NATURA S DAY Cajamar Dez09

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "NATURA S DAY Cajamar Dez09"

Transcrição

1 NATURA S DAY Cajamar Dez09

2 Bem estar bem Natura Proposta de Valor Diferenciada canal produtos marca comportamento empresarial Entrega de Triple Bottom Line Cadeia de Processos Próximo Anos Diferencial Natura Processos de gestão Planejamento Governança estratégico corpora tiva Gestão da Sustentabilidade Gestão de requisitos legais e re gulatórios Gestão de riscos e auditoria Gestão de re lacionamento 1 BRASIL Ampliar liderança utilizando a força da marca e do canal Espaço para ampliar market share em subcategorias Essência Natura Proposta de valor Processos de a poio Finanças Tecnologia da informaçã o Gestão das pessoas Processos principais Unidades de Negócios Inovação de produtos Gestão comercial Gestão da marca Unidades Regionais Inovação comercial Mercado Clientes (CN/CF) 3 2 GESTÃO AMÉRICA LATINA Novo ciclo de crescimento com participação de mercado expressiva Modelo de negócio mais customizado Reconhecimento pelo comportamento empresarial Unid Negócio e Unid Regionais; Proximidade consumidores Desenvolvimento de lideranças Gestão da qua lidade Disponibilizaçã o de produtos Ciclo do pedido CN Fonte: Cadeia de Processos Natura

3 Proposta de Valor Diferenciada canal produtos marca comportamento empresarial Entrega de Triple Bottom Line Econômico: Forte Geração de Caixa Crescimento e Rentabilidade Pagamento consistente de dividendos Social: Geração de valor para Consultoras R$ 55 milhões investidos em CSR 1 Repartição dos benefícios com comunidades extrativistas Ambiental: Carbono neutro Utilização de refil Extração sustentável Uso de materiais recicláveis e reciclados

4 Bem estar bem Natura Proposta de Valor Diferenciada canal produtos marca comportamento empresarial Entrega de Triple Bottom Line Cadeia de Processos Próximo Anos Diferencial Natura Processos de gestão Planejamento Governança estratégico corpora tiva Gestão da Sustentabilidade Gestão de requisitos legais e re gulatórios Gestão de riscos e auditoria Gestão de re lacionamento 1 BRASIL Ampliar liderança utilizando a força da marca e do canal Espaço para ampliar market share em subcategorias Essência Natura Proposta de valor Processos de a poio Finanças Tecnologia da informaçã o Gestão das pessoas Processos principais Unidades de Negócios Inovação de produtos Gestão comercial Gestão da marca Unidades Regionais Inovação comercial Mercado Clientes (CN/CF) 3 2 GESTÃO AMÉRICA LATINA Novo ciclo de crescimento com participação de mercado expressiva Modelo de negócio mais customizado Reconhecimento pelo comportamento empresarial Unid Negócio e Unid Regionais; Proximidade consumidores Desenvolvimento de lideranças Gestão da qua lidade Disponibilizaçã o de produtos Ciclo do pedido CN Fonte: Cadeia de Processos Natura

5 Próximos Anos 1 BRASIL Ampliar liderança utilizando a força da marca e do canal Espaço para ampliar market share em subcategorias 2 AMÉRICA LATINA Novo ciclo de crescimento com participação de mercado expressiva Modelo de negócio mais customizado Reconhecimento pelo comportamento empresarial 3 GESTÃO Unidades de negócio e unidades regionais Desenvolvimento de lideranças Maior proximidade com consumidores

6 Bem estar bem Natura Proposta de Valor Diferenciada canal produtos marca comportamento empresarial Entrega de Tripple Bottom Line Cadeia de Processos Próximo Anos Diferencial Natura Processos de gestão Planejamento Governança estratégico corpora tiva Gestão da Sustentabilidade Gestão de requisitos legais e re gulatórios Gestão de riscos e auditoria Gestão de re lacionamento 1 BRASIL Ampliar liderança utilizando a força da marca e do canal Espaço para ampliar market share em subcategorias Essência Natura Proposta de valor Processos de a poio Finanças Tecnologia da informaçã o Gestão das pessoas Processos principais Unidades de Negócios Inovação de produtos Gestão comercial Gestão da marca Unidades Regionais Inovação comercial Mercado Clientes (CN/CF) 3 2 GESTÃO AMÉRICA LATINA Novo ciclo de crescimento com participação de mercado expressiva Modelo de negócio mais customizado Reconhecimento pelo comportamento empresarial Unid Negócio e Unid Regionais; Proximidade consumidores Desenvolvimento de lideranças Gestão da qua lidade Disponibilizaçã o de produtos Ciclo do pedido CN Fonte: Cadeia de Processos Natura

7 Cadeia de Processos Natura s Day Diferencial Natura Processos de gestão Planejamento estratégico Governança corporativa Gestão da Sustentabilidade Gestão de requisitos legais e regulatórios Gestão de riscos e auditoria Gestão de relacionamento Essência Natura Proposta de valor Processos de apoio Finanças Tecnologia da informação Gestão das pessoas Processos principais Unidades de Negócios Inovação de produtos Gestão comercial Gestão da marca Unidades Regionais Inovação comercial Bem estar bem Mercado Clientes (CN/CF) Gestão da qualidade Disponibilização de produtos Ciclo do pedido CN Fonte: Cadeia de Processos Natura

8 Natura s Day Agenda Vivência: Encontro Natura Café da Manhã Boas Vindas & Expectativas Q&A Q&A Q&A Unidades de Negócios Gestão Comercial, Unidades Regionais e Inovação Comercial Inovação de Produtos Operações & Logística Sustentabilidade Resultados Internacional Cultura e Liderança Final Remarks Almoço Visita ao Site Coffee Break

9 Unidades de Negócios Mônica Gregori

10 Unidades de Negócios Agenda > Organização por Unidades de Negócio/Regionais e Processos > Cadeia de Processos Natura > Unidades de Negócios: Conceito

11 Unidades de Negócios Agenda > Organização por Unidades de Negócio/Regionais e Processos > Cadeia de Processos Natura > Unidades de Negócios: Conceito

12 Unidades de Negócios Organização por Unidades de Negócio/Regionais e Processos Diretrizes para o Desenho Organizacional Orientação para o mercado: organização capaz de identificar, criar e capturar as oportunidades em cada região e em cada categoria Desenho dos processos e da organização considerando: Gestão voltada para Uns e Urs as oportunidades e riscos para a Natura dos impactos econômicos, ambientais e sociais a construção da cultura e da marca o relacionamento com os stakeholders Definição clara dos papéis e responsabilidades, minimizando a fragmentação dos processos e agilizando a tomada de decisão Organização mais horizontal gerando maior comprometimento, agilidade, autonomia e empreendedorismo.

13 Unidades de Negócios Agenda > Organização por Unidades de Negócio/Regionais e Processos > Cadeia de Processos Natura > Unidades de Negócios: Conceito

14 Unidades de Negócios Cadeia de Processos Natura Diferencial Natura Processos de gestão Planejamento estratégico Governança corporativa Gestão da Sustentabilidade Gestão de requisitos legais e regulatórios Gestão de riscos e auditoria Gestão de relacionamento Essência Natura Proposta de valor Processos de apoio Finanças Tecnologia da informação Gestão das pessoas Processos principais Unidades de Negócios Inovação de produtos Gestão comercial Gestão da marca Unidades Regionais Inovação comercial Bem estar bem Mercado Clientes (C N/CF) Gestão da qualidade Disponibilização de produtos Ciclo do pedido CN Fonte: Cadeia de Processos Natura

15 Unidades de Negócios Agenda > Organização por Unidades de Negócio/Regionais e Processos > Cadeia de Processos Natura > Unidades de Negócios: Conceito

16 Unidades de Negócios Conceito Unidades de Negócio Marketing submarca Consumer Insight Planejamento e Processos Finanças Planejamento e controle Desenvolvi -mento Disponibilização de produtos Planej Mercadológico (estimativa) Nota: Esquema representa o conceito da unidade de negócio, não representa a estrutura.

17 OBRIGADA! Mônica Gregori

18 Gestão Comercial Erasmo Toledo

19 Gestão de Produtos e Gestão Comercial Gestão Comercial

20 Gestão de Produtos e Gestão Comercial Unidades Regionais UR Norte Nordeste UR Central do Brasil SPC UR SPI UR Sul UR SPC

21 Gestão de Produtos e Gestão Comercial Unidades Regionais meses JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ciclos Ciclo 07 Semana 3 Semana 1 Semana 2 Semana 3 Semana 1 Semana 3 Semana 1 Semana 2 Semana 3 Semana 1 Semana 3 Semana 1 Semana 2 Semana 3 Semana 1 3 semanas

22 Gestão de Produtos e Gestão Comercial Gerente de Vendas - GV Estrutura comercial 86 8 gerente de venda Gerencia Resultados Gerencia Equipe Gerencia Mercado da Região Guardião o da marca Natura na região. GV

23 Gestão de Produtos e Gestão Comercial Gerente de Relacionamento - GR Estrutura comercial 86 8 GR GV gerentes de relacionamento Com as CNO: Gestão dos resultados do setor GR Desenvolve as CNO s (motivar, capacitar e orientar). Com as CNs: Inicia a CN dar Boas Vindas Capacita às CNs (treinamentos e encontro natura). Motiva e reconhece. GR

24 CNO CNO Gestão de Produtos e Gestão Comercial Consultora Natura Orientadora - CNO Estrutura comercial 86 8 CNO GR GV GR CNO CNO consultora orientadora CNO CNO GR CNO Convida pessoas a participarem da comunidade Natura Incentiva presença de CNs nos eventos Visita e acompanha CNs do seu grupo Apoia CNs no dia a dia

25 Gestão de Produtos e Gestão Comercial Consultora Natura - CN Estrutura comercial 86 8 CNO GR GV CN CN CNO CNO CNO GR CN CN consultora natura CN CNO CNO GR CNO Leva a nossa marca, produto e serviços até os nossos consumidores Fortalece a relaçã ção CF - Natura

26 Gestão de Produtos e Gestão Comercial Unidades Regionais UR objetivos (principais atribuiçõ ções) Elaborar e implementar estratégias regionais Gestão do Planejamento Mercadológico Implementação da estratégia de Treinamento Regional Atração do Canal Eventos e Reconhecimento Gestão do Portfólio Gestão mais próxima dos stakeholders locais MAXIMIZAÇÃ ÇÃO O DO TRIPPLE BOTTOM LINE ( estar mais próximo do mercado/cliente, capturar oportunidades regionais, ter maior agilidade na gestão)

27 Gestão de Produtos e Gestão Comercial Gestão Comercial Principais Sub-Processos Planejamento Mercadológico Planejamento de Vendas Comunicação Integrada Planejamento de Demanda Ativação FV e CN Treinamentos Relacionamento

28 Gestão de Produtos e Gestão Comercial Gestão Comercial Missão Garantir a execução e evolução das estratégias de marketing, vendas e relacionamento, por meio da governança dos processos de planejamento mercadológico, planejamento de vendas, planejamento de demanda, comunicação, treinamento, reconhecimento, relacionamento e incentivo, viabilizando as estratégias das UNs e URs, proporcionando maximização dos resultados do triple bottom line e estreitando as relações com a Força de Vendas, CNO, CN e CF.

