156 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa Meio Ambiente: respeito e proteção

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "156 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004. Meio Ambiente: respeito e proteção"

Transcrição

1 156 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa Meio Ambiente: respeito e proteção

2 Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 Telefónica, S.A /01 Compromisso com o meio ambiente As empresas da Telefónica têm um compromisso público com o meio ambiente através da Global Compact 08/02 Gestão de meio ambiente O Grupo Telefónica estabeleceu uma normativa interna de Requisitos Meio-ambientais Mínimos 08/03 Acompanhamento de aspectos ambientais A Telefónica controla o impacto de suas atividades no meio ambiente com o objetivo de minimizá-lo NOVA POLÍTICA DE MEIO AMBIENTE Telefónica Móviles REQUISITOS MEIO-AMBIENTAIS MÍNIMOS 27 EMPRESAS INFORMANTES EM 2004 (5 EM 2003) 08/04 Serviços com impacto positivo Os serviços de telecomunicação contribuem para a eficiência e a economia de recursos ambientais PROJETOS AVALIADOS 318 Telefónica I+D O compromisso da Telefónica com o meio ambiente se traduz não somente em minimizar seu impacto, mas também no incentivo a produtos e serviços que podem contribuir para sua proteção

3 158 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 COMPROMISSOS ADQUIRIDOS PELA TELEFÓNICA COM O MEIO AMBIENTE (08-1) Ano Empresa Compromisso 1996 Telefónica de España Compromisso para o meio ambiente de ETNO (European Telecommunications Operators' Association) incorporação à equipe de trabalho em matéria para o meio ambiente de ETNO Telefónica I+D Telefónica I+D o Política para o meio ambiente da Telefónica I+D (revisada em 2003). Esta política inclui o compromisso com o desenvolvimento de serviços de telecomunicações que contribuem com a proteção do ambiente e com o desenvolvimento sustentável da sociedade Telefónica Móviles Política para o meio ambiente da Telefónica Móviles España. A política, que conta com dez grandes Espanha compromissos Telefónica Política para o meio ambiente da Telefónica de España. Esta política está estruturada em dez linhas de de Espanha atuação, desenvolvidas de forma coordenada entre elas Grupo Telefónica Pacto Mundial das Nações Unidas. Três dos princípios desta iniciativa estão vinculados ao respeito ao meio ambiente: -Princípio 7: as empresas deverão manter um enfoque preventivo que favoreça o meio ambiente. -Princípio 8: as empresas devem promover as iniciativas que promovam uma maior responsabilidade ambiental. -Princípio 9: as empresas devem favorecer o desenvolvimento e a difusão das tecnologias que respeitam o meio ambiente Telefónica Móviles Clube de Excelência em Sustentabilidade. Fundado junto a outras 15 empresas com o objetivo de Espanha de Impulsionar o Desenvolvimento Sustentável desde o setor empresarial 2003 Grupo Telefónica GeSI (Global e-sustainibility Initiative): Iniciativa impulsionada pelo PNUMA (Programa Para o Meio Ambiente das Nações Unidas) e UIT (União Internacional de Telecomunicações). Agrupa fabricantes e operadores do setor com o objetivo de promover o desenvolvimento sustentável da Sociedade da Informação Brasil Um grupo de trabalho integrado por especialistas e funcionários impulsionam a política para o meio ambiente Grupo Telefónica Normativa corporativa de Requisitos mínimos do meio ambiente que devem ser levados em consideração nas diferentes operações do Grupo Telefónica Móviles Aprovação da política para o meio ambiente aplicada nas operações desenvolvidas na Argentina, Chile, Colômbia, Equador, El Salvador, Espanha, Guatemala, México, Nicarágua, Panamá, Peru, Uruguai e Venezuela Telefónica Soluciones Aprovação da política para o meio ambiente da Empresa T-Gestiona Aprovação do Estatuto Para o meio ambiente da Empresa, como um primeiro passo para a implantação de Espanha um sistema de gestão para o meio ambiente.

4 Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 Telefónica, S.A TELEFÓNICA, COMPROMETIDA COM O MEIO AMBIENTE A Telefónica considera fundamental o respeito pelo meio ambiente em todas as suas atividades e, neste sentido, as empresas do Grupo Telefónica mantêm um compromisso público com o meio ambiente há vários anos. Nos Requisitos mínimos estabelecidos sobre meio ambiente pelo Grupo Telefónica em 2004, é determinado que cada uma das empresas ou linha de negócio deve ter um responsável ambiental para definir um compromisso de proteção ao ambiente, ou política para o meio ambiente, ao nível mais alto da organização, que abranja pelo menos os seguintes critérios, sempre que sejam aplicáveis para sua atividade: Identificação dos aspectos do meio ambiente relacionados com as atividades, instalações e produtos da empresa. Cumprimento da legislação vigente aplicável em matéria de meio ambiente e cumprimento de outros compromissos que a organização subscreva neste campo. Avaliação paulatina do impacto meio ambiental dos produtos e serviços que desenvolverem. Melhora contínua dos procedimentos internos de atuação, tendo em conta o princípio de prevenção da poluição e a preservação de recursos naturais. Incorporação progressiva de critérios do meio ambiente nos processos de compra, seleção de fornecedores e nas terceirizações. Publicação periódica dos indicadores e práticas do meio ambiente da empresa e fomento da comunicação em questões ambientais com as diferentes partes interessadas da mesma (funcionários, clientes, fornecedores, administração pública, etc.). Procurar a formação do pessoal em questões ambientais, encaminhada a aumentar sua sensibilização e melhorar o controle dos aspectos do meio ambiente gerados pelas atividades do Grupo. Em 2004, o Grupo Telefónica Móviles aprovou e publicou uma política para o meio ambiente, que pretende estender a todos os níveis da organização, que se materializa em procedimentos de atuação concretos para todas as atividades e instalações que possam ter um impacto no ambiente. Em setembro de 2004, a Telefónica Soluciones aprovou sua política para o meio ambiente como ponto de partida para o andamento de seu sistema de gestão ambiental, que espera conseguir o certificado de acordo com a norma UNE-EM ISO em Nela, a direção da Telefónica Soluciones é marcada como um de seus objetivos estratégicos para proteção do meio ambiente e envolve todas as atividades da organização e todos seus funcionários na execução do mesmo. Também durante o exercício de 2004, a T-Gestiona España desenvolveu um estatuto para o meio ambiente que permite desenvolver no presente ano uma série de ações encaminhadas à melhora na conservação do meio ambiente, mais considerando que será a administradora dos serviços gerais da nova sede do Grupo na Espanha, Distrito C. Deste modo prestará seu serviço a todas as empresas do Grupo que estarão neste local. De forma complementar a estes compromissos,a Telefónica colabora com as organizações interessadas na defesa do meio ambiente tais como: A Fundação Vida Silvestre na Argentina. A Fundação Charles Darwin no Equador. O Foro Soria 21 sobre Comunicação e Desenvolvimento Sustentável, e a Fundação Ambiente na Espanha, órgãos dos quais a empresa Telefónica Móviles é colaboradora.

5 160 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 ASPECTOS INCLUÍDOS NOS REQUISITOS MEIO-AMBIENTAIS MÍNIMOS (08-2) Consumo de energia Consumo de água Consumo de papel e outro material de escritório Gestão de resíduos Resíduos industriais Ruídos Emissões na atmosfera Emissões radioelétricas Uso de substâncias que atingem a camada de ozônio Veículos Impacto sobre o entorno natural O VI Congresso Nacional de Meio Ambiente na Espanha, patrocinado pela Telefónica Móviles. O Prêmio para a Conservação Ambiental de Mudança, organizado pela Universidade Científica do Sul no Peru e patrocinado pela Telefónica Móviles, que busca premiar os esforços de entidades, organizações ou pessoas, a favor do meio ambiente. TPI participou nos trabalhos da European Association of Directory and Database Producers (EADP), direcionados a articular no setor de listas telefônicas um padrão europeu de compromisso para o meio ambiente. 02 GESTÃO PARA O MEIO AMBIENTE a) Requisitos mínimos relacionados ao meio ambiente Em 2004, a Telefónica continuou se aprofundando no controle do risco de suas atividades para o meio ambiente, com base nas análises desenvolvidas em 2003 e 2002 sobre os trabalhos do Grupo na América Latina e na Espanha, respectivamente. Foi concluído que as empresas que prestam serviço de telefonia fixa ou móvel eram as de maior impacto ambiental, tanto pelo tipo de atividade como por colocar à disposição maior número de instalações. A análise foi realizada pelas áreas de Auditoria Interna Corporativa, e a Telefónica I+D prestou-se como assessor especialista. O conhecimento adquirido depois destes estudos serviu de base para a elaboração de uma normativa interna de Requisitos Mínimos do Meio Ambiente, desenvolvida para homogeneizar o comportamento de todas as empresas do Grupo em relação a este tema. Tomando sempre como base o cumprimento das obrigações legais, diferentes em cada país, a normativa inclui requisitos voluntários adicionais, que serão paulatinamente implantados em todas as empresas, alcançando um nível de exigência homogêneo. As empresas devem identificar os aspectos do meio ambiente gerados por suas atividades e estabelecer as práticas para o controle destes aspectos, documentar em normativa interna as práticas de atuação e as responsabilidades associadas. Estes procedimentos devem: Considerar o acompanhamento e medição dos principais parâmetros do meio ambiente da empresa. Estar de acordo com as disposições legais existentes e outros requisitos da organização. Definir as responsabilidades dentro da empresa, quanto ao controle e medição dos aspectos do meio ambiente. Ser atualizados periodicamente, garantindo a eficácia e o cumprimento. Ser difundidos entre o pessoal da empresa implicado, assim como entre o pessoal de outras empresas contratadas, que possa intervir em aspectos do meio ambiente. b) Gestão para o meio ambiente na Espanha A Telefónica de España desenvolve, desde 1999, um Projeto de gestão para o meio ambiente que adota como modelo da norma UNE-EM ISO Como parte deste projeto, foi implantado, no Centro Logístico Central, um sistema de gestão para o meio ambiente, cuja certificação foi renovada por AENOR em Este centro logístico, situado em Villaverde (Madri), tem como função principal o recebimento, armazenamento e a distribuição dos materiais gerenciados pela Telefónica de España. A Telefónica de España tem um procedimento de identificação e avaliação de aspectos ambientais em suas operações. Na revisão correspondente a julho de 2004 foram analisados 110 aspectos do meio ambiente diretos, dos quais 19 foram identificados como aspectos significativos. Adicionalmente, foram analisados doze aspectos do meio

6 Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 Telefónica, S.A. 161 CASO PRÁTICO POLÍTICA PARA O MEIO AMBIENTE DA TELEFÓNICA MÓVILES (08-3) A Telefónica Móviles considera fundamental o respeito ao meio ambiente em todas suas atividades e impulsiona o desenvolvimento de serviços de telecomunicações que contribuam para sua proteção e para o desenvolvimento sustentável da sociedade. Desde o compromisso de atuar conforme às leis e normativas ambientais nacionais ou internacionais de aplicação, a Telefónica Móviles promove programas e ações cujos objetivos são: Avaliar os aspectos do meio ambiente, tanto positivos como negativos, derivados da atividade da Empresa. Otimizar o consumo de energia e recursos naturais. Reduzir a poluição, por meio da melhoria de processos como a reciclagem de materiais e o tratamento adequado dos resíduos. Estender a sensibilização e formação em matéria para o meio ambiente a todos os funcionários da Empresa. Incluir progressivamente considerações ambientais nas decisões de compra e cancelamento de equipamentos. Estabelecer objetivos e metas ambientais, procurando uma melhoria contínua em nosso desempenho ambiental. Tornar público, periodicamente, os indicadores e práticas do meio ambiente da empresa e promover a comunicação em questões ambientais com as diferentes partes interessadas. IDENTIFICAÇÃO DE POSSÍVEIS ASPECTOS DO MEIO AMBIENTE SIGNIFICATIVOS PARA A TELEFÓNICA DE ESPAÑA (08-4) Uso de postes Consumo de combustível pelos veículos Resíduos de cabos: cabo sob plástico Consumo de energia elétrica Emissão de gases de combustão por grupos eletrógenos Impacto visual da colocação de cabo aéreo Consumo de água Vertente de águas residuais Consumo de produtos de limpeza para cabos Consumo de combustível em grupos eletrógenos Resíduos biossanitários: material de curas e material pungente Resíduos perigosos de tubos detectores de gás Emissão de gases de combustão de veículos Consumo de conjuntos de ligações para cabos Resíduos de baterias de acumuladores Ruído procedente dos equipamentos de climatização Ruído procedente dos grupos eletrógenos Ruído em obras de planta externa Alteração paisagística das torres de estações de rádio

