CF156_P78a :18 Page 78. família. Mãe. solteira. sim, mas por. escolha

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CF156_P78a83 21.10.06 0:18 Page 78. família. Mãe. solteira. sim, mas por. escolha"

Transcrição

1 CF156_P78a :18 Page 78 família Mãe solteira sim, mas por escolha 78 Crescer novembro/2006

2 CF156_P78a :18 Page 79 A ausência de um marido ou parceiro deixou de ser impedimento para as mulheres que desejam ser mães. Um número cada vez maior de brasileiras opta por, sozinhas, assumir uma gravidez acidental, adotar uma criança ou recorrer a um banco de sêmen para realizar o sonho. Conversamos com especialistas e com algumas dessas mulheres. Elas revelaram suas motivações, alegrias e dificuldades POR ANA CLÁUDIA CRUZ ILUSTRAÇÕES MAURO NAKATA oo que faz uma mulher solteira para realizar o sonho da maternidade? Até a década de 60, pouca coisa. Hoje, mais de 40 anos depois da revolução feminista, as opções cresceram. As mulheres que desejam ser mães, já têm estabilidade profissional e financeira, chegaram a uma idade limite entre 35 e 40 anos, mas estão sós, sem marido, parceiro ou namorado, optam por assumir uma gravidez acidental, adotam uma criança ou simplesmente entram numa clínica de fertilização e recorrem a doadores anônimos de sêmen. Escolher ser mãe, mesmo que solteira, é um fenômeno crescente em todo o mundo. Nos Estados Unidos, ele chamou a atenção da socióloga Rosanna Hertz e resultou no livro, recém-publicado e ainda não lançado no Brasil, Single by Chance, Mothers by Choice, algo como Solteiras por Acaso, Mães por Opção (leia entrevista no final da desta reportagem). No Brasil, não existem estudos específicos sobre a mulher que decide encarar a chamada produção independente.as estatísticas tratam de mães solteiras em geral e surpreendem: números de um estudo do Ibope Mídia sobre mães contemporâneas apontam que um terço das mães brasileiras não vive com companheiros nem é casado. Essas mulheres enfrentam as agruras de criar seus filhos sozinhas. A diferença é que as retratadas nesta reportagem fazem isso por escolha.a questão é: por que Satisfação em dose dupla Os gêmeos Luiz e Paulo nasceram há dois anos e transformaram a vida de Cleide Pereira. Ela mudou para a casa dos pais, em Mato Grosso, morou lá um ano e meio e deixou de trabalhar. Natural, quando chegam dois bebês ao mesmo tempo. A diferença é que Cleide é solteira. Aos 37 anos, decidiu que havia chegado a hora de realizar o sonho de ser mãe. Seu parceiro de dez anos tentou adiar o projeto outra vez, mas ela não hesitou. Colocou um fim no relacionamento, procurou uma clínica de fertilização e engravidou com a utilização de sêmen de doador anônimo. No começo foi difícil, porque iniciei o tratamento enquanto ainda morávamos juntos, mas depois foi tranqüilo. Havia me preparado para a chegada dos meus filhos, até planejei parar de trabalhar, diz ela. A notícia de que seriam gêmeos não a assustou. Ao contrário, foi comemorada. Queria mais de um filho, mas dificilmente faria tratamento para engravidar do segundo. Tive muita sorte. O apoio da família e amigos foi importante. Há seis meses de volta a São Paulo, Cleide abriu um negócio e retomou a vida profissional. Já considera até namorar. Nem tinha tempo para pensar nisso, mas se for alguém que goste dos meus filhos, por que não? escolhem esse caminho? Suas histórias apontam problemas, desencontros, descobertas e, acima de tudo, grande satisfação com a maternidade. Os motivos que levam as mulheres a esse caminho variam, mas, assim como quase tudo o que está em transformação no universo feminino, têm forte influência do crescimento da participação das mulheres no mercado de trabalho, de sua busca por realização pessoal e profissional. Elas estão se preocupando com a maternidade cada vez mais tarde, porque dão prioridade à carreira e à independência financeira. Só quando o relógio biológico faz o alerta, decidem pensar seriamente no assunto. Em muitos casos, é nesse momento que percebem não ter com quem dividir esse sonho. 79

3 CF156_P78a :32 Page 80 família A gravidez durou três anos A adoção foi o caminho escolhido pela catarinense Maria da Graça Arruda para ser mãe.desde muito nova ela sabia que não poderia engravidar, em razão de um distúrbio na hipófise, e decidiu adotar.aconteceu de não se casar e, por isso, encarou a maternidade independente. Eu não poderia passar nesta vida sem filhos, diz.maria da Graça esperou ter condições financeiras e, no dia que mudou para a casa própria, começou a fazer o enxoval do bebê. A questão é que uma gravidez mais complicada.a gente não sabe quanto tempo vai ter de esperar.a minha durou três anos. A chegada de Guilherme foi a realização completa.para Gracinha, ser mãe é a coisa mais maravilhosa que existe. É uma felicidade poder conviver com os filhos, vê-los crescer, se desenvolver. Há dois anos, quando Guilherme já estava com 16 anos, ela recebeu a filha, Alexandra Vitoria.A menina chegou com 6 anos, uma adoção tardia e, por isso, mais complicada.mas hoje ela já está bem integrada à família.o apoio que sempre recebeu da mãe e da família foi fundamental. Até adotaria mais, mas precisamos ser realistas, afirma. Os avanços da medicina reprodutiva estão permitindo que a mulher adie o sonho da maternidade e tenha mais tempo para encontrar o parceiro com quem deseja formar família. Trata-se do congelamento de óvulos, quando a mulher ainda está numa idade mais adequada para ser mãe, que serão utilizados depois. Até dois anos atrás, o processo era difícil e poucos médicos arriscavam, pois no descongelamento o gameta feminino perdia a capacidade fértil. Recentemente, o norte-americano Gary Smith, da Universidade de Michigan, desenvolveu uma técnica que mantém a fertilidade do óvulo depois do descongelamento. Em razão de uma parceria com o cientista Na cultura brasileira, a mulher, durante muito tempo, sentia-se pressionada a casar, mesmo que não considerasse que o parceiro era o homem dos seus sonhos. Hoje ela pode escolher. Se não encontra alguém com quem deseja constituir família, não casa, mas realiza o sonho de ser mãe assim mesmo, afirma o ginecologista e obstetra Alfonso Araújo Massaguer, especialista em reprodução assistida. No dia-a-dia do trabalho, ele convive com as dúvidas e os medos de quem investe na maternidade independente. A verdade é que essas mulheres, além de todas as preocupações de qualquer futura mãe, acabam se defrontando com o preconceito, às vezes até de familiares e amigos, com o peso de tomarem todas as decisões sozinhas e a falta de alguém com quem dividir medos e angústias. Sabemos que é complicado, mas será que não é mais difícil para essa mulher abrir mão do desejo de ser mãe? Percebemos na clínica que as que optam pela maternidade, mesmo que independente, são mais felizes que aquelas que, apesar da vontade de serem mães, desistem no meio do caminho, afirma Alfonso. Quando a família apóia, a mulher que resolve ser mãe solteira, em geral, se sente plenamente recompensada, não importa a forma escolhida para alcançar esse sonho. Mesmo aquelas que trilham o caminho da clínica de fertilização, uma solução ainda pouco comum no Brasil, sentem-se realizadas quando recebem a aprovação dos pais, irmãos e amigos próximos. Porque não é fácil assumir a maternidade sozinha no Brasil. Aquelas que fazem isso são muito questionadas e algumas acabam desistindo. As que vão até o fim são aquelas cujos familiares e amigos apoiaram a atitude. Elas são muito Ciência já permite adiar o sonho norte-americano, todos os nascimentos de crianças com óvulos congelados por essa técnica se deram no Brasil, afirma o ginecologista Eduardo Motta, diretor da clínica Huntington Medicina Reprodutiva. Um trabalho sobre o assunto foi apresentado no Congresso Americano de Reprodução Assistida, em outubro, em New Orleans. A alternativa é importante para mulheres novas que desejam ser mães no futuro, mas precisam se submeter ao tratamento contra o câncer que pode deixá-las estéril. A medicina conseguiu tratar problemas de esterilidade, mas só agora dá uma resposta para preservar a fertilidade, diz Motta. 80 Crescer novembro/2006

