RELATÓRIO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL"

Transcrição

1 RELATÓRIO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2005

2 índice 03 Mensagem do presidente 06 Refap, nossa história e nossa empresa 15 Valores e Transparência 18 Público Interno 25 Meio Ambiente 29 Fornecedores 31 Clientes e Consumidores 35 Comunidade 39 Governo e Sociedade 42 Como vemos o futuro EXPEDIENTE Gerente Corporativa: Amara Martins Ramos Gerente de Comunicação: Alessandra Teixeira de Teixeira Comitê do Balanço Social: Adelaide Ribeiro Tinoco Essinger, Carlos Carriconde, Hamilton Romanato Ribeiro, João Carlos da Costa Marques, Marco Rogério Martini, Mário Alberto Ghisleni, Rafael Andraschko, Suzana Beatriz Junges e Waldir Raupp de Assis. A REFAP AGRADECE A PARTICIPAÇÃO DA FORÇA DE TRABALHO NA EXECUÇÃO DESTE RELATÓRIO. Execução: Signi Estratégias em Responsabilidade Social Revisão: Luís Augusto Junges Lopes Impressão: Gráfica Nova Prova Fotografias: Claiton Adriano Leal (Refap) e Carlos Carvalho (Brasil Imagem)

3 mensagem do presidente O ano 2005 registra uma marca distintiva na trajetória da Refap. Após longo período de aprimoramento e desenvolvimento chegamos ao formato consolidado de nosso programa de Responsabilidade Social. Compromisso com o futuro através da transformação social é a estratégia do Programa Refap Cidadã. Na metade do ano iniciamos as atividades do Centro Refap Cidadã. Um sonho antigo, que foi cuidadosamente amadurecido, tornou-se realidade. Focado nas comunidades do entorno busca, através do esporte, promover a mudança da realidade destas famílias. É possível mudar a perspectiva e a dimensão dos sonhos destas crianças, criando um futuro com novas e amplas possibilidades. Ver o brilho nos olhos e alegria destas crianças é motivo de grande orgulho para todos nós. O projeto de ampliação e modernização da Refap, obra de destaque no cenário gaúcho pela sua importância econômico-financeira, possibilitou uma nova forma de relacionamento com a sociedade. As várias iniciativas inovadoras associadas ao projeto deixarão benefícios permanentes ao nosso Estado. Como exemplo destacamos o crescimento da Rede Petro - RS, cujo objetivo de desenvolvimento de fornecedores de bens e serviços para a industria de petróleo, cria a mais ampla capilaridade dos negócios deste ramo na economia, propiciando a geração de empregos qualificados e renda em diversas empresas de pequeno porte. Através do Senai capacitamos cerca de 1000 trabalhadores da região, que foram contratados pelas empresas responsáveis pela construção da obra, podendo assim conquistar o tão desejado emprego qualificado. No âmbito cultural, entre tantos projetos, entregamos à sociedade rio-grandense o Centro Regional de Cultura de Rio Pardo, obra grandiosa que resgata a história regional e possibilita o desenvolvimento sócio-cultural daquela comunidade. Nós, da Refap, nos sentimos orgulhosos de ter viabilizado a realização desta obra, pois dificilmente alguém outro faria. E acima de tudo, queremos agradecer a dedicação, a competência e o esforço de todos os trabalhadores da Refap, aos nossos fornecedores, prestadores de serviço e clientes, parceiros nesta jornada e que, com sabedoria e maestria nos ajudam a construir a história que este Relatório de Responsabilidade Social apresenta. Desejamos uma boa leitura e que você possa conhecer melhor a Refap que com muita energia e serenidade contribui para a construção de um futuro melhor. Hildo Francisco Henz Diretor-Presidente

4 nossa história A Refinaria Alberto Pasqualini foi inaugurada no ano de 1968 na cidade de Canoas, na região metropolitana de Porto Alegre, próxima a uma cidade onde os automóveis eram ainda escassos e a atividade industrial apenas começava a ser desenhada. Uma decisão estratégica, que levaria o Rio Grande do Sul a figurar no panorama produtivo nacional, viabilizando o acesso a matérias-primas fundamentais para o desenvolvimento regional. A Era do Petróleo, que estampava as capas dos jornais da época, não era saudada apenas pelo afã regionalista, característico dos gaúchos: uma planta de refino de petróleo possibilitava ao País reduzir ainda mais a importação de produtos beneficiados os derivados como gasolina e gás, agregando valor ao produto nacional e reduzindo a dependência brasileira neste setor vital para o crescimento econômico como um todo Com uma missa campal, o governador do Estado, Leonel de Moura Brizola, e o presidente da Petrobras, Francisco Mangabeira, dão início à obra de terraplenagem nos 560 hectares que compõem a área da futura Refinaria Alberto Pasqualini. O nome do empreendimento homenageia o senador gaúcho relator do projeto de criação da Petrobras e um dos grandes nomes da política brasileira, falecido em A Refinaria Alberto Pasqualini é inaugurada pelo presidente da República, o gaúcho Marechal Arthur da Costa e Silva, e abençoada pelo Arcebispo de Porto Alegre, Dom Vicente Scherer. Pouco mais de um mês antes, em 5 de agosto, entrava em operação a Unidade de Destilação Atmosférica. A expectativa de produção, com a obra totalmente concluída, é de 7,5 mil m³ diários.

5 Em março, entram em operação mais duas unidades: a de Destilação a Vácuo e a de Craqueamento Catalítico Fluidizado. A produção atinge 12 mil m³ por dia. Entra em funcionamento a U-50, elevando a capacidade de produção da refinaria para 20 mil m³ diários A troca de ativos entre Petrobras e Repsol-YPF leva à constituição da Alberto Pasqualini Refap S.A. Em maio, tem início o processo de ampliação da Refap, a terceira em sua breve história, que irá elevar a capacidade de refino de petróleo de 20 mil para 30 mil m³ diários Decisão de realizar a primeira ampliação na refinaria, com a construção da U-50 (Unidade de Destilação Atmosférica), que só começaria a operar em O presidente da República, Itamar Franco, inaugura oficialmente a nova unidade U Em julho, o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, visita as obras da ampliação da refinaria. Duas novas unidades entram em operação: a Unidade de Geração de Hidrogênio (UGH) e a Unidade de Hidrotratamento de Óleo Diesel (UHDT).

6

7 nossa empresa O perfil da Refap S.A., seu sistema de governança, resultados financeiros, missão, visão e valores, os princípios que regem a empresa. A grandiosa obra da Ampliação em 2005 e o reconhecimento pela atuação em diversas áreas de atividade.

8 nossa empresa Resultados e responsabilidade A Alberto Pasqualini - Refap S.A. é uma empresa brasileira, cujo objeto social é o refino, o processamento, a comercialização e a importação e exportação de petróleo, seus derivados e seus correlatos, a pres- CAPITAL Ações Ordinárias Ações Preferenciais Capital Social R$ ,00 Capital Autorizado (05/02/2001) R$ ,00 tação de serviços relacionados com as suas atividades, bem como quaisquer outras atividades correlatas ou afins. Com a alteração da composição acionária, a empresa passou, em 2001, a integrar o sistema Petrobras, com aproximadamente 70% das ações controladas pela Downstream Participações S.A. (empresa subsidiária da Petrobras), 30% pela Repsol-YPF do Brasil S.A. (do grupo espanhol Repsol), um pequeno percentual pela Petrobras Distribuidora S.A. BR e por sete conselheiros, conforme os quadros a seguir: Participação acionária Nº de ações subscritas Percentual de capital total Downstream Participações Ltda , Repsol YPF Brasil S.A , Petrobras Distribuidora S.A. - BR , (sete) Conselheiros 7 0, Total , Vista geral da Refap: a refinaria verde

