Gerenciador de proj et os; Transport e de m ensagens; Suporte às fases de desenvolvim ento e depuração; Proj et ado para sust ent ar escalabilidade;

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Gerenciador de proj et os; Transport e de m ensagens; Suporte às fases de desenvolvim ento e depuração; Proj et ado para sust ent ar escalabilidade;"

Transcrição

1 Java Agent Developm ent Fram ew ork 1

2 O que é jade? É um m iddleware de agentes que im plem enta um a plataform a distribuída e um fram ework de desenvolvim ent o para SMA Desenvolvido pelo CSELT e Univ. Parm a Com pletam ente im plem entado em Java e Obedece às especificações da FI PA - Foundation for I ntelligent Physical Agents (1997 / 2000) Utiliza classes já definidas em Java. 2

3 Serviços Gerenciador de proj et os; Transport e de m ensagens; Suporte às fases de desenvolvim ento e depuração; Proj et ado para sust ent ar escalabilidade; Requisitos Requisitos básicos para a execução do fram ework: versão 1.1x ou 1.2 de Java (JVM) com JDK instalado e 64 MB no m ínim o. 3

4 Possui ferram entas de suporte; Rem ote Monitoring(rm s); Agent Dum m y; Agent Sniffer; Agent I ntrospector; Possui a habilidade de aceitar registros de outros cont ainers Possui dois agent es especiais: Agent Managem ent Syst em Serviço de nom es, autoridade da plataform a Directory Facilitator Serviço de páginas am arelas 4

5 Agent Sniffer Introspector Dummy Agent 5

6 Rem ote Monitoring Agent (RMA) Funciona com o um a console gráfica para gerenciam ento e controle da plataform a; É usada para m onitorar e adm inistrar o status de todos os com ponentes da plataform a dist ribuída, incluindo agent es e cont ainers; Serve para controlar o ciclo de vida dos agentes, conexões com plataform as rem otas e a instalação de protocolos de transporte de m ensagens 6

7 Sniffer Agent É usado para interceptar as m ensagens ACL e exibir a conversação através de um a notação sim ilar ao diagram a de seqüência da UML; Útil para depuração de conversação entre agent es; Perm ite que as conversações sejam salvas ou carregadas em arquivos. 7

8 I ntrospector Agent É usado para m onitorar o ciclo de vida de um agente, suas m ensagens ACL trocadas e seus com portam entos em execução. Perm ite controlar a execução de um agente. 8

9 Dum m y Agent É um a ferram enta utilizada para com por e enviar m ensagens ACL para outros agentes, bem com o para exibir as m ensagens recebidas; Perm ite que as m ensagens sejam salvas ou carregadas em arquivos; Um a alternativa para depuração das m ensagens. 9

10 Directory Facilitator (DF) Representa o FI PA DF, o com ponente de páginas am arelas do sistem a; Perm ite registrar / de-registrar / m odificar / buscar agent es e serviços; Perm ite criar confederações de DF e realizar propagação de busca através de dom ínios e sub- dom ínios. 10

11 É baseado no conceito de container Um container = instância do am biente de execução JADE Diferentes containers na m esm a plataform a (1 JVM por cont ainer) Diferentes agentes no mesmo cont ainer Cada agente tem sua própria thread de execução Um a Plataform a é com posta por um conjunto de cont ainers at ivos Cada plataform a possui, obrigatoriam ente, um Main Cont ainer 11

12 Instância de jade rodando em um Host Distribuído A1,A2,A3... Agentes rodando nos respectivos container, há possibilidade de migrar os agentes para outros containers 12

13 Form a de com unicação; Estados dos agentes; Heranças classe agent; Construção de um novo agente( ) ; AI D Com portam ento dos agentes; 13

14 Um agente em JADE é um a instância da classe Agent Heranças da classe Agent: Características para realizar as interações básicas com a plataform a de agentes (registro, configuração, gerenciam ento rem oto,...); O conjunto básico de m étodos que podem ser cham ados para im plem entar o com portam ento personalizado do agent e ( enviar/ receber m ensagens, usar protocolos de interação,...) 14

15 Um AI D (Agent I dentifier) é constituído por: Um nom e globalm ente único: < localnam hostnam e> : < port> / JADE Ex: am eagol: / JADE Um conjunto de endereços de agentes Endereços das plataform as em que o agente reside Utilizados apenas quando agentes desej am se com unicar com agentes em outras plataform as Agentes tam bém possuem um apelido 15

16 A classe Agent representa os estados do agente através de constantes: AP_INITIATED AP_ACTIVE AP_SUSPENDED AP_WAITING AP_DELETED AP_TRANSIT AP_COPY 16

17 import jade.core.agent; public class AgenteSimples extends Agent { } protected void setup() { System.out.println( Oi Agente + getaid().getname() + está pronto! ); } 17

18 Em JADE os agentes se com unicam através de passagem assíncrona de m ensagens ACL A classe ACLMessage representa as m ensagens de acordo com as especificações da FI PA Todos os parâm etros são pares palavra- chave: valor Os valores dos parâm etros podem ser inseridos através dos m étodos set( ) e podem ser lidos através de m étodos get( ) As perform ativas da FI PA são identificadas por const ant es. 18

19 Todo agente tem um a fila privada de m ensagens ACL criada e preenchida pelo subsistem a de com unicação de JADE O agente é inform ado sem pre que um a m ensagem é adicionada a sua lista de m ensagens Cabe ao program ador com o se dará o tratam ento dessas m ensagens Se um a m ensagem é enviada e o sub-sistem a não consegue encontrar o destinatário, ele a envia para ser gerenciada pelo AMS 19

20 Criando/ Enviando m ensagens public void action() { } ACLMessage msg = new ACLMessage(ACLMessage.INFORM); msg.addreceiver(new AID( ze, AID.ISLOCALNAME); msg.setlanguage( portugol ); msg.setontology( Sistemas Distribuídos ); msg.setcontent( Comunicação entre processos ) // Chama o Método da classe Agent para enviar mensagens send(msg); 20

