos cientistas identificar os princípios e leis que regem estes fenômenos e

Leia mais

Física. Atividades adicionais

Física. Atividades adicionais Atividades adicionais Física Módulo 1 1. Um carro passa pelo marco 17 km de uma estrada às 12h 30min. Às 14h ele passa pelo marco 47 km da mesma estrada. Determine sua velocidade média em km/h. 2. Um elevador

Leia mais

Prof. Rogério Porto. Assunto: Cinemática em uma Dimensão - I

Prof. Rogério Porto. Assunto: Cinemática em uma Dimensão - I Questões COVEST Física Mecânica Prof. Rogério Porto Assunto: Cinemática em uma Dimensão - I 1. A imprensa pernambucana, em reportagem sobre os riscos que correm os adeptos da "direção perigosa", observou

Leia mais

Na análise das condições de equilíbrio de um corpo extenso verificamos que:

Na análise das condições de equilíbrio de um corpo extenso verificamos que: Na análise das condições de equilíbrio de um corpo extenso verificamos que: F=0 τ o= 0 A resultante das forças que atuam sobre o corpo é igual a zero A soma dos torques produzidos por cada uma das forças

Leia mais

F-128 Física Geral I 2 o Semestre 2012 LISTA DO CAPÍTULO 2

F-128 Física Geral I 2 o Semestre 2012 LISTA DO CAPÍTULO 2 Questão 1 Um motorista de um carro que vai 52 km/h freia, desacelera uniformemente e para em 5 segundos. Outro motorista, que vai a 34 km/h, freia mais suavemente, e para em 10 segundos. Represente em

Leia mais

1. (U.F.São Carlos SP)

1. (U.F.São Carlos SP) 1. (U.F.São Carlos SP) Um trem carregado de combustível, de 120m de comprimento, faz o percurso de Campinas até Marília, com velocidade constante de 50 Km/h. Esse trem gasta 15s para atravessar completamente

Leia mais

b) A distância X, em km, entre o receptor R, no avião, e o ponto O.

b) A distância X, em km, entre o receptor R, no avião, e o ponto O. 1. (Fuvest 94) Dois carros, A e B, movem-se no mesmo sentido, em uma estrada reta, com velocidades constantes Va = 100 km/h e Vb = 80 km/h, respectivamente. a) Qual é, em módulo, a velocidade do carro

Leia mais

Ensino Médio Unidade Parque Atheneu Professor (a): Junior Condez Aluno (a): Série: 1ª Data: / / 2015. LISTA DE FÍSICA II

Ensino Médio Unidade Parque Atheneu Professor (a): Junior Condez Aluno (a): Série: 1ª Data: / / 2015. LISTA DE FÍSICA II Ensino Médio Unidade Parque Atheneu Professor (a): Junior Condez Aluno (a): Série: 1ª Data: / / 2015. LISTA DE FÍSICA II Obs: A lista somente será aceita com os cálculos. 1) Duas bolas de dimensões desprezíveis

Leia mais

GREGOR MENDEL PROF WILSON

GREGOR MENDEL PROF WILSON 1. (Mackenzie 01) Um avião, após deslocar-se 10 km para nordeste (NE), desloca-se 160 km para sudeste (SE). Sendo um quarto de hora, o tempo total dessa viagem, o módulo da velocidade vetorial média do

Leia mais

CINEMÁTICA VETORIAL. Observe a trajetória a seguir com origem O.Pode-se considerar P a posição de certo ponto material, em um instante t.

CINEMÁTICA VETORIAL. Observe a trajetória a seguir com origem O.Pode-se considerar P a posição de certo ponto material, em um instante t. CINEMÁTICA VETORIAL Na cinemática escalar, estudamos a descrição de um movimento através de grandezas escalares. Agora, veremos como obter e correlacionar as grandezas vetoriais descritivas de um movimento,

Leia mais

FÍSICA I LISTA 5 DIVERSOS EXERCÍCIOS GABARITO Orientação para V2 e VS 1. Um ônibus passa pelo km 30 de uma rodovia às 6 h, e às 9 h 30 min passa