4 CF156_P78a :19 Page 81 satisfeitas e confiam terem tomado a decisão correta, diz o ginecologista Eduardo Motta, diretor da clínica Huntington Medicina Reprodutiva. Motivação Independentemente da maneira pela qual a mulher solteira opta por ser mãe, psiquiatras e psicólogos alertam para o que a motivou. Não pode ser apenas mais uma conquista na vida delas. Ou seja, elas conseguiram tudo na vida, no trabalho, e falta o filho. Filho não é troféu. Elas devem ter o desejo grande de ser mãe, afirma a psicóloga Daniela da Rocha Paes Peres. A psicanalista Regina Maria Rahmi, chefe do Departamento de Família do Instituto Sedes Sapientiae, salienta outro aspecto: A questão da mãe solteira por escolha traz à discussão a idéia da auto-suficiência feminina, da quase ditadura da independência que existe hoje. Essa cultura da auto-suficiência ainda é reflexo da própria revolução feminista. O outro extremo da grande dependência da mulher em relação ao marido no passado. Além disso, é um sintoma de que o processo de mudança iniciado há 40 anos ainda não acabou. Quando essa mulher decide ser mãe descobre que precisa do outro, nem que o outro seja o sêmen de uma clínica de fertilização, e isso a coloca em conflito.a idéia de precisar de alguém é abominada e criticada atualmente, afirma Regina. Como ficam as crianças? Outra questão a ser considerada é o desenvolvimento da criança. Para elas crescerem de maneira saudável, precisam da figura materna e da paterna, desvinculadas O significado do amor Raquel Lucat jamais planejou se tornar mãe. Passou por dois casamentos sem atender aos desejos dos ex-maridos de ter filho. Quando engravidou, aos 37 anos, foi um susto. Vinha me recuperando de problemas familiares meu pai muito doente, além de já ter passado momentos difíceis, como a morte da minha mãe quando era adolescente, sem ir à lona. Mas a notícia da gravidez foi um nocaute. O namorado era mais novo e possuía um nível sociocultural muito diferente. Não daria certo na hora de educar Alice. O namoro acabou com a gravidez, ele faleceu quando Alice tinha 6 meses. Ao longo dos últimos quatro anos, nos momentos críticos de tomada de decisões ou ao encarar as dificuldades por estar sozinha, chegou a se arrepender. Mas a maternidade foi aos poucos se revelando uma coisa fascinante. Minha filha me ensinou o que é realmente amar outra pessoa. Ainda assim, ela admite que não é uma mãe convencional e afirma que sempre foi boa em desempenhar papéis masculinos, de liderança e chefia na vida profissional. Sou boa em cuidar e organizar a vida da Alice, mas nem tanto para brincar ou contar história. 81

5 CF156_P78a :33 Page 82 família do sexo biológico ou seja, num casal homossexual, basta que os papéis feminino e masculino sejam bem definidos. No caso da produção independente, alguém terá de fazer o papel paterno. Nem que seja o avô, o tio ou o terapeuta, diz Regina. Quando falta um dos lados, há desequilíbrio na formação da criança. A figura paterna deve estar presente, mesmo que ele seja anônimo. Senão ela vai crescer com a imagem de que a mãe é inalcançável, absoluta, o que não é bom. É necessário ainda ter o cuidado de não depreciar o outro sexo, afirma Daniela. Quando são tomados esses cuidados em relação ao desenvolvimento do filho,ser mãe,mesmo que solteira, deixa de ser problema.a experiência de muitas mulheres vem mostrando que, em razão de um desejo genuíno de ser mãe, as dificuldades são superadas e elas se sentem realizadas. Maternidade desejada Socióloga norte-americana discute a opção de mulheres que, mesmo sem companheiro, decidiram se tornar mães Por Malu Echeverria Ser mãe solteira é para mim? Nove sessões para ajudar você a decidir. O anúncio de jornal local voltado para mulheres cujo relógio biológico está batendo chamou a atenção da socióloga Rosanna Hertz, professora da Universidade Wellesley, Massachusetts, dez anos atrás.ainquietação se transformou no livro Single by Chance, Mothers by Choice (algo como Solteiras por Acaso,Mães por Opção ),recémlançado nos EUA e ainda sem tradução no Brasil. Para estudar a criação desse novo modelo familiar composto por mãe e filho(s), um fenômeno crescente por lá, Hertz entrevistou 65 mães solteiras de todos os tipos, de médicas a secretárias.a maneira como se tornaram mães também varia.entre elas, há as que engravidaram naturalmente,outras que adotaram,as que se submeteram à fertilização assistida com doadores conhecidos ou anônimos e até as que compraram sêmen pela Internet. Todas realizaram um sonho comum a maternidade de um jeito incomum sozinhas, que está ganhando cada vez mais adeptos nos EUA.Quem são essas mulheres? Por que reverteram a tradicional seqüência amor,casamento e filhos? O papel do pai na família está com os dias contados? Essas e outras perguntas, Hertz responde a seguir. Por que mulheres independentes querem ser mães, uma experiência que vai contra o estilo de vida autônomo da maioria delas? As mulheres que entrevistei, em geral, se tornaram independentes por volta dos 20 anos, eram graduadas e estavam no mercado de trabalho.muitas já com casa própria.nunca imaginaram que não se casariam.estavam felizes com a vida que levavam, mas sentiam que o relógio biológico estava batendo.lá no fundo, algo as incomodava e era a maternidade.é possível que tenham sido influenciadas pela idéia social de que todas as mulheres devem ser mães. Ser mãe solteira, então, não é a primeira opção? Para a maioria, não.elas crescem acreditando que se tornarão mães do jeito convencional.mesmo depois do parto ou da adoção, ainda esperam encontrar um parceiro que ame o bebê.imaginam,então,que estão apenas adiantando uma etapa do processo.adecisão não é feita da noite para o dia, mas, nos últimos anos, as mulheres não estão deixando a escolha para o último minuto.algumas das que entrevistei decidiram por volta dos 32 anos. Você diz que, nos EUA, é mais fácil ser mãe solteira por inseminação do que por adoção. Por quê? A maioria das mulheres que entrevistei preferiu buscar clínicas de reprodução assistida, mas qualquer uma delas Foto divulgação 82 Crescer novembro/2006