21 Mensagens em Acl QUERY-IF :sender :receiver :protocol fipa-query :conversation_id C _ :reply_with :reply_by :language fipa-sl0 :ontology curso :content ((DISCIPLINAS (COMPUTACAO :nome Computação Distribuída" :professor Bosco :Horario a tarde (ENGENHARIA :nome Circuitos Digitais :professor Carlos :Horario a noite )))) 21

22 Dow nload dos arquivos / jade.tilab.com / ; Registro para acesso aos dow nloads; Arquivos jadeall.zip; jadebin.zip; jadedoc.zip jadesrc.zip jadeexamples.zip Note: que todos os binários devem ser execut ados usando jdk versão 1.4; 22

23 Com o Main-Container java jade.boot [options] nome_agente: codigo Com o Container java jade.boot container [options] nome_agente: codigo compilado Sem classpat h java jar lib\ jade.jar nomtp [ options] Nome_agente: código_compilado Options: -container - gui -mtp - host -port - container- name - nomobility - version -help 23 - conf

24 Referências Java Agent DEvelopment Framework API de JADE Documentação on- line de JADE Exercício proposto Criar um agente o qual ele possa migrar em ambientes heterogêneos Ex: Main-Container rodando em Linux e um container em W indow s. E fazer a com unicação entre os agentes utilizando as perform ativas do ACL. 24

JADE : Java Agent DEvelopment Framework JADE

JADE : Java Agent DEvelopment Framework JADE : Java Agent DEvelopment Framework http:// sharon.cselt.it/projects/jade Framework para desenvolvimento de software, no projecto de sistemas multi-agente e aplicações conforme as normas da FIPA Escrito

Leia mais

Jade Java Agent Development Framework

Jade Java Agent Development Framework Jade Java Agent Development Framework http://jade.tilab.com/ Versão atual: 4.0.1 (07/07/2010) 17/08/10 @LES/PUC-Rio 2 Jade é um middleware para o desenvolvimento de sistemas multiagentes Inclui Um ambiente

Leia mais

Centralizado Distribuído

Centralizado Distribuído Universidade Federal de Alagoas Curso de Ciência da Computação O Ambiente Jade: uma introdução ao framework de desenvolvimento para sistemas multiagentes Inteligência Artificial Prof. Rômulo Nunes Motivação

Leia mais

Me. Eng. JOÃO ALVAREZ PEIXOTO. Sistemas Multi-agentes em Java utilizando a plataforma JADE

Me. Eng. JOÃO ALVAREZ PEIXOTO. Sistemas Multi-agentes em Java utilizando a plataforma JADE Me. Eng. JOÃO ALVAREZ PEIXOTO Sistemas Multi-agentes em Java utilizando a plataforma JADE Objetivo: implementar sistemas de manufatura utilizando sistemas multiagentes, a partir da plataforma JADE. Tópicos

Leia mais

JADE Java Agent DEvelopment Framework

JADE Java Agent DEvelopment Framework JADE Java Agent DEvelopment Framework Ricardo J. Rabelo rabelo@das.ufsc.br Saulo Popov Zambiasi popov@gsigma.ufsc.br Sumário Parte 1 Introdução Pré-requisitos Download Instalação e Configuração Interface

Leia mais

Sistema para Gerenciamento de Redes Baseado em Agentes Móveis

Sistema para Gerenciamento de Redes Baseado em Agentes Móveis Universidade Federal Fluminense Instituto de Computação Coordenação do Curso de Pós-Graduação em Computação Curso: Mestrado em Computação Disciplina: Introdução aos Sistemas Multi-Agentes Sistema para

Leia mais

JADE: Java Agent Development Framework

JADE: Java Agent Development Framework 1 JADE: Java Agent Development Framework Fábio V. Teixeira Abstract JADE is a software environment that provides a middleware for the development and execution of agent-based applications which can interoperate

Leia mais

Universidade Federal do ABC ufabc

Universidade Federal do ABC ufabc Universidade Federal do ABC ufabc André Filipe de Moraes Batista andre.batista@ufabc.edu.br Manual Complementar do Projeto de Pesquisa: Sistemas Multiagentes na Construção de um Middleware para Suporte

Leia mais

Construindo Agentes Inteligentes com o JADE e Eclipse Utilizando o Eclipse para construir Agentes Inteligentes em JADE

Construindo Agentes Inteligentes com o JADE e Eclipse Utilizando o Eclipse para construir Agentes Inteligentes em JADE a r t i g o Construindo Agentes Inteligentes com o JADE e Eclipse Utilizando o Eclipse para construir Agentes Inteligentes em JADE Ricardo dos Santos Câmara (rscamara@gmail.com) é mestrando em Informática

Leia mais

Tecnologia para Sistemas Inteligentes Apontamentos para as aulas sobre

Tecnologia para Sistemas Inteligentes Apontamentos para as aulas sobre Tecnologia para Sistemas Inteligentes Apontamentos para as aulas sobre Sistemas de Agentes: Plataforma, linguagem de comunicação e protocolos de interação Luís Miguel Botelho Departamento de Ciências e

Leia mais

5 Trabalhos Relacionados

5 Trabalhos Relacionados 5 Trabalhos Relacionados Existem diferentes tipos de frameworks de middleware para SMAs, cada um focaliza mais fortemente alguma propriedade de agencia, tal como mobilidade focalizada no framework SOMA

Leia mais

ENTERPRISE JAVABEANS 3. Msc. Daniele Carvalho Oliveira

ENTERPRISE JAVABEANS 3. Msc. Daniele Carvalho Oliveira ENTERPRISE JAVABEANS 3 Msc. Daniele Carvalho Oliveira Apostila Servlets e JSP www.argonavis.com.br/cursos/java/j550/index.html INTRODUÇÃO Introdução Enterprise JavaBeans é um padrão de modelo de componentes

Leia mais

$LGpLDGHVWHDUWLJRpDSUHVHQWDUXPDGDVPDLVFRPSOHWDVIHUUDPHQWDVGHGHVHQYROYLPHQWR -DYDHRSRGHUTXHHVVDIHUUDPHQWDWHPFRPDDGLomRGHSOXJLQVGHSULPHLUDOLQKD

