SUBPROGRAMA 16.1 REMANEJAMENTO DA POPULAÇÃO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SUBPROGRAMA 16.1 REMANEJAMENTO DA POPULAÇÃO"

Transcrição

1 SUBPROGRAMA 16.1 REMANEJAMENTO DA POPULAÇÃO ASSISTÊNCIA TÉCNICA E SOCIAL - (ATS) REASSENTAMENTO RURAL COLETIVO DE MANGUEIRINHA-PR EMPRESA CONTRATADA Agrisolo Projetos Técnicos Subprograma 16.1 Remanejamento da População

2 1 - INTRODUÇÃO O presente relatório sintetiza as atividades de Assistência Técnica e Social realizadas no período compreendido entre os dias 25 de fevereiro a 25 de agosto de 2013 junto às famílias reassentadas pela Foz do Chapecó Energia S. A. no Reassentamento Rural Coletivo de Mangueirinha/PR. Os esforços concentraramse em orientar as famílias sobre a exploração das atividades agropecuárias para comercialização e consumo familiar, além de aspectos relacionados ao desenvolvimento humano e social. 2 ATIVIDADES REALIZADAS O período objeto deste relatório foi marcado pelas seguintes ações: Acompanhamento das atividades de bovinocultura de leite, incluindo manejo de bezerras pós-parto (fornecimento imediato do colostro da primeira ordenha nas primeiras 24h, corte e cura do cordão umbilical, vacinação contra brucelose do 2 ao 7 mês de vida, desmame da bezerra após 2 meses de idade, construção de abrigos individuais arejados e higienizados, entre outras medidas que proporcionam redução de custos com medicamentos e maior renda ao produtor); Orientação na ensilagem do milho, garantindo alimento para as vacas em lactação nos períodos de estiagem; Orientação sobre a vacinação de animais (aftosa); Acompanhamento das culturas de soja e milho, com orientação das épocas adequadas para semeadura; Orientação sobre o plantio e a adubação de canteiros de morango e cenoura; Poda dos pomares;

3 Orientação sobre o manejo e o plantio das pastagens anuais de inverno (aveia e azevem), correta adubação, controle de plantas daninhas e piqueteamento; Orientação na regulagem e calibração do maquinário agrícola, prevenindo perdas na colheita devido ao mau uso da colheitadeira e garantia de correta aplicação de agrotóxicos com o uso de pulverizador; Planejamento das safras futuras, cujo plantio inicia em setembro, com medição das terras e previsão de compra de insumos, levando à redução de custos e ao aumento da produtividade. Além da orientação técnica nas atividades produtivas, a equipe responsável prestou apoio na tomada de providências burocráticas importantes para a administração da produção e da propriedade, como: Agendamento de compra e entrega de mudas para a próxima safra e cotação dos insumos necessários. A entrega das mudas é feita pela assistencia técnica, que também orienta o plantio; Busca de condições junto ao Banco do Brasil e ao Sicredi para concessão de créditos financeiros nas linhas de custeio e investimento; Solução de pendências documentais em cartórios; Encaminhamento de documentação para o Programa de Aquisição de Alimentos; Apoio na elaboração de projetos que acessam recursos do PRONAF para aumentar rebanho leiteiro e custear lavoura de milho e soja; Cobrança de pagamentos de produtos comercializados pelos reassentados. Merece destaque também a promoção de ações em parceria com a Associação de Moradores, lideranças das igrejas Católica e Evangélica e Clube de Mães, para aproximação e integração das unidades familiares, favorecendo o

4 sentimento de pertencimento à comunidade e ajuda mútua. De maneira geral, estas ações favoreceram os avanços percebidos no bem-estar e qualidade de vida dos moradores. 2.1 PESQUISA Entre os meses de abril e maio, a equipe de Assistência Técnica e Social realizou uma pesquisa junto às famílias reassentadas em Mangueirinha com o objetivo de avaliar o desempenho das atividades desenvolvidas nas propriedades, identificar falhas produtivas e sugestões de melhoria para o trabalho de assistência. O questionário aplicado abordou critérios que permitiram avaliar a renda familiar, os níveis de produtividade alcançados, o grau de satisfação com as atividades exploradas e as expectativas futuras destas famílias. O questionário foi elaborado com supervisão da Foz do Chapecó Energia e previamente discutido com a diretoria da Associação de Moradores do Reassentamento e com representantes do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB). Os indicadores resultantes servirão de referencial para a continuidade do trabalho de assistência técnica e social e eventuais redirecionamentos das metodologias adotadas, visando à melhoria contínua das ações. A seguir, apresentamos os principais dados obtidos com a pesquisa: Atividades exploradas pelas famílias reassentadas: Os dados coletados demonstraram a consolidação da principal atividade econômica desenvolvida no Reassentamento, seguida de atividades secundárias que complementam renda e destinam-se à subsistência dos moradores.

5 3% 5% 2% 25% 26% 39% Leite Soja Milho Feijão Hortaliça Fumo Principal fonte de renda da unidade familiar: A atividade leiteira atingiu o índice de 59% da renda, extremamente significativo em comparação às demais atividades agrícolas. A atividade leiteira possui uma cadeia articulada no município de Mangueirinha e região, representando a garantia de uma renda mensal que permite ao produtor planejamento e investimento com margem de segurança.

6 5% 7% 29% 59% Leite Grãos Hortaliça Fumo O trabalho de assistência técnica e social tem grande influência neste indicador, em decorrência das orientações dadas no preparo da pastagem, nas técnicas de manejo e no melhoramento do plantel genético do rebanho. Os reassentados também tiveram oportunidade de participar de capacitações e feiras agrosetoriais voltadas a esta área que contribuíram para sua qualificação como produtores (vide item 5 Ações Coletivas). A exploração de grãos, segunda atividade em geração de renda, também recebeu atenção especial nas atividades de assistência técnica. Os reassentados foram orientados sobre a compra de insumos para a safra 2013/2014, as adaptações tecnológicas necessárias à produção e a correta adubação. Produção de leite (litros/mês):

7 18% 18% Até 2000 lt/mês De 2001 a 3000 lt/mês 20% de 3001 a 4500 lt/mês acima de 4501 lt/mês 44% 3 REGISTRO FOTOGRÁFICO DE ATENDIMENTOS REALIZADOS

8 Alcides Franco (lote 09) foi orientado sobre a dessecação de área para o plantio de milho. Alcides Zancanaro (lote 26) foi instruído sobre o ponto de colheita da soja para diminuir perdas com umidade excessiva. Também foi orientado a trocar a

9 variedade de soja que havia adquirido por opção melhor adaptada ao clima, solo e fertilidade da sua propriedade. Carlos de Campos (lote 22) recebeu assistência na confecção de canteiros, na instalação de sistema de irrigação e na adubação para o plantio de cenoura. Em relação ao manejo de vacas de leite no pré-parto, foi orientado sobre como manter o escore corporal da vaca e prevenir a febre do parto. Edilceu Francisco Ticz (lote 24) e Elizeu Ticz (lote 38) foram orientados sobre o controle de pragas e doenças na cultura da soja, tornando-se capazes de detectar pragas e doenças na lavoura.

10 Raimundo da Silva (lote 45) foi instruído sobre o plantio de pastagem perene, o manejo destas pastagens, sua adubação, controle de invasores e piqueteamento. Roseli Pavão Dall Acqua (lote 06) recebeu auxílio na poda do pomar no período de dormência, tornando-se uma produtora mais qualificada. Sua famíllia foi auxiliada ainda no planejamento da próxima safra de verão e da compra dos insumos necessários.