7 162 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 ambiente potenciais, e um dos mesmos foi identificado como significativo. Deve-se destacar a existência de uma equipe de gestão para o meio ambiente, que conta com a participação da representação sindical. O sistema de gestão para o meio ambiente da Telefónica Móviles España cobre 100% de suas atividades e está certificado desde o ano de 1998 por AENOR, de acordo com a norma UNE EM ISO 14001:1996. Este certificado se renova a cada três anos, sendo a última renovação do ano de 2004, com zero de desvios, e uma valorização muito positiva do alto grau de implantação do sistema. O sistema para o meio ambiente da Telefónica I+D abrange todas as atividades com incidência ambiental desenvolvidas nos centros de trabalho de Madri e Boecillo (Valladolid) e conta com a certificação ISO14001, renovada em Seu alcance concreto é a elaboração de estudos, prospecção, pesquisa aplicada e desenvolvimentos de exploração, de produtos, de serviços e sistemas de telecomunicação nos centros anteriormente citados. Em 2004, continuou o processo interno de auditoria para o meio ambiente em várias empresas do Grupo na Espanha, tendo concluído a auditoria da TPI e começado o processo para outras empresas. Desta forma, em 2004, a Telefónica Soluciones começou a implantação de um sistema de gestão para o meio ambiente para suas atividades, de acordo com a norma ISO 14001, com o objetivo de sua certificação ao longo de O estatuto para o meio ambiente aprovado pela T-Gestiona España é direcionado à execução de economia no consumo de papel e de energia, uma redução na geração de resíduos e uma gestão da coleta seletiva dos resíduos. O desenvolvimento destas ações considera que algumas das empresas, que estão localizadas no Distrito C, já possuem a certificação de AENOR ISO 14001, sendo necessárias medidas concretas para manter esta certificação. Em 2004, não foram registradas multas nem sanções relevantes em matéria ambiental para as empresas do Grupo Telefónica na Espanha. c) Gestão para o meio ambiente na América Latina Mediante a aprovação dos Requisitos Mínimos do meio ambiente, as diferentes empresas do Grupo Telefónica na América Latina foram planejando e colocando em andamento diferentes ações para seu cumprimento. Operações com certificado para o meio ambiente Telefónica Móviles México. Em outubro de 2004, foi realizada uma auditoria de certificação por parte de AENOR, em que foi creditado o Sistema de Gestão Ambiental implantado sob a Norma ISO 14001/1996. Na Argentina, a T-Gestiona dispõe de um sistema de gestão ambiental, implementado e certificado pelo IRAM, sob a norma ISO 14001, desde o dia 13 de janeiro de Os serviços certificados são: logística, gestão e administração de estoque, controle de qualidade, gestão de armazenamento, gestão de transporte e distribuição, conciliação físico e contábil e suporte administrativo. Operações com riscos e processos do meio ambiente identificados A Telefónica Móviles Chile elaborou, durante 2004, um plano de trabalho para a implantação de um sistema de gestão para o meio ambiente sob a norma ISO 14001:2004 para o ano Como primeira medida, foi realizado um diagnóstico legislativo ambiental. A T-Gestiona Brasil é a empresa encarregada da gestão do patrimônio do Grupo Telefónica no país. Em 2004, foi elaborada uma proposta de política para o meio ambiente, que dará lugar à implantação de um Sistema de Gestão Para o Meio Ambiente, primeiro na T-Gestiona, para logo ser estendida a outras empresas no país.

8 Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 Telefónica, S.A. 163 CUMPRIMENTO DOS OBJETIVOS DO MEIO AMBIENTE 2004 (08-5) Empresa Objetivo Estado Telefónica Prevenção e controle da Legionellosis em torres de refrigeração 100% de España Redução em 9,8% da frota de veículos antigos gerenciados pela Telefónica que, no final do ano 2003, não têm catalisador. 124% Elaboração do inventário de fossas sépticas e proposta do plano de eliminação por conexão à rede de esgoto 38% Estudo da repercussão na Telefónica de España da aplicação da Diretiva sobre Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrônicos. 60% Auditorias às empresas mantenedoras para garantir o cumprimento de Atribuído para 2005 das cláusulas ambientais dos contratos. Adequação de depósitos de combustível de caldeiras e grupos eletrógenos. à normativa vigente (deslocado 2003). 100% Extensão da inscrição como produtor de Resíduos Perigosos (deslocado de 2003). 40% Telefónica Redução de 5% do consumo energético. 100% Móviles España Redução de 5% das incidências correspondentes a aterros sanitários de grupos eletrógenos. 100% Aplicação da Diretiva sobre Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrônicos. Em curso (objetivo 05) Implantação em 10% das atuações de Melhoria de Ruído para estações rádio-base de UMTS descritas nas especificações. Em curso (objetivo 05) Telefónica I+D Redução do consumo de papel de 65,4% no fim do ano 2009, chegando ao máximo de 24,91 folhas / milhares. 91% (objetivo 09) Redução de 5% das emissões de gases de efeito estufa em Boecillo diante do estimado com sistemas convencionais. Em curso Melhorar o processo de avaliação ambiental de projetos. 100% A Telefónica Móviles Colômbia realizou um inventário/auditoria do estado atual das atividades com impacto para o meio ambiente como base para iniciar o processo de implantação de um sistema de gestão para o meio ambiente. A Telefónica Móviles Equador iniciou em outubro de 2004 o projeto de Implantação do Sistema Integrado de Gestão focado na implantação de um Sistema de Análise e Manipulação de Riscos em temas de qualidade, meio ambiente, funcionários, saúde e segurança ocupacional. Adicionalmente, foram realizadas as auditorias do meio ambiente das estações radio-base e edifícios da Empresa em Quito e Guayaquil. A Telefónica Móviles Peru se encontrava, no fim de 2004, em fase de estudo de implementação do sistema de gestão ambiental, por meio da análise e diagnóstico inicial do impacto das atividades. A Telefónica CTC Chile, após nomear um responsável para o meio ambiente, identificou os aspectos de sua atividade com maior impacto potencial no meio ambiente. A T-Gestiona Argentina incluiu em sua política de logística o seguinte ponto: Preservar o meio ambiente, evitando contaminar, cuidando dos recursos naturais e dispondo adequadamente dos resíduos. Operações com responsáveis do meio ambiente identificados No Brasil, a Vivo criou o Foro de Gestão Ambiental, que tem por objetivo definir e aprovar os projetos e ações que contribuam para a preservação do meio ambiente em suas atividades. A Telefónica Móviles Argentina iniciou o processo de consolidação de projetos ambientais desenvolvidos nas duas operadoras fusionadas, com o objetivo de começar a implantação de um sistema para o meio ambiente em A Telefónica Móviles El Salvador e Guatemala finalizaram os processos de licitação para Consultoria de Implantação de Sistema Integrado de Qualidade (ISO 9001/ISO 14001). No fim de 2004, nas empresas da Telefónica Móviles na Nicarágua, Panamá, Uruguai e Venezuela se encontrava, em fase de estudo, a implantação de uma unidade responsável pela gestão para o meio ambiente.

9 164 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 OBJETIVOS MEIO-AMBIENTAIS ESPAÑA (08-6) Empresa Telefónica de España Objetivo Substituição de quatro torres de refrigeração, como medida de prevenção de legionellosis Redução de 8,1% na frota de veículos antigos que, no final de 2004, não possuíam catalizador Ampliação da inscrição como produtor de resíduos perigosos: incorporação dos resíduos de manutenção de grupos eletrógenos e resíduos perigosos dos centros logísticos inter-provinciais. Estudo e determinação dos requerimentos e elaboração dos procedimentos para recolhimento e tratamento adequado dos resíduos dos equipamentos elétricos e eletrônicos. Diminuição de 10% no consumo de papel. Consumo de papel de acordo com a distribuição de 60% de papel reciclado e 40% de papel branco. Consideração do meio ambiente como critério de patrocínio, e realizar pelo menos um patrocínio. Telefónica Móviles España Aplicação da Diretiva de Resíduos de Aparelhos Elétricos e Eletrônicos. mplantação em 10% das atuações de Melhoria de Ruído para estações rádiobase de UMTS descritas nas especificações. Telefónica I+D Redução do consumo de papel em 65,4% no final do ano de 2009, chegando a um máximo de 24,91 folhas/milhares de euros. Quadro de mando integral de Meio Ambiente T-Gestiona Implantação do Manual de Boas Práticas de Gestão Ambiental e difusão interna. Implantação de cartazes informativos sobre os tipos de resíduos e depósitos de lixo. Colocação de caixas coletoras de resíduos. Informação das atuações a serem seguidas com resíduos tóxicos (tóners,pilhas,etc.) Redução do consumo de material tóxico. Aumento do percentual de coleta seletiva de material. Redução do consumo de papel, reduzindo o impacto meio-ambiental. OBJETIVOS MEIO-AMBIENTAIS AMÉRICA LATINA (08-7) Empresa TeleSP Brasil Objetivo Eficiência do consumo de energia na rede. Redução da geração de ruídos como conseqüência das operações. Adequação dos sistemas de armazenamento de combustíveis. Substituição de baterias de acumuladores de ácidos. T-Gestiona Brasil Projeto de Consumo e Uso Racional da Água. Eficiência do consumo de energia nos escritórios e instalações administradas. Reciclagem de papel (implantação do Projeto Recicla no Grupo Telefônica).

10 Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 Telefónica, S.A. 165 CASO PRÁTICO FORMAÇÃO PARA O MEIO AMBIENTE NA TELEFÓNICA MÓVILES ESPAÑA (08-8) O plano de Formação Para o Meio Ambiente da Telefónica Móviles España supôs o desenvolvimento, durante 2004, de três ações formativas: Curso e-learning (a+): Telefonia móvel e Sociedade. O objetivo é informar e conscientizar os funcionários sobre o impacto do desenvolvimento de rede no meio ambiente, com o fim de esclarecer conceitos associados à gestão para o meio ambiente. Neste curso, disponível desde 2003, participaram funcionários, e atualmente está disponível de forma pública na página web. Curso teórico e prático de acústica ambiental, que contou com a participação de 59 funcionários e que têm entre suas responsabilidades o controle do ruído. Curso de resíduos em edifícios de escritórios, dirigido ao pessoal responsável pela gestão neste assunto, que contou com a participação de 23 funcionários. Com o fim de facilitar o acesso à normativa de caráter para o meio ambiente, os funcionários da Telefónica Móviles España dispõem da aplicação e-comovil.lei na intranet corporativa que conta com legislação ambiental de aplicação no âmbito europeu, estadual, autonômico e local. Durante 2004, foram incorporadas para o e-comovil.lei 541 normativas de aplicação. Além disso, na Espanha foi desenvolvida uma campanha de sensibilização interna direcionada para promover a economia dos recursos. A campanha de sensibilização teve uma duração de 10 meses, durante os quais foram enviadas mensagens por a todos os funcionários, explicando como utilizar os contêineres de resíduos, como se recicla um celular e sobre o uso eficiente de energia e do papel. d) Formação e conscientização para o meio ambiente A Telefónica é uma organização na qual trabalham mais de profissionais em todo o mundo e com presença em mais de 15 países. Com o objetivo de gerenciar adequadamente seu impacto no meio ambiente, as diferentes empresas do Grupo Telefónica desenvolvem diferentes atividades de formação dirigidas a seus funcionários e colaboradores. A Intranet é um dos canais mais utilizados para realizar formação para o meio ambiente aos funcionários. A Intranet da Telefónica dá acesso à seção para o meio ambiente da página de responsabilidade corporativa, onde estão resumidas as políticas do meio ambiente e as principais medidas para reduzir o impacto decididas pelo Grupo. Inclui um parágrafo sobre Telecomunicações e desenvolvimento sustentável no qual há informação sobre o impacto ambiental, positivo ou negativo, de determinados serviços oferecidos pela Telefónica. A Telefónica de España tem uma página web para o meio ambiente dentro do canal de qualidade de e-domus. Além disso, dispõe de um curso teledidático de gestão para o meio ambiente que está em fase de melhoria e atualização. No Brasil, a TeleSP criou uma seção de recursos naturais na Intranet. Na Espanha, Equador, México e Peru foram realizados cursos on-line para os funcionários da Telefónica Móviles fundamentalmente centralizados em aspectos relacionados com as emissões eletromagnéticas. No México, foram incluídos conteúdos ambientais no curso para o pessoal recémcontratado. A Telefónica I+D dispõe de uma página de meio ambiente interna, reprojetada em 2004 com novos conteúdos, entre eles de sustentabilidade, que é atualizada constantemente com notícias e novidades sobre o tema. Em 2004, foram fornecidos cursos presenciais, para 42 funcionários da Telefónica de España, sobre legislação para o meio ambiente e gestão de resíduos perigosos. Na Telefónica I+D, foram realizados cursos relacionados com a gestão de resíduos e boas práticas do meio ambiente para 23 pessoas. Adicionalmente, em 2004 foram divulgadas experiências relacionadas com o meio ambiente na Jornada desenvolvida no Dia Mundial do Meio Ambiente. No Equador e Chile, a Telefónica Móviles realizou a capacitação na norma ISO para o pesso-