6 CF156_P78a :33 Page 83 Pelo direito de ter o nome do pai Cerca de 800 mil crianças brasileiras são registradas sem o reconhecimento paterno todos os anos. Ou seja, por volta de 30% dos registros. A estimativa é da socióloga Ana Liési Thurler, autora da tese Paternidade e Deserção Crianças sem Reconhecimento, Maternidades Penalizadas pelo Sexismo, defendida em 2005 no Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília (UnB). O problema é que, apesar das mudanças na constituição familiar, a maioria dessas mulheres não optou por criar o filho sozinha. Muitas ousaram assumi-lo após o abandono do parceiro. É lamentável que a união formal ainda seja determinante para que o pai honre a filiação, diz. Sem apoio do parceiro ou do estado, resta às mães arcar com custos emocionais e financeiros. Vivemos numa sociedade sexista, na qual o exame de DNA tem sido usado para reforçar a desqualificação da mulher. Ainda que um juiz obrigue o suposto pai a fazer o teste, os que se ausentam não são punidos. Buscar insistentemente o reconhecimento da criança pelo pai é uma violência psicológica contra a mulher. Muitas desistem, diz. Para ela, a solução é a inversão do ônus da prova da paternidade, como já acontece na União Européia e no Peru. A mãe registra o filho com o nome do pai e ele terá de provar o contrário, caso não concorde. M.E. poderia ter comprado esperma pela Internet.Imagino que nas clínicas todas sejam tratadas igualmente, casadas ou não.em resumo, ao decidirem pela inseminação artificial, elas não são submetidas a qualquer tipo de vistoria.já a adoção envolve leis governamentais,que determinam que os interessados sejam interrogados para saber se eles se enquadram no modelo ideal.pessoas solteiras, incluindo homens, têm mais trabalho para adotar.a tendência é de as crianças serem entregues a casais.apesar da burocracia, às vezes, é mais fácil recorrer à adoção internacional. Quais são as vantagens e as desvantagens em se tornar mãe solteira por inseminação artificial? Quando os doadores são anônimos,há vantagens na lei. Isso porque, nos EUA, esses pais, ao contrário de doadores conhecidos, não têm direitos e deveres em relação ao filho.assim,as mães não precisam se preocupar com questões legais.entretanto, essas crianças não têm uma figura que represente o pai, ainda que distante.além disso, em minha pesquisa, nenhum dos doadores conhecidos demonstrou interesse em reclamar a paternidade. Você não acha injusto uma criança não poder conhecer o próprio pai? Essa é uma questão importante.nos EUA, a lei protege a identidade dos doadores anônimos.na Inglaterra, o anonimato expira quando a criança completa 18 anos.a legislação, no momento, está só do lado dos adultos.na minha opinião, as crianças deveriam ter a oportunidade de saber mais sobre sua origem. Espero que tais leis mudem futuramente. As mães solteiras são acusadas de egoísmo por privarem a criança da convivência com o pai? Não se o filho for adotivo ou fruto de um relacionamento.nesses casos, foram "abandonadas" ou estão fazendo o bem.algumas são criticadas, entretanto, por minar a família composta por pai, mãe e filho.para mim, elas estão inventando um novo tipo de família e pretendem torná-la tão estável quanto a tradicional.até porque a presença do pai não é garantia de que os filhos serão bem criados. O papel do pai estaria ameaçado? Talvez alguns homens possam se sentir receosos ao perceber que essas famílias são bem-sucedidas e, principalmente, que as mães têm parcela nisso.mas isso não significa que elas estejam tentando destruir a função paterna. Qual o futuro da família? O modelo composto por mãe e filho(s) tornou-se o centro da família americana.apenas 24% delas estão com ambos os pais.a maioria das crianças, em algum momento, vai morar com apenas um deles.os números indicam que as mulheres economicamente independentes não precisam de homem ou casamento para ser mães.hoje, algumas mulheres cujos filhos foram concebidos por inseminação com doador anônimo estão procurando, pela Internet, os irmãos de seus filhos.há famílias nas quais o lado paterno está sendo criado sem a presença do pai biológico.o fenômeno das mães solteiras de classe média veio para ficar. O livro recém-lançado da socióloga norte-americana Rosanna Hertz trata sobre o fenômeno das mães solteiras por opção, nos Estados Unidos 83

ÍNDICE - 21/08/2006 O Popular (GO)...2 Cidades...2

ÍNDICE - 21/08/2006 O Popular (GO)...2 Cidades...2 ÍNDICE - 21/08/2006 O Popular (GO)...2 Cidades...2 Pais doam embrião congelado para engravidar mulher infértil...2 Adormecidos no nitrogênio líquido há até dez anos...3 À espera da chance de ser mãe...3

Leia mais

Fator emocional. Fertilidade Natural: Fator emocional CAPÍTULO 8

Fator emocional. Fertilidade Natural: Fator emocional CAPÍTULO 8 CAPÍTULO 8 Fator emocional O projeto comum de ter filhos, construir a própria família, constitui um momento existencial muito importante, tanto para o homem como para a mulher. A maternidade e a paternidade

Leia mais

Seis mulheres e o único desejo: um futuro diferente Entrevistadas denunciam desigualdade velada

Seis mulheres e o único desejo: um futuro diferente Entrevistadas denunciam desigualdade velada Terça-feira, 11 de março de 2014 Seis mulheres e o único desejo: um futuro diferente Entrevistadas denunciam desigualdade velada Nádia Junqueira Goiânia - Dalila tem 15 anos, estuda o 2º ano no Colégio

Leia mais

CONVERSA DE PSICÓLOGO CONVERSA DE PSICÓLOGO

CONVERSA DE PSICÓLOGO CONVERSA DE PSICÓLOGO Página 1 CONVERSA DE PSICÓLOGO Volume 03 - Edição 01 Agosto - 2013 Entrevistada: Renata Trovarelli Entrevistadora: Cintia C. B. M. da Rocha TEMA: RELACIOMENTO AMOROSO Psicóloga Comportamental, atualmente

Leia mais

E X P E D I E N T E. GIV Grupo de Incentivo à Vida Rua Capitão Cavalcanti, 145 Vila Mariana São Paulo Fone: 5084-0255 giv@giv.org.br www.giv.org.

E X P E D I E N T E. GIV Grupo de Incentivo à Vida Rua Capitão Cavalcanti, 145 Vila Mariana São Paulo Fone: 5084-0255 giv@giv.org.br www.giv.org. 1 2 E X P E D I E N T E GIV Grupo de Incentivo à Vida Rua Capitão Cavalcanti, 145 Vila Mariana São Paulo Fone: 5084-0255 giv@giv.org.br www.giv.org.br Diretoria: Gilvane Casimiro Edson Arata Luiz Donizete

Leia mais

ROTEIRO PARA REFLEXÃO DO VÍDEO ERA UMA VEZ OUTRA MARIA

ROTEIRO PARA REFLEXÃO DO VÍDEO ERA UMA VEZ OUTRA MARIA SOCIALIZAÇÃO DE MULHERES E HOMENS Quais foram as diferenças entre a criação da Maria e a do seu irmão? Vocês acham que os meninos e as meninas da sua comunidade são criados de formas diferentes? Como?

Leia mais

DEVOLUTIVA ESTE JOVEM 2010 - INTERNET

DEVOLUTIVA ESTE JOVEM 2010 - INTERNET DEVOLUTIVA ESTE JOVEM 2010 - INTERNET INTRODUÇÃO Olá pessoal! Antes de começar a análise dos dados queria agradecer a participação de todos que responderam a pesquisa desse ano do projeto Este Jovem Brasileiro.