11 Tarso Valdir Malacarne Ferrari (lote 13) foi assistido no manejo das pastagens, adubação de cobertura e controle de plantas invasoras. Também recebeu orientações sobre a exploração da cultura do milho. Valdemar Richter (lote 23), além da assistência com o rebanho leiteiro, foi orientado sobre o sistema de irrigação instalado na propriedade.

12 Valdir Vilson Guralski (lote 15) foi orientado sobre o plantio de morango e a adubação dos canteiros. 4 AS ATIVIDADES REALIZADAS EM NÚMEROS Apresentamos a seguir os dados consolidados das atividades de acompanhamento e orientação realizadas no período objeto deste relatório. Cumpre esclarecer que o número de famílias visitadas mês a mês pela equipe de assistência técnica no Reassentamento Rural Coletivo de Mangueirinha varia, tendo sido: 36 famílias visitadas no mês de março; 36 famílias visitadas no mês de abril; 38 famílias visitadas no mês de maio; 43 famílias visitadas no mês de junho; 43 famílias visitadas no mês de julho; 26 famílias visitadas no mês de agosto.

13 Mês de Março: Descrição da Atividade/Acompanhamento Acompanhamento e orientação da cultura de soja Orientação sobre prática de ensilagem de milho Orientação para implantação da cultura de morango Orientação para implantação da cultura de cenoura Orientação sobre acesso ao crédito de investimento Orientação na implantação de pastagem anual e perene Famílias (F) atendidas 09 F 05 F 02 F 15 F Mês de Abril: Descrição da Atividade/Acompanhamento Acompanhamento e orientação da cultura de soja Aplicação de questionário Orientação sobre prática de ensilagem de milho Orientação para implantação da cultura de cenoura Orientação sobre acesso ao crédito de investimento Orientação na implantação de pastagem anual e perene Famílias (F) atendidas 02 F 16 F 02 F 02 F 05 F Mês de Maio: Descrição da Atividade/Acompanhamento Orientação e planejamento para implantação da próxima safra Realização de questionário Elaboração de projeto de investimento Orientação para Condução da cultura da cenoura Realização de projeto para acesso ao crédito de investimento Orientação na campanha de vacinação aftosa Famílias (F) atendidas 09 F 24 F 04 F 04 F 29 F Mês de Junho: Descrição da Atividade/Acompanhamento Famílias (F)

14 Orientação e planejamento para implantação da próxima safra Convite para participar de encontro sobre bovinocultura leiteira Elaboração de projeto de investimento Realização de projeto de custeio pecuário Orientação para condução da cultura da cenoura Poda de pomar caseiro Entrega de mudas e orientação no plantio do morango atendidas 02 F TODAS 03 F 03 F Mês de Julho: Descrição da Atividade/Acompanhamento Realização de projeto de custeio Convite para participar de palestra sobre melhoramento genético Coleta de amostra de solo Realização de projeto de custeio pecuário Orientação para Condução da cultura do morango Poda pomar caseiro Realização de Projeto de investimento Famílias (F) atendidas 21 F TODAS 14 F 02 F 03 F Mês de Agosto: Descrição da Atividade/Acompanhamento Realização de projeto de custeio Auxílio no planejamento para plantio da safra 2013/2014 Coleta de amostra de solo Auxílio e orientação na regulagem de máquinas Orientação para condução da cultura do morango Poda de pomar caseiro Medição de área para planejamento da próxima safra Orientação e acompanhamento da bovinocultura de leite Famílias (F) atendidas 05 F 21 F 03 F 02 F 02 F

15 5 AÇÕES COLETIVAS Encontro: bovinocultura de leite No dia 15/06/2013 o centro comunitário do Reassentamento Rural Coletivo de Mangueirinha recebeu evento sobre técnicas e práticas na exploração da bovinocultura de leite, manejo de bezerras, manejo de vacas pré- parto e pósparto, adubação das pastagens e controle de plantas daninhas. Após o encontro, os moradores participaram de almoço e tarde de jogos para integração da Comunidade. JULHO Palestra: melhoramento genético de bovinos de leite

16 No dia 18/07/2013 o Reassentamento recebeu palestra de médico veterinário da empresa CRI Genética sobre melhoramento genético de bovinos de leite. O objetivo foi transmitir informações técnicas sobre como melhorar a qualidade genética do rebanho e, conseqüentemente, aumentar a produtividade dos animais. AGOSTO Planejamento do Plantio: safra 2013 / 2014 Reunião realizada no dia 21 de agosto entre a equipe que presta assisténcia técnica e a associação dos produtores do Reassentamento planejou a condução dos trabalhos e operações da patrulha agrícola da comunidade para o plantio da safra 2013 / Foi elaborado roteiro de atividades para ser executado a partir do dia 20/09/2013.

17 6 - AÇÕES FUTURAS O mês de setembro e o período subsequente têm programadas as seguintes ações: Acompanhamento da bovinocultura de leite, com atenção aos seguintes aspectos: implantação de pastagens anual e perene, sanidade animal, qualidade do leite, manejo de vacas pré-parto, bezerras pós-parto, pastagem irrigada e melhoramento genético; Planejamento para plantio da safra 2013/2014; Orientação na dessecação para plantio de milho; Elaboração de projeto de custeio; Interpretação de análise de solo e recomendação de adubação; Auxílio na regulagem de plantadeira e de pulverizador para plantio de milho e pastagem anual de verão; Orientação para plantio de melancia; Curso de Inseminação Artificial em bovinos de leite. 7 - EMPRESA EXECUTORA:

18 AGRISOLO ARBOIT & ANTUNES PLANEJAMENTOS AGRÍCOLAS LTDA - CNPJ / Rua Carlos Gomes, 31- Centro - Mangueirinha PR. Fone (46) Direção: Aroldo Antunes da Fonseca Equipe Técnica: Assistente Social Engenheiro Agrônomo Técnico em Agropecuária Técnico em Agrop. c/ graduação em Adm. Rural (Coordenador) Auxiliar Administrativo Ana Paula Kovaliski Serpa Rodrigo Dalchiavon Aroldo Antunes da Fonseca Paulo Giovani Arboit Cleverson Caldas Juncos

EMATER PARANÁ CONDOMÍNIOS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL: UMA PROPOSTA DE MELHORAMENTO GENÉTICO EM BOVINOS DE LEITE NO MUNICÍPIO DE TOLEDO PR.