11 166 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 CENSO DE IMÓVEIS DA TELEFÓNICA DE ESPAÑA (08-09) Número de M 2 Tipo de uso imóveis construídos Gestão Telefônico Misto Total al responsável pela gestão para o meio ambiente. E na Argentina, El Salvador e Guatemala foram planejados programas de capacitação em meio ambiente que serão realizados em 2005 como parte do processo de implantação de seus respectivos Sistemas de Gestão Para o Meio Ambiente. Entre outras atividades de conscientização do pessoal se encontram: A TeleSP teve duas jornadas de trabalho enfocadas em recursos naturais sobre assuntos relacionados com a eficiência no consumo de energia elétrica e água, impacto na camada de ozônio, reciclagem de materiais, ruído e aterros de lixo. Telefónica Móviles Chile e Panamá: campanha para a redução do consumo de papel, água e luz em escritórios. Telefónica Móviles Colômbia: campanha para a reciclagem de resíduos de impressoras, máquinas copiadoras e fax. T-Gestiona España preparou um Plano de Comunicação para conscientizar todos seus funcionários da necessidade de iniciar seu estatuto para o meio ambiente. A T-Gestiona Argentina realizou cursos e bate-papos internos sobre os temas implementados em seu sistema de gestão para o meio ambiente, dirigidos aproximadamente a 100 funcionários próprios e 15 de empresas colaboradoras. e) Requisitos do meio ambiente para fornecedores A Telefónica, além de gerenciar o impacto de suas próprias operações no meio ambiente, contribui para a promoção de práticas responsáveis em sua cadeia de fornecimento. Por esta razão, vem sendo incluídas nos contratos entre a Telefónica e seus fornecedores cláusulas do meio ambiente que obrigam o cumprimento da legislação para o meio ambiente, e, especialmente, uma relacionada com a gestão de resíduos. Nos temas do meio ambiente, as empresas contratadas exercem um papel fundamental para as obras, instalações e manutenção, que são encarregadas pela eliminação dos resíduos gerados durante suas atividades. Por isso, no ano de 2004, a Telefónica de España editou unidades de um guia de boas práticas do meio ambiente para instaladores de Planta Externa, que foram entregues às empresas colaboradoras para que fossem distribuídos entre seus funcionários, indicando os requisitos que deviam ser cumpridos na gestão dos resíduos produzidos durante o desenvolvimento de seus trabalhos. Este guia se une a um similar, elaborado em 2003, relativo a boas práticas nos trabalhos na residência do cliente. A TeleSP desenvolveu atividades de formação sobre eficiência nos consumos de energia e água para áreas operacionais e empresas contratadas para a manutenção de instalações. Adicionalmente, realiza acompanhamentos e auditoria dos resíduos, exigindo das empresas especializadas os documentos que comprovem o correto processo final dos materiais. A Telefónica Móviles está estabelecendo, em suas diferentes operações, mecanismos para monitorar e controlar a gestão de resíduos levando em conta a constatação da capacidade técnica e legal do empreiteiro. É incluído o tratamento de resíduos perigosos, controle do volume de resíduos retirados, exigência de evidências e/ou certificados que comprovem a eliminação adequada de resíduos,ou o controle sistemático do estado das instalações. Na Espanha, a Telefónica Móviles pôs em andamento o programa de Avaliação e Controle de Fornecedores com Incidência Para o Meio Ambiente. O Programa identifica as atividades que tenham incidência ambiental para os diferentes fornecedores, comunicando a eles seus requisitos e obrigações referentes ao meio ambiente. O Programa também considera uma auditoria de verificação do cumprimento dos mesmos.

12 Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 Telefónica, S.A. 167 FRAGILIDADE VISUAL DAS INFRA-ESTRUCTURAS DA TELEFÓNICA MÓVILES ESPAÑA (08-10) (escala de 1 a 5) Áreas Rurais 2,86 2,84 Áreas Urbanas 2,43 2,42 Por outro lado, a TPI España realiza um estreito acompanhamento das tarefas de impressão e distribuição das listas telefônicas, que são realizadas por empresas terceiros, dentro da auditoria bianual de suas operações. Em concreto, durante o ano de 2004, o Grupo TPI continuou sua política de controle da sustentabilidade do papel que consome, aplicando o princípio de acompanhamento. Desta forma, é exigido aos fornecedores de papel a posse do certificado para o meio ambiente ISO Além disso, as matérias-primas utilizadas para a elaboração de produtos finais devem ter uma origem sustentável, ou seja, conter a garantia de que seu produto não causa deterioração do equilíbrio ecológico. Assim, todo o papel utilizado no Grupo para a produção dos guias deve ter sua origem em madeira procedente de bosques sustentáveis. 03 ACOMPANHAMENTO DOS ASPECTOS DO MEIO AMBIENTE As empresas do Grupo Telefónica estabelecem procedimentos para o acompanhamento dos aspectos-chave do meio ambiente, sendo que estes estão submetidos a requisitos legais ou de outro tipo, por serem gerados em grande quantidade, ou porque suas características possam ter um impacto importante no ambiente da empresa. Em casos nos quais não se estabelecem estes procedimentos, a aprovação em 2004 de uma normativa de requisitos mínimos do meio ambiente impulsionará sua implantação futura. a) Redução do impacto das infra-estruturas no ambiente A Telefónica mantém um compromisso: o de tornar compatível a extensão de seus serviços para a máxima superfície do território com a minimização do impacto de suas infra-estruturas no ambiente. Especialmente no caso das telecomunicações móveis, para conseguir a necessária cobertura, são imprescindíveis estações rádio-base e antenas que ocupem um reduzido espaço de solo (entre 50 e 100 m2), e que devem situar-se em pontos relativamente altos com relação ao ambiente que as rodeia, geralmente torres ou edifícios. No momento de desenvolver as redes em áreas naturais ou urbanas de especial interesse por sua paisagem ou seu patrimônio histórico-artístico, a Telefónica leva em conta opções como a mimetização com o ambiente, a reutilização de infraestruturas existentes (próprias ou compartidas com outras operadoras) ou a redução do tamanho dos equipamentos. As atividades da Telefónica de España eram desenvolvidas, no fim de 2004, em edifícios que a empresa utiliza de maneira completa ou parcial (plantas de edifícios ou locais, destacando centrais), com uma superfície total edificada de m2, o que representa uma diminuição de 5,6 % em relação à cifra do final de O número de antenas de telecomunicações aumenta para unidades. Pode-se destacar que a empresa realizou análise de impacto ambiental em 922 demarcações. A TeleSP gerencia, no Estado de São Paulo, um total de edifícios de infra-estruturas de rede, torres de comunicações, antenas e 20 edifícios administrativos. No Chile, a CTC conta com 630 edifícios de infra-estruturas, 756 torres, 23 antenas e 160 edifícios administrativos. A Telefónica Móviles España aplica uma metodologia própria para quantificar, de forma objetiva, o impacto visual das estações rádio-base. O parâmetro de avaliação é a Fragilidade Visual, que mede a alteração sobre a paisagem e está sendo adotado na fase de planejamento de localizações da Telefónica Móviles México. Adicionalmente, foi identificado que 1,9% do total de suas estações rádio-base estão situadas em zonas protegidas de interesses ambientais, incluindo as zonas de proteção declarada Rede Natural na Espanha. Na Argentina, a T-Gestiona realizou uma avaliação dos aspectos e impactos ambientais de seu centro de armazenamento inteligente-robotizado, localizado na cidade de Avellaneda. PONTOS DE PRESENÇA DA TELEFÓNICA MÓVILES NO MUNDO (08-11) Pontos de presença Argentina Brasil Chile 950 Colômbia 503 Equador 237 El Salvador 147 Espanha Guatemala 417 México Nicaragua 286 Panamá 115 Peru 386 Uruguai 100 Venezuela 745 Total

13 168 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 CASO PRÁTICO DISTRITO C: UMA NOVA FORMA DE TRABALHAR (08-12) Distrito C, a nova sede do Grupo Telefónica na Espanha, situada na zona norte de Madri, fará a suposição com o expoente mais visível dessa nova cultura corporativa e novas formas de trabalhar na Telefónica. O projeto foi reconhecido pela revista Atualidade Econômica com o prêmio ao Projeto Imobiliário mais Emblemático da Comunidade de Madri. O projeto do Campus se desenvolve em 17 hectares com aproximadamente 65% de espaço livre de edificação e é composto basicamente por quatro torres, com dez edifícios unificados sob um abrigo e um importante fornecimento de serviços de restaurante, ginásio, creche, centro de saúde, auditório e centro de formação, entre outros. As construções estão dispostas em torno de uma grande praça central com jardim, onde a água e as árvores formam um ambiente paisagístico que facilita as relações interpessoais, o trabalho ao ar livre e o lazer. Sua grande qualidade para o meio ambiente vem determinada pelo fato de que seus três elementos de coesão do conjunto diferenciadores - abrigo, paisagismo e fachadas - melhoram as condições de temperatura, umidade e ruído. Outros dados do meio ambiente a serem destacados: 32% de economia em consumo elétrico em climatização; 100% de economia de energia para água quente; economia de 42% em consumo por controle de iluminação. Distrito C é o maior parque solar de escritórios sobre teto do mundo. O projeto em seu conjunto supõe uma diminuição de gases à atmosfera de 48% do qual 30% é conseqüência direta da economia de energia, e 18% restante resultado de sua capacidade de produzir energia. É desta forma destacável o Plano de Recursos definido em torno aos parâmetros de reciclagem que marca a certificação ISO Com relação à política de uso de papel, será centralizada a diminuição do número de impressoras e do consumo de papel. Esta política, além de seu efeito ambiental, contribui para integrar as novas tecnologias nas formas de trabalho da empresa. O projeto se enquadra dentro de uma filosofia urbanística e arquitetônica de espaços abertos, sem recintos nem barreiras, com edificações de baixa altura em sua maioria comunicadas entre si, por meio de acessos exteriores, e criadas a partir das funções e tarefas desempenhadas pelas pessoas e não dos postos ou cargos. Além de ser um projeto urbanístico e arquitetônico, se trata de um projeto de transformação dos espaços tendo as pessoas como protagonistas. Um projeto para a mudança nas formas de trabalhar. Pretende-se uma mudança de tendência para alternativas não presenciais: teletrabalho; presença cada vez maior na sede do cliente e do cliente na empresa; trabalho colaborativo e equipamentos de projeto. Os espaços favorecerão a mobilidade, colaboração, flexibilidade e produtividade. Desta forma, as modernas tecnologias permitirão o intercâmbio de conhecimentos, a inovação e a criatividade, a inter-relação entre as pessoas, a motivação e o compromisso pessoal e o equilíbrio entre a vida profissional e pessoal. O Distrito C possibilita que o trabalho não tenha que ser desenvolvido somente no escritório ou no posto tradicional, pois existem meios e espaços que resolvem melhor as diferentes necessidades de interação. Por fim, uma nova cultura de trabalho. O desenho do projeto tem cuidado especialmente dos acessos para facilitar o transporte público aos funcionários. A Telefónica chegou a um acordo com o Consórcio de Transportes da Comunidade de Madri para co-financiar uma linha de Metrô que terá uma estação em Distrito C, que será vinculada ao coração de Madri, podendo chegar na sede em poucos minutos, e será concluído no início de Adicionalmente, foi criada uma seção na Intranet da Empresa para permitir que os funcionários possam seguir a evolução da obra e um esboço do que será nossos novos ambientes de trabalho, assim como notícias relacionadas ao translado. Para o projeto, contou-se com a participação dos funcionários por meio de entrevistas aos diretores e pesquisas a todos os funcionários com o objetivo de conhecer suas formas de trabalho, meios complementares utilizados (ex.: salas de reuniões) e poder realizar uma adequada atribuição dos postos de trabalho no novo ambiente. Desta forma, é perguntado a opinião dos funcionários sobre serviços e necessidades por meio de pesquisas abertas no portal e pesquisas personalizadas em comunidades aleatórias.