9 Governança A governança da empresa é realizada de forma a garantir a transparência e o total atendimento às normas legais. A estrutura de gestão é formada por Conselho de Administração, Conselho Fiscal e Diretoria Executiva. À Diretoria, formada pelo Diretor- Presidente e diretores Industrial, Comercial, Técnico e Financeiro-Administrativo, cabe administrar os negócios da Refap S.A. conforme as diretrizes, estratégias e orientações gerais fixadas pelo Conselho de Administração. A fiscalização dos atos administrativos e o exame das contas da organização ficam a cargo do Conselho Fiscal. O Conselho de Administração é composto por sete integrantes, cinco deles indicados pela Petróleo Brasileiro S.A. Petrobras e dois pela Repsol YPF Brasil S.A.. No Conselho Fiscal, há um representante de cada um dos dois principais acionistas e um representante indicado pelo Tesouro Nacional. Resultados Financeiros A Alberto Pasqualini Refap S.A. atingiu em 2005 um volume de petróleo processado da ordem de 6,8 milhões m³, o maior já processado em um único ano pela refinaria em toda a sua história. Esse resultado, 15% superior ao de 2004, proporcionou a venda de mais de 6,4 milhões m³ de derivados de petróleo, sen- CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Efetivos Empresa Paulo Roberto Costa (Pres.) Petrobras Alan Kardec Pinto Petrobras Hildo Francisco Henz Petrobras Patrick Horbach Fairon Petrobras Daniel Lima de Oliveira Petrobras Enrique Locutura Ruperez Repsol Jesus Francisco Guinea Rodriguez Repsol CONSELHO FISCAL Efetivos Nina Maria Arcela (Presidente) Ministério da Fazenda Ruy Franco Arantes Petrobras Maria de Lourdes Corrêa Peixoto Repsol YPF Brasil Suplentes Nadya Vitoria Medeiros Evangelista Ministério da Fazenda Sérvio Túlio Rosa Tinoco Petrobras Carlos Castanho Afonso Repsol YPF Brasil DIRETORIA EXECUTIVA Nome Cargo Hildo Francisco Henz Diretor-Presidente Vicente José Rauber Diretor Financeiro e Administrativo Paulo Ricardo Kugland de Azevedo Diretor Técnico Hermenegildo Martín Albaladejo Diretor Industrial Roberto Ken Nagao Diretor Comercial Evolução de Receita e Lucro (em R$ milhões) (%) Receita operacional bruta Impostos e contribuições sobre vendas Receita operacional líquida Custo dos produtos vendidos Lucro bruto EBITDA Lucro líquido Volume comercializado (mil m³) Valor médio de realização (R$/m³) 754,88 910,33 21 Receitas financeiras Valorização cambial e monetária

10 nossa empresa A obra da Ampliação da refinaria: 2005 foi um ano-chave na conquista de resultados do essa comercialização 13% superior à realizada no ano anterior. Esse resultado foi apoiado pela consolidação das exportações de óleo diesel e início das exportações de gasolina, esforço realizado no sentido de desenvolver o mercado para colocação da produção da refinaria ampliada e estabelecer a Refap como empresa exportadora. A receita operacional bruta alcançou R$ milhões, 29% superior à receita de 2004, e a receita líquida foi de R$ milhões, 36% superior a O lucro líquido foi de R$ 198 milhões. Os produtos comercializados pela Refap são combustíveis, nafta petroquímica, querosene, GLP (o gás de cozinha), óleos combustíveis, asfaltos, solventes e outros. Em 2005, os produtos com maior volume de venda foram o óleo diesel, a gasolina e a nafta petroquímica, correspondendo a 80% do volume total vendido. Ações voltadas a fortalecer a participação no mercado de derivados do estado de Santa Catarina proporcionaram também o aumento de vendas de gasolina da ordem de 20% em relação a 2004, e aumento de 33% para o óleo diesel. O DVA Demonstrativo do Valor Adicionado reflete a riqueza produzida pela Refap e como ela é distribuída entre os diversos públicos: governo, empregados, participação dos empregados nos lucros auferidos, aquisição de materiais e serviços, etc. A tabela a seguir demonstra como o valor gerado foi distribuído no ano de 2005 e também apresenta dados do ano de 2004, para facilitar a análise comparativa. 10

11 Participação nas vendas 2% 2% 5,8% Óleo diesel Gasolina 46,4% 19,5% 9,5% 14,6% Nafta petroquímica Óleo combustível GLP QAV-1 Outros DEMONSTRAÇÕES DO VALOR ADICIONADO Exercícios findos em 31 de dezembro de 2005 e 2004 (Em milhares de reais) Receitas Vendas de mercadorias, produtos e serviços Receitas não-operacionais Insumos adquiridos de terceiros Materiais consumidos ( ) ( ) Energia, serviços de terceiros e outras despesas operacionais (82.944) (51.208) ( ) ( ) Valor adicionado bruto Retenções Depreciação e amortização (20.329) (23.521) Valor adicionado líquido produzido pela companhia Valor adicionado recebido em transferência Receitas financeiras inclui variações monetárias e cambiais Valor adicionado total a distribuir Distribuição do valor adicionado Pessoal Salários e encargos Participações dos empregados nos lucros Tributos Federais Estaduais Municipais (-)Incentivos fiscais Contribuição social e imposto de renda diferidos (39.808) Financiadores Despesas financeiras, juros, variação cambial, aluguéis (34.868) (86.625) (34.868) (86.625) Acionistas Reserva especial de dividendos Lucros retidos Valor adicionado distribuído

12 nossa empresa Missão Fornecer produtos e serviços da indústria do refino de petróleo e de energia, atuando de forma rentável, sendo reconhecida pela qualidade, segurança e preservação do meio ambiente. Visão Sermos a melhor opção no mercado regional, comercializando toda a produção da Refap ampliada, com rentabilidade sustentável. Valores Simplicidade Criatividade Integridade Comprometimento Espírito de equipe Responsabilidade Social Autodesenvolvimento Disciplina Perseverança Gestão integrada garante segurança e certeza do trabalho bem-executado Qualidade, Segurança, Meio Ambiente e Saúde O dia-a-dia da Refap que, como toda refinaria, tem duração integral de 24 horas, operando por turnos, é regido por normas específicas de segurança e por um código de comportamento que garante a correção das ações e atitudes tomadas por pessoas e gerências. Para assegurar que as normas sejam conhecidas e introjetadas por todos, a Refap estabeleceu uma Política do Sistema de Gestão Integrada de Qualidade, Segurança, Meio Ambiente e Saúde, que permeia todas as áreas da empresa e estabelece os princípios vitais para a boa operação da refinaria. Esses princípios, inclusive, extrapolam aspectos pessoais e delineiam com clareza o compromisso da Refap com o desenvolvimento sustentável, a utilização inteligente de recursos naturais e a preservação da natureza. Princípios 1 A gerência é responsável direta pela Qualidade, Segurança, Meio Ambiente e Saúde QSMS. 2 Todos os acidentes, incidentes e não-conformidades são evitáveis. 3 Todos, na Refap S.A., se comprometem a atender à legislação, às normas e aos padrões de Qualidade, Segurança, Meio Ambiente e Saúde. 4 As auditorias e as ações preventivas, a investigação de todas as anomalias e o comprometimento com a melhoria contínua dos processos são fundamentais para a análise crítica e o aprimoramento do Sistema de Gestão Integrada de QSMS. 5 A gerência é responsável por conhecer todos os aspectos de QSMS no ambiente de trabalho. 6 A comunicação interna e externa, com os clientes e demais partes interessadas, e o treinamento e a capacitação dos trabalhadores são fundamentais para o sucesso em QSMS. 7 Trabalhar conforme os padrões de QSMS é condição de empregabilidade. 8 As pessoas são fator crítico para o sucesso em QSMS. 9 A satisfação dos clientes, o desenvolvimento sustentável e a prevenção da poluição, através do uso racional de recursos naturais, e a otimização do controle de resíduos sólidos, efluentes líquidos e emissões atmosféricas são os focos do gerenciamento responsável na Refap S.A. 10 Esses princípios são, também, aplicados nas atividades fora do trabalho. 12

13 Certificações O setor petroquímico, por sua natureza, exige que a empresa tenha uma atuação impecável, não apenas no que tange à legislação e ao respeito das normas dos órgãos ambientais, mas principalmente antecipando-se na aquisição e pesquisa de novas tecnologias, na instalação de equipamentos e treinamento de pessoas, na melhoria de processos. A Refap, neste sentido, vem trabalhando há mais de uma década, conquistando importantes certificações como ISO 9001, posteriormente ISO 9001:2000, ISO 14001:1996 e OHSAS 18001:1999. As certificações passam por processos de renovação periódicos, nos quais a Refap tem, igualmente, obtido aprovação dos órgãos certificadores. A Ampliação em 2005 A Refap foi uma das primeiras unidades do sistema Petrobras a entrar em operação no Sul do Brasil e, acompanhando o desenvolvimento do Rio Grande do Sul, vem crescendo desde o início de suas atividades, em O ano de 2005, entretanto, marcou de forma especial a história da refinaria. O fato mais importante em termos do negócio foi o desenvolvimento da obra de Ampliação, que atingiu plenamente as metas previstas para o exercício. O empreendimento, iniciado no ano de 2001, baseia-se na construção de unidades que permitem utilizar petróleos nacionais, os quais são mais pesados e necessitam maiores etapas de processamento para a produção de derivados. O investimento realizado em 2005 alcançou R$ 838 milhões, com a entrada em operação de duas novas unidades, a Unidade de Geração de Hidrogênio (UGH) e a Unidade de Hidrotratamento de Óleo Diesel (UHDT), juntamente com os sistemas auxiliares. Tiveram continuidade as montagens eletromecânicas da Unidade de Craqueamento Catalítico Fluido de Resíduo (URFCC) e da Unidade de Recuperação de Enxofre (URE) e Unidade de Coqueamento (UCR). As Unidades de Geração de Hidrogênio e de Hidrotratamento de Óleo Diesel 12

