Successful Cement VRM Projects

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Successful Cement VRM Projects"

Transcrição

1 Successful Cement VRM Projects Review of Companhia Siderurgica Nacional (CSN) Volta Redonda Plant Dois (2) OK 39-4 FICEM APCAC, September 2011 John Terembula, Product Manager Milling, FLSmidth Luiz Magno Paixão Silva, Gerência Geral, CSN Cimentos S.A.

2 Agenda Project Background Engineering & Design Layout Construction Start-up Operation & Maintenance

3 Localização da Moagem de Cimento na UPV - VR Área CSN - UPV Área CSN Cimentos Trajeto Caminhões FICEM--APCAC Conference Sao Paulo, Brasil September 5FICEM 5-8, 2011

4 Fundo Planta concebida para utilização da escória da UPV Sinergia com a UPV com fornecimento de calcário, malha ferroviária, porto, energia elétrica, etc. Próximo dos 2 maiores mercados consumidores de cimento SP/RJ

5 Engenharia e Design Nº de operários envolvidos na obra colaboradores; Civil Consócio Contern/Cetenco e Paranasa; EletroMecanica Daltec Projeto e Equipamentos FLS Perfil : 60% Importado 40% Nacional

6 Moagem de Cimento Layout 8-Galpão das Paletizadoras Descarga Rodoviária 5-Moinhos e Filtros 2- Galpão de M.Prima 1-Descarga Ferroviária 7- Prédio das Ensacadeiras 6- Silos de Cimento 3- Silo de Clinquer 4- Silos Dosadores

7 Seleção de Equipamentos

8 Equipamentos de Plantas

9 Construção Construção da planta em 02/12/08

10 Construção Start up da planta em abril de 2009

11 Matérias-primas

12 Transportador de Alimentação

13 Materiais em Iniciar

14 Operação Operação de 100% de Escória: Blaine de a cm²/g Finura 45µ (#325) - 2,5% a 3,5%

15 Operação Moinho 1 Guaranteed Production 171 MTPH a CPIII 4500 blaine Moinho 2 Guaranteed Production 171 MTPH a CPIII 4500 blaine Max production 207 t/h CPIII Max production 193 t/h CPIII First Shutdown 15 Dec 2009 First Shutdown 19 Oct 2010 Total hours of operation 91% Cimento 9% Escória-Moída 3.200:17h TOTAL Total hours of operation 95% Cimento 5% Escória-Moída 1.497:55h TOTAL

16 Operação e Manutenção 1ª Parada MOINHO 1-15 a 21/12/2009 Horas Operação: 2.195:12h Horas Cimento: 90% Horas Escoria: 10% 2ª Parada MOINHO 1 05 a 12/07/2010 Horas operação: 2.552:29h Horas cimento: 72% Horas Escoria: 28% Total Geral Produzido: Total Geral Produzido: Enchimento realizado: kg Desgaste: Mesa 60mm Rolos 40mm Enchimento realizado: kg Desgaste: Mesa 60mm Rolos 30mm

17 Cronograma Moinho 1 First Start 24 Apr 2009 Moinho 2 First Start 19 Apr 2010 Guaranteed production 28 Apr 2009 Guaranteed production 20 May 2010 Max production 207 t/h (seca) Max production: 193 t/h (seca) First Shutdown 12 Dec 2009 First Shutdown 19 Oct 2010 Total hs of operation 3.200:17 h (falhas) Total hs of operation 1.497:55 h (falhas)

18 Experiência Positivas Moinho apresenta resposta rápida aos ajustes de processo Possibilita a obtenção de blaines elevados Apresenta baixo consumo energético Baixa vibração e ruído durante a operação

19 Experiência Oportunidades Operação com 100% de escória gera impregnação nas transferencias Diferença de umidade entre os materiais a moagem alternada entre cimento e escória gera A eliminação de metais da alimentação O equipamento Belt Wall requer know how de manutenção ainda não totalmente disponível no Brasil

20 Custos - Peças de desgaste de moinhos de bolas Ball charge 60 g/t 0.06 $/t Liners - Compartment 1 Liners - Compartment 2 TOTAL Shell + head + diaphragm grate Shell + diaphragm liner + outlet grate No labor included 0.06 $/t 0.04 $/t 0.16 $/t

21 Custos Peças de desgaste moinho OK Roller tire 5 year 0.05 $/t Table track 5 year 0.05 $/t Hardface 2 g/t with labor 0.10 $/t TOTAL 0.15 $/t Contractor labor included for Hardfacing

22 Total de Custos de Manutenção Equipment in Same Plant ($/t) OK Mill 0.54 Ball Mill + HRP 0.78 Ball Mill 0.48*

23 Custos - Energia Ball Mill System 42.0 kwh/t 5.04 $/t OK Mill System 28.5 kwh/t 3.42 $/t TOTAL SAVINGS 1.62 $/t 0.12 $/ kwh Economia de energia são maiores do que os custos de manutenção! Energy savings are greater than maintenance costs! 23

24 Obrigado! Gracias! Thank you!

Planta de moagem com Horomill

Planta de moagem com Horomill Planta de moagem com Horomill O sistema de moagem sustentável Fives Driving Progress Fives FCB - CBC 2014 1 Benefícios Chave 1) Instalação compacta 2) Maior flexibilidade de produção 3) Qualidade do cimento

Leia mais

Prática e perspectivas para o processamento de Itabiritos compactos do Quadrilátero Ferrífero

Prática e perspectivas para o processamento de Itabiritos compactos do Quadrilátero Ferrífero SME Belo Horizonte 16/03/2011 Prática e perspectivas para o processamento de Itabiritos compactos do Quadrilátero Ferrífero Joaquim Donizetti Donda Samarco Mineração donda@samarco.com Prática atual Mineração

Leia mais

CIMENTO PORTLAND. A procura por segurança e durabilidade para as edificações conduziu o homem à experimentação de diversos materiais aglomerantes.

CIMENTO PORTLAND. A procura por segurança e durabilidade para as edificações conduziu o homem à experimentação de diversos materiais aglomerantes. Histórico A procura por segurança e durabilidade para as edificações conduziu o homem à experimentação de diversos materiais aglomerantes. Os romanos chamavam e sse s materiais de " caeme ntu m", termo

Leia mais

A utilização do PI Notifications como ferramenta de redução de perdas. Copyr i ght 2015 O SIs oft, LLC.