14 Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 Telefónica, S.A. 169 CASO PRÁTICO GESTÃO DO IMPACTO AMBIENTAL DAS INSTALAÇÕES DA TELEFÓNICA MÓVILES (08-13) País Argentina Colômbia Equador Espanha Guatemala México Panamá Peru Atividades Análise do impacto ambiental de 155 demarcações de antenas (15 foram modificados). Comprovações de nível de ruído em 90 demarcações (3 delas foram modificadas). Minimização de 5 torres em setores urbanos integrando-as à paisagem. 190 isolamentos acústicos em plantas de energia elétrica e ar-condicionado. Estudos de impacto ambiental nas estações localizadas na cidade de Quito, e nas novas estações instaladas desde maio de Comprovações de nível de ruído em 77 demarcações (10% foram modificadas). 34 estudos de impacto ambiental de demarcações de antenas. 186 atuações de adequação ambiental em estações rádio-base (194 em 2003), das quais 75 correspondem a mimetizações (40 em 2003). 320 acordos de compartimento (232 em 2003). No final de 2004, a Empresa conclui a instalação de quase antenas crospolares, que reduzem significativamente o impacto visual no ambiente. Análise do impacto ambiental de 247 demarcações. 548 estudos de impacto ambiental para obter as correspondentes autorizações. 750 comprovações de nível de ruído, com nenhuma modificação requerida. Análise de impacto ambiental de 5 demarcações (2 modificadas). Pintura de antenas em terraços da mesma cor do edifício e substituição de antenas antigas por elementos crospolares de menor tamanho. Comprovações de nível de ruído de 15 demarcações (2 modificadas). Análise do impacto ambiental de 15 demarcações (3 modificadas). Comprovações de nível de ruído em mais de 30 demarcações (9 modificadas). Por último, é necessário destacar o projeto para o meio ambiente realizado no Distrito C, a nova sede da Telefónica em Madri. b) Redução do consumo de recursos escassos Energia elétrica A alimentação das redes de comunicações supõe o maior consumo energético das operadoras de telecomunicações. O consumo energético é uma das principais preocupações ambientais da Telefónica, já que sua redução tem efeitos diretos na economia de recursos naturais escassos e na redução da poluição, além de uma evidente redução de custos. Em 2004, o Grupo Telefónica avançou notavelmente na identificação do consumo energético de suas operações, por meio da medição por parte das empresas da Telefónica Móviles, TPI e T-Gestiona na América Latina. Foi identificado um consumo de 9,17 milhões de GJ. Ao longo do ano de 2004, as operadoras do Grupo Telefónica desenvolveram importantes melhorias na eficiência energética de suas redes e escritórios por meio de: uso de energias alternativas: a Telefónica Móviles España contava no fim de 2004, com duas estações rádio-base com placas solares, e sete com placas solares com aerogeradores. No Brasil, a TeleSP compra energia gerada através de duas Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs). aumento de temperatura de operação de alguns equipamentos e salas técnicas, (TeleSP, a Telefónica Móviles Argentina, Nicarágua, México, Panamá) ou uso de sistemas de refrigeração passiva (Telefónica Móviles España ou Uruguai). diminuição do tempo de recarga das baterias suporte do sistema (Telefónica Móviles Argentina, Panamá). apagamento de luzes e conscientização de funcionários sobre o uso adequado da energia (TeleSP, a Telefónica Móviles no Chile, Colômbia, Equador, Espanha, Nicarágua, Panamá, Peru, T-Gestiona na Argentina, Brasil). instalação de lâmpadas de baixo consumo (Móviles Colombia,T-Gestiona España e Brasil).

15 170 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA NAS EMPRESAS DO GRUPO TELEFÓNICA (KWH) (08-14) Consumo de energía da rede Consumo de energía nos escritórios Empresa País Telefónica de España Espanha TeleSP Brasil Telefónica del Perú Peru TASA Argentina (A) Telefónica CTC Chile Telefónica Móviles Espanha Argentina Brasil (A) Chile Colômbia Equador El Salvador Guatemala México Nicaragua Panamá Peru Uruguai Venezuela Telefónica I+D Espanha na na TPI Espanha na na Chile na na Peru na na Telefónica Gestión Espanha na na de Servicios Compartidos Argentina na na Terra Argentina na na Chile na na (A): Dado incluído na cifra de consumo de energia elétrica da rede n.a. Não aplica INDICADORES DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA (08-15) Empresa Indicador Dado Unidade Telefónica de España Eficiência energética da rede 0,0572 KWh / faturado Eficiência energética nos escritórios KWh / empregado ano Telefónica I+D Eficiência energética em inovação 0,0634 KWh / em produção e inovação T-Gestiona España Eficiência energética nos escritórios KWh / empregado ano

16 Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 Telefónica, S.A. 171 CONSUMO INDIRETO DE ENERGIA (08-16) (Calculado de acordo com o Energy Protocol do GRI. Dados em megajulios) Consumo direto Consumo indireto Recursos fósseis Energias renováveis/outras fontes Produtos Carvão Gás Natural petrolíferos Biomassa Eólica Hidroelétrica Nuclear Espanha Argentina Brasil Chile Peru Outros países Total controle da temperatura nas diferentes plantas (TeleSP, T-Gestiona na Espanha e Brasil). otimização da planta de refrigeração do edifício da Telefónica I+D em Valladolid O consumo próprio da Telefónica de España é de 883,5 milhões de kwh, 6,9% inferior ao de A Telefónica Móviles España e a Telefónica I+D alcançaram reduções do consumo energético superiores a 5%. Combustíveis O setor das telecomunicações não é um setor que gera uma grande demanda direta de combustível, estando este associado ao consumo das frotas de veículos, as caldeiras de calefação, atuações de emergência ou serviços em lugares com difícil acesso às fontes de energia. O consumo de combustível mais significativo para a Telefónica de España corresponde a sua frota de veículos, alcançando 7,5 milhões de litros (8,8 milhões em 2003). Adicionalmente, os grupos eletrógenos da Telefónica de España consumiram um total de 0,57 milhões de litros, diante de 0,51 em O consumo de óleo diesel em caldeiras foi de 1,14 milhões de litros (1,02 em 2003). O consumo de combustível identificado para as operadoras da Telefónica Móviles supera os milhares de litros de combustível, destacando a influência da Telefónica Móviles España (consumindo mais de 50% desta quantidade). Os 642 grupos geradores existentes na TeleSP funcionam somente como recurso de emergência diante de quedas do fornecimento elétrico e consumiram 500 mil litros de combustível. Como medida para reduzir o consumo, foi reduzido o tempo de revisão periódica dos geradores. Em 2004, o consumo da Telefónica I+D empregou por volta de litros de óleo diesel em calefação e m3 de gás natural na planta de refrigeração de Boecillo (Valladolid). Sua reduzida frota de veículos consumiu litros de combustível. Água O consumo de água do setor das telecomunicações é pouco significativo quando comparado com o de outras indústrias ou setores de serviços. Seu maior impacto consiste no consumo de água em escritórios e sistemas de climatização. Papel O consumo de papel é outro dos principais aspectos do meio ambiente relacionados com as operações da Telefónica, diferenciando-se tradicionalmente o consumo de papel em três áreas: escritórios, faturamento e publicação de listas telefônicas. Consumo de papel em escritórios O consumo de papel administrativo na Telefónica de España diminuiu 23,7% em valor absoluto e 13,8% em valor relativo com relação ao número de funcionários, alcançando uma média de 15,9 kg/funcionário. Na T-Gestiona esta cifra é de 33 kg/funcionário, conseqüência das campanhas de conscientização para funcionários sobre a impressão racional de documentos e o uso do papel. A Telefónica I+D continua avançando em seu objetivo ambiental de converter-se em um escritório sem papéis. Em 1998 estabeleceu o objetivo de redução do consumo de papel de 65,4%, chegando no máximo a 24,91 folhas / milhares em No fim de 2004, já tinha conseguido 62,31% de redução do consumo com referência a Outras medidas tomadas durante 2004 para reduzir o consumo de papel em escritórios: Ampliação dos trâmites administrativos com base em aplicações sobre a Intranet (Telefónica de España, Telefónica Móviles na Argentina, Colômbia, Equador, México, Uruguai). FROTA DE VEÍCULOS TELEFÓNICA DE ESPAÑA (08-17) (Unidades) Frota de veículos

17 172 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 CONSUMO DE COMBUSTÍVEIS NAS EMPRESAS DO GRUPO TELEFÓNICA (08-18) (Dados em milhares de litros) Empresa País Combustível grupos Combustível veículos Telefónica Móviles Chile 42,2 102,9 Colômbia Equador ,5 El Salvador 38,6 120,5 Espanha 4.867,5 504,3 Guatemala 38,6 175 Nicarágua Panamá 100,8 54,4 Peru 317,2 85,3 Telefónica de España España TeleSP Brasil Telefónica CTC Chile Telefónica de Argentina Argentina ESTIMATIVA DO CONSUMO DE ÁGUA E PAPEL NOS ESCRITÓRIOS DO GRUPO TELEFÓNICA (08-19) Consumo de água 1 Consumo de papel 2 Linha de negócio País Telefónica Móviles Argentina 106 Chile ,4 Colômbia Equador ,8 El Salvador ,8 Espanha ,3 Guatemala ,9 México 32,5 Nicarágua ,5 Panamá ,8 Peru Venezuela 97,5 Telefónica de España España ,6 TeleSP Brasil Telefónica del Perú Perú Telefónica CTC Chile Telefónica de Argentina Argentina Telefónica I+D España ,25 T-Gestiona España 10,6 T-Gestiona Argentina 2,88 TPI España ,8 Brasil 10,4 Chile ,6 Perú ,7 (1): Em milhares de litros (2): Em toneladas