EMATER PARANÁ CONDOMÍNIOS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL: UMA PROPOSTA DE MELHORAMENTO GENÉTICO EM BOVINOS DE LEITE NO MUNICÍPIO DE TOLEDO PR. EMATER PARANÁ CONDOMÍNIOS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL: UMA PROPOSTA DE MELHORAMENTO GENÉTICO EM BOVINOS DE LEITE NO MUNICÍPIO DE TOLEDO PR. Gelson Hein Médico Veterinário Unidade Local de Toledo NOVEMBRO

Leia mais

SUSTENTABILIDADE ECONÔMICA DA PRODUÇÃO DE LEITE EM UMA UNIDADE DE PRODUÇÃO FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE MIRAGUAI - RS

SUSTENTABILIDADE ECONÔMICA DA PRODUÇÃO DE LEITE EM UMA UNIDADE DE PRODUÇÃO FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE MIRAGUAI - RS SUSTENTABILIDADE ECONÔMICA DA PRODUÇÃO DE LEITE EM UMA UNIDADE DE PRODUÇÃO FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE MIRAGUAI - RS José Rubens Hermann dos Santos 1 ; Anderson Clayton Rhoden 2, Fabiana Raquel Mühl 3, Neuri

Leia mais

Intenções de Investimento

Intenções de Investimento Intenções de Investimento Segundo Trimestre 2014 Principais Resultados:» Preocupações atuais» Intenções de investimento em: Tecnologia / Custeio Maquinas e Equipamentos Gestão de Pessoas Infraestrutura

Leia mais

CALENDÁRIO DE ATIVIDADES NA PRODUÇÃO DE LEITE

CALENDÁRIO DE ATIVIDADES NA PRODUÇÃO DE LEITE CALENDÁRIO DE NA PRODUÇÃO DE LEITE MÊS DE JANEIRO ALIMENTAÇÃO Pastagens perenes Diferir áreas para colher sementes ou deixar sementar as pastagens. Utilizar pastagens de verão (principalmente no sistema

Leia mais

Gabinete do Prefeito Municipal de Mangueirinha, Estado do Paraná, aos 28 dias do mês de junho de 2001.

Gabinete do Prefeito Municipal de Mangueirinha, Estado do Paraná, aos 28 dias do mês de junho de 2001. LEI Nº 1114/2001 SÚMULA: Autoriza o Executivo Municipal, a criar o Programa de Incentivo da Produção Leiteira das pequenas propriedades no município de Mangueirinha, Pr. Faço saber, que a Câmara Municipal

Leia mais

de inverno que viraram opção para o pecuarista da região para conseguir ter pasto na época da seca.

de inverno que viraram opção para o pecuarista da região para conseguir ter pasto na época da seca. CUSTO DE PRODUÇÃO DE BOVINOCULTURA DE CORTE EM GUARAPUAVA/PR Com a iniciativa da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem (SENAR) e o Centro

Leia mais

Palestras Scot Consultoria

Palestras Scot Consultoria Palestras Scot Consultoria índice palestras scot consultoria As melhores e mais fiéis informações de mercado vão até você temas 3 pecuária de corte e seus derivados temas 5 pecuária de leite e derivados

Leia mais

QUALIFICAÇÃO DA PRODUÇÃO LEITEIRA FAMILIAR POR MEIO DE ATIVIDADES DIDÁTICAS

QUALIFICAÇÃO DA PRODUÇÃO LEITEIRA FAMILIAR POR MEIO DE ATIVIDADES DIDÁTICAS QUALIFICAÇÃO DA PRODUÇÃO LEITEIRA FAMILIAR POR MEIO DE ATIVIDADES DIDÁTICAS EJE- EXTENSIÓN, DOCENCIA E INVESTIGACIÓN PICOLI, Tony 1 ; ZANI, João Luíz 2 ; MARQUES, Lúcia Treptow 3 ; SCHUCH, Luís Filipe

Leia mais

TÍTULO DO PROGRAMA/PROJETO COORDENADOR RESUMO. Carlos Antônio Alvarenga Gonçalves. Estelamar Maria Borges Teixeira

TÍTULO DO PROGRAMA/PROJETO COORDENADOR RESUMO. Carlos Antônio Alvarenga Gonçalves. Estelamar Maria Borges Teixeira MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA TRIÂNGULO MINEIRO CAMPUS UBERABA. COORDENAÇÃO GERAL DE EXTENSÃO COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO TÍTULO DO PROGRAMA/PROJETO COORDENADOR

Leia mais

Índice de Confiança do Agronegócio. Realização Parceiros Pesquisa

Índice de Confiança do Agronegócio. Realização Parceiros Pesquisa Índice de Confiança do Agronegócio Realização Parceiros Pesquisa Motivações Motivações Medir, trimestralmente, as expectativas dos diferentes agentes do agronegócio, como indústria de insumos, cooperativas,

Leia mais

PROGRAMAS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM REBANHOS BOVINOS: ANÁLISE DOS GANHOS PARA OS PEQUENOS PRODUTORES

PROGRAMAS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM REBANHOS BOVINOS: ANÁLISE DOS GANHOS PARA OS PEQUENOS PRODUTORES PROGRAMAS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM REBANHOS BOVINOS: ANÁLISE DOS GANHOS PARA OS PEQUENOS PRODUTORES Rafael Herrera Alvarez Médico Veterinário, Doutor, Pesquisador Científico do Pólo Centro Sul/APTA

Leia mais

EDUCAMPO: um projeto que dá lucro 1

EDUCAMPO: um projeto que dá lucro 1 EDUCAMPO: um projeto que dá lucro 1 Sebastião Teixeira Gomes 2 1. Apresentação O objetivo deste artigo é apresentar o projeto Educampo, fruto da parceria entre o Sebrae-MG, a agroindústria e os produtores

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO AOS POLOS TECNOLÓGICOS

PROGRAMA DE APOIO AOS POLOS TECNOLÓGICOS PROGRAMA DE APOIO AOS POLOS TECNOLÓGICOS UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL Polo tecnológico dos Campos de Cima da Serra Xº RELATÓRIO TÉCNICO Implementação de uma Vitrine Tecnológica para os Campos de Cima

Leia mais

PLANTIO DE MILHO COM BRAQUIÁRIA. INTEGRAÇÃO LAVOURA PECUÁRIA - ILP

PLANTIO DE MILHO COM BRAQUIÁRIA. INTEGRAÇÃO LAVOURA PECUÁRIA - ILP PLANTIO DE MILHO COM BRAQUIÁRIA. INTEGRAÇÃO LAVOURA PECUÁRIA - ILP Autores: Eng.º Agr.º José Alberto Ávila Pires Eng.º Agr.º Wilson José Rosa Departamento Técnico da EMATER-MG Trabalho baseado em: Técnicas

Leia mais

USO DE CONCENTRADOS PARA VACAS LEITEIRAS

USO DE CONCENTRADOS PARA VACAS LEITEIRAS USO DE CONCENTRADOS PARA VACAS LEITEIRAS Ivan Pedro de O. Gomes, Med.Vet., D.Sc. Professor do Departamento de Zootecnia CAV/UDESC. e-mail: a2ipog@cav.udesc.br A alimentação constitui-se no principal componente

Leia mais

Problemas e desafios Soluções e ações propostas

Problemas e desafios Soluções e ações propostas FÓRUM DAS OFICINAS DO GRUPO DE TRABALHO DE AGRICULTURA ORGÂNICA E AGROECOLOGIA I - Introdução/Apresentações II - Comercialização III - Produção/Pesquisa/Assistência Técnica IV - Produção Animal V - Impactos

Leia mais

Custo de Produção do Milho Safrinha 2012

Custo de Produção do Milho Safrinha 2012 09 Custo de Produção do Milho Safrinha 2012 1 Carlos DirceuPitol Luiz2 Broch1 Dirceu Luiz Broch Roney Simões Pedroso2 9.1. Introdução Os sistemas de produção da atividade agropecuária cada vez requerem

Leia mais

1ª OLIMPIADA DO LEITE

1ª OLIMPIADA DO LEITE 1ª OLIMPIADA DO LEITE Justificativa : Como o avanço e o aparecimento de novas tecnologias é de fundamental importância que o produtor rural, assim como em qualquer atividade que demande tecnologia, venha

Leia mais

Práticas Agronômicas que Interferem na Produção de Silagem de Milho

Práticas Agronômicas que Interferem na Produção de Silagem de Milho Práticas Agronômicas que Interferem na Produção de Silagem de Milho Engº Agrº Robson F. de Paula Coordenador Técnico Regional Robson.depaula@pioneer.com Silagem de qualidade começa no campo! E no momento

