O Processo de Diagnóstico das Coleções de Microrganismos da Embrapa com relação à Norma ABNT NBR ISO/IEC 17025

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O Processo de Diagnóstico das Coleções de Microrganismos da Embrapa com relação à Norma ABNT NBR ISO/IEC 17025"

Transcrição

1 O Processo de Diagnóstico das Coleções de Microrganismos da Embrapa com relação à Norma ABNT NBR ISO/IEC Luzia Helena Corrêa Lima, Clarissa Silva Pires de Castro, Marise Ventura Coutinho, Heloísa da Silva Frazão, Eliana de Fátima Santana, Zilneide Pedrosa de Souza Amaral

2 INTRODUÇÃO Tipos de microrganismos: Vírus Bactérias Fungos

3 INTRODUÇÃO Aplicações dos microrganismos: Produção de antibióticos; Processamento de alimentos; Fertilização de solos; Transformação de substratos em produtos de maior valor agregado; Síntese de substâncias de interesse industrial; Biorremediação ambiental; Participação nos ciclos biogeoquímicos que auxiliam no desenvolvimento de inúmeras espécies.

4 INTRODUÇÃO Interesse das aplicações dos microrganismos Importância da preservação em coleções de culturas Disponíveis para estudos científicos e aplicações tecnológicas

5 INTRODUÇÃO 2009 criada a Rede de Recursos Genéticos Microbianos da Embrapa, com 10 coleções de culturas e, aproximadamente isolados de microrganismos conservados Objetivo: Coleta, identificação, preservação, documentação e a troca de informações - integração entre as coleções de culturas novo plano de ação - preparar seis coleções de culturas microbianas de três Unidades piloto da Embrapa, para implantação de um Sistema da Qualidade, sólido, eficiente e eficaz, baseado na Norma NBR ISO/IEC

6 MAPA DAS COLEÇÕES COLEÇÕES: 1, 2, 3, 4, e 7 Vírus, Bactérias e Fungos Região Centro Oeste COLEÇÕES: 6 e 8 Vírus, Bactérias e Fungos Região Sudeste COLEÇÕES: 5, 9 e 10 Vírus, Bactérias e Leveduras Região Sul

7 INTRODUÇÃO Estratégia inicial para a implantação da NBR ABNT ISO/IEC Diagnóstico Objetivo avaliar a situação em que se encontram as coleções de microrganismos, frente aos requisitos da norma da qualidade.

8 DESENVOLVIMENTO Planejamento: Etapas do Diagnóstico: v Contato com curador - estabelecimento de acordos: período e agenda (reuniões de abertura e encerramento; execução do diagnóstico); indicação dos responsáveis pelo acompanhamento da equipe de diagnóstico; indicação dos locais a serem visitados e envio dos documentos da coleção. v Análise de documentos e informações da coleção; v Elaboração de Plano/Agenda e lista de verificação a qual contempla os quinze requisitos da direção e dez requisitos técnicos.

9 REQUISITOS DA DIREÇÃO Organização (11) Sistema de gestão (4) Controle de documentos (14) Análise crítica de pedidos, propostas e contratos (14) Subcontratação de ensaios e calibrações (5) Aquisição de serviços e suprimentos (5) Atendimento ao cliente (5) Reclamações (1) Controle de trabalhos de ensaio e/ou calibração nãoconformes (4) Melhoria (4) Ação corretiva (4) Ação preventiva (4) Controle de registros (4) Auditorias internas (4) Análise crítica pela direção (4)

10 REQUISITOS TÉCNICOS Generalidades (1) Rastreabilidade da medição (17) Pessoal (8) Amostragem (4) Acomodações e condições ambientais (4) Métodos de ensaio e calibração e validação de métodos (14) Manuseio de itens de ensaio e calibração (9) Garantia da qualidade de resultados de ensaio e calibração (6) Apresentação de resultados (17) Equipamentos (14)

11 ITENS DA LISTA DE VERIFICAÇÃO Estrutura Organizacional da Unidade Responsáveis pela qualidade Manual da Qualidade Procedimentos Operacionais Padrão (POP) Planejamento Estratégico Sistema da Qualidade (SQ) Matriz de Competência Controle de acesso e saídas de emergência Núcleo de Gestão da Qualidade (NGQ) Instalações da coleção Adequação e aclimatização das instalações físicas Utilização de EPI s e EPC s Documentação do sistema da informação Padronização na identificação Comunicação para divulgação do SQ (Murais,Sites, Reuniões) Segregação de resíduos

12 DESENVOLVIMENTO Execução: reunião de abertura; verificação in loco; reunião entre os membros da equipe de diagnóstico; reunião de encerramento; elaboração de relatório v Dados Gerais (Nome, responsável e localização da Coleção; Equipes (Diagnóstico e Laboratório); Período; Documentos. v Introdução v Objetivos v Metodologia v Resultados v Considerações Finais v Conclusões v Anexos (Lista de Verificação).

13 Nível de atendimento das seis Coleções de Microrganismos da Embrapa aos requisitos da Direção da ABNT NBR ISO/IEC Análise de 96 itens dos 15 requisitos da Direção

14 Porcentagem de atendimento das seis Coleções de Microrganismos da Embrapa aos requisitos da Direção da ABNT NBR ISO/IEC

15 Nível de atendimento das seis Coleções de Microrganismos da Embrapa aos requisitos Técnicos da ABNT NBR ISO/IEC Análise de 84 itens dos 10 requisitos Técnicos

16 Porcentagem de atendimento das seis Coleções de Microrganismos da Embrapa aos requisitos Técnicos da ABNT NBR ISO/IEC

17 Nível de atendimento das seis Coleções de Microrganismos da Embrapa aos 31 requisitos do Programa 5 S

18 Porcentagem de atendimento das seis Coleções de Microrganismos da Embrapa aos 31 requisitos do Programa 5 S.

19 Análise comparativa de atendimento aos requisitos da Direção da ABNT NBR ISO/IEC nas seis Coleções de Microrganismos da Embrapa Análise de 96 itens dos 15 requisitos da Direção

20 Análise comparativa de não atendimento aos requisitos da Direção da ABNT NBR ISO/IEC nas seis Coleções de Microrganismos da Embrapa Análise de 96 itens dos 15 requisitos da Direção

21 Análise comparativa de atendimento aos requisitos Técnicos da ABNT NBR ISO/IEC nas seis Coleções de Microrganismos da Embrapa Análise de 84 itens dos 10 requisitos Técnicos

22 Análise comparativa de não atendimento aos requisitos Técnicos da ABNT NBR ISO/IEC nas seis Coleções de Microrganismos da Embrapa Análise de 84 itens dos 10 requisitos Técnicos

23 CONCLUSÃO Para a implantação de um sistema da qualidade sólido, eficiente e eficaz, baseado na Norma NBR ISO/IEC , as coleções necessitam, ainda, de: (1) adequações das instalações físicas; (2) documentos; (3) registros e (4) ações gerenciais. Importância da implantação de um Sistema da Qualidade nas Coleções: v preservação e organização mais eficientes; v agregação de valores; v níveis de excelência nos resultados de todas as etapas envolvidas; v harmonização de procedimentos e processos e estruturação de acordo com as exigências nacionais e internacionais, incluindo atividades de coleta e acesso ao patrimônio genético, regulamentações de biossegurança e acessibilidade.