$LGpLDGHVWHDUWLJRpDSUHVHQWDUXPDGDVPDLVFRPSOHWDVIHUUDPHQWDVGHGHVHQYROYLPHQWR -DYDHRSRGHUTXHHVVDIHUUDPHQWDWHPFRPDDGLomRGHSOXJLQVGHSULPHLUDOLQKD (FOLSVH±4XHPHVWX""" 5RJpULR3HUHV*RPHV $LGpLDGHVWHDUWLJRpDSUHVHQWDUXPDGDVPDLVFRPSOHWDVIHUUDPHQWDVGHGHVHQYROYLPHQWR -DYDHRSRGHUTXHHVVDIHUUDPHQWDWHPFRPDDGLomRGHSOXJLQVGHSULPHLUDOLQKD,QWURGXomR O projeto Eclipse.org

Leia mais

Primeiro programa em Java (compilação e execução)

Primeiro programa em Java (compilação e execução) Universidade Federal do ABC Disciplina: Linguagens de Programação (BC-0501) Assunto: Primeiro programa em Java (compilação e execução) Primeiro programa em Java (compilação e execução) Introdução Este

Leia mais

Java Linguagem de programação

Java Linguagem de programação NASA INFORMÁTICA Pág. 1 O ambiente Java Como foi comentado anteriormente, o Java é uma linguagem independente de plataforma. Tal característica torna-se possível com o uso de um formato intermediário,

Leia mais

,&(7±,QVWLWXWRGH&LrQFLDH7HFQRORJLD

,&(7±,QVWLWXWRGH&LrQFLDH7HFQRORJLD 3ULPHLUD$XOD :. Apresentação :. Frase :. Avisos :. Sistem a de Avaliação :. Bibliografias (Básica e Com plem entar) :. Em enta :. Objetivos Gerais :. Objetivos Específicos :. Conteúdo Program ático $SUHVHQWDomR

Leia mais

Implementação de um Sistema Multi-Agente para um Jogo Estratégico de Palavras.

Implementação de um Sistema Multi-Agente para um Jogo Estratégico de Palavras. Implementação de um Sistema Multi-Agente para um Jogo Estratégico de Palavras. Dezembro 2005 Agentes e Inteligência Artificial Distribuída Joana Vieira Valente Simão Cardoso Espinheira Rio Resumo Este

Leia mais

$FRPXQLFDomRLQWHUQDQDVHPSUHVDVVypYDOLGDGDTXDQGRDWLQJHWRGRVRVQtYHLVKLHUiUTXLFRVHWHP DVErQomRVGRVSULQFLSDLVH[HFXWLYRV

$FRPXQLFDomRLQWHUQDQDVHPSUHVDVVypYDOLGDGDTXDQGRDWLQJHWRGRVRVQtYHLVKLHUiUTXLFRVHWHP DVErQomRVGRVSULQFLSDLVH[HFXWLYRV Page 1 of 5 %RDFRPXQLFDomRLQWHUQDpYDQWDJHPFRPSHWLWLYD $FRPXQLFDomRLQWHUQDQDVHPSUHVDVVypYDOLGDGDTXDQGRDWLQJHWRGRVRVQtYHLVKLHUiUTXLFRVHWHP DVErQomRVGRVSULQFLSDLVH[HFXWLYRV 1DUD'DPDQWH Do presidente para

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA AMBIENTE VIRTUAL PARA O ENSINO E APRENDIZADO DA PROGRAMAÇÃO DE AGENTES AVEPA RICARDO DOS SANTOS CÂMARA

Leia mais

MDS Versão 2.2 - Outubro/2006

MDS Versão 2.2 - Outubro/2006 MDS - Outubro/2006 Manual elaborado com base na versão 3.14. ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 5 2 INSTALANDO O SISTEMA... 6 3 ATUALIZANDO O SISTEMA...10 4 IDENTIFICAÇÃO NO SISTEMA / MANUTENÇÃO...12 4.1 IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Nome N Série: Ferramentas

Nome N Série: Ferramentas Nome N Série: Ferramentas Competências: Identificar e utilizar técnicas de modelagem de dados; Habilidades: Utilizar ferramentas de apoio ao desenvolvimento de software; Bases Tecnológicas: Metodologias

Leia mais

Marcelo Albuquerque de Oliveira. MMS Engenharia de Manutenção e Sistemas

Marcelo Albuquerque de Oliveira. MMS Engenharia de Manutenção e Sistemas 2010 O conteúdo deste documento tem por objetivo orientar sobre as atividades que entendemos serem necessárias para atender aos requisitos solicitados pelo cliente. Marcelo Albuquerque de Oliveira. MMS

Leia mais

TRABALHO DE GRADUAÇÃO

TRABALHO DE GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE INFORMÁTICA FRAMEWORK MULTIAGENTE PARA APLICAÇÕES MUSICAIS TRABALHO DE GRADUAÇÃO Aluno: Pablo Azevedo Sampaio (pas@cin.ufpe.br)

Leia mais

BlackBerry Messenger SDK

BlackBerry Messenger SDK BlackBerry Messenger SDK Versão: 1.2 Getting Started Guide Publicado: 2011-10-11 SWD-1391821-1011103456-012 Conteúdo 1 Requisitos do sistema... 2 2 Dependências de versão do BlackBerry Messenger... 3 3

Leia mais

Plataforma para Agentes

Plataforma para Agentes Plataforma para es JATLite - Java Template, Lite O que é o JATLite? http://java.stanford.edu/ http://www.fe.up.pt/~eol/aiad/jatlite/doc/index.html Pacote de programas em Java permitindo: rápida criação

Leia mais

2 Sistemas Multi-Agentes Móveis

2 Sistemas Multi-Agentes Móveis 2 Sistemas Multi-Agentes Móveis Sistemas multi-agentes móveis (SMAs móveis) são constituídos por uma plataforma de mobilidade e pelos agentes móveis nela executados. A plataforma define todas as questões

Leia mais

Inteligência Artificial

Inteligência Artificial Inteligência Artificial Aula 8 Sistemas Multi-Agentes M.e Guylerme Velasco O que são agentes? o termo vem sendo aplicado indistintamente, tanto na comunidade de computação em geral como em IA; sistemas

Leia mais

Integrações e o ecossistema Java. Fabric8 ao Resgate!