14 nossa empresa Projeto Novos Rumos Projeto Novos Rumos em 2005 Eventos Acumulado 2005 Trabalhadores cadastrados 1959 Vagas captadas junto às empresas 65 Encaminhamento de trabalhadores a empregos 142 Trabalhadores colocados 44 Entrevistas - Intervenções junto às empresas 1 Certificados emitidos 1321 O padrão de crescimento e qualidade das obras de ampliação foi atingido graças a um esforço conjunto de pessoas, empregados de dezenas de empresas contratadas para a realização da obra, sendo um grande número de empresas gaúchas. Com o término de uma importante etapa da Ampliação previsto para o final de 2005, a Refap tomou a iniciativa de criar o Projeto Novos Rumos, voltado especificamente para a redução do impacto social que a desmobilização daquele contingente representaria, bem como contribuir na recolocação profissional dos empregados das empresas contratadas que estavam finalizando suas funções na gigantesca obra. A ação está alinhada com a política de responsabilidade social da Refap, que procura antecipar-se na busca de caminhos e oportunidades para profissionais capacitados. A iniciativa, pioneira no Sistema Petrobras, teve início no mês de outubro com o acompanhamento do andamento de cada contrato, abrindo um canal de comunicação com as empresas e com os empregados, analisando e atuando previamente para evitar possíveis pendências. O projeto estabeleceu, também, uma parceria com órgãos oficiais, como a FGTAS (Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social), ligada ao SINE (Sistema Nacional de Emprego), buscando a recolocação dos traba- A entrega do certificado representou o reconhecimento aos profissionais e melhores oportunidades no mercado de trabalho lhadores em outras obras da região. Faz parte ainda da iniciativa o reconhecimento aos trabalhadores que atuaram no empreendimento e que se destacaram no atendimento dos requisitos de Segurança, Saúde e Meio Ambiente, atestando seu comprometimento e facilitando sua permanência no mercado de trabalho. O Projeto Novos Rumos tem continuidade durante o ano de Reconhecimento A Refap recebeu em 2005 o reconhecimento de diversas instituições em função de sua atuação e postura empresarial. O Troféu Marcas e Líderes premiou a atuação da Refap em quatro categorias: Empresa que os canoenses gostariam de trabalhar, Empresa com a cara de Canoas, Empresa que mais se destaca fora da cidade e Empresa que mais desperta orgulho no canoense. O troféu é concedido pela Câmara da Indústria, Comércio e Serviços de Canoas, Ulbra - Universidade Luterana do Brasil e Jornal Diário de Canoas, e revela a identificação da empresa com a comunidade e seu compromisso com o desenvolvimento do município e da região. A Revista Expressão concedeu à Refap o Prêmio Destaque em Gestão Social na 2ª Pesquisa de Responsabilidade Social Empresarial da Região Sul, por ter obtido classificação máxima em pelo menos quatro dos sete indicadores: Valores, Transparência e Governança, Público Interno, Meio Ambiente, Fornecedores, Consumidores e Clientes, Comunidade, Governo e Sociedade. A pesquisa é adotada pelo Instituto Ethos como base de dados da região Sul e publicada no Anuário Expressão de Gestão Social. 14

15 O sistema de valores que rege a Refap, como ela se relaciona com seus vários públicos e os esforços no sentido de aprimorar este relacionamento. valores e transparência

16 valores e transparência Compromisso que se renova A importância de um sistema econômico sustentável, preocupação quase exclusiva para as empresas e mesmo governos até o início dos anos 60, expandiuse com a proximidade do século 21, embalada por desastres sociais e ambientais. Com a entrada em cena do movimento ambientalista, com as recém-formadas organizações de defesa de consumidores, com a nova voz que a sociedade passava a conquistar nos modernos meios de comunicação, firmou-se a compreensão da necessidade de estabelecer limites e critérios para a atuação das empresas e de sua interação com governos e sociedade. Códigos de Ética e Conduta, que revelam a transparência das relações da empresa com todos os públicos, e uma governança corporativa equilibrada e íntegra são hoje elementos fundamentais para a própria sustentabilidade do negócio. Atestando este novo momento, a Lei Sarbanes- Oxley (assim chamada em função dos legisladores que a criaram, Paul Sarbanes e Michael Oxley) foi aprovada em janeiro de 2002 pelo Congresso dos Estados Unidos, em resposta aos escândalos provocados pelas fraudes corporativas de gigantes como Enron e WorldCom. A lei, sancionada em julho daquele ano pelo presidente George W. Bush, apresenta novas responsabilidades e sanções aos administradores de empresas listadas na Bolsa de Valores de Nova York. A medida afetou também empresas estrangeiras que negociavam ações naquela Bolsa caso da Petrobras e influenciou o processo de revalidação do código de ética do Sistema Petrobras, que começou em A Refap, como empresa-membro do sistema Petrobras, utiliza seu Código de Ética desde que foi criado, em Aquele primeiro documento passou Material elaborado para o processo de revisão do Código de Ética foi distribuído aos participantes 16

17 por um alinhamento estratégico em 2002, no qual ocorreu a inclusão do Direito de Recusa e Assédio Moral e também de questões relacionadas ao uso do correio eletrônico, vazamento de informações e relacionamento dos funcionários com a imprensa. Em 2005, com a Revisão do Código de Ética e Formalização do Sistema de Gestão da Ética, as empresas componentes do sistema Petrobras deram um passo importante na construção de um documento formal, composto por Princípios Éticos e Código de Conduta. O processo de revisão reuniu representantes das empresas-membro do sistema Petrobras e teve início em julho. Durante vários meses, um grupo de trabalho formado por representantes das empresas do sistema reuniu-se sistematicamente, apoiados pelo filósofo e educador Alípio Casali, da PUC de São Paulo, para estudar e debater os dilemas éticos da empresa e apontar caminhos e sugestões. Seminários de sensibilização com funcionários foram realizados em todas as empresas do sistema, somando aproximadamente 560 participantes em 16 eventos realizados durante o ano. Na Refap, o evento ocorreu em dezembro, com a participação de mais de 20 pessoas de diversas áreas. Ao final de 2005, mais de mil sugestões foram contabilizadas, apoiando a construção de uma Minuta de Código de Ética do Sistema Petrobras, cuja aprovação deverá ocorrer até meados de A Minuta compõe-se de Princípios Éticos do Sistema Petrobras; Compromissos de Conduta do Sistema Petrobras, estes subdivididos em Exercício da Governança Corporativa, Relação da Empresa com Empregados, Relação dos Empregados com a Empresa, Relação com Fornecedores, Prestadores de Serviços e Estagiários, Relação com Clientes e Consumidores, Relação com o Meio Ambiente e demonstração de responsabilidade com as gerações futuras, Relação com as Comunidades, Relação com a Sociedade, Governo e Estado. Um momento importante, creio que para toda a empresa, foi a decisão de revisar e qualificar o Código de Ética da Petrobras, que aconteceu em Foram muitas reuniões, onde debatemos dilemas éticos e pudemos compreender a importância, tanto para as pessoas quanto para a empresa, de se ter clareza a respeito do que é e não é ético. Gilnei de Oliveira assistente técnico de administração da Refap, representou a empresa no Comitê de Revisão do Código de Ética A empresa precisa ter isso muito bem definido, para poder se relacionar com seus públicos e disseminar para seus funcionários e também para os contratados, toda a força de trabalho. A ética deve nortear as ações da empresa, inclusive seu planejamento estratégico, e permear toda a organização. 17

18 As pessoas que fazem a refinaria, a política de recursos humanos: benefícios, saúde, capacitação, segurança. O Programa de Qualidade de Vida no Trabalho. público interno