24 REFERÊNCIAS [1] ABREU, M.M.V & TUTUNJI, V.L. Implantação e Manutenção de Culturas de Microrganismos do UniCEUB Universitas Ciência da Saúde, vol. 02, n.02, pp [2] ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. ABNT NBR ISO/IEC 17025: Requisitos gerais para a competência de laboratórios de ensaio e calibração. Rio de Janeiro, [3] CANHOS, V.P. & ROSANA, R.F. A importância das coleções biológicas. SCIENTIFIC AMERICAN BRASIL, p.20, Novembro [4] CANHOS,V.P.; FERRAZ DE SOUZA,R.D.; ÁVILA, J.P.C. Avanços na implementação da RedeBrasileira de Centros de Recursos Biológicos. Microbiologia in foco. 9: [5] MCT. Diretrizes e estratégias para a modernização de coleções biológicas brasileiras e a consolidação de sistemas integrados de informação sobre biodiversidade / ADRIANO B. KURY [et al.]. Brasília: Centro de Gestão e Estudos Estratégicos: Ministério da Ciência e Tecnologia, p. Disponível em: Acesso em setembro de [6] OECD. Best Practice Guidelines for biological resource centers. OECD. Directorate for Science, Technology and Industry Disponível em: Acesso em setembro de 2011

25 AGRADECIMENTOS Comissão Organizadora do CONGRESSO ABIPTI 2012 Embrapa (projetos: Rede ISO e Rede Microbiana) FINEP (projeto EMBRAPAISO) CNPq (projeto Repensa) Membros do NGQ e CQ

26 LUZIA HELENA CORRÊA LIMA (61) OBRIGADA!

NBR ISO/IEC 17025 CONCEITOS BÁSICOS

NBR ISO/IEC 17025 CONCEITOS BÁSICOS NBR ISO/IEC 17025 CONCEITOS BÁSICOS Alexandre Dias de Carvalho INMETRO/CGCRE/DICLA 1/ 28 NBR ISO/IEC 17025 Estabelece requisitos gerenciais e técnicos para a implementação de sistema de gestão da qualidade

Leia mais

PROCEDIMENTO GERENCIAL DE CONTROLE DE REGISTROS

PROCEDIMENTO GERENCIAL DE CONTROLE DE REGISTROS Documentos ISSN 0102-0110 Novembro, 2006 197 Recursos Genéticos e Biotecnologia ISSN 0102 0110 Novembro, 2006 Documentos 197 PROCEDIMENTO GERENCIAL DE CONTROLE DE REGISTROS Clarissa Silva Pires de Castro

Leia mais

ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO EM ORGANIZAÇÕES

ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO EM ORGANIZAÇÕES V CONGRESSO BRASILEIRO DE METROLOGIA Metrologia para a competitividade em áreas estratégicas 9 a 13 de novembro de 2009. Salvador, Bahia Brasil. ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO

Leia mais

O Processo de Acreditação da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia nas Normas NBR ISO/IEC 17.025 e Boas Práticas de Laboratório

O Processo de Acreditação da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia nas Normas NBR ISO/IEC 17.025 e Boas Práticas de Laboratório O Processo de Acreditação da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia nas Normas NBR ISO/IEC 17.025 e Boas Práticas de Laboratório Pires de Castro, Clarissa Silva 1 ; Frazão, Heloísa da Silva 2 ; Coutinho,

Leia mais

Bom Dia!!! Sejam Bem Vindos ao curso gratuito via WEB: Interpretação e Aplicação Prática dos. Requisitos da NBR ISO/IEC 17025: 2005

Bom Dia!!! Sejam Bem Vindos ao curso gratuito via WEB: Interpretação e Aplicação Prática dos. Requisitos da NBR ISO/IEC 17025: 2005 Bom Dia!!! Sejam Bem Vindos ao curso gratuito via WEB: Coordenação da Qualidade da Ditel. O Curso: Visa apresentar a Interpretação e entendimentos de Aplicação Prática dos requisitos da norma: NBR ISO/IEC

Leia mais

Difusão da Certificação ISO 9001 da Embrapa Meio Ambiente

Difusão da Certificação ISO 9001 da Embrapa Meio Ambiente Videoconferência Difusão da Certificação ISO 9001 da Embrapa Meio Ambiente Data: 22 e 24 de março de 2011 Objetivo Difundir a experiência da Embrapa Meio Ambiente com o processo de obtenção da certificação

Leia mais

FORMAÇÃO DE AVALIADORES DE SGI PELAS NORMAS DE GESTÃO DE QUALIDADE, SMS E RESPONSABILIDADE SOCIAL

FORMAÇÃO DE AVALIADORES DE SGI PELAS NORMAS DE GESTÃO DE QUALIDADE, SMS E RESPONSABILIDADE SOCIAL FORMAÇÃO DE AVALIADORES DE SGI PELAS NORMAS DE GESTÃO DE QUALIDADE, SMS E RESPONSABILIDADE SOCIAL 1 MODELOS DE GESTÃO MODELO Busca representar a realidade GESTÃO ACT CHECK PLAN DO PDCA 2 MODELOS DE GESTÃO

Leia mais

Programa de Capacitação Interna - I Jornada PCI - CETEM

Programa de Capacitação Interna - I Jornada PCI - CETEM Programa de Capacitação Interna - I Jornada PCI - CETEM Marta Brandão Tozzi Bolsista, Química Industrial, M. Sc. Maria Alice Goes Orientadora, Engenheira Metalúrgica, D. Sc. Resumo O CETEM é acreditado

