A INFLUÊNCIA DO BRINCAR NO COMPORTAMENTO SOCIAL DE CRIANÇAS DE 5 E 6 ANOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A INFLUÊNCIA DO BRINCAR NO COMPORTAMENTO SOCIAL DE CRIANÇAS DE 5 E 6 ANOS"

Transcrição

1 A INFLUÊNCIA DO BRINCAR NO COMPORTAMENTO SOCIAL DE CRIANÇAS DE 5 E 6 ANOS Eliyara Ikehara Unisalesiano Yamila do Santos Monteiro Unisalesiano Orientadora: Elza Brígida M. T. Anequini Unisalesiano Resumo O brincar é um fenômeno universal que tem atravessado fronteiras e épocas e mesmo passando por várias transformações não perdeu a sua essência. As crianças podem expressar seus sentimentos positivos e negativos sem a utilização de palavras, pois o brincar é visto como a linguagem própria da criança, sendo a mesma capaz de comunicar-se com os outros. É uma atividade dotada de uma significação social que necessita de aprendizagem na observação de outras crianças brincando e prepara a criança para a vida em sociedade e influencia no comportamento social, sendo este um conjunto de ações, atitudes e pensamentos que o individuo apresenta em relação à comunidade, aos indivíduos com que interage e a ele próprio. As crianças com cinco e seis anos possuem escolhas heterossexuais com freqüência passando a escolher a outra para interagir e corresponder suas necessidades. O brincar também é importante no desenvolvimento motor, cognitivo, emocional e da linguagem. Palavras chave: Brincar. Comportamento social. Crianças de cinco e seis anos. Introdução O brincar é um fenômeno universal e por meio dele as crianças procuram espaços e maneiras de explorar e conhecer o mundo. Através dele, a criança prepara-se para que futuramente possa ingressar em grupos sociais e estabelecer contatos com outras pessoas, respeitando regras impostas pela sociedade e respeitar o outro. Diante as brincadeiras, a criança consegue exteriorizar sentimentos que não foram resolvidos em seu dia-a-dia, imitando a vida adulta. Baseadas nisto, o objetivo do trabalho é demonstrar a realização da observação diante ao brincar livre das crianças e se o mesmo influencia no comportamento social das mesmas entre a faixa etária de cinco e seis anos. A pesquisa foi realizada na escola Instituto Americano de Lins (Ialzinho), na pré-escola no período da tarde durante o tempo de junho a setembro de Desenvolvimento Segundo Ferland, 2006, o brincar é uma atitude subjetiva em que o prazer, a curiosidade, o senso de humor e a espontaneidade se tocam; tal atitude se traduz por uma conduta escolhida livremente, da qual não se espera nenhum rendimento especifico. De acordo com Friedmann, 2006, mesmo por ter passado por várias modificações, o brincar atravessou fronteiras e épocas sem perder a sua essência, pois é algo que se manifesta a todos mundialmente. O brincar significa uma linguagem própria da criança, é fundamental no

2 desenvolvimento neuropsicológico, motor, cognitivo, emocional, social e conseqüentemente à saúde. É a forma mais completa que a criança tem de comunicar-se consigo mesma e com o mundo. (JUNQUEIRA, 1999) Mesmo sem utilizar as palavras, as crianças podem comunicar seus sentimentos, tanto positivos quanto negativos. Jogar um objeto no chão, sorrir a um personagem, rasgar um desenho, apresentar um objeto a um parceiro, provocar um acidente, eis aí tantos gestos que a criança pode utilizar para comunicar o que sente. (FERLAND, 2006, p.05) O brincar pode ser visto como um processo de funcionamento psicológico que assegura ao sujeito a ficar distante em relação ao real (KISHIMOTO, 2002). Segundo Rosenberg, 1989, cada ser humano consegue enfrentar imposições colocadas pela vida através do brincar, e este possui alguma das várias características como o despertar da iniciativa, a busca de soluções, o desenvolvimento da atividade criadora e ações que estão de acordo com suas próprias necessidades. O brincar se situa na área intermediária entre a realidade interna e a externa, entre a criatividade primária e a percepção objetiva baseada no teste da realidade. (WINNICOTT, 1975) Brincar é uma atividade natural presente no mundo todo desde seu início. Outros animais também brincam, mas a diferença é que o ser humano é dotado de uma cultura, porque ele procura sua existência, adquire conhecimentos através de brincadeiras construídas e alcançam a simbolização. A repetição para a criança é essencial na brincadeira, nada lhe dá tanto prazer quando brinca novamente. Para a criança, o brincar é a expressão do desejo de descobrir por si mesmo como viver e como ser. (BOMTEMPO, 1990 apud TAKATORI, p.94) Segundo Kishimoto (2002) o brincar é uma atividade dotada de uma significação social precisa que, como outras, necessita de aprendizagem e esta é adquirida pela participação em jogos com os companheiros e pela observação de outras crianças, ou seja, quando as crianças pequenas observam os mais velhos antes de se lançarem por sua vez na mesma brincadeira. Segundo Bomtempo, 2002, enquanto as crianças representam fantasias de ira e hostilidade em jogos de guerra ou preencham seus desejos de grandeza, imaginam ser o Super-homem, o Hulk, o Batman ou um rei. Com esta imitação, procuram satisfazer indiretamente as fantasias irreais e ao mesmo tempo, procuram livrar-se do controle dos adultos, especialmente dos pais. Vigotsky, 1998, salienta a importância da maturação da criança onde a mesma deve passar pelas fases de desenvolvimento de um estágio para o outro. Quando é pequena e tem o desejo de realizar algo que lhe é proibido, fica mal humorada, pois a tendência é que possa imediatamente satisfazer seus desejos. Neste instante, ela pode ser distraída com algo e se acalmar rapidamente esquecendo o seu desejo. Já na fase pré-escolar, quando a criança não consegue esquecer e satisfazer seu desejo num dado momento, seu comportamento será diferente da criança pequena. Para resolvê-lo, ela usará um mundo imaginário, onde possa realizar os seus desejos que na realidade, não puderam ser resolvidos. A imaginação é ausente na consciência das crianças menores e torna-se presente na consciência das crianças em fase pré-escolar. A atividade de brincar permite à criança se relacionar com os outros.