Leia mais

Estratégias de ação vinculadas ao manejo da agrobiodiversidade com enfoque agroecológico visando a sustentabilidade de comunidades rurais

Estratégias de ação vinculadas ao manejo da agrobiodiversidade com enfoque agroecológico visando a sustentabilidade de comunidades rurais Estratégias de ação vinculadas ao manejo da agrobiodiversidade com enfoque agroecológico visando a sustentabilidade de comunidades rurais O desenvolvimento das ações em diferentes projetos poderão identificar

Leia mais

Produzir Leite é Bom Negócio? Alto Paranaíba. Sebastião Teixeira Gomes

Produzir Leite é Bom Negócio? Alto Paranaíba. Sebastião Teixeira Gomes Produzir Leite é Bom Negócio? Alto Paranaíba Sebastião Teixeira Gomes Viçosa Novembro 1996 1 Índice Especificação Página 1. Introdução... 2 2. Notas Metodológicas... 2 3. Recursos Disponíveis... 3 4. Raça

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL DO EGRESSO. O IFFarroupilha, em seus cursos, prioriza a formação de profissionais que:

PERFIL PROFISSIONAL DO EGRESSO. O IFFarroupilha, em seus cursos, prioriza a formação de profissionais que: PERFIL PROFISSIONAL DO EGRESSO O IFFarroupilha, em seus cursos, prioriza a formação de profissionais que: Tenham competência técnica e tecnológica em sua área de atuação; Sejam capazes de se inserir no

Leia mais

USINA HIDRELÉTRICA CANA BRAVA PROGRAMAS SÓCIO-AMBIENTAIS REMANESCENTES HISTÓRICO MENSAL DE ATIVIDADE DE FORNECEDOR

USINA HIDRELÉTRICA CANA BRAVA PROGRAMAS SÓCIO-AMBIENTAIS REMANESCENTES HISTÓRICO MENSAL DE ATIVIDADE DE FORNECEDOR Atendimentos Individuais ATIVIDADE / PRODUTO / INFORMAÇÕES 03 e 30/09 Antônio Carlos MRRCI Coleta de assinaturas nos recibos de auxílio financeiro e repasse do vale compras, ambos referente à verba de

Leia mais

TRABALHOS EXITOSOS EM ATER - 2014 EXTENSÃO RURAL ORGANIZAÇÃO E INCLUSÃO SOCIAL

TRABALHOS EXITOSOS EM ATER - 2014 EXTENSÃO RURAL ORGANIZAÇÃO E INCLUSÃO SOCIAL TRABALHOS EXITOSOS EM ATER - 2014 EXTENSÃO RURAL ORGANIZAÇÃO E INCLUSÃO SOCIAL ESCADA, 2014 EXTENSÃO RURAL CONSTRUIR UM SONHO E LUTAR POR ELE Regional : Palmares PE Municipio: Escada Comunidades: Sitio

Leia mais

Projeto da Emater aumenta a produtividade do feijão no Paraná

Projeto da Emater aumenta a produtividade do feijão no Paraná 06 DE NOVEMBRO DE 2012 caderno de editais PREFEITURA MUNICIPAL DE PIRAQUARA Projeto da Emater aumenta a produtividade do feijão no Paraná Arquivo/ANPr Os agricultores ainda têm informações sobre o uso

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO MANEJO NO PERÍODO SECO

A IMPORTÂNCIA DO MANEJO NO PERÍODO SECO A IMPORTÂNCIA DO MANEJO NO PERÍODO SECO Ricardo Dias Signoretti 1 Na prática, o período seco e transição (pré-parto) constituem-se num desafio aos técnicos e produtores de leite, que devem ficar atentos

Leia mais

Culturas. A Cultura do Milho. Nome A Cultura do Milho Produto Informação Tecnológica Data Outubro de 2000 Preço - Linha Culturas Resenha

Culturas. A Cultura do Milho. Nome A Cultura do Milho Produto Informação Tecnológica Data Outubro de 2000 Preço - Linha Culturas Resenha 1 de 5 10/16/aaaa 11:24 Culturas A Cultura do Milho Nome A Cultura do Milho Produto Informação Tecnológica Data Outubro de 2000 Preço - Linha Culturas Resenha Informações resumidas sobre a cultura do milho

Leia mais

Comparação do ganho de peso e desempenho de bezerras alimentadas com leite de descarte e leite normal durante a fase de aleitamento

Comparação do ganho de peso e desempenho de bezerras alimentadas com leite de descarte e leite normal durante a fase de aleitamento Comparação do ganho de peso e desempenho de bezerras alimentadas com leite de descarte e leite normal durante a fase de aleitamento Vinicius Emanoel Carvalho 1, Thiago Paim Silva 1, Marco Antônio Faria

Leia mais

Programa para Redução da Emissão de Gases de Efeito Estufa na Agricultura. Programa ABC

Programa para Redução da Emissão de Gases de Efeito Estufa na Agricultura. Programa ABC para Redução da Emissão de Gases de Efeito Estufa na Agricultura Conceito Crédito orientado para promover a redução das emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) na agricultura, conforme preconizado na

Leia mais

INTRODUÇÃO A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracteriza-se como um período fundamental no processo de

INTRODUÇÃO A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracteriza-se como um período fundamental no processo de d e b e z e r r o d e c o r t e INTRODUÇÃO A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracteriza-se como um período fundamental no processo de produção. As técnicas utilizadas

Leia mais

ANÁLISE DAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS SUSTENTÁVEIS UTILIZADAS POR COMERCIANTES DA FEIRA DO PRODUTOR FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE SÃO GABRIEL-RS.

ANÁLISE DAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS SUSTENTÁVEIS UTILIZADAS POR COMERCIANTES DA FEIRA DO PRODUTOR FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE SÃO GABRIEL-RS. ANÁLISE DAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS SUSTENTÁVEIS UTILIZADAS POR COMERCIANTES DA FEIRA DO PRODUTOR FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE SÃO GABRIEL-RS. Graciela Rodrigues Trindade (1) Bacharel em Gestão Ambiental formada

Leia mais

FOLDER PRODUÇÃO INTEGRADA DE ARROZ IRRIGADO. Produção Integrada de Arroz Irrigado

FOLDER PRODUÇÃO INTEGRADA DE ARROZ IRRIGADO. Produção Integrada de Arroz Irrigado FOLDER PRODUÇÃO INTEGRADA DE ARROZ IRRIGADO Produção Integrada de Arroz Irrigado O que é a Produção Integrada de Arroz Irrigado? A Produção Integrada é definida como um sistema de produção agrícola de

Leia mais

Praticado no Sudoeste do Paraná

Praticado no Sudoeste do Paraná Praticado no Sudoeste do Paraná SEAB SECRETARIA DE ESTADO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO SR1 Gado Leiteiro Especializado, milho e soja, que produz 150 mil litros de leite/ano, em 19,5 ha de SAU - sobre

Leia mais

PORTFÓLIO DOS CURSOS - 2015 PRONATEC - SENAR-AR/RN

PORTFÓLIO DOS CURSOS - 2015 PRONATEC - SENAR-AR/RN PORTFÓLIO DOS CURSOS - 2015 PRONATEC - SENAR-AR/RN 1. Agricultor Orgânico (160 horas) Perfil Profissional: Executa com base nas técnicas da produção orgânica, o manejo do solo e das culturas, a produção