Leia mais

Conversando com os pais

Conversando com os pais Conversando com os pais Motivos para falar sobre esse assunto, em casa, com os filhos 1. A criança mais informada, e de forma correta, terá mais chances de saber lidar com sua sexualidade e, no futuro,

Leia mais

Doação de gâmetas. Faculdade de Medicina Universidade de Lisboa Ética e Deontologia Médicas Prof. Doutor Miguel Oliveira e Silva Maio 2010

Doação de gâmetas. Faculdade de Medicina Universidade de Lisboa Ética e Deontologia Médicas Prof. Doutor Miguel Oliveira e Silva Maio 2010 Faculdade de Medicina Universidade de Lisboa Ética e Deontologia Médicas Prof. Doutor Miguel Oliveira e Silva Maio 2010 Doação de gâmetas Trabalho realizado por: Ana Catarina Henriques Anabela Aires Maria

Leia mais

REFLEXÕES CLÍNICAS SOBRE UM CASAL DE PAIS ADOTANTES

REFLEXÕES CLÍNICAS SOBRE UM CASAL DE PAIS ADOTANTES REFLEXÕES CLÍNICAS SOBRE UM CASAL DE PAIS ADOTANTES Autores: Tânia Regina Goia; José Paulo Diniz; Maria Luísa Louro de Castro Valente Instituição: Universidade Estadual Paulista Faculdade de Ciências e

Leia mais

Há limites para VIDA. Doses De saúde

Há limites para VIDA. Doses De saúde VIDA Doses De saúde Há limites para Médicos, políticos e juristas tentam equilibrar o desejo feminino de ser mãe depois dos 50 anos com os riscos para a saúde da mulher e do bebê Marcela Buscato, Júlia

Leia mais

Informação da CRIANÇA

Informação da CRIANÇA Form R-3P02012011 PARTA(Portuguese) DOCUMENTO VALIDO EXCLUSIVAMENTE PARA EFEITOS DE TRADUÇAO Commonwealth of Massachusetts Department of Public Health (Departamento de Saúde Pública) Registry of Vital

Leia mais

Transcrição da Entrevista - Entrevistado do grupo amostral constituído por indivíduos com orientação heterossexual 5 (online)

Transcrição da Entrevista - Entrevistado do grupo amostral constituído por indivíduos com orientação heterossexual 5 (online) Transcrição da Entrevista - Entrevistado do grupo amostral constituído por indivíduos com orientação heterossexual 5 (online) [Sexo: homem] Entrevistador: Boa tarde. Entrevistado: olá, boa tarde Entrevistador:

Leia mais

Ser mãe hoje. Cristina Drummond. Palavras-chave: família, mãe, criança.

Ser mãe hoje. Cristina Drummond. Palavras-chave: família, mãe, criança. Ser mãe hoje Cristina Drummond Palavras-chave: família, mãe, criança. Hoje em dia, a diversidade das configurações familiares é um fato de nossa sociedade. Em nosso cotidiano temos figuras cada vez mais

Leia mais

Novo código perdeu a chance de aceitar união gay

Novo código perdeu a chance de aceitar união gay NOTÍCIAS domingo, dia 6 de setembro de 2009 Família fora da lei Novo código perdeu a chance de aceitar união gay POR GLÁUCIA MILÍCIO E ALINE PINHEIRO O Código Civil de 2002 trouxe importantes mudanças

Leia mais

Respostas dos alunos para perguntas do Ciclo de Debates

Respostas dos alunos para perguntas do Ciclo de Debates Respostas dos alunos para perguntas do Ciclo de Debates 1º ano do Ensino Fundamental I O que você gosta de fazer junto com a sua mã e? - Dançar e jogar um jogo de tabuleiro. - Eu gosto de jogar futebol

Leia mais

A atratividade da Carreira Docente no Brasil. Fundação Carlos Chagas

A atratividade da Carreira Docente no Brasil. Fundação Carlos Chagas A atratividade da Carreira Docente no Brasil Fundação Carlos Chagas Questões de pesquisa Quais são os fatores relacionados à atratividade das carreiras profissionais? E especificamente da carreira docente?

Leia mais

Edificando o casamento dos sonhos

Edificando o casamento dos sonhos Edificando o casamento dos sonhos Formando a identidade do Casal Módulo 1 - Construção Meditando Genesis - 2.24 Eclesiastes 4.12 Genesis - 2.24 Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher,

Leia mais

Transcrição da Entrevista Entrevistado do grupo amostral constituído por indivíduos com orientação homossexual 3 (online)

Transcrição da Entrevista Entrevistado do grupo amostral constituído por indivíduos com orientação homossexual 3 (online) Transcrição da Entrevista Entrevistado do grupo amostral constituído por indivíduos com orientação homossexual 3 (online) [Sexo: mulher] Entrevistador: Olá. Boa noite. Entrevistado: Boa noite!! Peço desculpa

Leia mais

O QUE É SER MÃE ADOLESCENTE PELA PRIMEIRA VEZ? INTRODUÇÃO

O QUE É SER MÃE ADOLESCENTE PELA PRIMEIRA VEZ? INTRODUÇÃO O QUE É SER MÃE ADOLESCENTE PELA PRIMEIRA VEZ? INTRODUÇÃO Esta investigação tem como enfoque o atendimento às gestantes adolescentes primigestas nas equipes de ESF. Visa conhecer o universo destas gestantes

Leia mais

Faça amizades no trabalho

Faça amizades no trabalho 1 Faça amizades no trabalho Amigos verdadeiros ajudam a melhorar a saúde, tornam a vida melhor e aumentam a satisfação profissional. Você tem um grande amigo no local em que trabalha? A resposta para essa

Leia mais

UNIÃO HOMOAFETIVA. Tâmara Barros

UNIÃO HOMOAFETIVA. Tâmara Barros UNIÃO HOMOAFETIVA Tâmara Barros O relacionamento entre pessoas do mesmo sexo ainda é uma questão controversa para a maior parte da população da Grande Vitória, conforme pode ser averiguado através de pesquisa

Leia mais

Milagre do Nascimento

Milagre do Nascimento Milagre do Nascimento A ciência colabora com o sonho de casais que não poderiam ter filhos por métodos tradicionais. Por Viviane Bittencourt A inseminação artificial é um dos métodos da reprodução assistida

Leia mais

AS CONSEQUÊNCIAS PSICOLÓGICAS NAS MULHERES INFÉRTEIS E ESTÉREIS

AS CONSEQUÊNCIAS PSICOLÓGICAS NAS MULHERES INFÉRTEIS E ESTÉREIS AS CONSEQUÊNCIAS PSICOLÓGICAS NAS MULHERES INFÉRTEIS E ESTÉREIS Lucilaine Rodrigues Azem; Maria Cláudia Martins dos Santos; José Rogério de Paula. Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium - UNISALESIANO

Leia mais

Vida nova Jovens contam como superaram doenças graves. Depois de um câncer de mama aos 23 anos, Dolores Cardoso teve um filho, escreveu um livro e

Vida nova Jovens contam como superaram doenças graves. Depois de um câncer de mama aos 23 anos, Dolores Cardoso teve um filho, escreveu um livro e Sexta Vida nova Jovens contam como superaram doenças graves. Depois de um câncer de mama aos 23 anos, Dolores Cardoso teve um filho, escreveu um livro e mudou o rumo da vida profissional FOLHA DA SEXTA

Leia mais

EDUCAÇÃO SEXUAL PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL LEVE: MEDO OU FALTA DE INFORMAÇÃO?