A utilização do PI Notifications como ferramenta de redução de perdas. Copyr i ght 2015 O SIs oft, LLC. A utilização do PI Notifications como ferramenta de redução de perdas Presented by João Carlos Cunha Sobre a CSN 2 CSN Companhia Siderúrgica Nacional Time Line 3 CSN Companhia Siderúrgica Nacional 4 O

Leia mais

A Indústria de Cimento no Brasil

A Indústria de Cimento no Brasil A Indústria de Cimento no Brasil História e desenvolvimento Perspectivas de médio prazo Posicionamento atual e tecnologia Álvaro Lorenz 17 de Outubro de 2.012 A Indústria de Cimento no Brasil História

Leia mais

APLICAÇÃO DE MÉTODO SIMPLIFICADO DE DETERMINAÇÃO DE WI NA PREVISÃO DE DESEMPENHO DOS MOINHOS DE BOLAS DA USINA DO SOSSEGO

APLICAÇÃO DE MÉTODO SIMPLIFICADO DE DETERMINAÇÃO DE WI NA PREVISÃO DE DESEMPENHO DOS MOINHOS DE BOLAS DA USINA DO SOSSEGO http://dx.doi.org/10.4322/tmm.2013.051 APLICAÇÃO DE MÉTODO SIMPLIFICADO DE DETERMINAÇÃO DE WI NA PREVISÃO DE DESEMPENHO DOS MOINHOS DE BOLAS DA USINA DO SOSSEGO Vladmir Kronemberger Alves 1 Douglas Batista

Leia mais

TECNOLOGIA DE PONTA A PONTA MEMBER OF THE HAVER GROUP

TECNOLOGIA DE PONTA A PONTA MEMBER OF THE HAVER GROUP TECNOLOGIA DE PONTA A PONTA SOLUÇÃO DE ENSACAMENTO Mercado Alta perfomance, capacidade e desempenho Melhoria no processo Automação Flexibilidade Customização Redução de Custos Operacionais 2 SOLUÇÃO DE

Leia mais

REFERÊNCIAS RELACIONADAS A PLANTAS DE CIMENTO

REFERÊNCIAS RELACIONADAS A PLANTAS DE CIMENTO Rio Branco do Sul - PR Fornos / Instalações Afins Projeto Executivo: Engenharia de integração de projetos e detalhamento para uma nova planta de cimento com capacidade de 5.000 tpd. Primavera - PA Fornos

Leia mais

Capacidade fornecida. Soluções para cimento

Capacidade fornecida. Soluções para cimento Capacidade fornecida Soluções para cimento 2 Experiência incomparável em engenharia Uma fornecedora completa Por mais de um século, a FLSmidth vem abrindo novos caminhos no mundo do cimento, auxiliando

Leia mais

PROCESSO DE FABRICO DE CIMENTO

PROCESSO DE FABRICO DE CIMENTO PROCESSO DE FABRICO DE CIMENTO Índice Introdução. 2 1 Pedreiras... 3 2 - Furação e rebentamento.. 4 3 - Britagem... 5 4 - Transporte do material britado. 6 5 - Ensilagem e pré-homogeneização 7 6 - Moagem

Leia mais

Curso de especialização em tratamento de minérios. Dimensionamento de moinhos de bolas e barras

Curso de especialização em tratamento de minérios. Dimensionamento de moinhos de bolas e barras Curso de especialização em tratamento de minérios Cominuição Dimensionamento de moinhos de bolas e barras Poços de Caldas 10 de Novembro de 2012 Professor Mauricio Guimarães Bergerman UNIFAL MG - Instituto

Leia mais

CONTROLE DE TEMPERATURA NA SAÍDA DE MOINHO VERTICAL DE CIMENTO

CONTROLE DE TEMPERATURA NA SAÍDA DE MOINHO VERTICAL DE CIMENTO CONTROLE DE TEMPERATURA NA SAÍDA DE MOINHO VERTICAL DE CIMENTO Teodoro Gomes da Silva Filho 1 Terence Mól Santos 2 Orientador: Prof. Dr. Idalmo Montenegro de Oliveira 3 RESUMO O objetivo do presente trabalho

Leia mais

ECOEFICIÊNCIA DA INDÚSTRIA BRASILEIRA DE CIMENTO: Gestão de carbono para a sustentabilidade. Yushiro Kihara Associação Brasileira de Cimento Portland

ECOEFICIÊNCIA DA INDÚSTRIA BRASILEIRA DE CIMENTO: Gestão de carbono para a sustentabilidade. Yushiro Kihara Associação Brasileira de Cimento Portland ECOEFICIÊNCIA DA INDÚSTRIA BRASILEIRA DE CIMENTO: Gestão de carbono para a sustentabilidade Yushiro Kihara Associação Brasileira de Cimento Portland Sumário Introdução Desafios da mitigação de Gases de

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS BRITADOR IMPACTO DE EIXO VERTICAL (VSI) ZL EQUIPAMENTOS. 1. DESCRIÇÃO. Os Britadores de eixo vertical VSI, projetado pela ZL Equipamentos, são confeccionados aqui no Brasil, ou

Leia mais

Cimento. We know how. www.claudiuspeters.com

Cimento. We know how. www.claudiuspeters.com Cimento We know how www.claudiuspeters.com 2 Cimento - Técnica Claudius Peters Technologies GmbH, na Alemanha, e Claudius Peters Technologies SAS, na França, são partes da Divisão de Tecnologia da Claudius

Leia mais

Experiência da CSN na implementação da cultura e práticas de análise e gestão de riscos em seus projetos

Experiência da CSN na implementação da cultura e práticas de análise e gestão de riscos em seus projetos Experiência da CSN na implementação da cultura e práticas de análise e gestão de riscos em seus projetos Tito Livio Medeiros Cardoso Companhia Siderúrgica Nacional - CSN, São Paulo André Luiz Cintra Leal

Leia mais

Controle avançado de processos para a indústria do cimento

Controle avançado de processos para a indústria do cimento Controle avançado de processos para a indústria do cimento ECS/ProcessExpert 2 3 Por que usar o controle avançado de processos? O controle avançado de processos da FLSmidth assegura que as fábricas de

Leia mais

CIMENTO PORTLAND. O que é cimento Portland?