19 A força humana da Refap No momento em que o empregado entra pela primeira vez na área da Alberto Pasqualini Refap S.A., tem início uma relação mútua de respeito e conhecimento, que será estimulada durante o período de integração do novo membro à força de trabalho na Refap denominado de Ambientação e fortalecida no decorrer do tempo. Isso se dá em função do sistema de gestão de pessoas desenvolvido pela gerência de Recursos Humanos, focado em propiciar à empresa pessoas saudáveis, bem treinadas e em plenas condições de cumprir com seu papel funcional e atuar ativamente em prol de seu próprio aperfeiçoamento e de seu grupo. De fato, diversos programas desenvolvidos pela gerência de Recursos Humanos atestam o esforço multifacetado para atender às necessidades da força de trabalho Refap, envolvendo a capacitação e o aperfeiçoamento profissional, o bem-estar pessoal e familiar, a saúde, a segurança, a melhoria da qualidade de vida de forma geral. Apoiando essa postura, a Política do Sistema de Gestão Integrada de Qualidade, Segurança, Meio Ambiente e Saúde estabelece os princípios através dos quais a empresa reitera, fortalece e garante que o trabalho é realizado em um ambiente seguro, favorável ao desenvolvimento pessoal e profissional de todos. Participação feminina cresce na refinaria A força de trabalho Refap No ano de 2005, a força de trabalho foi acrescida de 79 novos empregados efetivos, além de contratados ou terceiros e estagiários. O quadro funcional total ficou distribuído conforme a tabela abaixo. Apesar de ainda constituir uma pequena porção do universo de empregados da Refap, o número de mulheres teve um aumento de 23,5% em 2005 com relação a 2004, enquanto o número de homens cresceu 8%. As mulheres em quadro gerencial, em número de 13 no ano de 2005, representaram 15% do total de pessoas em cargos de gerência. Quantidade de empregados Absoluto % Absoluto % Quantidade de efetivos , ,7 Quantidade de contratados / terceiros , ,6 Quantidade de estagiários e menores aprendizes 9 0,8 9 0,8 Total da força de trabalho

20 público interno Área de alimentação ampla e agradável serve três refeições diárias Empregados por sexo/idade Homens 11,6% 9,5% 0,7% 30% 9,7% 38,6% Mulheres 0,9% 5% 21% 10,1% de 18 a 25 anos de 26 a 30 anos de 31 a 40 anos de 41 a 50 anos de 51 a 60 anos acima de 61 anos de 18 a 25 anos de 26 a 30 anos de 31 a 40 anos Com relação à faixa etária dos empregados, vemos que a Refap tem um posicionamento de valorização dos profissionais acima dos 45 anos 26,3% do total em De fato, 76,7% dos empregados efetivos da refinaria encontram-se entre 41 e 60 anos de idade, conforme se observa no quadro nesta página. Aproximadamente 88 mil horas de treinamento foram realizadas em 2005, particularmente para a operação das novas unidades da Ampliação, indicativos do comprometimento com a qualificação profissional e a valorização das pessoas que são o espírito da Refap. Dentro dos programas de educação, estão também cursos específicos, como Mestrado, MBA e Pós-Graduação, Inglês, Treinamentos em Segurança, Programa de Trainees, entre outros. O investimento nesta área alcançou R$ 1,9 milhão, superando os números realizados nos anos de 2003 e 2004, conforme o quadro a seguir. 29,7% 34,5% de 41 a 50 anos de 51 a 60 anos acima de 61 anos Segurança O número de acidentes vem apresentando um 20

21 Quantidade de empregados efetivos por escolaridade Absoluto % Absoluto % Analfabeto - - Fundamental Incompleto 4 0,6 4 0,5 Fundamental Completo 10 1,5 10 1,3 Médio Incompleto 3 0,4 2 0,3 Médio Completo , ,8 Superior Incompleto ,8 Superior Completo , ,4 Pós-graduação (lato-stricto sensu) 5 0,7 34 4,7 Total Horas de educação e treinamento Absoluto % Absoluto % Absoluto % Quantidade total de horas de treinamento Percentual de incremento de 2004 sobre ,6 Percentual de incremento de 2005 sobre ,7 Percentual de incremento de 2005 sobre ,6 Investimento em treinamento e desenvolvimento (em reais) , , ,00 Segurança e saúde ocupacional dos empregados efetivos Abssoluto Absoluto Absoluto Número de acidentes com afastamento Número de acidentes sem afastamento Total de acidentes % sobre o número de colaboradores efetivos 3,5% 3,1% 2% padrão decrescente desde o ano de Na realidade, a taxa de freqüência de acidentes foi reduzida para um terço do que era há seis anos, conforme a tabela Segurança e saúde ocupacional dos empregados efetivos. A Refap foi pioneira na criação dos indicadores Auditorias Comportamentais (que apontam as horas de auditoria realizadas mensalmente pelos auditores), do Índice de Ato Seguro (IAS) e do Pró-Ativo (procedimentos aplicados e sua repercussão), abrindo caminho para que outras refinarias também os adotassem. Capacitação em 2005 manteve níveis de participação e excelência 21

FUNDAMENTOS DA GESTÃO

FUNDAMENTOS DA GESTÃO A Ultrapar realizou em 2011 um programa de comunicação e disseminação do tema sustentabilidade entre seus colaboradores, com uma série de iniciativas voltadas para o engajamento e treinamento das pessoas.

Leia mais

FUNDAMENTOS DA GESTÃO

FUNDAMENTOS DA GESTÃO Um dos pilares da Ultrapar está no virtuoso relacionamento que a companhia mantém com os diferentes públicos, graças a uma política baseada na ética, na transparência e no compartilhamento de princípios,

Leia mais

A gestão das empresas estatais: contribuições para agências governamentais. Augusto José Mendes Riccio Gerente de Práticas de Gestão Petrobras

A gestão das empresas estatais: contribuições para agências governamentais. Augusto José Mendes Riccio Gerente de Práticas de Gestão Petrobras A gestão das empresas estatais: contribuições para agências governamentais Augusto José Mendes Riccio Gerente de Práticas de Gestão Petrobras Visão e Missão da Petrobras Visão 2020 Ser uma das cinco maiores

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Política de Sustentabilidade Síntese O Compromisso ALIANSCE para a Sustentabilidade demonstra o nosso pacto com a ética nos negócios, o desenvolvimento das comunidades do entorno de nossos empreendimentos,

Leia mais

Mensagem da Diretoria

Mensagem da Diretoria Balanço Social 2013 Mensagem da Diretoria Em 2013 as Empresas Rio Deserto completaram 95 anos de atividades. Somos uma das empresas mais antigas da região Sul de Santa Catarina, mas não podemos ser chamadas

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA PI.001.00000000 A - 04 de Junho de 2014

CÓDIGO DE ÉTICA PI.001.00000000 A - 04 de Junho de 2014 CÓDIGO DE ÉTICA PI.001.00000000 A - 04 de Junho de 2014 PALAVRA DA DIRETORIA Apresentamos, com muito prazer, o do Grupo Galvão, que foi elaborado de maneira participativa com representantes dos colaboradores

Leia mais

Reflexões sobre a Ética em Empresas de Tecnologia O Caso Petrobras. Heitor Chagas de Oliveira Gerente Executivo Recursos Humanos

Reflexões sobre a Ética em Empresas de Tecnologia O Caso Petrobras. Heitor Chagas de Oliveira Gerente Executivo Recursos Humanos Reflexões sobre a Ética em Empresas de Tecnologia O Caso Petrobras Heitor Chagas de Oliveira Gerente Executivo Recursos Humanos Sustentabilidade e Competitividade SUSTENTABILIDADE pode ser entendida como

Leia mais

Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada

Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada Revisão 02 Manual MN-01.00.00 Requisito Norma ISO 14.001 / OHSAS 18001 / ISO 9001 4.4.4 Página 1 de 14 Índice 1. Objetivo e Abrangência 2. Documentos Referenciados

Leia mais

Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores e Sustentabilidade. Augusto Riccio Coordenador de Organização Gestão &Governança

Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores e Sustentabilidade. Augusto Riccio Coordenador de Organização Gestão &Governança Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores e Sustentabilidade Augusto Riccio Coordenador de Organização Gestão &Governança Destaques Petrobras --------------------------------------------------------------------------

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015

PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015 PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015 Líderes : Autores do Futuro Ser líder de um movimento de transformação organizacional é um projeto pessoal. Cada um de nós pode escolher ser... Espectador,

Leia mais

Regulamento do Prêmio Petrobras SMES - IV Edição

Regulamento do Prêmio Petrobras SMES - IV Edição Regulamento do Prêmio Petrobras SMES - IV Edição A atitude sustentável faz a diferença! 1. Apresentação Ser sustentável é agir a favor da vida, da dignidade humana, da sobrevivência de todos os seres vivos,