FÍSICA I LISTA 5 DIVERSOS EXERCÍCIOS GABARITO Orientação para V2 e VS 1. Um ônibus passa pelo km 30 de uma rodovia às 6 h, e às 9 h 30 min passa FÍSICA I LISTA 5 DIVERSOS EXERCÍCIOS GABARITO Orientação para V2 e VS. Um ônibus passa pelo km 30 de uma rodovia às 6 h, e às 9 h 30 min passa pelo km 240. Determine: a) a velocidade escalar média desenvolvida

Leia mais

Interbits SuperPro Web Física XI Paulo Bahiense, Naldo, Wilson e Ausgusto

Interbits SuperPro Web Física XI Paulo Bahiense, Naldo, Wilson e Ausgusto 1. (Enem 2014) Um professor utiliza essa história em quadrinhos para discutir com os estudantes o movimento de satélites. Nesse sentido, pede a eles que analisem o movimento do coelhinho, considerando

Leia mais

Exercícios de Física Gravitação Universal

Exercícios de Física Gravitação Universal Exercícios de Física Gravitação Universal 1-A lei da gravitação universal de Newton diz que: a) os corpos se atraem na razão inversa de suas massas e na razão direta do quadrado de suas distâncias. b)

Leia mais

(a) a aceleração do sistema. (b) as tensões T 1 e T 2 nos fios ligados a m 1 e m 2. Dado: momento de inércia da polia I = MR / 2

(a) a aceleração do sistema. (b) as tensões T 1 e T 2 nos fios ligados a m 1 e m 2. Dado: momento de inércia da polia I = MR / 2 F128-Lista 11 1) Como parte de uma inspeção de manutenção, a turbina de um motor a jato é posta a girar de acordo com o gráfico mostrado na Fig. 15. Quantas revoluções esta turbina realizou durante o teste?

Leia mais

E como caem os corpos?

E como caem os corpos? Lançamento Vertical no Vácuo e Queda Livre PARA INÍCIO DE CONVERSA: E como caem os corpos? Se pudéssemos observar, em câmera lenta, o movimento de queda vertical, a partir do repouso, de um pequeno corpo

Leia mais

Gráficos no MU e MUV. E alguns exercícios de vestibulares

Gráficos no MU e MUV. E alguns exercícios de vestibulares Gráficos no MU e MUV E alguns exercícios de vestibulares Tipos de movimentos -MU Velocidade positiva Velocidade negativa v = s t Que tipo de informação tiramos s x t V x t v = s t s = v. t MUV -espaço

Leia mais

Exercícios de Física Gravitação Universal

Exercícios de Física Gravitação Universal Exercícios de Física Gravitação Universal 1-A lei da gravitação universal de Newton diz que: a) os corpos se atraem na razão inversa de suas massas e na razão direta do quadrado de suas distâncias. b)

Leia mais

Vestibular1 A melhor ajuda ao vestibulando na Internet Acesse Agora! www.vestibular1.com.br. Cinemática escalar

Vestibular1 A melhor ajuda ao vestibulando na Internet Acesse Agora! www.vestibular1.com.br. Cinemática escalar Cinemática escalar A cinemática escalar considera apenas o aspecto escalar das grandezas físicas envolvidas. Ex. A grandeza física velocidade não pode ser definida apenas por seu valor numérico e por sua

Leia mais

A Terra é considerada uma partícula quando o seu movimento em torno do Sol é estudado.

A Terra é considerada uma partícula quando o seu movimento em torno do Sol é estudado. Cinemática Escalar É a parte da Mecânica que estuda o movimento dos corpos sem se preocupar com as causas. Determina a posição, a velocidade e a aceleração de um corpo em cada instante. Ponto Material

Leia mais

3) A velocidade escalar de um carro varia com o tempo conforme indica o gráfico.

3) A velocidade escalar de um carro varia com o tempo conforme indica o gráfico. Lista Movimento Retilíneo Uniformemente Variado 1) Um ciclista realiza um movimento uniforme e seu espaço s varia com o tempo conforme indica o gráfico. Determine o espaço inicial s 0 e a velocidade escalar

Leia mais

CINEMÁTICA DE MÁQUINAS

CINEMÁTICA DE MÁQUINAS CINEMÁTICA DE MÁQUINAS CAPITULO I Rotação em torno de um eixo fixo 1. A barra dobrada ABCDE mostrada na figura 1, roda com velocidade angular constante de 9 rad/s em torno do eixo que liga as extremidades