CIMENTO PORTLAND. O que é cimento Portland? CIMENTO PORTLAND O que é cimento Portland? CIMENTO PORTLAND 1. HISTÓRICO 2. PRODUTO 3. FABRICAÇÃO 4. TIPOS 5. APLICAÇÕES 6. QUALIDADE 7. ITAMBÉ HISTÓRIA DO CIMENTO MURALHA DA CHINA PANTEON COLISEU ROMANO

Leia mais

Definição. laje. pilar. viga

Definição. laje. pilar. viga Definição É a rocha artificial obtida a partir da mistura, e posterior endurecimento, de um aglomerante (normalmente cimento portland), água, agregado miúdo (areia quartzoza), agregado graúdo (brita),

Leia mais

1º 107 6 2011: 45% EBITDA 1º

1º 107 6 2011: 45% EBITDA 1º QUEM SOMOS Uma das maiores empresas de mineração do mundo. Cerca de 107 mil empregados diretos. Líderes globais na produção de platina e diamante e participação significativa em cobre, níquel, minério

Leia mais

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO DE BRITADORES APLICADOS AO PROCESSAMENTO MINERAL

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO DE BRITADORES APLICADOS AO PROCESSAMENTO MINERAL CRITÉRIOS DE SELEÇÃO DE BRITADORES APLICADOS AO PROCESSAMENTO MINERAL J. Varela Dr.-Ing, Tecnologias de Britagem e Peneiramento,ThyssenKrupp Fördertechnik Latino Americana Rua Ceará, 1566, Belo Horizonte-MG,

Leia mais

Yushiro Kihara. Prof Dep. Geociëncia USP Gerente de Tecnologia ABCP. O grande desafio:

Yushiro Kihara. Prof Dep. Geociëncia USP Gerente de Tecnologia ABCP. O grande desafio: Concreteshow 2012 1 Mudanças Climáticas e Sustentabilidade Cenário e Desafios da Indústria Brasileira de Cimento Yushiro Kihara Prof Dep. Geociëncia USP Gerente de Tecnologia ABCP DESAFIOS DA INDÚSTRIA

Leia mais

SETOR CIMENTO Proposta Limites de Emissão

SETOR CIMENTO Proposta Limites de Emissão SETOR CIMENTO Proposta Limites de Emissão Clique 06/07/2011 para editar o estilo do subtítulo mestre 1 Cenário do setor no Brasil 12 grupos 71 fábricas 47 integradas 24 moagens Total Fornos: 80 Total Moinhos:

Leia mais

17/04/2015 AGLOMERANTES HIDRÁULICOS PARA PAVIMENTAÇÃO REFERÊNCIAS CAL HIDRÁULICA. UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA Centro de Tecnologia

17/04/2015 AGLOMERANTES HIDRÁULICOS PARA PAVIMENTAÇÃO REFERÊNCIAS CAL HIDRÁULICA. UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA Centro de Tecnologia UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA Centro de Tecnologia Departamento de Engenharia Civil e Ambiental Laboratório de Geotecnia e Pavimentação (LAPAV) AGLOMERANTES HIDRÁULICOS PARA PAVIMENTAÇÃO Prof. Ricardo

Leia mais

Júlio Nascif- setembro 2010 TECÉM Tecnologia Empresarial Lda www.tecem.com.br 31-88947533

Júlio Nascif- setembro 2010 TECÉM Tecnologia Empresarial Lda www.tecem.com.br 31-88947533 ORIENTA, INDICA A DIREÇÃO ESTABELECE A VISÃO, DEFINE AS METAS LIDERA O PROCESSO DO QUAL PARTICIPAM TODOS OS SEGMENTOS E COLABORADORES FORNECE OS RECURSOS NECESSÁRIOS FAZ AS AUDITORIAS PROMOVE AS CORREÇÕES

Leia mais

MÁQUINA DE BLOCOS DE CONCRETO Serie TBM.

MÁQUINA DE BLOCOS DE CONCRETO Serie TBM. MÁQUINA DE BLOCOS DE CONCRETO Serie TBM. Nós somos um dos primeiros fabricantes (1986) de máquinas de bloco e equipamentos Motores SIEMENS Automatizadas com CLP MITSUBISHI Componentes elétricos da SCHNEIDER

Leia mais

TECNOLOGIA PARA BENEFICIAMENTO

TECNOLOGIA PARA BENEFICIAMENTO TECNOLOGIA PARA BENEFICIAMENTO de Matérias-Primas na Indústria Siderúrgica Tecnologia confiável Disponibilidade elevada 60 anos de experiência As melhores referências CARVÃO COQUE ArcelorMittal Tubarão,

Leia mais

André Barbosa de Lima

André Barbosa de Lima André Barbosa de Lima O PROCESSO PRODUTIVO DO CIMENTO PORTLAND Belo Horizonte 2011 André Barbosa de Lima O PROCESSO PRODUTIVO DO CIMENTO PORTLAND Monografia apresentada ao Curso de Especialização em Engenharia

Leia mais

SANARDI Integração de Sistemas de Energia SANARDI

SANARDI Integração de Sistemas de Energia SANARDI A SANARDI é uma empresa especializada na Integração de Sistemas de Energia com foco em geração e cogeração de energia, é responsável pelo planejamento, projeto, gerenciamento e execução da montagem completa

Leia mais

Fuller Kinyon-Pump : Transportador de Material Via Seca

Fuller Kinyon-Pump : Transportador de Material Via Seca Fuller Kinyon-Pump : Transportador de Material Via Seca Inovações constantes Resultados excepcionais Transporte Pneumático Experiência A bomba original Filler-Kinyon, foi inventada em 1926 e iniciou uma

Leia mais

Análise do rejeito de sacos de cimento na CSN Cimentos em Volta Redonda/RJ

Análise do rejeito de sacos de cimento na CSN Cimentos em Volta Redonda/RJ 29 Análise do rejeito de sacos de cimento na CSN Cimentos em Volta Redonda/RJ Reject analysis of Cement bags in the cement CSN Jimmy Attayde Baker¹ Renan Jacinto Tavares¹ Vinicius Machado Mothé¹ Leonidas