3 (FERLAND, 2006, p.9) Esta analise demonstra certamente que: Observar uma criança brincando possibilita saber quais as habilidades nas diferentes esferas de seu desenvolvimento. De fato, a brincadeira testemunha o que é a criança. A criança que brinca tem mais recursos em habilidades e características próprias, que influem no seu modo de brincar e que são, por sua vez, estimuladas e modificadas pela experiência do brincar. (...) quanto mais a criança brincar, mais ela se tornará hábil. (FERLAND, 2006, p. 9) Ao brincar, a criança ensaia em suas brincadeiras comportamentos e situações reais e imaginárias, e isto faz com que ela possa se preparar, no futuro, ao assumir os papéis e valores sociais que serão necessários à sua vida em sociedade e também adquirir a motivação, atitudes e habilidades sociais. É a brincadeira que é universal e que é própria da saúde: o brincar facilita o crescimento e, portanto, a saúde; o brincar conduz aos relacionamentos grupais. (WINNICOTT, 1975, p.63) Após os cinco anos, a criança começará a exercer papéis e impor regras arbitrárias em suas brincadeiras no contexto imaginário. As regras que ela própria inventa a conduzirão suavemente para brincadeiras que comportem regras preestabelecidas, que prevalecerão após os seis anos. (FERLAND, 2006, p.16) Nesta idade, desenvolverá habilidades para brincar com os colegas e suas capacidades vão lhe permitir alimentar a atividade da brincadeira, ou seja, os amigos vão se tornando importantes com o passar do tempo. O brincar é um fenômeno universal e por meio dele, as crianças procuram espaços e maneiras de explorar e conhecer o mundo, independente do seu contexto sociocultural e econômico, raça, idade e condições de saúde. Através dele, elas aprendem a enfrentar situações que lhe são ainda tão complexas, explorando sua criatividade e liberdade de expressão, descobrindo o seu eu. A pesquisa foi realizada no Instituto Americano de Lins, Ialzinho. O método utilizado foi estudo de caso observando a influência do brincar no comportamento social de duas crianças na faixa etária entre cinco e seis anos, de ambos os sexos, que estão matriculadas na pré-escola. A presente pesquisa teve como objetivo observar as crianças brincando e quais os comportamentos apresentados pelas mesmas. As crianças foram escolhidas através de amostragem, pela professora que indicou aquelas que não interagem socialmente em atividades recreativas. Para observar o comportamento, foi utilizada a Escala Lúdica Pré-Escolar de Knox (Adaptada). Esta avaliação é composta por quatro dimensões: direção espacial, direção material, faz-de-conta (simbólica) e participação. Foram utilizadas apenas as duas ultimas dimensões. No caso 1, a criança é do sexo feminino, cinco anos de idade, reside na cidade de Lins-SP. No caso 2, a criança é do sexo masculino, 6 anos de idade, reside na cidade de Lins-SP. Verificou-se que no caso 1, trata-se de uma criança com comportamento social adequado para sua idade. Prefere ficar com o grupo de meninas, realizando brincadeiras de faz-deconta, como mamãe e filhinha. Tem interesse em cuidar das crianças menores, empresta seus brinquedos as outras crianças e se preocupa em estar sendo útil as mesmas. A criança brinca cooperando com as outras e conversa como os adultos, mas tem preferência por seu grupo de amizades. No caso 2 verificou-se que, a imaginação está muito presente nas atividades

4 de brincar da criança, imaginando situações impossíveis como pular e sair voando, correr, correr como um super herói. Houve um episódio onde o mesmo se desentendeu com os colegas, querendo ser o mais poderoso e para isso deveria ser o Power Ranger vermelho e com os seus poderes eliminar os inimigos. Não tem interesse por brincadeiras que exigem regras definidas. Em algumas situações não soube lidar com as perdas, chamando a atenção para ele. Tem dificuldade em concentrar-se em atividades que exigem maior atenção, pois está todo o tempo correndo e pulando. Em ambos os casos foram percebidos, que algumas palavras, tinham amplos significados, o que provocava o riso das mesmas, ou até, uma brincadeira espontânea. Conclusão O brincar é importante, pois através dele a criança se relaciona com outras, se posiciona diante as situações em conflito, o que é importante para a aquisição de valores futuros, necessários a sua socialização, como aprender a compartilhar, respeitar o outro, respeitar as regras e limites e aprender a conviver em grupo reconhecendo o valor do próximo. Referências BOMTEMPO, E. Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. In: Tizuko M. Kishimoto (Org.). O brincar e suas teorias. São Paulo: Pioneiro Thompson Learning, FERLAND, F. O Modelo lúdico. O brincar, a criança com deficiência e a Terapia Ocupacional. 3 ed. São Paulo Roca, FRIEDMANN, A. NEPSID: Núcleo de Estudos e Pesquisas Simbolismo Infância Desenvolvimento. O papel do brincar na cultura contemporânea: o espaço do brincar, São Paulo, 16 mar Disponível em:<http:// JUNQUEIRA, M.de F.P.da S. O brincar e o desenvolvimento infantil. Pediatria Moderna. São Paulo: Grupo Editorial Moreira Júnior, v.35, n.12, p dez/1999. KISHIMOTO, T. M. O brincar e suas teorias. São Paulo: Pioneiro Thompson Learning, PARHAM, L. D.; FAZIO, L. S. A recreação na terapia ocupacional. São Paulo: Santos Livraria Editora, ROSENBERG, S. A criança e seu espaço de brincar. São Paulo, 1989 (tese Doutorado ECA - USP). TAKATORI, M. O brincar no cotidiano da criança com deficiência física: reflexões sobre a clínica da terapia ocupacional. São Paulo: Atheneu, 2003 VYGOTSKY, L.S. A formação social da mente O desenvolvimento dos

5 processos psicológicos superiores. 6ª ed. São Paulo Martins Fontes, 1998 WINNICOTT, D.W. O brincar e a realidade. Rio de Janeiro: Imago, Clássica.

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Lúcia Peranzoni 1 Fabiana Lacerda da Silva 2 Resumo: O presente trabalho foi desenvolvido na disciplina Estágio Básico II no segundo semestre de 2011, tendo

Leia mais

BRINCAR É UM DIREITO!!!! Juliana Moraes Almeida Terapeuta Ocupacional Especialista em Reabilitação neurológica

BRINCAR É UM DIREITO!!!! Juliana Moraes Almeida Terapeuta Ocupacional Especialista em Reabilitação neurológica BRINCAR É UM DIREITO!!!! Juliana Moraes Almeida Terapeuta Ocupacional Especialista em Reabilitação neurológica PORQUE AS CRIANÇAS ESTÃO PERDENDO TODOS OS REFERENCIAIS DE ANTIGAMENTE EM RELAÇÃO ÀS BRINCADEIRAS?

Leia mais

As diferentes linguagens da criança: o jogo simbólico

As diferentes linguagens da criança: o jogo simbólico As diferentes linguagens da criança: o jogo simbólico Mariana Antoniuk 1 Dêivid Marques 2 Maria Angela Barbato Carneiro ( orientação) 3 Abordando as diferentes linguagens da criança neste ano, dentro do

Leia mais

A LUDICIDADE NO CONTEXTO ESCOLAR

A LUDICIDADE NO CONTEXTO ESCOLAR Resumo A LUDICIDADE NO CONTEXTO ESCOLAR Ana Regina Donato de Moraes 1 Lourdes Keila Casado Pulucena 2 Lucieni Vaz dos Santos 3 Aprender brincando não é apenas um passatempo, quando se trata de ensinar.