Leia mais

ESTRUTURA ISO 9.001:2008

ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Sistema de Gestão Qualidade (SGQ) ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Objetivos: Melhoria da norma existente; Melhoria do entendimento e facilidade de uso; Compatibilidade com a ISO 14001:2004; Foco Melhorar o entendimento

Leia mais

Comparação de requisitos para a gestão de qualidade em laboratórios segundo NBR ISO/ IEC 17025 e Boas Práticas de Laboratório (BPL)

Comparação de requisitos para a gestão de qualidade em laboratórios segundo NBR ISO/ IEC 17025 e Boas Práticas de Laboratório (BPL) ISSN 2177-4420 09 Comparação de requisitos para a gestão de qualidade em laboratórios segundo NBR ISO/ IEC 17025 e Boas Práticas de Laboratório (BPL) Apresentação Os laboratórios têm passado por intensas

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DETALHADO FORMAÇÃO DE ESPECIALISTA EM SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DETALHADO FORMAÇÃO DE ESPECIALISTA EM SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO PARTE I INTRODUÇÃO AO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO Módulo 01: Generalidades (10 horas). o Sistema de Gestão: o que é e quais os benefícios? o Qualidade o Ambiental o Saúde e Segurança no Trabalho o Sistema

Leia mais

Requisitos Boas Práticas/OCDE. Memorando de Entendimento. Rede de Informações. Gestão da Rede Global. Elementos Principais da Rede Global

Requisitos Boas Práticas/OCDE. Memorando de Entendimento. Rede de Informações. Gestão da Rede Global. Elementos Principais da Rede Global Plano de Acreditação das Atividades dos Centros de Recursos Biológicos no Brasil Elizabeth Cavalcanti, Waldemar Souza, Renata Almeida Inmetro/Cgcre/Dconf Petrópolis 16,17,18 set 2013 Elementos Principais

Leia mais

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade Preparando a Implantação de um Projeto Pró-Inova - InovaGusa Ana Júlia Ramos Pesquisadora em Metrologia e Qualidade e Especialista em Sistemas de Gestão da Qualidade 1. Gestão Gestão Atividades coordenadas

Leia mais

Maria do Carmo Sobral (1) Professora adjunta do Departamento de Engenharia Civil, UFPE, Engenheira Civil, Mestre

Maria do Carmo Sobral (1) Professora adjunta do Departamento de Engenharia Civil, UFPE, Engenheira Civil, Mestre VI-093 SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA NAS ÁREAS DE MEIO AMBIENTE, QUALIDADE, SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL UMA ABORDAGEM PRÁTICA NA INDÚSTRIA PETROFLEX-CABO/PE Maria do Carmo Sobral (1) Professora adjunta

Leia mais

SISTEMAS DA QUALIDADE PARA LABORATÓRIOS DE ENSAIO E CALIBRAÇÃO SEGUNDO A NBR ISO/IEC 17025:2005

SISTEMAS DA QUALIDADE PARA LABORATÓRIOS DE ENSAIO E CALIBRAÇÃO SEGUNDO A NBR ISO/IEC 17025:2005 INPE-14785-PUD/184 SISTEMAS DA QUALIDADE PARA LABORATÓRIOS DE ENSAIO E CALIBRAÇÃO SEGUNDO A NBR ISO/IEC 17025:2005 Alexandre Guirland Nowosad João Gualberto de Cerqueira Júnior INPE São José dos Campos

Leia mais

SIMPROS 2001. Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos

SIMPROS 2001. Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos Adilson Sérgio Nicoletti Blumenau, SC - setembro de 2001 Conteúdo Apresentação

Leia mais

Correspondência entre OHSAS 18001, ISO 14001:1996, ISO 9001:1994 e ISO 9001:2000

Correspondência entre OHSAS 18001, ISO 14001:1996, ISO 9001:1994 e ISO 9001:2000 Anexo A (informativo) Correspondência entre, ISO 14001:1996, ISO 9001:1994 e ISO 9001:2000 Tabela A.1 - Correspondência entre, ISO 14001:1996 e ISO 9001:1994 Seção Seção ISO 14001:1996 Seção ISO 9001:1994

Leia mais

Matrizes de Correlaça o ISO 9001:2008 e ISO 9001:2015

Matrizes de Correlaça o ISO 9001:2008 e ISO 9001:2015 2015 Matrizes de Correlaça o ISO 9001:2008 e ISO 9001:2015 Texto traduzido e adaptado por Fernando Fibe De Cicco, Coordenador de Novos Projetos do QSP. Outubro de 2015. Matrizes de correlação entre a ISO

Leia mais

Coleções FIOCRUZ. Coleção de Malacologia Médica Centro de Pesquisas René Rachou. Sistema de Gestão Unificado

Coleções FIOCRUZ. Coleção de Malacologia Médica Centro de Pesquisas René Rachou. Sistema de Gestão Unificado Coleções FIOCRUZ Coleção de Malacologia Médica Centro de Pesquisas René Rachou Sistema de Gestão Unificado Cristiane Lafetá Pesquisas financiadas com recursos públicos são bens públicos e que informações

Leia mais

Capítulo 4: Diagnóstico do Sistema Normativo do SISMETRA

Capítulo 4: Diagnóstico do Sistema Normativo do SISMETRA Capítulo 4: Diagnóstico do Sistema Normativo do SISMETRA Caracterizado no Capítulo 3, à luz da prática internacional de normalização, o sistema normativo do SISMETRA foi objeto de criteriosa análise de

Leia mais

SELO ABRAIDI Programa de BPADPS

SELO ABRAIDI Programa de BPADPS SELO ABRAIDI Programa de BPADPS Reuniões: Julho a Agosto de 2010 Associação Brasileira de Importadores e Distribuidores de Implantes PAUTA * OBJETIVOS * ASPECTOS FUNDAMENTAIS * HISTÓRICO * SITUAÇÃO ATUAL

Leia mais

ISO 17025 Versão 2005

ISO 17025 Versão 2005 1º Fórum Regional de Química - ES ISO 17025 Versão 2005 Rev. 14 Samuel Vieira JUN/2010 1 Terminologia e Siglas ABNT NBR ISO 9000:2000 Sistemas de gestão da qualidade Fundamentos e Vocabulário ABNT NBR

Leia mais

CHECKLIST DA RDC 16/2013

CHECKLIST DA RDC 16/2013 CHECKLIST DA RDC 16/2013 Checklist para a RDC 16 de 2013 Página 2 de 10 Checklist 1. 2.1 Disposições gerais Existe um manual da qualidade na empresa? 2. Existe uma política da qualidade na empresa? 3.