Leia mais

O MANEJO SANITÁRIO E SUA IMPORTÂNCIA NO NOVO CONTEXTO DO AGRONEGÓCIO DA PRODUÇÃO DE PECUÁRIA DE CORTE

O MANEJO SANITÁRIO E SUA IMPORTÂNCIA NO NOVO CONTEXTO DO AGRONEGÓCIO DA PRODUÇÃO DE PECUÁRIA DE CORTE O MANEJO SANITÁRIO E SUA IMPORTÂNCIA NO NOVO CONTEXTO DO AGRONEGÓCIO DA PRODUÇÃO DE PECUÁRIA DE CORTE Guilherme Augusto Vieira, MV, MSc gavet@uol.com.br 1 Danilo Gusmão de Quadros, Eng.Agro,DSc - uneb_neppa@yahoo.com.br

Leia mais

O uso de concentrado para vacas leiteiras Contribuindo para eficiência da produção

O uso de concentrado para vacas leiteiras Contribuindo para eficiência da produção Leite relatório de inteligência JANEIRO 2014 O uso de concentrado para vacas leiteiras Contribuindo para eficiência da produção Na busca da eficiência nos processos produtivos na atividade leiteira este

Leia mais

O espaço rural brasileiro 7ºano PROF. FRANCO AUGUSTO

O espaço rural brasileiro 7ºano PROF. FRANCO AUGUSTO O espaço rural brasileiro 7ºano PROF. FRANCO AUGUSTO Agropecuária É o termo utilizado para designar as atividades da agricultura e da pecuária A agropecuária é uma das atividades mais antigas econômicas

Leia mais

ALTERNATIVAS ALIMENTARES NA CRIAÇÃO DE ANIMAIS LEITEIROS NA COMUNIDADE QUILOMBOLA RESUMO

ALTERNATIVAS ALIMENTARES NA CRIAÇÃO DE ANIMAIS LEITEIROS NA COMUNIDADE QUILOMBOLA RESUMO ALTERNATIVAS ALIMENTARES NA CRIAÇÃO DE ANIMAIS LEITEIROS NA COMUNIDADE QUILOMBOLA Mariana Viegas dos Santos 1 ; Euclides Reuter de Oliveira 2 ; Rafael Henrique Tonissi e Buschinelli de Goes 2 ; Andréa

Leia mais

Fazenda São Francisco São Francisco de Paula-RS Proprietário: José Lauri Moreira de Lucena

Fazenda São Francisco São Francisco de Paula-RS Proprietário: José Lauri Moreira de Lucena Fazenda São Francisco São Francisco de Paula-RS Proprietário: José Lauri Moreira de Lucena Área total: 354 ha Área pastoril: 330 ha Sistema de produção: Cria de Bovinos Histórico 1982 Início da propriedade

Leia mais

1º PRÊMIO DE EXTENSÃO RURAL GRUPO NOVA CITRUS

1º PRÊMIO DE EXTENSÃO RURAL GRUPO NOVA CITRUS 1º PRÊMIO DE EXTENSÃO RURAL GRUPO NOVA CITRUS Organização de Produtores para produção e comercialização de laranjas in natura. MAURÍLIO SOARES GOMES - Engenheiro Agrônomo JOSÉ ROBERTO GOLFETE - Técnico

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DOS PRODUTORES FAMILIARES NO MUNICÍPIO DE MONÇÕES, ESTADO DE SÃO PAULO 1.

CARACTERIZAÇÃO DOS PRODUTORES FAMILIARES NO MUNICÍPIO DE MONÇÕES, ESTADO DE SÃO PAULO 1. CARACTERIZAÇÃO DOS PRODUTORES FAMILIARES NO MUNICÍPIO DE MONÇÕES, ESTADO DE SÃO PAULO 1. MARIA AP. ANSELMO TARSITANO 2 JULIANO A. FABRÍCIO 3, ANTONIO LÁZARO SANT'ANA 2, ERCIO R. PROENÇA 2, SILVIA M. A.

Leia mais

Feira Internacional de tecnologia e negócios. 05 a 09 de março de 2012 Não-Me-Toque/RS

Feira Internacional de tecnologia e negócios. 05 a 09 de março de 2012 Não-Me-Toque/RS EXPODIRETO 2012 Feira Internacional de tecnologia e negócios 05 a 09 de março de 2012 Não-Me-Toque/RS EXPODIRETO 2012 Feira Internacional de tecnologia e negócios Você é nosso convidado para participar

Leia mais

Regimento. Programa de Residência Zootécnica como formador de agentes de desenvolvimento. Regimento

Regimento. Programa de Residência Zootécnica como formador de agentes de desenvolvimento. Regimento Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico Regimento Programa de Residência Zootécnica como formador de agentes de desenvolvimento territorial 2013 Embrapa Gado de Leite Juiz de Fora

Leia mais

CONSELHO PERMANENTE DE AGROMETEOROLOGIA APLICADA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

CONSELHO PERMANENTE DE AGROMETEOROLOGIA APLICADA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL CONSELHO PERMANENTE DE AGROMETEOROLOGIA APLICADA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Prognósticos e recomendações para o período Maio/junho/julho de 2014 Boletim de Informações nº

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Prefeitura Municipal de Passo Fundo Secretaria Municipal da Agricultura RELATÓRIO DOS SERVIÇOS PRESTADOS PELA

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Prefeitura Municipal de Passo Fundo Secretaria Municipal da Agricultura RELATÓRIO DOS SERVIÇOS PRESTADOS PELA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Prefeitura Municipal de Passo Fundo Secretaria Municipal da Agricultura RELATÓRIO DOS SERVIÇOS PRESTADOS PELA DIVISÃO AGRÍCOLA DA SECRETARIA MUNICIPAL DE AGRICULTURA SEMA 1º

Leia mais

PROJETO LAVOURA COMUNITÁRIA

PROJETO LAVOURA COMUNITÁRIA Agência Goiânia de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária-Emater Vinculada à Secretaria de Agricultura, Pecuária e Irrigação MINUTA PROJETO LAVOURA COMUNITÁRIA Safra 20XX /20XX Município:

Leia mais

PROJETO EDUCANDO COM A HORTA: CORES AROMAS E SABORES. NEI João Machado da Silva

PROJETO EDUCANDO COM A HORTA: CORES AROMAS E SABORES. NEI João Machado da Silva PROJETO EDUCANDO COM A HORTA: CORES AROMAS E SABORES NEI João Machado da Silva Justificativa Aproveitar racionalmente a pequena disponibilidade de espaço de terra do NEI João Machado da Silva na produção

Leia mais

Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado

Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado AGROSSÍNTESE Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado Edilson de Oliveira Santos 1 1 Mestre em Economia, Gestor Governamental da SEAGRI; e-mail: edilsonsantos@seagri.ba.gov.br

Leia mais

Linhas de Crédito PISCICULTURA INVESTIMENTO CUSTEIO. Obs.: As informações atinentes às linhas de crédito estão sujeitas a alterações.