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DO CURRÍCULO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CHAPECÓ SC

A CONSTRUÇÃO DO CURRÍCULO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CHAPECÓ SC A CONSTRUÇÃO DO CURRÍCULO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CHAPECÓ SC FIGUEIREDO, Anelice Maria Banhara - SME / Chapecó/SC anelicefigueiredo@gmail.com LORENZET, Simone Vergínia - SME

Leia mais

mhtml:file://c:\documents and Settings\Angela Freire\Meus documentos\cenap 2...

mhtml:file://c:\documents and Settings\Angela Freire\Meus documentos\cenap 2... Page 1 of 6 O lúdico na educação infantil Com relação ao jogo, Piaget (1998) acredita que ele é essencial na vida da criança. De início tem-se o jogo de exercício que é aquele em que a criança repete uma

Leia mais

O BRINCAR, A BRINCADEIRA, O JOGO, A ATIVIDADE LÚDICA E A PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL

O BRINCAR, A BRINCADEIRA, O JOGO, A ATIVIDADE LÚDICA E A PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL O BRINCAR, A BRINCADEIRA, O JOGO, A ATIVIDADE LÚDICA E A PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL Josiane Lima Zanata (Seduc) josianezanata@hotmail.com Ivani Souza Mello (UFMT) ivanimello1@hotmail.com

Leia mais

Colégio La Salle São João. Professora Kelen Costa Educação Infantil. Educação Infantil- Brincar também é Educar

Colégio La Salle São João. Professora Kelen Costa Educação Infantil. Educação Infantil- Brincar também é Educar Colégio La Salle São João Professora Kelen Costa Educação Infantil Educação Infantil- Brincar também é Educar A importância do lúdico na formação docente e nas práticas de sala de aula. A educação lúdica

Leia mais

VAMOS PARA O PÁTIO? O LUGAR DA BRINCADEIRA NA ESCOLA RESUMO

VAMOS PARA O PÁTIO? O LUGAR DA BRINCADEIRA NA ESCOLA RESUMO VAMOS PARA O PÁTIO? O LUGAR DA BRINCADEIRA NA ESCOLA PRATI, Angela Comassetto Felippeto; KRUEL, Cristina Saling Mat. 2450291 ; Mat.14054 1 Trabalho de Pesquisa _UNIFRA 2 Acadêmica do Curso de Psicologia

Leia mais

O que é brincar e como se diferencia das outras actividades?

O que é brincar e como se diferencia das outras actividades? i dos Pais Temas O Brincar Todas as crianças são únicas e diferentes das outras, sendo que as suas diferenças individuais parecem estar diretamente associadas com a sua maneira de brincar e a imaginação

Leia mais

Palavras-chave: Lúdico. Aprendizagem. Desenvolvimento. Necessidades Especiais.

Palavras-chave: Lúdico. Aprendizagem. Desenvolvimento. Necessidades Especiais. Nesse artigo realizamos uma discussão sobre a importância de atividades lúdicas na educação de crianças com necessidades especiais. Propomos explicitar a possibilidade de levar para o ambiente escolar

Leia mais

Brincadeiras que ensinam. Jogos e brincadeiras como instrumentos lúdicos de aprendizagem

Brincadeiras que ensinam. Jogos e brincadeiras como instrumentos lúdicos de aprendizagem Brincadeiras que ensinam Jogos e brincadeiras como instrumentos lúdicos de aprendizagem Por que as crianças brincam? A atividade inerente à criança é o brincar. A criança brinca para atribuir significados

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO Marcelo Moura 1 Líbia Serpa Aquino 2 Este artigo tem por objetivo abordar a importância das atividades lúdicas como verdadeiras

Leia mais

RESUMO. Palavras chave: Brinquedo. Brincar. Ambiente escolar. Criança. INTRODUÇÃO

RESUMO. Palavras chave: Brinquedo. Brincar. Ambiente escolar. Criança. INTRODUÇÃO A FUNÇÃO DO BRINQUEDO E OS DIVERSOS OLHARES Érica Cristina Marques de Oliveira- erikacmo06@hotmail.com Rafaela Brito de Souza - rafa_pdgg@hotmail.com.br Raquel Cardoso de Araújo- raquelins1@hotmail.com

Leia mais

A brincadeira na vida da criança

A brincadeira na vida da criança A brincadeira na vida da criança A brincadeira, é parte do crescimento e desenvolvimento da criança, além de ser uma de suas necessidades básicas. 1 A criança precisa brincar porque através da brincadeira,

Leia mais

13. A FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIAL, AS ÁREAS DE CONHECIMENTO E O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA ATÉ OS 6 ANOS

13. A FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIAL, AS ÁREAS DE CONHECIMENTO E O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA ATÉ OS 6 ANOS 13. A FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIAL, AS ÁREAS DE CONHECIMENTO E O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA ATÉ OS 6 ANOS A importância da formação pessoal e social da criança para o seu desenvolvimento integral e para a

Leia mais

PEDAGOGIA EM ESPAÇOS SOCIAIS: OLHARES E REFLEXÕES EM CAMPOS DE ESTÁGIO¹

PEDAGOGIA EM ESPAÇOS SOCIAIS: OLHARES E REFLEXÕES EM CAMPOS DE ESTÁGIO¹ PEDAGOGIA EM ESPAÇOS SOCIAIS: OLHARES E REFLEXÕES EM CAMPOS DE ESTÁGIO¹ ALVES, T. C.²; RENK, E. F.³; LEÃO, T.J.E. 4 ¹ Trabalho desenvolvido na disciplina de Estágio Curricular Supervisionado II Espaços

Leia mais

A ARTE DE BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Estudante de Pedagogia pela FECLESC / UECE Resumo

A ARTE DE BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Estudante de Pedagogia pela FECLESC / UECE Resumo A ARTE DE BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL Maria Elany Nogueira da Silva Estudante de Pedagogia pela FECLESC / UECE Resumo Este presente artigo pretende refletir idéias sobre o brincar na Educação Infantil,

Leia mais

A FUNÇÃO SOCIAL DA BRINQUEDOTECA NA APRENDIZAGEM DA CRIANÇA.

A FUNÇÃO SOCIAL DA BRINQUEDOTECA NA APRENDIZAGEM DA CRIANÇA. A FUNÇÃO SOCIAL DA BRINQUEDOTECA NA APRENDIZAGEM DA CRIANÇA. Amanda Paula Silva Graduanda em Pedagogia pela UFCG amandinha_1105@hotmail.com Érica Cibelle de Sousa Araújo Graduanda em Pedagogia pela UFCG

Leia mais

TIPOS DE BRINCADEIRAS E COMO AJUDAR A CRIANÇA BRINCAR

TIPOS DE BRINCADEIRAS E COMO AJUDAR A CRIANÇA BRINCAR TIPOS DE BRINCADEIRAS E COMO AJUDAR A CRIANÇA BRINCAR As crianças precisam atravessar diversos estágios no aprendizado de brincar em conjunto, antes de serem capazes de aproveitar as brincadeiras de grupo.