Integrações e o ecossistema Java. Fabric8 ao Resgate! Integrações e o ecossistema Java Fabric8 ao Resgate! Quem sou eu? Leandro O. Gomes blog.leandrogomes.com @leandro_gomes 7 anos de estrada Arquiteto de Software na Owse no Rio de Janeiro Apaixonado por

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALAGOAS CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA DISCIPLINA:

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALAGOAS CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA DISCIPLINA: INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALAGOAS CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA DISCIPLINA: PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS PROFESSOR: REINALDO GOMES ASSUNTO: PRIMEIRO PROGRAMA EM JAVA (COMPILAÇÃO

Leia mais

Um pouco do Java. Prof. Eduardo

Um pouco do Java. Prof. Eduardo Um pouco do Java Prof. Eduardo Introdução A tecnologia JAVA é composta pela linguagem de programação JAVA e pela plataforma de desenvolvimento JAVA. Os programas são escritos em arquivos-texto com a extensão.java.

Leia mais

Sistemas Distribuídos na WEB (Plataformas para Aplicações Distribuídas)

Sistemas Distribuídos na WEB (Plataformas para Aplicações Distribuídas) Sistemas Distribuídos na WEB (Plataformas para Aplicações Distribuídas) Web Container: e JSP Sumário Protocolo HTTP Exemplos de JSP (Java Server Pages) Exemplos JSP 2 Protocolo HTTP URL: Um URL (Uniform

Leia mais

Pe n sa n do e m V u ln e r a bilida de s, Am e a ça s e Riscos

Pe n sa n do e m V u ln e r a bilida de s, Am e a ça s e Riscos Pensando em Vulnerabilidades, Am eaças e Riscos Objetivos Avaliar am eaças e riscos à segurança de redes. Após concluir este capítulo, você estará preparado para executar as seguint es t arefas: Tarefas

Leia mais

EAI. Enterprise Application Integration. Integrando seus Negócios. Antonio Carlos Barbará antonio.barbara@consist.com.br

EAI. Enterprise Application Integration. Integrando seus Negócios. Antonio Carlos Barbará antonio.barbara@consist.com.br EAI Enterprise Application Integration Integrando seus Negócios Antonio Carlos Barbará antonio.barbara@consist.com.br INTEGRAÇÃO:a grande novidade???? INTEGRAR PARA NÃO ENTREGAR Porque a m udança de ESTRATÉGIA?

Leia mais

Tutorial RMI (Remote Method Invocation) por Alabê Duarte

Tutorial RMI (Remote Method Invocation) por Alabê Duarte Tutorial RMI (Remote Method Invocation) por Alabê Duarte Este tutorial explica basicamente como se implementa a API chamada RMI (Remote Method Invocation). O RMI nada mais é que a Invocação de Métodos

Leia mais

Laboratório I Aula 2

Laboratório I Aula 2 Laboratório I Aula 2 Prof. Msc. Anderson da Cruz Fases da Programação Implementação de Linguagens de Programação Compilação geração de código executável dependente da plataforma de execução tradução lenta

Leia mais

Desenvolvimento para Android Prá3ca 3. Prof. Markus Endler

Desenvolvimento para Android Prá3ca 3. Prof. Markus Endler Desenvolvimento para Android Prá3ca 3 Prof. Markus Endler Exercício 3.1 Solicitando permissão para abrir uma página Web ü Criaremos uma Ac.vity com um EditText (para entrada de uma URL), um Bu?on e uma

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVOS PARA CELULAR JAVA 2 MICRO EDITION

DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVOS PARA CELULAR JAVA 2 MICRO EDITION DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVOS PARA CELULAR JAVA 2 MICRO EDITION Robison Cris Brito Centro Federal de Educação Tecnológica do Paraná Unidade de Pato Branco robison@pb.cefetpr.br RESUMO Engana-se quem acha

Leia mais

Programação online em Java

Programação online em Java Universidade Federal do ABC Disciplina: Processamento da Informação Assunto: Programação online em Java Programação online em Java Conteúdo Conteúdo...1 Introdução... 1 1.1.Programas necessários... 1 1.2.Visão

Leia mais

Introdução ao IDE Netbeans (Programação Java)

Introdução ao IDE Netbeans (Programação Java) Universidade Federal do ABC (UFABC) Disciplina: Processamento da Informação (BC-0505) Assunto: Java e Netbeans Introdução ao IDE Netbeans (Programação Java) Conteúdo 1. Introdução... 1 1.1. Programas necessários...

Leia mais

Engenharia Informática e Computação

Engenharia Informática e Computação Engenharia Informática e Computação Agentes e Inteligência Artificial Distribuída Sociedade de agentes baseados em arquitecturas BDI Relatório Final Versão 1.0 Carlos Figueiredo, ei99030@fe.up.pt José

Leia mais

Primeiro programa em Java (compilação e execução)

Primeiro programa em Java (compilação e execução) Universidade Federal do ABC Disciplina: Linguagens de Programação (BC-0501) Assunto: Primeiro programa em Java (compilação e execução) Primeiro programa em Java (compilação e execução) Introdução Este

Leia mais

Relatório do GPES. Descrição dos Programas e Plugins Utilizados. Programas Utilizados:

Relatório do GPES. Descrição dos Programas e Plugins Utilizados. Programas Utilizados: Relatório do GPES Relatório referente à instalação dos programas e plugins que estarão sendo utilizados durante o desenvolvimento dos exemplos e exercícios, sendo esses demonstrados nos próximos relatórios.