Linhas de Crédito PISCICULTURA INVESTIMENTO CUSTEIO. Obs.: As informações atinentes às linhas de crédito estão sujeitas a alterações. PISCICULTURA CUSTEIO INVESTIMENTO Obs.: As informações atinentes às linhas de crédito estão sujeitas a alterações. financiar as despesas normais de custeio da produção agrícola e pecuária. Linhas de Crédito

Leia mais

APRESENTAÇÃO. ADM Agrícola

APRESENTAÇÃO. ADM Agrícola APRESENTAÇÃO ADM Agrícola Tela Inicial do ADM Agrícola Principais Recursos CONTROLE OPERACIONAL PLANEJAMENTO / CONTROLES FINANCEIRO Registro de todas as atividades agrícolas Custo de toda a fazenda Custo

Leia mais

PROJETO TÉCNICO SAF/ATER 120/2010. PROJETO ATER - DESENVOLVIMENTO Rural Inclusivo e Sustentável Região da Grande Dourados, MS

PROJETO TÉCNICO SAF/ATER 120/2010. PROJETO ATER - DESENVOLVIMENTO Rural Inclusivo e Sustentável Região da Grande Dourados, MS PROJETO TÉCNICO SAF/ATER 120/2010 PROJETO ATER - DESENVOLVIMENTO Rural Inclusivo e Sustentável Região da Grande Dourados, MS Propósito da Coopaer Identificar problemas oriundos da Cadeia produtiva leite;

Leia mais

Sistema de Integração Lavoura-Pecuária (ILP) de Corte da Embrapa Milho e Sorgo

Sistema de Integração Lavoura-Pecuária (ILP) de Corte da Embrapa Milho e Sorgo Sistema de Integração Lavoura-Pecuária (ILP) de Corte da Embrapa Milho e Sorgo Ramon C. Alvarenga¹ e Miguel M. Gontijo Neto¹ Pesquisadores da Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG) A Embrapa Milho e Sorgo

Leia mais

II Fórum SNPA Seminário técnico do Projeto de Reformulação das Pesquisas Agropecuárias do IBGE

II Fórum SNPA Seminário técnico do Projeto de Reformulação das Pesquisas Agropecuárias do IBGE II Fórum SNPA Seminário técnico do Projeto de Reformulação das Pesquisas Agropecuárias do IBGE Rio de janeiro, 25 de outubro de 2011 Av. República do Chile, nº500, 2º andar, Centro, Rio de Janeiro. Programa

Leia mais

O que é uma empresa rural?

O que é uma empresa rural? Contabilidade Rural Prof. João Marcelo O que é uma empresa rural? É aquela que explora a capacidade produtiva do solo por meio do cultivo da terra, da criação de animais e da transformação de determinados

Leia mais

3 Plantio e Semeadura

3 Plantio e Semeadura 3 Plantio e Semeadura 1 Plantio Éo ato de se colocar mudas ou partes vegetativas no solo para a instalação de determinada cultura. Exemplos: - Cana-de-açúcar; - Mandioca; - Arroz no cultivo com transplantio

Leia mais

Comunicado Técnico 06

Comunicado Técnico 06 Comunicado Técnico 06 ISSN 2177-854X Agosto. 2010 Uberaba - MG Irrigação de Pastagens Instruções Técnicas Responsáveis: André Luis Teixeira Fernandes; E-mail: andre.fernandes@fazu.br Engenheiro Agrônomo;

Leia mais

Integração Lavoura Pecuária

Integração Lavoura Pecuária Integração Lavoura Pecuária A B E A S CONVÊNIO Nº 420013200500139/SDC/MAPA A B E A S Apresentação Esta cartilha, produto do esforço do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA, em parceria

Leia mais

Banco do Brasil. Programa ABC

Banco do Brasil. Programa ABC Banco do Brasil Programa ABC Junho de 2015 Plano ABC Conceito Crédito orientado para promover a redução das emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) na agricultura, conforme preconizado na Política Nacional

Leia mais

Desempenho da Agroindústria em 2004. histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003), os

Desempenho da Agroindústria em 2004. histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003), os Desempenho da Agroindústria em 2004 Em 2004, a agroindústria obteve crescimento de 5,3%, marca mais elevada da série histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003),

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO MAPA SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO AGROPECUÁRIO E COOPERATIVISMO SDC

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO MAPA SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO AGROPECUÁRIO E COOPERATIVISMO SDC MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO MAPA SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO AGROPECUÁRIO E COOPERATIVISMO SDC Programa ABC Linha de Crédito para Agricultura de Baixa Emissão de Carbono Sidney

Leia mais

PRODUÇÃO ECONÔMICA DE SILAGEM 2º Dia de Campo de Ovinocultura Pedro Canário/ES 29/11/14

PRODUÇÃO ECONÔMICA DE SILAGEM 2º Dia de Campo de Ovinocultura Pedro Canário/ES 29/11/14 PRODUÇÃO ECONÔMICA DE SILAGEM 2º Dia de Campo de Ovinocultura Pedro Canário/ES 29/11/14 Pergunta fundamental 1 Quanto custa produzir um quilo de carne????????? Pergunta fundamental 2 O que produz o pecuarista?

Leia mais

FAZENDA SANTA LUZIA. Maurício Silveira Coelho HISTÓRICO

FAZENDA SANTA LUZIA. Maurício Silveira Coelho HISTÓRICO FAZENDA SANTA LUZIA Maurício Silveira Coelho Medico Veterinário CRMV MG 2352 Fazenda Santa Luzia PASSOS/MG E-mail mauricio@josecaboverde.com.br HISTÓRICO Proprietário: José Coelho Vítor e filhos Localização:

Leia mais

23ª Abertura Oficial da COLHEITA DO ARROZ. Restinga Seca - RS

23ª Abertura Oficial da COLHEITA DO ARROZ. Restinga Seca - RS 23ª Abertura Oficial da COLHEITA DO ARROZ. Restinga Seca - RS Carteira de Crédito Sicredi Fevereiro/2013 Saldo da Carteira de Crédito do Sicredi Carteira de Crédito Sicredi R$ 10.310,12 56,13% R$ 4.563,96

Leia mais

Propostas de luta para tornar nossa. vida melhor. Maio de 2003

Propostas de luta para tornar nossa. vida melhor. Maio de 2003 Propostas de luta para tornar nossa vida melhor Maio de 2003 Companheiros e companheiras A s políticas capitalistas neoliberais, aplicadas com mais força no governo FHC, foram muito duras com os trabalhadores

Leia mais

Programa ABC. Banco do Brasil Safra 2013/2014

Programa ABC. Banco do Brasil Safra 2013/2014 Programa ABC Banco do Brasil Safra 2013/2014 Balanço da Safra 2012/2013 Plano Safra 2012/2013 Crédito Rural - Desembolsos R$ 61,5 bilhões CRESCIMENTO de 28% em relação à safra anterior R$ 6,5 bilhões acima

Leia mais

PROGRAMA REFERENCIAL DE QUALIDADE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DA PECUÁRIA BOVINA DE MINAS GERAIS. Hélio Machado. Introdução

PROGRAMA REFERENCIAL DE QUALIDADE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DA PECUÁRIA BOVINA DE MINAS GERAIS. Hélio Machado. Introdução Capítulo 34 Gestão da pecuária bovina de Minas Gerais PROGRAMA REFERENCIAL DE QUALIDADE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DA PECUÁRIA BOVINA DE MINAS GERAIS Hélio Machado Introdução Minas Gerais tem uma área de 58

Leia mais

INSTITUIÇÃO EXECUTORA:

INSTITUIÇÃO EXECUTORA: FEDERAÇÃO DOS TRABALHADORES NA AGRICULTURA NO ESTADO DE MATO GROSSO 30 ANOS RELATÓRIO DO PROJETO DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO DA CULTURA DO ALGODÃO PARA AGRICULTORES FAMILIARES DE MATO GROSSO Relatório

Leia mais

GESTÃO DA PROPRIEDADE COMO EMPRESA RURAL E VIABILIDADE REAL DAS ATIVIDADES AGRÍCOLAS CASO PROPRIEDADE MONTE BELO (PEROBAL - PR)

GESTÃO DA PROPRIEDADE COMO EMPRESA RURAL E VIABILIDADE REAL DAS ATIVIDADES AGRÍCOLAS CASO PROPRIEDADE MONTE BELO (PEROBAL - PR) ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 GESTÃO DA PROPRIEDADE COMO EMPRESA RURAL E VIABILIDADE REAL DAS ATIVIDADES AGRÍCOLAS CASO PROPRIEDADE

Leia mais

Aprenda a produzir e preservar mais com a Série Produção com Preservação do Time Agro Brasil Entre no portal www.timeagrobrasil.com.