18 Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 Telefónica, S.A. 173 CASO PRÁTICO TELEFÓNICA I+D PARA ESCRITÓRIO SEM PAPÉIS (08-20) Medidas relacionadas com sistemas informáticos e de informação: Uso de driver de impressão, que permite imprimir até um máximo de 8 páginas/face. Serviço de fax em rede. Aplicações na intranet que evitam o uso de formulários em papel (férias, permissões, formação, compras, etc.). Medidas no centro de reprografia: Serviço de escaneamento de documentos. Fotocópia múltipla (1 fotocópia por ambas as faces de até 8 páginas). Elaboração de cadernos a partir de papel impresso por uma só face ou das primeiras e últimas páginas de cada novo pacote de folhas. Controle por meio de autorização de cópias de manuais e fotocópias coloridas. Campanhas de conscientização de funcionários incentivando a impressão de documentos em dupla face (Telefónica de España,Telefónica Móviles Chile). Controle no uso de máquinas copiadoras e restrição na impressão de documentos (Telefónica Móviles na Colômbia, Equador, Espanha, México). Substituição de impressoras pessoais por impressoras em rede (Telefónica de España). Uso de papel reciclado (supõe 68% do consumo de papel e papelão na Telefónica Móviles España). Faturamento A Telefónica de España conseguiu uma redução no consumo de papel em faturamento de 1,89%, baixando para toneladas em Como fator positivo, no final de 2004 havia clientes da Telefónica de España que não recebiam a fatura em papel. Pelo contrário, deve-se ter em conta um fator negativo no fato de que os clientes de ADSL recebem a fatura com maior freqüência (mensalmente). Outras medidas tomadas ao longo de 2004 para reduzir o consumo de papel em faturamento: Fatura eletrônica e possibilidade de consultas e gestões on-line (Telefónica Móviles na Argentina, Chile, Equador, Peru, Panamá). Emissão do detalhe de chamadas em folhas impressas em dupla face (Telefónica Móviles no Chile, Peru, Panamá). Listas Telefônicas A TPI é consciente que, como editor de manuais de instruções e de publicações, consome uma grande quantidade de papel. Por isso, a compra de papel é um fator cuidadosamente controlado para garantir um uso responsável e sustentável. Em 2003, a TPI consumiu mais de toneladas de papel e cartolina para a produção de guias e manuais de instruções. c) Gestão responsável de resíduos A Telefónica separa e trata de forma diferenciada cada tipo de resíduo que produz no desenvolvimento de sua atividade. Classifica-se o material coletado como: Não perigoso, incluindo nesta categoria o papel, plásticos restos de equipamentos, escombros, restos de obra, descartes de material e embalagens. Perigosos, considerando-se entre estes óleos de motores, pilhas, baterias usadas, fluorescentes, cartuchos de toner (em algumas comunidades autônomas) e outros resíduos procedentes de detectores de fumaças e extintores com substâncias que desgastam a camada de ozônio. As empresas do Grupo Telefónica têm como objetivo administrar todos os resíduos perigosos por gerenciadores autorizados pela Administração. A Telefónica de España tem o objetivo de ampliação de sua inscrição como produtor de resíduos perigosos, para incluir outros resíduos perigosos que até o momento eram responsabilidade das empresas colaboradoras. A Telefónica Móviles España tem definida uma metodologia introduzida no Sistema Integrado de Gestão, pelo qual são identificados e retirados resíduos procedentes tanto da construção e instalação de estações rádio-base como dos edifícios da Empresa: Os resíduos procedentes das atividades da rede são gerenciados por meio das empresas fornecedoras. É colocado à disposição contêineres em edifícios de escritórios e em lojas próprias para

19 174 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 CASO PRÁTICO GESTÃO DE BATERIAS E TERMINAIS EM PODER DOS CLIENTES (08-21) País Espanha Argentina Chile Colômbia México Atividades Participação em iniciativas como Tragamóvil, cujo objetivo é reciclar os telefones móveis sem uso. Até setembro de 2004 foram retiradas quase 53 toneladas de resíduos de telefonia móvel, alcançando um total de 175 toneladas desde seu início em Desde 1999, é mantido um programa de coleta de baterias (respaldado pela Fundação Vida Silvestre e pela Secretaria de Meio Ambiente do Governo da Cidade de Buenos Aires) que conta com caixas coletadoras em 27 escritórios comerciais da Empresa. A fórmula de comercialização facilita a recuperação de terminais por um sistema de troca, que permitiu recuperar unidades durante o exercício Para consegui-lo, foi modificado o processo de devolução de equipamentos de empresas, foi enviada uma carta informativa, se tornou mais estrita a cobrança de multas por não devolução, e criou-se uma área especializada para a retirada destes equipamentos. Lançamento do programa piloto denominado Celupilas (Baterias de celular). Planejamento de uma campanha similar de coleta de baterias e terminais. Peru 16,6 toneladas de materiais coletados em Panamá Uruguai Existem contêineres nos escritórios de atendimento para a coleta de baterias. Lançamento do programa piloto denominado Montevidéu, te quero pilha. RESÍDUOS ADMINISTRADOS NAS EMPRESAS DO GRUPO TELEFÓNICA (KGS) (08-22) Resíduos não-perigosos Kg Resíduos perigosos Kg Telefónica Móviles Argentina Chile Brasil Equador Espanha México Peru Venzuela Telefónica de España Espanha TeleSP Brasil Telefónica I+D Espanha

20 Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 Telefónica, S.A. 175 RESÍDUOS ADMINISTRADOS NA TELEFÓNICA DE ESPAÑA (08-23) Quantidades (kg) 2004 Quantidades (kg) 2004 Resíduos não-perigosos Residuos perigosos Resíduos da planta interna Resíduos biosanitários Resíduos de cabos Resíduos de radiologia 500 Resíduos de equipamentos telefônicos Resíduos de baterias Resíduos de equipamentos telemáticos RR.PP administrados pela Logística Resíduos de alumínio Resíduos de substâncias utilizadas para refrigeração Resíduos de ferro Resíduos de madeira Residuos de policarbonatos, ABS e outros plásticos Resíduos de papel para reciclagem Resíduos de veículos para desmanche Total Total gerenciar os resíduos urbanos / municipais (papel e papelão), e os perigosos, como pilhas, baterias de telefones móveis e fluorescente. Todos os resíduos são coletados de forma seletiva e gerenciados conforme à legislação vigente, por meio de gerenciadores autorizados para proceder, quando for possível, para a reciclagem e/ou recuperação dos mesmos. Em outras operadoras de telefonia móvel existem contêineres para a coleta de papel em escritórios (Argentina, Chile, Colômbia, Panamá e Venezuela), toner de impressoras fax e máquinas de xérox (Chile e Colômbia), um centro de armazenamento para descartes da operação técnica com programas de reciclagem de sucata e baterias (Colômbia) e contêineres separados para todo tipo de descarte: papel, orgânico, vidro e plástico (Equador e México). No Brasil está sendo desenvolvido um novo projeto de Gestão de Materiais Recicláveis referente a papel, obras, manutenção e equipamento. Este projeto, compartilhado entre a TeleSP, a Telefónica Empresas Brasil e T-Gestiona contribui com os serviços de coleta seletiva de materiais, lâmpadas de mercúrio, acumuladores elétricos, transporte e destino final dos resíduos gerados. Na Argentina, se forem gerados resíduos perigosos do processo de tratamento a ser realizado pelos empreiteiros, estes devem apresentar a documentação que certifica que sua atividade se ajusta a toda a legislação existente na matéria. O empreiteiro é responsável pela eliminação de todos os resíduos perigosos resultantes dos serviços prestados à Telefónica. A inovação tecnológica e o passar do tempo produzem inevitavelmente a necessidade de substituição dos terminais, o que gera resíduos de materiais que em alguns casos, como o das baterias, são potencialmente perigosos para o meio ambiente. Embora a gestão destes resíduos não deva ser, pelo menos de forma exclusiva, das empresas operadoras, é de esperar que uma empresa responsável colabore na redução do impacto para o meio ambiente que possa ser produzido pelo fato de não atuar adequadamente. As diferentes empresas que operam na Espanha estão analisando as políticas de recuperação que são conseqüência da aplicação do novo Real Decreto sobre aparelhos elétricos e eletrônicos e gestão de seus resíduos. No caso da Telefónica de España, os terminais alugados são recuperados e gerenciados como resíduos; e no caso das empresas da Telefónica Móviles que desenvolvem diferentes ações direcionadas a recuperar baterias e terminais. Com o objetivo de conscientizar a sociedade da importância da reciclagem, foi gravado um filme (disponível na web) em que se mostra o processo total de reciclagem de um celular. A TPI Peru vem desenvolvendo desde mais de cinco anos uma campanha pontual de coleta de guias obsoletos, tendo com isso uma vertente social, pois o dinheiro obtido da reciclagem é doado a uma instituição benéfica que fomenta a educação entre as crianças necessitadas. Em 2004, foram coletadas quase 204 toneladas de papel. Na Argentina, a T- Gestiona também desenvolve um Programa de reciclagem de papel com fins benéficos. d) Emissões para a atmosfera A otimização do consumo de combustíveis fósseis, ligado ao uso da energia traz como resultado uma redução nas emissões que geram o efeito estufa (CO2, NOx e CH4, entre outras), contribuindo, assim, para reduzir um dos principais problemas que, hoje em dia, surgem no nosso planeta. Há alguns anos, as empresas do Grupo Telefónica vêm realizando ações de melhoria que favorecem a redução de emissões de GEIs (gases que produzem o efeito estufa): Renovação e redução da frota de veículos, substituindo os veículos sem catalisador por

Informe Anual de Responsabilidade Corporativa Telefónica, S.A.

Informe Anual de Responsabilidade Corporativa Telefónica, S.A. Informe Anual de Responsabilidade Corporativa Telefónica, S.A. 07 Meio ambiente: respeito e proteção 108 Telefónica, S.A. Informe Anual de Responsabilidade Corporativa 2003 01 Compromisso com o Meio Ambiente

Leia mais

180 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004. Fornecedores

180 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004. Fornecedores 180 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 09 Fornecedores Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 Telefónica, S.A. 181 09/01 Grande número de fornecedores 09/02

Leia mais

Melhoria do desempenho ambiental - implementação do Sistema de Gestão Ambiental

Melhoria do desempenho ambiental - implementação do Sistema de Gestão Ambiental Melhoria do desempenho ambiental - implementação do Sistema de Gestão Ambiental 1 Melhoria do desempenho ambiental implementação do Sistema de Gestão Ambiental A Caixa Geral de Depósitos (CGD) tem implementado

Leia mais

Informe Anual de Responsabilidade Corporativa Telefónica, S.A.

Informe Anual de Responsabilidade Corporativa Telefónica, S.A. Informe Anual de Responsabilidade Corporativa Telefónica, S.A. 08 Fornecedores: igualdade de oportunidades e benefício mútuo 122 Telefónica, S.A. Informe Anual de Responsabilidade Corporativa 2003 01 Grande

Leia mais

Master em Sustentabilidade e Eficiência Energética

Master em Sustentabilidade e Eficiência Energética Master em Sustentabilidade e Eficiência Energética Área de Energias Renováveis Energias Renováveis Datos del curso Área formativa: Energias Renováveis Modalidade: A Distância/E-learning Duração: 60 ECTS

Leia mais

Progresso e Desenvolvimento de Guarulhos S/A

Progresso e Desenvolvimento de Guarulhos S/A Progresso e Desenvolvimento de Guarulhos S/A Programa de Gestão Ambiental Agosto de 2009 Programa de Gestão Ambiental Agosto de 2009 1 1. O Programa de Gestão Ambiental O Programa de Gestão Ambiental da

Leia mais

Printronix T5000r apoia Iniciativas de Sustentabilidade em conformidade com a ENER GY STAR ENERGY STAR ENERGY STAR e Equipamentos de Imagem

Printronix T5000r apoia Iniciativas de Sustentabilidade em conformidade com a ENER GY STAR ENERGY STAR ENERGY STAR e Equipamentos de Imagem Printronix T5000r apoia Iniciativas de Sustentabilidade em conformidade com a Por Andy Edwards, diretor de desenvolvimento de impressoras Térmicas/RFID, Printronix Sustentabilidade é a palavra da moda

Leia mais

Otimização do uso do solo

Otimização do uso do solo Otimização do uso do solo Criamos uma cidade compacta, adensada, próxima de meios de transporte de alta capacidade, paisagens e ecossistemas visualmente atraentes e que agregam valor à comunidade. Urbanização

Leia mais

Políticas Públicas Resíduos e Reciclagem. Sérgio Henrique Forini

Políticas Públicas Resíduos e Reciclagem. Sérgio Henrique Forini Políticas Públicas Resíduos e Reciclagem. Sérgio Henrique Forini O lixo é conhecido como os restos das atividades humanas considerados inúteis, indesejáveis e descartáveis. No entanto, separado nos seus

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Sistema de Gestão Ambiental - SGA & Certificação ISO 14.000 SGA & ISO 14.000 UMA VISÃO GERAL

APRESENTAÇÃO. Sistema de Gestão Ambiental - SGA & Certificação ISO 14.000 SGA & ISO 14.000 UMA VISÃO GERAL APRESENTAÇÃO Sistema de Gestão Ambiental - SGA & Certificação ISO 14.000 UMA VISÃO GERAL Introdução SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL - SGA Definição: Conjunto de ações sistematizadas que visam o atendimento

Leia mais

PLANO DE GESTÃO DE LOGÍSTICA SUSTENTÁVEL

PLANO DE GESTÃO DE LOGÍSTICA SUSTENTÁVEL Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Câmpus Guarapuava PLANO DE GESTÃO DE LOGÍSTICA SUSTENTÁVEL Comissão Gestora do Plano de Gestão de Logística Sustentável UTFPR - Câmpus

Leia mais

RESULTADOS DA POLÍTICA DE GESTÃO AMBIENTAL DE RESÍDUOS DE SAÚDE REALIZADO PELA ÁREA DE GESTÃO DE SAÚDE NORTE DE MÁLAGA (ASNM).