Leia mais

INF1013 MODELAGEM DE SOFTWARE

INF1013 MODELAGEM DE SOFTWARE INF1013 MODELAGEM DE SOFTWARE Departamento de Informática Ivan Mathias Filho ivan@inf.puc-rio.br Programa Capítulo 18 Sockets OLadoServidor O Lado Cliente Múltiplos Clientes 1 Programa Capítulo 18 Sockets

Leia mais

Procedimentos para Configuração do Ambiente J2EE e J2SE em Ambiente Windows

Procedimentos para Configuração do Ambiente J2EE e J2SE em Ambiente Windows Procedimentos para Configuração do Ambiente J2EE e J2SE em Ambiente Windows 1 - Configuração do J2SDKSE (Java 2 SDK Standard Edition) Deve-se obter o arquivo j2sdk-1_4_2_03-windows-i586-p.exe ou mais recente

Leia mais

Lógica de Programação

Lógica de Programação Lógica de Programação Unidade 4 Ambiente de desenvolvimento Java QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática SUMÁRIO A LINGUAGEM JAVA... 3 JVM, JRE, JDK... 3 BYTECODE... 3 PREPARANDO O AMBIENTE

Leia mais

Desenvolvimento Web com Framework Demoiselle versão 1.0

Desenvolvimento Web com Framework Demoiselle versão 1.0 Desenvolvimento Web com Framework Demoiselle versão 1.0 Módulo 07: Outros Componentes Autor: Rodrigo Hjort Serpro / Coordenação Estratégica de Tecnologia / Curitiba www.frameworkdemoiselle.org.br Modificado

Leia mais

O nome ANT é uma sigla para another neat tool (mais uma ferramenta organizada), segundo seu autor James Duncan Davidson.

O nome ANT é uma sigla para another neat tool (mais uma ferramenta organizada), segundo seu autor James Duncan Davidson. 1- Introdução 1.1- Visão Geral O ANT é uma ferramenta destinada a construção (build) de programas JAVA. É semelhante a ferramentas como make, nmake, jam mas com o diferencial de ser multi-plataforma, pois

Leia mais

(Aula 15) Threads e Threads em Java

(Aula 15) Threads e Threads em Java (Aula 15) Threads e Threads em Java Um fluxo computacional. A programa maioria de execução, dos seqüencial programas o qual simples consiste realiza tem uma de essa um certa único tarefa Grande característica:

Leia mais

Integração entre o IBM HTTP SERVER, APACHE WEB Server e IBM Websphere Application Server

Integração entre o IBM HTTP SERVER, APACHE WEB Server e IBM Websphere Application Server Integração entre o IBM HTTP SERVER, APACHE WEB Server e IBM Websphere Application Server Índice Resumo sobre este documento... 3 Integrando o IBM HTTP Server com o IBM WebSphere Application Server... 3

Leia mais

Introdução a conceitos e a prática de programação

Introdução a conceitos e a prática de programação Instituto de Informática - UFG Disciplina: Introdução à Computação Introdução a conceitos e a prática de programação Autores: Marcelo Akira e Anderson Soares Fevereiro de 2011 Alguns direitos autorais

Leia mais

TÍTULO 30 COMPRA COM DOAÇÃO SIMULTÂNEA CDS Documento 1 Anexo I Proposta de Participação (PAA-Net) Doação Simultânea

TÍTULO 30 COMPRA COM DOAÇÃO SIMULTÂNEA CDS Documento 1 Anexo I Proposta de Participação (PAA-Net) Doação Simultânea (*) PROPOSTA DE PARTICIPAÇÃO (PAA-Net) DOAÇÃO SIMULTÂNEA Código da Proposta: Valor Total: Duração do Projeto: % de mulheres no projeto: IDENTIFICAÇÃO DO PROPONENTE Nome do Proponente: CNPJ: Endereço: Município:

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Aula 6 Estrutura de Sistemas Operacionais Prof.: Edilberto M. Silva http://www.edilms.eti.br Baseado no material disponibilizado por: SO - Prof. Edilberto Silva Prof. José Juan Espantoso

Leia mais

Em uma linguagem de programação como C e Pascal, temos a seguinte situação quando vamos compor um programa:

Em uma linguagem de programação como C e Pascal, temos a seguinte situação quando vamos compor um programa: 1 1. Introdução Este manual se propõe a dar uma visão inicial do Java e apresentar os primeiros passos para sua instalação, configuração e usabilidade pelo prompt de comando do Windows. O ideal é que este

Leia mais

2. Sistemas Multi-Agentes (Multi-Agent System - MAS)

2. Sistemas Multi-Agentes (Multi-Agent System - MAS) AORML uma linguagem para modelagem de uma aplicação Multiagentes: Uma Aplicação no Sistema Expertcop. Hebert de Aquino Nery, Daniel Gonçalves de Oliveira e Vasco Furtado. Universidade de Fortaleza UNIFOR

Leia mais

Sistemas Operacionais Aula 03: Estruturas dos SOs. Ezequiel R. Zorzal ezorzal@unifesp.br www.ezequielzorzal.com

Sistemas Operacionais Aula 03: Estruturas dos SOs. Ezequiel R. Zorzal ezorzal@unifesp.br www.ezequielzorzal.com Sistemas Operacionais Aula 03: Estruturas dos SOs Ezequiel R. Zorzal ezorzal@unifesp.br www.ezequielzorzal.com OBJETIVOS Descrever os serviços que um sistema operacional oferece aos usuários e outros sistemas

Leia mais

Programação por Objectos

Programação por Objectos Programação por Objectos Java: instalação, configuração e ferramentas MEEC@IST Java 1/21 Ferramentas revisão J2SE JDK (última vs, pelo menos vs 5.0) http://java.sun.com/javase/downloads/index.jsp Eclipse,

Leia mais

ATO HOMOLOGATÓRIO ECF Nº 0 8/08. O GERENTE FISCAL, no uso de suas atribuições,

ATO HOMOLOGATÓRIO ECF Nº 0 8/08. O GERENTE FISCAL, no uso de suas atribuições, ATO HOMOLOGATÓRIO ECF Nº 0 8/08 O GERENTE FISCAL, no uso de suas atribuições, Considerando o disposto no Regulamento do ICMS aprovado pelo Decreto n 1.090-R, de 25 de outubro de 2002, 1 do art. 695, Considerando

Leia mais

Instalando e Atualizando a Solução... 3. Arquivos de Instalação... 4. Instalação do Servidor de Aplicação... 7. Instalação JDK...