Leia mais

Exercícios 6 Aplicações das Leis de Newton

Exercícios 6 Aplicações das Leis de Newton Exercícios 6 plicações das Leis de Newton Primeira Lei de Newton: Partículas em Equilíbrio 1. Determine a intensidade e o sentido de F de modo que o ponto material esteja em equilíbrio. Resp: = 31,8 0,

Leia mais

Lista de Exercícios - Movimento em uma dimensão

Lista de Exercícios - Movimento em uma dimensão UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS INSTITUTO DE FÍSICA E MATEMÁTICA Departamento de Física Disciplina: Física Básica II Lista de Exercícios - Movimento em uma dimensão Perguntas 1. A Figura 1 é uma gráfico

Leia mais

SLBZFISICA FÍSICA PARA O ENSINO MÉDIO EJA: EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS MOVIMENTOS ACELERADOS

SLBZFISICA FÍSICA PARA O ENSINO MÉDIO EJA: EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS MOVIMENTOS ACELERADOS SLBZFISICA FÍSICA PARA O ENSINO MÉDIO EJA: EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS MOVIMENTOS ACELERADOS 1. MOVIMENTO UNIFORMEMENTE VARIADO M.U.V. Na maior parte dos casos a velocidade dos objetos em movimento não

Leia mais

TRANSMISSÃO MECÂNICA E MECÂNICA HIDRÁULICA HIDRÁULICA EM TRAT EM TRA ORES

TRANSMISSÃO MECÂNICA E MECÂNICA HIDRÁULICA HIDRÁULICA EM TRAT EM TRA ORES UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA RURAL VERSÃO 2005 CAPÍTULO 6 TORQUE POTÊNCIA SISTEMAS DE TRANSMISSÃO MECÂNICA E HIDRÁULICA EM TRATORES

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS DE MECÂNICA REVISÃO DO 1 SEMESTRE COMPILAÇÃO FUVEST (1 FASE)

LISTA DE EXERCÍCIOS DE MECÂNICA REVISÃO DO 1 SEMESTRE COMPILAÇÃO FUVEST (1 FASE) LISTA DE EXERCÍCIOS DE MECÂNICA REVISÃO DO 1 SEMESTRE COMPILAÇÃO FUVEST (1 FASE) 1) (FUVEST - 2011) Uma menina, segurando uma bola de tênis, corre com velocidade constante, de módulo igual a 10,8 km/h,

Leia mais

RESULTADO 1. (ITA-1968) Num relógio, o ponteiro dos minutos se superpõe ao ponteiro das horas exatamente às:

RESULTADO 1. (ITA-1968) Num relógio, o ponteiro dos minutos se superpõe ao ponteiro das horas exatamente às: Fundamentos da física - Ramalho, Nicolau e Toledo Edição Histórica - vestibular ITA SUA BUSCA Assunto: Cinemática RESULTADO 1 (ITA-1968) Num relógio, o ponteiro dos minutos se superpõe ao ponteiro das

Leia mais

Física FUVEST ETAPA. ε = 26 cm, e são de um mesmo material, Resposta QUESTÃO 1 QUESTÃO 2. c) Da definição de potência, vem:

Física FUVEST ETAPA. ε = 26 cm, e são de um mesmo material, Resposta QUESTÃO 1 QUESTÃO 2. c) Da definição de potência, vem: Física QUESTÃO 1 Um contêiner com equipamentos científicos é mantido em uma estação de pesquisa na Antártida. Ele é feito com material de boa isolação térmica e é possível, com um pequeno aquecedor elétrico,

Leia mais

Movimento Retilíneo Uniforme (MRU) Equação Horária do MRU

Movimento Retilíneo Uniforme (MRU) Equação Horária do MRU Movimento Retilíneo Uniforme (MRU) velocímetro do automóvel da figura abaixo marca sempre a mesma velocidade. Quando um móvel possui sempre a mesma velocidade e se movimenta sobre uma reta dizemos que

Leia mais

UNIGRANRIO www.exerciciosdevestibulares.com.br. 2) (UNIGRANRIO) O sistema abaixo encontra-se em equilíbrio sobre ação de três forças

UNIGRANRIO www.exerciciosdevestibulares.com.br. 2) (UNIGRANRIO) O sistema abaixo encontra-se em equilíbrio sobre ação de três forças 1) (UNIGRANRIO) Um veículo de massa 1200kg se desloca sobre uma superfície plana e horizontal. Em um determinado instante passa a ser acelerado uniformemente, sofrendo uma variação de velocidade representada