Leia mais

Cimento Mizu Contribuição do projeto Uso da escória de alto-forno na produção de cimento na Cimento Mizu para o desenvolvimento sustentável

Cimento Mizu Contribuição do projeto Uso da escória de alto-forno na produção de cimento na Cimento Mizu para o desenvolvimento sustentável Cimento Mizu Contribuição do projeto Uso da escória de alto-forno na produção de cimento na Cimento Mizu para o desenvolvimento sustentável O projeto implantado pela Cimento Mizu tem como principal objetivo

Leia mais

CECOMTUR EXECUTIVE HOTEL Florianopolis - SC

CECOMTUR EXECUTIVE HOTEL Florianopolis - SC CECOMTUR EXECUTIVE HOTEL Florianopolis - SC Projeto 130117 CECOMTUR EXECUTIVE HOTEL Florianopolis - SC Projeto 130117 Cenario Atual tipo de iluminaçao consumo unitario quantidade consumo Kw/h Tubo fluorescente

Leia mais

- FABRICAÇÃO DE MÁQUINAS PARA INDÚSTRIA DE RAÇÃO E DERIVADOS; - FABRICAÇÃO DE ESTRUTURAS METÁLICAS.

- FABRICAÇÃO DE MÁQUINAS PARA INDÚSTRIA DE RAÇÃO E DERIVADOS; - FABRICAÇÃO DE ESTRUTURAS METÁLICAS. - FABRICAÇÃO DE MÁQUINAS PARA INDÚSTRIA DE RAÇÃO E DERIVADOS; - FABRICAÇÃO DE ESTRUTURAS METÁLICAS. Máquinas Para Agroindústrias METALÚRGICA LTDA ME A empresa Metalúrgica Maggisan foi fundada no ano de

Leia mais

Francisco Silva Aveiro, 10 de Março de 2015

Francisco Silva Aveiro, 10 de Março de 2015 Francisco Silva Aveiro, 10 de Março de 2015 Processo do perigo higiene ocupacional EMISSÃO TRANSMISSÃO IMISSÃO FONTE MEIO TRABALHADOR Systematic Design Analysis Approach Controlo do risco na fonte A

Leia mais

DOSAGEM DE CONCRETO DEFINIÇÕES FUNDAMENTAIS. Professora: Mayara Custódio

DOSAGEM DE CONCRETO DEFINIÇÕES FUNDAMENTAIS. Professora: Mayara Custódio DOSAGEM DE CONCRETO DEFINIÇÕES FUNDAMENTAIS Professora: Mayara Custódio TRAÇO DE CONCRETO TRAÇO: Expressão das quantidades relativas dos componentes do concreto. Agregados miúdos Agregados graúdos Água

Leia mais

A EMPRESA 1. HISTÓRICO 2. PRINCÍPIOS 3. EQUIPE TÉCNICA 4. ESPECIALIDADES / ÁREA DE ATUAÇÃO 5. PRINCIPAIS SERVIÇOS E PRODUTOS

A EMPRESA 1. HISTÓRICO 2. PRINCÍPIOS 3. EQUIPE TÉCNICA 4. ESPECIALIDADES / ÁREA DE ATUAÇÃO 5. PRINCIPAIS SERVIÇOS E PRODUTOS A EMPRESA 1. HISTÓRICO A ALFA ENGENHARIA é uma empresa de engenharia especializada em consultoria e projetos industriais de elétrica, instrumentação e automação. Sediada em Belo Horizonte, iniciou suas

Leia mais

Produtos LINTEC-IXON Centrais de Concreto Misturadoras

Produtos LINTEC-IXON Centrais de Concreto Misturadoras Produtos LINTEC-IXON Centrais de Concreto Misturadoras 1 A LINTEC-IXON apresenta a linha de equipamentos para dosagem e mistura dos materiais componentes na execução de concretos de alta qualidade. Na

Leia mais

Nova Geração de Britadores. Britadores cônicos HP3

Nova Geração de Britadores. Britadores cônicos HP3 Nova Geração de Britadores Britadores cônicos HP3 2 2 Apresentação do produto Britadores cônicos HP3 Desempenho Produtivo Não há escolha melhor que um britador cônico quando se trata de... Elevada produtividade,

Leia mais

AL Clínica 5.961,02 Estrutura. - - Saúde Iguatemi. Centro de Distribuição. Reforma nas Instalações das Oficinas de Locomotivas

AL Clínica 5.961,02 Estrutura. - - Saúde Iguatemi. Centro de Distribuição. Reforma nas Instalações das Oficinas de Locomotivas ACERVO TÉCNICO OBRAS CONTRATAS - CONCLUÍS CONTRATANTE LOCAL NATUREZA ÁREA CONSTRUÍ VOLUME CONCRET O TERRAPLENAG EM MOVIMENTA ÇÃO DE TERRA 1. Agência BRADESCO AL 01 Loja 526,87 117,00 - - 2. Hotel Pajuçara

Leia mais

Economia de Energia com recursos de Conversores de Frequência VLT AQUADrive

Economia de Energia com recursos de Conversores de Frequência VLT AQUADrive Economia de Energia com recursos de Conversores de Frequência VLT AQUADrive II Simposio de Reúso de Águas da ABES/SANEPAR Quarta feira, 28 de abril de 2015 1 Corporate presentation, September 2014 Presença

Leia mais

Geração Termelétrica. S. R. Bragança, M. Cooper da Silva, J. J. da Rosa, J. Rubio, A. Meneguzzi e C.P. Bergmann - UFRGS-CGTEE

Geração Termelétrica. S. R. Bragança, M. Cooper da Silva, J. J. da Rosa, J. Rubio, A. Meneguzzi e C.P. Bergmann - UFRGS-CGTEE Otimização da Preparação do Carvão para Combustão na Usina Termoelétrica de Candiota - RS: 1. Técnicas de Caracterização para Separação de Frações Granulométricas Inorgânicas Associadas ao Carvão S. R.

Leia mais

METALURGIA DO PÓ (SINTERIZAÇÃO) 1. Introdução Transformação de pó de metais em peças pela aplicação de pressão e calor (sem fusão do metal base).