RESULTADOS DA POLÍTICA DE GESTÃO AMBIENTAL DE RESÍDUOS DE SAÚDE REALIZADO PELA ÁREA DE GESTÃO DE SAÚDE NORTE DE MÁLAGA (ASNM). XXV Congreso de la Asociación Latina para el Análisis de los Sistemas de Salud 4, 5 y 6 de septiembre 2014 - Granada RESULTADOS DA POLÍTICA DE GESTÃO AMBIENTAL DE RESÍDUOS DE SAÚDE REALIZADO PELA ÁREA

Leia mais

Otimização do uso do solo

Otimização do uso do solo Otimização do uso do solo Criamos uma cidade compacta, adensada, próxima de meios de transporte de alta capacidade e de paisagens e ecossistemas visualmente atraentes que agregam valor à comunidade. Urbanização

Leia mais

20o. Prêmio Expressão de Ecologia

20o. Prêmio Expressão de Ecologia 20o. Prêmio Expressão de Ecologia 2012-2013 Separação dos resíduos recicláveis Coleta seletiva no pátio Separação dos resíduos no laboratório Central de resíduos e estação de tratamento de esgoto Capacitação

Leia mais

CNT Brasil Gestão Ambiental

CNT Brasil Gestão Ambiental CNT Brasil Gestão Ambiental Estamos nos integrando ao sistema de gestão ambiental de nosso cliente IBM, logo, estamos realizando atividades de propagação e difusão deste programa para todos nossos parceiros

Leia mais

Comissão de Sustentabilidade Campus Verde UNIFAL-MG. Ações realizadas em 2014 SUBCOMISSÃO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Comissão de Sustentabilidade Campus Verde UNIFAL-MG. Ações realizadas em 2014 SUBCOMISSÃO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas UNIFAL-MG Comissão de Sustentabilidade Campus Verde Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700 Alfenas/MG - CEP 37.130-000 Fone (35) 3299-1062 http://www.unifal-mg.edu.br/sustentabilidade

Leia mais

Projeto SeparAção INTRODUÇÃO OBJETIVO GERAL Objetivos específicos

Projeto SeparAção INTRODUÇÃO OBJETIVO GERAL Objetivos específicos Projeto SeparAção INTRODUÇÃO Há muito tempo o homem vem utilizando os recursos naturais que ele encontra em seu habitat e a cada ano que passa, novas formas de uso são descobertas. O maior problema dessa

Leia mais

Diretrizes de Sustentabilidade Carelink

Diretrizes de Sustentabilidade Carelink 1 Para a, o que é sustentabilidade? É a forma mais eficaz para alcançarmos resultados consistentes, buscando soluções integradas que envolvam aspectos sociais, tecnológicos, econômicos e ambientais, de

Leia mais

Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação

Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Práticas de sustentabilidade Ações que tenham como objetivo a construção de um novo modelo de cultura institucional visando a inserção de critérios de sustentabilidade

Leia mais

BRASIL - 170 MILHÕES DE HABITANTES. - Taxa média de crescimento nos últimos 10 anos: 1,5 %

BRASIL - 170 MILHÕES DE HABITANTES. - Taxa média de crescimento nos últimos 10 anos: 1,5 % REALIZAÇÃO GLOBAL BRASIL - 170 MILHÕES DE HABITANTES - Taxa média de crescimento nos últimos 10 anos: 1,5 % - Previsão de crescimento da população: 2,5 milhões habitantes/ano ESTADO DE SÃO PAULO -35,1

Leia mais

Política de Saúde, Segurança e Meio Ambiente

Política de Saúde, Segurança e Meio Ambiente Política de Saúde, Segurança e Meio Ambiente Política Global Novartis 1 de março de 2014 Versão HSE 001.V1.PT 1. Introdução Na Novartis, nossa meta é ser líder em Saúde, Segurança e Meio Ambiente (HSE).

Leia mais

CAU/SP. Conselho de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo

CAU/SP. Conselho de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo CAU/SP Conselho de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo Estudo para implantação do SGA, PE e A3P Sistema de Gestão Ambiental do CAU/SP Programa de Ecoeficiência do CAU/SP Agenda Ambiental na Administração

Leia mais

LOGÍSTICA REVERSA ACITSIGOL ASREVER

LOGÍSTICA REVERSA ACITSIGOL ASREVER Conceito LOGÍSTICA REVERSA ACITSIGOL ASREVER É uma área da logística que atua de forma a gerenciar e operacionalizar o retorno de bens e materiais, após sua venda e consumo, às suas origens, agregando

Leia mais

S I S T E M A E S T A D U A L D E M E I O A M B I E N T E FEAM FUNDAÇÃO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE

S I S T E M A E S T A D U A L D E M E I O A M B I E N T E FEAM FUNDAÇÃO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE S I S T E M A E S T A D U A L D E M E I O A M B I E N T E FEAM FUNDAÇÃO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE Programa AmbientAÇÃO Ricardo Botelho Tostes Ferreira Frederico Batista Baião SISTEMA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE

Leia mais

Carbon Disclosure Project Supply Chain CDP na cadeia de suprimentos

Carbon Disclosure Project Supply Chain CDP na cadeia de suprimentos w Gestão Ambiental na Sabesp Workshop Carbon Disclosure Project Supply Chain CDP na cadeia de suprimentos Sup. Wanderley da Silva Paganini São Paulo, 05 de maio de 2011. Lei Federal 11.445/07 Lei do Saneamento

Leia mais

Escritório Verde. Dicas práticas para tornar seu escritório sustentável

Escritório Verde. Dicas práticas para tornar seu escritório sustentável Escritório Verde Dicas práticas para tornar seu escritório sustentável Use a criatividade e o bom senso para gerar conscientização ecológica e economia Escritório Verde Dicas práticas para tornar seu escritório

Leia mais

A gestão de resíduos na UNISINOS atendendo aos requisitos da ISO 14.001:2004. Palestrante: Dra. Luciana Paulo Gomes, UNISINOS lugomes@unisinos.

A gestão de resíduos na UNISINOS atendendo aos requisitos da ISO 14.001:2004. Palestrante: Dra. Luciana Paulo Gomes, UNISINOS lugomes@unisinos. A gestão de resíduos na UNISINOS atendendo aos requisitos da ISO 14.001:2004 Palestrante: Dra. Luciana Paulo Gomes, UNISINOS lugomes@unisinos.br 1 LIVRO: Gestão de Resíduos em Universidades 1. Como foi

Leia mais

Técnicas passivas; Técnicas ativas.

Técnicas passivas; Técnicas ativas. Definição: a conservação de energia deve ser entendida como a utilização de uma menor quantidade de energia para a obtenção de um mesmo produto ou serviço através da eliminação do desperdício; Técnicas

Leia mais

Nome e contato do responsável pelo preenchimento deste formulário Luiz Antônio Jaeger (21) 9702 9194 luizantonio@parme.com.br parme@parme.com.

Nome e contato do responsável pelo preenchimento deste formulário Luiz Antônio Jaeger (21) 9702 9194 luizantonio@parme.com.br parme@parme.com. PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Categoria Franqueador Pleno Dados da empresa Razão Social Franquipar Franqueadora e Licenciadora de Marcas Ltda. Nome fantasia Parmê

Leia mais

auxiliamos nossos clientes a identificar as vantagens competitivas e as oportunidades em um ambiente complexo e em constante evolução.

auxiliamos nossos clientes a identificar as vantagens competitivas e as oportunidades em um ambiente complexo e em constante evolução. Meio ambiente A gestão ambiental da KPMG no Brasil tem como base a nossa Global Green Initiative (GGI), que define a atuação e os compromissos da rede de firmasmembro conforme três aspectos principais:

Leia mais

PRÊMIO ESTANDE SUSTENTÁVEL ABF EXPO 2014

PRÊMIO ESTANDE SUSTENTÁVEL ABF EXPO 2014 PRÊMIO ESTANDE SUSTENTÁVEL ABF EXPO 2014 1. APRESENTAÇÃO Com o intuito de disseminar práticas de responsabilidade socioambiental entre as empresas do sistema de franchising, a Associação Brasileira de

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

P.42 Programa de Educação Ambiental

P.42 Programa de Educação Ambiental ANEXO 2.2.3-1 - ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS (PMRS) DE PARANAÍTA/MT O roteiro apresentado foi elaborado a partir do Manual de Orientação do MMA Ministério do Meio Ambiente

Leia mais

dicas sustentáveis Como crescer com práticas responsáveis

dicas sustentáveis Como crescer com práticas responsáveis dicas sustentáveis Como crescer com práticas responsáveis Um desafio que envolve você! Compartilhamos os mesmos espaços e problemas, mas também as soluções. É fundamental ter atitudes responsáveis, suprindo

Leia mais

LEGISLAÇÃO SOBRE RECICLAGEM DO LIXO

LEGISLAÇÃO SOBRE RECICLAGEM DO LIXO LEGISLAÇÃO SOBRE RECICLAGEM DO LIXO ILIDIA DA A. G. MARTINS JURAS Consultora Legislativa da Área XI Meio Ambiente e Direito Ambiental, Organização Territorial, Desenvolvimento Urbano e Regional DEZEMBRO/2000

Leia mais

Consumo Consciente Energia Elétrica

Consumo Consciente Energia Elétrica Consumo Consciente Energia Elétrica Agosto 2010 Planeta SUSTENTABILIDADE NO CONSUMO Incentivo ao consumo responsável e consciente IMPORTÂNCIA DA ENERGIA PARA O GRUPO Compra energia elétrica de 23 concessionárias

Leia mais

N REQUISITOS OBSERVAÇÕES

N REQUISITOS OBSERVAÇÕES N REQUISITOS OBSERVAÇÕES 01 02 03 04 05 06 07 A - MANUTENÇÃO E SUPORTE A empresa fornece produto de software com Verificar se a empresa fornece manual do produto (instalação), documentação de suporte ao

Leia mais

Geração de Energia a partir do lixo urbano. Uma iniciativa iluminada da Plastivida.