EDUCAÇÃO SEXUAL PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL LEVE: MEDO OU FALTA DE INFORMAÇÃO? EDUCAÇÃO SEXUAL PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL LEVE: MEDO OU FALTA DE INFORMAÇÃO? Lilian Patricia de Oliveira Zanca lilianpatyoli@hotmail.com Regina Célia Pinheiro da Silva Orientadora UNITAU

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 2 Data: 18/10/2010 Hora: 16h00 Duração: 23:43 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

VOCÊ DÁ O SEU MELHOR TODOS OS DIAS. CONTINUE FAZENDO ISSO.

VOCÊ DÁ O SEU MELHOR TODOS OS DIAS. CONTINUE FAZENDO ISSO. VOCÊ DÁ O SEU MELHOR TODOS OS DIAS. CONTINUE FAZENDO ISSO. Qualquer hora é hora de falar sobre doação de órgãos. Pode ser à mesa do jantar, no caminho para o trabalho ou até mesmo ao receber este folheto.

Leia mais

coleção Conversas #25 u s Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #25 u s Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. coleção Conversas #25 Nã Po o s s o c s on c o ig lo o c á cuidar dos m - l os e m u m a e u cl s ín p ic ais a?. Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS

Leia mais

AMOR ESTRANGEIRO Qualquer casamento está sujeito a problemas, mas o choque cultural da união com um estrangeiro pode ser um agravante intransponível

AMOR ESTRANGEIRO Qualquer casamento está sujeito a problemas, mas o choque cultural da união com um estrangeiro pode ser um agravante intransponível AMOR ESTRANGEIRO Qualquer casamento está sujeito a problemas, mas o choque cultural da união com um estrangeiro pode ser um agravante intransponível POR CARLOS DIAS E DAYANNE MIKEVIS FOTOS: DÁRCIO TUTAK

Leia mais

coleção Conversas #20 - MARÇO 2015 - t t o y ç r n s s Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #20 - MARÇO 2015 - t t o y ç r n s s Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. Vocês acham possam a coleção Conversas #20 - MARÇO 2015 - cer d o t t o a r que ga cr ia n y ç a s s? Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS da Editora

Leia mais

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência 43 5 ADOLESCÊNCIA O termo adolescência, tão utilizado pelas classes médias e altas, não costumam fazer parte do vocabulário das mulheres entrevistadas. Seu emprego ocorre mais entre aquelas que por trabalhar

Leia mais

Primeiro Email#1: Rota Problema Solução

Primeiro Email#1: Rota Problema Solução Esta segunda sequência respeita a estrutura da sequência do Eben que analisamos.o template é adequado aos profissionais que podem (e querem) trabalhar com os três mosqueteiros, ou seja, apresentar uma

Leia mais

Tratamentos convencionais

Tratamentos convencionais CAPÍTULO 17 Tratamentos convencionais A indicação terapêutica baseia-se na história clínica do casal, juntamente com a avaliação da pesquisa básica laboratorial. Levase também em consideração a ansiedade

Leia mais

Entrevista 1.02 - Brenda

Entrevista 1.02 - Brenda Entrevista 1.02 - Brenda (Bloco A - Legitimação da entrevista onde se clarificam os objectivos do estudo, se contextualiza a realização do estudo e participação dos sujeitos e se obtém o seu consentimento)

Leia mais

Na Internet Gramática: atividades

Na Internet Gramática: atividades Na Internet Gramática: atividades Dica: Antes de fazer as atividades abaixo, leia os documentos Modo subjuntivo geral e Presente do subjuntivo, no Banco de Gramática. 1. No trecho a seguir, extraído da

Leia mais

www.ivi.net.br IVI Brasil Press kit onde a vida nasce

www.ivi.net.br IVI Brasil Press kit onde a vida nasce www.ivi.net.br IVI Brasil Press kit onde a vida nasce Instituto Valenciano de Infertilidade O Instituto Valenciano de Infertilidade nasceu em 1990 como a primeira instituição médica na Espanha especializada

Leia mais

PARA CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL

PARA CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL Panorama Social Viviani Bovo - Brasil 1 RELATÓRIO FINAL PARA CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL PANORAMA SOCIAL Viviani Bovo Campinas - Brasil Panorama Social Viviani Bovo - Brasil 2 Relatório para Certificação

Leia mais

Palestra Depois do Abuso Sexual Como encaminhar e lidar com criança vítima de abuso sexual

Palestra Depois do Abuso Sexual Como encaminhar e lidar com criança vítima de abuso sexual Palestra Depois do Abuso Sexual Como encaminhar e lidar com criança vítima de abuso sexual Guilherme Schelb, Promotor de Justiça da Infância em Brasília (1992-1995), especialista em temas da infância e

Leia mais

A criança preocupada. Claudia Mascarenhas Fernandes

A criança preocupada. Claudia Mascarenhas Fernandes A criança preocupada Claudia Mascarenhas Fernandes Em sua época Freud se perguntou o que queria uma mulher, devido ao enigma que essa posição subjetiva suscitava. Outras perguntas sempre fizeram da psicanálise

Leia mais

SOLUÇÃO PARA A INFERTILIDADE

SOLUÇÃO PARA A INFERTILIDADE Revista: Carta Capital 28 de Agosto de 2002 SOLUÇÃO PARA A INFERTILIDADE DOIS ESPECIALISTAS DIZEM O QUE É CIÊNCIA E O QUE É MITO, ESCLARECEM AS POSSÍVEIS CAUSAS DO PROBLEMA E AS MELHORES ALTERNATIVAS PARA

Leia mais

coleção Conversas #2 Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça.

coleção Conversas #2 Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça. coleção Conversas #2 Positivo, o que e u faç o Deu Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça. A coleção CONVERSAS da Editora AfroReggae nasceu com o desejo de facilitar

Leia mais

Entendendo o que é Gênero

Entendendo o que é Gênero Entendendo o que é Gênero Sandra Unbehaum 1 Vila de Nossa Senhora da Piedade, 03 de outubro de 2002 2. Cara Professora, Hoje acordei decidida a escrever-lhe esta carta, para pedir-lhe ajuda e trocar umas

Leia mais

ORIENTAÇÕES DIREITO CIVIL ORIENTAÇÕES CÓDIGO CIVIL BRASILEIRO

ORIENTAÇÕES DIREITO CIVIL ORIENTAÇÕES CÓDIGO CIVIL BRASILEIRO ORIENTAÇÕES DIREITO CIVIL ORIENTAÇÕES CÓDIGO CIVIL BRASILEIRO IGUALDADE ENTRE SEXOS - Em conformidade com a Constituição Federal de 1988, ao estabelecer que "homens e mulheres são iguais em direitos e

Leia mais

HERÓIS SEM ROSTOS - A Saga do Imigrante para os EUA Autor: Dirma Fontanezzi - dirma28@hotmail.com

HERÓIS SEM ROSTOS - A Saga do Imigrante para os EUA Autor: Dirma Fontanezzi - dirma28@hotmail.com HERÓIS SEM ROSTOS - A Saga do Imigrante para os EUA Autor: Dirma Fontanezzi - dirma28@hotmail.com TRECHO: A VOLTA POR CIMA Após me formar aos vinte e seis anos de idade em engenharia civil, e já com uma

Leia mais

1ª PERGUNTA: Na sua opinião, como deve ser a formação do trabalhador para o atual mercado de trabalho?