29 Gestão de Produtos e Gestão Comercial Gestão Comercial Planejamento Mercadológico Planejamento de Vendas promoções Comunicação Integrada Planejamento de Demanda Ativação FV e CN Treinamentos Relacionamento gem a r t s o am Prop a gand a e Mí d ia

30 Gestão de Produtos e Gestão Comercial Gestão Comercial Planejamento Mercadológico Planejamento de Vendas Comunicação Integrada Planejamento de Demanda Ativação FV e CN Treinamentos Relacionamento Disponíveis (cadastro) Atividade Produtividade

31 Gestão de Produtos e Gestão Comercial Gestão Comercial Planejamento Mercadológico Planejamento de Vendas Comunicação Integrada Planejamento de Demanda Ativação FV e CN Treinamentos Relacionamento

32 Gestão de Produtos e Gestão Comercial Gestão Comercial Planejamento Mercadológico Planejamento de Vendas Comunicação Integrada Planejamento de Demanda Ativação FV e CN Treinamentos Relacionamento

33 Gestão de Produtos e Gestão Comercial Gestão Comercial Planejamento Mercadológico Planejamento de Vendas Comunicação Integrada Planejamento de Demanda Ativação FV e CN Treinamentos Relacionamento

34 Gestão de Produtos e Gestão Comercial Gestão Comercial Planejamento Mercadológico Planejamento de Vendas Comunicação Integrada Planejamento de Demanda Ativação FV e CN Treinamentos Relacionamento

35 Gestão de Produtos e Gestão Comercial Gestão Comercial Planejamento Mercadológico Planejamento de Vendas Comunicação Integrada Planejamento de Demanda Ativação FV e CN Treinamentos Relacionamento

36 OBRIGADO! Erasmo Toledo

37 Inovação Daniel Gonzaga

38 Inovação Agenda > Organização e Infra Estrutura > Centros de Pesquisa e Tecnologia > Inovação no Pilar Econômico > Inovação nos Pilares Socioambientais > Programa Natura Campus de Inovação Tecnológica

39 Inovação Agenda > Organização e Infra Estrutura > Centros de Pesquisa e Tecnologia > Inovação no Pilar Econômico > Inovação nos Pilares Socioambientais > Programa Natura Campus de Inovação Tecnológica

40 Inovação Organização e Infra Estrutura VP Inovação Segurança de Produtos As s untos regulatórios Pesquisa & Tecnologia P Desenvolvimento de Produtos D Cosmetovigilancia Pesquisa Clínica Assuntos regulatórios Desenvolvimento de Tecnologias Desenvolvimento de produtos tecnologia de pele e de cabelos tecnologias sustentáveis insumos aplicaçõ ções cosméticas e bem estar gestão o de inovaçã ção tecnológica e parcerias

41 Inovação Agenda > Organização e Infra Estrutura > Centros de Pesquisa e Tecnologia > Inovação no Pilar Econômico > Inovação nos Pilares Socioambientais > Programa Natura Campus de Inovação Tecnológica

42 Inovação Centros de Pesquisa e Tecnologia Paris Belém SP - Cajamar 160 Pesquisadores: 62% Pos Graduação

43 Inovação Agenda > Organização e Infra Estrutura > Centros de Pesquisa e Tecnologia > Inovação no Pilar Econômico > Inovação nos Pilares Socioambientais > Programa Natura Campus de Inovação Tecnológica

44 Inovação Pilar Econômico fator essencial de crescimento e sustentabilidade do negócio Índice Inovação*: 68% *receita produtos lançados últimos 2 anos Investimento: 3% Receita Liquida

45 Inovação Rituais de Gestão Funil de Tecnologia Funil de Inovação Brie fing Fases do Projeto: 1,2,n Encerramento Nova Tecnologia Briefing Design e Protótipo Viab. Técnica Design e Protótipo Viab. Financeira Pla no Executivo Disponibilização Processo de de Inovação de Produtos Fórum de Tecnologia Diretor de P&T e Gestores de plataformas tecnológicas Comitê de Produtos Diretores P&D, Dir.Presidente, VP Negocios, VP Inovação, Membros Conselho Comitês de Inovação Diretor da UN, Des.Prod. UN, Disp. Prod. UN, MKT

46 Inovação Modelo de inovação aberta... inovação sem fronteiras Pesquisa Desenvolvimento Projetos de pesquisa Fronteiras da empresa O mercado inovação fechada: foco idéias internas CHESBROUGH, H. Open Innovation The New Imperative for Creating and Profiting from Technology, Harvard Business Scholl Press, 2003.

47 Inovação Modelo de inovação aberta... inovação sem fronteiras Pesquisa Desenvolvimento Projetos de pesquisa Novo Fronteiras da empresa mercado inovação aberta: combina idéias internas e externas (ICT s, empresas) CHESBROUGH, H. Open Innovation The New Imperative for Creating and Profiting from Technology, Harvard Business Scholl Press, 2003.

48 Inovação Inovação em Produtos sensorial bem estar bem segurança biodiversidade qualidade e eficácia

49 Inovação Agenda > Organização e Infra Estrutura > Centros de Pesquisa e Tecnologia > Inovação no Pilar Econômico > Inovação nos Pilares Socioambientais > Programa Natura Campus de Inovação Tecnológica

50 Inovação Pilares Socioambientais Uso responsável dos recursos naturais Vegetalização das fórmulas uso de material renovável de origem vegetal Modelos de produção vegetal orgânicos e sustentáveis Material de embalagem reciclável e/ou reciclado Uso de refil Informações sobre os aspectos ambientais dos produtos

51 Inovação Tabela Ambiental

52 Inovação Carbono Neutro compromisso com toda a cadeia de fornecimento e redução de emissão relativa de 33%, entre 2007 e 2011 em relação ao total de 2006

53 Inovação Criação de Valor Compartilhada 34 espécies nativas 56 matérias primas 34 comunidades fornecedoras ~740 SKU s 50 milhões de consumidores 11 Países

54 Inovação Agenda > Organização e Infra Estrutura > Centros de Pesquisa e Tecnologia > Inovação no Pilar Econômico > Inovação nos Pilares Socioambientais > Programa Natura Campus de Inovação Tecnológica

55 Inovação Programa Natura Campus de Inovação Tecnológica Inovação tecnológica diferenciada e desenvolvimento sustentável bem estar biodiversidade brasileira tecnologias sustentáveis benefício ou mecanismo de ação inédito mundialmente (patenteabilidade internacional) MP de fonte renovável vegetal Contribuição para a sustentabilidade: processos limpos, menor impacto ambiental e socialmente justos

56 Inovação Programa Natura Campus de Inovação Tecnológica Programa Natura Campus Programa de inovação aberta da Natura (pesquisa científica e inovação tecnológica com parceiros externos) Parceiros: meio acadêmico - universidades e institutos de pesquisa científica e tecnológica órgãos de fomento e apoio à pesquisa Objetivos: estimular a pesquisa científica básica e aplicada em temas relevantes para tecnologia cosmética auxiliar o processo de Inovação Natura, focado em tecnologias sustentáveis Portal Internet de captação de propostas de projetos e parcerias acessos mensais 228 grupos de pesquisa cadastrados

57 Inovação Programa Natura Campus de Inovação Tecnológica Programa Natura Campus Programa de inovação aberta da Natura (pesquisa científica e inovação tecnológica com parceiros externos) Lançamento: Programa Natura Campus: nov/2006 Portal Natura Campus: nov/2007 Captação de propostas: 79 propostas recebidas de grupos de pesquisa de 10 universidades brasileiras 19% aprovadas para contratação Primeiro resultado: lançamento Chronos Passiflora (2007), em parceria com UFSC Reconhecimento: Prêmio Natura Campus de Inovação Tecnológica - primeira edição em dez/08

58 OBRIGADO! Daniel Gonzaga

59 Operações & Logística João Paulo

60 Operações & Logística Agenda > Evolução da Cadeia de Abastecimento > Elemento Chave para a Proposta de Valor > Alavancador da Estratégia > Novo Modelo Global de Abastecimento > Evolução no Ciclo do Pedido > Nova estratégia de O&L

61 Operações & Logística Agenda > Evolução da Cadeia de Abastecimento > Elemento Chave para a Proposta de Valor > Alavancador da Estratégia > Novo Modelo Global de Abastecimento > Evolução no Ciclo do Pedido > Nova estratégia de O&L

62 Operações & Logística Evolução da Cadeia de Abastecimento Fornecedor CD -PE Fornecedor Fornecedor CD -BA Fornecedor Cajamar Fornecedor Cajamar Fornecedor Fornecedor HUB CD -MG Previsto para 2010 Terceiristas Terceiristas Terceiristas Fornecedor CD -RS Terceiristas Terceiristas Terceiristas Terceiristas

63 Operações & Logística Agenda > Evolução da Cadeia de Abastecimento > Elemento Chave para a Proposta de Valor > Alavancador da Estratégia > Novo Modelo Global de Abastecimento > Evolução no Ciclo do Pedido > Nova estratégia de O&L

64 Operações & Logística Elemento Chave para a Proposta de Valor Resultados Sustentáveis Integração das dimensões econômica, social e ambiental através da qualidade das relações; Consultoras nossos primeiros consumidores. Otimização da cadeia traz melhorias de serviço e otimização de custos que permitem Aumento da disponibilização de produtos; Maior freqüência de pedidos e menor tempo de espera; Redução de falhas / não conformidades; Maior satisfação e lealdade das consultoras e consumidor final. Implementação

65 Operações & Logística Agenda > Evolução da Cadeia de Abastecimento > Elemento Chave para a Proposta de Valor > Alavancador da Estratégia > Novo Modelo Global de Abastecimento > Evolução no Ciclo do Pedido > Nova estratégia de O&L