Geração de Energia a partir do lixo urbano. Uma iniciativa iluminada da Plastivida. Geração de Energia a partir do lixo urbano. Uma iniciativa iluminada da Plastivida. Plástico é Energia Esta cidade que você está vendo aí de cima tem uma população aproximada de 70.000 mil habitantes e

Leia mais

46º Congresso da SBPC/ML terá ações de sustentabilidade

46º Congresso da SBPC/ML terá ações de sustentabilidade 46º Congresso da SBPC/ML terá ações de sustentabilidade Durante o 46º Congresso Brasileiro de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial serão desenvolvidas ações com o objetivo de conscientizar os participantes

Leia mais

Correlação entre os requisitos do Sistema de Gestão do Programa Atuação Responsável e o Responsible Care Management System Requirements - ACC

Correlação entre os requisitos do Sistema de Gestão do Programa Atuação Responsável e o Responsible Care Management System Requirements - ACC Correlação entre os requisitos do Sistema de Gestão do Programa Atuação Responsável e o Responsible Care Management System Requirements - ACC Sistema de Gestão do AR 2012 - ABIQUIM Responsible Care Management

Leia mais

Ecoeficiência. Inventário de emissões. Assumimos o compromisso de monitorar as emissões de GEE anualmente

Ecoeficiência. Inventário de emissões. Assumimos o compromisso de monitorar as emissões de GEE anualmente Relatório Anual de Sustentabilidade 2011 69 Ecoeficiência A Redecard aprimorou seu nível de controle de consumo de água, energia elétrica, combustível e da geração de lixo para adotar práticas responsáveis

Leia mais

Linha Economia Verde

Linha Economia Verde Linha Economia Verde QUEM SOMOS Instituição Financeira do Estado de São Paulo, regulada pelo Banco Central, com inicio de atividades em Março/2009 Instrumento institucional de apoio àexecução de políticas

Leia mais

FUNDAÇÃO CALOUSTE GULBENKIAN Edifícios da Sede e Museu e Centro de Arte Moderna. Serviços Centrais

FUNDAÇÃO CALOUSTE GULBENKIAN Edifícios da Sede e Museu e Centro de Arte Moderna. Serviços Centrais 1 Os edifícios da Sede e Museu foram inaugurados em 1969, 7 anos depois do início da construção, sendo o projecto dos arquitectos Alberto Pessoa, Pedro Cid e Ruy d Athouguia; Os jardins são projecto dos

Leia mais

GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS NO BRASIL

GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS NO BRASIL GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS NO BRASIL O QUE MUDA COM A APROVAÇÃO DA P.N.R.S.? Engo. Eleusis Di Creddo Gerente de Meio Ambiente e Destinação Final SOLVI PARTICIPAÇÕES S.A. ecreddo@solvi.com Realização:

Leia mais

Gestão Ambiental. E seu contexto no Tribunal Regional do Trabalho da ª Região - 2010

Gestão Ambiental. E seu contexto no Tribunal Regional do Trabalho da ª Região - 2010 TRT- AMBIENTAL Gestão Ambiental E seu contexto no Tribunal Regional do Trabalho da ª Região - 2010 Coleta seletiva no Ed. Sede tem início nesta quarta-feira (03) A partir desta quarta-feira (03), será

Leia mais

MEIO AMBIENTE Nortel Networks Siemens

MEIO AMBIENTE Nortel Networks Siemens A Nortel Networks aposta na cidadania corporativa e na Responsabilidade Social. Nos últimos anos, a empresa vem se empenhando na realização de um projeto de reciclagem de papéis e outros materiais descartados

Leia mais

Inventário das Emissões de gases de efeito estufa. Ano de referência do inventário: 2014. Inventário Parcial

Inventário das Emissões de gases de efeito estufa. Ano de referência do inventário: 2014. Inventário Parcial Inventário das Emissões de gases de efeito estufa Ano de referência do inventário: 2014 1. Dados do inventário Banco Santander S.A. (Brasil) Tipo de preenchimento: 1.1 Responsável pela elaboração do inventário

Leia mais

DNOCS PLANO DE GESTÃO DE LOGÍSTICA SUSTENTÁVEL DO DNOCS

DNOCS PLANO DE GESTÃO DE LOGÍSTICA SUSTENTÁVEL DO DNOCS PLANO DE GESTÃO DE LOGÍSTICA SUSTENTÁVEL DO COORDENAÇÃO DE RECURSOS LOGÍSTICOS Paulo César Lopes Barsi Comissão de Elaboração do Plano de Logística Sustentável (PLS) Carlos Henrique Feitosa Soares Fábio

Leia mais

Políticas Públicas de Resíduos Sólidos e. Alexandre Magrineli dos Reis Fundação Estadual do Meio Ambiente Belo Horizonte, outubro de 2011

Políticas Públicas de Resíduos Sólidos e. Alexandre Magrineli dos Reis Fundação Estadual do Meio Ambiente Belo Horizonte, outubro de 2011 Políticas Públicas de Resíduos Sólidos e logística reversa Alexandre Magrineli dos Reis Fundação Estadual do Meio Ambiente Belo Horizonte, outubro de 2011 Relatório da Pesquisa Pagamento por Serviços Ambientais

Leia mais

Ambiental. Cartilha. Aquecimento Global. Saiba como reduzir ou até neutralizar suas emissões de Co2. Vamos deixar um futuro melhor para nossos filhos?

Ambiental. Cartilha. Aquecimento Global. Saiba como reduzir ou até neutralizar suas emissões de Co2. Vamos deixar um futuro melhor para nossos filhos? Cartilha Ambiental Vamos deixar um futuro melhor para nossos filhos? Saiba como reduzir ou até neutralizar suas emissões de Co2 Com atitudes simples você pode contribuir para diminuir sua emissão de CO2,

Leia mais

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para Política Nacional de Resíduos Sólidos Agora é lei Novos desafios para poder público, empresas, catadores e população Marco histórico da gestão ambiental no Brasil, a lei que estabelece a Política Nacional

Leia mais

DISPÕE SOBRE A POLÍTICA DE COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE CACHOEIRA ALTA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

DISPÕE SOBRE A POLÍTICA DE COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE CACHOEIRA ALTA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LEI Nº 1.223/2013 DE 16 DE ABRIL DE 2013. DISPÕE SOBRE A POLÍTICA DE COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE CACHOEIRA ALTA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A CÂMARA MUNICIPAL DE CACHOEIRA ALTA, Estado de Goiás, por

Leia mais

PROGRAMA DE COLETA SELETIVA CODEBA

PROGRAMA DE COLETA SELETIVA CODEBA 1 PROGRAMA DE COLETA SELETIVA CODEBA SALVADOR BA FEVEREIRO - 2012 1. INTRODUÇÃO 2 O presente Programa de Coleta Seletiva trata dos resíduos gerados pela Companhia, tendo sua elaboração e implementação

Leia mais

Associação Brasileira de Materiais Compósitos MANUAL DE RECUPERAÇÃO DE TAMBORES METÁLICOS

Associação Brasileira de Materiais Compósitos MANUAL DE RECUPERAÇÃO DE TAMBORES METÁLICOS MANUAL DE RECUPERAÇÃO DE TAMBORES METÁLICOS Introdução Este documento é um guia orientativo aos associados da Abmaco que desejem efetuar a disposição adequada de tambores e embalagens de resina poliéster

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos. Pernambuco - PE

Política Nacional de Resíduos Sólidos. Pernambuco - PE Política Nacional de Resíduos Sólidos Pernambuco - PE Desafios 1. Eliminar lixões 2. Eliminar aterro controlado 3. Implantar aterro sanitário 4. Coleta seletiva 5. Compostagem e 6. Logística reversa Legenda

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL MANUAL Elaborado por Comitê de Gestão de Aprovado por Paulo Fernando G.Habitzreuter Código: MA..01 Pag.: 2/12 Sumário Pag. 1. Objetivo...

Leia mais

11º GV - Vereador Floriano Pesaro

11º GV - Vereador Floriano Pesaro PROJETO DE LEI Nº 496/2010 Dispõe sobre a destinação final ambientalmente adequada de resíduos sólidos produzidos p o r c e n t r o s c o m e r c i a i s denominados shoppings centers e similares, e dá

Leia mais

Compromisso com o Mundo Sustentável

Compromisso com o Mundo Sustentável Compromisso com o Mundo Sustentável Está em nossa Visão Ser um empresa global e sustentável até 2012. Para nossa empresa ser sustentável, é fundamental a busca de resultados financeiros e o comprometimento

Leia mais

Como Economizar US$ 36 Bilhões em Eletricidade

Como Economizar US$ 36 Bilhões em Eletricidade Como Economizar US$ 36 Bilhões em Eletricidade (sem desligar as luzes) UMA PESQUISA SOBRE A PRODUTIVIDADE ENERGÉTICA NAS AMERICAS CONTINUE POR FAVOR 6 1,9 1 0,1 4 3 14 4 8 O Futuro Sem Eficiência Uma maneira

Leia mais

Assim é a Telefónica. Distribuição do EBITDA por países em 2001

Assim é a Telefónica. Distribuição do EBITDA por países em 2001 Assim é a Telefónica A aquisição da Lycos, aliada ao fato de a nova empresa Terra Lycos operar em 43 países, permitiu, por um lado, uma maior penetração nos Estados Unidos e no Canadá. Por outro lado,

Leia mais

Projeto de Incentivo à Reciclagem

Projeto de Incentivo à Reciclagem Projeto de Incentivo à Reciclagem Boas Práticas em Meio Ambiente Apresentação: O objetivo do seguinte projeto tem a finalidade de auxiliar a implementação da Coleta Seletiva e posteriormente envio para

Leia mais

PLANO DE GESTÃO INTEGRADA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DO CIM-AMAVI. Audiencia Pública - Prognóstico

PLANO DE GESTÃO INTEGRADA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DO CIM-AMAVI. Audiencia Pública - Prognóstico PLANO DE GESTÃO INTEGRADA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DO CIM-AMAVI Audiencia Pública - Prognóstico LEGISLAÇÃO: Constituição 1988: Artigo 225 Lei 11.445/2007 (Saneamento Básico) Decreto 7.217/2010 (Saneamento

Leia mais

Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática

Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática A Abiquim e suas ações de mitigação das mudanças climáticas As empresas químicas associadas à Abiquim, que representam cerca

Leia mais

Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada

Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada Revisão 02 Manual MN-01.00.00 Requisito Norma ISO 14.001 / OHSAS 18001 / ISO 9001 4.4.4 Página 1 de 14 Índice 1. Objetivo e Abrangência 2. Documentos Referenciados

Leia mais

MINUTA DE PROPOSTA DE RESOLUÇÃO ABILUX 05/03/2010

MINUTA DE PROPOSTA DE RESOLUÇÃO ABILUX 05/03/2010 MINUTA DE PROPOSTA DE RESOLUÇÃO ABILUX 05/03/2010 Dispõe sobre a destinação de Lâmpadas inservíveis, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências O CONSELHO NACIONAL DO MEIO

Leia mais

"PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL"

PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL "PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL" Quem somos: Associação sem fins lucrativos, fundado em 1992, o CEMPRE se dedica à promoção da reciclagem dentro do conceito de gerenciamento integrado

Leia mais

Definições centrais do Plano Cidades Limpas PLANO REGIONAL DE GESTÃO ASSOCIADA E INTE- GRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS PARA O CIRCUITO DAS ÁGUAS

Definições centrais do Plano Cidades Limpas PLANO REGIONAL DE GESTÃO ASSOCIADA E INTE- GRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS PARA O CIRCUITO DAS ÁGUAS Definições centrais do Plano Cidades Limpas PLANO REGIONAL DE GESTÃO ASSOCIADA E INTE- GRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS PARA O CIRCUITO DAS ÁGUAS setembro 2013 As proposições elencadas neste documento originam-se

Leia mais

2006 2007 2008 2009 2010 ANO

2006 2007 2008 2009 2010 ANO COMPRAS SUSTENTÁVEIS NA SABESP ALVARO MENDES Superintendência de Suprimentos e Contratações Estratégicas O Poder de Compra da Sabesp M I L H Õ E S 4.000 3.500 3.000 2.500 2.000 1.500 1.000 500 0 1.532

Leia mais

Programa ABRELPE de Logística Reversa de Resíduos de Equipamentos EletroEletrônicos REEE

Programa ABRELPE de Logística Reversa de Resíduos de Equipamentos EletroEletrônicos REEE Programa ABRELPE de Logística Reversa de Resíduos de Equipamentos EletroEletrônicos REEE 1 A ABRELPE Associação nacional, sem fins lucrativos, que congrega e representa as empresas prestadoras de serviços

Leia mais

Referência na gestão otimizada de recursos na América Latina

Referência na gestão otimizada de recursos na América Latina Referência na gestão otimizada de recursos na Renovando o mundo O mundo desenvolve-se e necessita de novos recursos: recursos naturais, econômicos e humanos. A nossa contribuição consiste em conceber e

Leia mais

"PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL"

PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL "PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL" Associação sem fins lucrativos, fundado em 1992, o CEMPRE se dedica à promoção da reciclagem dentro do conceito de gerenciamento integrado do lixo.