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA BRINCADEIRA E DO JOGO NA IDADE PRÉ-ESCOLAR

A INFLUÊNCIA DA BRINCADEIRA E DO JOGO NA IDADE PRÉ-ESCOLAR A INFLUÊNCIA DA BRINCADEIRA E DO JOGO NA IDADE PRÉ-ESCOLAR Carolina de Oliveira Darlene Soares Rodrigues Edinei de Pontes Eliene Silva Érica Landim Medeiros Josyane Cristine Ferreira Chaves Ligia Pereira

Leia mais

A criança e o brincar: um olhar sobre a importância do brincar no desenvolvimento infantil

A criança e o brincar: um olhar sobre a importância do brincar no desenvolvimento infantil A criança e o brincar: um olhar sobre a importância do brincar no desenvolvimento infantil RESUMO: O presente artigo é resultado da pesquisa realizada na disciplina de Recursos Tecnológicos, Pedagógicos

Leia mais

LUDICIDADE E MOVIMENTO: EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

LUDICIDADE E MOVIMENTO: EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL LUDICIDADE E MOVIMENTO: EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL Resumo RIBEIRO, Amanda de Cassia Borges - UFSM acbr_amanda@hotmail.com JAHN, Angela Bortoli UFSM abjahn@terra.com.br BELING, Vivian Jamile UFSM

Leia mais

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL 1. TÍTULO DO PROGRAMA As Histórias do Senhor Urso 2. EPISÓDIO(S) TRABALHADO(S): O piado da coruja 3. SINOPSE DO(S) EPISÓDIO(S) ESPECÍFICO(S) O episódio O piado da Coruja

Leia mais

GRUPO OPERATIVO COM CRIANÇAS NO CONTEXTO ESCOLAR: REFLEXÕES ACERCA DESSE ESPAÇO LÚDICO E TERAPÊUTICO

GRUPO OPERATIVO COM CRIANÇAS NO CONTEXTO ESCOLAR: REFLEXÕES ACERCA DESSE ESPAÇO LÚDICO E TERAPÊUTICO GRUPO OPERATIVO COM CRIANÇAS NO CONTEXTO ESCOLAR: REFLEXÕES ACERCA DESSE ESPAÇO LÚDICO E TERAPÊUTICO CEZAR, Pâmela Kurtz; MELLO, Lauren Machado. Revisão Bibliográfica Curso de Pós Graduação: Especialização

Leia mais

ENSINAR MATEMÁTICA UTILIZANDO MATERIAIS LÚDICOS. É POSSÍVEL?

ENSINAR MATEMÁTICA UTILIZANDO MATERIAIS LÚDICOS. É POSSÍVEL? 1 de 7 ENSINAR MATEMÁTICA UTILIZANDO MATERIAIS LÚDICOS. É POSSÍVEL? Jéssica Alves de Oliveira Maria José dos Santos Chagas Tatiane de Fátima Silva Seixas RESUMO: De uma maneira geral, existe, por parte

Leia mais

O LÚDICO NA APRENDIZAGEM

O LÚDICO NA APRENDIZAGEM O LÚDICO NA APRENDIZAGEM RESUMO Aline Hahn Affeldt Prof. Janaina de Souza Aragão Centro Universitário Leonardo da Vinci-UNIASSELVI Pedagogia (PED 7051) Metodologia e Conteúdos Básicos de Comunicação e

Leia mais

A FORMAÇÃO PROFISSIONAL DO CIENTISTA SOCIAL: SABERES E COMPETÊNCIAS NECESSÁRIOS

A FORMAÇÃO PROFISSIONAL DO CIENTISTA SOCIAL: SABERES E COMPETÊNCIAS NECESSÁRIOS O JOGO SEGUNDO A TEORIA DO DESENVOLVIMENTO HUMANO DE WALLON Cleudo Alves Freire Daiane Soares da Costa Ronnáli da Costa Rodrigues Rozeli Maria de Almeida Raimunda Ercilia Fernandes S. de Melo Graduandos

Leia mais

A Arte e as Crianças

A Arte e as Crianças A Arte e as Crianças A criança pequena consegue exteriorizar espontaneamente a sua personalidade e as suas experiências inter-individuais, graças aos diversos meios de expressão que estão à sua disposição.

Leia mais

O Brincar para a Criança Hospitalizada

O Brincar para a Criança Hospitalizada Andressa Ranzani Nora Mello Keila Maria Ramazotti O Brincar para a Criança Hospitalizada Primeira Edição São Paulo 2013 Agradecimentos Aos nossos familiares, que revestiram nossas vidas com muito amor,

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA PROFESSORES SUBSTITUTOS EDITAL

PROCESSO SELETIVO PARA PROFESSORES SUBSTITUTOS EDITAL EDUCAÇÃO INFANTIL 01) Tomando como base a bibliografia atual da área, assinale a alternativa que destaca CORRE- TAMENTE os principais eixos de trabalho articuladores do cotidiano pedagógico nas Instituições

Leia mais

TEMA: O LÚDICO NA APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA

TEMA: O LÚDICO NA APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA TEMA: O LÚDICO NA APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA RESUMO Os educadores têm se utilizado de uma metodologia Linear, que traz uma característica conteudista; É possível notar que o Lúdico não se limita

Leia mais

7ª Semana de Licenciatura Educação Científica e Tecnológica: Formação, Pesquisa e Carreira De 08 a 11 de junho de 2010

7ª Semana de Licenciatura Educação Científica e Tecnológica: Formação, Pesquisa e Carreira De 08 a 11 de junho de 2010 7ª Semana de Licenciatura Educação Científica e Tecnológica: Formação, Pesquisa e Carreira De 08 a 11 de junho de 2010 A IMPORTÂNCIA DO BRINQUEDO NO PROCESSO EDUCATIVO DA CRIANÇA Eder Mariano Paiva Filho

Leia mais

O Brincar na Educação Infantil

O Brincar na Educação Infantil O Brincar na Educação Infantil Maévi Anabel Nono Unesp - Departamento de Educação Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas Como escrevem Imma Marín e Silvia Penón (2003/2004, p. 30), especialistas

Leia mais

Atividades Pedagógicas. Abril2014

Atividades Pedagógicas. Abril2014 Atividades Pedagógicas Abril2014 II A Jogos As crianças da Turma dos Amigos, desde os primeiros dias de aula, têm incluídos em sua rotina as brincadeiras com jogos de encaixe. Vários jogos estão disponíveis

Leia mais

As crianças, a cultura. Lisandra Ogg Gomes

As crianças, a cultura. Lisandra Ogg Gomes As crianças, a cultura lúdica e a matemática Lisandra Ogg Gomes Aprendizagens significativas: Como as crianças pensam o cotidiano e buscam compreendê-lo? (Caderno de Apresentação, 2014, p. 33). O que as

Leia mais

BRINCAR É MUITO MAIS QUE UMA SIMPLES BRINCADEIRA: É APRENDER

BRINCAR É MUITO MAIS QUE UMA SIMPLES BRINCADEIRA: É APRENDER BRINCAR É MUITO MAIS QUE UMA SIMPLES BRINCADEIRA: É APRENDER LUZ, Marina Cabreira da UP rmarinacabreiral@hotmail.com OLIVEIRA, Maria Cristina Alves Ribeiro de UP cristina.educar@hotmail.com SOUZA, Gelsenmeia

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS NO DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL DA CRIANÇA RESUMO

A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS NO DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL DA CRIANÇA RESUMO A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS NO DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL DA CRIANÇA *Sandra Rejane Silva Vargas **Luiz Fernandes Pavelacki RESUMO O presente trabalho tem como principal objetivo identificar qual a importância