Instalando e Atualizando a Solução... 3. Arquivos de Instalação... 4. Instalação do Servidor de Aplicação... 7. Instalação JDK... Instalando e Atualizando a Solução... 3 Arquivos de Instalação... 4 Instalação do Servidor de Aplicação... 7 Instalação JDK... 7 Instalação Apache Tomcat... 8 Configurando Tomcat... 9 Configurando Banco

Leia mais

INTERNET -- NAVEGAÇÃO

INTERNET -- NAVEGAÇÃO Página 1 INTRODUÇÃO Parte 1 O que é a Internet? A Internet é uma rede mundial de computadores, englobando redes menores distribuídas por vários países, estados e cidades. Ao contrário do que muitos pensam,

Leia mais

PARECER DO COMITÊ DE TERMO DE COMPROMISSO PROCESSO ADMINISTRATIVO SANCIONADOR CVM Nº RJ 2013/10172 RELATÓRIO

PARECER DO COMITÊ DE TERMO DE COMPROMISSO PROCESSO ADMINISTRATIVO SANCIONADOR CVM Nº RJ 2013/10172 RELATÓRIO PARECER DO COMITÊ DE TERMO DE COMPROMISSO PROCESSO ADMINISTRATIVO SANCIONADOR CVM Nº RJ 2013/10172 RELATÓRIO 1. Trata-se de proposta de Termo de Compromisso apresentada por KPMG Auditores Independentes

Leia mais

Introdução ao Android. SECAP 2014 Prof. Rone Ilídio - UFSJ

Introdução ao Android. SECAP 2014 Prof. Rone Ilídio - UFSJ Introdução ao Android SECAP 2014 Prof. Rone Ilídio - UFSJ O que é o Android? Sistema operacional móvel, baseado numa versão modificada do Linux. Código aberto: qualquer pessoa pode baixar e modificar Máquina

Leia mais

Seu Recibo do Bilhete Eletronico 1 message

Seu Recibo do Bilhete Eletronico 1 message Leonardo Menezes Vaz Seu Recibo do Bilhete Eletronico 1 message nao responda@tam.com.br Reply To: NAO RESPONDA@tam.com.br To: LEONARDO.VAZ@gmail.com Sat,

Leia mais

Faculdade de Computação Programação Orientada à Objetos 1 Laboratório de Programação Orientada à Objetos Prof. Fabíola Gonçalves Coelho Ribeiro

Faculdade de Computação Programação Orientada à Objetos 1 Laboratório de Programação Orientada à Objetos Prof. Fabíola Gonçalves Coelho Ribeiro Faculdade de Computação Programação Orientada à Objetos 1 Laboratório de Programação Orientada à Objetos Prof. Fabíola Gonçalves Coelho Ribeiro 1. Introdução O objetivo desta aula prática é apresentar

Leia mais

Aula 09 Introdução à Java. Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes http://www.profbrunogomes.com.br/

Aula 09 Introdução à Java. Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes http://www.profbrunogomes.com.br/ Aula 09 Introdução à Java Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes http://www.profbrunogomes.com.br/ Agenda da Aula Java: Sintaxe; Tipos de Dados; Variáveis; Impressão de Dados.

Leia mais

Java Laboratório Aula 1. Divisões da Plataforma. Introdução a Plataforma Java. Visão geral da arquitetura da

Java Laboratório Aula 1. Divisões da Plataforma. Introdução a Plataforma Java. Visão geral da arquitetura da Java Laboratório Aula 1 Programação orientada a objetos Profa. Renata e Cristiane Introdução a Plataforma Java O que é Java? Tecnologia Linguagem de Programação Ambiente de Execução (JVM) Tudo isso é a

Leia mais

Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código)

Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código) Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código) Roteiro Processos Threads Virtualização Migração de Código O que é um processo?! Processos são programas em execução. Processo Processo Processo tem

Leia mais

JSR 120 (SMS), JSR 205 (WMAPI 2.0) JULIAN PRADA SANIMIGUEL Grupo 6

JSR 120 (SMS), JSR 205 (WMAPI 2.0) JULIAN PRADA SANIMIGUEL Grupo 6 JSR 120 (SMS), JSR 205 (WMAPI 2.0) e JSR 180 (SIP) JULIAN PRADA SANIMIGUEL Grupo 6 Protocolo SIP Desenho do Protocolo Funcionamento do Protocolo API JSR 180 (SIP) Exemplos Protocolo de iniciação de sessão

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação LP: Laboratório de Programação Apontamento 4 Prof. ISVega Fevereiro de 2004 Ambiente BlueJ CONTEÚDO 4.1 BlueJ como Ferramenta

Leia mais

INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO DE JOGOS COM LIBGDX. Vinícius Barreto de Sousa Neto

INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO DE JOGOS COM LIBGDX. Vinícius Barreto de Sousa Neto INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO DE JOGOS COM LIBGDX Vinícius Barreto de Sousa Neto Libgdx é um framework multi plataforma de visualização e desenvolvimento de jogos. Atualmente ele suporta Windows, Linux,

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE BACHARELADO EM INFORMÁTICA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE BACHARELADO EM INFORMÁTICA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE BACHARELADO EM INFORMÁTICA Tutorial de Instalação da Grade Computacional Gustavo Mantovani Orlando Luiz Pelosi

Leia mais

Os Diagram as de Seqüência provêem representações de com portam ente baseado em m ensagens representam fluxo de cont role descrevem interações Diagram as de Seqüência provêem mecanismos para represent

Leia mais

LEI Sistemas de Computação 2014/15. Níveis de Abstração. TPC4 e Guião laboratorial. Luís Paulo Santos e Alberto José Proença

LEI Sistemas de Computação 2014/15. Níveis de Abstração. TPC4 e Guião laboratorial. Luís Paulo Santos e Alberto José Proença LEI Sistemas de Computação 2014/15 Níveis de Abstração TPC4 e Guião laboratorial Luís Paulo Santos e Alberto José Proença ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