METALURGIA DO PÓ (SINTERIZAÇÃO) 1. Introdução Transformação de pó de metais em peças pela aplicação de pressão e calor (sem fusão do metal base). METALURGIA DO PÓ (SINTERIZAÇÃO) 1. Introdução Transformação de pó de metais em peças pela aplicação de pressão e calor (sem fusão do metal base). Etapas do processo: - obtenção dos pós metálicos - mistura

Leia mais

COMPONENTES. Chapa de gesso: 3 tipos

COMPONENTES. Chapa de gesso: 3 tipos Paredes internas Estrutura leve GESSO ACARTONADO Fixado em perfis de chapa de aço galvanizado (esqueleto de guias e montantes) Parede: chapas de gesso em uma ou mais camadas Superfície pronta para o acabamento

Leia mais

Índice 1 INTRODUÇÂO 2 A INDÚSTRIA DO CIMENTO NO CENÁRIO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS 3 REFERÊNCIAS INTERNACIONAIS

Índice 1 INTRODUÇÂO 2 A INDÚSTRIA DO CIMENTO NO CENÁRIO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS 3 REFERÊNCIAS INTERNACIONAIS Índice 1 INTRODUÇÂO 2 A INDÚSTRIA DO CIMENTO NO CENÁRIO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS 3 REFERÊNCIAS INTERNACIONAIS 4 2º INVENTÁRIO BRASILEIRO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA 5 PERSPECTIVAS E DESAFIOS 6

Leia mais

MOINHOS PENDULARES MOLOMAX

MOINHOS PENDULARES MOLOMAX MOINHOS PENDULARES MOLOMAX Web: http://www.manfredinieschianchi.com - Email: sales@ms-plants.it 1/14 Os Moinhos Pendulares MOLOMAX são empregados para a moenda de matérias-primas de vários tipos, peso

Leia mais

Reciclagem polímeros

Reciclagem polímeros Reciclagem polímeros Reciclagem Química A reciclagem química reprocessa plásticos transformando-os em petroquímicos básicos: monômeros ou misturas de hidrocarbonetos que servem como matéria-prima, em refinarias

Leia mais

Com excelência e tecnologia de ponta, a Fornac evoluiu seus produtos e serviços em busca da certificação ISO 9001.

Com excelência e tecnologia de ponta, a Fornac evoluiu seus produtos e serviços em busca da certificação ISO 9001. fornac.com.br Produzindo peças em aços e ferros fundidos especiais, a Fornac tem a solução para cada aplicação. Atua no mercado de agregados com mais de 15.000 itens em peças de desgastes e acessórios

Leia mais

Documento Auxiliar do Conhecimento de Transporte Eletrônico

Documento Auxiliar do Conhecimento de Transporte Eletrônico Documento Auxiliar do Conhecimento de Transporte Eletrônico 8338 Documento Auxiliar do Conhecimento de Transporte Eletrônico 8339 Documento Auxiliar do Conhecimento de Transporte Eletrônico 8340 Documento

Leia mais

DuPont Engineering University South America

DuPont Engineering University South America Treinamentos em Gestão de Projetos DuPont Engineering University South America # "$ % & "" Abordagem DuPont na Gestão de Projetos Industriais O nível de desempenho organizacional atingido pela DuPont não

Leia mais

NOVIDADES SMA AUTOCONSUMO COM ACUMULAÇÃO. SMA Solar Technology AG

NOVIDADES SMA AUTOCONSUMO COM ACUMULAÇÃO. SMA Solar Technology AG NOVIDADES SMA AUTOCONSUMO COM ACUMULAÇÃO SMA Solar Technology AG AGENDA 1 2 3 PORTFOLIO SMA INVERSORES DE BATERIAS SMA FLEXIBLE STORAGE SYSTEM SMA INTEGRATED STORAGE SYSTEM 4 SUNNY PORTAL, SUNNY PLACES

Leia mais

Companhia Siderúrgica Nacional. Maio / 2011

Companhia Siderúrgica Nacional. Maio / 2011 Companhia Siderúrgica Nacional Maio / 2011 Histórico CSN Pioneirismo na Industrialização do Brasil Incorporada em 1941 - um marco no processo de industrialização brasileiro; Operações iniciadas em 1946;

Leia mais

Linha de Pavimentadoras SD Dynapac

Linha de Pavimentadoras SD Dynapac Linha de Pavimentadoras SD Dynapac Dynapac SD2500C / SD2500CS - Esteiras Dynapac SD2500W / SD2500WS - Rodas Nova linha de pavimentadoras D inovação e alta performance a se necessidades de sua obra. IMPACTO

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL - A AGLOMERANTES. Profa Lia Lorena Pimentel

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL - A AGLOMERANTES. Profa Lia Lorena Pimentel MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL - A AGLOMERANTES Profa Lia Lorena Pimentel Aglomerantes: Terminologia (NBR 11172) Aglomerante de origem mineral Produto com constituintes minerais que, para sua aplicação,

Leia mais

Curso de especialização em tratamento de minérios

Curso de especialização em tratamento de minérios Curso de especialização em tratamento de minérios Cominuição Britagem Catalão 27 de Outubro de 2012 Professor Mauricio Guimarães Bergerman UNIFAL MG - Instituto de Ciência e Tecnologia Núcleo de Engenharia

Leia mais

Confiabilidade, alta qualidade e resistência.

Confiabilidade, alta qualidade e resistência. Fabricação de blocos de concreto Confiabilidade, alta qualidade e resistência. Masa O seu parceiro para a produção de materiais de construção. Com soluções inteligentes e flexíveis, a Masa ajuda os seus

Leia mais

Seminário Regional 2010. São Paulo, Brasil

Seminário Regional 2010. São Paulo, Brasil Seminário Regional 2010 São Paulo, Brasil Date : 27 e 28/10/2010 Presentation Title : O Cenário Industrial de Negócios da CSN em expansão, utilizando ferramentas da OSIsoft Speaker Name : Resilene Mansur,

Leia mais

Estudo de Caso Transportador de Correias

Estudo de Caso Transportador de Correias Universidade Federal da Bahia Departamento de Engenharia Mecânica ENG-320- Transportes Mecânicos Prof. Roberto Sacramento Estudo de Caso Transportador de Correias Alunos: Leonardo Passos Marcelo Gomes

Leia mais

Sumário. Sobre a VLC... Planta para recuperação das águas de uso industrial... Peneira Rotativa Linear... Peneira de Cesto... Peneira Estática...