Aprenda a produzir e preservar mais com a Série Produção com Preservação do Time Agro Brasil Entre no portal www.timeagrobrasil.com. 1 Aprenda a produzir e preservar mais com a Série Produção com Preservação do Time Agro Brasil Entre no portal www.timeagrobrasil.com.br e baixe todas as cartilhas, ou retire no seu Sindicato Rural. E

Leia mais

A AGROFLORESTA AGROECOLÓGICA: UM MOMENTO DE SÍNTESE DA AGROECOLOGIA, UMA AGRICULTURA QUE CUIDA DO MEIO AMBIENTE.

A AGROFLORESTA AGROECOLÓGICA: UM MOMENTO DE SÍNTESE DA AGROECOLOGIA, UMA AGRICULTURA QUE CUIDA DO MEIO AMBIENTE. A AGROFLORESTA AGROECOLÓGICA: UM MOMENTO DE SÍNTESE DA AGROECOLOGIA, UMA AGRICULTURA QUE CUIDA DO MEIO AMBIENTE. Alvori Cristo dos Santos, Deser, Fevereiro 2007. Há alguns anos atrás, um movimento social

Leia mais

Disciplinas. Dinâmica de Potássio no solo e sua utilização nas culturas

Disciplinas. Dinâmica de Potássio no solo e sua utilização nas culturas Disciplinas Solos nos domínios morfoclimáticos do cerrado Ementa: Solos em ambientes de Cerrado. Sistema Brasileiro de Classificação do Solo. Caracterização morfológica das principais classes de solo inseridas

Leia mais

Estado do Paraná Secretaria da Agricultura e do Abastecimento SEAB Departamento de Economia Rural - DERAL. Florianópolis SC Junho - 2015

Estado do Paraná Secretaria da Agricultura e do Abastecimento SEAB Departamento de Economia Rural - DERAL. Florianópolis SC Junho - 2015 Secretaria da Agricultura e do Abastecimento SEAB Florianópolis SC Junho - 2015 Fonte: SEAB/DERAL. Secretaria da Agricultura e do Abastecimento SEAB O Departamento de Economia Rural está localizado na

Leia mais

Praticado no Sudoeste do Paraná

Praticado no Sudoeste do Paraná Praticado no Sudoeste do Paraná SEAB SECRETARIA DE ESTADO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO SR4 Produz grãos (milho, soja e feijão) na safra normal, fumo, trigo e 76 mil litros de leite em 22,0 ha de SAU,

Leia mais

Calendário Anual de Atividades da APPBCL Planejamento 2014

Calendário Anual de Atividades da APPBCL Planejamento 2014 Calendário Anual de Atividades da APPBCL Planejamento 2014 Calendário de Atividades 2014 Atividades SET OUT NOV DEZ Reunião Comunidades 20 Eventos Agronegócio na Sede 30 Balde Cheio Itinerante Cursos online

Leia mais

AQUICULTURA. Curso Sanidade em Aqüicultura. CRMVSP, 25 de maio de 2012

AQUICULTURA. Curso Sanidade em Aqüicultura. CRMVSP, 25 de maio de 2012 LEGISLAÇÃO SANITÁRIA EM AQUICULTURA Curso Sanidade em Aqüicultura CRMVSP, 25 de maio de 2012 CONCEITOS - A saúde é um direito de todos e dever do Estado (Constituição Federal); - Ações indelegáveis de

Leia mais

Sistemas de Produção de Leite Prof. Geraldo Tadeu dos Santos

Sistemas de Produção de Leite Prof. Geraldo Tadeu dos Santos Sistemas de Produção de Leite Prof. Geraldo Tadeu dos Santos É Exite uma grande diversidade dos sistemas de produção de leite praticados nos vários países produtores Argentina Austrália Nova Zelândia É

Leia mais

FOTO1-Preparo do solo inadequado na recuperação de pastagem, ocasionando erosão em sulcos.

FOTO1-Preparo do solo inadequado na recuperação de pastagem, ocasionando erosão em sulcos. IMPLANTAÇÃO DE SISTEMA DE INTEGRAÇÃO LAVOURA, PECUÁRIA E FLORESTA EM PROPRIEDADES DA AGRICULTURA FAMILIAR DA ZONA DA MATA DE MINAS. 1 Ricardo Tadeu Galvão Pereira- Eng o Agrônomo, Dsc, Coordenador Regional

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E EXTENSÃO - PROPEX PROGRAMA DO LEITE DO VALE DO TAQUARI MUNICÍPIO DE POUSO NOVO PRODUTORES DE LEITE

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E EXTENSÃO - PROPEX PROGRAMA DO LEITE DO VALE DO TAQUARI MUNICÍPIO DE POUSO NOVO PRODUTORES DE LEITE CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REITORIA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E EXTENSÃO - PROPEX BANCO DE DADOS REGIONAL - BDR PROGRAMA DO LEITE DO VALE DO TAQUARI MUNICÍPIO DE POUSO NOVO PRODUTORES DE LEITE UNIVATES

Leia mais

Milho + investimento mínimo, máximo retorno. Aildson Pereira Duarte e Isabella Clerici de Maria

Milho + investimento mínimo, máximo retorno. Aildson Pereira Duarte e Isabella Clerici de Maria Milho + brachiaria: investimento mínimo, máximo retorno Aildson Pereira Duarte e Isabella Clerici de Maria Pesquisadores do Instituto Agronômico (IAC), de Campinas, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Leia mais

Índices Zootécnicos Taxa de mortalidade 1,0% Idade de abate do boi gordo ou venda do animal Taxa de desfrute 45,81%

Índices Zootécnicos Taxa de mortalidade 1,0% Idade de abate do boi gordo ou venda do animal Taxa de desfrute 45,81% CUSTO DE PRODUÇÃO DE BOVINOCULTURA DE CORTE EM UMUARAMA/PR. Com a iniciativa da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem (SENAR) e o Centro

Leia mais

Contribuições do MAPA para a Implantação da Nova Lei Florestal

Contribuições do MAPA para a Implantação da Nova Lei Florestal MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO MAPA SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO AGROPECUÁRIO E COOPERATIVISMO SDC DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE PRODUÇÃO E SUSTENTABILIDADE DEPROS Contribuições do

Leia mais

A inserção do cultivo do arroz irrigado na Agricultura de Baixo Carbono do Plano Agrícola e Pecuário, Safra 2013/14

A inserção do cultivo do arroz irrigado na Agricultura de Baixo Carbono do Plano Agrícola e Pecuário, Safra 2013/14 A inserção do cultivo do arroz irrigado na Agricultura de Baixo Carbono do Plano Agrícola e Pecuário, Safra 2013/14 Eng. Agr. Sérgio Iraçu Gindri Lopes Gerente da Divisão de Pesquisa Estação Experimental