4 Avaliação do Código Gerado

4 Avaliação do Código Gerado Referencial Teórico 4 Avaliação do Código Gerado Nós fizemos alguns exemplos para avaliar a eficiência da especificação proposta, tanto em termos de velocidade de execução quanto de diminuição do tamanho

Leia mais

21º Prêmio Expressão de Ecologia

21º Prêmio Expressão de Ecologia 21º Prêmio Expressão de Ecologia Edição 2013-2014 Projeto: Projeto Escola do Mar de Florianópolis Organização: Secretaria Municipal de Educação de Florianópolis Página: 1/1 PÁGINA 1: Inform ações cadastrais:

Leia mais

J2EE. J2EE - Surgimento

J2EE. J2EE - Surgimento J2EE Java 2 Enterprise Edition Objetivo: Definir uma plataforma padrão para aplicações distribuídas Simplificar o desenvolvimento de um modelo de aplicações baseadas em componentes J2EE - Surgimento Início:

Leia mais

Edição 2013-2014 2013-2014. Projeto: Eu também posso ajudar com pequenos gestos Organização: CMEI Pinheirinho. Imagens: 1/1

Edição 2013-2014 2013-2014. Projeto: Eu também posso ajudar com pequenos gestos Organização: CMEI Pinheirinho. Imagens: 1/1 2 21º Prêmio Expressão de Ecologia Edição 2013-2014 2013-2014 Projeto: Eu também posso ajudar com pequenos gestos Organização: CMEI Pinheirinho Imagens: 1/1 PÁGINA 1: Inform ações cadastrais: P1: Título

Leia mais

Roteiro de instalação do jogo da Pirâmide Alimentar

Roteiro de instalação do jogo da Pirâmide Alimentar Roteiro de instalação do jogo da Pirâmide Alimentar Documento: Roteiro de Instalação do jogo da Pirâmide Alimentar Data: 13/04/2010 Objetivos: Orientar a instalação do jogo da Pirâmide Alimentar Versões

Leia mais

Java Básico. Aula 1 por Thalles Cezar

Java Básico. Aula 1 por Thalles Cezar + Java Básico Aula 1 por Thalles Cezar + Histórico Green Project (1991) Desenvolver plataforma para eletrodomésticos inteligentes Tentaram usar C++ Mas resolveram desenvolver uma linguagem própria Oak

Leia mais

Instalando e configurando o Java Development Kit (JDK)

Instalando e configurando o Java Development Kit (JDK) Tutorial elaborado pelo professor José Gonçalo dos Santos Contato: jose.goncalo.santos@gmail.com Instalando e configurando o Java Development Kit (JDK) 1.1 Obtendo o JDK + JRE Para obter o JDK e o JRE

Leia mais

Programação Orientada a Objetos Prof. Rone Ilídio UFSJ/CAP

Programação Orientada a Objetos Prof. Rone Ilídio UFSJ/CAP Programação Orientada a Objetos Prof. Rone Ilídio UFSJ/CAP 1) Introdução Programação Orientada a Objetos é um paradigma de programação bastante antigo. Entretanto somente nos últimos anos foi aceito realmente

Leia mais

Algoritmos I Aula 13 Java: Tipos básicos, variáveis, atribuições e expressões

Algoritmos I Aula 13 Java: Tipos básicos, variáveis, atribuições e expressões Algoritmos I Aula 13 Java: Tipos básicos, variáveis, atribuições e expressões Professor: Max Pereira http://paginas.unisul.br/max.pereira Ciência da Computação Primeiro Programa em Java public class OlaPessoal

Leia mais

Capítulo 2. Charm++ 16

Capítulo 2. Charm++ 16 2 Charm++ O Charm++ é uma linguagem orientada a objetos para programação paralela baseada em C++ (34). Ela possui uma biblioteca de execução para suporte a computação paralela que se chama Kernel do Charm

Leia mais

21º Prêmio Expressão de Ecologia

21º Prêmio Expressão de Ecologia 21º Prêmio Expressão de Ecologia Edição 2013-2014 Projeto: Unimed no Parque Organização: Unimed Regional Maringá Página: 1/1 PÁGINA 1: Inform ações cadastrais: P1: Título do projeto am biental participante:

Leia mais

GUIA DE INÍCIO RÁPIDO NHS NOBREAK MANAGER 4.0 TOPOLOGIA MÍNIMA DE REDE PARA A INSTALAÇÃO E USO DO SOFTWARE COM GPRS

GUIA DE INÍCIO RÁPIDO NHS NOBREAK MANAGER 4.0 TOPOLOGIA MÍNIMA DE REDE PARA A INSTALAÇÃO E USO DO SOFTWARE COM GPRS GUIA DE INÍCIO RÁPIDO NHS NOBREAK MANAGER 4.0 TOPOLOGIA MÍNIMA DE REDE PARA A INSTALAÇÃO E USO DO SOFTWARE COM GPRS CONFIGURAÇÃO DO GPRS 1. Entre no site da NHS na página de homologação do NHS NOBREAK

Leia mais

Serviço Seguro de Mensagens Instantâneas

Serviço Seguro de Mensagens Instantâneas COORDENADORIA DA RECEITA ESTADUAL GERÊNCIA DE CONTROLE E INFORMAÇÕES Serviço Seguro de Mensagens Instantâneas Jabber & Exodus Jabber é um protocolo aberto, baseado em XML para troca de mensagens instantâneas.