Leia mais

Diretrizes de Governança Corporativa

Diretrizes de Governança Corporativa Diretrizes de Governança Corporativa DIRETRIZES DE GOVERNANÇA CORPORATIVA DA BM&FBOVESPA Objetivo do documento: Apresentar, em linguagem simples e de forma concisa, o modelo de governança corporativa da

Leia mais

10 ANOS DO PROGRAMA COMUNITÁRIO PETROBRAS/REVAP.

10 ANOS DO PROGRAMA COMUNITÁRIO PETROBRAS/REVAP. POP: Prêmio Nacional de Relações Públicas Categoria: Relações Públicas e Responsabilidade Social Profissional: Aislan Ribeiro Greca Empresa: Petrobras 10 ANOS DO PROGRAMA COMUNITÁRIO PETROBRAS/REVAP. 2008

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO

CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO invepar índice Apresentação Visão, Missão, Valores Objetivos Princípios Básicos Pág. 4 Pág. 6 Pág. 7 Pág. 8 Abrangência / Funcionários Empresas do Grupo Sociedade / Comunidade

Leia mais

PROPOSTA PARA O AVANÇO DO MODELO DE GESTÃO DA SABESP

PROPOSTA PARA O AVANÇO DO MODELO DE GESTÃO DA SABESP ASSOCIAÇÃO DOS PROFISSIONAIS UNIVERSITÁRIOS DA SABESP PROPOSTA PARA O AVANÇO DO MODELO DE GESTÃO DA SABESP OUTUBRO, 2002 ASSOCIAÇÃO DOS PROFISSIONAIS UNIVERSITÁRIOS DA SABESP - APU INTRODUÇÃO A Associação

Leia mais

PRINCIPAIS NORTEADORES ESTRATÉGICOS DA UNIMED VALE DAS ANTAS/RS.

PRINCIPAIS NORTEADORES ESTRATÉGICOS DA UNIMED VALE DAS ANTAS/RS. UNIMED VALE DAS ANTAS, RS - COOPERATIVA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE LTDA Ramo: Cooperativa Médica de Serviços de Saúde Período de Relato: de 27/02/2014 a 24/02/2015 E-mail: rh@valedasantas.unimed.com.br / gerencia@valedasantas.unimed.com.br

Leia mais

PROGRAMA DE ADOÇÃO DE PRINCÍPIOS SOCIOAMBIENTAIS

PROGRAMA DE ADOÇÃO DE PRINCÍPIOS SOCIOAMBIENTAIS A Copagaz A Copagaz, primeira empresa do Grupo Zahran, iniciou suas atividades em 1955 distribuindo uma tonelada de Gás Liquefeito de Petróleo - GLP por dia nos estados de São Paulo, Mato Grosso e Mato

Leia mais

ABNT NBR 16001:2004 Os Desafios e Oportunidades da Inovação

ABNT NBR 16001:2004 Os Desafios e Oportunidades da Inovação ABNT NBR 16001:2004 Os Desafios e Oportunidades da Inovação A Dinâmica da Terra é uma empresa onde o maior patrimônio é representado pelo seu capital intelectual. Campo de atuação: Elaboração de estudos,

Leia mais

Código. de Conduta do Fornecedor

Código. de Conduta do Fornecedor Código de Conduta do Fornecedor 03/2014 Índice 1. Considerações... 03 2. Decisões... 04 3. Diretrizes... 05 3.1. Quanto à Integridade nos Negócios... 05 3.2. Quanto aos Direitos Humanos Universais... 06

Leia mais

VI Reunião Técnica Internacional de FAEDPYME Nicarágua 08 a 10 de Maio de 2013

VI Reunião Técnica Internacional de FAEDPYME Nicarágua 08 a 10 de Maio de 2013 Comentários de Peter Hansen sobre interação Universidade- Empresa no Brasil e Experiências Práticas. VI Reunião Técnica Internacional de FAEDPYME Nicarágua 08 a 10 de Maio de 2013 Apresentação Prof. Peter

Leia mais

ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE INCLUSIVA EM CURITIBA. Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura Municipal de Curitiba

ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE INCLUSIVA EM CURITIBA. Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura Municipal de Curitiba ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE EDUCACAO INFANTIL INCLUSIVA EM CURITIBA VEJA COMO SUA EMPRESA PODE TRANSFORMAR ESTA IDEIA EM REALIDADE { Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura

Leia mais

BEM-VINDO AO BALANÇO SOCIAL 2009. TEMOS A SATISFAÇÃO DE MOSTRAR A VOCÊ NOSSAS AÇÕES SÓCIO-AMBIENTAIS E SEUS RESULTADOS NO ÚLTIMO ANO.

BEM-VINDO AO BALANÇO SOCIAL 2009. TEMOS A SATISFAÇÃO DE MOSTRAR A VOCÊ NOSSAS AÇÕES SÓCIO-AMBIENTAIS E SEUS RESULTADOS NO ÚLTIMO ANO. 29 Balanço Social BEMVINDO AO BALANÇO SOCIAL 29. TEMOS A SATISFAÇÃO DE MOSTRAR A VOCÊ NOSSAS AÇÕES SÓCIOAMBIENTAIS E SEUS RESULTADOS NO ÚLTIMO ANO. Aproveitamos para compartilhar a notícia de que pelo

Leia mais

ÊNFASE EM GESTÃO DE EMPRESAS DE PETRÓLEO & GÁS

ÊNFASE EM GESTÃO DE EMPRESAS DE PETRÓLEO & GÁS MBA DESENVOLVIMENTO AVANÇADO DE EXECUTIVOS ÊNFASE EM GESTÃO DE EMPRESAS DE PETRÓLEO & GÁS O MBA Desenvolvimento Avançado de Executivos possui como característica atender a um mercado altamente dinâmico

Leia mais

P.A.M. PLANO DE AUXÍLIO MÚTUO BETIM- IBIRITÉ - MG

P.A.M. PLANO DE AUXÍLIO MÚTUO BETIM- IBIRITÉ - MG P.A.M. PLANO DE AUXÍLIO MÚTUO BETIM- IBIRITÉ - MG 2º SIBRADEN - Simpósio Brasileiro de Desastres Naturais e Tecnológicos 09 a 13 de Dezembro de 2007 Santos - SP Viver é negócio muito perigoso... Guimarães

Leia mais

Relatório Sócio Ambiental 2015/2016 Desempenho Sócio Ambiental

Relatório Sócio Ambiental 2015/2016 Desempenho Sócio Ambiental Desempenho Sócio Ambiental Revisão: Agosto de 2015 1 Índice 1. Apresentando a quantiq... 3 2. Política Integrada de Gestão... 3 3. Partes Interessadas... 4 4. Resultados de Auditoria Externa Gestão Ambiental...

Leia mais

CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS

CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS APRESENTAÇÃO Em Dezembro de 2004 por iniciativa da Federação das Indústrias do Estado do Paraná o CPCE Conselho Paranaense de Cidadania Empresarial nasceu como uma organização

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Publicado em: 27/02/2015 Válido até: 26/02/2020 Política de Responsabilidade Socioambiental 1. SUMÁRIO 2 2. OBJETIVO 2 3. ABRANGÊNCIA 2 4. IMPLEMENTAÇÃO 2 5. DETALHAMENTO 2 5.1. Definições 3 5.2. Envolvimento

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA Vitória, ES Janeiro 2010. 1ª Revisão Janeiro 2011. 2ª Revisão Janeiro 2012. POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DA REDE GAZETA IDENTIDADE CORPORATIVA Missão

Leia mais

PRINCÍPIOS E NORMAS DE CONDUTA EMPRESARIAL NA RELAÇÃO DE FURNAS COM SEUS FORNECEDORES

PRINCÍPIOS E NORMAS DE CONDUTA EMPRESARIAL NA RELAÇÃO DE FURNAS COM SEUS FORNECEDORES PRINCÍPIOS E NORMAS DE CONDUTA EMPRESARIAL NA RELAÇÃO DE FURNAS COM SEUS FORNECEDORES Outubro/2009 1/8 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. ABRANGÊNCIA 3. OBJETIVOS 4. CÓDIGO DE CONDUTA EMPRESARIAL 4.1 NORMAS DE CONDUTA

Leia mais

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial.

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. visão, missão e valores corporativos visão Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. MISSÃO O Grupo Gerdau é uma Organização empresarial focada em siderurgia, com a missão de satisfazer

Leia mais

Perguntas e Respostas Prêmio Petrobras SMES IV Edição

Perguntas e Respostas Prêmio Petrobras SMES IV Edição Perguntas e Respostas Prêmio Petrobras SMES IV Edição 1. Qual o objetivo do Prêmio Petrobras SMES IV Edição? O Prêmio Petrobras SMES IV Edição tem por objetivo estimular a força de trabalho da Companhia

Leia mais

Acordo de Acionistas. Corporativa da CPFL Energia S.A. Atual Denominação Social da Draft II Participações S.A.