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade

Sistema de Gestão da Qualidade Sistema de Gestão da Qualidade Coordenadora Responsável Mara Luck Mendes, Jaguariúna, SP, mara@cnpma.embrapa.br RESUMO Em abril de 2003 foi lançado oficialmente pela Chefia da Embrapa Meio Ambiente o Cronograma

Leia mais

Documentos. ISSN 0102-0110 Dezembro, 2008 275. Procedimento Gerencial de Gestão de Equipamentos e Instrumentos de Medição

Documentos. ISSN 0102-0110 Dezembro, 2008 275. Procedimento Gerencial de Gestão de Equipamentos e Instrumentos de Medição Documentos ISSN 0102-0110 Dezembro, 2008 275 Procedimento Gerencial de Gestão de Equipamentos e Instrumentos de Medição ISSN 0102 0110 Dezembro, 2008 Documentos 275 Procedimento Gerencial de Gestão de

Leia mais

SÍNTESE DA RDC 306/04 ANVISA/MS

SÍNTESE DA RDC 306/04 ANVISA/MS SÍNTESE DA RDC 306/04 ANVISA/MS NATAL/OUT/2013 RDC 306/04/ANVISA RESIDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE - RSS REGULAMENTAÇÃO HARMONIZAÇÃO ENTRE CONAMA E ANVISA Aprimorar, atualizar e complementar RDC 306/04/ANVISA

Leia mais

RM 12 DIRETRIZES PARA REALIZAÇÃO DE AVALIAÇÕES 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 2 REFERÊNCIAS 3 DEFINIÇÕES 4 METODOLOGIA

RM 12 DIRETRIZES PARA REALIZAÇÃO DE AVALIAÇÕES 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 2 REFERÊNCIAS 3 DEFINIÇÕES 4 METODOLOGIA SUMÁRIO 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 2 REFERÊNCIAS 3 DEFINIÇÕES 4 METODOLOGIA 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO O presente documento tem como objetivo estabelecer diretrizes e orientações para realização

Leia mais

PROVA DE NÍVEL SUPERIOR

PROVA DE NÍVEL SUPERIOR PROVA DE NÍVEL SUPERIOR CARGO: Técnico de Nível Superior Júnior I - QUÍMICA 1. PPHO são os Procedimentos-Padrão de Higiene Operacional. Um bom plano de PPHO deve ser estruturado sobre alguns pontos básicos.

Leia mais

Saada Chequer Fernandez

Saada Chequer Fernandez Saada Chequer Fernandez Analista de Gestão em Saúde Coordenação da Qualidade CIQ/Direh/FIOCRUZ Gerenciamento da Qualidade em Laboratório de Anatomia Patológica VI Congresso Regional de Histotecnologia

Leia mais

Os processos. Auditorias internas. Requisitos ISO 9001 S1E1

Os processos. Auditorias internas. Requisitos ISO 9001 S1E1 Os processos Requisitos ISO 9001 s internas S1E1 Metodologia Esta capacitação em s Internas de Sistemas de Gestão da Qualidade prevê a construção do conhecimento por meio de exercícios teórico-práticos

Leia mais

Plano de Aula - Sistema de Gestão da Qualidade - cód. 5325. 56 Horas/Aula

Plano de Aula - Sistema de Gestão da Qualidade - cód. 5325. 56 Horas/Aula Plano de Aula - Sistema de Gestão da - cód. 5325 Aula 1 Capítulo 1 - Conceitos e Fundamentos da Aula 2 1 - Aula 3 1 - Aula 4 1 - Aula 5 Capítulo 2 - Ferramentas da Aula 6 2 - Ferramentas da Aula 7 2 -

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA ESTUDOCOMPARATIVO NBRISO13485:2004 RDC59:2000 PORTARIA686:1998 ITENSDEVERIFICAÇÃOPARAAUDITORIA 1. OBJETIVO 1.2. 1. Há algum requisito da Clausula 7 da NBR ISO 13485:2004 que foi excluída do escopo de aplicação

Leia mais

ORIENTAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DE AUDITORIA INTERNA E ANÁLISE CRÍTICA EM LABORATÓRIOS DE CALIBRAÇÃO E DE ENSAIO. Documento de caráter orientativo

ORIENTAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DE AUDITORIA INTERNA E ANÁLISE CRÍTICA EM LABORATÓRIOS DE CALIBRAÇÃO E DE ENSAIO. Documento de caráter orientativo Coordenação Geral de Acreditação ORIENTAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DE AUDITORIA INTERNA E ANÁLISE CRÍTICA EM LABORATÓRIOS DE CALIBRAÇÃO E DE ENSAIO Documento de caráter orientativo DOQ-CGCRE-002 Revisão 03

Leia mais

A Rede Nacional de Laboratórios Agropecuários

A Rede Nacional de Laboratórios Agropecuários A Rede Nacional de Laboratórios Agropecuários Área de Resíduos e Contaminantes Nov 2007 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Defesa Agropecuária Coordenação-Geral de Apoio

Leia mais

Requisitos da Qualidade. Erica Chimara Instituto Adolfo Lutz

Requisitos da Qualidade. Erica Chimara Instituto Adolfo Lutz Requisitos da Qualidade Erica Chimara Instituto Adolfo Lutz Variáveis que afetam a qualidade Conhecimento teórico e treinamento do profissional de laboratório Condição da amostra Controles usados nos testes

Leia mais

Palestra Informativa Sistema da Qualidade NBR ISO 9001:2000

Palestra Informativa Sistema da Qualidade NBR ISO 9001:2000 Palestra Informativa Sistema da Qualidade NBR ISO 9001:2000 ISO 9001:2000 Esta norma considera de forma inovadora: problemas de compatibilidade com outras normas dificuldades de pequenas organizações tendências

Leia mais

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos NORMA BRASILEIRA ABNT NBR ISO 9001:2008 ERRATA 1 Publicada em 11.09.2009 Sistemas de gestão da qualidade Requisitos ERRATA 1 Esta Errata 1 da ABNT NBR ISO 9001:2008 foi elaborada no Comitê Brasileiro da