66 Operações & Logística Alavancador da Estratégia Vetores de Desenvolvimento de O&L Excelência Operacional: Serviço Custo Caixa Qualidade Segurança Internacionalização Inovação Sustentabilidade Redefinição Estratégia O&L Implementação

67 Operações & Logística Agenda > Evolução da Cadeia de Abastecimento > Elemento Chave para a Proposta de Valor > Alavancador da Estratégia > Novo Modelo Global de Abastecimento > Evolução no Ciclo do Pedido > Nova estratégia de O&L

68 Operações & Logística Novo Modelo Global de Abastecimento Horizonte 10 anos Definição de Rede Global de Abastecimento Parametrização e Otimização das Cadeias Redesenho Processos de Planejamento Cadeia Integrada Otimização Footprint Implementação

69 Operações & Logística Agenda > Evolução da Cadeia de Abastecimento > Elemento Chave para a Proposta de Valor > Alavancador da Estratégia > Novo Modelo Global de Abastecimento > Evolução no Ciclo do Pedido > Nova estratégia de O&L

70 Operações & Logística Evolução no Ciclo do Pedido Novas Políticas de Serviço Otimização de Rede de Distribuição Melhora Radical na Qualidade dos Contatos Entregas Pedidos Implementação

71 Operações & Logística Agenda > Evolução da Cadeia de Abastecimento > Elemento Chave para a Proposta de Valor > Alavancador da Estratégia > Novo Modelo Global de Abastecimento > Evolução no Ciclo do Pedido > Nova estratégia de O&L

72 Operações & Logística Nova estratégia de O&L Resumo e Próximos Passos Nova Estratégia de O&L em 2010 Rede Internacional de Abastecimento Nova Plataforma para Excelência Logística Benefícios Serviços Custos Estoques Disponibilização Qualidade Footprint Implementação

73 OBRIGADO! João Paulo Ferreira

74 Sustentabilidade Marcos Vaz

75 Sustentabilidade Agenda > Abordagem Natura > Temas Prioritários

76 Sustentabilidade Agenda > Abordagem Natura > Temas Prioritários

77 Sustentabilidade Abordagem Cenário: nova sociedade comprometida com o uso equilibrado dos recursos naturais e maior justiça social e inclusão (licença para operar, desenvolvimento sustentável, economia verde, economia de baixo carbono...) Sustentabilidade para a Natura é... assegurar negócios bem sucedidos no longo prazo, que por atender aos interesses dos públicos de relacionamento (stakeholders) tenham seu apoio e engajamento (busca de fidelização). contribuir de forma consistente para transformação da sociedade em direção ao desenvolvimento sustentável, criando um modelo de negócios que alie o crescimento econômico às necessidades sociais e ambientais Como: líderes conscientes e genuinamente interessados pelas questões ambientais e pelo desenvolvimento econômico e social estratégias e iniciativas inovadoras processos robustos, que permitam acompanhar a evolução de nossa performance

78 Sustentabilidade Agenda > Abordagem Natura > Temas Prioritários

79 Sustentabilidade Temas prioritários

80 OBRIGADO! Marcos Vaz

81 Resultados Roberto Pedote

82 Resultados Agenda > Resumo dos principais resultados consolidado > Fluxo de Caixa Consolidado > Resumo dos principais resultados Brasil > Resumo dos principais resultados LatAm > Evolução da NATU3 x Ibovespa > Oportunidades para 2010

83 Resultados Agenda > Resumo dos principais resultados consolidado > Fluxo de Caixa Consolidado > Resumo dos principais resultados Brasil > Resumo dos principais resultados LatAm > Evolução da NATU3 x Ibovespa > Oportunidades para 2010

84 Resultados Triple Bottom Line Emissão de CO2 Equivalente 1 Consumo de Água por Unidade Faturada 2 3,93 0,53 3,69 3,58 0,42 0,38 3, M Consumo de Energia por Unidade Faturada 3 469,5 510,2 424,1 Notas: 1. Kg de CO2 emitido / Kg de produto faturado 2. Litros / unidade Kjoules / unidade Fonte: Companhia

85 Resultados Triple Bottom Line % material de origem vegetal Impacto ambiental das embalagens por quantidade de produto (mpt/kg) 1 80,3% 83,2 78,8% 75,8% 77,5% 77,7% 73,4 71,3 72,8 69, M08 6M M08 6M09 Highlights % de venda de Refis Investimento de R$ 55 milhões em CSR (Corporate and Social Responsibility) 587 mil alunos da rede pública beneficiados pelo Crer pra Ver Relacionamento com geração de renda para famílias extrativistas R$ 2 bilhões de riqueza gerada para consultoras 2 Nota: 1. mpt/kg (mili points por quilograma de produto faturado) A Natura utiliza a metodologia Eco-indicator 99, que quantifica os impactos ambientais através de uma nota global, expressa em Point Pt. 2. Calculada de acordo com o volume de negócios estimado pela ABEVD.

86 Resultados Consolidado Receita Bruta (R$MM) Receita Líquida (R$MM) CAGR = 17,6% ,4% CAGR = 19,2% 19,7% M08 9M M08 9M09 EBITDA (R$MM) Margem EBITDA (%) CAGR = 18,3% 24,4% 24,7% 23,7% 23,0% 23,7% 24,8% 24,1% M08 9M09 EBITDA Margem EBITDA

87 Resultados Consolidado Lucro Líquido (R$MM) Margem Líquida (%) Proventos (R$MM) Pay Out (%) CAGR = 14,6% 17,0% 17,4% 16,7% 15,1% 14,5% ,5% 17,0% % % 78% % % M08 9M Lucro Líquido Margem EBITDA Proventos PayOut CAPEX (R$MM) 193,6 111,6 124,1 102,7 140, ,0 76, e 9M08 9M09

88 Resultados Agenda > Resumo dos principais resultados consolidado > Fluxo de Caixa Consolidado > Resumo dos principais resultados Brasil > Resumo dos principais resultados LatAm > Evolução da NATU3 x Ibovespa > Oportunidades para 2010

89 Resultados Fluxo de Caixa Pró-Forma - Consolidado 12M06 12M07 12M08 9M08 9M09 Lucro líquido do período 460,8 462,3 542,2 379,4 497,3 (+) Deprec iaç ão / amortizaç ão 54,6 74,9 88,0 64,9 68,0 Geração interna de caixa 515,4 537,2 630,2 444,3 565,3 Capital de giro operac ional* (73,1) (207,2) 29,7 65,6 (181,1) Outros ativos e passivos** (46,7) (34,6) (56,2) (40,2) (37,2) Geração operacional de caixa 395,6 295,4 603,7 469,6 347,0 Aquisições de imobilizado (193,6) (124,1) (102,7) (61,0) (76,8) Geração de caixa livre*** 202,0 171,3 501,0 408,7 270,2 (*) Ativos - C ontas a receber, estoques e impostos a recuperar de curto prazo. Passivos - fornecedores, salários, participações no lucro e encargos sociais, obrigações tributárias, provisões e fretes a pagar. (**) Ativos - Adiantamento a colaboradores e fornecedores, imposto de renda e contribuição social diferidos de curto prazo, outros créditos e ativos realizáveis a longo prazo. Passivos - outros contas a pagar de curto e longo prazo e provisões para riscos tributários, cíveis e trabalhistas. (***) (Geração interna de caixa) +/- (variações no capital de giro e realizável e exigível a longo prazo) (aquisições de ativo imobilizado).

90 Resultados Fluxo de Caixa Pró-Forma Consolidado Ajustado 1 12M06 12M07 12M08 9M08 9M09 Lucro líquido do período 460,8 462,3 542,2 379,4 497,3 (+) Deprec iação / amortizaç ão 54,6 74,9 88,0 64,9 68,0 Geração interna de caixa 515,4 537,2 630,2 444,3 565,3 Capital de giro operac ional* (73,1) (85,2) (92,3) (56,4) (181,1) Outros ativos e passivos** (46,7) (34,6) (56,2) (40,2) (37,2) Geração operacional de caixa 395,6 417,4 481,7 347,6 347,0 Aquisiç ões de imobilizado (193,6) (124,1) (102,7) (61,0) (76,8) Geração de caixa livre*** 202,0 293,3 379,0 286,7 270,2 1 Desconsiderando o aumento extraordinário no saldo do contas a receber de R$122 milhões em função de uma política de crédito mais flexível adotada nas vendas de Natal de (*) Ativos - C ontas a receber, estoques e impostos a recuperar de curto prazo. Passivos - fornecedores, salários, participações no lucro e encargos sociais, obrigações tributárias, provisões e fretes a pagar. (**) Ativos - Adiantamento a colaboradores e fornecedores, imposto de renda e contribuição social diferidos de curto prazo, outros créditos e ativos realizáveis a longo prazo. Passivos - outros contas a pagar de curto e longo prazo e provisões para riscos tributários, cíveis e trabalhistas. (***) (Geração interna de caixa) +/- (variações no capital de giro e realizável e exigível a longo prazo) (aquisições de ativo imobilizado).