Sumário. Sobre a VLC... Planta para recuperação das águas de uso industrial... Peneira Rotativa Linear... Peneira de Cesto... Peneira Estática... Sumário Sobre a VLC... Planta para recuperação das águas de uso industrial... Peneira Rotativa Linear... Peneira de Cesto... Peneira Estática... Clarificadores e Decantadores... Filtro de Lodo SCF... Prensa

Leia mais

Cisco Capital. Programa Avant Garde 27-28 Junho, 2006. Manuel Piló Business Development Manager. CSC - September 2001

Cisco Capital. Programa Avant Garde 27-28 Junho, 2006. Manuel Piló Business Development Manager. CSC - September 2001 Cisco Capital Manuel Piló Business Development Manager Programa Avant Garde 27-28 Junho, 2006 CSC - September 2001 2002, Cisco Systems, Inc. All rights reserved. 1 Alguma vez esbarraram com estes problemas?

Leia mais

Tecnologia de Silos. We know how. www.claudiuspeters.com

Tecnologia de Silos. We know how. www.claudiuspeters.com Tecnologia de Silos We know how www.claudiuspeters.com 2 Conteúdo Know-How Completo 3 Silo de Estocagem tipo CC (Cone Invertido) 16-17 Tipos de Descarga 4-5 Modificações em Silos de Estocagem 18 Câmara

Leia mais

DNIT. Pavimentos flexíveis Base de solo melhorado com cimento - Especificação de serviço /2009 NORMA DNIT - ES

DNIT. Pavimentos flexíveis Base de solo melhorado com cimento - Especificação de serviço /2009 NORMA DNIT - ES DNIT /2009 NORMA DNIT - ES Pavimentos flexíveis Base de solo melhorado com cimento - Especificação de serviço MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES DIRETORIA

Leia mais

10h às 11h Sala Multimeios, 1º andar, prédio 47 12 DE NOVEMBRO MANHÃ

10h às 11h Sala Multimeios, 1º andar, prédio 47 12 DE NOVEMBRO MANHÃ Palestra: Alternativas Energéticas e o Futuro da Energia Palestrante: Eng. Cláudio Homero Mini currículo: Engenheiro da CEMIG 10h às 11h Empresa responsável: CEMIG Site: www.cemig.com.br TARDE 15h20 às

Leia mais

Purgador de Bóia FTA - 550 Manual de Instalação e Manutenção

Purgador de Bóia FTA - 550 Manual de Instalação e Manutenção Purgador de Bóia FTA - 550 Manual de Instalação e Manutenção ÍNDICE Termo de Garantia 1.Descrição 2.Instalação 3.Manutenção 4.Peças de reposição 5.Informações Técnicas 1 TERMO DE GARANTIA A Spirax Sarco

Leia mais

ESTUDO DA RESISTÊNCIA DE ADERÊNCIA DE ARGAMASSA COLANTE EXPOSTA A CICLOS HIGROTÉRMICOS

ESTUDO DA RESISTÊNCIA DE ADERÊNCIA DE ARGAMASSA COLANTE EXPOSTA A CICLOS HIGROTÉRMICOS ESTUDO DA RESISTÊNCIA DE ADERÊNCIA DE ARGAMASSA COLANTE EXPOSTA A CICLOS HIGROTÉRMICOS RESUMO Samira Lunardi (1), Fernando Pelisser (2) UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense (1)samira@ceusa.com.br,

Leia mais

GESTÃO DE ATIVOS COM APLICAÇÃO DE POJETO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NA CARGILL

GESTÃO DE ATIVOS COM APLICAÇÃO DE POJETO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NA CARGILL Unidades de negócios GESTÃO DE ATIVOS COM APLICAÇÃO DE POJETO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NA CARGILL Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Unidades de negócios Motores Automação Energia

Leia mais

CONFIABILIDADE DESEMPENHO

CONFIABILIDADE DESEMPENHO CONFIABILIDADE DESEMPENHO www. magotteaux. com STRATEGIEDESIGN 09/2006 Em 1950, a MAGOTTEAUX desenvolveu as primeiras bolas fundidas ao cromo na sua planta de Vaux (Bélgica). Hoje, o grupo produz mais

Leia mais

8. MISTURAS ASFÁLTICAS

8. MISTURAS ASFÁLTICAS 8. MISTURAS ASFÁLTICAS CONCEITUAÇÃO Produtos obtidos em usina, a quente ou a frio, envolvendo agregados e ligantes asfálticos, adequadamente. CLASSIFICAÇÃO Pré misturados a quente (PMQ) - Temperatura 121

Leia mais

CONSULTORIA EM TESTES & TREINAMENTO @ ACTS - from user to user 02.07.2008

CONSULTORIA EM TESTES & TREINAMENTO @ ACTS - from user to user 02.07.2008 CONSULTORIA EM TESTES & TREINAMENTO @ ACTS - from user to user Consultoria & Treinamento - Conceito Seu Objetivo Construção de centro de testes automotivos e/ou aquisição de equipamentos necessários para

Leia mais

Tecnologias de Moagem Outotec

Tecnologias de Moagem Outotec Tecnologias de Moagem Outotec Com mais de 100 anos de experiência em tecnologia de moagem, a Outotec é um dos maiores fornecedores de moinhos do mundo. A equipe de especialistas em moagem da Outotec fornece

Leia mais

ENGENHARIA DE PROJETO

ENGENHARIA DE PROJETO ENGENHARIA DE PROJETO TORKE ENGENHARIA Nossa empresa é especializada na execução de projetos industriais. Grandes e pequenas companhias confiam em nós para realizar seus projetos de novas fábricas, ampliações

Leia mais

Techplus Automação. Samarone Ruas Diretor de Aplicações Techplus Automação

Techplus Automação. Samarone Ruas Diretor de Aplicações Techplus Automação Techplus Automação Samarone Ruas Diretor de Aplicações Techplus Automação Samarone Guimarães Ruas Diretor Executivo e Sócio da Techplus Automação Responsável pela implantação de dezenas de projetos em