Acordo de Acionistas. Corporativa da CPFL Energia S.A. Atual Denominação Social da Draft II Participações S.A. Acordo de Acionistas Diretrizes da CPFL de Energia Governança S.A. Corporativa da CPFL Energia S.A. Atual Denominação Social da Draft II Participações S.A. 1 Sumário I Introdução 3 II Estrutura Corporativa

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

Universidade. Estácio de Sá. Gestão e Negócios

Universidade. Estácio de Sá. Gestão e Negócios Universidade Estácio de Sá Gestão e Negócios A Estácio Hoje reconhecida como a maior instituição particular de ensino superior do país, a Universidade Estácio de Sá iniciou suas atividades em 1970, como

Leia mais

Raízen Combustíveis S.A.

Raízen Combustíveis S.A. Balanço patrimonial consolidado e condensado (Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) Ativo 30.06.2014 31.03.2014 Passivo 30.06.2014 31.03.2014 Circulante Circulante Caixa e equivalentes

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 Instituto Lojas Renner Instituto Lojas Renner Promover a inserção de mulheres no mercado de trabalho por meio de projetos de geração de renda é o objetivo do Instituto Lojas

Leia mais

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades;

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades; POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE OBJETIVO Esta Política tem como objetivos: - Apresentar as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente as inovações

Leia mais

PLANO SUPLEMENTAR. Material Explicativo Plano Suplementar 1

PLANO SUPLEMENTAR. Material Explicativo Plano Suplementar 1 PLANO SUPLEMENTAR Material Explicativo 1 Introdução A CitiPrevi oferece planos para o seu futuro! Recursos da Patrocinadora Plano Principal Benefício Definido Renda Vitalícia Programa Previdenciário CitiPrevi

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) A CONCERT Technologies S.A. prioriza a segurança de seus Colaboradores, Fornecedores,

Leia mais

RELATÓRIO DA GESTÃO 2014

RELATÓRIO DA GESTÃO 2014 1 Senhores Associados: RELATÓRIO DA GESTÃO 2014 Temos a satisfação de apresentar o Relatório da Gestão e as Demonstrações Contábeis da CREDICOAMO Crédito Rural Cooperativa, relativas às atividades desenvolvidas

Leia mais

Código de Ética e Conduta do grupo Invepar

Código de Ética e Conduta do grupo Invepar Código de Ética e Conduta do grupo Invepar Edição: agosto/2014 1 ÍNDICE Visão, Missão e Valores 6 Fornecedores e prestadores de serviço 14 Objetivos 7 Brindes, presentes e entretenimento 15 Princípios

Leia mais

Indicadores de Evolução das Pequenas Empresas Pós Capacitação para Fornecimento à CPP&G.

Indicadores de Evolução das Pequenas Empresas Pós Capacitação para Fornecimento à CPP&G. Indicadores de Evolução das Pequenas Empresas Pós Capacitação para Fornecimento à CPP&G. Educação Empreendedora Consultoria Gestão Inovação Resultados 07/08/2014 0800 570 0800 / www.sebrae-rs.com.br Instituições

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

6.2.2 RISCO SOCIOAMBIENTAL NA CONCESSÃO DE CRÉDITO 6.3 RELACIONAMENTO COM FUNCIONÁRIOS E COLABORADORES

6.2.2 RISCO SOCIOAMBIENTAL NA CONCESSÃO DE CRÉDITO 6.3 RELACIONAMENTO COM FUNCIONÁRIOS E COLABORADORES Índice 1. INTRODUÇÃO 2. PARTES INTERESSADAS. NORMATIVOS. ESTRUTURA DE GOVERNANÇA. PRINCÍPIOS 6. DIRETRIZES 6.1 NORMATIZAÇÃO 6.2 GERENCIAMENTO DO RISCO SOCIOAMBIENTAL 6.2.1 RISCO SOCIOAMBIENTAL DA INSTITUIÇÃO

Leia mais

FILOSOFIA EMPRESARIAL

FILOSOFIA EMPRESARIAL FILOSOFIA EMPRESARIAL FILOSOFIA EMPRESARIAL Bebidas S/A Troféu Prata FILOSOFIA EMPRESARIAL MISSÃO SACIAR NATURALMENTE A SEDE DOS GAÚCHOS. Bebidas S/A Troféu Prata FILOSOFIA EMPRESARIAL VISÃO QUEREMOS SER

Leia mais

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 Critérios Descrições Pesos 1. Perfil da Organização Breve apresentação da empresa, seus principais produtos e atividades, sua estrutura operacional

Leia mais

fazem bem e dão lucro

fazem bem e dão lucro Melhores práticas de fazem bem e dão lucro Banco Real dá exemplo na área ambiental e ganha reconhecimento internacional Reunidos em Londres, em junho deste ano, economistas e jornalistas especializados

Leia mais

Norma Permanente 4.1. GOVERNANÇA E GESTÃO 4.2. PRINCÍPIOS 4.3. INVESTIMENTO SOCIAL PRIVADO E INCENTIVADO

Norma Permanente 4.1. GOVERNANÇA E GESTÃO 4.2. PRINCÍPIOS 4.3. INVESTIMENTO SOCIAL PRIVADO E INCENTIVADO Resumo: Reafirma o comportamento socialmente responsável da Duratex. Índice 1. OBJETIVO 2. ABRANGÊNCIA 3. DEFINIÇÕES 3.1. PARTE INTERESSADA 3.2. ENGAJAMENTO DE PARTES INTERESSADAS 3.3. IMPACTO 3.4. TEMAS

Leia mais

4 O CASO PETROBRAS 4.1 HISTÓRICO DA PETROBRAS

4 O CASO PETROBRAS 4.1 HISTÓRICO DA PETROBRAS 4 O CASO PETROBRAS 4.1 HISTÓRICO DA PETROBRAS A Petrobras foi criada em 3 de outubro de 1953, pela Lei 2.004, assinada pelo então presidente Getúlio Vargas, em meio a um ambiente de descrédito em relação

Leia mais

Índice. 4. Princípios Os seguintes princípios norteiam as ações de Responsabilidade Socioambiental da Chevrolet Serviços Financeiros.

Índice. 4. Princípios Os seguintes princípios norteiam as ações de Responsabilidade Socioambiental da Chevrolet Serviços Financeiros. Índice 1. Objetivo... 1 2. Escopo e Partes Afetadas... 1 3. Definições... 1 4. Princípios... 1 5. Objetivos, metas e programas... 2 6. Papéis e Responsabilidades... 5 7. Regulamentação Aplicável... 6 1.

Leia mais

GUIA DE RECEBIMENTO E OFERECIMENTO DE PRESENTES, BRINDES, HOSPITALIDADE E CONTRAPARTIDAS DE PATROCÍNIO

GUIA DE RECEBIMENTO E OFERECIMENTO DE PRESENTES, BRINDES, HOSPITALIDADE E CONTRAPARTIDAS DE PATROCÍNIO GUIA DE RECEBIMENTO E OFERECIMENTO DE PRESENTES, BRINDES, HOSPITALIDADE E CONTRAPARTIDAS DE PATROCÍNIO (Síntese adaptada do normativo interno PG-0V1-00034-0 Guia de Recebimento e Oferecimento de Presentes,

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE NAS ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTOS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO

SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE NAS ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTOS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE NAS ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTOS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Valério da Silva Ramos (*) Administrador de Empresas, pós-graduado em Gestão Econômica e Financeira

Leia mais

Valores Pessoas; Trabalho em Equipe; Conduta Ética; Orientação ao Cliente; Orientação a Resultados; Inovação; e Comunidade e Meio Ambiente.