91 Resultados Estoque, Contas a Pagar e Fornecedores 600 Estratégia de Natal/07 Aumento no prazo de recebimento 535,5 Estratégia Natal/09; Descentralização CD; Internacionalização. 526, ,4 435, ,2 372, ,3 316,3 214,3 152,9 152,3 152,3 237,1 214,3 251,1 175,7 333,6 352,3 186,2 192,2 222, M08 9M09 Estoque Contas a Pagar Contas a Rec eber

92 Resultados Agenda > Resumo dos principais resultados consolidado > Fluxo de Caixa Consolidado > Resumo dos principais resultados Brasil > Resumo dos principais resultados LatAm > Evolução da NATU3 x Ibovespa > Oportunidades para 2010

93 Resultados Brasil Receita Líquida (R$MM) Consultoras (milhares) 21,3% CAGR = 15,5% 17,8% CAGR = 14,8% M08 9M M08 9M09 EBITDA (R$MM) Margem EBITDA (%) CAGR = 15,9% 27,0% 26,3% 26,0% 27,3% 28,7% 28,1% M08 9M09 EBITDA Margem EBITDA

94 Resultados Agenda > Resumo dos principais resultados consolidado > Fluxo de Caixa Consolidado > Resumo dos principais resultados Brasil > Resumo dos principais resultados LatAm > Evolução da NATU3 x Ibovespa > Oportunidades para 2010

95 Resultados LatAm Consolidação: Argentina, Chile e Peru Receita Líquida (R$MM) Consultoras (milhares) 45,3% (36,0% ML) 26,5% CAGR = 35,0% 164,4 158,0 CAGR = 35,5% ,2 108, , , M08 9M M08 9M09 EBITDA (R$MM) Margem EBITDA (%) M08 9M09-15,9% -9,3% -4,2% -0,9% -1,8% 6,0% 9,5 (10,6) (8,5) (5,1) (1,4) (2,0) EBITDA Margem EBITDA

96 Finanças LatAm Implementação: México, Colômbia e Venezuela Consultoras (milhares) Receita Líquida (R$MM) 68,1% (69,2% ML) 56,2% CAGR = 248,7% 49 CAGR = 172,0% 44 28, , M08 9M M08 9M09 EBITDA (R$MM) M08 9M09 (10) (16) (28) (38) (27) (32)

97 Finanças Agenda > Resumo dos principais resultados consolidado > Fluxo de Caixa Consolidado > Resumo dos principais resultados Brasil > Resumo dos principais resultados LatAm > Evolução da NATU3 x Ibovespa > Oportunidades para 2010

98 Finanças Gráfico NATU3 x Ibovespa /5/04 26/7/ /9/04 26/11/04 26/1/05 26/3/05 26/5/05 26/7/05 26/9/05 26/11/05 26/1/06 26/3/06 26/5/06 26/7/06 26/9/06 26/11/06 26/1/07 26/3/07 26/5/07 26/7/07 26/9/07 26/11/07 26/1/08 26/3/08 26/5/08 26/7/08 26/9/08 26/11/08 26/1/09 26/3/09 26/5/09 26/7/09 26/9/09 NATU3 Index IBOVESPA INDEX Divulgações Dividendos Split Follow-on

99 Finanças Agenda > Resumo dos principais resultados consolidado > Fluxo de Caixa Consolidado > Resumo dos principais resultados Brasil > Resumo dos principais resultados LatAm > Evolução da NATU3 x Ibovespa > Oportunidades para 2010

100 Finanças Oportunidades para 2010

101 OBRIGADO! Roberto Pedote

102 Internacionais Alessandro Carlucci

103 Internacional Agenda > Presença Internacional > Novo ciclo de crescimento - LatAm > Desafios LatAm > Estratégia na LatAm > México: desafios > França: objetivos, características e desafios

104 Internacional Agenda > Presença Internacional > Novo ciclo de crescimento - LatAm > Desafios LatAm > Estratégia na LatAm > México: desafios > França: objetivos, características e desafios

105 Presença Internacional França ,1 México ,3 Colômbia ,7 Peru ,3 Chile ,7 Size of CF&T market Retail Price, 2009 (US$ billion) Source: Euromonitor 2,8 Argentina 1994

106 Internacional Agenda > Presença Internacional > Novo ciclo de crescimento - LatAm > Desafios LatAm > Estratégia na LatAm > México: desafios > França: objetivos, características e desafios

107 Internacional Novo ciclo de crescimento na América Latina Status Atual Estratégia Futura Proposta de valor bem aceita Break even financeiro na Argentina, Chile e Peru Base relevante de 119 mil consultoras em 2008 (versus 20 mil em 2004) Localização do marketing mix - Produtos - Canal - Comunicação Reconhecimento pelo comportamento empresarial Ganhos de eficiência operacional Modelo Exportação Novo ciclo de crescimento Modelo Localização

108 Internacional Agenda > Presença Internacional > Novo ciclo de crescimento - LatAm > Desafios LatAm > Estratégia na LatAm > México: desafios > França: objetivos, características e desafios

109 Internacional Desafios LatAm América Latina mudar nosso patamar de atuação na região para ser uma das marcas preferidas, reconhecida pelo protagonismo empresarial na sustentabilidade, alcançando a liderança de mercado na venda direta, com rentabilidade.

110 Internacional Agenda > Presença Internacional > Novo ciclo de crescimento - LatAm > Desafios LatAm > Estratégia LatAm > México: desafios > França: objetivos, características e desafios

111 Internacional Estratégia LatAm CONSTRUÇÃO DE MARCA ESTRATÉGIA DE CATEGORIA EVOLUÇÃO DO MODELO CNO Esforço em publicidade Plano Local da Marca voltado para prestige / glamour. PULL Right Fews, com foco em categorias chave. PUSH Forte expansão do canal através de modelo ajustado a realidade local. Plano de Capacitação treinamentos e encontros Remuneração da FV + CNOs/CNs comissão e prêmios Disponibilização de produtos no menor custo possível gestão de estoques, prazos, nível de serviço, armazenagem local, produção local Líder do pensamento e aplicação de práticas empresariais para sustentabilidade

112 Internacional Agenda > Presença Internacional > Novo ciclo de crescimento - LatAm > Desafios LatAm > Estratégia na LatAm > México: desafios > França: objetivos, características e desafios

113 Internacional México: desafios Modelo Comercial Margem Produtos Marca Evolução CNO impulsionando o crescimento Busca alternativas locais/regionais de manufatura total ou parcial Redução do custo do ciclo do pedido via internet e busca de maior eficiência com parceiros Foco nas categorias da Venda Direta Lançamento de produtos com aderência ao mercado mexicano Investimento em mídia locais para gerar conhecimento da marca Comportamento Empresarial Ativo e Protagonista

114 Internacional Agenda > Presença Internacional > Novo ciclo de crescimento - LatAm > Desafios LatAm > Estratégia na LatAm > México: desafios > França: objetivos, características e desafios

115 Internacional França: objetivos, características e desafios > Objetivo > Operação sustentável, fonte de aprendizados para evoluções e inovações > Característica únicas do negócio na França: Multiple Approach Laboratório P&D Web 2.0 Venda Direta Maison Natura

116 Cultura, Liderança e Final Remarks Alessandro Carlucci

117 Final remarks Agenda > Cultura Organizacional > Desenvolvimento de Lideranças > Final Remarks > Visão de Futuro

118 Cultura Organizacional Agenda > Cultura Organizacional > Desenvolvimento de Lideranças > Final Remarks > Expectativas

119 Cultura Organizacional Projeto Cultura Evoluir a Cultura da Natura, com o objetivo de construir os alicerces da nossa visão de futuro, mantendo e reforçando a essência da empresa. Esta evolução se dará através do alinhamento de comportamentos, símbolos / rituais e sistemas de gestão da organização à cultura desejada. Essência Comportametos Símbolos / Rituais Sistemas

120 Desenvolvimento de Lideranças Agenda > Cultura Organizacional > Desenvolvimento de Lideranças > Final Remarks > Expectativas

121 Liderança prioridade estratégica Formação de liderança inspiradora e engajada para suportar a estratégia de futuro Compromisso de investimento anual de 0,4% da receita líquida para o Programa de Desenvolvimento da Liderança; Desenvolvimento de todos os líderes nos próximos 5 anos nos países em que está presente, aproximadamente 450 líderes em 2010; Planejamento do pipeline de sucessão de curto, médio e longo prazo, para todas as posições de liderança da organização, garantindo um plano de desenvolvimento para cada líder consistente e alinhado com a estratégia da Natura; Formação de 120% de líderes como sucessores das 90 posições de sucessão crítica, que impactam diretamente na entrega do resultado tanto no curto e longo prazo.

122 Liderança prioridade estratégica Objetivo do Programa de Desenvolvimento da Liderança: ter, em 5 anos, grande maioria da liderança aderente à cultura Natura e 120% de sucessores definidos e com plano de desenvolvimento validados, para todos os cargos de sucessão críticas, no curto, médio e longo prazos. O desdobramento deste objetivo inclui: 3 anos 5 anos % de aderência ao perfil de liderança (360 o ) 70% 70% % cargos de sucessão crítica de Liderança com sucessores de curto, médio e longo prazo definidos e com plano de desenvolvimento e educação elaborados/validados 80% 120% % da liderança formada internamente, ocupando posições de GS20 e acima 70% 80% Escopo: em todos os países em que a Natura está presente

123 Liderança prioridade estratégica 2009 Transição 2010 Implementação 2011 Estabilização Desenho do Programa de Desenvolvimento de Liderança, focado na estratégia de futuro da Natura Foco na construção e implementação do Programa Natura de Desenvolvimento de Liderança Colher primeiros resultados e retroalimentar o Programa Finalizar o piloto 360º e o piloto de Engajamento Finalizar a contratação da turma de Trainees Brasil 2010/2011 Realizar o detalhamento do processo do ciclo 2010 Colocar em marcha os plano de sucessão do curto prazo (contratação e desenvolvimento) Desenhar as iniciativas de desenvolvimento Construir e executar o ciclo de avaliação de desempenho Executar pipeline de sucessão para cargos de sucessão crítica Construir e executar a Academia de Liderança Natura Capturar lições aprendidas e retro-alimentar ao programa Executar o ciclo de avaliação de desempenho e desenvolvimento Executar pipeline de sucessão para todas as posições de liderança Criação do Escritório de Liderança 123

124 Final remarks Alessandro Carlucci > Cultura Organizacional > Desenvolvimento de Lideranças > Final Remarks > Expectativas

125 Final remarks Alessandro Carlucci Foco em mercados atrativos e resilientes com diferenciado potencial de crescimento dentro do canal de vendas diretas no Brasil e em outros países da América Latina, com a ambição de e potencial para expansão para outras regiões e países Posição de liderança no setor e benchmark em comportamento empresarial Proposta de valor diferenciada Marca preferida pelos consumidores Inovação consistente focada em biodiversidade e sustentabilidade Canal de vendas eficiente e em crescimento, gerando renda para as consultoras Comportamento empresarial focado na entrega do Triple Bottom Line e no relacionamento com todos os stakeholders Combinação única de crescimento, lucratividade, baixa necessidade de investimento e consistente distribuição de dividendos

126 Final remarks Alessandro Carlucci Foco em mercados atrativos e resilientes com diferenciado potencial de crescimento dentro do canal de vendas diretas no Brasil e em outros países da América Latina, com a ambição de e potencial para expansão para outras regiões e países Posição de liderança no setor e benchmark em comportamento empresarial Proposta de valor diferenciada Marca preferida pelos consumidores Inovação consistente focada em biodiversidade e sustentabilidade Canal de vendas eficiente e em crescimento, gerando renda para as consultoras Comportamento empresarial focado na entrega do Triple Bottom Line e no relacionamento com todos os stakeholders Combinação única de crescimento, lucratividade, baixa necessidade de investimento e consistente distribuição de dividendos