Leia mais

Otimização geral de processos (OEE) Fabian Prehn Campinas Setembro 2014

Otimização geral de processos (OEE) Fabian Prehn Campinas Setembro 2014 Otimização geral de processos (OEE) Fabian Prehn Campinas Setembro 2014 Agenda Agenda Futuro da produção farmacêutica Future of pharmaceutical production Compressão como principal ponto no processo de

Leia mais

Medição & Verificação

Medição & Verificação Roteiro de apresentação Medição & Verificação Sua Importância para a Análise de Resultados em uma Operação Conceitos Normas Aplicações Planejamento Estudos t d de Caso Conclusões David Douek, Diretor de

Leia mais

MasterCem. Soluções para a indústria de cimento

MasterCem. Soluções para a indústria de cimento Soluções para a indústria de cimento Soluções para a indústria de cimento Master Builders Solutions da BASF A marca Master Builders Solutions reúne toda a expertise da BASF em criar soluções químicas para

Leia mais

Introdução à Lubrificação Industrial

Introdução à Lubrificação Industrial Introdução à Lubrificação Industrial Prof. Matheus Fontanelle Pereira Curso Técnico em Eletromecânica Departamento de Processos Industriais Campus Lages Objetivos da Unidade Curricular Conhecer os 5 Ws

Leia mais

Sistema de Alimentação líquida e seus pontos chaves para bons resultados no Brasil. José Vr. Machado Gerente Regional Minas Gerais

Sistema de Alimentação líquida e seus pontos chaves para bons resultados no Brasil. José Vr. Machado Gerente Regional Minas Gerais Sistema de Alimentação líquida e seus pontos chaves para bons resultados no Brasil José Vr. Machado Gerente Regional Minas Gerais Introdução - Energia Elétrica; - Água; - Espaço de cocho para alimentação;

Leia mais

BOCAL SOLOS D36 107402706 1 BOCAL P\ TAPECARIAS UNIV. 14295 1. BOCAL BISELADO D36x200 29541 1 MANGUEIRA ASPIRACAO D32 107405599 1

BOCAL SOLOS D36 107402706 1 BOCAL P\ TAPECARIAS UNIV. 14295 1. BOCAL BISELADO D36x200 29541 1 MANGUEIRA ASPIRACAO D32 107405599 1 AERO 21 / AERO 21 IDÁVEL - Aspirador monofásico de água e pó AERO 21 é uma gama de aspiradores compactos e simultaneamente robustos, ideais tanto para aspiração em seco como húmido. Depois de terminar

Leia mais

DENSIFICAÇÃO DE RESÍDUOS DA BIOMASSA

DENSIFICAÇÃO DE RESÍDUOS DA BIOMASSA Workshop - Madeira Energética: Principais questões envolvidas na organização e no aperfeiçoamento do uso energético da lenha - 29/05/2007 DENSIFICAÇÃO DE RESÍDUOS DA BIOMASSA - O que é briquete e pelete

Leia mais

Projeto de Avicultura Colonial PAC/ 2009 Embrapa Clima Temperado Aviário para 300 Aves de Postura, com captação de água pluvial.

Projeto de Avicultura Colonial PAC/ 2009 Embrapa Clima Temperado Aviário para 300 Aves de Postura, com captação de água pluvial. Projeto de Avicultura Colonial PAC/ 2009 Embrapa Clima Temperado Aviário para 300 Aves de Postura, com captação de água pluvial. Responsável: : João Pedro Zabaleta Pesquisador II, Agricultura Familiar

Leia mais

HOTEL TIVOLI VICTÓRIA VILAMOURA, ALGARVE

HOTEL TIVOLI VICTÓRIA VILAMOURA, ALGARVE HOTEL TIVOLI VICTÓRIA VILAMOURA, ALGARVE ARTISTS ARTISTAS > Adelina Lopes, João Louro, Gabriela Albergaria, Mariana Viegas, Nuno Cera, Pedro Calapez, Ricardo Valentim GALLERIES GALERIAS > Cristina Guerra,

Leia mais

ABM - 44º Seminário de Aciaria Internacional. Fatores Críticos de Engenharia e Projeto na Indústria Siderúrgica PLANEJAR PARA EXECUTAR

ABM - 44º Seminário de Aciaria Internacional. Fatores Críticos de Engenharia e Projeto na Indústria Siderúrgica PLANEJAR PARA EXECUTAR ABM - 44º Seminário de Aciaria Internacional Fatores Críticos de Engenharia e Projeto na Indústria Siderúrgica PLANEJAR PARA EXECUTAR GERDAU NO MUNDO Fonte: RELATÓRIO ANUAL 2012 GERDAU NO BRASIL Produção

Leia mais

Transporte Pneumático

Transporte Pneumático Transporte Pneumático We know how www.claudiuspeters.com 2 Claudius Peters Claudius Peters Technologies GmbH, na Alemanha, e Claudius Peters Technologies SAS, na França, são partes da Divisão de Tecnologia

Leia mais

Cana Crua X Extração. A Usina em números 13º Seminário Brasileiro Agroindustrial Ribeirão Preto SP 24 e 25/10/2012

Cana Crua X Extração. A Usina em números 13º Seminário Brasileiro Agroindustrial Ribeirão Preto SP 24 e 25/10/2012 Cana Crua X Extração A Usina em números 13º Seminário Brasileiro Agroindustrial Ribeirão Preto SP 24 e 25/10/2012 Índice Evolução do Sistema de Limpeza...03 Influência da Limpeza na Extração...29 Avaliação

Leia mais

Energia Solar Fotovoltaica, MC Brito Sizing PV Systems 3/11/1009

Energia Solar Fotovoltaica, MC Brito Sizing PV Systems 3/11/1009 Define load, location, inclination Determine irradiation Calculate installed power to fulfil load Calculate number of modules Define system specs (battery, charge regulator, inverter) Example Stand alone

Leia mais

CONCRETO Componentes AGLOMERANTES. AGLOMERANTES Classificação. AGLOMERANTES Requisitos importantes. AGLOMERANTES Propriedades fundamentais CIMENTO