Leia mais

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL CURSO DE GRADUAÇAO EM PEDAGOGIA LICENCIAMENTO EAD

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL CURSO DE GRADUAÇAO EM PEDAGOGIA LICENCIAMENTO EAD UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL CURSO DE GRADUAÇAO EM PEDAGOGIA LICENCIAMENTO EAD Município: Pirassununga Estado: São Paulo Turma: 440 Pólo: Fundação de Ensino de Pirassununga Tutor (a): Inez Nunes Paula

Leia mais

O JOGO EDUCATIVO NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Valéria Cristina Giacometti 1, Rosiclaire Barcelos 1, Carmen Lúcia Dias 2

O JOGO EDUCATIVO NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Valéria Cristina Giacometti 1, Rosiclaire Barcelos 1, Carmen Lúcia Dias 2 1099 O JOGO EDUCATIVO NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Valéria Cristina Giacometti 1, Rosiclaire Barcelos 1, Carmen Lúcia Dias 2 1 Discente do Mestrado em Educação da Universidade do Oeste Paulista UNOESTE. 2 Docente

Leia mais

Jogos e Brincadeiras. Que história é essa? Profª Ms. Juliana Moreira da Costa

Jogos e Brincadeiras. Que história é essa? Profª Ms. Juliana Moreira da Costa Jogos e Brincadeiras Que história é essa? Profª Ms. Juliana Moreira da Costa O que é jogo? Depende do contexto? Intencionalidade Regras externas Atingir um objetivo Vontade de participar livremente da

Leia mais

Marta Kohl de Oliveira Algumas Contribuições da Psicologia Cognitiva

Marta Kohl de Oliveira Algumas Contribuições da Psicologia Cognitiva Marta Kohl de Oliveira Algumas Contribuições da Psicologia Cognitiva A criança que chega à escola é um indivíduo que sabe coisas e que opera intelectualmente de acordo com os mecanismos de funcionamento

Leia mais

O BRINCAR NA INFÂNCIA

O BRINCAR NA INFÂNCIA O BRINCAR NA INFÂNCIA BARALDI, Tabata Branco 1 SILVA, Joice Ribeiro Machado da 2 RESUMO O processo lúdico auxilia o desenvolvimento espontâneo da linguagem e compreensão por meio de seus conhecimentos

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS BRINCADEIRAS NO ENSINO DA MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A IMPORTÂNCIA DAS BRINCADEIRAS NO ENSINO DA MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL A IMPORTÂNCIA DAS BRINCADEIRAS NO ENSINO DA MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL Maria Mara Teixeira Esteves* mara.esteves@hotmail.com RESUMO O presente trabalho tem como objetivo principal identificar a compreensão

Leia mais

A EVOLUÇÃO DO DESENHO DA CRIANÇA. Marília Santarosa Feltrin 1 - ma_feltrin@yahoo.com.br

A EVOLUÇÃO DO DESENHO DA CRIANÇA. Marília Santarosa Feltrin 1 - ma_feltrin@yahoo.com.br A EVOLUÇÃO DO DESENHO DA CRIANÇA Marília Santarosa Feltrin 1 - ma_feltrin@yahoo.com.br Resumo: o presente trabalho cujo tema é a Evolução do desenho da criança teve por objetivo identificar o processo

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO ATO DE LER

A IMPORTÂNCIA DO ATO DE LER A IMPORTÂNCIA DO ATO DE LER OLIVEIRA, Jucinéia Costa. Discente do curso de Pedagogia da FAHU/ACEG PELOZO, Rita de Cássia Borguetti. Docente da FAHU/ACEG E-MAIL: ritapelozo@itelefonica.com.br RESUMO: O

Leia mais

MATERNAL I OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL

MATERNAL I OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL MATERNAL I OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez mais independente, com a confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações;

Leia mais

O OLHAR DOS PROFESSORES PARA A INFÂNCIA

O OLHAR DOS PROFESSORES PARA A INFÂNCIA O OLHAR DOS PROFESSORES PARA A INFÂNCIA Ariane Sandrin Pianegonda 1 Inês Bueno Krahe 2 Resumo Este artigo pretende apresentar os resultados da pesquisa desenvolvida durante o curso de extensão: Escola

Leia mais

MENINAS E MENINOS EM SITUAÇÃO DE RUA : UMA APROXIMAÇÃO DAS BRINCADEIRAS INFANTIS

MENINAS E MENINOS EM SITUAÇÃO DE RUA : UMA APROXIMAÇÃO DAS BRINCADEIRAS INFANTIS Título: MENINAS E MENINOS EM SITUAÇÃO DE RUA : UMA APROXIMAÇÃO DAS BRINCADEIRAS INFANTIS Área Temática: Educação de jovens e adultos e movimentos sociais Autores: HELENISE SANGOI ANTUNES (1), VALESKA FORTES

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO LÚDICO PARA FACILITAR A APRENDIZAGEM DOS ALUNOS

UTILIZAÇÃO DO LÚDICO PARA FACILITAR A APRENDIZAGEM DOS ALUNOS UTILIZAÇÃO DO LÚDICO PARA FACILITAR A APRENDIZAGEM DOS ALUNOS Carmelinda Ignez Cocco Mariani 1 Pós-Graduação em Psicopedagogia Institucional, Associação Educacional Frei Nivaldo Liebel, Xaxim, RS. Viviana

Leia mais

VISÃO: ser referência na comunidade na área de educação Infantil

VISÃO: ser referência na comunidade na área de educação Infantil VISÃO: ser referência na comunidade na área de educação Infantil NOSSA MISSÃO: Por meio da educação formar cidadãos felizes, independentes, éticos e solidários VALORES: Respeito, honestidade, boa moral

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR A importância do brincar na educação infantil segundo uma visão Winnicottiana Márcia Molina Cavalcanti Faculdade Carlos Drummond de Andrade Docente de Metodologia do Trabalho

Leia mais

HORA DO CONTO: NA EDUCAÇÃO INFANTIL... 1019

HORA DO CONTO: NA EDUCAÇÃO INFANTIL... 1019 HORA DO CONTO: NA EDUCAÇÃO INFANTIL... 1019 HORA DO CONTO: NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Evelise Raquel de Pontes Mariane Soares Sana Orientadora: Renata Junqueira de Souza. Instituição: Universidade Estadual

Leia mais

DESENVOLVIMENTO COGNITIVO MUSICAL ATRAVÉS DE JOGOS E BRINCADEIRAS

DESENVOLVIMENTO COGNITIVO MUSICAL ATRAVÉS DE JOGOS E BRINCADEIRAS 175 ANAIS III FÓRUM DE PESQUISA CIENTÍFICA EM ARTE Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Curitiba, 2005 DESENVOLVIMENTO COGNITIVO MUSICAL ATRAVÉS DE JOGOS E BRINCADEIRAS Marta Deckert * RESUMO: Como