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias Departamento de Zootecnia Código da Disciplina: ZOO 05453 Disciplina: Bovinocultura de Leite PROGRAMA DA DISCIPLINA CAMPUS: Alegre CURSO:

Leia mais

Mestiçagem das vacas e rentabilidade da produção de leite 1

Mestiçagem das vacas e rentabilidade da produção de leite 1 Mestiçagem das vacas e rentabilidade da produção de leite 1 Sebastião Teixeira Gomes 2 Estima-se que 80% das vacas ordenhadas, no Brasil, são mestiças de raças européias e zebuínas. Dentre as européias,

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC DE MANEJO DE PASTAGENS EM BOVINOCULTURA DE LEITE. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC DE MANEJO DE PASTAGENS EM BOVINOCULTURA DE LEITE. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010

O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010 O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010 O IBGE realizou, em outubro, o primeiro prognóstico para

Leia mais

TRABALHOS EXITOSOS EM ATER - 2014

TRABALHOS EXITOSOS EM ATER - 2014 TRABALHOS EXITOSOS EM ATER - 2014 O SISTEMA PAIS (PRODUÇÃO AGROECOLÓGICA INTEGRADA E SUSTENTÁVEL) COMO INDUTOR DA DIVERSIFICAÇÃO PRODUTIVA E DO REDESENHO DO AGROECOSSISTEMA DE UMA PROPRIEDADE RURAL DO

Leia mais

MOC 10. CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO DE ATIVIDADES - COMUNIDADE NOSSA SENHORA APARECIDA

MOC 10. CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO DE ATIVIDADES - COMUNIDADE NOSSA SENHORA APARECIDA 10. CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO DE ATIVIDADES - COMUNIDADE NOSSA SENHORA APARECIDA EIXO Macroação ATIVIDADES Compor a equipe técnica com experiências no trabalho de desenvolvimento de comunidade. Identificar

Leia mais

A PRODUCAO LEITEIRA NOS

A PRODUCAO LEITEIRA NOS A PRODUCAO LEITEIRA NOS ESTADOS UNIDOS Estatisticas A produção leiteira durante Janeiro de 2012 superou os 7 bilhões de kg, 3.7% acima de Janeiro de 2011. A produção por vaca foi em media 842 kg em Janeiro,

Leia mais

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL NA PRODUÇÃO DE BOVINOS LEITEIROS DA AGRICULTURA FAMILIAR RURAL DO PARANÁ

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL NA PRODUÇÃO DE BOVINOS LEITEIROS DA AGRICULTURA FAMILIAR RURAL DO PARANÁ DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL NA PRODUÇÃO DE BOVINOS LEITEIROS DA AGRICULTURA FAMILIAR RURAL DO PARANÁ Área Temática: Tecnologia e Produção Júlio Cesar Damasceno (Coordenador da ação de Extensão) Júlio Cesar

Leia mais

CONCEITOS DA CONTABILIDADE RURAL

CONCEITOS DA CONTABILIDADE RURAL CONCEITOS DA CONTABILIDADE RURAL Instituto Federal Goiano Disciplina de Elaboração e Gestão de Projetos Agronegócio (Noturno) Bruno Maia, Eng Agrônomo, M. Sc. ROTEIRO Classificação das atividades agrícolas.

Leia mais

LEGISLAÇÃO EM SANIDADE

LEGISLAÇÃO EM SANIDADE Claudio Regis Depes 1983 Médico Veterinário Unesp (Jaboticabal) 2003 Especialização em Saúde Pública Veterinária Unesp (Botucatu) Trabalha na Coordenadoria de Defesa Agropecuária em Assis Gerente do Programa

Leia mais

PROGNÓSTICOS E RECOMENDAÇÕES PARA O PERÍODO OUTUBRO, NOVEMBRO E DEZEMBRO DE 2011

PROGNÓSTICOS E RECOMENDAÇÕES PARA O PERÍODO OUTUBRO, NOVEMBRO E DEZEMBRO DE 2011 Estado do Rio Grande do Sul CONSELHO PERMANENTE DE AGROMETEOROLOGIA APLICADA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROGNÓSTICOS E RECOMENDAÇÕES PARA O PERÍODO OUTUBRO, NOVEMBRO E DEZEMBRO DE 2011 Boletim de Informações

Leia mais

financeira na ovinocultura de corte

financeira na ovinocultura de corte Gestão e análise financeira na ovinocultura de corte Djalma de Freitas Zootecnista Doutor em Produção Animal Diretor Técnico PlanGesPec ProOvinos SENAR/FAMASUL Campo Grande/MS junho/2012 Objetivos Pensar

Leia mais

Ano V - Edição 34 Agosto 2014

Ano V - Edição 34 Agosto 2014 da pecuária de leite Ano V - Edição 34 Agosto 2014 PODER DE COMPRA AUMENTA NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2014 Por Pedro de Lima, equipe Gado de Leite Cepea O poder de compra do pecuarista de leite esteve maior,

Leia mais

10º LEVANTAMENTO DE SAFRAS DA CONAB - 2012/2013 Julho/2013

10º LEVANTAMENTO DE SAFRAS DA CONAB - 2012/2013 Julho/2013 10º LEVANTAMENTO DE SAFRAS DA CONAB - 2012/2013 Julho/2013 1. INTRODUÇÃO O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), por meio da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), realiza sistematicamente

Leia mais

PRODUÇÃO E PERPECTIVAS DA CADEIA DO LEITE NA AGRICULTURA FAMILIAR. Eng. Agr. Breno Kirchof

PRODUÇÃO E PERPECTIVAS DA CADEIA DO LEITE NA AGRICULTURA FAMILIAR. Eng. Agr. Breno Kirchof PRODUÇÃO E PERPECTIVAS DA CADEIA DO LEITE NA AGRICULTURA FAMILIAR Eng. Agr. Breno Kirchof SITUAÇÃO MUNDIAL PRODUÇÃO MUNDIAL LEITE VACA - 599,6 bilhões de litros leite/ano CRESCIMENTO PRODUÇÃO - 1% a 2%

Leia mais

PLANTIO DIRETO NA REGIÃO CENTRO SUL DO PARANÁ: SITUAÇÃO ATUAL, PROBLEMAS E PERSPECTIVAS

PLANTIO DIRETO NA REGIÃO CENTRO SUL DO PARANÁ: SITUAÇÃO ATUAL, PROBLEMAS E PERSPECTIVAS PLANTIO DIRETO NA REGIÃO CENTRO SUL DO PARANÁ: SITUAÇÃO ATUAL, PROBLEMAS E PERSPECTIVAS Lutécia Beatriz Canalli Eng. Agr., MSc Solos, Dra em Agronomia - Produção Vegetal Sistemas de produção sustentáveis

Leia mais

Políticas públicas e o financiamento da produção de café no Brasil

Políticas públicas e o financiamento da produção de café no Brasil Políticas públicas e o financiamento da produção de café no Brasil Organização Internacional do Café - OIC Londres, 21 de setembro de 2010. O Sistema Agroindustrial do Café no Brasil - Overview 1 Cafés

Leia mais

LEITE : PAGAMENTO POR QUALIDADE

LEITE : PAGAMENTO POR QUALIDADE LEITE : PAGAMENTO POR QUALIDADE A EXPERIÊNCIA DO POOL LEITE ABC Arnaldo Bandeira Mestrado em Produção Animal - UFSM Mestrado em Administração de Empresas - ESADE Pós Graduação em Agribusiness - FAE MBA

Leia mais