CONCRETO Componentes AGLOMERANTES. AGLOMERANTES Classificação. AGLOMERANTES Requisitos importantes. AGLOMERANTES Propriedades fundamentais CIMENTO CONCRETO Componentes Fase contínua Pasta de cimento endurecida Zona de transição Interface entre a pasta e o agregado Fase descontínua Agregados Componente cuja principal característica é endurecer quando

Leia mais

Riscos e Vantagens na Gestão Global da Cadeia de Suprimentos

Riscos e Vantagens na Gestão Global da Cadeia de Suprimentos Riscos e Vantagens na Gestão Global da Cadeia de Suprimentos Risks and Advantages of Global Supply Chain Management Luiz Evangelista Gerente de Gestão de Ativos Asset Management Manager CHEP do Brasil

Leia mais

INDUTOR DE BLOQUEIO TRIFÁSICO PARA BANCO DE CAPACITORES

INDUTOR DE BLOQUEIO TRIFÁSICO PARA BANCO DE CAPACITORES INDUTOR DE BLOQUEIO TRIFÁSICO PARA BANCO DE CAPACITORES A Energia Elétrica vem se tornando, cada vez mais, um bem muito importante para a Indústria e, sua utilização eficiente deve ser um objetivo importante.

Leia mais

I Seminário sobre Design e Gemologia de Pedras, Gemas e Jóias do Rio Grande do Sul Soledade, RS 06 a 08/05/2009. http://www.upf.

I Seminário sobre Design e Gemologia de Pedras, Gemas e Jóias do Rio Grande do Sul Soledade, RS 06 a 08/05/2009. http://www.upf. I Seminário sobre Design e Gemologia de Pedras, Gemas e Jóias do Rio Grande do Sul Soledade, RS 06 a 08/05/2009. http://www.upf.br/ctpedras/sdgem NANO MOINHO: PROJETO E PESQUISA DE NOVOS EQUIPAMENTOS PARA

Leia mais

PORTFOLIO. KAJARIA CERAMICS - Índia

PORTFOLIO. KAJARIA CERAMICS - Índia PORTFOLIO KAJARIA CERAMICS - Índia Planta de preparação de matérias primas Planta com produção de mais de 18 ton/h de pasta cerâmica para monoqueima destinada a pisos. Utilizando prevalecentemente matérias

Leia mais

SMART-UPS VT & GALAXY 3500. Data Center Solutions. Marcio Iamamoto Product Marketing Engineer Schneider Electric IT Business.

SMART-UPS VT & GALAXY 3500. Data Center Solutions. Marcio Iamamoto Product Marketing Engineer Schneider Electric IT Business. SMART-UPS VT & GALAXY 3500 Data Center Solutions Marcio Iamamoto Product Marketing Engineer Schneider Electric IT Business Setembro/2013 Smart-UPS VT & Galaxy 3500 Mais de 11 milhões de unidades vendidas

Leia mais

CERTIFICAÇÕES CENTRO DE TESTES

CERTIFICAÇÕES CENTRO DE TESTES A Semco Tecnologia em Processos Industriais é uma empresa do Grupo Semco, presente no mercado brasileiro há 60 anos, que desenvolve e fabrica equipamentos para agitação, mistura e dispersão para processos

Leia mais

REGISTRO DE HIGIENE OPERACIONAL E PRÉ-OPERACIONAL. Responsável:

REGISTRO DE HIGIENE OPERACIONAL E PRÉ-OPERACIONAL. Responsável: Paredes, extintores e portas Moega Estocagem Tulhas Silos de Estocagem Externo (milho) Rosca de transporte 01 e poço moega. Luminárias, Teto e Tubulações Tulha 01 Tulha 02 Tulha 03 Tulha 04 Tulha 05 Tulha

Leia mais

EcoPrep - Produção de Porcellanato Pelo Processo Via Seca. Foco Ambiental e em Custos de Produção

EcoPrep - Produção de Porcellanato Pelo Processo Via Seca. Foco Ambiental e em Custos de Produção EcoPrep - Produção de Porcellanato Pelo Processo Via Seca Foco Ambiental e em Custos de Produção Cabral, E. O. 1 ; Hessling, H. G. 2 1. Eirich Industrial Ltda; 2. Maschinenfabrik Gustav Eirich Resumo No

Leia mais

Utilização de microesferas de aço nos concretos estruturais

Utilização de microesferas de aço nos concretos estruturais ASSOCIAÇÃO CULTURAL EDUCACIONAL DE ITAPEVA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA Utilização de microesferas de aço nos concretos estruturais Khalil Elias Khalil Ajaime. Itapeva São Paulo

Leia mais

A Minas Metal está localizada em Matozinhos MG - em uma área própria de 40.000 m² com 8.000 m² construído dividido em seis galpões.

A Minas Metal está localizada em Matozinhos MG - em uma área própria de 40.000 m² com 8.000 m² construído dividido em seis galpões. FUNDIÇÃO USINAGEM CALDEIRARIA MANUTENÇÃO - FABRICAÇÃO E REFORMAS DE EQUIPAMENTOS A Minas Metal está localizada em Matozinhos MG - em uma área própria de 40.000 m² com 8.000 m² construído dividido em seis

Leia mais

REDUÇÃO DA PERDA TÉRMICA EM CARRO TORPEDO

REDUÇÃO DA PERDA TÉRMICA EM CARRO TORPEDO REDUÇÃO DA PERDA TÉRMICA EM CARRO TORPEDO R. Magnani A. (1), S. M. Justus (1), S. N. Silva (2), F. Vernilli Jr (3,4), H. L. O. Brito (1), E. Longo (1), J. B. Baldo (1), E. R. Leite (1), J. A. Varela (1,4)

Leia mais

O H.D.B. NÃO é briquete. O H.D.B. é MADEIRA DENSIFICADA.

O H.D.B. NÃO é briquete. O H.D.B. é MADEIRA DENSIFICADA. É É uma madeira densificada, 100% natural, com altíssima concentração energética. É, portanto, um combustível ecologicamente correto. Energia limpa e renovável. O H.D.B. NÃO é briquete. O H.D.B. é MADEIRA

Leia mais