Leia mais

O IMPORTANTE PAPEL DA GESTÃO DA QUALIDADE EM LABORATÓRIOS DE ANÁLISE CONTROLE DE EFLUENTES

O IMPORTANTE PAPEL DA GESTÃO DA QUALIDADE EM LABORATÓRIOS DE ANÁLISE CONTROLE DE EFLUENTES O IMPORTANTE PAPEL DA GESTÃO DA QUALIDADE EM LABORATÓRIOS DE ANÁLISE CONTROLE DE EFLUENTES Natália de Freitas Colesanti Perlette (1) Engenheira Ambiental formada na Universidade Estadual Paulista Júlio

Leia mais

Qualidade nas Coleções Biológicas: Diagnóstico e Pressupostos do Sistema de Gestão da Qualidade da Fiocruz

Qualidade nas Coleções Biológicas: Diagnóstico e Pressupostos do Sistema de Gestão da Qualidade da Fiocruz Coordenação da Qualidade da Fiocruz Qualidade nas Coleções Biológicas: Diagnóstico e Pressupostos do Sistema de Gestão da Qualidade da Fiocruz 2º Encontro das Coleções Biológicas da Fiocruz Comitê Gestor

Leia mais

I S O ISO? NORMA ISO 9002 NORMA ISO 9002 NORMA ISO 9002 ISO SÉRIE 9000? BUROCRACIA? GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE

I S O ISO? NORMA ISO 9002 NORMA ISO 9002 NORMA ISO 9002 ISO SÉRIE 9000? BUROCRACIA? GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE ISO? ITÁLIA CANADÁ ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL, NÃO GOVERNAMENTAL, QUE ELABORA NORMAS. FAZEM PARTE DA ISO ENTIDADES DE NORMALIZAÇÃO DE MAIS DE UMA CENTENA DE PAÍSES. JAPÃO EUA I S O INGLATERRA ALEMANHA BRASIL

Leia mais

I S O ISO? NORMA ISO 9002 NORMA ISO 9002 ISO SÉRIE 9000? GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE

I S O ISO? NORMA ISO 9002 NORMA ISO 9002 ISO SÉRIE 9000? GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE ISO? ITÁLIA CANADÁ ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL, NÃO GOVERNAMENTAL, QUE ELABORA NORMAS. FAZEM PARTE DA ISO ENTIDADES DE NORMALIZAÇÃO DE MAIS DE UMA CENTENA DE PAÍSES. JAPÃO EUA I S O INGLATERRA ALEMANHA BRASIL

Leia mais

ISO 9000-3 3 e ISO 9001

ISO 9000-3 3 e ISO 9001 QUALIDADE DO PROCESSO ISO 9000-3 3 e ISO 9001 Baseado no material do prof. Mario Lúcio Cortes http://www.ic.unicamp.br/~cortes/mc726/ 1 Normas da Série ISO 9000 Introdução ISO 9000 (NBR ISO 9000, versão

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DETALHADO FORMAÇÃO DE ESPECIALISTA EM SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DETALHADO FORMAÇÃO DE ESPECIALISTA EM SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO PARTE 1 ESTRUTURA DO SGI Módulo SGI-1.0 - Introdução (04 horas) Apresentação da metodologia do Programa de Formação Manual do Aluno Critérios de aprovação e reposição de módulos Uso da plataforma do Ambiente

Leia mais

Enviado por sanson@tecpar.br. em 19/12/11. Recebido por

Enviado por sanson@tecpar.br. em 19/12/11. Recebido por Pedido nº.: Destinatário/ Addressee: PREFEITURA MUNICIPAL DE COLOMBO ((41) 3656-8161) Data/Date: 16 / 12 / 2011 Nome/Name: ISMAILIN SCHROTTER Fax N : Remetente/Sender: TECPAR CERTIFICAÇÃO Páginas/Pages:

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE. Documentaçã. ção da Qualidade. Rosiane Nickel DVGQB LACEN/PR

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE. Documentaçã. ção da Qualidade. Rosiane Nickel DVGQB LACEN/PR SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE NOS LABORATÓRIOS RIOS CLÍNICOS: Documentaçã ção da Qualidade Rosiane Nickel DVGQB LACEN/PR QUALIDADE QUALIDADE Grau no qual um conjunto de características inerentes satisfaz

Leia mais

CHECK - LIST - ISO 9001:2000

CHECK - LIST - ISO 9001:2000 REQUISITOS ISO 9001: 2000 SIM NÃO 1.2 APLICAÇÃO A organização identificou as exclusões de itens da norma no seu manual da qualidade? As exclusões são relacionadas somente aos requisitos da sessão 7 da

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001 Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Conceitos Gerais A gestão ambiental abrange uma vasta gama de questões, inclusive aquelas com implicações estratégicas

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Rafael D. Ribeiro, M.Sc. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br A expressão ISO 9000 (International Organization for Standardization) designa um grupo de normas técnicas que estabelecem

Leia mais

GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE BASEADA NA NORMA NBR ISO 9001:2000 EM EMPRESAS SITUADAS EM PÓLOS OFFSHORE.

GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE BASEADA NA NORMA NBR ISO 9001:2000 EM EMPRESAS SITUADAS EM PÓLOS OFFSHORE. GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE BASEADA NA NORMA NBR ISO 9001:2000 EM EMPRESAS SITUADAS EM PÓLOS OFFSHORE. Ivan Santos de Lima Engenheiro Naval pela Universidade Federal do Rio

Leia mais

Integração de sistemas certificáveis de gestão da qualidade, meio ambiente e segurança do trabalho

Integração de sistemas certificáveis de gestão da qualidade, meio ambiente e segurança do trabalho Integração de sistemas certificáveis de gestão da qualidade, meio ambiente e segurança do trabalho (ISO 9001, ISO 14001 e OHSAS 18001) Prof. Livre Docente Otávio J. Oliveira UNESP CONTEXTUALIZAÇÃO - Diluição

Leia mais

ANEXO VII: NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3)

ANEXO VII: NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3) ANEXO VII: NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3) NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3) 9.1. Do objeto e campo de aplicação. 9.1.1. Esta Norma Regulamentadora

Leia mais

MUDANÇA DO PAPEL DO AVALIADOR LÍDER

MUDANÇA DO PAPEL DO AVALIADOR LÍDER MUDANÇA DO PAPEL DO AVALIADOR LÍDER Gloria Maria Pereira da Silva Chefe do Núcleo de Avaliação de Laboratórios de Calibração Divisão de Acreditação de Laboratórios Objetivo da Apresentação Apresentar o