Leia mais

MECÂNICA CINEMÁTICA ESCALAR CONCEITOS INICIAIS

MECÂNICA CINEMÁTICA ESCALAR CONCEITOS INICIAIS MECÂNICA É um ramo clássico da FÍSICA que estuda as relações entre os movimentos dos corpos e a forças a eles relacionados. Em Mecânica, iremos estudar, basicamente, dois itens fundamentais: Conhecendo

Leia mais

Cinemática Unidimensional

Cinemática Unidimensional Cinemática Unidimensional 1 INTRODUÇÃO Na Cinemática Unidimensional vamos estudar o movimento de corpos e partículas, analisando termos como deslocamento, velocidade, aceleração e tempo.os assuntos que

Leia mais

Cinemática UFRGS de 1998-2012

Cinemática UFRGS de 1998-2012 Cinemática UFRGS de 1998-2012 (UFRGS 1998) A tabela registra dados do deslocamento x em função do tempo t, referentes ao movimento retilíneo uniforme de um móvel. Qual é a velocidade desse móvel? t(s)

Leia mais

Problemas de Mecânica e Ondas 5

Problemas de Mecânica e Ondas 5 Problemas de Mecânica e Ondas 5 P 5.1. Um automóvel com uma massa total de 1000kg (incluindo ocupantes) desloca-se com uma velocidade (módulo) de 90km/h. a) Suponha que o carro sofre uma travagem que reduz

Leia mais

04) A posição de um objeto movendo-se ao longo do eixo x é dada por x = 3t - 4t² + t³, onde x está em metros e t em segundos.

04) A posição de um objeto movendo-se ao longo do eixo x é dada por x = 3t - 4t² + t³, onde x está em metros e t em segundos. Código: FISAP Disciplina: Física Aplicada Preceptores: Marisa Sayuri e Rodrigo Godoi Semana: 27/04/15 Lista 3- Movimento Retilíneo 01) A distância média da Terra ao Sol é igual a 150 milhões de quilômetros.

Leia mais

Programa de Retomada de Conteúdo 1º Bimestre

Programa de Retomada de Conteúdo 1º Bimestre Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio Regular. Rua Cantagalo 313, 325, 337 e 339 Tatuapé Fones: 2293-9393 e 2293-9166 Diretoria de Ensino Região LESTE 5 Programa de Retomada de Conteúdo

Leia mais

FÍSICA. Prof. Raphael Fracalossi. 1. (Ueg 2010) Observe a figura.

FÍSICA. Prof. Raphael Fracalossi. 1. (Ueg 2010) Observe a figura. FÍSICA Prof. Raphael Fracalossi. (Ueg 00) Observe a figura. Nessa figura, está representada uma máquina hipotética constituída de uma sequência infinita de engrenagens circulares E, E, E... que tangenciam

Leia mais

material, porque seus 4 m de comprimento tornam-se desprezíveis se comparados aos 20000 m de percurso. Ponto Material

material, porque seus 4 m de comprimento tornam-se desprezíveis se comparados aos 20000 m de percurso. Ponto Material Estudante: 9º Ano/Turma: Data / /2014 Educadora: Daiana Araújo C.Curricular: Ciências Naturais/ Física A Mecânica é o ramo da Física que tem por finalidade o estudo do movimento e do repouso. É dividida

Leia mais

MOVIMENTO CIRCULAR. Fonte da imagem: Física e Vestibular

MOVIMENTO CIRCULAR. Fonte da imagem: Física e Vestibular MOVIMENTO CIRCULAR 1. (ADAPTADO) Clodoaldo é lenhador mas também, é muito imaginativo e criativo. Ele criou uma máquina para cortar troncos de Jacarandá. O tronco de um Jacarandá é cortado, por Clodoaldo,

Leia mais

Tópico 8. Aula Prática: Movimento retilíneo uniforme e uniformemente variado (Trilho de ar)

Tópico 8. Aula Prática: Movimento retilíneo uniforme e uniformemente variado (Trilho de ar) Tópico 8. Aula Prática: Movimento retilíneo uniforme e uniformemente variado (Trilho de ar) 1. OBJETIVOS DA EXPERIÊNCIA 1) Esta aula experimental tem como objetivo o estudo do movimento retilíneo uniforme

Leia mais

Física. Setor A. Índice-controle de Estudo. Prof.: Aula 25 (pág. 82) AD TM TC. Aula 26 (pág. 84) AD TM TC. Aula 27 (pág.