Leia mais

COMPLEXO AMBIENTAL DIRETORIA INDUSTRIAL AMÉRICA LATINA ENGENHARIA AMBIENTAL E ENERGIA

COMPLEXO AMBIENTAL DIRETORIA INDUSTRIAL AMÉRICA LATINA ENGENHARIA AMBIENTAL E ENERGIA COMPLEXO AMBIENTAL FIAT DIRETORIA INDUSTRIAL AMÉRICA LATINA ENGENHARIA AMBIENTAL E ENERGIA VALORES EQUIPE DA GESTÃO AMBIENTAL ALTA ADMINISTRAÇÃO ENGENHARIA AMBIENTAL e ENERGIA U. OP. PRENSAS U. OP. FUNILARIA

Leia mais

ATO DA COMISSÃO DIRETORA Nº 4, DE 2013.

ATO DA COMISSÃO DIRETORA Nº 4, DE 2013. ATO DA COMISSÃO DIRETORA Nº 4, DE 2013. Institui a Política de Responsabilidade Socioambiental do Senado Federal. A COMISSÃO DIRETORA DO SENADO FEDERAL, no uso da competência que lhe foi conferida pelo

Leia mais

Gestão Ambiental Resíduo Hospitalar. Gizelma de A. Simões Rodrigues

Gestão Ambiental Resíduo Hospitalar. Gizelma de A. Simões Rodrigues Gestão Ambiental Resíduo Hospitalar Gizelma de A. Simões Rodrigues SBS Hospital Sírio Libanês Instituição Filantrópica de saúde, ensino e pesquisa. Hospital de alta complexidade Matriz 172.000 m² 5.900

Leia mais

Shopping Iguatemi Campinas Reciclagem

Shopping Iguatemi Campinas Reciclagem Shopping Iguatemi Campinas Reciclagem 1) COMO FUNCIONA? O PROBLEMA OU SITUAÇÃO ANTERIOR Anteriormente, todos os resíduos recicláveis ou não (com exceção do papelão), ou seja, papel, plásticos, vidros,

Leia mais

Perfil das empresas. Porte da Empresa. Tipo de indústria. (NA) (%) Média 84 55 De 100 a 499 funcionários Grande 69 45 500 ou mais funcionários

Perfil das empresas. Porte da Empresa. Tipo de indústria. (NA) (%) Média 84 55 De 100 a 499 funcionários Grande 69 45 500 ou mais funcionários Perfil das empresas Porte da Empresa (NA) Média 84 De 00 a 499 funcionários Grande 69 4 00 ou mais funcionários 3 00 Tipo de indústria (NA) Indústria/agência de embalagens 33 Usuária de embalagens 02 67

Leia mais

PLANO DE TRABALHO PARA IMPLANTAÇÃO DA A3P CNPJ/MF 10.565.000/0001-92 CEP 50.030-230 CPF 342.246.884-68 CEP 52.041-170

PLANO DE TRABALHO PARA IMPLANTAÇÃO DA A3P CNPJ/MF 10.565.000/0001-92 CEP 50.030-230 CPF 342.246.884-68 CEP 52.041-170 PLANO DE TRABALHO PARA IMPLANTAÇÃO DA A3P 1. DADOS CADASTRAIS Órgão SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE Endereço CAIS DO APOLO, Nº 925, BAIRRO DO RECIFE Cidade RECIFE UF PE Nome do Responsável MARCELO AUGUSTO

Leia mais

PROJETO AMIGOS DO PLANETA. Autor. Rose Mariah de Souza Ferreira. Gestora Ambiental

PROJETO AMIGOS DO PLANETA. Autor. Rose Mariah de Souza Ferreira. Gestora Ambiental PROJETO AMIGOS DO PLANETA Autor Rose Mariah de Souza Ferreira Gestora Ambiental Gravataí, março de 2011. Introdução Pensar em tornar o ambiente em que se vive sustentável, é direcionar ações capazes de

Leia mais

LEI FEDERAL 12305/2010 POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS

LEI FEDERAL 12305/2010 POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS LEI FEDERAL 12305/2010 POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS ARTIGO 13 -ORIGEM RSU(domiciliares e de limpeza pública) Comerciais e Prestadores de Serviços Serviços Públicos de Saneamento Básico Industriais

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos e Logística Reversa

Política Nacional de Resíduos Sólidos e Logística Reversa Política Nacional de Resíduos Sólidos e Logística Reversa Cristina R. Wolter Sabino de Freitas Departamento Ambiental O mundo será obrigado a se desenvolver de forma sustentável, ou seja, que preserve

Leia mais

Sistema de Gestão Ambiental & Certificação SGA - ISO 14.000

Sistema de Gestão Ambiental & Certificação SGA - ISO 14.000 ZOOTECNIA/UFG DISCIPLINA DE GPA Sistema de Gestão Ambiental & Certificação SGA - ISO 14.000 Introdução EVOLUÇÃO DA GESTÃO AMBIENTAL Passou por três grandes etapas: 1ª. Os problemas ambientais são localizados

Leia mais

PESQUISA SOBRE AS PRÁTICAS DAS EMPRESAS DO PORTO DIGITAL

PESQUISA SOBRE AS PRÁTICAS DAS EMPRESAS DO PORTO DIGITAL PESQUISA SOBRE AS PRÁTICAS DAS EMPRESAS DO PORTO DIGITAL Recife, abril 2011. APRESENTAÇÃO O presente relatório é o resultado da pesquisa sobre as práticas das empresas do Porto Digital, previsto no Contrato

Leia mais

Indústrias. Bairro: Município: CEP: CNPJ/CPF: Telefone: Fax: Localização do empreendimento (Endereço): Bairro: CEP:

Indústrias. Bairro: Município: CEP: CNPJ/CPF: Telefone: Fax: Localização do empreendimento (Endereço): Bairro: CEP: Indústrias 1. Identificação Empresa/Interessado: Endereço: Bairro: Município: CEP: CNPJ/CPF: Telefone: Fax: E-mail: Atividade: Localização do empreendimento (Endereço): Bairro: CEP: Contato: Cargo/Função:

Leia mais

Ambiental (ADA) NBR ISO 14031:2004

Ambiental (ADA) NBR ISO 14031:2004 Avaliação de Desempenho Ambiental (ADA) NBR ISO 14031:2004 A série de normas NBR ISO 14000 SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL AVALIAÇÃO DESEMPENHO AMBIENTAL 14001:2004 e 14004:2005 14031:2004 (Versão corrigida

Leia mais

Rótulo Ecológico para o processo de tratamento de solução eletrolítica de baterias automotivas

Rótulo Ecológico para o processo de tratamento de solução eletrolítica de baterias automotivas Pág. Nº 2/10 0 Introdução O programa de Rotulagem Ambiental da ABNT foi desenvolvido para apoiar um esforço contínuo para melhorar e/ou manter a qualidade ambiental por meio da redução do consumo de energia

Leia mais

Logística Ambiental: Adequação das organizações a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Msc. Renata Quemel Pires

Logística Ambiental: Adequação das organizações a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Msc. Renata Quemel Pires Logística Ambiental: Adequação das organizações a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Msc. Renata Quemel Pires Desenvolvimento Sustentável É obter o crescimento econômico contínuo através de um manejo

Leia mais

Unindo forças por um mesmo objetivo

Unindo forças por um mesmo objetivo Unindo forças por um mesmo objetivo Seguindo o conceito do programa em fomentar iniciativas de coleta e reciclagem, a parceria vai ampliar a atuação do Programa de Reciclagem do Óleo de Fritura (PROL),

Leia mais

Palestrante: Alessandra Panizi Evento: Resíduos Sólidos: O que fazer?

Palestrante: Alessandra Panizi Evento: Resíduos Sólidos: O que fazer? Palestrante: Alessandra Panizi Evento: Resíduos Sólidos: O que fazer? Marco Histórico sobre Resíduos Sólidos Lei 12.305/2010 Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) Decreto 7.404/2012 regulamento

Leia mais

Programa Gerdau Germinar (MG) é uma das mais importantes iniciativas de educação ambiental da Empresa. Relatório Anual Gerdau 2014

Programa Gerdau Germinar (MG) é uma das mais importantes iniciativas de educação ambiental da Empresa. Relatório Anual Gerdau 2014 40 41 Programa Gerdau Germinar (MG) é uma das mais importantes iniciativas de educação ambiental da Empresa. MEIO AMBIENTE 42 Gerdau é reconhecida pela eficiência de suas práticas de proteção ao meio ambiente

Leia mais

PLANO DE SUSTENTABILIDADE

PLANO DE SUSTENTABILIDADE PLANO DE SUSTENTABILIDADE Rock in Rio 2013 O QUE NOS MOVE Temos que assumir não só as nossas próprias responsabilidades mas um compromisso coletivo, enquanto cidadãos e profissionais, em cada atividade

Leia mais

Prof. Paulo Medeiros

Prof. Paulo Medeiros Prof. Paulo Medeiros Em 2010 entrou em vigor no Brasil a lei dos Resíduos Sólidos. Seu objetivo principal é diminuir a destinação incorreta de resíduos ao meio ambiente. Ela define que todas as indústrias,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PGRS

TERMO DE REFERÊNCIA PARA A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PGRS TERMO DE REFERÊNCIA PARA A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PGRS 1. JUSTIFICATIVA O presente Termo de Referência tem por fim orientar a elaboração do PGRS conforme previsto no

Leia mais

ÍNDICE ORIENTAÇÕES AO CONSUMIDOR CADEIA PRODUTIVA MAIS SUSTENTÁVEL NOSSO HISTÓRICO AMBIENTAL. TI Verde

ÍNDICE ORIENTAÇÕES AO CONSUMIDOR CADEIA PRODUTIVA MAIS SUSTENTÁVEL NOSSO HISTÓRICO AMBIENTAL. TI Verde ORIENTAÇÕES AO CONSUMIDOR INTRODUÇÃO... 03 RECICLE SEU COMPUTADOR POSITIVO... 03 CICLO PRODUTIVO - LOGÍSTICA REVERSA... 04 RECICLAR É PRECISO... 04 DICAS DE USO CONSCIENTE... 05 CADEIA PRODUTIVA MAIS SUSTENTÁVEL

Leia mais

CB Fernandes Engenharia e Consultoria Ltda.

CB Fernandes Engenharia e Consultoria Ltda. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA: ÁREAS DE ATUAÇÃO: A CB Fernandes Engenharia é uma empresa de prestação de serviços especializados de engenharia e consultoria, voltada para a indústria, atuando nas áreas de: EFICIÊNCIA

Leia mais

Balanço Sustentável. Balanço Sustentável

Balanço Sustentável. Balanço Sustentável Balanço Sustentável ÍNDICE SUSTENTABILIDADE PARA A SONDA IT...03 PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS...05 CONHEÇA AS AÇÕES SUSTENTÁVEIS DA SEDE DA SONDA IT...06 DATA CENTER PRÓPRIO...13 ASPECTOS AMBIENTAIS...15 Sustentabilidade

Leia mais

Ficha de Inscrição do 17º Prêmio Expressão de Ecologia

Ficha de Inscrição do 17º Prêmio Expressão de Ecologia Ficha de Inscrição do 17º Prêmio Expressão de Ecologia OBS: Apresentação obrigatória na primeira página do case Informações cadastrais a) Identificação: empresa b) Nome: Borachas Vipal S/A c) Setor/Atividades:

Leia mais

RELATÓRIO DE COMPENSAÇÃO DE EMISSÕES DE CO 2

RELATÓRIO DE COMPENSAÇÃO DE EMISSÕES DE CO 2 RELATÓRIO DE COMPENSAÇÃO DE EMISSÕES DE CO 2 XIV Simpósio Nacional de Auditoria de Obras Públicas (SINAOP) Centro de Eventos do Pantanal - Cuiabá 1 Novembro 2011 Nome do Evento: XIV SINAOP 2011 Cuiabá

Leia mais

Magazine Meio Ambiente

Magazine Meio Ambiente Página 1 de 5 Magazine Meio Ambiente MEIO AMBIENTE Dez atitudes domésticas ecologicamente corretas Publicado a 28 Janeiro 2011 por Danielrox01 Substituir sacolas de plástico A sacola de plástico é a atual

Leia mais