Valores Pessoas; Trabalho em Equipe; Conduta Ética; Orientação ao Cliente; Orientação a Resultados; Inovação; e Comunidade e Meio Ambiente. CÓDIGO DE ÉTICA EMPRESARIAL 1 INTRODUÇÃO O Código de Ética Empresarial da COELCE, apresenta os princípios direcionadores das políticas adotadas pela empresa e que norteiam as ações e relações com suas

Leia mais

PRÊMIO GLP DE INOVAÇÃO E TECNOLOGIA. *Edição 2013*

PRÊMIO GLP DE INOVAÇÃO E TECNOLOGIA. *Edição 2013* PRÊMIO GLP DE INOVAÇÃO E TECNOLOGIA *Edição 2013* Participante: Cia Ultragaz S.A. Categoria: Infraestrutura Título Ultragaz na busca da excelência da Gestão Ultragaz na Busca da Excelência da Gestão Uma

Leia mais

Atuação Responsável. Programa. Requisitos do Sistema de Gestão. 20 anos do Atuação Responsável no Brasil. Responsável 1992-2012

Atuação Responsável. Programa. Requisitos do Sistema de Gestão. 20 anos do Atuação Responsável no Brasil. Responsável 1992-2012 Atuação Responsável anos 1992-2012 Programa Atuação Responsável 20 anos do Atuação Responsável no Brasil Requisitos do Sistema de Gestão Associação Brasileira da Indústria Química Associação Brasileira

Leia mais

Ficha de Inscrição do 17º Prêmio Expressão de Ecologia

Ficha de Inscrição do 17º Prêmio Expressão de Ecologia Ficha de Inscrição do 17º Prêmio Expressão de Ecologia OBS: Apresentação obrigatória na primeira página do case Informações cadastrais a) Identificação: empresa b) Nome: Borachas Vipal S/A c) Setor/Atividades:

Leia mais

Experiência: Projeto Rede Nacional de Agentes de Comércio Exterior Redeagentes

Experiência: Projeto Rede Nacional de Agentes de Comércio Exterior Redeagentes Experiência: Projeto Rede Nacional de Agentes de Comércio Exterior Redeagentes Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior em parceria com o Ministério do Trabalho e Emprego (através do

Leia mais

Fundos de Investimento - FIP Característica RSA

Fundos de Investimento - FIP Característica RSA Nome BB Referenciado DI Social 50 BB Multimercado Balanceado LP Jovem BB Ações ISE Jovem Nome Fundos de Investimento - RSA 50% da taxa de administração é repassado à Fundação Banco do Brasil 20% da taxa

Leia mais

Fundação Dom Cabral EDUCAÇÃO DE LIDERANÇAS PARA A SUSTENTABILIDADE (ELS)

Fundação Dom Cabral EDUCAÇÃO DE LIDERANÇAS PARA A SUSTENTABILIDADE (ELS) Fundação Dom Cabral Ritual de Passagem: A Educação de Lideranças para a Sustentabilidade INSTRUMENTO PARA AVALIAÇÃO ALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO DE LIDERANÇAS PARA A SUSTENTABILIDADE (ELS) Prof. Raimundo Soares

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE LEVANTAMENTO DE INFORMAÇÕES

QUESTIONÁRIO DE LEVANTAMENTO DE INFORMAÇÕES QUESTIONÁRIO DE LEVANTAMENTO DE INFORMAÇÕES CRITÉRIOS PARA INCLUSÃO DE EMPRESAS NOS FUNDOS ETHICAL - 16 - PARTE A DESEMPENHO NA ÁREA AMBIENTAL (GRUPO 1: ESTRUTURA DA ÁREA DE GESTÃO AMBIENTAL) A1. A gestão

Leia mais

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014 #5 EMPREENDEDORISMO Outubro de 2014 ÍNDICE 1. Apresentação 2. Definição 3. Empreendedorismo: necessidade ou oportunidade? 4. Características do comportamento empreendedor 5. Cenário brasileiro para o empreendedorismo

Leia mais

Índice. Missão, Visão, Valores e Princípios Objetivo Aplicabilidade Organização Interna Relacionamento Externo

Índice. Missão, Visão, Valores e Princípios Objetivo Aplicabilidade Organização Interna Relacionamento Externo Código de Conduta Índice Missão, Visão, Valores e Princípios Objetivo Aplicabilidade Organização Interna Relacionamento Externo 3 4 5 6 9 Missão, Visão, Valores e Princípios Missão Visão Princípios Valores

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

BDMG. Semana Mineira de Redução de Resíduos. Instrumentos Financeiros para Redução de Resíduos

BDMG. Semana Mineira de Redução de Resíduos. Instrumentos Financeiros para Redução de Resíduos BDMG Semana Mineira de Redução de Resíduos Instrumentos Financeiros para Redução de Resíduos Novembro de 2010 BDMG Desenvolvimento, inclusão social e sustentabilidade Perfil do BDMG Fundação: Lei Estadual

Leia mais

PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS

PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS Gestão de Administração e Finanças Gerência de Desenvolvimento Humano e Responsabilidade Social Junho/2014 Desenvolvimento Sustentável Social Econômico

Leia mais

BIODIESEL. O NOVO COMBUSTÍVEL DO BRASIL.

BIODIESEL. O NOVO COMBUSTÍVEL DO BRASIL. Folder final 12/4/04 2:45 AM Page 1 BIODIESEL. O NOVO COMBUSTÍVEL DO BRASIL. PROGRAMA NACIONAL DE PRODUÇÃO E USO DO BIODIESEL Folder final 12/4/04 2:45 AM Page 2 BIODIESEL. A ENERGIA PARA O DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Fundação Libertas. Nova denominação da entidade. Manual de Governança Corporativa

Fundação Libertas. Nova denominação da entidade. Manual de Governança Corporativa Manual de Governança Corporativa Sumário 1. Definição.... Objetivo... 3. Da Contextualização da PREVIMINAS... 3.1. Arcabouço Legal e Regulatório... 3.. A Identidade da PREVIMINAS... A Filosofia Empresarial

Leia mais

Refinaria Duque de Caxias - REDUC

Refinaria Duque de Caxias - REDUC Refinaria Duque de Caxias - REDUC Refinarias no Brasil 239.000 *Considerando Processamento de GN e LGN, a carga passa a ser 267.300 bbl/dia. Refinaria Duque de Caxias - REDUC Localização : Duque de Caxias

Leia mais

CESTEC- CENTRO DE SERVIÇOS EM TECNOLOGIA E INOVAÇÃO DO GRANDE ABC

CESTEC- CENTRO DE SERVIÇOS EM TECNOLOGIA E INOVAÇÃO DO GRANDE ABC CESTEC- CENTRO DE SERVIÇOS EM TECNOLOGIA E INOVAÇÃO DO GRANDE ABC TERMO DE REFERÊNCIA Nº 013/2010 PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA PARA GESTÃO COMERCIAL E VENDAS Contatos Luiz Augusto Gonçalves

Leia mais

1º SEMESTRE 2º SEMESTRE

1º SEMESTRE 2º SEMESTRE 1º SEMESTRE 7ECO003 ECONOMIA DE EMPRESAS I Organização econômica e problemas econômicos. Demanda, oferta e elasticidade. Teoria do consumidor. Teoria da produção e da firma, estruturas e regulamento de

Leia mais

1. PRÁTICA EFICAZ DE GESTÃO EDUCACIONAL. 1.1. Histórico da Prática Eficaz

1. PRÁTICA EFICAZ DE GESTÃO EDUCACIONAL. 1.1. Histórico da Prática Eficaz Nome da Instituição: Universidade Feevale Segmento: IES - Instituições de Ensino Superior Categoria: Gestão Administrativa, de Pessoas ou Financeira Nome da Prática Eficaz de Gestão Educacional: Programa

Leia mais

Escritório Modelo da Faculdade de Diadema

Escritório Modelo da Faculdade de Diadema Escritório Modelo da Faculdade de Diadema Profª. Vânia Amaro Gomes Coordenação de Curso DIADEMA, 2015 Introdução Atualmente há uma grande dificuldade dos alunos egressos das Faculdades em obter emprego

Leia mais

A organização investe fortemente na capacitação de pessoas e na formação de profissionais capazes de atender aos desafios do crescimento acelerado

A organização investe fortemente na capacitação de pessoas e na formação de profissionais capazes de atender aos desafios do crescimento acelerado RELATÓRIO ANUAL GERDAU 27 65 COLABORADORES A organização investe fortemente na capacitação de pessoas e na formação de profissionais capazes de atender aos desafios do crescimento acelerado Ed Carlos Alves

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

Ementário e Bibliografia do curso de. Ciências Contábeis. Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04

Ementário e Bibliografia do curso de. Ciências Contábeis. Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04 01 - ADMINISTRAÇÃO Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04 Introdução à Administração. Antecedentes históricos da Administração. Escolas de Administração. Administração e suas perspectivas. Variáveis

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

SAÚDE E SEGURANÇA QUALIDADE DE VIDA CIPA 5 S SUSTENTABILIDADE SMS RESPONSABILIDA DE SOCIAL

SAÚDE E SEGURANÇA QUALIDADE DE VIDA CIPA 5 S SUSTENTABILIDADE SMS RESPONSABILIDA DE SOCIAL SAÚDE E SEGURANÇA QUALIDADE DE VIDA CIPA 5 S SUSTENTABILIDADE SMS RESPONSABILIDA DE SOCIAL Para REFLEXÃO Exemplo de aspectos ambientais significativos Descarga de efluentes líquidos Disposição de

Leia mais

INSTITUTO LOJAS RENNER

INSTITUTO LOJAS RENNER 2011 RELATÓRIO DE ATIVIDADES INSTITUTO LOJAS RENNER Instituto Lojas Renner Inserção de mulheres no mercado de trabalho, formação de jovens e desenvolvimento da comunidade fazem parte da essência do Instituto.