127 Final remarks Alessandro Carlucci Foco em mercados atrativos e resilientes : Brasil e América Latina Atuação em países que somam 13,8% do mercado total de cosméticos e fragrâncias, com crescimento 2,3 vezes superior ao crescimento mundial Forte penetração das vendas diretas: 26% na LatAm Mercado com crescimento Tamanho de 2,3x Mercado maior CF&T que (US$ o mercado bilhões) total Forte crescimento da Classe C brasileira Países 2008 CAGR 04' - 08' Estados Unidos 52 1,8% Japão 34 1,5% Brasil 29 12,9% Méxic o 8 7,2% Argentina, Chile, Colômbia e Peru 8 11,3% Países em que a Natura possui operação 46 11,5% Mundo 333 5,4% Crescimento 2,3x o mercado mundial Fonte: Euromonitor

128 Final remarks Alessandro Carlucci Foco em mercados atrativos e resilientes : Brasil e América Latina Atuação em países que somam 13,8% do mercado total de cosméticos e fragrâncias, com crescimento 2,3 vezes superior ao crescimento mundial Forte penetração das vendas diretas: 26% na LatAm Mercado com Participação crescimento da 2,3x Venda maior Direta que no Mercado o mercado CF&Ttotal Forte crescimento Região da Classe C brasileira Venda Direta (%) Améric a Latina 26,6% Brasil 24,0% Argentina 24,0% Chile 23,1% Colômbia 42,1% Méxic o 30,2% Peru 24,9% Ásia Pac ífic o 10,3% Améric a do Norte 9,3% Europa Oc idental 3,2% Australásia 3,2% Áfric a/oriente Médio 2,1% Fonte: Euromonitor

129 Final remarks Alessandro Carlucci Foco em mercados atrativos e resilientes : Brasil e América Latina Atuação em países que somam 13,8% do mercado total de cosméticos e fragrâncias, com crescimento 2,3 vezes superior ao crescimento mundial Forte penetração das vendas diretas: 26% na LatAm Mercado CFT no Brasil cresce 2,3x mais do que o PIB Forte crescimento da Classe C brasileira Crescimento Real do Mercado vs PIB Brasileiro Crescimento Real do Crescimento do PIB Merc ado Alvo ,7% 2,5% ,1% 7,0% ,7% 12,2% ,2% 9,6% ,8% 10,1% ,4% 8,3% ,1% 10,8% CAGR 02' - 08' 3,8% 8,7% 2009E 0,2% 2010E 4,8% Fonte: IBGE, Banc o Central e ABIHPEC Mercado cresce, em média, 2,3x mais que o PIB

130 Final remarks Alessandro Carlucci Foco em mercados atrativos e resilientes : Brasil e América Latina Atuação em países que somam 13,8% do mercado total de cosméticos e fragrâncias, com crescimento 2,3 vezes superior ao crescimento mundial Forte penetração das vendas diretas: 26% na LatAm Mercado CFT no Brasil cresce 2,3x mais do que o PIB Forte crescimento da Classe C brasileira Distribuição da População Brasileira (%) e População Total (milhões) 182,1 189,8 51% 40% 34% 45% 15% 15% A and B C D and E Fonte: Pesquisa Cetelem - Ipsos 2005/2008

131 Final remarks Alessandro Carlucci Foco em mercados atrativos e resilientes com diferenciado potencial de crescimento dentro do canal de vendas diretas no Brasil e em outros países da América Latina, com a ambição de e potencial para expansão para outras regiões e países Posição de liderança no setor e benchmark em comportamento empresarial Proposta de valor diferenciada Marca preferida pelos consumidores Inovação consistente focada em biodiversidade e sustentabilidade Canal de vendas eficiente e em crescimento, gerando renda para as consultoras Comportamento empresarial focado na entrega do Triple Bottom Line e no relacionamento com todos os stakeholders Combinação única de crescimento, lucratividade, baixa necessidade de investimento e consistente distribuição de dividendos

132 Final remarks Alessandro Carlucci Posição de liderança no setor e benchmark em comportamento empresarial Maior companhia de CFT no Brasil, de acordo com a Euromonitor Prêmios em 2009 Market Share Natura no mercado de CF&T Euromonitor Fonte:Euromonitor

133 Final remarks Alessandro Carlucci Posição de liderança no setor e benchmark em comportamento empresarial Market share de 22,7% Sipatesp, 8M09 e 12,9% Euromonitor, 2008 Reconhecimento pela atuação empresarial Melhor Empresa do Setor de Bens de Consumo (EXAME) ¹ 2004, 2006, 2007, 2008 e 2009 Empresa do Ano (EXAME) 1998 e 1999 Empresa Mais Admirada no Brasil (Carta Capital) 2009 Empresa Mais Admirada no Setor de Higiene, Cosméticos e Perfumaria (Carta Capital) 2001, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007, 2008 e 2009 Melhor Empresa do Setor de Higiene Pessoal e Cosméticos (Valor Econômico - Valor 1000) 2005, 2006 e 2008 Prêmio "Empresa de Valor" (Valor Econômico) 2005 e Até 2006, os prêmios eram concedidos por segmento (CF&T). Apóes 2007, prêmios foram concedidos por setor.

134 Final remarks Alessandro Carlucci Foco em mercados atrativos e resilientes com diferenciado potencial de crescimento dentro do canal de vendas diretas no Brasil e em outros países da América Latina, com a ambição de e potencial para expansão para outras regiões e países Posição de liderança no setor e benchmark em comportamento empresarial Proposta de valor diferenciada Marca preferida entre os consumidores Inovação consistente focada em biodiversidade e sustentabilidade Canal de vendas eficiente e em crescimento, gerando renda para as consultoras Comportamento empresarial focado na entrega do Triple Bottom Line e no relacionamento com todos os stakeholders Combinação única de crescimento, lucratividade, baixa necessidade de investimento e consistente distribuição de dividendos

135 Final remarks Alessandro Carlucci Proposta de valor diferenciada Marca preferida entre os consumidores Inovação consistente focada em biodiversidade e sustentabilidade (II, %RL) Canal eficiente e em crescimento que proporciona renda para as consultoras (Cresc. CN/CNO) Marcas Comportamento CF&T empresarial Preferência focado no Triple Bottom ine e no Top relacionamento of Mind (%) com todos os stakeholders (???) Natura 2o Lugar Natura 2o Lugar Fonte: Ipsos Brand Essence Fonte: Ipsos Brand Essence

136 Final remarks Alessandro Carlucci Proposta de valor diferenciada Marca preferida entre os consumidores Inovação consistente focada em biodiversidade e sustentabilidade Canal eficiente e em crescimento que proporciona renda para as consultoras (Cresc. CN/CNO) Comportamento empresarial focado no Triple Bottom Line e no relacionamento com todos os stakeholders (???) Número de Novos Produtos e Índice de Inovação Investimentos em Inovação 69,8% 63,2% 58,3% 68,8% 66,9% 66,8% ,8% % 3.2% 3.2% 3.5% 2.9% 3.0% 2.5% M08 9M M08 9M09 Source: Company No de Novos Produtos Índice de Inovação Investimentos em inovação em R$ milhões e em percentual da receita líquida Note: 1 Percentage of new products in the company s revenues

137 Final remarks Alessandro Carlucci Proposta de valor diferenciada Marca preferida entre os consumidores Inovação consistente focada em biodiversidade e sustentabilidade Canal eficiente e em crescimento que proporciona renda para as consultoras Comportamento empresarial focado no Triple Bottom Line e no relacionamento com todos os stakeholders (???) Total Consolidado de CNs (milhares) e Riqueza Distribuída para CNs (R$ milhões) Modelo CNO 617,3 1583,9 718,6 1722,1 849,5 2023, % 803,1 988,1 CN CN CNO CN CNO GR CN CNO CN CN CN M08 9M09 CN CN C onsolidado C onsultoras Distribuição de Riqueza para C Ns Baixo Turnover em média 30% Alta Produtividade 2,3x superior aos concorrentes Alta Satisfação 88% em 2008 Treinamento 458mil consultoras em 2008

138 Final remarks Alessandro Carlucci Proposta de valor diferenciada Marca preferida entre os consumidores Inovação consistente focada em biodiversidade e sustentabilidade Canal eficiente e em crescimento que proporciona renda para as consultoras Comportamento empresarial focado no Triple Bottom Line e no relacionamento com todos os stakeholders Mercado atrativo com histórico de crescimento diferenciado Canal Produtos Marca Comportamento empresarial Entrega do Triple Bottom Line : Econômico: Forte geração de caixa Crescimento e lucratividade atraentes Pagamento consistente de dividendos Social: Criação de riqueza para as consultoras R$ 55 MM investidos em RSA 1 em 2008 Benefícios para comunidades extrativistas Ambiental: Carbono Neutro desde 2007 Venda de refis Extração sustentável Uso de materiais reciclados e recicláveis 1 Responsabilidade Sócio-Ambiental

139 Final remarks Alessandro Carlucci Foco em mercados atrativos e resilientes com diferenciado potencial de crescimento dentro do canal de vendas diretas no Brasil e em outros países da América Latina, com a ambição de e potencial para expansão para outras regiões e países Posição de liderança no setor e benchmark em comportamento empresarial Proposta de valor diferenciada Marca preferida pelos consumidores Inovação consistente focada em biodiversidade e sustentabilidade Canal de vendas eficiente e em crescimento, gerando renda para as consultoras Comportamento empresarial focado na entrega do Triple Bottom Line e no relacionamento com todos os stakeholders Combinação única de crescimento, lucratividade, baixa necessidade de investimento e consistente distribuição de dividendos

140 Final remarks Alessandro Carlucci Combinação única de crescimento, lucratividade, baixa necessidade de investimento e consistente distribuição de dividendos Rec eita Bruta (R$ milhões) Luc ro Líquido(R$ milhões) e Margem Líquida(%) ,7% 15,0% 15,0% ,5% ,0% M08 9M M08 9M09 Lucro Líquido Mg Líquida Proventos (R$ milhões) e Payout (%) Alavancagem 78% % % 500 0,2 0,4 0, Proventos Pay Out M09-0,1

141 Final remarks Alessandro Carlucci > Cultura Organizacional > Desenvolvimento de Lideranças > Final Remarks > Visão de Futuro

142 Visão de Futuro Alessandro Carlucci Agenda do século XXI: será pautada pela economia do baixo carbono e o Brasil precisa se adequar a esse novo paradigma; Posição privilegiada do Brasil como potência socioambiental de intenso patrimônio natural, social e cultural; À partir da nossa rica biodiversidade e da Amazônia, o Brasil pode se tornar um importante polo biotecnológico; O crescimento a partir do desenvolvimento sustentável significa uma oportunidade de inovação para transformar nossas vantagens comparativas naturais em vantagens competitivas globais; Acreditamos que a comunidade internacional reconhecerá iniciativas de empresas comprometidas com essa nova agenda do século XXI. Nesse sentido, vemos que os desafios socioambientais podem ser transformados em oportunidades de negócio, com retorno aos nossos acionais e ao mundo.