Leia mais

A Acreditação como Requisito num Laboratório de Referência

A Acreditação como Requisito num Laboratório de Referência A Acreditação como Requisito num Laboratório de Referência Departamento Saúde Ambiental Natália Faria; Teresa Anacleto Dia do INSA 29-09-2009 ACREDITAÇÃO DE LABORATÓRIOS (NP EN ISO/IEC 17025:2005) Requisitos

Leia mais

A SECRETARIA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, no uso de suas atribuições legais, e

A SECRETARIA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, no uso de suas atribuições legais, e PORTARIA SSST Nº 11, de 13/10/1994 "Publica a minuta do Projeto de Reformulação da Norma Regulamentadora nº 9 - Riscos Ambientais com o seguinte título: Programa de Proteção a Riscos Ambientais". A SECRETARIA

Leia mais

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE Revisão: 07 Data: 05.03.09 Página 1 de 7 Copia controlada MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE José G. Cardoso Diretor Executivo As informações contidas neste Manual são de propriedade da Abadiaço Ind. e Com.

Leia mais

Como vai a Governança de TI no Brasil? Resultados de pesquisa com 652 profissionais

Como vai a Governança de TI no Brasil? Resultados de pesquisa com 652 profissionais Fórum de Governança Tecnologia e Inovação LabGTI/UFLA Como vai a Governança de TI no Brasil? Resultados de pesquisa com 652 profissionais Pamela A. Santos pam.santos91@gmail.com Paulo H. S. Bermejo bermejo@dcc.ufla.br

Leia mais

Estrutura da ISO DIS 9001/2015 ISO/TC 176/SC 2 Document N1224, July 2014

Estrutura da ISO DIS 9001/2015 ISO/TC 176/SC 2 Document N1224, July 2014 Prefácio Introdução 0.1 Generalidades 0.2 As normas ISO para gestão da qualidade 0.3 Abordagem de processo 0.4 Ciclo PDCA 0.5 Pensamento baseado em risco Estrutura da ISO DIS 9001/2015 0.6 Compatibilidade

Leia mais

Qual a diferença entre certificação e acreditação? O que precisamos fazer para obter e manter a certificação ou acreditação?

Qual a diferença entre certificação e acreditação? O que precisamos fazer para obter e manter a certificação ou acreditação? O que é a norma ISO? Em linhas gerais, a norma ISO é o conjunto de cinco normas internacionais que traz para a empresa orientação no desenvolvimento e implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade

Leia mais

SÉRIE ISO 14000 SÉRIE ISO 14000

SÉRIE ISO 14000 SÉRIE ISO 14000 1993 - CRIAÇÃO DO COMITÊ TÉCNICO 207 (TC 207) DA ISO. NORMAS DA : ISO 14001 - SISTEMAS DE - ESPECIFICAÇÃO COM ORIENTAÇÃO PARA USO. ISO 14004 - SISTEMAS DE - DIRETRIZES GERAIS SOBRE PRINCÍPIOS, SISTEMAS

Leia mais

1º passo 2º passo 3º passo

1º passo 2º passo 3º passo 1º passo 2º passo 3º passo Planejamento Estratégico: Missão e Visão Aplicação do Programa 5S Elaboração do Mapa de Processos 4º passo 5º passo Definição da Política da Qualidade e Escopo Grupos de Trabalho

Leia mais

3. O Laboratório de Eletromagnetismo e Compatibilidade Eletromagnética

3. O Laboratório de Eletromagnetismo e Compatibilidade Eletromagnética A implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade segundo a norma NBR ISO/IEC 17025 no Laboratório de Eletromagnetismo e Compatibilidade Eletromagnética da Universidade Federal de Santa Catarina. Eduardo

Leia mais

Marcel Menezes Fortes II CONGRESSO BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO E CERTIFICAÇÃO EM SERGIPE

Marcel Menezes Fortes II CONGRESSO BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO E CERTIFICAÇÃO EM SERGIPE Marcel Menezes Fortes II CONGRESSO BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO E CERTIFICAÇÃO EM SERGIPE 1 Agradecimentos e reflexões iniciais 2 Normas e Sistema de Gestão Integrado 3 Modelo de Excelência na Gestão 4 Interfaces

Leia mais

1) Considerando os organismos de certificação acreditados pelo INMETRO defina:

1) Considerando os organismos de certificação acreditados pelo INMETRO defina: 1) Considerando os organismos de certificação acreditados pelo INMETRO defina: OCA OCS OCF 2- Considerando a sistemática de uma certificação de sistemas enumere de 1 à 6 a seqüência correta das etapas

Leia mais

Experiência no controle da qualidade analítica

Experiência no controle da qualidade analítica Experiência no controle da qualidade analítica Mario Maroto abril/ 2006 A ECOLABOR A ECOLABOR Comercial Consultoria e Análises Ltda. é uma empresa privada brasileira, fundada em 1992. Análises MICROBIOLÓGICAS,

Leia mais

FERRAMENTAS DA QUALIDADE. Prof. Dr. Renato Montini FATEC MC

FERRAMENTAS DA QUALIDADE. Prof. Dr. Renato Montini FATEC MC FERRAMENTAS DA QUALIDADE Prof. Dr. Renato Montini FATEC MC As ferramentas da qualidade têm os seguintes objetivos: Facilitar a visualização e o entendimento dos problemas; Sintetizar o conhecimento e as

Leia mais

Conteúdo Específico do curso de Gestão Ambiental

Conteúdo Específico do curso de Gestão Ambiental Conteúdo Específico do curso de Gestão Ambiental 1.CURSOS COM ÊNFASE EM : Gestão Ambiental de Empresas 2. CONCEPÇÃO DOS CURSOS: O Brasil possui a maior reserva ecológica do planeta sendo o número um em

Leia mais

METROLOGIA SENAI / SP

METROLOGIA SENAI / SP METROLOGIA SENAI / SP Rede de Laboratórios de Serviços Senai / SP Eduardo Ferreira Garcia GIT Metrologia Definição : Metrologia : Ciência da medição e suas aplicações Nota : A metrologia engloba todos

Leia mais

RELATÓRIO DE AUDITORIA

RELATÓRIO DE AUDITORIA IDENTIFICAÇÃO Data da auditoria 23-02-2015 24-02-2015 Organização Morada Sede Representante da Organização Câmara Municipal de Santa Maria da Feira - Biblioteca Municipal Av. Dr. Belchior Cardoso da Costa