Leia mais

Conhecendo a Fundação Vale

Conhecendo a Fundação Vale Conhecendo a Fundação Vale 1 Conhecendo a Fundação Vale 2 1 Apresentação Missão Contribuir para o desenvolvimento integrado econômico, ambiental e social dos territórios onde a Vale atua, articulando e

Leia mais

Guia para Pré-Proposta FUMDEC Macaé

Guia para Pré-Proposta FUMDEC Macaé Guia para Pré-Proposta FUMDEC Macaé 1. Objetivo O presente guia tem como objetivo orientar o empreendedor a como preencher o Formulário de Pré-proposta para financiamento, item fundamental para início

Leia mais

Gestão de Emissões de Gases de Efeito Estufa. Fabio Abdala Gerente de Sustentabilidade, ALCOA

Gestão de Emissões de Gases de Efeito Estufa. Fabio Abdala Gerente de Sustentabilidade, ALCOA Gestão de Emissões de Gases de Efeito Estufa Fabio Abdala Gerente de Sustentabilidade, ALCOA 2º. DEBATE SOBRE MINERAÇÃO TJ/PA e PUC/SP Tribunal de Justiça do Pará - Belém, 30/09/2011 Gestão Estratégica

Leia mais

Balanço Social 2010/2009

Balanço Social 2010/2009 Balanço Social 2010/2009 APRESENTAÇÃO Fundada em 1954, a Confederação Brasileira de Voleibol representa a entidade máxima do voleibol no país. A instituição é filiada ao Comitê Olímpico Brasileiro (COB)

Leia mais

Metalúrgica JORBA Indústria e Comércio Ltda. Av. Emilio Giaquinto, 177 Parque Novo Mundo São Paulo SP CEP: 02181-110 Fone/Fax: (55-11) 2632-2611

Metalúrgica JORBA Indústria e Comércio Ltda. Av. Emilio Giaquinto, 177 Parque Novo Mundo São Paulo SP CEP: 02181-110 Fone/Fax: (55-11) 2632-2611 Metalúrgica JORBA Indústria e Comércio Ltda. Av. Emilio Giaquinto, 177 Parque Novo Mundo São Paulo SP CEP: 02181-110 Fone/Fax: (55-11) 2632-2611 CNPJ: 61.460.077/0001-39 / INSCR: 105.657.106.110 Gestão

Leia mais

Relatório de desempenho social Maio de 2010

Relatório de desempenho social Maio de 2010 Nossa responsabilidade social BIC AMAZÔNIA S.A. Relatório de desempenho social Maio de 2010 I - APRESENTAÇÃO A unidade BIC Amazônia está localizada na cidade de Manaus, no Estado do Amazonas, onde são

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 4 Balanço Patrimonial Passivo 6 Demonstração do Resultado 9 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

N REQUISITOS OBSERVAÇÕES

N REQUISITOS OBSERVAÇÕES N REQUISITOS OBSERVAÇÕES 01 02 03 04 05 06 07 A - MANUTENÇÃO E SUPORTE A empresa fornece produto de software com Verificar se a empresa fornece manual do produto (instalação), documentação de suporte ao

Leia mais

A PETROBRAS E SUA ATUAÇÃO NA REGIÃO DE PAULÍNIA. Claudio Pimentel Gerente Geral da Refinaria de Paulínia

A PETROBRAS E SUA ATUAÇÃO NA REGIÃO DE PAULÍNIA. Claudio Pimentel Gerente Geral da Refinaria de Paulínia A PETROBRAS E SUA ATUAÇÃO NA REGIÃO DE PAULÍNIA Claudio Pimentel Gerente Geral da Refinaria de Paulínia VISÃO E MISSÃO Seremos uma das cinco maiores empresas integradas de energia do mundo e a preferida

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Prezado Cooperado, Em 2012 a economia brasileira apresentou forte desaceleração, tendo uma das mais baixas taxas de crescimento da América Latina, inferior até as pessimistas

Leia mais

CESTEC- CENTRO DE SERVIÇOS EM TECNOLOGIA E INOVAÇÃO DO GRANDE ABC

CESTEC- CENTRO DE SERVIÇOS EM TECNOLOGIA E INOVAÇÃO DO GRANDE ABC CESTEC- CENTRO DE SERVIÇOS EM TECNOLOGIA E INOVAÇÃO DO GRANDE ABC TERMO DE REFERÊNCIA Nº 11/2010 PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA PARA GESTÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA DE EMPRESAS DE MICRO, PEQUENO

Leia mais

Informação de Imprensa

Informação de Imprensa Informação de Imprensa L Fundação Espaço ECO produz e dissemina conhecimento por meio da Educação para a Sustentabilidade Organização promove a transformação socioambiental de pessoas, organizações e sistemas

Leia mais

Nº: 5745 terça feira, 05 de maio de 2015 COMISSÃO DIRETORA. ATO DA COMISSÃO DIRETORA N O 5, de 2015

Nº: 5745 terça feira, 05 de maio de 2015 COMISSÃO DIRETORA. ATO DA COMISSÃO DIRETORA N O 5, de 2015 30/06/2015 Boletim Administrativo Eletrônico de Pessoal Nº: 5745 terça feira, 05 de maio de 2015 COMISSÃO DIRETORA ATO DA COMISSÃO DIRETORA N O 5, de 2015 Revisa e altera os objetivos estratégicos do plano

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

Bolsa de Valores de São Paulo - BOVESPA. Comunicação de Progresso - 2006

Bolsa de Valores de São Paulo - BOVESPA. Comunicação de Progresso - 2006 Bolsa de Valores de São Paulo - BOVESPA Comunicação de Progresso - 2006 Quem somos: Número de funcionários: 781 Número de empresas listadas: 391 Volume financeiro diário: R$ 2,4 bilhões Market Cap: R$

Leia mais

Aplicap Capitalização S.A. Demonstrações contábeis intermediárias em 30 de junho de 2014.

Aplicap Capitalização S.A. Demonstrações contábeis intermediárias em 30 de junho de 2014. Aplicap Capitalização S.A. Demonstrações contábeis intermediárias em 30 de junho de 2014. Relatório da Administração Senhores Acionistas, Em cumprimento as disposições legais e estatutárias, submetemos

Leia mais

Vida Segura Empresarial Bradesco:

Vida Segura Empresarial Bradesco: PRÊMIO ANSP 2005 Vida Segura Empresarial Bradesco: A democratização do acesso ao Seguro de Vida chega às Micro e Pequenas Empresas. 1 SUMÁRIO 1. Sinopse 3 2. Introdução 4 3. O desafio de ser o pioneiro

Leia mais

Nossas conquistas 2013

Nossas conquistas 2013 Nossas conquistas 2013 O ano de 2013 foi especial para a Fundação e para as comunidades onde desenvolvemos ações sociais. Alcançamos o marco de 25 anos de atuação social e de 7 milhões de beneficiários,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 12/2010

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 12/2010 CESTEC- CENTRO DE SERVIÇOS EM TECNOLOGIA E INOVAÇÃO DO GRANDE ABC TERMO DE REFERÊNCIA Nº 12/2010 PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA PARA GESTÃO DE PROCESSO PRODUTIVO E PRODUTO Contatos Luiz

Leia mais

TASCHIBRA. Resumo. Sistema de Gestão de Qualidade SGQ na Taschibra: processo de melhoria contínua

TASCHIBRA. Resumo. Sistema de Gestão de Qualidade SGQ na Taschibra: processo de melhoria contínua TASCHIBRA Sistema de Gestão de Qualidade SGQ na Taschibra: processo de melhoria contínua por Ademar do Amaral Jr Mestre em Administração pela Fundação Universidade Regional de Blumenau (2007); Especialista

Leia mais

Plano Estratégico Petrobras 2030 e Plano de Negócios e Gestão 2014 2018

Plano Estratégico Petrobras 2030 e Plano de Negócios e Gestão 2014 2018 Plano Estratégico Petrobras 2030 e Plano de Negócios e Gestão 2014 2018 A Petrobras comunica que seu Conselho de Administração aprovou o Plano Estratégico Petrobras 2030 (PE 2030) e o Plano de Negócios

Leia mais