Leia mais

Projeto: Alinhavando Oportunidades Organização: Creche Comunitária Casa da Criança São José Imagens: 1/1

Projeto: Alinhavando Oportunidades Organização: Creche Comunitária Casa da Criança São José Imagens: 1/1 2 21º Prêmio Expressão de Ecologia Edição2013-2014 2013-2014 Apresentação dos produtos produzidos Este é um dos momentos que surge um novo produto O lixo de banner sendo transformado Materiais para a confecção

Leia mais

21º Prêmio Expressão de Ecologia

21º Prêmio Expressão de Ecologia 21º Prêmio Expressão de Ecologia Edição 2013-2014 Conhecendo a Mata Atlântica Estudante de Jaraguá do Sul (SC) com um sapo-boi Estudantes na trilha do Centro Interpretativo da Mata Atlântica Projeto: Conhecendo

Leia mais

Consultas e Serviços Especiais, com 0 (zero) dispositivos de segurança (Token) Agência: 3943 Conta Corrente: 13 001897-8 Titularidade: Cliente

Consultas e Serviços Especiais, com 0 (zero) dispositivos de segurança (Token) Agência: 3943 Conta Corrente: 13 001897-8 Titularidade: Cliente Termo de Adesão aos Serviços do Internet Banking Empresarial São partes neste Instrum ento: BANCO SANTANDER (BRASIL) S.A., instituição financeira com sede no Município de São Paulo, Estado de São Paulo,

Leia mais

n d ice : n d i c e :Í Apresentação Capítulo I - Introdução Capítulo II - O que são os Genéricos Capítulo III - Genéricos no Mundo

n d ice : n d i c e :Í Apresentação Capítulo I - Introdução Capítulo II - O que são os Genéricos Capítulo III - Genéricos no Mundo n d ice : n d i c e :Í Apresentação Capítulo I - Introdução Capítulo II - O que são os Genéricos Capítulo III - Genéricos no Mundo Capítulo IV - Genéricos no Brasil Capítulo V - Bioequivalência e Equivalência

Leia mais

Introdução ao Android. Programação Orientada a Objetos Prof. Rone Ilídio - UFSJ

Introdução ao Android. Programação Orientada a Objetos Prof. Rone Ilídio - UFSJ Introdução ao Android Programação Orientada a Objetos Prof. Rone Ilídio - UFSJ O que é o Android? Sistema operacional móvel, baseado numa versão modificada do Linux. Código aberto: qualquer pessoa pode

Leia mais

10 Guia do Usuário. 10.1 Finalidade do Guia. 10.2 Criando sua Conta no Azure

10 Guia do Usuário. 10.1 Finalidade do Guia. 10.2 Criando sua Conta no Azure 88 10 Guia do Usuário 10.1 Finalidade do Guia O presente capítulo é destinado a Estatísticos, Atuários, Matemáticos e Engenheiros que estão desenvolvendo sua pesquisa com o Método de Monte Carlo e desejam

Leia mais

Desenvolvimento Android. http://www.larback.com.br

Desenvolvimento Android. http://www.larback.com.br Desenvolvimento Android http://www.larback.com.br Introdução ao Android O Android é a resposta da Google ao mercado crescente de dispositivos móveis. É uma nova plataforma de desenvolvimento baseado no

Leia mais

21º Prêmio Expressão de Ecologia

21º Prêmio Expressão de Ecologia 21º Prêmio Expressão de Ecologia Edição 2013-2014 Projeto: Redução do Consumo de Água Captada do Rio Canoas Organização: Klabin Página: 1/1 PÁGINA 1: Inform ações cadastrais: P1: Título do projeto am biental

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos Soquetes Um soquete é formado por um endereço IP concatenado com um número de porta. Em geral, os soquetes utilizam uma arquitetura cliente-servidor. O servidor espera por pedidos

Leia mais

Programação Orientada a Objetos em Java

Programação Orientada a Objetos em Java Programação Orientada a Objetos em Java Rone Ilídio da Silva Universidade Federal de São João del-rei Campus Alto Paraopeba 1:14 1 Objetivo Apresentar os principais conceitos de Programção Orientada a

Leia mais

Sistemas Distribuídos: Conceitos e Projeto Threads e Migração de Processos

Sistemas Distribuídos: Conceitos e Projeto Threads e Migração de Processos Sistemas Distribuídos: Conceitos e Projeto Threads e Migração de Processos Francisco José da Silva e Silva Laboratório de Sistemas Distribuídos (LSD) Departamento de Informática / UFMA http://www.lsd.deinf.ufma.br

Leia mais

PARA: GEA-3 RA/CVM/SEP/GEA-3/Nº 40/14 DE: RAPHAEL SOUZA DATA: 07.05.14

PARA: GEA-3 RA/CVM/SEP/GEA-3/Nº 40/14 DE: RAPHAEL SOUZA DATA: 07.05.14 PARA: GEA-3 RA/CVM/SEP/GEA-3/Nº 40/14 DE: RAPHAEL SOUZA DATA: 07.05.14 ASSUNTO: GPC Participações S.A. Recurso adm inistrativo Processo CVM RJ-2014-4201 Senhor Gerente, I. Síntese 1. Trata-se de recurso

Leia mais

Edital de Credenciamento de Consultores Nº 01/ 2009 Rev 01 05/ 01/ 2009

Edital de Credenciamento de Consultores Nº 01/ 2009 Rev 01 05/ 01/ 2009 Edital de Credenciamento de Consultores Nº 01/ 2009 Rev 01 05/ 01/ 2009 (',7$/'(&5('(1&,$0(172'2029,0(172&$7$5,1(16(3$5$(;&(/Ç1&,$ 1ž &5('(1&,$0(172'(3(662$6)Ë6,&$6(-85Ë',&$63$5$&203252&$'$6752 '(&2168/725(6'2029,0(172&$7$5,1(16(3$5$(;&(/Ç1&,$

Leia mais

ATA DA SESSÃO DO PREGÃO ELETRÔNICO EDITAL: 026/2014 PROCESSO: 910-04.96/14-1

ATA DA SESSÃO DO PREGÃO ELETRÔNICO EDITAL: 026/2014 PROCESSO: 910-04.96/14-1 ATA DA SESSÃO DO PREGÃO ELETRÔNICO EDITAL: 026/2014 PROCESSO: 910-04.96/14-1 Em, às 09:00 horas, na EMPRESA GAUCHA DE RODOVIAS S/A - EGR, sito à AV. BORGES DE MEDEIROS, 261-3ºANDAR - PORTO ALEGRE - RS,

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE MODERNIZAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO. pronamp

PROGRAMA NACIONAL DE MODERNIZAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO. pronamp PROGRAMA NACIONAL pronamp PROGRAMA NACIONAL A modernização e o fortalecimento do Ministério Público é ação necessária ao progresso da segurança jurídica e da igualdade de todos os cidadãos (Documentos

Leia mais