1ª PERGUNTA: Na sua opinião, como deve ser a formação do trabalhador para o atual mercado de trabalho? ANÁLISE DE CONTEÚDO ALUNOS 681 1ª PERGUNTA: Na sua opinião, como deve ser a formação do trabalhador para o atual mercado de trabalho? ANEXO 4 - ANÁLISE DE CONTEÚDO ALUNOS SUJEITO UNIDADE DE CONTEXTO UNIDADE

Leia mais

Questionário de Dados Sociais Demográficos e Obstétricos

Questionário de Dados Sociais Demográficos e Obstétricos Nome: Questionário de Dados Sociais Demográficos e Obstétricos I. Dados Demográficos 1 Idade: 2 Profissão: 3 - Profissão do Companheiro 4 Está empregada Desempregada 5 - O seu companheiro está empregado

Leia mais

MEU TIO MATOU UM CARA

MEU TIO MATOU UM CARA MEU TIO MATOU UM CARA M eu tio matou um cara. Pelo menos foi isso que ele disse. Eu estava assistindo televisão, um programa idiota em que umas garotas muito gostosas ficavam dançando. O interfone tocou.

Leia mais

Paternidade: Compreendendo a infância. Compreendendo o papel vital que o pai e as figuras paternas têm no desenvolvimento emocional das crianças

Paternidade: Compreendendo a infância. Compreendendo o papel vital que o pai e as figuras paternas têm no desenvolvimento emocional das crianças Compreendendo a infância Paternidade: Compreendendo o papel vital que o pai e as figuras paternas têm no desenvolvimento emocional das crianças Compreendendo a infância é uma série de pequenos textos escritos

Leia mais

Introdução. A resposta mais curta é sim!

Introdução. A resposta mais curta é sim! Notícias científicas sobre a Doença de Huntington. Em linguagem simples. Escrito por cientistas. Para toda a comunidade Huntington. Fazer bebés: ter uma família à maneira huntington Fazer bebés: artigo

Leia mais

1. Você escolhe a pessoa errada porque você espera que ela mude após o casamento.

1. Você escolhe a pessoa errada porque você espera que ela mude após o casamento. 10 Maneiras de se Casar com a Pessoa Errada O amor cego não é uma forma de escolher um parceiro. Veja algumas ferramentas práticas para manter os seus olhos bem abertos. por Rabino Dov Heller, Mestre em

Leia mais

MAS ESSE ANO MEU BEM, TÁ COMBINADO, NÓS VAMOS BRINCAR SEPARADOS COMO SE COMPORTAM OS CASAIS CARIOCAS NO CARNAVAL

MAS ESSE ANO MEU BEM, TÁ COMBINADO, NÓS VAMOS BRINCAR SEPARADOS COMO SE COMPORTAM OS CASAIS CARIOCAS NO CARNAVAL MAS ESSE ANO MEU BEM, TÁ COMBINADO, NÓS VAMOS BRINCAR SEPARADOS COMO SE COMPORTAM OS CASAIS CARIOCAS NO CARNAVAL ENQUETE MAS ESSE ANO MEU BEM, TÁ COMBINADO, NÓS VAMOS BRINCAR SEPARADOS COMO SE COMPORTAM

Leia mais

O Ponto entrevista Letícia Odorizi, aprovada em 1º lugar para ATRFB!

O Ponto entrevista Letícia Odorizi, aprovada em 1º lugar para ATRFB! O Ponto entrevista Letícia Odorizi, aprovada em 1º lugar para ATRFB! A história da Letícia Odorizi, aprovada em 1º lugar para Analista Tributário da Receita Federal do Brasil, é mais uma das histórias

Leia mais

0 21 anos: Fase do amadurecimento biológico 21 42 anos: Fase do amadurecimento psicológico mais de 42 anos: Fase do amadurecimento espiritual

0 21 anos: Fase do amadurecimento biológico 21 42 anos: Fase do amadurecimento psicológico mais de 42 anos: Fase do amadurecimento espiritual Por: Rosana Rodrigues Quando comecei a escrever esse artigo, inevitavelmente fiz uma viagem ao meu passado. Lembrei-me do meu processo de escolha de carreira e me dei conta de que minha trajetória foi

Leia mais

O DIVÓRCIO SEGUNDO CARTER &MC GOLDRICK(1995) O DIVÓRCIO É UMA CRISE DE TRANSIÇÃO;

O DIVÓRCIO SEGUNDO CARTER &MC GOLDRICK(1995) O DIVÓRCIO É UMA CRISE DE TRANSIÇÃO; O DIVÓRCIO SEGUNDO CARTER &MC GOLDRICK(1995) O DIVÓRCIO É UMA CRISE DE TRANSIÇÃO; TORNA-SE MAIS COMUM EMBORA OS CÔNJUGES NÃO ESTEJAM PREPARADOS, SOFRENDO GRANDE IMPACTO FÍSICO E EMOCIONAL; AFETA OS MEMBROS

Leia mais

O HOMEM DE VERDADE 1 : Olhando pelas lentes pelas quais vêem as mulheres

O HOMEM DE VERDADE 1 : Olhando pelas lentes pelas quais vêem as mulheres Introdução O HOMEM DE VERDADE 1 : Olhando pelas lentes pelas quais vêem as mulheres Sonia de Alcantara IFRJ/UGB sonia.alcantara@ifrj.edu.br Letícia Mendes Pereira, Lohanna Giovanna Gonçalves da Silva,

Leia mais

Transcrição de Entrevista nº 5

Transcrição de Entrevista nº 5 Transcrição de Entrevista nº 5 E Entrevistador E5 Entrevistado 5 Sexo Feminino Idade 31 anos Área de Formação Engenharia Electrotécnica e Telecomunicações E - Acredita que a educação de uma criança é diferente

Leia mais

HOJE EM DIA O ABORTO JÁ É LEGAL? COMO É A LEI DO ABORTO?

HOJE EM DIA O ABORTO JÁ É LEGAL? COMO É A LEI DO ABORTO? HOJE EM DIA O ABORTO JÁ É LEGAL? COMO É A LEI DO ABORTO? Em 1984 legalizou-se o aborto em Portugal, mas os prazos dessa lei já foram alargados. Desde 1997 tornou-se legal abortar por razões de saúde da

Leia mais

Fevereiro 2015 n.º 04 TRABALHAR COM EDUCAÇÃO É UM PRIVILÉGIO!

Fevereiro 2015 n.º 04 TRABALHAR COM EDUCAÇÃO É UM PRIVILÉGIO! Fevereiro 2015 n.º 04 TRABALHAR COM EDUCAÇÃO É UM PRIVILÉGIO! Editorial Em 2014 o Kumon Instituto de Educação comemorou o centenário de seu criador, professor Toru Kumon. Tudo começou em 1954, no Japão,

Leia mais

Alternativa fértil Médicos e pacientes recorrem a terapias complementares para auxiliar no combate à infertilidade

Alternativa fértil Médicos e pacientes recorrem a terapias complementares para auxiliar no combate à infertilidade Assuntos Principais: SAÚDE; TERAPIA ALTERNATIVA; FERTILIZAÇÃO; INFERTILIDADE; GRAVIDEZ; MULHER; MATERNIDADE; FAMÍLIA; ACUPUNTURA; MEDICINA HOLÍSTICA; HOMEOPATIA; IOGA Autor: FLÁVIA MANTOVANI; MARCOS DÁVILA

Leia mais

Acting out: como tirar proveito dele? Lacan nos diz no seminário As formações do inconsciente, coisas muito

Acting out: como tirar proveito dele? Lacan nos diz no seminário As formações do inconsciente, coisas muito Acting out: como tirar proveito dele? Lacan nos diz no seminário As formações do inconsciente, coisas muito interessantes a respeito do acting out, entre elas, que ele é uma mensagem... sempre dirigido