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MAIA, Lívia Cândida 1 ; RODRIGUES, Adonay; BARBOSA, Beatriz Ribeiro Kherlakian; RESENDE, Vitor Nascimento; PORTO, Adriel Cruvinel, SANTOS, Kaio Guilherme

Leia mais

EXERCÍCIO 3 Metodologia de gestão de processos

EXERCÍCIO 3 Metodologia de gestão de processos Guia de Modelagem de Estruturas Organizacionais EXERCÍCIO 3 Metodologia de gestão de processos Exercício de mapeamento, avaliação, análise e melhoria 1 A gestão de processos permite identificar o conjunto

Leia mais

PADRÕES DE CERTIFICAÇÃO LIFE. Versão 3.0 Brasil Português. LIFE-BR-CS-3.0-Português (NOVEMBRO/2014)

PADRÕES DE CERTIFICAÇÃO LIFE. Versão 3.0 Brasil Português. LIFE-BR-CS-3.0-Português (NOVEMBRO/2014) LIFE-BR-CS-3.0-Português Versão 3.0 Brasil Português (NOVEMBRO/2014) Próxima revisão planejada para: 2017 2 OBJETIVO A partir das Premissas LIFE, definir os Princípios, critérios e respectivos indicadores

Leia mais

Auditoria Ambiental. Auditoria Ambiental. Auditoria de SGA. Auditoria de SGA. Ciclo da Auditoria de SGA

Auditoria Ambiental. Auditoria Ambiental. Auditoria de SGA. Auditoria de SGA. Ciclo da Auditoria de SGA Auditoria Ambiental Auditoria Ambiental Universidade Federal do Espírito Santo UFES Centro Tecnológico Curso de Especialização em Gestão Ambiental Professora Flavia Nogueira Zanoni MSc em Controle de Poluição

Leia mais

A experiência da Embrapa Meio Ambiente como um modelo de gestão da qualidade para empresa pública

A experiência da Embrapa Meio Ambiente como um modelo de gestão da qualidade para empresa pública A experiência da Embrapa Meio Ambiente como um modelo de gestão da qualidade para empresa pública Mendes 1, M.D.L.; Sitton 2, M.; Luchiari Junior 3, A.; Kitamura 4, P.C.; Spadotto 5, C.A. 1 Mendes, Mara

Leia mais

Treinamento: FSSC 22000 / Versão 3 Formação de auditores internos

Treinamento: FSSC 22000 / Versão 3 Formação de auditores internos Treinamento: FSSC 22000 / Versão 3 Formação de auditores internos 1. Interpretar os requisitos das normas ISO 22000:2005; ISO TS 22002-1:2012 e requisitos adicionais da FSSC 22000. Fornecer diretrizes

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DA QUALIDADE EM LABORATÓRIO

IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DA QUALIDADE EM LABORATÓRIO IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DA QUALIDADE EM LABORATÓRIO Leonardo César Amstalden Gerente da Qualidade Laboratório T&E Analítica Rua Lauro Vannucci 1260 Campinas - SP (19) 3756-6600 SISTEMA DA QUALIDADE Um

Leia mais

CENTRAIS ELÉTRICAS DO NORTE DO BRASIL S.A. COMPETÊNCIAS ATRIBUIÇÕES ORGANIZACIONAIS DIRETORIA DE OPERAÇÃO

CENTRAIS ELÉTRICAS DO NORTE DO BRASIL S.A. COMPETÊNCIAS ATRIBUIÇÕES ORGANIZACIONAIS DIRETORIA DE OPERAÇÃO CENTRAIS ELÉTRICAS DO NORTE DO BRASIL S.A. COMPETÊNCIAS ATRIBUIÇÕES ORGANIZACIONAIS DIRETORIA DE OPERAÇÃO DIRETORIA DE OPERAÇÃO Cabe à Diretoria de Operação a gestão dos negócios geração, transmissão e

Leia mais

Curso ISO 17025 orientado para Auditores Internos

Curso ISO 17025 orientado para Auditores Internos Curso ISO 17025 orientado para Auditores Internos Pierre Morel Ministério da Saúde ANVISA / GGLAS Slide 001 Qualidade e Sistemas em Laboratório Sistema da Qualidade : condição necessária e suficiente?

Leia mais

Seminário Sul-brasileiro de Gerenciamento de Áreas Contaminadas. Porto Alegre, 3 e 4 de setembro de 2012

Seminário Sul-brasileiro de Gerenciamento de Áreas Contaminadas. Porto Alegre, 3 e 4 de setembro de 2012 Seminário Sul-brasileiro de Gerenciamento de Áreas Contaminadas Porto Alegre, 3 e 4 de setembro de 2012 Experiência na aplicação da Resolução CONAMA 420 Rodrigo César de Araújo Cunha CETESB Companhia Ambiental

Leia mais

Acreditação Panorama Brasil

Acreditação Panorama Brasil Acreditação Panorama Brasil 28 de novembro de 2013 Victor Pavlov Miranda Gestor de Acreditação Divisão de Acreditação de Laboratórios - Coordenação Geral de Acreditação INMETRO INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA,

Leia mais

CICLO DE EVENTOS DA QUALIDADE

CICLO DE EVENTOS DA QUALIDADE Maio de 2003 CICLO DE EVENTOS DA QUALIDADE Dia 12/05/2003 Certificação e homologação de produtos, serviços e empresas do setor aeroespacial,com enfoque na qualidade Dia 13/05/2003 ISO 9001:2000 Mapeamento

Leia mais

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão:

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão: 4.2.2 Manual da Qualidade Está estabelecido um Manual da Qualidade que inclui o escopo do SGQ, justificativas para exclusões, os procedimentos documentados e a descrição da interação entre os processos

Leia mais

AUDITORIA DE DIAGNÓSTICO

AUDITORIA DE DIAGNÓSTICO 1.1 POLíTICA AMBIENTAL 1.1 - Política Ambiental - Como está estabelecida e documentada a política e os objetivos e metas ambientais dentro da organização? - A política é apropriada à natureza e impactos

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE DA CONSTRUTORA COPEMA

MANUAL DA QUALIDADE DA CONSTRUTORA COPEMA 1/10 INFORMAÇÕES SOBRE A EMPRESA... 2 ABRANGÊNCIA DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE... 3 1. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE:... 4 - MANUAL DA QUALIDADE... 4 Escopo do SGQ e definição dos clientes... 4 Política