Leia mais

REVISTA CONTEÚDO O JOGAR E O BRINCAR EM UM CONTEXTO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

REVISTA CONTEÚDO O JOGAR E O BRINCAR EM UM CONTEXTO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL O JOGAR E O BRINCAR EM UM CONTEXTO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Nara Fernanda de Campos 1 RESUMO Considerando os jogos e as brincadeiras infantis como uma ferramenta ideal ao aprendizado, podemos dizer

Leia mais

LAZER, EDUCAÇÃO FÍSICA E FORMAÇÃO DESPORTIVA. MSc. Paulo José dos Santos de Morais

LAZER, EDUCAÇÃO FÍSICA E FORMAÇÃO DESPORTIVA. MSc. Paulo José dos Santos de Morais LAZER, EDUCAÇÃO FÍSICA E FORMAÇÃO DESPORTIVA MSc. Paulo José dos Santos de Morais LAZER, EDUCAÇÃO FÍSICA E FORMAÇÃO DESPORTIVA. Lazer Grande variedade de ações e atuações humanas nos mais diversificados

Leia mais

RECOMENDAÇÕES PARAO DESENVOLVIMENTO DE BRINQUEDOS INFANTIS UTILIZANDO O DESIGN EMOCIONAL. Artigo para revisão cega

RECOMENDAÇÕES PARAO DESENVOLVIMENTO DE BRINQUEDOS INFANTIS UTILIZANDO O DESIGN EMOCIONAL. Artigo para revisão cega RECOMENDAÇÕES PARAO DESENVOLVIMENTO DE BRINQUEDOS INFANTIS UTILIZANDO O DESIGN EMOCIONAL Artigo para revisão cega Autor(a): Lais Helena Gouveia Rodrigues Coautor(es): Manoel Guedes Alcoforado Neto Email:

Leia mais

Relatório da Formação Complementar Turma do Jardim -

Relatório da Formação Complementar Turma do Jardim - Relatório da Formação Complementar Turma do Jardim - Professora Carla Pitarello da Silva Auxiliar Rita de Cassia Terrazan Coordenação Ludmila Santos Um dos objetivos da Formação Complementar da Escola

Leia mais

BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL

BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL 1988 CONSTITUIÇÃO FEDERAL ANTECEDENTES Art. 210. Serão fixados conteúdos mínimos para o ensino fundamental, de maneira a assegurar formação básica comum

Leia mais

O LÚDICO: JOGOS, BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS NA CONSTRUÇÃO DO PROCESSO DE APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Simone Helen Drumond Ischkanian

O LÚDICO: JOGOS, BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS NA CONSTRUÇÃO DO PROCESSO DE APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Simone Helen Drumond Ischkanian O LÚDICO: JOGOS, BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS NA CONSTRUÇÃO DO PROCESSO DE APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL. O projeto - o lúdico: jogos, brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprendizagem

Leia mais

Brincadeira é Jogo Sério. Resumo. Flávia Moretto de Oliveira 1 Luciane Canto Vargas 2

Brincadeira é Jogo Sério. Resumo. Flávia Moretto de Oliveira 1 Luciane Canto Vargas 2 Brincadeira é Jogo Sério Flávia Moretto de Oliveira 1 Luciane Canto Vargas 2 Resumo A infância é fascinante, durante a vida é neste período que exteriorizamos nossos sentimentos, nossas experiências e

Leia mais

O Autismo E O Lúdico

O Autismo E O Lúdico O Autismo E O Lúdico Autora: Lucinéia Cristina da Silva (FEF) * Coautora: Alexandra Magalhães Frighetto (UFMT) * Coautor: Juliano Ciebre dos Santos (FSA) * Resumo: A apresentação desse artigo tem como

Leia mais

O PAPEL DOS JOGOS LÚDICOS PARA O DESENVOLVIMENTO POR MEIO DA COMPREENSÃO

O PAPEL DOS JOGOS LÚDICOS PARA O DESENVOLVIMENTO POR MEIO DA COMPREENSÃO O PAPEL DOS JOGOS LÚDICOS PARA O DESENVOLVIMENTO POR MEIO DA COMPREENSÃO 1 BARALDI, Tabata Branco, 2 BARBOZA Deisi, 3 PEDROSO, Alessandra Maria Leite, 4 VANZO, Marília Moura, 5 ANTONIO, Fernanda Peres.

Leia mais

Ludicidade. Contextualização. Pedagogia. Como Ensinar por Meio da Brincadeira? Instrumentalização. Teleaula 2

Ludicidade. Contextualização. Pedagogia. Como Ensinar por Meio da Brincadeira? Instrumentalização. Teleaula 2 Ludicidade Teleaula 2 Prof. Me. Marcos Ruiz da Silva tutoriapedagogia@grupouninter.com.br Contextualização Pedagogia Como Ensinar por Meio da Brincadeira? Compreender que o lúdico está presente no cotidiano

Leia mais

ESPAÇOS PEDAGÓGICOS ADAPTADOS: EXPERIÊNCIAS E APRENDIZAGENS DE ADAPTAÇÃO QUE ENRIQUECEM A EDUCAÇÃO

ESPAÇOS PEDAGÓGICOS ADAPTADOS: EXPERIÊNCIAS E APRENDIZAGENS DE ADAPTAÇÃO QUE ENRIQUECEM A EDUCAÇÃO 1 ESPAÇOS PEDAGÓGICOS ADAPTADOS: EXPERIÊNCIAS E APRENDIZAGENS DE ADAPTAÇÃO QUE ENRIQUECEM A EDUCAÇÃO VOGEL, Deise R. 1 BOUFLEUR, Thaís 2 RAFFAELLI, Alexandra F. 3 Palavras chave: Espaços adaptados; experiências;

Leia mais

********** É uma instituição destinada ao atendimento de crianças de 0 a 3 anos e faz parte da Educação Infantil. Integra as funções de cuidar e

********** É uma instituição destinada ao atendimento de crianças de 0 a 3 anos e faz parte da Educação Infantil. Integra as funções de cuidar e 1 CONCEPÇÃO DE CRECHE (0 A 3 ANOS): A Constituição Federal de 1988 assegura o reconhecimento do direito da criança a creche, garantindo a permanente atuação no campo educacional, deixando de ser meramente

Leia mais

TERAPIA OCUPACIONAL CONSTRUINDO POSSIBILIDADES PARA DIVERSÃO E SOCIALIZAÇÃO DE CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA FÍSICA EM PARQUES INFANTIS

TERAPIA OCUPACIONAL CONSTRUINDO POSSIBILIDADES PARA DIVERSÃO E SOCIALIZAÇÃO DE CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA FÍSICA EM PARQUES INFANTIS TERAPIA OCUPACIONAL CONSTRUINDO POSSIBILIDADES PARA DIVERSÃO E SOCIALIZAÇÃO DE CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA FÍSICA EM PARQUES INFANTIS Karina Félix de Vilhena Santoro¹, Cláudia Franco Monteiro² ¹Universidade

Leia mais

Uma Perspectiva Sócio-Histórica do Processo de Alfabetização com Conscientização do Contexto Sociocultural

Uma Perspectiva Sócio-Histórica do Processo de Alfabetização com Conscientização do Contexto Sociocultural Uma Perspectiva Sócio-Histórica do Processo de Alfabetização com Conscientização do Contexto Sociocultural Camila Turati Pessoa (Universidade Federal de Uberlândia) camilatpessoa@gmail.com Ruben de Oliveira