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO MAR/ABRIL 2013 [Edição 6]

BOLETIM INFORMATIVO MAR/ABRIL 2013 [Edição 6] BOLETIM INFORMATIVO MAR/ABRIL 2013 [Edição 6] O tema central desta edição do Boletim Informativo será a Psicologia Infantil. A Psicologia Infantil é a área da Psicologia que estuda o desenvolvimento da

Leia mais

Em nossa cultura atual os valores familiares estão sendo questionados e quebrados. Hoje a ênfase no individualismo, no belo, no eficiente, no novo,

Em nossa cultura atual os valores familiares estão sendo questionados e quebrados. Hoje a ênfase no individualismo, no belo, no eficiente, no novo, Em nossa cultura atual os valores familiares estão sendo questionados e quebrados. Hoje a ênfase no individualismo, no belo, no eficiente, no novo, no imediato, no prazer, na ausência de limites... Precisamos

Leia mais

Quem mais torce, incentiva, acompanha e

Quem mais torce, incentiva, acompanha e Capa esporte de pai para filho Edgard Rondina, o filho Felipe e uma paixão em comum: velejar no Lago Paranoá Por Leane Ribeiro Quem mais torce, incentiva, acompanha e muitas vezes até sofre com a carreira

Leia mais

All You Zombies. Baseado no conto original de Robert A. Heinlein, All You Zombies, 1959. Versão Portuguesa, Brasil. Wendel Coelho Mendes

All You Zombies. Baseado no conto original de Robert A. Heinlein, All You Zombies, 1959. Versão Portuguesa, Brasil. Wendel Coelho Mendes All You Zombies Wendel Coelho Mendes Versão Portuguesa, Brasil Baseado no conto original de Robert A. Heinlein, All You Zombies, 1959 Esse conto é minha versão sobre a verdadeira história de All You Zombies,

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE A CASTIDADE MASCULINA PARTE 3

CONSIDERAÇÕES SOBRE A CASTIDADE MASCULINA PARTE 3 CONSIDERAÇÕES SOBRE A CASTIDADE MASCULINA PARTE 3 Sofia Z. Na parte anterior vimos algumas das razões do declínio do tesão entre os casais que têm uma relação estável. Nesta parte vamos fazer algumas considerações

Leia mais

A SituAção da 2015 PAternidAde no Mundo: resumo e recomendações

A SituAção da 2015 PAternidAde no Mundo: resumo e recomendações Situação a 2015 aternidade o Mundo: esumo e ecomendações ais são importantes. As relações pai-filho/a, em todas as comunidades e em todas as fases da vida de uma criança, têm impactos profundos e abrangentes

Leia mais

PLANEJANDO A GRAVIDEZ

PLANEJANDO A GRAVIDEZ dicas POSITHIVAS PLANEJANDO A GRAVIDEZ Uma pessoa que vive com HIV/aids pode ter filhos biológicos? Pode. As pessoas que vivem com HIV/aids não devem abandonar seus sonhos, incluindo o desejo de construir

Leia mais

A Importância da Família na Educação

A Importância da Família na Educação A Importância da Família na Educação Não caminhes à minha frente Posso não saber seguir-te. Não caminhes atrás de mim Posso não saber guiar-te. Educadora Social Dra. Joana Valente Caminha antes a meu lado

Leia mais

Pra que serve tudo isso?

Pra que serve tudo isso? Capítulo 1 Pra que serve tudo isso? Parabéns! Você tem em mãos a base para o início de um bom planejamento financeiro. O conhecimento para começar a ver o dinheiro de outro ponto de vista, que nunca foi

Leia mais

Associação Lar do Neném

Associação Lar do Neném Criança Esperança 80 Associação Lar do Neném Recife-PE Marília Lordsleem de Mendonça Abraço solidário Todas as crianças são de todos : esse é o lema do Lar do Neném, uma instituição criada há 26 anos em

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

Descubra quando você está ovulando

Descubra quando você está ovulando 1 Descubra quando você está ovulando O maior segredo para engravidar logo é saber exatamente quando você está ovulando, ou seja, quando um de seus dois ovários está liberando um óvulo. Pense neste óvulo

Leia mais

Um grupo de alunos e uma professora. que decidiram escrever um livro...

Um grupo de alunos e uma professora. que decidiram escrever um livro... Um grupo de alunos e uma professora que decidiram escrever um livro... Tudo começou com um garoto chamado Luan que, num belo dia, resolveu compartilhar sua história... Luan Cardoso era um menino de apenas

Leia mais

Indice. Bullying O acaso... 11

Indice. Bullying O acaso... 11 Indice Bullying O acaso... 11 Brincadeira de mau gosto. Chega! A história... 21 O dia seguinte... 47 A paixão... 53 O reencontro... 61 O bullying... 69 9 Agosto/2010 O acaso Terça-feira. O sol fazia um

Leia mais

FILIAÇÃO NA FECUNDAÇÃO IN VITRO. Thiago Kotula Brondani

FILIAÇÃO NA FECUNDAÇÃO IN VITRO. Thiago Kotula Brondani 1 FILIAÇÃO NA FECUNDAÇÃO IN VITRO Thiago Kotula Brondani Os avanços médicos-científicos e a disseminação das técnicas de reprodução humana assistida tornaram necessária a imposição de limites éticos e

Leia mais

PORQUE O PRIMEIRO EMPREGO É DIFÍCIL?

PORQUE O PRIMEIRO EMPREGO É DIFÍCIL? PORQUE O PRIMEIRO EMPREGO É DIFÍCIL? Em épocas de vestibular, cerca de 1,8 milhão de jovens vão escolher uma profissão e dar arrepios no mercado, ou ficarem arrepiados, dando assim o primeiro empurrão

Leia mais

O valor da educação Um aprendizado para a vida. Relatório do Brasil

O valor da educação Um aprendizado para a vida. Relatório do Brasil O valor da educação Um aprendizado para a vida Relatório do Brasil A pesquisa O valor da educação é uma pesquisa do consumidor independente sobre tendências globais de educação realizada para o HSBC. O

Leia mais

Adolescentes e jovens preparados para tomar suas próprias decisões reprodutivas

Adolescentes e jovens preparados para tomar suas próprias decisões reprodutivas Adolescentes e jovens preparados para tomar suas próprias decisões reprodutivas Andrea da Silveira Rossi Brasília, 15 a 18 out 2013 Relato de adolescentes e jovens vivendo com HIV Todo adolescente pensa

Leia mais

Gerações Y e Z: Juventude Digital. Geração Y (20 a 29 anos) Geração Z (12 a 19 anos) Target Group Index BrY11w1+w2 (Ago09-Jul10)

Gerações Y e Z: Juventude Digital. Geração Y (20 a 29 anos) Geração Z (12 a 19 anos) Target Group Index BrY11w1+w2 (Ago09-Jul10) Gerações Y e Z: Juventude Digital Quais são as gerações do Brasil? Geração Z 12 a 19 anos 11,6 milhões 18% 27% Baby Boomers acima de 46 anos 17,6 milhões 23% Geração Y 20 a 29 anos 15,3 milhões 32% Geração

Leia mais

PESQUISA DE CABELEIREIRA/TÉCNICO DE ESTÉTICA:

PESQUISA DE CABELEIREIRA/TÉCNICO DE ESTÉTICA: Fundo Perpétuo de Educação PESQUISA DE CABELEIREIRA/TÉCNICO DE ESTÉTICA: Os depoimentos, ensinamentos e metas dos participantes mais bem sucedidos. A escolha da escola fez a diferença na sua colocação

Leia mais

PARECER CREMEB Nº 14/13 (Aprovado em Sessão Plenária de 05/04/2013)

PARECER CREMEB Nº 14/13 (Aprovado em Sessão Plenária de 05/04/2013) PARECER CREMEB Nº 14/13 (Aprovado em Sessão Plenária de 05/04/2013) Expediente Consulta Nº 018.621/2012 Assunto: Fertilização in vitro com material biológico de doador falecido. Relatora: Consª Maria Lúcia

Leia mais

Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça?

Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça? Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça? Caro amigo (a) Se sua empresa está sofrendo com a falta de clientes dispostos a comprar os

Leia mais

Ainda existe preconceito, mas as ferramentas do século 21 estão disponíveis também para os cristãos buscarem relacionamentos.

Ainda existe preconceito, mas as ferramentas do século 21 estão disponíveis também para os cristãos buscarem relacionamentos. Ainda existe preconceito, mas as ferramentas do século 21 estão disponíveis também para os cristãos buscarem relacionamentos. Se você pensava que o namoro entre dois cristãos poderia acontecer somente

Leia mais

1.º DE MAIO: Trabalhadoras exigem licença de parto de noventa dias

1.º DE MAIO: Trabalhadoras exigem licença de parto de noventa dias 1.º DE MAIO: Trabalhadoras exigem licença de parto de noventa dias Sexta, 01 Maio 2015 00:00 Acessos: 172 O COMITÉ Nacional da Mulher (COMUTRA), da Organização dos Trabalhadores de Moçambique-Central Sindical

Leia mais

Acompanhamento Psicossocial de Gestantes e Genitoras que Manifestam a Intenção de Entregar um Filho em Adoção Márcia Maria Coutinho de Lima 1

Acompanhamento Psicossocial de Gestantes e Genitoras que Manifestam a Intenção de Entregar um Filho em Adoção Márcia Maria Coutinho de Lima 1 1 Acompanhamento Psicossocial de Gestantes e Genitoras que Manifestam a Intenção de Entregar um Filho em Adoção Márcia Maria Coutinho de Lima 1 As gestantes e genitoras que entregam um filho em adoção

Leia mais

AS TRÊS EXPERIÊNCIAS

AS TRÊS EXPERIÊNCIAS Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 8 Ọ ANO EM 2014 Disciplina: PoRTUGUÊs Prova: desafio nota: Texto para as questões de 1 a 7. AS TRÊS EXPERIÊNCIAS Há três coisas para

Leia mais

3. Meu parceiro poderia ficar chateado se soubesse sobre algumas coisas que tenho feito com outras pessoas.

3. Meu parceiro poderia ficar chateado se soubesse sobre algumas coisas que tenho feito com outras pessoas. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA NÚCLEO DE ANÁLISE DO COMPORTAMENTO Caro(a) participante: Esta é uma pesquisa do Departamento de Psicologia da Universidade Federal do Paraná e

Leia mais

Família e dinheiro. Quer saber mais sobre como usar melhor o seu dinheiro? Todos juntos ganham mais

Família e dinheiro. Quer saber mais sobre como usar melhor o seu dinheiro? Todos juntos ganham mais 1016327-7 - set/2012 Quer saber mais sobre como usar melhor o seu dinheiro? No site www.itau.com.br/usoconsciente, você encontra vídeos, testes e informações para uma gestão financeira eficiente. Acesse

Leia mais

Família. Escola. Trabalho e vida econômica. Vida Comunitária e Religião

Família. Escola. Trabalho e vida econômica. Vida Comunitária e Religião Família Qual era a profissão dos seus pais? Como eles conciliavam trabalho e família? Como era a vida de vocês: muito apertada, mais ou menos, ou viviam com folga? Fale mais sobre isso. Seus pais estudaram

Leia mais

ENTENDENDO A. A adolescência é a fase da vida onde acontecem as maiores modificações no corpo, nos sentimentos e na forma de perceber as coisas.

ENTENDENDO A. A adolescência é a fase da vida onde acontecem as maiores modificações no corpo, nos sentimentos e na forma de perceber as coisas. ENTENDENDO A ADOLESCÊNCIA A adolescência é a fase da vida onde acontecem as maiores modificações no corpo, nos sentimentos e na forma de perceber as coisas. Ao mesmo tempo, aumentam as responsabilidades

Leia mais

Guias do Al-Anon G-27

Guias do Al-Anon G-27 Guias do Al-Anon G-27 PARA UMA REUNIÃO ABERTA DE INFORMAÇÃO AO PÚBLICO Muitos Grupos realizam reuniões abertas de Informação ao Público para comemorar o aniversário do Grupo. Outros, realizam reuniões

Leia mais

Palavras chave: Divórcio. Família Monoparental. Sociedade líquida.

Palavras chave: Divórcio. Família Monoparental. Sociedade líquida. FAMÍLIA MONOPARENTAL: NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA: BREVES REFLEXÕES Rita de Cácia Hora Santana (UNIT) 1 ritadecaciah@yahoo.com.br RESUMO Numa sociedade em que as relações são cada vez mais fluídas, (BAUMAN,

Leia mais

A vivência na conjugalidade é todo um processo que engloba outros processos como a intimidade, a vida sexual, o trabalho, a procriação, a partilha

A vivência na conjugalidade é todo um processo que engloba outros processos como a intimidade, a vida sexual, o trabalho, a procriação, a partilha Existe um facto para o qual também devemos dar atenção: o agressor poderá estar numa posição de solidão. Poucos serão os agressores que terão a consciência do problema que têm, a agressividade que não

Leia mais

Gestação de Substituição ASPECTOS PSICOLÓGICOS II Simpósio de Direito Biomédico OAB Cássia Cançado Avelar Psicóloga Centro Pró-Criar Gestação de Substituição Esse tratamento é indicado para pacientes que

Leia mais

Índice. Porque fazer um curso de Coaching? Tendências do Mercado de Coaching. Um dia na vida de um Coach. Teste: Tornando-se um Coach

Índice. Porque fazer um curso de Coaching? Tendências do Mercado de Coaching. Um dia na vida de um Coach. Teste: Tornando-se um Coach Índice Porque fazer um curso de Coaching? Metodologia Comprovada. Resultados sem precedentes As maiores razões para escolher um coach Tendências do Mercado de Coaching Oportunidades da Carreira de Coaching

Leia mais

A construção identitária das mães adolescentes

A construção identitária das mães adolescentes A construção identitária das mães adolescentes Filomena Gerardo 82 A família é o elemento fundamental para a construção identitária do indivíduo, no momento da adolescência, assim como na infância esta

Leia mais

Motivações para a mulher HIV positivo gestar

Motivações para a mulher HIV positivo gestar Motivações para a mulher HIV positivo gestar Maria Regina Limeira Ortiz* Tania Mara Andreoli Gomes** Resumo Trabalhar com mulheres portadoras do vírus da Imuno Deficiência adquirida(hiv) é algo extremamente

Leia mais

Cartilha de Prevenção Orientações para o combate à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes

Cartilha de Prevenção Orientações para o combate à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes Art. 5º Nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão, punido na forma da lei qualquer atentado, por ação ou omissão,

Leia mais

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses Estudo de Caso Cliente: Rafael Marques Duração do processo: 12 meses Coach: Rodrigo Santiago Minha idéia inicial de coaching era a de uma pessoa que me ajudaria a me organizar e me trazer idéias novas,

Leia mais