143 OBRIGADO! Alessandro Carlucci

terceiro trimestre de 2005

terceiro trimestre de 2005 apresentação institucional terceiro trimestre de 2005 1 1panorama da empresa 2 panorama da empresa Empresa de cosméticos, fragrâncias e higiene pessoal com receita bruta de R$2,5 bilhões no 2004 (9M05:

Leia mais

UNICAMP Fórum de Inovação. Natura Campus Inovação aberta. Sonia Tuccori. Gestão de Parcerias & Inovação Tecnológica

UNICAMP Fórum de Inovação. Natura Campus Inovação aberta. Sonia Tuccori. Gestão de Parcerias & Inovação Tecnológica UNICAMP Fórum de Inovação Natura Campus Inovação aberta Sonia Tuccori Gestão de Parcerias & Inovação Tecnológica agenda Natura história e estratégia de negócios Inovação em produtos e estratégia tecnológica

Leia mais

O Papel Fundamental do RH na Gestão da Empresa. Natura Alessandra da Costa Maio de 2011

O Papel Fundamental do RH na Gestão da Empresa. Natura Alessandra da Costa Maio de 2011 O Papel Fundamental do RH na Gestão da Empresa Natura Alessandra da Costa Maio de 2011 Agenda Contexto de Mercado Case Natura Perguntas Contexto Externo (1/3) Pesquisa Panorama Empresarial Brasil 2011,

Leia mais

Gestão por Processos como opção estratégica que alicerça o crescimento internacional

Gestão por Processos como opção estratégica que alicerça o crescimento internacional Gestão por como opção estratégica que alicerça o crescimento internacional Ester Umeki Gerente Sistemas de Gestão Internacional São Paulo, 1 de Fevereiro de 2012 ESSÊNCIA NATURA NATURA TODODIA AMÓ MAMÃE

Leia mais

CASOS DE SUCESSO ATIVOS INTANGÍVEIS

CASOS DE SUCESSO ATIVOS INTANGÍVEIS CASOS DE SUCESSO ATIVOS INTANGÍVEIS XIV REPICT SET 2011 Passiflora alata razão de ser nossa razão de ser é criar e comercializar produtos e serviços que promovam o bem estar / estar bem visão a Natura,

Leia mais

boas práticas técnicas e gerenciais departamento de patentes

boas práticas técnicas e gerenciais departamento de patentes boas práticas técnicas e gerenciais departamento de patentes XXXIII Congresso Internacional da Propriedade Intelectual - ABPI Rio de Janeiro, agosto/ 2013 Mercado de HPPC Setor de Venda Direta a natura

Leia mais

PAEX Parceiros para a Excelência

PAEX Parceiros para a Excelência PAEX Parceiros para a Excelência Estabelecer parcerias por melhores resultados: uma prática comum na natureza e nas empresas que querem se desenvolver. CONHECA A FDC Alianças Internacionais: Uma Escola

Leia mais

apresentação transporte sustentável Natura

apresentação transporte sustentável Natura apresentação transporte sustentável Natura NOVEMBRO / 2014 perfil natura a natura hoje É lider no mercado de cosméticos no Brasil há mais de 9 anos. A 10ª Empresa Mais Inovadora do Mundo (Forbes) A 6ª

Leia mais

DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL

DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL APRESENTAÇÃO A White Martins representa na América do Sul a Praxair, uma das maiores companhias de gases industriais e medicinais do mundo, com operações em

Leia mais

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010 Apresentação da Companhia Setembro de 2010 Comprovada capacidade de execução Visão geral da Inpar Empreendimentos por segmento (1) Modelo de negócios integrado (incorporação, construção e venda) Comercial

Leia mais

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade Eficácia e Liderança de Performance O Administrador na Gestão de Pessoas Grupo de Estudos em Administração de Pessoas - GEAPE 27 de novembro

Leia mais

Liderança Feminina. Que tipo de clima as altas executivas geram em suas equipes? Setembro/2009

Liderança Feminina. Que tipo de clima as altas executivas geram em suas equipes? Setembro/2009 Liderança Feminina Que tipo de clima as altas executivas geram em suas equipes? Setembro/2009 Sobre o Hay Group Hay Group é uma consultoria global em gestão que trabalha com líderes para transformar estratégias

Leia mais

Porque Educação Executiva Insper

Porque Educação Executiva Insper 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo atual exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

Gestão estratégica em processos de mudanças

Gestão estratégica em processos de mudanças Gestão estratégica em processos de mudanças REVISÃO DOS MACRO PONTOS DO PROJETO 1a. ETAPA: BASE PARA IMPLANTAÇÃO DE UM MODELO DE GESTÃO DE PERFORMANCE PROFISSIONAL, que compreenderá o processo de Análise

Leia mais

Simpósio Internacional de Sustentabilidade

Simpósio Internacional de Sustentabilidade Simpósio Internacional de Sustentabilidade Tema: Case Natura de Sustentabilidade: Incorporando a Dimensão Socioambiental no Modelo de Negócios Renato Abramovich Diretor - Norte e Nordeste Agenda > Visão

Leia mais

Apresentação Corporativa. Novembro de 2010

Apresentação Corporativa. Novembro de 2010 Apresentação Corporativa Novembro de 2010 Estácio: Breve Histórico Crescimento orgânico Consolidação para liderança nacional IPO Companhia listada Turn around e preparação para o crescimento futuro # de

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 3. Gestão empresarial 3.1 Gestão empresarial Objetivo: prover

Leia mais

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Projeto Saber Contábil O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Alessandra Mercante Programa Apresentar a relação da Gestão de pessoas com as estratégias organizacionais,

Leia mais

Plano de Sustentabilidade da Unilever

Plano de Sustentabilidade da Unilever Unilever Plano de Sustentabilidade da Unilever Eixo temático Governança Principal objetivo da prática Para a Unilever, o crescimento sustentável e lucrativo requer os mais altos padrões de comportamento

Leia mais

Processo de Negociação. Quem somos. Nossos Serviços. Clientes e Parceiros

Processo de Negociação. Quem somos. Nossos Serviços. Clientes e Parceiros Quem somos Nossos Serviços Processo de Negociação Clientes e Parceiros O NOSSO NEGÓCIO É AJUDAR EMPRESAS A RESOLVEREM PROBLEMAS DE GESTÃO Consultoria empresarial a menor custo Aumento da qualidade e da

Leia mais

Crescer agregando valor

Crescer agregando valor Crescer agregando valor Marcio Araujo de Lacerda Presidente do Conselho de Administração Maio de 2008 1/XX Orientações do Governo Mineiro Para Minas Gerais: Um Estado para Resultados Visão: Tornar Minas

Leia mais

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1 BUSINESS GAME UGB Eduardo de Oliveira Ormond Especialista em Gestão Empresarial Flávio Pires Especialista em Gerencia Avançada de Projetos Luís Cláudio Duarte Especialista em Estratégias de Gestão Marcelo

Leia mais

Apresentação de Resultados 4T11. 1º de Março de 2012

Apresentação de Resultados 4T11. 1º de Março de 2012 Apresentação de Resultados 4T11 1º de Março de 2012 Contax Visão Geral GRUPO CONTAX Operação em 4 países: Brasil, Colômbia, Argentina e Peru Líder na América Latina em serviços de relacionamento com consumidores

Leia mais

www.estacioparticipacoes.com/ri Global Services Conference Phoenix-AZ, 27 de fevereiro de 2008

www.estacioparticipacoes.com/ri Global Services Conference Phoenix-AZ, 27 de fevereiro de 2008 www.estacioparticipacoes.com/ri Global Services Conference Phoenix-AZ, 27 de fevereiro de 2008 0 1. Visão Geral Setor de Ensino Superior no Brasil Visão Geral Estratégia Empresarial Destaques Financeiros

Leia mais

Resultados 2T12 FLRY 3. Agosto / 2012

Resultados 2T12 FLRY 3. Agosto / 2012 Resultados 2T12 FLRY 3 Agosto / 2012 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS 2012 Aviso Legal Esta apresentação pode conter informações sobre eventos futuros. Tais informações não seriam apenas fatos históricos,

Leia mais

Apresentação dos Resultados 2T06

Apresentação dos Resultados 2T06 Apresentação dos Resultados 2T06 Aviso Legal Esta apresentação contém considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais e financeiros, e às perspectivas

Leia mais

CFO Estrategista Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva

CFO Estrategista Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

LMA, Solução em Sistemas

LMA, Solução em Sistemas LMA, Solução em Sistemas Ao longo dos anos os sistemas para gestão empresarial se tornaram fundamentais, e por meio dessa ferramenta as empresas aperfeiçoam os processos e os integram para uma gestão mais

Leia mais

O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior

O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior Alessandro Golombiewski Teixeira Secretário-Executivo São Paulo, agosto de 2012 Introdução 1 Contexto Econômico Internacional;

Leia mais

Gestão da Inovação - CEMIG. Arlindo Porto Neto Diretor Vice-Presidente (DVP) Data:03/06/2011

Gestão da Inovação - CEMIG. Arlindo Porto Neto Diretor Vice-Presidente (DVP) Data:03/06/2011 Gestão da Inovação - CEMIG Arlindo Porto Neto Diretor Vice-Presidente (DVP) Data:03/06/2011 Sustentabilidade Mineirão Solar Cemig classificada no Índice Dow Jones de Sustentabilidade DJSI World nos últimos

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

INOVAÇÃO como DIFERENCIAL ESTRATÉGICO

INOVAÇÃO como DIFERENCIAL ESTRATÉGICO INOVAÇÃO como DIFERENCIAL ESTRATÉGICO Março/2010 A empresa A Empresa nasceu em março de 1977, como uma farmácia de manipulação, no centro de Curitiba. Durante seus 32 anos, evoluiu por diferentes cenários,

Leia mais

QUEM SOMOS Brasil Brokers

QUEM SOMOS Brasil Brokers QUEM SOMOS Um dos maiores e mais completos grupos de venda de imóveis do país. Assim é a Brasil Brokers. Formado por 25 imobiliárias líderes em 12 estados, o grupo conta com mais de 14 mil corretores associados

Leia mais

MPE INDICADORES Pequenos Negócios no Brasil

MPE INDICADORES Pequenos Negócios no Brasil MPE INDICADORES Pequenos Negócios no Brasil Categorias de pequenos negócios no Brasil MPE Indicadores MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI) Receita bruta anual de até R$ 60 mil MICROEMPRESA Receita bruta

Leia mais

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010 Metodologia Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Através de e-survey - via web Público Alvo: Executivos de empresas associadas e não associadas à AMCHAM Amostra: 500 entrevistas realizadas Campo: 16

Leia mais

Resultados 3T14_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Novembro de 2014.