Leia mais

GT INDUSTRIAL Proposta Minas Biotec

GT INDUSTRIAL Proposta Minas Biotec GT INDUSTRIAL Proposta Minas Biotec de temas para a agenda do GT Industrial 2010 27 de Novembro de 2009 MDIC - Brasília SINDUSFARQ Base sindical 750 empresas dos setores representados: Indústria Farmacêutica

Leia mais

Qualificação de equipamentos térmicos utilizados em ensaios

Qualificação de equipamentos térmicos utilizados em ensaios Qualificação de equipamentos térmicos utilizados em ensaios Marise Tenório Wanderley Hübner INCQS / FIOCRUZ QUALIFICAÇÃO Conjunto de operações que estabelece, sob condições especificadas, que os resultados

Leia mais

ENQUALAB 2013 QUALIDADE & CONFIABILIDADE NA METROLOGIA AUTOMOTIVA. Elaboração em planos de Calibração Interna na Indústria Automotiva

ENQUALAB 2013 QUALIDADE & CONFIABILIDADE NA METROLOGIA AUTOMOTIVA. Elaboração em planos de Calibração Interna na Indústria Automotiva ENQUALAB 2013 QUALIDADE & CONFIABILIDADE NA METROLOGIA AUTOMOTIVA Elaboração em planos de Calibração Interna na Indústria Automotiva Joel Alves da Silva, Diretor Técnico JAS-METRO Soluções e Treinamentos

Leia mais

NORMA NBR ISO 9001:2008

NORMA NBR ISO 9001:2008 NORMA NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema

Leia mais

Reunião Técnica Nacional sobre Pesquisa com Agrotóxicos, 30/Out/2012. Princípios de Boas Práticas de Laboratório (Campo), na pesquisa com Agrotóxicos

Reunião Técnica Nacional sobre Pesquisa com Agrotóxicos, 30/Out/2012. Princípios de Boas Práticas de Laboratório (Campo), na pesquisa com Agrotóxicos Reunião Técnica Nacional sobre Pesquisa com Agrotóxicos, 30/Out/2012 Princípios de Boas Práticas de Laboratório (Campo), na pesquisa com Agrotóxicos Celso Borges Zaccaria, Diretor da Garantia da Qualidade

Leia mais

Gestão da Qualidade. Evolução da Gestão da Qualidade

Gestão da Qualidade. Evolução da Gestão da Qualidade Gestão da Qualidade Evolução da Gestão da Qualidade Grau de Incerteza Grau de complexidade Adm Científica Inspeção 100% CEQ Evolução da Gestão CEP CQ IA PQN PQN PQN TQM PQN MSC GEQ PQN PQN Negócio Sistema

Leia mais

Relatório de Atividade Técnica

Relatório de Atividade Técnica RUA DESEMBARGADOR JÚLIO GUIMARÃES, 275 SAÚDE -SÃO PAULO -BR-SP CEP: 04158-060 CNPJ: 46.995.494/0001-92 Telefone: (11) 5058-6066 Pessoa de Contato: ALMO BRACCESI (almo@betta.com.br) Tipo: Auditoria de Manutenção

Leia mais

CURSO: GESTÃO AMBIENTAL

CURSO: GESTÃO AMBIENTAL CURSO: GESTÃO AMBIENTAL OBJETIVOS DO CURSO Objetivos Gerais O Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental tem por objetivo formar profissionais capazes de propor, planejar, gerenciar e executar ações

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DO PROJETO DE IDENTIFICAÇÃO E ARMAZENAMENTO DE PRODUTOS QUÍMICOS NOS LABORATÓRIOS DA ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA SÉRIO AROUCA/FIOCRUZ

IMPLANTAÇÃO DO PROJETO DE IDENTIFICAÇÃO E ARMAZENAMENTO DE PRODUTOS QUÍMICOS NOS LABORATÓRIOS DA ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA SÉRIO AROUCA/FIOCRUZ Belo Horizonte/MG 24 a 27/11/2014 IMPLANTAÇÃO DO PROJETO DE IDENTIFICAÇÃO E ARMAZENAMENTO DE PRODUTOS QUÍMICOS NOS LABORATÓRIOS DA ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA SÉRIO AROUCA/FIOCRUZ. Caroline Borges

Leia mais

NBR ISO 9001:2008. Prof. Marcos Moreira

NBR ISO 9001:2008. Prof. Marcos Moreira NBR ISO 9001:2008 Sistema de Gestão da Qualidade Prof. Marcos Moreira História International Organization for Standardization fundada em 1947, em Genebra, e hoje presente em cerca de 157 países. Início

Leia mais

Gestão de Riscos na Embrapa

Gestão de Riscos na Embrapa Gestão de Riscos na Embrapa Gestão de riscos na Embrapa - Agenda A Embrapa Ponto de partida Reestruturação Organizacional Política de gestão de risco Metodologia Alinhamento de processos Contexto atual

Leia mais

Implantação e Implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade no Processo de Produção de Materiais de Referência Certificados

Implantação e Implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade no Processo de Produção de Materiais de Referência Certificados Implantação e Implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade no Processo de Produção de Materiais de Referência Certificados Lívia Gebara Muraro Serrate Cordeiro Bolsista PCI/DTI, M.Sc. Maria Alice

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Qualidade de Software Prof. Sam da Silva Devincenzi sam.devincenzi@gmail.com ISO International Organization for Standardization Organização não governamental que elabora normas internacionais, que visam

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO INSTITUCIONAL 2014-2018

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO INSTITUCIONAL 2014-2018 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO INSTITUCIONAL 2014-2018 (Síntese da Matriz estratégica) Texto aprovado na 19ª Reunião Extraordinária do CONSUNI, em 04 de novembro de 2013. MISSÃO Ser uma Universidade que valoriza

Leia mais

Certificação ISO/IEC 27001. SGSI - Sistema de Gestão de Segurança da Informação. A Experiência da DATAPREV

Certificação ISO/IEC 27001. SGSI - Sistema de Gestão de Segurança da Informação. A Experiência da DATAPREV Certificação ISO/IEC 27001 SGSI - Sistema de Gestão de Segurança da Informação A Experiência da DATAPREV DATAPREV Quem somos? Empresa pública vinculada ao Ministério da Previdência Social, com personalidade

Leia mais