Leia mais

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades;

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades; INFANTIL II OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez mais independente, com a confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações:

Leia mais

Comunicação JOGOS TEATRAIS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO MATERNAL E EDUCAÇÃO INFANTIL

Comunicação JOGOS TEATRAIS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO MATERNAL E EDUCAÇÃO INFANTIL Comunicação JOGOS TEATRAIS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO MATERNAL E EDUCAÇÃO INFANTIL ROSA, Maria Célia Fernandes 1 Palavras-chave: Conscientização-Sensibilização-Transferência RESUMO A psicóloga Vanda

Leia mais

CRIANÇAS COM SURDOCEGUEIRA E COM DEFICIÊNCIA MÚLTIPLA- APRENDENDO A BRINCAR UTILIZANDO TECNOLOGIA ASSISTIVA DE BAIXO CUSTO CANTINHO DE INTERAÇÃO

CRIANÇAS COM SURDOCEGUEIRA E COM DEFICIÊNCIA MÚLTIPLA- APRENDENDO A BRINCAR UTILIZANDO TECNOLOGIA ASSISTIVA DE BAIXO CUSTO CANTINHO DE INTERAÇÃO CRIANÇAS COM SURDOCEGUEIRA E COM DEFICIÊNCIA MÚLTIPLA- APRENDENDO A BRINCAR UTILIZANDO TECNOLOGIA ASSISTIVA DE BAIXO CUSTO CANTINHO DE INTERAÇÃO SHIRLEY RODRIGUES MAIA 1 LÍLIA GIACOMINI 2 ROBERTA CORREIA

Leia mais

A ARTE DE CONTAR HISTÓRIAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A ARTE DE CONTAR HISTÓRIAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL A ARTE DE CONTAR HISTÓRIAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL EVELISE RAQUEL DE PONTES (UNESP). Resumo O ato de contar histórias para crianças da educação infantil é a possibilidade de sorrir, criar, é se envolver com

Leia mais

Palavras-chave: PIBID; Educação Infantil; Aprendizagem; Pátio Escolar.

Palavras-chave: PIBID; Educação Infantil; Aprendizagem; Pátio Escolar. O PÁTIO ESCOLAR COMO ESPAÇO DE APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL Patrícia Coelho da Costa Ramon Bahiense de Melo Bruna Cristina Reis Diana Nobrega Ambrozina RESUMO O tema do presente trabalho é o pátio

Leia mais

JOGOS NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM Olímpia Terezinha da Silva Henicka e Dariléia Marin

JOGOS NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM Olímpia Terezinha da Silva Henicka e Dariléia Marin JOGOS NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM Olímpia Terezinha da Silva Henicka e Dariléia Marin Quem não se lembra do tempo de escola? Das canções infantis? Das brincadeiras de criança? Dos jogos daquele

Leia mais

Tripulação do Maternal A e as viagens com os piratas.

Tripulação do Maternal A e as viagens com os piratas. RELATÓRIO DE GRUPO MATERNAL A 2º SEMESTRE DE 2014 Professora: Jéssica Oliveira Professora auxiliar: Elizabeth Fontes Coordenação: Lucy Ramos Torres Tripulação do Maternal A e as viagens com os piratas.

Leia mais

ESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO DA ESCOLA DE

ESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO DA ESCOLA DE Unidade II ESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO DA ESCOLA DE EDUCAÇÃO INFANTIL Profa. Ana Lucia M. Gasbarro A formação pessoal e social da criança, áreas de conhecimento e desenvolvimento da criança Introdução A importância

Leia mais

O DIREITO À BINCADEIRA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

O DIREITO À BINCADEIRA NA EDUCAÇÃO INFANTIL O DIREITO À BINCADEIRA NA EDUCAÇÃO INFANTIL Juliana Mayane Sobreira Xavier Graduanda do Curso de Pedagogia Universidade Regional do Cariri-URCA jumayanne@gmail.com Maria Aparecida Ferreira dos Santos Graduanda

Leia mais

PROJETO DE ESTÁGIO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

PROJETO DE ESTÁGIO NA EDUCAÇÃO INFANTIL PROJETO DE ESTÁGIO NA EDUCAÇÃO INFANTIL BRIZOLA, Silene Francisca dos Santos. (UNEMAT) silenefsb@hotmail.com SILVA, Maria Ivonete da. (UNEMAT) ivonete0304@hotmail.com RESUMO Este projeto foi desenvolvido

Leia mais

Núcleo de Educação Infantil Solarium

Núcleo de Educação Infantil Solarium 0 APRESENTAÇÃO A escola Solarium propõe um projeto de Educação Infantil diferenciado que não abre mão do espaço livre para a brincadeira onde a criança pode ser criança, em ambiente saudável e afetivo

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL: O Lúdico com crianças de 4 anos FRANCIELLE DE ALMEIDA GOMES PROF. MS. FÁTIMA ELIANA FRIGATO BOZZO

EDUCAÇÃO INFANTIL: O Lúdico com crianças de 4 anos FRANCIELLE DE ALMEIDA GOMES PROF. MS. FÁTIMA ELIANA FRIGATO BOZZO 0 EDUCAÇÃO INFANTIL: O Lúdico com crianças de 4 anos FRANCIELLE DE ALMEIDA GOMES PROF. MS. FÁTIMA ELIANA FRIGATO BOZZO LINS- SP 2009 1 EDUCAÇÃO INFANTIL O Lúdico com crianças de 4 anos RESUMO O lúdico

Leia mais

O BRINCAR E A CLÍNICA

O BRINCAR E A CLÍNICA O BRINCAR E A CLÍNICA Christine Nunes (psicóloga clínica, candidata da SPRJ) RESUMO: O presente trabalho, propõe a uma breve exposição do que pensa Winnicott sobre o brincar e a sessão analítica estendendo

Leia mais

A Companhia dos amigos na floresta das emoções

A Companhia dos amigos na floresta das emoções A Companhia dos amigos na floresta das emoções Promoção de competências sócio-emocionais de crianças pré-escolares Caderno Divulgação 2015 Associação A Companhia dos amigos na floresta das emoções Propomos

Leia mais

Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima' A Utilização do Jogo na Pré-Escola

Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima' A Utilização do Jogo na Pré-Escola Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima' A Utilização do Jogo na Pré-Escola Brincar é fonte de lazer, mas é, simultaneamente, fonte de conhecimento; é esta dupla natureza que nos leva a considerar o brincar

Leia mais

Imaginação e protagonismo na Educação Infantil: construindo uma escola mais íntima da infância

Imaginação e protagonismo na Educação Infantil: construindo uma escola mais íntima da infância Imaginação e protagonismo na Educação Infantil: construindo uma escola mais íntima da infância Me. Tony Aparecido Moreira tony.educ@gmail.com Denise Watanabe de.wtnb@gmail.com Dr. José Milton de Lima miltonlima@fct.unesp.br