Física. Setor A. Índice-controle de Estudo. Prof.: Aula 25 (pág. 82) AD TM TC. Aula 26 (pág. 84) AD TM TC. Aula 27 (pág. Física Setor A rof.: Índice-controle de Estudo Aula 5 (pág. 8) AD TM TC Aula 6 (pág. 84) AD TM TC Aula 7 (pág. 85) AD TM TC Aula 8 (pág. 87) AD TM TC Aula 9 (pág. 87) AD TM TC Aula 30 (pág. 90) AD TM TC

Leia mais

Gráficos: Q2)Para cada função posição x(t) diga se a aceleração é positiva, negativa ou nula.

Gráficos: Q2)Para cada função posição x(t) diga se a aceleração é positiva, negativa ou nula. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA-CFM DEPARTAMENTO DE FÍSICA FSC 5107 FÍSICA GERAL IA Semestre 2012.2 LISTA DE EXERCÍCIOS 2 - MOVIMENTO EM UMA DIMENSÃO Gráficos: Q1) Para cada gráfico seguinte de

Leia mais

Lista de Exercícios de Recuperação do 1 Bimestre

Lista de Exercícios de Recuperação do 1 Bimestre Lista de Exercícios de Recuperação do 1 Bimestre Instruções gerais: Resolver os exercícios à caneta e em folha de papel almaço ou monobloco (folha de fichário). Copiar os enunciados das questões. Entregar

Leia mais

a) os módulos das velocidades angulares ωr NOTE E ADOTE

a) os módulos das velocidades angulares ωr NOTE E ADOTE 1. Um anel condutor de raio a e resistência R é colocado em um campo magnético homogêneo no espaço e no tempo. A direção do campo de módulo B é perpendicular à superfície gerada pelo anel e o sentido está

Leia mais

SuperPro copyright 1994-2011 Colibri Informática Ltda.

SuperPro copyright 1994-2011 Colibri Informática Ltda. mesmo percurso. 1. (Ufpe 2005) Um submarino em combate lança um torpedo na direção de um navio ancorado. No instante do lançamento o submarino se movia com velocidade v = 14 m/s. O torpedo é lançado com

Leia mais

Soluções das Questões de Física do Processo Seletivo de Admissão à Escola Preparatória de Cadetes do Exército EsPCEx

Soluções das Questões de Física do Processo Seletivo de Admissão à Escola Preparatória de Cadetes do Exército EsPCEx Soluções das Questões de Física do Processo Seletivo de dmissão à Escola Preparatória de Cadetes do Exército EsPCEx Questão Concurso 009 Uma partícula O descreve um movimento retilíneo uniforme e está

Leia mais

ALUNO: Nº SÉRIE: DATA: / / PROF.: VICTOR GERMINIO

ALUNO: Nº SÉRIE: DATA: / / PROF.: VICTOR GERMINIO ALUNO: Nº SÉRIE: DATA: / / PROF.: VICTOR GERMINIO LEIA A PROVA COM ATENÇÃO. NÃO SE DEIXE LEVAR PELA PRESSA. RELEIA ANTES DE ENTREGÁ-LA. EVITE RASURAS. AS QUESTÕES OBJETIVAS RASURADAS SERÃO ANULADAS. EXERCÍCIO

Leia mais

FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA FUNDAÇÃO ESCOLA TÉCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA Projeto para Trabalho Trimestral de Física Curso: Mecânica Turma: 3112 Data: 14/08/2008 Sala : 269 Aluno: Pedro Santos Nascimento n : 28 Grupo C

Leia mais

Física PRÉ VESTIBULAR / / Aluno: Nº: Turma: PRÉ-VESTIBULAR

Física PRÉ VESTIBULAR / / Aluno: Nº: Turma: PRÉ-VESTIBULAR PRÉ VESTIBULAR Física / / PRÉ-VESTIBULAR Aluno: Nº: Turma: Exercícios: Doppler, cordas e tubos sonoros. 01. Observe as afirmações referentes às ondas sonoras: I) Sons de maior frequência têm maior velocidade.