Resultados 3T14_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Novembro de 2014. Resultados 3T14_ Novembro de 2014. Disclaimer Esta apresentação pode conter declarações baseadas em estimativas a respeito dos prospectos e objetivos futuros de crescimento da base de assinantes, um detalhamento

Leia mais

ABCE REVITALIZADA PLANEJAMENTO 2011-2015

ABCE REVITALIZADA PLANEJAMENTO 2011-2015 ABCE REVITALIZADA PLANEJAMENTO 2011-2015 1 Destaques do levantamento de referências de associações internacionais Além dos membros associados, cujos interesses são defendidos pelas associações, há outras

Leia mais

A estratégia do PGQP frente aos novos desafios. 40ª Reunião da Qualidade 09-10-2006 Eduardo Guaragna

A estratégia do PGQP frente aos novos desafios. 40ª Reunião da Qualidade 09-10-2006 Eduardo Guaragna A estratégia do PGQP frente aos novos desafios 40ª Reunião da Qualidade 09-10-2006 Eduardo Guaragna PROCESSO DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO MACROFLUXO ENTRADAS PARA O PROCESSO - Análise de cenários e conteúdos

Leia mais

GOVERNANÇA CORPORATIVA CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO CONSELHO CONSULTIVO

GOVERNANÇA CORPORATIVA CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO CONSELHO CONSULTIVO GOVERNANÇA CORPORATIVA CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO CONSELHO CONSULTIVO O QUE É GOVERNANÇA CORPORATIVA? Conselho de Família GOVERNANÇA SÓCIOS Auditoria Independente Conselho de Administração Conselho Fiscal

Leia mais

As novas tecnologias podem finalmente - viabilizar o RH Estratégico? Thais Silva I Janeiro 2012

As novas tecnologias podem finalmente - viabilizar o RH Estratégico? Thais Silva I Janeiro 2012 As novas tecnologias podem finalmente - viabilizar o RH Estratégico? Thais Silva I Janeiro 2012 Universo TOTVS Fundada em 1983 6ª maior empresa de software (ERP) do mundo Líder em Software no Brasil e

Leia mais

Conheça a MRV Engenharia

Conheça a MRV Engenharia Conheça a MRV Engenharia MRV em Números Ficha técnica MRV Engenharia Número de empregados nas obras (média 2014)...23.704 Vendas Contratadas (R$ milhões) (2014)...R$ 6.005 Receita liquida (R$ milhões)

Leia mais

Programa de Aceleração do Novo Ciclo

Programa de Aceleração do Novo Ciclo Programa de Aceleração do Novo Ciclo 14 de Agosto, 2013 Três frentes de trabalho foram criadas Formação dos grupos de trabalho e mergulho nas oportunidades: diagnóstico operacional e oportunidades de curto

Leia mais

DOW BUSINESS SERVICES Diamond Value Chain Consulting

DOW BUSINESS SERVICES Diamond Value Chain Consulting DOW BUSINESS SERVICES Diamond Value Chain Consulting Soluções personalizadas para acelerar o crescimento do seu negócio Estratégia Operacional Projeto e Otimização de Redes Processos de Integração Eficácia

Leia mais

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Setembro de 2010 Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente

Leia mais

Natura s Day 2010. Finanças. Roberto Pedote Vice Presidente de Finanças, TI e Jurídico

Natura s Day 2010. Finanças. Roberto Pedote Vice Presidente de Finanças, TI e Jurídico Natura s Day 2010 Finanças Roberto Pedote Vice Presidente de Finanças, TI e Jurídico Agenda Agenda do Dia Proposta de Valor Cadeia de Processos Resultados 2 Agenda do Dia 3 Agenda Início Duração Tema Resp.

Leia mais

Estar Mais Próximo do Cliente. Divulgação dos Resultados 4T14

Estar Mais Próximo do Cliente. Divulgação dos Resultados 4T14 Estar Mais Próximo do Cliente Divulgação dos Resultados 4T14 CONQUISTAS DO ANO DE 2014 Anúncio Aumento de Capital R$ 2,38 Bi Divulgação 1T14 +30% RB Lançamento Marketplace Americanas.com Conclusão Aumento

Leia mais

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 Critérios Descrições Pesos 1. Perfil da Organização Breve apresentação da empresa, seus principais produtos e atividades, sua estrutura operacional

Leia mais

Balanced Scorecard BSC. O que não é medido não é gerenciado. Medir é importante? Também não se pode medir o que não se descreve.

Balanced Scorecard BSC. O que não é medido não é gerenciado. Medir é importante? Também não se pode medir o que não se descreve. Balanced Scorecard BSC 1 2 A metodologia (Mapas Estratégicos e Balanced Scorecard BSC) foi criada por professores de Harvard no início da década de 90, e é amplamente difundida e aplicada com sucesso em

Leia mais

Pequenos Negócios no Brasil. Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br

Pequenos Negócios no Brasil. Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br Pequenos Negócios no Brasil Pequenos Negócios no Brasil Clique no título para acessar o conteúdo, ou navegue pela apresentação completa Categorias de pequenos negócios no Brasil Micro e pequenas empresas

Leia mais

Alinhamento entre Estratégia e Processos

Alinhamento entre Estratégia e Processos Fabíola Azevedo Grijó Superintendente Estratégia e Governança São Paulo, 05/06/13 Alinhamento entre Estratégia e Processos Agenda Seguros Unimed Modelo de Gestão Integrada Kaplan & Norton Sistema de Gestão

Leia mais

Gestão estratégica em finanças

Gestão estratégica em finanças Gestão estratégica em finanças Resulta Consultoria Empresarial Gestão de custos e maximização de resultados A nova realidade do mercado tem feito com que as empresas contratem serviços especializados pelo

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T15. 8 de maio de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 1T15. 8 de maio de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 8 de maio de 2015 Magazine Luiza Destaques do Vendas E-commerce Despesas Operacionais EBITDA Luizacred Lucro Líquido Ganhos de market share, principalmente em tecnologia Receita

Leia mais

PDG Realty aumenta para 50% sua participação na CHL

PDG Realty aumenta para 50% sua participação na CHL PDG Realty aumenta para 50% sua participação na CHL Relações com Investidores: Michel Wurman Diretor de Relações com Investidores João Mallet Gerente de Relações com Investidores Telefone: (21) 3804 3800

Leia mais

Instituto Euvaldo Lodi de Santa Catarina IEL/SC

Instituto Euvaldo Lodi de Santa Catarina IEL/SC Instituto Euvaldo Lodi de Santa Catarina IEL/SC Uma estrutura de apoio à Inovação Eliza Coral, Dr. Eng., PMP Outubro, 2010 Diretrizes Organizacionais Missão Contribuir para o desenvolvimento sustentável

Leia mais

Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública. Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008

Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública. Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008 Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008 Roteiro 1. Contexto 2. Por que é preciso desenvolvimento de capacidades no setor

Leia mais

Apimec Florianópolis. Dezembro 2013

Apimec Florianópolis. Dezembro 2013 Apimec Florianópolis Dezembro 2013 Exoneração de Responsabilidades Esta apresentação não constitui uma oferta, convite ou pedido de qualquer forma, para a subscrição ou compra de ações ou qualquer outro

Leia mais

Teleconferência de Resultados do 3T09

Teleconferência de Resultados do 3T09 Teleconferência de Resultados do 3T09 2 Destaques do trimestre O forte resultado do 3T09 demonstrou nossa confortável posição competitiva na indústria de proteínas e confirmou os resultados esperados de

Leia mais

Unilever Brazil Sustentabilidade Cada Gesto Conta

Unilever Brazil Sustentabilidade Cada Gesto Conta Unilever Brazil Sustentabilidade Cada Gesto Conta 01/06/2011 A Visão da Unilever Trabalhamos para criar um futuro melhor todos os dias. Ajudamos as pessoas a se sentirem bem, bonitas e a aproveitarem mais

Leia mais

Apresentação para Investidores. Março, 2009

Apresentação para Investidores. Março, 2009 Apresentação para Investidores Março, 2009 1 Filosofia Gerdau VISÃO Ser uma empresa siderúrgica global, entre as mais rentáveis do setor. MISSÃO O Grupo Gerdau é uma empresa com foco em siderurgia, que

Leia mais

Apresentação Investidores

Apresentação Investidores Apresentação Investidores Setembro de 2010 Aviso Importante Esse material pode conter previsões de eventos futuros.tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da Companhia, e envolve

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional Março de 205 Sumário A VIA VAREJO EM RESUMO B POSICIONAMENTO DA VIA VAREJO C DESTAQUES DO 4T4 2 Sumário A VIA VAREJO EM RESUMO B POSICIONAMENTO DA VIA VAREJO C DESTAQUES DO 4T4

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T14 8 de maio de 2014

Teleconferência de Resultados 1T14 8 de maio de 2014 Teleconferência de Resultados 8 de maio de 2014 Destaques do Expressivo crescimento em vendas mesmas lojas (25,4%) com rentabilidade Crescimento da receita líquida total: 28,5% versus 1T13 R$2,3 bilhões

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

Divulgação de Resultados 2014

Divulgação de Resultados 2014 São Paulo - SP, 10 de Fevereiro de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity

Leia mais

Mais valias dos Relatórios de Sustentabilidade Um contributo da PT

Mais valias dos Relatórios de Sustentabilidade Um contributo da PT Mais valias dos Relatórios de Sustentabilidade Um contributo da PT A Responsabilidade Social Corporativa no Contexto da Internacionalização Abril, 2014 AGENDA QUEM SOMOS SUSTENTABILIDADE A IMPORTÂNCIA