Leia mais

Colégio Cor Jesu Brasília DF. Plano de Curso 2010. Infantil II Segmento I

Colégio Cor Jesu Brasília DF. Plano de Curso 2010. Infantil II Segmento I Colégio Cor Jesu Brasília DF Plano de Curso 2010 Infantil II Segmento I PLANO DE CURSO 2009 INFANTIL II Disciplina: ARTES Série: INFANTIL II Segmento: I COMPETÊNCIAS HABILIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS -

Leia mais

O ENSINO DA MATEMÁTICA NOS ANOS INICIAIS ATRAVÉS DA UTILIZAÇÃO DE JOGOS EM SALA DE AULA E DE UM OLHAR SENSÍVEL DO PROFESSOR

O ENSINO DA MATEMÁTICA NOS ANOS INICIAIS ATRAVÉS DA UTILIZAÇÃO DE JOGOS EM SALA DE AULA E DE UM OLHAR SENSÍVEL DO PROFESSOR O ENSINO DA MATEMÁTICA NOS ANOS INICIAIS ATRAVÉS DA UTILIZAÇÃO DE JOGOS EM SALA DE AULA E DE UM OLHAR SENSÍVEL DO PROFESSOR Erika Aparecida Domiciano Moser 1 RESUMO A alegria não chega apenas no encontro

Leia mais

Colégio Sagrado Coração de Maria - Rio. Eu me remexo muito. E onde eu chego?

Colégio Sagrado Coração de Maria - Rio. Eu me remexo muito. E onde eu chego? Colégio Sagrado Coração de Maria - Rio Rua Tonelero, 56 Copacabana RJ site:www.redesagradorj.com.br / e-mail:cscm@redesagradorj.com.br Eu me remexo muito. E onde eu chego? Turma: Maternal II A Professora

Leia mais

Turma do Maternal as minhocas e a plantação de rabanetes.

Turma do Maternal as minhocas e a plantação de rabanetes. RELATÓRIO DE GRUPO MATERNAL VESPERTINO 2º SEMESTRE DE 2014 Professora: Jéssica Oliveira Professora auxiliar: Elizabeth Fontes Coordenação: Lucy Ramos Torres Turma do Maternal as minhocas e a plantação

Leia mais

O olhar do professor das séries iniciais sobre o trabalho com situações problemas em sala de aula

O olhar do professor das séries iniciais sobre o trabalho com situações problemas em sala de aula O olhar do professor das séries iniciais sobre o trabalho com situações problemas em sala de aula INTRODUÇÃO Josiane Faxina Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Câmpus Bauru e-mail: josi_unesp@hotmail.com

Leia mais

O PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM ATRAVÉS DOS JOGOS EDUCATIVOS NO ENSINO FUNDAMENTAL

O PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM ATRAVÉS DOS JOGOS EDUCATIVOS NO ENSINO FUNDAMENTAL Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 975 O PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM ATRAVÉS DOS JOGOS EDUCATIVOS NO ENSINO FUNDAMENTAL Drielly Adrean Batista

Leia mais

O DIA DO BIS NAS AULAS DE RECREAÇÃO

O DIA DO BIS NAS AULAS DE RECREAÇÃO O DIA DO BIS NAS AULAS DE RECREAÇÃO Profª Tatyanne Roiek Lazier 1 Prof. Esp. Cleber Mena Leão Junior (ABRE) 2 O objetivo principal deste estudo foi propor a inserção de um dia em que as crianças possam

Leia mais

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades;

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades; INFANTIL I OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez mais independente, com a confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações:

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA

EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA Q U E S T Õ E S E R E F L E X Õ E S Suraya Cristina Dar ido Mestrado em Educação Física, na Escola de Educação Física da Universidade de São Paulo, SP, 1987 1991 Doutorado em

Leia mais

O BRINCAR NO AMBIENTE HOSPITALAR

O BRINCAR NO AMBIENTE HOSPITALAR O BRINCAR NO AMBIENTE HOSPITALAR INTRODUÇÃO O presente estudo busca refletir a respeito da importância do brincar no ambiente hospitalar. A construção desse material foi feita a partir do contato de três

Leia mais

ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSÃO EDUCACIONAL

ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSÃO EDUCACIONAL ORIENTAÇÃO PARA A ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DA AVALIAÇÃO QUALITATIVA DA APRENDIZAGEM SEMESTRAL Educação Infantil Estimulação Essencial e Pré-Escolar O relatório da Educação Infantil - Estimulação Essencial

Leia mais

Faculdade de Alta Floresta - FAF

Faculdade de Alta Floresta - FAF JOGOS NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM Olímpia Terezinha da Silva Henicka e Dariléia Marin Quem não se lembra do tempo de escola? Das canções infantis? Das brincadeiras de criança? Dos jogos daquele

Leia mais

TÍTULO: O INGRESSO DA CRIANÇA AOS SEIS ANOS NO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS DILEMA OU SOLUÇÃO

TÍTULO: O INGRESSO DA CRIANÇA AOS SEIS ANOS NO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS DILEMA OU SOLUÇÃO TÍTULO: O INGRESSO DA CRIANÇA AOS SEIS ANOS NO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS DILEMA OU SOLUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE DO GRANDE

Leia mais

ALVES, Fernanda de O. 2 VIERO, Francieli C. 2 ; GONÇALVES, Camila dos S. 3

ALVES, Fernanda de O. 2 VIERO, Francieli C. 2 ; GONÇALVES, Camila dos S. 3 A IMAGINOTECA HOSPITALAR COMO UM ESPAÇO DE (DES)ENVOLVIMENTO ALVES, Fernanda de O. 2 VIERO, Francieli C. 2 ; GONÇALVES, Camila dos S. 3 1 Trabalho de Projeto de Extensão _UNIFRA 2 Acadêmicas do Curso de

Leia mais

O BRINCAR E SUA FUNÇÃO NA INTERVENÇÃO PSICOPEDAGÓGICA EM INSTITUIÇÕES ESCOLARES: O QUE DIZEM OS PSICOPEDAGOGOS? DIOGO SÁ DAS NEVES

O BRINCAR E SUA FUNÇÃO NA INTERVENÇÃO PSICOPEDAGÓGICA EM INSTITUIÇÕES ESCOLARES: O QUE DIZEM OS PSICOPEDAGOGOS? DIOGO SÁ DAS NEVES 1 O BRINCAR E SUA FUNÇÃO NA INTERVENÇÃO PSICOPEDAGÓGICA EM INSTITUIÇÕES ESCOLARES: O QUE DIZEM OS PSICOPEDAGOGOS? Introdução DIOGO SÁ DAS NEVES A Psicopedagogia compromete-se primordialmente com o sistema

Leia mais

Revista Científica Eletrônica de Psicologia

Revista Científica Eletrônica de Psicologia A IMPORTÂNCIA DE ATIVIDADES LÚDICAS NO DESENVOLVIMENTO COGNITIVO DE CRIANÇAS NA PRÉ-ESCOLA DE 3 A 6 ANOS. RESUMO. Daniela, SCARPINELLI¹. Gabriel Gonçalves, MATTOS². O presente artigo teve como objetivo

Leia mais