Leia mais

COLÉGIO JOÃO PAULO I UNIDADE SUL

COLÉGIO JOÃO PAULO I UNIDADE SUL COLÉGIO JOÃO PAULO I UNIDADE SUL Marcelo Rolim EXERCÍCIOS DE REVISÃO DE CIÊNCIAS (FÍSICA) 8ª SÉRIE ENSINO FUNDAMENTAL 2º TRIMESTRE/2012 Exercícios de Revisão 01. Calcule a distância percorrida por um móvel

Leia mais

Física: Movimento Circular Uniforme (MCU)

Física: Movimento Circular Uniforme (MCU) Física: Movimento Circular Uniforme (MCU) 1. (Fuvest 015) Uma criança com uma bola nas mãos está sentada em um gira gira que roda com velocidade angular constante e frequência f 0,5 Hz. a) Considerando

Leia mais

MOVIMENTO CIRCULAR UNIFORME MOVIMENTO HARMÔNICO SIMPLES E ONDAS

MOVIMENTO CIRCULAR UNIFORME MOVIMENTO HARMÔNICO SIMPLES E ONDAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA DEPARTAMENTO DE FÍSICA GRUPO DE ENSINO DE FÍSICA MOVIMENTO CIRCULAR UNIFORME MOVIMENTO HARMÔNICO SIMPLES E ONDAS Joecir Palandi Dartanhan Baldez Figueiredo João Carlos

Leia mais

Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - UEMS 1 a LISTA DE EXERCÍCIOS DE MECÂNICA - NOTURNO. Sejam 3 vetores a, b e c dados por.

Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - UEMS 1 a LISTA DE EXERCÍCIOS DE MECÂNICA - NOTURNO. Sejam 3 vetores a, b e c dados por. Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - UEMS 1 a LISTA DE EXERCÍCIOS DE MECÂNICA - NOTURNO Questão 1 Sejam 3 vetores a, b e c dados por a = (2, 1, 3), b = ( 1, 1, 0) e c = (0, 2, 1). Determine: a)

Leia mais

DINÂMICA DE MÁQUINAS

DINÂMICA DE MÁQUINAS DINÂMICA DE MÁQUINAS CAPITULO 2 Momentos de inércia de componentes de máquinas com diferentes geometrias 1. O corpo composto mostrado na figura consiste em uma barra esbelta de 3 kg e uma placa fina de

Leia mais

UNOCHAPECÓ Lista 03 de exercícios Mecânica (lançamento de projéteis) Prof: Visoli

UNOCHAPECÓ Lista 03 de exercícios Mecânica (lançamento de projéteis) Prof: Visoli UNOCHAPECÓ Lista 03 de exercícios Mecânica (lançamento de projéteis) Prof: Visoli 1. A figura abaixo mostra o mapa de uma cidade em que as ruas retilíneas se cruzam perpendicularmente e cada quarteirão

Leia mais

MOVIMENTO CIRCULAR ATIVIDADE 1 Professores: Claudemir C. Alves / Luiz C. R. Montes

MOVIMENTO CIRCULAR ATIVIDADE 1 Professores: Claudemir C. Alves / Luiz C. R. Montes MOVIMENTO CIRCULAR ATIVIDADE 1 Professores: Claudemir C. Alves / Luiz C. R. Montes 1 1- Velocidade Angular (ω) Um ponto material P, descrevendo uma trajetória circular de raio r, apresenta uma variação

Leia mais

1. (Upe 2014) O deslocamento Δ x de uma partícula em função do tempo t é ilustrado no gráfico a seguir:

1. (Upe 2014) O deslocamento Δ x de uma partícula em função do tempo t é ilustrado no gráfico a seguir: 1. (Upe 2014) O deslocamento Δ x de uma partícula em função do tempo t é ilustrado no gráfico a seguir: Com relação ao movimento mostrado no gráfico, assinale a alternativa CORRETA. a) A partícula inicia

Leia mais

1 Introdução a Cinemática

1 Introdução a Cinemática 1 Introdução a Cinemática A cinemática é a parte da mecânica que estuda e descreve os movimentos, sem se preocupar com as suas causas. Seu objetivo é descrever apenas como se movem os corpos. A parte da

Leia mais