Leia mais

Divulgação de Resultados do 2T10. 4 de agosto de 2010

Divulgação de Resultados do 2T10. 4 de agosto de 2010 Divulgação de Resultados do 4 de agosto de 2010 Aviso Importante Esse material pode conter previsões de eventos futuros.tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da Companhia, e envolve

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento. Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto

Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento. Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto CURRÍCULO DO PROFESSOR Administradora com mestrado e doutorado em engenharia de produção

Leia mais

INI 2008. São Paulo SETEMBRO 2008

INI 2008. São Paulo SETEMBRO 2008 INI 2008 São Paulo SETEMBRO 2008 1 v i s ã o g e r a l 2 visão geral» Receita receita bruta de R$ 4,3 bilhões (2007)» Mercado Alvo CF&T fragâncias, maquiagem, cuidados com a pele e higiene pessoal» 22,1%

Leia mais

Controles Internos e Governança de TI. Charles Holland e Gianni Ricciardi

Controles Internos e Governança de TI. Charles Holland e Gianni Ricciardi Controles Internos e Governança de TI Para Executivos e Auditores Charles Holland e Gianni Ricciardi Alguns Desafios da Gestão da TI Viabilizar a inovação em produtos e serviços do negócio, que contem

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

Teleconferência de Resultados 2T15. 31 de julho de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 2T15. 31 de julho de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 2T15 31 de julho de 2015 Magazine Luiza Destaques do 2T15 Vendas E-commerce Ganho consistente de participação de mercado Redução na receita líquida de 10,1% para R$2,1 bilhões

Leia mais

Apresentação Investidores

Apresentação Investidores Apresentação Investidores Abril de 2011 Aviso Importante Esse material pode conter previsões de eventos futuros.tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da Companhia, e envolve riscos

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T15

Divulgação de Resultados 1T15 São Paulo - SP, 06 de Maio de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

5 Objetivos Principais

5 Objetivos Principais A Rainforest Business School Escola de Negócios Sustentáveis de Floresta Tropical Instituto de Estudos Avançados Universidade de São Paulo (USP) Programa de Pesquisa Amazônia em Transformação (AmazonIEA)

Leia mais

22 de novembro de 2007. Apresentação dos Resultados 4T07

22 de novembro de 2007. Apresentação dos Resultados 4T07 22 de novembro de 2007 Apresentação dos Resultados 4T07 Aviso Importante Declarações contidas nesta apresentação relativas às perspectivas dos negócios da Companhia, projeções de resultados operacionais

Leia mais

Reunião Pública com Analistas Abril, 2009

Reunião Pública com Analistas Abril, 2009 Reunião Pública com Analistas Abril, 2009 Profarma Overview Profarma: Overview da Companhia Desde 1961, a Profarma distribui produtos farmacêuticos, higiene pessoal e cosméticos para farmácias e hospitais

Leia mais

ABNT NBR 16001:2004 Os Desafios e Oportunidades da Inovação

ABNT NBR 16001:2004 Os Desafios e Oportunidades da Inovação ABNT NBR 16001:2004 Os Desafios e Oportunidades da Inovação A Dinâmica da Terra é uma empresa onde o maior patrimônio é representado pelo seu capital intelectual. Campo de atuação: Elaboração de estudos,

Leia mais

Apresentação de Resultados 3T10

Apresentação de Resultados 3T10 Apresentação de Resultados 3T10 09 de Novembro de 2010 Agenda 1. Desempenho do Período 2. Evolução das Receitas e Custos Hardware Software Serviços 3. Despesas e Margens 4. Investimentos e Caixa 5. Estratégia

Leia mais

ABDI A 2004 11.080) O

ABDI A 2004 11.080) O Atualizada em 28 de julho de 2010 Atualizado em 28 de julho de 2010 1 ABDI ABDI A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial foi instituída em dezembro de 2004 com a missão de promover a execução

Leia mais

A Sustentabilidade no HSL. Diretoria de Filantropia e Responsabilidade Social

A Sustentabilidade no HSL. Diretoria de Filantropia e Responsabilidade Social A Sustentabilidade no HSL Diretoria de Filantropia e Responsabilidade Social Sustentabilidade HSL Panorama Geral Desequilíbrio do processo econômico Fonte: New Scientist (18 October 2008, p 40). Legenda:

Leia mais

Apresentação de Resultados 3T05

Apresentação de Resultados 3T05 Apresentação de Resultados 3T05 Destaques Crescimento do Lucro Líquido foi de 316% no Terceiro Trimestre Crescimento da Receita no 3T05 A receita bruta foi maior em 71% (3T05x3T04) e 63% (9M05x9M04) Base

Leia mais

Reunião com Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais LOJAS RENNER S.A.

Reunião com Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais LOJAS RENNER S.A. Reunião com Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais LOJAS RENNER S.A. São Paulo, 8 de dezembro de 2005 1 Aviso Legal Eventuais declarações que possam ser feitas durante esta apresentação,

Leia mais

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas CICLO APIMEC 2010 Índice RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas 3 RS no Brasil DADOS DEMOGRÁFICOS RS BRASIL População

Leia mais

1º Congresso Alianças Sociais Responsabilidade Social Corporativa em prol da Sustentabilidade

1º Congresso Alianças Sociais Responsabilidade Social Corporativa em prol da Sustentabilidade 1º Congresso Alianças Sociais Responsabilidade Social Corporativa em prol da Sustentabilidade Curitiba 30 de outubro de 2012 Agenda Sustentabilidade: Várias Visões do Empresariado Desenvolvimento sustentável;

Leia mais

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras 1. DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável, das áreas onde atuamos e

Leia mais

PROJETO ESTRUTURANTE DE COSMÉTICO DE BASE FLORESTAL DA AMAZÔNIA ESTUDO USO DE INSUMOS NA PRODUÇÃO DE COSMÉTICOS NA AMAZÔNIA

PROJETO ESTRUTURANTE DE COSMÉTICO DE BASE FLORESTAL DA AMAZÔNIA ESTUDO USO DE INSUMOS NA PRODUÇÃO DE COSMÉTICOS NA AMAZÔNIA PROJETO ESTRUTURANTE DE COSMÉTICO DE BASE FLORESTAL DA AMAZÔNIA ESTUDO USO DE INSUMOS NA PRODUÇÃO DE COSMÉTICOS NA AMAZÔNIA ENTRAVES E GARGALOS DA PRODUÇÃO DE INSUMOS E PRODUTOS ACABADOS DO SEGMENTO DE

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade IV DISTRIBUIÇÃO E

Prof. Marcelo Mello. Unidade IV DISTRIBUIÇÃO E Prof. Marcelo Mello Unidade IV DISTRIBUIÇÃO E TRADE MARKETING Trade Marketing é confundido por algumas empresas como um conjunto de ferramentas voltadas para a promoção e a comunicação dos produtos. O

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional Disclaimer Nossas estimativas e declarações futuras têm por embasamento, em grande parte, expectativas atuais e projeções sobre eventos futuros e tendências financeiras que afetam

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Negócios

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Negócios Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Negócios Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão Estratégica de Negócios tem por objetivo desenvolver a

Leia mais

Resultados 3T11. Teleconferência de Resultados 18 de Novembro de 2011

Resultados 3T11. Teleconferência de Resultados 18 de Novembro de 2011 Resultados 3T11 Teleconferência de Resultados 18 de Novembro de 2011 Agenda Perfil Coelce e Conquistas 1 Mercado de Energia 2 Resultados Operacionais 3 Resultados Econômico-Financeiros 4 Perguntas e Respostas

Leia mais

Gestão Financeira Empresarial Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração

Gestão Financeira Empresarial Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo atual exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

Resultados 3T10. Novembro, 2010 FLRY3

Resultados 3T10. Novembro, 2010 FLRY3 Resultados 3T10 FLRY3 A marca mais valiosa no setor de saúde Brasileiro A 6ª marca mais valiosa entre as empresas de serviços A 25ª marca mais valiosa no Brasil Millward Brand / BrandAnalytics A Empresa

Leia mais

1. THE GROUP TODAY INDEX 1. O GRUPO HOJE 2. VISÃO ESTRATÉGICA

1. THE GROUP TODAY INDEX 1. O GRUPO HOJE 2. VISÃO ESTRATÉGICA 1 INDEX 1. O GRUPO HOJE 2. VISÃO ESTRATÉGICA 3. PRIORIDADES ESTRATÉGICAS 3.1 Concretizar o Potencial da Biedronka 3.2 Assegurar o Crescimento de Longo Prazo 1. THE GROUP TODAY 4. EXPLORAR TODO O POTENCIAL

Leia mais

Perspectivas para o desenvolvimento brasileiro e a indústria de commodities minerais

Perspectivas para o desenvolvimento brasileiro e a indústria de commodities minerais Perspectivas para o desenvolvimento brasileiro e a indústria de commodities minerais João Carlos Ferraz BNDES 31 de agosto de 2008 Guia Contexto macroeconômico Políticas públicas Perpectivas do investimento

Leia mais

Conference Call Resultados 2011 19 de março de 2012 17h00

Conference Call Resultados 2011 19 de março de 2012 17h00 Conference Call Resultados 2011 19 de março de 2012 17h00 Márcio Utsch 2 4T11 Preço e mix alavancam a Receita Volume de Vendas Consolidado Calçados, Vestuário e Acessórios (milhões de unidades) Receita

Leia mais

Os resultados do segundo trimestre e primeiro semestre de 2014 consolidam as Empresas BRF S.A.

Os resultados do segundo trimestre e primeiro semestre de 2014 consolidam as Empresas BRF S.A. BRF RESULTADOS 2T14 Os resultados do segundo trimestre e primeiro semestre de 2014 consolidam as Empresas BRF S.A. As declarações contidas neste relatório relativas à perspectiva dos negócios da Empresa,

Leia mais

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000)

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000) Blumenau SC, 27 de julho de 2007 A Cremer S.A. (Bovespa: CREM3), distribuidora de produtos para a saúde e também líder na fabricação de produtos têxteis e adesivos cirúrgicos, anuncia hoje seus resultados

Leia mais

MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA MACRO-METAS DO PROGRAMA LINHA DO TEMPO

MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA MACRO-METAS DO PROGRAMA LINHA DO TEMPO MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA 1- FORTALECER O SETOR DE SOFTWARE E SERVIÇOS DE TI, NA CONCEPÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS AVANÇADAS; 2- CRIAR EMPREGOS QUALIFICADOS NO PAÍS; 3- CRIAR E FORTALECER EMPRESAS

Leia mais